Você está na página 1de 2

Aplica – Propostas de resolução

EXP8 © Porto Editora


Reações Químicas 4. (1) átomos; (2) matéria; D – A molécula é constituída por 05 Lei da Conservação 5.3. Verifica-se a Lei de Lavoisier 2.2. O combustível é o (B) Exemplos: água destilada, 4. A terra é ácida, atendendo a 7.2. (C) AgI; (D) Iodeto de 5.2. Medindo o volume de 6. B
número de vibrações
(3) elemento; (4) átomos; 1 átomo de enxofre e 3 átomos da Massa na medida em que a massa total material que arde, enquanto o água com açúcar, água com sal. que as flores adquirem a cor azul. prata;  (E) NaNO3; dióxido de carbono libertado. 6.1. O sulfato de cobre não se frequência =
(5) elementos; (6) diferentes; de oxigénio. permanece constante e é igual à comburente é a substância que (C) Exemplos: sabão líquido, Para que as flores sejam cor-de- (F) Nitrato de sódio. 6. encontra escrito na equação intervalo de tempo
Explicação Pág. [41]
(7) elemento; (8) símbolo; E – A molécula é constituída por soma dos reagentes e produtos, permite a combustão. limpa-vidros, lixívia, “lava-tudo” -rosa a terra deverá ser básica, 7.3. (G) Ca(NO3)2; 6.1. Mg(s) + 2 HC’(aq) " porque atua como catalisador § 450 =
número de vibrações
e representação (9) símbolo; (10) maiúscula; 1 átomo de azoto e 1 átomo de 1. (A) V;  (B) V;  (C) F;  (D) F; ao longo de todo o tempo de 2.3. Exemplo de combustível: amoniacal. pelo que o agricultor deverá (H) Nitrato de cálcio. " MgC’2(aq) + H2(g) nesta reação, não se consumindo 35
de reações químicas (11) minúscula. oxigénio. (E) V. reação. metano; 2. (A), (E) e (F) – soluções ácidas; tratar a terra com uma substância 8. A água da Região Norte é macia 6.2. Demorou cerca de 5 minutos. nem se formando. § número de vibrações =
5. A – 2 – Z; B – 1 – Y; F – A molécula é constituída por 2. (A) Reagentes: nitrato de prata Exemplo de comburente: (B), (C) e (D) – soluções básicas. básica. É importante ter em conta e a concentração de carbonato de A partir deste instante deixou de 6.2. O João, para aumentar a = 450 * 35
01 Teoria corpuscular C – 3 – X. 1 átomo de fósforo e 3 átomos de e brometo de potássio. 06 Acerto de equações dioxigénio. 3. Solução A – neutra; o facto de a base a adicionar não cálcio é genericamente inferior a se formar di-hidrogénio. velocidade da reação química, § número de vibrações = 15 750
da matéria 6. (A) 5 átomos de hidrogénio; hidrogénio. Produtos da reação: brometo de químicas 2.4. Garantir a boa manutenção Solução B – ácida; poder ser muito forte. 100 mg/L. 6.3. V = 40 cm3 poderia elevar a temperatura C
(B) 4 átomos de cálcio; G – A molécula é constituída por prata e nitrato de potássio. da instalação elétrica. Solução C – básica. Sugestão: adição moderada de 9. 6.4. A velocidade da reação será: e/ou dividir finamente o zinco número de vibrações
frequência =
Pág. [15]
Pág. [49]
(C) 7 átomos de hélio; 2 átomos de carbono, 6 átomos (B) Reagentes: ácido clorídrico e Fechar o gás em saídas 4. cal apagada (CaO). 9.1. Sais de cálcio e de magnésio. Volume de di-hidrogénio formado e/ou usar ácido clorídrico intervalo de tempo
1. (A) F;  (B) V;  (C) F;  (D) V; (D) 15 átomos de fósforo. de hidrogénio e 1 átomo de magnésio. prolongadas. 4.1. Soluções ácidas: B, E e G. 5. Como exemplos de 9.2. O valor de referência v= concentrado. 3990
1. (A) F;  (B) F;  (C) V; (D) V;  (E) F. intervalo de tempo § 570 =
(E) V. oxigénio. Produtos da reação: cloreto de 2. 1 – C;  2 – D;  3 – B;  4 – E; 3. 4.2. Solução G. substâncias a adicionar podem encontra-se entre 150 mg/L e 40 cm3 intervalo de tempo
2. 1– D;  2– C;  3– B;  4 – A. §v = § v = 8 cm3/min 3990
03 Moléculas e fórmulas 7.4. magnésio e di-hidrogénio. 5 – A. 3.1. Reagentes: B e C; 4.3. D, F, C, A, G, B e E. referir-se a água com gás 300 mg/L de carbonato de cálcio. 5 min § intervalo de tempo =
3. A – Estado gasoso; 7.4.1. 3 PH3. (C) Reagentes: água e dióxido de Produto: A. 5. 1 – B;  2 – D;  3 – C;  4 – A. (contém hidrogenocarbonato 10. Desvantagens: dificulta 6.5. O volume de di-hidrogénio 570
B – Estado líquido;
químicas
7.4.2. 5 NO. carbono.
