Você está na página 1de 1

EQUAÇÕES DIFERENCIAIS – Professor André Felipe de A.

Xavier
LISTA 05 – REVISÃO D1

ALUNOS:

EXERCÍCIO 1: Suponha que um grande tanque para misturas contenha inicialmente 200 litros de fluido, no qual
foram dissolvidas 30 gramas de sal. Uma salmoura contendo 1 grama de sal por litro é bombeada para dentro do
tanque a uma taxa de 4 litros por minuto, e quando a solução está bem misturada ela é bombeada para fora
segundo a mesma taxa. Determine a quantidade de sal 𝐴(𝑡) no tanque no instante 𝑡.

EXERCÍCIO 2: Devido a uma maldição rogada por uma tribo vizinha, os membros de uma aldeia são gradualmente
impelidos ao assassinato ou ao suicídio. A taxa de variação da população é −2√𝑝 pessoas por mês, quando o
número de pessoas é p. Quando a maldição foi rogada, a população era de 1600. Qual é a Equação Diferencial
que modela essa situação?

EXERCÍCIO 3: Utilizando o método de separação de variáveis resolva as equações diferenciais a seguir.


1
(A) 𝑑𝑥 + 𝑒 3𝑥 . 𝑑𝑦 = 0 (𝑦 = 𝑒 −3𝑥 + 𝐶)
3
𝑑𝑦 𝑦3
(B) 𝑑𝑥 = 𝑥 2 ( 𝑦 −2 = 2𝑥 −1 + 𝐶
(C) 𝑥. 𝑑𝑥 + 𝑦. 𝑑𝑦 = 0 (𝑦 = √−𝑥 2 + 𝐶)

EXERCÍCIO 4: Encontre a solução das EDO’s pelo método do fator integrante:


𝐶
(A) 𝑥𝑦 ′ + 𝑦 = 0 (𝑦 = 𝑥 )
(B) 𝑦 ′ = 𝑥 + 5𝑦
(C) 𝑥𝑦 ′ + 2𝑦 = 4𝑥 2

EXERCÍCIO 5: Encontre a solução das EDO’s:

(A) 4𝑦 ′′ − 4𝑦 ′ − 3𝑦 = 0 𝑦(0) = 1, 𝑦 ′ (0) = 5


(B) 𝑦 ′′ − 3𝑦 ′ − 4𝑦 = 0 𝑦(0) = 0, 𝑦 ′ (0) = 2

EXERCÍCIO 6: Uma pequena população cresce de acordo com a seguinte equação diferencial 𝑡. 𝑃′ = −2𝑃 + 4𝑡 2 , onde 𝑃
é o número de indivíduos na comunidade no instante 𝑡, medido em anos. Utilizando o método de FATOR INTEGRANTE,
determine a solução 𝑃(𝑡) para a equação diferencial dada: (OBS: Para facilitar seus cálculos siga os passos a seguir.)
1º PASSO: DETERMINE A EDO NA FORMA PADRÃO
2º PASSO: DETERMINE o FATOR INTEGRANTE
3º PASSO: MULTIPLIQUE O FATOR INTEGRANTE NOS DOIS MEMBROS DA EDO.
FAZENDO AS INTERPRETAÇÕES NECESSÁRIAS, INTEGRE A EDO E DETERMINE A FUNÇÃO SOLUÇÃO.

EXERCÍCIO 7: Sistemas físicos diferentes podem ser descritos por uma equação diferencial linear de segunda ordem
semelhante à:
𝑎. 𝑦′′ + 𝑏. 𝑦′ + 𝑐. 𝑦 = 0.

Tal equação é resolvida utilizando o MÉTODO DE COEFICIENTES CONSTANTES.


Durante o processo de resolução, encontramos uma equação auxiliar quadrática do
tipo: 𝑎𝑚² + 𝑏𝑚 + 𝑐 = 0. A natureza da solução da equação diferencial esta
diretamente relacionada à interpretação dada aos possíveis valores de 𝑚, que podem
ser determinados utilizando “Bháskara”. Assim temos os possíveis casos:
{1º 𝐶𝑎𝑠𝑜 → ∆> 0, 𝑠𝑒𝑛𝑑𝑜 𝑚1 ≠ 𝑚2 𝑒 𝑚1 , 𝑚2 ∈ ℝ → 𝑦(𝑥) = ∁1 . 𝑒 𝑚1 𝑥 + ∁2 . 𝑒 𝑚2 𝑥
Suponha que, na equação diferencial descrita acima, as constantes sejam dadas por
𝒂 = 𝟏, 𝒃 = −𝟖 e 𝒄 = 𝟏𝟔. Determine a solução explícita 𝑦(𝑥) considerando o
Problema de Valor inicial 𝒚(𝟎) = 𝟏 e 𝒚′ (𝟎) = 𝟏