Você está na página 1de 12

www.fisicadivertida.com.

br Professor Ivã Pedro

1-(UNIVASF- 06)Um bloco de massa m, preso a uma mola ideal de constante k = 4000 N/m e apoiado
sobre uma superfície rugosa (com atrito), é colocado inicialmente em uma posição que distende a mola de
10 cm a partir de sua posição de equilíbrio, conforme a figura. Após
ser solto, o bloco desliza e pára em uma posição que comprime a mola de 5 cm. Qual o trabalho realizado
pela força de atrito durante esse deslizamento?
A) - 10 J
B) - 15 J
C) - 20 J
D) - 25 J
E) - 30 J

2-(UNICAMP- 05) Num conjunto arco e flecha, a energia potencial elástica é transformada em energia
cinética da flecha durante o lançamento. A força da corda sobre a flecha é proporcional ao deslocamento
x, como ilustrado na figura.
a) Quando a corda é solta, o deslocamento é x=0,6 m e a força é de 300 N. Qual
a energia potencial elástica nesse instante, em J?
b) Qual será a velocidade da flecha ao abandonar a corda, em m/s? A massa da
flecha é de 50 g. Despreze a resistência do ar e a massa da corda.

3-(FUVEST) Uma partícula é abandonada do repouso de um ponto A de um trilho sem atrito, a uma
altura H acima do solo horizontal. Despreze o efeito do ar. O trilho tem o perfil vertical indicado na figura
e a partícula abandona o trilho em um ponto B com velocidade Vb que forma um ângulo θ= 60º com a
horizontal. A altura do ponto B vale H/2.
Seja h a altura máxima atingida pela partícula após abandonar o trilho e ficar sob ação exclusiva da
gravidade.

O valor de h é

4-(FUVEST) Uma bola de massa m = 2,0kg é projetada horizontalmente com velocidade de módulo V0 =
5,0m/s em um disparador de mola, de massa M = 3,0kg, inicialmente em repouso em um plano horizontal
sem atrito. A mola é elástica e tem massa desprezível.

A bola é travada no interior do disparador no exato instante em que sua velocidade, relativa ao disparador,
se anula. Admita que, neste processo descrito, não há dissipação de energia mecânica. A energia potencial
elástica que ficou armazenada na mola vale:
a) 10,0J b) 15,0J c) 20,0J d) 25,0J e) 30,0J
www.fisicadivertida.com.br Professor Ivã Pedro

5-(UFPE-06) Um rapaz puxa, por 3,0 m, um caixote, aplicando uma força, F = 50 N, com direção oblíqua
em relação à horizontal (ver figura). O caixote se desloca com velocidade constante e em linha reta.
Calcule o trabalho realizado pela força de atrito sobre o caixote,
ao longo do deslocamento, em joules.
a) - 25
b) - 30
c) - 50
d) - 75
e) - 90

6-(UFPE-06)Um esqueitista inicia uma prova no ponto A da pista mostrada na figura. Ele desce a pista
após uma impulsão inicial, que faz com que atinja a altura máxima do seu trajeto no ponto B da pista.
Desprezando qualquer atrito, calcule a velocidade inicial devido à impulsão, em m/s.

a) 2,0 b) 3,0 c) 4,0 d) 5,0 e) 6,0

7-(UFPB-06)Um avião decola e segue, inicialmente, uma trajetória de ascensão retilínea por 3km,
formando um ângulo de 30º com a horizontal. Se a força gravitacional realizou um trabalho de -1,5x108 J,
a massa do avião, em toneladas, vale:
a) 10 b) 4,5 c) 1,0 d) 5 e) 1,5

8-(VUNESP) Uma pedra é lançada por um garoto segundo uma direção que forma um ângulo de 60º com
a horizontal e com energia
cinética inicial E. Sabendo que cos 60º=0,5
e supondo que a pedra esteja sujeita exclusivamente à ação da gravidade, o valor de sua energia cinética
no ponto mais alto da trajetória vale:

9-(FATEC) Um bloco de massa 5,0 kg se move sobre uma superfície horizontal e passa por um ponto A
com velocidade de 10 m/s. Em seguida, atinge uma rampa, como mostra a figura, e sobe até o ponto B,
que está a 2,0 m de altura.