3. A.
3.2. 2 H2(g) + O2(g) " 2 H2O(g) 6. 1 – A;  2 – C;  3 – E;  4 – B; de sódio) ou as pastilhas de a ação dos sabões; formação
Som § intervalo de tempo = 7 s
Pág. [27] 4. formado no primeiro minuto é,
C – Estado sólido. Produtos da reação: glicose e 4. 5 – F;  6 – D. antiácido, que contêm hidróxido de depósitos e incrustações aproximadamente, de 15 cm3. 6.
4.1. A – Y;  B – Z;  C – X. Produção
No estado sólido os corpúsculos dioxigénio. 4.1. (1) combustível: etanol; 7. (A) ácido lático; de alumínio. de carbonato de cálcio nos A velocidade da reação será: 6.1. O ar proveniente dos pulmões
1. (A) V;  (B) F;  (C) V;  (D) F;  04 Iões e compostos iónicos 4.2. (1) – C;  (2) – B;  (3) – A.
encontram-se mais organizados (E) V. 3. 4.3. As equações químicas comburente: dioxigénio. (B) ácido oleico; Ter em atenção que as bases a chuveiros. Vantagens: contribui Volume de di-hidrogénio formado e propagação do som ao passar pela laringe fomenta
v=
Pág. [35]
do que no estado líquido e neste 3.1. (2) combustível: sódio; (C) ácido acético; ingerir não devem ser agressivas para a precipitação de sais a vibração das cordas vocais,
2. 1 – C – Z;  2 – A – X; encontram-se acertadas. intervalo de tempo
do que no estado gasoso. Butano + Dioxigénio " Dióxido + Água comburente: dioxigénio. (D) ácido cítrico e ácido ascórbico; para o trato digestivo. tóxicos; pode contribuir para 13 Produção do som provocando a emissão de sons.
3 – B – Y. 1. (A) V;  (B) F;  (C) F; (D) V; O número de átomos de cada 15 cm3
4. (1) gasoso; (2) corpúsculos; de carbono
(3) combustível: enxofre; (E) ácido tartárico; 6. A – 2;  B – 1;  C – 2;  D – 1. suprir as necessidades de cálcio v= § v = 15 cm3/min Pág. [103] O som é ainda modelado pelas
3. (E) V. 3.2. Reagentes: butano e elemento é igual nos reagentes 1 min
cavidades nasal e oral permitindo
Zona para colagem

(3) afastados; (4) sólido; 3.1. A – H2O;  B – C’;  C – CO2;  2. A – 1 – X;  B – 1 – Y;  C – 2 – Y; e nos produtos. comburente: dioxigénio. (F) ácido málico. 7. das populações. 6.6. A velocidade da reação no
(5) forma; (6) volume; dioxigénio. Produtos da reação: 1. (A) F;  (B) F;  (C) V;  (D) F;  (E) V. a formação de palavras.
D – C’2;  E – O. D – 2 – Y;  E – 1 – X;  F – 2 – X; 5. (4) combustível: etano; 8. 7.1. O ácido sulfúrico é corrosivo 11. A ebulição da água reduz primeiro minuto é maior. Pode
(7) líquido; dióxido de carbono e água. 2. Instrumentos de sopro: B, D, G 6.2. O avanço da tecnologia
3.2. A – 3 H2O;  B – 4 C’;  G – 1 – Y. 3.3. (A) 2 CO(g) + O2(g) " 2 CO2(g) comburente: dioxigénio. 8.1. Solução A – Solução básica; e perigoso para a saúde. em parte a sua dureza devendo concluir-se que a velocidade da
(8) recipiente. e H. associada à voz humana permite
C – 2 CO2;  D – 2 C’2;  3. m(butano)que reage + m(dioxigénio)que reage (B) 2 C2H2(g) + 5 O2(g) " 4.2. Solução B – Solução ácida. 7.2. O hidróxido de cálcio foi adicionar-se anticalcários para reação diminuiu com o tempo.
5. A. Instrumentos de cordas: A, C, E e I. acompanhar o padrão de vibração
E – 5 O. 3.1. O extrato do rótulo pertence = m(dióxido de carbono)produzida + " 4 CO2(g) + 2 H2O(g) 4.2.1. (2) ou (3). 8.2. Solução A – Qualquer valor lançado para neutralizar aumentar a eficiência dos sabões.
