Você está na página 1de 26

Prof..

Laercio Filho
Hierarquia das Necessidades de Maslow

• Abraham H. Maslow, psicólogo e


consultor americano, apresentou
uma teoria da motivação segundo
a qual as necessidades humanas
estão dispostas em níveis, numa
hierarquia de importância e
influência. Nessa hierarquia das
necessidades (pirâmide de
Maslow), encontram-se cinco
níveis de necessidades:
Pirâmide de hierarquia das necessidades,
segundo A. Maslow
Hierarquia das Necessidades de Maslow
1. Necessidades Fisiológicas
Alimentação, sono e repouso, de abrigo, desejo sexual, etc.
(sobrevivência do indivíduo / preservação da espécie).

2. Necessidades de Segurança
Proteção, ordem, consciência dos perigos e riscos, senso de
responsabilidade.

3. Necessidades Sociais
Associação, de participação, aceitação por parte dos
companheiros, de troca de amizade, de afeto e amor.

4. Necessidades de Estima
Auto-apreciação, autoconfiança, necessidade de aprovação
social e de respeito, de status, prestígio e consideração.

5. Necessidades de Auto-realização
São as necessidades de cada pessoa realizar o seu próprio
potencial e de autodesenvolver-se continuamente (ser
constantemente mais do que é - vir a ser tudo o que pode ser).
MOTIVOS INTERNOS
• Motivos internos são necessidades, aptidões, interesses, valores e
habilidades da pessoa, que a fazem capaz de realizar certas tarefas
e não outras;

Necessidades
e Frustrações
Aptidões e
Habilidades
Atitudes e
interesses

São os impulsos interiores, de natureza fisiológica e psicológica,


afetados por fatores sociológicos como os grupos ou a comunidade
de que a pessoa faz parte.
MOTIVOS EXTERNOS

Compreender que a motivação está ligada às


necessidades, já que ajuda bastante a
entender a complexa mecânica do
comportamento Humano.
Elaborar uma lista de todas as necessidades
humanas é impraticável já que muitas são
específicas de pessoas e grupos.
Ficar teoricamente com as necessidades no
aspecto mais genérico como o sugerido
por Maslow é restringir.
As empresa devem utilizarem-se do levantamento das necessidades
genéricas e buscarem aprofundar em suas particularidades
pertinentes as pessoas e grupos que as compõem.
Estilos de Administração
• A Teoria Comportamental procurou demonstrar a
variedade de estilos de administração que estão à
disposição do administrador.
• A administração das organizações em geral (e das
empresas em particular) está fortemente
condicionada pelos estilos com que os
administradores dirigem, dentro delas o
comportamento das pessoas.
• Estilos de administração dependem
substancialmente das convicções que os
administradores têm a respeito do comportamento
humano dentro das organizações.
• Essas convicções moldam não apenas a maneira de
conduzir as pessoas, mas também a maneira pela
qual se divide o trabalho, se planejam e se
organizam as atividades.
PRESSUPOSTOS DA TEORIA X
Y
Pressuposições da Teoria X Pressuposições da Teoria Y

•As pessoas são preguiçosas e


indolentes As pessoas são esforçadas e gostam de
• As pessoas evitam o trabalho ter o que fazer
• O trabalho é uma atividade tão
• As pessoas evitam a natural quanto brincar ou descansar
responsabilidade a fim de se
sentirem mais seguras • As pessoas procuram e aceitam
responsabilidades e desafios
• As pessoas precisam ser
• As pessoas podem ser automotivadas
controladas e dirigidas
e autodirigidas
• As pessoas são ingênuas e sem • As pessoas são criativas e
iniciativa competentes
TEORIA DOS DOIS FATORES HERZBERG

Fatores Motivacionais Fatores Higiênicos


( Satisfaciente) (Insatisfaciente)

Conteúdo do Cargo Contexto do Cargo


(Como a pessoa se sente em (Como a pessoa se sente em
relação ao seu cargo) relação à sua empresa)

A – O trabalho em si; Α– As condições de trabalho;


B - Realização ; B – Administração da Empresa;
C – Reconhecimento; C – Salários;
D – Progresso Profissional; D – Relações com supervisor;
E – Responsabilidade. E – Benefícios e serviços sociais.
OR GA NIZ AÇÃO C OM O UM
SI ST EMA S OC IA L C OO PE RATIV O
As organizações são sistemas sociais baseados na cooperação
entre as pessoas. Uma organização somente existe quando
ocorrem três condições:

