Você está na página 1de 15

Aline Cestaroli

Psicóloga CRP: 06/107500


Idealizadora do Encorajando Pais

AULA 1: Pilares da
Parentalidade Encorajadora
17/05/2021
Essa apostila pertence a:
BOAS-VINDAS
Que alegria ter você aqui!

Eu sou a Aline Cestaroli, psicóloga e idealizadora do Encorajando Pais, um programa


de educação parental que tem por objetivo encorajar os pais no processo de
educação dos filhos, para que desenvolvam suas habilidades e consigam estabelecer
uma relação com base no respeito mútuo e na cooperação.

A Jornada Parentalidade Encorajadora é um curso online, gratuito, ao vivo, onde


você aprenderá recursos e ferramentas práticas para trabalhar com orientação aos
pais. Em cada uma das aulas você terá a oportunidade de conhecer alguns princípios
teóricos e também exercícios práticos para utilizar em seus atendimentos.

Todas as aulas iniciarão às 20h e terão em torno de 2 horas de duração.

Confira os temas que serão abordados:

17/05: Nesta primeira aula vou compartilhar com você os princípios da


Parentalidade Encorajadora. O objetivo desta primeira aula é colocar todos na
mesma página e ela será a base para as próximas.

18/05: Nesta aula você aprenderá sobre os diferentes estilos parentais e como
cada um deles pode influenciar no desenvolvimento e no comportamento dos
filhos.

19/05: Nós não viemos de uma educação emocional e muitos pais que chegam
até nós não sabem lidar com as próprias emoções e, portanto, não conseguem
acolher as emoções dos filhos de uma maneira saudável. Nesta aula você
aprenderá algumas ferramentas práticas para desenvolver habilidades
emocionais nas famílias.

20/05: Esta é a aula mais importante! Nela trarei estudos de caso, mais
ferramentas e conceitos teóricos e também abrirei as inscrições para a turma 5
do curso Encorajando Pais. Se você tem interesse em se tornar facilitadora do
Programa, esta será a sua chance!
DICAS PARA APROVEITAR NOSSA
JORNADA AO MÁXIMO
Começo avisando que essa semana será intensa, por isso eu preparei aulas bem
dinâmicas. Sua interação será fundamental para que possamos construir essa
Jornada juntos. Eu estarei apenas facilitando todo esse movimento, e a sua presença
no chat, contribuindo com as dinâmicas, será fundamental!

Mais de 8 mil pessoas se inscreveram para participar desta Jornada! Meu coração
vibra de alegria ao ver a Parentalidade Encorajadora impactando e transformando
tantas famílias. Sim! Embora você esteja aqui buscando um conhecimento
profissional, tenho certeza de que também será impactada pessoalmente. Afinal,
quando falamos sobre a Parentalidade Encorajadora, falamos sobre algo que nos
atravessa. A transformação sempre começa por nós!

Para que sua experiência nesta Jornada seja bem aproveitada, separei
algumas dicas:

Se possível, participe das aulas pelo computador. Assim fica mais fácil interagir
no chat e acessar os links que enviarei ao longo da aula sem precisar sair dela.

Fique em um local tranquilo para que possa se concentrar e participar


ativamente.

Se possível, imprima essa apostila para que possa fazer as anotações e realizar os
exercícios propostos.

Separe petiscos e água.

Post foto em suas Redes Sociais e mostre para as pessoas que você é uma
profissional que busca seu aprimoramento. Marque meu perfil para que eu possa
te acompanhar (@aline.cestaroli)

Temos 2 hashtags oficiais e ao segui-las você poderá conhecer os demais


participantes da Jornada e, quem sabe, já fazer parcerias para projetos futuros.
Use #euencorajopais #parentalidadeencorajadora
CHECK-IN
De 1 a 10, o quanto você sente que tem recursos para trabalhar com orientação de
pais? Assinale abaixo:

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

BILHETES DE PERMISSÃO
Quais permissões você acredita que precisa se dar para aproveitar esta Jornada ao
máximo?
MISSÃO, VISÃO E VALORES
MISSÃO: Encorajar pais no processo de educação dos filhos para que
desenvolvam suas habilidades e consigam se conectar através de uma
educação gentil e firme, contribuindo para a construção de uma vida feliz.

