Você está na página 1de 34

CLASSES GRAMATICAIS

(identificação - emprego - flexão)

Classes Variáveis Classes Invariáveis

Substantivo Verbo
Artigo Advérbio
Adjetivo Preposição
Numeral Conjunção
Pronome Interjeição

1. SUBSTANTIVO

Palavra variável em gênero, número e grau que dá nome aos seres em geral

Classificação Formação
1. Comum 1. Simples
2. Próprio 2. Composto
3. Concreto 3. Primitivo
4. Abstrato 4. Derivado

Classificação:

1. Substantivo Comum: Designa os seres de uma espécie de forma genérica.


Ex.: mesa, igreja, prova, cidade.

2. Substantivo Próprio: Designa um ser específico.


Ex.: Porto Alegre, Maria, Rio Guaíba.

3. Substantivo Concreto: Designa os seres que têm existência própria.


Ex.: árvore, rua, homem, prova, Deus.

4. Substantivo Abstrato: Designa ações, qualidades ou estados, sentimentos


que não têm existência própria.
Ex.: dor, amor, generosidade, sentimento.

1
Formação:

1. Substantivo Simples: É formado por um só radical.


Ex.: flor, chuva, sol, cartão, tempo.
2. Substantivo Composto: É formado por mais de um radical.
Ex.: beija-flor, guarda-chuva, girassol, cartão-postal, passatempo.

3. Substantivo Primitivo: Serve de base para a formação de outros substantivos.


Ex.: pedra, terra, chave, flor, casa.

4. Substantivo Derivado: É formado a partir de um substantivo primitivo.


Ex.: pedreira, aterrar, chaveiro, floricultura, caseiro.

Há um tipo de substantivo comum que merece atenção especial, pois, mesmo estando
no singular, designa um conjunto de seres da mesma espécie, e por isso é chamado de
coletivo.
Exemplos: arquipélago (ilhas), assembléia (pessoas em geral), atlas (mapas), banca
(advogados, examinadores), multidão (pessoas), esquadrilha (aviões), flora (vegetais), fauna
(animais).

2. ARTIGO

Acompanha o substantivo, indicando-lhe o gênero e o número; é a marca do substantivo.

a) Artigo Definido: indica um substantivo específico, determinado: o (s), a (s).


b) Artigo Indefinido: indica um ser qualquer dentre outros da mesma espécie. (um, uns,
uma, umas).
Observe a diferença:
Paulo pegou o carro. Paulo pegou um carro.
c) A ausência do artigo atribui uma idéia genérica ao substantivo.
Homem algum é uma ilha. (ser humano)
Entrada é proibido.

3. ADJETIVO

Modifica o substantivo, atribuindo-lhe um estado, qualidade ou característica.

Observe:
O jovem brasileiro fez sucesso no exterior. O adjetivo brasileiro designa a naturalidade
do substantivo jovem.
A situação inverte-se quando falamos o brasileiro jovem: agora brasileiro é o substantivo
e jovem é o adjetivo.

Locução Adjetiva: é a reunião de duas ou mais palavras que especificam, caracterizam


ou restringem o substantivo, equivalendo a um adjetivo. Nem sempre a locução adjetiva tem
um adjetivo correspondente na nossa língua.

2
Exemplos:
Dente de cão – dente canino jornal de ontem
Esgoto da chuva – esgoto pluvial sala de aula
Anel de ouro - anel áureo homem de caráter
Ônibus da escola – ônibus escolar livro de história

4. NUMERAL

Indica a quantidade ou ordem de sucessão.

a) Cardinal: designa uma quantidade determinada.


Ex.: um, dez, vinte, cem, mil.

b) Ordinal: indica a ordem ou posição ocupada numa determinada série.


Ex.: primeiro, décimo, trigésimo quinto, milionésimo
.
c) Fracionário: indica uma fração ou divisão.
Ex.: meio, metade, um quinto
Atenção: 12h30min - lê-se: meio-dia e meia (hora)

d) Multiplicativo: indica uma multiplicação.


Ex.: duplo, dobro, triplo, quíntuplo.

5. PRONOME

Substitui ou acompanha o substantivo.

Como pessoas do discurso, permitem identificar as três pessoas do processo de


comunicação:

• Primeira pessoa – aquela que fala ou emissor;


• Segunda pessoa – aquela com quem se fala ou receptor;
• Terceira pessoa – aquela de quem se fala ou referente.

Ao substituir o substantivo, o pronome desempenha a mesma função de um


substantivo, daí ser chamado de pronome substantivo; ao acompanhar o substantivo, o
pronome exerce a função de um adjetivo, daí ser chamado de pronome adjetivo.
Exemplo: Esta caneta é minha. Esta é um pronome adjetivo porque determina o
substantivo caneta, enquanto minha é um pronome substantivo porque substitui o
substantivo.

3
A. Pronomes pessoais

Caso Oblíquo
Número Pessoa Caso Reto
Átonos Tônicos
1a. Eu Me Mim, comigo
Singular 2a. Tu Te Ti, contigo
3a. Ela, ela Se, o, a, lhe Si, consigo
1a. Nós Nos Conosco
Plural 2a. Vós Vos Convosco
3a. Eles, elas Se, os, as, lhes Si, consigo

Observações a respeito dos pronomes pessoais oblíquos:

1. Os pronomes pessoais retos exercem a função de sujeito, enquanto os pronomes


pessoais oblíquos exercem a função de objetos diretos ou indiretos. Os pronomes o(s) e a(s)
atuam sempre como objetos diretos; o pronome lhe(s), como objeto indireto.

Exemplos: Ela realizou a prova. O pronome ela é o sujeito da oração.


Ela realizou-a. O pronome a exerce a função de objeto direto.
Entreguei-lhe a prova. O pronome lhe exerce a função de objeto indireto.

Assim: o(s), a(s) = OD


lhe( s) = OI

2. Os pronomes SE, SI e CONSIGO indicam a reflexividade da ação verbal e por isso


são chamados de pronomes reflexivos. Isso quer dizer que só devem ser usados quando
indicam que o sujeito da terceira pessoa se relaciona com um complemento também da
terceira pessoa.
Exemplo: Ele pensa apenas em si mesmo. Saiu e levou os livros consigo. (com ele
mesmo)

3. As preposições essenciais introduzem sempre pronomes pessoais do caso


oblíquo.
Exemplo: Nada aconteceu entre mim e ti.
Este presente é para mim?

4. As formas conosco e convosco são substituídas por com nós e com vós diante de
palavras como outros, mesmos, próprios, todos e ambos para evitar a cacofonia.
Exemplo: Ele saiu com nós todos. Ela irá com nós mesmos.

5. Quando o verbo termina em Z, S ou R, os pronomes o(s) e a(s) assumem as formas


lo(s) ou la(s).
Exemplos: Fiz + o = fi-lo quis + a = qui-la chamar + a = chamá-la

6. Quando o verbo termina em som nasal, o pronome assume as formas no(s) ou na(s).
Exemplos: Chamaram-no para assumir o cargo.
Põem-nas sobre a mesa.

4
B. Pronomes de tratamento

Pronome Abreviatura Usado para


Vossa Alteza V. A. Príncipes
Vossa Eminência V. Emª. Cardeais
Vossa Excelência V. Exª. Altas autoridades do governo
Vossa Magnificência V. Magª. Reitores de universidades
Vossa Majestade V. M. Reis, Imperadores
Vossa Reverência ou Reverendíssima V. Revª. Sacerdotes
Vossa Santidade V.S. Papa
Vossa Senhoria V. Sª. Funcionários graduados

Observação: O pronome de tratamento é empregado para nos dirigirmos a alguém, embora


a concordância gramatical seja feita sempre com a terceira pessoa, portanto ele equivale a
você.

Exemplo: Vossa Senhoria pode entrar e apresentar seus planos.


Vossa Excelência deve traçar seu plano de governo.

Também são pronomes de tratamento o senhor, a senhora e você(s).

C. Pronomes possessivos

Indicam posse e devemos fazer a pergunta “De quem?” para identificar o referente.

