Você está na página 1de 13

RESUMO

Através deste trabalho vamos analisar a capacidade de pagamento da empresa Magazine


Luiza S.A e também sua capacidade de gerar caixa e a excelência da empresa de pagar
dividas, tendo como base de estudo o Balamço Patrimonial do exercicio findos em 31
de dezembro de 2011 e 2012, através da analise dos índices de liquidez geral,
imediata, seca e corrente.
Atraves do estudo da Contabilidade da Empresa, vamos nos aprofundar na matéria,
Fundamentos da Gestao Financeira onde vamos descrever as áreas de decisões da
Administração Financeira, identificando a estrutura organizacional da função
financeira e as preocupações da administração., como planejamento financeiro,
controle financeiro, administração de ativos e passivos.
No penultimo capitulo estudaremos os dados estatísticos da empresa quanto aos
seus colaboradores.
Por fim no ultimo capitulo, vamos apresentar as responsabilidades da empresa quanto
a questões Ambientais

1-INTRODUÇÃO
Planejamento é o processo de decidir que curso de ação deverá ser tomado para o
futuro. Normalmente, o processo de planejamento consiste em considerar vários
cursos alternativos de ação e decidir qual o melhor. Planejamento, que deve ser
diferenciado de previsão, pode abranger um só segmento ou a empresa como um todo. A
informação contábil, principalmente no que se refere ao estabelecimento de padrões
e ao relacionamento da Contabilidade com os planos orçamentários, é de grande
utilidade no planejamento empresarial. Mesmo em caso de decisões isoladas sobre
várias alternativas possíveis, normalmente utilizar-se de grandes quantidades de
informações contábeis.
A razão mais importante pela gestão financeira em qualquer organização é de
assegurar que a empresa saiba de quanto dinheiro vai necessitar, como obter o
dinheiro de que necessita e como deve empregar esse dinheiro para alcançar os seus
objetivos de forma ética, responsável e sustentável. É impossível uma organização
sobreviver sem uma gestão financeira apropriada.
A estatística lida com informações associando os dados ao problema, descobrindo
como e o que coletar para obter conclusões a partir de todos os dados, de tal forma
que essas conclusões possam ser entendidas por outras pessoas. Portanto, os métodos
estatísticos auxiliam o cientista social, o economista, o engenheiro, enfim, todos
os profissionais a realizarem os seus trabalhos com mais eficiência.
2-CONTABILIDADE

