Você está na página 1de 83

física

eletricidade e física moderna


QUESTÕES DE VESTIBULARES
2009.1 (1o semestre)
2009.2 (2o semestre)

sumário
ELETROSTÁTICA
VESTIBULARES 2009.1 ....................................................................................................................... 2
VESTIBULARES 2009.2 ..................................................................................................................... 16

ELETRODINÂMICA
VESTIBULARES 2009.1 ..................................................................................................................... 20
VESTIBULARES 2009.2 ..................................................................................................................... 39

MAGNETISMO
VESTIBULARES 2009.1 ..................................................................................................................... 45
VESTIBULARES 2009.2 ..................................................................................................................... 66

FÍSICA MODERNA
VESTIBULARES 2009.1 ..................................................................................................................... 72
VESTIBULARES 2009.2 ..................................................................................................................... 81

japizzirani@gmail.com
ELETRICIDADE: (VUNESP/UNISA-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Uma particula, de massa 1.10–5 kg e eletrizada com carga 2 C,e
ELETROSTÁTICA abandonada no ponto A de um campo eletrico uniforme E, cujas
VESTIBULARES 2009.1 linhas de força e superficies equipotenciais estao representadas
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 16 na figura.

(UFABC-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Com relação à ocorrência de uma descarga elétrica na atmosfe-
ra, analise:
I. objetos pontiagudos como o pára-raios estão mais propensos
a dissipar cargas elétricas, pois, devido a sua forma, as cargas
elétricas livres tendem a se acumular nesse local, em um pro-
cesso conhecido como “poder das pontas”;
II. o processo de acúmulo de cargas na atmosfera assemelha-se
ao processo de carga de duas placas condutoras paralelas que
possuem um dielétrico entre elas. Quando o raio ocorre, diz-se
que o dielétrico, no caso o ar, foi rompido, passando a conduzir; A velocidade com que atingirá o ponto B, em m/s, será de
III. o interior de corpos metálicos, como um carro, constitui um *a) 4.
ambiente seguro contra raios que neles incidam, devido ao fato b) 6.
de o campo elétrico no interior desses corpos ser nulo. c) 10.
É correto o contido em d) 16.
a) I, apenas. e) 20.
b) I e II, apenas.
c) I e III, apenas.
(UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: A
d) II e III, apenas.
A figura mostra uma carga Q fixa, e uma pequena carga de pro-
*e) I, II e III.
va, positiva, q que foi abandonada nas proximidades de Q. Na
situação mostrada q se desloca para a direita sob a ação exclu-
(PUCRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: D siva do campo elétrico criado por Q.
Dois objetos metálicos esféricos idênticos, contendo cargas elé- A figura também mostra as superfícies equipotenciais (linhas
tricas de 1C e de 5C, são colocados em contato e depois afasta- pontilhadas) do campo elétrico criado por Q, bem como seus
dos a uma distância de 3 m. Considerando a Constante de valores relativos ao infinito.
Coulomb k = 9 x 109 N m2/C2, podemos dizer que a força que
atua entre as cargas após o contato é:
a) atrativa e tem módulo 3 x 109 N.
b) atrativa e tem módulo 9 x 109 N.
c) repulsiva e tem módulo 3 x 109 N.
*d) repulsiva e tem módulo 9 x 109 N.
e) zero.

(PUCRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Duas esferas idênticas, carregadas com cargas Q = 30 C, es-
tão suspensas a partir de um mesmo ponto por dois fios isolan-
tes de mesmo comprimento como mostra a figura.

Pode-se afirmar que


*a) Q é positiva, e o trabalho da força de Q sobre q é positivo.
b) Q é positiva, e o trabalho da força de Q sobre q é negativo.
c) Q é negativa, e o trabalho da força de Q sobre q é positivo.
d) Q é negativa, e o trabalho da força de Q sobre q é negativo.
e) com as informações dadas não é possível determinar o sinal
de Q.

(VUNESP/UNINOVE-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Duas esferas ocas, de mesmos raio e material, eletrizadas inici-
almente com cargas Q e –3Q, são mantidas a uma distância d tal
Em equilíbrio, o ângulo , formado pelos dois fios isolantes com que não haja indução elétrica de uma sobre a outra. O meio onde
a vertical, é 45O. Sabendo que a massa de cada esfera é de 1 kg, as esferas se encontram tem constante dielétrica k.
que a Constante de Coulomb é k = 9 x 109 N m2/C2 e que a Procede-se a ligação delas mediante um cabo condutor até que
seja estabelecido o equilíbrio eletrostático. O campo elétrico no
aceleração da gravidade é g = 10 m/s2, determine a distância ponto médio do segmento de reta que liga uma esfera a outra
entre as duas esferas quando em equilíbrio. terá, então, a intensidade
Lembre-se de que = 10–6 . *a) zero.
a) 1,0 m b) 2kQ/d2.
*b) 0,9 m
c) kQ/d2.
c) 0,8 m
d) 0,7 m d) kQ/2d2.
e) 0,6 m e) kQ/4d2.

japizzirani@gmail.com 2
(PUCPR-2009.1) - ALTERNATIVA: E (VUNESP/UNINOVE-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Atualmente é grande o interesse na redução dos impactos Considere um hexágono regular, de lados , em que quatro vér-
ambientais provocados pela agricultura através de pesquisas, tices são ocupados por cargas fixas Q, iguais em valor absoluto.
métodos e equipamentos. O meio que o envolve tem constante dielétrica k.
Entretanto, a aplicação de agrotóxicos praticada continua extre-
mamente desperdiçadora de energia e de produto químico. O
crescente aumento dos custos dos insumos, mão-de-obra, ener-
gia e a preocupação cada vez maior em relação à contaminação
ambiental têm realçado a necessidade de uma tecnologia mais
adequada na colocação dos agrotóxicos nos alvos, bem como
de procedimentos e equipamentos que levem à maior proteção
do trabalhador. Nesse contexto, o uso de gotas com cargas elé-
tricas, eletrizadas com o uso de bicos eletrostáticos, tem-se mos-
trado promissor, uma vez que, quando uma nuvem dessas partí-
culas se aproxima de uma planta, ocorre o fenômeno de indução, A diferença de potencial elétrico entre os pontos A e B, não ocu-
e a superfície do vegetal adquire cargas elétricas de sinal oposto pados por cargas, vale
ao das gotas. Como conseqüência, a planta atrai fortemente as a) 4 kQ .
gotas, promovendo uma melhoria na deposição, inclusive na parte b) –4 kQ .
inferior das folhas. c) 2 kQ .
d) –2 kQ .
*e) zero.

(VUNESP/UNICID-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Cinco cargas pontuais, de mesmo módulo, são dispostas de modo
a formar um quadrado de lado L; quatro cargas estão fixas nos
vértices do quadrado e uma quinta, em equilíbrio, exatamente no
centro do quadrado.

Pode-se afirmar que


a) as cargas 1 e 2 têm sinal oposto.
A partir da análise das informações, é CORRETO afirmar: b) as cargas 1 e 5 têm o mesmo sinal.
a) As gotas podem estar neutras que o processo acontecerá da c) o potencial elétrico no centro do quadrado é nulo.
mesma forma. d) o potencial elétrico no vértice em que se encontra a carga 3 é
b) O fenômeno da indução descrito no texto se caracteriza pela nulo.
polarização das folhas das plantas, induzindo sinal igual ao da *e) o potencial elétrico no vértice em que se encontra a carga 4
carga da gota. depende de L.
c) Quanto mais próximas estiverem gotas e folha menor será a
força de atração. (UFF/RJ-2009.1) - ALTERNATIVA: A
d) Existe um campo elétrico no sentido da folha para as gotas. Três esferas metálicas, apoiadas em suportes isolantes, são co-
*e) Outro fenômeno importante surge com a repulsão mútua en- locadas próximas, como no desenho abaixo, porém sem se toca-
tre as gotas após saírem do bico: por estarem com carga de rem. Um bastão carregado positivamente é aproximado da pri-
mesmo sinal, elas se repelem, o que contribui para uma melhoria meira esfera.
na distribuição do defensivo nas folhas.

(VUNESP/UNINOVE-2009.1) - ALTERNATIVA: B
A distância entre duas placas planas e paralelas é de 1,0 cm.
O potencial elétrico dos pontos da placa A é nulo e o da placa B
é 220 V. O ponto C está localizado bem no centro e a meia dis-
tância das placas. A intensidade, em V/m, do campo elétrico em
C está corretamente representada na alternativa:

Assinale o diagrama que melhor representa a distribuição de


cargas nas esferas.

*a) d)

a) 2,2.105.
b) e)
*b) 2,2.104.
c) 2,2.103.
d) 2,2.102. c)
e) 2,2.10.

japizzirani@gmail.com 3
(UFERJ/UNIRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: B (UFOP-2009.1) - ALTERNATIVA: B
“Como é que um corpo interage com outro, mesmo à distância?” Experimento - Força elétrica, F, em Newtons, entre duas cargas
Com o desenvolvimento da idéia de Campo Gravitacional criado puntiformes iguais, mantidas no vácuo, em função da distância,
por uma massa, passou a se explicar a força de atração d, entre elas.
gravitacional com mais clareza e melhor entendimento: uma por-
ção de matéria cria em torno de si um campo gravitacional, onde
cada ponto é associado um vetor aceleração da gravidade. Quan-
do um outro corpo é colocado neste ponto, passa a sofrer a ação
de uma força de origem gravitacional.

PRIMEIRA FIGURA

O módulo das cargas puntiformes utilizadas no experimento é:


Idéia semenhante se aplica para o campo elétrico gerado por a) (200)0,5 C
uma carga Q, com uma carga de prova q colocada num ponto P. *b) (20)0,5 C
próxima a Q, que sofre a ação de uma força elétrica F. c) (2)0,5 C
SEGUNDA FIGURA d) (0,2)0,5 C

(FUVEST-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Uma barra isolante possui quatro encaixes, nos quais são colo-
cadas cargas elétricas de
mesmo módulo, sendo as
Fig 6 2009 ETO
TERCEIRA FIGURA positivas nos encaixes
claros e as negativas nos
encaixes escuros. A cer-
ta distância da barra, a di-
Fig 5 2009 ETO reção do campo elétrico
Com relação às três figuras, na ordem em que elas aparecem e, está indicada na figura à
ainda com relação ao texto enunciado, analise as afirmativas esquerda. Uma armação foi construída com
abaixo. quatro dessas barras, formando um quadra-
I - Para que o corpo de massa m seja atraido pela Terra, é neces- do, como representado à direita. Se uma carga positiva for colo-
sário que ele esteja eletrizado. cada no centro P da armação, a força elétrica que agirá sobre a
II - Para que a carga elétrica q da segunda figura seja submentida carga terá sua direção e sentido ndicados por
à força indicada, é necessário que ela esteja carregada positiva- Desconsidere eventuais efeitos de cargas induzidas.
mente.
Fig 7 2009 ETO
III - Se o corpo de massa m, da primeira figura, estiver negativa-
mente carregado, ele sofrerá uma força de repulsão.
IV - Não importa a carga do corpo de massa m, da primeira figu-
ra, matéria sempre atrai matéria na razão inversa do produto de
suas massas.
V - A carga elétrica q, na terceira figura, com toda certeza é ne- a) Força nula *b) c) d) e)
gativa.
Pode-se afirmar que
a) somente IV é verdadeira. (IMT/MAUÁ-2009.1) - RESPOSTA: a) zero b) QA = 2Q/3 e
*b) somente II e V são verdadeiras.
c) somente II, III e V são verdadeiras. QB = 4Q/3
d) somente I e IV são verdadeiras. Considere duas superfícies esféricas concêntricas A e B, de rai-
e) todas são verdadeiras. os R e 2R, respectivamente. Cada uma delas tem a carga elétri-
ca positiva Q.

(UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: A
A força de atração entre duas cargas elétricas pontuais, quando
estão separadas por 5,0 cm, é de 20 N. Encontre o valor da força
quando elas estiverem separadas por 10 cm.
*a) 5,0 N
b) 40 N a) Determine o campo elétrico no interior da superfície A.
c) 10 N b) Num dado instante as superfícies são conectadas por um fio
d) 15 N condutor. Qual passará a ser a carga de cada superfície após ter
e) 1,0 N sido atingido o equilíbrio eletrostático?

japizzirani@gmail.com 4
(UNEMAT/MT-2009.1) - ALTERNATIVA: B (MACKENZIE-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Na figura abaixo, as cargas elétricas Q e q isoladas e alinhadas As armaduras de um capacitor plano, distanciadas entre si de
horizontalmente são respectivamente carga principal (fonte) e 1,00 mm, estão submetidas a uma d.d.p. de 1,67 kV. Em um
carga de prova. certo instante, um próton (m = 1,67 × 10–27 kg; q = + e = 1,60 ×
10–19 C) chega ao ponto A com energia de 3,34 × 10 –1 MeV,
segundo a direção orientada do eixo x. O ponto A é a origem do
sistema de referências. No ponto de abscissa x = 4,00 mm, a
ordenada de sua posição é, segundo o referencial indicado na
Nessa situação pode-se afirmar que
figura, aproximadamente igual a
a) Q < 0 e q < 0.
a) + 0,20 m
*b) Q > 0 e q < 0. Desprezar os efeitos
b) – 0,20 m gravitacionais e os efeitos
c) Q < 0 e q neutra.
c) + 2,00 m relativísticos
d) Q > 0 e q > 0.
d) – 2,00 m
e) Q < 0 e q > 0.
*e) – 20,0 m Dado: 1 MeV = 1,6.10–13 J
(UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 29 (01+04+08+16)
Considere duas placas condutoras, paralelas e infinitas, dispos-
tas horizontalmente a uma distância d uma da outra. As placas
(UFPR-2009.1) - RESPOSTA: X = 0,5 m
possuem a mesma densidade de carga superficial e de sinais
Duas esferas com cargas Q estão fixas e separadas por uma
opostos e estão imersas no vácuo.
distância X. Acima delas é colocada uma terceira esfera de mas-
Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).
sa m e carga q, de modo que, no equilíbrio, elas ficam dispostas
01) O módulo do vetor campo elétrico na região entre as placas é
conforme mostrado na figura abaixo.
diretamente proporcional à densidade superficial de carga nas
mesmas.
02) Uma partícula carregada, lançada paralelamente às placas e
entre elas, descreve uma trajetória hiperbólica.
04) A função x(t) da posição horizontal em relação ao tempo t do
movimento de uma partícula carregada, lançada paralelamente
às placas e entre elas, é linear.
08) A trajetória de uma partícula carregada, lançada paralelamente
às placas e entre elas, é representada pela função y = cx2 , em
que c é uma constante.
16) A função y(t) da posição vertical em relação ao tempo t do
movimento de uma partícula carregada, lançada paralelamente
às placas e entre elas, é quadrática. As duas esferas inferiores possuem cargas iguais a 4,0 x 10–8 C
cada uma, enquanto que a esfera superior possui carga igual a
(UEM/PR-2009) - RESPOSTA: SOMA = 13 (01+04+08)
2,5 x 10–6 C e massa igual a 1,08 g. Sabendo que o ângulo é
Considere um capacitor de placas paralelas com vácuo entre as
placas. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s). igual a 60°, calcule a distância X entre as esferas inferiores para
essa configuração das três cargas. (Adote g = 10 m/s2 e k = 9 ×
Considere a permissividade elétrica no vácuo
109 N.m2/C2 - dados não fornecidos na prova)
0 = 8,9 × 10–12 C2 N–1 m–2.
01) No capacitor, os valores nominais (C e V) especificam a ca-
pacidade e a máxima diferença de potencial que esse suporta
sem romper sua rigidez dielétrica. (UFSC-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 26 (02+08+16)
02) Quando o capacitor está completamente carregado, o cam- Duas esferas condutoras isoladas têm raios R e 2R e estão afas-
po elétrico entre as placas do capacitor é nulo. tadas por uma distância a. Inicialmente, a esfera maior tem um
excesso de carga positiva +q e a menor está neutra. Encosta-se
04) Para um capacitor com placas de área S = 150,0 cm2 e uma
uma esfera na outra e, em seguida, as duas são reconduzidas à
distância entre elas de 0,5 mm, a capacidade do capacitor é 26,7
posição inicial.
× 10–11 F. Nesta última situação, é CORRETO afirmar que:
08) Se ligarmos o capacitor a uma bateria, a carga máxima que 01. a força eletrostática entre as esferas é k0.q2 (4a2).
pode ser armazenada no mesmo depende da diferença de po-
02. a esfera menor tem carga +q 3 e a maior, +2q 3.
tencial fornecida pela bateria.
04. o potencial elétrico na esfera maior é a metade do valor do
16) A carga máxima que pode ser armazenada em um capacitor
potencial na esfera menor.
com valores nominais de 10,0 × 10–12 F e 5 V é 5,0 × 10–11 C e a 08. todo o excesso de carga da esfera menor está localizado na
energia potencial acumulada no capacitor, nessa condição, é 2,5 sua superfície.
× 10–9 J. 16. o campo elétrico no interior da esfera menor é nulo.
32. a diferença de potencial entre quaisquer dois pontos da esfe-
(MACKENZIE-2009.1) - ALTERNATIVA: C ra maior é diferente de zero.
Considere os pontos A e B do campo elétrico gerado por uma
carga puntiforme positiva Q no vácuo (kO = 9.109 N.m2/C2). Uma
outra carga puntiforme, de 2 C, em repouso, no ponto A, é leva- (UERJ-2009.1) - RESPOSTA: EC = 1010 eV 1,0 × 103 eV
da com velocidade constante ao ponto B, realizando-se o traba- Um elétron deixa a superfície de um metal com energia cinética
lho de 9 J. igual a 10 eV e penetra em uma região na qual é acelerado por
O valor da carga Q, que cria o campo, é
um campo elétrico uniforme de intensidade igual a 1,0 × 104 V/m.
a) 10 C
Considere que o campo elétrico e a velocidade inicial do elétron
b) 20 C
têm a mesma direção e sentidos opostos.
*c) 30 C
Calcule a energia cinética do elétron, em eV, logo após percorrer
d) 40 C
os primeiros 10 cm a partir da superfície do metal.
e) 50 C
Considere 1eV = 1,6 × 10–19 J e carga do elétron = 1,6 10–19 C.

japizzirani@gmail.com 5
(UFU-2009.1) - RESPOSTA: 1F; 2V; 3F; 4V (ITA-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Considere um sistema composto de uma esfera condutora de Uma partícula carregada negativamente está se movendo na di-
raio R, disposta concentricamente no interior de uma casca esfé- reção +x quando entra em um campo elétrico uniforme atuando
rica condutora de raios 3R e 4R, conforme figura abaixo. A esfera nessa mesma direção e sentido. Considerando que sua posição
não possui contato com a casca esférica. em t = 0 s é x = 0 m, qual gráfico representa melhor a posição da
partícula como função do tempo durante o primeiro segundo?
a) b)

x x

t t
c) d)

Sabendo-se que a esfera de raio R está eletricamente carregada


com uma carga +Q e que a casca esférica está eletricamente x x
carregada com uma carga +15Q, marque para as alternativas
abaixo (V) Verdadeira ou (F) Falsa.
1 ( ) As cargas elétricas, na superfície da esfera (raio R), na
superfície interna da casca esférica (raio 3R), e na superfície t t
externa da casca esférica (raio 4R) valem, respectivamente, +Q, *e) b)
-Q e 0.
2 ( ) O esboço do gráfico para o módulo do campo elétrico (E) em
função da distância (d) ao centro da esfera pode ser
x
esquematicamente representado pela figura abaixo.

(ITA-2009.1) - ALTERNATIVA: D (RESOLUÇÃO NO FINAL)


Na figura, o circuito consiste de uma bateria de tensão V conectada
a um capacitor de placas paralelas, de área S e distância d entre
si, dispondo de um dielétrico de permissividade elétrica que
preenche completamente o espaço entre elas. Assinale a mag-
3 ( ) O módulo do campo elétrico na superfície da esfera condutora
nitude da carga q induzida sobre a superfície do dielétrico.
(raio R) vale E(R) = 2KQ / R2, onde K é a constante elestrostáica. a) q = Vd
4 ( ) O valor do potencial em qualquer ponto na casca esférica b) q = SV/d
(entre 3R e 4R) vale 4KQ / R, onde K é a constante elestrostática. c) q = ( – 0)Vd
*d) q = ( – 0)SV/d
(ITA-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Uma carga q distribui-se uniformemente na superfície de uma e) q = ( + 0)SV/d
esfera condutora, isolada, de raio R. Assinale a opção que apre-
senta a magnitude do campo elétrico e o potencial elétrico num
ponto situado a uma distância r = R/3 do centro da esfera.
a) E = 0 V/m e U = 0 V
*b) E = 0 V/m e U = (1 4 0)×(q R)
RESOLUÇÃO: ITA-2009.1:
c) E = 0 V/m e U = (1 4 0)×(3q R) Capacitor sem o dielétrico, ligado ao gerador de tensão V:
d) E = 0 V/m e U = (1 4 0)×(qr R2) C0 = 0S/d Q0 = C0V = 0SV/d
e) E = (1 4 0)×(rq R3) e U = 0 V Ao introduzirmos o dielétrico, haverá indução de cargas opostas
nas suas superfícies. Seja q o módulo da carga induzida. Em
princípio, essa carga gera um campo elétrico E, oposto ao cam-
(UNIFESP-2009.1) - ALTERNATIVA: D po inicial. Para não alterar o campo interno, a carga final Q f do
Considere a seguinte “unidade” de medida: a intensidade da for- capacitor vai aumentar.
ça elétrica entre duas cargas q, quando separadas por uma dis- Qf = q + Q0 q = Qf – Q0
tância d, é F. Suponha em seguida que uma carga q1 = q seja Com o dielétrico, temos: C = S/d Qf = CV = SV/d
colocada frente a duas outras cargas, q2 = 3q e q3 = 4q, segundo q = ( - 0)SV/d
a disposição mostrada na figura.
A intensidade da força elétrica resultante sobre a carga q1, devi-
do às cargas q2 e q3, será (FEI/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: E
a) 2F. Considerando os princípios da eletrostática, é correto afirmar que:
b) 3F. a) Cargas elétricas de mesmo sinal se atraem.
c) 4F. b) Cargas elétricas de sinais diferentes se repelem.
*d) 5F. c) Cargas elétricas são compostas de nêutrons.
e) 9F. d) Cargas elétricas positivas são compostas de elétrons.
*e) Em um sistema eletricamente isolado a soma algébrica das
cargas positivas e negativas é constante.

japizzirani@gmail.com 6
(ITA-2009.1) - RESPOSTA: Q1 = –2Qa/b, Q2 = (Qa/b)(2a/b – 1) e (UFU/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Q3 = (Qa2/b2)(3 – 2a/b) (RESOUÇÃO NO FINAL) Duas cargas elétricas, que se encontram separadas por uma
distância d em um determinado meio 1, interagem entre si com
Três esferas condutoras, de raio a e carga Q, ocupam os vértices
uma força elétrica F.
de um triângulo equilátero de lado b >> a, conforme mostra a
Quando essas cargas elétricas, à mesma distância d, são
figura (1). Considere as figuras (2), (3) e (4), em que, respectiva-
introduzidas em um meio 2, elas passam a se interagir com o
mente, cada uma das esferas se liga e desliga da Terra, uma de
dobro da força anterior (2F).
cada vez. Determine, nas situações (2), (3) e (4), a carga das
E, quando essas mesmas cargas, à mesma distância d, são
esferas Q1, Q2 e Q3, respectivamente, em função de a, b e Q. introduzidas em um meio 3, elas interagem-se com a metade da
força inicial (F/2).

Utilizando a tabela acima que fornece a permissividade elétrica


desses meios ( ), relativamente ao vácuo, verifica-se que as subs-
tâncias que compõem esses meios (meio1, meio 2 e meio 3)
podem ser, respectivamente,
a) vidro, parafina e óleo.
b) parafina, vidro e óleo.
RESOLUÇÃO: ITA-2009.1: *c) óleo, parafina e vidro.
Estando uma das esferas ligada à Terra, o potencial resultante d) óleo, vidro e parafina.
nesta é nulo.
1) Na figura 2, temos:
(UDESC-2009.1) - RESPOSTA: a) 600V b) 0,0006 J c) gráfico:
Vesf1 + V3,1 + V2,1 = 0 KQ1/a + KQ/b + KQ/b = 0
reta passando pela origem e pelo ponto (1,2cm; 0,0012J) d) grá-
Q1 = –2Qa/b fico: reta horizontal passando pelo ponto 0,0012J
2) Na figura 3, temos: O gráfico abaixo representa a variação da energia potencial de
Vesf2 + V1,2 + V3,2 = 0 Q2 = (Qa/b)(2a/b – 1) uma carga elétrica de 10–6 C, no vácuo, submetida apenas à
3) Na figura 4, temos: ação de um campo elétrico uniforme e paralelo ao eixo x. Em x =
Vesf3 + V1,3 + V2,3 = 0 Q3 = (Qa2/b2)(3 – 2a/b) 0,0 cm, a energia cinética da carga é nula.

(UNIFESP-2009.1) - ALTERNATIVA: E
A presença de íons na atmosfera é responsável pela existência
de um campo elétrico dirigido e apontado para a Terra. Próximo
ao solo, longe de concentrações urbanas, num dia claro e limpo,
o campo elétrico é uniforme e perpendicular ao solo horizontal e
sua intensidade é de 120 V/m. A figura mostra as linhas de cam-
po e dois pontos dessa região, M e N.

a) Determine o potencial elétrico em x = 0,6 cm.


b) Determine o trabalho realizado para levar a carga de x = 0,2
cm até x = 0,8 cm.
O ponto M está a 1,20 m do solo, e N está no solo. A diferença de
c) Construa o gráfico da energia cinética em função de x.
potencial entre os pontos M e N é
d) Construa o gráfico da energia total em função de x.
a) 100 V.
b) 120 V.
c) 125 V. (UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A
d) 134 V.
Sejam duas esferas metálicas 1 e 2, de raios R1 e R2, sendo R1
*e) 144 V.
< R2. Elas estão carregadas positivamente, em contato entre si e
em equilíbrio eletrostático. As esferas são, então, separadas.
(UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B
A figura abaixo mostra uma carga puntual positiva +Q e outra Sendo Q1 e V1, respectivamente, a carga e o potencial elétrico
negativa –Q, separadas por uma distância 2L. O campo elétrico da esfera 1, e Q2 e V2 as grandezas correspondentes para a
resultante produzido por essas cargas está ilustrado CORRETA- esfera 2, é CORRETO afirmar que:
MENTE no ponto: *a) Q1 < Q2 e V1 = V2
a) A
b) Q1 = Q2 e V1 = V2
*b) B
c) C c) Q1 = Q2 e V1 < V2
d) D d) Q1 < Q2 e V1 < V2

japizzirani@gmail.com 7
(UFMS-2009.1) - ALTERNATIVA:B (UFPE-2009.1) - RESPOSTA: | EP / EC | = 2 (resolução no final)
A figura mostra um dispositivo para experimentos de eletrostática, Um elétron está descrevendo uma órbita circular ao redor de um
cujo objetivo é determinar o sinal e a intensidade q das cargas próton. Qual o módulo da razão |EP / EC| entre a energia potenci-
elétricas de partículas desconhecidas. O dispositivo é utilizado
da seguinte maneira: tendo duas cargas pontuais conhecidas +Q al, EP , e a energia cinética, EC, deste elétron?
e –Q, ambas de mesmo módulo, mas de sinais contrários, a +Q
é colocada na extremidade inferior de um pêndulo que tem a RESOLUÇÃO: UFPE-2009.1:
extremidade superior fixa em um suporte móvel. O suporte mó- Para exprimir a energia cinética em função do raio da órbita iden-
vel do pêndulo pode ser deslocado manualmente nos sentidos tificamos a força coulombiana como a força centrípeta da trajetó-
horário e anti-horário sobre um semicírculo. A outra carga –Q e a ria.
carga q desconhecida são fixas eqüidistantes do centro O do F = ke2/R2 = mv2/R mv2 = ke2/R
semicírculo, de maneira que a reta que une essas duas cargas é 2 2
a hipotenusa horizontal de um triângulo isósceles e retângulo, EC = mv /2 = ke /(2R)
veja a figura. O experimento é feito de maneira que, para cada O potencial a uma distância R do próton é: U = ke/R, portanto, a
carga desconhecida q, movimenta-se o suporte sobre o circulo energia potencial do elétron será:
no sentido horário ou anti-horário, até que a carga +Q do pêndulo EP = ke2/R | EP / EC | = 2
fique suspensa e em equilíbrio no centro do semicírculo. Nessa
situação de equilíbrio, o pêndulo formará um ângulo com a
(UNIFAL/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) E = +120 N/C (horizontal
horizontal. Com fundamentos nas leis de Newton e de Coulomb,
e desprezando os efeitos gravitacionais, assinale a alternativa de Q1 para Q2) b) V = –18V c) F = 18.10–9 N (atração)
correta. Considere as cargas +Q e –Q não nulas. A figura a seguir representa duas cargas elétricas Q1= 9,0.10–10
C, positiva, e Q2 = 18,0.10–10 C, negativa, distantes uma da outra
de 0,9 m. Considere que as cargas estão no vácuo. Considere a
constante eletrostática no vácuo k = 9,0.109 N.m2/C2. A seta indi-
ca o referencial adotado.
pêndulo em suporte móvel
equilíbrio do pêndulo Q1 Q2

Determine:
triângulo isóceles a) o módulo e a direção do vetor campo elétrico resultante no
e retângulo carga ponto intermediário entre as cargas;
desconhecida b) o potencial elétrico resultante no ponto intermediário entre as
partículas;
c) o módulo da força de interação elétrica entre as partículas.

a) Se /2 > > /4 , q será negativa e de módulo maior que Q.


(VUNESP/FMJ-2009.1) - ALTERNATIVA: E
*b) Se = /4 , q é nula. A intensidade da força de interação eletrostática F entre duas
c) Se /4 > > 0o , q será negativa e de módulo menor que Q. cargas elétricas puntiformes Q e q distantes d uma da outra é
d) Se = 0o, q é negativa e de módulo igual a Q. dada pela Lei de Coulomb, descrita pela expressão
e) Se /2 > > 0o , q será sempre positiva. Qq
F=K
d2
em que K é uma constante característica do meio no qual estão
(UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: C as cargas. No Sistema Internacional de Unidades, uma possível
Considere duas cargas, de mesmo valor e sinal, colocadas a maneira de expressar a unidade de medida da constante K é a
uma distância d uma da outra. É INCORRETO afirmar que indicada na alternativa
a) a força eletrostática resultante sobre uma terceira carga colo-
N.C2 kg.m3.s2
cada no ponto médio da linha que une as cargas é nula, qualquer a) d)
que seja o sinal e o valor da carga. m2 C2
b) o campo elétrico é nulo no ponto médio da linha que une as
C2 kg.m3
cargas. b) *e)
*c) o potencial elétrico é nulo no ponto médio da linha que une as N.m2 s2.C2
cargas. 2 2
d) se a carga elétrica das duas cargas for reduzida à metade e a c) s .C
distância entre elas duplicada, a nova força entre as cargas será kg3.m
16 vezes menor que a força original.
e) se a distância entre as cargas for duplicada a energia potenci- (UFC/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: D
al elétrica do sistema será reduzida à metade do seu valor origi- Uma esfera de cobre com raio da ordem de micrômetros possui
nal. uma carga da ordem de dez mil cargas elementares, distribuídas
uniformemente sobre sua superfície. Considere que a densidade
superficial é mantida constante. Assinale a alternativa que con-
tém a ordem de grandeza do número de cargas elementares em
(UFPE-2009.1) - RESPOSTA: R 1,0 cm
uma esfera de cobre com raio da ordem de milímetros.
Se tivermos um campo elétrico maior que 1 × 106 N/C num ambi-
a) 1019.
ente com certa umidade, íons serão rapidamente formados re-
sultando pequenas centelhas (nessas condições o ar torna-se b) 1016.
um condutor). Qual o raio mínimo (em cm) que pode ter uma c) 1013.
esfera condutora para armazenar uma carga Q = 1,1 × 10–8 C *d) 1010.
neste ambiente? Considere k = 9 × 109 Vm/C. e) 101.

japizzirani@gmail.com 8
(VUNESP/FMJ-2009.1) - RESPOSTA: q = 5,0 C (FUVEST-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL
Uma esfera de massa 0,2 kg está apoiada sobre um dinamômetro Um campo elétrico uniforme, de módulo E, criado entre duas
dentro de um elevador que sobe em movimento retilíneo e acele- grandes placas paralelas carregadas, P1 e P2, é utilizado para
rado com aceleração 3 m/s2, como mostra a Figura 1. Outra es- estimar a carga presente em pequenas esferas. As esferas são
fera idêntica à primeira, eletrizada com carga positiva q, está fixadas na extremidade de uma haste isolante, rígida e muito
apoiada em repouso, sobre outro dinamômetro feito de material leve, que pode girar em torno do ponto O. Quando uma pequena
isolante, sob ação de um campo elétrico uniforme E, vertical para esfera A, de massa M = 0,015 kg e carga Q, é fixada na haste, e
baixo, e da gravidade, como mostra a Figura 2. sendo E igual a 500 kV/m, a esfera assume uma posição de
equilíbrio, tal que a haste forma com a vertical um ângulo = 45º.
Para essa situação:

a) Represente, no esquema da folha de respostas, a força


gravitacional P e a força elétrica FE que atuam na esfera A, quan-
do ela está em equilíbrio sob ação do campo elétrico. Determine
os módulos dessas forças, em newtons.
b) Estime a carga Q, em coulombs, presente na esfera.
c) Se a esfera se desprender da haste, represente, no esquema
da folha de respostas, a trajetória que ela iria percorrer, indican-
do-a pela letra T.

NOTE E ADOTE:
Desconsidere efeitos de indução eletrostática.
Aceleração da gravidade na Terra, g = 10 m/s2.

Fig 17 2009 ETO

A figura ao lado é
dada na folha de
respostas
Sendo E = 12 x 104 N/C e g = 10 m/s2, determine o módulo da
carga q, para que a leitura seja a mesma nos dois dinamômetros.

(UFC/CE-2009.1) - RESPOSTA: E = (m/q)(g + v2/L) - (OBS.: A


questão pede o máximo alcance horizontal quando a partícula RESPOSTA: FUVEST-2009.1:
deixa a região onde existe campo elétrico - lançamento de projé- a) FE = P = 0,15 N (figura abaixo) b) | Q | = 3,0×10–7 C
til, a velocidade vertical deve ser igual a horizontal = 45°) c)
Uma partícula de massa m e carga positiva q, com velocidade
horizontal v (módulo v), penetra numa região de comprimento L
(paralelo à velocidade inicial da partícula), na qual existe um cam-
po elétrico vertical E (constante), conforme a figura abaixo. A
aceleração da gravidade local é g (de módulo g, direção vertical
e sentido para baixo).

Na região onde o campo elétrico é não-nulo (entre as linhas ver-


ticais tracejadas na figura acima), a força elétrica tem módulo
maior que a força peso. Determine o módulo do campo elétrico
para o qual a partícula apresenta o máximo alcance ao longo da
linha horizontal localizada na altura em que ela deixa a região do
campo elétrico. Despreze quaisquer efeitos de dissipação de ener-
gia (resistência do ar, atrito, etc.).

japizzirani@gmail.com 9
(UFC/CE-2009.1) - RESPOSTA: C1 = C2 = 2q/ (VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Dois capacitores desconhecidos são ligados em série a uma ba- Quatro cargas de mesmo valor absoluto Q estão fixas nos vérti-
teria de força eletromotriz , de modo que a carga final de cada ces de um losango de lados . A diagonal horizontal do losango
capacitor é q. Quando os mesmos capacitores são ligados em é mais curta do que a diagonal vertical, como mostra a figura.
paralelo à mesma bateria, a carga total final da associação é 4q.
Determine as capacitâncias dos capacitores desconhecidos.

(UFC/CE-2009) - RESPOSTA: v =
Na figura abaixo, é mostrada uma distribuição de três partículas
carregadas (duas com carga positiva e uma com carga negativa)
localizadas ao longo dos eixos perpendiculares de um dado sis-
tema de referência. Todas as distâncias estão em unidades arbi-
trárias (u.a.). As cargas positivas, ambas iguais a q, estão fixas
nas coordenadas (x,y), iguais a (4,0) e (– 4,0). A carga negativa,
igual a – q, está localizada, inicialmente em repouso, no ponto A,
cujas coordenadas são (0,3). O campo elétrico resultante no ponto de encontro das diagonais
está melhor representado na alternativa
Obs.: Cada reta inclinada entre as diagonais é uma bissetriz.

a) d)

A aceleração da gravidade local é constante (módulo g) e aponta


no sentido negativo do eixo y do sistema de referência, que está
na vertical. Todas as partículas possuem a mesma massa m. A e)
constante eletrostática no meio em que as partículas carregadas b)
estão imersas é K.
Determine o módulo da velocidade com que a partícula com car-
ga negativa chega ao ponto P, localizado pelas coordenadas (x,y)
= (0,–3).

(CEFETPI-2009.1) - ALTERNATIVA: B
O fato de ser nulo o campo elétrico nos pontos internos de um *c)
condutor metálico eletrizado originou uma importante aplicação
prática conhecida como:
a) condução elétrica *b) blindagem eletrostática
c) eletrização d) indução eletrostática
e) blindagem eletrostática ou indução eletrostática
(VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: D
(UNICAMP-2009.1) - RESPOSTA: a) 1,8×10 3 N b) 3,2×10–13 N Entre duas placas planas e paralelas A e B, distanciadas de 1,0
O fato de os núcleos atômicos serem formados por prótons e cm uma da outra, há um campo elétrico uniforme de intensidade
nêutrons suscita a questão da coesão nuclear, uma vez que os 5,0 × 104 N/C. Considerando nulo o potencial elétrico da placa A,
prótons, que têm carga positiva q = 1,6×10–19 C , se repelem o potencial elétrico da placa B, em volts, é igual a
através da força eletrostática. Em 1935, H. Yukawa propôs uma a) 5,0.
teoria para a força nuclear forte, que age a curtas distâncias e b) 50.
mantém os núcleos coesos. c) 2,5 × 102.
a) Considere que o módulo da força nuclear forte entre dois
*d) 5,0 × 102.
prótons FN é igual a vinte vezes o módulo da força eletrostática
e) 2,5 × 103.
entre eles FE, ou seja, FN = 20 FE. O módulo da força eletrostática
entre dois prótons separados por uma distância d é dado por
q2 (CEFETPI-2009.1) - ALTERNATIVA: C
FE = K ,
d2 Uma região próxima de uma carga elétrica Q, em repouso, tem a
propriedade de atrair ou repelir uma carga elétrica q. É a mani-
onde K = 9,0×109 Nm2/C2. Obtenha o módulo da força nuclear festação do campo elétrico E capaz de trocar energia elétrica
forte FN entre os dois prótons, quando separados por uma dis- com a carga q. Sabendo que em um ponto P1 a uma distância d
tância d = 1,6×10–15 m , que é uma distância típica entre prótons da carga Q a intensidade do campo elétrico e o potencial elétrico
no núcleo. são E e V, respectivamente. Para um ponto P2 cuja distância é
b) As forças nucleares são muito maiores que as forças que ace- 2d de uma carga elétrica 2Q as intensidades do campo elétrico e
leram as partículas em grandes aceleradores como o LHC. Num do potencial elétrico são, nesta ordem:
primeiro estágio de acelerador, partículas carregadas deslocam- a) E/2 e V/2 .
se sob a ação de um campo elétrico aplicado na direção do mo- b) E/4 e V/2 .
vimento. Sabendo que um campo elétrico de módulo E = 2,0×106 *c) E/2 e V .
N/C age sobre um próton num acelerador, calcule a força d) E e V .
eletrostática que atua no próton. e) E e V/2 .

japizzirani@gmail.com 10
(CEFETPI-2009.1) - ALTERNATIVA: D (UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Considere um capacitor composto por duas placas condutoras No modelo para o átomo de hidrogênio desenvolvido por Niels
que está sujeito a uma diferença de potencial de 100 V, repre- Bohr, o elétron se move em órbitas circulares, em um potencial
sentado na figura. elétrico gerado pela carga do próton, QP. Esse potencial, medido
a partir do infinito até a posição da órbita de menor raio, é de 27V.
O valor aproximado do raio dessa órbita é
(Dados: QP = 1,6 × 10–19C; k = 9 × 109 N.m2/C2)
a) 8,5 × 10–30 m.
b) 2,9 × 10–15 m.
*c) 5,3 × 10–11 m.
Baseado nesta informação é CORRETO afirmar que: d) 1,9 × 10–10 m.
a) este capacitor não pode ser utilizado para armazenar energia.
b) entre as placas há um campo elétrico cujo sentido vai da placa e) 7,3 × 10–6 m.
B para a placa A.
c) se a capacitância desse capacitor for igual a 1,0 F, a carga (UFLA/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D
elétrica em cada placa terá módulo igual a 10,0 C. Considere um corpo eletrizado com carga Q no vácuo e um pon-
*d) um elétron que estiver localizado entre as placas será acele- to P distante de d nas proximidades de Q. Das afirmações abai-
rado em direção à placa A. xo, a CORRETA é:
e) se a distância entre as placas for reduzida à metade, a a) no ponto P, o campo elétrico gerado por Q pode ser positivo ou
capacitância irá triplicar. negativo, dependendo de sua carga.
b) colocando-se em P uma carga de prova pontual q, a força
elétrica que atua sobre ela pode ser positiva ou negativa, depen-
(UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVAS: 12 B e 13 D
dendo dos sinais de Q e q.
As questões 12 e 13 referem-se ao enunciado abaixo.
c) o potencial elétrico gerado por Q em P é inversamente
Duas pequenas esferas metálicas iguais, X e Y, fixadas sobre
proporciaonal ao quadrado da distância d.
bases isolantes, estão eletricamente carregadas com cargas elé-
*d) no ponto P, o potencial elétrico gerado por Q pode ser positivo
tricas 6 C e –2 C, respectivamente.
ou negativo, dependendo de sua carga.
Quando separadas por uma distância d uma da outra, as esferas
estão sujeitas a forças de atração coulombiana de módulo F1.
As duas esferas são deslocadas pelas bases até serem coloca- (UNIFEI/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C
das em contato. A seguir, elas são novamente movidas pelas Na constituição dos átomos, os prótons e os nêutrons concen-
bases até retornarem à mesma distância d uma da outra. tram-se no núcleo atômico. Se os prótons se repelem mutua-
mente, pode-se dizer que os núcleos atômicos conseguem se
12. Após o contato e posterior separação, as esferas X e Y fica- manter coesos principalmente devido:
ram eletrizadas, respectivamente, com cargas elétricas a) à carga elétrica dos nêutrons, também confinados no núcleo
a) 2 C e –2 C. atômico.
*b) 2 C e 2 C. b) à ação dos elétrons presentes na eletrosfera que, por terem
c) 3 C e –1 C. carga negativa, anulam o efeito de repulsão dos prótons no nú-
d) 4 C e –4 C. cleo.
e) 4 C e 4 C. *c) ao aparecimento de uma força nuclear atrativa com intensi-
dade superior à da força coulombiana repulsiva dos prótons.
13. Se, após o contato e posterior separação das esferas, F2 é o d) à formação de uma cápsula nuclear muito resistente, que man-
tém aprisionados os prótons e os nêutrons no interior do átomo.
módulo da força coulombiana entre X e Y, pode-se afirmar corre-
tamente que o quociente F1 F2 vale
a) 1/3. *d) 3. (CESGRANRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: A
b) 3/4. e) 4. Um sistema tridimensional de coordenadas ortogonais gradua-
c) 4/3. das em metros encontra-se em um meio cuja constante
eletrostática é k, em unidades do sistema internacional.
(UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: E Nesse meio, há apenas três cargas puntiformes:
Uma casca esférica condutora de raio R, isolada, está eletrica- Q1 = – 2C, fixa em (1,0,0);
mente carregada com uma carga elétrica de módulo Q. Q2 = + 1C, fixa em (1,1,0);
Considere as afirmações abaixo, sobre o módulo E do campo
elétrico gerado por essa casca esférica para pontos situados a Q3 = – 1C, fixa em (0,1,1).
diferentes distâncias d do centro da casca. A intensidade do vetor campo elétrico resultante no ponto (1,1,1),
em N/C , é
(k = constante da lei de Coulomb) *a) b) c)
I - E = 0 para pontos situados no interior da casca esférica, isto é, d) e)
para pontos tais que d < R.
II - E = kQ R2 para pontos situados sobre a superfície, isto é, (UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D
para pontos tais que d = R. Temos duas partículas carregadas positivamente com carga Q e
III - E = kQ d2 para pontos externos, isto é, para pontos tais que separadas por uma distância d. Podemos afirmar que, no ponto
d > R. médio (d/2) entre elas,
a) o campo elétrico e o potencial elétrico são nulos.
Quais estão corretas? b) o campo elétrico e o potencial elétrico não são nulos, mas
a) Apenas I. iguais.
b) Apenas II. c) o campo elétrico e o potencial elétrico não são nulos, mas
c) Apenas I e II. diferentes.
d) Apenas II e III. *d) o campo elétrico é nulo e o potencial elétrico não é nulo.
*e) I, II e III e) o campo elétrico não é nulo e o potencial elétrico é nulo.

japizzirani@gmail.com 11
(UCS/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: D (UFPB-2009.1) - RESPOSTA: I, II e IV
Uma pessoa está no aeroporto, levando uma grande mochila de Sobre energia potencial elétrica e potencial elétrico, identifique
material sintético em um carrinho constituído de uma estrutura as afirmativas corretas:
metálica com duas rodas, pneus de borracha e duas I. Ao se deslocar um objeto carregado entre dois pontos, em uma
empunhaduras também de borracha. A pessoa empurra o carri- região do espaço onde existe um campo elétrico, a diferença de
nho, segurando-o pelas empunhaduras, sem perceber que os potencial medida entre esses dois pontos independe da carga do
pneus estão raspando numa parte da mochila. De repente, essa objeto.
pessoa, ao colocar a mão na superfície metálica do carrinho, II. A variação da energia potencial elétrica associada a um objeto
leva um choque elétrico. Isso ocorre porque carregado, ao ser deslocado de um ponto para outro em uma
a) a sola do sapato da pessoa é do mesmo material dos pneus. região onde exista um campo elétrico, independe da trajetória
b) o atrito das rodas com a mochila criou um campo magnético seguida entre esses dois pontos.
permanente, cujo pólo norte está nas rodas e o pólo sul, na mo- III. A energia potencial elétrica é uma grandeza associada a um
chila. sistema constituído de objetos carregados e é medida em volts
c) o atrito das rodas com a mochila colocou a pessoa, o carrinho (V).
e o chão no mesmo potencial elétrico. IV. Um elétron-volt, 1eV, é a energia igual ao trabalho necessário
*d) o atrito das rodas com a mochila colocou a pessoa, o carrinho para se deslocar uma única carga elementar, tal como elétron ou
e o chão em diferentes potenciais elétricos. próton, através de uma diferença de potencial exatamente igual
e) como a pessoa, a mochila, os pneus de borracha e a Terra são a 1 (um) volt. E a relação dessa unidade com Joule (J) é, aproxi-
condutores, naturalmente surge uma corrente elétrica quando são madamente, 1eV = 1,6 × 10–19 J.
postos em contato. V. A energia potencial elétrica, associada a uma carga teste, q0,
positiva, aumenta quando esta se move no mesmo sentido do
(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B campo elétrico.
Três esferas de metal idênticas A, B e C estão carregadas com
cargas –3Q, 2Q e 8Q respectivamente. A esfera C é colocada (UFAL/AL-2009.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: D (RESOLUÇÃO
em contato com a esfera B e depois afastada. OFICIAL NO FINAL)
A seguir, a esfera C é colocada em contato com a esfera A e Em cada vértice de um quadrado de lado L = m, no vácuo,
depois afastada. Qual a carga final nas esferas A, B e C respec- está fixa uma carga puntiforme positiva, Q = 10–6 C (ver figura).
tivamente? Considerando que o potencial eletrostático no infinito é nulo, e
a) –3Q 2Q 8Q
dado que o valor da constante eletrostática no vácuo é 9 × 109
*b) 1Q 5Q 1Q
c) 1Q 2Q 6Q Nm 2 /C2, assinale a alternativa com os valores do potencial
d) –1Q 5Q 5Q eletrostático no centro do quadrado e da energia potencial
e) –3Q 2Q 6Q eletrostática do sistema.
a) zero e 9×10–3(1 – 2 )J
b) 104 V e 9×10–3(1 – 2 )J
(UFPB-2009.1) - ALTERNATIVA: A 4 –3
c) 3,6×10 V e 9×10 (1 – 2 )J
Dois capacitores, com capacitâncias C1 = 8 F e C2 = 4 F , são
carregados separadamente, quando submetidos a uma mesma *d) 3,6×104 V e 9×10–3(1 + 2 )J
diferença de potencial Vi fornecida por uma bateria. Os e) zero e 9×10–3(1 + 2 )J
capacitores são desconectados da bateria e suas placas são,
em seguida, reconectadas, porém com polaridades invertidas, RESOLUÇÃO OFICIAL UFAL/AL-2009.1:
conforme figura ao lado. O potencial no centro é 4kQ/(L /2) = 3,6×104 V.
Nesse contexto, a diferença de potencial, Vf , à qual ficam sub- A energia potencial eletrostática do sistema é 4kQ2/L +
metidos esses capacitores quando as chaves são fechadas, está 2kQ2/(L ) = 9×10–3(1 + 2 ) J.
corretamente expressa, em termos de Vi , por:
*a) Vf = (1/3)· Vi . (UECE-2009.1) - ALTERNATIVA: C
b) Vf = Vi . Dois condutores elétricos esféricos, de raios R1 e R2, com R1 o
c) Vf = 3· Vi . dobro de R2, estão eletrizados com densidade de carga 1 e 2,
de forma que são mantidos no mesmo potencial elétrico V, e se
d) Vf = (2/3)· Vi .
encontram bem distantes um do outro. Podemos afirmar correta-
e) Vf = (1/2)· Vi . mente que
a) 4 1 = 2 .
b) 1 = 2 2 .
*c) 2 1 = 2 .
(UFAL/AL-2009.1) - ALTERNATIVA: B d) 1 = 4 2 .
Uma pequena esfera condutora E possui inicialmente carga Q.
Tal esfera é posta em contato com outra esfera idêntica a ela, (UFCG/PB-2009.1) - ALTERNATIVA: D
porém inicialmente neutra. Lembrando a proposta de Kelvin, pode-se considerar a superfí-
Quando o equilíbrio eletrostático é atingido, as esferas são sepa- cie da Terra e a eletrosfera como um gigantesco capacitor com
radas. Esse processo ocorre N vezes em seqüência, sempre co- armaduras esféricas. A diferença de potencial entre tais armadu-
locando a esfera E em contato com uma outra esfera idêntica a ras é de 3 × 105 V e a carga negativa, na superfície da Terra,
ela, porém neutra, e afastando-as após o equilíbrio eletrostático
igual a 106 C. Correntes elétricas atmosféricas da ordem de 103
ser atingido. Todo o processo ocorre no vácuo. No final, a esfera
A estão continuamente anulando a carga positiva distribuída na
E possui carga Q/128. O valor de N é:
atmosfera. Assim, pode-se afirmar que a energia transferida, por
a) 5
hora, pelo campo elétrico às correntes atmosféricas segundo o
*b) 7
modelo, é da ordem de
c) 32
d) 64 a) 103 J. b) 108 J. c) 109 J.
12 19
e) 128 *d) 10 J. e) 10 J.

japizzirani@gmail.com 12
(UFCG/PB-2009.1) - ALTERNATIVA: A (UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: B
Durante o processo de produção de minúsculas esferas de metal Três capacitores planos de placas paralelas, todos com o mes-
desenvolvido num laboratório da NASA, uma esfera de alumínio
mo valor 3,54 × 10–9 Farad para a razão , sendo A a área de
de 20 mg, com carga positiva de 0,24 nC, é mantida em repouso,
por levitação, entre duas grandes placas paralelas carregadas cada placa, 0 a permissividade elétrica no vácuo e d = 5mm a
(comparadas às dimensões da esfera) numa câmara de vácuo, a distância entre as placas, são preenchidos, cada um, com mate-
3,0 mm da placa inferior (na figura, a esfera de Al aparece bri- riais dielétricos diferentes. Na tabela abaixo, temos informações
lhante entre as placas). Fig 29 2009 ETO sobre a constante dielétrica e a rigidez dielétrica de cada um dos
materiais. Os capacitores são carregados com a mesma carga
elétrica Q = 70,8 × 10–6 C.

