Você está na página 1de 36

Exercícios 2014/2015

resolvidos: Biomecânica
Este documento apresenta a resolução e soluções dos exercícios Cálculo
propostos
vetorial
Biomecânica 2
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

1. Considere o vetor a  4,0i  3,0 j


1.1. Escreva o vetor 𝑎⃗ usando uma notação matricial.
4,0
𝑎⃗ = [ ]
3,0

1 0
1.2. Sabendo que 𝑖⃗ = [ ] e 𝑗⃗ = [ ] calcule1:
0 1
1.2.1. ‖𝑖⃗‖ e ‖𝑗⃗‖

‖𝑖⃗‖ = √12 + 02 = 1

‖𝑗⃗‖ = √02 + 12 = 1

1 0
1.2.2. 4,0 [ ] + 3,0 [ ]
0 1
1 0 4,0 × 1 3,0 × 0 4,0 0 4,0 + 0 4,0
4,0 [ ] + 3,0 [ ] = [ ]+[ ]=[ ]+[ ]=[ ]=[ ]
0 1 4,0 × 0 3,0 × 1 0 3,0 0 + 3,0 3,0

1.3. Represente geometricamente 𝑎⃗ e os seus componentes.

1
Os vetores 𝑖⃗ e 𝑗⃗ são unitários, isto é, a sua norma é igual a 1. Também são versores de direção.
Assim, 𝑖⃗ é um versor de direção de qualquer vetor situado no eixo OX e 𝑗⃗ um versor de direção de
qualquer vetor situado no eixo OY.
Biomecânica 3
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

1.4. Represente geometricamente 4,0i  3,0 j  3,0 j  4,0i  a e conclua que a


adição vetorial é comutativa (i.e. independente da ordem pela qual são

somados os componentes de a ).

x y
3,0 j a

4,0i
x
1

1
4,0i  3,0 j  3,0 j  4,0i  a

1.5. Caracterize a
4,0
Norma ou comprimento: ‖𝑎⃗‖ = ‖[ ]‖ √4,02 + 3,02 = √16,0 + 9,0 = √25,0 = 5,0
3,0
4,0 3,0
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 (5,0) ≅ 36,9° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 (5,0) ≅ 53,1° (Nota: são os

menores ângulos que 𝑎⃗ forma com o semi-eixo positivo OX e OY, respetivamente)


Biomecânica 4
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

4,0
2. Considere os vetores a    e b  2,0i  3,0 j .
3,0 
2.1. Caracterize os vetores:

2.1.1. aa
4,0 4,0 0,0
𝑎⃗ − 𝑎⃗ = [ ] − [ ] = [ ] = ⃗⃗
0 (vetor nulo)
3,0 3,0 0,0
Norma ou comprimento: ‖𝑎⃗‖ = 0
Direção e sentido de 𝑎⃗: indeterminado; a direção e o sentido de 𝑎⃗ = ⃗0⃗ não estão
definidos.

2.1.2. 2  a ou 2a
4,0 2 × 4,0 8,0
2𝑎⃗ = 2 [ ]=[ ]=[ ]
3,0 2 × 3,0 6,0
Norma ou comprimento: ‖𝑎⃗‖ = √8,02 + 6,02 = √64,0 + 36,0 = √100,0 = 10,0
8,0 6,0
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 (10,0) ≅ 36,9° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 (10,0) ≅ 53,1°

2.1.3. ab
4,0 2,0 4,0 + 2,0 6,0
𝑎⃗ + 𝑏⃗⃗ = [ ]+[ ]=[ ]=[ ]
3,0 −3,0 3,0 − 3,0 0,0
Norma ou comprimento: ‖𝑎⃗ + 𝑏⃗⃗‖ = √6,02 = 6,0
6,0 0,0
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 (6,0) = 0° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 (6,0) = 90°

2.1.4. a b
4,0 2,0 4,0 − 2,0 2,0
𝑎⃗ − 𝑏⃗⃗ = [ ] − [ ]=[ ]=[ ]
3,0 −3,0 3,0 − (−3,0) 6,0
Norma ou comprimento: ‖𝑎⃗ − 𝑏⃗⃗‖ = √2,02 + 6,02 = √40,0 ≅ 6,3
2,0 6,0
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 71,6° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 18,4°
√40 √40
Biomecânica 5
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

2.1.5. ba
2,0 4,0 2,0 − 4,0 −2,0
𝑏⃗⃗ − 𝑎⃗ = [ ]−[ ]=[ ]=[ ]
−3,0 3,0 −3,0 − 3,0 −6,0
Norma: ‖𝑏⃗⃗ − 𝑎⃗‖ = √(−2,0)2 + (−6,0)2 = √4,0 + 36,0 = √40,0 ≅ 6,3
−2,0 −6,0
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 108,4° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 161,6°
√40 √40

2.2. Represente geometricamente os vetores 𝑏⃗⃗ − 𝑎⃗ e 𝑎⃗ − 𝑏⃗⃗ marcando os


ângulos que definem a sua direção e sentido.

4,0  2,0  0,0  2,0


3. Dados os vetores: a    ; b    ; c  e d  
3,0   3,0 2,0  2,0 
3.1. Caracterize:
3.1.1. 𝑎⃗ + 2𝑏⃗⃗ − 𝑐⃗ − 𝑑⃗
4,0 + 2 × 2,0 − 0,0 − (−2,0) 10,0
𝑎⃗ + 2𝑏⃗⃗ − 𝑐⃗ − 𝑑⃗ = [ ]=[ ]
3,0 + 2 × (−3,0) − 2,0 − 2,0 −7,0
10,0
Norma ou comprimento: ‖[ ]‖ = √10,02 + (−7,0)2 = √149 ≅ 12,2
−7,0
10,0 −7,0
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 35,0° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 125,0°
√149 √149
Biomecânica 6
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

1
3.1.2. a  b  0,5c  d
2
1
1 × 4,0 − 2,0 + 0,5 × 0 + (−2,0)

⃗ ⃗ 2 −2,0
𝑎⃗ − 𝑏 + 0,5𝑐⃗ + 𝑑 = [ ]=[ ]
2 1 7,5
× 3,0 − (−3,0) + 0,5 × 2,0 + 2,0
2
−2,0
Norma ou comprimento: ‖[ ]‖ = √(−2)2 + 7,52 = √60,25 ≅ 7,8
7,5
−2,0 7,5
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 104,9° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 14,9°
√ 60,25 √60,25