2.1 - Conceito de Contabilidade


É a técnica contábil que consiste na decomposição, comparação e interpretação das
demonstrações contábeis (FERREIRA, 2009)
Essas análises utilizam técnicas para a obtenção de conclusões de situações
econômicas e financeiras que se relacionam com o patrimônio, de acordo com o
interesse dos usuários, através da interpretação dos dados coletados de
demonstrações financeiras. A análise de balanço de dados tem finalidade informar a
situação financeira de uma organização para que pessoas possam decidir através da
comparação entre grupos de elementos desses demonstrativos por meio de índices com
o objetivo de conhecer a relação entre cada grupo com o balanço patrimonial. Os
quocientes não devem ser interpretados de forma isolada, devendo ser feita em
conjunto com outras variáveis, visto que cada organização possui características
próprias mesmo diante de problemas aparentemente iguais (MACHADO, 2007).
Análise de quocientes é o método mais utilizado, estabelece o relacionamento entre
dois elementos heterogêneos de um mesmo exercício, indica quantas vezes um divisor
está contido num dividendo. Os indicadores obtidos podem ser classificados como:
patrimoniais, operacionais ou de velocidade. Os indicadores patrimoniais são
obtidos através de elementos patrimoniais como na relação entre ativo circulante e
passivo circulante na análise de liquidez corrente. Os indicadores operacionais são
observados através de elementos formadores de resultado um exemplo é na relação
entre lucro líquido e vendas líquidas no cálculo da margem líquida. Os indicadores
de velocidade são obtidos pela relação de um elemento patrimonial e um de resultado
(FERREIRA, 2009).
No atual contexto socioeconômico; marcado por transformações; em que predominam a
incerteza e a imprevisibilidade quanto ao futuro; a utilização das informações
contábeis gerenciais assume uma importância vital; sendo imprescindível à
sobrevivência e ou crescimento das empresas; em geral. Para manterem-se atuantes e
garantirem o sucesso nos negócios; as empresas precisam promover seu
desenvolvimento organizacional. Considerando as especificidades das pequenas
empresas e sua contribuição cada vez mais crescente na economia do país;
Podemos afirmar que o balanço patrimonial contempla fiel e obrigatoriamente os
bens, direitos e obrigações de uma empresa, representando a sua situação atual,
sendo a principal ferramenta de analise. Nele é demonstrado a capacidade ou não de
geração de lucros, pois a destaca de maneira clara e objetiva de seu patrimônio.
O balanço patrimonial pode ser analogicamente comparado a um farol que guia a
empresa no mundo dos negócios e é por meio dele que tomam as decisões de
investimentos, corte de despesas, crescimento da empresa, podendo ser visualizado a
seguir:
Balanço Patrimonial
Demonstra as contas patrimoniais, por meio dos bens, direitos e obrigações
adicionando ao patrimônio liquido o valor na DRE (Demonstração do Resultado do
Exercício),nas contas de lucros ou prejuízos acumulados. Ao contrario na DRE, no
balanço, patrimonial os valores que representam os bens, direitos e obrigações
passam para passam para outros exercícios, demonstrando ao longo do tempo a
situação patrimonial da pessoa jurídica.
O resultado do balanço patrimonial traz na realidade as mesmas informações, porém
demonstra as contas patrimoniais e seus saldos, mudando somente a apresentação. É
importante salientar que o balanço patrimonial tem que apresentar a soma do ativo,
igual a do passivo e se isso não ocorrer, é porque alguma informação está
incorreta. O balanço patrimonial é muito solicitado por bancos, fornecedores
investidores e etc.

2.2– INDICES DE LIQUIDEZ


Os índices de liquidez avaliam a capacidade de pagamento das dividas de curto ou
longo prazo para com terceiros em geral, fazendo uma comparação com os direitos
realizáveis e a exigibilidade para medir o quão sólida é a base financeira da
empresa.
A finalidade dessa analise não é somente informar o que aconteceu no passado, mas
também fornecer bases para deduzir o que poderá acontecer no futuro. O resultado
obtido através dessa analise pode ser ótimo, bom, satisfatório ou deficiente quando
comparado com outras empresas no mesmo ramo de atividade.
Os índices de liquidez não devem ser analisados isoladamente, mas em conjunto com
outros quocientes que influenciam na liquidez da empresa e devem ser analisados por
meio do Balanço Patrimonial e do Demonstrativo de Resultados do Exercício.
Partiremos para analise dos períodos findos em 2011 e 2012

2.3– LIQUIDEZ GERAL


A Liquidez Geral indica o quanto a empresa possui em dinheiro para honrar com seus
compromissos a curto e alongo prazo.

Ativo Circulante + Ativo Realizável a longo prazo


Passivo Circulante + Passivo Não Circulante

2011 2012

1.876.996 + 212.689 2.405.726 + 453.812


_________________ = 0,91 _________________
= 0,82

1.477.192 + 818.692 2.005.241 + 1.481.743

Indica que para cada R$ 1,00 de obrigações para com terceiros, a empresa possui
para os anos de 2011 e 2012, respectivamente R$ o,91 e R$ 0,82 de bens e direitos
para cobri-los, ocorrendo uma pequena diminuição em 2012.
De acordo com Silva ( 2008, p.283 ) quanto maior o índice de liquidez, melhor a
situação da empresa.

2.4– LIQUIDEZ IMEDIATA


O Indíce de liquidez imediata mede o volume de valores disponíveis ( caixas,
bancos, aplicações de curto prazo ) mantido pela empresa para atender as suas
exigibilidades mais imediatas.