6. 3.3. a uma água mineral pois tem sais m(dioxigénio)produzida § (C) 4 Na(s) + O2(g) " 2 Na2O(s) 4.2.2. (1). de pH compreendido entre 7,1 o ácido. Instrumentos de percussão: F. das pregas vocais, tornando o
F 100 000 116 + m(dioxigénio)que reage = 352 + 180 12 Fatores que influenciam 3. (1) sopro;  (2) cordas;
6.1. p = § p = 3.3.1. D. dissolvidos. § m(dioxigénio)que reage = 416 g (D) CaSO4(s) " CaS(s) + 2 O2(g) 4.2.3. (4). e 14;
a velocidade das reações
ensino do canto mais eficiente.
A 0,5
3.3.2. A ou C. 3.2. HCO3-; C’- e Na+. 6. 4.3. C2H6O(’) + 3 O2(g) " Solução B – Qualquer valor de pH 10 Reações de precipitação
Velocidade das (3) percussão;  (4) fonte sonora;
§ p = 200 000 Pa 3.4.
" 2 CO2(g) + 3 H2O(g)
químicas (5) vibração;  (6) equilíbrio;
4. 3.3. HCO3-. mtotal = m(dióxido de carbono)produzida + 6.1. (A) e (B). compreendido entre 0 e 6,9. Pág. [79] reações químicas Pág. [93]
14 Propagação do som
F F 4 Na(s) + O2(g) " 2 Na2O(s) (7) tempo;  (8) frequência;
6.2. p = § 300 000 = 4.1. 2 H. 3.4. Os elementos químicos que + m(água)produzida § 6.2. (D) e (E). 8.3. Exemplo de uma solução A Pág. [107]
A 0,5 mtotal = 532 g S8(s) + 8 O2(g) " 8 SO2(g) (básica): lixívia. 11 Velocidade das reações (9) hertz.
§ F = 300 000 * 0,5 4.2. 4 C. constituem o SiO2 são o silício e o 6.3. (C). 1. (A) V;  (B) F;  (C) V;  (D) F. 1. (A) V;  (B) F;  (C) F;  (D) V.
4.3. 7 O. oxigénio.
3.5. Ao longo da reação
6.4. C2H4(g) + 3 O2(g) " 8.4. Exemplo de uma solução B 2. químicas 4. 1. (A) F;  (B) V;  (C) F;  (D) V;  (E) F.
§ F = 150 000 N 2.
4.4. S. 3.5. NaHCO3.
química, a massa de butano vai
(A) 2 Na(s) + C’2(g) " 2 NaC’(s) " 2 CO2(g) + 2 H2O(g) (ácida): sumo de limão. 2.1. Iodeto de chumbo (PbI2).
Pág. [85] 4.1. Trata-se de um instrumento 2.
6.3. Com o aumento de tempe- 2.1. 3 – C. de cordas.
diminuindo e a massa de dióxido
ratura, aumenta a pressão do 4.5. 3 C’. 3.6. (A) cedência; átomo. (B) P4(s) + 5 O2(g) " 2 P2O5(g) 4.4. A afirmação é verdadeira. 2.2. 2 KI(aq) + Pb(NO3)2(aq) " 2.2. 1 – A. 2.1. B e D.
de carbono vai aumentando na 1. (D), (B), (A) e (C). 4.2. Fontes sonoras: vibração das
gás no interior de uma botija, o 5. (B) anião; negativo. (C) 2 SO2(g) + O2(g) " 2 SO3(g) Enquanto os líquidos e os sólidos " PbI2(s) + 2 KNO3(aq) 3. (A) Temperatura. 2.2. A e C.
mesma proporção. 09 Reações ácido-base 2. A – 1;  B – 3;  C – 3 ou 4; cordas vocais (fadista) e vibração
que pode levar a que o material 5.1. 5 átomos de hélio. (C) NaC’. (D) 2 HgO(s) " 2 Hg(’) + O2(g) estão geralmente confinados 3. (1) solúveis; (2) solúveis; (B) Estado de divisão dos 2.3. A e C.
3.6. Lei de Lavoisier ou Lei da D – 3 ou 4;  E – 2. das cordas da guitarra portuguesa.
(E) 2 HC’(aq) + CaCO3(s) " a um determinado espaço, Pág. [69] 2.4. B e D.
da botija não suporte a força 5.2. 1 átomo de magnésio. (D) excesso; eletrões. (3) pouco solúveis; (4) solúveis; reagentes.
Conservação da Massa: a massa 3. Para avaliar a velocidade da 4.3.
exercida, levando à explosão. 5.3. 1 átomo de azoto. (E) poliatómico. " CaC’2(aq) + CO2(g) + H2O(’) os gases não têm forma nem (5) solúveis. (C) Utilização de um catalisador. 2.5. B e D.
total de um sistema fechado volume próprios, pelo que os 1. (A) V;  (B) F;  (C) F;  (D) V. reação, os alunos poderiam 4.3.1. A frequência é o número 2.6. A e C.