3.2. Calcule:

3.2.1. b

2,0
‖𝑏⃗⃗‖ = ‖[ ]‖ = √2,02 + (−3,0)2 = √4,0 + 9,0 = √13,0 ≅ 3,6
−3,0

1
3.2.2. bb
2
1 1 2,0 2,0 3,0
‖ 𝑏⃗⃗ + 𝑏⃗⃗‖ = ‖ [ ]+[ ]‖ = ‖[ ]‖ = √3,02 + (−4,5)2 = √29,25 ≅ 5,4
2 2 −3,0 −3,0 −4,5

3.2.3. Direção e sentido de b


2,0 −3,0
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 56,3° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 146,3°
√13,0 √13,0

3.3. Caracterize e represente geometricamente e  a  b  c  d


4,0  2,0  0  2,0
a  b  c  d  
3,0  ;  3,0 ; 2,0 e  2,0  .
4,0 + 2,0 + 0,0 − 2,0 4,0
𝑎⃗ + 𝑏⃗⃗ + 𝑐⃗ + 𝑑⃗ = [ ]=[ ]
3,0 − 3,0 + 2,0 + 2,0 4,0
4,0
Norma ou comprimento: ‖[ ]‖ = √32 ≅ 5,7
4,0
4,0
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) = 45,0°
√32
Biomecânica 7
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

x y
e d

a b c
x

4,0
e  abcd   
4,0
4. Seja:

y
y
x

f1 ( N )  4,0i  3,0 j
f2 f1
56º
f 2  3,6 N x

4.1. Calcule os componentes de ⃗⃗⃗⃗


𝑓2

⃗⃗⃗⃗ −3,6 × cos(56°) −2,01 −2,0


𝑓2 = [ ]≅[ ]≅[ ] (𝑁)
3,6 × sin(56°) 2,98 3,0

4.2. Escreva ⃗⃗⃗⃗


𝑓1 e ⃗⃗⃗⃗
𝑓2 usando a notação matricial.

⃗⃗⃗⃗ 4,0
𝑓1 = [ ] (𝑁)
3,0
⃗⃗⃗⃗ −2,0
𝑓2 = [ ] (𝑁)
3,0
Biomecânica 8
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

4.3. Aplicando o método vetorial caracterize e represente geometricamente a


força resultante2 (i.e. o vetor soma).

⃗⃗⃗⃗ 4,0 −2,01 1,99 2,0


𝑓𝑅 = ⃗⃗⃗⃗
𝑓1 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓2 = [ ] + [ ]=[ ] ≅ [ ] (𝑁)
3,0 2,98 5,98 6,0

Intensidade: ‖𝑓⃗⃗⃗⃗𝑅 ‖ = ‖[1,99


5,98
]‖ = √1,992 + 5,982 = √39,7205 = 6,30 ≅ 6,3𝑁

1,99 5,98
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 71,6° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 18,4°
√39,72 √39,72

5. Seja:

y
y
x

f1 ( N )  4,0i  3,0 j f1

f 2 ( N )  4,0i  2,0 j x

f 3 ( N )  2,0i  4,0 j f2
f3

2
Força resultante é a força que substitui as forças componentes e calcula-se somando os vetores
força.
Biomecânica 9
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

5.1. Escreva os vetores usando uma notação matricial.


⃗⃗⃗⃗ 4,0 4,0 −2,0
𝑓1 (𝑁) = [ ] ; ⃗⃗⃗⃗
𝑓2 (𝑁) = [ ] ; ⃗⃗⃗⃗
𝑓3 (𝑁) = [ ]
3,0 −2,0 −4,0

5.2. Aplicando o método vetorial, caracterize e represente geometricamente a


força resultante.
⃗⃗⃗⃗ 4,0 + 4,0 − 2,0 6,0
𝑓𝑅 = ⃗⃗⃗⃗
𝑓1 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓2 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓3 = [ ]=[ ] (𝑁)
3,0 − 2,0 − 4,0 −3,0
⃗⃗⃗⃗ 6,0
Intensidade da força resultante: ‖𝑓 𝑅 ‖ = ‖[ ]‖ = √45,0 ≅ 6,7𝑁
−3,0
6,0 −3,0
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 26,6° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 116,6°
√45 √45

6. Um ponto material está submetido à ação simultânea das seguintes forças:


 100  120  100 
f1 ( N )    f 2 (N )    f3 (N )   
 150  200   20 

6.1. Caracterize cada uma das forças aplicadas


⃗⃗⃗⃗1 ‖ = ‖[−100]‖ = √32500 ≅ 180,3 ≅ 180𝑁
Intensidade: ‖𝑓
150
−100 150
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 124° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 34°
√32500 √32500
Biomecânica 10
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

⃗⃗⃗⃗2 ‖ = ‖[ 120
Intensidade: ‖𝑓 ]‖ = √54400 ≅ 233𝑁
200
120 200
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 59° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 31°
√54400 √54400

⃗⃗⃗⃗3 ‖ = ‖[ 100
Intensidade: ‖𝑓 ]‖ = √10400 ≅ 102𝑁
20
100 20
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 11° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 79°
√10400 √10400

6.2. Calcule f1  f 2 e verifique f1  f 2  f 2  f1 (propriedade comutativa da


adição vetorial)
⃗⃗⃗⃗ −100 + 120 20 (𝑁)
𝑓1 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓2 = [ ]=[ ]
150 + 200 350

⃗⃗⃗⃗ 120 − 100 20 (𝑁)


𝑓2 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓1 = [ ]=[ ]
200 + 150 350

   
6.3. Calcule f1  f 2  f 3 e verifique que f1  f 2  f 3  f1  f 2  f 3 (propriedade

associativa da adição vetorial)


⃗⃗⃗⃗ −100 + 120 + 100 120 (𝑁)
𝑓1 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓2 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓3 = [ ]=[ ]
150 + 200 + 20 370

⃗⃗⃗⃗1 + ⃗⃗⃗⃗ −100 + 120 100 120 (𝑁)


(𝑓 𝑓2 ) + ⃗⃗⃗⃗
𝑓3 = [ ]+[ ]=[ ]
150 + 200 20 370

⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗2 + ⃗⃗⃗⃗ −100 120 + 100 120 (𝑁)


𝑓1 + (𝑓 𝑓3 ) = [ ]+[ ]=[ ]
150 200 + 20 370

6.4. Caracterize a força resultante.

⃗⃗⃗⃗ −100 + 120 + 100 120 (𝑁)


𝑓𝑅 = ⃗⃗⃗⃗
𝑓1 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓2 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓3 = [ ]=[ ]
150 + 200 + 20 370

⃗⃗⃗⃗ 120
Intensidade: ‖𝑓 𝑅 ‖ = ‖[ ]‖ = √151300 ≅ 389𝑁
370
120 370
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 72° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 18°
√151300 √151300
Biomecânica 11
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

6.5. O ponto material está em equilíbrio 3? Justifique.


O ponto material estará em equilíbrio se a soma das forças aplicadas for igual ao
vetor nulo:
3
0
∑ ⃗𝑓⃗𝑖 = ⃗⃗⃗⃗
𝑓1 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓2 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓3 = [ ] = ⃗0⃗
0
𝑖=1

Ora:
3
120
∑ ⃗𝑓⃗𝑖 = ⃗⃗⃗⃗
𝑓1 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓2 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓3 = [ ] ≠ ⃗0⃗
370
𝑖=1

Logo, conclui-se que o ponto não está em equilíbrio.