( Disponibilidades)
______________________

Passivo Circulante

2011 2012

150.980 + 26.876 404.143 + 126.385


_________________ = 0,12 _________________
= 0,26

1.477.192 2.005.241

Conforme a analise de SANTOS ( 2005, p. 180 ) quanto maior o índice de liquidez


imediata, melhor para a empresa. Observando os cálculos acima podemos observar que
o melhor índice foi no ano de 2012.

2.5 – LIQUIDEZ SECA

O Ativo Circulante da Empresa compreende investimentos de risco , enquanto o


Passivo Circulante é liquido e certo que deve ser pago no dia e na quantia
combinada. Daí a idéia de excluir do Ativo Circulante, o item de maior risco , O
Estoque.

O Índice de Liquidez Seca indica o quanto a empresa poderá dispor de recursos


circulantes, sem vender seus estoques, para fazer frente as obrigações de curto
prazo. A finalidade desse quociente é de analisar a capacidade de pagamento, pois
nesse índice o estoque vai se transformar em dinheiro.

Ativo Circulante - Estoque


______________________

Passivo Circulante

2011 2012

1.876.996 – 1.092. 081 2.405.726 – 1.068.762


_________________ = 0,53 _________________
= 0,67

1.477.192 2.005.241

Os quocientes obtidos acima indicam que diminuindo os estoques , a empresa dispões


para os anos de 2011 e 2012 respectivamente R$ 0,53 e R$ 0,67 de bens e direitos a
curto prazo, para cada R$ 1,oo de obrigações, também a curto prazo.

Conforme a analise se SANTOS ( 2005, p.180 ) a empresa apresentou melhor situação


em 2012.

2.6 LIQUIDEZ CORRENTE

A liquidez corrente é um dos índices mais conhecidos e utilizados nas analises de


Balanços Patrimoniais. Este índice relaciona os recursos em reais disponíveis e os
que serão transformados dentro de um prazo de até 360 dias, em relação as dividas
do mesmo prazo. O resultado nos mostrará até que ponto os investimentos do Ativo
Circulante serão suficientes ou não para cobrir as dividas do Passivo Circulante.

Ativo Circulante
______________

Passivo Circulante

2011 2012

1.876.996 2.405.726
_________________ = 1,27 _________________
= 1,20

1.477.192 2.005.241

Como podemos observar no primeiro período para cada R$ 1,00 investido existe R$
1,27 de recursos que se transformarão em dinheiro. Já no segundo período para cada
R$ 1,00 de obrigações a curto prazo, existe R$ 1,20 para cobrir suas dividas, o que
permite a empresa uma folga de R$ 0,20 3 R$ 0,27 para cada R$ 1,00 devido.
2.7 ATIVO IMOBILIZADO

A empresa Magazine Luiza S.A sempre fez investimentos em terrenos . edificações,


móveis e utensílios, veículos, computadores, e benfeitorias em suas propriedades e
também propriedadades de terceiros.

Um grande empreendimento do Magazine Luiza Foi concluído em julho de 2007, onde


foram finalizadas as obras de seu maior Centro de Distribuição , que esta
localizado na cidade de Louveira, interior de São Paulo, com área contruida de
62.000 m². Além desse a empresa ainda conta com Centro de Distribuição nas cidades
de Ribeirão Preto –SP, Ibiporã – PR, Caxias do Sul – RS, Navegantes – SC e Contagem
– MG

No ano de 2008 a empresa inaugurou num mesmo dia 46 lojas na cidade de São Paulo.
Dois anos mais tarde, em 2010 foi feita a instalação do escritório de Negócios e a
transferência simultânea de cerca de 250 colaboradores e seus familiares da cidade
de Franca, no interior para a Capital Paulista. Ainda em 2010 0 Magazine Luiza
adquiriu a rede de lojas Maia localizada na região Nordeste do Brasil, e no ano
seguinte as lojas do Bau da Felicidade.
Em 2011, o Magazine Luiza abriu seu capital e se colocou entre as dez empresas que
mais atraíram a participação de pessoas físicas na Bolsa de Valores.