Capacitor Material Constante Dielétrica k Rigidez Dielétrica (V/m)


1 Ar 1,0 3 × 106
2 Porcelana 6,0 12 × 106
3 Óleo de silicone 2,5 15 × 106

Imediatamente após o carregamento, é CORRETO afirmar que


a) apenas nos capacitores 1 e 3, preenchidos com ar e óleo de
silicone, respectivamente, haverá fluxo de cargas através do
dielétrico.
*b) apenas no capacitor 1, preenchido com ar, haverá fluxo de
cargas através do dielétrico.
c) em todos os capacitores haverá fluxo de cargas através do
Nessas condições e considerando g = 10 m/s2, pode-se afirmar dielétrico.
que d) apenas nos capacitores 2 e 3, preenchidos com porcelana e
*a) o campo elétrico entre as placas está dirigido de baixo para óleo de silicone, respectivamente, haverá fluxo de cargas atra-
cima e tem módulo igual a 8,3 × 105 N/C. vés do dielétrico.
b) se a esfera não estiver carregada, o fenômeno da indução
elétrica garante a observação do mesmo fenômeno.
c) a diferença de potencial elétrico entre a placa inferior e a posi- (UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: A
ção da esfera vale 5,0 × 103 V. Duas pequenas esferas metálicas idênticas estão carregadas ele-
d) realizando-se o experimento num local muito afastado da Ter- trostaticamente com cargas respectivamente iguais a 3Q e –2Q.
ra e de outros corpos celestes, o novo valor do campo elétrico Quando estão separadas de uma distância d, o módulo da força
deverá ser de 1,2 × 105 V/m. elétrica entre elas é igual a F.
Essas esferas são, então, colocadas em contato uma com a ou-
e) o campo elétrico entre as placas está dirigido de cima para
tra e levadas de volta às suas posições originais.
baixo e tem módulo igual a 8,3 × 105 N/C. É CORRETO afirmar que, nessa nova situação, a força elétrica
entre as cargas é de natureza
(UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A *a) repulsiva e possui módulo igual a F 24.
Uma partícula de massa m = 2 × 10–5 kg e carga elétrica positiva b) repulsiva e possui módulo igual a F 6.
q = 4 × 10–6 C está em movimento retilíneo e uniforme, entre as c) atrativa e possui módulo igual a 3F 2.
placas de um capacitor plano carregado de placas paralelas, onde d) atrativa e possui módulo igual a 6F.
existe um campo gravitacional uniforme e um campo elétrico cujas e) atrativa e possui módulo igual a 5F.
linhas de força são paralelas entre si e perpendiculares às placas
do capacitor. A intensidade desse campo elétrico é
*a) 50 N / C.
b) 10 N / C. (UESPI/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: A
c) 0,50 N / C. Dado: g = 10 m/s2
A figura ilustra um triângulo equilátero de lado L, com duas car-
d) 5,0 N / C. gas puntiformes +q e –q fixas em dois de seus vértices. Todo o
sistema se encontra no vácuo, onde a constante eletrostática é
denotada por k. Sabe-se que cos(60º) = 1/2 e sen(60º) = /2.
Nestas circunstâncias, assinale a alternativa que indica correta-
mente os valores do módulo do campo elétrico resultante, E, e
do potencial elétrico total, V, no vértice superior do triângulo (ponto
(UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B P da figura):
Três cargas, q1 = q, q2 = –4q e q3 = 2q, estão dispostas, forman- *a) E = kq/L2; V = 0
do um triângulo eqüilátero de lado d = 12 cm (veja a figura). Sa- b) E = 0; V = 2kq/L
bendo-se que o valor de q = 150 nC, calcule aproximadamente o c) E = kq/(2L2); V = 0
valor da energia potencial elétrica dessa estrutura, considerando
d) E = 2kq/L2; V = kq/L
que essas cargas foram trazidas de locais onde elas possuíam
energia potencial elétrica nula. e) E = kq/L2; V = kq/L
a) 150,2 mJ.
*b) – 16,9 mJ. Dado:
c) – 25,7 mJ. Ko = 9,0 × 109 Nm2/C2.
d) – 30,4 mJ.

japizzirani@gmail.com 13
(UESPI/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: A (UFG/GO-2009.1) - RESOLUÇÃO NO FINAL
Duas pequenas esferas metálicas idênticas, A e B, localizadas Considere a célula como uma esfera cuja membrana que separa
no vácuo, estão carregadas com cargas QA = –2Q e QB = +2Q. o fluido extracelular do líquido no seu interior tem raio externo Re
As esferas são postas em contato através de pinças isolantes e raio interno Ri e densidade superficial de cargas externa + e
ideais e, após atingirem o equilíbrio eletrostático, são separadas. interna – . A diferença de potencial entre o meio externo e inter-
Após a separação, os valores de QA e QB são respectivamente no é denominada de potencial de membrana, o qual, na ausên-
cia de influências externas, como ocorre na maioria das células,
iguais a:
permanece inalterado e por isso recebe a designação de poten-
*a) zero e zero.
cial de repouso.
b) –2Q e +2Q.
c) +2Q e -2Q
d) –Q e +Q
e) +Q e -Q

(UESPI/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Três pequenas esferas idênticas e de raios desprezíveis, carre-
gadas positivamente com carga Q, cada uma, encontram-se em
equilíbrio no vácuo, de acordo com o arranjo da figura. As esfe-
ras B e C estão fixas a uma distância de 10 cm da esfera A.
Sobre a esfera A, atuam apenas a sua força peso, de módulo 0,9
N, e as forças eletrostáticas. Sabendo que a constante elétrica
no vácuo vale 9 × 109 Nm2/C2, que sen(30º) = 1/2 e que cos(30º)
a) Escreva as expressões das cargas das esferas em função de
= /2, o valor de Q, em coulombs, é igual a seus raios e da densidade superficial de cargas .
*a) 10–6. b) Escreva a expressão para a diferença de potencial V = |Ve| -
b) 10–1. |Vi| em função da densidade superficial de cargas e da espes-
c) 1. sura d = Re - Ri, da membrana.
d) 10. c) Para uma espessura d = 90 e um potencial de repouso de
e) 103. 70 mV, qual a densidade superficial de cargas da membrana,
considerando que a constante dielétrica k da membrana é 10? A
constante dielétrica é a constante relativa de permissividade elé-
trica do meio em relação à do vácuo dada por k = / o.

Dados:
Permissividade do vácuo o 9,0×10–12 F/m
(UFOP-2009.1) - RESPOSTA: b) I e IV c) zero
Na figura, são mostrados quatro arranjos de cargas puntiformes, 1 = 10–10 m
I, II, III e IV. Todas as cargas possuem módulo Q = 10–6 C, estão
no vácuo, k = 9 × 109 N.m2/C2, e são mantidas separadas por RESOLUÇÃO UFG/GO-2009.1:
distâncias fixas d = 0,01 m e a = 0,003 m, como mostrado. a) = Q / Area Q= A=4 . .R2
Carga na superfície interna: Qi = – 4. .Ri2
Carga na superfície externa: Qe = + 4 . .Re2
b) V = |Ve| – |Vi|
Ve = Qe / (4 .Re)
Ve = Qi / (4 .Ri)
V = [1/(4 )] [(Qe / Re) – (Qi / Ri]) = [1/(4 ))] [(4 . .Re2)/Re
– (4 . .Ri2)/Ri] V=( / ) (Re – Ri) V=( .d/ )
c) =k o = 10 × 9,0 x 10–12 F/m
= .V / d = (90 × 10–12 × 70 × 10–3) / (90 × 10–10)
= 7,0 × 10–4 C/m2

(UFG/GO-2009.1) - RESPOSTA: a) V = V0; C = C0/2; Q = Q0/2;


U = U0/2; E = E0/2 b) Q = Q0; C = C0/2; V = 2V0; U = 4U0; E = E0
Um capacitor de placas paralelas de capacitância C0, ao ser liga-
do a uma fonte de tensão V0, adquire carga Q0, campo elétrico
E0 entre as placas, e armazena uma energia U0. Quais serão os
valores das grandezas físicas citadas, em relação a seus valores
iniciais, se for duplicada a separação entre as placas
a) Mostre, na figura, o vetor campo elétrico resultante nos pontos a) com a chava ligada;
centrais, A, B, C e D, de cada arranjo de cargas. b) após o desligamento da chave.
b) Em qual(is) arranjo(s) de cargas o potencial elétrico se anula
nos pontos centrais, isto é, A, B, C e D? Justifique sua resposta.
c) Calcule o trabalho que é necessário realizar, para trazer uma
carga de prova positiva q = 10–8 C do infinito até o ponto A, atra-
vés de uma trajetória perpendicular à reta mn.

japizzirani@gmail.com 14
(UESPI/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Um capacitor, de capacitância 1 F = 10–6 F, é mantido sob uma
tensão de 2 V. A energia potencial eletrostática armazenada no
capacitor vale, em joules,
a) 10–6.
*b) 2 × 10–6.
c) 4 × 10–6.
d) 6 × 10–6.
e) 8 × 10–6.

(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 06 (02+04)


Uma carga elétrica q é colocada num ponto P de uma região de
um campo elétrico. Sobre este evento, assinale o que for correto.
01) O campo elétrico gerado por uma carga elétrica depende da
carga de prova.
02) Se o valor de q for maior do que 0 (zero), F e E apresentarão
o mesmo sentido.
04) A carga elétrica ficará sujeita a uma força que é igual ao
produto do vetor campo elétrico pelo valor da carga.
08) Se a carga q se movimentar no interior do campo elétrico E ,
este será nulo.

japizzirani@gmail.com 15
VESTIBULARES 2009.2 (IFCE/CEFETCE-2009.2) - RESPOSTA: E = 2Kd/(qL2)
Um elétron de massa m, carga q e energia cinética K penetra em
uma região entre duas placas condutoras planas e paralelas de
(UFOP-2009.2) - ALTERNATIVA: B
comprimento L, separadas por uma distância d, como mostra a
Baseando-se na lei de Coulomb, que rege a força elétrica, assi-
figura. O elétron move-se no início paralelamente às placas com
nale a alternativa incorreta.
velocidade v, entre as quais é estabelecido um campo elétrico E,
a) A força elétrica entre duas cargas pontuais positivas de módulos
apontando verticalmente para baixo.
Q1 e Q2 , separadas por uma distância d, no vácuo, é de repulsão.
*b) A força elétrica entre duas cargas pontuais negativas de
módulos Q1 e Q2, separadas por uma distância d, no vácuo, é de
atração.
c) O módulo da força elétrica entre duas cargas pontuais positi-
vas de módulos Q1 e Q2, separadas por uma distancia d, no vá-
cuo, é diretamente proporcional ao produto das cargas.
d) O módulo da força elétrica entre duas cargas pontuais positi-
vas de módulos Q1 e Q2, separadas por uma distância d, no vá-
cuo, é inversamente proporcional ao quadrado da distância entre Desprezando-se a força gravitacional, qual o valor mínimo do
as cargas. módulo do campo elétrico entre as placas para que o elétron
colida com uma delas, em função de d, K, L e q?
(UNIFOR/CE-2009.2) - ALTERNATIVA: A
Uma carga puntiforme Q, positiva, está fixa num ponto O, no (UNIMONTES/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: A
vácuo. Uma partícula de massa m e carga negativa –q descreve, As linhas de campo elétrico em torno de um dipolo elétrico estão
em torno de O, um movimento circular uniforme de raio r. Sendo representadas na figura a seguir.
K0 a constante eletrostática no vácuo, o módulo da velocidade V
da partícula vale
K0.|Q|.|q|
*a)
m.r
K0.|Q|.|q|
b)
m.r

2.K0.|Q|.|q| A seta que melhor representa o campo elétrico no ponto P é


c) m.r
*a) c)
K0.|Q|.|q|
d)
2.m.r2 b) d)

2.K0.|Q|.|q|
e)
m.r2

(UNEMAT/MT-2009.2) - ALTERNATIVA: D (UNIMONTES/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: A


Considere o esquema abaixo, em que as cargas elétricas Q1 e Num experimento, um bastão carregado é aproximado do
Q2 têm módulos iguais e o ponto P está equidistante das cargas. eletroscópio I, cuja extremidade está descoberta (à esquerda, na
figura). Observa-se o afastamento das folhas metálicas do
eletroscópio diante da aproximação do bastão carregado. Em
seguida, o bastão é aproximado, sucessivamente, dos
eletroscópios II e III. O eletroscópio II (centro da figura) possui
extremidade coberta por uma malha cilíndrica metálica, sem tam-
pa. O eletroscópio III (à direita, na figura) possui extremidade
coberta por uma malha semelhante, mas com tampa.
Analise os itens abaixo.

I. O campo elétrico resultante no ponto P é nulo.

II. Colocando-se no ponto P uma carga de prova –q, com liberda-


de de movimento, essa carga de prova ficará em repouso.

III. O potencial resultante no ponto P é nulo.

IV. Colocando-se no ponto P uma carga de prova +q, o campo


elétrico resultante será diferente de zero. Como resultado da aproximação do bastão, é CORRETO afirmar
que
Assinale a alternativa correta. *a) as folhas se abrirão no eletroscópio II, mas não se abrirão no
a) Somente os itens I e IV estão corretos. III.
b) Somente os itens I e III estão corretos. b) as folhas se abrirão nos eletroscópios II e III.
c) Somente o item II está correto. c) as folhas se abrirão no eletroscópio III, mas não se abrirão no
*d) Somente os itens III e IV estão corretos. II.
e) Somente os itens II e III estão corretos. d) as folhas não se abrirão nos eletroscópios II e III.

japizzirani@gmail.com 16
(PUCPR-2009.2) - ALTERNATIVA: D (PUCMINAS-2009.2) - ALTERNATIVA: C
Um capacitor de 4,00 × 10–2 F é carregado até que se estabeleça O eletroscópio de folhas ilustrado abaixo está carregado positi-
uma diferença de potencial de 100 V entre seus terminais. Um vamente. Quando uma pessoa tocar a esfera, as lâminas a e b
filamento metálico é utilizado para fazer contato elétrico entre os se fecharão indicando que:
terminais do capacitor.
O curto-circuito formado pelo filamento nos terminais provoca
uma pequena explosão de 0,0100 s de duração que vaporiza o
filamento. Após a explosão, verifica-se que a diferença de poten- Fig 35 2009 ETO
cial entre os terminais do capacitor é de 50,0 V.
Qual a potência da explosão provocada?
a) 1,34 × 103 W
b) 1,00 × 104 W
c) 3,20 × 102 W
*d) 1,50 × 104 W
a) os nêutrons da pessoa passarão para o eletroscópio.
e) 3,00 × 104 W b) os prótons do eletroscópio passam para a pessoa.
*c) passam-se elétrons da pessoa para o eletroscópio.
d) o calor da pessoa aqueceu as lâminas do eletroscópio fazen-
(PUCRS-2009.2) - ALTERNATIVA: B do com que elas se fechassem.
Duas esferas condutoras A e B idênticas, eletricamente neutras
(N), estão em contato uma com a outra e isoladas eletricamente
de qualquer influência, a não ser quando se aproxima de uma (PUCMINAS-2009.2) - ALTERNATIVA: D
delas uma barra eletricamente negativa. Enquanto a barra é O modelo atômico de Bohr para o átomo de hidrogênio considera
mantida nessa posição, as esferas são separadas uma da outra. que um elétron de carga elétrica q se move em órbitas circulares
de raio r em torno do próton, sob a influência da força de atração
coulombiana. Considerando-se que o átomo de hidrogênio seja
neutro, o módulo do trabalho realizado por essa força sobre o
elétron ao completar uma órbita é dado por:
a) W = 2 kq2/r
b) W = – kq2/r
c) W = kq2/(2r2)
*d) W = 0
Se, na sequência, a barra for afastada das duas esferas, a carga
elétrica dessas esferas resultará
a) positiva, tanto para A quanto para B. (UFV/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: D
*b) positiva para A e negativa para B. A figura abaixo ilustra a associação de capacitores idênticos de
c) negativa para A e positiva para B. capacitância C. Das alternativas abaixo, a que CORRETAMEN-
d) nula para as duas esferas, que permanecem neutras. TE representa a capacitância equivalente entre os pontos 1 e 2
e) negativa para as duas esferas. é:
a) C/3
b) 3C/2
(IFMG/CEFETMG-2009.2) - ALTERNATIVA: A c) 3C
Em uma esfera condutora carregada com uma distribuição uni- *d) 2C/3
forme de carga elétrica negativa, o potencial elétrico
*a) é constante em todos os pontos de seu interior.
b) é igual a zero em todos os pontos de seu interior.
c) diminui em seu interior, à medida que se afasta de seu centro. (UFV/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B
d) aumenta em seu interior, à medida que se afasta de seu cen- Quatro cargas pontuais estão dispostas ao longo de uma linha
tro. nas configurações A, B e C conforme mostra a figura abaixo.
e) varia com o inverso do quadrado da distância em relação ao Sabe-se que todas as cargas, exceto a carga q0, estão fixadas
seu centro. rigidamente por nanoalfinetes neutros e invisíveis e que a carga
q0 é negativa e está em equilíbrio.
(PUCMINAS-2009.2) - ALTERNATIVA: A
Os tubos de imagem dos televisores tradicionais são tubos de
raios catódicos, cujo diagrama básico está representado a se-
guir. No diagrama, um feixe de elétrons é lançado através da
região entre um par de placas paralelas, carregadas com cargas
iguais e de sinais contrários, em um tubo de raios catódicos.
Após passar entre as placas, o feixe de elétrons segue a trajetó-
ria indicada por:
*a) A
b) B
c) C
d) D
Em relação às cargas Q1, Q2 e Q3 é CORRETO afirmar que:
a) Q1 > 0, Q2 > 0 e Q3 > 0
*b) Q1 < 0, Q2 > 0 e Q3 = 0
c) Q1 > 0, Q2 > 0 e Q3 = 0
d) Q1 < 0, Q2 < 0 e Q3 > 0

japizzirani@gmail.com 17
(UFU/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: A (UDESC-2009.2) - RESPOSTA NO FINAL
Devido à diferença de eletronegatividade entre o oxigênio e o A figura mostra uma esfera isolada de raio R no interior de uma
hidrogênio, a molécula de água (H2O) apresenta um dipolo elétri- casca esférica de raio 2R, também isolada. Ambas são metáli-
co, que consiste no oxigênio com uma carga elétrica parcialmen- cas e, inicialmente, não estão em contato. A carga elétrica da
te negativa (–q) e nos hidrogênios com cargas parcialmente po- esfera é +2Q, e a carga elétrica da casca esférica é –Q. Um fio
sitivas (+q), separados espacialmente por uma distância d, como condutor é, então, ligado entre a esfera e a casca esférica.
representado esquematicamente na figura a seguir.

a) Calcule a diferença de potencial elétrico inicial entre a esfera e


Considere um ponto P distante y da origem, conforme mostrado a casca esférica.
na figura. Assinale a alternativa que apresenta o potencial b) Esboce, para distâncias variando desde o centro da esfera até
eletrostático em P, devido ao dipolo da água. 4R, os gráficos do campo elétrico e do potencial elétrico, após o
sistema atingir o equilíbrio.

(RESPOSTA UDESC-2009.2:
*a) K. a) 5kQ/(2R)
b)

b) K.q.d.

(UFMS-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 026 (002+008+016)


As figuras mostram as linhas de forças que representam o cam-
po elétrico gerado por três distribuições de cargas diferentes. Na
primeira, uma distribuição de cargas que não aparece na figura,
c) –K.q.d. gera um campo elétrico uniforme, veja a Figura A. Na segunda, o
campo elétrico é gerado por uma carga elétrica pontual e positi-
va, veja a Figura B. Na terceira, o campo elétrico é gerado por
um dipolo elétrico, veja a Figura C.
Três pontos, A, B e C, estão localizados respectivamente nesses
campos elétricos. Considere as linhas de forças contidas no pla-
no da página, despreze outras interações que não sejam elétri-
cas e, com fundamentos no eletromagnetismo, assinale a(s)
d) K. afirmação(s) correta(s).

(UTFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: C
Um quadrado de lado m apresenta 3 vértices com cargas
elétricas fixadas conforme mostra o esquema abaixo. (001) Se colocarmos uma partícula de massa m, carregada posi-
Determine o valor da carga Q4 para que o potencial elétrico tor- tivamente no ponto A, e soltá-la, ela irá movimentar-se com velo-
cidade vetorial constante.
ne-se nulo na região central do quadrado (Dado: k o = 9 × 109
(002) Se colocarmos uma partícula de massa m, carregada posi-
Nm2/C2). tivamente no ponto B, e soltá-la, ela irá movimentar-se com o
Q1 = –1 C vetor aceleração variável.
Q2 = –4 C (004) Se colocarmos uma partícula de massa m, carregada no
ponto C, e soltá-la, ela irá movimentarse sempre sobre a linha de
Q3 = +2 C
força em que a partícula foi solta.
Q4 = ? (008) Se colocarmos uma partícula de massa m, carregada no
a) +8 × 10–6 C ponto A, e a lançarmos com uma velocidade inicial transversal às
b) –3 × 10–6 C linhas de força, sua trajetória será parabólica.
(016) Se o dipolo elétrico da figura C for colocado numa região
*c) +3 × 10–6 C
de campo elétrico correspondente ao da figura B, desalinhado
d) –8 × 10–6 C com a linha de força, o dipolo será arrastado para as proximida-
e) +8 × 10–3 C des da carga elétrica positiva.

japizzirani@gmail.com 18
(UNESP-2009.2) - ALTERNATIVA: C (UECE-2009.2) - ALTERNATIVA: B
No vácuo, duas partículas, 1 e 2, de cargas respectivamente iguais Qual a energia potencial, em elétron-Volt (eV), adquirida por um
a Q1 e Q2, estão fixas e separadas por uma distância de 0,50 m, próton ao passar de um ponto A, cujo potencial vale 51 V, para o
como indica o esquema. Uma terceira partícula, de carga Q3, é ponto B, com potencial de 52 V?
a) 1840
colocada entre as partículas 1 e 2, na mesma reta. Considerando
*b) 1
= 1,4, sabendo que as três cargas têm sinais iguais e que a
c) 52
carga Q1 = 2Q2, a distância de Q1 em que deverá ser colocada a d) 51
carga Q3 para que ela permaneça em equilíbrio eletrostático será
de
a) 0,10 m.
b) 0,20 m.
*c) 0,30 m.
d) 0,40 m.
e) 0,50 m.

(UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 25 (01+08+16)


Considere um plano infinito e delgado imerso no vácuo, carrega-
do positivamente e com densidade superficial de carga . Assi-
nale a(s) alternativa(s) correta(s).
01) Nas vizinhanças da superfície do plano, o campo elétrico é
uniforme.
02) O fluxo elétrico nas proximidades do plano é tanto menor
quanto maior for a densidade superficial de cargas do plano.
04) O vetor campo elétrico emerge da superfície do plano e as
linhas de força do campo elétrico são representadas por retas
paralelas ao plano.
08) O módulo do campo elétrico próximo à superfície do plano é
2 0.
16) Qualquer plano paralelo ao plano carregado pode represen-
tar uma superfície equipotencial.

(UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 11 (01+02+08)


Com relação à capacitância e aos capacitores, é correto afirmar
que
01) a diferença de potencial entre as placas de um capacitor de
placas paralelas corresponde ao trabalho, por unidade de carga,
necessário para deslocar uma pequena carga de uma placa a
outra do capacitor.
02) a capacitância de um capacitor de placas paralelas é a cons-
tante de proporcionalidade entre a carga acumulada no mesmo e
a diferença de potencial entre suas placas.
04) a capacitância equivalente de N capacitores associados em
série é o somatório das capacitâncias dos capacitores individu-
ais.
08) capacitores com capacitâncias variáveis podem ser empre-
gados em circuitos elétricos para a sintonia de receptores de rá-
dio.
16) a capacitância equivalente de N capacitores associados em
paralelo é menor que a menor capacitância individual emprega-
da na associação.

(UFLA/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B
Duas placas paralelas estão eletrizadas e geram em seu interior
um campo elétrico uniforme de intensidade E = 103 V/m (figura
abaixo). Um ponto A desse campo tem potencial V A = 100 V,
então, um ponto B distante 20 cm de A tem potencial VB de:
a) – 80 V
*b) – 100 V
c) 0
d) – 20000 V

japizzirani@gmail.com 19
ELETRICIDADE: (UERJ-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Um circuito empregado em laboratórios para estudar a
ELETRODINÂMICA condutividade elétrica de soluções aquosas é representado por
VESTIBULARES 2009.1 este esquema:
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 39

(UERJ-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Alguns animais, como o peixe elétrico, conseguem gerar corren-
te elétrica pela simples migração de íons de metais alcalinos atra-
vés de uma membrana. O órgão elétrico desse peixe é formado
por células chamadas de eletroplacas, que são similares às mus-
culares, mas não se contraem. Essas células são discos achata-
dos, nos quais uma das superfícies é inervada por terminações
nervosas colinérgicas. Quando estimuladas, apenas a superfície
inervada é despolarizada. Milhares de eletroplacas empilham-se
Ao se acrescentar um determinado soluto ao líquido contido no
em série formando conjuntos que, por sua vez, se dispõem em
copo, a lâmpada acende, consumindo a potência elétrica de 60
paralelo.
W. Nessas circunstâncias, a resistência da solução, em ohms,
O esquema abaixo, representando esses conjuntos, detalha tam-
corresponde a cerca de:
bém a estrutura básica da eletroplaca e mostra os potenciais de
*a) 14
repouso da membrana e a sua inversão na face inervada, quan-
b) 28
do o nervo é estimulado.
c) 42
d) 56
(UFABC-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Hoje é muito comum, em instalações elétricas residenciais, o
uso de interruptores paralelos, aqueles que permitem ligar e des-
ligar uma lâmpada quando colocados em paredes diferentes. A
figura mostra um esquema com duas chaves CH1 e CH2 repre-
sentando esses interruptores, uma lâmpada e uma fonte de ten-
são constante, todos ideais. O fio 1 e o fio 2 são feitos do mesmo
material, porém o comprimento do fio 2 e sua área de secção
transversal são duas vezes maiores que os do fio 1. A chave CH1
pode ser conectada aos pontos A e B, e a chave CH2 pode ser
conectada aos pontos C e D.

OBS.: A SEGUNDA FIGURA ESTÁ AMPLIADA ABAIXO.

Para estudar o funcionamento desse circuito, foram feitos dois


experimentos:
1.º experimento: CH 1 ligada em A e CH 2 ligada em C.
2.º experimento: CH 1 ligada em B e CH 2 ligada em D.
Pode-se afirmar, corretamente, que
a) no 1.º experimento, a lâmpada brilha mais que no 2.º experi-
Admita as seguintes condições: mento.
– cada conjunto de eletroplacas em série é formado por 5000 *b) no 1.º experimento, a lâmpada brilha da mesma forma que no
células e existem 5 desses conjuntos em paralelo; 2.º experimento.
– esses 5 conjuntos em paralelo podem gerar uma intensidade c) no 2.º experimento, a intensidade de corrente elétrica que passa
total de corrente elétrica igual a 0,5 A. pela lâmpada é quatro vezes maior que no 1.º experimento.
Nesse caso, a potência máxima, em watts, que cada conjunto d) no 2.º experimento, a intensidade de corrente elétrica que passa
pode fornecer é igual a: pela lâmpada é duas vezes maior que no 1.º experimento.
a) 50 *b) 75 c) 150 d) 750 e) no 1.º experimento, a potência dissipada pela lâmpada é o
dobro que no 1.º experimento.

(FGVRJ-2009.1) - ALTERNATIVA: D (PUCRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: B


Uma diferença de potencial de 24 milhões de volts existente en- No circuito apresentado na figura, onde V = 12 V, R1 = 5 , R2 =
tre dois pontos da atmosfera terrestre provocou um raio de 3 × 2 , R 3 = 2 , podemos dizer que a corrente medida pelo
105 A com duração de 1 ms. Uma residência com consumo men- amperímetro A colocado no circuito é:
sal de energia de 400kWh gasta uma quantidade de energia igual a) 1 A.
à liberada pelo raio em: (Dados: 1kW = 103J/s e 1ms = 10–3s) *b) 2 A.
a) menos de 1 mês. c) 3 A.
V
b) 6 meses. d) 4 A.
c) 1,8 meses. e) 5 A.
*d) 5 meses.
e) mais de 1 ano.

japizzirani@gmail.com 20
(UNISA-2009.1) - ALTERNATIVA: E (UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: B
De acordo com a 2ª lei de Ohm, a resistência elétrica é direta- A figura mostra um circuito composto por fios condutores ideais,
mente proporcional ao comprimento ( ) do fio condutor e inver- 4 lâmpadas idênticas, e uma bateria ideal. O fio AB é um condu-
samente proporcional à área de sua secção transversal ( S ) mul- tor de cobre que pode ser retirado do circuito.
tiplicado por uma constante de proporcionalidade que é a
resistividade elétrica do material ( ). Matematicamente, a resis-
tência elétrica pode ser expressa pela equação:

a)

b)

c)

d)

*e)
Pode-se afirmar que
a) as lâmpadas têm brilhos idênticos, mas, com a remoção do fio
(PUCRIO-2009.1) - RESPOSTA: a) 3,0 mA b) 2,4 mA c) 2,0 mA AB haverá alteração no brilho de duas delas.
Montaremos um circuito elétrico como na figura. Quatro resistores *b) as lâmpadas têm brilhos idênticos, que permanecem
(R1 = 8,0 k , R2 = 8,0 k , R3 = 4,0 k , R4 = 4,0 k ) estão inalterados com a remoção do fio AB.
ligados por condutores sem resistência a uma bateria de V = 24 c) as lâmpadas têm brilhos idênticos, mas, com a remoção do fio
V. Os interruptores I1 e I2 podem estar abertos (A) ou fechados AB haverá alteração no brilho de todas.
d) duas das lâmpadas têm brilhos idênticos e as outras duas
(F). Calcule a corrente que passa por R4 (resistor 4) para os ca- estão apagadas; situação que não se altera com a remoção do
sos em que (I1,I2) são: fio AB.
a) (A,A) e) duas das lâmpadas têm brilhos idênticos e duas estão apaga-
b) (F,A) das; com a remoção do fio AB todas ficarão acesas.
c) (F,F)
(PUCPR-2009.1) - ALTERNATIVA: C
O setor agropecuário, nos últimos anos, vem passando por gran-
des transformações. Atualmente as propriedades rurais são do-
tadas de um bom nível de conforto, o que anteriormente era pri-
vilégio somente dos habitantes urbanos. Sem dúvida, a energia
elétrica é a principal responsável por essa modernização. Ela
permite desde a implantação de motores elétricos, que aumen-
tam a capacidade produtiva da fazenda, até uma iluminação efi-
ciente bem como a utilização de aparelhos de comunicação, como
rádio, telefone, TV e vários outros, proporcionando melhor quali-
(PUCRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: A
dade de vida e reduzindo o êxodo rural.
No circuito apresentado na figura, onde V = 7 V, R1 = 1 , R2 = 2 Dessa maneira, a construção de usinas de pequeno porte pode
, R 3 = 4 , podemos dizer que a corrente medida pelo ser uma alternativa para o fornecimento de energia elétrica para
amperímetro A colocado no circuito é: pequenas propriedades rurais.
Em granjas, por exemplo, é comum a utilização de chocadeiras
*a) 1 A de ovos. Uma chocadeira de ovos comum necessita de quatro
b) 2 A lâmpadas de 40 W - 120 V para aquecer o ambiente interno.
c) 3 A Essas lâmpadas devem ficar ligadas 24 horas.
d) 4 A V
e) 5 A Usina Capacidade de geração por dia
Eólica 60 kwh
Hidroelétrica 24 kW
Térmica 20 kW
Fotovoltaica (Energia
radiante em elétrica) 1,5 kWh
(VUNESP/UNICID-2009.1) - ALTERNATIVA: D
Ao consertar um televisor, um técnico percebeu que um resistor De acordo com o texto, assinale a alternativa CORRETA.
de valor R havia queimado. Como tal resistor não é mais fabrica- a) Na tabela acima a capacidade de geração está relacionada à
do, pensou nas seguintes possibilidades, recorrendo aos potência elétrica gerada em cada tipo de usina.
resistores que possuía, a saber: b) Na usina eólica, a energia é do tipo não renovável.
I. dois resistores de R/2 em série. *c) Utilizando-se a usina hidroelétrica e supondo que as lâmpa-
II. dois resistores de 2R em paralelo. das da chocadeira estão associadas em paralelo, é possível for-
III. três resistores de 3R em paralelo. necer energia elétrica para 150 chocadeiras por dia.
Para dissipar a menor potência em cada resistor (considere d) Supondo que a tensão permaneça constante na associação
resistores ôhmicos), o técnico optaria por das lâmpadas da chocadeira, a potência total será a mesma in-
a) apenas I. dependente de a ligação ser em série ou em paralelo.
b) apenas I e II. e) Supondo que a tensão elétrica obtida gerada a partir de pai-
c) apenas II. néis fotovoltaicos seja contínua e igual a 220 V, se ligarmos as
*d) apenas III. lâmpadas da chocadeira em série, nesta tensão elas funciona-
e) I, II e III. rão normalmente.

japizzirani@gmail.com 21
(UFRJ-2009.1) - RESPOSTA: NO FINAL (VUNESP/UNINOVE-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Um aluno dispõe de três lâmpadas e uma fonte de tensão para São dadas as curvas características de dois resistores ôhmicos
montar um circuito no qual as lâmpadas funcionem de acordo A e B.
com as especificações do fabricante. As características dos ele-
mentos do circuito e os símbolos a eles atribuídos são:

- lâmpada 1: 100V, 40W e símbolo

- lâmpada 2: 100V, 40W e símbolo

- lâmpada 3: 200V, 40W e símbolo

- fonte de tensão: 200V, considerada ideal, e símbolo

Indique, por meio de um desenho, como o aluno deve montar o


circuito e calcule, nesse caso, a potência total que as três lâmpa- Tais resistores são associados em série e ligados a uma fonte de
das consumirão. tensão. Observa-se a passagem de uma corrente elétrica de 3,0A
RESPOSTA UFRJ - 2009.1: potência = 120 W e figura a seguir através do resistor A. Pode-se concluir que
a) a corrente elétrica através de B vale 9,0 A.
*b) a fonte fornece uma ddp de 3,0 V.
c) a resistência equivalente da associação é de 5,3 .
d) a ddp nos terminais de A é de 3,0 V.
e) a ddp nos terminais de B é de 6,0 V.

(UDESC-2009.1) - ALTERNATIVA: C
(VUNESP/UNINOVE-2009.1) - ALTERNATIVA: E A tabela a seguir fornece os comprimentos, as áreas da seção
Os resistores ôhmicos, de formato cilíndrico, têm sua resistência transversal e as resistividades para fios de cinco materiais dife-
variando diretamente com seu comprimento e inversamente com rentes. A resistência desses fios não depende da tensão aplica-
sua área transversal, além de depender do material de que são da.
feitos. O par de gráficos que representa corretamente a variação
da resistência R de um resistor em função de seu comprimento L
e de sua área transversal A é o da alternativa:

a)
A partir desses dados, indique a alternativa que contém o fio re-
ferente ao material que transforma mais energia por unidade de
tempo quando todos estão individualmente submetidos à mes-
ma diferença de potencial em suas extremidades.
a) C
b) B
*c) A
d) D
b)
e) E

(UFF/RJ-2009.1) - ALTERNATIVA: C
No cuidado com o planeta, a reciclagem é uma das estratégias
mais eficientes. Um técnico guardou três resistores iguais de um
ohm (1 ).
Assinale o valor de resistência que ele não será capaz de obter,
utilizando todos os três resistores.
c)
a) 1/3
b) 2/3
*c) 1
d) 3/2
e) 3

(FUVEST-2009.1) - ALTERNATIVA: E
d) O que consome mais energia ao longo de um mês, uma residên-
cia ou um carro? Suponha que o consumo mensal de energia
elétrica residencial de uma família, E R, seja 300 kWh (300
quilowatts-hora) e que, nesse período, o carro da família tenha
consumido uma energia EC, fornecida por 180 litros de gasolina.
Assim, a razão EC/ER será, aproximadamente,
*e) a) 1/6
b) 1/2
Calor de combustão da gasolina 30 000 kJ/litro
c) 1
1kJ = 1 000 J
d) 3
*e) 5

japizzirani@gmail.com 22
(UFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: A (UFF/RJ-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Atualmente, os aparelhos eletrodomésticos devem trazer uma Um circuito é composto por 3 lâmpadas idênticas (A, B e C), um
etiqueta bem visível contendo vários itens do interesse do consu- interruptor e fios de resistência desprezível.
midor, para auxiliá-lo na escolha do aparelho. A etiqueta abaixo é A fiação está embutida, sendo, portanto, invisível, e o circuito é
um exemplo modificado (na prática as faixas são coloridas), na alimentado por uma tomada comum.
qual a letra A sobre a faixa superior corresponde a um produto Quando o interruptor está aberto, as lâmpadas A e B estão ace-
que consome pouca energia e a letra G sobre a faixa inferior sas e brilham com a mesma intensidade, enquanto a lâmpada C
corresponde a um produto que consome muita energia. Nesse permanece apagada. Quando o interruptor é fechado, o brilho da
caso, trata-se de etiqueta para ser fixada em um refrigerador. lâmpada A aumenta, o da lâmpada B diminui, e a lâmpada C se
Suponha agora que, no lugar onde está impresso XY,Z na etique- acende, ficando com o mesmo brilho que B.
ta, esteja impresso o valor 41,6. Considere que o custo do KWh Escolha, dentre as alternativas abaixo, o esquema de ligação
seja igual a R$ 0,25. Com base nessas informações, assinale a entre as lâmpadas e o interruptor que possibilita estas 2 situa-
alternativa que fornece o custo total do consumo dessa geladei- ções:
ra, considerando que ela funcione ininterruptamente ao longo de
um ano.
a) d)

b) e)

*c)

(UFERJ/UNIRIO-2009.1) - ALTERNATIVA: D
A bateria da figura abaixo não possui resistência interna. A ddp
entre seus terminais é de 9V para qualquer dispositivo ligado aos
seus terminais. Precisa-se ligar o ponto A ao B, fechando o cir-
cuito, de forma que uma lâmpada incandescente ( ) de 12 W e,
submetida a uma ddp de 6V, tenha seu perfeito funcionamento. A
condição necssária para que isto ocorra é que seja conectado
aos pontos A e B

(Desconsidere o fato de que esse custo poderá sofrer alterações


dependendo do número de vezes que ela é aberta, do tempo em
que permanece aberta e da temperatura dos alimentos coloca-
dos em seu interior.)
*a) R$ 124,8. a) um resistor ôhmico que ficará submetido a 6V e terá resistên-
b) R$ 499,2.
cia 1,5 .
c) R$ 41,6.
b) um resistor ôhmico que ficará submetido a 6V e terá resistên-
d) R$ 416,0.
cia 3 .
e) R$ 83,2.
c) uma lâmpada semelhante àquela já ligada.
*d) um resistor ôhmico que ficará submetido a 3V e terá resistên-
(FUVEST-2009.1) - ALTERNATIVA: E cia 1,5 .
Na maior parte das residências que dispõem de sistemas de TV e) uma lâmpada também de 6V, como a que já está ligada, mas
a cabo, o aparelho que decodifica o sinal permanece ligado sem com potência 6 W.
interrupção, operando com uma potência aproximada de 6 W,
mesmo quando a TV não está ligada. O consumo de energia do
decodificador, durante um mês (30 dias), seria equivalente ao de (UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: D
uma lâmpada de 60 W que permanecesse ligada, sem interrup- Uma lâmpada de 60 W ficou ligada durante 10 min. A energia
ção, durante consumida por essa lâmpada, em joules, é igual a:
a) 6 horas. a) 600.
b) 10 horas. b) 1200.
c) 36 horas. c) 7200.
d) 60 horas. *d) 36000.
*e) 72 horas. e) 72000.

japizzirani@gmail.com 23
(UFRJ-2009.1) - RESPOSTA: VA – VB = /3 (UFTM/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Uma bateria ideal de força eletromotriz está ligada a um circui- Um eletricista foi chamado para instalar um chuveiro em uma
to como ilustra a figura a seguir. residência. O chuveiro a instalar era moderno, com jato
pressurizado de água, e de características 6 000 W / 220 V.
Percebeu logo o problema que enfrentaria ao notar que o chuvei-
ro anterior tinha a metade da potência do novo. Para um perfeito
funcionamento do novo chuveiro e proteção adequada da rede
elétrica da residência contra curtos-circuitos, o eletricista deverá
substituir os antigos fusíveis do circuito elétrico do chuveiro por
modernos disjuntores, que fazem o mesmo papel, só que sem
terem de ser substituídos em casos de curto-circuito. Nesse caso,
os disjuntores que serão colocados devem permitir a passagem
de uma corrente máxima no circuito, em ampères, de, aproxima-
damente,
Calcule a diferença de potencial VA – VB entre os pontos termi-
a) 10.
nais A e B em funcao de . b) 20.
*c) 30.
d) 40.
(UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: B e) 50.
Considere as seguintes afirmativas sobre resistores elétricos:
I - Resistores associados em série e conectados a uma bateria
(UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: D
estão todos sujeitos a mesma diferença de potencial.
Observe o circuito elétrico e indique a alternativa INCORRETA.
II - A resistência equivalente de resistores iguais associados em
paralelo e sempre menor do que cada resistência individual.
III - Se o diâmetro de um fio e duplicado a sua resistência cai
para a metade do seu valor original.
IV - A resistência de uma lâmpada que dissipa 100 W quando
submetida a uma ddp de 220 V tem o valor aproximado de 0,5
k .
Estão corretas
a) I, II e III
*b) II e IV
c) II, III e IV
d) III e IV
e) Apenas IV

(UFTM/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: E a) No circuito E1 opera como gerador e E2 como receptor.