5.4. 4 átomos de flúor. 4. 4. (C). (D) Concentração dos reagentes.
onde ocorrem reações químicas efeitos da sua combustão se 2. utilizar, por exemplo, os de vibrações produzidas por uma 3.
5.5. 3 átomos de sódio. 4.1. CaC’2. 5. 4. (1) temperatura;
02 Átomos, elementos permanece constante. 2.1. a 2.4. (A) H2O; seguintes processos: fonte sonora, por unidade de
5.6. 2 átomos de fósforo. 4.2. KI. Tipos de reações alargam a áreas maiores.
(B) Água;
5.1. (A) e (D). (2) catalisador; 3.1. A transmissão do som
e símbolos químicos 4. Processo 1 – Medir o volume tempo. A frequência exprime-se
6. 4.3. K2CrO4. químicas
5. 5.2. (A) HC’(aq) + AgNO3(aq) " (3) catalisador; no ar deve-se à propagação
mA = 58,6 g. (C) NaC’; de di-hidrogénio libertado, pelo em hertz (Hz).
Pág. [21]
6.1. 5 O3. 4.4. FeSO4. 5.1. " HNO3(aq) + AgC’(s) (4) inibidor; do movimento vibratório em
mB = 10,58 g. (D) Cloreto de sódio; deslocamento do êmbolo de 4.3.2.
6.2. H2O2. 4.5. A’2O3. 07 Reações de 5.1.1. Ferrugem. (D) AgNO3(aq) + NaC’(aq) " (5) concentrado; sucessivas camadas de ar,
1. (A) V;  (B) F;  (C) V;  (D) V. mC = 21,1 g. (E) KOH; uma seringa. frequência =
número de vibrações
6.3. 3 SO2. 4.6. KMnO4. oxidação-redução 5.1.2. Óxido de ferro(III). " AgC’(s) + NaNO3(aq) (6) finamente; surgindo, alternadamente, zonas
2. A – 4;  B – 3;  C – 5;  D – 2; mD = 18,9 g. 5.2. 4 Fe(s) + 3 O2(g) " (F) Hidróxido de potássio; Processo 2 – Avaliar a massa de intervalo de tempo
com menor densidade (zonas de
6.4. CO. 5. Pág. [57] 6. Exemplos de sais solúveis: (7) dividido. número de vibrações
E – 1;  F – 1.
7. 5.1. Cloreto de sódio.
5. " 2 Fe2O3(s) (G) HC’;
nitrato de sódio; fluoreto de
magnésio que reage. § 300 = rarefação, com menor pressão)
(H) Ácido clorídrico. 5. 6
3. 5.1. 6. (A) 2;  (B) 2;  (C) 4;  (D) 3; Em ambos os processos, medir e zonas com maior densidade
7.1. A, B e C. 5.2. Hidróxido de sódio. 1. (A) F;  (B) F;  (C) V; (D) V; sódio; hidróxido de sódio.
3.1. A – Núcleo; 5.1.1. Z. (E) 2;  (F) 2;  (G) 2;  (H) 4;  (I) 2. 3. O procedimento mais o tempo da reação de modo a
5.1. Experiência 2. § número de vibrações = (zonas de compressão, com
7.2. D, E, F e G. 5.3. Nitrato de potássio. (E) V. Exemplos de sais pouco solúveis:
B – Nuvem eletrónica. 5.1.2. Y. adequado seria o (C) adicionar calcular a sua velocidade.
5.2. Experiência 2. O aumento de = 300 * 6 maior pressão). Na propagação
7.3. A – A molécula é constituída 5.4. Cloreto de cobre(I). 2. carbonato de cálcio; cloreto de
3.2. Os átomos têm igual número 5.1.3. X. uma solução de hidróxido de 4. (A);  (C) e (D).
temperatura leva a um aumento § número de vibrações = 1800 do som no ar, as camadas de
por 2 átomos de azoto. 5.5. Hidróxido de magnésio. 2.1. O “triângulo do fogo” é 08 Ácidos e bases prata; brometo de mercúrio. da velocidade das reações
de cargas positivas (protões) e de 5.2. m(reagentes) = 20 g; sódio, de modo a neutralizar o 5. 5. A ar não se deslocam ao longo
B – A molécula é constituída por 5.6. Sulfato de cálcio. constituído pelos componentes Pág. [65] 7. 3 químicas. número de vibrações
cargas negativas (eletrões) e por m(produtos) = 80 g. ácido. O produto da reação seria 5.1. Velocidade da reação = frequência =
EXP8 © Porto Editora

EXP8 © Porto Editora


2 átomos de hidrogénio. 6. A – 5;  B – 4;  C – 1;  D – 2; que obrigatoriamente têm de 7.1. (A) PbI2; 30 5.3. do meio, mas antes transferem
água e cloreto de sódio. Não se intervalo de tempo
isso a sua carga é nula
C – A molécula é constituída por E – 3. existir para que ocorra uma 1. (A) Exemplos: limonada, sumo (B) Iodeto de chumbo. § v = 0,1 g/s de carbonato 5.3.1. m = 5 g; energia de umas para outras.