2.8 GRAU DE ENDIVIDAMENTO

2.8.1 – CONCEITO

Representa o quanto a empresa Magazine Luiza tomou de capital de terceiros para


cada R$ 1,00 de Capital Próprio.
O Grau de Endividamento demonstra qual a proporção entre Capitais de Terceiros
(Passivel Circulante e Exigivel a Longo Prazo ) e Patrimonio Liquido utilizado pela
Sociedade, que são duas fontes de recursos. É um indicador de riscos ou dependência
de participação de terceiros, por parte da empresa.

Grau de Endividamento = Exigivel Total


________________ x 100

Patrimônio Liquido

2011 Serie 1 2012 Serie 1


2.663.184 x 100 = 428,89 3.648.431 x 100 = 592,285

620.945 615.992

O Capital de Terceiros é formado pela soma do passivo Circulante mais o exigível a


longo prazo. Nota-se que o passível Circulante somado ao Exigivel a longo Prazo,
resulta em um Capital de Terceiros de R$ 2.663.184 em 2011 e R$ 3.648,431 em 2012.
Dividindo pelo patrimônio liquido R$ 620.945 em 2011 e R$ 615.992 em 2012, obtem-se
o resultado de 43 % e 59% respectivamente, o que significa que para cada R$ 100,00
de Capital Próprio a empresa utilizou em média 51 % de recursos de terceiros entre
os anos de 2011 e 2012.
Do ponto de vista Financeiro quanto maior a Relação com Capital de Terceiros menor
será a liberdade na tomada de decisões.

3- Fundamentos da Gestão Financeira


3.1 Conceito
A Gestão Financeira concentra-se sobre o estudo das decisões financeiras assumidas
na empresa; assim, e antes de nos debruçarmos sobre o conceito de Gestão
Financeira, importa demarcar muito claramente a definição da própria empresa. A
empresa é um agrupamento humano hierarquizado, que mobiliza meios humanos, matérias
e financeiros para extrair, transformar, transportar e distribuir produtos ou
prestar serviços e que atendendo a objetivos definidos por uma direção, faz
interferir nos diversos escalões hierárquicos as motivações do lucro e da utilidade
social. Esta definição de empresa é uma de entre as mais conhecidas, e perecedoura
de algumas observações da nossa parte, tendo o elemento humano configurando-se
então como substrato da empresa e o fato de esta ser apresentada como um conjunto
hierarquizado de homens não implica a expressa formalização das relações
hierárquicas existentes entre eles. Os objetivos da empresa têm sido
particularmente condicionados ao longo da história, pois o seu enquadramento
institucional tem variado, de acordo com as ideologias políticas predominantes, em
cada época e em cada país.
O objetivo da maximização do lucro a curto, ou a médio prazo, pressupõe
teoricamente a aceitação do regime da propriedade privada dos meios de produção e
do comportamento concorrencial dos diversos agentes econômicos, numa perspectiva
contabilística, o conceito de lucro que importa considerar identifica-se com os
lucros líquidos de custos financeiros e de impostos sobre lucros.

3.2 Objetivo da empresa

O Ramo de Negócios do Magazine Luiza depende do poder de consumo, especialmente da