Antes de passar por um processo de amplificação do sinal, o
b) Na bateria E1 a corrente elétrica circula do pólo positivo para o
fluxo de partículas , geradas por decaimento radioativo e captu-
radas por um detector de partículas, está representado pelo grá- pólo negativo.
fico a seguir. c) A intensidade de corrente elétrica no circuito equivale a 1A no
sentido antihorário.
*d) No circuito o receptor e o resistor (R) dissipam potências que
somam 12 W.
e) Segundo o Princípio da Conservação de Energia, a potência
transferida às cargas pelo gerador de f.e.m, tem que ser igual à
soma das potências que as cargas transferem aos elementos do
circuito.

(FGV/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: D
Sobre as características de resistores exclusivamente ôhmicos,
analise:
I. a potência elétrica dissipada pelo resistor depende do valor da
intensidade da corrente elétrica que o atravessa;
II. a resistividade é uma característica do material do qual o resistor
é feito, e quanto maior for o valor da resistividade, mantidas as
dimensões espaciais, menos condutor é esse resistor;
III. a classificação como resistor ôhmico se dá pelo fato de que
nesses resistores, os valores da diferença de potencial aplicada
e da intensidade de corrente elétrica, quando multiplicados, ge-
Sabendo-se que uma partícula tem a mesma carga elétrica
ram sempre um mesmo valor constante;
que um elétron, 1,6 × 10–19 C, da análise desse gráfico, pode-se IV. a potência elétrica total de um circuito elétrico sob diferença
estimar que, para o intervalo de tempo considerado, a intensida- de potencial não nula e constituído apenas por resistores é igual
de média de corrente elétrica no detector antes de sua amplifica- à soma das potências dissipadas individualmente em cada
ção, poderia ser expressa, em A, pelo valor resistor, independentemente de como eles são associados.
a) 1 × 10–10. Está correto apenas o contido em
b) 8 × 10–11. a) I e II.
b) I e III.
c) 5 × 10–12.
c) III e IV.
d) 6 × 10–12. *d) I, II e IV.
*e) 2 × 10–13. e) II, III e IV.

japizzirani@gmail.com 24
(FGV/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: D (UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 16 (16)
Aproveitando o momento em que a moda dos cabelos alisados Considere um chuveiro elétrico que possui uma chave com três
volta a todo vapor, a indústria de chapinhas “Alisabem” corre para posições (desligado, verão e inverno) para controlar a tempera-
lançar-se no mercado, faltando apenas a correta identificação do tura da água, ligado à rede elétrica de 110 V de uma residência.
valor da potência elétrica de seu produto. Considere que o chuveiro tenha um único resistor, que funciona
como um reostato.
Chapinha “Alisabem” Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).
ESPECIFICAÇÕES 01) Ao colocar a chave na posição inverno, a diferença de poten-
Revestimento cerâmico cial nos terminais da resistência do chuveiro é aumentada, o que
Massa: 0,7 kg faz aumentar a temperatura da água.
Diferença de potencial: 110 V 02) Ao colocar a chave na posição inverno, é aumentado o com-
Potência: ??? W primento do resistor, aumentando a temperatura da água.
Temperatura máxima: 150 ºC 04) Ao colocar a chave na posição desligado, é fechado o circuito
entre o pólo positivo e negativo da rede elétrica.
O técnico responsável mede o valor da resistência elétrica do 08) Ao colocar a chave na posição verão, a potência dissipada
produto, obtendo 70 , podendo estimar que a potência dissipa- no resistor é maior que na posição inverno.
da pela chapinha, em W, é, aproximadamente, 16) Se aumentar a sessão reta do resistor, a potência dissipada
a) 100. nas duas posições inverno e verão irá aumentar.
b) 125.
c) 150.
*d) 175. (UEPB-2009.1) - ALTERNATIVAS: 28 D e 29 B
e) 200. Texto para as questões 28 e 29.
A figura abaixo representa parte de um circuito elétrico de uma
(CEFETMG-2009.1) - ALTERNATIVA: E residência, com alguns componentes eletrodomésticos identifi-
Determinado meio condutor elétrico está sob a ação de um cam- cados com suas respectivas potências (tabela abaixo). A instala-
po elétrico uniforme. Nele o movimento de um número N de por- ção elétrica desta residência está ligada a uma rede monofásica
tadores de carga elétrica positiva é igual ao número de portado- de 220V e protegida por um disjuntor ou fusível F.
res de carga elétrica negativa, em sentido oposto, durante um
intervalo de tempo t. Considerando que o valor da carga elétri-
ca de cada portador em movimento seja q, a corrente elétrica
que se estabelece nesse meio condutor tem intensidade igual a
a) N t/q.
b) Nq/ t.
c) 2Nq t.
d) Nq t.
*e) 2Nq/ t.

(UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 06 (02+04)


Duas pilhas, cada uma com força eletromotriz 3,0 V e com resis-
tência interna 1 são conectadas para acender uma lâmpada
com valores nominais de 4,8 V e 0,6 A. Considere que valores
menores que os nominais não acendem a lâmpada e maiores
que esses vão queimá-la.
Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).
01) Para que a lâmpada acenda, as pilhas devem ser associadas
em série, conforme esquema do circuito elétrico abaixo.

28ª QUESTÃO - ALTERNATIVA: D


Considerando que todos os equipamentos estejam ligados ao
mesmo tempo, o consumo de energia elétrica da residência, em
kWh, durante 120 minutos, é:
02) O gráfico abaixo representa as variações do potencial em um a) 4,56 *d) 2,84
circuito elétrico projetado para fazer a lâmpada acender. b) 3,52 e) 5,34
c) 6,32

29ª QUESTÃO- ALTERNATIVA: B


Ainda acerca do assunto tratado no texto, resolva esta outra situ-
ação-problema: Considerando ainda o circuito da questão anteri-
or, ligado à rede monofásica de 220V e protegido por um disjuntor
ou fusível F de 15 A, qual deve ser a potência máxima, em watts
(W), de um ferro de passar roupa que pode ser ligado, simultane-
04) A potência dissipada na lâmpada é 2,88 W. amente, a todos os demais equipamentos que constam no cir-
08) A força eletromotriz equivalente do circuito adequado para cuito citado, sem que o fusível interrompa esse circuito?
acender a lâmpada é 1,2 V. a) 1600 d) 2300
16) Para que a lâmpada acenda, as pilhas devem ser conectadas *b) 1880 e) 1900
em paralelo. c) 1650

japizzirani@gmail.com 25
(UFABC-2009.1) - RESPOSTA: a) i = 0,25 A b) R = 72 (MACKENZIE-2009.1) - ALTERNATIVA: E
c) O fusível irá queimar para valores menores que X, pois a cor- Quando as lâmpadas L1, L2 e L3 estão ligadas ao gerador de
rente em L1 será maior que 1 A. (Precisa justificar com cálculos.) f.e.m. , conforme mostra a figura abaixo, dissipam, respectiva-
No circuito elétrico, L1 e L2 são lâmpadas que possuem respecti- mente, as potências 1,00 W, 2,00 W e 2,00 W, por efeito Joule.
Nessas condições, se o amperímetro A, considerado ideal, indi-
vamente resistências 10 e 40 . No centro do esquema en-
ca a medida 500 mA, a força eletromotriz do gerador é de
contra-se um gerador ideal de força eletromotriz 100 V, associa-
a) 2,25 V
do em série a um potenciômetro – resistor de resistência variá-
b) 3,50 V
vel.
c) 3,75 V
Em série com a lâmpada de menor valor ôhmico, um fusível F de
d) 4,00 V
resistência desprezível limita o valor da corrente elétrica nessa
*e) 4,25 V
lâmpada a 1 A.

(PUCMINAS-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Os chuveiros elétricos permitem alterar a temperatura da água
sem alterar o seu fluxo, fornecendo-lhe mais ou menos calor.
Esses equipamentos possuem uma chave seletora que altera o
valor da resistência elétrica, modificando-lhe o comprimento. Con-
sidere que, ao mover a chave seletora da posição A para a posi-
ção B, o comprimento da resistência tenha sido reduzido em 20%.
a) No momento em que o fusível estiver prestes a abrir o circuito Considerando-se que se mantiveram inalteradas as demais con-
elétrico que protege, qual deve ser o valor da corrente elétrica na dições, é CORRETO afirmar:
outra lâmpada? a) A temperatura da água não vai se alterar.
b) Qual deverá ser o valor ajustado no potenciômetro na situação *b) A potência do chuveiro aumentou 25% e a água sairá mais
do item anterior? quente.
c) Supondo que o valor da resistência do potenciômetro que co- c) A potência irá diminuir 20% e a água sairá mais fria.
loque o fusível na iminência de queimar seja X, o fusível certa- d) Não se pode fazer nenhuma previsão sem saber se o chuveiro
mente estará queimado para valores maiores ou menores que opera com 110V ou 220V.
X? Justifique sua resposta.
(UFSC-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 19 (01+02+16)
(FATEC/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: C Um técnico eletricista, para obter as características de um deter-
O diagrama representa um circuito simples constituído por um minado resistor, submete o mesmo a vários valores de diferença
resistor de resistência variável (reostato), uma bateria, um de potencial, obtendo as intensidades de corrente elétrica cor-
amperímetro e um voltímetro, devidamente acoplados ao circui- respondentes. Com os valores obtidos, o técnico constrói o grá-
to. fico V X i mostrado abaixo, concluindo que o gráfico caracteriza
a maioria dos resistores reais.

Se a resistência do resistor variar de 500 para 5000 , a leitu-


ra da
a) corrente que atravessa o circuito, no amperímetro, não se al-
tera.
b) corrente que atravessa o circuito, no amperímetro, aumenta. Analise o gráfico e assinale a(s) proposição(ões) CORRETA(S).
*c) corrente que atravessa o circuito, no amperímetro, diminui. 01. A resistência desse resistor tende a aumentar com o seu
d) diferença de potencial, no voltímetro, aumenta. aquecimento, devido ao aumento da corrente.
e) diferença de potencial, no voltímetro, diminui. 02. No trecho de 0 a 600 mA, o resistor é considerado ôhmico,
pois o valor da resistência é constante.
04. No trecho de 600 mA até 800 mA, a relação V = R.i não pode
(MACKENZIE-2009.1) - ALTERNATIVA: E ser aplicada, pois o resistor não é mais ôhmico.
No laboratório de Física, um aluno observou que ao fechar a 08. Quando passa pelo resistor uma corrente de 800 mA, a resis-
chave ch do circuito abaixo, o valor fornecido pelo voltímetro ide- tência elétrica do mesmo é 5 .
al passa a ser 3 vezes menor. Analisando esse fato, o aluno de- 16. Se o técnico desejar construir um resistor de resistência igual
terminou que a resistência interna do gerador vale a 5 , utilizando um fio de níquel cromo ( = 1,5 x 10-6 .m) com
a) 4 área da secção reta de 1,5 mm2, o comprimento deste fio deverá
b) 6 ter 5 m.
c) 8 32. Quando a intensidade da corrente aumenta de 200 mA para
d) 10 400 mA, a potência dissipada por efeito Joule no referido resistor
*e) 12 duplica.

japizzirani@gmail.com 26
(UFMG-2009.1) - ALTERNATIVA: D (UFSCar-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Observe este circuito, constituído de três resistores de mesma Está vendo? Bem que sua mãe sempre disse para guardar as
resistência R; um amperímetro A; uma bateria ; e um interruptor peças do quebra-cabeça! Agora, está faltando uma ...
S:

Considere que a resistência interna da bateria e a do amperímetro


são desprezíveis e que os resistores são ôhmicos.
Com o interruptor S inicialmente desligado, observa-se que o
amperímetro indica uma corrente elétrica I.
Com base nessas informações, é CORRETO afirmar que, quan-
do o interruptor S é ligado, o amperímetro passa a indicar uma
corrente elétrica
a) 2I/3.
b) I/2.
c) 2I.
*d) 3I.

(UERJ-2009.1) - RESPOSTA: E = 118 J


Na tabela abaixo, são apresentadas as resistências e as d.d.p.
relativas a dois resistores, quando conectados, separadamente,
a uma dada bateria.

resistência ( ) d.d.p. (V)


5,8 11,6
3,8 11,4

Considerando que os terminais da bateria estejam conectados a


um resistor de resistência igual a 11,8 , calcule a energia elétri-
ca dissipada em 10 segundos por esse resistor.
Para falar a verdade, a peça que falta e que completa adequada-
(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B mente o quadro e o fato físico apresentado é
Nos dois circuitos abaixo, as quatro baterias são idênticas, as-
sim como as duas lâmpadas.
Comparando o brilho das lâmpadas nos dois circuitos, assinale a
alternativa CORRETA sobre qual delas brilha mais. *a) d)

b) e)
a) A lâmpada do circuito 1, porque as duas baterias em série
fornecem voltagem menor que uma única bateria.
*b) A lâmpada do circuito 1, porque as duas baterias em série
fornecem voltagem maior que uma única bateria.
c) A lâmpada do circuito 2, porque as duas baterias em paralelo
fornecem voltagem menor que uma única bateria. c)
d) A lâmpada do circuito 2, porque as duas baterias em paralelo
fornecem voltagem maior que uma única bateria.
e) Ambas brilham igualmente.

(PUCRS-2009.1) - ALTERNATIVA: C
A conta mensal enviada por uma companhia elétrica a uma resi-
dência informa um consumo de 176 kWh. (UFJF/MG-2009.1) - ALTERANTIVA: E
Sobre essa informação, é correto afirmar: No circuito da figura abaixo, a corrente que passa pelo resistor
a) Esse consumo indica que uma potência elétrica total de 176 de 8 é:
watts foi utilizada durante o mês. a) 1,5 A
b) A corrente elétrica total no período do mês em questão foi de b) 3 A
76 ampères. c) 1 A
*c) Esse consumo corresponde à energia total consumida na re- d) 2 A
sidência durante o mês. *e) 0,75 A
d) Em cada hora de consumo, foram utilizados 176 quilowatts de
potência elétrica.
e) Se esse consumo se deu em uma rede elétrica de 110 V, a
corrente média que circulou na residência foi de 1,6 ampères.

japizzirani@gmail.com 27
(PUCRS-2009.1) - ALTERNATIVA: B (ITA-2009.1) - RESPOSTA: PM = 720,0 W, PL = 712,8 W e
No esquema de circuito elétrico abaixo, R V representa a resis- Pr = 36,0 W (RESOLUÇÃO NO FINAL)
tência de um reostato, cujo valor é variável desde zero até um Considere um circuito constituído por um gerador de tensão E =
valor máximo, dependendo da posição do cursor C. Esse tipo de 122,4 V, pelo qual passa uma corrente I = 12 A, ligado a uma
dispositivo é utilizado, por exemplo, em interruptores conectados linha de transmissão com condutores de resistência r = 0,1 .
a uma lâmpada, para permitir alterações no seu brilho. Nessa linha encontram-se um motor e uma carga de 5 lâmpadas
Os valores das resistências, R1 e R2, dos demais resistores são idênticas, cada qual com resistência R = 99 , ligadas em parale-
fixos. V é a tensão fornecida ao circuito, cujo valor é mantido lo, de acordo com a figura. Determinar a potência absorvida pelo
constante. motor, PM, pelas lâmpadas, PL, e a dissipada na rede, Pr.

Considerando as informações anteriores, é correto afirmar que


a) a intensidade de corrente elétrica no circuito é máxima se o
valor da resistência do reostato for máxima.
*b) a resistência equivalente do circuito é mínima se o valor da RESOLUÇÃO: ITA-2009.1:
resistência do reostato é nulo.
c) para qualquer valor da resistência do reostato, as intensida-
des de corrente que passam por R1 e RV são iguais.
d) se o valor de R2 é muito pequeno, a corrente que passa por R1
e por RV pode tender a zero.
e) independentemente do valor de RV, a tensão sobre R2 se man-
tém constante.

(UNESP-2009.1) - ALTERNATIVA: D
Os valores nominais de uma lâmpada incandescente, usada em
uma lanterna, são: 6,0 V; 20 mA. Isso significa que a resistência UAC= UBD= r.i = 0,1.12 (V) = 1,2V
elétrica do seu filamento é de
No motor, temos: UCD = E – UAC – UBD = 120,0V
a) 150 , sempre, com a lâmpada acesa ou apagada.
b) 300 , sempre, com a lâmpada acesa ou apagada. Nas lâmpadas:
c) 300 com a lâmpada acesa e tem um valor bem maior quan- R = 19,8 + 0,1 + 0,1 = 20,0
do apagada. UCD = Ri2 i2 = 6,0A i1 = 6,0A
*d) 300 com a lâmpada acesa e tem um valor bem menor Cálculo das potências elétricas:
quando apagada. 1º) no motor:
e) 600 com a lâmpada acesa e tem um valor bem maior quan- PM = i1.UCD = 6.120 (W) = 720,0W
do apagada. 2º) nas cinco lâmpadas:
PL = RL. i22 PL = 19,8.62 = 712,8W
(UNESP-2009.1) - RESPOSTA: U = 3,0×104 V e R = 1,0×106 3º) Potência dissipada na rede:
As constantes físicas da madeira são muito variáveis e depen- Pr = 2r.i2 + 2r.i22 = 2.0,1.122 + 2.0,1.62 = 36,0W
dem de inúmeros fatores. No caso da rigidez dielétrica (E) e da OBS.: Potência do gerador
resistividade elétrica ( ), são valores aceitáveis E = 5,0·105 V/m P=E.i
P = 122,4.12 = 1468,8W
e = 5,0·104 .m, respectivamente, para madeiras com cerca Somatório das potências dos aparelhos e das potências dissipa-
de 20% de umidade. das:
Considere um palito de madeira de 6,0 cm de comprimento e
PTOT = (720,0 + 712,8 + 36,0)W = 1468,8W
uma tora de madeira aproximadamente cilíndrica, de 4,0 m de
comprimento e área média de seção normal S = 0,20 m2.
(UNIFESP-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Calcule a diferença de potencial mínima necessária para que esse
O circuito representado na figura foi projetado para medir a resis-
palito se torne condutor e a resistência elétrica dessa tora de
madeira, quando percorrida por uma corrente ao longo do seu tência elétrica RH do corpo de um homem. Para tanto, em pé e
comprimento. descalço sobre uma placa de resistência elétrica RP = 1,0 M , o
homem segura com uma das mãos a ponta de um fio, fechando
(ITA-2009.1) - RESPOSTA: a) 2,94 × 102 km2 b) 71,4% o circuito.
Em 1998, a hidrelétrica de Itaipu forneceu aproximadamente O circuito é alimentado por uma bateria ideal de 30 V, ligada a
87600 GWh de energia elétrica. Imagine então um painel um resistor auxiliar RA = 1,0 M , em paralelo com um voltímetro
fotovoltaico gigante que possa converter em energia elétrica, com ideal. A resistência elétrica dos demais componentes do circuito
rendimento de 20%, a energia solar incidente na superfície da é desprezível. Fechado o circuito, o voltímetro passa a marcar
Terra, aqui con siderada com valor médio diurno (24 h) aproxima- queda de potencial de 10 V. Pode-se concluir que a resistência
do de 170 W/m2. elétrica RH do homem, em M , é
Calcule: *a) 1,0.
a) a área horizontal (em km2) ocupada pelos coletores solares b) 2,4.
para que o painel possa gerar, durante um ano, energia equiva- c) 3,0.
lente àquela de Itaipu, e, d) 6,5.
b) o percentual médio com que a usina operou em 1998 em rela- e) 12,0.
ção à sua potência instalada de 14000 MW.

japizzirani@gmail.com 28
(UNIFESP-2009.1) - RESPOSTA: a) 245 b) 726 Wh (UFU/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Em um enfeite de Natal alimentado com tensão de 110 V, há 5 A figura abaixo representa um gerador de f.e.m. ( ) o qual pode
lâmpadas idênticas ligadas em paralelo, todas acesas, e os fios utilizar como resistência interna um ou mais dos três resistores
de ligação apresentam resistência elétrica de 1,0 . O circuito de resistências r, sendo que estes podem ser associados em
elétrico correspondente a esta situação está esquematizado na série ou em paralelo pela utilização das chaves interruptoras S1
figura, na qual as lâmpadas estão representadas pela sua resis- e S2.
tência equivalente Re. Esse gerador está alimentando um resistor de resistência elétri-
ca R, conforme o circuito elétrico da figura, a qual contém tam-
bém um amperímetro A e um voltímetro V.

Considerando que o amperímetro ideal registra uma corrente de


2,2 A, calcule:
a) o valor da resistência elétrica de cada lâmpada.
b) a energia dissipada em 30 dias pelos fios de ligação, em Wh,
se as lâmpadas ficarem acesas por 5 horas diárias.

(FEI/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: D
Um circuito elétrico é composto por dois resistores de 50 em
série e uma fonte. Se a corrente em um dos resistores é 200 mA,
Estando o gerador ligado (utilizando pelo menos um dos resistores
qual é a tensão da fonte?
r e, portanto, fluindo uma corrente elétrica pelo amperímetro),
a) 2 V
marque a alternativa correta.
b) 5 V
a) O voltímetro marcará sempre o mesmo valor para a d.d.p.,
c) 10 V
independentemente de como as chaves interruptoras estiverem
*d) 20 V
(fechadas ou abertas).
e) 25 V
*b) O amperímetro marcará a maior corrente elétrica quando dois
(FEI/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: A resistores de resistências r estiverem associados em paralelo.
Os diagramas abaixo representam as curvas características de c) O resistor R liberará uma maior quantidade de calor por unida-
de de tempo, pelo efeito Joule, quando dois resistores de resis-
resistores ôhmicos de resistências R1, R2 e R3. Em qual dos dia-
tências r estiverem associados em série.
gramas a resistência R3 representa a associação em paralelo de d) Quando dois resistores de resistências r estiverem associa-
R1 com R2? dos em paralelo, o amperímetro marcará 2 r.
*a) b) c)
(UFF/RJ-2009.1) - RESPOSTA: a) 1799 b) 0,2W c) iLED 9,5mA
Um aficcionado em eletrônica resolve montar um sistema de ilu-
minação de emergência, usando uma bateria, uma lâmpada e
um LED (diodo emissor de luz) para indicar a localização do sis-
tema no escuro.
O LED deve estar apagado quando a lâmpada estiver acesa
e vice-versa.
d) e) O circuito projetado é mostrado na figura.
S RL

LED

r
3
(UFF/RJ-2009.1) - RESPOSTA: a) P = 5,0×10 W O funcionamento do LED nas condições deste circuito é o se-
b) t 3,4×102 s c) V 4,3×103 L guinte:
Um aquecedor elétrico usa um resistor de 2 ligado a uma dife- - a queda de potencial entre seus terminais é constante e igual a
rença de potencial de 100V para aquecer a água. Considere 1 2 V;
- ele fica aceso quando a corrente que o atravessa é maior ou
cal = 4,2 J, dágua = 103 kg/m3 e cágua = 1 cal/g.oC.
igual a 10mA e se apaga quando esta corrente é inferior a 10mA.
a) Calcule a potência consumida pelo aquecedor quando ligado. Para evitar que o LED se queime, liga-se a ele um resistor R em
b) Um banho que use 20 litros de água está dentro dos limites série. A lâmpada consome 20W quando ligada a uma d.d.p. de
recomendados para evitar o desperdício. 20 V. A fonte de tensão tem força eletromotriz = 20 V e uma
Se uma pessoa usa esta quantidade de água a 40°C para seu
resistência interna r = 1 .
banho, e se a temperatura da água antes de ser aquecida é de
a) Com o interruptor S aberto, calcule o valor da resistência R
20°C, durante quanto tempo o aquecedor deverá ficar ligado?
para que a corrente no LED seja 10mA, consumindo a menor
c) Num país como o Brasil, a superfície da Terra recebe cerca de
quantidade de energia possível enquanto aceso.
500 W/m2 de radiação solar por aproximadamente 10 horas diá- b) Ainda com o interruptor aberto, calcule a potência total fornecida
rias. Usando placas captadoras de radiação solar com uma área pela fonte. (Esta é a potência consumida por este sistema em
total de 2 m2, quantos litros de água poderiam ser aquecidos de "stand-by").
20°C a 40°C diariamente, usando apenas energia solar? Supo- c) Com o interruptor S fechado, mostre que a corrente através do
nha que as placas tenham eficiência de 100%. LED é inferior a 10mA. estando, portanto, apagado.

japizzirani@gmail.com 29
(UDESC-2009.1) - RESPOSTA: a) 4,86×10–3 /m b) d = 3,3 mm (UNIFOR/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: A
calilbre 8 (como o cálculo deu o valor exato para o diâmetro Um gerador de força eletromotriz 50 V e resistência interna 1,0
deve-se, por segurança, adotar calibre 4) c) B = 4,0 T alimenta o circuito esquematizado abaixo, entre os pontos A e B.
A tabela abaixo apresenta algumas propriedades dos fios de co- Para que a corrente elétrica fornecida pelo gerador seja de 2,0 A,
bre comumente utilizados em circuitos e instalações elétricas. o valor da resistência R deve ser, em ohms,
*a) 20
Calibre Diâmetro a 20 °C (mm) Área (mm2) b) 16
c) 12
4 5,2 21,2
d) 10
8 3,3 8,5
e) 6,0
12 2,1 3,5
16 1,3 1,3
20 0,8 0,5

Considerando que a resistividade do cobre a 20 °C é igual a 1,7


x 10–8 .m, e as informações fornecidas na tabela acima, resol- (UNIFOR/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: E
va as questões a seguir: Considere o circuito elétrico esquematizado abaixo e os valores
a) Calcule a resistência por unidade de comprimento de um fio indicados nos elementos constituintes.
de cobre de calibre 12.
b) Para a montagem de um circuito elétrico são necessários 10m
de fio de cobre. A resistência máxima oferecida pelo fio não po-
derá ser maior do que 2,0 x 10–2 para o bom funcionamento do
circuito. Determine qual o diâmetro mínimo de fio que pode ser
utilizado para a montagem do circuito e identifique qual o calibre
do fio.
c) Determine o campo magnético a 10 cm de um fio (longo e
reto) de cobre de calibre 20, quando nele estiver passando uma Nesse circuito é correto afirmar que a
corrente elétrica contínua igual a 2,0 A. Dado: 0 = 4 ×10–7Tm/A a) intensidade da corrente elétrica em R1 vale 4A.
b) intensidade da corrente elétrica em R2 vale 3A.
c) ddp entre os pontos A e B vale 8 V.
(UFMS-2009.1) - ALTERNATIVA: C d) potência elétrica dissipada em R1 vale 25 W.
Uma dona de casa, para diminuir o consumo mensal de energia
*e) potência elétrica dissipada em R2 vale 20 W.
elétrica, em sua residência, inicia uma investigação sobre o con-
sumo mensal de cada aparelho elétrico e registra o tempo médio
em que cada um fica ligado por dia, durante um período de 30 (UFPE-2009.1) - ALTERNATIVA: C
dias. Para isso, escolhe três aparelhos: o ferro elétrico, o apare- A corrente i através do resistor R1 no circuito abaixo é 400 mA.
lho de TV e o chuveiro elétrico. Ao consultar os manuais forneci- Calcule a diferença de potencial, VB – VA, entre os pontos B e A.
dos pelos fabricantes desses aparelhos, verifica que as potênci-
a) 1,5 volts
as de consumos são 1.750W, 250W e 4.000W respectivamente.
b) 2,5 volts
Quanto ao tempo em que esses aparelhos ficam ligados, o ferro
*c) 3,5 volts
elétrico é utilizado apenas durante 5 dias por mês, ficando ligado
d) 4,5 volts
2 horas em cada dia; o aparelho de TV é utilizado todos os dias,
e) 5,5 volts
permanecendo ligado por 3 horas em cada dia; e o chuveiro elé-
trico também é utilizado todos os dias, permanecendo ligado ape-
nas 12 minutos por dia. Sabendo-se que o custo médio da ener-
gia elétrica é de R$0,60 por kWh, assinale a alternativa correta
que corresponde ao custo médio em R$ no período de 30 dias
dos aparelhos: ferro elétrico, aparelho de TV e chuveiro elétrico
respectivamente.
a) R$10,50; R$13,50; R$13,40.
b) R$10,80; R$13,90; R$14,50.
*c) R$10,50; R$13,50; R$14,40.
d) R$10,00; R$13,00; R$14,00.
e) R$30,00; R$28,00; R$35,00.
(UFPE-2009.1) - RESPOSTA: r = 3
(UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: D Para determinar a resistência interna, r, de uma bateria foi mon-
Na figura abaixo, mostra-se um conjunto de 5 resistores confor- tado o circuito da figura.
mando um circuito, quatro deles de resistência conhecida. Mede-
se a resistência entre os pontos A e B, nas duas posições do
interruptor S, quando está fechado e quando está aberto. Obser-
va-se que a resistência equivalente entre os pontos A e B cai
pela metade quando o interruptor S está fechado. Qual é o valor
de R para que isto aconteça?
a) 64 .
b) 18 .
c) 9 .
*d) 14 .
(e) 36 . Verificou-se que quando o resistor R vale 20 o amperímetro
indica 500 mA. Quando R = 112 o amperímetro marca 100 mA.
Qual o valor de r, em ohms? Considere que a resistência do
amperímetro é desprezível.

japizzirani@gmail.com 30
(UNIFAL/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A (FUVEST-2009.1) - RESPOSTA: a) Ec = 3,4 × 108 J
Um circuito elétrico é composto de três resistores R 1 = 250 , R2 b) V = 148 km/h c) I = 0,53A
= 250 , R3 = 125 , e de uma fonte de tensão de 220 V, confor- Com o objetivo de criar novas partículas, a partir de colisões en-
me configuração a seguir. tre prótons, está sendo desenvolvido, no CERN (Centro Europeu
Assinale a alternativa correta. de Pesquisas Nucleares), um grande acelerador (LHC). Nele, atra-
vés de um conjunto de ímãs, feixes de prótons são mantidos em
órbita circular, com velocidades muito próximas à velocidade c
da luz no vácuo. Os feixes percorrem longos tubos, que juntos
formam uma circunferência de 27 km de comprimento, onde é
feito vácuo. Um desses feixes contém N = 3,0 x 1014 prótons,
distribuídos uniformemente ao longo dos tubos, e cada próton
tem uma energia cinética E de 7,0 x 1012 eV. Os prótons repas-
sam inúmeras vezes por cada ponto de sua órbita, estabelecen-
do, dessa forma, uma corrente elétrica no interior dos tubos. Ana-
*a) A intensidade da corrente elétrica que passa por R1 é aproxi- lisando a operação desse sistema, estime:
madamente 0,44 A. a) A energia cinética total Ec, em joules, do conjunto de prótons
b) O resistor R3 está em paralelo com o resistor R2. contidos no feixe.
c) A tensão nos terminais dos três resistores é de 220 V. b) A velocidade V, em km/h, de um trem de 400 toneladas que
d) A resistência equivalente do circuito é de 150 . teria uma energia cinética equivalente à energia do conjunto de
e) A intensidade da corrente elétrica que passa por R3 é metade prótons contidos no feixe.
c) A corrente elétrica I, em ampères, que os prótons em movi-
da intensidade da corrente que passa pelos outros dois resistores.
mento estabelecem no interior do tubo onde há vácuo.

NOTE E ADOTE:
(CEFETSP-2009.1) - ALTERNATIVA: C
A preocupação com possíveis “apagões” está tomando conta das q = Carga elétrica de um próton = 1,6 × 10–19C
mentes dos moradores e administradores da cidade de São Pau- c = 3,0 × 108 m/s
lo, estimulando-os a buscar soluções alternativas para o uso mais 1 eletron-volt = 1 eV = 1,6 × 10–19 J
racional da energia elétrica. Nesse sentido, a instalação de aque-
cedores solares de água está gradativamente aumentando, per- ATENÇÃO ! Não utilize expressões envolvendo
mitindo que se evite a utilização do chuveiro elétrico nos dias de a massa do próton, pois, como os prótons estão
forte insolação. De fato, esse arcaico modo de aquecer água por a velocidades próximas à da luz, os resultados
efeito resistivo é um vilão, sobretudo nos horários de pico, sendo seriam incorretos.
fácil calcular esse desperdício de energia. Se cada um dos inte-
grantes de uma família de quatro indivíduos demora em média
20 minutos em seu banho diário, usando o chuveiro elétrico, ao
(FUVEST-2009.1) - RESPOSTA: a) P0 = 1200W b) R1 = 4,0 e
longo de um mês inteiro de 30 dias, a energia elétrica utilizada
por um chuveiro de 4 000 W, para aquecimento de água para R2 = 8,0 c) P/P0 = 4,5
banho, soma um total, em kWh, de Uma jovem, para aquecer uma certa quantidade de massa M de
a) 20. água, utiliza, inicialmente, um filamento enrolado, cuja resistên-
b) 60. cia elétrica R0 é igual a 12 , ligado a uma fonte de 120 V (situ-
*c) 160. ação I).
d) 280. Desejando aquecer a água em dois recipientes, coloca, em cada
e) 320. um, metade da massa total de água (M/2), para que sejam aque-
cidos por resistências R1 e R2, ligadas à mesma fonte (situação
II). A jovem obtém essas duas resistências, cortando o filamento
(VUNESP/FMJ-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Os dois circuitos elétricos mostrados são montados com dois inicial em partes não iguais, pois deseja que R1 aqueça a água
resistores ôhmicos R1 e R 2, um gerador ideal de 120 V, um com duas vezes mais potência que R2. Para analisar essas situ-
amperímetro também ideal e fios de resistência elétrica despre- ações: Fig 18 2009 ELD
zível.

NOTE E ADOTE:
V = RI ; P = VI

a) Estime a potência P0, em watts, que é fornecida à massa total


de água, na situação I.
Se no primeiro circuito o amperímetro indica 2,4 A e, no segundo, b) Determine os valores de R1 e R2, em ohms, para que no reci-
10 A, pode-se concluir que R1 e R2valem, em ohm, piente onde está R1 a água receba duas vezes mais potência do
a) 25 e 25.
que no recipiente onde está R2, na situação II.
b) 20 e 50.
*c) 20 e 30. c) Estime a razão P/P0, que expressa quantas vezes mais potên-
d) 10 e 60. cia é fornecida na situação II (P), ao conjunto dos dois recipien-
e) 10 e 40. tes, em relação à situação I (P0).

japizzirani@gmail.com 31
(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 11 (01+02+08) (UNICAMP-2009.1) - RESPOSTA: a) 5,0 W b) 1050 nm
Sobre a transformação de energia elétrica em outros tipos de Thomas Edison inventou a lâmpada utilizando filamentos que,
energia, assinale o que for correto. quando percorridos por corrente elétrica, tornam-se
01) Efeito Joule é a transformação de energia elétrica em ener- incandescentes, emitindo luz. Hoje em dia, os LEDs (diodos
gia térmica. emissores de luz) podem emitir luz de várias cores e operam
02) Na transformação de energia elétrica em qualquer outro tipo com eficiência muito superior à das lâmpadas incandescentes.
de energia, uma parte dela gera calor. a) Em uma residência, uma lâmpada incandescente acesa du-
04) Geralmente a energia elétrica que chega a um sistema é rante um dia consome uma quantidade de energia elétrica igual
menor do que a energia transformada, e seu rendimento é maior a 1,2 kWh. Uma lâmpada de LEDs com a mesma capacidade de
que 1 (um). iluminação consome a mesma energia elétrica em 10 dias. Cal-
08) A energia elétrica por unidade de tempo é chamada de po- cule a potência da lâmpada de LEDs em watts.
tência. b) O gráfico da figura 1 mostra como a potência elétrica varia em
função da temperatura para duas lâmpadas de filamento de
Tungstênio, uma de 100 W e outra de 60 W. A potência elétrica
(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 15 (01+02+04+08)
diminui com a temperatura devido ao aumento da resistência do
A respeito de correntes elétricas, que constituem o movimento
filamento. No mesmo gráfico é apresentado o comportamento
ordenado de cargas elétricas, assinale o que for correto.
da potência emitida por radiação para cada lâmpada, mostrando
01) Uma corrente elétrica é denominada corrente alternada quan-
que quanto maior a temperatura, maior a potência radiada. Na
do o sentido do campo elétrico que a produz se inverte periodi-
prática, quando uma lâmpada é ligada, sua temperatura aumen-
camente.
ta até que toda a potência elétrica seja convertida em radiação
02) Ocorre choque elétrico quando uma corrente elétrica passa
(luz visível e infravermelha). Obtenha, a partir do gráfico da figura
por um organismo vivo, provocando contrações musculares.
1, a temperatura de operação da lâmpada de 100 W. Em segui-
04) O sentido da corrente elétrica em circuitos é do positivo para
da, use a figura 2 para encontrar o comprimento de onda de má-
o negativo.
xima intensidade radiada por essa lâmpada.
08) Toda corrente elétrica produz efeito magnético.
Fig 20 2009 ELD

(UNICAMP-2009.1) - RESPOSTA: a) 0,7 mA b) 50


O transistor, descoberto em 1947, é considerado por muitos como
a maior invenção do século XX.
Componente chave nos equipamentos eletrônicos modernos, ele
tem a capacidade de amplificar a corrente em circuitos elétricos.
A figura a seguir representa um circuito que contém um transistor
com seus três terminais conectados: o coletor (c), a base (b) e o
emissor (e). A passagem de corrente entre a base e o emissor
produz uma queda de tensão constante Vbe = 0,7 V entre esses
terminais.

Fig 21 2009 ELD


a) Qual é a corrente que atravessa o resistor R = 1000 ?
b) O ganho do transistor é dado por G = , onde ic é a corrente

no coletor (c) e ib é a corrente na base (b).


Sabendo-se que ib = 0,3 mA, e que a diferença de potencial entre
o pólo positivo da bateria e o coletor é igual a 3,0 V , encontre o
ganho do transistor.

(FURG/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Um resistor é utilizado para aquecer um litro de água, sendo
fornecida uma corrente contínua de 1 ampère. Sabendo que o
tempo necessário para elevar a temperatura da água de 25oC
para 80oC é de 7 minutos nesse aparelho, e considerando que
toda potência dissipada por R é utilizada para aquecer a água, o
resistor possui resistência de:
(Dados: cág = 4,2 J/(g.oC) e dág = 1,0 g/mL)
a) 420 ohms d) 55 ohms
*b) 550 ohms e) 720 ohms
c) 70 ohms

japizzirani@gmail.com 32
(CEFETGO-2009.1) - ALTERNATIVA: D (CEFETRJ-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Os disjuntores, também chamados de fusíveis, são dispositivos No circuito abaixo, temos dois resistores, R1 e R2, de resistênci-
de proteção usados para impedir que a corrente elétrica em um as iguais a 1 . O amperímetro A acusa uma corrente constante
circuito ou em um aparelho ultrapasse um certo valor, que pode- de 2A e o voltímetro V está conectado em paralelo com o resistor
ria causar aquecimento excessivo, provocando danos indesejá-
R2. Considere, agora, as duas situações distintas: I) chave S
veis. A tabela a seguir representa as características técnicas
fornecidas pelo fabricante de uma determinada marca de chuvei- aberta e II) chave S fechada. A leitura do voltímetro será, respec-
ro elétrico, com quatro temperaturas, para duas tensões diferen- tivamente (suponha que os dois instrumentos de medida sejam
tes, sendo que para cada tensão são apresentados dois mode- ideais, de modo que não afetam o circuito):
los. Quais seriam os valores dos disjuntores necessários para *a) 1 V e 0 V.
proteger, respectivamente, os chuveiros de modelos I, II, III e IV? b) 0 V e 1 V.
c) 0 V e 0 V.
TENSÃO (volt) 127 220 d) 1 V e 1 V.
MODELO I II III IV
DESLIGADO 0 0 0 0
POTÊNCIA MORNO 1800 2400 2400 2600
(watt) QUENTE 3200 4400 4400 4400
SUPER
QUENTE 4400 5400 5400 6400

a) 40A, 50A, 20A, 35A (CEFETRJ-2009.1) - RESPOSTA: a) 5,0 kA b) 25%


b) 20A, 40A, 30A, 20A Um aspecto importante no abastecimento de energia elétrica re-
c) 30A, 40A, 20A, 25A fere-se às perdas ôhmicas na transmissão dessa energia do lo-
*d) 40A, 50A, 30A, 35A cal de geração para o local de consumo. Dessa forma é econô-
e) 40A, 50A, 30A, 25A mico usar voltagem elevada e uma corrente baixa. Considere
uma linha de transmissão de 1000 km com uma resistência típi-
(FURG/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: D ca total de R = 10 .
Considere três resistores R1, R2 e R3, sendo que dois possuem a a) Admita que uma cidade hipotética C consuma uma potência
mesma resistência e o terceiro uma resistência igual ao valor de PC = 1000 MW e que esta potência seja transmitida pela linha
quando os outros dois resistores são ligados em série. em uma tensão de 200 kV. Calcule a corrente na linha de trans-
Seja R o menor valor da resistência entre R1, R2 e R3. Os três missão.
resistores são combinados formando um resistor com resistên- b) Calcule a porcentagem da potência dissipada na linha P D, em
cia equivalente Req, que é ligado como uma carga de saída de relação à potência consumida, PC.
um gerador. Sabendo que Req é configurado para exigir a menor
(CEFETRJ-2009.1) - RESPOSTA: a) 15V b) 0,083 e 0,041
corrente do gerador, a razão Req R será
Uma bateria de automóvel pode ser representada por uma fonte
a) 3/4. de tensão ideal U em série com uma resistência r’. O motor de
b) 1/3. arranque, com resistência R, é acionado através de chave de
c) 3. contato C, conforme mostra a figura abaixo.
*d) 4. bateria
e) 4/3.

(FURG/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Considere um gerador constituído de uma fonte de força
eletromotriz e uma resistência interna r. Ao medirmos a tensão
e a corrente nos terminais do gerador, é obtido o gráfico
motor de
arranque

Foram feitas as seguintes medidas no voltímetro e no amperímetro


ideais:

a) Com base nos valores fornecidos na tabela acima, calcule a


diferença de potencial U.
b) Determine os valores das resistências R e r’.

(VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Sete resistores iguais, com resistência R constante cada um,
onde U é a tensão no terminal do gerador e i a corrente fornecida são associados como mostra a figura.
pelo gerador. Neste caso, a força eletromotriz e a resistência in- A resistência equivalente desse circuito, entre os pontos A e B, é
terna serão respectivamente dada por
*a) 20V e 2 ohms *a) (14/15)R.
b) 10V e 20 ohms b) (15/14)R.
c) 20 V e 10 ohms c) (4/7)R.
d) 10 V e 2 ohms c) (7/4)R.
e) 1 V e 2 ohms e) (12/7)R.

japizzirani@gmail.com 33
(VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: A (UFRN-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Considere um resistor ôhmico de formato cilíndrico. Sobre ele Ao realizar um experimento de comprovação da Lei de Ohm, um
são feitas as seguintes afirmações: estudante aplicou diferentes correntes, I, num resistor elétrico,
I. sua resistência depende da resistividade do material de que R, e obteve, em seus terminais, os valores de voltagem, V, cor-
ele é feito; respondentes, apresentados na tabela abaixo.
II. a resistividade é propriedade do resistor e depende da resis-
tência do seu material; I (ampère) 1,0 2,0 3,0 4,0 5,0 6,0
III. sua resistência varia diretamente com seu comprimento e sua V (volt) 10,0 18,0 33,0 40,0 45,0 66,0
área transversal; R (ohm) 10,0 9,0 11,0 10,0 9,0 11,0
IV. sua resistência varia inversamente com seu comprimento e
sua área transversal. Sabendo-se que, pela Lei de Ohm, o valor da resistência a ser
Está correto, apenas, o contido em obtido deveria ser constante, vê-se que a grandeza obtida não
*a) I. apresentou o valor constante previsto pela referida lei. Isso acon-
b) II. teceu
c) I e II. a) porque, durante o experimento, não foram tomados todos os
d) III. cuidados necessários para a sua realização.
e) III e IV. *b) devido à existência de fontes de erros experimentais, que
sempre existem, por mais cuidadosas que sejam as medidas
(UFPel/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: E realizadas.
A figura abaixo mostra um circuito elétrico que contém um c) porque, durante a realização do experimento, o estudante de-
reostato. veria ter eliminado todos os erros experimentais associados às
Baseado em seus conhecimentos sobre Eletrodinâmica, é corre- medidas.
to afirmar que o valor da resistência R do reostato, para que seja d) devido ao fato de que, para determinar o valor correto da resis-
nula a diferença de potencial entre os pontos A e B, é tência, o estudante teria de realizar apenas uma medida.
a) 2 .
b) 1 . A B (UFRN-2009.1) - RESPOSTA: a) zero Volt b) 220 Volts c) SIM
c) 4 . para a posição verão (10A) e NÃO para a posição inverno (20A)
d) 0,5 . A figura abaixo mostra, esquematicamente, uma seção de um
*e) 3 . circuito elétrico residencial no qual se encontram conectados um
chuveiro elétrico, entre os pontos 1 e 2 do circuito, um interrup-
tor, entre os pontos 3 e 4, e um disjuntor de 15A.

(UFRN-2009.1) - ALTERNATIVA: A
A figura abaixo mostra a chapa de especificações de uma máqui-
na de lavar roupas. Nessa chapa, estão identificadas três gran-
dezas físicas características do equipamento.
Fig 23 2009 ELD

Considere que o chuveiro elétrico, quando ligado na posição V


(verão), consome uma potência de 2200 watts e, na posição I
(inverno), consome uma potência de 4400 watts.
A partir dessas informações,
a) determine a diferença de potencial elétrico entre os pontos 1 e
2, quando o interruptor estiver desligado. Justifique sua respos-
ta.
b) determine a diferença de potencial elétrico entre os pontos 3 e
4, quando o interruptor estiver desligado. Justifique sua respos-
Essas grandezas são, respectivamente, ta.
*a) voltagem, freqüência e potência. c) determine se o disjuntor está corretamente dimensionado para
b) corrente, freqüência e potência. suportar a carga do chuveiro, quando ligado, em cada uma das
c) voltagem, período e corrente. posições (verão e inverno).
d) corrente, período e voltagem.
(CEFETPI-2009.1) - ALTERNATIVA: B
(CEFETPI-2009.1) - ALTERNATIVA: D As companhias de eletricidade cobram, na conta mensal de cada
Um gerador de f.e.m. 34 V e resistência interna 2 está ligado a consumidor, pela quantidade de quilowatts-hora utilizados em sua
um circuito externo. Sendo a tensão entre os terminais do gera- residência. Se utilizarmos, durante um banho, um chuveiro com
dor igual a 30 V, a intensidade da corrente elétrica que o atraves- potência de 2 800 W durante 15 minutos, o consumo de energia
sa é: elétrica será de:
a) 8 A a) 186,8 kWh
b) 4 A *b) 0,7 kWh
c) 6 A c) 4,2 kWh
*d) 2 A d) 100 kWh
e) 10 A e) 200 kWh

japizzirani@gmail.com 34
(CEFETPI-2009.1) - ALTERNATIVA: A (UFLA/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) 2,0 A b) 0,5 A c) 8,0
No circuito elétrico o trecho ACBDA é uma ponte de Wheatstone No circuito elétrico abaixo, duas baterias estão ligadas em série
equilibrada e alimentada eletricamente por um gerador de f.e.m entre os pontos A e B, mas com polaridade invertida; ambas ali-
= 40 V e resistência interna r = 0,5 . A ddp da ponte está regu- mentam os resistores R = 24 e RX.
lada por um capacitor de capacitância c = 5,0 F. Veja a figura
abaixo.

O voltímetro V indica 12 V. Calcule os itens a seguir:


a) Corrente total fornecida pelas baterias
b) Corrente no resistor de 24 .
c) O valor da resistência RX.

(UNIFEI/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D
O circuito abaixo possui 5 lâmpadas idênticas, acopladas a uma
Ao ligarmos à chave ch e quando o capacitor estiver completa- bateria de tensão constante V. Sobre possíveis alterações nessa
mente carregado os valores da resistência elétrica R, da carga configuração, assinale a alternativa correta:
elétrica Q armazenada no capacitor e a corrente elétrica iAC que
atravessa o trecho AC são, nesta ordem:
*a) R = 12 ; Q = 180 C e iAC = 2,0A
b) R = 18 ; Q = 120 C e iAC = 6,0A
c) R = 12 ; Q = 180 C e iAC = 8,0A
d) R = 12 ; Q = 400 C e iAC = 4,0A
e) R = 15 ; Q = 130 C e iAC = 10,0A

a) Se L4 queima, o brilho da lâmpada L1 aumenta.


(UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: E
b) A corrente elétrica que atravessa L1 e L2 sob nenhuma hipóte-
Um LDR (Light Dependent Resistor) é um dispositivo elétrico cuja
resistência elétrica varia com a intensidade da luz que incide so- se sofrerá alguma variação, independentemente do que aconte-
bre ele. ça com as demais lâmpadas.
No circuito esquematizado abaixo, estão representados uma fonte c) Se L2 queima, o brilho de L4 não se altera.
ideal de tensão elétrica contínua ( ), um resistor com resistência *d) Se L5 queima, o brilho da lâmpada L3 não se altera.
elétrica constante (R) e um LDR. Nesse LDR, a resistência elétri-
ca é função da intensidade luminosa, diminuindo quando a inten-
sidade da luz aumenta. (UFT/TO-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Numa deterninada condição de iluminação, o circuito é percorri- Um eletricista instala um chuveiro (puramente resistivo) de 8 kW
do por uma corrente elétrica i. de potência, projetado para operar em 220 Volts, em uma resi-
dência onde a tensão é de 110 Volts. Qual a potência máxima de
aquecimento que este chuveiro fornecerá nesta residência?
*a) 2 kW
b) 4 kW
c) 6 kW
d) 0 kW. A resistência do chuveiro irá queimar, pois o chuveiro
consumirá mais energia.
luz

(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B
A função de uma proteína denominada bomba de sódio é o trans-
porte dos íons de Na+ e K+ através da membrana celular. Cada
bomba de sódio dos neurônios do cérebro humano pode trans-
portar até 200 íons Na+ para fora da célula e 130 íons K+ para
dentro da célula por segundo. Sabendo-se que um neurônio pos-
Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do
sui aproximadamente um milhão de bombas de sódio, qual a
texto abaixo, na ordem em que aparecem.
corrente elétrica média através da membrana de um neurônio?
Se a intensidade da luz incidente sobre o LDR aumenta, a cor-
rente elétrica no circuito ............., e a diferença de potencial no (a carga do próton é 1,6 × 10–19 C )
resistor R ............. . a) 8,45 × 10–17 A
a) diminui – diminui *b) 1,12 × 10–11 A
b) diminui – não se altera
c) 3,20 × 10–11 A
c) não se altera – aumenta
d) aumenta – diminui d) 2,08 × 10–11 A
*e) aumenta – aumenta e) 5,28 × 10–11 A

japizzirani@gmail.com 35
(UFJF/MG-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 13 (01+04+08)
Pretende-se consertar uma máquina fotográfica, cujo flash não Sobre circuitos elétricos, que são os caminhos por onde fluem os
funciona. Sabemos que o flash, ao ser acionado, conecta um elétrons, assinale o que for correto.
capacitor, inicialmente carregado com ddp de 300V, à lâmpada 01) Um circuito é em série quando os dispositivos elétricos que o
do flash durante 1 ms. Deseja-se testar a lâmpada do flash, mas compõem são conectados de maneira a receber sempre a mes-
dispomos apenas de capacitores de 200 F, que suportam no ma corrente elétrica.
máximo uma ddp de 150V. Portanto, devemos usar uma associ- 02) Um circuito é em paralelo quando os dispositivos que o com-
ação de capacitores para alimentar a lâmpada. põem recebem ddp diferentes.
a) Desenhe um circuito, contendo uma associação com o menor 04) Se uma de três lâmpadas acesas que estão associadas em
número de capacitores disponíveis, capaz de testar a lâmpada série queimar, as demais se apagarão.
do flash, indicando a ligação da lâmpada ao circuito. 08) A resistência elétrica equivalente de um circuito em paralelo
Use o símbolo para o capacitor e para a lâmpada. é sempre menor que a resistência em cada ramo.
b) Calcule a energia armazenada na associação de capacitores
do item (a). (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 15 (01+02+04+08)
c) Calcule a potência da luz emitida, considerando que toda a Sempre que um fio condutor é ligado aos terminais de um gera-
energia da associação de capacitores é convertida em luz. dor, o fio condutor é percorrido por uma corrente elétrica. Sobre
este fenômeno, assinale o que for correto.
RESPOSTA UFJF/MG-2009.1: 01) A dificuldade oferecida ao trânsito da corrente elétrica pelo
a) b) E = 4,5 J c) P = 4,5 × 103 W condutor é denominada resistência elétrica.
02) A proporcionalidade entre a ddp mantida nos terminais do fio
condutor e a intensidade de corrente por ela ocasionada é cons-
tante.
04) A resistência de um fio condutor é diretamente proporcional
(UFPG-2009.1) - ALTERNATIVA: A
ao seu comprimento.
Uma bateria de força eletromotriz 14 V e resistência interna 2 é 08) A resistividade do fio condutor depende exclusivamente do
conectada a um resistor com resistência igual a 5 , formando material de que ele é constituído e da temperatura em que ele se
um circuito elétrico de uma única malha, conforme representa- encontra.
ção abaixo. 16) A resistência de um fio condutor é diretamente proporcional à
Nesse contexto, quando o voltímetro é ligado aos pontos a e b área da sua secção transversal.
do circuito, a leitura correta desse voltímetro é:
*a) 10 V. 14V
(UFCG/PB-2009.1) - ALTERNATIVA: E
b) 15 V.
As lâmpadas mostradas no desenho são idênticas e têm resis-
c) 20 V.
d) 25 V. tência elétrica interna igual a 2,0 × 102 que se comportam
e) 30 V. como condutores ôhmicos. A diferença de potencial aplicada pela
bateria ao circuito vale 120V.
Considere um modelo em que a resistência elétrica dos conduto-
res e interna da bateria seja desprezível quando comparada à
resistência das lâmpadas.

(UFAL/AL-2009.1) - ALTERNATIVA: A (RESOLUÇÃO NO FINAL)


Um circuito elétrico é formado por uma bateria de força
eletromotriz e N resistores ôhmicos, cada um de resistência R,
associados em paralelo. A corrente elétrica em cada resistor é
dada por:
*a) /R
b) N /R
c) /(NR)
d) N2 /R
e) /(N2R) Analisando o circuito, pode-se afirmar que
a) retirando-se as lâmpadas C e D, o brilho das lâmpadas A e B
RESOLUÇÃO UFAL/AL-2009.1: aumenta.
Cada resistor ôhmico possui ddp entre os seus terminais igual a b) a resistência elétrica equivalente às resistências elétricas
. Assim, a corrente elétrica em cada um deles é igual a /R. das lâmpadas no circuito vale 7,0 x 102 .
c) pelo Princípio da Conservação da Carga Elétrica, a corrente
(UECE-2009.1) - ALTERNATIVA: B elétrica que circula pela lâmpada C vale 0,80 A.
d) retirando-se as lâmpadas A e B, a corrente na lâmpada C é de
Duas lâmpadas, L1 e L2, idênticas e um resistor R estão ligados
1,2 A.
em um circuito com uma bateria e uma chave, como mostrado *e) pelo Princípio da Conservação da Energia, a diferença de
na figura. potencial aplicada à lâmpada B vale 40V.

(UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Uma bateria de f.e.m = 2,0 V e resistência interna r = 0,5 faz
funcionar um motor que levanta um peso de 2,0 N à velocidade
escalar constante V = 0,5 m/s. Supondo que toda a energia que
Quando a chave X é fechada, o motor receba, seja utilizada apenas para levantar o peso, de-
a) o brilho da lâmpada L2 aumenta. termine a corrente máxima no circuito.
*b) o brilho da lâmpada L2 diminui.
a) I = (2 + )A. b) I = (1+ 2 ) A.
c) o brilho da lâmpada L2 permanece o mesmo.
d) o brilho da lâmpada L1 diminui. *c) I = (2 + )A. d) I = (1+ 3 ) A.

japizzirani@gmail.com 36
(UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 12 (04+08)
A razão entre o comprimento e a área da seção reta de um A respeito de circuitos elétricos que associam vários resistores,
filamento de uma lâmpada de tungstênio de 40 W em 120V é 5,0 assinale o que for correto.
× 108 m–1. A resistividade do filamento, a 20 oC, é 6,0 × 10–8 .m, 01) Se os resistores forem primeiramente ligados em série, e
e o coeficiente de temperatura do tungstênio é = 4,5×10–3oC–1. depois, em paralelo, as potências dissipadas pelas associações
serão iguais.
Com a lâmpada em funcionamento, o filamento atinge uma tem-
02) Quando a associação é em paralelo, a ddp entre os terminais
peratura de, aproximadamente,
do resistor equivalente é igual à soma das ddp entre os terminais
*a) 2464 oC.
dos resistores associados.
b) 2350 oC. Dado: R = R0(1 + T)
04) A interrupção da corrente elétrica em um resistor de uma
c) 2199 oC.
associação em série resultará na interrupção da corrente em todo
d) 2115 oC.
o circuito.
08) Quando a associação é em série, a intensidade da corrente
(UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A que percorre o resistor equivalente é igual à intensidade da cor-
Calcule o valor da leitura feita pelo amperímetro A, no circuito rente que percorre cada resistor associado.
abaixo, sabendo-se que a tensão elétrica aplicada é = 42 V, R1
= R2 = R3 = 30 , R = 10 e a resistência interna da bateria é r (UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A
= 1,0 . Numa residência onde a rede elétrica é de 110 V, estão ligados
*a) 2 A. uma geladeira de potência 330 W e um ferro de passar roupa de
b) 1 A. potência 770 W. As correntes elétricas que percorrem os dois
c) 5 A. aparelhos têm o seu valor, respectivamente iguais a:
d) 4 A *a) 3 A e 7 A
b) 11 A e 77 A
c) 77 A e 3 A
d) 7 A e 33 A
e) 1100 A e 440 A

(UFG/GO-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Uma lâmpada fluorescente compacta (LFC) consome 75% me-
nos energia do que uma lâmpada incandescente. O fusível de
proteção de uma residência permite o máximo de seis lâmpadas
(UESPI/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: E incandescentes de 100 W ligadas em paralelo. Um cidadão, pre-
Assinale, a seguir, a propriedade física de um determinado mate- ocupado com o consumo de energia, resolve trocar seis lâmpa-
rial associada à oposição ao fluxo de corrente elétrica através das incandescentes por seis LFCs. Nessas condições, qual o
dele. comportamento da corrente total do circuito e qual o número
a) Condutância máximo de LFCs que o fusível suporta?
b) Condutividade *a) Reduz a 25% e 24.
c) Covalência b) Reduz a 75% e 18.
d) Resistência c) Aumenta de 75% e 12.
*e) Resistividade d) Aumenta de 25% e 6.
e) Aumenta de 400% e 24.
(UESPI/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Dois resistores elétricos ôhmicos, de resistências iguais a R1 e
(UFOP-2009.1) - RESPOSTA: a) 240 b) 0,025 A e 1,67 V
R2, são ligados em paralelo. A resistência equivalente do siste-
c) 0,42 W
ma é denotada por R. Com relação a tal situação, assinale a A figura abaixo mostra um circuito elétrico simples. Consideran-
alternativa correta. do que a bateria é ideal e opera com tensão de 10,0 V e que as
a) R > R1 resistências elétricas são todas iguais e valem 100,0 , faça o
b) R > R2 que se pede.
c) R = 1/R1 + 1/R2
d) R = R1 + R2
*e) 2/R = 2/R1 + 2/R2

(UEMG-2009.1) - ALTERNATIVAS: C e D (QUESTÃO ANULA-


DA)
Considere que, numa residência, há uma lâmpada de 60 W e
outra de 100 W, instaladas corretamente, uma na sala, outra num
quarto. Em relação a esta situação, assinale a afirmativa COR-
RETA:
a) A tensão elétrica na lâmpada de 100 W é maior que na de 60
W. a) Calcule a resistência elétrica equivalente do circuito.
b) A corrente elétrica na lâmpada de 100 W é menor que na de 60 b) Determine a corrente elétrica medida pelo amperímetro A (a
W. resistência interna do amperímetro é desprezível) e a diferença
*c) O consumo de energia da lâmpada de 100 W é maior que na de potencial medida pelo voltímetro V (a resistência interna do
de 60 W. voltímetro é infinita).
*d) A resistência elétrica da lâmpada de 100 W é menor que na c) Calcule a potência transferida pela bateria aos resistores e
de 60 W. dissipada por efeito Joule.

japizzirani@gmail.com 37
(UFTM-2009.1) - RESPOSTA: a) P = 11,25 W b) i = 2,0 A
Nas figuras a seguir, o quadrilátero BCDE tem os quatro lados do
mesmo tamanho e foi construído com um mesmo fio homogê-
neo e de espessura constante. Nos dois circuitos, ele é o único
elemento que apresenta resistência elétrica não desprezível. Na
primeira montagem, o gerador de tensão constante U = 30 V é
ligado aos vértices B e D do quadrilátero e o amperímetro indica
uma corrente de 1,5 A. Na segunda montagem, o mesmo gera-
dor foi ligado entre os vértices B e C.

a) Qual a potência dissipada apenas pelo trecho BC do circuito,


na primeira montagem?
b) Qual será a indicação do amperímetro, em ampère, na segun-
da montagem?

(UFU/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) Q = 96 kJ b) P = 480 W


c) i = 4,0 A d) R = 30
Em uma escola secundária de uma cidade à beira mar, onde a
temperatura da água na torneira do laboratório escolar era 20 oC
e a tensão na instalação elétrica 120 V, um grupo de alunos aque-
ceu 300 cm3 de água em uma xícara, utilizando um aquecedor
elétrico portátil de potência elétrica desconhecida. Essa água
entrou em ebulição após 200 s da aplicação do referido aquece-
dor.
Considerando que toda a energia fornecida pelo aquecedor foi
utilizada para aumentar a temperatura da água e utilizando os
dados
- 1 cal = 4J ;
- densidade da água = 1 g / cm3;
- calor específico da água = 1 cal / (goC),
determine
a) a quantidade de calor utilizada pela água para entrar em ebu-
lição.
b) a potência elétrica do aquecedor.
c) a corrente elétrica no aquecedor.
d) a resistência elétrica do aquecedor.

japizzirani@gmail.com 38
VESTIBULARES 2009.2 (UNEMAT/MT-2009.2) - ALTERNATIVA: C
Um gerador tem capacidade para transformar 75% da potência
recebida em útil. Para se obter com esse gerador uma potência
(IFGO/CEFETGO-2009.2) - QUESTÃO ANULADA - TODAS AS útil de 4500 Watts, é necessário que ele receba em Watts uma
ALTERNATIVAS SÃO CORRETAS potência de:
a) 11 KW b) 7 KW *c) 6 KW
Pro Dia Nascer Feliz d) 6,5 KW e) 10 KW
(Cazuza/Frejat)
(UNIFOR/CE-2009.2) - ALTERNATIVA: E
“...Nadando contra a corrente, só pra exercitar Um gerador de f.e.m. E = 20 V e resistência interna r alimenta um
Todo o músculo que sente
circuito constituído por resistores de resistências elétricas R1 =
Me dê de presente o teu bis
Pro dia nascer feliz (2x)..” 2,0 , R2 = 6,0 e R3 = 3,0 , conforme representa o esquema
abaixo.
Quem já estudou Física não deixará de relacionar a palavra cor-
rente a circuitos elétricos simples, como o descrito a seguir.

Sabe-se que o gerador está fornecendo a potência máxima.


Nessa condição, o valor da resistência interna, em ohm, e a
tensão entre os pontos A e B, em volts, valem, respectivamente,
a) 1,0 e 5,0. b) 1,0 e 10. c) 2,0 e 5,0.
d) 2,0 e 10. *e) 4,0 e 5,0.

(UFOP/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: C
Uma pessoa comprou um refrigerador. Quando foi ligá-lo a uma
tomada de 240 V, o eletrodoméstico queimou. Ao olhar o manual
Considere os dados a seguir: do refrigerador, viu as seguintes características de uso: 120 V, 60
R1 = 20 Hz e 720 W. Sendo assim, o aparelho queimou porque:
R2 = R3 = 10 a) dissipou potência de 1440 W.
C = 5 nF b) duplicou sua resistência.
V = 50 V *c) recebeu uma corrente de 12 A.
ko= 9 × 109 N.m2/C2 d) entrou em curto-circuito.
Sabendo-se que o capacitor está plenamente carregado, indique
a afirmação incorreta. (VUNESP/UNICID-2009.2) - ALTERNATIVA: D
a) A força elétrica entre duas cargas que tivessem a mesma car- Um fio metálico de perfil cilíndrico, constituído uniformemente do
ga do capacitor, separadas por uma distância de 5 cm, seria 9 × mesmo material resistivo, possui comprimento inicial 0 e área
10–3 N. de secção transversal S0. As pontas do fio são unidas de forma a
b) A potência dissipada pelo circuito é 100 W. se obter um fio duplicado, com a metade do comprimento origi-
c) O campo elétrico entre as placas do capacitor plano, que es- nal. O processo é repetido mais uma vez até se ter um maço de
tão distanciadas 5 cm, é de 2 × 102 V/m. comprimento quatro vezes menor que o comprimento original.
Sobre o valor da nova resistência elétrica estabelecida entre os
d) Colocando um fio sem resistência no lugar de R1, deve-se
extremos do maço de fios, é correto dizer que, relativamente à
colocar um resistor R4 = 5 no lugar de C, para que este novo resistência do fio original, ficou
circuito dissipe 1000W de potência. a) igual.
e) A corrente elétrica que percorre R3 é de 1A. b) quatro vezes maior.
c) oito vezes maior.
*d) dezesseis vezes menor.
(UNIFOR/CE-2009.2) - ALTERNATIVA: E e) trinta e duas vezes menor.
O circuito elétrico da figura abaixo está inicialmente com a chave
K aberta e a potência dissipada no resistor de 28 é P. (VUNESP/UNICID-2009.2) - ALTERNATIVA: A
Determinado conjunto de lâmpadas para árvore de natal, pronto
para ligar sob diferença de potencial de 110 V, traz a informação
de que contém 50 lâmpadas e que a potência total dissipada
pelo conjunto é de 25 W. Sabe-se que se uma lâmpada queima,
outras nove lâmpadas se apagam, qualquer que seja a lâmpada
que ofereça defeito. Pode-se concluir que, para uma única lâm-
pada adequadamente em funcionamento, a potência dissipada e
a diferença de potencial a que está submetida são, respectiva-
mente, em W e em V,
*a) 0,5 e 11.
Fechando-se a chave K, a nova potência dissipada, nesse resistor, b) 0,5 e 110.
é c) 1,0 e 22.
a) P/4 b) P/2 c) P d) 2,0 e 110.
d) 2P *e) 4P e) 5,0 e 11.

japizzirani@gmail.com 39
(UFG/GO-2009.2) - RESPOSTA: a) 108 mA e 72 mA b) 10 V e (PUCPR-2009.2) - ALTERNATIVA: C
200 mA Para investigar um defeito em um equipamento eletrônico, um
Com o advento do efeito estufa o aquecimento global tornou-se técnico mede sobre um resistor desconhecido no circuito uma
uma questão prioritária e buscar alternativas de energia, limpa e diferença de potencial de 52 V e uma corrente elétrica de 25 mA.
renovável, como, por exemplo, a energia solar, é muito importan- Assinale a alternativa que corresponde à correta representação
te. Na vastidão territorial do Brasil, a média anual total de energia do resultado da resistência elétrica, em quilo-ohms (k ), encon-
na forma de radiação solar que chega à Terra é bem homogênea. trada pelo técnico:
Os valores máximo e mínimo da potência da radiação solar mé- a) 2,10 k
dia anual (Ps) ocorrem, respectivamente, no norte da Bahia, pró- b) 2,0 k
ximo à fronteira com o Piauí com cerca de 270 W/m2 e no nor- *c) 2,1 k
deste de Santa Catarina, com 180 W/m2. Uma placa solar é cons- d) 2,080 k
tituída de um conjunto de dispositivos chamados de células e) 2,08 k
fotovoltaicas (FV), que convertem energia solar em energia elé-
trica, distribuidas em um arranjo regular chamada de placa (IFMG/CEFETMG-2009.2) - ALTERNATIVA: C
coletora ou placa solar. Analise o circuito elétrico seguinte.
a) Uma placa solar de 16 cm por 15 cm possui uma eficiência de
20%. Em cada uma das duas regiões do país mencionadas no
texto, placas idênticas fornecem uma ddp de 12 V. Calcule a cor-
rente produzida pela placa em cada região.

Em uma dada região do país, uma placa solar é constituída de


40 células FV, conforme a figura. Cada cécula gera 0,5 V, com
uma corrente de 100 mA.

A diferença de potencial fornecida pela bateria, em volts, é


a) 15.
b) 16.
*c) 17.
d) 18.
e) 19.

(UNIFAL/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: A
Para proteger a rede elétrica de um apartamento, existe um
disjuntor de 30 A. Este disjuntor interrompe (desarma) o circuito,
impedindo que a fiação se queime, no caso da corrente superar
o valor de 30 A. Neste apartamento, existem os seguintes eletro-
b) Calcule a ddp produzida entre os terminais A e B do arranjo e
domésticos com as respectivas potências: chuveiro (2800W),
a corrente total. Justifique seus cálculos.
geladeira (100W), televisor (50W), ferro de passar (2500W) e
forno de micro-ondas (1500W). Considerando que a voltagem
(UNIMONTES/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B deste apartamento e de todos os eletrodomésticos seja 110V, a
Uma bomba d’água é ligada numa tomada de 220 V. Em funcio- alternativa que representa a situação na qual os eletrodomésti-
namento, o motor da bomba é percorrido por uma corrente elétri- cos podem ser ligados simultaneamente sem desarmar o disjuntor
ca de intensidade 3,0 A. Após funcionar durante 10 minutos, a é:
quantidade de energia que o motor da bomba recebe das cargas *a) chuveiro, geladeira e televisor.
elétricas que se movimentam no circuito é igual a b) geladeira, televisor, ferro de passar e forno de micro-ondas.
a) 2,69 × 105 J. c) ferro de passar e forno de micro-ondas.
d) chuveiro e ferro de passar.
*b) 3,96 × 105 J.
c) 3,70 × 104 J.
d) 3,96 × 104 J. (UFV/MG-2009.2) - RESPOSTA: a) 2R/5 b) 5V2/(2R) c) V2/R
Considere o circuito ilustrado abaixo no qual R1 = R2 = R3 = R4 =
R. Em função de V e R, calcule:
(PUCRS-2009.2) - ALTERNATIVA: C
Uma lâmpada incandescente possui as seguintes especificações:
120 V e 40 W. Nessas condições, é correto afirmar que
a) a resistência elétrica da lâmpada é de 121 .
b) a resistência elétrica da lâmpada é maior do que a de outra
lâmpada cujas especificações são 220 V e 40 W.
*c) o consumo de energia elétrica desta lâmpada será o mesmo
de uma lâmpada com especificações 220 V e 40 W, caso ambas
fiquem ligadas pelo mesmo intervalo de tempo nas suas respec-
tivas tensões características.
d) se a lâmpada for ligada em 220 V, a sua potência elétrica não
será alterada.
e) se a lâmpada for ligada em 220 V, a corrente elétrica que cir- a) A resistência equivalente do circuito.
culará por ela será inferior à que circularia se ela fosse ligada em b) A potência dissipada no circuito.
120 V. c) A potência dissipada apenas na resistência R1.

japizzirani@gmail.com 40
(UERJ-2009.2) - ALTERNATIVA: A (VUNESP/UFTM-2009.2) - ALTERNATIVA : A
Três lâmpadas, L1 , L2 e L3 , com as mesmas características, são Presente na memória da infância de todos, o algodão doce é o
ligadas a uma fonte ideal de tensão, dispostas em três diferentes resultado da solidificação de fios muito finos de açúcar derretido.
arranjos:

O algodão doce é produzido com o auxílio de uma “engenhoca”


muito simples. Nela, uma pequena porção de açúcar é colocada
em uma peça cilíndrica em forma de copo. Um resistor produz
aquecimento, enquanto um motor faz o copo girar. Quando assu-
me finalmente a forma líquida, o açúcar pode escapar por um
dos inúmeros furos que o copo contém em sua lateral. Em conta-
to com o ar mais frio, o filete de açúcar derretido transforma-se
A alternativa que indica a ordenação adequada das potências em um fino fio que, recolhido, assume a forma do chumaço tão
consumidas pelos arranjos é: conhecido.
*a) PI > PIII > PII As máquinas modernas para fazer algodão doce são mais segu-
b) PI > PII > PIII ras que suas antecessoras, que utilizavam a queima de álcool
c) PIII > PII > PI para o derretimento do açúcar. As atuais utilizam-se da capaci-
dade de aquecimento de fios condutores, quando submetidos a
d) PIII > PI > PII
uma diferença de potencial.
Após muitos anos de uso, o fio resistivo de uma dessas últimas
máquinas se rompeu. O proprietário da máquina, um autêntico
(UNIV.CAT.BRASÍLIA-2009.2) - RESPOSTA: 20
“conserta tudo”, desmontou-a e, percebendo que o rompimento
No circuito esquematizado na figura a seguir uma bateria de 12 V
do fio resistivo se dera em um ponto próximo ao terminal em que
está conectada em série com os resistores R1 e R2 = 10 . é conectado, não pensou duas vezes: descartou o pequeno pe-
daço rompido e conectou a extremidade livre do maior pedaço
do fio ao ponto em que se encontrava conectado o pedaço pe-
queno. Consertada, a máquina podia continuar sendo ligada à
diferença de potencial para a qual fora projetada, só que agora,
com um resistor mais curto que o original.
Com respeito à potência elétrica dissipada após o conserto da
máquina, pode-se esperar que ocorra
*a) um aumento, já que o comprimento do fio ficou menor.
b) um aumento, já que a resistividade do fio ficou menor.
c) nenhuma alteração, já que a máquina continua sendo ligada
sob a tensão para a qual foi construída.
O voltímetro conectado ao resistor R1 marca V1 = 8V. A partir d) uma diminuição, já que o comprimento do fio ficou menor.
desses dados, determine o valor da resistência R1. e) uma diminuição, já que a resistividade do fio ficou maior.

(VUNESP/UFTM-2009.2) - ALTERNATIVA: E
(PUCSP-2009.2) - ALTERNATIVA: D “... um chuveiro elétrico representa de 25% a 35% da conta de
Para o circuito abaixo, considere que todos os resistores são luz nas residências.”
ôhmicos e de resistência elétrica R. Calcule o valor da resistên- Suponha que, em determinada casa, o uso do chuveiro elétrico
cia elétrica equivalente da associação. represente 25% do valor da conta de luz. Admita ainda que essa
a) (35R) ÷ 4 residência possui um chuveiro de potência 4 400 W.
b) 14R Se os moradores dessa casa demoram diariamente 45 minutos
c) 9R com o chuveiro funcionando, a energia, em kWh, que deve nor-
*d) 2R malmente vir registrada na “conta mensal de luz” dessa residên-
e) (43R) ÷ 4 cia é
a) 328.
b) 340.
c) 366.
(UCS/RS-2009.2) - ALTERNATIVA: C d) 382.
Observando o circuito abaixo, assinale a alternativa que expres- *e) 396.
sa adequadamente o valor da corrente elétrica que passa pela
resistência R5. (MACKENZIE-2009.2) - ALTERNATIVA: D
a) 5 A R1 = 5 No circuito ao lado, o gerador de tensão é ideal e as resistências
b) 3 A têm o mesmo valor. Ao se fechar a chave Ch, a potência dissipa-
R 2 = R3 = R 4 = 3
*c) 1 A da pelo circuito
R5 = 6 a) reduz a ¼ do valor anterior.
d) 9 A
e) 6 A b) reduz a ½ do valor anterior.
c) não se altera.
*d) duplica.
e) quadruplica.

japizzirani@gmail.com 41
(UTFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: E (UFOP/MG-2009.2) - RESPOSTA: a) 11,0 e 5,5 b) 2200 W
Três lâmpadas idênticas são instaladas em série conforme figura c) R$ 6,60
abaixo: Em uma residência, Dona Maria, insatisfeita com o seu chuveiro
elétrico (1.100 W e 110 V), chamou um eletricista para ajudá-la.
O profissional diminuiu o comprimento do resistor pela metade.
Com base nessas informações, responda:
a) Qual o valor da resistência antes e depois de cortá-la?
b) Qual será a nova potência do chuveiro?
c) Supondo-se que o chuveiro seja utilizado uma hora por dia e
que o custo do quilowatt-hora é de R$ 0,10, qual será o custo
total ao final do mês?
Sobre esta associação é correto afirmar que:
a) a potência dissipada em cada lâmpada é a mesma, conse-
qüentemente o brilho de cada lâmpada seria o mesmo se ela (UFOP/MG-2009.2) - RESPOSTA: a) 120 V b) 12 A e 7,5
estivesse sozinha no circuito. c) 1440 W
b) a lâmpada 1 apresenta uma queda de tensão maior do que a O circuito abaixo mostra uma associação de três resistores.
lâmpada 3.
c) as três lâmpadas estão associadas em série. Este tipo de as-
sociação é utilizado para as lâmpadas das instalações
residenciais.
d) a corrente elétrica da lâmpada 3 é maior que a da lâmpada 2.
*e) como a tensão em cada lâmpada é sempre menor que a dos
terminais da associação, o brilho de cada lâmpada é menor do
que se ela estivesse sozinha no circuito.

(UTFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: B Com base nos dados acima, determine:


Considere uma máquina elétrica de 1000 W de potência. Quanto a) o valor da ddp (voltagem) imposta pela bateria que alimenta o
custa uma hora de seu funcionamento, considerando que 1,0 circuito elétrico.
kWh tenha uma tarifa de R$ 0,50? b) o valor da corrente i2 e da resistência R3 no circuito elétrico.
a) R$ 1,00. c) a potência elétrica dissipada no resistor R2.
*b) R$ 0,50.
c) R$ 12,00. (FATECSP-2009.2) - ALTERNATIVA: B
d) R$ 2,40. Componente de um circuito elétrico, os resistores têm a função
e) R$ 2,00. de dissipar energia, controlar a intensidade da corrente elétrica
que atravessa um condutor e modificar a impedância de um cir-
cuito.
(UTFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: C Em um resistor ôhmico, mantido a uma temperatura constante, a
Um aquecedor de 1kW é projetado para operar a 220V. Caso diferença de potencial V aplicada é diretamente proporcional à
este aparelho seja ligado a uma tensão de 110V, é correto afir- intensidade de corrente i que o atravessa.
mar que: Analisando no gráfico os intervalos compreendidos entre os pon-
a) como a potência é uma característica do produto determinada tos A, B, C e D, aquele que garante que o resistor obedece às
no processo de fabricação, então, mesmo com uma mudança de Leis de Ohm é
tensão, a potência mantém-se invariável.
V
a) AB.
b) como a tensão diminui por um fator 2, a potência, que é pro- *b) BC.
porcional à tensão, também é reduzida à metade e passa a valer c) CD.
500W. d) BD.
c) para calcular a potência, é necessária a determinação da cor- e) AD.
rente elétrica, portanto, os dados apresentados são insuficientes
para que se possa fazer qualquer afirmação mais conclusiva. i
*d) a potência elétrica, neste caso, é proporcional ao quadrado (FATECSP-2009.2) - ALTERNATIVA: E
da tensão e, portanto, a potência do aquecedor, quando ligado a O secador de cabelo de Marta funciona com três resistores, de
110V, é reduzida para 250W. resistências elétricas idênticas, associados em paralelo. Certo
e) se o referido aquecedor for ligado a uma tensão de 110V, não dia esses resistores queimaram e Marta, ao substituí-los, colo-
será possível a conversão entre energia elétrica e energia térmi- cou indevidamente os novos resistores associados conforme fi-
ca. gura.

(VUNESP/FTT-2009.2) - ALTERNATIVA: D
Considere um desfibrilador elétrico (condensador) que, quando
carregado, armazene 480 J de energia elétrica. Suponha que, Se em 5 minutos secava seus cabelos, agora, após o conserto,
uma vez acionado, 30% dessa energia seja descarregada no tó- necessitará para secá-los de um tempo
rax do paciente em dois milésimos de segundo. Sabendo que a) igual, pois a potência elétrica no secador não se alterou.
entre os eletrodos há uma resistência elétrica de 45 , pode-se b) menor, pois houve um aumento de potência elétrica no seca-
afirmar que a corrente que se estabeleceu entre os eletrodos dor.
nessa descarga foi, em A, igual a c) menor, pois houve uma diminuição de potência elétrica no se-
a) 10. cador.
b) 20. d) maior, pois houve um aumento de potência elétrica no seca-
c) 30. dor.
*d) 40. *e) maior, pois houve uma diminuição de potência elétrica no
e) 50. secador.

japizzirani@gmail.com 42
(IFMG/EAFI-2009.2) - ALTERNATIVA: D (UFMS-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 022 (002+004+016)
Considere uma lâmpada que possui as seguintes especificações: A figura mostra um computador e seu monitor ligados em uma
60W e 120V. Podemos dizer que, a corrente elétrica que passa bateria de 12V que foi carregada por uma corrente elétrica de
no filamento da lâmpada, bem com o valor de sua resistência 0,5A durante 24 horas. Após ligar a chave, o monitor consome
elétrica, valem respectivamente: uma potência de 6,0W e o computador 9,0W. Durante o consu-
a) i = 0,3 A e R = 120 mo, ambas as potências permanecem constantes.
b) i = 0,6 A e R = 120 Considere que as impedâncias de ambos os equipamentos são
c) i = 0,5 A e R = 120 apenas resistivas. Com fundamentos na eletrodinâmica, assina-
le a(s) afirmação(ões) correta(s).
*d) i = 0,5 A e R = 240
e) i = 0,8 A e R = 240

(UDESC-2009.2) - RESPOSTA: a) 0,6A de A para B b) 0,75V


c) 15
Nos circuitos representados na figura abaixo, todos os resistores
são idênticos e sua resistência é de 10,0 ; todos os geradores
ideais são idênticos e a força eletromotriz de cada um é 1,50 V.

(001) A corrente elétrica que circula na chave é de 1,5A.


(002) A resistência elétrica do monitor é 1,5 vezes maior que a do
computador.
Determine: (004) Após ligar a chave, a bateria alimentará o circuito por um
a) o valor da corrente e seu sentido, entre os pontos A e B; tempo maior que 9,0 horas.
b) a diferença de potencial entre os pontos D e E; (008) A corrente elétrica que circula no monitor é 1,5 vezes a
c) a resistência equivalente entre os pontos F e G. corrente elétrica que circula no computador.
(016) A resistência elétrica equivalente no circuito é de 9,6 W.

(UDESC-2009.2) - RESPOSTA: 167 × 103 chuveiros


(UEG/GO-2009.2) - RESPOSTA NO FINAL
Uma empresa pretende construir uma barragem, visando produ-
O esquema representa uma rede de distribuição de energia elé-
zir energia elétrica. Estima-se que a energia fornecida por essa
trica que consta de:
pequena usina seja da ordem de 50 × 106 Watt-hora. Calcule
quantos chuveiros elétricos ligados em 120 V percorridos por uma - geradores G1 e G2 de fem E1 = E2= resistências internas r1 =
corrente de 10 A e ligados por 15 minutos são necessários para r2 = R;
consumir esta energia. - motor M de fcem E3 = 3 /10 e resistência interna r3 = 2R;
- resistores de resistências internas R 1 = R2 = R, R3 = 6R e R4 =
(UDESC-2009.2) - RESPOSTA: a) sim b) 20 c) 50 V 2R.
Em um experimento científico, um fio condutor foi submetido a
distintas diferenças de potencial elétrico (VAB). Foram medidos
os valores destas diferenças de potencial e da corrente elétrica
que cada uma delas estabeleceu no condutor, e obteve-se a ta-
bela abaixo:
VAB (V) 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20
i (A) 0,1 0,2 0,3 0,4 0,5 0,6 0,7 0,8 0,9 1,0
a) Construa o gráfico VAB x i para este condutor, responda e ex-
plique se ele é um condutor ôhmico.
b) Calcule o valor da resistência elétrica deste condutor.
c) Determine o valor da diferença de potencial que deve ser apli-
cada no condutor para que ele seja percorrido por uma corrente
elétrica de 2,5 A.

(UFMS-2009.2) - ALTERNATIVA: C
A fatura mensal de energia elétrica de uma residência apresenta,
entre outros, os seguintes itens:
Tendo em vista as informações, responda ao que se pede.
• Consumo de energia elétrica (350kwh)...R$ 52,50 a) Obtenha a equação matricial que permite calcular as corren-
• Taxa de iluminação pública.....................R$ 21,00 tes i1 e i2.
b) Sendo R = 0,5 e = 20 V, calcule as correntes i1, i2 e i3.
Se o valor da taxa de iluminação pública dessa fatura fosse des-
tinado para cobrir o custo da energia elétrica consumida por ape-
nas uma lâmpada de 1750W, instalada em um poste da rua, as- RESPOSTA UCG/GO-2009.2:
sinale a alternativa que corresponde ao tempo em que essa lâm- a) 2i1 - i2 = 0
pada permaneceria ligada ininterruptamente. 8Ri1 + 10Ri2 = 7 /10
Considere o valor da energia equivalente ao valor corresponden-
te ao primeiro item da fatura apresentada acima.
a) Menos que 60 horas.
b) Igual a 8 horas.
*c) Igual a 4800 minutos.
d) Igual a 4,8 minutos.
e) Mais que 90 horas. b) i1 = 1A, i2 = 2A e i3 = 3A

japizzirani@gmail.com 43
(UNESP-2009.2) - RESPOSTA: 7,2 × 106 J (UFES-2009.2) - ALTERNATIVA: D
A tabela relaciona as diferenças de potencial a que um resistor é Um pilha recarregável de NiMH tem capacidade de carga de 2.000
submetido, com as intensidades de corrente elétrica que o atra- mAh. Ela é carregada e usada para funcionamento de um dispo-
vessam. sitivo de 6 W de potência que funciona com uma d.d.p. 12 V. É
CORRETO afirmar que a pilha funcionará adequadamente por
um período de
a) 1 h.
b) 2 h.
c) 3 h.
*d) 4 h.
e) 5 h.
(UECE-2009.2) - ALTERNATIVA: D
Uma lâmpada incandescente de 100 W está ligada a uma toma-
da cuja tensão da rede é 220 V.
Determine, em joule, a energia dissipada em uma hora por esse Considerando que a tarifa da companhia de eletricidade é 0,54
resistor, quando submetido a uma diferença de potencial igual a R$/kWh, quanto será o consumo mensal aproximado, em Reais,
100 V. se a lâmpada passa três dias acesa por mês?
a) 5,4
b) 54
(VUNESP/UFTM-2009.2) - RESPOSTA: a) P1 = 1,6 W e P2 = 0 c) 22
b) P1 = 0 e P2 = 40 W *d) 3,9
No circuito da figura, as lâmpadas L1 e L2 são idênticas e apre-
(UFPel-2009.2) - ALTERNATIVA: E
sentam valores nominais (20 V – 40 W). A bateria de 20 V é No circuito mostrado na figura abaixo, temos uma associação de
considerada ideal e os resistores são ôhmicos. Todos os fios uti-
resistores ligados a duas baterias cujas f.e.m. são 1 = 6,0 V e 2
lizados para a montagem desse circuito apresentam resistência
elétrica desprezível. O fio F tem uma extremidade fixa no ponto = 24,0 V e cujas resistências internas são, respectivamente, r1 =
C e sua outra extremidade pode ser ligada no ponto A ou no 1,0 e r2 = 2,0 .
ponto B.

De acordo com seus conhecimentos sobre Eletrodinâmica e com


Determine as potências dissipadas pelas lâmpadas L1 e L2 quan- o texto, analise cada uma das seguintes afirmativas.
I) O sentido da corrente elétrica é determinado pela f.e.m. de
do o fio F é conectado no
maior valor, portanto, no circuito, a corrente tem sentido horário.
a) ponto A;
b) ponto B. II) No circuito da bateria com 1 a corrente está passando do
polo positivo para o negativo, desta forma, essa bateria está fun-
cionando como um receptor (gerador de f.c.e.m.).
III) A intensidade da corrente elétrica no circuito é de 2,0A.
(VUNESP/UFTM-2009.2) - RESPOSTA: a) 60 A b) 0,2
IV) O valor da diferença de potencial entre os pontos A e B é de
O setor de controle de qualidade de uma indústria de baterias
12 V.
automotivas, analisando uma delas, obteve a curva característi-
Dessas afirmativas, estão corretas apenas
ca:
a) III e IV.
b) I e II.
c) I, III e IV.
d) II e IV.
*e) II e III.