Dado: g =10 m/s2. A energia mecânica dissipada pelo atrito no percurso de A a B, em joules, foi de:
a) 50 b) 100 c) 150 d) 200 e) 250

10- (VUNESP) No lançamento do martelo, os atletas lançam obliquamente uma esfera de metal de pouco
mais de 7 kg. A maioria dos
atletas olímpicos, quando consegue lançar o martelo com um ângulo de aproximadamente 45º com a
horizontal, atinge distâncias de cerca de 80m. Dos valores dados a seguir, assinale o que mais se
aproxima da energia cinética que esses atletas conseguem fornecer ao martelo, em J (adote g = 10 m/s²).
a) 3 b) 30 c) 300 d) 3000 e) 30 000

11-(FATEC) Uma bala de revólver, de massa 20 g, tem velocidade de 200 m/s quando atinge o tronco de
uma árvore nele penetra 25 cm, até
parar. A intensidade da força de resistência do tronco sobre a bala, supondo-a constante, foi, em newtons,
de:
www.fisicadivertida.com.br Professor Ivã Pedro

a) 1,6 . 104 d) 4,0 . 10³


b) 4,0 . 104 e) 8,0 . 10³
c) 1,6 . 10³

12- (FUVEST) Representando-se no eixo das ordenadas a energia potencial e no eixo das abcissas a
energia cinética de um sistema isolado conservativo, ográfico que se obtém é melhor representado por:

13-(VUNESP) Um corpo cai em queda livre, a partir do repouso, sob a ação da gravidade. Se sua
velocidade, depois de perder uma quantidade E de energia potencial gravitacional, é v, podemos concluir
que a massa do corpo é dada por:

14- (FUVEST) Um corpo de massa m é lançado com velocidade inicial v0 na parte horizontal de uma
rampa, como indicado na figura. Ao atingir o ponto A, ele abandona a rampa, com uma velocidade vA
(vAx ; vAy), segue uma trajetória que passa pelo ponto de máxima altura B e retorna à rampa no ponto C.
Despreze o atrito. Sejam hA, hB e hC as alturas dos pontos A, B e C, respectivamente, vB (vBx ; vBy) a
velocidade do corpo no ponto B e vC (vCx ; vCy) a velocidade do corpo no ponto C. Considere as
afirmações:

São corretas as afirmações:


a) todas b) somente I e II
c) somente II, III e IV d) somente II, III, IV e V
e) somente II, III e V

15- (VUNESP) Para tentar vencer um desnível de 0,5 m entre duas calçadas planas e horizontais,
mostradas na figura, um garoto de 50 kg, brincando com um skate (de massa desprezível), impulsiona-se
até adquirir uma
energia cinética de 300 J. Desprezando-se quaisquer atritos e considerando-se g = 10 m/s2, pode-se
concluir que, com essa energia:
www.fisicadivertida.com.br Professor Ivã Pedro

a) Não conseguirá vencer sequer metade do desnível.


b) Conseguirá vencer somente metade do desnível.
c) Conseguirá ultrapassar metade do desnível, mas não conseguirá vencê-lo totalmente.
d) Não só conseguirá vencer o desnível, como ainda lhe sobrarão pouco menos de 30 J de energia
cinética.
e) Não só conseguirá vencer o desnível, como ainda lhe sobrarão mais de 30 J de energia cinética.

16- (UERJ) Na brincadeira conhecida como cabo-de-guerra, dois grupos de palhaços utilizam uma corda
ideal que apresenta um nó no seu ponto mediano. O gráfico abaixo mostra a variação da intensidade da
resultante F das forças aplicadas sobre o nó, em função da sua posição x.

Considere que a força resultante e o deslocamento sejam paralelos.


Determine o trabalho realizado por F no deslocamento entre 2,0 e 9,0m.

17- (UFPE) Um bloco de pedra, de 4,0 toneladas, desce um plano inclinado a partir do repouso,
deslizando sobre rolos de madeira. Sabendo-se que o bloco percorre 12 m em 4,0 s, calcule o trabalho
total, em kJ, realizado sobre o bloco pela força resultante no intervalo de tempo considerado.

18- (UFF) Uma partícula I de massa 0,10 kg é abandonada, com velocidade inicial nula, do topo de uma
calha de comprimento L = 40 cm e com uma inclinação de 30° em relação ao plano horizontal, conforme
ilustra a figura a seguir.

