Você está na página 1de 41

MANUAL DE OPERAÇÕES

NOME COMERCIAL : AUTOCLAVE HORIZONTAL COMPACTA DE MESA SERCON MODELO COMERCIAL : AHMC (vide opções na Tabela)

Fabricado e Distribuído por:

SERCON Indústria e Comércio de Aparelhos Médicos Hospitalares Ltda.

Rua Tenente Onofre Rodrigues Aguiar nº 1201 – Vila Industrial – Mogi das Cruzes - SP

CEP: 08770 – 040

CNPJ: 59.233.783/0001-04 Indústria Brasileira

Serviço de Atendimento ao Cliente: Fone (11) 2149-1733

Conteúdo: 1 unidade Autoclave de Mesa Sercon

(vide opções de modelo).

   

Dimensões

 

Modelo

Capacidade

Externas

Potência

AHMC-1

4

litros

240x280x350

660

W

AHMC-2

6

litros

240x280x350

800

W

AHMC-3

12

litros

309x419x480

1200

W

AHMC-5

21

litros

545x432x430

1600

W

AHMC-6

25

litros

543x432x500

1600

W

AHMC-9

36

litros

543x433x525

2200W

AHMC-10

42

litros

543x433x725

2200

W

AHMC-13

54

litros

601x433x910

4400

W

AHMC-14

56

litros

543x483x925

4400

W

AHMC-19

100 litros

1050x595x725

6000

W

Pressão Máxima de Trabalho: 2,2 kg/cm2 Temperatura Máxima de Trabalho: 134º C Voltagem: 110 Volts/220 Volts Freqüência : 50/60 Hz Composição : Aço Carbono, Aço Inoxidável, Liga de Alumínio, Cobre, Bronze, Polímeros Plásticos, e Componentes Eletrônicos e mecânicos. Acompanha Manual de Operação. Equipamento Médico-Hospitalar – Não Estéril

Validade Indeterminada

N.º de Série: Vide etiqueta indelével no equipamento

Armazenar em local fresco e seco. Cuidado - Frágil - Não Empilhar. Leia o Manual de Operação antes de instalar e operar o equipamento. Advertências e Precauções: Vide Manual de Operações.

Responsável Técnico: Renzo Loris Filippi CREA - SP: 5060361951

Número de Registro ANVISA N.º:

1. INTRODUÇÃO

VOCÊ ACABA DE DAR UM PASSO MUITO IMPORTANTE PARA A SUA SEGURANÇA E A DOS SEUS PACIENTES. A AUTOCLAVAGEM É O PONTO DE PARTIDA PARA QUALQUER PROCESSO SÉRIO DE ESTERILIZAÇÃO DE INSTRUMENTOS E MATERIAIS MÉDICOS OU ODONTOLÓGICOS.

É PRECISO SEMPRE REPETIR QUE CONSULTÓRIOS SÃO AMBIENTES DE RISCO, EM MAIOR OU MENOR GRAU, DEPENDENDO DE SUA ESPECIALIDADE.

OUTRO PASSO ACERTADO FOI A ESCOLHA DA MARCA SERCON. QUE DETÉM A MELHOR TECNOLOGIA, QUALIDADE E SEGURANÇA, SOB ESTE ASPECTO, VOCÊ ACABA DE ADQUIRIR UM EQUIPAMENTO DE PRIMEIRA LINHA, VISANDO PORTANTO, OBTER RESULTADOS OTIMIZADOS E LIVRES DE PROBLEMAS.

AS PRINCIPAIS VANTAGENS DAS AUTOCLAVES SERCON SÃO: A RAPIDEZ DE SEUS CICLOS, A SUA SEGURANÇA, A SUA PRECISÃO E A FACILIDADE DE OPERAÇÃO.

AS AUTOCLAVES COMPACTAS DE MESA SÃO EQUIPAMENTOS PROJETADOS PARA ESTERILIZAR INSTRUMENTOS E MATERIAIS MÉDICO-CIRURGICOS, EM CLINICAS MÉDICAS, CONSULTÓRIOS ODONTOLÓGICOS, PRONTOS-SOCORROS, LABORATÓRIOS, ETC.

AS AUTOCLAVES SÃO ESTERILIZADORES POR MEIO DE VAPOR SATURADO UMIDO COMO AGENTE ESTERILIZANTE.

ESTE MANUAL PROPÕE-SE A FORNECER AO USUÁRIO UMA COMPREENSÃO GERAL SOBRE O FUNCIONAMENTO DA AUTOCLAVE, A INDICAÇÃO DAS MELHORES MANEIRAS DE OPERÁ-LA, E AINDA, OS CUIDADOS QUE DEVEM SER TOMADOS PARA SUA CONSERVAÇÃO, SUA SEGURANÇA E A GARANTIA DO PRODUTO.

APÓS LER ESTE MANUAL, OPERAR A AUTOCLAVE SERÁ UMA TAREFA FÁCIL., ENTRETANTO, POR SE TRATAR DE UM EQUIPAMENTO CONSTRUÍDO COM COMPONENTES DE ALTA TECNOLOGIA, ONDE PARA O PERFEITO FUNCIONAMENTO DESTE PRODUTO PROCURE SEMPRE A ASSISTÊNCIA TÉCNICA AUTORIZADA SERCON, PARA O ESCLARECIMENTO DE QUALQUER DUVIDA OU MANUTENÇÃO CORRETIVA NECESSÁRIA EM SEU EQUIPAMENTO.

SEMPRE DESCONECTE O PLUG DA TOMADA ANTES DE UM SERVIÇO DE MANUTENÇÃO, OU CONSERVAÇÃO. QUANDO O EQUIPAMENTO FICAR MUITO TEMPO FORA DE USO, RETIRE TODA A ÁGUA DO RESERVATÓRIO E TAMBÉM TODO O MATERIAL NELE CONTIDO, SEQUE O APARELHO POR DENTRO E POR FORA, E SE POSSÍVEL CUBRA-O.

TABELA COMPARATIVA DAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

FO

TO

Modelo

Cap

aclit

Dimensões

Kg

Cabos

secçãom

Am

p.

Bomba

Vácuo

Comando*

Tabela de

Tipo

Porta e

Con

sum

Resev.

Água

Potên

Externas

 

m2

A

Ciclos

Trava

o

Destil.**

cia

 

ros

 

KWh

1

AHMC-

4

240x280x350

15

2,5 (220V)

15

Não

5.1

Frontal

1,2

2l/

660

W

1

1,5 ( 110V)

8

7.3

Maçaneta

200ml

 

1

AHMC-

6

240x280x350

15

2,5 (220V)

15

Não

5.1

Frontal

1,2

2l/

800

W

2

1,5 ( 110V)

8

7.3

Maçaneta

250ml

 

1

AHMC-

12

309x419x480

19

2,5 (220V)

15

Não

5.1

Frontal

1,2

3,5l/

1200

W

3

19

1,5 ( 110V)

8

7.3

Maçaneta

1,2

250ml

 

2

AHMC-

21

545x432x430

70

2,5 (220V)

15

Não/Sim

5.2

Frontal

2,0

3,5l/

1600

W

5

1,5 ( 110V)

8

7.1/7.2

Giratória

1l

 

2

AHMC-

25

543x432x500

70

2,5 (220V)

15

Não/Sim

5.2

Frontal

2,0

3,5l/1l

1600

W

6

1,5 ( 110V)

8

7.1/7.2

Giratória

 

2

AHMC-

36

543x433x525

70

2,5 (220V)

15

Não/Sim

5.2

Frontal

2,0

3,5l/ 1,5l

2200W

9

1,5 ( 110V)

8

7.1/7.2

Giratória

2/3

AHMC-

42

543x433x725

70

4

(220V)

15A

Não/Sim

5.2/5.3

Frontal

2,0

3,5l/ 1,5 l

2200

W

10

2

( 110V)

7.1/ 7.2 / 7.3

Girat/Volant

 

3

AHMC-

54

601x433x910

100

4

(220V)

15

Não/Sim

5.2/5.3

Frontal

3,0

12

4400

W

13

2

( 110V)

8

7.1/ 7.2 / 7.3

Volante

 

3

AHMC-

56

543x483x925

100

4

(220V)

15

Não/Sim

5.2/5.3

Frontal

3,0

12

4400

W

14

2

( 110V)

8

7.1/ 7.2 / 7.3

Volante

 

3

AHMC-

100

1050x595x72

200

4

(220V)

15

Não/Sim

5.2/5.3

Frontal

4,0

16

6000

W

19

5

2 ( 110V))

8

7.1/ 7.2 / 7.3

Volante

Pressão Máx. Trabalho:

Voltagem: 110 Volts/220 Volts

2,2 kg/cm2

Temperatura Máx. de Trabalho: 134º C Freqüência : 50/60 Hz

* Respectivamente o item deste manual de operações ** Reservatório Extra / Reservatório na Câmara

FOTO 1 - MODELO PORTA FRONTAL COM TRAVA MAÇANETA

manual de operações ** Reservatório Extra / Reservatório na Câmara FOTO 1 - MODELO PORTA FRONTAL
manual de operações ** Reservatório Extra / Reservatório na Câmara FOTO 1 - MODELO PORTA FRONTAL

FOTO 2 - MODELO PORTA FRONTAL COM TRAVA GIRATÓRIA

FOTO 2 - MODELO PORTA FRONTAL COM TRAVA GIRATÓRIA FOTO 3 - MODELO PORTA FRONTAL COM
FOTO 2 - MODELO PORTA FRONTAL COM TRAVA GIRATÓRIA FOTO 3 - MODELO PORTA FRONTAL COM

FOTO 3 - MODELO PORTA FRONTAL COM TRAVA VOLANTE

FOTO 2 - MODELO PORTA FRONTAL COM TRAVA GIRATÓRIA FOTO 3 - MODELO PORTA FRONTAL COM
FOTO 2 - MODELO PORTA FRONTAL COM TRAVA GIRATÓRIA FOTO 3 - MODELO PORTA FRONTAL COM

2. INSPEÇÃO INICIAL AO RECEBIMENTO

VOCÊ RECEBEU O EQUIPAMENTO A CONTENTO CONFORME NOSSA INSTRUÇÃO ANEXA A NOTA FISCAL, OBSERVE A MANEIRA COMO O EQUIPAMENTO FOI EMBALADO E GUARDE A EMBALAGEM ATÉ QUE A UNIDADE SEJA INSPECIONADA. INSPEÇÃO FÍSICA SIGNIFICA PROCURAR SINAIS DE DANOS, TAIS COMO, SUPERFÍCIE DO PAINEL ARRANHADA, BOTÕES QUEBRADOS, ETC. SE O DANO É APARENTE, REGISTRE UMA RECLAMAÇÃO COM O TRANSPORTADOR E O FABRICANTE ATRAVÉS DE SEU REPRESENTANTE OU O RESPONSÁVEL PELO PRODUTO ATÉ O MOMENTO DA ENTREGA.

GARANTIMOS QUE O PRODUTO FOI CUIDADOSAMENTE INSPECIONADO ANTES DO SEU DESPACHO.

3. INSTALAÇÃO

3.1 LOCAL DE INSTALAÇÃO

ANTES DE INSTALAR SUA AUTOCLAVE, VERIFIQUE SE AS CONDIÇÕES DA REDE ELÉTRICA EXISTENTE NO LOCAL, TAIS COMO VOLTAGEM, CAPACIDADE PARA A POTÊNCIA, ESPAÇO FÍSICO, ESTÃO CONFORME AS ESPECIFICAÇÕES DA ROTULAGEM.

UTILIZE FIAÇÃO E DISJUNTOR EXCLUSIVO PARA O EQUIPAMENTO.

ATERRAMENTO: UTILIZE HASTE DE ATERRAMENTO EXCLUSIVA COM RESISTÊNCIA DE TERRA INFERIOR A 10 (NUNCA UTILIZE O NEUTRO DE SUA REDE ELÉTRICA COMO ATERRAMENTO).

UTILIZE O NEUTRO DE SUA REDE ELÉTRICA COMO ATERRAMENTO). Chave Geral Fio terra Dreno Rede FOTO:

Chave Geral

Fio terra
Fio terra

Dreno

Rede
Rede
COMO ATERRAMENTO). Chave Geral Fio terra Dreno Rede FOTO: TRASEIRA (MODELOS COM TRAVA ALAVANCA) Fio terra

FOTO: TRASEIRA (MODELOS COM TRAVA ALAVANCA)

terra Dreno Rede FOTO: TRASEIRA (MODELOS COM TRAVA ALAVANCA) Fio terra Chave Geral Rede FOTO: TRASEIRA
Fio terra
Fio terra

Chave Geral

TRASEIRA (MODELOS COM TRAVA ALAVANCA) Fio terra Chave Geral Rede FOTO: TRASEIRA (MODELOS COM TRAVA GIRATÓRIA
Rede
Rede

FOTO: TRASEIRA (MODELOS COM TRAVA GIRATÓRIA E VOLANTE)

A AUTOCLAVE DEVE SER INSTALADA EM LOCAL BEM VENTILADO, SOBRE UM

MÓVEL DE FORTE ESTRUTURA, OBEDECENDO A UMA DISTÂNCIA MÍNIMA DE 15

cm DE PAREDES E OBJETOS QUE POSSAM OBSTRUIR A SUA VENTILAÇÃO,

ALEM DE LOCAIS ABRIGADOS DE RAIOS SOLARES, CHUVA OU EQUIPAMENTOS QUE IRRADIEM MAGNETISMO (MICROONDAS, ANTENAS DE RADIO OU CELULAR, TELEVISORES, ETC.)

A EMPRESA NÃO SE RESPONSABILIZA POR QUALQUER INCIDENTE NO CASO

DO NÃO ATERRAMENTO CORRETO DO EQUIPAMENTO.

A BASE ONDE SERÁ APOIADO O EQUIPAMENTO NÃO PODE SER DE MATERIAL

INFLAMÁVEL.

A TOMADA UTILIZADA PARA A ALIMENTAÇÃO DO EQUIPAMENTO DEVERÁ SER

EXCLUSIVA, SEM EXTENSÕES OU BENJAMINS (TEE’S).

NÃO DEIXE EXPOSTO AO SOL.

NÃO DEIXE EXPOSTO À UMIDADE.

NÃO PODE SOFRER QUEDAS.

NÃO DEIXE EXPOSTO À ENERGIA ELETROMAGNÉTICA.

NÃO DEIXE EXPOSTO A ANTENAS EMISSORAS DE ONDAS DE RÁDIO, CELULAR

OU TV.

EXECUTE O ATERRAMENTO.

