Você está na página 1de 7

Arranjo Físico , Armazenagens e Embalagens

2° Período – Logística

Wagner da Silva Alves


Professor: Petterson

Embalagens
Há indícios de que as noções de embalagens remontam á origem do
homem, cerca de 500 mil anos atrás, na época do ancestral
Pitecantropo.Criadas, inicialmente para conter e transportar água e alimentos,
as primeiras embalagens se constituíam de elementos encontrados na
natureza, como chifres ocos, crânios de animais e grandes conchas.

Em aproximadamente 4.000 a.C na antiguidade aparece a escrita. Nesta


época inicia – se o intercambio de mercadorias entra a Mesopotâmia e o Egito.
A embalagem com conceito de contenção para transporte, armazenagem e
finalidades comerciais, teve sua origem neste período.Com a necessidade de
transportar produtos a longas distancias, muda o olhar perante a embalagem.

O confeiteiro Frances Nicolas Appert inventa o processo de conservação


de alimentos por aquecimento e selagem em recipientes com pouco ar.

Nas décadas de 40 e 50, com o surgimento dos primeiros


supermercados, a função vendedora da embalagem passou a receber maior
destaque.

Atualmente o ramo das embalagens é um amplo campo de trabalho;


concilia conhecimentos de design, marketing, engenharia e até psicologia para
atender não apenas as atuais necessidades concretas de armazenagem e
transporte de produtos.

A embalagem e o acondicionamento de materiais constituem a base para um


sistema integrado de movimentação e armazenagem de materiais.

O termo embalagem é muitas vezes utilizado para definir ;

A embalagem de pequenas dimensões e é também a ação de colocar a


mercadoria nessas embalagens fracionárias ou unitárias.

O acondicionamento na acepção do temo, designa, indiferente e simultâneo.

Recipiente destinado a conter ou a proteger um material das eventualidades


dos transportes e , ainda das operações conexas.
A embalagem pode ser útil ou necessária em todas as fases de fabricação e
distribuição da empresa;

 Abastecimento de matéria prima

 Movimentação e estocagem das peças ou produtos

 Transporte e distribuição de produtos acabados

Entende – se como sistema de embalagem tudo aquilo que envolve suas


operações e materiais necessários para mover os produtos do ponto de origem
até o consumo, inclusive maquinários, equipamentos e veículos para o seu
embarque.

Três pontos importantes com relação aos sistemas de embalagem estão


sempre na mente:

1 – como em todos os sistemas, os componentes individuais são unidos.

2 – as partes para o sistema são numerosas e diversas, incluindo:


fornecedores de matéria prima, transformadores, fornecedores de maquinas de
embalar, fabricantes de produtos, serviço, intermediário no canal de
distribuição e consumidores de produtos embalados.

3 – o próprio sistema de embalagem é um componente de um sistema de


fornecimento mais amplo, manufatura e produtos de distribuição.

Alguns problemas típicos relacionados ás embalagens

 Ela pode representar até 50% do custo do produto

 A embalagem não vende o produto

 A embalagem não protege o produto

 A embalagem não é padronizada

 Torna – se fácil de abrir e ou fechar

Algumas razões para inovação na embalagem

 Estabelecer uma mudança competitiva

 Quando o produto esta para ser melhorado ou radicalmente modificado

 Estar mais vinculado ás atividades de promoção de vendas

 Quando a forma física do produto será modificado


 Mudanças na tecnologia da embalagem

Existe embalagens que são, essencialmente de transporte ou de apresentação


e embalagens que são essencialmente de proteção.

Uma embalagem ou um conjunto de embalagens pode ser classificada de


diversas maneiras; funções , finalidade , movimentação, retornável e não
retornáveis.

Uma mesma embalagem pode ter, simultaneamente, duas, três ou mesmo até
quatro funções, tais como:

 A embalagem de venda, apresentação ou distribuição

 Embalagem para estocagem

 A embalagem de movimentação de materiais ou transporte industrial

 A embalagem de transporte

Embalagem auto expositora

É aquela que além, de poder transportar o produto, visa expor o mesmo.


Contém, especialmente, apelos para que a venda seja efetuada, impondo ao
comprador um forte impulso para que realize a compra no ato, ou seja, é
verdadeiramente um vendedor mudo.

Embalagem de distribuição física

É aquela destinada a proteger o produto, suportando as condições físicas


encontradas no processo de carga, transporte, descarga e entrega. Pode ser
uma embalagem primaria ou secundaria, isto é, uma embalagem de produtos
pré embalados em unidades menores.

Embalagem retornável

É considerado como aquela prevista para ser usada por um período longo, em
perfeitas condições, podendo ou não incluir acessórios retornáveis, como
separadores, bandejas, divisores, caixas plásticas. Etc.

Embalagem descartável

É aquela projetada para ser usada apenas uma vez geralmente de baixo
custo , não exigindo controle e devolução. Porém, deve apresentar – se em
boas condições ate o ponto de uso.