Pessoa Pronomes
1a. Meu(s), minha(s)
2a. Teu(s), tua(s)
3a. Seu(s), sua(s)
1a. Nosso(s), nossa(s)
2a. Vosso(s), vossa(s)
3a. Seu(s), sua(s)

D. Pronomes demonstrativos

Indicam a posição dos seres designados em relação às pessoas do discurso:

Pessoa Masculino Feminino Neutro


1a. Este(s) Esta(s) Isto
2a. Esse(s) Essa(s) Isso
3a. Aquele(s) Aquela(s) Aquilo

Os pronomes demonstrativos situam os seres designados no espaço e no tempo:

Espaço Tempo
st Este, esta, isto (aqui) Presente
ss Esse, essa, isso (ali) Passado
q Aquele, aquela, aquilo (lá) Remoto

5
Esses pronomes também podem estabelecer relações entre as partes do discurso.
Exemplo: Os alunos, os pais e os professores organizaram uma excursão. Estes (os
professores) planejaram o passeio; esses (os pais) preparam o lanche, e aqueles (os
alunos), os jogos.
Dependendo do contexto, algumas outras palavras podem desempenhar o papel de
pronomes demonstrativos: é o caso de o (=aquele), a (=aquela), tal, semelhante, próprio e
mesmo e seus plurais.
Exemplos: Sou a que foi premiada. (aquela que) Tal foi a sua decisão. (essa foi) Ela
própria se defendeu das acusações. (ela mesma)

E. Pronomes indefinidos

Referem-se à terceira pessoa do discurso de modo impreciso, indeterminado,


genérico.

Variáveis Invariáveis
Algum, nenhum, todo, outro, muito, pouco, Alguém, ninguém, tudo, outrem, nada,
certo, vários, tanto, quanto, qualquer, bastante cada, algo

Há também as locuções pronominais indefinidas: cada qual, cada um, quem quer
que, todo aquele, seja quem for, etc.

F. Interrogativos

Variáveis Invariáveis
Qual, quanto Que, quem

Pergunta direta: Que fizeste ontem? Quem chegou?


Pergunta indireta: Quero saber que fizeste ontem? Estou perguntando quem
chegou?

G. Pronomes relativos

Os pronomes relativos estabelecem uma relação entre o antecedente e o que se diz


a respeito dele. Retomam um nome já explicitado no texto.
Exemplos: O aluno que saiu chama-se Paulo. (o qual aluno)
Chamei a criança a qual conheço.

Os pronomes relativos são:

Variáveis Invariáveis
O qual, cujo, quanto Que, quem, onde

a) quem – refere-se à pessoa


Este é o aluno a quem confiamos o segredo. (=ao qual)

b) cujo - estabelece relação de posse entre dois substantivos (o possuidor e a


coisa possuída). Flexiona em gênero e número.

6
Este é o livro cuja autora nós admiramos.
Esta é a prova cujas questões são fáceis.

c) onde - refere-se a lugar físico


A sala onde estamos é bem iluminada.

d) que - usado em qualquer situação para retomar o nome


Encontrei o presente que procurava.

e) o qual – usado em qualquer situação para retomar o nome


Descobrimos o motivo pelo qual ela fugiu.

f) quanto – quando segue os pronomes indefinidos tudo, todos, todas


Lembrei tudo quanto me disseste.

Os pronomes relativos introduzem orações subordinadas adjetivas.


Exemplo: Enviei um livro a meu irmão. Meu irmão mora em Recife.
Enviei um livro a meu irmão que mora em Recife. (o qual)

EMPREGO DOS PRONOMES

A. PRONOMES PESSOAIS: EU ou TU / MIM ou TI

Exercícios:
a) Entre ............... e o professor há uma grande amizade.
b) Para ............... será um prazer sua presença.
c) Este exercício é para ............. fazer agora.
d) Nunca houve nada entre ............. e ele.
e) Nada conseguirás sem ............, por isso nada faças sem .......... estar presente.
f) Exceto .............. , todos leram o relatório.
g) Ele pensou em ............ e .............. para realizar aquela tarefa programada.
h) Ele estava sentado entre ......... e ............... no cinema.
i) Empresta-me teu material para ........... estudar para prova.

B. PRONOMES PESSOAIS OBLÍQUOS: CONTIGO / CONSIGO

Exercícios:
a) Saiu rápido e levou todos os livros ...........................
b) Sairei ............... amanhã para escolhermos os móveis.
c) Maria, gostaria de falar ................ logo após o jantar.
d) Era para eu falar .................... ontem sobre aquele assunto.
e) Ele não queria levar ...................... os problemas familiares.
f) Sozinho, ele discutia ................ as razões de seu insucesso.

C. PRONOMES: COM NÓS / CONOSCO

Exercícios:
a) Eles virão .................. mesmos ao show.
b) Gostariam de ir ao shopping .................. ?

7
c) O professor discutiu .................. todos em aula.
d) As crianças partirão ................... para a viagem de férias.
e) Ficamos decepcionados ............ próprios após o resultado dos exames.

D. PRONOMES DEMONSTRATIVOS: ESTE / ESSE / AQUELE

Exercícios:
a) Você vai sair com ..................vestido à noite?
b) ............... meu vestido é bonito, Maria?
c) Viste ................ vestido que Joana usou na formatura?
d)Pretendo ser aprovado ............... ano no concurso do TRE.
e) Nasci em 1970; ................. ano o Brasil foi campeão do Mundo.
f) .................... ano que passou, não fomos à praia.
g) .................... são os nossos maiores problemas: miséria e violência.
h) Miséria e violência, ................. são nossos maiores problemas.
i) Di Cavalcanti e Portinari retrataram o povo brasileiro de formas originais,
mas distintas: ........ deu ênfase ao aspecto social; .........., à sensualidade lírica.
j) ................ que falaste provocou uma inquietação em todos.

E. COLOCAÇÃO DO PRONOME PESSOAL OBLÍQUO

1. PRÓCLISE – Colocação do pronome oblíquo antes do verbo. Ocorre


por atração das seguintes palavras:

a) Palavras de sentido negativo e a maioria dos advérbios.


Nada me interessa. Sempre me convidam.

b) Conjunções subordinativas, pronomes pessoais, pronomes relativos,


pronomes indefinidos, pronomes demonstrativos neutros.
Quando me contaram, tudo me agradou. Há fatos que me aborrecem.

c) Orações iniciadas por palavras interrogativas, exclamativas, ou que


exprimem desejo.
Deus te abençoe! Quem te chamou?

d)
Gerúndio regido pela preposição em.
Em se tratando de disciplina, ele é muito aplicado.

2. MESÓCLISE – Colocação do pronome oblíquo no meio do verbo. Ocorre


somente com o Futuro do Presente e o Futuro do Pretérito do
Indicativo.

a) Encontrar-nos-emos amanhã.
b) Encontrar-nos-íamos ontem.

Observação: Se houver palavra atrativa, o pronome volta à posição de


próclise, como por exemplo, “não nos encontraremos”.

8
3. ÊNCLISE – Colocação do pronome oblíquo depois do verbo. Ocorre por
exclusão.

a) Início de frase – Entregaram-me a encomenda.

b) Verbo no Imperativo Afirmativo. Alcança-nos o livro.

c) Verbo no Infinitivo Pessoal. Era preciso ajudá-la.

d) Verbo no Gerúndio. Saíram, deixando-nos a sós.

LOCUÇÕES VERBAIS

1. V
erbo principal – infinitivo ou gerúndio

a) C
om palavra atrativa – antes do auxiliar ou depois do principal.
Não lhe quero falar. Não quero falar-lhe.

b) S
em palavra atrativa – depois do auxiliar ou depois do principal.
Quero lhe falar. Quero falar-lhe. Ia dizendo-lhe tudo.

2. V
erbo principal – particípio

a) Com palavra atrativa – antes do auxiliar. Não o tenho esperado.


b) Sem palavra atrativa - depois do verbo auxiliar. Tenho o esperado
muito.

6. VERBO 7. ADVÉRBIO

Ação – cantar, sair, estudar Modifica, dando circunstância


Estado ou modo de ser – Ela é bonita. ao verbo – Ele estuda muito.
Ele está satisfeito. ao adjetivo – Ele é muito estudioso.
Fenômenos da natureza – chover, nevar a outro advérbio – Ele estuda muito
bem.

8. PREPOSIÇÃO

Liga termos, estabelecendo relações de sentido e de dependência entre eles.


As preposições essenciais são: a, ante, após, até, com, contra, de, desde, em,

9
entre, para, perante, por, sem, sob, sobre, trás.

As preposições acidentais são: conforme, mediante, durante, segundo, visto,


exceto.
São locuções prepositivas: abaixo de, acerca de, de acordo com, a par de, atrás
de, acima de, à procura de, à busca de, à espera de.

9. CONJUNÇÃO

Liga termos da mesma função ou orações. As conjunções podem ser coordenativas


ou subordinativas, conforme a oração que introduzem.
Exemplos: Maria e João participaram do encontro. A conjunção e liga os núcleos
do sujeito composto. Maria saiu e voltou logo. A conjunção e liga a primeira oração à
segunda, adicionando um fato a outro.
Obs.: As conjunções serão estudadas posteriormente. (Sintaxe externa)

10. INTERJEIÇÃO

É a palavra usada para exprimir emoções e sentimentos. De todas as classes


gramaticais, é a que mais depende de entonação e contexto.
Exemplos: Puxa! Oh! Ah! Ei! Bis! Calma! Psiu! Oxalá! Etc.