nova classe C – mais de 40 milhões de brasileiros que tiveram
ascensão social nos últimos anos e que querem equipar suas
casas – e é extremamente sensível às variações econômicas.
Chamamos o conjunto de nossas práticas de O Jeito Luiza
de Ser. Mesmo sem usar este termo, acredita-se
que temos praticado grande parte dos requisitos da
sustentabilidade ao longo das décadas de consolidação da
nossa empresa, convidando sempre todos os envolvidos a
crescer conosco.
Exercer a gestão democrática e participativa exige persistência
e convicção de que este é o melhor caminho. Mas quando
abraçamos esta opção temos muitos ganhos: a elevação do
nível de consciência das pessoas sobre seu papel profissional,
pessoal e de cidadão; o engajamento com o negócio que tem um
propósito percebido, uma causa comum e construída por todos;
a confiança no espaço de expressão, que leva à contribuição
constante para melhorias; colaboradores que são tratados com
dignidade e respeito buscam também proporcionar o melhor
atendimento aos clientes, o que traz um diferencial competitivo
para o negócio.
O Magazine Luiza cresceu muito nos últimos
anos. Saímos de Franca, interior de São Paulo,
e hoje estamos em 16 estados brasileiros. Essa
rápida expansão ocorreu preservando nossa
cultura e disseminando os valores que são os
nossos alicerces: conduta ética, transparência,
valorização das pessoas e crença na sua evolução.
Olhar para o longo caminho percorrido, perceber
que já fizemos muito, alcançamos a excelência
em várias áreas, identificar com clareza a nossa
vocação e reconhecer que estamos iniciando um
novo capítulo na nossa história é muito desafiador
e estimulante.
O ambiente econômico em 2012 foi menos favorável do que
o esperado e isso afetou o consumo. A empresa cresceu mais do que
a média do mercado, porém não foram feitas as vendas no
montante que foi projetada, e isso impactou nos resultados.
As perspectivas do cenário econômico para 2013 são mais
favoráveis, embora estejam sujeitas a fatores externos, nacionais
e internacionais. Há uma projeção de crescimento de 4% do PIB
brasileiro para 2013, que esperamos que ocorra, pois o varejo é
muito suscetível às variações econômicas.
O resultado de uma empresa depende tanto do ambiente externo
quanto do ambiente interno. Cuidamos do ambiente interno para
garantir que a nossa parte seja bem feita.

Os desafios para 2013 são grandes, do tamanho da mpresa:


vamos continuar aumentando a participação de mercado, como
temos feito nos últimos anos e, para isso, estamos investindo em
logística, tecnologia, processos, sistemas, enfim, toda a infraestrutura
necessária para aprimorar ainda mais o atendimento ao cliente.
Paralelamente, vamos focar de forma mais estratégica na
gestão de pessoas, investir cada vez mais em treinamento,
desenvolvimento, capacitar lideranças, investir em um plano de
retenção mais robusto, realizar ações concretas que alcancem os
resultados esperados. Vamos aumentar o número de colaboradores
com deficiência física – decidimos enfrentar essa questão e iremos
avançar muito nessa área.
E vamos continuar com nosso principal desafio, que é manter a
cultura dessa empresa que nasceu em Franca com a Da. Luiza e
o Sr. Pelegrino, cuja continuidade vem acontecendo na gestão da
nossa presidente Luiza Helena, e que temos a responsabilidade
de irradiar para toda a comunidade que nos cerca: colaboradores,
clientes, fornecedores, prestadores de serviço e investidores.
Estamos cada vez mais confiantes de que iremos vencer todos os
desafios que a nossa empresa terá em 2013 e no futuro da nossa
existência.

3.3 Atribuições do Administrador Financeiro

Para que a gestão financeira da Empresa seja a mais correta e rentável possível tem
de ter sempre em consideração o aconselhamento do gestor financeiro. O gestor
financeiro tem como objetivo o aumento do valor do patrimônio líquido da empresa,
por meio da geração de lucro líquido, decorrente das atividades operacionais da
empresa. Para realizar essa tarefa, o gestor financeiro precisa ter um sistema de
informações essenciais que lhe permita conhecer a situação financeira e tomar as
decisões mais adequadas, maximizando seus resultados. Para auxiliar nessa tomada de
decisões a empresa possui um Comitê de Finanças que é composta por três membros
efetivos com mandato de um ano. Esse comitê Tem como atribuição principal
assessorar o Conselho de
Administração nas definições da política e do planejamento financeiro da Companhia;
das políticas e dos níveis de endividamento adequados para as atividades da
Companhia, bem como o monitoramento de covenants contratuais e garantias; na
definição da política de aplicações financeiras e de investimentos; no
monitoramento dos riscos financeiros para o Magazine Luiza.
O gestor a curto prazo tem como função a gestão de tesouraria da Companhia. Esta
consiste no processo de regulação dos pagamentos e recebimentos da empresa de forma
que esta possa fazer face, sem falhas, às responsabilidades que assumiu, e obter os
meios financeiros adicionais nos casos em que há déficit de tesouraria, ao menor
custo possível, ou de aplicar os excedentes criados de forma a obter a melhor
remuneração possível.
A médio e longo prazo, o gestor financeiro é responsável por definir e implementar
a estratégia de financiamento da Companhia com vista a precaver a sua estabilidade
e ao mesmo tempo maximizar os resultados líquidos da empresa (relação Retorno /
Risco).
È responsabilidade do Gestor Financeiro do Magazine Luiza
• Ter as informações corretas sobre o saldo de caixa, valor dos estoques e das
mercadorias, valor das contas a receber, valor das contas a pagar, volume das
despesas fixas ou financeiras, etc.
• Saber se a empresa está obtendo lucro, ou não, em suas atividades.
• Calcular corretamente o preço de venda de seus produtos e conhecer os custos e
despesas.
• Conhecer corretamente o volume e a origem dos recebimentos, volume e o destino
dos pagamentos.
• Conhecer corretamente o custo das mercadorias vendidas, porque um registro
inadequado do estoque de mercadorias pode causar um prejuízo à empresa.
• Estar atentos para os fatores que interferem diretamente nos negócios da empresa,
por exemplo, a concorrência, flutuações econômicas, taxa de juros, entre outros.