VISÃO: Criar uma comunidade de psicólogos que partilham da mesma missão,


para que juntos possamos construir uma sociedade mais humana, menos
violenta e que desenvolva o potencial das pessoas.

VALORES: Melhoria contínua, Coragem, Integridade, Responsabilidade Social e


Respeito

TRILHA DE APRENDIZAGEM

GRUPO DE ESTUDOS

TUTORIA "SUA
TREINAMENTOS E WORKSHOPS
MENSAGEM NO MUNDO"
PROGRAMA DE COMUNIDADE
ENCORAJAMENTO ENCORAJANDO PAIS

CURSO
ENCORAJANDO PAIS

VOCÊ ESTÁ JORNADA PARENTALIDADE


ENCORAJADORA
AQUI!
AULAS DE AQUECIMENTO/
CONTEÚDO GRATUITO
ATIVIDADE 1: TRÊS LISTAS
Para iniciarmos, faremos uma atividade que servirá de base para todas as
outras. Construiremos juntos 3 listas:

DESAFIOS DE CARACTERÍSTICAS E
COMPORTAMENTO HABILIDADES DE VIDA

O QUE AS CRIANÇAS E ADOLESCENTES


PRECISAM PARA PROSPERAR?
PAIS SÃO LÍDERES
"Os pais são líderes da família. E um bom líder é aquele que
assume a RESPONSABILIDADE de encontrar o potencial e
que tem a CORAGEM de desenvolver esse potencial"
(Aline Cestaroli)

Educar e criar um ser humano é um ato de coragem! E por que os pais precisam de
coragem?

VULNERABILIDADE: Para se conectarem verdadeiramente com seus filhos.


Entrando em contato com suas necessidades e aprendendo a identificar os
sentimentos.

QUESTIONAR PADRÕES: Rever crenças e repensar se as ferramentas e práticas


que utilizam estão sendo efetivas. Refletir sobre o impacto em longo prazo. Se
perguntar "Eu sou o adulto que quero que meu filho se torne um dia?"

AUTOCONHECIMENTO: Olhar para si, honrar a sua história, praticar o amor


próprio e a autocompaixão. Não podemos dar aos filhos o que não temos. Só
quando tivermos a coragem para explorar as trevas é que descobriremos o
poder da nossa luz.

MINDSET: Desenvolver um mindset de crescimento, identificando as áreas de


incompetência e desenvolvendo as habilidades necessárias para exercer sua
missão da melhor maneira possível.

TIPOS DE PARENTALIDADE
De modo geral, podemos dizer que existem duas formas de liderar: MANIPULANDO
ou ENCORAJANDO.
PARENTALIDADE MANIPULADORA
"Mesmo se a intenção for boa, não se pode gerar
mudanças positivas nas pessoas ao tentar diminuí-
las, ameaçá-las com rejeição e humilhação."
(Aline Cestaroli)

Chamo de liderança manipuladora a liderança tradicional, que é baseada no uso de


punições ou recompensas, a fim de que a criança ou o adolescente faça o que o
adulto quer. Ou seja, se a criança teve um comportamento que o adulto considera
inadequado, ela recebe uma punição (palmadas, retiradas de privilégio, castigos
físicos, sermões e humilhações); caso ela tenha apresentado um comportamento
desejado, o adulto a recompensa com elogios, prêmios, estrelinhas, privilégios,
dentre outros.

E qual é o problema desse tipo de liderança?

A responsabilidade pelo comportamento é dos adultos;


Adultos não confiam na motivação intrínseca da criança para fazer o que é certo;
Pais assumem o controle da vida dos filhos ao invés de ajudá-los a desenvolver
autocontrole, autorresponsabilidade e autodisciplina.

Problemas da educação baseada em punições:

Funciona no curto prazo, porém logo a criança/ adolescente volta a apresentar o


mesmo comportamento;
Ensina através do medo;
Não é efetiva em longo prazo, pois não ajuda a desenvolver habilidades;
Contribui para comportamentos de rebeldia, manipulação;
Gera sentimentos de vergonha, humilhação, inadequação, desvalor, necessidade
de aprovação;
Quando envolve castigos físicos contribui para que a criança/ adolescente seja
mais explosiva e agressiva, pois aprende que é usando a violência que se resolve
as coisas.
Estudos científicos correlacionam as punições da infância com índices maiores de
ansiedade, depressão e alterações comportamentais e cognitivas.
Mesmo as "palmadas educativas" influenciam negativamente o desenvolvimento
cerebral das crianças, de forma semelhante à violência mais severa como os abusos
físico e sexual.