FLEXÃO NOMINAL

FLEXÃO DOS SUBSTANTIVOS - Gênero - Número - Grau

A. GÊNERO

1. Biformes (Heterônimos) Menino / menina, camponês / camponesa, genro / nora, /


cão / cadela
2. Uniformes

a) comuns de dois gêneros – a distinção de gênero é feita através do artigo, pronome ou


outra palavra que modifique o substantivo: o dentista /a dentista, aquele estudante /
aquela estudante, um paciente /uma paciente, o gerente / a gerente.

b) sobrecomuns – apesar de designar pessoas ou animais do sexo masculino ou feminino,


apresenta um só gênero para ambos. Exemplos: a criança, o cônjuge, a vítima, a
testemunha, o guia, o ídolo, o indivíduo, a pessoa.

c) epicenos – usados para os animais com acréscimo das palavras macho e fêmea. Exemplos:
jacaré macho – jacaré fêmea, cobra macho / cobra fêmea.

Observações:

10
1. Alguns substantivos alteram o sentido, mediante a troca de gênero dos determinantes
que os acompanham.

Exemplos:

o cabeça líder o rádio aparelho


a cabeça parte do corpo a rádio emissora
o lotação veículo o grama unidade de peso
a lotação capacidade a grama relva
o capital dinheiro o moral ânimo
a capital cidade a moral ética

2. Outros substantivos são usados indistintamente no gênero masculino ou feminino.

Exemplos: o/a diabete (ou diabetes) o/a laringe


o/a usucapião o/a personagem
o/a dengue o/a íris

Atenção: o champanha a cal


o guaraná a sentinela
o dó a omoplata
o eclipse a dinamite
o telefonema a alface
o alvará a arras

B. NÚMERO

Plural dos substantivos simples:

Substantivos terminados em: Exemplos


1. vogal, ditongo oral acrescenta-se s casas, pais

2. –m, -n -ns hifens, bombons

3. –ão -ões, -ãos, -ães leões, cidadãos, mães

4. –r, -z, -s -es colheres, raízes, países

5. –s (paroxítonos), -x invariáveis pires, tórax

6. –al, -el, -ol, -ul -is canais,anéis,lençóis, pauis

7. –il (oxítonos) -is barris, projetis, reptis

11
8. –il (paroxítonos) -eis fósseis, projéteis, répteis

Sempre singular Sempre plural

a fé, o norte, o sul bodas, fezes, olheiras, óculos, escombros

Alguns substantivos têm significados diferentes no singular e no plural. É o caso de:

bem oposto de mal bens propriedades


copa taça, cozinha, fiambre copas naipe do baralho
costa litoral costas dorso
féria remuneração férias período de descanso

Plural dos Substantivos Compostos:


Os substantivos compostos formados por uma única palavra farão o plural da mesma maneira
que os substantivos simples.
Exemplos: girassol / girassóis passatempo /passatempos
malmequer / malmequeres vaivém / vaivens

Os substantivos compostos formados por duas ou mais palavras ligadas por hífen fazem o plural
de três maneiras diferentes.

Vão para o plural:

Substantivo + substantivo: couves-flores, livros-textos


a) as duas palavras: Substantivo + adjetivo: amores-perfeitos, bóias-frias
Numeral + substantivo: terças-feiras, quintas-feiras

Substantivo + preposição + substantivo: pés-de-moleque,


b) somente a primeira: pães-de-ló
Substantivo + substantivo (limitador): navios-escola, vales-
transporte

Verbo + substantivo: guarda-roupas, beija-flores


c) somente a segunda: Palavra invariável + substantivo: alto-falantes, vice-reis
Palavras repetidas ou parecidas: tico-ticos, pingue-pongues

12
Observação: Quando a palavra guarda se referir à pessoa, ambas vão para o
plural.

Exemplos: guardas-civis, guardas-noturnos.

C. GRAU

1. AUMENTATIVO – meninão, homenzarrão, corpanzil, corpaço, fogaréu.

2. DIMINUTIVO – menininho, homenzinho, corpinho, foguinho, livreco.

Os substantivos no grau diminutivo não têm sido solicitados em concursos porque podem
apresentar uma conotação pejorativa, como nas palavras: jornaleco, livreco, casebre,
mulherzinha.

Diminutivo Plural:

Caracóis + inhos = caracoizinhos burguês + inhos = burguesinhos

No primeiro caso, o substantivo adquire um z antes do sufixo diminutivo porque a


palavra não apresenta s na sua grafia primitiva. No segundo caso, o substantivo diminutivo plural
conserva o s próprio da palavra.

Exercícios:
Dá o diminutivo plural de:

a) café e) colher
b) bar f) chapéu
c) chinês g) papel
d) lápis h) flor

FLEXÃO DOS ADJETIVOS - Gênero - Número - Grau

A. GÊNERO

1. 1. Uniforme – inteligente, jovem, contente

2. 2. Biforme – honesto / honesta, valentão /valentona, cristão / cristã, europeu /


européia

B. NÚMERO

1. Simples
Seguem as mesmas regras do substantivo.

13
Observação: O substantivo utilizado como adjetivo permanece invariável.
Exemplos: blusas vinho, capas laranja, camisas rosa, raios ultravioleta
(Fica subentendida a expressão “da cor de”.)

2. Compostos

a) Adjetivo + adjetivo = plural do segundo elemento.


Exemplos: olhos azul-claros, camisas verde-escuras, lentes côncavo-
convexas.
Havendo mais de dois adjetivos para o mesmo substantivo, somente o último
flexiona. Exemplos: reuniões luso-franco-brasileiras, conferências sócio-
político-econômicas, encontros sócio-educativo-regionais.
Exceções: blusas azul-celeste, blusas azul-marinho (“da cor de”)

b) Adjetivo + substantivo = invariável.


Exemplos: tapetes verde-esmeralda, blusas verde-mar, casacos amarelo-
ouro, trajes azul-petróleo

Atenção: O adjetivo surdo-mudo flexiona em gênero e número.


Meninos surdos-mudos, crianças surdas-mudas.

C. GRAU

1. Comparativo de

a) Igualdade: Ele é tão alto quanto ela.

b) Superioridade: Ele é mais alto do que ela. (ou que ela)

c) Inferioridade: Ela é menos alta do que ele. (ou que ele)

Observação: Os adjetivos bom, mau, grande e pequeno apresentam formas


especiais no grau comparativo respectivamente melhor, pior, maior
e menor.

2. Superlativo

Sintético – facílimo, belíssima, paupérrimo


a) Absoluto:
Analítico – muito fácil, muito bela, muito pobre

Ele é o mais veloz de todos.


b) Relativo
Ele é o menos veloz de todos.

14
Alguns superlativos absolutos sintéticos adquirem a forma original do latim, acrescida dos
sufixos –ílimo, - íssimo,-érrimo.

Exemplos: amargo / amaríssimo, amigo / amicíssimo, doce /dulcíssimo, fiel/ fidelíssimo,


livre / libérrimo, sábio /sapientíssimo, sagrado /sacratíssimo,
nobre/nobilíssimo, negro/nigérrimo, magro/macérrimo.

FLEXÃO VERBAL

Em Português, temos três conjugações indicadas pelas diferentes vogais temáticas

1ª conjugação – estudar, cantar


2ª conjugação – vender, correr, pôr (poer)
3ª conjugação – partir, dividir

TEMPOS E MODOS VERBAIS

MODO INDICATIVO – INDICA CERTEZA

TEMPOS ESTUDAR VENDER PARTIR SIGNIFICADO DOS TEMPOS

PRESENTE estudo,as vendo,ES -parto, es Ocorre no momento da fala


PRET.PERFEITO -ei, ste - i, ste - i, -ste Inicia e termina no passado
PRET.IMPERF. –va, vas - ia, -ias -ia, ias Ação continuada no passado
PRET.M.Q. PERF. –ra, ras - ra, -ras -ra, -ras Ação mais remota
FUT. PRESENTE -rei, rás -rei, -rás -rei, -rás Vai acontecer
FUT.PRETÉRITO -ria, -rias -ria, -rias -ria, -rias Possibilidade

MODO SUBJUNTIVO – INDICA DESEJO, CONDIÇÃO E POSSIBILIDADE


O modo Subjuntivo constitui orações subordinadas introduzidas pelas conjunções: que
(conjunção integrante), se (conjunção condicional) e quando (conjunção temporal).