1700
na globalidade. deve adicionar água a um ácido de cálcio. § frequência = = 170 Hz
3 átomos de oxigénio. 7. Iões positivos ou catiões. combustão. de laranja, café, vinagre, azeite.
por questões de segurança. 5.3.2. m = 15 g. 10
Aplica – Propostas de resolução (cont.)
d d
3.2. O som propaga-se através 3.3. 17 Características das ondas Atributos do som 5.2. Os dados do trabalho de 4. v=
Dt
§ 1560 =
0,06
Luz 3.2. transparentes permitem, 27 A utilização de espelhos 4.

EXP8 © Porto Editora


d 306
da vibração das partículas de um v= § 340 = Pág. [123] e sua deteção investigação foram recolhidos 4.1. A.
§ d = 1560 * 0,06
3.2.1. Radiação A. no entanto, a visualização nítida Pág. [199] 4.1. (C).
meio material, pelo que não se Dt Dt por um microfone. O microfone 4.2. C. Ondas de luz 3.2.2. Radiação B. de imagens, ao contrário dos 4.2. (A).
pelo ser humano § d = 93,6 m, ou seja, o
propaga no vácuo. 306 1. (A) F;  (B) V;  (C) F;  (D) V;  (E) V. converte um sinal sonoro num 4.3. B. 3.2.3. Radiação A. corpos translúcidos. 1. (A) F; (B) F;  (C) V;  (D) V;  (E) F. 4.3. (D).
§ Dt = § Dt = 0,9 s cardume encontrava-se e sua propagação
4. 340 2. 1 – H; 2 – A e F;  3 – B e C;  sinal elétrico. 5. 4. 5.5. Ocorre dispersão da luz, por 2. 4.4. Lentes divergentes: (C) e (D).
18 Altura e intensidade d
4.1. 1, 3 e 5. 4. Série 2. Quanto maior a 4 – G e I;  5 – D e E. 5.1. A – Sons dolorosos; à distância de x = ± 4.1. A. exemplo, num arco-íris. 2.1. Ocorre uma reflexão Lentes convergentes: (A) e (B).
do som 2 23 Características das ondas
4.2. 2, 4 e 6. temperatura do ar, maior a 3. B – Sons audíveis; 93,6 4.2. B. especular, uma vez que a 5.
velocidade de propagação
Pág. [131] 20 Audição humana ± x= = 46,8 m eletromagnéticas
4.3. 2, 4 e 6. 3.1. A Pág. [145] C – Sons não audíveis. 2 4.3. C. superfície do espelho é lisa e 5.1. A – Foco;
4.4. 1, 3 e 5. do som. 1
f= § 5= § T=
1 1
1. (A) F;  (B) V;  (C) V;  (D) V;  (E) F. 5.2. 1 – Limiar de dor; 6.3. Como o cardume se Pág. [167] Fenómenos óticos polida e a imagem é nítida. B – Centro de curvatura.
5. Esta afirmação é falsa. 5. T T 5 2 – Limiar de audição. encontra a 46,8 m do barco, 2.2. Imagem virtual, pois não 5.2. f = 10 cm = 0,10 m
2. (1) frequência;  (2) oscilações; 1. 25 Interação da luz com os
Na propagação do som no ar, as 5.1. As grandezas a medir são: § T = 0,2 s 5.3. Não audível: X; a distância do cardume ao fundo 1. (A) F;  (B) F;  (C) V;  (D) V;  (E) V. 26 A reflexão da luz
pode ser projetada num alvo. 5.3. A potência focal da lente
(3) tempo;  (4) baixas;  (5) altas. 1.1. Fonte sonora: vibração da meios materiais
suas camadas não se deslocam ao a distância percorrida pelo som B Audível: Y; do mar será de: d = 234 – 46,8 2. (1) som;  (2) mecânicas;  Pág. [191]
3. será:
(6) baixos;  (7) altos. coluna de ar do clarim Pág. [183]
longo do meio. As partículas de na água e no ar e o intervalo de 1
f= § f=
1
§ f = 2,5 Hz Doloroso: Z. § d = 187,2 m (3) vácuo;  (4) mecânicas;
3.1. (A) Espelho côncavo;  1 1
T 0,4 3. A opção mais indicada para o Meio de propagação: ar
7. (5) vácuo;  (6) sísmicas; 1. (A) V;  (B) F;  (C) V;  (D) V;  (E) F. P= § P=+
ar vibram e colidem transferindo tempo correspondente. músico é o diapasão de hastes Recetor sonoro: ouvido humano 1. (B) Espelho convexo; f 0,10
3.2. maior; menor; inversamente 2.
