Você está na página 1de 13

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS

FACULDADE DE TECNOLOGIA
MATERIAIS COMPÓSITOS – FTM 112

Compósito a base de resina poliéster


reforçado com fibra de malva para
avaliação de propriedades mecânicas
Max Arlan Garcia Oliveira - 21552425
Objetivo
Gerais:
 Produzir um material compósito a base de resina poliéster e fibras de
malva dispostas de forma contínua e alinhadas, com diferentes teores
de fibra com e sem tratamento superficial.
Objetivos Específicos:
 Verificar propriedades mecânicas de flexão e tração para diferentes
teores de fibrosos
 Comparar os resultados obtidos com as fibras sem tratamento e com
tratamento superficial

2
Justificativa
O presente estudo tem por justificativa principal, analisar o
comportamento de compósitos poliméricos reforçados com fibras
naturais de malva, para substituição de matérias primas não renováveis e
também para substituir compósitos de custo mais elevados. [2]
Quanto ao ponto de vista:
 Ambiental
 Científico
 Econômico

3
Revisão Bibliográfica
 Fibras Vegetais:
Os principais componentes das fibras lignocelulósicas são: celulose (40-
50%), hemicelulose (20-30%), lignina (20-28%). [4]

Figura 1: Constituição de uma fibra


vegetal elementar. Fonte: [2]
4
Revisão Bibliográfica
Fibra de Malva:
 Malvaceae (Urena Lobata Linn).
 Acelerado crescimento em clima quente e úmido com períodos
alternados de sol e chuva como ocorre nas regiões dos estados do Pará
e Amazonas. [3]

Figura 2: Comercialização de fibra de


malva. Fonte [2]
Figura 3: Utilização de fibra de malva em
sacarias para café. Fonte [2]
5
Revisão Bibliográfica
Fibra de Malva:

Figura 4: Tabela de características físicas e mecânicas da Malva e demais fibras. Entre elas módulo de resistência a tração
(σT), módulo de elasticidade (E), deformação à ruptura (εT) e massa específica (P). Fonte: [3]

6
Revisão Bibliográfica
Tratamento Superficial em Fibras Vegetais:
 Quebra das ligações de hidrogênio que unem as cadeias de celulose;
 Superfície mais rugosa;
 Exposição de grupos polares presentes na superfície das fibras. Estes
dois fatores auxiliam no ancoramento mecânico e químico das fibras
com a matriz polimérica;
 Maior influência nas polioses (hemicelulose) e lignina.

7
Revisão Bibliográfica
Matrizes Poliméricas:

Termoplásticos Termorrígidos

• Recicláveis mecanicamente • Não recicláveis mecanicamente


• Tempo ilimitado de armazenamento • Tempo limitado de armazenamento
• Alta viscosidade quando fundido • Baixa viscosidade durante
• Baixa resistência à fluência processamento
• Apresenta Tg e Tm • Alta resistência a fluência
• Baixa estabilidade térmica e • Alta resistência térmica e
dimensional dimensional

Tabela1: Comparação das propriedades entre termoplásticos e termorrígidos. Fonte:[4]

8
Revisão Bibliográfica
Resina Poliéster
 As resinas de poliéster são uma família de polímeros formados da
reação de ácidos orgânicos dicarboxílicos (anidro maleico ou ftálico) e
glicóis, que, quando reagidos, dão origem a moléculas de cadeias
longas lineares. [1]
Características Limitações
• Amplamente utilizada • Emissão de estireno
• Fácil uso • Contração durante cura
• Cura a temperatura • Inflamável
ambiente
Tabela 02: características e limitações da resina poliéster. Fonte: [2]

9
Metodologia
Materiais Utilizados:
Fase Reforço: Ensaios Mecânicos:
 Fibra de Malva – Lamac  Máquina Universal de Ensaios,
(Laboratório de Materiais da AME–5KN , Oswaldo Filizola,
Amazônia e Compósitos). Universidade Federal do
Amazonas.
Fase Matriz:
 Resina Poliéster Insaturada Microscopia Óptica:
(Polynt Composites Brazil  Microscópio Bel Photonics,
Ltda.) - Hidrautintas Fibra de Universidade Federal do
Vidro; Amazonas.
 Catalizador - Peroxido de
metil etil de cetona –
Hidrautintas Fibra de Vidro.
10
Metodologia
Obtenção das fibras de
Malva

Fibras in natura Tratamento superficial com


NaOh em fibras de Malva

Secagem em estufa a Secagem em estufa a


100°C por 1 h 100°C por 2 h

Produção dos compósitos


por moldagem

Ensaio de Ensaio de Microscopias Resultados


Flexão Tração
Fluxograma: Metodologia para produção dos compósitos e seus respectivos ensaios. Fonte: autor 11
Metodologia
Tratamento superficial das fibras Produção dos corpos de prova:
de malva:  Produção de 5 corpos de prova
 Distribuição da fibra de malva sem teor de fibra; [2]
com NaOh em 5% de solução;  50, 60 e 70% de teor de fibra
[4] tratadas e não tratadas,
 Após 3 h lavagem da fibra com produzindo 5 corpos de prova para
água destilada e levar para cada teor de fibra para ensaio de
secagem em estufa a 100°C por flexão [ASTM D790], e também
2 h; [4] corpos de prova para ensaio de
tração [ASTM D638]; [2]
Resina Poliéster Insaturada:
 Produção da resina poliéster  Total de 50 corpos de prova;
insaturada com 1% em peso de
catalisador. [4]

12
Referências
[1] ANDRÉA GRAF PEDROSO. Desenvolvimento de um processo de manufatura
de placas de compósitos de poliéster insaturado/fibras de vidro pós-consumo
e resina de poliéster insaturado. Tese de Doutorado. Instituto de Química.
Universidade Estadual de Campinas. Campinas – SP. Agosto de 2002.
[2] JEAN IGOR MARGEM. Estudo das características estruturais e propriedades
de compósitos poliméricos reforçados com fibras de malva. Tese de Doutorado.
Centro de Ciência e Tecnologia. Universidade Estadual do Norte Fluminense.
Campos dos Goyatacazes – RJ. Novembro de 2013.
[3] JULIANA dos SANTOS CARNEIRO da CUNHA. Estudo de Compósitos
Poliuretânicos Reforçados com Fibras de Malva. Programa de Pós-Graduação
em Ciência e Engenharia de Materiais. Dissertação de Mestrado. Faculdade de
Tecnologia. Universidade Federal do Amazonas. Manaus – AM. 2017.
[4]RAFAELA SOUZA DE OLIVEIRA. Estudo do comportamento mecânico de
compósitos reforçados com fibra vegetal de malva (Urena Lobata L.). Trabalho
de Conclusão de Curso. Campus Marabá. Universidade Federal do Pará. Marabá –
PA. 2013.
13