Dados:
sen 30° = 0,50
cos 30° = 0,86
aceleração da gravidade g = 10 m/s2.
www.fisicadivertida.com.br Professor Ivã Pedro

A partícula I alcança o plano horizontal com velocidade de 1,0 m/s.


a) Determine a perda de energia mecânica na descida, em Joules.

A partícula I prossegue movendo-se sobre o plano horizontal, até colidir com a partícula II, inicialmente
em repouso.O gráfico v x t acima, descreve as velocidades de ambas as partículas imediatamente antes,
durante e após a colisão. Não há atrito entre o plano horizontal e as partículas I e II.
Determine:
b) a massa da partícula II, em kg
c) a perda de energia decorrente da colisão, em Joules
d) o módulo da força de interação que age sobre cada uma das partículas, I e II, durante a colisão, em
Newtons

19- (UFRN) Yelenita estava treinando salto com vara para as Olimpíadas de 2004. A seqüência de figuras
a seguir representa fases sucessivas de um dos saltos realizados pela atleta. No salto analisado, o centro de
massa de Yelenita, que antes do salto está aproximadamente a 86 cm do solo, atinge a altura máxima de
4,86 m.

Para as estimativas que serão solicitadas, considere que:

- toda a energia cinética do sistema "Yelenita + vara", no instante imediatamente anterior a ela tocar a
vara no chão, é integralmente convertida em energia potencial elástica da vara;
- a eficiência de conversão da energia potencial elástica da vara em energia potencial gravitacional é de
80%;
- a altura alcançada por Yelenita durante o salto se deve exclusivamente à conversão de energia
explicitada no item anterior;
- a massa da vara é desprezível em comparação com a massa de Yelenita;
- o valor da aceleração da gravidade no local é aproximadamente 10 m/s2.

a) Estime a velocidade de Yelenita antes do salto, no instante imediatamente anterior a ela tocar a vara no
chão.
b) Explicite as transformações de energia que ocorrem desde o instante imediatamente anterior a Yelenita
tocar a vara no chão até o instante imediatamente anterior a ela atingir o colchão após o salto.

20-(UFRJ) Um trenó de massa 50 kg desliza em uma rampa, partindo de uma altura de 5 m em relação à
parte plana mostrada na figura. Ele chega à base da rampa com velocidade de 6 m/s.

a) Qual o trabalho realizado pelo atrito?


b) Com que velocidade ele deveria partir da base para atingir o topo da rampa?

TEXTO PARA AS QUESTÕES 21 e 22


(PUC) ENERGIA
A quase totalidade da energia utilizada na Terra tem sua origem nas radiações que recebemos do Sol.
Uma parte é aproveitada diretamente dessas radiações (iluminação, aquecedores e baterias solares, etc.) e
outra parte, bem mais ampla, é transformada e armazenada sob diversas formas antes de ser usada
(carvão, petróleo, energia eólica, hidráulica, etc).
www.fisicadivertida.com.br Professor Ivã Pedro

A energia primitiva, presente na formação do universo e armazenada nos elementos químicos existentes
em nosso planeta, fornece, também, uma fração da energia que utilizamos (reações nucleares nos reatores
atômicos, etc).
(Antônio Máximo e Beatriz Alvarenga. "Curso de Física". v.2. S. Paulo: Scipione, 1997. p. 433)

21- Considere as afirmações:

I. Calor é energia em trânsito, que passa espontaneamente do corpo mais quente para o mais frio.
II. Trabalho é medida da energia transferida quando há interação entre dois corpos e deslocamento na
direção da força da interação.
III. Calor e trabalho podem ser medidos com uma mesma unidade de medida.

Está correto o que se afirma em:


a) I, somente.
b) I e II, somente.
c) I e III, somente.
d) II e III, somente.
e) I, II e III.

22- A queima do bagaço da cana de açúcar plantada em grandes áreas do estado de São Paulo aquece as
caldeiras de usinas termoelétricas. Uma dessas usinas, ao queimar 40 kg de bagaço por segundo, gera 20
kWh de energia elétrica por segundo. Adotando o poder calorífico da queima do bagaço em 1800 kcal/kg,
pode-se dizer corretamente que a usina em questão opera com rendimento de:
Dado: 1 cal = 4 J

a) 55% b) 45% c) 35% d) 25% e) 15%

23- (UFG) O bloco A da figura desliza sobre uma superfície horizontal sem atrito puxado pelo bloco B. O
fio e a polia são ideais.
O gráfico que representa qualitativamente a energia cinética do sistema em função do tempo a partir do
instante em que o bloco A atinge o ponto P é

24- (UFAL) Uma caixa, de massa 50kg, é transportada em movimento uniforme para o alto por uma
esteira rolante, conforme a figura. A aceleração da gravidade é de 10m/s 2.