6.6. Calcule a força que é necessário aplicar para que o ponto material fique
em equilíbrio.
Nota: Trata-se de encontrar um vetor que somado à força resultante dê o vetor
nulo.

120 120 𝑥4 0
[ ] + ⃗⃗⃗⃗
𝑓4 = ⃗⃗
0 ⇔[ ] + [𝑦 ] = [ ]
370 370 4 0

120 + 𝑥4 = 0 𝑥 = −120
{ ⇔{ 4
370 + 𝑦4 = 0 𝑦4 = −370

⃗⃗⃗⃗ −120
𝑓4 = [ ]
−370

3
Para um ponto material estar em equilíbrio a soma das forças aplicadas tem que ser nula ou, por
outras palavras, a força resultante tem que ser nula.
Biomecânica 12
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

7. Complete a tabela.
Atividade Velocidade Ângulo Velocidade Velocidade
saída saída (º) horizontal vertical
-1
(m/s) (m.s ) (m.s-1)
Salto em 8,0 17,0º 7,7 2,3
comprimento
Lançamento do 30,0 31,2º 25,7 15,5
dardo
Lançamento do 23,1 35,2º 18,9 13,3
disco
Lançam. 7,3 52,1º 4,5 5,8
basquetebol
Pontapé numa 11,0 20,5º 10.3 3.9
bola

8. Complete a tabela.
Atividade Velocidade Ângulo Velocidade Velocidade
saída saída (º) horizontal vertical
(m/s) (m.s-1) (m.s-1)
Salto em 7,51 16,31 7,21 2,11
comprimento
Lançamento 29.3 31,5 25,0 15,3
dardo
Lançamento 23,3 34,0 19,3 13,0
disco
Lançamento 6,8 51,6 4,2 5,3
basquetebol
Pontapé numa 11,0 20,3 10,3 3,82
bola
Biomecânica 13
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

9. Observe a figura.
y A
y

B
x

F
1
x
1

9.1. Escreva as coordenadas e os vetores posição de cada ponto.

⃗⃗⃗⃗⃗⃗ = [ 5,0 ]
𝐴 → (5,0; 10,0) 𝑒 𝑂𝐴 ; ⃗⃗⃗⃗⃗⃗ = [5,0]
𝐵 → (5,0; 9,0) 𝑒 𝑂𝐵
10,0 9,0
⃗⃗⃗⃗⃗⃗ = [4,0]
𝐶 → (4,0; 6,0) 𝑒 𝑂𝐶 ; 𝐷 → (6,0; 4,0) 𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑂𝐷 = [ ]
6,0
6,0 4,0
4,0 5,0
𝐸 → (4,0; 2,0) 𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑂𝐸 = [ ] ; 𝐹 → (5,0; 1,0) 𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑂𝐹 = [ ]
2,0 1,0
5,0 0,0 5,0
Nota: ⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑂𝐴 = A − O = [ ]−[ ]=[ ]
10,0 0,0 10,0

9.2. Represente geometricamente os vetores posição de cada ponto


y A
y

B
x

F
1
x
1
Biomecânica 14
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

9.3. Calcule e represente geometricamente BA ; BC ; CD ; DE e EF

⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝐵𝐴 = ⃗⃗⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗⃗⃗ = [ 5,0 ] − [5,0] = [0,0] ou ⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑂𝐴 − 𝑂𝐵 𝐵𝐴 = 𝐴 − 𝐵 = [
5,0 5,0 0,0
]−[ ]=[ ]
10,0 9,0 1,0 10,0 9,0 1,0

⃗⃗⃗⃗⃗⃗ = 𝐶 − 𝐵 = [4,0] − [5,0] = [−1,0]


𝐵𝐶
6,0 9,0 −3,0
⃗⃗⃗⃗⃗⃗ = 𝐷 − 𝐶 = [6,0] − [4,0] = [ 2,0 ]
𝐶𝐷
4,0 6,0 −2,0
⃗⃗⃗⃗⃗⃗ 4,0 6,0 −2,0
𝐷𝐸 = 𝐸 − 𝐷 = [ ] − [ ] = [ ]
2,0 4,0 −2,0
⃗⃗⃗⃗⃗⃗ 5,0 4,0 1,0
𝐸𝐹 = 𝐹 − 𝐸 = [ ] − [ ] = [ ]
1,0 2,0 −1,0
A
y
y

1 B
x

C 2

3 D

E
4
F
1
x
1

9.4. Imagine que DE representa a perna de um sujeito. Calcule o seu


comprimento (norma) e a sua orientação global (direção e sentido).

⃗⃗⃗⃗⃗⃗ ‖ = ‖[−2,0]‖ = √8,0 ≅ 2,8


Comprimento da perna: ‖𝐷𝐸
−2,0
−2,0
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) = 135,0°
√8,0
Biomecânica 15
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

10. Observe a imagem. Suponha que o eixo horizontal está no solo.

Escala:
O J
1

1 C
P D

A T
X

10.1. Qual é a altura do joelho relativamente ao solo e relativamente ao


ombro
  
Altura do joelho relativamente ao solo = 2,5
Altura do joelho relativamente ao ombro = 0,0

10.2. A que distância está o cotovelo da origem do referencial.

⃗⃗⃗⃗⃗⃗ = 𝐶 − 𝑂 = [2,5] − [0,0] = [2,5]


𝑂𝐶
1,5 0,0 1,5
⃗⃗⃗⃗⃗⃗ ‖ = √2,52 + 1,52 = √8,5 ≅ 2,9
‖𝑂𝐶

10.3. Quais são os vetores que podem representar a coxa. Indique os


seus componentes usando a notação matricial.