3.4 Planejamento Financeiro


A expressão planejamento financeiro significa, relativo às finanças, à circulação e
gestão do dinheiro e de outros recursos líquidos. Um plano financeiro eficaz deve
se iniciar no momento de expor as ligações das diferentes propostas de investimento
ligadas às várias atividades operacionais da empresa e as opções de financiamento
disponíveis a ela no mercado. De modo paralelo, um plano financeiro atribui a
empresa à chance de desenvolver, analisar e comparar muitos cenários de diferentes
ângulos, permitindo assim, que questões relativas às linhas futuras de negócios da
empresa e os melhores esquemas de financiamento se necessários, sejam analisados.
Planejamento Financeiro formaliza a maneira pelo qual os objetivos financeiros
podem ser alcançados. Em visão mais sintetizada, um plano financeiro significa uma
declaração do que a empresa deve realizar no futuro. O planejamento dá a empresa
subsídios, para que não seja surpreendida e possa ter uma alternativa já prevista,
caso tenha que tomar uma decisão.

No Magazine Luiza ano de 2012 foi caracterizado pela consolidação das iniciativas
de expansão da rede dos anos anteriores, com o processo deintegração das lojas
adquiridas. Todo esse trabalho demandou um grande investimento para a empresa,
que deve colher os resultados já em 2013. A presença em várias regiões do Brasil,
além de ampliar o mercado, reforça a presença da marca e traz resultados xpressivos
aos canais de venda. Como consequência da conjuntura econômica brasileira, que
prevê aumento do PIB e dos salários, redução de juros, e inflação controlada, o
cenário do varejo deve seguir uma tendência de fortalecimento, dando ao mercado
respostas positivas aos desafios que se apresentarem. Entre esses desafios está o
equacionamento da logística de transporte no País, que reflete diretamente no setor
e requer investimentos permanentes para ganhar eficiência nos prazos, na otimização
das frotas, na redução de custos, nos impactos ambientais e na melhoria do
trânsito.
O Magazine Luiza trabalha continuamente na criação de novas estratégias de
atendimento e relacionamento para ter clientes cada vez mais satisfeitos e garantir
a sustentabilidade econômica da operação. Entre as ações que merecem destaque está
a oferta de crédito por meio da Luizacred, com taxas de juros menores que as
praticadas no mercado, favorecendo o acesso ao consumo, sem aumentar
os riscos de endividamento e a inadimplência. Também estiveram em pauta
em 2012, e devem permanecer nos próximos anos, as ações para melhorar o engajamento
de fornecedores e demais stakeholders, como colaboradores, sociedade,
governo, entre outros.

Outra estratégia para que se aumente os lucros da Companhia são as Promoções. No


Magazine Luiza temos dois eventos importantes durante o ano, que aumentam nossa
Receita nos meses de menor retorno Financeiro do ano. São elas
Liquidação Fantástica: o Magazine Luiza foi pioneiro na alteração do calendário
de vendas do varejo nacional. O mês de janeiro, antes caracterizado pela redução
expressiva nas vendas, hoje é esperado por consumidores de todo o Brasil. A
primeira Liquidação Fantástica foi realizada em 1994. As lojas da rede colocaram
milhares de produtos em promoção, com descontos de até 70%, a partir das primeiras
horas da manhã. Em 2012, aconteceu a 19ª edição do evento.

