Você está na página 1de 35

SISTEMA URINÁRIO

• Definição: constitui nos órgãos


responsáveis pela formação e
eliminação da urina rim
• Função:
– Homeostase ,Regulação hidroeletro
– estimula formação de sangue
– regula pressão arterial
ureter
• Composição: rins
ureteres bexiga
bexiga
uretra uretra
SISTEMA URINÁRIO
• Conceitos
1. Urina é formada pelo excesso de líquido e sais minerais
que ao ser eliminado contribuem para a homeostase
2. Homeostase consiste no equilíbrio interno constante da
concentração de substância como a água, sódio, potássio,
cálcio, hidrogênio e resíduos de metabolismo como uréia e
creatinina. A homeostase é mantida por vários sistemas e
órgãos
a. Sistema digestório - fornece os nutrientes e elimina
resíduos
b. Sistema respiratório - fornece O2 e elimina CO2 e água
c. Pele - elimina suor com água e sais e amônia e uréia
Excreção dos Produtos de Degradação
• principal órgão excretor do corpo : Substancias
metabólicas( URÉIA, CREATININA, SULFATOS,
FOSFATOS, àcido úrico);
• Regulação da Excreção de Eletrólitos: A regulação
da quantidade de sódio excretada depende da
aldosterona ( 99% de Na+ e água filtrados são
reabsorvidos)
• Excreção de Potassio : 98% do K+ está no LIC
Os rins excretam mais de 90% K+ ingeridos por dia
Pela ação da Aldosterona.
Clearance Renal
• Refere-se à capacidade dos rins de depurar os
solutos do plasma.

• O clearance da creatinina é uma excelente medida


da função renal; à medida que a função renal
diminui, o clearance da creatinina diminui.
• Valores de referência creatinina sérica: 0,40 – 1,30
mg/dl.
SISTEMA URINÁRIO
• Desenvolvimento embrionário
Os rins se desenvolvem a partir de coluna de células
da mesoderme intermediária. Formam-se 3 pares de
rins. Pronefro (degenera), mesonefro (degenera) e
metanefro (forma os rins)

fig 21-2 pg 575 ABH Spence


SISTEMA URINÁRIO
• RIM- é um órgão par, retroperitoneal, localizado ao lado da
coluna e sobre o músculo psoas; tem a forma de feijão de
coloração marrom-avermelhada; mede aproximadamente
12 a 13 cm de comprimento, 5cm de largura e 3cm de
espessura, pesa 130g a 150g

gordura
pararenal
peritoneo
cápsula
fibrosa cápsula
adiposa
m.psoas
SISTEMA URINÁRIO
Estende-se da L1 até L4
 Pedículo renal: veia, artéria e ureter
• face- anterior
posterior
• borda- medial- côncava
lateral - convexa
• extremidade- superior
(polo) inferior
• camada- cápsula fibrosa do rim
cápsula adiposa
fáscia renal
gordura pararenal
SISTEMA URINÁRIO
• fig 2,87 pg 191 Anatomia Keith Moore
SISTEMA URINÁRIO
• fig 2,86 pg 190 Keith Moore
• 2,88 B pg 192 Keith Moore
SISTEMA URINÁRIO
• Estrutura interna- córtex renal
medula renal-pirâmide renal-18
ápice da pirâmide-papila renal
colunas renais
cálice renal menor
cálice renal maior
pelve renal
SISTEMA URINÁRIO
• Microscopia
A unidade funcional
do rim é o néfron,
formador de urina.
Cada néfron é
formado por duas
partes: glomérulo
e túbulo
SISTEMA URINÁRIO