3.2 NIVELAMENTO DO EQUIPAMENTO

O EQUIPAMENTO JÁ SAI DE FÁBRICA COM A INCLINAÇÃO AJUSTADA E DEVE SER INSTALADO EM BASE NIVELADA. CASO NECESSITE NIVELAR O EQUIPAMENTO PARA QUE A ÁGUA ESCOE TOTALMENTE PARA O DRENO TRASEIRO, EXECUTE POR MEIO DOS PÉS NIVELANTES. A INCLINAÇÃO ADEQUADA É DE 3 GRAUS, ONDE A FRENTE DO EQUIPAMENTO FIQUE MAIS ALTA QUE A TRASEIRA.

4. DESCRIÇÃO DO EQUIPAMENTO

ESTE É UM EQUIPAMENTO QUE TRABALHA COM PRESSÃO, ENERGIA ELÉTRICA, VAPOR E OUTROS, PORTANTO NÃO PERMITA O MANUSEIO POR PESSOAS SEM O CONHECIMENTO NA INTEGRA DAS INSTRUÇÕES CONTIDAS NESTE MANUAL.

4.1 ABASTECIMENTO DE ÁGUA

4.1.1. MODELO COM RESERVATÓRIO

SOMENTE ABASTEÇA O SEU EQUIPAMENTO COM A PORTA ABERTA. UTILIZE SEMPRE ÁGUA DESTILADA.

COM A PORTA ABERTA. UTILIZE SEMPRE ÁGUA DESTILADA. FOTO: ABERTURA DA TAMPA FOTO: INTERIOR DO RESERVATÓRIO

FOTO: ABERTURA DA TAMPA

UTILIZE SEMPRE ÁGUA DESTILADA. FOTO: ABERTURA DA TAMPA FOTO: INTERIOR DO RESERVATÓRIO DURANTE O CICLO É

FOTO: INTERIOR DO RESERVATÓRIO

DURANTE O CICLO É NORMAL QUE A ÁGUA BAIXE SEU NÍVEL DE FORMA CONSIDERÁVEL, SENDO QUE APÓS O CICLO, RETORNARÁ AO RESERVATÓRIO VERIFIQUE E REABASTEÇA O RESERVATÓRIO ANTES DE PARTIR OUTRO CICLO. O RESERVATÓRIO DEVE TER CERCA DE ¾ DO SEU VOLUME COM ÁGUA DESTILADA ANTES DO INÍCIO DE CADA CICLO.

4.1.2 – MODELO SEM RESERVATÓRIO

ABASTEÇA A CÂMARA COM 250 ML. DE ÁGUA, ONDE NO FINAL DO CICLO SERÁ DESCARTADA.

250 ML. DE ÁGUA, ONDE NO FINAL DO CICLO SERÁ DESCARTADA. FOTO: INTERIOR DA CÂMARA 4.2

FOTO: INTERIOR DA CÂMARA

4.2 SISTEMA DE FECHAMENTO DA PORTA

SE NÃO FOR OBEDECIDO O PERFEITO FECHAMENTO DA PORTA, HAVERÁ VAZAMENTO DE ÁGUA QUENTE OU VAPOR, CAUSANDO QUEIMADURAS GRAVES AS PESSOAS QUE ENTRAREM EM CONTATO FÍSICO DIRETO COM ESTAS SUBSTÂNCIAS.

SENSOR DA PORTA

INSTALADO ATRÁS O PAINEL FRONTAL, O SENSOR AUXILIA NA SEGURANÇA DO EQUIPAMENTO, PREVININDO POSSÍVEIS FALHAS NO MANUSEIO E NO FECHAMENTO DA PORTA.

4.2.1 PORTA COM TRAVA MAÇANETA

O SISTEMA DE FECHAMENTO É OBTIDO COM UMA MAÇANETA QUE FICA EMBUTIDA NO PAINEL FRONTAL DO EQUIPAMENTO.

QUANDO O EQUIPAMENTO ESTIVER FECHADO, A MAÇANETA ESTARÁ EMBUTIDA NO PAINEL. PARA DESTRAVAR A PORTA, LEVANTE A MAÇANETA E LEVE-A PARA A DIREITA ATÉ O FINAL DO CURSO. ISTO DESTRAVARÁ A PORTA. PARA ABRIR, PUXE A MAÇANETA PARA TRÁS, E A PORTA SE ABRIRÁ.

PARA FECHAR, PRESSIONE A PORTA CONTRA O GABINETE, E PUXE A MAÇANETA PARA A ESQUERDA, E PRESSIONE-A PARA BAIXO PARA ENCAIXAR NO LOCAL E FICAR EMBUTIDA.

PARA BAIXO PARA ENCAIXAR NO LOCAL E FICAR EMBUTIDA. FOTO: TRAVA FECHADA VISTA FRONTAL FOTO: TRAVA

FOTO: TRAVA FECHADA VISTA FRONTAL

PARA BAIXO PARA ENCAIXAR NO LOCAL E FICAR EMBUTIDA. FOTO: TRAVA FECHADA VISTA FRONTAL FOTO: TRAVA

FOTO: TRAVA ABERTA VISTA FRONTAL

FOTO: TRAVA ABERTA VISTA LATERAL 4.2.2 PORTA COM TRAVA GIRATÓRIA O SISTEMA DE FECHAMENTO É

FOTO: TRAVA ABERTA VISTA LATERAL

4.2.2 PORTA COM TRAVA GIRATÓRIA

O SISTEMA DE FECHAMENTO É OBTIDO COM DOIS BOTÕES GIRATÓRIOS, UM

INTERNO E OUTRO EXTERNO.

O BOTÃO GIRATÓRIO INTERNO EFETUA O TRAVAMENTO DA PORTA, E DEVERÁ

TER SEU EIXO INDICADOR ALINHADO COM A LETRA A “ ABERTO” OU A LETRA F “ FECHADO” INDICADO NO PAINEL DA CÂMARA.

O BOTÃO GIRATÓRIO EXTERNO EFETUA A VEDAÇÃO HERMÉTICA DA PORTA, E

DEVERÁ SER APERTADO NO SENTIDO HORÁRIO, OU DESAPERTADO NO

SENTIDO ANTI-HORÁRIO.

PARA TRAVAR A PORTA, GIRE O BOTÃO INTERNO DA TRAVA ATÉ ALINHAR COM

A LETRA F – FECHADO. DESTA FORMA A TRAVA DE DENTRO DA PORTA SERÁ

POSICIONADA NO RECEPTOR DA TRAVA NO CORPO DO EQUIPAMENTO.

PARA VEDAR A PORTA, GIRE O BOTÃO EXTERNO NO SENTIDO HORÁRIO ATÉ VEDAR (NÃO É PRECISO UTILIZAR-SE DE FORÇA, GIRE SOMENTE ATÉ SENTIR UMA LEVE PRESSÃO).

CASO A POSIÇÃO DA TRAVA ESTIVER NA POSIÇÃO INCORRETA, SERÁ ACIONADO UM ALARME, AVISANDO QUE A PORTA NÃO ESTA FECHADA CORRETAMENTE (ALARME 0). HÁ UM SENSOR DE TRAVAMENTO QUE É ACIONADO INTERNAMENTE PELA TRAVA SOMENTE SE ESTAR ESTIVER NA POSIÇÃO CORRETA E SEGURA

FOTO: TRAVA GIRATÓRIA 4.2.3 PORTA COM TRAVA VOLANTE A TRAVA VOLANTE É UM CONJUNTO DE

FOTO: TRAVA GIRATÓRIA

4.2.3 PORTA COM TRAVA VOLANTE

A TRAVA VOLANTE É UM CONJUNTO DE HASTES INTERLIGADAS A UM EIXO, QUE SE ENCAIXAM EM FENDAS NO CORPO DA CÂMARA, ONDE UMA ROSCA SEM FIM PRESSIONA AS HASTES CONTRA A CÂMARA, EFETUANDO O FECHAMENTO. PARA

SE FECHAR A PORTA DO EQUIPAMENTO DEVE-SE ENCOSTAR A TAMPA NA FLANGE, E EM SEGUIDA PROCEDER O GIRO DO VOLANTE CENTRAL NO SENTIDO HORÁRIO, ATÉ SE OBTER FIRMEZA NO GIRO E O PERFEITO FECHAMENTO DAS HASTES DE APOIO.

FIRMEZA NO GIRO E O PERFEITO FECHAMENTO DAS HASTES DE APOIO. FOTO: TRAVA VOLANTE 5. PAINEL

FOTO: TRAVA VOLANTE

5. PAINEL DE COMANDO

OS DIFERENTES MODELOS PODEM APRESENTAR OS SEGUINTES TIPOS DE PAINEL DE COMANDO. O TIPO DE PAINEL É DECORRENTE DO SISTEMA DE CONTROLE DE CICLO, QUE PODEM UTILIZAR DIFERENTES CONTROLADORES LÓGICOS PROGRAMÁVEIS OU CONTROLADORES ELETROMECÂNICOS.

Características Técnicas Gerais do Microcontrolador:

Entrada de alimentação em 115/220 VAC 50/60 Hz e consumo máximo de 3VA. Fonte de alimentação linear regulada em +5 VDC e -5 VDC protegida por fusível.

Entrada para sensor de temperatura tipo PT 100. Entrada para medição de pressão 0 a 2,5 Kgf/cm 2 (MPX 2200) Quatro saídas de potência (triacs) galvanicamente isoladas por acoplamento óptico. Duas teclas para operação <P> Partida , <S> Seleção. Display Digital em 04 dígitos ou 2 linhas x 16 colunas alfanumérico Dispositivo de Áudio (alarme sonoro). Entrada digital para micro switch (sensor de porta). CPU motorola modelo 6809P.

32

KB de Memória EPROM 27C256.

32

KB de Memória RAM 62256 com Backup.

Conversor Analógico digital de 10 Bits. Microcontrolador Microship 18F452 com 32 kb de memória flash.

Características Técnicas Gerais do Controlador Eletromecânico:

Entrada de alimentação em 115/220 VAC 50/60 Hz e consumo máximo de 2VA. Entrada para sensor de temperatura tipo PT 100. Entrada para micro switch (sensor de porta). Potenciômetro para ajuste de parâmetros. Temporizadores eletrônicos.

5.1 Painel de comando display alfanumérico de cristal líquido 2 linhas x 16 colunas Tipo I

ESTES MODELOS COM PAINEL DE COMANDO EM FORMA DE DISPLAY POSSUEM AS SEGUINTES CARACTERÍSTICAS:

1- DISPLAY : MOSTRADOR DE CRISTAL LÍQUIDO QUE FORNECE MENSAGENS TEMPERATURA, CICLOS EM OPERAÇÃO, ALARMES.

2- TECLA SELEÇÃO (S):

MATERIAL À SER ESTERILIZADO

SELECIONA O CICLO

DESEJADO DE ACORDO COM O

3- TECLA PARTIDA (P):

SELEÇÃO

DÁ INICIO AO CICLO PRÉ PROGRAMADO PELA TECLA

4- MANÔMETRO : INDICADOR DE PRESSÃO SEM FUNÇÃO DE CONTROLE DO CICLO.

5- LUZ INDICADORA DO AQUECIMENTO: QUANDO ACESA, INDICA QUANDO O CICLO ESTIVER NA FASE DE AQUECIMENTO.

6- LUZ INDICADORA DA ESTERILIZAÇÃO: QUANDO ACESA, INDICA QUANDO O CICLO ESTIVER NA FASE DE ESTERILIZAÇÃO.

7- LUZ INDICADORA DA SECAGEM: QUANDO ACESA, INDICA QUANDO O CICLO ESTIVER NA FASE DE SECAGEM.

6 7 2 5 3 1 4
6
7
2
5
3
1
4

FOTO: PAINEL DE COMANDO

5.2 Painel de comando display 4 dígitos de cristal líquido Tipo II

OS MODELOS COM PAINEL DE COMANDO EM FORMA DE DISPLAY POSSUEM AS SEGUINTES CARACTERÍSTICAS:

1- DISPLAY : MOSTRADOR DE CRISTAL LÍQUIDO QUE FORNECE MENSAGENS DE PRESSÃO, TEMPERATURA, CICLOS EM OPERAÇÃO, ALARMES.

2- TECLA SELEÇÃO (S):

MATERIAL À SER ESTERILIZADO

SELECIONA O CICLO

DESEJADO DE ACORDO COM O

3- TECLA PARTIDA (P):

SELEÇÃO

DÁ INICIO AO CICLO PRÉ PROGRAMADO PELA TECLA

1 3 2
1
3
2

FOTO: PAINEL DE COMANDO

5.3 PAINEL DE COMANDO ELETROMECÂNICO

O PAINEL

CARACTERÍSTICAS:

DE

COMANDO

ELETROMECÂNICO

POSSUE

AS

SEGUINTES

1- BOTÃO PARA TEMPO DE ESTERILIZAÇÃO: POSSIBILITA OS AJUSTES DOS

TEMPOS DE ESTERILIZAÇÃO CONFORME A NECESSIDADE DOS MATERIAIS

CARREGADOS. VARIANDO DE 6 A 60 MINUTOS.

2-

BOTÃO PARA TEMPO DE SECAGEM: POSSIBILITA OS AJUSTES DOS TEMPOS

DE

SECAGEM APÓS A ESTERILIZAÇÃO CONFORME A NECESSIDADE DOS

MATERIAIS CARREGADOS. VARIANDO DE 3 A 30 MINUTOS.

3- SELETOR E MOSTRADOR DE TEMPERATURA: SELECIONA A TEMPERATURA

PARA A ESTERILIZAÇÃO CONFORME A NECESSIDADE DOS MATERIAIS CARREGADOS. VARIANDO DE 127 A 134 GRAUS CÉLSIUS.

4-

LUZ INDICADORA DE FINAL DE CICLO : ACENDE QUANDO O CICLO TERMINA.

5-

INTERRUPTOR GERAL: LIGA E DESLIGA O EQUIPAMENTO.

1 2 3 4 5
1
2
3
4
5

FOTO: PAINEL DE COMANDO

6. OPERAÇÃO

ANTES DE QUALQUER OPERAÇÃO: VERIFIQUE SE O APARELHO ESTÁ CONECTADO NA TOMADA ELÉTRICA COMPATÍVEL.

VERIFIQUE O NÍVEL DA ÁGUA DO RESERVATÓRIO, DEVENDO ESTAR A ¾ DO VOLUME TOTAL OU ABASTEÇA A CÂMARA COM 250 ML DE ÁGUA (CONFORME MODELO), SEMPRE USANDO ÁGUA DESTILADA.

