P. 1
Tcc Asilamento Idoso

Tcc Asilamento Idoso

4.78

|Views: 24.073|Likes:
Publicado porapi-3704555

More info:

Published by: api-3704555 on Oct 15, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/11/2014

pdf

text

original

A Sociedade de Assistência à Velhice Desamparada, de acordo com o Estatuto

da Instituição aprovado em 27 de junho de 2000 (Anexo C), foi fundada em 03

(três) de junho de 1940 e desde então está localizada rua Anselmo Serrat, n.º

250 – Ilha de Monte Belo em Vitória-ES.

É uma sociedade civil, beneficente, sem fins lucrativos. A sociedade tem por

objetivo principal “tomar a seu cargo, na medida do possível, a proteção e a

assistência moral e material à velhice necessitada, socorrendo-a, asilando-a e

promovendo recursos indispensáveis a seu bem estar” (Artigo 2º do Estatuto).

A administração é composta por uma Diretoria e um Conselho Fiscal, que por

sua vez são compostos por sócios reconhecidamente solidários com os fins

humanitários da instituição. Há sócios fundadores – os que assinaram a ata de

fundação da sociedade; Sócio contribuintes – os que contribuem com qualquer

importância mensal para a manutenção da sociedade e desenvolvimento de

seu objeto; Sócios benfeitores – pessoas físicas ou jurídicas que contribuem

com quantias em dinheiro, com imóveis ou móveis, ou ainda que houveram

prestado relevantes serviços à entidade (Artigo 4º do Estatuto)

A instituição mantém convênio com a Prefeitura Municipal de Vitória- SEMAS,

(Anexo A) recebendo mensalmente a quantia de R$ 14.400,00 (quatorze mil e

quatrocentos reais) que são utilizados no pagamento de pessoal – assistente

social, psicólogo, fisioterapeuta, motorista, cuidadores. O objeto deste convênio

consta como,

cooperação técnica-financeira para prover a Sociedade
de Assistência à Velhice desamparada – Asilo dos
Velhos, de suporte técnico, administrativo e financeiro,
voltados para a qualificação do atendimento integral a
idosos asilados (Vitória, 2007).

A Instituição conta com 61 (sessenta e hum) funcionários que integram o seu

quadro de serviços, distribuídos entre 01 enfermeira, 11 técnicos de

enfermagem, 13 cuidadoras, 01 servente, 03 motoristas, 16 auxiliares de

serviços gerais, 04 vigias, 01 Assistente Social, 01 nutricionista, 01

psicoterapeuta, 01 digitadora, 01 gerente administrativo, 01 jardineiro, 02

21

lavadeiras, 01 costureira, 02 cozinheiras, 01 auxiliar de cozinha, conforme

entrevista com a administração. A instituição recebe a colaboração de quatro

médicos geriatras, que são contratados pelo CRAI/SEMUS/PMV que também

presta serviços médicos aos idosos internos.

O Asilo conta ainda com 05 voluntários, que prestam seus serviços sem fim

lucrativo, de acordo com uma escala pré-estabelecida. Eles conversam com os

idosos, informando-se de suas necessidades, e proporcionam a eles alguns

tipos de brincadeiras e atividades ocupacionais, ajudam no bazar afim de

arrecadar fundos.

NÚMERO DE INTERNOS E ACOMODAÇÃO

O Asilo Monte Belo mantêm atualmente 92 idosos internados, sendo 40

acamados e a capacidade máxima é de 100 internos. O prédio tem uma

grande varanda, 20 quartos com banheiro, em cada quarto ficam até oito

idosos, as camas são de ferro e, ao lado de cada uma, há uma pequena mesa

ou criado, onde o idoso tem a liberdade de guardar seus objetos pessoais e até

mesmo manifestar seu credo religioso. Os guardas roupas são

compartilhados.

Há uma sala onde fazem as refeições e também onde fica um aparelho de TV,

e um outro cômodo com uma pia, onde os utensílios utilizados durante as

refeições são lavados.

Os alimentos são preparados numa cozinha central bem equipada, localizada

ao lado do refeitório. As comidas preparadas são levadas para alguns dos

idosos acamados pelas irmãs de caridade ou outros funcionários. Os demais

fazem suas refeições no refeitório.

A enfermaria tem as seguintes dependências: três quartos, com 11 leitos que

acomodam os doentes com problemas de saúde mais sérios, uma rouparia, um

consultório médico e uma farmácia.