(UFLA/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: D
O circuito abaixo é composto por três resitores em série R1, R2,
R3 alimentados por uma fonte ideal de força eletromotriz = 200V,
que mantém uma corrente elétrica de 200 mA. Considerando as
quedas de tensão indicadas na figura, pode-se afirmar que o va-
lor de R2 é:
a) 1000
b) 200
Com base no gráfico, determine, para a bateria, c) 333,3
a) a intensidade da corrente de curto circuito. *d) 90
b) a resistência interna do gerador.

japizzirani@gmail.com 44
ELETRICIDADE: (VUNESP/UNINOVE-2009.1) - ALTERNATIVA: D
No vácuo, onde a constante de permissividade magnética vale
MAGNETISMO 4. .10–7 T.m/A, há um fio retilíneo muito longo pelo qual passa
VESTIBULARES 2009.1 uma corrente elétrica contínua de 2,5 A de intensidade, como
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 66 mostra a figura. Essa corrente gera no ponto A um campo mag-
nético de intensidade 5,0.10–6 T.

(UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: C
A figura mostra duas bobinas fixas verticalmente e ligadas a uma
bateria.
Os núcleos das bobinas são de ferro. Acima das bobinas há um
ímã em equilíbrio sob a ação de seu peso e das forças magnéti-
cas criadas pelas bobinas.

A distância d que separa o ponto A do fio é, em cm, de


a) .
b) 10 .
c) 1,0.
*d) 10.
Pode-se afirmar que e) 100.
a) o pólo A da bateria é negativo, o pólo B é positivo, e as bobinas
se atraem.
b) o pólo A da bateria é negativo, o pólo B é positivo, e as bobinas
se repelem. (VUNESP/UNICID-2009.1) - ALTERNATIVA: E
*c) o pólo A da bateria é positivo, o pólo B é negativo, e as bobi- Considere uma partícula eletrizada, movendo-se no interior de
nas se atraem. um campo magnético. Sabendo que, no sistema internacional de
d) o pólo A da bateria é positivo, o pólo B é negativo, e as bobinas unidades, a carga elétrica é medida em A.s, a velocidade em
se repelem. m.s–1 e a força é medida em kg.m.s–2, a unidade do campo mag-
e) a situação descrita é fisicamente inviável. nético é dada por
a) A.m.s–2.
b) kg.A.m.s–1.
(UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: E
c) kg.A–1.m.s–1.
A figura mostra um ímã fixo e uma espira condutora que foi aban-
donada acima do ímã. Os eixos da espira e do ímã coincidem. d) kg.A–1.m.s–3.
Considere que a espira cai verticalmente sem rotação. *e) kg.A–1.s–2.

(VUNESP/UNICID-2009.1) - ALTERNATIVA: C
O ímã da figura é movimentado ao longo da linha tracejada, que
passa pelo centro da espira circular condutora, formando ângulo
reto com o plano da mesma.

Enquanto a espira se aproxima do ímã, a velocidade da espira


a) aumenta e sua aceleração é maior que a da gravidade.
b) diminui e sua aceleração é maior que a da gravidade.
c) aumenta e sua aceleração é igual à da gravidade.
d) diminui e sua aceleração é menor que a da gravidade.
*e) aumenta e sua aceleração é menor que a da gravidade. Na posição mostrada na figura, observa-se que, quando o ímã
se
a) aproxima da bobina, ocorre uma corrente induzida alternada.
(UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: B b) aproxima da bobina, ocorre uma corrente induzida no sentido
Ondas eletromagnéticas podem ser geradas a partir de horário para um observador próximo ao ímã.
a) um ímã fixo. *c) aproxima da bobina, ocorre uma corrente induzida no sentido
*b) uma carga elétrica em movimento harmônico simples. anti-horário para um observador próximo ao ímã.
c) uma corrente elétrica constante e contínua em um fio. d) afasta da bobina, ocorre uma corrente induzida no sentido anti-
d) vibrações de grandes massas. horário para um observador próximo ao ímã.
e) variações em um campo gravitacional. e) afasta da bobina, ocorre uma corrente alternada.

japizzirani@gmail.com 45
(UDESC-2009.1) - ALTERNATIVA: D (UFF/RJ-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Um campo elétrico de 3,4 x 103 V/m e um campo magnético de Você segura com a mão um cilindro de ferro e o aproxima de um
2,0 x 10–4 T atuam sobre um elétron em movimento retilíneo com ímã permanente muito pesado apoiado sobre uma mesa hori-
zontal, como mostra o diagrama.
velocidade constante. A massa do elétron é 9,11 x 10–31 kg.
O valor da velocidade do elétron é:
a) 1,8 x 10–34 m/s.
b) 6,8 x 10–1 m/s.
c) 5,9 x 10–8 m/s.
*d) 1,7 x 107 m/s.
e) 3,1 x 10-27 m/s.

(UDESC-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Um transformador possui 50 espiras no enrolamento primário e À medida que o cilindro se aproxima da mesa, ele é atraído pelo
200 espiras no secundário. ímã com intensidade cada vez maior.
Ao ligar o primário a uma bateria de tensão contínua e constante O ímã não se move. Nos diagramas de força abaixo, P represen-
de 12 V, o valor da tensão de saída, no enrolamento secundário, ta o peso do ímã, N representa a normal da mesa sobre o ímã e
é igual a: f representa a força feita pelo cilindro sobre o ímã.
a) 12 V, pois a tensão de saída é igual à tensão de entrada. Escolha aquele que melhor representa as forças sofridas pelo
b) zero, pois o número de espiras do enrolamento secundário é ímã.
maior do que o dobro do número de espiras do primário.
*c) zero, pois não há força eletromotriz induzida nas espiras do
secundário. e)
*a) c)
d) 72 V, pois a razão entre a tensão de saída e a tensão de entra-
da é igual à razão entre o número de espiras do enrolamento
secundário e o número de espiras do enrolamento primário.
e) 48 V, pois a razão entre a tensão de entrada e a tensão de
saída é igual à razão entre o número de espiras do enrolamento
primário e o número de espiras do enrolamento secundário.

(UFPR-2009.1) - ALTERANTIVA: D
Considere um tubo de alumínio, no interior do qual se pode mo-
vimentar um ímã, como mostrado nas figuras dos itens da ques-
tão. Esse movimento produz correntes induzidas que circulam
nas paredes do tubo, conforme indicado pelos anéis tracejados. b)
Em um certo instante, o ímã ocupa a posição mostrada nas figu-
ras e se desloca com velocidade V no sentido indicado pelas
setas verticais. O lado preto do ímã representa o seu pólo Norte,
e o lado branco o seu pólo Sul. Assinale a alternativa que mostra
os sentidos corretos de circulação das correntes induzidas nos
anéis tracejados acima e abaixo da posição instantânea do imã.

a) *d)

(UFOP-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Qual dispositivo abaixo utiliza o princípio da indução eletromag-
nética no seu funcionamento básico?
a) um chuveiro elétrico
b) um ferro de passar roupa
*c) um liquidificador
b) e) d) uma bateria de automóvel

(UFOP-2009.1) - ALTERNATIVA: D
Leia as afirmativas a seguir:
I. A energia de uma onda eletromagnética é proporcional à sua
frequência.
II. O comprimento de uma onda eletromagnética é proporcional à
sua frequência.
III. A quantidade de movimento de um fóton de uma onda eletro-
c) magnética é inversamente proporcional ao seu comprimento de
onda.
Assinale a opção correta:
a) Somente a afirmativa I é verdadeira.
b) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.
*d) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.

japizzirani@gmail.com 46
(UFOP-2009.1) - RESPOSTA: i = 10 A (FUVEST-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Experimento - Medida do campo magnético, B, em Tesla, produ- Em uma experiência, um longo fio de cobre foi enrolado, forman-
zido por uma corrente elétrica, i, constante, nas proximidades de do dois conjuntos de espiras, E1 e E2, ligados entre si e mantidos
um fio condutor infinito, em função da distância, d, ao fio. muito distantes um do outro. Em um dos conjuntos, E2, foi colo-
cada uma bússola, com a agulha apontando para o Norte, na
direção perpendicular ao eixo das espiras.
Fig 4 2009 MAG

A experiência consistiu em investigar possíveis efeitos sobre essa


bússola, causados por um ímã, que é movimentado ao longo do
eixo do conjunto de espiras E1.
Foram analisadas três situações:
I. Enquanto o ímã é empurrado para o centro do conjunto
das espiras E1.
II. Quando o ímã é mantido parado no centro doconjunto
Determine o valor numérico da corrente elétrica i. das espiras E1.
III. Enquanto o ímã é puxado, do centro das espiras E1,
(PASUSP-2009) - ALTERNATIVA: E
retornando a sua posição inicial.
Uma das mais importantes formas de produção de energia elétri-
Um possível resultado a ser observado, quanto à posição da agu-
ca, em nossa vida cotidiana, é proveniente de processos de trans-
lha da bússola, nas três situações dessa experiência, poderia
formação que envolvem a obtenção dessa energia pelo movi-
ser representado por
mento. A construção de geradores de energia elétrica baseia-se
nos estudos de Faraday, que observou correntes elétricas O eixo do conjunto de espiras E2 tem direção leste-oeste.
(induzidas) em circuitos fechados, sem que pilhas ou baterias
estivessem conectadas aos mesmos. As figuras representam, Fig 8 2009 MAG
esquematicamente, situações fundamentais para a compreen-
são das condições necessárias para a obtenção de corrente elé-
trica induzida. Fig 2 2009 MAG

(UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: E
A indução eletromagnética é responsável pela produção de ener-
gia elétrica que utilizamos em nossa vida cotidiana. Com relação
a este fenômeno, podemos afirmar que:
a) todo ímã mesmo parado produz um campo magnético cons-
Correntes elétricas induzidas aparecem em um circuito fechado tante que interage com os elétrons de um condutor produzindo
quando eletricidade.
I. um ímã ou uma bobina permanecem parados próximos ao cir- b) a lei de Lenz afirma que um campo magnético constante no
cuito. tempo pode produzir uma força eletromotriz induzida que, atuan-
II. um ímã ou um eletroímã movem-se na região do circuito. do em um condutor, gera a eletricidade.
III. ocorrem variações, com o tempo, do campo magnético na c) a lei de Faraday afirma que campos elétricos e magnéticos
região do circuito. constantes produzem uma corrente elétrica induzida.
Está correto o que se afirma apenas em d) um ímã mesmo em movimento produz um fluxo magnético
a) I d) I e III constante e esse fluxo constante produz eletricidade.
b) II *e) II e III *e) um ímã em movimento produz um fluxo magnético variável
c) III que pode induzir uma corrente elétrica num condutor.

japizzirani@gmail.com 47
(PASUSP-2009.1) - ALTERNATIVA: A (UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Dínamos de bicicleta, que são geradores de pequeno porte, e Um dos efeitos da corrente elétrica é a geração de um campo
usinas hidrelétricas funcionam com base no processo de indução magnético na sua vizinhança. Este efeito, descoberto por Oersted
eletromagnética, descoberto por Faraday. As figuras abaixo re- em 1819, sempre acontece e tem várias aplicações no nosso dia
presentam esquematicamente o funcionamento desses gerado- a dia.
res. Analise as alternativas seguintes e assinale a INCORRETA.
Fig 3 2009 MAG a) O direção do vetor campo magnético gerado é sempre per-
pendicular à direção do movimento das cargas que o produz.
b) O campo magnético gerado pela corrente depende do meio
onde está sendo feita a medida.
c) A intensidade do campo magnético gerado por uma corrente
que percorre um fio longo e reto é inversamente proporcional à
distância até o fio.
d) Sejam dois fios longos e retos percorridos por correntes idên-
ticas e no mesmo sentido. Neste caso é nulo o campo magnético
resultante em qualquer ponto de uma linha imaginária eqüidistante
dos fios e localizada no plano definido pelos mesmos.
*e) Dobrando-se o raio de uma espira circular percorrida por uma
corrente o campo magnético medido no seu centro também do-
bra.

(UFTM-2009.1) - ALTERNATIVA: D
Demorou muito tempo para que a eletricidade e o magnetismo
se fundissem no eletromagnetismo. De fato, ambas as teorias
mostravam semelhanças e diferenças. Com relação aos cam-
pos elétrico e magnético, analise:
I. Todo campo elétrico gerado por uma carga puntiforme, ou mag-
nético, gerado por um ímã, é representado por linhas radiais.
II. Em qualquer ponto de uma linha de campo, seja magnético ou
Nesses dois tipos de geradores, a produção de corrente elétrica
elétrico, associa-se um vetor representativo desse campo, sem-
ocorre devido a transformações de energia
pre tangente à linha no referido ponto.
*a) mecânica em energia elétrica.
III. Dizer que as linhas de indução em um ímã estão orientadas
b) potencial gravitacional em energia elétrica.
no sentido Norte para Sul é uma afirmação imprecisa, já que
c) luminosa em energia elétrica.
dentro do ímã a orientação dessas linhas é completamente oposta.
d) potencial elástica em energia elétrica.
Está correto o contido em
e) eólica em energia elétrica.
a) I, apenas.
b) II, apenas.
(UFRJ-2009.1) - RESPOSTA: d = 2mE (qB2) c) III, apenas.
*d) II e III, apenas.
Uma partícula de massa m e carga elétrica positiva q entra em
e) I, II e III.
uma região na qual existem um campo elétrico e um campo mag-
nético, ambos uniformes, constantes, perpendiculares entre si e
de módulos respectivos E e B. O peso da partícula é totalmente
desprezível comparado à força elétrica, de modo que podemos (UTFPR-2009.1) - ALTERNATIVA: C
supor somente as forças elétrica e magnética agindo sobre a Abaixo representamos um transformador ideal que permite deri-
partícula na região. vação (possibilidade de variar seu número de espiras no secun-
dário). Considere que o primário possui 500 espiras e é alimenta-
A partícula entra na região com velocidade inicial v0, de módulo
do por uma fonte de tensão de 200V e corrente elétrica de 4A. Se
v0 = 2E/B e direção perpendicular aos campos elétrico e magné- o secundário apresenta uma derivação, na qual a corrente elétri-
tico, e desvia-se até atingir, com velocidade nula, uma distância ca possui o valor de 8A,podemos afirmar que:
máxima d da reta suporte da velocidade inicial v0. A partícula
volta a aproximar-se dessa reta, de modo que sua trajetória é
uma curva plana como ilustra a figura a seguir.

I) este transformador funciona como um elevador de tensão.


II) se a corrente de 8A é obtida, então o número de espiras no
secundário é de 250.
III) a corrente elétrica no primário é alternada.
É correto o que se afirma em:
a) I apenas.
b) II apenas.
*c) II e III apenas.
d) I e II apenas.
Considerando como dados E, B, q e m, calcule a distância d. e) I, II e III.

japizzirani@gmail.com 48
(FGVSP-2009.1) - ALTERNATIVA: B (UNEMAT/MT-2009.1) - ALTERNATIVA: D
Analise os arranjos de unidades do Sistema Internacional. Uma espira circular com diâmetro igual a 4 cm é percorrida por
I. C = W / s uma corrente elétrica de 4 A, conforme a figura abaixo. (Conside-
II. C = W / V re o meio vácuo e a permeabilidade magnética O= 4 .10–7 T.m/
III. C = T.m.A A).
IV. C = N.s / T.m
Tem significado físico o contido em
a) I, apenas.
*b) IV, apenas.
c) I, II e III, apenas.
d) II, III e IV, apenas.
e) I, II, III e IV.

(FGVSP-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Em 2008, o maior acelerador de partículas já construído foi colo-
cado em funcionamento. Em seu primeiro teste, um feixe de
prótons foi mantido em movimento circular dentro do grande anel,
sendo gradativamente acelerado até a velocidade desejada. O vetor campo magnético no centro da espira é perpendicular ao
plano da figura, cuja orientação e intensidade são:
a) para fora do plano, com módulo igual a 4.10–7 T
b) para dentro do plano, com módulo igual a 4.10–5 T
c) para dentro do plano, com módulo igual a 4.10–7 T
*d) para fora do plano, com módulo igual a 4.10–5 T
e) para fora do plano, com módulo igual a 2.10–5 T
Fig 9 2009 MAG

(UFABC-2009.1) - RESPOSTA: x = 0,05 m


Uma barra metálica AC de massa desprezível está presa ao teto
por duas molas ideais isolantes e idênticas de constante elástica
K = 36 N/m, inicialmente sem deformação. A barra é mantida na
A figura mostra uma secção reta desse anel. Admita que um fei- horizontal e está ligada a um gerador de força eletromotriz E =
xe de prótons esteja sendo conduzido de modo acelerado no 120 V com resistência interna desprezível. Uma chave Ch aberta
sentido do eixo y. De acordo com as leis do eletromagnetismo, impede a passagem de corrente pelo circuito. Parte da barra está
os campos elétrico e magnético, nessa ordem, na origem do sis- imersa numa região quadrada de lado L = 20 cm, onde atua um
tema de eixos indicado, têm sentidos que apontam para o campo magnético horizontal uniforme de intensidade B = 0,3 T,
*a) positivo de y e negativo de z. perpendicular ao plano da figura e com sentido para dentro dela
b) positivo de y e positivo de z. (Figura 1).
c) positivo de y e positivo de x.
d) negativo de y e positivo de z.
e) negativo de y e negativo de x.

(CEFETMG-2009.1) - ALTERNATIVA: A
A força eletromotriz induzida pode ser obtida pela variação tem-
poral do fluxo magnético e será nula quando a(o)
*a) campo de indução magnética variar e for rasante à superfície
de fluxo magnético.
b) campo de indução magnética aumentar e for normal à super-
fície de fluxo magnético.
c) superfície de fluxo magnético variar e o campo de indução
magnética for normal a ela.
d) superfície de fluxo magnético diminuir e o campo de indução
magnética for normal a ela. Ao fecharmos a chave Ch, uma corrente de intensidade i passa a
e) campo de indução magnética e a superfície de fluxo forem circular e, devido à ação do campo magnético, surge uma força
perpendiculares entre si e variarem. na barra, causando nessa um deslocamento vertical x (Figura 2).
Sabendo que a resistência elétrica total desse circuito vale R = 2
e desconsiderando o campo magnético da Terra, determine x.
(CEFETMG-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Dois fios retilíneos ____________, em um mesmo plano, condu-
zindo corrente elétrica, repelem-se, quando as correntes forem (CEFETMG-2009.1) - ALTERNATIVA: D
de _____________. Uma onda eletromagnética pode ser produzida através de
A opção que completa, corretamente, as lacunas acima é a) corrente elétrica constante em um fio condutor.
a) paralelos, mesmo sentido. b) campo eletromagnético constante em um meio.
*b) paralelos, sentidos opostos. c) campo de indução magnética constante em um meio.
c) perpendiculares, mesmo sentido. *d) movimento acelerado de um portador de carga elétrica.
d) perpendiculares, sentidos opostos. e) movimento retilíneo uniforme de um portador de carga elétri-
e) perpendiculares, mesma intensidade. ca.

japizzirani@gmail.com 49
(UEPB-2009.1) - ALTERNATIVA: C (UEPB-2009.1) - ALTERNATIVA: B
O magnetismo e a eletricidade eram fenômenos já bem conheci- Um menino construiu com material de baixo custo um carrinho
dos, quando, em 1820, Hans Christian Oersted (1777 a 1851) magnético, utilizando um pedaço de madeira, pregos, rodinhas
observou que uma agulha magnética era desviada quando uma metálicas e dois ímãs em forma de barra, conforme apresentado
corrente elétrica passava por um fio próximo. A partir daí, eletrici- na figura abaixo. O funcionamento do carrinho era bem simples:
dade e magnetismo passaram a ser reconhecidos como fenô- quando o menino aproximava a extremidade A do ímã 2 da extre-
menos de uma mesma origem. A figura abaixo representa um fio midade B do ímã 1, o carrinho se movimentava para a esquerda;
percorrido por uma corrente de grande intensidade, situado aci- já quando aproximava a extremidade B do ímã 2 da extremidade
ma de uma agulha magnética. A partir dessas informações, é B do ímã 1, o carrinho se movimentava para a direita.
correto afirmar que A explicação para este fenômeno que faz o menino brincar com
seu carrinho é: Fig 12 2009 MAG
Fig 11 2009 MAG

a) A extremidade A do ímã 2 tem polaridade diferente da extremi-


dade B do ímã 1
*b) A extremidade A do ímã 2 tem mesma polaridade da extremi-
dade B do ímã 1
c) A extremidade A do ímã 2 tem mesma polaridade da extremi-
dade A do ímã 1
d) A extremidade B do ímã 2 tem mesma polaridade da extremi-
dade B do ímã 1
e) A extremidade B do ímã 2 tem polaridade diferente da extremi-
dade A do ímã 1
a) a figura é coerente, pois uma agulha magnética tende a se
orientar na mesma direção do fio no qual passa a corrente.
b) a figura não é coerente, pois uma agulha magnética tende a (FATECSP-2009.1) - ALTERNATIVA: E
se orientar segundo um ângulo de 45°, em relação ao fio no qual Na avaliação final do curso de Eletromagnetismo foi solicitado
passa a corrente. aos alunos que colocassem V (verdadeira) e F (falsa) ao final
*c) a figura não é coerente, pois uma agulha magnética tende a das afirmações, constatando a veracidade da informação e dos
se orientar perpendicularmente ao fio no qual passa a corrente. dados científicos. As afirmações propostas são as que seguem:
d) a figura é coerente, pois a orientação da agulha magnética e a I. A região do espaço modificada pela presença de um ímã ou de
da corrente que percorre o fio são iguais, e o pólo sul da agulha um fio condutor percorrido por uma corrente elétrica é denomina-
aponta para a esquerda. da campo magnético. ( )
e) a figura não é coerente, pois a orientação da agulha magnéti- II. No sistema internacional, a unidade de medida da intensidade
ca e a da corrente que percorre o fio são iguais, porém o pólo sul da indução magnética é o tesla (T). ( )
da agulha deveria estar apontando para a direita. III. Um condutor elétrico percorrido por corrente fica submetido a
uma força quando se encontra dentro de um campo magnético.
()
(UFPR-2009.1) - RESPOSTA: v = 1400 m/s IV. A grandeza vetorial indução magnética B caracteriza
Um aparelho destinado a medir cargas e massas de partículas, quantitativamente o campo magnético, num ponto da região do
utilizado em análises físicas, possui uma região onde estão pre- mesmo. ( )
sentes um campo elétrico uniforme e, perpendicularmente a ele, Os alunos que acertaram a questão colocaram
um campo de indução magnética também uniforme. Quando um a) 4 F. b) 1 F e 3 V. c) 2 F e 2 V.
elétron é injetado nessa região (ver figura abaixo) com determi- d) 3 F e 1 V. *e) 4 V.
nada velocidade ao longo de uma direção perpendicular a am-
bos os campos, observa-se que ele segue um movimento retilíneo
(UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 18 (02+16)
uniforme.
Uma espira circular ligada a um amperímetro é posicionada per-
pendicularmente a um campo magnético.
Assinale o que for correto.
01) Se a espira for mantida em repouso e o campo magnético
uniforme, então será observada uma corrente elétrica no circui-
to.
02) Se o fluxo magnético variar no tempo, será observado o
surgimento de uma força eletromotriz induzida na espira.
04) Se o campo magnético variar no tempo, não será observado
o surgimento de uma corrente elétrica induzida na espira.
08) Quando há uma força eletromotriz induzida na espira, a pri-
meira lei da termodinâmica é violada.
16) Para uma espira de 0,1 m de raio, imersa em um campo
Considerando que o módulo do campo elétrico seja de 700 V/m e magnético uniforme de 0,2 T de intensidade e posicionada per-
o módulo da indução magnética seja igual a 0,50 T, determine o pendicularmente ao mesmo, o fluxo magnético que a atravessa
módulo da velocidade do elétron. é 2 × 10–3 Wb.

japizzirani@gmail.com 50
(UFSC-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 25 (01+08+16) (UFMG-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Em relação ao campo magnético, assinale a(s) proposição(ões) Sabe-se que uma corrente elétrica pode ser induzida em uma
CORRETA(S). espira colocada próxima a um cabo de transmissão de corrente
01. Imagine que você esteja sentado numa sala com as costas elétrica alternada, ou seja, uma corrente que varia com o tempo.
voltadas para uma parede da qual emerge um feixe de elétrons Considere que uma espira retangular é colocada próxima a um
que se move horizontalmente para a parede em frente. Se este fio reto e longo de duas maneiras diferentes, como representado
feixe de elétrons for desviado para a sua direita, o campo magné- nestas figuras:
tico existente na sala terá o sentido do teto para o chão.
02. Um campo magnético pode ser criado por cargas em movi-
mento ou em repouso. Um exemplo deste último é o campo mag-
nético criado por um ímã.
04. Se uma partícula carregada for lançada em uma região onde
existe um campo magnético B, ela será sempre desviada per-
pendicularmente a B.
08. Como a força magnética agindo sobre uma partícula carrega-
da é sempre perpendicular ao vetor velocidade da partícula, um
campo magnético B constante não pode alterar o módulo da ve-
locidade desta partícula.
16. Se uma partícula carregada for lançada com velocidade v em
uma região onde existe um campo magnético B, ela descreverá Na situação representada em I, o fio está perpendicular ao plano
uma trajetória circular desde que v seja perpendicular a B. da espira e, na situação representada em II, o fio está paralelo a
um dos lados da espira.
Nos dois casos, há uma corrente alternada no fio.
(UFSC-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 41 (01+08+32)
Considerando-se essas informações, é CORRETO afirmar que
Na transmissão de energia elétrica das usinas até os pontos de
uma corrente elétrica induzida na espira
utilização, não bastam fios e postes. Toda a rede de distribuição
a) ocorre apenas na situação I.
depende fundamentalmente dos transformadores, que ora ele-
*b) ocorre apenas na situação II.
vam a tensão, ora a rebaixam. Nesse sobe-e-desce, os transfor-
c) ocorre nas duas situações.
madores não só resolvem um problema econômico, como me-
d) não ocorre em qualquer das duas situações.
lhoram a eficiência do processo. O esquema abaixo representa
esquematicamente um transformador ideal, composto por dois
enrolamentos (primário e secundário) de fios envoltos nos bra- (UFU-2009.1) - RESPOSTA: 1F; 2V; 3F; 4V
ços de um quadro metálico (núcleo), e a relação entre as volta- O maior acelerador de partículas do mundo, denominado Gran-
de Colisor de Hádrons (sigla em inglês LHC), está situado entre
gens no primário e no secundário é dada por V P / VS = NP / NS.
a França e a Suíça e foi ativado recentemente, para acelerar
prótons a altíssimas velocidades.
O raio do anel que forma o acelerador é R = 4,3 km e ele está
imerso em um campo magnético B que mantém as partículas
carregadas na trajetória circular do anel. Existe, também, um
campo elétrico E, responsável pela aceleração das partículas.
Na foto aérea abaixo, observa-se uma ilustração de tal acelera-
dor. Fig 13 2009 MAG 1 ou 2

Em relação ao exposto, assinale a(s) proposição(ões)


CORRETA(S).
01. O princípio básico de funcionamento de um transformador é
o fenômeno conhecido como indução eletromagnética: quando
um circuito fechado é submetido a um campo magnético variá-
vel, aparece no circuito uma corrente elétrica cuja intensidade é
proporcional às variações do fluxo magnético.
02. No transformador, pequenas intensidades de corrente no pri-
mário podem criar grandes intensidades de fluxo magnético, o
que ocasionará uma indução eletromagnética e o aparecimento
de uma voltagem no secundário.
04. O transformador acima pode ser um transformador de eleva-
ção de tensão. Se ligarmos uma bateria de automóvel de 12 V
em seu primário (com 48 voltas), iremos obter uma tensão de
220 V em seu secundário (com 880 voltas).
08. Podemos usar o transformador invertido, ou seja, se o ligar-
Considere que um feixe contendo 4,0 x 1014 prótons é acelerado
mos a uma tomada em nossa residência (de corrente alternada)
no sentido horário, relativo à figura acima, e que cada próton
e aplicarmos uma tensão de 220 V em seu secundário (com
1000 voltas), obteremos uma tensão de 110 V no seu primário possui uma energia cinética de 1x10–6 J.
(com 500 voltas). Marque para as alternativas abaixo (V) Verdadeira ou (F) Falsa.
16. Ao acoplarmos um transformador a uma tomada e a um apa- 1 ( ) O campo magnético B deve apontar perpendicularmente ao
relho elétrico, como não há contato elétrico entre os fios dos plano do papel, apontando para baixo.
enrolamentos primário e secundário, o que impossibilita a pas- 2 ( ) No ponto P da figura, o campo elétrico E deve estar orienta-
sagem da corrente elétrica entre eles, não haverá transforma- do no sentido do eixo y.
ção dos valores da corrente elétrica, somente da tensão. 3 ( ) O movimento dos prótons no acelerador equivale a uma
32. O fluxo magnético criado pelo campo magnético que apare- corrente elétrica no anel, fluindo no sentido anti-horário.
ce quando o transformador é ligado depende da área da secção 4 ( ) A energia cinética total do feixe de prótons acelerado é 4 x
reta do núcleo metálico. 108 J.

japizzirani@gmail.com 51
(UFU-2009.1) - RESPOSTA: 1V; 2F; 3V; 4F (VUNESP/FAMECA-2009.1) - RESPOSTA: a) B perpendicular à
Uma espira retangular, com resistência elétrica total R = 2 , é folha do papel saindo dela e B = 30,0 T b) Reduzir B a metade.
puxada para fora de uma região que possui um campo magnéti- A figura ilustra uma barra metálica homogênea, de comprimento
co uniforme B = 2 x10–3 T, com uma velocidade constante igual a 0,50 m, pendurada por seu centro de massa num dinamômetro d
3 m/s, conforme figura abaixo. que acusa 10 N. As extremidades da barra são ligadas a uma
fonte de tensão contínua E e um amperímetro ideal A, inserido
no circuito, acusa 0,4 A. Um campo magnético uniforme externo
é, então, estabelecido na região que envolve a barra e o
dinamômetro passa a acusar 16 N.

O campo magnético é perpendicular ao plano da espira e aponta


para dentro da página, como indicado na figura acima. O lado a) Reproduza o desenho da barra em sua folha de respostas e
menor da espira (CD) mede L = 1 m; e não há campo magnético aponte a direção e o sentido do campo magnético estabelecido.
do lado esquerdo da linha tracejada na figura. Represente-o por meio de suas linhas de indução, segundo os
Com base nessas informações e sabendo que o módulo da car- códigos conhecidos. Calcule, também, a intensidade desse cam-
po.
ga do elétron vale 1,6 x 10–19 C, marque para as alternativas
b) Se a tensão da fonte for duplicada, que alteração deverá so-
abaixo (V) Verdadeira ou (F) Falsa. frer o valor do campo magnético para manter em 16 N a leitura
1 ( ) A força eletromotriz induzida na espira retangular vale 6 x no dinamômetro?
10–3 V.
2 ( ) A corrente induzida na espira retangular flui no sentido anti- (PUCRS-2009.1) - ALTERNATIVA: E
horário para a situação mostrada na figura. A figura representa partes das trajetórias assumidas por três ti-
3 ( ) O módulo da força que deve ser aplicada para manter o pos de partículas X, Y e Z, lançadas verticalmente com a mesma
movimento da espira, com velocidade constante, é 6 x 10–6 N. velocidade v em uma região onde existe um campo magnético B
4 ( ) Cada elétron do fio CD, de comprimento L, sofre uma força constante.
A direção desse campo é perpendicular ao plano da página, no
magnética igual, em módulo, a 9,6 x 10–22 N, apontando no sen-
tido de C para D da figura. sentido para dentro, como informa a representação .

(VUNESP/FAMECA-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Em laboratórios de análises clínicas, é bastante utilizado um apa-
relho denominado espectrômetro de massa. Isótopos ionizados
de um mesmo elemento químico são lançados, com a mesma
velocidade inicial, para o interior de um campo magnético unifor-
me, sofrendo desvios em sua trajetória, como no esquema a se-
guir.
Nesse caso, é correto concluir que
a) a partícula Z não sofre o efeito do campo magnético.
b) todas as partículas têm o mesmo sinal de carga elétrica.
c) se todas as partículas tiverem a mesma massa, as partículas
X têm mais carga.
d) a força magnética sobre as partículas é anulada pelo desvio
destas.
*e) se as cargas das partículas Y e Z têm a mesma intensidade,
a massa de Y será maior do que a de Z.

(EAFI/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D
Analise as afirmações. Considere um avião voando em uma direção perpendicular ao
I. O campo magnético do esquema é perpendicular ao plano da campo magnético da Terra.
folha. Todas as afirmativas abaixo são verdadeiras em relação a essa
II. O isótopo 1 desenvolve a curva com energia cinética menor situação, exceto:
que a de 2. a) existirá uma corrente elétrica percorrendo as asas do avião.
III. Se os isótopos têm a mesma carga elétrica, o de maior mas- b) a força eletromotriz gerada entre as extremidades das asas do
sa sofre o maior desvio, ou seja, sua trajetória é a de raio maior. avião é diretamente proporcional ao campo magnético terrestre.
Está correto o contido em c) a velocidade do avião influencia na força eletromotriz gerada
a) I, apenas. na asa do avião.
b) I e II, apenas. *d) a corrente gerada na asa do avião está relacionada com o
c) I e III, apenas. campo gravitacional terrestre.
d) II e III, apenas. e) quanto maior as asas do avião, maior será a força eletromotriz
*e) I, II e III. gerada.

japizzirani@gmail.com 52
(UNESP-2009.1) - ALTERNATIVA: D (UNESP-2009.1) - RESPOSTA: E = 2,0 × 10–5 V/m e
Na figura, as setas com as legendas p e e representam a direção v = 2,5 × 10–5 m/s
e o sentido da velocidade de um próton e de um elétron, respec- Na figura, uma placa quadrada de lado L = 2,0 cm, de material
tivamente, ao penetrarem numa região de campo magnético cons- condutor, é percorrida por uma corrente elétrica no sentido y cres-
tante e uniforme B, em diferentes instantes e com diferentes ve- cente. Ao aplicarmos um campo magnético constante de módulo
locidades. B = 0,80 T, os portadores de carga em movimento, que originam
a corrente de intensidade i, são deslocados provocando um
acúmulo de cargas positivas na borda de trás e negativas na da
frente, até que a diferença de potencial entre essas bordas se
estabilize com valor V = 4,0 × 10–7 V, o que resulta em um
campo elétrico uniforme na direção x, decorrente dessa separa-
ção de cargas, que compensa o efeito defletor do campo magné-
tico. Esse fenômeno é conhecido como efeito Hall.

Considerando que cada uma dessas partículas esteve sujeita


apenas à ação do campo magnético, pode-se afirmar que, das
setas 1, 2, 3 e 4 representadas na figura,
a) somente a seta 3 pode representar a saída do próton e a 1 a Determine o módulo do vetor campo elétrico E, gerado na dire-
do elétron. ção x, e o módulo da média das velocidades dos portadores de
b) a seta 1 pode representar a saída do próton, mas não há seta carga na direção y.
que possa representar a saída do elétron.
c) a seta 3 pode representar a saída do elétron, mas não há seta (ITA-2009.1) - ALTERNATIVA: D
que possa representar a saída do próton. A figura representa o campo magnético de dois fios paralelos
*d) as setas 1 e 3 podem representar a saída do próton e do que conduzem correntes elétricas.
A respeito da força magnética Fig 14 2009 MAG
elétron, respectivamente.
e) as setas 4 e 2 podem representar a saída do próton e do elé- resultante no fio da esquerda,
tron, respectivamente. podemos afirmar que ela
a) atua para a direita e tem
(UNESP-2009.1) - RESPOSTA: 0,5T saindo do plano do papel. magnitude maior que a da for-
Parte de uma espira condutora está imersa em um campo mag- ça no fio da direita.
nético constante e uniforme, perpendicular ao plano que a con- b) atua para a direita e tem
tém. Uma das extremidades de uma mola de constante elástica magnitude igual à da força no
k = 2,5 N/m está presa a um apoio externo isolado e a outra a um fio da direita.
lado dessa espira, que mede 10 cm de comprimento. c) atua para a esquerda e tem
magnitude maior que a da for-
ça no fio da direita.
*d) atua para a esquerda e tem
magnitude igual à da força no fio da direita.
e) atua para a esquerda e tem magnitude menor que a da força
no fio da direita.

(UNIFESP-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Na região quadriculada da figura existe um campo magnético
Inicialmente não há corrente na espira e a mola não está uniforme B, perpendicular ao plano do reticulado e penetrando
distendida nem comprimida. Quando uma corrente elétrica de no plano da figura. Parte de um circuito rígido também passa por
intensidade i = 0,50 A percorre a espira, no sentido horário, ela se ela, como ilustrado na figura.
move e desloca de 1,0 cm a extremidade móvel da mola para a
direita. Determine o módulo e o sentido do campo magnético.

(ITA-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Uma haste metálica com 5,0 kg de massa e resistência de 2,0
desliza sem atrito sobre duas barras paralelas separadas de 1,0
m, interligadas por um condutor de resistência nula e apoiadas
em um plano de 30° com a horizontal, conforme a figura. Tudo
encontra-se imerso num campo magnético B, perpendicular ao
plano do movimento, e as barras de apoio têm resistência e atrito
desprezíveis. A aresta de cada célula quadrada do quadrilátero tem compri-
Considerando que após deslizar durante um certo tempo a velo- mento u, e pelo fio passa uma corrente elétrica de intensidade i.
cidade da haste permanece constante em 2,0 m/s, assinale o Analisando a força magnética que age sobre cada elemento de
valor do campo magnético. comprimento u do fio do circuito, coincidente com a aresta das
a) 25,0 T células quadradas, a intensidade da força magnética resultante
b) 20,0 T sobre a parte do circuito exposta ao campo B é
c) 15,0 T a) nula.
d) 10,0 T b) iBu/2.
*e) 5,0 T *c) iBu.
d) 3iBu.
e) 13iBu.

japizzirani@gmail.com 53
(ITA-2009.1) - RESPOSTA: i1 = -2 na2/R, i2 = 0 e i3 = - i1/2 (UFU/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D
Um longo solenóide de comprimento L, raio a e com n espiras Uma aliança de noivado de ouro (condutora elétrica), pendurada
por unidade de comprimento, possui ao seu redor um anel de por um barbante (isolante), é solta (em P) para balançar no mes-
resistência R. O solenóide está ligado a uma fonte de corrente I, mo plano que a contém. Durante o seu movimento pendular, essa
de acordo com a figura. Se a fonte variar conforme mostra o aliança entra (em E) em uma região que contém um campo mag-
gráfico, calcule a expressão da corrente que flui pelo anel duran- nético de intensidade B, o qual entra na folha perpendicularmen-
te esse mesmo intervalo de tempo e apresente esse resultado te ao plano da aliança e de seu movimento. Essa aliança atra-
em um novo gráfico. vessa essa região e sai dela (em S), conforme figura abaixo.

Fig 16 2009 MAG Fig 15 2009 MAG

(UFU/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Câmara de bolhas é um instrumento utilizado para visualizar tra-
jetórias de partículas que, a grandes velocidades, atravessam
um líquido (que preenche a câmara). Essas partículas, sob con-
dições controladas de pressão na câmara, produzem rastros de Considerando a figura como referência, marque a alternativa cor-
minúsculas bolhas, que podem ser fotografados. Nessa câmara, reta.
um campo magnético provoca uma força magnética sobre partí- a) Enquanto a aliança estiver saindo (em S) da região com cam-
culas carregadas eletricamente que se movimentam em seu in- po magnético, a corrente elétrica induzida que a percorrerá cria-
terior. rá um campo magnético no sentido contrário ao sentido do cam-
A Figura 1 mostra traços deixados por partículas em uma câma- po magnético (B) existente.
ra de bolhas. b) Enquanto a aliança estiver entrando (em E) na região com
campo magnético, surgirá nela uma corrente elétrica induzida no
sentido horário.
c) Enquanto a aliança permanecer totalmente no interior da re-
gião com campo magnético, a corrente elétrica induzida que a
percorrerá criará um campo magnético no sentido contrário ao
sentido do campo magnético (B) existente.
*d) Enquanto a aliança estiver saindo (em S) da região com cam-
po magnético, surgirá nela uma corrente elétrica induzida no sen-
tido horário.

(UDESC-2009.1) - RESPOSTA: a) 4,86 × 10–3 /m b) d = 3,3mm


calilbre 8 (como o cálculo deu o valor exato para o diâmetro
deve-se, por segurança, adotar calibre 4) c) B = 4,0 T
A tabela abaixo apresenta algumas propriedades dos fios de co-
bre comumente utilizados em circuitos e instalações elétricas.

Calibre Diâmetro a 20 °C (mm) Área (mm2)


4 5,2 21,2
8 3,3 8,5
12 2,1 3,5
A Figura 2 esquematiza traços deixados por um próton (carga = 16 1,3 1,3
20 0,8 0,5
+e; massa = mp), por um anti-próton (carga = –e; massa = mp), e
por uma partícula alfa (carga = +2e; massa = 4mp), em uma câ- Considerando que a resistividade do cobre a 20 °C é igual a
mara semelhante, onde o campo magnético tem direção perpen-
1,7x10–8 .m, e as informações fornecidas na tabela acima, re-
dicular à Figura 2 e as partículas entram pela parte inferior dessa
solva as questões a seguir:
Figura com velocidades “para cima”.
a) Calcule a resistência por unidade de comprimento de um fio
Associando cada um dos traços (1, 2 e 3) da Figura 2 a essas
de cobre de calibre 12.
partículas, pode-se afirmar que
b) Para a montagem de um circuito elétrico são necessários 10m
a) o raio da trajetória do próton é igual ao raio da trajetória do
de fio de cobre. A resistência máxima oferecida pelo fio não po-
anti-próton, apenas o sentido de “giro” é contrário, independente-
mente das velocidades das partículas. derá ser maior do que 2,0 x 10–2 para o bom funcionamento do
b) se o traço 3 for da partícula alfa, então as velocidades da circuito. Determine qual o diâmetro mínimo de fio que pode ser
partícula alfa e do próton são iguais . utilizado para a montagem do circuito e identifique qual o calibre
*c) o raio da trajetória do traço 2 é o dobro do raio da trajetória do fio.
dos outros dois traços, se as três partículas tiverem a mesma c) Determine o campo magnético a 10 cm de um fio (longo e
velocidade. reto) de cobre de calibre 20, quando nele estiver passando uma
e) o sentido do campo magnético é “entrando” na Figura. corrente elétrica contínua igual a 2,0 A. Dado: 0 = 4 ×10–7Tm/A

japizzirani@gmail.com 54
(UFMS-2009.1) - ALTERNATIVA: D (UFMS-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 013 (001+004+008)
Uma das aplicações de tubos de raios catódicos, está nos Um dos fenômenos Solares que mais interferem nos meios de
osciloscópios onde um feixe retilíneo de elétrons com velocidade comunicação, via satélite, é o chamado de Ejeção Coronal de
constante incide perpendicularmente sobre uma tela plana Matéria (CME), em que ocorre ejeção de milhões de toneladas
revestida internamente com material fosforescente. Quando o de partículas elétricas pelo Sol para o espaço a uma velocidade
feixe de elétrons colide com esse material, os elétrons deposi- de milhões de quilômetros por hora, formando bolsões magnéti-
tam sua energia nos átomos de fósforo, excitando-os e, ao deca- cos que podem causar turbulências no campo magnético da Ter-
ir para um nível mais baixo de energia, emitem luz no espectro ra, podendo também causar avarias nos mecanismos de comu-
visível aparecendo na região de colisão um ponto luminoso na nicação por satélite e em ondas de rádio. Esse turbilhão de par-
tela. Um observador que está de frente para a tela, observa o tículas carregadas, ejetadas sobre o planeta, causa deformações
ponto luminoso em repouso no centro geométrico da tela, veja a nas linhas do campo magnético da Terra, e é conhecido também
figura A. Em seguida, o observador aproxima um dos pólos de como vento solar. Em condições normais, a magnetosfera da
um imã no lado direito da tela, mantendo o eixo longitudinal do Terra deflete o fluxo dessas partículas emitidas pelo Sol, diminu-
imã perpendicular e na mesma altura do feixe de elétrons. indo as turbulências. A figura mostra a magnetosfera terrestre,
Ao fazer isso, o feixe de elétrons sofre uma interação exclusiva- representada por linhas de campo magnético, e também mostra
mente com o campo magnético gerado pela extremidade do imã, um feixe de partículas positivas e negativas, lançadas pelo Sol e
e o observador verifica que o ponto luminoso que estava no cen- indo em direção ao planeta. Considere as linhas de campo mag-
tro da tela é deslocado para cima, veja a figura B. Com funda- nético e os vetores velocidades que representam o movimento
mentos no eletromagnetismo, assinale a alternativa correta. das partículas contidas no mesmo plano da figura, despreze ou-
tras interações que não sejam magnéticas e, com fundamentos
no eletromagnetismo, assinale a(s) proposição(ões) correta(s).

(001) As linhas do campo magnético da Terra são fechadas.


(002) As linhas do campo magnético, nas imediações da Terra,
são abertas e saem do pólo norte geográfico e entram no pólo
a) Se a mesma polaridade do imã tivesse sido aproximada de sul geográfico.
forma semelhante, mas do lado esquerdo da tela, o ponto lumi- (004) As partículas carregadas positivamente, que se aproximam
noso seria deslocado também para cima. da Terra pelo plano equatorial, são desviadas para fora do plano
b) Se, à medida que imã for se aproximando, o ponto luminoso da página.
for subindo mais, pode-se concluir que o campo magnético nas (008) O campo magnético da magnetosfera da Terra é mais in-
imediações do imã é uniforme. tenso nos pólos.
c) Se construirmos uma bússola com esse imã, a polaridade do (016) A interação magnética, com as partículas carregadas que
imã que faz o feixe de elétrons desviar para cima, indicará o Sul estão em movimento, contribui para a diminuição da energia
geográfico da Terra. cinética dessas partículas.
*d) A polaridade do imã que faz o feixe de elétrons desviar para
cima corresponde ao Norte magnético do imã. (UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B
e) Cargas elétricas que estão em repouso com relação ao imã Um fio de cobre OAC é dobrado na forma mostrada na figura ao
também sofrerão forças magnéticas. lado. Uma barra, também de cobre, gira em torno de um eixo
perpendicular à página, no ponto O, com velocidade angular cons-
tante , no sentido anti-horário. As extremidades da barra man-
(UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D têm-se em contato com o fio o tempo todo. Um campo magnéti-
Uma tira de alumínio, transportando uma corrente elétrica i, está co uniforme B, entrando perpendicularmente ao plano da pági-
situada em uma região onde há um campo magnético uniforme na, está presente em toda a região onde o fio e a barra se encon-
B entrando perpendicularmente no plano da página (figura abai- tram.
xo). Enquanto a barra gira de A até C, é CORRETO afirmar que no
trecho OA a corrente elétrica será:
a) constante, no sentido de A para O.
*b) constante, no sentido de O para A.
c) crescente, no sentido de O para A.
d) crescente, no sentido de A para O.