⃗⃗⃗⃗⃗ 6,0 7,5 −1,5


𝐽𝐴 = 𝐴 − 𝐽 = [ ] − [ ] = [ ]
0,0 2,5 −2,5
⃗⃗⃗⃗⃗ 7,5 6,0 1,5
𝐴𝐽 = 𝐽 − 𝐴 = [ ] − [ ] = [ ]
2,5 0,0 2,5
Biomecânica 16
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

10.4. Caracterize os vetores anteriores

⃗⃗⃗⃗⃗‖ = ‖[−1,5]‖ = √(−1,5)2 + (−2,5)2 = √8,5 ≅ 2,9


Comprimento: ‖𝐽𝐴
−2,5
−1,5 −2,5
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 121,0° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 149,0°
√8,5 √8,5

⃗⃗⃗⃗⃗‖ = ‖[ 1,5
Comprimento: ‖𝐴𝐽 ]‖ = √1,52 + 2,52 = √8,5 ≅ 2,9
2,5
1,5 2,5
Direção e sentido: 𝜃𝑥 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 59,0° ; 𝜃𝑦 = 𝑐𝑜𝑠 −1 ( ) ≅ 31,0°
√ 8,5 √8,5

10.5. ⃗⃗⃗⃗⃗ e diga que segmento corporal poderá representar.


Calcule o vetor 𝐽𝑇
9,0 7,5 1,5
Perna: ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝑇 = 𝑇 − 𝐽 = [ ] − [ ] = [ ]
0,0 2,5 −2,5

10.6. Sem calcular o ângulo verifique se a coxa e a perna são


perpendiculares (⊥)
𝑆𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝐴 ≠ ⃗⃗ 𝐽𝑇 ≠ ⃗⃗
0 𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗ 0
𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝐴 ∙ ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝑇 = 0
𝑒𝑛𝑡ã𝑜 ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝐴 ⊥ ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝑇

⃗⃗⃗⃗⃗ = [−1,5] ∙ [ 1,5 ] = −1,5 × 1,5 + (−2,5) × (−2,5) = 4,0


⃗⃗⃗⃗⃗ ∙ 𝐽𝑇
𝐽𝐴
−2,5 −2,5
4,0 ≠ 0 𝑙𝑜𝑔𝑜 𝑛ã𝑜 𝑠ã𝑜 𝑝𝑒𝑟𝑝𝑒𝑛𝑑𝑖𝑐𝑢𝑙𝑎𝑟𝑒𝑠

10.7. Verifique se os outros ângulos marcados na figura são de 90º (mas


sem os calcular)
Ângulo entre o tronco e a coxa:
3,0 6,0 −3,0
Seja: ⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝐴𝑂 = 𝑂 − 𝐴 = [ ]−[ ]=[ ]
2,5 0,0 2,5
⃗⃗⃗⃗⃗ 7,5 6,0 1,5
𝐴𝐽 = 𝐽 − 𝐴 = [ ] − [ ] = [ ]
2,5 0,0 2,5
⃗⃗⃗⃗⃗⃗ ≠ ⃗0⃗ 𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗
𝑆𝑒 𝐴𝑂 𝐴𝐽 ≠ ⃗0⃗
𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝐴𝑂 ∙ ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐴𝐽 = 0
𝑒𝑛𝑡ã𝑜 ⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝐴𝑂 ⊥ ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐴𝐽
Biomecânica 17
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

⃗⃗⃗⃗⃗⃗ ∙ ⃗⃗⃗⃗⃗ −3,0 1,5


𝐴𝑂 𝐴𝐽 = [ ] ∙ [ ] = −3,0 × 1,5 + 2,5 × 2,5 = 1,75 ≅ 1,8
2,5 2,5
1,8 ≠ 0 𝑙𝑜𝑔𝑜 𝑛ã𝑜 𝑠ã𝑜 𝑝𝑒𝑟𝑝𝑒𝑛𝑑𝑖𝑐𝑢𝑙𝑎𝑟𝑒𝑠

Ângulo entre a perna e o pé:

⃗⃗⃗⃗⃗ = 𝐽 − 𝑇 = [ 7,5 9,0 −1,5


Seja: 𝑇𝐽 ]−[ ]=[ ]
2,5 0,0 2,5
⃗⃗⃗⃗⃗⃗ 10,0 9,0 1,0
𝑇𝐷 = 𝐷 − 𝑇 = [ ]−[ ]= [ ]
0,5 0,0 0,5
𝑇𝐽 ≠ ⃗0⃗ 𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑆𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗ 𝑇𝐷 ≠ ⃗0⃗
𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗
𝑇𝐽 ∙ ⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑇𝐷 = 0
⃗⃗⃗⃗⃗ ⊥ 𝑇𝐷
𝑒𝑛𝑡ã𝑜 𝑇𝐽 ⃗⃗⃗⃗⃗⃗

⃗⃗⃗⃗⃗⃗ = [−1,5] ∙ [1,0] = −1,5 × 1,0 + 2,5 × 0,5 = −0,25 ≅ −0,3


⃗⃗⃗⃗⃗ ∙ 𝑇𝐷
𝑇𝐽
2,5 0,5
−0,3 ≠ 0 𝑙𝑜𝑔𝑜 𝑛ã𝑜 𝑠ã𝑜 𝑝𝑒𝑟𝑝𝑒𝑛𝑑𝑖𝑐𝑢𝑙𝑎𝑟𝑒𝑠

10.8. Calcule o menor ângulo entre a coxa e a perna


⃗⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝐴 ∙ 𝐽𝑇 4,0
𝜃 = cos −1 ( ) = cos−1 ( ) ≅ 61,9°
⃗⃗⃗⃗⃗‖ ‖𝐽𝑇
‖𝐽𝐴 ⃗⃗⃗⃗⃗‖ √8,5 × √8,5

10.9. Calcule o menor ângulo entre o tronco e a coxa


⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝐴𝑂 ∙ ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐴𝐽 1,75
𝜃 = cos−1 ( ) = cos−1 ( ) ≅ 78,1°
⃗⃗⃗⃗⃗⃗‖ ‖𝐴𝐽
‖𝐴𝑂 ⃗⃗⃗⃗⃗‖ √15,25 × √8,5

10.10. Calcule o menor ângulo entre a perna e o pé

⃗⃗⃗⃗⃗
𝑇𝐽 ∙ ⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑇𝐷 −0,25
𝜃 = cos −1 ( ) = cos−1 ( ) ≅ 94,4°
⃗⃗⃗⃗⃗‖ ‖𝑇𝐷
‖𝑇𝐽 ⃗⃗⃗⃗⃗⃗ ‖ √8,5 × √1,25
Biomecânica 18
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

11. Considere o vetor a  6i  3 j  5k


11.1. Escreva o vetor 𝑎⃗ usando uma notação matricial.
6
𝑎⃗ = [3]
5

1 0 0
11.2. ⃗⃗
Sabendo que 𝑖⃗ = [0] , 𝑗⃗ = [1] e 𝑘 = [0]calcule4:
0 0 1
11.2.1. ⃗⃗ ‖
‖𝑖⃗‖ , ‖𝑗⃗‖ e ‖𝑘