EMBALAGEM: EMBALE OS MATERIAIS CONFORME A PRÁTICA HOSPITALAR, COM CAMPOS CIRÚRGICOS, PAPEL GRAU CIRÚRGICO, PAPEL CREPADO, OU OUTRA EMBALAGEM INDICADA E AUTORIZADA PELO CCIH DO

ESTABELECIMENTO,

LABORATORIAL.

OU

AINDA

E

PELA

PRÁTICA

ODONTOLÓGIOCA

OU

NÃO FAÇA EMBALAGENS COM OS CONTEÚDOS MUITO COMPACTADOS, MAS DE MANEIRA QUE A PENETRAÇÃO DO VAPOR, E SUA REMOÇÃO SEJAM ASSEGURADAS.

CARREGAMENTO: COLOQUE O MATERIAL A SER ESTERILIZADO NA CÂMARA INTERNA, NÃO REMOVA AS PRATELEIRAS E A CHAPA DE PROTEÇÃO DA RESISTÊNCIA.

A CARGA

ARMAZENAMENTO DAS PRATELEIRAS.

DEVE

TER

DIMENSÕES

COMPATÍVEIS

NÃO EMPILHE OS MATERIAIS.

COM

A

CAPACIDADE

DE

NÃO ENCOSTE AS EMBALAGENS NAS PAREDES INTERNAS DA CÂMARA.

NÃO OCUPE MAIS QUE 80% DO VOLUME DA CÂMARA.

MANTENHA ESPAÇAMENTO ENTE AS EMBALAGENS PARA A CORRETA PENETRAÇÃO DO VAPOR E SUA SECAGEM.

EFETUE A LIMPEZA DA GUARNIÇÃO DA PORTA E DA BASE DA CÂMARA COM ÁLCOOL 70%.

FECHE A PORTA CORRETAMENTE CONFORME O MODELO DE TRAVAMENTO.

6.1 OPERAÇÃO COM PAINEL DE COMANDO DISPLAY 4 DÍGITOS DE CRISTAL LÍQUIDO

AO ENERGIZAR A AUTOCLAVE SURGE A NO DISPLAY POR 3 SEGUNDOS, A MENSAGEM COM O MODELO DA AUTOCLAVE E A VERSÃO DO PROGRAMA .

EX: “AHMC 3.1”

APÓS 3 SEGUNDOS SERÁ EXIBIDA A TELA DE SELEÇÃO DE CICLO, CORRESPONDENTE AO CICLO ANTERIORMENTE SELECIONADO. EX.: “01”

E EM SEGUIDA OBSERVE QUE SÃO EXIBIDAS DUAS TELAS ALTERNADAS

TEMPORIZADAS EM 1 SEGUNDO. A PRIMEIRA TELA INFORMA O CICLO EXIBIDO (OPEN) E A SEGUNDA TELA INFORMA A TEMPERATURA INTERNA ATUAL DA

AUTOCLAVE. EX.: “OPEN” OU “25º.C”

E

PRESSIONANDO A TECLA P EXECUTA O CICLO EXIBIDO . É POSSÍVEL NAVEGAR PELAS 8 TELAS DE CICLO DE ESTERILIZAÇÃO, O CICLOS DE

PRESSIONANDO A TECLA S, AVANÇA PARA O PRÓXIMO CICLO

SECAGEM, DESPRESSURIZAÇÃO MANUAL OPEN (PARA ABERTURA DA PORTA); PRESSIONANDO A TECLA S.

TODA A OPERAÇÃO DA AUTOCLAVE SE DÁ UNICAMENTE ATRAVÉS DE DUAS TECLAS PARTIDA E SELEÇÃO E AS INFORMAÇÕES DO ESTADO DA AUTOCLAVE SÃO EXIBIDAS NO DISPLAY LCD.

TECLA

SELECIONADO

P

TEM

POR

FUNÇÃO,

DAR

INICIO

AO

CICLO

DE

ESTERILIZAÇÃO

TECLA S PERMITE SELECIONAR UM DOS 8 CICLOS DE ESTERILIZAÇÃO, O CICLO DE DESPRESSURIZAÇÃO MANUAL OPEN E O CICLO DE SECAGEM. TEM AINDA

A FUNÇÃO DE CANCELAR ALARME ATIVO, SAIR DO FIM DE CICLO E

INTERROMPER O CICLO EM EXECUÇÃO. VERIFIQUE SE O APARELHO ESTA CONECTADO NA TOMADA ELÉTRICA COMPATÍVEL CONFORME AS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DO EQUIPAMENTO.

COLOQUE 250 ML ÁGUA DESTILADA NA CAMARA INTERNA.

COLOQUE O MATERIAL A SER ESTERILIZADO SOBRE AS PRATELEIRAS, SEM CONTATO COM AS PAREDES DA CÂMARA.

EFETUE A LIMPEZA DA GUARNIÇÃO DA PORTA E DA BASE DA CÂMARA COM ÁLCOOL 70%.

FECHE A PORTA CORRETAMENTE.

LIGUE

AUTOCLAVE.

A

CHAVE

GERAL

QUE

SE

POSICIONA

NA

PARTE

TRASEIRA

DA

POSICIONE A MANGUEIRA DE SAÍDA DE CONDENSADO EM UM RESERVATÓRIO

DE COLETA OU NO ESGOTO

VERIFIQUE SE A PRESSÃO INDICADA NO MANÔMETRO ESTA ZERO.

SELECIONE O CICLO DESEJADO (EX: CICLO 5) PRESSIONANDO A TECLA SELEÇÃO ATÉ À TELA DO CICLO 5.

PRESSIONE A TECLA PARTIDA , PARA DAR INICIO AO CICLO. A PARTIR DAÍ É SÓ OBSERVAR O QUE ESTÁ OCORRENDO ATRAVÉS DO DISPLAY DE CRISTAL LÍQUIDO, POIS O CICLO TRANSCORRERÁ TOTALMENTE AUTOMÁTICO.

CASO A TEMPERATURA ESTEJA ACIMA DE 70 ° C, A AUTOCL AVE EMITIRÁ UM BEEP INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 09 SERÁ EXIBIDA NO DISPLAY LCD, PISCANDO , INDICANDO QUE O APARELHO AINDA NÃO ATINGIU A TEMPERATURA DE RESFRIAMENTO NECESSÁRIA PARA INICIO DO CICLO. ESTA SITUAÇÃO OCORRE DEVIDO AO AQUECIMENTO DO CICLO ANTERIOR.

PARA CANCELAR O ALARME PRESSIONE A TECLA SELEÇÃO .

AQUECIMENTO

SE ESTIVER TUDO CORRETO, A AUTOCLAVE DARÁ INICIO AO AQUECIMENTO DA CÂMARA INTERNA. NO DISPLAY LCD SÃO EXIBIDAS DUAS TELAS ALTERNADAS TEMPORIZADAS EM 1SEGUNDO, MOSTRANDO O CICLO SELECIONADO TEMPERATURA EM °C.

SINALIZAÇÃO NOS LEDS:

A LUZ INDICADORA DO AQUECIMENTO ESTARÁ PISCANDO, E AS DEMAIS

APAGADAS.

QUANDO

A

FASE

DE

“AQUECIMENTO”

TERMINA,

O

LED

FICA

ACESO.

SINALIZAÇÃO NO MANÔMETRO:

PRESSÃO: EM ELEVAÇÃO ATÉ O VALOR DE TRABALHO DE 1,1KGF/CM² A 1,3 KGF/CM² (121ºC), 1,5 KGF/CM² A 1,7 KGF/CM² (127ºC) E 2,1 A 2,2 KGF/CM2 (134º C)

TEMPERATURA: EM ELEVAÇÃO ATÉ O VALOR DE TRABALHO DE 121ºC, 127ºC OU 134º C.

NA FASE DE AQUECIMENTO SERÁ ELIMINADO O AR DA CÂMARA INTERNA, PODENDO OCORRER TRÊS TIPOS DE ALARMES.

ALARME 01 : SE ESTIVER AQUECENDO A CÂMARA INTERNA MUITO RÁPIDO A AUTOCLAVE EMITIRÁ UM BEEP INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 1 SERÁ EXIBIDA NO DISPLAY LCD, PISCANDO, INDICANDO FALTA DE ÁGUA OU FALHA NO SENSOR (DETECTADO SE A TEMPERATURA SUBIR MAIS DE 8º C EM 4 SEGUNDOS). PARA CANCELAR O ALARME PRESSIONE A TECLA SELEÇÃO

ALARME 02 : SE NÃO ESTIVER AQUECENDO A CÂMARA INTERNA A AUTOCLAVE EMITIRÁ UM BEEP INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 02 SERÁ EXIBIDA NO DISPLAY LCD, PISCANDO, INDICANDO FALHA NO AQUECIMENTO . (DETETADO SE A TEMPERATURA MEDIDA A CADA 3 MINUTOS FOR IGUAL OU MENOR QUE A MEDIDA NOS 3 MINUTOS ANTERIORES). PARA CANCELAR O ALARME PRESSIONE A TECLA SELEÇÃO.

ALARME 07 : SE NÃO ATINGIR A TEMPERATURA RELATIVA AO CICLO SELECIONADO EM 25 MINUTOS A AUTOCLAVE EMITIRÁ UM BEEP INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 07 SERÁ EXIBIDA NO DISPLAY LCD, PISCANDO, INDICANDO TEMPO DE AQUECIMENTO ULTRAPASSADO. (DETECTADO SE APÓS 25 MINUTOS NÃO ATINGIR NOS CICLOS DE T=121 °C OU NOS CICLOS DE T=127 °C OU 134º C). PARA CANCELAR O ALARME PRESSIONE A TECLA SELEÇÃO .

ESTERILIZAÇÃO

APÓS A FASE DE AQUECIMENTO, QUANDO A TEMPERATURA E A PRESSÃO RELATIVA AO CICLO SELECIONADO FOR ATINGIDA, O SISTEMA DÁ INICIO Á TEMPORIZAÇÃO DA FASE DE ESTERILIZAÇÃO CONFORME O TEMPO DE ESTERILIZAÇÃO RELATIVO AO CICLO SELECIONADO.

NO DISPLAY LCD SÃO EXIBIDAS DUAS TELAS ALTERNADAS TEMPORIZADAS EM 1 SEGUNDO:

FASE DO CICLO: ESTERILIZAÇÃO TEMPERATURA EM °C E TEMPO RESTANTE (MM:SS)

SINALIZAÇÃO NOS LEDS:

A LUZ INDICADORA DE AQUECIMENTO PERMANECERÁ ACESA, A LUZ

INDICADORA DA ESTERILIZAÇÃO PERMANECERÁ PISCANDO E A LUZ

INDICADORA DE SECAGEM ESTRÁ APAGADA. QUANDO A FASE DE “ESTERILIZAÇÃO” TERMINA, O LED FICA ACESO.

NA FASE DE ESTERILIZAÇÃO O SISTEMA CONTROLA A TEMPERATURA DA CÂMARA INTERNA EM (121°C, 127°C, 134ºC), LIGANDO E DESLIGANDO A RESISTÊNCIA SEGUNDO UM ALGORITMO DE CONTROLE DE TEMPERATURA. NESTA FASE TEMOS O PROCESSO DE PURGA. SE A RELAÇÃO TEMPERATURA NÃO ESTIVER COERENTE, PODEM OCORRER ATÉ 2 ALARMES.

ALARME 05 : SE A TEMPERATURA ESTIVER ACIMA DE 5% DA TEMPERATURA RELATIVA AO CICLO SELECIONADO, A AUTOCLAVE EMITIRÁ UM BEEP INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 05 SERÁ EXIBIDA NO DISPLAY LCD PISCANDO. PARA CANCELAR O ALARME PRESSIONE A TECLA SELEÇÃO .

ALARME 06 : SE A TEMPERATURA ESTIVER ABAIXO DE 5% DA TEMPERATURA RELATIVA AO CICLO SELECIONADO, DURANTE 6 SEGUNDOS, A AUTOCLAVE EMITIRÁ UM BEEP INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 06 SERÁ EXIBIDA

NO DISPLAY LCD PISCANDO . PARA CANCELAR O ALARME PRESSIONE A TECLA

SELEÇÃO .

DESCARGA DE ÁGUA

APÓS A FASE DE ESTERILIZAÇÃO, TEM INICIO A FASE DE DESCARGA DE ÁGUA OU DESCOMPRESSÃO. ESTA FASE DURA CERCA DE 3 MINUTOS. NO DISPLAY LCD SÃO EXIBIDAS DUAS TELAS ALTERNADAS TEMPORIZADAS EM 1 SEGUNDO.

FASE DO CICLO: DESCARGA DE ÁGUA OU DESCOMPRESSÃO FASE TEMPO RESTANTE (MM:SS)

SINALIZAÇÃO NOS LEDS:

AS LUZES INDICADORAS DO AQUECIMENTO E ESTERILIZAÇÃO PERMANECERÃO ACESAS, E A LUZ DA SECAGEM ACESO APAGADA.

ESTAS TELAS NOS MOSTRAM O NOME DA FASE DO CICLO “DESCARGA DE ÁGUA” E O TEMPO QUE RESTA PARA TERMINAR A FASE .

SINALIZAÇÃO NO MANÔMETRO:

PRESSÃO: DECRESCENTE ATÉ 0 KGF/CM².

TEMPERATURA: DECRESCENTE ATE A 96 A 103ºC.

ALARME 8 : SE A VÁLVULA DE SAÍDA DE VAPOR NÃO ABRIR (LIGAR) OU ENTUPIR E NÃO FIZER A DESCOMPRESSÃO A AUTOCLAVE EMITIRÁ UM BEEP INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 8 SERÁ EXIBIDA NO DISPLAY LCD, PISCANDO, INDICANDO FALHA NA DESCOMPRESSÃO . (DETETADO SE A TEMPERATURA FOR MAIOR QUE 115º) PARA CANCELAR O ALARME PRESSIONE A TECLA SELEÇÃO .

SECAGEM

APÓS A FASE DE DESCARGA DE ÁGUA, TEM INICIO A FASE DE SECAGEM . O SISTEMA DÁ INICIO À TEMPORIZAÇÃO DA FASE DE SECAGEM CONFORME O TEMPO DE SECAGEM RELATIVO AO CICLO SELECIONADO, ABRINDO A VÁLVULA DE SAÍDA DE VAPOR E CONTROLANDO A TEMPERATURA EM 98 ° C. SE FOR O CICLO COM SECAGEM ZERO PASSA PARA A FASE FIM DE CICLO.