Com relação à diferença de potencial entre os pontos X, Y e Z, é (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: i = 1,8 mA


CORRETO afirmar que: Considere uma bobina constituída por 200 espiras idênticas, cuja
resistência elétrica total é 200 . A bobina é imersa em uma re-
a) VY - VZ < 0
gião do espaço onde existe um campo magnético variável. Con-
b) VX - VY < 0 siderando que, em 0,05 s, o fluxo do campo magnético através
c) VX - VY = 0 de uma espira varia de = – 4,5 x 10–5 Wb a = + 4,5 x 10–5 Wb,
*d) VX - VY > 0 calcule, em mA, a intensidade da corrente induzida na bobina.

japizzirani@gmail.com 55
(UFV/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) entrando na página b) senti- (CEFETSP-2009.1) - ALTERNATIVA: B
do positivo de x c) B = 2MV (QL) d) E = 2MV2 (QL) A produção de energia elétrica em usinas hidrelétricas baseia-se
Uma partícula de massa M, com carga positiva Q, encontra-se no fenômeno da indução eletromagnética. Esse fenômeno ocor-
inicialmente no ponto A, situado no vértice de uma caixa de lado re quando uma bobina se encontra mergulhada em um campo
2L (figura abaixo). Ela é lançada com velocidade de módulo V no magnético. Um gerador transforma energia mecânica devida à
sentido negativo do eixo y. Fora da caixa existe um campo mag- queda d’água em energia elétrica por meio do movimento relati-
nético uniforme, perpendicular ao plano da página, que faz com vo entre o campo magnético e a bobina. A figura a seguir ilustra
que a partícula entre na caixa pelo orifício C. Dentro da caixa há esse processo.
um campo elétrico uniforme, na direção x, que faz com que a
partícula saia da caixa pelo orifício D.
Considerando que fora da caixa a partícula se move exclusiva-
mente sob a ação do campo magnético e dentro da caixa exclu-
sivamente sob a ação do campo elétrico, responda:

a) Qual deve ser o sentido do campo magnético B ? Na figura, uma espira retangular ABCD de área constante está
b) Qual deve ser o sentido do campo elétrico E ? imersa, em repouso, num campo magnético uniforme horizontal
c) Qual deve ser o módulo B do campo magnético? criado entre os pólos Norte e Sul de um ímã, perpendicularmente
d) Qual deve ser o módulo E do campo elétrico? às linhas de indução desse campo. Essa espira pode rodar ao
redor de um eixo vertical, no sentido horário ou anti-horário (indi-
(UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: E cado na figura) ou mover-se, mantendo seu plano sempre per-
Entrou em funcionamento em setembro de 2008 o LHC – Large pendicular às linhas de indução, aproximando-se do pólo Norte
Hadron Collider (Grande Colisor de Hádrons), o mais potente ace- ou do pólo Sul do ímã. Pode-se afirmar corretamente que surgirá
lerador de partículas do mundo. No LHC serão acelerados feixes na espira uma corrente induzida no sentido
de prótons, através de campos eletromagnéticos, até atingirem a) ABCD, se a espira girar até 90°, apenas no sentido horário.
energia suficiente para então colidir com outro feixe de prótons *b) ABCD, se a espira girar até 90° no sentido horário ou anti-
em sentido contrário. O objetivo do experimento é estudar a es- horário.
trutura da matéria e testar modelos da Física atual. O LHC tem c) ABCD, se a espira girar até 90°, apenas no sentido antihorário.
forma circular, com 8,6 km de diâmetro, e está localizado na fron- d) DCBA se a espira se aproximar do pólo Norte.
teira da França com a Suíça. Analise as proposições seguintes e e) DCBA se a espira se aproximar do pólo Sul.
assinale a alternativa INCORRETA.
a) Os prótons, deslocando-se no interior do acelerador, podem (VUNESP/FMJ-2009.1) - ALTERNATIVA: D
sofrer ação tanto de forças elétricas como magnéticas. Um ímã em forma de barra com extremos A e B foi quebrado e
b) A função do campo magnético é modificar a direção do feixe separado em duas partes com AC e DB, como mostra a figura.
de prótons, uma vez que os vetores força magnética e velocida-
de são sempre perpendiculares.
c) O efeito do campo elétrico é gerar uma força elétrica que irá
produzir uma aceleração linear no no próton.
d) Tanto a força elétrica como a força magnética sobre o próton
A seguir, o pedaço AC foi aproximado de uma pequena barra
não dependem de sua massa.
metálica de extremos 1-2, com o extremo 1 perto de AC, e notou-
*e) As forças magnéticas alteram o módulo da velocidade do
se que houve atração entre eles. Depois, o pedaço DB foi apro-
próton realizando trabalho sobre o mesmo.
ximado da mesma barra, agora com o extremo 2 perto de DB, e
notou-se que também houve atração.

(UFPE-2009.1) - ALTERNATIVA: D
Uma espira, percorrida pela corrente i = 2,0 A, se encontra numa
região de campo magnético uniforme B = 0,5 T. Devido às forças
magnéticas que atuam sobre a espira, ela pode girar em torno do
eixo que passa pelos pontos médios dos lados AD e BC, confor-
me indicado. Determine o torque resultante que atua sobre a espira
no instante mostrado na figura. Considere L1 = 2L2 = 1,0 m.
a) 0,2 N.m
b) 0,3 N.m
c) 0,4 N.m
*d) 0,5 N.m
e) 0,6 N.m
Baseando-se nessas informações, pode-se afirmar que
a) B e C são pólos magnéticos opostos.
b) A e D são dois pólos Norte magnéticos.
c) o extremo 1 da barra é um pólo Sul magnético.
*d) a barra 1-2 não é magnetizada.
e) C e D são pólos magnéticos iguais.

japizzirani@gmail.com 56
(FUVEST-2009.1) - RESPOSTA: a) F1 = 0,08N b) B0 = 0,20T (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 23 (01+02+04+16)
c) M2 = 0,016 kg colocada no ponto médio de P3-P4 Uma partícula com carga elétrica q é lançada em uma região do
espaço onde existe um campo magnético uniforme B. Sobre este
Para estimar a intensidade de um campo magnético B 0, unifor- evento físico, assinale o que for correto.
me e horizontal, é utilizado um fio condutor rígido, dobrado com a 01) A força exercida pelo campo magnético FB sobre a partícula é
forma e dimensões indicadas na figura, apoiado sobre suportes
perpendicular ao plano determinado pelos vetores v e B.
fixos, podendo girar livremente em torno do eixo OO’. Esse ar-
ranjo funciona como uma “balança para forças eletromagnéti- 02) O sentido do vetor FB depende do sinal da carga elétrica q da
cas”. O fio é ligado a um gerador, ajustado para que a corrente partícula.
contínua fornecida seja sempre i = 2,0 A, sendo que duas peque- 04) A força exercida pelo campo magnético FB não realiza traba-
nas chaves, A e C, quando acionadas, estabelecem diferentes lho sobre a partícula.
percursos para a corrente. Inicialmente, com o gerador desliga- 08) A intensidade do campo magnético é dada por B = FB qvsen .
do, o fio permanece em equilíbrio na posição horizontal. Quando 16) Se o movimento da partícula for paralelo à direção do campo
o gerador é ligado, com a chave A, aberta e C, fechada, é neces- magnético, o campo magnético não exerce força sobre ela.
sário pendurar uma pequena massa M1 = 0,008 kg, no meio do
segmento P3-P4, para restabelecer o equilíbrio e manter o fio na
posição horizontal. Fig 19 2009 MAG (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 11 (01+02+08)
A respeito de dois condutores retos e extensos separados por
uma distância r, que são percorridos por intensidades de corren-
te i1 e i2, assinale o que for correto.
01) Existe uma força entre os dois condutores, de origem mag-
nética, cuja intensidade é inversamente proporcional à distância
entre eles.
02) Se as intensidades de corrente tiverem o mesmo sentido, a
força que atua entre os condutores é de atração.
04) A força que atua entre os condutores assim caracterizados é
neutralizada quando os sentidos das correntes que os atraves-
sam são opostos.
08) As linhas de ação das forças seguem a regra da mão direita
a) Determine a intensidade da força eletromagnética F1, em fechada, de acordo com a qual o polegar indica o sentido da
newtons, que age sobre o segmento P3-P4 do fio, quando o gera- corrente que atravessa o condutor, e os demais dedos indicam o
dor é ligado com a chave A, aberta e C, fechada. sentido das linhas das forças.
b) Estime a intensidade do campo magnético B0, em teslas. 16) A força que atua entre os condutores depende somente de
c) Estime a massa M2, em kg, necessária para equilibrar nova- seus respectivos comprimentos.
mente o fio na horizontal, quando a chave A está fechada e C,
aberta. Indique onde deve ser colocada essa massa, levando em (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 09 (01+08)
conta que a massa M1 foi retirada. Sobre o fenômeno da indução magnética, assinale o que for cor-
NOTE E ADOTE: reto.
F = iBL 01) Toda vez que o fluxo da indução magnética através de um
Desconsidere o campo magnético da Terra. circuito sofre variação, surge uma corrente elétrica no circuito.
As extremidades P1, P2, P3 e P4 estão sempre no mesmo plano. 02) O fluxo de indução magnética estabelece entre os terminais
Aceleração da gravidade na Terra, g = 10 m/s2. de um condutor uma ddp que depende do comprimento do con-
dutor.
04) A corrente elétrica gerada pelo fluxo de uma indução magné-
(VUNESP/FTT-2009.1) - ALTERNATIVA: A tica tem sentido contrário ao do campo elétrico gerado.
Uma espira quadrada, de lado L, é levada com velocidade cons- 08) O módulo do fluxo da indução magnética através de uma
tante v ao atravessar perpendicularmente as linhas de indução superfície fechada é nulo.
de um campo magnético uniforme B gerado por um ímã, confor- 16) Para que ocorra o fenômeno da indução eletromagnética,
me mostra a figura. A largura d do ímã é maior do que o lado L da basta haver um campo magnético.
espira.
(CEFETGO-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Um próton e um elétron, ambos com a mesma velocidade, se-
guindo uma direção horizontal, penetram numa câmara conten-
do um campo magnético uniforme (entram na folha de papel) e
vácuo no seu interior. Dentre as opções da figura, o próton e o
Considere as afirmações: elétron descreverão, respectivamente, as seguintes trajetórias
I. Enquanto a espira estiver penetrando na região de B ou saindo com relação à direção de penetração:
dela, haverá corrente elétrica induzida a percorrê-la, num sentido
de cada vez.
II. Enquanto a espira estiver completamente inserida na região
de B, haverá corrente elétrica induzida a percorrê-la num mesmo
sentido.
III. Não haverá corrente elétrica induzida nas condições acima
propostas. A indução magnética ocorreria somente se a veloci-
dade v fosse variável.
Assinale a alternativa correta.
*a) Há somente uma afirmação verdadeira. a) arco menor acima/ arco menor abaixo
b) Somente as afirmações I e II são verdadeiras. *b) arco maior abaixo/ arco menor abaixo
c) Somente as afirmações II e III são verdadeiras. c) arco menor abaixo/ arco maior acima
d) Somente as afirmações I e III são verdadeiras. d) arco maior abaixo/ arco menor acima
e) As três afirmações são verdadeiras. e) arco maior acima/ arco menor acima

japizzirani@gmail.com 57
(UFC/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: E (VUNESP/UNICISAL-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Na figura a seguir, o circuito principal é formado por uma bateria Uma partícula, de massa m e eletrizada com carga negativa q, é
(resistência interna nula e força eletromotriz ), duas molas lançada para o interior de uma região onde há um campo mag-
condutoras (cada uma com constante elástica k = 2 N/m e resis- nético uniforme B. A velocidade v da partícula, ao ingressar na
tência elétrica R = 0,05 ), uma barra condutora de comprimen- região, é paralela e de mesmo sentido das linhas
to L = 30 cm e resistência elétrica desprezível. As molas estão de indução de B.
em seus comprimentos naturais (sem deformação). Um campo
magnético de módulo B = 0,01 T, perpendicular ao plano da figu-
ra e apontando para dentro da página, está presente na região
da barra.
Existe ainda outra barra isolante, conectada a uma ponta
condutora, fixa ao ramo superior do circuito principal. A massa da
barra isolante é desprezível. Uma lâmpada de resistência r e uma
bateria de força eletromotriz ’ compõem o circuito anexo (veja a
figura abaixo). A altura entre a ponta condutora e o ramo superior
Considerando apenas os efeitos do campo B, a trajetória segui-
do circuito anexo é h = 3 cm.
da pela partícula no interior de B será
a) circular e o centro abaixo do ponto de entrada.
b) circular e o centro acima do ponto de entrada.
c) parabólica, encurvada para cima do ponto de entrada.
d) parabólica, encurvada para baixo do ponto de entrada.
*e) retilínea, na mesma direção da velocidade v.

(CEFETCE-2009.1) - ALTERNATIVA: C
É correto afirmarmos que, ao ligarmos o interruptor próximo a
uma fonte de energia elétrica que se encontra a vários metros da
lâmpada que ele controla através de um circuito, a lâmpada se
acende
a) no mesmo instante.
Assinale a alternativa que contém o valor mínimo da força b) quase instantaneamente, devido à alta velocidade dos elé-
eletromotriz no circuito principal, de modo que a lâmpada no trons que carregam a energia elétrica através do fio.
circuito anexo seja percorrida por uma corrente elétrica *c) quase instantaneamente, devido à alta velocidade de propa-
(desconsidere quaisquer efeitos gravitacionais). gação da energia eletromagnética através do campo eletromag-
a) 0,5 V. nético.
b) 1,0 V. d) quase instantaneamente, devido à alta velocidade de propa-
c) 2,0 V. gação da energia elétrica através do campo puramente elétrico.
d) 3,0 V. e) quase instantaneamente, devido à alta velocidade de propa-
*e) 4,0 V. gação da energia magnética através do campo puramente mag-
nético.

(FURG/SP-2009.1) - ALTERNATIVA: C
(CEFETCE-2009.1) - RESPOSTA: a) traj. 5 b) traj. 2 c) traj. 4
Duas partículas, uma com massa m1 e carga q1 e outra com
Uma partícula de massa desprezível, carregada com uma carga
massa m2 e carga q2, descrevem trajetórias circulares de mes- elétrica q, é lançada com velocidade escalar constante V, numa
mo raio em uma região com campo magnético constante e uni- direção +x de uma região do espaço onde existe um campo mag-
forme, sendo uma trajetória no sentido horário e outra no sentido nético uniforme de intensidade B. Se a direção do campo mag-
anti-horário. Considere as afirmativas: nético e o sinal da carga forem combinados, a partícula poderá
I) m1 = m2 , |q1| = |q2| seguir uma das cinco trajetórias representadas:
II) q1 × q2 > 0 Fig 22 2009 MAG
III) q1 × q2 < 0
Com base na situação acima, podemos dizer que apenas
a) I está correta.
b) II está correta.
*c) III está correta.
d) I e II estão corretas.
e) I e III estão corretas.

FURG/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Considere duas espiras circulares concêntricas e contidas em
um mesmo plano, uma com raio R1 e outra com raio R2. Na espira
de raio R1 circula uma corrente constante i1 no sentido horário, e
na espira de raio R2 circula uma corrente constante i2. Sabendo
que o campo magnético no centro comum das espiras é zero,
podemos afirmar que 1 – plano vertical para cima, 2 – plano horizontal para a esquer-
a) i1 = i2. da, 3 – plano horizontal para a direita, 4 – plano vertical para
b) i1 x R1 = - i2 × R2, com i2 no sentido antihorário. baixo e 5 – na direção +x positiva. Identifique e justifique a traje-
tória seguida pela partícula nos seguintes casos:
c) i1 x R2 = i2 × R1, com i2 no sentido horário.
a) q < 0 e B aponta para +x.
d) i1 x R1 = i2 × R2, com i2 no sentido horário. b) q < 0 e B aponta para +y.
*e) i1 x R2 = - i2 × R1, com i2 no sentido antihorário. c) q > 0 e B aponta para –z.

japizzirani@gmail.com 58
(UFPel/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: A (CEFETPI-2009.1) - ALTERNATIVA: D
A figura abaixo representa dois fios retilíneos e longos, (1) e (2), Duas partículas elétricas A e B com cargas elétricas qA = q (posi-
mostrados em corte, percorridos por correntes elétricas i1 e i2, tiva) e qB = –4q são lançadas, uma após a outra, com velocida-
perpendiculares à folha de papel. des VA = V e VB = 2V perpendicularmente a um campo magnéti-
co uniforme de intensidade B. Sabendo que a relação entre suas
massa é mB = 6mA e que cada partícula ao penetrar nesse cam-
po magnético descreve movimento circular uniforme com raios
RA e RB. A relação entre RB / RA vale:
Baseado no texto e em seus conhecimentos sobre a) 1/2
Eletromagnetismo, é correto afirmar que o campo magnético no b) 4
ponto A só poderá ser nulo se i1 e i2 forem tais que c) 2
*a) i1 < i2 e tiverem ambos o mesmo sentido. *d) 3
e) 1/3
b) i1 < i2 e tiverem sentidos opostos.
c) i1 > i2 e tiverem ambos o mesmo sentido.
(UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: D
d) i1 > i2 e tiverem sentidos opostos. Na figura abaixo, f representa um fio condutor, fino, reto e com-
e) i1 = i2 e tiverem sentidos opostos. prido, perpendicular ao plano da página, percorrido por uma cor-
rente elétrica. O símbolo no centro do fio indica que o sentido
(UFRN-2009.1) - ALTERNATIVA: D da corrente elétrica é tal que entra no plano dessa página. Os
Considerada como futura alternativa para geração de energia elé- pontos P e Q estão, respectivamente, a 20 cm e a 10 cm do fio,
trica a partir da queima de biomassa, a geração magneto- conforme indicado na figura.
hidrodinâmica utiliza um fluxo de gás ionizado (íons positivos e
elétrons), que passa com velocidade, v, através de um campo
magnético intenso, B.
A ação da força magnética desvia essas partículas para eletro-
dos metálicos distintos, gerando, entre eles, uma diferença de
potencial elétrico capaz de alimentar um circuito externo.
O esquema abaixo mostra um gerador magneto-hidrodinâmico
no qual estão identificados a direção do fluxo do gás, os pólos do
Qual do diagramas abaixo melhorl representa os campos mag-
imã gerador do campo magnético e quatro eletrodos coletores
néticos no pontos P e Q, respectivamente?
dos íons e dos elétrons.
Nessas condições, pode-se afirmar que os íons e os elétrons
são desviados, respectivamente, para os eletrodos
a) IV e II.
b) III e I.
c) II e IV.
*d) I e III.

(CEFETPI-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Sobre estudo do ELETROMAGNETISMO, destacamos:
I. Uma partícula realiza movimento circular uniforme quando a
velocidade de lançamento é perpendicular ao campo magnético
no qual foi lançada.
II. Quando o fluxo magnético varia na superfície de uma espira,
surge na espira uma corrente elétrica, denominada corrente elé-
trica induzida.
III. A unidade de fluxo magnético no SI denomina-se coulomb.
Após analisar cada proposição, podemos afirmar que:
a) apenas II está correta.
b) apenas I está correta.
*c) apenas I e II estão corretas.
d) apenas III está correta.
e) todas estão corretas.

(CEFETPI-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Um transformador foi construído com duas bobinas uma primá- *
ria com 500 espiras e uma outra secundária com 2000 espiras.
Sabendo que a voltagem na bobina primária é de 220 V e que a
corrente elétrica que atravessa a bobina primária é de 2,0A quando
a bobina secundária está ligada a um aparelho elétrico. A corren-
te elétrica que atravessa a bobina secundária é:
a) 1,5A
b) 1,0A
c) 2,0A
d) 1,2A
*e) 0,5A

japizzirani@gmail.com 59
(UFRGS-2009.1) - ALTERNATIVA: B (UCS/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: E
Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do As carências energéticas para o futuro fazem com que se bus-
enunciado abaixo, na ordem em que aparecem. quem novas soluções, inclusive exóticas, para a crescente de-
Em um certo transformador ideal alimentado por uma fonte de manda de energia. Uma delas é a chamada fazenda de meteo-
tensão elétrica de 12 V, o número de espiras no enrolamento ros.
secundário é o dobro do número de espiras existentes no Suponha que boa parte dos meteoros seja constituída por mate-
enrolamento primário. Nesse caso, a voltagem no enrolamento riais contendo ferro e imagine que sejam colocadas no espaço
secundário será .................. se a corrente for contínua e será várias bobinas condutoras com diâmetro de quilômetros. Essas
.............. se a fonte for alternada. bobinas estariam conectadas a bancos de capacitores, para que,
a) 0 V – 6V ao passar um meteoro por dentro de cada uma, houvesse gera-
*b) 0 V – 24 V ção de energia elétrica a partir da energia cinética do meteoro.
c) 12 V – 6 V Considerando as informações colocadas acima, que lei da física
d) 12 V – 24 V permite especificamente esse processo?
e) 24 V – 24 V a) Lei de Hooke
b) Lei de Coulomb
(UNIFEI/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A c) Segunda Lei da Termodinâmica
Uma espira metálica de dimensões 1,0 m e 0,6 m desloca-se em d) Terceira Lei de Newton
linha reta com velocidade constante de 12,3 m/s e atravessa uma *e) Lei de Faraday-Lenz
região de campo magnético constante, cuja intensidade é igual a
1,0 Tesla. Os movimentos possíveis dessa espira são de 1 2
3 e de 5 2 4. Neste caso, assinale a alternativa correta: (UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C
O movimento de um ímã na proximidade de uma espira condutora
faz aparecer nesta uma corrente elétrica. Podemos afirmar que a
corrente elétrica surgirá na espira:
a) apenas quando o ímã estiver se aproximando da espira.
b) apenas quando o ímã estiver se afastando da espira.
*c) durante a aproximação e durante o afastamento do ímã.
d) apenas quando o ímã passar dentro da espira.
e) apenas quando a velocidade do ímã for variada.

(UFJF/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) v = 6,0 × 106 m/s b) 1,0 T,


*a) O sentido das correntes elétricas que surgem na espira nas perpendicular a essa folha saindo dela c) O feixe de elétrons
posições 1 e 5 é igual, isto é, anti-horário. desvia-se para cima.
b) Não há fluxo magnético através da espira quando esta se en- No ano de 1897, J.J. Thomson usou o dispositivo da figura abai-
contra na posição 2. xo para medir a razão q/m, entre a carga q e a massa m do
c) Durante o deslocamento de 1 para 3, o sentido da corrente elétron. Neste dispositivo, elétrons produzidos no catodo C pas-
elétrica que surge na espira na posição 1 é o mesmo de quando sam pelas fendas nos eletrodos A e B e pela região entre as
a espira se encontra em 3. placas D e F antes de atingir a tela S, onde produzem uma man-
d) Quando a espira se encontra na posição 2, a variação do fluxo cha luminosa. Entre as placas D e F, existem um campo elétrico
magnético é de 0,6 Wb. E e um campo magnético B uniformes, perpendiculares entre si
e à direção de movimento dos elétrons. Esses campos, devida-
(UNIFEI/MG-2009.1) - RESPOSTA: B = 2,0 T; direção: perpendi- mente ajustados, permitem que um elétron passe entre as duas
cular ao planto da página; sentido: entrando na página placas sem sofrer desvio. A energia cinética e, portanto, a veloci-
Um elétron move-se com velocidade escalar constante e igual a dade dos elétrons, quando entram na região entre as placas D e
v = 25,0 m/s, na direção e no sentido positivo do eixo x. F, é determinada pela energia potencial qV, em que q é a carga
Esse elétron atravessa uma região onde há um campo elétrico E do elétron e V é a diferença de potencial entre os eletrodos A e B.
homogêneo, que tem a direção vertical e sentido de cima para
baixo, conforme mostrado na figura. Fig 26 2009 MAG

Conhecendo-se a intensidade do campo elétrico E = 50 V /m,


qual deve ser o módulo, a direção e o sentido do vetor indução
magnética B que, se aplicado a essa região, é capaz de garantir
que o elétron não seja defletido durante sua passagem através
dessa região com os campos E e B? Despreze a massa do elé-
tron. a) Considerando para a razão q/m do elétron o valor de 1,8 x 1011
C/kg, calcule a velocidade adquirida por um elétron ao passar
pelos eletrodos A e B, quando a diferença de potencial V entre
(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C eles é de 100 volts.
O espectrômetro de massa é um dispositivo usado para medir a b) Considerando que o campo elétrico devido à polarização das
massa de átomos ou moléculas. Dentro deste dispositivo, uma placas D e F tem intensidade de 6,0 x 106 N/C e sentido da placa
partícula (ionizada) com carga q é lançada com velocidade de F para a placa D, encontre o módulo, a direção e o sentido do
módulo v perpendicularmente a um campo magnético uniforme campo magnético necessário para que o elétron, com a veloci-
de módulo B e descreve uma trajetória circular. Conhecendo-se dade calculada no item anterior, não sofra desvio.
o raio r da trajetória, a massa da partícula pode ser calculada c) Mantendo constantes os valores do campo elétrico e do cam-
pela expressão: po magnético do item b, o que ocorreria com o feixe de elétrons
a) m = v (rqB) b) m = 2v qB *c) m = rqB v se a diferença de potencial entre os eletrodos A e B fosse supe-
d) m = qB 2 e) m = B v rior a 100 volts? Justifique sua resposta.

japizzirani@gmail.com 60
(UFPB-2009.1) - ALTERNATIVA: A (UFAL/AL-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Em uma espira retangular condutora, conforme figura abaixo, cir- A figura ilustra um fio condutor e uma haste metálica móvel so-
cula uma corrente i no sentido horário. bre o fio, colocados numa região de campo magnético uniforme
espacialmente (em toda a região cinza da figura), com módulo B,
direção perpendicular ao plano do fio e da haste e sentido indica-
do. Uma força de módulo F é aplicada na haste, e o módulo do
campo magnético aumenta com o tempo. De acordo com a lei de
Faraday, é correto afirmar que:

Nesse caso, a expressão para o campo magnético total no cen-


tro da espira é:
0
i
*a) B = 6 , entrando no plano da página.
L

0
i
b) B = 8 , saindo do plano da página.
L
c) B = 0.
0
i
d) B = 6 , saindo do plano da página. a) o aumento de B com o tempo tende a gerar uma corrente no
L
sentido horário, enquanto que a ação da força F tende a gerar
0
i uma corrente no sentido anti-horário.
e) B = 8 , entrando no plano da página. b) o aumento de B com o tempo tende a gerar uma corrente no
L
sentido antihorário, enquanto que a ação da força F tende a ge-
(UFPB-2009.1) - RESPOSTA: II, III e IV rar uma corrente no sentido horário.
Em um laboratório de eletricidade e magnetismo, um grupo de *c) ambos o aumento de B com o tempo e a ação da força F
estudantes analisa os efeitos produzidos pelo movimento relati- tendem a gerar uma corrente no sentido horário.
vo entre um ímã e uma espira condutora, conforme representa- d) ambos o aumento de B com o tempo e a ação da força F
ção na figura abaixo. tendem a gerar uma corrente no sentido anti-horário.
Fig 27 2009 MAG e) a ação da força F tende a gerar uma corrente no sentido horá-
rio, enquanto que o aumento de B com o tempo não tem influên-
cia sobre o sentido da corrente gerada.

(UCG/GO-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Uma espira condutora de área A está totalmente imersa em uma
região onde existe um campo magnético uniforme B, perpendi-
cular ao plano da espira. A intensidade do campo magnético va-
ria com o tempo t conforme mostra a figura a seguir, onde os
intervalos de tempo nos trechos assinalados são iguais. Pode-
mos afirmar que os módulos da força eletromotriz (fem) induzida
na espira para cada trecho estão relacionadas por:

Considerando essas informações, identifique as afirmativas que


descrevem corretamente os fenômenos a serem observados pe-
los estudantes:
I. Ao se fixar a espira e dela ser aproximado o ímã, uma corrente
induzida na espira com sentido horário é observada.
II. Ao se fixar o ímã e dele ser afastada a espira, uma corrente
induzida na espira com sentido horário será observada. *a) fem2 > fem4 = fem5 > fem1 = fem3
III. Ao se fixar a espira e dela ser afastado o ímã, uma corrente b) fem4 = fem5 > fem2 > fem1 = fem3
induzida na espira no sentido horário é observada. c) fem1 = fem3 > fem4 > fem5 > fem2
IV. Ao se fixar o ímã e dele ser aproximada a espira, uma corren- d) fem2 < fem4 = fem5 < fem3 > fem1
te induzida no sentido anti-horário será observada.
V. Para induzir uma corrente na espira, é suficiente que um fluxo
(UECE-2009.1) - ALTERNATIVA: C
de linhas de indução de campo magnético atravesse essa espira.
Em um acelerador de partículas, três partículas K, L, e M, de alta
(UFAL/AL-2009.1) - ALTERNATIVA: A energia, penetram em uma região onde existe somente um cam-
Uma carga puntiforme, inicialmente em movimento retilíneo, in- po magnético uniforme B, movendo-se perpendicularmente a esse
gressa numa região de campo magnético uniforme com a mes- campo. A figura a seguir mostra as trajetórias dessas partículas
ma direção da sua velocidade inicial, porém com sentido oposto (sendo a direção do campo B perpendicular ao plano do papel,
ao desta. Considerando apenas a ação do campo magnético so- saindo da folha).
bre tal carga, pode-se afirmar que a velocidade da carga: Com relação às cargas das partículas podemos afirmar, correta-
*a) não mudará nem o módulo, nem a direção e nem o sentido. mente, que
b) não mudará nem a direção e nem o sentido, mas aumentará o a) as de K, L e M são positivas.
módulo. b) as de K e M são positivas.
c) não mudará nem a direção e nem o sentido, mas diminuirá o *c) somente a de M é positiva.
módulo. d) somente a de K é positiva.
d) não mudará nem o módulo e nem o sentido, mas modificará a
direção.
e) não mudará o módulo, mas modificará a direção e o sentido.

japizzirani@gmail.com 61
(UFBA-2009.1) - RESOLUÇÃO NO FINAL (UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 31 (01+02+04+08+16)
Uma haste de cobre com 10,0 cm de comprimento e massa igual Uma partícula com carga elétrica q é lançada em uma região do
a 3,0 g pode deslizar livremente entre dois trilhos metálicos ver- espaço onde existe um campo magnético uniforme B. Por causa
ticais fixos. O conjunto é posto entre os pólos de um imã que do campo magnético, a força FB que age sobre a partícula é
produz um campo magnético considerado uniforme, de intensi- dada, em módulo, por FB = q.v.B.sen , onde é o ângulo forma-
dade igual a 0,1 Wb/m2. Uma bateria faz circular uma corrente
do entre os vetores v e B. A direção do vetor FB é determinada
através da haste de cobre, de acordo com o indicado na figura.
mediante a "regra da mão direita". Sobre este evento físico, assi-
Fig 28 2009 MAG nale o que for correto.
01) FB sempre é perpendicular ao plano determinado pelos vetores
v e B.
02) O sentido do vetor FB depende do sinal da carga elétrica q da
partícula.
04) Quando a partícula se move na mesma direção de B, o cam-
po magnético não exerce força sobre ela.
08) FB não realiza trabalho sobre a partícula.
Com base nessas informações, FB
• identifique as forças que atuam na haste quando ela está em 16) O módulo do vetor B é dado por B = .
q.v.sen
movimento e explique por que essas forças ocorrem;
• calcule a corrente que faz com que a haste fique suspensa e
(UFCG/PB-2009.1) - ALTERNATIVA: D(Veja observação no final)
parada em um local onde o módulo da aceleração da gravidade é
Parte de um dispositivo detector de ondas eletromagnéticas con-
igual a 10,0m/s2.
siste em uma bobina circular de N espiras e raio médio R0. Loca-
lizada numa região em que o campo magnético é perpendicular
RESOLUÇÃO UFBA-2009.1:
ao seu plano e vale B = B0sen( 0t), onde B0 é o valor máximo
Quando a haste está em movimento, três forças atuam sobre
ela: a força peso, uma força magnética relacionada à corrente atingido pelo campo, 0 a frequência angular de oscilação do
imposta pela bateria e uma força relacionada à variação do fluxo campo e t a variável tempo, gera-se na bobina uma força
magnético. eletromotriz induzida (observe a figura). O campo magnético B
O movimento da haste faz variar o fluxo do campo magnético na é perpendicular à página e, no intervalo de tempo considerado,
região entre a haste e os trilhos. está dirigido para os olhos do/a leitor/a.
Assim, de acordo com a lei de Faraday-Lenz, surge uma corren-
te induzida na haste que, interagindo com o campo existente, faz
surgir uma força que se opõe à variação do fluxo, isso é, se opõe
ao movimento da haste.
O módulo da força magnética é dado por: Fm = i. .Bsen , em
que i é a corrente que circula, o comprimento da haste, B o
campo magnético entre os pólos do imã e o ângulo entre a
direção da corrente e o campo B.
Nesse caso B i, logo sen = 1.
O diagrama das forças sobre a haste quando esta se desloca Pode-se afirmar que o sentido da corrente elétrica que circula
para baixo é pela bobina e o valor de em consequência da variação de B
durante o intervalo de tempo de t = 0 a t = 2 0 são
a) sentido horário; N B0R02.
b) sentido anti-horário; 2 N 0B0R02.
Fi : força produzida pela corrente induzida c) sentido anti-horário; 2 N 0 (B0R02).
Fm: força devido à corrente imposta pela bateria *d) sentido horário; 2 N 0B0R02.
e) a corrente induzida na bobina é nula, pois o campo B não é
estático.
Na situação em que a haste fica suspensa e parada, a força Fi é OBS.: O valor da força eletromotriz 2 N B R2
0 0 0
(alternativa D) é
nula e a força magnética Fm equilibra a força peso, tal que um valor médio no intervalo de tempo de t = 0 a t = 2 0.
i. .B = mg , portanto , i = 3,0 A O módulo da força eletromotriz em função do tempo é dada por:
| | = 0B0cos( 0t).

(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 19 (01+02+16) (UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D


Sobre fenômenos relacionados a campos magnéticos e indução Num solenóide longo é aplicada uma corrente alternada de 60
eletromagnética, assinale o que for correto. Hz. Após análise do campo magnético e do campo elétrico no
01) O polo sul geográfico terrestre corresponde ao polo norte interior desse solenóide, é CORRETO afirmar que
magnético. a) o campo elétrico tem linhas de campo paralelas ao eixo do
02) O movimento de cargas elétricas origina campos magnéti- solenóide e o campo magnético tem linhas circulares ao longo
cos. dele.
04) Todos os ímãs apresentam dois polos magnéticos, mas exis- b) o campo magnético tem linhas de campo circulares ao longo
tem polos magnéticos isolados na natureza. do solenóide, que se alternam com as do campo elétrico, que
08) Quando uma espira fechada é atravessada por um fluxo são paralelas ao eixo, a cada 30 Hz da condução da corrente.
magnético constante, surge na espira uma corrente elétrica c) o campo magnético tem linhas de campo paralelas ao longo
induzida. do eixo do solenóide, que se alternam com as do campo elétrico,
16) O sentido da corrente induzida em uma espira fechada pro- que são circulares, a cada 30 Hz da condução da corrente.
duz um fluxo magnético que se opõe à variação do fluxo magnéti- *d) o campo magnético tem linhas de campo paralelas ao eixo do
co que lhe deu origem. solenóide e o campo elétrico tem linhas circulares ao longo dele.

japizzirani@gmail.com 62
(UFCG/PB-2009.1) - ALTERNATIVA: E (UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C
A razão carga/massa (e/m) para um elétron foi calculada pela Calcule o campo magnético no centro de uma espira circular com
primeira vez por J.J. Thomson em 1897 durante seus estudos a corrente i = 10 A e raio r = 1,0 cm.
sobre os raios catódicos. Essa razão pode ser calculada utilizan- a) 4 × 10–2 Weber/m2.
do-se o experimento esquematizado na figura. b) 8 × 10–4 Weber/m2. Dado o = 4 × 10–7 Weber/A m.
*c) 2 × 10–4 Weber/m2.
d) 3 × 10–6 Weber/m2.

(UNICENTRO/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Um pequeno circuito elétrico, alimentado por uma pilha, é mon-
tado sobre uma mesa horizontal. Uma bússola é posicionada ho-
rizontalmente acima de um trecho retilíneo desse circuito, de for-
ma que, quando o circuito é ligado por uma chave (C), a corrente
elétrica que nele circula cria, no ponto onde se localiza a bússo-
la, um campo magnético de módulo igual ao do campo magnéti-
co terrestre.
Esta figura representa a situação em que o circuito está desliga-
do e a bússola está orientada sob a influência apenas do campo
magnético terrestre.
Nesse experimento, um feixe de elétrons é acelerado através de
uma diferença de potencial V e depois é submetido a um cam-
po magnético uniforme B perpendicular à direção da velocidade
do feixe de elétrons (na figura, penetrando no plano do papel ).
O campo magnético deflete o feixe eletrônico em um caminho
circular de raio r. Com base no texto acima, a razão carga/massa
é dada por:
B ( V)2
a)
r

2 V
b)
r É CORRETO concluir que, após a chave C ser ligada, a orienta-
ção da agulha magnética da bússola está melhor representada
2 V na alternativa
c)
Br

d) 2 V a) *b) c)
Br

2 V
*e)
(Br)2

(UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A d) e)
Um solenóide longo, cuja seção reta possui área de 4,0 × 10–4
m2, é enrolado com 600 espiras por metro, e a corrente em seu
enrolamento está crescendo a uma taxa igual a 125 A/s. O
solenóide passa por dentro de uma espira de raio r = 2,0 cm, que
está conectada a um galvanômetro G (veja as figuras).
Fig 32 2009 MAG (UESPI/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: D
A figura ilustra uma carga elétrica puntiforme +q que penetra com
velocidade de módulo v numa região de campo magnético uni-
forme de módulo B e sentido e direção indicados. Tal região é
mostrada em cinza na figura. Sabe-se que o vetor velocidade é
perpendicular ao vetor campo magnético. Assinale a alternativa
que indica a trajetória da carga (indicada pelas linhas tracejadas)
durante o seu movimento na região onde atua o campo magnéti-
co.
a) 1
Dado: b) 2
Permeabilidade magnética no
c) 3
vácuo: 0 =4 × 10–7 (Wb/A.m) *d) 4
e) 5
O módulo da força eletromotriz e do campo elétrico induzidos
nessa espira valem, respectivamente,
*a) 12 × 10–6 V e 3 × 10–4 (V/m).
b) 12 × 10–5 V e 3 × 10–3 (V/m).
c) 16 × 10–6 V e 4 × 10–4 (V/m).
d) 16 × 10–5 V e 4 × 10–3 (V/m).

japizzirani@gmail.com 63
(UESPI/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: C (UFES-2009.1) - ALTERNATIVA: A
A figura ilustra um fio metálico bem fino, retilíneo e infinito, per- Devido à ação de um campo magnético uniforme B, elétrons de
corrido por uma corrente elétrica de valor constante i. O sistema massa m realizam uma trajetória circular de raio R . Consideran-
encontra-se no vácuo, onde a permeabilidade mag- do que a velocidade desses elétrons é 0,99c , calcule a freqüên-
nética é denotada por 0. Para tal situação, assinale cia de rotação desses elétrons. A resposta CORRETA é
a alternativa que apresenta o valor correto do módulo eB
do campo magnético gerado por tal corrente, em *a) f =
2 m
função da distância r ao fio. eB
a) zero b) f =
m
b) 0i (2r) 2 m
c) f =
*c) 0i (2 r) eB
d) 0i (2r2) d) f = eB
2 R
e) 0i (2 r2) 2 R
e) f =
eB
(UESPI/PI-2009.1) - ALTERNATIVA: D
Ao aproximarmos um ímã de um anel metálico, notamos que (UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA OFICIAL: C
uma corrente elétrica se estabelece no anel enquanto houver Assinale a alternativa correta.
movimento relativo entre eles. a) O polo norte de um ímã atrai o polo norte de outro ímã.
Esse fenômeno físico é descrito pela lei de b) Se serrarmos transversalmente um ímã, cada parte obtida será
a) Biot-Savart. constituída de um polo somente.
b) Maxwel. *c) O polo sul da agulha magnética de uma bússola é a extremi-
c) Ampère. dade da agulha que aponta, aproximadamente, para o polo norte
*d) Faraday. geográfico da Terra.
e) Ampère-Maxwell. d) Ao aproximarmos um ímã de um prego de ferro, o prego não
se magnetiza e não é atraído pelo ímã.
e) Ao aproximarmos dois pregos de ferro não magnetizados eles
(UEMG-2009.1) - ALTERNATIVA: B
vão se magnetizar mutuamente e repelir-se.
Considere as seguintes situações:
Situação 1: uma carga elétrica em repouso.
Situação 2: um fio percorrido por corrente elétrica. (UFG/GO-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Assinale, abaixo, a alternativa que completa CORRETAMENTE Em uma excursão acadêmica, um aluno levou uma lanterna com
o seguinte enunciado: uma bússola acoplada. Em várias posições durante o dia, ele
Segundo cada situação descrita, há produção de um campo observou que a bússola mantinha sempre uma única orientação,
magnético ................................. perpendicular à direção seguida pelo Sol. À noite, estando a bús-
a) apenas na situação 1. sola sobre uma mesa e próxima de um fio perpendicular a ela,
*b) apenas na situação 2. notou que a bússola mudou sua orientação, no momento em que
c) nas situações 1 e 2. foi ligado um gerador de corrente contínua.
d) em nenhuma das duas situações. A orientação inicial da agulha da bússola é a mostrada na figura
a seguir, onde a seta preenchida indica o sentido do campo mag-
nético da Terra.
(UFES-2009.1) - RESPOSTA: a) i = m.g.tan /(B.L) (entrando na
página) b) v = m.g.R.sen (B.L.cos2 )
Uma barra metálica de massa m e comprimento L pode se des-
locar, sem atrito, sobre dois trilhos paralelos separados também
por uma distância L . Os trilhos estão presos em um plano incli-
nado isolante que faz um ângulo com a horizontal. Os trilhos
são ligados por uma resistência elétrica R . O conjunto está sub-
metido a um campo de indução magnética vertical uniforme B,
como mostra a figura abaixo. A barra, inicialmente em repouso, é
abandonada. Ao ligar o gerador, a corrente sobe o fio (saindo do plano da
ilustração). Assim, a orientação da bússola passará a ser a se-
guinte:

*a) b) c)

a) Considerando que os trilhos sejam isolantes e que a barra d) e)


esteja ligada a uma bateria, de forma que uma corrente elétrica
passe por ela, determine o valor e o sentido dessa corrente elé-
trica para que a barra permaneça em repouso.
b) Agora, considerando que os trilhos sejam condutores ideais e
que a barra não esteja ligada a uma bateria, calcule a velocidade
máxima atingida pela barra.

japizzirani@gmail.com 64
(UFMG-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL
Em um Laboratório de Física, um estudante puxa uma espira
condutora, quadrada, sobre uma superfície horizontal, onde há
um campo magnético B, uniforme e perpendicular ao plano da
espira, como representado nesta figura:

A espira, cujo lado mede L, move-se para a direita, sobre a su-


perfície, paralelamente ao eixo x e com velocidade constante,
através do campo magnético, representado pelo símbolo .
Na figura, também está indicado o ponto P, localizado no lado
direito da espira.
Considerando essas informações, ESBOCE, no gráfico abaixo,
a corrente elétrica na espira em função da posição x do ponto P,
desde x = 0 até x = 5L. JUSTIFIQUE sua resposta.