Classificação quanto a movimentação: manual ou mecânica

Embalagem de movimentação manual


A embalagem de movimentação manual deve ter um peso limite de 20kg e
muitas vezes, é inadequada para movimentação mecanizada.

É sempre preferível que a movimentação manual seja auxiliada por


equipamentos.

Embalagem de movimentação mecanizada

Quando a quantidade e a freqüência de volumes a serem transportados é


muito grande, o número de movimentações é considerável, as distâncias ou
alturas são grandes ou as cargas pesadas, é necessário recorrer á
movimentação mecanizada.

Algumas recomendações para as embalagens de movimentação mecanizada

 As cargas paletizadas unitizadas devem estar seguramente protegidas nos


cantos, quanto necessário.

 Deve ser exigida a colagem de tiras de papelão e outros materiais, quando


a integridade de carga é importante.

 A carga paletizada deve ser embalada por filmes encolhíveis ou esticáveis,


sempre que possível.

 O manual de embalagem deve incluir padronização para os diversos tipos


de contentores a serem recebidos.

O fluxo de embalagem começa na operação de embalagem e termina na casa


do cliente final, e consiste basicamente das seguintes fases:

1 embalagem do produto

2 paletização

3 transferência para o armazém

4 estocagem no armazém da fábrica

5 separação dos produtos no armazém

6 transferência para o veículo de transporte

7 transporte para o armazém do atacadista

8 movimentação e armazenagem ao atacadista

9 transferência para o varejista

10 movimentação e armazenagem no varejista

11 colocação do produto no ponto de venda ou reexposição


12 transferência para o consumidor final

13 uso ou consumidor do produto

A embalagem usada: Redestinação, reciclagem ou luxo

Algumas embalagens são usadas e reutilizadas por diversas vezes com um


mesmo produto, por uma mesma indústria.Dependendo dos custos de retorno,
das condições de distribuição física e comercial, é possível reutilizar tambores,
caixas plásticas, caixas de madeira, sacaria têxtil, botijões de gás e , raramente
caixas de papelão.

Freqüentemente, ocorre uma redestinação da embalagem a alguma indústria


ou usuário, que ocorre ás suas próprias embalagens usadas para alguma nova
aplicação, ou a fornecedores que fazem a recuperação.

O lixo gerado pelas embalagens

Alguns materiais de embalagens são recicláveis. A reciclagem do vidro e do


papel é tradicional, simplesmente e intensiva. Nas grandes cidades há
sistemas mais ou menos precários de coleta de papel e papelão usados: os
aparistas. Já não se faz tanto a reciclagem de vidros de garrafas, uma vez
proibido o uso de garrafas sem neutralização.

As latas usadas são um componente significativo da sucata mas dificulta pela


grande variedade de plásticos, que não podem ser misturados.

O problema final do material de embalagem é a necessidade de sua destruição


ou eliminação na forma de lixo.

Ambiental – o sistema de embalagem é a interface mais importante entre o


sistema de separação e o meio ambiente: as necessidades do sistema de
embalagem são múltiplas.

A embalagem e a Armazenagem

Um sistema de embalagem na estocagem é projetado para desempenhar


quatro funções : 1 – proteção , 2 – confiabilidade , 3 – informações , 4 –
utilidade.

A proteção é fornecida aos risco comuns da movimentação e da armazenagem


em distribuição. Estes incluem compressão no empilhamento, no choque e
vibração no trânsito, temperaturas extremas e mudanças, umidade e
infestação.

Há diferentes técnicas de estocagem que afetam profundamente o projeto da


embalagem. Uma consideração fundamental é se a armazenagem é feita ao
tempo ou em área coberta.
A utilização de estruturas de estocagem, além de facilitar a movimentação,
limita bastante os esforços de compressão sobre as embalagens.

As alturas de empilhamento, no caso de os esforços devidos ao peso serem


suportados pela embalagem, irão determinar a residência das caixas á
compressão vertical.

Como a embalagem afeta a estocagem

A maioria das operações de armazenagem lida com embalagem de


distribuição. A resistência e as dimensões desta embalagem têm efeito direto
na eficiência da operação no estoque. O peso da unidade individual afeta a
eficiência da movimentação e a separação de pedidos. Uma fraca resistência
na embalagem afeta as alturas de empilhamento e portanto, a eficiência do
estoque dos produtos.A altura da embalagem afeta a utilização de espaços
individuais da prateleiras.

Com o dimensionamento de um contentor quanto á embalagem em seu interior


pode-se conseguir um padrão mais eficiente de palete.

Como desenvolver uma embalagem eficiente

Infelizmente, não existe nenhum método simples e preciso sobre embalagens


que possa ser descrito, um conhecimento básico sobre a tecnologia de
embalagem e sobre física geral é necessário para entender as compressões e
choques que serão suportados pelas embalagens durante a sua
movimentação.

Os princípios de proteção de embalagem são: vedação, compatibilidade,


retenção, restrição, separação,almofada, folga, apoio, posição, desgaste,
distribuição, suspensão, recipiente aberto, fechamento e instruções.