NO DISPLAY LCD SÃO EXIBIDAS DUAS TELAS ALTERNADAS TEMPORIZADAS:

FASE DO CICLO: SECAGEM TEMPERATURA EM °C TEMPO RESTANTE (MM:SS)

SINALIZAÇÃO NOS LEDS:

A LUZ INDICADORA DE AQUECIMENTO E ESTERILIZAÇÃO PERMANECERÁO ACESAS, E ALUZ DA SECAGEM PISCANDO.

ESTAS TELAS NOS MOSTRAM A TEMPERATURA EXISTENTE NA CÂMARA INTERNA E O TEMPO QUE RESTA PARA TERMINAR A FASE DO CICLO “SECAGEM” . QUANDO A FASE DE “SECAGEM” TERMINA, O LED FICA ACESO.

SINALIZAÇÃO NO MANÔMETRO:

PRESSÃO: 0 KGF/CM² TEMPERATURA: 98 ºC

FIM DE CICLO

APÓS A FASE DE SECAGEM, TERMINA O CICLO DE ESTERILIZAÇÃO, SINALIZADO POR “END”(FIM DE CICLO). O SISTEMA EMITE UM BEEP CONTÍNUO POR 1 MINUTO E NO DISPLAY LCD SÃO EXIBIDAS DUAS TELAS ALTERNADAS TEMPORIZADAS EM 1 SEGUNDO. CERTIFIQUE-SE QUE O MANÔMETRO ESTEJA INDICANDO ZERO ANTES DE EFETUAR A ABERTURA DA PORTA, CASO CONTRÁRIO NÃO ABRA A PORTA, POIS HAVERÁ VAZAMENTO DE ÁGUA QUENTE OU VAPOR, CAUSANDO QUEIMADURAS GRAVES AS PESSOAS QUE ENTRAREM EM CONTATO FÍSICO DIRETO COM ESTAS SUBSTÂNCIAS ATENÇÃO FASE DO CICLO: FIM DE CICLO FASE TEMPO RESTANTE (MM:SS)

SINALIZAÇÃO NOS LEDS:

TODAS LUZES INDICADORAS ESTARÃO ACESAS.

ESTAS TELAS NOS MOSTRAM A FASE FIM DE CICLO “END” E O TEMPO QUE RESTA PARA TERMINAR A FASE.

SINALIZAÇÃO NO MANÔMETRO:

PRESSÃO: 0 KGF/CM² TEMPERATURA: DE 96 A 103 ºC

NESTE PONTO DO PROCESSO, FIM DE CICLO, A PORTA DA AUTOCLAVE PODERÁ SER ABERTA PARA QUE SEJA FEITA A RETIRADA DO MATERIAL ESTERILIZADO. PRESSIONANDO A TECLA SELEÇÃO SILENCIA O BEEP. APÓS UM MINUTO O BEEP SILENCIA AUTOMATICAMENTE.

MANTENHA A PORTA ENTRE ABERTA POR CINCO MINUTOS RETIRE O MATERIAL JOGUE FORA A ÁGUA CONTIDA NO RESERVATÓRIO DE COLETA, QUE NÃO PODE SER RE-APROVEITADA (SE UTILIZADO)

ADVERTÊNCIAS

NO CASO DE QUEDA DE ENERGIA ELÉTRICA DURANTE A EXECUÇÃO DO CICLO, O CICLO SERÁ INTERROMPIDO E QUANDO HOUVER O RESTABELECIMENTO DA MESMA, O CICLO IRÁ REINICIAR DO PONTO EM QUE PAROU.

PARA

SELEÇÃO.

INTERROMPER

UM

CICLO

EM

EXECUÇÃO

PRESSIONAR

A

TECLA

PARA SE ABORTAR UM CICLO EM EXECUÇÃO É NECESSÁRIO PRESSIONAR SIMULTANEAMENTE A TECLA PARTIDA [P] E A TECLA SELEÇÃO [S].

DESPRESSURIZAÇÃO MANUAL

CASO DESEJE ABRIR A PORTA DA CÂMARA, E SENTIR DIFICULDADE OU SE A PRESSÃO NO MANÔMETRO FOR DIFERENTE DE 0,00 KGF/CM² , PRESSIONE A TECLA SELEÇÃO ATÉ APARECER A TELA: OPEN.

EM

DESPRESSURIZAÇÃO MANUAL.

SEGUIDA

PRESSIONE

A

TECLA

PARTIDA,

PARA

INICIAR

A

O SISTEMA FARÁ A DESPRESSURIZAÇÃO AUTOMATICAMENTE ABRINDO A VÁLVULA DE SAÍDA DE VAPOR DURANTE 3 MINUTOS. APÓS 1 MINUTO OU SE A PRESSÃO NO MANÔMETRO FOR 0,00 KGF/CM² , PODE ABRIR A PORTA .

NO DISPLAY LCD É EXIBIDA A TELA A SEGUIR. ESTA TELA NOS MOSTRA O CICLO DESPRESSURIZAÇÃO MANUAL “OPEN” E O TEMPO QUE RESTA PARA TERMINAR.

FASE DO CICLO: OPEN FASE TEMPO RESTANTE (MM:SS)

CICLO DE SECAGEM EXTRA

CASO DESEJE FAZER UM CICLO DE “SECAGEM” APÓS O CICLO REALIZADO, PRESSIONE A TECLA SELEÇÃO ATÉ APARECER A TELA: SECA.

EM SEGUIDA PRESSIONE A TECLA PARTIDA, PARA INICIAR O CICLO DE “SECAGEM”. NO CICLO DE “SECAGEM” TEMOS DUAS FASES, A FASE DE AQUECIMENTO ATÉ 98ºC E FASE DE SECAGEM POR 15 MINUTOS.

FASE DE AQUECIMENTO NA SECAGEM: A AUTOCLAVE DÁ INICIO AO AQUECIMENTO DA CÂMARA INTERNA LIGANDO A RESISTÊNCIA E ABRINDO A VÁLVULA DE SAÍDA DE VAPOR PARA PERMITIR A EXPULSÃO DO AR FRIO QUE POSSA ESTAR CONTIDO NO INTERIOR DA CÂMARA ATÉ À TEMPERATURA DE

98°C

NO DISPLAY LCD SÃO EXIBIDAS DUAS TELAS ALTERNADAS TEMPORIZADAS.

FASE DO CICLO: AQUECIMENTO CICLO SECAGEM TEMPERATURA EM °C

SINALIZAÇÃO NOS LEDS:

ESTAS TELAS NOS MOSTRAM O CICLO SELECIONADO “SECAGEM” E A TEMPERATURA EM ºC ,EXISTENTE NA CÂMARA. O LED DE SINALIZAÇÃO DE AQUECIMENTO PISCA, INFORMANDO QUE ESTÁ EM EXECUÇÃO A FASE DE “AQUECIMENTO”. QUANDO A FASE DE “AQUECIMENTO” TERMINA, O LED FICA ACESO E PASSA PARA A FASE DE SECAGEM. FASE DE SECAGEM: A AUTOCLAVE DÁ INICIO À TEMPORIZAÇÃO DA FASE DE SECAGEM POR 15

MINUTOS, ABRINDO A VÁLVULA DE SAÍDA DE VAPOR E CONTROLANDO A TEMPERATURA EM 98 °C.

NO DISPLAY LCD SÃO EXIBIDAS DUAS TELAS ALTERNADAS TEMPORIZADAS

FASE DO CICLO: SECAGEM TEMPERATURA EM °C TEMPO RESTANTE (MM:SS)

SINALIZAÇÃO NOS LEDS:

ESTAS TELAS NOS MOSTRAM A TEMPERATURA EXISTENTE NA CÂMARA INTERNA E O TEMPO QUE RESTA PARA TERMINAR A FASE DO CICLO “SECAGEM” . O LED DE SINALIZAÇÃO DE SECAGEM PISCA ,INFORMANDO QUE ESTÁ EM EXECUÇÃO A FASE DE “SECAGEM”. QUANDO A FASE DE “SECAGEM” TERMINA, O LED FICA ACESO E PASSA PARA A FASE “FIM DE CICLO”.

FUNÇÕES ESPECIAIS

DESPRESSURIZAÇÃO MANUAL

CASO HAJA A NECESSIDADE DA ABERTURA DA PORTA APÓS ALGUM CICLO, E ESTA ESTIVER EMPERRADA, DEVE-SE DESPRESSURIZAR A CÂMARA INTERNA PRESSIONANDO A TECLA <”S”> ATÉ O APARECER NO DISPLAY A MENSAGEM “OPEN”, O SISTEMA AUTOMATICAMENTE IRA LIBERAR A PORTA.

RESET

NO CASO DE OCASIONAIS QUEDAS DE ENERGIA OU VARIAÇÕES DA MESMA, O DISPLAY PODE DEMONSTRAR INFORMAÇÕES ESTRANHAS OU CONGELAR, POIS O SISTEMA TENTA RECUPERAR AS INFORMAÇÕES SOBRE O CICLO REALIZADO ANTERIORMENTE AO PROBLEMA DE OSCILAÇÃO DE ENERGIA, DESTA FORMA PODE-SE PROCEDER O RESTABELECIMENTO DAS FUNÇÕES:

OPÇÃO 1: DESLIGUE A CHAVE GERAL DO EQUIPAMENTO, PRESSIONE A TECLA <S> E VOLTE A LIGAR O EQUIPAMENTO (PRESSIONANDO A TECLA <S.), AGUARDE UM BIP E O DESLIGAMENTO DO DISPLAY, EM SEGUIDA SOLTE A TECLA <S>, ESTE PROCEDIMENTO LEVA A UMA “LIMPEZA” NA MEMÓRIA DO MESMO, FAZENDO-O FUNCIONAR DE FORMA CORRETA.

OPÇÃO 2: CASO O PROCEDIMENTO ANTERIOR NÃO DE O RESULTADO ESPERADO, PRESSIONE SIMULTANEAMENTE AS TECLAS <”S”> E <”P”>, LIGUE E DESLIGUE O APARELHO NA CHAVE GERAL EM MÉDIA DE SETE VEZES, SOLTANDO AS TECLAS APÓS LIGAR E DESLIGAR.

6.2 OPERAÇÃO COM CRISTAL LÍQUIDO

PAINEL DE COMANDO DISPLAY ALFANUMÉRICO DE

TECLA DE SELEÇÃO –S

PERMITE ESCOLHER UM DOS OITO CICLOS DE ESTERILIZAÇÃO E AS FUNÇÕES ESPECIAIS, BASTANDO PARA ISSO CLIQUES REPETIDOS, ACOMPANHANDO NO DISPLAY A EXIBIÇÃO DAS MENSAGENS QUE IDENTIFICAM OS CICLOS DESEJADOS.

FUNÇÕES ESPECIAIS

SELECIONE:< S > DESPRESSURIZAÇÃO SELECIONE:< S > SECAGEM SELECIONE:< S > DESCARGA DE ÁGUA

TECLA DE PARTIDA -P

ESTA TECLA TEM POR FUNÇÃO, DAR INÍCIO AO CICLO ESCOLHIDO PELA TECLA <SELEÇÃO>,

OBS: A PORTA DEVE ESTAR TRAVADA E VEDADA E A TEMPERATURA DA CÂMARA INTERNA DEVE ESTAR ABAIXO DE 70ºC PARA SE PRESSIONAR A TECLA PARTIDA

AO LIGAR SEU EQUIPAMENTO NA CHAVE GERAL SURGIRÁ NA TELA POR 2 SEGUNDOS, INDICANDO O MODELO DA AUTOCLAVE E A VERSÃO DO PROGRAMA.

APÓS 2 SEGUNDOS SERÁ EXIBIDA A TELA DE SELEÇÃO DE CICLO, CORRESPONDENTE AO ÚLTIMO CICLO EXECUTADO.

1. TECLE <S> ATÉ APARECER O CICLO DESEJADO.

2. TECLE <P> PARA DAR INÍCIO AO CICLO.

3. CASO A PORTA NÃO ESTEJA CORRETAMENTE TRAVADA O SISTEMA EMITIRÁ

UM BEEP INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 00 SERÁ EXIBIDA NO VISOR, PISCANDO A PRIMEIRA LINHA.

4. CASO A TEMPERATURA ESTEJA ACIMA DE 70 C, O SISTEMA EMITIRÁ UM BEEP INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 09 SERÁ EXIBIDA NO VISOR, PISCANDO A PRIMEIRA LINHA, INDICANDO QUE O APARELHO AINDA NÃO ATINGIU A TEMPERATURA DE RESFRIAMENTO NECESSÁRIA PARA INICIO DO CICLO. ESTA SITUAÇÃO OCORRE DEVIDO AO AQUECIMENTO DO CICLO ANTERIOR.

ENTRADA DE ÁGUA

SE ESTIVER TUDO CERTO PARA O INICIO DO CICLO, APARECERÁ NO DISPLAY A MENSAGEM DE “ENTRADA DE ÁGUA”

A ENTRADA DE ÁGUA É LIBERADA PARA A CÂMARA INTERNA DURANTE 5 MINUTOS E A VÁLVULA SAÍDA DE VAPOR É ABERTA PARA RETIRADA DE PRESSÃO EXISTENTE NA CÂMARA INTERNA .

A RESISTÊNCIA DE AQUECIMENTO FICA DESLIGADA DURANTE ESTA FASE.

ESTAS TELAS MOSTRAM A FASE DO CICLO “ENTRADA DE ÁGUA” ,O NÚMERO DO CICLO DE ESTERILIZAÇÃO SELECIONADO “CICLO 6” , O TEMPO QUE RESTA PARA TERMINAR A FASE (EM MINUTOS E SEGUNDOS / MM:SS) E A TEMPERATURA E A PRESSÃO EXISTENTES NA CÂMARA.

AQUECIMENTO

APÓS A FASE DE ENTRADA DE ÁGUA, O SISTEMA DARÁ INICIO AO AQUECIMENTO DA CÂMARA INTERNA FAZENDO COM QUE A RESISTÊNCIA AQUEÇA A ÁGUA BEM COMO ABRE A VÁLVULA DE SAÍDA DE VAPOR PARA PERMITIR A EXPULSÃO DO AR FRIO QUE POSSA ESTAR CONTIDO NO INTERIOR DA CÂMARA.

A VÁLVULA DE ENTRADA DE ÁGUA PERMANECE FECHADA DURANTE ESTA FASE.

NO VISOR SÃO EXIBIDAS DUAS TELAS ALTERNADAS TEMPORIZADAS EM 1 SEGUNDO.

