Você está na página 1de 46

Indicadores de Saúde

(Ref. Epidemiologia, RA Medronho, Ed. Atheneu, 2007)

Conceitos em saúde
- saúde vs doença
- sadios doentes vs doentes sadios

Obs. Estado de saúde é sempre um referencial.


Logo, as definições podem variar de forma
importante de acordo com os referenciais
usados em cada situação.
Indicadores de Saúde
Indicadores de Qualidade de Vida
2.1. Indicadores individuais: questionários
WHOOL (5 dominios)
2.2. Indicadores coletivos ou sociais
- escolaridade
- renda (total, forma de distribuicao)
- paridade
- acesso ao lazer
- empregabilidade
- acesso a bens e serviços públicos (água,
esgotamento sanitário, transporte, saúde)
- outros
Indicadores de Saúde
A saúde como indicador da qualidade de vida
- Modelo 1: história natural das doenças
(Estratégias de prevenção)
- Modelo 2: estilo de vida e serviços de saúde
- Modelo 3: saúde vs modo de produção
Indicadores de Saúde
- Os indicadores de saúde são muito diferentes em
sociedades diferentes, pois o conceito de saúde é
complexo, dependendo de contextos sociais e
culturais.”

- Busca por indicadores internacionais que permitam


comparar diferentes contextos sócio-culturais e que
apóiem em dados tão objetivos quanto possível.

- Escolha de parâmetros de morbidade e mortalidade


para se aferir a “saúde” de diferentes populações.
(aferidores enviezados)
Utilidade dos Indicadores de Saúde
Segundo a OMS, os indicadores de saúde visam a:
 Prover dados necessários para o planejamento e
avaliação dos servicos de saúde.
 Identificar os fatores determinantes das doenças,
permitindo otimizar medidas de prevenção.
 Avaliar os métodos utilizados na prevenção e
tratamento das doenças.
 Descrever a história natural das doenças
 Colocar à disposição dos indivíduos conhecimentos
e tecnologias que possam promover a saúde
individual a partir de medidas de alcance coletivo.
Principais indicadores de saude
- Os principais indicadores de saude aferem, na verdade, a
prevalencia e incidencia de doencas.
- O conceito de saúde é muito amplo para ser aferido objetivamente
- A percepção da doença é mais fácil

Expressao dos indicadores de saude:


- Proporcões
- Coeficientes ou taxas
Principais indicadores de saude
Proporção:
É uma razão ou quociente entre duas frequências de mesma
unidade onde o numerador é contido no denominador. Logo, a
esse tipo de indicador terá valores de 0 a 1. Para facilitar a
comprennsão é, muitas vezes, expresso sob a forma de
porcentagem.