RESPOSTA UFMG-2009.1:

japizzirani@gmail.com 65
VESTIBULARES 2009.2 (UNEMAT/MT-2009.2) - ALTERNATIVA: B
Um avião metálico, com as asas medindo 15 metros de compri-
mento entre as suas extremidades, voa horizontalmente em rela-
(IFSP-2009.2) - ALTERNATIVA: A ção a terra com velocidade de 720 km/h, em uma região na qual
São feitas as seguintes afirmações acerca de fenômenos elétri- o componente vertical do campo magnético terrestre vale B =
cos e magnéticos: 4×10–5 T.
I. A corrente elétrica nos condutores sólidos se deve ao movi- A diferença de potencial (ddp) que surge entre as extremidades
mento contínuo de cargas positivas. das asas do avião é:
II. Friccionando-se dois materiais, eles adquirem cargas elétri- a) 0,15V
cas de sinais opostos. *b) 0,12 V
III. Seccionando-se um ímã ao meio, obtêm-se pólos magnéti- c) 1,2 V
cos separados. d) 1,5 V
IV. Cargas elétricas em movimento produzem um campo mag- e) 12 V
nético.
Das afirmativas anteriores, estão corretas
(IFGO/CEFETGO-2009.2) - ALTERNATIVA: D
*a) apenas a II e a IV.
b) a I, a II e a III.
Os Cegos do Castelo
c) apenas a II e a III.
(Titãs)
d) apenas a I e a II.
“Eu não quero mais mentir
e) apenas a I e a III.
Usar espinhos que só causam dor
Eu não enxergo mais o inferno que me atraiu
(UFG/GO-2009.2) - ALTERNATIVA: E Dos cegos do castelo me despeço e vou
No Large Hadron Collider (LHC), que entrou em operação no A pé até encontrar...”
mês de agosto de 2008 no laboratório CERN, na Europa, um
feixe de prótons de alta energia é confinado ao movimento circu- Atração lembra ímãs, que lembram campos magnéticos. Sobre
lar em uma órbita de 26,7 km de comprimento. Neste anel, um eles, assinale a alternativa correta.
próton realiza 11200 voltas por segundo. Qual é a magnitude da a) Sempre que surge uma força magnética F sobre uma partícu-
velocidade escalar média (em m/s) do próton nesse anel e qual é la eletrizada que se move com velocidade v, dentro de um campo
a grandeza física que confere ao próton o movimento circular? magnético B, a força F sempre é perpendicular a v e paralela a B.
a) 1,8540 × 109 e um campo magnético. b) A condição para que uma partícula eletrizada atravesse uma
b) 2,9904 × 108 e um campo elétrico. região onde exista, simultaneamente, um campo magnético B,
perpendicular a um campo elétrico E, sem mudar a sua direção,
c) 2,9904 × 107 e um campo magnético. é B = E.
d) 1,8540 × 109 e um campo elétrico. c) A força magnética que surge sobre um fio perpendicular ao
*e) 2,9904 × 108 e um campo magnético. campo magnético da figura a seguir, que seja percorrido por uma
corrente elétrica saindo da folha se dá em sentido descendente.

(UFG/GO-2009.2) - ALTERNATIVA: C
O transformador ilustrado na figura a seguir é um equipamento
constituído de dois enrolamentos de fios condutores acoplados
magneticamente de tal forma que o fluxo magnético produzido
pela bobina primária passa pelo interior da bobina secundária.
Muitos eletrodomésticos fabricados atualmente operam em duas
voltagens, indeferente se o fornecimento é de 110 V ou 220 V, e,
para isso, possuem um transformador interno que converte a ten-
são aplicada no primário para a voltagem de trabalho. Em um *d) Dois fios longos e paralelos são percorridos por correntes
certo transformador ideal, uma tensão Vp é aplicada no primário elétricas. Se aparece força de repulsão entre os dois fios é por-
que as correntes têm sentidos opostos.
de 600 espiras que gera uma tensão Vs na bobina secundária de e) Só aparece uma corrente induzida em um circuito quando o
300 espiras. número de linhas do campo magnético que atravessa a área li-
mitada por este circuito aumenta.

(UFOP/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B
Uma bobina de fio condutor está nas vizinhanças de um ímã, em
repouso, como é mostrado na figura abaixo.

A grandeza física que é a mesma tanto em uma espira da bobina


primária quanto em uma espira da bobina secundária e a razão
entre as voltagens Vp e Vs são, respectivamente, Após a chave C ser fechada, pode-se afirmar:
a) o campo magnético e 1/2. a) O campo magnético no interior da bobina está orientado de D
b) a corrente elétrica e 2. para E.
*c) o fluxo magnético e 2. *b) O ímã será repelido pela espira de fio condutor.
d) o campo elétrico e 1/2. c) O ímã será atraído pela espira de fio condutor.
e) a potência e 1/2. d) Haverá a inversão dos pólos no ímã.

japizzirani@gmail.com 66
(VUNESP/UNICID-2009.2) - ALTERNATIVA: D (UFG/GO-2009.2) - RESOLUÇÃO NO FINAL
O fluxo de eletricidade através do fio condutor que envolve o cor- Para medir o número de portadores de carga por unidade de
po de um eletroímã é capaz de gerar neste um campo magnéti- volume n de um material, realiza-se o seguinte experimento: por
co, que pode ter diferentes aplicações tecnológicas. uma fita do material, de largura L e espessura h, de área trans-
De modo inverso, nos transdutores, obtém-se corrente elétrica a versal A = L.h, estabelece-se uma corrente I = q.n.A.v, em segui-
partir da oscilação do campo magnético. Com respeito aos fenô- da aplica-se um campo magnético uniforme B, perpendicular à
menos elétricos e magnéticos presenciados em fios, espiras, bo- face maior, conforme ilustrado na figura. Após a aplicação do
binas ou solenóides, é verdadeiro entender que campo magnético, mede-se uma diferença de potencial VH entre
a) solenóides terão campos magnéticos mais intensos quanto
as extremidades a e b da fita.
maior for o seu comprimento.
b) uma forma de minimizar o campo magnético no interior de um
solenóide é inserir em seu interior um corpo de alta permeabilidade
magnética.
c) para que o campo magnético no interior de uma espira circular
seja consideravelmente intenso, é preciso que a espira possua
um raio de grande dimensão.
*d) a bobina chata ou plana equivale à sobreposição de N espiras,
de tal forma que quanto maior for o número de espiras, maior a
intensidade do campo magnético no centro da bobina.
e) o campo obtido pela passagem de corrente elétrica no interior
de espiras é conhecido como campo elétrico e é este campo o
responsável direto pelos efeitos magnéticos obtidos.

(VUNESP/UNICID-2009.2) - ALTERNATIVA: C
Quatro ímãs em forma de barra, semelhantes, são colados so-
bre uma superfície plana e horizontal, formando uma cruz perfei-
tamente simétrica, onde P, é o centro.

a) Calcule o campo elétrico entre os extremos a e b da fita, quan-


do as cargas não são mais defletidas pelo campo magnético, ou
seja, no regime estacionário.
b) Calcule a diferença de potencial VH entre as duas extremida-
des da fita no regime estacionário.
Um quinto ímã, semelhante aos quatro primeiros, é colocado no c) Determine uma expressão para a diferença de potencial VH
interior da cruz:
em função da corrente elétrica, identifique os termos que multi-
plicam a corrente como uma resistência RH e escreva separada-
mente essa expressão.

RESOLUÇÃO UFG/GO-2009.2:
a) F = FM q.E = q.v.B E = v.B
e

b) VH = E.L VH = v.B.L
Admitindo-se a liberdade de movimento sem a existência de atri-
to para o quinto imã, espera-se que, após algum tempo, a confi-
guração dos cinco imãs seja: c) Como VH = v.B.L e I = e.n.A.v v = I/(e.n.A)
Logo VH = [B.L/(e.n.A)].I = RH.I ,
e a resistência Hall RH = B.L/(e.n.A)
a) d)
(UNMONTES/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B
Duas barras condutoras são unidas pelas extremidades, forman-
do um ângulo reto. Uma terceira barra condutora é colocada em
contado com as duas primeiras, a partir da extremidade que as
une, no tempo t = 0, e, imediatamente, passa a se mover para a
direita, com velocidade constante, de módulo 5,2 m/s (veja a fi-
gura). No local, existe um campo magnético constante e unifor-
b) e) me, apontando para fora da página, de módulo 0,350 Tesla. O
módulo da força eletromotriz média, em torno do triângulo forma-
do pelas barras, entre t = 0 e t = 3s, é igual a, aproximadamente,
a) 45,8 Volts.
*b) 28,4 Volts.
c) 26,8 Volts.
d) 56,5 Volts.
*c)

japizzirani@gmail.com 67
(UNIMONTES/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: C (IFMG/CEFETMG-2009.2) - ALTERNATIVA: D
Considere as seguintes situações: Em relação à teoria de Maxwell que previu a existência das on-
I - Elétrons de condução movimentam-se num fio condutor, no das eletromagnéticas, é INCORRETO afirmar que
qual foi estabelecida uma corrente contínua de grande valor. a) a variação temporal de um campo elétrico produz um campo
II - Elétrons em movimento circular uniforme, no interior de um magnético induzido.
acelerador de partículas. b) a variação temporal de um campo magnético faz aparecer um
III - Elétrons em movimento, a partir do repouso, numa região campo elétrico induzido.
onde existe um campo elétrico uniforme, de grande intensidade. c) a velocidade de propagação da luz e de outras ondas eletro-
Os elétrons estarão emitindo radiação eletromagnética nas situ- magnéticas em um mesmo meio são iguais.
ações descritas em *d) a propagação dessas ondas no vácuo são longitudinais em
a) I e III, apenas. b) I e II, apenas. relação aos campos elétrico e magnético.
*c) II e III, apenas. d) I, II e III. e) a velocidade dessas ondas e os campos elétrico e magnético
são perpendiculares entre si no vácuo.
(UNIMONTES/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B
O gráfico apresenta a variação do fluxo magnético através de
uma bobina, com o tempo. A bobina constitui um circuito fecha- (UNIFAL/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: B
do, com resistência R = 10 . O valor da corrente elétrica na Três partículas de mesma massa, ao passarem por uma região
bobina, entre t = 0,3 s e t = 0,4 s, é onde existe campo magnético, seguem as trajetórias mostradas
a) zero. na figura abaixo. A alternativa que representa CORRETAMENTE
*b) 4,0 A. os valores das cargas (q1, q2 e q3) e dos módulos das velocida-
c) 3,0 A. des (v1, v2 e v3) dessas partículas é:
d) 2,0 A. a) q1 = q2 e v1 > v2
*b) q2 = - q3 e v2 = v3
c) q1 = - q3 e v1 = v3
d) q1 = q3 e v1 < v3

(PUCRS-2009.2) - ALTERNATIVA: D
A figura mostra o esquema de um tubo de TV, em que a direção
do movimento de um feixe de elétrons, lançados com velocida-
de v, é controlada por meio de um campo elétrico E e de um
campo magnético B, de modo que os elétrons atinjam o anteparo
na região desejada.
(UCS/RS-2009.2) - ALTERNATIVA: D
Para impressionar os amigos, um menino coloca ímãs na sola
dos próprios tênis e diz que pulará o pequeno portão de aço da
sua casa sem ficar grudado. Os amigos duvidam disso. Mas o
que apenas o menino sabe é que o antigo portão de aço havia
sido trocado naquele dia por um outro de cobre, material que não
é atraído por ímãs, segundo o que o próprio menino constatou
horas antes, encostando os ímãs nesse portão e vendo que eles
não grudavam. O menino, então, corre e salta. Mas, no ar, sente
uma força sobre seu tênis, que acaba por fazê-lo perder o equilí-
brio no ar e cair dentro de uma poça de barro. O que aconteceu?
a) O menino não sabia que materiais como o cobre ficam mais
magnéticos quando recebem calor, como o do Sol.
b) A corrida fez com que o menino acumulasse mais cargas polo
norte do que cargas polo sul no tênis.
c) A corrida fez com que o menino acumulasse mais cargas polo
sul do que cargas polo norte no tênis.
Supondo que a direção inicial do feixe seja horizontal, conforme *d) Os ímãs foram freados pelos campos magnéticos das cor-
indicado pela linha pontilhada na figura, ao passar pelos campos rentes elétricas induzidas no cobre.
elétrico e magnético, os elétrons e) Uma quantidade grande de elétrons foi liberada do cobre para
a) serão desviados para a região 1 do anteparo. o par de tênis, tornando-o mais pesado.
b) serão desviados para a região 2 do anteparo.
c) serão desviados para a região 3 do anteparo.
*d) serão desviados para a região 4 do anteparo. (VUNESP/UFTM-2009.2) - ALTERNATIVA: D
e) não serão desviados, atingindo o centro do anteparo. “O coletor, ou placa solar, de um aquecedor solar de água deve
estar posicionado em direção ao Norte geográfico…”
(UTFPR-2009.2) - ALTERNATIVA: E I. O Norte geográfico é a mesma região da calota do globo em
Analise as seguintes afirmações: que se localiza o polo Norte magnético do planeta.
I) O magnetismo terrestre é atribuído a movimentos de parte do II. O polo Norte magnético de uma bússola aponta para a região
núcleo da Terra. do globo em que se encontra o Norte geográfico do planeta.
II) Se a agulha magnética aponta para uma região próxima ao III. O painel solar deve ser posicionado de forma que sua face
pólo norte geográfico é porque nessa região existe um pólo sul coletora aponte para a mesma região em que se encontra o polo
magnético. Sul magnético do planeta.
III) Pelo processo de imantação por atrito, podemos imantar agu- Está correto o contido em
lhas de costura, tesouras, lâminas de barbear, pregos e chaves a) I, apenas.
de fenda. b) II, apenas.
É correto o que se afirma em: c) I e III, apenas.
A) I apenas. B) II apenas. C) I e II apenas. *d) II e III, apenas.
D) II e III apenas. *E) I, II e III. e) I, II e III.

japizzirani@gmail.com 68
(IFMG/EAFI-2009.2) - ALTERNATIVA: B (UDESC-2009.2) - RESPOSTA NO FINAL
Acerca do planeta Terra, seus polos, sejam geográficos ou mag- A força eletromotriz induzida (FEM) em uma espira de raio 20,0
néticos, podemos afirmar, exceto: cm varia com o tempo, como mostra o gráfico abaixo. O campo
a) A Terra pode ser considerada um grande ímã. magnético que atua sobre a espira é uniforme e perpendicular ao
*b) O polo norte geográfico é o polo norte magnético. plano da espira. Considere = 3,0.
c) O polo sul magnético é o polo norte geográfico.
d) A bússola se orienta no planeta Terra por possuir um campo
magnético.
e) Uma bússola, funcionando corretamente, sempre aponta na
direção norte-sul do planeta sendo que a ponta da seta indica o
polo sul magnético que é o norte geográfico.

(UDESC-2009.2) - RESPOSTA: a) 0,12 N, vertical para baixo


b) 2,8 cm c) esticada
Um fio condutor de 30 cm de comprimento está suspenso hori-
zontalmente por meio de uma mola elástica, dentro de um cam-
po magnético igual a 0,20 T, conforme ilustra figura abaixo. Con-
sidere g = 10 m/s2. a) Construa o gráfico do fluxo magnético em função do tempo.
b) Construa o gráfico da variação do campo magnético em fun-
ção do tempo.
c) O que ocorreria com a FEM induzida, caso a espira fosse
trocada por uma bobina com n espiras semelhantes a do proble-
ma?
RESPOSTA UDESC-2009.2:
a)

a) Fazendo-se percorrer no fio uma corrente elétrica de 2,0 A,


dirigida de C para D, determine o módulo, a direção e o sentido
da força magnética que atuará sobre o fio.
b) Sabendo-se que o fio possui massa igual a 50 g e que a cons-
tante elástica da mola vale 20 N/m, calcule a deformação da mola
após o fio ser fixado a ela e este ser percorrido por uma corrente
elétrica de 1,0 A.
b)
c) Invertendo-se o sentido do campo magnético e da corrente
elétrica no fio, a mola será esticada ou comprimida? Explique.
41,7
(UDESC-2009.2) - RESPOSTA: a) negativa b) B = 3,56×108m/q
tesla c) o mesmo (desde que seja a mesma partícula)
Na figura abaixo, uma partícula carregada move-se para dentro 0
de uma região de campo magnético uniforme B, descreve um
semicírculo e depois sai dessa região. O campo magnético é
perpendicular ao plano da página e orientado para dentro deste
plano. A partícula passa 9,0 . 10–9 s no interior da região. Consi- -41,7
dere = 3,2.
c) Passaria a ser n vezes maior.

(UNESP-2009.2) - RESPOSTA: 20 esp./metro e sentido ( )


Um professor deseja construir um eletroímã que seja capaz de
gerar um campo magnético B de intensidade 12 × 10–3 T.
Para isso, enrola um fio de cobre em torno de um cilindro de
ferro, como indica a figura.
a) A carga da partícula é positiva ou negativa?
b) Determine a intensidade do campo magnético.
c) A partícula move-se para dentro do campo magnético, mas
com o dobro da energia cinética anterior. Quanto tempo ela pas-
sará no interior da região do campo magnético?

(UEG/GO-2009.2) - RESPOSTA: a) gravitacional e elétrico Sabendo que a expressão para determinação da intensidade do
b) gravitacional, elétrico e magnético e são campos vetoriais campo magnético é B = .i.N/L, que a permeabilidade magnética
Sobre os conceitos de campos escalares e campos vetoriais, do ferro é = 3 x 10–4 T.m/A e que a intensidade de corrente i que
responda ao que se pede. percorrerá o fio será de 2,0 A, determine N/L, número de espiras
a) Um objeto de massa m e carga q em repouso, gera qual(ais) por metro de solenoide. Admitindo que a corrente elétrica circule
campo(s)? Justifique. em torno do cilindro de ferro como indicado na figura, refaça, no
b) Um objeto de massa m e carga q em movimento, gera qual(ais) caderno de respostas, o desenho do eletroímã, nele indicando o
campo(s)? Esse(s) campo(s) é(são) vetorial(ais) ou escalar(es)? sentido do campo magnético gerado.

japizzirani@gmail.com 69
(UFMS-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 007 (001+002+004) (VUNESP/UFTM-2009.2) - RESPOSTA: a) horário
Um fio condutor fino, longo e retilíneo está perpendicular à pági- b) F1 / F2 = 5/2
na, e um circuito pode controlar a intensidade da corrente elétri- A figura mostra uma mesma espira retangular, ACDE, de massa
ca i que circula no fio e até mesmo trocar seu sentido, saindo da desprezível, parcialmente imersa de duas maneiras diferentes,
página ou entrando nela. O ponteiro de uma bússola está parale- em um campo de indução magnética B, com direção perpendi-
lo ao plano da página com o seu eixo de rotação perpendicular a cular ao plano que contém a espira e com sentido para dentro
esse plano e corta a reta que une o centro do fio e o eixo do dele.
ponteiro. Quando a corrente elétrica que passa pelo fio é nula, a Nas duas situações, um mesmo gerador G, também de massa
direção do ponteiro da bússola coincide com essa reta que tam- desprezível, mantém uma corrente elétrica contínua de mesma
bém é coincidente com a direção norte-sul magnético da Terra. intensidade circulando pela espira, de modo a mantê-la em re-
O ângulo indica a direção do ponteiro da bússula e é medido pouso sob ação das forças F1 e F2 e de forças magnéticas.
no sentido anti-horário. Considere que a direção norte-sul geo-
gráfico coincide com a direção norte-sul magnético da Terra e,
desprezando outras interações eletromagnéticas que não sejam
as do campo magnético da Terra e as do campo magnético pro-
duzido pela corrente elétrica que circula pelo fio, assinale a(s)
afirmação(ões) correta(s).

(001) Quando o ângulo for igual a /4, o campo magnético


produzido pela corrente elétrica i que circula no fio é igual ao
campo magnético produzido pela Terra no centro do ponteiro.
(002) Se o ângulo 0 < < /2, significa que o campo magnético,
resultante no centro do ponteiro da bússola, é maior que o cam-
po magnético produzido pela Terra no centro do ponteiro.
(004) Se o ângulo 0 < < /2, a corrente elétrica i que circula no
fio está saindo do plano da página.
(008) Se o ângulo 0 < < /2, significa que o campo magnético,
produzido pela corrente elétrica na bússola, é sempre maior que
o campo magnético produzido pela Terra na bússola.
(016) Existe uma intensidade de corrente elétrica i no fio que fará
o ângulo ficar maior que /2.

(UFU/MG-2009.2) - RESPOSTA: a) 1,5 m b) 8×10–6 T, perpendi-


cular ao plano do papel entrando no plano c) 36 W
Dois pedaços de fios retilíneos, Fio 1 e Fio 2, de mesmos mate-
riais e comprimentos, estão conectados a duas barras condutoras
ligadas a uma d.d.p. VA - VB = 6V, e separadas por 0,10 m, con- a) Qual o sentido (horário ou anti-horário) em que a corrente deve
forme a figura. circular pela espira nas duas situações, para que seja possível
mantê-la em repouso sob ação das forças citadas? Justifique
sua resposta.
b) Determine a razão F2 / F1 entre as intensidades das forças F1
e F2, para que a espira permaneça em repouso nas duas situa-
ções.

A resistividade elétrica do material de que são feitos os fios vale (UECE-2009.2) - ALTERNATIVA: D
= 2 × 10–7 .m e a área da seção reta do Fio 1 é 2 × 10–7 m2. Em uma região onde existe um campo magnético uniforme B ,
desloca-se uma tira de cobre retangular, com velocidade v , con-
A corrente elétrica que percorre o Fio 1 é i1 = 4 A e a resistência
forme a figura.
elétrica do Fio 2 é R2 = 3 . A presença deste campo promoverá um acúmulo de cargas
Dado: 0 = 4 × 10–7 T.m/A (Observação: Considere a espessura desprezível em relação às
Nessas condições, determine: outras dimensões da tira.)
a) O comprimento de cada fio (Fio 1 ou Fio 2). a) negativas, em ambos os lados da fita.
b) O módulo, a direção e o sentido do campo magnético que b) positivas, no lado II da fita.
atuam no Fio 2. c) negativas, no lado I da fita.
c) A potência total dissipada na associação dos Fios 1 e 2. *d) negativas, no lado II da fita.

(UECE-2009.2) - ALTERNATIVA: C
Dois íons, H+ e O–2, se deslocam em direção perpendicular a um
mesmo campo magnético uniforme. Se os dois íons sofrem a
ação de forças com mesmo módulo, a razão vH+ vO–2 entre os
módulos das velocidades é
a) 1/2. b) 1. *c) 2. d) 4.

japizzirani@gmail.com 70
(UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 17 (01+16) (IFCE/CEFETCE-2009.2) - ALTERNATIVA: C
Em 2008, entrou em fase de testes, no Centro Europeu de Pes- O funcionamento de um transformador elétrico se deve ao fato
quisas Nucleares (CERN), um aparato científico denominado LHC de um campo
(Large Hadrons Colider). Esse aparato será, futuramente, em- a) elétrico ser induzido no circuito secundário devido à variação
pregado em experimentos de Física de Partículas Elementares e do campo elétrico gerado pelo circuito primário.
Altas Energias, através de experimentos de colisão entre átomos b) magnético ser induzido no circuito secundário devido à varia-
ou entre partículas subatômicas. Esses átomos ou partículas ção do campo magnético gerado pelo circuito primário.
subatômicas são acelerados por meio da aplicação de intensos *c) elétrico ser induzido no circuito secundário devido à variação
campos magnéticos e elétricos, que fazem que os mesmos al- do campo magnético gerado pelo circuito primário.
cancem velocidades comparáveis à velocidade da luz no vácuo. d) magnético ser induzido no circuito primário devido à variação
Com relação ao movimento de partículas carregadas no vácuo, do campo magnético gerado pelo circuito secundário.
na presença de campos elétricos e magnéticos uniformes, assi- e) elétrico ser induzido no circuito primário devido à variação do
nale o que for correto. campo magnético gerado pelo circuito secundário.
01) Um campo elétrico uniforme E aplicará, em um elétron, uma
força de natureza elétrica na mesma direção e no sentido oposto
a E. (UFPel-2009.2) - ALTERNATIVA: A
02) Uma partícula carregada que se desloque na mesma direção A enorme quantidade de energia elétrica, usada para iluminar as
do campo elétrico uniforme E descreverá um movimento retilíneo grandes cidades, tem sua origem no fenômeno da indução ele-
uniforme. tromagnética.
04) Um próton que se desloque perpendicularmente ao campo Em 1831, Faraday observou e descreveu o fenômeno da indução
magnético uniforme B, mas na direção e sentido do campo elétri- eletromagnética, que provocou uma verdadeira revolução no es-
co uniforme E, descreverá uma trajetória helicoidal. tudo do Eletromagnetismo. A partir desta observação, foi possí-
08) Uma partícula carregada que se desloque paralelamente ao vel construir os dínamos, que são aparelhos cujo funcionamento
campo elétrico uniforme B não estará sujeita à ação de forças de se baseia no fenômeno da indução eletromagnética e que trans-
natureza magnética. formam energia mecânica (de uma queda d'água, por exemplo)
16) Para que uma partícula carregada que incida perpendicular- em energia elétrica.
mente ao plano formado por E e B descreva um movimento
Antônio Máximo e Beatriz Alvarenga. Física. Volume 3, Editora Scipione, 2008
retilíneo uniforme, E e B devem ser perpendiculares entre si e as
[adapt.]
forças elétrica e magnética devem ser colineares, possuir o mes-
mo módulo e sentidos opostos.
Observe as figuras abaixo e suponha que, na figura I, aproxima-
mos o polo de um ímã de uma espira que se encontra em repou-
(IFSP-2009.2) - ALTERNATIVA: E so e, na figura II, o ímã e a bobina estão se deslocando com a
Cargas elétricas podem sofrer ação tanto de campos elétricos mesma velocidade v.
quanto de campos magnéticos, porém no segundo caso é ne-
cessário que essas cargas estejam em movimento. Considere a
seguinte situação: um elétron, cuja carga tem módulo e = 1,6 ×
10–19 C, é lançado horizontalmente da esquerda para a direita,
paralelamente ao plano da página, com velocidade v = 5 × 102 m/
s, penetrando em uma região onde existe um campo elétrico de
intensidade E = 1,5 × 106 V/m, cujo sentido é vertical, apontando
para baixo, e um campo magnético horizontal B = 3 × 103 T, com
sentido de afastamento do observador.
A figura a seguir representa a situação descrita.
Nessas circunstâncias, o elétron
a) será desviado para fora da página.
b) será desviado para
dentro da página.
c) será desviado para
cima da página.
d) será desviado para bai-
xo da página.
*e) não sofrerá desvio.

(UFLA/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: D
Dois fios longos e paralelos, fio 1 e fio 2, estão perpendicularres
ao plano da figura abaixo e são percorridos pelas correntes i1 e
i2. Considere o ponto P, na linha que passa pelos fios, a uma Com base no Eletromagnetismo e no texto, é correto afirmar
distância L/3 do fio 1. Para que o campo magnético resultante que
gerado pelos fios no ponto P seja nulo, é CORRETO afirmar: *a) há fluxo magnético tanto através da espira como através da
a) i1 = i2 2, e as correntes têm sentidos contrários. bobina.
b) somente há fluxo magnético através da bobina.
b) i1 = 2 i2, e as correntes têm o mesmo
c) somente há fluxo magnético através da espira.
sentido. d) há f.e.m. induzida tanto na espira como na bobina.
c) i1 = 2 i2, e as correntes têm sentidos e) há variação de fluxo magnético através da bobina.
contrários.
*d) i1 = i2 2, e as correntes têm o mes-
mo sentido.

japizzirani@gmail.com 71
(UEL-2009.1) - ALTERNATIVA: B
FÍSICA MODERNA Os raios gama oriundos do cobalto 60 ou do césio 137 podem
VESTIBULARES 2009.1 ser usados na radiação em alimentos.
VESTIBULARES 2009.2 PÁG. 81 Sobre a radiação gama, considere as afirmativas.
I. O átomo de cobalto ou de césio, ao emitir radiação gama, re-
sulta em um novo elemento químico não radioativo.
(UFCG/PB-2009.1) - ALTERNATIVA: E II. A radiação gama é uma radiação eletromagnética.
Com a proximidade da inauguração do novo acelerador do Cen- III. A radiação gama não apresenta massa nem carga elétrica.
tro Europeu de Pesquisas Nucleares (Cern), uma partícula em IV. O poder de penetração da radiação gama é muito pequeno.
especial ganhou os meios de comunicação: o bóson de Higgs. Assinale a alternativa correta.
Proposta pelo físico Peter Higgs em 1964, essa partícula, se en- a) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
contrada, explicará a massa (ou a falta dela), de todas as partí- *b) Somente as afirmativas II e III são corretas.
culas elementares. c) Somente as afirmativas III e IV são corretas.
“Os [físicos] teóricos se divertem discutindo o que seria pior: des- d) Somente as afirmativas I, II e III são corretas.
cobrir o bóson de Higgs com as propriedades previstas pelo mo- e) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
delo [das partículas elementares] ou descobrir que não há bóson
de Higgs”, escreveu o físico John Ellis. O primeiro caso repre- (UFCG/PB-2009.1) - ALTERNATIVA: E
sentaria mais um sucesso dessa teoria, mas não traria nada de John A. Wheeler e Niels Bohr inventaram, na primeira metade do
novo para a física. [...] “A física tornará mais interessante se o século passado, o modelo da gota líquida para o núcleo atômico.
bóson de Higgs não for encontrado, porque teremos de repensar Ele permite compreender o fenômeno de divisão de um núcleo -
tudo o que foi feito até agora”, comentou o físico brasileiro Roberto fissão nuclear. Quando um nêutron é absorvido, o núcleo oscila
Salmeron, no Cern desde 1956. até que ocorra a fissão. Considere, grosso modo, um núcleo de
Adaptado de ZORZETTO, Ricardo, Ponto de Encontro: quase 10 mil
pesquisadores, entre eles 68 brasileiros, fazem os ajustes finais no maior Urânio 236 (4,0 x 10–25 kg) em oscilação como um sistema mas-
acelerador de partículas do mundo. Pesquisa FAPESP, São Paulo, n.147, sa-mola clássico. A energia do sistema necessária para a fissão
p. 17-27, mai.2008. vale 1,0 x 10–12 joules.
Considerando a História da Física e as expectativas construídas
Quando a deformação do núcleo atinge 0,10 fm (1,0 x 10–16m), a
em torno do experimento do Cern, pode-se afirmar, EXCETO,
freqüência de oscilação do núcleo de Urânio 236 será
que
a) as Leis do Movimento, como formuladas no Principia de a) 5,0 x 1011 Hz.
Newton, são indiferentes à existência do bóson de Higgs. b) 2,3 x 1017 Hz.
b) o experimento de Thomas Young representou um momento c) 5,0 x 1044 Hz.
para se repensar a natureza da luz, como o experimento do Cern
d) 4,2 x 1023 Hz.
poderá promover no caso das partículas elementares.
c) a confirmação do Primeiro Princípio da Termodinâmica, por *e) 3,7 x 1021 Hz.
qualquer experimento que possa vir a acontecer, não acrescen-
taria nada de novo à Física. (CEFETMG-2009.1) - ALTERNATIVA: B
d) a violação do Princípio da Conservação da Quantidade de Considere as informações abaixo.
Movimento exigiria, como comenta Salmeron, revisões no co- “O elemento radioativo Césio 137 tem meia vida de 30 anos.
nhecimento físico. Meia vida é o intervalo de tempo após o qual o número de áto-
*e) um comentário como o de Salmeron não se aplica à Mecâni- mos radioativos existentes, em certa amostra, fica reduzido à
ca Newtoniana, pois ela não exigiu qualquer revisão de seu do- metade de seu valor inicial”.
mínio de validade. Uma amostra de 120 átomos desse material estará reduzida a
15 átomos após um período de tempo, em anos, igual a
(UDESC-2009.1) - ALTERNATIVA: B a) 60. *b) 90. c) 120.
Em 1908, Ernest Rutherford recebeu o Prêmio Nobel de Química d) 180. e) 240.
pelo seu trabalho para determinar a massa e a carga elétrica das
partículas , e , que são emitidas pelos núcleos dos átomos (CEFETMG-2009.1) - ALTERNATIVA: D
de certos elementos radioativos. No átomo de hidrogênio, quando o elétron encontra-se no estado
Analise as afirmativas abaixo, considerando que e e me sejam, fundamental, n = 1, sua energia é E1 = –13,6 eV. Ao receber um
respectivamente, a carga e a massa de repouso do elétron. determinado valor de energia, ele passa para o nível n = 4 com
I. A partícula tem carga elétrica +4e, e sua massa de repouso E4 = –0,85 eV.
é aproximadamente 7340me. Assim que retorna ao estado fundamental, esse elétron emite
II. A partícula pode ter carga elétrica +e ou –e, e sua massa de um fóton de freqüência, aproximadamente, em hertz, de (Dados:
repouso é igual à do próton, ou seja, aproximadamente 1840me. c = 3 × 108 m/s, h = 6,6 × 10–34 J.s e 1eV = 1,6 × 10–19 J)
III. A partícula é um fóton de radiação eletromagnética, não a) 1,9 x 10–15. b) 5,3 x 10–14. c) 6,0 x 1014.
possui carga elétrica e sua massa é nula. 15
*d) 3,1 x 10 . 34
e) 3,5 x 10 .
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.
(UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 25 (01+08+16)
*b) Somente a afirmativa III é verdadeira.
Um feixe de luz branca incide sobre uma rede de difração de
c) Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.
2000 linhas por centímetro. Assinale a(s) alternativa(s) correta(s).
d) Somente a afirmativa II é verdadeira.
01) A dispersão (largura do espectro) produzida por uma rede de
e) Somente a afirmativa I é verdadeira.
difração depende da largura de cada fenda.
02) A luz, ao atravessar a rede de difração, sofre uma refração.
(CEFETMG-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Em condições normais, o olho humano pode detectar 3 fótons de 04) A espessura das fendas é 0,4 × 10–3 m.
08) O ângulo da franja brilhante de primeira ordem da luz na
comprimento de onda igual a 6.600 . A energia, em joules, cor-
região da cor ultravioleta será menor que o ângulo da franja bri-
respondente a esse número de fótons é igual a (Dados: c = 3 ×
lhante de primeira ordem da luz na região da cor vermelha.
108 m/s, h = 6,6 × 10–34 Js e 1 = 10–10 m) 16) O seno do ângulo da franja brilhante de primeira ordem para
a) 1x10–33. b) 3x10–19. *c) 9x10–19. d) 3x1019. e) 9x1033. o comprimento de onda = 6,0 × 10–7 m será 0,12.

japizzirani@gmail.com
72
(UEM/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 11 (01+02+08) (UFMG-2009.1) - ALTERNATIVA: A
Com relação aos modelos atômicos, assinale o que for correto. Um estudante de Física adquiriu duas fontes de luz laser com as
01) No modelo atômico proposto por J. J. Thomson, denominado seguintes especificações para a luz emitida:
como modelo de “pudim de passas”, cargas negativas e positi-
vas preenchem completamente uma região esférica e uniforme. Fonte I Fonte II
02) No modelo atômico de Ernest Rutherford, quase toda a mas- • potência: 0,005 W • potência: 0,030 W
sa do átomo está centrada em seu núcleo, que possui carga • comprimento de onda: • comprimento de onda:
positiva. 632 nm 632 nm
04) O modelo atômico de Ernest Rutherford estabelece a exis-
tência de nêutrons no núcleo atômico. Sabe-se que a fonte I emite NI fótons por segundo, cada um com
08) No modelo de Niels Bohr, os elétrons orbitam o núcleo atômi- energia EI; e que a fonte II emite NII fótons por segundo, cada um
co em órbitas com energias quantizadas, denominadas níveis de
energia. com energia EII.
16) O modelo de orbitais atômicos prevê a existência de somen- Considerando-se essas informações, é CORRETO afirmar que
te um elétron por orbital atômico. *a) NI < NII e EI = EII. b) NI < NII e EI < EII.
c) NI = NII e EI < EII. d) NI = NII e EI = EII.

(UEPB-2009.1) - ALTERNATIVA: 30 C; 31 B
Leia o texto a seguir para responder às questões 30 e 31. (UFU-2009.1) - RESPOSTA: 1(F); 2(V); 3(V); 4(V)
A relatividade proposta por Galileu e Newton na Física Clássica é Duas placas condutoras são colocadas separadas em um tubo,
reinterpretada pela Teoria da Relatividade Restrita, proposta por onde se produziu vácuo, como no experimento do efeito
Albert Einstein (1879-1955) em 1905, que é revolucionária por- fotoelétrico, conforme Figura 1. Uma radiação eletromagnética
que mudou as idéias sobre o espaço e o tempo, uma vez que a
de freqüência f = 1,6 × 1015 Hz incide na placa da direita, provo-
anterior era aplicada somente a referenciais inerciais. Em 1915,
Einstein propôs a Teoria Geral da Relatividade válida para todos cando a emissão de elétrons daquela placa, como, também, re-
os referenciais (inerciais e nãoinerciais). presentado na Figura 1.

30. Acerca do assunto tratado no texto, podemos afirmar: Dados:


I - A Teoria da Relatividade afirma que a velocidade da luz não Constante de Planck (h = 6,6 ×10–34 J.s)
depende do sistema de referência. Módulo da carga do elétron (e = 1,6 ×10–19 C)
II - Para a Teoria da Relatividade, quando o espaço dilata, o tem-
po contrai, enquanto que, para a física newtoniana, o espaço e o O sistema é ligado ao circuito, mostrado na Figura 2, onde S1 e
tempo sempre se mantêm absolutos. S2 são chaves liga-desliga; 1 e 2 são as forças eletromotrizes
III - A Mecânica Clássica e a Teoria da Relatividade não limitam a de dois geradores ideais; A é um amperímetro ideal; R é uma
velocidade que uma partícula pode adquirir. resistência.
IV - Na relatividade de Galileu e Newton, o tempo não depende
do referencial em que é medido, ou seja, é absoluto.
Após a análise feita, é (são) correta(s) apena(s) a(s) propo-
sição(ões):
a) II e III
b) I e IV
*c) I, II e IV
d) III
e) III e IV

31. Ainda acerca do assunto tratado no texto, resolva a seguinte


situação-problema: Considere uma situação “fictícia”, que se con- A Figura 3 apresenta o comportamento da corrente elétrica de-
figura como uma exemplificação da relatividade do tempo. tectada no amperímetro em função da diferença de potencial en-
Um grupo de astronautas decide viajar numa nave espacial, fi- tre os pontos P1 e P2 da Figura 2.
cando em missão durante seis anos, medidos no relógio da nave.
Quando retornam a Terra, verifica-se que aqui se passaram al-
guns anos.
Considerando que c é a velocidade da luz no vácuo e que a velo-
cidade média da nave é 0,8c, é correto afirmar que, ao retornarem
a Terra, se passaram:
a) 20 anos
*b) 10 anos
c) 30 anos
d) 12 anos
e) 6 anos
Com base nessas informações e nos dados, marque para as
alternativas abaixo (V) Verdadeira ou (F) Falsa.
(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: C 1 ( ) Quando as duas chaves estão abertas, não circula corrente
Um carro (A), com as lanternas acesas, está parado no acosta- elétrica pelo circuito.
mento de uma estrada. Um outro carro (B) se move em relação a 2 ( ) Quando a chave S1 está aberta e a S2 está fechada, o menor
ele, com velocidade v . A velocidade da luz emitida pelas lanter- valor de 2 que anula o valor da corrente no amperímetro é 4,6 V.
nas, em relação ao acostamento, é c . Para uma pessoa que
3 ( ) Quando a chave S1 está fechada e a S2 está aberta, há
esteja dentro do carro B, as velocidades do carro A e da luz emi-
passagem de corrente elétrica no circuito para qualquer valor de
tida por ele são expressas, respectivamente, por:
a) v e (v + c). d) –v e (v + c). 1
.
b) v e (v – c). e) –v e (c – v). 4 ( ) A função trabalho do material de que são feitas as placas
*c) –v e c. condutoras vale 3,2 × 10–19 J.

japizzirani@gmail.com
73
(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A (PUCRS-2009.1) - ALTERNATIVA: D
O átomo de hidrogênio é composto por um próton e um elétron. Dispositivos conhecidos como células fotovoltaicas convertem
No estado fundamental, a energia de ligação entre eles é de energia solar em energia elétrica e funcionam baseados no cha-
–13,60 eV. A energia de ligação do primeiro estado excitado é mado efeito fotoelétrico, cuja explicação foi apresentada pela pri-
–3,40 eV, e a do segundo é –1,50 eV, conforme representado na meira vez, por Albert Einstein, em 1905. Sobre as células
figura A. fotovoltaicas, é correto afirmar:
–1,50 eV a) A exposição à luz causa o aquecimento dessas células, forne-
cendo energia térmica suficiente para movimentar cargas elétri-
–3,40 eV cas.
b) A luz solar causa a decomposição química dos átomos da
célula, enviando prótons para um lado e elétrons para outro.
c) A carga elétrica é atraída pelo campo eletromagnético da luz,
produzindo corrente elétrica.
*d) Pacotes de energia luminosa incidem sobre uma placa metá-
–13,60 eV lica, liberando elétrons.
e) A radiação solar produz o decaimento dos núcleos da célula
Figura A fotovoltaica, liberando energia.