ESTAS TELAS NOS MOSTRAM A FASE DO CICLO “AQUECIMENTO”, O NÚMERO DO CICLO SELECIONADO “CICLO 6”, A TEMPERATURA, E A PRESSÃO EXISTENTE NA CÂMARA.

NA FASE DE AQUECIMENTO PODEM OCORRER ATÉ 3 ALARMES:

ALARME 01: SE OCORRER DE NÃO TER ÁGUA NA CÂMARA OU FALHA NO SENSOR DE PRESSÃO OU DE TEMPERATURA, O SISTEMA EMITIRÁ UM BEEP INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 01 SERÁ EXIBIDA NO DISPLAY, PISCANDO A PRIMEIRA LINHA.

ALARME 02 : SE NÃO ESTIVER AQUECENDO A CÂMARA INTERNA O SISTEMA EMITIRÁ UM BEEP INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 02 SERÁ EXIBIDA NO DISPLAY LCD, PISCANDO A PRIMEIRA LINHA

ALARME 07: SE NÃO ATINGIR A TEMPERATURA E A PRESSÃO RELATIVA AO CICLO SELECIONADO EM 25 MINUTOS O SISTEMA EMITIRÁ UM BEEP INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 07 SERÁ EXIBIDA NO DISPLAY PISCANDO A PRIMEIRA LINHA .

ESTERILIZAÇÃO

APÓS A FASE DE AQUECIMENTO, QUANDO A TEMPERATURA E A PRESSÃO RELATIVA AO CICLO SELECIONADO FOR ATINGIDA, O SISTEMA VERIFICA SE A RELAÇÃO TEMPERATURA X PRESSÃO ESTÃO COERENTES.

EM CASO AFIRMATIVO O SISTEMA DARÁ INICIO À TEMPORIZAÇÃO DA FASE DE ESTERILIZAÇÃO, CONFORME O TEMPO DE ESTERILIZAÇÃO RELATIVO AO CICLO SELECIONADO.

ESTAS TELAS NOS MOSTRAM A FASE DO CICLO “ESTERILIZAÇÃO” ,O NÚMERO DO CICLO SELECIONADO “CICLO 6” ,O TEMPO QUE RESTA PARA TERMINAR A FASE E A TEMPERATURA E PRESSÃO NA CÂMARA.

SE A PRESSÃO ESTIVER ACIMA DE 20% EM RELAÇÃO À TEMPERATURA DO CICLO SELECIONADO, DURANTE 6 SEGUNDOS, O SISTEMA EMITIRÁ UM BEEP INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 03 SERÁ EXIBIDA NO DISPLAY LCD, PISCANDO A PRIMEIRA LINHA.

SE A PRESSÃO ESTIVER ABAIXO DE 20% EM RELAÇÃO À TEMPERATURA DO CICLO SELECIONADO, DURANTE 6 SEGUNDOS, O SISTEMA EMITIRÁ UM APITO INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 04 SERÁ EXIBIDA NO VISOR, PISCANDO

A PRIMEIRA LINHA .

SE A TEMPERATURA ESTIVER ACIMA DE 5% DA TEMPERATURA RELATIVA AO CICLO SELECIONADO, DURANTE 6 SEGUNDOS, O SISTEMA EMITIRÁ UM BEEP

INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 05 SERÁ EXIBIDA NO VISOR, PISCANDO

A PRIMEIRA LINHA.

SE A TEMPERATURA ESTIVER ABAIXO DE 5% DA TEMPERATURA RELATIVA AO CICLO SELECIONADO, DURANTE 6 SEGUNDOS, O SISTEMA EMITIRÁ UM BEEP

INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 06 SERÁ EXIBIDA NO VISOR, PISCANDO

A PRIMEIRA LINHA.

DESCARGA DE ÁGUA

APÓS A FASE DE ESTERILIZAÇÃO, TEM INICIO A FASE DE DESCARGA DE ÁGUA .NESTA FASE O SISTEMA UTILIZA A PRESSÃO INTERNA DA CÂMARA PARA IMPELIR A ÁGUA DE VOLTA AO RESERVATÓRIO (VÁLVULA DE ENTRADA DE ÁGUA ABERTA).

ESTA FASE TERMINA QUANDO A PRESSÃO ATINGE 0,10 KGF/CM 2 , FECHANDO A VÁLVULA DE ENTRADA DE ÁGUA. NO VISOR SÃO EXIBIDAS DUAS TELAS ALTERNADAS TEMPORIZADAS EM 1 SEGUNDO.

“DESCARGA

125

AGUARDE

0,97”,

E

“CICLO 6

125

AGUARDE

0,97” .

ESTAS TELAS NOS MOSTRAM A FASE DO CICLO “DESCARGA DE ÁGUA” ,O NÚMERO DO CICLO SELECIONADO “CICLO 6” E A TEMPERATURA E PRESSÃO EXISTENTES NA CÂMARA.

SE A FASE DE DESCARGA DE ÁGUA ULTRAPASSAR O TEMPO DE 4 MINUTOS, O SISTEMA EMITIRÁ UM APITO INTERMITENTE E A MENSAGEM ALARME 08 SERÁ EXIBIDA NO VISOR, PISCANDO A PRIMEIRA LINHA : “ ALARME 08 TEMPO DESCARG.ULT.”

SECAGEM

APÓS A FASE DE DESCARGA DE ÁGUA, SE O CICLO SELECIONADO FOR O CICLO 1,2,5 OU 6 TEM INICIO A FASE DE SECAGEM . O SISTEMA DÁ INICIO À TEMPORIZAÇÃO DA FASE DE SECAGEM CONFORME O TEMPO DE SECAGEM RELATIVO AO CICLO SELECIONADO, ABRINDO A VÁLVULA DE SAÍDA DE VAPOR. SE FOR O CICLO 3,4 OU 7, PASSA PARA A FASE FIM DE CICLO.

ESTAS TELAS NOS MOSTRAM A FASE DO CICLO “SECAGEM”, O NÚMERO DO CICLO SELECIONADO “CICLO 6” ,O TEMPO QUE RESTA PARA TERMINAR A FASE

E A TEMPERATURA E PRESSÃO EXISTENTE NA CÂMARA.

FIM DE CICLO

APÓS A FASE DE SECAGEM, TERMINA O CICLO DE ESTERILIZAÇÃO, SINALIZADO POR FIM DE CICLO. O SISTEMA EMITE UM APITO CONTÍNUO POR 1 MINUTO, ABRINDO A VÁLVULA DE SAÍDA DE VAPOR PARA IGUALAR A PRESSÃO INTERNA À EXTERNA, E NO VISOR SÃO EXIBIDAS DUAS TELAS ALTERNADAS TEMPORIZADAS EM 1 SEGUNDO.

ESTAS TELAS NOS MOSTRAM A FASE DO CICLO “FIM DE CICLO”, O NÚMERO DO CICLO SELECIONADO “CICLO 6” ,O TEMPO QUE RESTA PARA TERMINAR A FASE

E A TEMPERATURA E PRESSÃO EXISTENTE NA CÂMARA.

AO FINAL DO CICLO, SÓ ABRA A PORTA, SE O DISPLAY INDICAR PRESSÃO ZERO.

NÃO DEIXE ESFRIAR COM A CÂMARA FECHADA, POIS CRIARA VÁCUO NA CÂMARA INTERNA, E MESMO QUE A TRAVA ESTEJA NA POSIÇÃO DESTRAVADA NÃO SERÁ POSSÍVEL ABRIR A PORTA,

CASO OCORRA, UTILIZE-SE ENTÃO DA FUNÇÃO DESPRESSURIZAÇÃO MANUAL DESRITA NESTE MANUAL.

NOTAS IMPORTANTES

NO CASO DE QUEDA DE ENERGIA ELÉTRICA DURANTE A EXECUÇÃO DO CICLO O SISTEMA REASSUMIRÁ A EXECUÇÃO NO PONTO INTERROMPIDO. SE OS PARÂMETROS FÍSICOS DO PROCESSO ESTIVEREM ATINGIDOS, TÃO LOGO HOUVER O RESTABELECIMENTO DA MESMA.

O SISTEMA EM REPOUSO, ISTO É, FORA DA EXECUÇÃO DE CICLO, A CADA 1 MINUTO, ABRE A VÁLVULA DE SAÍDA DE VAPOR PARA IGUALAR A PRESSÃO INTERNA Á AMBIENTE, DURANTE 30 SEGUNDOS,VOLTANDO A FECHAR APÓS ESTE TEMPO.

PARA SE ABORTAR UM CICLO EM EXECUÇÃO É NECESSÁRIO PRESSIONAR SIMULTANEAMENTE A TECLA PARTIDA [P] E A TECLA SELEÇÃO [S].

DESPRESSURIZAÇÃO MANUAL

CASO TENTE ABRIR A PORTA DA CÂMARA E ESTA , MESMO COM A TRAVA DESTRAVADA NÃO ABRIR, É POR QUE OCORREU PRESSÃO NEGATIVA – VÁCUO. PRESSIONE A TECLA SELEÇÃO [S] ATÉ APARECER A TELA:

PARTIDA:

SELECIONE:<S> DESPRESSURIZAÇÃO

<P>

025 0,00

EM SEGUIDA PRESSIONE A TECLA PARTIDA [P], PARA INICIAR A DESPRESSURIZAÇÃO MANUAL. O SISTEMA FARÁ A DESPRESSURIZAÇÃO AUTOMATICAMENTE ABRINDO A VÁLVULA DE SAÍDA DE VAPOR DURANTE 4 MINUTOS. APÓS 1 MINUTO JÁ PODE ABRIR A PORTA.

NO DISPLAY É EXIBIDA A TELA QUE NOS MOSTRA O CICLO MANUAL “DESPRESSURIZAÇÃO” , O TEMPO QUE RESTA PARA TERMINAR E A PRESSÃO EXISTENTE NA CÂMARA.

DESPRESSURIZAÇÃO

0,00

03:34

OBSERVAÇÃO: SE A AUTOCLAVE TIVER ÁGUA NA CÂMARA INTERNA E PRESSÃO INTERNA MAIOR QUE 0,50 KGF/CM 2 , FAÇA ANTES DESCARGA DE ÁGUA MANUAL E DEPOIS A DESPRESSURIZAÇÃO MANUAL.

DESCARGA DE ÁGUA MANUAL

SE APÓS UM ABORTO DE CICLO PROVOCADO POR UM ALARME OU NÃO, SE DESEJA EVACUAR A ÁGUA DA CÂMARA PRESSIONE A TECLA SELEÇÃO [S] ATÉ APARECER A TELA:

PARTIDA:<P>

SELECIONE:<S>

025

DESCARGA DE ÁGUA

EM SEGUIDA PRESSIONE A TECLA PARTIDA [P],PARA INICIAR A DESCARGA DE ÁGUA MANUAL. OBSERVE QUE PARA QUE A DESCARGA OCORRA É NECESSÁRIO QUE A PRESSÃO INTERNA DA CÂMARA ESTEJA EM PELO MENOS

0,50 KGF/CM 2 E QUE A DESCARGA TERMINA QUANDO A PRESSÃO CHEGAR EM 0,10 KG.

NO VISOR É EXIBIDA A MENSAGEM “ DESCARGA DE ÁGUA 0,95” . ESTA TELA NOS MOSTRA O CICLO MANUAL “DESCARGA DE ÁGUA” E A PRESSÃO EXISTENTE NA CÂMARA.

DICA: SE A AUTOCLAVE TIVER ÁGUA NA CÂMARA INTERNA E PRESSÃO MENOR QUE 0,50 KGF/CM 2 , EXECUTE QUALQUER CICLO DE 1 A 7 ATÉ A FASE DE AQUECIMENTO ATINGIR PRESSÃO ACIMA DE 0,50 KGF/CM 2 . EM SEGUIDA ABORTE O CICLO PRESSIONANDO AS TECLAS PARTIDA [P] E SELEÇÃO [S] AO MESMO TEMPO E EM SEGUIDA EXECUTE DESCARGA DA ÁGUA MANUAL.

NOTA: EXISTEM MATERIAIS, QUE DEVIDO SUA NATUREZA (VIDROS/ LÍQUIDOS/

SINTÉTICOS) , POSSUEM SENSIBILIDADE A ALTA TEMPERATURA, NÃO PODENDO SOFRER O PROCESSO DE SECAGEM, A ESTES, RECOMENDA-SE OS CICLOS 3, 4

E 7 QUE NÃO POSSUEM O PROCESSO ACIMA CITADO.

OBS: SEMPRE SE DEVEM CONSULTAR AS INFORMAÇÕES SOBRE A NATUREZA E

A RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS A SEREM ESTERILIZADOS , CONSTANDO ESTA

INFORMAÇÕES EM SUAS EMBALAGENS OU INSTRUÇÕES. ASSIM EVITANDO PREJUÍZOS E CONSERVANDO SEU EQUIPAMENTO.

PRÉ - VÁCUO – EQUIPAMENTOS COM BOMBA DE VÁCUO (BV)

COM A ENTRADA E A SAÍDA DE ÁGUA FECHADA (COMANDOS EFETUADOS PELO SISTEMA DO APARELHO), É LIGADA A BOMBA DE VÁCUO DURANTE 2 MINUTOS GERANDO VÁCUO NA CÂMARA INTERNA, COM CONTROLE MÉDIO DE –0,43 KGF/CM 2 E –0,68 KGF/CM 2 , OU SEJA, ENTRE 31,57 CM DE HG E 50 CM DE HG.

APARECERÃO NO DISPLAY AS MENSAGENS A E B ALTERNADAMENTE :

A) PRÉ – VÁCUO

025

01:06

-0.50

B) CICLO 6

025

01:05

-0.50

FUNÇÕES ESPECIAIS

DESCARGA DE ÁGUA MANUAL:

APÓS O ABORTO DE UM CICLO PROVOCADO POR UM ALARME OU POR TEREM SIDO PRESSIONADAS AS TECLAS <S> E <P> SIMULTANEAMENTE, VOCÊ PODERÁ RETIRAR A ÁGUA DA CÂMARA INTERNA, PARA ISSO PRESSIONE A TECLA <S>, ATÉ APARECER NO DISPLAY A MENSAGEM “H2O” OU “DESCARGA DE ÁGUA MANUAL”, E PRESSIONE A TECLA <P>.

AGUARDE ATE QUE A MENSAGEM “H2O” OU “DESCARGA DE ÁGUA MANUAL” SE APAGUE E VOLTE A MOSTRAR O ULTIMO CICLO EXECUTADO. (PARA VERIFICAR SE TODA ÁGUA FOI DRENADA OBSERVE SE ESTA VOLTOU A SEU NÍVEL NORMAL DENTRO DO RESERVATÓRIO).