Analise as afirmativas seguintes relativas a essa situação.


( ) O trabalho do peso da caixa é nulo.
www.fisicadivertida.com.br Professor Ivã Pedro

( ) O trabalho da força normal à base da caixa é nulo.


( ) A soma dos trabalhos sobre a caixa é nula.
( ) O trabalho da força da esteira sobre a caixa vale, no mínimo, 6,0×10 3J.
( ) Nessa operação, a caixa perde energia potencial gravitacional.

25- (UFPE) Um objeto com massa 1,0 kg, lançado sobre uma superfície plana com velocidade inicial de
8,0 m/s, se move em linha reta, até parar. O trabalho total realizado pela força de atrito sobre o objeto é,
em J:
a) + 4,0 b) - 8,0 c) + 16 d) – 32 e) + 64

26- (UFRGS) Uma pessoa em repouso sobre um piso horizontal observa um cubo, de massa 0,20 kg, que
desliza sobre o piso, em movimento retilíneo de translação. Inicialmente, o cubo desliza sem atrito, com
velocidade constante de 2 m/s. Em seguida, o cubo encontra pela frente, e atravessa em linha reta, um
trecho do piso, de 0,3 m, onde existe atrito. Logo após a travessia deste trecho, a velocidade de
deslizamento do cubo é de 1 m/s. Para aquele observador, qual foi o trabalho realizado pela força de atrito
sobre o cubo?
a) - 0,1 J. b) - 0,2 J. c) - 0,3 J. d) - 0,4 J.
e) - 0,5 J.

27- (UFSC) Em relação ao conceito de trabalho, é CORRETO afirmar que:


(01) quando atuam somente forças conservativas em um corpo, a energia cinética deste não se altera.
(02) em relação à posição de equilíbrio de uma mola, o trabalho realizado para comprimi-la por uma
distância x é igual ao trabalho para distendê-la por x.
(04) a força centrípeta realiza um trabalho positivo em um corpo em movimento circular uniforme, pois a
direção e o sentido da velocidade variam continuamente nesta trajetória.
(08) se um operário arrasta um caixote em um plano horizontal entre dois pontos A e B, o trabalho
efetuado pela força de atrito que atua no caixote será o mesmo, quer o caixote seja arrastado em uma
trajetória em ziguezague ou ao longo da trajetória mais curta entre A e B.
(16) quando uma pessoa sobe uma montanha, o trabalho efetuado sobre ela pela força gravitacional, entre
a base e o topo, é o mesmo, quer o caminho seguido seja íngreme e curto, quer seja menos íngreme e mais
longo.
(32) o trabalho realizado sobre um corpo por uma força conservativa é nulo quando a trajetória descrita
pelo corpo é um percurso fechado.

28- (PUCSP) Uma criança de massa 25 kg, inicialmente no ponto A, distante 2,4 m do solo, percorre, a
partir do repouso, o escorregador esquematizado na figura. O escorregador pode ser considerado um
plano inclinado cujo ângulo com a horizontal é de 37°. Supondo o coeficiente de atrito cinético entre a
roupa da criança e o escorregador igual a 0,5, a velocidade com que a criança chega à base do
escorregador (ponto B) é, em m/s,
Dados: sen 37° = 0,6; cos 37° = 0,8; tg 37° = 0,75

29- (UFSCAR) Nas provas de longa e média distância do atletismo, os corredores mantêm sua
velocidade constante durante a maior parte do tempo. A partir dessa constatação, um estudante de física
afirma que, durante esse tempo, os atletas não gastam energia porque a energia cinética deles não varia.
Essa afirmação é
www.fisicadivertida.com.br Professor Ivã Pedro

a) verdadeira, pois os corredores se mantêm em movimento sem esforço, por inércia.


b) verdadeira do ponto de vista da física, mas falsa do ponto de vista da biologia.
c) falsa, porque a energia cinética do atleta não tem relação com o esforço muscular que ele desenvolve.
d) falsa, pois a energia cinética só se mantém constante graças ao trabalho da força muscular do atleta.
e) verdadeira, porque o trabalho da resultante das forças que atuam sobre o atleta é nulo.