energia às partículas mais 5.2. Prevê-se que a velocidade de mais compridas (A). Quanto mais 1.2. A – pavilhão auricular;
7.1. O tempo de reverberação (7) mecânicas;
1.1. A, B, D, F e H – Corpos (C) Espelho plano. § P = + 10 D
ou menor; maior; inversamente. Fenómenos acústicos deverá estar entre 0,8 s e 1,2 s. (8) eletromagnéticas; 2.1. Superfície A: reflexão
próximas, e assim sucessivamente. propagação do som na água seja compridas são as hastes, menor a B – tímpano; C – ossículos luminosos; 3.2. 5.4. A afirmação é verdadeira
superior à do ar, uma vez que a 3.3. Onda 1 7.2. Por exemplo, alcatifas, (9) vácuo. regular ou especular.
6. frequência do som emitido, pelo 3.2.1. (A). para objetos que se encontrem
velocidade de propagação do v = l * f § v = 0,001 * 5 (martelo, bigorna, estribo); 21 Reflexão e absorção tecidos e outros materiais 3. C, E e G – Corpos iluminados. Superfície B: reflexão irregular
6.1. A acústica é o ramo da Física que este será mais grave. 3.2.2. (B). muito afastados do foco da lente.
§ v = 0,005 m>s D – caracol ou cóclea e do som rugosos e porosos. 3.1. A – Onda transversal; 1.2. ou difusa.
que se dedica ao estudo do som. som é maior nos líquidos do que 4. 1 – B;  2 – A;  3 – B;  4 – A; E – nervo auditivo. 1.2.1. A e D. 3.3. (B) ou (C). 6. A afirmação é verdadeira,
nos gases. Onda 2 Pág. [153] B – Onda longitudinal. 2.2. Superfície A. A reflexão na medida em que as lentes
6.2. Resposta aberta. 5 – A;  6 – B. 1.3. Após a sua emissão, o som 1.2.2. C e E. 3.4.
l 0,001 3.2. Não. As ondas especular ocorre sobretudo nas divergentes originam imagens
Alguns exemplos de aplicações da v= § v= 5. propaga-se através da vibração 1. 1 – C;  2 – A;  3 – B;  4 – D.
22 Outros fenómenos
eletromagnéticas propagam-se 2. superfícies polidas.
acústica no quotidiano: medicina, T 0,4 5.1. acústicos (1) virtuais, que, como tal, não
de um meio material, neste caso, 2.1. Corpos luminosos: velas
arquitetura, música ou ambiente. Som e ondas § v = 0,0025 m>s 5.1.1. C.
2. (1) absorção;
Pág. [157]
no vácuo, ao contrário do que 2.3. Superfície B. A reflexão F (2) F
podem ser projetadas num
o ar. Essa vibração é comunicada (2) inferior; é referido em relação a estas acesas, luzes de Natal e fogo. difusa ocorre sobretudo nas
4. 5.1.2. B. alvo, podendo, no entanto, ser

Zona para colagem


ao ouvido, mais especificamente (3) superior; ondas. Corpos iluminados: meias, superfícies não polidas. (3)
16 Ondas 4.1. 5.1.3. D. 1. (1) incidente;  (2) reflexão; visualizadas pelo olho humano.
15 Velocidade de propagação à membrana do tímpano, que árvores e bolas de Natal.
Pág. [117] 4.1.1. t = 1 s, t = 5 s, t = 9 s, 5.1.4. A. (4) intenso.
(3) refração;  (4) absorção; 4. (C) e (D). 3. 4.
do som passa também a vibrar. A mesma 2.2. Sombra – região do espaço
t = 13 s, t = 17 s. 5.2. 3. Deverá usar materiais rugosos
(5) velocidade. 5. 3.1. 4.1.
vibração é amplificada pela em que há ausência de luz visível, 29 A cor e a visão
4.1.2. t = 3 s, t = 7 s, t = 11 s,
Pág. [111] e porosos como a esferovite ou 3.1.1. C.
1. (A) F;  (B) F;  (C) V;  (D) V; (E) V. 5.2.1. A. 2. A – 3;  B – 1;  C – 2. 5.1.
cadeia de ossículos (martelo, devido à interposição de um Pág. [215]
2. (1) vácuo;  (2) material; t = 15 s, t = 19 s. 5.2.2. D. a cortiça.
3. Resposta aberta. É possível 5.1.1. B. 3.1.2. A.
1. (A) F;  (B) V;  (C) F;  (D) V;  (E) V. estribo e bigorna) e ao atingir o objeto opaco.