OBS. PARA ESTE PROCEDIMENTO TER RESULTADO SATISFATÓRIO, A PRESSÃO NA CÂMARA INTERNA DEVERÁ SER DE PELO MENOS 0,5 KGF/cm².

DESPRESSURIZAÇÃO MANUAL:

CASO HAJA A NECESSIDADE DA ABERTURA DA PORTA APÓS ALGUM CICLO, E ESTA ESTIVER EMPERRADA, DEVE-SE DESPRESSURIZAR A CÂMARA INTERNA PRESSIONANDO A TECLA <S> ATÉ APARECER NO DISPLAY A MENSAGEM “OPEN” OU “DESPRESSURIZAÇÃO MANUAL”, O SISTEMA AUTOMATICAMENTE IRA LIBERAR A PORTA.

RESET:

NO CASO DE OCASIONAIS QUEDAS DE ENERGIA OU VARIAÇÕES DA MESMA, O DISPLAY PODE DEMONSTRAR INFORMAÇÕES ESTRANHAS OU CONGELAR, POIS O SISTEMA TENTA RECUPERAR AS INFORMAÇÕES SOBRE O CICLO REALIZADO ANTERIORMENTE AO PROBLEMA DE OSCILAÇÃO DE ENERGIA, DESTA FORMA PODE-SE PROCEDER O RESTABELECIMENTO DAS FUNÇÕES:

OPÇÃO 1 - DESLIGUE A CHAVE GERAL DO EQUIPAMENTO, PRESSIONE A TECLA <S> E VOLTE A LIGAR O EQUIPAMENTO (PRESSIONANDO A TECLA <S>), AGUARDE UM BIP E O DESLIGAMENTO DO DISPLAY, EM SEGUIDA SOLTE A TECLA <S>, ESTE PROCEDIMENTO LEVA A UMA “LIMPEZA” NA MEMÓRIA DO MESMO, FAZENDO-O FUNCIONAR DE FORMA CORRETA

OPÇÃO 2 - CASO O PROCEDIMENTO ANTERIOR NÃO DE O RESULTADO ESPERADO, PRESSIONE SIMULTANEAMENTE AS TECLAS <S> E <P>, LIGUE E DESLIGUE O APARELHO NA CHAVE GERAL EM MÉDIA DE SETE VEZES, SOLTANDO AS TECLAS APÓS LIGAR E DESLIGAR.

6.3 OPERAÇÃO COM O PAINEL DE COMANDO ELETRO MECÂNICO

DETERMINE O CICLO DE OPERAÇÃO CONFORME O TIPO DE MATERIAL E A FORMA COMO É EMBALADO.

SELECIONE O TEMPO NECESSÁRIO PARA A ESTERILIZAÇÃO DO MATERIAL (CONFORME TABELA REFERENCIAL DE CICLOS).

SELECIONE O TEMPO NECESSÁRIO DE SECAGEM PARA O PROCESSO (CONFORME TABELA REFERENCIAL DE CICLOS).

AJUSTE A TEMPERATURA DE TRABALHO EM QUE O CICLO SERÁ EXECUTADO (CONFORME TABELA REFERENCIAL DE CICLOS).

LIGUE A CHAVE DE PARTIDA QUE SE POSICIONA NA PARTE FRONTAL DA AUTOCLAVE E AGUARDE, POIS O CICLO TRANSCORRERA AUTOMATICAMENTE. AO FINAL DO CICLO, A LÂMPADA INDICATIVA DE “FIM DE CICLO” ACENDERÁ PERMITINDO A ABERTURA DA PORTA.

MANTENHA A PORTA ENTRE ABERTA POR CINCO MINUTOS.

DESLIGUE A CHAVE DE GERAL .

RETIRE O MATERIAL.

7.

TABELA REFERENCIAL DE CICLOS

7.1 TABELA REFERENCIAL DE CICLOS ENTRE 121ºC ATÉ 127ºC

 

TABELA DE REFERÊNCIA PARA ESTERILIZAÇÃO SEM BOMBA DE VÁCUO

 

CICLO

 

MATERIAIS ASEREM ESTERILIZADOS

TRATAMENTO

 

ºC

TEMPOS

SUPERFICIE

ESPESSURA

LIQÜIDOS

ESTERILIZAÇÃO

SECAGEM

1

TERMOSENSÍVEIS

EM CAIXAS DE AÇO INOX PERFURADO; LIMAS/ BROCAS MATERIAIS DE CORTE EM GERAL

EM CAIXAS DE AÇO INOX PERFURADO; LIMAS/ BROCAS MATERIAIS DE CORTE EM GERAL     121
   

121

20'

5'

 

ENVOLVIDOS EM PROTEÇÕES OU SOBRE BANDEJAS DE AÇO INOX PERFURADO (ENVELOPES CIRURGICOS/ CAMPO/ SOMENTE PARA

           

2

TERMOSSENSÍVEIS) CANETA ROTATIVA, INSTRUMENTAL COM CABO DE PLÁSTICO/ ESPELHO Nº 5/ LIMAS/ BROCAS/ MATERIAL DE CORTE EM GERAL.

INSTRUMENTAL COM CABO DE PLÁSTICO/ ESPELHO Nº 5/ LIMAS/ BROCAS/ MATERIAL DE CORTE EM GERAL. 121

121

30'

10'

3

BORRACHAS/ LIQÜIDOS(NUNCA INFLAMAVEIS)/LUVAS DE LATEX

     

1213 BORRACHAS/ LIQÜIDOS(NUNCA INFLAMAVEIS)/LUVAS DE LATEX       30' 0

30'

0

4

 

CICLO DE EMERGÊNCIA, RECOMENDADO PARA MATERIAIS QUE NÃO TIVERAM CONTATO COM O PACIÊNTE, MAS QUE SOMENTE PASSARAM DA VALIDADE DE ESTERILIZAÇÃO E PRECISAM SER ESTERILIZADOS RAPIDAMENTE

QUE SOMENTE PASSARAM DA VALIDADE DE ESTERILIZAÇÃO E PRECISAM SER ESTERILIZADOS RAPIDAMENTE     127 5'
   

127

5'

0

5

NÃO TERMOSNSÍVEIS

INSTRUMENTAL ACONDICIONADO EM CAIXAS DE AÇO INOX PERFURADO.

5 NÃO TERMOSNSÍVEIS INSTRUMENTAL ACONDICIONADO EM CAIXAS DE AÇO INOX PERFURADO.     127 10' 5'
   

127

10'

5'

6

ENVOLVIDOS EM ENVELOPE GRAU CIRURGICO/ CAMPOS/ INSTRUMENTOS DE METAL EM GERAL/ GASES/ ALGODÃO/ TECIDOS/ VIDRARIAS/ BORRACHAS.

 
CAMPOS/ INSTRUMENTOS DE METAL EM GERAL/ GASES/ ALGODÃO/ TECIDOS/ VIDRARIAS/ BORRACHAS.     127 12' 10'
 

127

12'

10'

7

LIQÜIDOS/ VIDRARIAS/ BORRACHA (RESISTENTES A TEMPERATURA)

     

1277 LIQÜIDOS/ VIDRARIAS/ BORRACHA (RESISTENTES A TEMPERATURA)       15' 0

15'

0

8

ENVOLVIDOS EM PROTEÇÕES (ENVELOPE/ GRAU CIRÚRGICO/ CAMPO) INSTRUMENTAL DE METAL EM GERAL

 
EM PROTEÇÕES (ENVELOPE/ GRAU CIRÚRGICO/ CAMPO) INSTRUMENTAL DE METAL EM GERAL     127 12' 15'
 

127

12'

15'

SEC

 

SECAGEM COMPLEMENTAR - CASO O MATERIAL AINDA PERMANEÇA ÚMIDO (NÃO DEVE SER EFETUADA EM VIDRARIAS/ BORRACHAS TERMOSENSÍVEIS E LIQUIDOS)

AINDA PERMANEÇA ÚMIDO (NÃO DEVE SER EFETUADA EM VIDRARIAS/ BORRACHAS TERMOSENSÍVEIS E LIQUIDOS)   - -
AINDA PERMANEÇA ÚMIDO (NÃO DEVE SER EFETUADA EM VIDRARIAS/ BORRACHAS TERMOSENSÍVEIS E LIQUIDOS)   - -
 

-

-

15'

ESPECIFICAÇÕES

TERMOSENSÍVEIS - MATERIAIS QUE NÃO SUPORTAM ALTA TEMPERATURA

NÃO TERMOSENSÍVEIS - MATERIAIS QUE SUPORTAM ALTA TEMPERATURA

SUPERFÍCIE - MATERIAIS NÃO EMBALADOS, EXPOSTOS DIRETAMENTE NÃO NECESSITAM PENETRAÇÃO

LIQUIDOS - MATERIAIS LIQUIDOS COM RESERVATÓRIOS ABERTOS (NUNCA INFLAMÁVEIS)

ESPESSURA - MATERIAIS ENVOLVIDOS EM PROTEÇÕES COMO ENVELOPES OU CAMPO, QUE PRECISAM PENETRAÇÃO

OBSERVAÇÕES

CONSULTE A EMBALAGEM OU A BULA DO MATERIAL A SER ESTERILIZADO, VERIFICANDO SUAS CARACTERISTICAS FÍSICAS

E SUA RESISTÊNCIA AO PROCESSO DE ESTERILIZAÇÃO A VAPOR NA TEMPERATURA DO CICLO ESCOLHIDO, SE NÃO HOUVER INFORMAÇÃO NA

EMBALAGEM, CONSULTE O FABRICANTE DO PRODUTO

NUNCA USE PAPEL CRAFT OU OUTRA EMBALAGEM IMPERMEAVEL AO VAPOR OU QUE SE DEGENERE PELA UMIDADE E A TEMPERATURA DO PROCESSO PARA EMBALAR OU ENVOLVER OS MATERIAIS A SEREM ESTERILIZADOS

7.2 TABELA REFERENCIAL DE CICLOS: MODELO COM BOMBA DE VÁCUO (BV) – ENTRE 121ºC ATÉ 127ºC

 

TABELA DE REFERÊNCIA PARA ESTERILIZAÇÃO COM BOMBA DE VÁCUO

 

CICLO

 

MATERIAIS A SEREM ESTERILIZADOS

 

TRATAMENTO

 

ºC

 

TEMPOS

SUPERFICIE

ESPESSURA

LIQÜIDOS

PV

ESTERILIZAÇÃO

SECAGEM

1

TERMOSENSÍVEIS

EM CAIXAS DE AÇO INOX PERFURADO; LIMAS/ BROCAS MATERIAIS DE CORTE EM GERAL

 
EM CAIXAS DE AÇO INOX PERFURADO; LIMAS/ BROCAS MATERIAIS DE CORTE EM GERAL      
   

121

2'

20'

5'

 

ENVOLVIDOS EM PROTEÇÕES OU SOBRE BANDEJAS DE AÇO INOX PERFURADO (ENVELOPES CIRURGICOS/ CAMPO/ SOMENTE PARA

             

2

TERMOSSENSÍVEIS) CANETA ROTATIVA, INSTRUMENTAL COM CABO DE PLÁSTICO/ ESPELHO Nº 5/ LIMAS/ BROCAS/ MATERIAL DE CORTE EM GERAL.

 
COM CABO DE PLÁSTICO/ ESPELHO Nº 5/ LIMAS/ BROCAS/ MATERIAL DE CORTE EM GERAL.   121

121

2'

30'

5'

3

BORRACHAS/ LIQÜIDOS(NUNCA INFLAMAVEIS)/LUVAS DE LATEX

     

1213 BORRACHAS/ LIQÜIDOS(NUNCA INFLAMAVEIS)/LUVAS DE LATEX       0 30' 0

0

30'

0

4

 

CICLO DE EMERGÊNCIA, RECOMENDADO PARA MATERIAIS QUE NÃO TIVERAM CONTATO COM O PACIÊNTE, MAS QUE SOMENTE PASSARAM DA VALIDADE DE ESTERILIZAÇÃO E PRECISAM SER ESTERILIZADOS RAPIDAMENTE

 
PASSARAM DA VALIDADE DE ESTERILIZAÇÃO E PRECISAM SER ESTERILIZADOS RAPIDAMENTE       127 0 5'
   

127

0

5'

0

5

NÃO TERMOSNSÍVEIS

INSTRUMENTAL ACONDICIONADO EM CAIXAS DE AÇO INOX PERFURADO.

 
TERMOSNSÍVEIS INSTRUMENTAL ACONDICIONADO EM CAIXAS DE AÇO INOX PERFURADO.       127 2' 10' 5'
   

127

2'

10'

5'

6

ENVOLVIDOS EM ENVELOPE GRAU CIRURGICO/ CAMPOS/ INSTRUMENTOS DE METAL EM GERAL/ GASES/ ALGODÃO/ TECIDOS/ VIDRARIAS/ BORRACHAS.