30- (PUCPR) Dois corpos A e B, sendo mA > mB , caem simultaneamente da sacada de um prédio de
altura 30m.

Durante a queda, considere que as únicas forças atuantes sobre os corpos sejam seus respectivos pesos. É
correto afirmar:
a) 0,5 s após a queda, a energia cinética do corpo A é maior que a energia cinética do corpo B.
b) A velocidade do corpo A, imediatamente antes de tocar o solo, é maior que a velocidade do corpo B.
c) Considerando o piso como nível de referência, no instante da queda, a energia potencial gravitacional
do corpo A é igual a energia potencial gravitacional do corpo B.
d) O corpo A chega no solo antes que o corpo B.
e) O corpo A chega no solo depois que o corpo B.

31- (PUCSP) A figura representa o perfil de uma rua formada por aclives e declives. Um automóvel
desenvolvia velocidade de 10 m/s ao passar pelo ponto A, quando o motorista colocou o automóvel "na
banguela", isto é, soltou a marcha e deixou o veículo continuar o movimento sem ajuda do motor.
Supondo que todas as formas de atrito existentes no movimento sejam capazes de dissipar 20% da energia
inicial do automóvel no percurso de A até B, qual a velocidade do automóvel, em m/s, ao atingir o ponto
B?

32- (UERJ) Uma mola, que apresenta uma determinada constante elástica, está fixada verticalmente por
uma de suas extremidades, conforme figura 1.
Ao acloparmos a extremidade livre a um corpo de massa M, o comprimento da mola foi acrescido de um
valor X, e ela passou a armazenar uma energia elástica E, conforme figura 2.
Em função de X2, o gráfico que melhor representa E está indicado em:
www.fisicadivertida.com.br Professor Ivã Pedro

33-(UFC) Um carro acelera, a partir do repouso, até uma velocidade de 30 km/h, gastando, para isso, uma
energia E1. A seguir, acelera de 30 km/h até alcançar 60 km/h, gastando, para tal, uma energia E2.
Considerando que todas as condições externas (atrito, resistência do ar etc.) são idênticas nos dois trechos
do percurso, compare as energias gastas nos dois trechos e indique a alternativa correta.

34- (UFF) O salto com vara é, sem dúvida, uma das disciplinas mais exigentes do atletismo. Em um único
salto, o atleta executa cerca de 23 movimentos em menos de 2 segundos. Na última Olimpíada de Atenas
a atleta russa, Svetlana Feofanova, bateu o recorde feminino, saltando 4,88 m.
A figura a seguir representa um atleta durante um salto com vara, em três instantes distintos.

Assinale a opção que melhor identifica os tipos de energia envolvidos em cada uma das situações I, II, e
III, respectivamente.
a) - cinética - cinética e gravitacional - cinética e gravitacional
b) - cinética e elástica - cinética, gravitacional e elástica - cinética e gravitacional
c) - cinética - cinética, gravitacional e elástica - cinética e gravitacional
d) - cinética e elástica - cinética e elástica - gravitacional
e) - cinética e elástica - cinética e gravitacional - gravitacional

35-(UFMG) Da janela de seu apartamento, Marina lança uma bola verticalmente para cima, como mostra
a figura adiante.Despreze a resistência do ar. Assinale a alternativa cujo gráfico melhor representa a
velocidade da bola em função do tempo, a partir do instante em que ela foi lançada.
www.fisicadivertida.com.br Professor Ivã Pedro

36- (UFRJ) Um pequeno veleiro, de massa total equivalente a 700 kg, possui, no seu diário de bordo do
dia 10 de fevereiro, a seguinte tabela:

A variação de energia cinética do veleiro, no referido intervalo de tempo, em joule foi de


a) 6562,5. b) 6570,5. c) 6370,5.
d) 6507,5. e) 6053,5.