TEMPOS ESTUDAR VENDER PARTIR SIGNIFICADO DOS TEMPOS

PRESENTE que eu estude que eu venda que eu parta Desejo, possibilidade


PRET.IMPERF. se eu estudasse se eu vendesse se eu partisse Condição
FUTURO quando eu estudar quando eu vender quando eu partir Possibilidade futura

FORMAS NOMINAIS

15
As formas nominais dos verbos são empregadas juntamente com os verbos auxiliares nas
locuções verbais. Exemplos: Eu estou trabalhando. Eu tenho de trabalhar. Eu tinha
trabalhado. Essas formas exercem também a função de nomes, tais como: o gerúndio equivale
ao um advérbio; o infinitivo equivale a um substantivo; e o particípio equivale a um adjetivo,
flexionando em gênero e número, em determinados contextos ou em certas situações.
Exemplos: Chegando a casa, ele ligou a televisão. (quando chegou)
O dançar faz bem. (substantivo)
Os candidatos estavam preocupados. (adjetivo)

ESTUDAR VENDER PARTIR


GERÚNDIO estudando vendendo partindo
INFINITIVO estudar vender partir
PARTICÍPIO estudado vendido partido

IMPERATIVO – INDICA ORDEM, PEDIDO E CONSELHO

PRES.INDIC. IMPERATIVO AFIRM. PRES.DO SUBJ. = IMP.NEGATIVO

Eu estudo -------- que eu estude ---------


Tu estudas estuda tu que tu estudes não estudes tu
Ele estuda estude você que ele estude não estude você
Nós estudamos estudemos nós que nós estudemos não estudemos nós
Vós estudais estudai vós que vós estudeis não estudeis vós
Eles estudam estudem vocês que eles estudem não estudem vocês

VERBOS EM EAR

Os verbos passear, frear, cear e outros adquirem um i nas três primeiras pessoas do
singular e na terceira do plural do Presente do Indicativo e do Subjuntivo.
Eu passeio, tu passeias, ele passeia, eles passeiam.
Que eu passeie, que tu passeies, que ele passeie, que eles passeiem.

VERBOS EM IAR

Os verbos em iar - negociar, variar, premiar, mobiliar são regulares, com exceção dos
cinco verbos abaixo:

Mediar Esses verbos adquirem um e nas três pessoas do singular e na


Ansiar terceira pessoa do plural do Presente do Indicativo e do
Remediar Subjuntivo.
Incendiar Eu odeio, tu odeias, ele odeia, eles odeiam.
Odiar Que eu odeie, que tu odeies, que ele odeie, que eles odeiem.

VERBO REQUERER

16
O verbo requerer é irregular na primeira pessoa do singular do Presente do Indicativo
e, conseqüentemente, no Presente do Subjuntivo.
Eu requeiro, tu requeres, ele requer, nós requeremos, vós requereis, eles requerem.
Que eu requeira, que tu requeiras, que ele requeira, que nós requeiramos, que
vós requeirais, que eles requeiram.

VERBOS VER E VIR

Os verbos irregulares ver e vir, por não terem radical, apresentam algumas
semelhanças, como se pode observar no quadro abaixo:

TEMPO VER VIR

Presente do ele vê ele vem


Indicativo nós vemos nós vimos
eles vêm eles vêm

Pretérito ele viu ele veio


Perfeito nós vimos nós viemos

Futuro Quando eu vir Quando eu vier


Subjuntivo Quando tu vires Quando tu vieres

VERBO SER
O verbo ser, por ser anômalo, requer muito cuidado porque ele é o responsável pela voz
passiva analítica dos verbos.

MODO INDICATIVO
TEMPOS eu tu ele nós vós eles
PRESENTE sou és é somos sois são
PRET.PERFEITO fui foste foi fomos fostes foram
PRET.IMPERF. era eras era éramos éreis eram
PRET.M.Q. PERF. fora foras fora fôramos fôreis foram
FUT. PRESENTE serei serás será seremos sereis serão
FUT.PRETÉRITO seria serias seria seríamos seríeis seriam

MODO SUBJUNTIVO
TEMPOS eu tu ele nós vós eles
PRESENTE que seja sejas seja sejamos sejais sejam
PRET.IMPERF se fosse fosses fosse fôssemos fôsseis fossem
FUTURO quando for fores for formos fordes forem

17
MODO IMPERATIVO
eu tu você nós vós vocês
AFIRMATIVO ---- sê seja sejamos sede sejam
NEGATIVO não ---- sejas seja sejamos sejais sejam

A dificuldade na conjugação dos verbos irregulares está mais ligada à grafia dessas
formas, porque as desinências de tempo, de modo, de número e de pessoa são praticamente as
mesmas em todos os nossos verbos. Uma maneira prática de resolver essa questão é ter em
mente que do Pretérito Perfeito do Indicativo originam-se o Pretérito Mais-Que-Perfeito, o
Pretérito Imperfeito do Subjuntivo e o Futuro do Subjuntivo. Assim, observe o quadro abaixo e
tente reproduzi-lo com o maior número de verbos possível:

Verbo Pret. Perfeito Pret.-M.-Q. Perfeito Pret. Imperf. Subj. Fut. Subj.
(se) (quando)
Trazer eu trouxe eu trouxera eu trouxesse eu trouxer
Poder eu pude eu pudera eu pudesse eu puder
Fazer eu fiz eu fizera eu fizesse eu fizer
Haver eu houve eu houvera eu houvesse eu houver
Ver eu vi eu vira eu visse eu vir
Vir eu vim eu viera eu viesse eu vier
Ir eu fui eu fora eu fosse eu for
Ser eu fui eu fora eu fosse eu for

VERBOS DEFECTIVOS:

A) Os verbos colorir, abolir, demolir, banir, carpir, aturdir, delinqüir, exaurir, extorquir, entre
outros não são empregados na primeira pessoa do singular do Presente do Indicativo,
conseqüentemente não apresentam Presente do Subjuntivo.
B) Os verbos falir, computar, combalir, remir, foragir-se, aguerrir, comedir-se, entre outros
somente são conjugados nas formas nós e vós do Presente do Indicativo, logo não
possuem Presente do Subjuntivo.
C) Os verbos adequar, precaver e reaver são conjugados apenas nas formas nós e vós do
Presente do Indicativo e dos tempos derivados.

VOZES VERBAIS

1. VOZ ATIVA – o sujeito pratica a ação.


O aluno comprou um livro. Nós viajaremos. Os candidatos realizariam a prova.
Eles a chamarão. Eles dependem da prova. Eu entreguei o livro ao aluno.

2. VOZ PASSIVA ANALÍTICA – o sujeito sofre a ação.


Um livro foi comprado pelo aluno. A prova seria realizada pelos candidatos.

18
Ela será chamada por eles. O livro foi entregue por mim ao aluno.

TRANSFORMAÇÃO DA VOZ ATIVA PARA A VOZ PASSIVA

O lenhador derrubou a árvore.


Sujeito VTD objeto direto

A árvore foi derrubada pelo lenhador.


Sujeito verbo ser + principal agente da passiva

Obs.: só pode haver voz passiva quando os verbos forem transitivos diretos, à exceção de
OBEDECER e RESPONDER (a coisas, não a pessoas), casos de verbos transitivos indiretos em
que se admite a transformação de voz.
Exemplos: Obedeço à lei. A lei é obedecida por mim.
Respondeu à questão. A questão foi respondida por ele.

VOZ ATIVA VOZ PASSIVA ANALÍTICA

Ele chamou o colega. O colega foi chamado por ele.

Eles devem vender a casa. A casa deve ser vendida por eles.

Eles podem ir lendo as regras. As regras podem ir sendo lidas por eles.

3. VOZ PASSIVA SINTÉTICA – VTD + SE


Vendem-se livros. (Livros são vendidos.)
Organizam-se passeios. (Passeios são organizados.)
Faz-se carreto. (Carreto é feito.)

4. VOZ REFLEXIVA – O sujeito pratica e sofre ação.


Ela se feriu. (a si mesma)
Olhei-me no espelho.

EXERCÍCIOS:

Passe da voz ativa para a voz passiva e vice-versa:


a) Sem a minha autorização, ele não venderá a casa.
b) Quem resolveria esses problemas?

19
c) A vida ensina muita coisa.
d) O problema será resolvido pelos presentes.
e) O relatório tinha sido feito pela secretária.
f) Esgotar-se-ão todas as possibilidades de busca.
g) Estávamos esperando os resultados da eleição.
h) As crianças devem ser orientadas pelos pais.
i) O doente estava sendo medicado pelo especialista.
j) Todos respeitam as pessoas mais velhas.