(3) igual;  (4) mecânicas;  4.1.3. t = 2 s, t = 4 s, t = 6 s, 5.2.3. C. 4.
reduzir as queixas diminuindo 5.1.2. A. 3.1.3. B.
1. (A) V;  (B) F;  (C) V;  (D) F.
2. caracol (cóclea) é convertida em 5.2. c = 299 792 458 m/s Penumbra – região do espaço
(5) longitudinais;  (6) direções; t = 8 s, t = 10 s, t = 12 s, t = 14 s, 5.2.4. B. 4.1. Golfinho e morcego.
o ruído emitido: limitando o
3.1.4. E. 4.2. (E).
2. (1) dispersão;  (2) prisma; 
2.1. A impulsos nervosos, canalizados em que há diminuição da
(7) vibração;  (8) cristas; t = 16 s, t = 18 s, t = 20 s. 4.2. Os animais emitem
horário de funcionamento dos 5.3. (A) F;  (B) V;  (C) F;  (D) V. 3.1.5. D. 5.
(3) frequência; (4) refração; 
v=
d 11 800
= = 5900 m>s (9) ventres. 4.2.1. A = 2 mm.
pelo nervo auditivo até ao ultrassons que são refletidos 5.4. (B). intensidade da luz visível devido 3.2. ai = 50°. 5.1. (A) Espelho côncavo;
Dt 19 Timbre estabelecimentos e de circulação (5) maior;  (6) frequência; 
2 3. 4.2.2. T = 4 s.
cérebro, que descodifica a pelos obstáculos. Quanto mais à interposição de um objeto 3.3. ar = 50°. (B) Espelho convexo.
B Pág. [137]
mensagem, interpretando automóvel. O isolamento opaco. (7) refração;  (8) menor.
994,5 3.1. A e C. 4.2.3. 2 oscilações completas. tempo demora a regressar o 24 Espetro eletromagnético 4. 5.2.
d e a colocação de barreiras
v= § 331,5 = 3.2. Por exemplo, A e B. o som. som, maior a distância a que se 3. Aspetos a focar: 4.1. 5.2.1. (A). 3.
Dt Dt 1 1 1. (A) F;  (B) V;  (C) V;  (D) F;  (E) F.
4.2.4. f = § f = acústicas são outras medidas a Pág. [175] 3.1. (A).
4. 1.4. A idade e a exposição a encontra o obstáculo. – A Lua é um corpo iluminado, Raio 5.2.2. (B).
994,5 T 4 2. A, B, D – 2;  C – 1. implementar. Normal
3.2. (B).
§ Dt = § Dt = 3 s 4.1. A onda 1 é uma onda § f = 0,25 Hz 3. (1) timbre;  (2) altura;
ambientes ou fontes de elevada 5. 1. A – 6 – iii;  B – 4 – ii;
não emite luz. refletido 5.2.3. (B).
331,5 intensidade sonora são exemplos d d 4. O fenómeno em causa é – A Lua reflete a luz proveniente 4. (A) F;  (B) F;  (C) F;  (D) V; 
transversal e a onda 2 é uma l 0,01 (3) intensidade;  (4) timbres; 5.1. v = ± 340 = C – 7 – vi;  D – 1 – iv;  E – 2 – v; 5.2.4. (A).
C 4.3. v = § v = de causas da diminuição da Dt 1,3 a refração, em que o som é de um corpo luminoso, o Sol. 5.3. Resposta aberta. (E) V;  (F) V.
v=
d
§ 343,4 =
d onda longitudinal. T 4 (5) puro;  (6) complexo; F – 3 – vii;  G – 5 – i.
Dt 4.2. capacidade auditiva. § d = 340 * 1,3 § d = 442 m transmitido do ar para a água. 4. Espelho
Sugestões: (A) Espelho de rosto; 5.
0,5 § v = 0,0025 m/s (7) complexos;  (8) fundamental.
1.5. A tecnologia atual busca a Contudo, o som também é 2.
4.1. A, B e C. 5.1. (A) e (B).
§ d = 343,4 * 0,5 4.2.1. A e C. 5. 4.
5.2. O obstáculo encontra-se a
2.1. espelho de dentista.
inovação nos aparelhos auditivos, uma distância que é metade da refletido na superfície da água, 4.2. D. 30° 5.2. (C).
4.2.2. A e B ou B e C. (B) Espelho retrovisor; espelho
§ d = 171,7 m 5.1. l = 0,2 m. 4.1. A – contrabaixo e B – diapasão.
tornando-os cada vez mais percorrida pelo som, ou seja: pelo que o som que se ouve 2.1.1. UV, raios X ou raios gama.
4.3. A. 5.3. (A).
4.2.3. B. 4.2. Proposta de argumentação: 2.1.2. Micro-ondas. de trânsito.
2.2. Ensaio 3. Quanto maior a 5.2. O período corresponde ao pequenos, baratos e capazes de d 442 dentro de água, proveniente do ar, 4.4. B. 5.4. (C) e (D).