   
DE METAL EM GERAL/ GASES/ ALGODÃO/ TECIDOS/ VIDRARIAS/ BORRACHAS.       127 2' 12' 5'
 

127

2'

12'

5'

7

LIQÜIDOS/ VIDRARIAS/ BORRACHA (RESISTENTES A TEMPERATURA)

     

1277 LIQÜIDOS/ VIDRARIAS/ BORRACHA (RESISTENTES A TEMPERATURA)       0 15' 0

0

15'

0

SEC

 

SECAGEM COMPLEMENTAR - CASO O MATERIAL AINDA PERMANEÇA ÚMIDO (NÃO DEVE SER EFETUADA EM VIDRARIAS/ BORRACHAS TERMOSENSÍVEIS E LIQUIDOS)

 
ÚMIDO (NÃO DEVE SER EFETUADA EM VIDRARIAS/ BORRACHAS TERMOSENSÍVEIS E LIQUIDOS)       - -
 
ÚMIDO (NÃO DEVE SER EFETUADA EM VIDRARIAS/ BORRACHAS TERMOSENSÍVEIS E LIQUIDOS)       - -
 

-

-

-

5'

ESPECIFICAÇÕES

TERMOSENSÍVEIS - MATERIAIS QUE NÃO SUPORTAM ALTA TEMPERATURA

NÃO TERMOSENSÍVEIS - MATERIAIS QUE SUPORTAM ALTA TEMPERATURA

SUPERFÍCIE - MATERIAIS NÃO EMBALADOS, EXPOSTOS DIRETAMENTE NÃO NECESSITAM PENETRAÇÃO

LIQUIDOS - MATERIAIS LIQUIDOS COM RESERVATÓRIOS ABERTOS (NUNCA INFLAMÁVEIS)

ESPESSURA - MATERIAIS ENVOLVIDOS EM PROTEÇÕES COMO ENVELOPES OU CAMPO, QUE PRECISAM PENETRAÇÃO

OBSERVAÇÕES

CONSULTE A EMBALAGEM OU A BULA DO MATERIAL A SER ESTERILIZADO, VERIFICANDO SUAS CARACTERISTICAS FÍSICAS

E SUA RESISTÊNCIA AO PROCESSO DE ESTERILIZAÇÃO A VAPOR NA TEMPERATURA DO CICLO ESCOLHIDO, SE NÃO HOUVER INFORMAÇÃO NA EMBALAGEM, CONSULTE O FABRICANTE DO PRODUTO

NUNCA USE PAPEL CRAFT OU OUTRA EMBALAGEM IMPERMEAVEL AO VAPOR OU QUE SE DEGENERE PELA UMIDADE E A TEMPERATURA DO PROCESSO PARA EMBALAR OU ENVOLVER OS MATERIAIS A SEREM ESTERILIZADOS

7.3 TABELA REFERENCIAL DE CICLOS – ENTRE 121ºC ATÉ 134ºC

7.3 TABELA REFERENCIAL DE CICLOS – ENTRE 121ºC ATÉ 134ºC

7.4 TABELA REFERENCIAL DE CICLOS COM BOMBA DE VÁCUO – ENTRE 121ºC ATÉ

134ºC

 

TABELA DE REFERÊNCIA PARA ESTERILIZAÇÃO COM BOMBA DE VÁCUO

 

CICLO

 

MATERIAIS A SEREM ESTERILIZADOS

TRATAMENTO

 

ºC

 

TEMPOS

SUPERFICIE

ESPESSURA

LIQÜIDOS

PV

ESTERILIZAÇÃO

SECAGEM

1

TERMOSENSÍVEIS

EM CAIXAS DE AÇO INOX PERFURADO; LIMAS/ BROCAS MATERIAIS DE CORTE EM GERAL

EM CAIXAS DE AÇO INOX PERFURADO; LIMAS/ BROCAS MATERIAIS DE CORTE EM GERAL     121
   

121

2'

20'

5'

 

ENVOLVIDOS EM PROTEÇÕES OU SOBRE BANDEJAS DE AÇO INOX

             

PERFURADO (ENVELOPES CIRURGICOS/

CAMPO/ SOMENTE PARA

PERFURADO (ENVELOPES CIRURGICOS/ CAMPO/ SOMENTE PARA

2

TERMOSSENSÍVEIS) CANETA ROTATIVA, INSTRUMENTAL COM CABO DE PLÁSTICO/ ESPELHO Nº 5/ LIMAS/ BROCAS/ MATERIAL DE CORTE EM

121

2'

30'

5'

GERAL.

 

3

BORRACHAS/ LIQÜIDOS(NUNCA INFLAMAVEIS)/LUVAS DE LATEX

     

1213 BORRACHAS/ LIQÜIDOS(NUNCA INFLAMAVEIS)/LUVAS DE LATEX       0 30' 0

0

30'

0

   

CICLO DE EMERGÊNCIA, RECOMENDADO PARA MATERIAIS QUE NÃO TIVERAM CONTATO COM O PACIÊNTE, MAS QUE SOMENTE PASSARAM DA

MATERIAIS QUE NÃO TIVERAM CONTATO COM O PACIÊNTE, MAS QUE SOMENTE PASSARAM DA      
           

4

VALIDADE DE ESTERILIZAÇÃO E PRECISAM SER ESTERILIZADOS RAPIDAMENTE

127

0

5'

0

5

INSTRUMENTAL ACONDICIONADO EM CAIXAS DE AÇO INOX PERFURADO.

5 INSTRUMENTAL ACONDICIONADO EM CAIXAS DE AÇO INOX PERFURADO.     127 2' 10' 5'
   

127

2'

10'

5'

6

NÃO TERMOSNSÍVEIS

ENVOLVIDOS EM ENVELOPE GRAU CIRURGICO/ CAMPOS/ INSTRUMENTOS DE METAL EM GERAL/ GASES/ ALGODÃO/ TECIDOS/ VIDRARIAS/ BORRACHAS.

 
INSTRUMENTOS DE METAL EM GERAL/ GASES/ ALGODÃO/ TECIDOS/ VIDRARIAS/ BORRACHAS.     127 2' 12' 5'
 

127

2'

12'

5'

7

LIQÜIDOS/ VIDRARIAS/ BORRACHA (RESISTENTES A TEMPERATURA)

     

1277 LIQÜIDOS/ VIDRARIAS/ BORRACHA (RESISTENTES A TEMPERATURA)       0 15' 0

0

15'

0

8

INSTRUMENTAL ACONDICIONADO EM CAIXAS DE AÇO INOX PERFURADO.

8 INSTRUMENTAL ACONDICIONADO EM CAIXAS DE AÇO INOX PERFURADO.     134 2' 4' 5'
   

134

2'

4'

5'

9

 

ENVOLVIDOS EM PROTEÇÕES (ENVELOPE/ GRAU CIRÚRGICO/ CAMPO) INSTRUMENTAL DE METAL EM GERAL

 
EM PROTEÇÕES (ENVELOPE/ GRAU CIRÚRGICO/ CAMPO) INSTRUMENTAL DE METAL EM GERAL     134 2' 7,5'
 

134

2'

7,5'

5'

SEC

SECAGEM COMPLEMENTAR - CASO O MATERIAL AINDA PERMANEÇA ÚMIDO (NÃO DEVE SER EFETUADA EM VIDRARIAS/ BORRACHAS TERMOSENSÍVEIS E LIQUIDOS)

AINDA PERMANEÇA ÚMIDO (NÃO DEVE SER EFETUADA EM VIDRARIAS/ BORRACHAS TERMOSENSÍVEIS E LIQUIDOS)   - -
AINDA PERMANEÇA ÚMIDO (NÃO DEVE SER EFETUADA EM VIDRARIAS/ BORRACHAS TERMOSENSÍVEIS E LIQUIDOS)   - -
 

-

-

-

5'

ESPECIFICAÇÕES

TERMOSENSÍVEIS - MATERIAIS QUE NÃO SUPORTAM ALTA TEMPERATURA

NÃO TERMOSENSÍVEIS - MATERIAIS QUE SUPORTAM ALTA TEMPERATURA

SUPERFÍCIE - MATERIAIS NÃO EMBALADOS, EXPOSTOS DIRETAMENTE NÃO NECESSITAM PENETRAÇÃO

LIQUIDOS - MATERIAIS LIQUIDOS COM RESERVATÓRIOS ABERTOS (NUNCA INFLAMÁVEIS)

ESPESSURA - MATERIAIS ENVOLVIDOS EM PROTEÇÕES COMO ENVELOPES OU CAMPO, QUE PRECISAM PENETRAÇÃO

OBSERVAÇÕES

CONSULTE A EMBALAGEM OU A BULA DO MATERIAL A SER ESTERILIZADO, VERIFICANDO SUAS CARACTERISTICAS FÍSICAS

E SUA RESISTÊNCIA AO PROCESSO DE ESTERILIZAÇÃO A VAPOR NA TEMPERATURA DO CICLO ESCOLHIDO, SE NÃO HOUVER INFORMAÇÃO NA EMBALAGEM, CONSULTE O FABRICANTE DO PRODUTO

NUNCA USE PAPEL CRAFT OU OUTRA EMBALAGEM IMPERMEAVEL AO VAPOR OU QUE SE DEGENERE PELA UMIDADE E A TEMPERATURA

DO PROCESSO PARA EMBALAR OU ENVOLVER OS MATERIAIS A SEREM ESTERILIZADOS

8. MANUTENÇÕES PREVENTIVAS

PARA SE EFETUAR QUALQUER TIPO DE MANUTENÇÃO INTERNA NOS EQUIPAMENTOS, DEVE-SE RETIRAR O GABINETE, RETIRANDO OS 4 PARAFUSOS DA BASE, E LEVANTANDO A TAMPA DO GABINENTE.

DEVE-SE SEGUIR O ROTEIRO ABAIXO PARA UMA MELHOR PERFORMANCE DO EQUIPAMENTO E AS CONDIÇÕES DE ORIGINALIDADE SEJAM GARANTIDAS .

LIMPEZA

A LIMPEZA É DE ESSENCIAL IMPORTÂNCIA PARA SEU EQUIPAMENTO.

RESÍDUOS DE GRAXA E SUJEIRA, PODEM SER FACILMENTE REMOVIDOS COM SABÃO NEUTRO E ÁGUA (MAS DANDO SEMPRE ÊNFASE AO USO DO ÁLCOOL 70%) COM AUXÍLIO DE ESPONJA (MACIA) OU ESCOVA SEMPRE QUE POSSÍVEL, LEMBRANDO QUE NUNCA DEVE-SE USAR PALHA METÁLICA, O QUE PODE GERAR DETRITOS E CAUSAR INCRUSTAÇÕES, SENDO ACELERADOS PELAS CONDIÇÕES TÉRMICAS NA CÂMARA, ALÉM DE GERAR RISCOS NA CÂMARA QUE ARMAZENARIAM SUJEIRA. A CÂMARA DEVE SER INTEIRAMENTE ENXUGADA E SECA, APÓS A LAVAGEM.

LIMPEZAS DIÁRIAS MANTERÃO A SUPERFÍCIE BRILHANTE E AJUDARÃO A PREVENIR O INÍCIO DE UM PROCESSO DE CORROSÃO.

CONTATOS COM METAIS DIFERENTES DEVEM SER EVITADOS SEMPRE QUE POSSÍVEL. ISTO AJUDARÁ A PREVENIR CORROSÃO GALVÂNICA, QUANDO ESTÃO PRESENTES SOLUÇÕES ÁCIDAS OU SALINAS.

A ÁGUA UTILIZADA PARA A ALIMENTAÇÃO DO EQUIPAMENTO DEVE SER DESTILADA OU ISENTA DE CLORETOS, FLUORETOS, OUTROS SAIS MINERAIS E METAIS, POIS ARRASTAM IMPUREZAS PROVENIENTES DAS TUBULAÇÕES E RESERVATÓRIOS DE ÁGUA, QUE IRÃO FAZER DEPÓSITOS, PRINCIPALMENTE NA CÂMARA INTERNA, PODENDO ATACÁ-LA E DIMINUIR SUA VIDA ÚTIL.

COM A LIMPEZA CORRETA, ESTES DEPÓSITOS SERÃO REMOVIDOS E O PROCESSO DE CORROSÃO SERÁ INIBIDO, GARANTINDO A LONGEVIDADE DE SUA CÂMARA.

8.1 DIARIAMENTE:

EFETUAR A LIMPEZA DA JUNTA DE VEDAÇÃO DA PORTA (GUARNIÇÃO) E DA BORDA DA CÂMARA INTERNA, UTILIZANDO ÁLCOOL 70% E UMA FLANELA

(RECOMENDAMOS QUE ESSE PROCEDIMENTO SEJA EXECUTADO ANTES DE CADA CICLO QUE FOR EXECUTADO).

8.2 SEMANALMENTE:

TROQUE A ÁGUA DESTILADA CONTIDA NO RESERVATÓRIO E FAÇA UMA LIMPEZA INTERNA, ALÉM DO ITEM ANTERIOR

8.3 MENSALMENTE:

LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DOS FILTROS E VÁLVULAS, FAZER UM TESTE DE FUNCIONAMENTO DA VÁLVULA DE SEGURANÇA PUXANDO SUA ARGOLA CINCO

VEZES, ALÉM DOS ITENS ANTERIORES

8.4 SEMESTRALMENTE:

LIMPEZA

HIDRÁULICOS, VERIFICAÇÃO DO FECHAMENTO DA PORTA, ALÉM DOS ITENS ANTERIORES

E DESOBSTRUÇÃO DAS TUBULAÇÕES E COMPONENTES

8.5

ANUALMENTE:

DESEMPREGNAÇÃO DOS ELEMENTOS HIDRÁULICOS, TESTE E AVALIAÇÃO HIDROSTÁTICA, AFERIÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE PROTEÇÃO E CONTROLE,

VALIDAÇÃO DOS ELEMENTOS DE SEGURANÇA E CONTROLE, AJUSTE DO SISTEMA DE FECHAMENTO, REAPERTO DOS ELEMENTOS DE FIXAÇÃO.

ATENÇÃO:

TODA E QUALQUER TIPO DE LIMPEZA OU MANUTENÇÃO, DEVE SER EFETUADA COM O EQUIPAMENTO DESLIGADO DA REDE ELÉTRICA.

ADVERTÊNCIA:

O NÃO CUMPRIMENTO NA INTEGRA DESTES ITENS PODEM ACARRETAR FALHA NO PROCESSO, DIMINUIÇÃO CONSIDERÁVEL DA VIDA ÚTIL DO EQUIPAMENTO E ATÉ ACIDENTES.

8.6

FILTROS:

O

FILTRO TEM A FUNÇÃO DE IMPEDIR QUE DETRITOS E RESÍDUOS SEJAM

IMPELIDOS AO SISTEMA HIDRÁULICO DO EQUIPAMENTO, O QUE PODE OCASIONAR ENTUPIMENTOS E OUTROS DANOS. LOCALIZADO DENTRO DA CÂMARA INTERNA, AO FUNDO, ELE PODE SER RETIRADO PARA LIMPEZA COM GRANDE FACILIDADE E PRATICIDADE, BASTANDO-SE APENAS REMOVÊ-LO, TOMANDO AS DEVIDAS PRECAUÇÕES.

--DESLIGAR O EQUIPAMENTO DA REDE ELÉTRICA

--VERIFICAR SE A RESISTÊNCIA SE ENCONTRA EM TEMPERATURA ELEVADA.

-- SE OS PROCEDIMENTOS 2 E 3 FORAM REALIZADOS COM ÊXITO, BASTA

PUXAR O FILTRO COM A MÃO.

OBS: PODE – SE USAR PARA AUXILIO DA LIMPEZA, UMA ESCOVINHA PLÁSTICA PARA A DESEMPREGNAÇÃO DE ELEMENTOS MAIS RÍGIDOS, QUE POSSAM SE FIXAR NESTE

8.7 TROCA DA ÁGUA DO RESERVATÓRIO:

TROQUE A ÁGUA DO RESERVATÓRIO SEMANALMENTE.