Dia de Ouro Magazine Luiza : Geralmente uma vez a cada dois meses, as lojas abrem
em um domingo de manhã, realizando ofertas e oferecendo aos cliente brindes, a cada
compra realizada, incentivando-os a comprar.

4– Estatistica Aplicada

4.1 Conceito

A palavra estatística lembra á maioria das pessoas, recenseamentos. A estatística é


também comumente associada às pesquisas de opinião pública, aos vários índices
governamentais, aos gráficos e médias publicadas na imprensa, na realidade,
entretanto, a estatística engloba muitos outros aspectos, sendo fundamental na
analise de dados provenientes de quaisquer processos que exista variabilidade.
Estatística é um conjunto de métodos e processos quantitativos que serve para
estudar e medir os fenômenos coletivos.

4.2 Dados Magazine Luiza, Quadro de Colaboradores


A própria natureza da operação faz com que o grupo seja grande gerador de empregos
formais. De acordo com dados do IDV (Instituto do Desenvolvimento do Varejo), o
setor de varejo é o segundo maior empregador do Brasil, depois do Governo. Além dos
quase 22 mil colaboradores diretos, o Magazine Luiza contratou, em 2012, o total de
586 temporários, que integraram sua folha de pagamento no período de outubro a
janeiro.

Analisaremos abaixo o numero de Funcionarios por região do Brasil

Nordeste

Aprendizes 100
Estagiarios 4
Gerentes e Supervisores 312
Não Gestores 3873

Centro Oeste
Aprendizes 19
Estagiarios 0
Gerentes e Supervisores 37
Não Gestores 451

Sudeste
Aprendizes 281
Estagiarios 40
Gerentes e Supervisores 1196
Não Gestores 10965
Executivos e Gestores Senior 19
Trainees 14

Sul
Aprendizes 139
Estagiarios 0
Gerentes e Supervisores 438
Não Gestores 3810

BRASIL
Aprendizes 539
Estagiarios 44
Gerentes e Supervisores 1983
Não Gestores 19099
Executivos e Gestores Senior 19
Trainees 14

Analisando os dados acima pudemos observar que :

Tivemos no Brasil no ano de 2012 , 21.698 funcionarios registrados no Magazine


Luiza. Desses abaixo a porcentagem por função

Aprendizes 2,48%
Estagiarios 0,20%
Gerentes e Supervisores 9,14%
Não Gestores 88,02%
Executivos e Gestores Senior 0,09%
Trainees 0,06%

Ainda analisando o numero de funcionários, segue o numero concentrado em cada


região do Brasil

Nordeste 19,77%
Centro Oeste 2,34%
Sudeste 57,68%
Sul 20,22%

Analisando os dados acimas, concluimos que a maioria dos funcionários são não
gestores 88,02 %, ou seja a empresa acredita que seu crescimento esta ligado
diretamente aos funcionários que fazem com que a empresa cresça de fato, sendo
eles, na maioria vendedores.
Ainda com base nos dados vimos que a maioria de suas lojas esta concentrada na
região Sudeste do Brasil, onde o poder aquisitivo do Pais é maior, pois a região é
a que concentra maior parte do Mercado Economico Brasileiro.