Ex. Mortalidade geral do DIC no Brasil foi de 7%


= [N óbitos por DIC / N total de óbitos]
= [N óbitos por DIC / (N óbitos por DIC + N outros)]
Principais indicadores de saude
Proporção:
É uma razão ou quociente entre duas frequências de mesma
unidade onde o numerador é contido no denominador. Logo, a
esse tipo de indicador terá valores de 0 a 1. Para facilitar a
comprennsão é, muitas vezes, expresso sob a forma de
porcentagem.
Coeficiente ou Taxa:
É uma relação entre dois valores numéricos que expressam
velocidade ou intensidade de um fenômeno, por unidade de
uma segunda variável (em geral o tempo, tamanho da
populacao, etc).
Ex. Mortalidade infantil (1991)
Brasil = 58 obitos/1000 NV Japao = 5 obitos/1000 NV
Principais indicadores de saude
Coeficiente ou Taxa:
E uma relacao entre dois valores numericos que expressam
velocidade ou intensidade de um fenomeno, por unidade de
uma segunda variavel (em geral o tempo, tamanho da
populacao, etc).
Ex. Mortalidade infantil (1990)
Brasil = 58 obitos/1000 NV Japao = 5 obitos/1000 NV
(Expressao de uma intensidade)
_______________________________________________________
1970 1990
Japão 13 5
Brasil 95 58
Índia 137 90
Principais indicadores de saude
Coeficiente ou Taxa:
E uma relacao entre dois valores numericos que expressam
velocidade ou intensidade de um fenomeno, por unidade de uma
segunda variavel (em geral o tempo, tamanho da populacao,
etc).
Ex. Mortalidade infantil (1990)
Brasil = 58 obitos/1000 NV Japao = 5 obitos/1000 NV
(Expressao de uma intensidade)
_______________________________________________________
1970 1990 Dif abs
Japao 13 5 -8
Brasil 95 58 -37
Indica 137 90 -47
Principais indicadores de saude
Coeficiente ou Taxa:
E uma relacao entre dois valores numericos que expressam
velocidade ou intensidade de um fenomeno, por unidade de uma
segunda variavel (em geral o tempo, tamanho da populacao,
etc).
Ex. Mortalidade infantil (1990)
Brasil = 58 obitos/1000 NV Japao = 5 obitos/1000 NV
(Expressao de uma intensidade)
_______________________________________________________
1970 1990 Dif abs Dif rel
Japao 13 5 -8 2.6
Brasil 95 58 -37 1.6
India 137 90 -47 1.5
Principais indicadores de saude
Coeficiente ou Taxa:
E uma relacao entre dois valores numericos que expressam
velocidade ou intensidade de um fenomeno, por unidade de uma
segunda variavel (em geral o tempo, tamanho da populacao,
etc).
Ex. Mortalidade infantil (1990)
Brasil = 58 obitos/1000 NV Japao = 5 obitos/1000 NV
(Expressao de uma intensidade)
_______________________________________________________
1970 1990 Dif abs Dif rel Red%
Japao 13 5 -8 2.6 61,5%
Brasil 95 58 -37 1.6 38,9%
India 137 90 -47 1.5 34,3%
(Expressoes de velocidade de um processo)
Principais indicadores de saude

1) Coeficiente de Mortalidade Geral (CMG)

CMG = [óbitos todas as causas/população] x K

- A população annual é a estimada no meio do ano


- K = geralmente igual a 1000
Obs: Estimativa da população em 30 de junho de cada ano:
- nascimentos
- mortes
- imigração
- emigração
(dificuldades do Brasil em relação a outros países com registros
de área de cobertura de serviços de saúde)
Principais indicadores de saude

1) Coeficiente de Mortalidade Geral (CMG)

CMG = [óbitos todas as causas/população] x K

- A população annual é a estimada no meio do ano


- K = geralmente igual a 1000
Fontes de erro do CGM:
- sub-registro de óbitos
- comparação de populacões de diferentes estruturas
etarias (para isso deve-se fazer ajustes adequados)
Obs. O CMG situa-se em geral, entre 6 e 12/1000 hab-ano
Principais indicadores de saude

2) Mortalidade segundo a idade


2.1. Mortalidade Infantil
TMI = [mortes <1 ano/Nasc vivos] x K
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade
2.1. Mortalidade Infantil
TMI = [mortes<1ano / Nasc vivos] x K
Como o padrão de mortalidade no primeiro ano de vida
varia bastante em função das causas, a TMI pode ser
estimada para diferentes períodos de 1 ano.
a) Taxa de mortalidade neo-natal
TMNN = [mortes 0-27 dias/Nasc vivos] x K
b) Taxa de mortalidade neo-natal precoce
TMNNp = [mortes 0-7 dias/Nasc vivos] x K
c) Taxa de mortalidade neo-natal tardia
TMNNt = [mortes 8-27 dias/Nasc vivos] x K
d) Taxa de mortalidade infantil pós-natal
[TMIpn = mortes28 d-1 ano/Nasc vivos] x K
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade
2.1. Mortalidade Infantil
TMI = [mortes <1 ano/Nasc vivos] x K
a) Taxa de mortalidade neo-natal
TMNN = [mortes 0-27 dias/Nasc vivos] x K
b) Taxa de mortalidade neo-natal precoce
pre-natal, atendimento ao parto e recém-nato, anomalias
congêniras mais graves, etc
c) Taxa de mortalidade neo-natal tardia
TMNNt = [mortes 8-27 dias/Nasc vivos] x K
d) Taxa de mortalidade infantil pos-natal
acompanhamento de saúde de crianças, prevenção, etc
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade
2.1. Mortalidade Infantil
TMI = [mortes <1 ano/Nasc vivos] x K