‖𝑖⃗‖ = √12 + 02 + 02 = 1

‖𝑗⃗‖ = √02 + 12 + 02 = 1
⃗⃗ ‖ = √02 + 02 + 12 = 1
‖𝑘

1 0 0
11.2.2. 6 [0] + 3 [1] + 5 [0]
0 0 1

1 0 0 6 0 0 6
6 [0] + 3 [1] + 5 [0] = [0] + [3] + [0] = [3]
0 0 1 0 0 5 5

4 ⃗⃗ são unitários, isto é, a sua norma é igual a 1. Também são versores de


Os vetores 𝑖⃗ , 𝑗⃗ e 𝑘
direção. Assim, 𝑖⃗ é um versor de direção de qualquer vetor situado no eixo OX , 𝑗⃗ um versor de
⃗⃗ um versor de direção de qualquer vetor situado
direção de qualquer vetor situado no eixo OY e 𝑘
no eixo OZ.
Biomecânica 19
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

11.3. Represente geometricamente os componentes de a .

z
5
5k

3j
6i O 3
6
x y
11.4. Represente geometricamente 𝑎⃗, obtido através da soma vetorial dos
seus componentes.

z
5

a
6 i O 3
6 5k
x y
3 j
Biomecânica 20
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

11.5. Represente geometricamente o paralelepípedo formado pelos

componentes de a e verifique que a adição vetorial é comutativa (i.e.

independente da ordem pela qual são somados os componentes de a .

z 5


a
O 3
6
x y

11.6. Caracterize a .

Norma ou comprimento: ‖𝑎⃗‖ = √𝑥12 + 𝑦12 + 𝑧12 = √62 + 32 + 52 = √70 ≅ 8


Direção e sentido:
𝑥1 6
𝜃𝑥 = cos−1 ( ) = cos −1 ( ) ≅ 44°
‖𝑎⃗‖ √70
𝑦1 3
𝜃𝑦 = cos −1 ( ) = cos−1 ( ) ≅ 69°
‖𝑎⃗‖ √70
𝑧1 5
𝜃𝑧 = cos −1 ( ) = cos −1 ( ) ≅ 53°
‖𝑎⃗‖ √70
Biomecânica 21
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

11.7. Represente geometricamente os planos que contêm os ângulos


anteriores.
Plano que contém o ângulo 𝜃𝑥 :

z
 3
A
5k 
a
 a y,z
a
90º x
A
x O
3 j
x O
6i
6i y  
x x 
 x  cos 1  1 
 a 
 
Plano que contém o ângulo 𝜃𝑦 :

z
3
5k  O
a
y 90º
3j
A  O
3 j
A ax, z
a
y y
6i  
x y y 
 y  cos 1  1 
 a 
 
Biomecânica 22
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

Plano que contém o ângulo 𝜃𝑧 :

z z
 3
A
90º

5k z

z a 5k

A  3 j
a O
O

6i y  
1  z1 
x  z  cos  
 a 
 
4 4
12. Considere os vetores b   2 e c   2 .
 
   
 3    3

12.1. Represente geometricamente os vetores b e c

b
3k
2 j 4 i
O
3k
y
x c
Biomecânica 23
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

12.2. Represente geometricamente os vetores b  c e 𝑏⃗⃗ − 𝑐⃗


4 4 8
𝑏⃗⃗ + 𝑐⃗ = [−2] + [−2] = [−4]
3 −3 0

4 4 0
⃗𝑏⃗ − 𝑐⃗ = [−2] − [−2] = [0]
3 −3 6

z
b c

bc
O

4 j 8 i y

x
13. Um ponto material está submetido à ação simultânea das seguintes forças:
 200  120   155 

f1 ( N )   310 f 2 ( N )   50  f 3 ( N )   20
  
  45   35  50 
; ;
13.1. Caracterize cada uma das forças aplicadas.
⃗⃗⃗⃗1 ‖ = √2002 + 3102 + 452 = √138125 ≅ 372𝑁
Intensidade: ‖𝑓
Direção e sentido:
−200 −310
𝜃𝑥 = cos−1 ( ) ≅ 123° ; 𝜃𝑦 = cos −1 ( ) ≅ 147°
√138125 √138125
−45
𝜃𝑧 = cos −1 ( ) ≅ 97°
√138125
Biomecânica 24
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

⃗⃗⃗⃗2 ‖ = √1202 + 502 + 352 = √18125 ≅ 135𝑁


Intensidade: ‖𝑓
Direção e sentido:
120 50
𝜃𝑥 = cos −1 ( ) ≅ 27° ; 𝜃𝑦 = cos−1 ( ) ≅ 68°
√18125 √18125

−35
𝜃𝑧 = cos −1 ( ) ≅ 105°
√18125

⃗⃗⃗⃗3 ‖ = √1552 + 202 + 502 = √26925 ≅ 164𝑁


Intensidade: ‖𝑓
Direção e sentido:
155 −20
𝜃𝑥 = cos−1 ( ) ≅ 19° ; 𝜃𝑦 = cos−1 ( ) ≅ 97°
√26925 √26925

50
𝜃𝑧 = cos −1 ( ) ≅ 72°
√26925

13.2. Calcule f1  f 2 e verifique f1  f 2  f 2  f1 (propriedade comutativa


da adição vetorial)
−200 120 −200 + 120 −80
⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗
𝑓1 + 𝑓2 = [−310] + [ 50 ] = [ −310 + 50 ] = [−260]
−45 −35 −45 + (−35) −80
120 −200 120 + (−200) −80
⃗⃗⃗⃗
𝑓2 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓1 = [ 50 ] + [−310] = [ 50 + (−310) ] = [−260]
−35 −45 −35 + (−45) −80

13.3. Calcule f1  f 2  f 3 e verifique que  f  f  f


1 2 3 
 f1  f 2  f 3 
(propriedade associativa da adição vetorial)
−200 120 155 −200 + 120 + 155 75
⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗
𝑓1 + 𝑓2 + 𝑓3 = [−310] + [ 50 ] + [−20] = [−310 + 50 + (−20)] = [−280]
−45 −35 50 −45 + (−35) + 50 −30
−200 120 155 −80 155 75
⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗
(𝑓1 + 𝑓2 ) + 𝑓3 = ([−310] + [ 50 ]) + [−20] = [−260] + [−20] = [−280]
−45 −35 50 −80 50 −30
−200 120 155 −200 275 75
⃗⃗⃗⃗
𝑓1 + (𝑓 ⃗⃗⃗⃗2 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓3 ) = [−310] + ([ 50 ] + [−20]) = [−310] + [ 30 ] = [−280]
−45 −35 50 −45 15 −30
Biomecânica 25
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

