Você está na página 1de 5

Unidade 02 – Avaliação Parcial 02 Data - 13/05/2015

DISCIPLINA: ENG041 e ENG360


Professor – Manuel de Almeida Barreto Filho
Aluno - Assinatura _________________________________

QUESTÕES OBJETIVAS (0,2 pontos)


Observação – Cada questão objetiva de “n” alternativas que for respondida de forma
incorreta será penalizada adicionalmente ao valor normal da questão em [100/(n-1)] %
do valor correspondente à questão. Questões cuja nenhuma resposta for assinalada não
terão penalidade adicional além do valor normal da questão. Valor normal de cada
questão – 0,1 pontos.

1 – Se a tensão ou a temperatura aumentar, a deformação instantânea no momento de


aplicação da carga aumenta, a taxa de fluência estacionária aumenta e o tempo de vida
até a ruptura diminui.
A–V B–F

2 – O fator de concentração de tensões aumenta com o aumento do raio de curvatura na


extremidade da trinca.
A–V B-F

QUESTÕES DISCURSIVAS (0,8 pontos) – Valor de cada questão - 0,2 pontos.

1 – Uma esfera com 4 cm de diâmetro e 0.5 mm de espessura, feita de ferro CCC,


contém nitrogênio a 700oC. A concentração na superfície interna é de 0.05 % atômico,
ao passo que na superfície externa ela é de 0.002 % atômico. Calcule a quantidade de
nitrogênio em g/h que vaza da esfera. Adote R = 1,987 cal (mol ⋅ K ) e N AV = 6,02 ⋅ 10 23
Difusão de N no ferro CCC: Q = 18300 cal / mol e D0 = 0,0047 cm 2 s ; AN = 14,007 g
Dados do ferro CCC: AFe = 55,847 g e ρ Fe = 7,87 g cm 3

Solução:

 Q   18300 cal / mol 


D = D0 ⋅ EXP −  = 0,0047 cm s ⋅ EXP −
2

 R ⋅T   1,987 cal (mol ⋅ K ) ⋅ 973.15 K 

D ≅ 3,6471 ⋅ 10 −7 cm 2 s

4 ⋅ π ⋅ (rINT ) 4 ⋅ π ⋅ (rEXT )
3 3

V E
INT
= ; V E
EXT
= ; VFe = VEIEXT − VEINT ≅ 2 ,57663 cm 3
3 3

ρ Fe ⋅ VFe ⋅ N AV
n Fe = ≅ 2 ,1859 ⋅ 10 23
AFe
nN C atN (% ) nN  C atN (% ) 
C (% ) =
N
⋅ 100 ∴ = ∴ n N =   ⋅ n Fe
at
n N + n Fe 100 n N + n Fe  100 − C N
at (% ) 

 A 
n NINT ⋅  N 
C NINT =  N AV  ≅ 9,8743 ⋅ 10 − 4 g cm 3
VFe

 A 
n NEXT ⋅  N 
C NEXT =  N AV  ≅ 3,9478 ⋅ 10 −5 g cm 3
VFe

dc C NEXT − C NINT g
= ≅ −0 ,01896
dx esp cm ⋅ cm
3

dc g
J = −D ⋅ ≅ 6 ,9145557 ⋅ 10 −9
dx cm 2 ⋅ s

(
S EINT = 4 ⋅ π ⋅ rEINT )
2
≅ 50 ,26548 cm 2

 g 
J ( g h ) = J  2  ⋅ S EINT ⋅
3600 s
≅ 1.25 ⋅ 10 −3
 cm ⋅ s  h

2 – Um componente estrutural na forma de uma chapa com grande largura deve ser
fabricado em aço, que possui uma tenacidade à fratura em deformação plana de
77,0 MPa ⋅ m e um limite de escoamento de 1400 MPa. O limite de resolução do
tamanho de defeito do aparelho de detecção de defeitos é de 4,0 mm. Se a tensão de
trabalho (tensão admissível) é metade do limite de escoamento, determine se um defeito
crítico para essa chapa é detectável ou não. Adote Y = 1.0 .

Solução:

σl
σt = = 700 MPa ;
2
2
1  K 
2
1  77.0 MPa 
a c = ⋅  Ic  = ⋅   ≅ 3.85 mm .
π σ t ⋅Y  π  700 MPa ⋅ 1 

Como 3.85 mm < 4.00 mm , o defeito não será detectado.

3 – Um aço (ferro CFC) com 0,02% C deve ser cementado a 1200oC em 4 hs com um
ponto a 0,6 mm da superfície alcançando 0,45% C. Calcule o teor de carbono requerido
na superfície do aço. Adote R = 1,987 cal (mol ⋅ K ) .
Difusão do C no aço (ferro CFC): Q = 32900 cal / mol e D0 = 0,23 cm 2 s
Solução:

 Q   32900 cal / mol 


D = D0 ⋅ EXP −  = 0,23 cm s ⋅ EXP −
2

 R ⋅T   1,987 cal (mol ⋅ K ) ⋅ 1473.15 K 

D ≅ 3,023 ⋅ 10 −6 cm 2 s

x 0,06 cm
z= = ≅ 0,1438
2⋅ D ⋅t 2⋅ (3,023 ⋅ 10 −6
)
cm 2 s ⋅ 4 ⋅ 3600 s

z erf (z)
0,1 0,1125
0,2 0,2227

Mediante interpolação linear, tem-se: erf (0,1488) ≅ 0,16076

C ( x, t ) − C 0  x  C ( x, t ) − C 0  x 
= 1 − erf   ∴ 1 − = erf  
C S − C0  2⋅ D ⋅t  C S − C0  2⋅ D ⋅t 

 
C ( x, t ) − C 0 ⋅ erf 
x

C S − C ( x, t )  x   2⋅ D ⋅t 
= erf   ∴ C S =
C S − C0  2⋅ D ⋅t   x 
1 − erf  
 2⋅ D ⋅t 

0,45 − 0,02 ⋅ 0,16076


CS = ≅ 0,5324% C
1 − 0,16076
4 – Os seguintes dados de fluência foram obtidos para uma liga de alumínio à 400oC
sob uma tensão constante de 25 MPa. Determine a taxa de fluência estacionária e o
tempo onde se iniciou a fluência terciária.

t (min) ε t (min) ε
0 0,000 16 0,135
2 0,025 18 0,149
4 0,046 20 0,163
6 0,065 22 0,182
8 0,079 24 0,210
10 0,093 26 0,255
12 0,107 28 0,340
14 0,121 30 0,500

Solução:

t (min) ε Δε/Δt t (min) ε Δε/Δt


0 0,000 16 0,135 0,0070
2 0,025 0,0125 18 0,149 0,0070
4 0,046 0,0105 20 0,163 0,0070
6 0,065 0,0095 22 0,182 0,0095
8 0,079 0,0070 24 0,210 0,0140
10 0,093 0,0070 26 0,255 0,0225
12 0,107 0,0070 28 0,340 0,0425
14 0,121 0,0070 30 0,500 0,0800

Curva de Fluência

0,600

0,500
Deformação

0,400

0,300

0,200

0,100

0,000
0 5 10 15 20 25 30
tempo (min)

A fluência secundária iniciou a partir de 6 mim e se estendeu até aproximadamente 20


min.
∆ε 0.163 − 0.065
Taxa f = = = 7.0 ⋅ 10 −3 min −1
∆t 20 − 6

Tempo onde se iniciou a fluência intermediária: Entre 20 e 22 min.