P. 1
Slide- VMI- Meiry - ok!

Slide- VMI- Meiry - ok!

|Views: 230|Likes:
Publicado porMeiryGomes

More info:

Published by: MeiryGomes on May 08, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/27/2014

pdf

text

original

ASSOCIAÇÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIÁS ± AECG FACULDADE PADRÃO

EDUCAÇÃO CONTINUADA DO ENFERMEIRO NA ASSISTÊNCIA DO PACIENTE SOB VENTILAÇÃO MECÂNICA INVASIVA.
DANIEL LESSA DUARTE DANIELA SILVA FARIA MEIRY HELENA GOMES RENATO GRACIANO DE SOUZA PROFª ORIENTADORA: MESTRANDA MARIA SOCORRO DE S. MELO

GOIÂNIA 2010

INTRODUÇÃO ³O ventilador mecânico é um aparelho de respiração com pressão positiva ou negativa que podem manter a ventilação e administração de oxigênio por um período prolongado´ (BRUNNER & SUDDARTH. . 2005 p. 649).

INTRODUÇÃO ³Torna-se impensável tentar a manutenção da vida do paciente agudo e grave sem contar com a ajuda da ventilação mecânica. tendo o profissional Enfermeiro a responsabilidade e direito em participar da assistência ventilatória. PARANHOS. . pois é um dos principais recursos de suporte a vida. 2007). passando o maior tempo com o paciente e reconhecendo suas necessidades´ (CALL.

OBJETIVOS Objetivo Geral Avaliar se o Enfermeiro intensivista assistencialista tem buscado melhorar o conhecimento sobre Ventilação Mecânica Invasiva. Descrever as ações do Enfermeiro na assistência ao paciente tendo em vista o processo de Enfermagem. . Objetivos específicos Enfatizar como o Enfermeiro poderia planejar para prevenir complicações em paciente sobre Ventilação Mecânica Invasiva. Descrever sobre a importância da educação continuada para o aprimoramento do Enfermeiro acerca da Ventilação Mecânica.

Critérios de Inclusão Critérios de exclusão Coleta de dados Análise e discussão dos dados .METODOLOGIA Estudo descritivo com método qualitativo.

compete o mesmo a identificação preventiva de possíveis eventos adversos. 2007). as funções principais incluem avaliar uma resposta do paciente a terapia de ventilação. analisando a reação do paciente frente o uso do ventilador. .ANÁLISE E DISCUSSÃO O PAPEL DO ENFERMEIRO NA UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA Sendo o Enfermeiro o responsável pela atenção as preocupações físicas e psicológicos de um paciente e da família. Sendo Assim. utilizar práticas e técnicas de segurança e monitorar com cuidado possíveis complicações (TAYLOR et al.

‡ Conter o paciente no leito. ‡ Monitorar padrões respiratórios. . ‡ Realizar aspiração traqueal (KNOBEL. ‡ Conferir parâmetros instituídos do paciente. 2006).CONDUTAS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE SUBMETIDO A VENTILAÇÃO MECÂNICA INVASIVA ‡ Testar o ventilador mecânico. ‡ Manter o paciente em decúbito elevado. ‡ Avaliar adequadamente a cânula traqueal.

Prescrição de Enfermagem. Diagnóstico de Enfermagem. 2009). Relatório de Enfermagem (COFEN. Exame físico. Evolução da Assistência de Enfermagem.2009). É composta pelo Histórico de Enfermagem. .SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA EM ENFERMAGEM NA EDUCAÇÃO CONTINUADA EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA A sistematização da assistência de Enfermagem (SAE) configura-se como uma metodologia para organizar e sistematizar o cuidado com base nos princípios do método científico (TRUPPEL.

devido à inadequação da infra-estrutura e a falta de planejamento em parceria com a equipe de saúde. treinamentos e cursos emergenciais ou pontuais. estruturados e contínuos (SILVA. Resolução COFEN 311/2007 do Código de Ética de Enfermagem. a participação do Enfermeiro na Educação continuada ainda é baixa. De acordo com o estudo. SEIFFERT. . 2009). os processos educativos visam ao desenvolvimento dos profissionais por uma série de atividades genericamente denominadas de capacitações.A IMPLEMENTAÇÃO DA EDUCAÇÃO CONTINUADA NA ASSISTÊNCIA À PACIENTES SOB VENTILAÇÃO MECÂNICA INVASIVA Nos serviços de saúde.

Além da elevação do nível de conhecimento do profissional a Educação continuada contribuirá para a redução de morbimortalidade. riscos de infecção. . Devendo o Enfermeiro trabalhar em parceria com a instituição e a equipe multiprofissional para o melhor desenvolvimento dos cursos. a tempo redução de de internação gastos e consequentemente tanto hospitalares quando do familiar. ocorrências iatrogênicas.

sendo este a peça-chave para um bom andamento da assistência de Enfermagem. considerando que o desenvolvimento da equipe de Enfermagem é de inteira responsabilidade e dever do Enfermeiro com o apoio da instituição. devendo o enfermeiro considerar a necessidade das ferramentas Sistematização da Assistência de Enfermagem e Educação continuada como suporte para a aquisição da autonomia.CONSIDERAÇÕES FINAIS Diante dos resultados obtidos. . constata-se que os Enfermeiros de Unidade de Terapia Intensiva não tem buscado o aprimoramento do seu conhecimento através da Educação continuada de forma satisfatória.

