Você está na página 1de 11

HENRI WALLON

BIOGRAFIA

• HENRI PAUL HYACINTHE WALLON NASCEU EM 15 DE JUNHO DE 1879, EM PARIS, FILHO DE


PAUL ALEXANDRE JOSEPH E NETO DE HENRI-ALEXANDRE WALLON. TORNOU-SE BEM
CONHECIDO POR SEU TRABALHO CIENTÍFICO SOBRE PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO,
DEVOTADO PRINCIPALMENTE À INFÂNCIA, EM QUE ASSUME UMA POSTURA
NOTADAMENTE INTERACIONISTA.

• HENRI WALLON FALECEU NO DIA 1.º DE DEZEMBRO DE 1962, TAMBÉM EM PARIS, AOS 83
ANOS.
VIDA ACADÊMICA

• EM 1899, É ADMITIDO NA ESCOLA DE NORMAL SUPERIOR. AO LONGO DE SUA VIDA, FOI SEMPRE

MUITO EXPLÍCITA A SUA APROXIMAÇÃO COM A EDUCAÇÃO;

• AOS 23 ANOS, EM 1902 FORMOU-SE EM FILOSOFIA E EM 1908, FORMOU-SE EM MEDICINA;

• DE 1908 A 1931 TRABALHOU COM CRIANÇAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA MENTAL;

• TEVE SEU PRIMEIRO TRABALHO, DÉLIRE DE PERSECUTION PUBLICADO EM 1909;

• EM 1914 SERVIU DURANTE MESES COMO MÉDICO NO EXÉRCITO FRANCÊS, NA FRENTE DE COMBATE.

O CONTATO COM AS LESÕES CEREBRAIS SOFRIDAS POR EX-COMBATENTES FEZ COM QUE REVISASSE

OS POSTULADOS NEUROLÓGICOS QUE HAVIA DESENVOLVIDO NO ATENDIMENTO A CRIANÇAS COM

DEFICIÊNCIA.
• EM 1920, PASSOU A LECIONAR NA SORBONNE, UNIVERSIDADE DE PARIS. ENTRE 1920 E 1937, FOI
ENCARREGADO DE CONFERÊNCIAS SOBRE A PSICOLOGIA DA CRIANÇA NA UNIVERSIDADE DE
SORBONNE E EM OUTRAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR.

• PUBLICOU SUA TESE DE DOUTORADO INTITULADA L'ENFANT TURBULENT (“A CRIANÇA


TURBULENTA”) EM 1925, INICIANDO UM PERÍODO DE INTENSA PRODUÇÃO LITERÁRIA NA ÁREA DE
PSICOLOGIA DA CRIANÇA.

• EM 1927, WALLON FOI NOMEADO DIRETOR DE ESTUDOS DA ÉCOLE PRATIQUE DES HAUTES ETUDES
(ESCOLA PRÁTICA DE ESTUDOS AVANÇADOS) E CRIOU O LABORATÓRIO DE PSICOBIOLOGIA
PEDIÁTRICA NO CENTRO NACIONAL DE PESQUISA CIENTÍFICA. ATÉ 1931 EXERCEU A FUNÇÃO DE
MÉDICO DE INSTITUIÇÕES PSIQUIÁTRICAS, ENQUANTO CONSOLIDAVA PARALELAMENTE SEU
INTERESSE PELA PSICOLOGIA DA CRIANÇA.

• WALLON ATUOU COMO PROFESSOR DO COLLÈGE DE FRANCE, NO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA DA


INFÂNCIA E EDUCAÇÃO, NO PERÍODO QUE VAI DE 1937 A 1949. EM 1945 PUBLICA SEU ÚLTIMO LIVRO,
LES ORIGINES DE LA PENSÉE CHEZ L'ENFANT (“AS ORIGENS DO PENSAMENTO NA CRIANÇA”).
POSIÇÕES TEÓRICAS

• A OBRA DE HENRI WALLON É PERPASSADA PELA IDEIA DE QUE O PROCESSO DE


APRENDIZAGEM É DIALÉTICO: NÃO É ADEQUADO POSTULAR VERDADES ABSOLUTAS,
MAS, SIM, REVITALIZAR DIREÇÕES E POSSIBILIDADES.

• UMA DAS CONSEQUÊNCIAS DESTA POSTURA É A CRÍTICA ÀS CONCEPÇÕES


REDUCIONISTAS: WALLON PROPÕE O ESTUDO DA PESSOA COMPLETA, TANTO EM
RELAÇÃO A SEU CARÁTER COGNITIVO QUANTO AO CARÁTER AFETIVO E MOTOR.
PARA WALLON, A COGNIÇÃO É IMPORTANTE, MAS NÃO MAIS IMPORTANTE QUE A
AFETIVIDADE OU A MOTRICIDADE.
A INFLUÊNCIA DO FATOR ORGÂNICO E A ÊNFASE NO FATOR SOCIAL

• WALLON RECONHECE QUE O FATOR ORGÂNICO É A PRIMEIRA CONDIÇÃO PARA O


DESENVOLVIMENTO DO PENSAMENTO; RESSALTA, PORÉM, A IMPORTÂNCIA DAS
INFLUÊNCIAS DO MEIO. O HOMEM, PARA WALLON, SERIA O RESULTADO DE INFLUÊNCIAS
SOCIAIS E FISIOLÓGICAS, DE MODO QUE O ESTUDO DO PSIQUISMO NÃO PODE
DESCONSIDERAR NEM UM NEM OUTRO ASPECTO DO DESENVOLVIMENTO HUMANO. POR
OUTRO LADO, PARA WALLON AS POTENCIALIDADES PSICOLÓGICAS DEPENDEM
ESPECIALMENTE DO CONTEXTO SÓCIO-CULTURAL. O DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA
NERVOSO, ENTÃO, NÃO SERIA SUFICIENTE PARA O PLENO DESENVOLVIMENTO DAS
HABILIDADES COGNITIVAS.
ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO
• ESTÁGIO IMPULSIVO-EMOCIONAL:

• DEVEMOS LEMBRAR QUE WALLON NUNCA ESPECIFICOU IDADES LIMITES, ELE ACREDITAVA NUM

DESENVOLVIMENTO DIALÉTICO E INTERACIONISTA, MAS PODEMOS ESTIPULAR UM TEMPO COMUM AS

CRIANÇAS - O QUE NORMALMENTE OCORRE EM FAIXA ETÁRIA. O ESTÁGIO IMPULSIVO-EMOCIONAL VAI DO

NASCIMENTO ATÉ APROXIMADAMENTE O PRIMEIRO ANO DE VIDA, É UM ESTÁGIO PREDOMINANTEMENTE

AFETIVO, ONDE A CRIANÇA ESTÁ IMERSA NO MUNDO E NÃO CONSEGUE SE DISTINGUIR DELE.

• NESSE ESTÁGIO A CRIANÇA NÃO POSSUI COORDENAÇÃO MOTORA MUITO BEM DESENVOLVIDA, OS

MOVIMENTOS SÃO BEM DESORIENTADOS. ENTRETANTO, LOGO O AMBIENTE FACILITA PARA QUE A MESMA

DESENVOLVA SUAS HABILIDADES FUNCIONAIS, PASSANDO DA DESORDEM GESTUAL ÀS EMOÇÕES

DIFERENCIADAS.
• ESTÁGIO SENSÓRIO-MOTOR E PROJETIVO:

• DOS TRÊS MESES DE IDADE ATÉ APROXIMADAMENTE O TERCEIRO ANO DE VIDA, A


CRIANÇA PASSA PELO ESTÁGIO SENSÓRIO-MOTOR E PROJETIVO. É UMA FASE ONDE A
INTELIGÊNCIA PREDOMINA E O MUNDO EXTERNO PREVALECE NOS FENÔMENOS
COGNITIVOS. A INTELIGÊNCIA, NESSE PERÍODO, É TRADICIONALMENTE PARTICIONADA
ENTRE INTELIGÊNCIA PRÁTICA, OBTIDA PELA INTERAÇÃO DE OBJETOS COM O PRÓPRIO
CORPO, E INTELIGÊNCIA DISCURSIVA, ADQUIRIDA PELA IMITAÇÃO E APROPRIAÇÃO DA
LINGUAGEM. OS PENSAMENTOS, NESSE ESTÁGIO, MUITO COMUMENTE SE PROJETAM EM
ATOS MOTORES.
• ESTÁGIO DO PERSONALISMO:

• O ESTÁGIO DO PERSONALISMO É MARCADO PELA FORMAÇÃO DOS ASPECTOS PESSOAIS


DA CRIANÇA, OU SEJA, DA SUA PERSONALIDADE E DA AUTOCONSCIÊNCIA. INDO DOS TRÊS
AOS SEIS ANOS DE IDADE (APROXIMADAMENTE), A CRIANÇA TENDE A APRESENTAR A
'CRISE NEGATIVISTA': A CRIANÇA ACABA POR SE OPOR SISTEMATICAMENTE AO ADULTO.
• ESTÁGIO CATEGORIAL:

• AQUI TEMOS UM PERÍODO ONDE HÁ EXALTAÇÃO DA INTELIGÊNCIA SOBRE AS EMOÇÕES.


SEGUNDO WALLON, A CRIANÇA DESENVOLVE SUAS CAPACIDADES DE MEMÓRIA E
ATENÇÃO VOLUNTÁRIA E "SELETIVA", NESTE ESTÁGIO A CRIANÇA COMEÇA A ABSTRAIR
CONCEITOS CONCRETOS E COMEÇA O PROCESSO DE CATEGORIZAÇÃO MENTAL ONDE A
CRIANÇA TEM UM SALTO EM SEU DESENVOLVIMENTO HUMANO.
• ESTÁGIO DA ADOLESCÊNCIA:

• INICIA-SE POR VOLTA DOS ONZE OU DOZE ANOS DE IDADE, A CRIANÇA COMEÇA PASSAR PELAS
TRANSFORMAÇÕES DE FÍSICAS E PSICOLÓGICAS POR CONTA DA SUPEREXCITARÃO DE SEU SISTEMA
ENDÓCRINO - QUE AGORA PASSA POR UMA NOVA FASE. SE NO ESTÁGIO IMPULSIVO-EMOCIONAL A
CRIANÇA ERA REGIDA POR EMOÇÕES DESORIENTADAS, AQUI O ADOLESCENTE PASSA A DESENVOLVER
SUA AFETIVAMENTE DE FORMA MAIS AMPLA DA QUAL A BUSCA DA AUTOAFIRMAÇÃO E
DESENVOLVIMENTO SEXUAL MARCAM ESSE ESTÁGIO. OS CONFLITOS INTERNOS E EXTERNOS SE
FAZEM PRESENTES NESSE MOMENTO.

• AQUI CABE UMA LEMBRANÇA, WALLON NUNCA ESPECIFICOU UM ESTÁGIO FINAL PORQUE NUNCA
ACREDITOU NO MESMO. PARA ELE, O PROCESSO DE APRENDIZAGEM SEMPRE IMPLICA NA PASSAGEM
POR UM NOVO ESTÁGIO. SE APRENDEMOS, ENTÃO SIGNIFICA QUE NOS ADAPTAMOS E ESSE PROCESSO
DIALÉTICO JAMAIS SE ENCERRA.