13.4. Caracterize a força resultante.


75
⃗⃗⃗⃗
𝑓𝑅 = ⃗⃗⃗⃗
𝑓1 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓2 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓3 = [−280]
−30

⃗⃗⃗⃗
Intensidade: ‖𝑓 2 2 2
R ‖ = √75 + 280 + 30 = √84925 ≅ 291𝑁

Direção e sentido:
75 −280
𝜃𝑥 = cos−1 ( ) ≅ 75° ; 𝜃𝑦 = cos−1 ( ) ≅ 164°
√84925 √84925

−30
𝜃𝑧 = cos −1 ( ) ≅ 96°
√84925

13.5. Verifique se o ponto material está em equilíbrio.

Para estar em equilíbrio:


3
0
⃗⃗ ⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗
∑ 𝑓𝑖 = 0 ⇔ 𝑓1 + 𝑓2 + 𝑓3 = [0] = ⃗0⃗
𝑖=1 0
Ora:
3
75
∑ ⃗𝑓⃗𝑖 = ⃗⃗⃗⃗
𝑓1 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓2 + ⃗⃗⃗⃗
𝑓3 = [−280] ≠ ⃗⃗
0
𝑖=1 −30
Logo, conclui-se que o ponto não está em equilíbrio.

13.6. Calcule a força que é necessário aplicar para que o ponto material
fique em equilíbrio.
75 75 𝑥4 0
⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗
[−280] + 𝑓4 = 0 ⇔ [−280] + [𝑦4 ] = [0]
−30 −30 𝑧4 0
75 + 𝑥4 = 0 𝑥4 = −75
{−280 + 𝑦4 = 0 ⇔ { 𝑦4 = 280 ⇔
−30 + 𝑧4 = 0 𝑧4 = 30
−75
⃗⃗⃗⃗
𝑓4 = [ 280 ]
30
Biomecânica 26
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

14. Complete a tabela


Vetor i j k

a 1 2 3

b 4 5 6

c 7 8 9

d 10 11 12

e 13 14 15

abcd e 35 40 45

a bc d e -33 -36 -39

1 39 44 50
a  2b  c  3d  e
2

abcd e -5 -4 -3

1   4

15. Dados os vetores de R : a  2 ; b  5
3 
   
3 6

15.1. Calcule a  b (produto escalar)


1 4


𝑎⃗ ⋅ 𝑏 = [2] ⋅ [5] = 1 × 4 + 2 × 5 + 3 × 6 = 32
3 6

15.2. Verifique que a  b  b  a (o produto escalar será comutativo?)


O produto escalar é comutativo.
1 4
𝑎⃗ ⋅ 𝑏⃗⃗ = [2] ⋅ [5] = 1 × 4 + 2 × 5 + 3 × 6 = 32
3 6
4 1
⃗⃗
𝑏 ⋅ 𝑎⃗ = [5] ⋅ [2] = 4 × 1 + 5 × 2 + 6 × 3 = 32
6 3
Biomecânica 27
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

15.3. Calcule a  b (produto vetorial)

1 4 2×6−5×3 −3


𝑎⃗ × 𝑏 = [2] × [5] = [3 × 4 − 1 × 6] = [ 6 ]
3 6 1×5−4×2 −3

15.4. Verifique que a  b  b  a (O produto vetorial será comutativo?)


O produto vetorial não é comutativo. Se 𝑎⃗ × 𝑏⃗⃗ = 𝑐⃗ verifica-se que 𝑏⃗⃗ × 𝑎⃗ = −𝑐⃗

1 4 −3
𝑎⃗ × 𝑏⃗⃗ = [2] × [5] = [ 6 ]
3 6 −3
4 1 3
⃗𝑏⃗ × 𝑎⃗ = [5] × [2] = [−6]
6 3 3

15.5. Caracterize a  b

1 4 −3
𝑎⃗ × 𝑏⃗⃗ = [2] × [5] = [ 6 ]
3 6 −3

Norma ou comprimento: ‖𝑎⃗ × 𝑏⃗⃗‖ = √32 + 62 + 32 = √54 ≅ 7


Direção e sentido:
−3 6
𝜃𝑥 = 𝜃𝑧 = cos −1 ( ) ≅ 114° ; 𝜃𝑦 = cos −1 ( ) ≅ 35°
√54 √54

Verifica-se ainda que:


Direção: 𝑎⃗ × 𝑏⃗⃗ é perpendicular ao plano definido por 𝑎⃗ e 𝑏⃗⃗
Sentido: É tal que observando pela extremidade de 𝑎⃗ × 𝑏⃗⃗ se verifica que a
rotação5 de 𝑎⃗ (o primeiro vetor do produto vetorial) para 𝑏⃗⃗ (o segundo vetor) é
anti-horária (contrária ao sentido dos ponteiros de um relógio).

A rotação é efetuada no menor ângulo formado pelas origens de 𝑎⃗ e 𝑏⃗⃗


5
Biomecânica 28
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

0 0  1 2


       
16. Dados os vetores de R : a   2  ; b  5 ; c   2 e d   4
3

 3 4   3  6

16.1. Complete o produto vetorial:


0 0 2 × 4 − 5 × (−3) 8 + 15 23


𝑎⃗ × 𝑏 = [ 2 ] × [5] = [ −3 × 0 − 0 × 4 ] = [ 0 ] = [ 0 ]
−3 4 0×5−0×2 0 0

16.2. Calcule o produto vetorial b a


0 0 5 × (−3) − 2 × 4 −15 − 8 −23
⃗𝑏⃗ × 𝑎⃗ = [5] × [ 2 ] = [4 × 0 − 0 × (−3)] = [ 0 ]=[ 0 ]
4 −3 0×2−5×0 0 0

16.3. Calcule o produto vetorial: b  d


0 2 5 × (−6) − (−4) × 4 −14
𝑏⃗⃗ × 𝑑⃗ = [5] × [−4] = [ 4 × 2 − 0 × (−6) ] = [ 8 ]
4 −6 0 × (−4) − 2 × 5 −10

16.4.  
Calcule o produto misto b  d  a
0 2 2 −14 0
⃗⃗ ⃗
𝑏 × 𝑑 = [5] × [−4] ⋅ [−4] = [ 8 ] ⋅ [ 2 ] = −14 × 0 + 8 × 2 + (−10) × (−3) = 46
4 −6 −6 −10 −3