QUESTÕES DE PROVAS DA FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS (FCC)

1. (BACEN-2006) Não há, com relação a doces, nem com relação a guisados, um gosto que
apenas fisiológico, seja especificamente universal: do Homem e não de uma sociedade; o
que Marx impugnou em Hegel com relação à idéia – que seria um princípio metafísico ou
uma essência – poderia impugnar ao teórico do Paladar que o considerasse expressão de
um princípio apenas fisiológico, independente de circunstâncias, em vez de expressão,
principalmente, de um “princípio social”.

O pronome grifado no texto acima substitui corretamente a expressão

(A) um gosto fisiológico.


(B) um princípio metafísico.
(C) um princípio apenas fisiológico.
(D) o Paladar.
(E) ao teórico do Paladar.

2. (BACEN-2006) Sonhos não faltam; há sonhos dentro de nós e por toda parte, razão pela qual
a estratégia neoliberal convoca esses sonhos, atribui a esses sonhos um valor
incomensurável, sabendo que nunca realizaremos esses sonhos.

Evitam-se as viciosas repetições dos elementos sublinhados na frase acima, substituindo-os,


na ordem dada, por:

(A) há estes – lhes convoca – atribui-lhes – os realizaremos


(B) há-os – os convoca - atribui-lhes - os realizaremos
(C) há eles - convoca-os - atribui-lhes - realizaremo-los
(D) os há - os convoca - lhes atribui - realizaremo-los
(E) há os - convoca-lhes - os atribui - realizá-los-emos

3. (BACEN-2006) Estão corretamente flexionadas e articuladas as formas verbais da frase:

(A) Os sonhos que advirem da contínua sedução que sobre nós exige a máquina
neoliberal estariam condenados à insatisfação.
(B) Por não terem podido resistir à expropriação de seus pedacinhos de terra, os servos
feudais não contiveram um processo que só fez crescer ao longo dos séculos.
(C) Para que não sobrevissem maiores violências seria preciso interferir nesse processo
de acumulação, que tantos destitue das mínimas condições de sobrevivência.
(D) O autor do texto e seu colega Elio Gaspari conviram em que os “cidadãos
descartáveis” constituíssem o efeito vivo do funcionamento da máquina liberal.

20
(E) Para que se extingua essa expropriação histórica, fazer-se-ia necessário que haja
pleno controle do processo de acumulação.

4. (TRT-2005) Transpondo-se para a voz passiva a frase:

(A) (...) alternativas diversas das que tipificam a atividade profissional, a forma verbal
resultante será são tipificadas.
(B) (...) a polícia tem praticado entradas forçosas em escritórios de advocacia, a forma
verbal resultante será foram praticadas.
(C) (...) a polícia tem apreendido papéis, a forma verbal resultante será têm sido
apreendidos.
(D) A advocacia exige qualificações específicas, a forma verbal resultante será têm sido
exigidas.
(E) (...) limitarei as anotações cabíveis aos campos da Constituição e da lei vigente, a
forma verbal resultante será terei limitado.

5. (TRT-2005) Não é possível o exercício da profissão advocatícia se o cliente não tiver


confiança absoluta em que as informações e os documentos passados a seu advogado
sejam invioláveis.

Permanecerá correta a articulação entre os tempos e os modos verbais da frase acima


caso se substituam as formas sublinhadas, respectivamente, por:

(A) seria possível - não tenha - são


(B) será possível - não ter - serão
(C) teria sido possível - não tenha - são
(D) seria possível – não tivesse - fossem
(E) será possível - não teria - sejam

6. (TRT-2005) Estão corretos o emprego e a forma os verbos na frase:

(A) Ainda que retêssemos apenas lembranças felizes, as más lembranças não tardaria a
incorrer em nossa consciência.
(B) Se a adolescência nos provisse apenas de momentos felizes, a ninguém conviria
esperar pelos bons momentos da velhice.
(C) Se a um velho só lhe aprouver o lamento pelo tempo que já passou, caber-lhe-á algo
melhor que o temor do futuro?
(D) Costuma ser repelido o adulto experiente que intervir na conduta de um jovem
desorientado para tentar ratificar o rumo de sua vida.
(E) Sempre conviu ao homem primitivo orientar-se pela sabedoria dos anciãos, ao passo
que hoje poucos idosos conseguem fazer-se ouvir.

7. (TRT-2005) Está correto o emprego de ambos os segmentos sublinhados na frase:

(A) Juventude é, hoje, uma palavra mágica: consideramo-lhe um talismã, nela atribuímos
o condão de uma chave que abre todas as portas.
(B) Quanto ao passado, deixar-lhe em paz, pois se os dias não voltam não há como
interferir-lhes.
(C) Se há dias bons na juventude, não os queiramos emprestar um valor absoluto, pois a
eles se alternaram dias felizes.

21
(D) Quanto aos jovens, poupemo-los de aconselhamentos a que não podem ou não
sabem dar ouvidos.
(E) Se é para mim escolher entre o tumulto do jovem e a serenidade do velho, prefiro
esta a aquele.

8. (GEMOR-2005) A voz verbal NÃO pode ser alterada na seguinte frase:

(A) Quantas vezes não ouvi a frase acima?


(B) Os varredores limpavam tudo, pelo menos até o dia seguinte.
(C) Joguei uma bolinha de guardanapo pela janela do carro.
(D) Os governantes do mundo não se furtarão a essa responsabilidade.
(E) A vida deve ser preservada por todos, em todas as suas manifestações.

9. (GEMOR-2005) Os tempos e modos verbais estão corretamente articulados na frase:

(A) A autor afirma que estivera a ponto de dar ré, e só não viria fazê-lo porque fosse
perigoso executar tal manobra numa estrada movimentada.
(B) O autor se surpreende, hoje, por guardar no bolso papeizinhos e embalagens usadas
que, menino, costumava jogar na rua.
(C) A expressão espaço público, a cada vez que é utilizada, viera ganhando um sentido
mais amplo, em função do sentimento ecológico que se disseminara.
(D) Se todos lutamos pela preservação da vida, a ecologia terá alcançado o sentido
político que desde sempre marcaria os seus programas básicos.
(E) Caso não nos ocupemos da fiscalização das políticas governamentais, a evolução do
sentimento ecológico teria sido interrompida mal começasse.

10. (TRT-2005) NÃO admite transposição para outra voz verbal e segmento sublinhado na frase:

(A) Essa tendência tem seu preço, que é alto e se paga tanto em dinheiro quanto em
compulsão do comportamento.
(B) Aquele equilíbrio vital, referido na frase latina, anda cada vez mais comprometido.
(C) O conceito de saúde vem sendo obsessivamente identificado com a ótima forma do
corpo.
(D) Não se pode ignorar a cadeia de consumo que atrai progressivamente os candidatos
a Apolo e Vênus.
(E) Muito prometem as dietas milagrosas e as intermináveis sessões de ginástica.

11. (TRT-2005) O emprego e a articulação dos tempos verbais estão inteiramente adequados na
frase:

(A) Conviria que você venha nos visitar apenas na semana que vem, quando já não
estaríamos preocupados com o vestibular que fizermos na próxima terça-feira.
(B) Mal apontou, o navio fora submetido a uma rigorosa inspeção da alfândega, em
virtude da suspeita da carga contrabandeada que talvez ele trouxe em seus
porões.
(C) Não me parece justo que você vem agora argumentar com razões que até ontem
jamais invocou, revelando um oportunismo que já seja tão conhecido.
(D) Na próxima semana iremos estar atendendo a sua solicitação, estaremos lhe
telefonando para comunicar a decisão final da empresa.
(E) Tão logo saibamos o resultado do teste a que você ontem se submeteu, entraremos
em contato, para não prolongar a agonia de sua expectativa.

22
12. Encontraram um fóssil no Vale do Jequitinhonha. Antes de removerem o fóssil para o centro
de arqueologia, submeteram o mesmo ao tratamento indispensável a toda descoberta
importante, fotografaram o fóssil e pediram segurança para poupar o fóssil da ação dos
curiosos.