Assim como o uso das punições traz prejuízos para o desenvolvimento, o uso de
recompensas também pode ser bastante prejudicial, pois:

Ensina a fazer para ganhar algo em troca;


Passada a empolgação inicial que a recompensa traz, os pais precisam aumentar
o "bônus" para continuar engajando os filhos;
Cria-se um ciclo vicioso e tira a autonomia das crianças e adolescentes;
O foco está apenas no resultado e não no processo, o que contribui para a
formação de um mindset fixo;
Pode gerar sentimentos de inadequação e crenças de "não ser boa o suficiente";
Rouba da criança/adolescente o prazer em contribuir e se sentir capaz.

"Todas as pessoas constróem partes significativas


de suas vidas em torno da vergonha"
(Brené Brown)
De acordo com Brené Brown, vergonha é o sentimento ou a experiência
intensamente dolorosa de acreditar que somos inadequados e por isso indignos de
aceitação ou acolhimento.
A vergonha diz respeito ao medo da desconexão. No momento em que
experimentamos a vergonha, somos tomados pelo medo de ser ridicularizados,
diminuídos ou considerados inadequados. Sentimos medo de haver exposto ou
revelado uma parte de nós que ameaça nossa conexão e o merecimento de
aceitação.
A vergonha faz com que nos sintamos sós. Como se fôssemos os únicos a passar por
aquilo ou diferentes de todo mundo.

Ou seja, uma Parentalidade manipuladora, que faz com que a criança ou o


adolescente questione seu autovalor e que fere sua dignidade, não contribui para o
desenvolvimento de todo o seu potencial.
VIVÊNCIA
"De onde tiramos a ideia absurda de que para levar uma criança
a agir melhor, antes precisamos fazê-la se sentir pior?"
(Jane Nelsen)

Pense em um momento da sua infância em que você recebeu uma punição.


Conecte-se com esse momento e tente se lembrar o que você estava pensando,
sentindo e decidindo sobre si mesmo e sobre os outros.

PENSAMENTO SENTIMENTO DECISÃO

Você consegue identificar como isso pode influenciar sua vida ainda hoje?

Os efeitos da punição em longo prazo são:

VINGANÇA: "Eles estão ganhando agora, mas eu vou me vingar"


RESSENTIMENTO: "Isso não é justo. Eu não posso confiar nos adultos"
REBELDIA: "Eu vou mostrar que eu posso fazer o que eu quiser"
RECUO: Dissimulação "Eu não vou ser pego da próxima vez" ou Redução da
autoestima "Eu sou uma pessoa ruim".
PARENTALIDADE ENCORAJADORA
"Pais encorajados criam filhos encorajados. Filhos encorajados
se tornam adultos confiantes e capazes, com habilidades para
contribuírem com a construção de uma vida feliz"
(Aline Cestaroli)

Uma Parentalidade Encorajadora é aquela que tem como objetivo despertar o


potencial das crianças e adolescentes, para que se tornem adultos confiantes e
capazes, com habilidades de vida para contribuírem com a construção de um mundo
melhor.

Os pais já estão percebendo que é preciso estudar para educar, pois muitas vezes se
sentem desencorajados, sem saberem como lidar com os desafios de
comportamento dos filhos.

O que significa ENCORAJAR?

CORAGEM - COR = CORAÇÃO + AGEM = AGIR

Portanto, ter coragem significa agir com o coração. Quando agimos com o coração
entramos no movimento para nos tornarmos a melhor versão de nós mesmos. E
ENCORAJAR significa incentivar o outro a agir com o coração. É o movimento que
fazemos para que o outro se torne a melhor versão de si mesmo.

PRINCÍPIOS DA PARENTALIDADE
ENCORAJADORA
Existem alguns princípios e conceitos norteadores da Parentalidade Encorajadora.
São eles que sustentam as práticas para que os pais possam construir uma relação
saudável com os filhos, facilitando o desenvolvimento da sua potencialidade.
PRINCÍPIOS DA PARENTALIDADE
ENCORAJADORA
"O mundo precisa de crianças encorajadas e não
de crianças obedientes"
(Aline Cestaroli)

Foco na cooperação. Não queremos criar crianças e adolescentes submissos, que


obedeçam sem questionar, desejamos que eles compreendam que fazem parte
de um todo, que suas atitudes interferem na vida dos outros e que são capazes
de contribuir com as soluções para os desafios da vida.