• (1) interação entre duas ou mais pessoas;


(2) desejo e disposição para a cooperação;
(3) finalidade de alcançar um objetivo comum.
•As pessoas não atuam isoladamente, mas através de
interações com outras pessoas, para poderem alcançar da
melhor maneira os seus objetivos.
A função do líder dentro da organização, é a de criar e
manter um sistema de esforços cooperativos, atividade
essencial para a sobrevivência das instituições.
CICLO MOTIVACIONAL
6 - Satisfação 2 - Estímulo
1 - Equilíbrio

EVOLUÇÃO
DO
CICLO
6 – Insatisfação
Frustração
Agressivo
Insônia
Resistência 5 - Realização 3 - Necessidade
Moral Baixo
4 - Tensão
Conflito entre os Objetivos
Organizacionais e os Individuais
Um dos temas preferidos é o conflito entre os objetivos que as
organizações procuram atingir e os objetivos que
individualmente cada participante pretende alcançar.
A interdependência entre as necessidades do
indivíduo e as da organização é imensa: a
vida e os objetivos de ambos estão
inseparavelmente entrelaçados.
O importante é que o alcance do objetivo de
uma das partes nunca venha a prejudicar ou a
tolher o alcance do objetivo de outra.

Ambas as partes devem contribuir mutuamente para o


alcance de seus respectivos objetivos.
Ninguém sabe com certeza. Um conjunto de
competências que caracterizam os líderes podem
ser aprendidas.
Podemos dizer que todos os grandes
líderes foram bons aprendizes, o
primeiro aprendizado é sobre nós
mesmos – nossos talentos e deficiências,
nossas aptidões, nossos preconceitos.

Aqueles que se transformam em grandes líderes


são participantes entusiastas das mudanças e
aprendem com, seus erros.
O treinamento formal pode ajudar, mas também
aprendemos com outras pessoas e com as
experiências.
É a realização de uma meta por meio da direção
de colabores humanos. ( Drentice, W.H.C.)
A Liderança consiste em líderes que
induzem seguidores a realizar
certos objetivos que representam os
valores e as motivações – desejos e
necessidades, aspirações e
expectativas. ( Phillips, Donald T.)

Liderança é o uso da influência não coerciva para


dirigir as atividades dos membros de um grupo e
levá-los à realização dos objetivos do Grupo.( Jago,
Arthur.)
Habilidades Humanas Refinadas Capacidade de Gerenciar Mudanças

Integridade, autenticidade Competência em Fazer Acontecer

“ Cabeça Estratégica” Velocidade em aprender

Visão de Mundo Coerência

Visão do Todo Postura Cidadã

Atitude Positiva Bom Senso

Ousadia, capacidade de assumir riscos Capacidade de negociar diplomaticamente

Abertura para as possibilidade das novas tecnologias


• O líder inova, o chefe administra.
• O líder desenvolve , o chefe
mantém.
• O líder cria, o chefe imita.
• O líder questiona, o chefe aceita.
• O líder confia nas pessoas, o chefe
depende de controles.
• O líder focaliza as pessoas, o chefe
focaliza o sistema e a estrutura.
• O líder é seu próprio comandante,
o chefe é o clássico bom soldado.
• O líder educa, o chefe treina.
OS DOZE MAIORES ATRIBUTOS DA LIDERANÇA

• Disposição para tentar o que não foi tentado antes;


• Auto motivação;
• Uma percepção aguçada do que é justo;
• Planos definidos;
• Perseverança nas decisões;
• O hábito de fazer mais do que aquilo pelo qual se é pago;
• Uma personalidade positiva;
• Empatia;
• Domínio de detalhes;
• Disposição para assumir plena responsabilidades;
• Duplicação;
• Uma profunda crença em seus princípios.
Persuasão – Compartilhar razões e fundamentos, mantendo
verdadeiro respeito para com as idéias dos outros