37- (UFSM) Um corpo de massa de 1 kg é abandonado a partir do repouso, no ponto A, situado a 5 m de


altura em relação a B, conforme a figura. O corpo atinge o ponto B somente deslizando com o módulo da
velocidade de 8 m/s. Considerando g = 10 m/s2, pode-se afirmar que a variação da energia mecânica é, em
J,

a) -32 b) -18 c) 0 d) 18 e) 32

38- (UNIFESP) Uma criança de massa 40 kg viaja no carro dos pais, sentada no banco de trás, presa pelo
cinto de segurança. Num determinado momento, o carro atinge a velocidade de 72 km/h.
Nesse instante, a energia cinética dessa criança é
a) igual à energia cinética do conjunto carro mais passageiros.
b) zero, pois fisicamente a criança não tem velocidade, logo, não tem energia cinética.
c) 8 000 J em relação ao carro e zero em relação à estrada.
d) 8 000 J em relação à estrada e zero em relação ao carro.
e) 8 000 J, independente do referencial considerado, pois a energia é um conceito absoluto.

39- (UFBA) Assinale V ou F para os itens abaixo.


( ) Uma bomba de 0,5kW de potência útil eleva 1000,0 litros de água por minuto até uma altura de
3,0m, considerando-se a densidade absoluta da água igual a 1,0g/cm3 e o módulo da aceleração
da gravidade, 10,0m/s2.
( ) O equivalente mecânico de calor pode ser obtido com a transformação integral da variação
da energia potencial gravitacional — de um corpo preso a uma corda que cai de uma certa altura — em
energia interna da água do calorímetro, devido à agitação provocada pelas pás introduzidas nesse
recipiente.
( ) O vapor da água é a substância operante que realiza conversão de energia térmica em energia
mecânica para produzir a rotação da turbina da usina termoelétrica.
( ) “... Dentro da usina, o gás move 24 motores geradores que têm potência de 22,6MW e consomem,
por hora, 10 milhões de litros de gás...”
A energia liberada na combustão de 10 milhões de litros de gás é equivalente a 2,26.104kWh.
( ) Com rendimento de 77%, a obtenção de 21 bilhões de joules proveniente da combustão de etanol de
milho, produzido
utilizando-se somente carvão mineral — cujo calor de combustão é 1,6.107J/kg — demandaria
a queima de, aproximadamente, uma tonelada desse carvão.
( ) Um ciclo biogeoquímico que dissipa 3∕5 da energia total tem rendimento de 40%
( ) O bombeamento de 1,0m3/s de água do leito do rio São Francisco até o ápice da Chapada do
Araripe, a 160,0m de altura — considerando-se a aceleração da gravidade, 10m/s2 e a densidade da água,
1kg/dm3 — consumiria 16MJ de energia a cada segundo.
www.fisicadivertida.com.br Professor Ivã Pedro

( ) A energia fornecida por um acarajé, 720kJ, se fosse utilizada para acender uma lâmpada de
especificação 60W–120V a faria funcionar por, aproximadamente, 12,3 horas.
( ) Um pedaço de bloco de 4,0.105dy abandonado de um prédio, a uma altura de 75,0m, chega ao solo
com energia de 0,3kJ.
( ) O grão de trigo — ao ser abandonado da esteira, em posição vertical, de uma altura de 1,25m, em um
local onde a aceleração da gravidade é 10m/s2 — alcança, ao chegar ao solo, uma velocidade de módulo
igual a 5,0m/s.
( ) A potência média desenvolvida por um operário que pesa 750N e sobe, em 30s, a escada
de uma construção, composta de 30 degraus idênticos, cada um com 20cm de altura, é igual a 150W.
( ) O atleta que realiza uma prova de salto com vara converte, no início da prova, energias
potenciais –– gravitacional e elástica –– em energia cinética.

40- (UFPE 08) Um pequeno bloco de massa m é largado, a partir do repouso, do ponto A, como mostrado
na figura. O bloco desliza, com atrito, dentro de uma semicalota esférica de raio R até o ponto B, onde
atinge o repouso. Considerando g, a aceleração da gravidade, calcule o trabalho realizado pela força peso
do bloco, ao longo do percurso AB.

