Você está na página 1de 22

Pós LAB

TESTE DE SOLUBILIDADE
Prof: Francile Oliveira
Alunos: Daniel Melo, Gerson Santos, Wellington Júnior
INTRODUÇÃO

O experimento explorou o comportamento de solutos e solventes em


diversas soluções químicas, mostrando suas fases e diferenciando as
misturas homogêneas das heterogêneas através da sua solubilidade.
FLUXOGRAMA
FLUXOGRAMA
RESULTADOS

Peso de um porção
para o tubo 4
Peso com duas porções
T -1 T -2 T -3 T -4 T -5
Peso de um porção
para o tubo 7
T -5 T -6 T -7
Peso de um porção
para o tubo 9
T -6 T -7 T -8 T -9
DISCUSSÃO
• ÁGUA DESTILADA

Na etapa 1, analisando a solubilidade na água destilada podemos notar


alguns resultados esperados, o etanol por ser uma substancia polar foi
facilmente solúvel na água por essa também conter propriedades
polares.
Já o hexano e o óleo vegetal não conseguiram os mesmos resultados,
devido às suas características apolares.
Por fim, o NaCl por ser um composto iônico também teve sucesso em se
dissolver na água.
DISCUSSÃO
• ETANOL

Na etapa 2, analisando a solubilidade no etanol podemos notar alguns resultados,


o etanol é uma subtância particular, na qual ele consegue manter interações tanto
numa substância apolar quanto uma substância polar.
Isso ocorre pelo fato de sua molécula ser anfipática, possuindo uma parte apolar
(ligações carbono-hidrogênio) e uma extremidade polar (presença de oxigênio-
hidrogênio), devido a isso o hexano consegue se dissolver no etanol, no caso do
óleo vegetal a interação do etanol não é tão eficiente, como observado na imagem
o óleo desce, isso ocorre a sua devido sua densidade ser maior do que a do etanol,
com o NaCl o etanol é um solvente que tem uma polaridade bem menor que a
água, por isso que o cloreto de sódio é pouco soluto neste solvente.
DISCUSSÃO
• HEXANO
Na etapa 3, analisando a solubilidade no Hexano podemos notar alguns
resultados, o hexano é uma substância hidrofóbica e que só consegue
ser dissolvida em solventes específicos por isso não houve a
solubilidade em oleo.

Já o NaCl ao ser adicionado a um solvente apolar a interação de


dispersão de London do solvente não é suficientemente forte para
desestabilizar a rede cristalina apresentada pelo sal e a dissolução não
ocorre.
AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS
1-
OBJETIVO
• O experimento teve como objetivo principal observar o
comportamento da solubilidade de solutos e solventes, o
experimento teve seu objetivo alcançado, através das analises feitas e
com embasamentos teóricos conseguimos distinguir diferentes
comportamentos para cada soluto em um determinado solvente,
alguns com afinidade e facilidade em se dissolver, enquanto outros
com dificuldades para tal interação.
REFERÊNCIAS
• VIANNA, José Francisco; PIRES, Dario Xavier; VIANA, Luiz Henrique. Processo químico industrial de extração
de óleo vegetal: um experimento de química geral. 1999. 6 f. - Curso de Quimica, Universidade Federal de
Mato Grosso do Sul, Campina Grande, 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?
script=sci_arttext&pid=S0100-40421999000500021. Acesso em: 30 mar. 2021.
• FOGAÇA, Jennifer Rocha Vargas. Solubilidade dos Compostos Orgânicos. Disponível em:
https://mundoeducacao.uol.com.br/quimica/solubilidade-dos-compostos-organicos.htm. Acesso em: 30
mar. 2021.