5 – Gestão Ambiental

As lideranças da empresa têm consciência de que


o aspecto ambiental é o mais desafiador para o
Magazine Luiza e para todo o setor do Varejo, devido à
complexidade e multiplicidade dos processos de compra,
venda e distribuição de seus milhares de produtos, em
centenas de cidades e Estados brasileiros, para milhões
de clientes.
A eficiência desses processos depende de uma série de
medidas e atitudes que se inter-relacionam e influenciam
diretamente no impacto ambiental: o compromisso
e engajamento de fornecedores – fabricantes,
transportadoras, prestadores de serviço –, e de
clientes, as condições da infraestrutura viária nacional,
a qualidade dos transportes, as normas, políticas e
medidas públicas para construção, emissão de gases
e destinação de resíduos, desde os pequenos, como as
embalagens, até os grandes, como os eletrodomésticos
e móveis usados. Alguns estudos estão sendo feitos para
viabilizar a logística reversa, ou seja, buscar o produto
na casa do cliente e destinar à reciclagem. Esta é uma
das medidas a serem adotadas pela empresa para os
próximos anos.
Na construção e reforma de suas unidades, sejam lojas,
escritórios ou centros de distribuição, a empresa busca
adquirir somente materiais certificados e, nos projetos,
faz otimização do uso de recursos naturais, como
iluminação, água e até mesmo do espaço físico, como é
o modelo das mais de 100 lojas virtuais que, por serem
menores e não ter produtos expostos consomem menos
energia elétrica. A proposta de vendas pela internet e
o Magazine Você também se enquadram nesta análise
de otimização de recursos, pois são milhares de “lojas”
abertas no espaço virtual.
Enquanto busca encontrar os caminhos para atuação
integrada e cooperativa em um cenário de tamanha
diversidade de fatores, a empresa adota medidas que
visam contribuir para a conscientização e mudança
de comportamento, com o objetivo de minimizar os
impactos ambientais provenientes do estilo de vida
contemporâneo.
n Campanhas Internas: os canais de comunicação
interna, especialmente o Portal e a Rádio, mantêm
campanhas permanentes de informação sobre o
impacto ambiental a partir da adoção de hábitos
cotidianos, como apagar as luzes e tirar da tomada
aparelhos eletroeletrônicos que não estão sendo
usados, fechar as torneiras ao escovar os dentes
e se barbear, diminuir o tempo no banho, separar
embalagens em casa e no trabalho, oferecer carona
aos colegas.
n Separação de Resíduos: mais de mil colaboradores
dos escritórios de São Paulo, Franca (SP) e João
Pessoa (PB) contam com lixeiras seletivas para
separação de papéis, plásticos, metal e orgânicos,
com o objetivo de destinar estes materiais para a
reciclagem.

Carona Amiga: implantado em 2008 no Portal Luiza, é um


espaço dedicado ao cadastro de pedidos e ofertas de caronas,
com o objetivo de incentivar a colaboração entre colegas de
trabalho, a redução de emissão de CO2 e a melhoria do tráfego,
colocando menos carros nas ruas e rodovias. A princípio o
programa foi usado para viagens, mas com a transferência
de 250 pessoas de Franca (SP) para a capital, em 2010, para
o escritório de negócios, passou a ser utilizado também pelos
colegas do mesmo bairro ou trajeto.

n Resíduos tecnológicos: em 2012 o Magazine Luiza destinou para


reciclagem 1.300 monitores e 1.600 itens tecnológicos obsoletos.
A coleta foi feita pela empresa Descarte Correto – Consultoria e
Reciclagem Tecnológica, que atende as normas ambientais vigentes
no país.
R E S P O N S A B I L I D A D E

8-CONCLUSÃO
Ao final deste trabalho sobre o impacto da contabilidade, gestão financeira e
estatística aplicada no gerenciamento das Organizações, tive a oportunidade de
aprofundar e adquirir novos conhecimentos a respeito do assunto. Entender com maior
clareza a importância e necessidade das práticas contábeis, financeiras e
estatísticas para que possa haver um melhor gerenciamento nas organizações. Com o
passar do tempo a corrida desenfreada da competitividade, tem levado o empreendedor
a buscar inovações, o projeto sobre a empresa Magazine Luiza S.A, proporcionou um
conhecimento mais amplo da pratica das matérias estudadas, permitindo a busca de
maior capacidade e competência profissional.
Conclui-se com esse trabalho referente à disciplina Programa Integrado
Multidisciplinar- PIM III, que a Contabilidade, Gestão Financeira e a Estatística
são fundamentais para o desenvolvimento e crescimento das empresas diante do
mercado tão competitivo.