Espera-se como resultado desta pesquisa o incentivo dos acadêmicos de Enfermagem na busca do aprimoramento do conhecimento técnico ± científico sobre a Ventilação Mecânica Invasiva. através da disponibilização faculdade. deste trabalho na biblioteca da .

J. L.scielo.pdf.br/pdf/rbti/v19n4/a08v19n4. Acesso em: 23 de mar. 2010. Vol.. Segurança e Qualidade. BRUNNER & SUDDARTH. A legislação e a sistematização da assistência de enfermagem. 01.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BARROS.B.. Central de Ventiladores Mecânicos: Organização. Disponível em: http://www. pp.A. L. 2010. 2005 pp 650. 655. PAULA. Editora Guanabara Koogan: Rio de Janeiro. de. de L.A. A. .de.C. Tratado de enfermagem médico-cirúrgico. LOPES.L. M. G. K. 63-64. E. BATISTA. 10ª ed. ALCÂNTARA. Revista oficial do Conselho Federal de Enfermagem agosto.

CALL. W. Editora Ave Maria: São Paulo. 2ª ed. Visão e Conduta do Enfermeiro (a) acerca da Ventilação Mecânica.. pp.Y. 2010. NISHIDE. 2007. Assistência de enfermagem ao paciente gravemente enfermo. 164ª ed.A. Editora Atheneu: São Paulo.401. 2005 pp. PARANHOS.com/articles/16441/1/Visao-econduta-do-Enfermeiroa-acerca-da-ventilacaoMecanica/pagina1. Editora Atheneu: São Paulo. pp. J. NUNES. 277. Acesso em: 26 de março.M.280. A.html. A. O Enfermeiro e as situações de emergência. 2005. E. 354-355. CINTRA. Bíblia Sagrada. U.webartigos. W. de. A. CIRINEU. CASTRO. Disponível em: http://www. P.M. J.A. .

2006 pp. KNOBEL. .portalcofen.nas instituições de saúde Brasileiras. Disponível em: http://site. Terapia Intensiva: Enfermagem. Editora Atheneu: São Paulo ± SP. Código de Ética dos Profissionais de Enfermagem.br/node/4309 Acesso em: 22/09/2010.portalcofen.br/node/4394 Conselho Federal de Enfermagem Resolução COFEN 272/2002.gov. Sistematização da Assistência de Enfermagem ± SAE.Conselho Federal de Enfermagem Resolução Cofen nº 311/2007. 137-141. E. Disponível em: http://site.gov.

MURTA. 2002.pdf. Saberes e Práticas.MENDONÇA. Editora Difusão: São Paulo ± SP vol. (e col. 333. Editora ALFA. 2003 pp. pp. 3º ed. A.unifesp.RJ. S. Disponível em: http://www. 20-21.de. 334. A. .F e col. Goiânia: Faculdades Alves Faria.br/denf/acta/2001/14_2/pdf/art1. K. Acesso em: 03 de mar. 2010 NET.F. 4 pp. & PADILHA. 1-2.) Metodologia cientifica: guia para elaboração e apresentação de trabalhos acadêmicos. R. BENITO. MOREIRA. G..M. Ocorrências Iatrogênicas com Pacientes Submetidos à Ventilação Mecânica em Unidade de Terapia Intensiva.G. 5ª ed. Editora Revinter: Rio de Janeiro . Ventilação Mecânica.

O. NET. Ventilação Mecânica. Fundamentos de enfermagem: a arte e a ciência do cuidado de enfermagem. Editora Revinter: São Paulo -SP 2002 pp 1-2 SILVA.br/scielo. Princípios e práticas de ventilação mecânica. 5ª ed. 1-4. G. SEIFFERT. Acesso em: 08 de mai. 2010 pp.php?pid=S003471672009000300005&script=sci_arttext. 3º ed. M. J. TAYLOR. S. Editora Artmed.SARMENTO. 1441. C. V. . L. pp. B.. À. da. BENITO.M. G. Editora Malone: Barueri-SP. Porto Alegre. et al.1446. Educação continuada em enfermagem: uma proposta metodológica. 1ª ed. 2009. Disponível em: http://www.scielo. 2007.

br/revistaonline/arquiv os/divani_uti.pdf Acesso em: 24/04/10. A.scielo. Disponível em: http://www. Acesso em 25 de ago. O Enfermeiro de Unidade de Tratamento Intensivo: Refletindo sobre seu Papel. VARGAS. Sistematização da Assistência de Enfermagem. A. L. GONÇALVES. 115. P.Disponívelem:http://www.. 2008 pp. Editora Guanabara Koogan. D. Sistematização da Assistência de Enfermagem em Unidade de Terapia Intensiva. 2008. M. de & BRAGA.TRUPPEL. C.C. TANNURE. 1ª ed. . 2010.pdf.br/pdf/reben/v62n2/a08v62n2. M.fafibe. T. Rio de Janeiro.

OBRIGADO! .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->