16.5.  
Será possível calcular d  d  a
Não é possível porque o produto vetorial só está definido para vetores.

16.6.  
Calcule: b  a  c

0 0 1 −23 1 0 × (−3) − (−2) × 0


(𝑏⃗⃗ × 𝑎⃗) × 𝑐⃗ = ([5] × [ 2 ]) × [−2] = [ 0 ] × [−2] = [0 × 1 − (−23) × (−3)] =
4 −3 −3 0 −3 −23 × (−2) − 1 × 0
0
= [−69]
46
Biomecânica 29
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

16.7. 
Calcule: b  a  d 
0 0 2 0 2 7 × (−6) − (−4) × 1 −38
⃗⃗ ⃗
(𝑏 + 𝑎⃗) × 𝑑 = ([5] + [ 2 ]) × [−4] = [7] × [−4] = [ 1 × 2 − 0 × (−6) ] = [ 2 ]
4 −3 −6 1 −6 0 × (−4) − 2 × 7 −14

16.8.  
Calcule: c  a  2c  b 
1 0 1 0
⃗⃗) = ([−2] × [ 2 ]) × (2 × [−2] × [5]) =
(𝑐⃗ × 𝑎⃗) × (2c⃗ × b
−3 −3 −3 4
(−2) × (−3) − 2 × (−3) 2 0
=[ (−3) ×0−1× (−3) ] × ([−4] × [5]) =
1 × 2 − 0 × (−2) −6 4

12 (−4) × 4 − 5 × (−6)
= [ 3 ] × [ (−6) × 0 − 2 × 4 ] =
2 2 × 5 − (−4) × 0
12 14 3 × 10 − (−8) × 2 46
= [ 3 ] × [−8] = [ 2 × 14 − 12 × 10 ] = [ −92 ]
2 10 12 × (−8) − 14 × 3 −138

16.9. Verifique se 𝑐⃗ é paralelo a 𝑑⃗


0 𝑒 𝑑⃗ ≠ ⃗⃗
𝑆𝑒 𝑐⃗ ≠ ⃗⃗ 0
𝑒 𝑐⃗ × 𝑑⃗ = ⃗0⃗
𝑒𝑛𝑡ã𝑜 𝑐⃗ ∥ 𝑑⃗
1 2 −2 × (−6) − (−4) × (−3) 0

𝑐⃗ × 𝑑 = [−2] × [−4] = [ (−3) × 2 − 1 × (−6) ] = [0] = ⃗⃗
0
−3 −6 1 × (−4) − 2 × (−2) 0

𝑐⃗ × 𝑑⃗ = ⃗0⃗ 𝑙𝑜𝑔𝑜 𝑠ã𝑜 𝑝𝑎𝑟𝑎𝑙𝑒𝑙𝑜𝑠

16.10. Calcule a área formada pelos vetores 𝑎⃗ e 𝑏⃗⃗


23
⃗⃗
Área = ‖𝑎⃗ × 𝑏‖ = ‖[ 0 ]‖ = √232 + 02 + 02 = 23
0
Biomecânica 30
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

16.11. Verifique se os vetores 𝑎⃗ e 𝑏⃗⃗ são perpendiculares


𝑆𝑒 𝑎⃗ ≠ ⃗0⃗ 𝑒 𝑏⃗⃗ ≠ ⃗0⃗
𝑒 𝑎⃗ ∙ 𝑏⃗⃗ = 0
𝑒𝑛𝑡ã𝑜 𝑎⃗ ⊥ 𝑏⃗⃗
0 0


𝑎⃗ ∙ 𝑏 = [ 2 ] ∙ [5] = 0 + 2 × 5 + (−3) × 4 = −2
−3 4
−2 ≠ 0 𝑙𝑜𝑔𝑜 𝑛ã𝑜 𝑠ã𝑜 𝑝𝑒𝑟𝑝𝑒𝑛𝑑𝑖𝑐𝑢𝑙𝑎𝑟𝑒𝑠

16.12. Calcule o ângulo entre 𝑎⃗ e 𝑏⃗⃗


𝑎⃗ ∙ 𝑏⃗⃗ 0 + 2 × 5 + (−3) × 4
𝜃 = cos −1 ( ) = cos −1 ( )=
‖𝑎⃗‖ ‖𝑏⃗⃗‖ √02 + 22 + 32 × √02 + 52 + 42
−2
= cos−1 ( ) ≅ 95°
√13 × √41

17. Complete o produto vetorial entre vetores unitários


1 1 0 0 1  0  0 1 0
i  i  0  0  0 j  i  1  0   0  k  i  0  0  1
0 0 0 0 0  1 1 0 0

1 0 0 0 0 0 0 0  1


i  j  0  1  0 j  j  1  1  0 k  j  0  1   0 
0 0 1 0 0 0 1 0  0 

1 0  0  0 0 1 0 0 0


i  k  0  0   1 j  k  1  0  0 k  k  0  0  0
0 1  0  0 1 0 1 1 0
Biomecânica 31
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

18. Complete e represente geometricamente os produtos vetoriais anteriores.

Sugestão: Z

1 0 0


i  j  0  1  0  k
k 0 0 1

i j
X Y

1 0  0 
i  k  0  0   1  - j
k 0 1  0 

j
i
X Y

0 1  0 
j  i  1  0   0   - k
0 0  1

i j
k
X Y
Biomecânica 32
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

0 0 1


j  k  1  0  0  i
k 0 1 0

i
j
X Y

0 1 0


k  i  0  0  1  j
k 1 0 0

i j
X Y

0 0  1
k  j  0  1   0    i
k 1 0  0 

i
j
X Y
Biomecânica 33
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

19. Observe a figura que representa um ginasta a realizar um apoio facial invertido
nas barras paralelas (Nota importante: admite-se que as barras estão à
mesma altura e que estão, de facto, paralelas).
Coordenadas (x;y;z)
Pdto (cm)  50,0 168,4
Tdto
175,0
J dto Cdto (cm)  52,0 176,0 193,1
Adto Odto (cm)  54,0 175,0 224,6
P3 Adto (cm)  55,8 175,0 273,6
Odto P4 J dto (cm)  55,8 176,0 315,3
Cdto
Pdto Tdto (cm)  55,8 175,0 357,1

Pesq (cm)  100,0 175,0 168,4 


P1
Cesq (cm)  98,0 176,0 193,1
P5 Oesq (cm)  96,0 175,0 224,6
Z Aesq (cm)  94,2 175,0 273,6 
Y J esq (cm)  94,2 176,0 315,3
P6
Tesq (cm)  94,2 175,0 357,1

P1 (cm)  50,0 100,0 150,0


P2
P2 (cm)  100,0 100,0 0,0
X
P3 (cm)  50,0 300,0 150,0

19.1. Indique as coordenadas dos pontos P4, P5 e P6


100,0
⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑃4 → (100,0; 300,0; 150,0) 𝑒 𝑂𝑃4 = [300,0]
150,0
100,0
⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑃5 → (100,0; 100,0; 150,0) 𝑒 𝑂𝑃5 = [100,0]
150,0
50,0
𝑃6 → (50,0; 300,0; 0,0) 𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑂𝑃6 = [300,0]
0,0
Biomecânica 34
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

19.2. Admita que a perna direita é definida como um vetor com origem no
joelho direito e extremidade no tornozelo direito.