Paciência – para com o processo e as pessoas. Mantenha


uma visão a longo prazo.
Cavalheirismo – nada de severidade, inflexibilidade, ou
força ao lidar com as vulnerabilidades, revelações e
experiências que os seguidores podem expressar.
Aprendizado – partir do pressuposto que ninguém
possui todas as respostas, nem você mesmo.
Aceitação – abster-se de fazer julgamentos, concedendo o
benefício da dúvida, não exigindo provas ou desempenhos
fora de propósitos.
Gentileza – sensível, bondoso, atencioso, lembrando-se das
pequenas coisas ( que são grandes coisas) nos relacionamentos.
Abertura – Possibilitando a comunicação de mão dupla, nos
variados assuntos.
Confronto passivo – reconhecendo erros, enganos e a
necessidade dos seguidores fazerem “ correção de curso”.
Consciência – de modo a que seu estilo de liderança não seja
uma técnica de manipulação que você coloca em ação quando
não consegue as coisas do seus jeito.
Idoneidade – harmonizar honestamente as palavras, os
sentimentos e as ações, sem qualquer outro desejo, a não ser o
bem dos outros, sem malícia, intuito de enganar, revendo
suas intenções á medida em que luta pela coerência.
EMPREENDEDORISMO E EMPREENDEDOR -
OS CONCEITOS

Empreendedorismo é a habilidade de
criar e constituir algo a partir de
muito pouco ou do quase nada.
Fundamentalmente, o empreender é um
ato criativo.
É o possuir de competências para descobrir e
controlar recursos aplicando-os da forma produtiva.

O empreendedorismo é tido como um


comportamento ou um processo para iniciar
e desenvolver um negócio ou um conjunto de
atividades com resultados positivos,
portanto, é a criação de valor através do
desenvolvimento de uma organização.
CARACTERÍSTICAS FREQÜENTEMENTE ENCONTRADAS EM
EMPREENDEDORES
Sexton & Bowman (1984)
Energético, Dominante, Menos estimulante, Socialmente habilidoso,
Interesses variados, Menos responsável, Autônomo, elevada auto-
estima, Baixa conformidade, Baixo associativismo, Menos participativo,
Menos amparador, Baixa tolerância.

Hornaday & Aboud (1971)


Menor necessidade de apoio social Maior necessidade de
independência
Welsh & White (1983)
Sentimento de urgência; Baixa necessidade para status;
Auto-confiante; Conscientização e atenção abrangentes;
Objetivo.
Miller(1963)
Ambicioso; Robusto (física, mental e moralmente);
vitalidade controlada; Corajoso; Otimista;
Inteligente; Articulado; Integro.
A IMPORTÂNCIA DO DESENVOLVIMENTO DA
CULTURA EMPREENDEDORA
A importância dos pequenos empreendimentos como gerador do
desenvolvimento econômico face a sua habilidade para inovar,
diversificar e criar novos empregos.

a educação para o empreendedorismo está se


tornando um componente importante na
integração dos programas acadêmicos de
universidades e escolas, com nítida tendência a
expansão propelida pelas forças sócio-
econômicas.
A criação de empregos e oportunidades de trabalho através
do empreendedorismo está atual e mundialmente bastante
pesquisada e documentada.
Historicamente o realizador é aquele que toma a inovação e
cria a equipe para aproveita-la socialmente.
Iverson e Little discorrem em relação aos
atributos de personalidade dos
empreendedores bem sucedidos:

       Paciente e perseverante.

       Econômico e habilidoso em gerenciar


dinheiro.

       Flexível.

       Trabalha duramente.


Birley e Whesthead.

Necessidade de aprovação: é a necessidade que todos os


indivíduos possuem de conquistar uma alta posição na sociedade,
ser respeitado pelos amigos, aumentar o status e o prestígio da
família, conquistar algo e ser reconhecido por isto

Necessidade de independência: é a necessidade de autonomia,


de tomar iniciativa, de organizar, enfim, de poder gerenciar sua
própria vida levando em conta suas próprias aspirações.

Necessidade de desenvolvimento pessoal: relaciona-se com


a tendência que cada um possui de procurar desenvolver,
testar e aperfeiçoar suas capacidades.
Birley e Whesthead.

Necessidade de segurança: são as necessidades que o indivíduo


possue de proteger-se contra os perigos reais e imaginários, físicos
ou psicológicos. Em outras palavras, é a necessidade de auto-
preservação.

Necessidade de auto-realização: é a necessidade que as pessoas


possuem de maximizar seu próprio potencial; de fazerem aquilo
que são capazes.

O novo empreendimento irá por a prova as suas capacidades.


O seu dia de trabalho, será um constante desafio e, portanto,
uma grande oportunidade para sentir que é triunfador cada
vez que supera um obstáculo.
•Empreender é
transformar Escritórios de
Contabilidade em
EMPRESAS
DE
“ SERVIÇOS CONTÁBIL”
•E-mail: lsmarques@uol.com.br

Prof.. Laercio Filho OBRIGADO