Evitam-se as viciosas repetições do texto acima substituindo-se os segmentos


sublinhados, respectivamente, por:

(A) o removerem - submeteram-lhe - o fotografaram - poupar-lhe


(B) o removerem - submeteram-no - fotografaram-no - poupá-lo
(C) removerem-no - submeteram-lhe - o fotografaram - o poupar
(D) removerem este - submeteram-lhe - lhe fotografaram - o poupar
(E) lhe removerem - submeteram-no - fotografaram-no - lhe poupar

13. (TRT-2005) Está correta a flexão de todas as formas verbais na frase:

(A) É preciso que eles refrêem seu ódio, caso contrário sobrevirão conflitos ainda mais
graves do que os da semana passada, quando eles não conteram seus impulsos.
(B) Caso os leitores de poesia se detessem mais a cada verso, a cada imagem, haveriam
de se surpreender com os inesperados encantos que aprouve ao poeta cultivar.
(C) O editor-chefe, diante da escandalosa matéria que fora apurada pelo repórter,
interveio imediatamente e reteve todo o material, a fim de se submeter ao
presidente da empresa.
(D) Os prejuízos financeiros que advirem dessa operação desastrada serão
minuciosamente contabilizados, para que, no futuro, se recaírem sobre nós
pesadas acusações, tenhamos como nos defender.
(E) Tudo que nos caber decidir será decidido, mas para isso fazer-se-á necessário obter,
se não a totalidade dos votos, um mínimo de consenso entre os que se disporem
a participar do simpósio.

14. (TRT-2005) Não é possível alterar a voz da forma verbal da frase:

(A) A quantidade dos micreiros já constitui, de fato, uma nação, mais do que uma simples
tribo.
(B) No começo da informatização das redações de jornal, houve um divertido mal-
entendido.
(C) Alguns velhos homens de letras olham com preconceito essa tribo.
(D) A jovem repórter citada no texto tinha abortado uma matéria, e não um filho.
(E) Recriações semânticas são feitas a partir de termos ou expressões já antigos.

15. (TRT-2005) Por maiores que sejam os armamentos nacionais, eles não geram a segurança
militar para nenhum país, nem garantem a manutenção da paz.

Alterando-se os tempos das formas verbais sublinhadas, mantém-se uma adequada


articulação temporal na seguinte seqüência:

(A) fossem - gerariam - garantiriam


(B) venham a ser - geram - garantiriam
(C) tenham sido - gerarão - garantissem
(D) fossem - geraram - garantiriam
(E) venham a ser - tinham gerado - garantido

16. (TRT-2005) As guerras são sempre atrozes, cabe evitar as guerras a qualquer custo, pois
uma vez que alguém desencadeia as guerras, não há como deter as guerras.

23
Evitam-se as viciosas repetições da frase acima substituindo-se os elementos
sublinhados, respectivamente, por:
(A) evitá-las - lhes desencadeia - deter-lhes
(B) evitá-las - as desencadeia - as deter
(C) evitar-lhes - as desencadeia - deter a elas
(D) as evitar - desencadeia-as - lhes deter
(E) evitar a elas - a elas desencadeia - detê-las

17. (TRT-2005) Em cada um dos segmentos abaixo, a substituição da expressão grifada pelo
pronome correspondente está INCORRETA em:

(A) para oferecer trabalho = para oferecê-lo.


(B) evocar a lembrança de outro colega = evocar-lhe a lembrança.
(C) tomaram caminhos paralelos = tomaram-nos.
(D) a ocupar boa parte de minha vida = a ocupar-lhe.
(E) cativava inteligência e paladares = cativava-os.

18. (TRT-2005) ... que parecia suave anjo de voz tranqüila.

O verbo de mesmo tempo e modo em que se encontra o verbo grifado acima está na
frase:

(A) ... em que se amarrava cachorro com lingüiça... .


(B) Só num único e mesmo jornal permaneci mais de vinte anos.
(C) Algumas figuras se tornaram sombras ...
(D) ... morreu nas masmorras do Chile ...
(E) ... que largou o jornalismo ... .

19. (TRT-2005) A substituição dos segmentos grifados nas frases que seguem está feita de
maneira INCORRETA em:

(A) aproveitar recursos da floresta = aproveitá-los.


(B) os índios iauanauás vendem urucum = vendem-no.
(C) o que derrubaria os preços = o que os derrubaria.
(D) usa investimentos em tecnologia = usa-os.
(E) ao atrair mão-de-obra = ao atrair-lhe.

20. (TRT-2005) Os efeitos sobre a indústria teriam sido maiores ...

A forma verbal grifada assinala, considerando-se o contexto.

(A) uma situação possível sob certas condições.


(B) uma dúvida real, a partir de um fato concreto.
(C) a certeza da realização de um fato no passado.
(D) a condição básica de um fato a ocorrer no futuro.
(E) um fato que se repete até o momento presente.

21. (TRF-2001) O emprego e a colocação dos pronomes sublinhados estão corretos em:

(A) É para mim partir o bolo? Farei-o com prazer.


(B) Unam-se agora, e todos lhes seguirão o exemplo.

24
(C) Eles já haviam vingado-se dela uma vez, embora eu lhe houvesse prevenido disso.
(D) Por mais que venha a se esforçar, não consigo os bons resultados de que ele
orgulha-se.
(E) O médico receitou-a um remédio, mas ela não lhe encontrou.

22. (TRT24-2006) O tratamento pronominal adequado varia conforme a natureza da instituição e


do cargo que alguém nela ocupa. Estarão corretos, por exemplo, a forma de tratamento e
a concordância verbal na seguinte frase, dirigida a um senador da República:

(A) Pediríamos que Vossa Excelência vos digneis apreciar a proposta ora encaminhada.
(B) Gostaríamos que Vossa Eminência se dignasse apreciar a presente reivindicação.
(C) Vimos solicitar a Sua Excelência que vos digneis apreciar esta recomendação.
(D) Solicitamos que Vossa Excelência se digne apreciar esta proposta.
(E) Vimos à presença de Sua Eminência para que consideres nossa proposta.

23. (TRT24-2006) ... esse tráfico seja responsável pela retirada de 38 milhões de animais por
ano ...

O uso da forma verbal grifada na frase acima, considerando-se o contexto, indica

(A) uma ação futura.


(B) uma realidade presente e concreta.
(C) uma hipótese provável.
(D) um fato desejado no presente.
(E) uma dúvida sem razão de ser.

24. (TRT24-2006) A forma correta de plural dos substantivos compostos mico-leão-dourado e


ararinha-azul é

(A) micos-leões-dourados e ararinhas-azuis


(B) micos-leão –dourados e ararinhas-azul
(C) micos-leão-dourado e ararinha-azuis
(D) mico-leões-dourados e ararinha-azuis
(E) mico-leão-dourados e ararinhas-azul

25. (TRT24-2006) Pesquisadores que........ na defesa da ararinha-azul que........ difícil impedir a


extinção delas.

A colocação pronominal está correta nas formas

(A) envolveram-se - seria-lhes


(B) se envolveram - seria-lhes
(C) se envolveram - lhes seria
(D) envolveram-se - lhes seria
(E) envolveram-se - ser-lhes-ia

26. (TRT24-2006) A captura ilegal de animais silvestres só é superada pelo tráfico de drogas e
de armas.

Transpondo-se a frase acima para a voz ativa, a forma verbal passa a ser

(A) vai estar sendo superada.


(B) supera.
(C) superaram.

25
(D) está superando.
(E) tinha superado.

27. (TRT24-2006) Atentando-se para a adequada articulação entre os tempos e os modos


verbais, completa-se a frase Caso não fossem necessárias as instituições com o
seguinte segmento:

(A) haverão os homens de tê-las criado?


(B) por que os homens as haverão de criar?
(C) tê-las-íamos criado?
(D) ainda assim as teremos criado?
(E) tê-las-emos criado?

QUESTÕES DE PROVAS DA
ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA-ESAF

1 - (Analista de Finanças e Controle – AFC-STN/2005) Um analista redigiu o seguinte


parágrafo:

Na sociedade limitada, a responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas


quotas, mas todos respondem solidariamente pela integralização do capital social. Acaso
a sociedade contraia dívidas, os sócios só terão responsabilidade pela integralização de
suas próprias quotas.
Ao relê-lo, duvidou do emprego da palavra acaso. Consultou o Dicionário Eletrônico
Houaiss no verbete acaso e encontrou o seguinte:
Advérbio
1 – possivelmente, quiçá, talvez, porventura
Ex.: a . lembra-se da figura da mãe?

Substantivo masculino
2 - ocorrência, acontecimento casual, incerto ou imprevisível; casualidade, eventualidade
Ex.: o a. permitiu que se encontrassem no meio da multidão
3 - caso, fortuito; acidente
Ex.: a prisão do seqüestrador não foi um a

4 – desfecho, favorável ou não de um acontecimento; sucessão de fatos resultantes de


causas independentes da vontade; sorte, destino, fortuna.
Ex.: o a que nos espera

Diante desses fatos, aponte a decisão gramaticalmente correta, quanto ao emprego da


palavra acaso.
a) Eliminar a palavra acaso e iniciar o período assim: Se porventura a sociedade
contrair dívidas...
b) Suprimir a palavra acaso e colocar no lugar a expressão Por acaso
c) Deixar o parágrafo conforme está.