1-

LOCALIZE O PARAFUSO DE DRENAGEM DO RESERVATÓRIO, AO FUNDO.

2-

COLOQUE UM RECIPIENTE NA BASE DO PARAFUSO DO DRENO.

3- RETIRE O PARAFUSO E AGUARDE TODO O ESCOAMENTO DA ÁGUA DO RESERVATÓRIO 4- COLOQUE NOVAMENTE O PARAFUSO E LIMPE O RESERVATÓRIO COM ÁLCOOL 70 %.

8.8 SISTEMA DE FECHAMENTO (TRAVAMENTO E VEDAÇÃO):

O SISTEMA DE FECHAMENTO (TRAVAMENTO E VEDAÇÃO) DA PORTA É DE EXTREMA IMPORTÂNCIA PARA GARANTIR AS CONDIÇÕES DE SEGURANÇA DO PROCESSO.

MESMO COM CICLO REALIZADO SOB PRESSÃO CONSIDERADA BAIXA, A FORÇA APLICADA NA EXTENSÃO DA ÁREA DA TAMPA É MUITO ALTA.

PARA TANTO É IMPRESCINDÍVEL QUE O FECHAMENTO E A ABERTURA DAS TAMPAS OCORRAM SEMPRE EM CONDIÇÕES CONFORME AS DE PROJETO.

8.8.1 LUBRIFICAÇÃO

A LUBRIFICAÇÃO DAS PARTES QUE COMPÕEM O SISTEMA DE FECHAMENTO

DAS PORTAS É DE EXTREMA IMPORTÂNCIA, POIS DEPÓSITOS DE SUJEIRA E DE GRAXA VENCIDA PODEM SER FACILMENTE DANIFICAR O ACOPLAMENTO ENTRE AS PARTES MÓVEIS E DE PRECISÃO.

EIXO CENTRAL: PARA SE EFETUAR A LUBRIFICAÇÃO DO EIXO CENTRAL DA PORTA (EIXO SEM FIM), DEVEM SER REMOVIDOS TODOS OS RESÍDUOS DE SUJEIRA E DE GRAXA JÁ UTILIZADA, A FIM DE SE MANTER AS PARTES LIMPAS E

A UTILIZAÇÃO DA GRAXA MOLIKOTE ML G1-2 PARA UMA NOVA LUBRIFICAÇÃO

DOBRADIÇAS: PARA SE EFETUAR A LUBRIFICAÇÃO DAS DOBRADIÇAS, DEVEM

SER REMOVIDOS TODOS OS RESÍDUOS DE SUJEIRA E DE GRAXA JÁ UTILIZADA,

A FIM DE SE MANTER AS PARTES LIMPAS E A UTILIZAÇÃO DA GRAXA MOLIKOTE

ML G1-2 PARA UMA NOVA LUBRIFICAÇÃO.

HASTES DE FECHAMENTO: AS HASTES DE FECHAMENTO, TEM A FUNÇÃO DE EXERCER UMA FORÇA DE APERTO, DA TAMPA NA GUARNIÇÃO, AFIM, DE VEDAR A PASSAGEM DO AR DA CÂMARA INTERNA AO AMBIENTE EXTERNO.

EFETUAR

FECHAMENTO.

O

REAPERTO

DAS

ESFERAS

DE

MOVIMENTO

DAS

HASTES

DE

VERIFICAR A HOMOGENEIDADE DO FECHAMENTO DAS HASTES, AFIM DE SE OBTER UMA HOMOGENEIDADE NA VEDAÇÃO

EFETUAR O REAPERTO DOS PARAFUSOS DE FIXAÇÃO DOS CALÇOS DE AJUSTE DAS HASTES

NUNCA ABRA A PORTA SE O DISPLAY NÃO INDICAR PRESSÃO ZERO

9. ALARMES E ASSISTÊNCIA TÉCNICA

ANTES DE CHAMAR A ASSISTÊNCIA TÉCNICA DEVIDO A INTERRUPÇÕES DE CICLO, ALARMES OU SITUAÇÕES INESPERADAS, CONSULTE AS AÇÕES DE CORREÇAO IMEDIATA PREVISTAS PARA CADA TIPO DE MENSAGEM QUE APARECERÁ NO MOSTRADOR, ACOMPANHADA DO APITO DE ADVERTÊNCIA:

ALARME 0 PODE SER OCASIONADO POR MAU TRAVAMENTO DA PORTA FECHE A PORTA DO EQUIPAMENTO CORRETAMENTE E TENTE NOVAMENTE NA PERSISTÊNCIA DO PROBLEMA CHAME A ASSISTÊNCIA TÉCNICA

ALARME 1 PODE SER OCASIONADO POR FALTA DE ÁGUA NO RESERVATÓRIO VERIFIQUE O NÍVEL DE ÁGUA DO RESERVATÓRIO E TENTE NOVAMENTE NA PERSISTÊNCIA DO PROBLEMA CHAME A ASSISTÊNCIA TÉCNICA

ALARME 2 CHAME A ASSISTÊNCIA TÉCNICA

ALARME 3 CHAME A ASSISTÊNCIA TÉCNICA

ALARME 4 PODE SER OCASIONADO POR SUJEIRA NA GUARNIÇÃO DA PORTA EFETUE A LIMPEZA DA GUARNIÇÃO DA PORTA E TENTE NOVAMENTE NA PERSISTÊNCIA DO PROBLEMA CHAME A ASSISTÊNCIA TÉCNICA

ALARME 5 PODE SER OCASIONADO POR SUJEIRA NA GUARNIÇÃO DA PORTA EFETUE A LIMPEZA DA GUARNIÇÃO DA PORTA E TENTE NOVAMENTE NA PERSISTÊNCIA DO PROBLEMA CHAME A ASSISTÊNCIA TÉCNICA

ALARME 6 CHAME A ASSISTÊNCIA TÉCNICA

ALARME 7 PODE TER SIDO OCASIONADO POR OSCILAÇÕES NA ALIMENTAÇÃO ELÉTRICA, DANDO CERTA INSTABILIDADE AO EQUIPAMENTO, DEVENDO-SE ABORTAR O CICLO, SE O PROBLEMA PERSISTIR, É ACONSELHÁVEL A INSTALAÇÃO DE UM ESTABILIZADOR (LEMBRANDO QUE A FONTE DE ALIMENTAÇÃO DEVE SER PRIORITÁRIA, ISTO É, NÃO DEVE SER DIVIDIDA COM BENJAMINS OU REDES DE APARELHOS).

EM CASO DE TER-SE INTERROMPIDO UM CICLO E O EQUIPAMENTO ESTIVER COM ÁGUA DENTRO DA CÂMARA INTERNA, DEVE-SE SELECIONAR NOVAMENTE O CICLO QUE ESTAVA ANTERIORMENTE, E DEIXAR QUE O MESMO ATINJA APROXIMADAMENTE 0,70 Kgf/cm² DE PRESSÃO, ABORTANDO-O (PRESSIONE SIMULTANEAMENTE <P> E <S>) EM SEGUIDA SELECIONE “H2O”(DESCARGA) PARA QUE A ÁGUA VOLTE AO RESERVATÓRIO.

NA PERSISTÊNCIA DO PROBLEMA CHAME A ASSISTÊNCIA TÉCNICA

PODE SER OCASIONADO POR SUJEIRA NO FILTRO DE DRENAGEM EFETUE A LIMPEZA DO FILTRO E TENTE NOVAMENTE NA PERSISTÊNCIA DO PROBLEMA CHAME A ASSISTÊNCIA TÉCNICA

ALARME 9

PODE TER SIDO OCASIONADO POR TER SE DADO PARTIDA NO CICLO COM A TEMPERATURA DA CÂMARA INTERNA ACIMA DE 70 ºC

AGUARDE O RESFRIAMENTO DO EQUIPAMENTO E TENTE NOVAMENTE NA PERSISTÊNCIA DO PROBLEMA CHAME A ASSISTÊNCIA TÉCNICA

ALARME 10 CHAME A ASSISTÊNCIA TÉCNICA

ALARME 11 CHAME A ASSISTÊNCIA TÉCNICA

ALARMES

ALARME

POSSÍVEIS CAUSAS

FECHAMENTO DA PORTA

MICRO DA PORTA

SENSOR DE TEMPERATURA

SENSOR DE PRESSÃO

SAÍDA VALV. AR

SAÍDA VALV. ÁGUA

SAÍDA RELÉ

ENTUPIMENTO DO DRENO

ENTUPIMENTO DO FILTRO

NÍVEL DO RESERVATÓRIO

RELÉ

TENSÃO INCOMPÁTIVEL

CHAVE GERAL DEFEITUOSA

RESISTÊNCIA QUEIMADA

GUARNIÇÃO

VALV. / FUSIVEL DE SEGURA

TEMPERATURA DE PARTIDA

VALV. ENTRADA ÁGUA

VALV. SAÍDA DE AR

PLUG COM MAL CONTATO

ALARME00

FALHA NO SENSOR DA PORTA

V
V
V
V
                                   

ALARME01

FALTA DE ÁGUA OU FALHA NO SENSOR

   
V
V
V
V
V
V
V
V
 
V
V
V
V
V
V
       
V
V
   
V
V
V
V
 

ALARME02

FALTA DE AQUECIMENTO OU SENSOR

   
V
V
     
-
-
     
-
-
   
-
-
           

ALARME03

SOBRE PRESSÃO

   
V
V
V
V
V
V
 
V
V
     
V
V
V
V
     
V
V
   
V
V
 

ALARME04

SOB PRESSÃO

   
V
V
V
V
V
V
   
ALARME04 SOB PRESSÃO     V V V               V
ALARME04 SOB PRESSÃO     V V V               V
         
V
V
V
V
 
V
V
-
-
 

ALARME05

SOBRE TEMPERATURA

   
V
V
       
ALARME05 SOBRE TEMPERATURA     V         V       -  
ALARME05 SOBRE TEMPERATURA     V         V       -  
ALARME05 SOBRE TEMPERATURA     V         V       -  
V
V
     
-
-
   
V
V
-
-
 

ALARME06

SOB TEMPERATURA

   
V
V
V
V
V
V
                             

ALARME07

TEMPO DE AQUECIMENTO ULTRAPASSADO

   
V
V
V
V
V
V
 
V
V
     
V
V
-
-
 
V
V
V
V
V
V
   
V
V
 

ALARME08

TEMPO DE DESCARGA ULTRAPASSADO

     
V
V
 
V
V
 
V
V
V
V
               
V
V
   

ALARME09

FALHA NO RESFRIAMENTO

   
V
V
             
V
V
         
V
V
   
V
V

ALARME10

SENSOR DE PRESSÃO

     
-
-
                               

ALARME11

SENSOR DE TEMPERATURA

   
V
V
                                 

LIGA CHAVE GERAL E NADA ACONTECE

                     
V
V
             
V
V

LIGA CHAVE GERAL E DISPLAY FICA PISCANDO

                   
V
V
V
V
             
V
V

PRESENÇA DE VAPOR SAINDO PELO GABINETE

                             
V
V
       

AGUA / VAPOR ESCAPANDO PELA PORTA

-
-
-
-
                       
V
V
         

SOBRA DE ÁGUA NO FUNDO DA CÂMARA

             
V
V
-
-
-
-
             
V
V
-
-
 

10. TERMOS DA GARANTIA

A Sercon Indústria e Comercio de Aparelhos Médicos e Hospitalares Ltda., concede garantia a este equipamento, por ela fabricado e comercializado, pelo período de 270 dias, contados a partir do término do prazo legal de 90 dias da data da emissão da nota fiscal de venda ao consumidor, perfazendo um total de 360 dias, desde que o mesmo tenha sido instalado e utilizado conforme orientações contidas no manual de instruções.

Durante o período estipulado, a garantia cobre totalmente a mão de obra e peças no reparo de defeitos devidamente constatados como sendo de fabricação. Somente um técnico autorizado pelo fabricante está habilitado a reparar defeitos cobertos pela garantia, mediante apresentação da nota fiscal original.

O consumidor tem o prazo de 90 dias para reclamar de irregularidades (vícios)

aparentes, de fácil e imediata observação no produto, como os itens que constituem a parte externa e qualquer outra acessível ao usuário.

Peças sujeitas ao desgaste natural, peças plásticas e acessórios em geral tem garantia restrita ao prazo legal de 90 dias.

A GARANTIA COBRE:

Eventuais defeitos do material empregado na fabricação do equipamento

Eventuais defeitos de funcionamento e performance mecânica originados da fabricação

A GARANTIA NÃO COBRE:

A instalação ou utilização do produto em desacordo com as recomendações do manual

do proprietário.

Avarias causadas pela falta de correta conservação do aparelho conforme as orientações

do manual (portanto leia-o atentamente antes de usar o equipamento)

Avarias resultantes da imperícia do operador, uso indevido, quedas, agente da natureza

e acidentes de qualquer natureza

Componentes sujeitos a desgaste natural pelo uso (guarnições, gaxetas, etc.)

Danos causados pela falta de manutenção, limpeza e conservação

Desempenho insatisfatório do produto devido a instalações ou rede elétrica inadequadas. Motores elétricos, chaves elétricas e demais componentes do corpo elétrico. Transporte e remoção de produtos para conserto.

A GARANTIA PERDE SEU EFEITO:

Assistência técnica prestada por pessoas não autorizadas

Inobservância das prescrições constantes do manual de instruções, funcionamento, instalações e manutenção preventiva.

Introdução de modificação e uso de acessórios impróprios e não originais

Pela suspensão ou atraso nos pagamentos das prestações vencidas.

Término do prazo de validade da garantia

GENERALIDADES:

A garantia terá validade pelo prazo acima especificado, contado a partir da data de

aquisição pelo primeiro comprador/consumidor, mesmo que a propriedade do produto

seja transferida.

As peças substituídas sem débito, em decorrência da garantia, são de propriedade do fabricante.

Fica a critério do fabricante a escolha do local de execução do trabalho, sendo de responsabilidade do cliente as despesas de locomoção até a assistência técnica.

O fabricante não se responsabiliza por prejuízos em decorrências da paralisação da

máquina ou de acidente

São de responsabilidade do reclamante as despesas decorrentes de atendimento para as chamadas de assistência técnica quando forem julgadas improcedentes

A SERCON reserva-se ao direito de alterar dados técnicos deste manual em funções de

adequações para a necessidade de mercado.

--------------------------------------- NILSON CORREA DA SILVA RESPONSÁVEL LEGAL

------------------------------------- RENZO LORIS FILIPPI RESPONSÁVEL TÉCNICO