19.2.1. Desenhe esse vetor na figura.


⃗⃗⃗⃗⃗
Sugestão: é o vetor 𝐽𝑇

19.2.2. Calcule os seus componentes


55,8 55,8 0,0
⃗⃗⃗⃗⃗ = 𝑇 − 𝐽 = [175,0] − [176,0] = [−1,0]
𝐽𝑇
357,1 315,3 41,8

19.2.3. Calcule o seu comprimento


⃗⃗⃗⃗⃗‖ = √(−1,0)2 + 41,82 ≅ 41,8 𝑐𝑚
Comprimento da perna: ‖𝐽𝑇

19.2.4. Calcule a sua direção e sentido


𝑥1 0,0
𝜃𝑥 = cos−1 ( ) = cos −1 ( ) = 90°
⃗⃗⃗⃗⃗‖
‖𝐽𝑇 √1748,24
𝑦1 −1,0
𝜃𝑦 = cos−1 ( ) = cos −1 ( ) ≅ 91,4°
⃗⃗⃗⃗⃗‖
‖𝐽𝑇 √1748,24
𝑧1 41,8
𝜃𝑧 = cos −1 ( ) = cos−1 ( ) ≅ 1,4°
⃗⃗⃗⃗⃗‖
‖𝐽𝑇 √1748,24

19.3. Repita os procedimentos anteriores para o segmento que representa


a coxa direita
55,8 55,8 0,0
⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝐴 = 𝐴 − 𝐽 = [175,0] − [176,0] = [ −1,0 ]
273,6 315,3 −41,7
⃗⃗⃗⃗⃗‖ = √(−1,0)2 + (−41,7)2 ≅ 41,7 𝑐𝑚
Comprimento da coxa: ‖𝐽𝐴
𝑥1 0,0
𝜃𝑥 = cos−1 ( ) = cos −1 ( ) = 90°
⃗⃗⃗⃗⃗‖
‖𝐽𝑇 √1739,89
𝑦1 −1,0
𝜃𝑦 = cos−1 ( ) = cos −1 ( ) ≅ 91,4°
⃗⃗⃗⃗⃗‖
‖𝐽𝑇 √1739,89
𝑧1 −41,7
𝜃𝑧 = cos −1 ( ) = cos −1 ( ) ≅ 178,6°
⃗⃗⃗⃗⃗‖
‖𝐽𝑇 √1739,89
Biomecânica 35
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

19.4. Sem calcular o ângulo verifique se a coxa direita é perpendicular à


perna direita
𝑆𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝐴 ≠ ⃗0⃗ 𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝑇 ≠ ⃗0⃗
𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝐴 ∙ ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝑇 = 0
𝑒𝑛𝑡ã𝑜 ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝐴 ⊥ ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝑇
0,0 0,0
⃗⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝐴 ∙ 𝐽𝑇 = [ −1,0 ] ∙ [−1,0] = 0 + 1,0 − 1743,06 = −1742,06
−41,7 41,8
−1742,06 ≠ 0 𝑙𝑜𝑔𝑜 𝑛ã𝑜 𝑠ã𝑜 𝑝𝑒𝑟𝑝𝑒𝑛𝑑𝑖𝑐𝑢𝑙𝑎𝑟𝑒𝑠

19.5. Calcule o ângulo entre a coxa direita e a perna direita


⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝐴 ∙ ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝑇 −1742,06
𝜃 = cos −1 ( ) = cos −1 ( ) ≅ 177,3°
⃗⃗⃗⃗⃗‖ ‖𝐽𝑇
‖𝐽𝐴 ⃗⃗⃗⃗⃗‖ √1739,89 × √1748,24

19.6. Calcule um vetor perpendicular ao plano que contém a coxa e a


perna direita
0,0 0,0 −1,0 × 41,8 − (−1,0) × (−41,7) −83,5
⃗⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝐴 × 𝐽𝑇 = [ −1,0 ] × [−1,0] = [ (−41,7) × 0,0 − 0,0 × 41,8 ] = [ 0,0 ]
−41,7 41,8 0,0 × (−1) − 0,0 × (−1,0) 0,0

Nota: observe que ⃗⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗⃗ estão no plano OYZ e que ⃗⃗⃗⃗⃗
𝐽𝐴 e 𝐽𝑇 ⃗⃗⃗⃗⃗ está no eixo OX
𝐽𝐴 × 𝐽𝑇
(que é perpendicular a OYZ).

19.7. Calcule os vetores que representam as barras paralelas


50,0 50,0 0,0
⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑃1 𝑃3 = 𝑃3 − 𝑃1 = [300,0] − [100,0] = [200,0]
150,0 150,0 0,0
100,0 100,0 0,0
⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑃5 𝑃4 = 𝑃4 − 𝑃5 = [300,0] − [100,0] = [200,0]
150,0 150,0 0,0

19.8. Verifique se as barras estão paralelas


𝑃1 𝑃3 ≠ ⃗0⃗ 𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑆𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗ 𝑃5 𝑃4 ≠ ⃗0⃗
𝑒 ⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗ 𝑃5 𝑃4 = ⃗0⃗
𝑃1 𝑃3 × ⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑒𝑛𝑡ã𝑜 ⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑃1 𝑃3 ∥ ⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑃5 𝑃4
⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗ 𝑃5 𝑃4 = ⃗0⃗
𝑃1 𝑃3 × ⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗
Biomecânica 36
Exercícios: cálculo vetorial Paulo Roriz – 2013/2014

0,0 0,0 0,0


⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗ ⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗
𝑃1 𝑃3 × 𝑃5 𝑃4 = [ 200,0]×[ 200,0] = [0,0] = ⃗0⃗
0,0 0,0 0,0

⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗ 𝑃5 𝑃4 = ⃗⃗
𝑃1 𝑃3 × ⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗⃗ 0 , 𝑙𝑜𝑔𝑜 𝑠ã𝑜 𝑝𝑎𝑟𝑎𝑙𝑒𝑙𝑜𝑠