Você está na página 1de 3

Vitaminas e Minerais

Vitaminas e minerais, usados amplamente por atletas e a população em geral, são úteis para
corrigir deficiências especificas que interferem com a máxima performance ( como tiamina,
Vit C, sódio e especialmente Ferro 1,2,3,4,5 ) e podem ser úteis sob certas circunstancias
( por exemplo os grandes requerimentos de sódio, potássio, magnésio e ferro em atletas que
treinam por longos períodos de tempo em temperaturas altas6)

Os processos metabólicos incluindo a produção de energia, são dependentes não só dos


macronutrientes (carbo, proteínas e gorduras) mas também dos micronutrientes. Muitas
vitaminas e minerais agem como coenzimas e cofatores na geração de energia celular. Por
exemplo, funções mitocondriais são comprometidas pela ingestão insuficiente de vitaminas
do complexo B.

Deficiências:

Problemas de saúde resultado de deficiência na ingestão de vitaminas é algo raro hoje em


nosso mundo industrializado embora pequenas deficiências são comuns. Essas deficiências
acontecem por vários motivos, incluindo dietas pobres, desordens alimentares, stress
psicológico e emocional ( incluindo exercício intenso), hábitos não muito saudáveis como
fumar e beber, certas doenças e metabolismo anormal.

Sabe-se que deficiências extremas levam a doenças, e mesmo deficiências mais leves
podem levar a uma falta de bem-estar e fadiga generalizada, resistência imunológica
reduzida, aumento da incidência de várias doenças e performance mental e física
prejudicada.

Certas vitaminas e minerais tem se mostrado importantes para a performance atlética. Por
exemplo um estudo analisou o efeito da suplementação de tiamina fadiga induzida pelo
exercício.
Os autores concluiram que a suplementação de tiamina diminui significativamente o
aumento da glicose no sangue no grupo normal e diminui o número de reclamações logo
após o exercício em um protocolo de avaliação subjetivo. Vitamina B6 é um cofator
essencial necessário para o metabolismo das proteínas e suplemento útil para ser tomado
junto com qualquer suplemento protéico. A dose usual para atletas é de 25 mg diariamente.
Deficiências e performance física:

Em um estudo, deficiências leves de tiamina, riboflavina, B6 e vitamina C resultaram em


performance esportiva diminuída. Um recente estudo observou os efeitos da deficiência de
zinco na performance física e descobriu que baixos níveis de zinco estavam relacionados a
função cardio respiratória e respostas metabólicas prejudicadas durante o exercício.

Assim como tem sido demonstrado que a atividade física não é só afetada por deficiências
leves mas ela também diminui os níveis de alguns micronutrientes. Por exemplo foi
demonstrado que os níveis de riboflavina permanecem estáveis se o individuo não fizer
exercício, mas diminuem se algum tipo de atividade é realizada. Outro estudo mostrou que
os níveis de riboflavina caíam na proporção que a intensidade do exercício subia e que
esses níveis voltavam ao normal depois da ingestão de riboflavina.

Vitamina B6, que tem seus níveis diminuídos depois do exercício, é transformado pelo
corpo em piridoxil-5-fosfato (PLP), a forma ativa da B6 e cofator de mais de 100 reações
incluindo aminotransferases glicogênio fosforilaze.

Estudos têm demonstrado que os níveis de PLP aumentam durante o exercício, o que por
sua vez aumenta sua degradação e excreção. Como um exemplo, foi calculado que
maratonistas perdem em média 1 mg de Vitamina B6 durante uma maratona. Esse valor é é
o mesmo valor que uma pessoa normal deveria ingerir por dia desse nutriente.
Como resultado foi sugerido que pessoas que se exercitam regularmente podem correr o
risco de ter uma deficiência tanto de riboflavina quanto de piridoxina e provavelmente
deveriam suplementar as duas substancias.

Em uma revisão bibliográfica sobre nutrição para crianças praticantes de esportes de alto
nível, os autores recomendaram suplementação de vitaminas e minerais. Eles sentiram que
em relação aos minerais, as perdas através da perspiração estavam associadas a possíveis
deficiências de vitaminas como a B1, B2, B6, B9, B12, C e D.

Prevenindo problemas:
Mas temos mais preocupações alem de simplesmente prevenir deficiências leves. O uso de
alguns suplementos pode na verdade prevenir certas condições e problemas a curto ou
longo prazo.

Por exemplo, um recente estudo descobriu que o uso de 500mg de vitamina C prevenia
síndromes de dores complexas como as que ocorrem em fraturas de punho.

Neste estudo, 416 pacientes adultos com uma ou duas fraturas de punho foram atendidos a
submetidos a receber por 50 dias doses de vitamina C ou placebo. O estudo mostrou que
500mg por dia de vitamina C eram efetivos para prevenir a síndrome que causava dor.

Fechando:

A conclusão é de que todos que praticam exercício deveriam tomar um bom multi-
vitaminico multi mineral para se assegurar que não estão sofrendo de nenhuma deficiência
e como medida preventiva para uma série de doenças.

Fonte: Diario do Culturismo (DC)