fig 21-6 pg 578 ABH Spence


SISTEMA URINÁRIO
• VASOS SANGÜÍNEOS

IN AR IN AR
AF LO TE AO
ER BU R
QU LO TER RE T . RT
EN EA BA NA A
LA DA R L
TE R
GLOMÉRULO CA
AR PE PIL V. V. V. V. V.
EF TE RI A R LO IN AR L I
O NT RE IN CA
E R RI TU BU TER Q
UE BA ER NA F VA
EN OL BU LA
LA AD R L
TE A R
R A
SISTEMA URINÁRIO
• URETER
Estrutura túbulo-muscular, medindo cerca de 25
cm. Conecta o rim com a bexiga
Relações anatômicas
- situa-se posteriormente aos vasos renais
- anteriormente ao músculo psoas e artéria ilíaca comum
na pelve
- direito faz relação com a 2a porção do duodeno, cruza
com a raiz do mesentério e vasos gonadais
- esquerdo faz relação com os vasos gonadais e sigmóide
SISTEMA URINÁRIO
• Porções abdominal e pélvica
• Estreitamentos
- junção com a pelve renal
- quando cruza a abertura da
pelve fig 181 pg 127 Atlas anatomia H
- no trajeto pela parede da WOLF volume II
bexiga
 Estrutura
- camada interna - mucosa
- camada média - muscular
- camada externa - fibrosa
SISTEMA URINÁRIO
• BEXIGA
É um órgão muscular oco, de forma variável,
localiza-se na pelve quando vazia e no
abdome quando cheia. Pode conter 600 a
800 ml
Partes 4 faces: 1 anterior
2 ínfero-laterais
1 posterior (fundo ou base)
SISTEMA URINÁRIO
Relação anatômica
- superior intestino delgado, sigmóide e útero
- inferior vesículas seminais e ductos deferentes
SISTEMA URINÁRIO
Fixação
- ligamento puboprostático medial/ pubovesical
- ligamento puboprostático lateral/ pubovesical lateral
- ligamento lateral/ retouterino
3 remanescentes fetais:
- umbilical mediano (úraco)
- umbilicais laterais (artéria umbilical obliterada)
Macroscopia
Quando vazia apresenta pregas longitudinais, coloração
amarelo-pálida
trígono vesical formado pela uretra e ureteres, mucosa lisa e
plana
SISTEMA URINÁRIO

Estrutura
- mucosa epitélio de
transição
fig 197 pg 135 Atlas de
- submucosa não existe Anatomia Humana
na região do trígono Wolf volume II
- muscular detrusor da
bexiga
- serosa
SISTEMA URINÁRIO
• Mecanismo da micção
1. Bexiga cheia ativa reflexo espinhal que determina a
contração da musculatura das paredes da bexiga,
resultando em micção
2. Impulsos do encéfalo podem facilitar ou inibir o reflexo de
esvaziamento da bexiga; com treinamento, pode ocorrer sob
controle voluntário
 Fluxo de urina
Cápsula de Bowman → túbulo contorcido proximal → segmento
reto do túbulo proximal (descendente da alça de Henle) →
alça de Henle ou alça longa → alça reta do túbulo distal
(ascendente) → túbulo contorcido distal → ductos coletores
→ pirâmides renais → cálices menores
SISTEMA URINÁRIO
URETRA
É um tubo fibromuscular que serve de passagem da
urina da bexiga para o exterior. No homem serve
também como passagem para o sêmen
Masculina
Mede cerca de 20 cm. Tem 3 partes:
- prostática - 3 cm é a mais dilatada, atravessa a
próstata
- membranácea 1 a 2 cm (+ curta, estreita, rompe
fácil) atravessa o diafragma urogenital
- esponjosa atravessa o pênis
SISTEMA URINÁRIO
Masculina
Estrutura
-mucosa espessura variada,
óstios de pequenas
glândulas uretrais
fig 199 pg 137
-muscular (liso e esquelético)
atlas de anatomia humana
Wolf volume II
SISTEMA URINÁRIO
Feminina
Mede cerca de 4 cm, é
distensível. Está entre os
pequenos lábios, na fig 222 pg 151
frente da vagina, abaixo atlas de anatomia
do clitóris humana WOLF vol II
Estrutura
-mucosa (óstios de
pequenas glândulas
uretrais)
-muscular (não tem na
parte inferior da uretra)
SISTEMA URINÁRIO
DESEQUILÍBRIOS HIDROELETROLÍTICOS
NOS DISTÚRBIOS RENAIS

• Os pacientes com distúrbios renais comumente


vivenciam desequilíbrios hidroeletrolíticos e
necessitam de avaliação experiente e monitorização
intensiva quanto aos sinais de problemas
potenciais.