Considere que o elétron esteja no segundo estado excitado. Para


(UNIOESTE/PR-2009.1) - ALTERNATIVA: B
decair para o estado fundamental, ele emitirá fótons. A figura B
O início do século XX viu o desenvolvimento de duas grandes
representa linhas de espectro de emissão do átomo de hidrogê-
teorias da física moderna: a teoria da relatividade e a mecânica
nio, com os respectivos valores de energia indicados. Quais li-
quântica. No contexto destas duas áreas de expansão da Física
nhas podem aparecer nesse decaimento?
é INCORRETO afirmar que
a) a teoria da relatividade aborda fenômenos que envolvem altas
velocidades quando comparadas à velocidade da luz, porém abai-
xo da mesma.
E (eV)
0,66 1,90 2,25 10,20 12,10 12,75 *b) para baixas velocidades as previsões da física relativística
Figura B são incompatíveis com as previsões da mecânica newtoniana.
c) a mecânica quântica é necessária em fenômenos que envol-
*a) Somente as linhas com energia 12,10 eV, 10,20 eV e 1,90 eV. vem pequenas dimensões, em escalas abaixo ou da ordem da
b) Somente a linha com energia 12,10 eV. escala atômica.
c) Com exceção da linha de 12,75 eV, todas as demais. d) um mesmo sistema pode se comportar como onda ou como
d) Somente a linha com energia 12,75 eV. partícula dependendo do processo de interação.
e) Somente as linhas com energia 10.20 eV e 1,90 eV. e) a quantização da energia no modelo atômico permitiu explicar
o espectro de emissão de muitos elementos químicos.
(UFJF-2009.1) - ALTERNATIVA: D
No modelo de Bohr para o átomo de hidrogênio, as energias pos- (UNIFOR/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: E
síveis do elétron são dadas por En = -13,6/n2 (eV). Determine a Albert Einstein revolucionou o modo de pensar o espaço e o tem-
energia do fóton capaz de excitar o elétron do primeiro para o po ao lançar, no início do século XX, as bases da Teoria da Rela-
segundo nível de energia. tividade.
a) 13,6 eV Analise as seguintes afirmações:
b) 3,4 eV I. A Mecânica Clássica não impõe limite para o valor da velocida-
c) 17 eV de que uma partícula pode adquirir pois, enquanto durar a ação
*d) 10,2 eV de uma força sobre ela haverá aceleração e sua velocidade po-
e) - 3,4 eV derá aumentar indefinidamente.
II. Corpos em movimento, com velocidades próximas à da luz,
(VUNESP/FAMECA-2009.1) - ALTERNATIVA: A sofrem contrações em suas três dimensões em relação às que
Uma nave espacial se desloca em linha reta e com velocidade possuem quando em repouso.
constante de 360 000 km/h em relação à Terra. Num determina- III. A velocidade de um objeto, em relação a qualquer referencial,
do momento, são disparados da nave, e no mesmo sentido de não pode superar a velocidade da luz no vácuo.
seu movimento, um raio de luz e um míssil. A velocidade da luz é É correto o que se afirma SOMENTE em
de 3.108 m/s e a do míssil 720 000 km/h, ambas em relação à a) I.
nave. As velocidades da luz e do míssil em relação à Terra são, b) II.
respectivamente, em m/s, c) III.
*a) 3×108 e 3×105. d) I e II.
b) 3×108 e 1×106. *e) I e III.
c) 3,03×108 e 3×106.
d) 3,03×108 e 1×106. (UFPE-2009.1) - RESPOSTA: ECmáx= 2,0 eV (resolução no final)
e) 10,8×108 e 3×105. O césio metálico tem uma função trabalho (potencial de superfí-
cie) de 1,8 eV. Qual a energia cinética máxima dos elétrons, em
(UFV/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: D eV, que escapam da superfície do metal quando ele é iluminado
Quando uma onda eletromagnética incide sobre um metal ela com luz ultravioleta de comprimento de onda igual a 327 nm?
pode arrancar elétrons do material. Esse fenômeno é conhecido Considere: 1 eV = 1,6 x 10–19 J, c = 3 × 108 m/s e
como Efeito Fotoelétrico. Seja f a freqüência da onda eletromag- h = 6,63 × 10–34 J.s.
nética, h a constante de Planck e w a energia mínima necessária
para retirar um elétron do metal. É CORRETO afirmar que a ener- RESOLUÇÃO: UFPE-2009.1:
gia cinética máxima de um elétron emitido no Efeito Fotoelétrico Função trabalho (W): W = hf – ECmáx
é dada por:
a) hf b) hf + w hf = 6,63 × 10–34 × 3 × 108/327 × 10–9 = 6,08 × 10–19 J = 3,8 eV
c) w - hf *d) hf - w W = hf – ECmáx ECmáx = 2,0 eV

japizzirani@gmail.com
74
(UNIFOR/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: D (UNICAMP-2009.1) - RESPOSTA: a) 0,93u b)1,7×10–19 m
A tabela mostra alguns dos níveis de energia para o átomo de A Física de Partículas nasceu com a descoberta do elétron, em
hidrogênio. 1897. Em seguida foram descobertos o próton, o nêutron e vári-
Nível Energia (eV) as outras partículas, dentre elas o píon, em 1947, com a partici-
pação do brasileiro César Lattes.
3 -1,5 Dado: a) Num experimento similar ao que levou à descoberta do nêu-
2 -3,4 h = 4,1 × 10–15 eV.s tron, em 1932, um nêutron de massa m desconhecida e veloci-
1 -13,6 dade v0 = 4×107 m/s colide frontalmente com um átomo de nitro-
De acordo com a teoria de Bohr, quando o elétron passa do nível
gênio de massa M = 14 u (unidade de massa atômica) que se
estacionário excitado 2 para o nível fundamental 1, o fóton é emi-
encontra em repouso. Após a colisão, o nêutron retorna com ve-
tido com energia, em eV, e freqüência aproximada, em hertz,
locidade v´ e o átomo de nitrogênio adquire uma velocidade V =
respectivamente,
5×106 m/s. Em conseqüência da conservação da energia cinética,
a) –17 e 4,0 × 1015 *d) 10,2 e 2,5 × 1015
15
a velocidade de afastamento das partículas é igual à velocidade
b) –13,6 e 4,0 × 10 e) 13,6 e 2,5 × 1015 de aproximação. Qual é a massa m, em unidades de massa atô-
15
c) –10,2 e 4,0 × 10 mica, encontrada para o nêutron no experimento?
b) O Grande Colisor de Hádrons (Large Hadron Collider-LHC) é
(UEPG/PR-2009.1) - RESPOSTA: SOMA = 29 (01+04+08+16) um acelerador de partículas que tem, entre outros propósitos, o
Existem duas teorias para explicar o comportamento da luz. A de detectar uma partícula, prevista teoricamente, chamada bóson
teoria ondulatória sustenta que a luz é uma onda. Por outro lado, de Higgs. Para esse fim, um próton com energia de E =7×1012eV
a teoria corpuscular afirma que a luz é constituída por um fluxo colide frontalmente com outro próton de mesma energia produ-
de partículas microscópicas emitido continuamente pelas fontes zindo muitas partículas. O comprimento de onda ( ) de uma par-
luminosas. Sobre estas duas teorias, assinale o que for correto. tícula fornece o tamanho típico que pode ser observado quando
01) Segundo a teoria ondulatória, a luz é uma onda eletromagné- a partícula interage com outra. No caso dos prótons do LHC,
tica, e cada uma das cores que compõem o espectro visível E=hc/ , onde h = 4×10–15 eV.s, e c = 3×108 m/s. Qual é o compri-
corresponde a um diferente comprimento de onda. mento de onda dos prótons do LHC?
02) As duas teorias são complementares, ou seja, a luz pode
apresentar, simultaneamente, tanto o caráter ondulatório quanto
o caráter corpuscular.
04) As duas teorias conseguem explicar de forma convincente a (UFPel/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: D
propagação retilínea da luz, a reflexão, a refração e a dispersão Recentemente foi inaugurado o LHC, um grande acelerador de
da luz. partículas que deverá permitir a recriação das condições do uni-
08) A teoria corpuscular não consegue explicar o fenômeno da verso logo após o “Big Bang”.
difração e da interferência da luz. De acordo com as teorias atuais, os prótons e os nêutrons são
16) Segundo a teoria corpuscular, a luz branca é composta por formados, cada um, por três partículas elementares chamadas
partículas microscópicas de tipos diferentes, cada uma das quais de quarks. Existem doze tipos de quarks na natureza, mas os
corresponde a uma cor. prótons e nêutrons são formados por apenas dois tipos. O quark
up (u) possui carga elétrica positiva igual a 2/3 do valor da carga
elétrica elementar (e), enquanto o quark down (d) possui carga
(UFC/CE-2009.1) - ALTERNATIVA: B elétrica negativa igual a 1/3 do valor da carga elétrica elementar.
Um avião militar “relativístico” voa com uma velocidade constan- Assinale a alternativa que representa a composição do próton (p)
te de 0,9c, onde c é a velocidade da luz no vácuo. Esse avião e do nêutron (n), respectivamente:
dispara um míssil. O piloto observa que o míssil se afasta do a) (p) u, d, d – (n) u, d, u.
avião com uma velocidade de 0,6c. No mesmo instante, um feixe b) (p) d, d, u – (n) d, d, d.
de laser é disparado em relação ao avião com uma velocidade c. c) (p) u, u, u – (n) u, d, u.
Assinale a alternativa que apresenta, respectivamente, os valo- *d) (p) u, u, d – (n) u, d, d.
res da velocidade do míssil e da velocidade do feixe de laser, e) (p) u, u, d – (n) u, u, u.
percebidos por um observador em um referencial estacionário.
a) c e c.
*b) 0,97c e c.
c) 1,50c e c. (UFRN-2009.1) - ALTERNATIVA: B
d) 1,50c e 1,90c. O conceito de éter surgiu na Grécia antiga, significando uma es-
e) 0,30c e 0,10c. pécie de fluido sutil e rarefeito que preenchia o espaço e envolvia
a Terra. Esse conceito evoluiu para representar um referencial
privilegiado, a partir do qual se poderia descrever toda a Física,
(FURG/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: D inclusive seria o meio material no qual se propagariam as ondas
Segundo Einstein, a energia carregada pelos quanta de luz, mais eletromagnéticas (a luz). No entanto, as experiências de
tarde denominados fótons, é: Michaelson-Morley, realizadas em 1887, mostraram a inconsis-
a) E = kx2/2, onde k é a constante de elasticidade e x é o deslo- tência desse conceito, uma vez que seus resultados implicavam
camento. que ou a Terra estava sempre estacionária em relação ao éter ou
b) E = eV, onde e é a carga do elétron e V é o potencial elétrico. a noção de que o éter representava um sistema de referência
c) E = mc2, onde m é a massa e c é a velocidade da luz. absoluto era errônea, devendo, portanto, ser rejeitada.
*d) E = hf, onde h é a constante de Planck e f é a freqüência. As inconsistências do conceito de éter levaram Einstein a elabo-
e) E = mv, onde m é a massa e v é a velocidade. rar a teoria de que a velocidade da luz
a) é constante para qualquer observador e dependente de qual-
quer movimento da fonte ou do observador.
(FURG/2009.1) - ALTERNATIVA: B *b) é constante para qualquer observador e independente de qual-
Rutherford foi uma das primeiras pessoas a obter evidências ex- quer movimento da fonte ou do observador.
perimentais da estrutura do átomo. Para isso, que tipo de partí- c) é constante e dependente do observador, porém independen-
culas ele lançava sob uma fina lâmina metálica? te de qualquer movimento relativo da fonte.
a) Beta *b) Alfa c) Nêutrons d) é constante e independente do observador, porém dependen-
d) Elétrons e) Prótons te de qualquer movimento relativo da fonte.

japizzirani@gmail.com
75
(UFRN-2009.1) - ALTERNATIVA: C (UFRN-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL
O desenvolvimento da geração de energia por fusão nuclear tem No final do século XIX, vários pesquisadores perceberam que a
sido lento e difícil, porém existe uma esperança de que esse luz era capaz de ejetar elétrons quando incidia em superfícies
processo seja fundamental como fonte de energia para as futu- metálicas. Esse fenômeno, que ocorre sob certas condições, foi
ras gerações. Nele, dois núcleos leves se fundem para formar chamado de efeito fotoelétrico.
um novo elemento. Reações como essa ocorrem no interior do A Figura 1a mostra luz policromática de intensidade I0, cujos fótons
Sol e se constituem na sua principal fonte de geração de energia. possuem energia entre 2,0 eV e 6,0 eV incidindo sobre uma su-
Por exemplo, quando, o trítio e o deutério (isótopos do hidrogê- perfície metálica. Observa-se que, dessa superfície, são ejetados
nio) se combinam, formam um núcleo de hélio e um nêutron, elétrons com energia cinética máxima, ECmax . A Figura 1b mos-
cada um deles com grande energia cinética, a qual é transforma-
da em calor e aproveitada para gerar energia elétrica. tra, também, luz policromática de intensidade 2I0, cujos fótons
possuem energia entre 2,0 eV e 6,0 eV incidindo sobre a mesma
Fig 24 2009 FMD superfície metálica. Observa-se, ainda, que também são ejetados
elétrons com energia cinética máxima, ECmax .
A Figura 2a, por sua vez, mostra luz monocromática de intensi-
dade I0, cujos fótons possuem energia de 3,0 eV incidindo sobre
a mesma superfície metálica. Nesse caso, não se observam elé-
trons ejetados da superfície. Por outro lado, a Figura 2b mostra
luz monocromática de intensidade I0, cujos fótons possuem ener-
gia de 6,0 eV incidindo sobre a mesma superfície metálica. Nes-
se caso, observam-se elétrons sendo ejetados da superfície.
Para a reação nuclear de fusão representada acima, a soma das
Fig 25 2009 FMD
massas dos produtos da reação
a) é menor que a soma das massas dos isótopos, antes da rea-
ção, e a energia a ser aproveitada é determinada pela equação
E = hf.
b) é maior que a soma das massas dos isótopos, antes da rea-
ção, e a energia a ser aproveitada é determinada pela equação
E = mc2.
Figura 1a Figura 1b
*c) é menor que a soma das massas dos isótopos, antes da rea-
ção, e a energia a ser aproveitada é determinada pela equação
E = mc2.
d) é maior que a soma das massas dos isótopos, antes da rea-
ção, e a energia a ser aproveitada é determinada pela equação
E = hf.

(UNIFEI/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Niels Bohr, no início do século XX, fundamentou-se em quatro Figura 2a Figura 2b
postulados para a proposição de seu modelo atômico. Esses
Com base na teoria de Einstein para o efeito fotoelétrico,
postulados são apresentados abaixo:
(i) Um elétron em um átomo se move em uma órbita circular em a) explique por que a energia cinética máxima dos elétrons, ECmax,
torno do núcleo sob a influência da atração coulombiana entre o independe da intensidade da luz policromática incidente;
elétron e o núcleo, obedecendo às leis da mecânica clássica. b) explique por que, para essa superfície metálica, o efeito
(ii) Um elétron só pode se mover em uma órbita na qual o módulo fotoelétrico ocorre apenas quando incide luz cujos fótons possu-
do seu momento angular orbital L é um múltiplo inteiro de h / 2 , em energia de 6,0 eV.
sendo h a constante de Planck. RESPOSTA UFRN-2009.1:
(iii) Apesar de estar constantemente acelerado, um elétron que a) Segundo a teoria de Einstein para o efeito fotoelétrico, a radi-
se move em uma dessas órbitas possíveis, não emite radiação ação eletromagnética tem propriedades corpusculares e é com-
eletromagnética e sua energia total E permanece constante. posta de fótons, sendo que cada fóton carrega um quantum de
(iv) É emitida radiação eletromagnética se um elétron, que se energia igual a hf. Um elétron é ejetado do metal quando absorve
move inicialmente sobre uma órbita de energia tal Ei , muda seu um fóton. Quando a intensidade aumenta, apenas o número de
movimento descontinuamente de forma a se mover em uma ór- elétrons que absorvem fótons e são ejetados aumenta. Logo, a
bita de energia total Ef . A freqüência da radiação emitida é dada energia cinética máxima com que ele é ejetado continua a mes-
ma, pois depende da energia de um fóton individual, e não do
por f = (Ef – Ei) / h. número de fótons.
Em relação a esses postulados, uma das seguintes afirmações b) A situação em questão pode ser explicada da seguinte forma:
é falsa: só são observados elétrons ejetados quando a energia do fóton
a) O segundo postulado corresponde à quantização do momento passa a ser de 6,0 eV, uma vez que essa energia é suficiente
angular e conduz, com utilização do primeiro postulado, à para arrancar um elétron do metal e, ainda, para ceder energia
quantização da energia do sistema. cinética a eles, pois essa energia é maior ou igual à função traba-
*b) A aceleração a que se refere o terceiro postulado, corresponde lho.
à aceleração angular, já que o movimento é circular.
c) A emissão de radiação mencionada no quarto postulado (CEFETPI-2009.1) - ALTERNATIVA: D
corresponde a um fóton de energia exatamente igual a E = hf = Um foguete parte da Terra com velocidade u = 0,6c, em relação à
(Ef – Ei). Terra. Em relação ao foguete a viagem durou 4 anos. Sabendo
d) Diz-se que uma grandeza física é quantizada quando os valo- que c é velocidade da luz no vácuo, o tempo que durou a viagem
res numéricos que ela pode assumir fazem parte de um conjunto do foguete em relação a um observador na Terra é:
discreto de valores, isto é, tal grandeza física não pode variar a) 2 anos b) 4 anos c) 3 anos
continuamente desde um dado valor até outro. *d) 5 anos e) 4,5 anos

japizzirani@gmail.com
76
(CEFETPI-2009.1) - ALTERNATIVA: C (UNIFEI/MG-2009.1) - RESPOSTA: a) EC = 1,4 eV
A função trabalho do ferro é W = 7,2 × 10–19J e a constante de b) = 82,5 nm
Planck h = 6,6 x 10–34J. s, então a frequência mínima ou frequência A energia mínima requerida para ionizar um átomo de hidrogênio
de corte de emissão de fotoelétrons de ferro é: no seu estado fundamental é de 13,6 eV. Se um fóton com ener-
a) 1,03 × 1015 Hz gia igual a 15,0 eV colide com o elétron deste átomo, (a) com
que energia cinética o elétron emerge do átomo? (b) Qual é o
b) 1,05 × 1015 Hz comprimento de onda do fóton incidente?
*c) 1,09 × 1015 Hz Dados: 1,0 eV = 1,6×10–19 J; h = 6,6×10–34 J.s; c = 3,0×108 m/s.
d) 1,04 × 1015 Hz
e) 1,00 × 1015 Hz
(UFJF/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: A
No efeito fotoelétrico, a freqüência de corte associada à função
trabalho de um material é de 5 x 1014 Hz. Com relação à frase
(UCS/RS-2009.1) - ALTERNATIVA: D anterior, é CORRETO afirmar que:
Um microscópio eletrônico permite observar escalas bem meno- *a) haverá emissão de elétrons quando o material for iluminado
res do que as obtidas por microscópios óticos. Isso ocorre por- com luz de freqüência maior que 5 x 1014 Hz.
que ele utiliza as propriedades ondulatórias dos elétrons, que
b) haverá emissão de elétrons quando o material for iluminado
estão diretamente relacionadas à seguinte área da física:
a) mecânica dos fluidos. com luz de freqüência menor que 5 x 1014 Hz.
b) termodinâmica. c) só haverá emissão de elétrons quando o material for ilumina-
c) mecânica newtoniana. do com luz de freqüência igual a 5 x 1014 Hz.
*d) mecânica quântica. d) não haverá emissão de elétrons em nenhuma das três situa-
e) teoria da relatividade. ções anteriores.
e) o material será cortado apenas quando for iluminado com luz
de freqüência maior que 5 x 1014 Hz.
(UFBA-2009.1) - RESPOSTA NO FINAL
Nos tempos atuais, a Medicina tem utilizado vários métodos de
diagnóstico, oriundos de pesquisas em Física, chamados de “mé- (UFCG/PB-2009.1) - ALTERNATIVA: A
todos de imagem”. Tais recursos tornaram-se possíveis pela com- Em 1963, Maarten Schmidt obteve linhas do espectro do átomo
preensão da estrutura da matéria, através dos experimentos rea- de Hidrogênio no espectro do objeto celeste QUASAR 3C 273
lizados por diversos cientistas a partir do início do século XX. Um como se vê na figura.
Fig 30 2009 FMD
experimento realizado em 1911, que ficou conhecido como expe-
rimento de Rutherford, foi de grande importância para desvendar
a estrutura da matéria.
Descreva o experimento de Rutherford e indique as suas reper-
cussões para a Física.

RESPOSTA UFBA-2009.1:
O modelo atômico proposto por J. J. Thomson, em 1904, supu-
nha que o átomo, de forma esférica, seria constituído por um tipo
de fluido com carga positiva, com os elétrons uniformemente dis-
tribuídos nele, de modo a equilibrar a carga positiva. Esse mode-
lo ficou conhecido como pudim de passas, as passas fazendo o
papel dos elétrons e o pudim, o das cargas positivas distribuídas
uniformemente.
Em 1911, Ernest Rutherford propôs um modelo alternativo para o
átomo, com base nos resultados dos experimentos, realizados
sob sua supervisão, de H. Geiger e E. Marsden, que consistia A energia de um elétron para o nível n num átomo de Hidrogênio,
em bombardear uma fina folha de ouro com partículas alfa (nú- em eV, é prevista pelo modelo de Bohr pela função:
cleos de átomos de hélio). De acordo com o modelo de Thomson, En = –(13,6) n2.
esperava-se que não houvessem desvios significativos dessas Em relação à observação do espectro do QUASAR, pode-se afir-
partículas já que previa uma distribuição uniforme da carga posi- mar, EXCETO, que
tiva no volume do átomo. Os resultados obtidos mostraram que a
maior parte das partículas passava sem se desviar, porém uma Dados:
pequena parte era desviada sob grandes ângulos, o que só seria 8
* Velocidade da luz no vacuo: 3,0 × 10 m/s
possível se fossem desviadas por um alvo massivo de carga po- –19
* 1 eletron-volt (eV): 1,6 × 10 J
sitiva. –34
Baseado nos resultados desse experimento, E. Rutherford pro- * Constante de Planck: 7,0 × 10 Js
pôs um modelo atômico no qual a carga positiva, e também a *1 = 10–10 m
maior parte da massa do átomo, estaria concentrada em uma
pequena região, o núcleo. Por sua vez, os elétrons, estariam dis- *a) o comportamento do átomo de Hidrogênio no QUASAR é di-
tribuídos em órbitas ao redor desse núcleo. ferente do previsto pelo modelo de Bohr, pois H (transição do
De acordo com esse modelo, a maior parte do espaço ocupado elétron de n=3 para n=2) tem comprimento de onda diferente.
pelo átomo é vazia de modo que a maioria das partículas conse- b) o fóton de H sofreu uma diminuição de sua freqüência origi-
gue atravessar a lâmina com pouco ou nenhum desvio. Entre- nal.
tanto aquelas que incidem diretamente sobre o núcleo sofrem c) a posição da linha H implica que o fóton teve seu comprimen-
desvios sob grandes ângulos, ocorrendo inclusive desvios sob to de onda deslocado em sentido contrário à região do violeta.
ângulos maiores do que 90º. d) a velocidade do fóton da radiação da linha H independe do
O experimento de Rutherford foi de grande importância para o movimento do QUASAR em relação à Terra.
estabelecimento do modelo atômico atualmente aceito, sendo e) o espectro observado confirma que os níveis de energia para
essa a sua grande repercussão. o átomo de Hidrogênio são discretos.

japizzirani@gmail.com
77
(UFCG/PB-2009.1) - ALTERNATIVA: B (UFCG/PB-2009.1) - ALTERNATIVA: C
Em relação à Teoria da Relatividade Especial, pode-se afirmar O dispositivo que gera raios X é o tubo de Coolidge. Esse dispo-
que sitivo é um tubo oco e evacuado que possui um catodo
a) as leis da física têm a mesma forma em todos os referenciais incandescente que gera um fluxo de elétrons de alta energia.
não inerciais. Estes são acelerados por uma grande diferença de potencial (kV)
*b) a duração de um evento só tem sentido se indicado o sistema e atingem o ânodo (alvo); ao atingi-lo, são bruscamente freados,
de referência ao qual ela se refere. perdendo parte da energia que lhes foi transferida. As colisões e
c) fontes luminosas em movimento apresentam diferentes valo- a frenagem provocam a transferência de energia dos elétrons
res da velocidade da luz para referenciais inerciais. para os átomos do elemento alvo. A brusca desaceleração de
d) duas naves espaciais estão viajando na mesma direção e sen- uma carga elétrica gera a emissão de um pulso de radiação ele-
tido, uma com velocidade igual a 0,5c e outra com velocidade tromagnética. A esse efeito dá-se o nome de Bremsstrahlung,
0,8c, o módulo da velocidade relativa entre elas é de 0,3c. que significa radiação de freio. Esse tipo de raio X apresenta um
e) no domínio relativístico, obtém-se a composição das velocida- espectro contínuo no gráfico intensidade relativa x comprimento
des v e v’ de uma partícula, medidas em referenciais inerciais de onda. Além do espectro contínuo, pode haver um espectro de
distintos, multiplicando-se o resultado segundo a relatividade de linhas superposto ao contínuo chamado espectro de raio X ca-
Galileu, pelo fator (1 – v.v’/c2). racterístico. Esse espectro provém da interação de elétrons inci-
dentes com elétrons orbitais do átomo alvo. (observe o gráfico)
Texto adaptado de http://pt.wikipedia.org/wiki/Raios_X
(UFCG/PB-2009.1) - ALTERNATIVA: C Fig 31 2009 FMD
Em 1947, Willard F. Libby descobriu que a quantidade de carbo-
no-14 nos tecidos orgânicos mortos diminui a um ritmo constan-
te com o passar do tempo. Assim, a medição dos valores de
carbono-14 em um objeto nos dá pistas muito seguras sobre sua
idade. Essa técnica é aplicável à madeira, carvão vegetal, sedi-
mentos orgânicos, ossos, conchas marinhas, ou seja, todo ma-
terial que conteve carbono em alguma de suas formas. A ativida-
de devida ao carbono-14 em organismos vivos é de aproximada-
mente 15,3 desintegrações por minuto. Sendo a meia vida do
carbono-14 de 5.730 anos, a descoberta de certo fóssil, por um
arqueólogo, cujo carbono-14 apresenta 1,91 desintegrações por
minuto, terá a provável idade de
a) 5.730 anos.
b) 11.470 anos.
*c) 17.190 anos.
d) 22.920 anos.
e) 2.865 anos.
Em relação ao texto e ao gráfico, foram feitas as seguintes afir-
(UFCG/PB-2009.1) - ALTERNATIVA: B mações:
“Em um semicondutor, os elétrons encontram-se em duas ban- I – A diferença de potencial em que esses elétrons são acelera-
das (níveis) de energia: uma denominada banda de valência, na dos é de 40kV.
qual eles estão ‘semi-livres’, e a outra chamada banda de condu- II – O comprimento de onda mínimo nas curvas (a) e (b) depende
ção, em que, como o nome diz, eles estão livres de seus átomos. do material do anodo (alvo).
Uma fonte externa de energia – corrente elétrica, por exemplo – III – Os picos presentes no gráfico (b) dependem do material do
pode bombear energia para o semicondutor e, assim, excitar os anodo (alvo).
elétrons e os fazer passar da primeira para a segunda banda. IV – Os picos presentes no gráfico (b) são provenientes da exci-
Simplificando um processo que é complexo, podemos dizer que, tação do elétron mais externo do átomo alvo.
na volta para a banda de valência, os elétrons devolvem ao meio V – A ausência de picos no gráfico (a) explica-se devido ao fato
a energia extra na forma de luz (fótons), que acabam confinados dos elétrons acelerados de máxima energia não serem suficien-
ao próprio semicondutor, pois suas faces são bem polidas – em temente energéticos para excitar elétrons das camadas mais in-
outras palavras, o semicondutor age como uma cavidade óptica. ternas do átomo de tungstênio.
O aumento de corrente permite aumentar o número de elétrons Em relação ao valor de verdade das afirmativas pode-se afirmar
excitados, aumentando, assim, a quantidade de luz emergente.” que
a) as afirmativas I, II, e IV são verdadeiras.
BAGNATO, Vanderlei Salvador. Laser. In: Física Hoje: uma aventura pela b) as afirmativas II, III e V são falsas.
natureza: dos átomos ao universo. Rio de Janeiro: CiênciaHoje/CBPF, *c) as afirmativas III e V são verdadeiras.
2007, p.145-6. d) todas as afirmativas são falsas.
e) todas as afirmativas são corretas.
Um laser violeta, utilizado na leitura dos Blue Ray Discs (BD),
tem comprimento de onda igual a 405 nm. A energia mínima en- (UEPG/PR-2009) - RESPOSTA: SOMA = 15 (01+02+04+08)
tre as bandas de valência e de condução do semicondutor que Os laser são aparelhos que produzem feixes de luz monocromática
gera esse laser vale: coerente, ou seja, todas as ondas que os formam são idênticas
Dados: e estão em fase. Sobre esses aparelhos, assinale o que for cor-
8 reto.
* Velocidade da luz no vacuo: 3,0 × 10 m/s 01) Os laser não são fonte de energia, mas conversores de ener-
–19
* 1 eletron-volt (eV): 1,6 × 10 J gia.
–34
* Constante de Planck: 7,0 × 10 Js 02) Os laser são usados para ler códigos de barras.
04) As freqüências da luz emitida pelos laser são maiores que as
a) 1,6 eV. de rádio e de televisão, o que permite o transporte de grandes
*b) 3,2 eV. quantidades de mensagens agrupadas em uma faixa estreita de
c) 4,1 eV freqüência.
d) 6,7 eV. 08) Os laser não fornecem mais energia na saída do que lhes foi
e) 13,6 eV. fornecida na entrada.

japizzirani@gmail.com
78
(UNIMONTES/MG-2009.1) - ALTERNATIVA: B A partir dos argumentos apresentados no texto acima e da ob-
Nascido na Nova Zelândia, Ernest Rutherford (1871-1937) con- servação dessas simulações, pode-se afirmar CORRETAMEN-
quistou o prêmio Nobel de Química em 1908 (juntamente com TE que
Frederick Soddy), por ter mostrado a radioatividade na desinte- a) o tamanho do núcleo não influencia o espalhamento das partí-
gração dos átomos. No entanto, seu nome está mais associado culas alfa, pois a carga total que cria o campo elétrico que repele
às experiências de espalhamento, realizadas em 1910-1911, com as partículas seria a mesma.
a colaboração de dois alunos seus, Hans Geiger e Ernest *b) a hipótese de que o núcleo possui um raio significativamente
Marsden, na universidade de Manchester, Inglaterra, com as quais maior que aquele proposto pelo modelo de Rutherford levaria à
verificaram a existência dos núcleos dos átomos. Nelas, um fei- observação de pequenos ângulos de espalhamento, o que é in-
xe fino de partículas alfa (núcleos do átomo de Hélio), considera- consistente com as constatações experimentais.
das positivas, incidia sobre uma folha de ouro, também muito c) o tamanho do núcleo não influencia o espalhamento das partí-
fina. culas alfa, pois o campo elétrico criado por ele, responsável pelo
Anteriormente, o modelo do átomo mais aceito era o de Thomson, espalhamento, independe de como a carga está distribuída.
que considerava uma esfera contendo uma mistura de cargas d) os ângulos de espalhamento seriam, certamente, maiores, se
negativas e positivas, originando uma estrutura neutra. Pelo fossem consideradas partículas alfa com energia superior a 5,0
modelo de Thomson, as partículas alfa deveriam ser espalhadas MeV, na simulação com o núcleo hipotético, de raio maior.
com desvios muito pequenos, o que levaria à observação experi-
mental de pequenos ângulos de espalhamento. No entanto,
Rutherford observou, em alguns casos, ângulos de espalhamento (UFES-2009.1) - ALTERNATIVA: E
de quase 180º, ou seja, as partículas voltavam praticamente na O Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS), instalado no
mesma direção e em sentido contrário. Sendo assim, as cargas Pólo Tecnológico de Campinas-SP, é o único desse gênero exis-
elétricas que repeliam as partículas alfa (de mesmo sinal que tente no Hemisfério Sul. O LNLS coloca o Brasil num seleto gru-
elas) deveriam estar contidas num volume muito pequeno, com- po de países capazes de produzir luz síncrotron. Luz síncrotron é
portando-se como uma carga pontual. Nesse caso, o campo elé- a intensa radiação eletromagnética produzida por elétrons de alta
trico máximo que repele as partículas poderia ser muito grande, energia num acelerador de partículas.
o que explicaria os grandes ângulos de desvio. Rutherford usou Fig 33 2009 FMD
a palavra núcleo para designar essa minúscula região onde a
carga positiva estava concentrada. Portanto, suas experiências
estabeleceram que o átomo possui um núcleo muito pequeno,
de densidade muito grande, com diâmetro menor que 10–14 m. O
núcleo ocupa um volume de cerca de 10–12 do volume total do
átomo, mas contém toda a carga positiva e pelo menos 99,95%
da massa total do átomo.
As figuras abaixo apresentam simulações de computador para o
espalhamento de uma partícula alfa de 5,0 MeV (7,9 × 10–13 J)
colidindo com um núcleo de ouro, raio R0 = 7,0 × 10–15 m (seu
tamanho real), e com outro núcleo hipotético, de raio dez vezes
maior (R = 10 R0).

Dados: Constante de Planck: h = 6,6 × 10–34 J.s.


Velocidade da luz no vácuo: c = 300.000 km/s.
Carga elétrica fundamental: e = 1,6 × 10–19 C.

O comprimento de onda do fóton com energia de 6.600 eV é de


a) 4,80 × 10–48 m.
b) 3,00 × 10–32 m.
c) 3,00 × 10–29 m.
d) 1,87 × 10–13 m.
*e) 1,87 × 10–10 m.

(UFOP-2009.1) - RESPOSTA: a) v = 256/R (m/s;m)


b) R0 = 0,53
No modelo de Bohr para o átomo de hidrogênio, o elétron percor-
re uma órbita circular em torno do próton, onde a força centrípeta
é a atração eletrostática entre essas partículas.
a) Encontre uma relação entre o módulo da velocidade do elé-
tron e o raio da órbita.
b) Na hipótese de dualidade onda-partícula de Louis de Broglie,
o momento P de uma partícula está relacionado com seu compri-
mento de onda, , pela relação P = mv = h/ , onde h = 6,6×10–34
J.s é a constante de Planck. Impondo-se que o comprimento da
circunferência da órbita do elétron deve ser um múltiplo inteiro de
comprimentos de onda, calcule aproximadamente o valor do raio
de Bohr, isto é, o menor raio possível para a órbita do elétron no
átomo de hidrogênio.
Considere os seguintes dados: constante eletrostática k = 9×109
N.m2/C2, módulo da carga do elétron e do próton e = 1,6×10–19C,
CONTINUA NA COLUNA DA DIREITA massa do elétron me = 9×10–31kg.

japizzirani@gmail.com
79
(UFG/GO-2009.1) - ALTERNATIVA: B
Na célula vegetal fotossintetizante existem dois tipos de
fotossistemas que são ativados por diferentes bandas de luz vi-
sível, um deles, PSI, é ativado com luz de 700 nm, o outro, PSII,
é ativado com luz de 680 nm. Sabe-se que a reação que produz
oxigênio está associada ao PSII. Considerando o exposto, con-
clui-se que o nome dessa reação e a energia (em joules) associ-
ada ao fóton de luz que é absorvido são, respectivamente,
Dados:
Constante de Planck h = 6,6 × 10–34 J.s
Velocidade da luz no vácuo c = 3 × 108 m/s
E = hf, em que f é a freqüência da luz
a) descarboxilação oxidativa, 2,9 × 10–19.
*b) fotólise da água, 2,9 × 10–19.
c) fotofosforilação cíclica, 2,8 × 10–19.
d) fotólise da água, 2,8 × 10-19.
e) descarboxilação oxidativa, 2,8 × 10–19.

(UFG/GO-2009.1) - RESOLUÇÃO NO FINAL


As portas automáticas, geralmente usadas para dividir ambien-
tes, com climatização, do meio externo, usam células fotoelétricas,
cujo princípio de funcionamento baseia-se no efeito fotoelétrico,
que rendeu ao físico Albert Einstein o Prêmio Nobel de 1921, por
sua explicação de 1905. No experimento para observação desse
efeito, incide-se um feixe de luz sobre uma superfície metálica
polida, localizada em uma região sob uma diferença de potencial
V, conforme a figura, e mede-se o potencial freador que faz ces-
sar a corrente entre os eletrodos, sendo este o Potencial Limite.
O gráfico representa a dependência entre o Potencial Limite e a
freqüência da luz incidente sobre a superfície de uma amostra de
níquel.
Tendo em vista o exposto, responda:

Dado: constante de Planck h = 6,6×10–34 J.s


a) Qual é a menor freqüência da luz, em Hertz, que consegue
arrancar elétrons da superfície do metal?
b) Para o potencial de 1,5 V, qual é a energia cinética (em joules)
do elétron ejetado da superfície do metal?
RESOLUÇÃO OFICIAL - UFG/GO-2009.1:
a) Pela figura, f0 = 1,2×1015 Hz.
b) A energia de um fóton é:
K = hf – W = h(f – f0) = 6,6 x 10–34 x 0,1 x 10+15
K = 6,6 x 10–20J

japizzirani@gmail.com
80
VESTIBULARES 2009.2 (UFG/GO-2009.2) - RESPOSTA: 30 anos
Segundo a Teoria da Relatividade Restrita de Albert Einstein, o
tempo transcorre de maneira diferente para observadores com
velocidades diferentes. Isso significa que, para um observador
(UNIFOR/CE-2009.2) - ALTERNATIVA: C em um referencial fixo, transcorre um intervalo de tempo t entre
Analise as propriedades dos raios emitidos pelos núcleos de subs- dois eventos, enquanto para um observador em um referencial
tâncias radiativas naturais.
que viaja com uma velocidade constante v , em relação ao
I. Elétrons, com alcance limitado em meios metálicos.
referencial anterior, o intervalo de tempo entre os mesmos even-
II. Caráter idêntico ao de Raios X, com grande penetração nos
tos será t' . Os dois intervalos de tempo estão relacionados por
meios materiais.
III. Núcleo do elemento He, com alcance bastante limitado em t’
relação aos demais raios. t= ,
2
As propriedades I, II e III são características associadas, correta v
1– c
e respectivamente, a raios
a) alfa, beta e gama.
b) alfa, gama e beta. que representa uma dilatação temporal. Nesta expressão, c é a
*c) beta, gama e alfa. velocidade da luz no vácuo. Com esta teoria surge o paradoxo
d) beta, alfa e gama. dos gêmeos: para o piloto de uma espaçonave que realizou uma
e) gama, alfa e beta. viagem espacial, com uma velocidade constante de 0,8c, trans-
correram 18 anos até o seu retorno à Terra.
Para o gêmeo que ficou na Terra, calcule quanto tempo durou a
viagem do seu irmão, o piloto.
(UFG/GO-2009.2) - ALTERNATIVA: C
A matéria é constituída por átomos que, por sua vez, são consti- (PUCRS-2009.2) - ALTERNATIVA: A
tuídos por elétrons, prótons e nêutrons. No Modelo Padrão pro- Um dos cientistas mais populares da atualidade é Albert Einstein,
posto por Murray Gell-Mann em 1963, os prótons e os nêutrons principalmente pela conhecida Teoria da Relatividade. Entretan-
são formados por um conjunto de partículas ainda menores, os to, foi a sua explicação sobre o chamado Efeito Fotoelétrico que
quarks. Há seis tipos de quarks: up, down, charm, strange, top e resultou em um Prêmio Nobel, em 1921. O efeito fotoelétrico
bottom. Os prótons e os nêutrons são constituídos somente por consiste em arrancar elétrons de um metal pela incidência de
quarks up de carga (2/3)e e quarks down de carga –(1/3)e sendo radiação eletromagnética de certa frequência. A base dessa teo-
e o módulo da carga fundamental. Apesar de suas cargas serem ria consiste no fato de que toda radiação eletromagnética, se-
fracionárias, os quarks não são encontrados livres, logo a carga gundo Einstein, é constituída por quanta (plural de quantum) de
fundamental continua sendo e . Portanto, os prótons e nêutrons energia, os fótons.
são constituídos, respectivamente, por Ainda de acordo com essa teoria, a energia de cada fóton é dada
a) 3 down e 1 down + 1 up. por E = hf, onde h representa a constante de Planck e f represen-
b) 3 up e 1 down + 1 up. ta a frequência da radiação.
*c) 2 up + 1 down e 2 down + 1 up. Sobre o efeito fotoelétrico, então, é correto afirmar que
d) 2 up + 1 down e 1 down + 2 up. *a) independentemente do número de fótons da radiação inci-
e) 1 up + 2 down e 2 down + 1 up. dente, cada fóton só arrancará um elétron se a energia desse
fóton for suficiente para tal.
b) qualquer que seja a frequência da radiação incidente, os fótons
(IFGO/CEFETGO-2009.2) - ALTERNATIVA: E terão energia para arrancar elétrons do metal sobre o qual incidem.
c) quanto maior for o número de fótons da radiação incidente
Uma Arlinda Mulher sobre um metal, mais elétrons serão arrancados, independente-
(Mamonas Assassinas) mente da sua energia.
“...Você foi d) quanto maior for o comprimento de onda dos fótons da radia-
Agora a coisa mais importante ção incidente, mais elétrons serão arrancados.
que já me aconteceu neste momento e) quanto maior for a velocidade dos fótons da radiação inciden-
Em toda a minha vida te, mais elétrons serão arrancados.
Um paradoxo do pretérito imperfeito
(IFMG/CEFETMG-2009.2) - ALTERNATIVA: E
Complexo com a Teoria da Relatividade
Einstein deixou um grande legado para humanidade, ao apre-
Num momento crucial.”
sentar de forma brilhante a Teoria da Relatividade Restrita. Se-
gundo essa teoria, para uma partícula que se move com veloci-
A Teoria da Relatividade, assim como a Mecânica Quântica, são
dade próxima à da luz, grandezas físicas como tempo, espaço e
duas teorias que surgiram no início do século XX para explicar
massa, respectivamente,
fenômenos novos que a Física Clássica não explicava. Sobre
a) dilata, dilata, diminui.
estas teorias, analise os itens a seguir. Considere t = t’× 1– v2/ c2 b) dilata, contrai, diminui.
I – Quanto mais intensa for uma luz que incida em uma placa c) contrai, contrai, diminui.
metálica, maior será a energia cinética dos elétrons extraídos d) contrai, dilata, aumenta.
pelo efeito fotoelétrico. *e) dilata, contrai, aumenta.
II – Existem fenômenos em que a luz se comporta como onda e
existem outros em que a luz se comporta simultaneamente como (IFMG/CEFETMG-2009.2) - ALTERNATIVA: D
onda e como partícula. Considerando as propriedades das radiações que constituem o
III – Para um astronauta que esteja em uma espaçonave a 80% espectro eletromagnético,
da velocidade da luz em relação à Terra, enquanto se passa 1 a) os raios gama podem ser gerados por partículas excitadas.
hora, para nós aqui na Terra teriam se passado 100 minutos. b) os raios infravermelhos são emitidos por partículas nucleares.
São verdadeiros: c) os raios X conseguem penetrar em regiões de altas densida-
a) Todos. des.
b) Nenhum. *d) os raios lasers são radiações constituídas de uma única fre-
c) Apenas o item I. qüência.
d) Apenas o item II. e) os raios ultravioletas são emitidos pelos núcleos de corpos
*e) Apenas o item III. aquecidos.

japizzirani@gmail.com
81
(UNIMONTES/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: A (UEG/GO-2009.2) - ALTERNATIVA: A
A exemplo de outras grandes descobertas científicas importan- A figura abaixo descreve o efeito fotoelétrico.
tes, a dos raios X aconteceu por acidente. Em 1895, Wilhelm
Roentgen, físico alemão, enquanto realizava uma experiência com
feixes de elétrons em um tubo de descarga de gás, percebeu
que uma tela fluorescente em seu laboratório começava a brilhar
quando o feixe de elétrons era ligado. Ele sabia que material
fluorescente normalmente brilha ao reagir com radiação eletro-
magnética, mas, naquela situação, o tubo de Roentgen estava
rodeado com papelão grosso e preto e o papelão, ao contrário do
que ele esperava, não estava bloqueando a radiação. Roentgen
fez outros testes, colocando vários objetos entre o tubo e a tela,
observando o mesmo fenômeno. Finalmente, ele colocou a pró-
pria mão na frente do tubo e observou a silhueta de seus ossos
projetada na tela fluorescente. Roentgen acabava de descobrir
os raios X (nome dado por ele àquela radiação) e uma de suas
aplicações mais importantes.
Essa extraordinária descoberta possibilitou grandes avanços na Esse experimento contribuiu para a descoberta da
história humana, em especial na área médica. A tecnologia de- *a) dualidade onda-partícula da luz.
senvolvida a partir dos raios X permite a observação, através dos b) energia de ionização dos metais.
tecidos humanos, de ossos quebrados, cavidades e objetos que c) emissão contínua de radiação por um corpo aquecido.
foram engolidos. Procedimentos com raios X modificados po- d) descrição da ligação química entre elementos metálicos.
dem ser usados para examinar tecidos mais moles, como os pul-
mões, os vasos sanguíneos ou os intestinos. Finalmente, os fei-
xes colimados de raios X têm sido cada vez mais utilizados no (UCS/RS-2009.2) - ALTERNATIVA: E
tratamento do câncer e, em muitos casos, tem-se conseguido a A teoria sobre a origem do Universo cientificamente mais aceita
cura. hoje é a do Big Bang, que afirma que tudo foi criado a partir de
Fig 34 2009 FMD
uma grande explosão, bilhões de anos atrás. Uma das mais for-
tes evidências de que a teoria faz sentido foi obtida pelo satélite
COBE. Ele, na década de noventa, detectou fótons de grande
comprimento de onda, possivelmente criados pouco depois do
Big Bang e espalhados por todo o espaço de forma anisotrópica,
o que explicaria a formação das galáxias. Fótons são
a) ondas com massa de repouso que compõem o núcleo atômi-
co junto com os prótons.
b) ondas com massa de repouso e sem frequência.
c) partículas sem massa de repouso e com carga elétrica positi-
va.
d) partículas sem massa de repouso e com carga elétrica nega-
tiva.
*e) partículas sem massa de repouso associadas à radiação ele-
tromagnética.

(UFU/MG-2009.2) - ALTERNATIVA: D
Considere as seguintes afirmativas.
I - Os satélites artificiais que giram ao redor da Terra estão em
constante queda livre para a Terra, embora sem atingila.
II - O efeito fotoelétrico consiste na emissão de elétrons de um
Na Física, os raios X são utilizados em diversas técnicas experi-
metal, e sua ocorrência depende da intensidade da radiação ele-
mentais. Ao incidir sobre uma placa metálica, por exemplo, eles
tromagnética incidente no metal.
podem transferir energia para a placa. A energia é transferida em
III - De acordo com a Mecânica Quântica, tanto a matéria quanto
pacotes, ou quanta de energia. Esses pacotes são denominados
a energia podem exibir um comportamento ondulatório ou
fótons e sua energia E depende da frequência f da radiação, E =
corpuscular, dependendo da interação física envolvida.
h.f , h é a constante de Planck. Ao mesmo tempo, os raios X
Assinale a alternativa correta.
comportam-se como radiação eletromagnética e, portanto, apre-
a) Apenas I e II estão corretas.
sentam características ondulatórias, valendo a relação c = .f ,
b) Apenas II e III estão corretas.
em que c é a velocidade da luz no vácuo, é o comprimento de c) Apenas I está correta.
onda e f a frequência. *d) Apenas I e III estão corretas.
Com base no texto anterior, responda à seguinte questão:
Dois feixes de raios X, I e II, incidem sobre uma placa metálica e
são totalmente absorvidos por ela. O comprimento de onda do (UFPel-2009.2) - ALTERNATIVA: B
feixe I é duas vezes maior que o comprimento de onda do feixe Nas cintilografias ósseas, injeta-se um contraste radioativo que
II. é absorvido pelos ossos como se fosse cálcio. A meia-vida da
Ao serem absorvidos, um fóton do feixe I transfere à placa de substância radioativa é de 7 horas.
chumbo uma energia E1 e um fóton do feixe II, uma energia E2. É Baseado na Física Moderna e no texto, após 21 horas, qual será
CORRETO afirmar que o percentual da substância radioativa presente no corpo?
*a) E1 = E2 / 2. a) 6,25%.
*b) 12,5%.
b) E1 = E2 / 3.
c) 21%.
c) E = 2E2. d) 50%.
d) E1 = 6E2. e) 25%.

japizzirani@gmail.com
82
(UFMS-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 012 (004+008)
Uma das tecnologias renováveis de geração de energia elétrica
é a célula fotovoltaica que, sob a ação da luz solar que incide
sobre ela, gera a ejeção de elétrons que podem ser coletados na
forma de corrente elétrica, veja a Figura 1. Por outro lado, um
outro dispositivo, com função inversa, é a tela de osciloscópios
semelhante às de TV, que, sob a ação de um feixe de elétrons
que incide sobre ela, gera a emissão de luz, veja a Figura 2. Com
fundamento nesses dois fenômenos, assinale a(s) afirmação(ões)
correta(s).

(001) Quando a luz colide na célula fotovoltaica, os fótons são


transformados em elétrons.
(002) Quando o feixe de elétrons colide na tela do osciloscópio,
os elétrons perdem suas cargas e transformam-se em fótons.
(004) Os fótons de luz mais energéticos correspondem à luz de
menores comprimentos de onda.
(008) A luz emitida pela tela do osciloscópio na faixa do espectro
visível, é proveniente de transições de elétrons entre as cama-
das eletrônicas dos átomos que compõem a tela.
(016) O processo que ocorre na tela do osciloscópio é chamado
de efeito fotoelétrico.

(UEM/PR-2009.2) - RESPOSTA: SOMA = 21 (01+04+16)


Com relação a ondas eletromagnéticas, assinale o que for cor-
reto.
01) No vácuo, os vetores E e B de uma onda eletromagnética
são perpendiculares.
02) As microondas possuem comprimentos de onda maiores que
as ondas de rádio FM (frequência modulada).
04) As ondas eletromagnéticas são ondas transversais, que po-
dem ser polarizadas.
08) Quanto menor o comprimento de onda de uma onda eletro-
magnética do espectro eletromagnético, menor será sua ener-
gia.
16) Para calcularmos a intensidade de uma onda eletromagnéti-
ca que se propague no vácuo, devemos conhecer somente o
módulo do vetor campo elétrico ou o módulo do vetor campo
magnético associado à onda.

(IFSP-2009.2) - ALTERNATIVA: A
Pode-se dizer que a Física Moderna teve seu ponto de partida
com Max Planck admitindo a quantização de energia dos
osciladores harmônicos na cavidade de um corpo negro, para
explicar o espectro da radiação emitida, embora as raias de emis-
são dos elementos já fosse uma pista. Posteriormente, uma gran-
de contribuição foi dada por Schroedinger e Heisenberg, entre
outros tantos contribuíram para a solidificação da Mecânica
Quântica. Uma surpreendente descoberta foi a de que fótons
transportam quantidade de movimento. Considere um fóton de
frequência 11,2×1014 Hz, a constante de Planck igual a 6,63 ×
10–34 J.s e a velocidade da luz igual a 3×108 m/s. A quantidade
de movimento transportada por esse fóton é
*a) 2,47×10–27 kg.m/s.
b) 5,06×10–16 kg.m/s.
c) 1,77×10–12 kg.m/s.
d) 2,22×10–17 kg.m/s.
e) 3,12×10–19 kg.m/s.

japizzirani@gmail.com
83