26
d) Reescrever o início do segundo período desta maneira: Caso a eventualidade de a
sociedade contrair dívidas...
e) Em vez de acaso, escrever Se caso.

2 – (AFC-STN/2005) Analise as assertivas acerca de aspectos lingüísticos do texto abaixo e


assinale, a seguir, a opção que relaciona todas as assertivas corretas.

Os administradores de sociedades limitadas podem responder solidariamente perante a


sociedade pelo mal desempenho de suas atribuições. Uma dessas hipóteses é
justamente não comunicar aos demais associados a cessão das cotas por parte de
alguns sócios a terceiros que não dispõe de patrimônio apto a honrar o compromisso.

1. Há erro no emprego do substantivo mal (l.2) adjetivando desempenho; o correto é


empregar o adjetivo mau.

2. O verbo comunicar (l.3) está empregado erradamente, pois exige objeto direto de
pessoa e indireto de coisa: comunicar alguém de/sobre/acerca de alguma
coisa.

3. Em virtude de introduzir oração adjetiva explicativa, deve ser colocada uma vírgula
antes do pronome relativo que, ou seja, após a palavra terceiros (l.4)

4. Há falta de concordância verbal entre o verbo dispõe (l.4) e seu sujeito gramatical.

Todas as assertivas corretas estão na opção:

b) 1, 2 e 4
c) 2e3
d) 2e4
e) 1e4
f) 1, 3 e 4

3 – (Analista MPU-2004) Com relação aos aspectos gramaticais e textuais do trecho abaixo,
assinale a opção correta.

A tragédia de Édipo é o primeiro testemunho que temos das práticas jurídicas gregas.
Como todo mundo sabe, trata-se de uma história em que pessoas – um soberano, um
povo -, ignorando uma certa verdade, conseguem, por uma série de técnicas, descobrir
uma verdade que coloca em questão a própria soberania do soberano. A tragédia de
Édipo é um procedimento de pesquisa da verdade que obedece exatamente às práticas
judiciárias gregas daquela época. (Adaptado de Michel Foucault)

a) Seria mantida a correção gramatical, mas haveria mudança do sentido original


do texto, caso as palavras “certa” (l.3) e própria (l.4) estivessem pospostas ao
substantivo a que estão relacionadas.
b) O segmento “trata-se de uma história em que pessoas” (l.2) estaria igualmente
correto se assim estivesse escrito: trata-se da história de pessoas que.
c) A oração “Como todo mundo sabe” (l.2) poderia ser substituída, sem que se
alterasse o sentido do texto, por Já que é sabido.

27
d) Mantendo-se a correção gramatical, no trecho “conseguem, por uma série
de técnicas” (l.3), o verbo poderia estar flexionado no pretérito, dado que
expressa um fato passado, e no singular, em concordância com a expressão
nominal “um povo” (l.2-3).
e) Seria mantida a correção do período (l.4 a 6) caso a última oração estivesse
assim expressa na voz passiva: que são obedecidas as práticas judiciárias
gregas daquela época.

4 – (Auditor Fiscal da Receita Estadual-AFRE-MG/2005)

O setor público não é feito apenas de filas, atrasos, burocracia, ineficiência e


reclamações. A sétima edição do Prêmio de Gestão Pública, coordenado pelo Ministério
do Planejamento, mostra que o servidor público federal também é capaz de oferecer
serviços com qualidade de primeiro mundo. De 74 instituições públicas inscritas, 13 foram
selecionadas por ter conseguido, ao longo dos anos, implantar e manter práticas e rotinas
de gestão capazes de melhorar de forma crescente seus resultados, tornando-os
referências nacionais. O perfil dos premiados mostra que o que está em questão não é
tamanho, visibilidade ou importância estratégica, mas, sim, a capacidade de fazer com
que as engrenagens da máquina funcionem de forma eficiente, constante e muito bem
controlada. (Ilhas de Excelência. ISTO É, 2/3/2005, com adaptações)

Assinale a opção incorreta a respeito das estruturas lingüísticas do texto.


a) A retirada do advérbio “apenas” (l.1) preserva a correção gramatical do texto,
mas altera as relações significativas entre os argumentos.
b) A supressão do advérbio “também” (l.3) preserva a correção gramatical, mas
retira do texto a idéia pressuposta de que o exercício público oferece serviços
que não são de qualidade.
c) A substituição da forma não flexionada de “ter” (l.5) pelo infinitivo flexionado
correspondente, terem, respeita as regras gramaticais e preserva a coerência
textual.
d) A retirada do pronome do termo “tornando-os” (l.6) preserva a correção
gramatical e a coerência textual, deixando subentendido o objeto de
“referências nacionais” (l.7).
e) Na linha 7, a substituição do primeiro “que” pelo sinal de dois pontos preserva
a correção gramatical e a coerência argumentativa do texto, com a vantagem
de evitar uma repetição de palavras.

5 – (Gestor Fazendário-GEFAZ-MG/2005)

Na Grécia e em Roma, o conceito de cidadania tinha um tom bem diferente do atual. O


cidadão grego, mesmo na áurea época de Péricles, em Atenas, era o nascido de família
cidadã de determinada cidade-estado. Os escravos, os estrangeiros, os “periecos”,
moradores da periferia, não eram cidadãos. Numa cidade-estado, era ínfima a
porcentagem de cidadãos, o que evidencia a presença de uma cidadania oligárquica
nessas cidades. O mesmo pode ser dito de Roma que dividia seu direito entre Jus Civile,
ou direito dos cidadãos, e Jus Genium, o direito das gentes ou daqueles que não eram
cidadãos, que obviamente tinham menos direitos que os primeiros.
(Roberto de Aguiar, com adaptações)

Assinale a opção em que, de acordo com a argumentação do texto, a expressão da


primeira coluna não se refere à da segunda coluna.

28
a) “o que” (l.5) - a ínfima porcentagem de cidadãos em uma cidade-estado.
b) “nessas cidades” (l.6) - cidades-estado da Grécia antiga.
c) “O mesmo” (l.6) – a presença de uma cidadania única.
d) “que” (l.7) - aqueles que não eram cidadãos
e) “os primeiros” (l.8) - cidadãos romanos

6 – (Auditor-Fiscal da Receita Federal – AFRF-2003)

Em relação aos elementos que constituem a coesão do texto abaixo, assinale a opção
correta.

O caráter ético das relações entre o cidadão e o poder está naquilo que limita este último
e, mais que isso, o orienta. Os direitos humanos, em sua primeira versão, como direitos
civis, limitavam a ação do Estado sobre o indivíduo, em especial na qualidade que este
tivesse, de proprietário. Com extensão dos direitos humanos a direitos políticos e
sobretudo sociais, aqueles passam – pelo menos idealmente – a fazer mais do que limitar
o governante: devem orientar sua ação. Os fins de seus atos devem estar direcionados a
um aumento da qualidade de vida, que não se esgota na linguagem dos direitos
humanos, mas tem nela, ao menos, sua condição necessária, a ainda que não suficiente.
(Renato Janine Ribeiro, Fronteiras da Ética)

a) Em “o orienta” (l.2), “o” refere-se a “cidadão” (l.1)


b) Em “este tivesse” (l.3-4), “este” refere-se a “Estado” (l.3)
c) Em “aqueles passam” (l.5), “aqueles” refere-se a “direitos políticos” (l.4)
d) “sua ação” (l.6) e “seus atos” (l.6) remetem ao mesmo referente: “proprietário”
(l.4)
e) “sua condição” (l.8) refere-se a “um aumento na qualidade de vida” (l.7)

7 – (TRF-2002) Assinale a opção que preenche as lacunas do texto de forma coerente e


gramaticalmente correta.
Boa parte do apoio à abertura econômica vinha da expectativa de que os novos capitais
estrangeiros __________ um embalo e __________ ainda mais capitais, ____________
um círculo virtuoso. Passado o momento de transferência de empresas nacionais para
estrangeiros, ________ uma dinâmica que, no devido tempo, _________ as escalas de
produção e tamanho dos mercados também para empresas nacionais, além de ________
novas fontes de financiamento e caminhos para o crescimento econômico, a inovação
tecnológica e a ocupação de mercados mundiais. Mas esse segundo momento ainda não
chegou. (Editorial Folha de São Paulo, 17/2/2002)
a) criavam / atraiam / gerando / surgirá / aumentaria / abriria
b) criariam / atrairiam / gerando / surgiria / aumentaria / abrir
c) criaram / atraíram / gerava / surgiria / aumentaria / abrindo
d) criassem / atraíssem / gerando / surgisse / aumentará / abrirem
e) criarão / atrairão / gerasse / surgisse / aumentará / abrirem

8 – (Analista MPU-2004) Escolha o segmento do texto que não está isento de erros gramaticais
e ortografia, considerando-se a ortodoxia gramatical.
a) Descoberta a conspiração, enquanto os outros não procuravam outra coisa se
não salvar-se, ele revelou a mais heróica força de ânimo, chamando a si toda
a culpa.
b) Antes de alistar-se na tropa paga, vivera da profissão que lhe valera o apelido.