• O indicador mais exalo da perda ou ganho de


líquidos em um paciente agudamente doente e o
peso. O peso diário exalo deve ser obtido e
registrado. Um ganho de peso de l kg é igual a 1.000
ml de líquidos retidos.
Retenção Urinária
• A retenção urinária é a incapacidade de esvaziar por
completo a bexiga durante as tentativas para urinar.

• A retenção urinária pode resultar do diabetes,


hipertrofia da próstata, patologia uretral (infecção,
tumor, cálculo), trauma (lesões pélvicas), gestação
ou distúrbios neurológicos (acidente vascular
cerebral, lesão raquimedular, esclerose múltipla).
Histórico e Achados Diagnósticos
• As seguintes perguntas servem como um guia no
histórico:
• Quais foram o horário e o volume da última micção?
• O paciente está eliminando pequenas quantidades
de urina com frequência?
• O paciente exibe gotejamento de urina?
• O paciente queixa-se de dor ou desconforto na parte
inferior do abdome? (O desconforto pode ser
relativamente brando, quando a bexiga se distende
lentamente.)
• Existe uma protuberância arredondada na pelve (o
que poderia indicar a retenção e uma bexiga
distendida)?

• Existe macicez à percussão da região suprapúbica


(possivelmente indicando a retenção e uma bexiga
distendida)?

• Existem outros indicadores de retenção urinária,


como a agitação e a inquietação?
Incontinência Urinária
• É a perda involuntária ou descontrolada da urina a
partir da bexiga.

• TIPOS DE INCONTINENCIA :

• A incontinência por estresse é a perda involuntária


de urina através de uma uretra íntegra em
consequência de um súbito aumento na pressão
intra-abdominal (espirro, tosse ou mudança de
posição).
• por urgência é uma perda involuntária da urina
associada à urgência. O paciente tem consciência da
necessidade de urinar, mas é incapaz de chegar ao
banheiro a tempo

• Incontinência reflexa é a perda de urina devido à


hiper-reflexia ou relaxamento uretral involuntário na
ausência de sensações normais geral-mente
associadas à micção.

• Ã incontinência por fluxo excessivo é uma perda


involuntária de urina associada à distensão
excessiva da bexiga
Infecção do Trato Urinário Superior:
Pielonefrite Crônica

• Os sinais e sintomas perceptíveis podem incluir


fadiga, cefaléia, apetite deficiente, sede excessiva e
perda de peso .
Glomerulonefrite Aguda
• Na maioria dos casos de glomerulonefrite aguda,
existe uma história de uma infecção estreptocócica
beta-hemolítica do grupo A da orofaringe que
precede o início da glomerulonefrite em 2 a 3
semanas
• Glomerulonefrite Aguda

• Antígeno estreptococo beta-hemolítico
• Produto antígeno-anticorpo
• Deposição do complexo antígeno anticorpo
• Produção aumentada de cels epiteliais que
revestem o glomérulo
• Leucocitos infiltram-se no glomerulo
• Taxa de filtração diminuida
Síndrome Nefrótica
• É uma doença glomerular primária caracterizada
pelo seguinte:
• Aumento acentuado na proteína na urina
(proteinúria)
• Diminuição na albumina no sangue
(hipoalbuminemia)
• Edema
• Elevação das lipoproteínas de baixa densidade e do
colesterol (hiperlipidemia
FISIOPATOLOGIA
• Membrana capilar glomerular lesionada
• Perda de Proteina plasmática ( albumina)
• Hipoalbuminemia
• Pressão oncótica diminuida
• Edema generalizado
• Ativação do Sistema Renina-Angiotensina
• Retenção de Sódio
• EDEMA