A) − mgR/3
B) 0
C) mgR/3
D) 2mgR/3
E) mgR

41- (UFRN 09) O conceito de energia é considerado fundamental para a ciência. No entanto, as
variações de energia só são percebidas nos processos de transformação desta, durante a realização de um
trabalho e/ou a transferência de calor. Para ilustrar a afirmação acima, considere que um caixote está
sendo empurrado, ao longo de uma distância de 9,0 m, sobre o piso horizontal de um armazém, por um
operário que realiza uma força horizontal constante de 100,0 N. Considere, ainda, que existe uma força de
atrito de 90,0N, produzida pelo contato entre o piso e o caixote.
Dados:
* Trabalho realizado sobre um corpo por uma força constante: W = Fd cos θ , onde F é
o módulo da força que atua sobre o corpo, d é o módulo do vetor deslocamento do corpo e o ângulo
entre a força e o vetor deslocamento.
* Teorema do trabalho-energia: W Fr= ∆E , onde Fr é o módulo da força resultante. A partir dessas
informações, calcule
A) o trabalho realizado pelo operário sobre o caixote;
B) o trabalho que é convertido em energia térmica;
C) a variação da energia cinética do caixote no processo.

42- (UFPE 08) Considere uma partícula em queda livre no vácuo. Em um dado instante, a velocidade da
partícula vale v1, a energia cinética vale 4 J e a energia potencial gravitacional vale - 1 J. Em um instante
posterior, a velocidade vale v2 e a energia potencial gravitacional vale - 33 J. Calcule a razão v2/v1.

43- (UFPE 08) Um elevador de massa mE = 200 kg tem capacidade máxima para 6 pessoas, cada uma
com massa mP = 70 kg. Como forma de economizar energia há um contra-peso de massa mCP= 220 kg.
Calcule a potência mínima que o moto deve desenvolver para fazer com que o
elevador possa subir com a carga máxima e velocidade constante v = 0,5 m/s.
Expresse o resultado em kW.
www.fisicadivertida.com.br Professor Ivã Pedro

44- (UFPE 09) Um pequeno bloco, posto em movimento a partir do ponto A com velocidade
v0 = 6 m/s, desliza sem atrito até o ponto B, onde a sua velocidade é v. O intervalo de tempo de trânsito
entre A e B é ∆t = 1,0 s. Calcule a componente horizontal da aceleração média do bloco, entre os pontos
A e B, em m/s2.
Despreze a resistência do ar.

45- (UESC 06)Considere-se uma esfera com massa de 1,0kg, abandonada a partir do repouso em um
tubo transparente que tem uma mola, de constante elástica 200,0N/m, fixada na sua base
inferior, conforme a figura. Desprezando-se a energia dissipada e sabendo-se que o módulo da
aceleração da gravidade local é de 10m/s2, a deformação produzida na mola, x, decorrente da
conversão de energia, pode ser equacionada como sendo
01) 10x2 + x – 1 = 0 02) 10x2 - x – 1 = 0
03) 10x + 10x + 1 = 0 04) 20x2 + x – 10 = 0
2

05) 20x2 - 10x – 10 = 0

46- (UFV 05) Um bloco de massa 2,0 kg sobe a rampa ilustrada na figura abaixo, comprimindo uma mola
de constante elástica k = 200 N/m, até parar em B.

Sabe-se que a velocidade do bloco em A era 8,0 m/s e que não houve quaisquer efeitos dissipativos no
trecho entre os pontos A e B. Considerando-se a aceleração da gravidade local igual a 10 m/s2 , pode-se
afirmar que a compressão máxima da mola terá sido:
a) 0,60 m b) 0,65 m c) 0,50 m d) 0,80 m e) 0,85 m

GABARITO
1-b 2- a) 90 b) 60 3- c 4- d 5-d 6-e 7-a 8- b 9- c 10-d 11-c 12-c 13-b 14-e
15-e 16-190 17-72 18- a) 0,15 b) 0,10 c) 1,6 × 102 d) 40 19- a) v = 10 b) I - a
energia cinética do conjunto (Yelenita + vara) é transformada em energia potencial elástica da vara.
II - a energia potencial elástica da vara é transformada em energia cinética, energia potencial
gravitacional e energia térmica (dissipação).
III - e energia cinética é transformada em energia potencial gravitacional.
IV - a energia potencial gravitacional é transformada em energia cinética.
20- a) -1600 b) 12, 8 21-e 22-d 23-a 24- F V F V F 25-d 26-c 27-50 28-d 29-d
30-a 31-e 32-a 33-d 34-c 35-c 36-a 37-b 38-d
39 –VVVVVVFFVVVF 40- d 41- discursiva 42- 03 43- 02 44- 04 45- 04 46- a