29
c) Não obstante, foi ele talvez o único a demonstrar fé, entusiasmo e coragem na
aventura de 89.
d) A verdade é que Gonzaga, Cláudio Manoel da Costa, Alvarenga eram homens
requintados, letrados, a quem a vida corria fácil, ao passo que o alferes
sempre lutara pela subsistência.
e) Com coragem, serenidade e lucidez, até o fim, enfrentou a pena última.

9 – (Oficial de Chancelaria-MRE-2002) Marque o item sublinhado que corresponda a erro


gramatical ou de grafia ou configure uma incoerência por impropriedade vocabular.

No Brasil, os intelectuais formaram-se e desenvolveram-se à sombra (A) do Estado. São


uma elite que reafirma-se (B) como classe média. Estiveram em evidência como
pensadores do social dos anos 30, como ideólogos (C) do desenvolvimento da década de
60, como atores (D) políticos sob (E) a ditadura. (Baseado em Ana Maria Fernandes)

a) A
b) B
c) C
d) D
e) E

10 – (Oficial de Chancelaria-MRE-2004) Marque o fragmento do texto que contém erro de


morfossintaxe ou ortografia.

a) Hoje, a diplomacia brasileira atualizou seus preceitos e vem enfatizando o


processo de integração regional com o Mercosul e com outros organismos
regionais e financeiros.
b) Vem, outrossim, participando intensamente da discussão de importantes temas
da agenda internacional, que inclui questões como a defesa dos direitos
humanos, a preservação ecológica e a manutenção da paz.
c) Ao mesmo tempo, tem intensificado seus laços com a Comunidade dos Países
de Língua Portuguesa e estruturado-se para atender de forma mais ágil às
necessidades do País e da política externa.
d) Nesse sentido, o Itamaraty aprimorou sua atuação no exterior por meio de 92
Embaixadas, 6 Missões junto a organismos internacionais, 37 Consulados e 14
Vice-Consulados.
e) Administra, ainda, serviços, como os de promoção comercial, assistência
consular, comunicação e difusão da cultura e do idioma do País.

11- (Gestor Fazendário–GEFAZ–MG–2005) Assinale a opção que completa de forma coerente


e gramaticalmente correta o texto abaixo:

Para os acostumados com a “liderança do Estado” no processo de investimento, o


problema das incertezas regulatórias é de vontade política e, portanto, ________ o
empresariado a cumprir seu dever. Isso não funciona mais. O conjunto de atores
__________ processo de investimento obedece a fatores intangíveis, como a confiança e
seu julgamento sobre as reais convicções do governo, _________ muito difíceis de
manobrar. Os efeitos de uma melhoria no marco regulatório, por exemplo, __________
por uma nomeação política numa agência reguladora.
(Gustavo Franco, É preciso acreditar, VEJA, 2 de fevereiro, 2005, com adaptações)

30
a) convocar – envolvido no – tudo – pode ser destruída
b) convocarem – envolvidos em – tudo isso – pode ser destruído
c) convocando – envolvido pelo – todos eles – seriam destruídos
d) de convocarem – envolvidos pelo – todas – seria destruída
e) de convocar – envolvido no – todos – podem ser destruídos

12 – (Gestor Fazendário–GEFAZ–MG–2005) Julgue as afirmações a respeito das estruturas


lingüísticas empregadas no texto como falsas (F) ou verdadeiras (V), para, em seguida,
assinalar a seqüência correta.

Para reduzir a distância do fosso que separa ricos e pobres tanto na capital quanto no
país será preciso anos e anos de crescimento contínuo da economia e um amplo
programa de educação e de geração de empregos nas periferias das grandes cidades.
Se isso não acontecer, a tendência é de as diferenças sociais agravarem ainda mais a
violência que já assola o país. Mas não adianta só crescimento econômico se as taxas de
juros não caírem. É que a riqueza decorre da transferência de renda dos mais pobres,
que pagam juros quando tomam empréstimo ou compram a prazo, para os mais ricos,
que têm dinheiro de sobra para aplicar no mercado financeiro.
(Juro piora desigualdade.Correio Braziliense, 27 de março de 2005, com adaptações)

( ) A substituição de “será preciso” (l. 2) por serão precisos mantém o respeito às


regras de concordância da norma culta e preserva a coerência textual.

( ) A substituição de “acontecer” (l. 4) por acontecesse desrespeita as regras


gramaticais e provoca incoerência textual.

( ) A retirada de “ainda mais” (l. 4) mantém as mesmas relações argumentativas do


texto, mas, para que seja preservada sua correção gramatical, será necessário retirar
também “já” (l. 5).

( ) A substituição de “É que” (l. 6) por Pois preserva as relações argumentativas, a


correção gramatical e a coerência do texto.

A seqüência correta é

a) V, V, F, V
b) F, V, V, F
c) F, F, V, V
d) V, F, F, V
e) F, V, F, F

13 - (Analista de Controle Externo–ACE–TCU–2002) Identifique o segmento inteiramente correto


quanto à ortografia e morfologia.

a) A sensação de que o século XX ainda não acabou dificilmente pôde perdurar


até a ocorrência de um cataclisma como foi a guerra de 14, mesmo porque há
um sentimento catastrófico na vida desta virada de tempo. O excesso de
tecnologia corre no rumo da desesperação.
b) O homem, cada vez mais angustiado, tenta encontrar refrigério nas miragens
do lazer, fazendo do turismo um campo formidável de negócios. A tragédia
ecológica aponta para a escassez de água como primeiro item na lista das
penúrias a que poderá submeter-se o cidadão do futuro.

31
c) A prevalescência do alusivo na dinâmica dos tempos atuais refere a força da
realidade virtual, a que todos se entregam na certeza de sua primazia.
d) O fato do patrimônio gerar empregos e receitas por meio do turismo não
abule o paradoxo de que nativos e visitantes se distanciam do fenômeno
cultural tanto quanto pessoas que, longe daquelas paragens, pouco valor
atribuem a heranças destituídas de familiaridade.
e) As cidades perdem em qualidade estética porque não há, na
descaracterização avassaladora dos espaços urbanos, fontes capazes de
saciar prazeres que há muito deixaram de sê-lo, na acaxapante rotina que
uniformiza os cenários e robotiza o cidadão.
(Ângelo Oswaldo, “A herança do futuro”, com adaptações)

32
GABARITO

EMPREGO DOS PRONOMES (p.7 e 8)

A. EU ou TU / MIM ou TI D: ESTE / ESSE / AQUELE


A mim A esse
B mim B este
C eu C aquele
D mim D neste
E mim - eu E naquele
F eu F esse
G mim - ti G estes
H mim - ti H esses
I eu I este / aquele
J isso

B: CONTIGO / CONSIGO DIMINUTIVO PLURAL (p.13)


A consigo café cafezinhos
B contigo bar barezinhos
C contigo chinês chinesinhos
D contigo lápis lapisinhos
E consigo colher colherezinhas
F consigo chapéu chapeuzinhos
papel papeizinhos
flor florezinhas

C: COM NÓS / CONOSCO


A com nós
B conosco
C com nós
D conosco
E com nós

VOZ ATIVA E PASSIVA (p.19)

a) Sem a minha autorização, a casa não será vendida por ele.


b) Por quem seriam resolvidos esses problemas?
c) Muita coisa é ensinada pela vida.
d) Os presentes resolverão o problema.
e) A secretária tinha feito o relatório.

33
f) Todas as possibilidades de busca serão esgotadas.
g) Os resultados da eleição estavam sendo esperados.
h) Os pais devem orientar as crianças.
i) O especialista estava medicando o doente.
j) As pessoas mais velhas são respeitadas por todos.

QUESTÕES DE PROVAS – FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS – FCC (p.20)

1-D 2-B 3-B 4-C 5-D 6-C 7-D 8-D 9-B 10 - B


11 - E 12 - B 13 - C 14 - B 15 - A 16 - B 17 - D 18 - A 19 - E 20 - A
21 - B 22 - D 23 - C 24 - A 25 - C 26 - B 27 - C

QUESTÕES DE PROVAS - ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO FAZENDÁRIA – ESAF (p.26)

1 - A 2 - E 3 - A 4 - D 5 - C 6 - E 7 - B 8 - A 9 - B 10-C 11-E 12-A 13-B

34