Olhar a longo prazo: enquanto a educação tradicional é imediatista, com o foco


naquilo que funciona em curto prazo, a parentalidade encorajadora se preocupa
com os efeitos em longo prazo. Busca trazer à consciência dos pais sobre que
tipo de adulto eles querem que o filho se torne.

Equilíbrio entre gentileza e firmeza: esse equilíbrio é importante para que


possamos manter a dignidade e o respeito de todos os envolvidos na situação e
também para criar um ambiente familiar seguro e estável.

Conexão: nós somos seres sociais e precisamos uns dos outros para a nossa
sobrevivência. Para que possam se desenvolver de maneira saudável, as crianças
precisam se sentir conectadas com os adultos que são referência na vida delas. É
importante que os pais busquem estabelecer uma conexão com os filhos, através
da presença, escuta ativa, tempo junto, do brincar, mas, também e
principalmente, nos momentos desafiadores.

Encorajamento: ter fé na capacidade e no potencial da criança e do adolescente.


Oferecemos esse encorajamento, criando condições que favoreçam o
desenvolvimento da sua autoconfiança e fazemos isso, encorajando-os a
aprender com os erros, a passar pelas frustrações, a enfrentar as consequências
de suas escolhas; permitindo que contribuam com as tarefas da casa e não
fazendo por eles aquilo que já são capazes de fazer sozinhos.
VIVÊNCIA
"O encorajamento é o ingrediente essencial para
estabelecer uma relação baseada no amor e não no medo."
(Aline Cestaroli)
A forma como os adultos lidam com os desafios de comportamento e como se
comunicam com as crianças e os adolescentes, pode intensificar ou minimizar tais
comportamentos.
O comportamento desencorajador dos adultos pode convidar a disputa de poder,
confronto e revolta. Em contrapartida, o comportamento encorajador dos adultos
pode convidar as crianças e adolescentes à cooperação, respeito, responsabilidade e
desenvolvimento de habilidades de vida.

Nesta vivência faremos 2 rodadas para que você possa compreender melhor essas
diferenças:

1ª RODADA:
PENSAMENTO SENTIMENTO DECISÃO

2ª RODADA:
PENSAMENTO SENTIMENTO DECISÃO
FUNDAMENTAÇÕES TEÓRICAS
"Os pais precisam do nosso encorajamento para
ressignificarem a infância e aprenderem novas habilidades
para lidar com os desafios de comportamento e nós
podemos ajudá-los nesse processo."
(Aline Cestaroli)

O termo Parentalidade Encorajadora foi idealizado por mim, com base em diversos
estudos acerca do desenvolvimento humano, teorias da personalidade e pesquisas
em neurociências.

A principal referência teórica é a Disciplina Positiva, que foi idealizada por Jane
Nelsen, Lynn Lott e outros colaboradores, com base na Psicologia de Alfred Adler e
Rudolf Dreikurs.
Mas você encontrará uma construção de saberes a partir da Psicologia Positiva;
Abordagem Centrada na Pessoa; Comunicação não violenta; Teoria do Apego;
Terapia do Esquema; Inteligência Emocional; criança interior; Neurociências, dentre
outras.

"A confiança em sua própria força é o maior fator do desenvolvimento


intelectual das crianças. Crianças frágeis e doentias, assim como aquelas
sem limites, correm o risco de perder sua autoconfiança. Os pais
deveriam usar a afeição para encaminhar os filhos em direção a
tendências eticamente valiosas. A autoconfiança de uma criança, sua
coragem pessoal, é seu maior dom. Crianças corajosas, mais tarde, não
esperarão que seus destinos sejam regulados por eventos exteriores, mas
sim por sua própria força". (Alfred Adler)

PALAVRA SECRETA
INSIGHTS
O que ficou desta primeira aula para você?

DESAFIO
Faça um post em suas redes sociais compartilhando uma frase que te impactou sobre
a aula de hoje e me marque para que eu possa ver.

@aline.cestaroli

Aline Cestaroli