22

A administração fica no mesmo prédio do refeitório. A forma como estão

dispostos os jardins e as outras áreas verdes cultivadas não favorece

caminhadas muito longas para os idosos.

OS CRITÉRIOS DE SELETIVIDADE PARA INTERNAMENTO

As condições de internamento no asilo monte belo são viabilizadas de acordo

com a existência de vagas na Instituição, a falta de recursos financeiros do

candidato, a impossibilidade de viver só, e/ou a ausência de problemas mais

sérios de saúde além de o idoso não estar acamado.

A idade mínima para internação é de sessenta e cinco anos e a máxima 103

anos, porém há a possibilidade de flexibilização, pois é possível uma avaliação

individual dos casos , através de análise minuciosa da ficha do candidato, para

verificar a verdadeira necessidade. Segundo relatório do CRAI (Vitória, 2006)

há residentes com idade inferior a 60 anos. Para a internação, o acompanhante

preenche uma ficha de admissão, com dados pessoais do interessado, dados

do responsável e a história familiar e pessoal do idoso. Estas fichas não foram

disponibilizadas pela administração do Asilo para esta pesquisa.

Segundo a superintendente do Asilo, irmã Maria do Carmo, a procura por

internamento é maior do que o número de leitos disponíveis. A iniciativa de

internamento muitas vezes é da família, do próprio idoso e ainda de vizinhos e

instituições religiosas, que identificam idosos abandonados ou maltratados. É

importante o consentimento do idoso em residir na Instituição, embora a

pesquisa aponte casos em que isso não ocorre.

CARACTERIZAÇÃO GERAL DOS IDOSOS RESIDENTES

Nessa caracterização serão considerados os dados levantados de 23 de junho

a 22 de agosto de 2006, por profissionais do Centro de Referência de

Atendimento ao Idoso – CRAI/SEMUS/PMV. A coleta de informação foi feita

através de entrevistas com os 103 idosos residentes.

23

Os idosos residentes no asilo são procedentes de diversos municípios,

somente 10 são de Vitória, 59 são de outros municípios e demais não

souberam informar sua procedência, o que aponta uma perda de suas

referências.

Foi observado que a maioria dos idosos tem menos de 5 anos de

institucionalização (56%), e que 16% tem mais de 11 anos. O maior número é

de mulheres.

O maior percentual de idoso encontra-se na faixa etária acima de 80 anos

(40%); entre 71 a 80 anos, 36% e entre 60 a 70 anos 16%. Foi relatado ainda

que, 8% dos internos têm menos que 60 anos.

Todos os residentes têm sintomas de doenças e necessitam de cuidados

especiais, direta ou indiretamente, 31% estão restrito ao leito, e grande parcela

tem limitações cognitivas e físicas. Quanto ao grau de dependência, de acordo

com a avaliação feito pela equipe do CRAI, 60% dos idoso encontram-se no

grau de dependência II, o restante grau de dependência I 1
.

A maioria dos idosos não soube informar sua situação sócio econômica e

afirmaram não ter acesso a nenhuma quantia de dinheiro em espécie. O grau

de escolaridade é muito baixo entre os internos.

A equipe do CRAI faz um relato acerca da integração social dos idosos, em

especial com a família que nos remete a uma reflexão sobre a condição do

idoso asilado, concordando com Norbert Elias7 (2001, p. 86) quando afirma

que,

“ Muitos asilos são verdadeiros deserto de solidão”:

Identificamos que os idosos não exercem nenhum tipo de
atividades física ou social, ocasionando um isolamento
completo com o mundo externo à instituição, provocando
também uma rotina cotidiana apática, impossibilitando a

1

Grau II: Idoso com dependência em até três atividades de auto cuidado para a vida diária, tais como:
alimentação, mobilidade, higiene, sem comprometimento cognitivo ou com alteração cognitiva
controlada. GRAU I: Idoso com dependência em uma ou duas atividades de auto cuidado para a vida
diária.

24

perspectiva de projetos de vida que viabilizassem a
valorização da autonomia e auto estima dos residentes.
Destacamos que esse isolamento afeta principalmente os
acamados localizados em áreas específicas que não
possuem contato nem com os demais residentes, uma
vez que, a instituição não possui nenhuma alternativa de
socialização dos mesmos, que ficam restritos ao leito e
não tomam nem banho do sol (VITÓRIA, 2006).

25

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->