4.2.4. A ou C. tempo necessário para que ocorra A representação gráfica da x= § x= é ouvido com menor intensidade. 2.1.3. Ondas de rádio. 6.
temperatura, maior a velocidade 4.3. onda sonora emitida por um melhorar a capacidade auditiva 2 2
2.1.4. Raios X.
4.5. C. 4.2. ai = 60°; ar = 60°. 28 A refração da luz na
de propagação do som. uma oscilação completa, pelo que humana. § x = 221 m 5. Refração do som, pois este 5. 4.3. A intensidade do raio
6.1. Miopia.
4.3.1. E. a onda ao efetuar 4 oscilações contrabaixo não é igual à do propaga-se do ar para os vários 2.1.5. Raios gama. utilização de lentes
3. 2. O uso negligente de cotonetes 6. 5.1. A – dispersão;  B – absorção; 6.2. (B).
4.3.2. D. diapasão, porque, ao invés do incidente é superior à do raio
completas em 2 s: T = 0,5 s. d d materiais de construção e para a 2.1.6. Luz visível. Pág. [207]
3.1. 5. contrabaixo, o diapasão emite pode provocar a rutura do 6.1. v = § 1560 = C – reflexão;  D – transmissão. refletido porque no processo de
6.3. (B).
d d l 0,2 Dt 0,3 estrutura da habitação. 2.1.7. Infravermelhos.
v= § 340 = § v= § v= um som puro caracterizado por tímpano, inviabilizando a 5.2. B e C. Os corpos opacos reflexão ocorre sempre alguma
Dt 0,7
5.1. O texto aborda uma T 0,5 sua vibração, o que pode § d = 1560 * 0,3 § d = 468 m 6. 2.2. Raios gama, raios X,
refletem e/ou absorvem a luz
1.
uma só frequência. absorção.
§ d = 340 * 0,7
inovação que se prevê que § v = 0,4 m/s comprometer a capacidade (distância percorrida pelo som). 6.1. ultravioleta, luz visível,
que sobre eles incide.
1.1. (A) F;  (B) V;  (C) F;  (D) F;
tenha impacto na sociedade, nos 5. 5. A afirmação é falsa. As leis da (E) V.
§ d = 238 m 6. v = 24 cm/s = 0,24 m/s auditiva. A distância do barco ao fundo 6.1.1. A. infravermelhos, micro-ondas,
5.3. A e D. Os corpos
próximos anos. 5.1. Segundo o texto, “o ruído ondas de rádio. reflexão também se verificam nas 1.2. A, B, C.
3.2. O segundo foguete estava 1 1 1 do mar será metade da distância 6.1.2. B.
5.2. Resposta aberta. f = § 10 = § T = existente no mar, provocado pelo 3. (1) 20 Hz;  (2) 20 000 Hz;
percorrida pelo som: 2.3. Ondas de rádio, micro-ondas,
transparentes e translúcidos superfícies não polidas. 2. 1 – B;  2 – A;  3 – C;  4 – E; 
mais afastado do profissional no T T 10 tráfego de embarcações, tem (3) audíveis;  (4) frequência; 6.1.3. C. transmitem parte da radiação
Alguns aspetos que poderão ser O facto de os raios divergirem em 5 – D.
instante do rebentamento, pois, § T = 0,1 s vindo a prejudicar a comunicação (5) infrassons;  (6) elefante;
d
x= ± x=
468
= 234 m 6.2. Ocorre absorção do som. infravermelhos, luz visível,
que sobre eles incide.
focados: 2 2 ultravioletas, raios X, raios gama. diversas direções tem a ver com 3.
quanto maior o tempo decorrido l 6.3. A – som incidente;
EXP8 © Porto Editora

EXP8 © Porto Editora


– O estudo do som pode conduzir à v= § l=v*T entre as baleias, levando-as a (7) frequência;  (8) ultrassons;
6.2. O som percorreu uma 3.
5.4. Tanto os corpos transparentes as irregularidades microscópicas 3.1. (D).
entre o rebentamento e a deteção T mudar a frequência ou o volume (9) cão. B – som refletido; como os corpos translúcidos
inovação tecnológica. deste tipo de superfícies. 3.2. (A) e (D).
do som, maior a distância a que § l = 0,24 * 0,1 § do canto, provocando stresse nos
distância que pode ser calculada C – som refratado. 3.1. Radiação A – infravermelhos; 
transmitem parte da luz que
– A inovação tecnológica associa-se, 6. 1 – A;  2 – C;  3 – B.
ele se encontra. § l = 0,024 m animais.”
como: Radiação B – ondas de rádio.
sobre eles incide. Os corpos
geralmente, ao bem-estar social.