Limitacoes da mortalidade infantil:


- definicao de “natimorto” e “nascido vivo”
- os indicadores mais sensiveis seriam as
“causas” de morte e não a morte em si.
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade
2.1. Mortalidade Infantil
TMI = [mortes <1 ano/Nasc vivos] x K
Limitacoes da mortalidade infantil:
- definicao de “natimorto” e “nascido vivo”
- os indicadores mais sensiveis seriam as
“causas” de morte e nao a morte em si.
TMI/1000 TMNN (%) TMI diarreia (%)
Japão 4,5 38.9 0,2
Chile 17.1 42.0 2.2
Rio de Janeiro 19.8 50.3 4.9
(Szwarcwald et al., 1997)
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade
2.1. Mortalidade Infantil
TMI = [mortes <1 ano/Nasc vivos] x K
2.2. Proporcao de Mortalidade Infantil
PMI = [mortes <1ano / total de mortes] (%)
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade
2.1. Mortalidade Infantil
TMI = [mortes <1 ano/Nasc vivos] x K
2.2. Proporcao de Mortalidade Infantil
PMI = [mortes<1 ano/ total de mortes] (%)
2.3. Mortalidade Peri-natal
MPN = [mortes(22 sem gest – 168 h pos-natal] / F + NV
F = mortes fetais
NV = nascidos vivos
2.4. Mortalidade com 50 anos ou mais
RMP>50 anos = [mortes >50anos / total de mortes] x 100%
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade
2.1. Mortalidade Infantil
TMI = [mortes <1 ano/Nasc vivos] x K
2.2. Proporcao de Mortalidade Infantil
PMI = [mortes<1 ano/ total de mortes] (%)
2.3. Mortalidade Peri-natal
MPN = [mortes(22 sem gest – 168 h pos-natal]/ F + NV
2.4. Mortalidade com 50 anos ou mais
RMP>50 anos = [mortes >50 a/total de mortes] x 100%
>75%: típico de paises desenvolvidos
50-74%: médio desenvolvimento
25-49%: paíes atrasados
<25%: países ou regiões com alta pracariedade
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade

3) Mortalidade segundo a causa


A “causa” da morte e definida como
a) “a doença ou lesão que conduziram ou que
propiciaram as condiçõess para levar o indivíduo
diretamente à morte”
b) “as circunstâncias da lesão ou acidente que
produziram a lesão fatal”

Os registros da causa referem-se às informações


existentes na Declaração de Óbito (documento
padronizado mundialmente pela OMS)
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade

3) Mortalidade segundo a causa

Os registros podem ser feitos:


- Segundo a causa especifica (ex. Leptospirose,
IAM)
- Grupamento de causas afins (ex. Doenca
isquêmica cardíaca – IAM, angina, etc)
- Grandes agrupamentos de causas (ex.
doencas infecto-contagiosas, neoplasias, DCV)
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade

3) Mortalidade segundo a causa

Os registros podem ser feitos:


- Segundo a causa especifica (ex. Leptospirose, IAM)
- Grupamento de causas afins (ex. Doenca isquemica
cardiaca – IAM, angina, etc)
- Grandes agrupamentos de causas (ex. Doencas,
infecto-contagiosas, neoplasias, DCV, etc).
Este item corresponde aos “capítulos” do Código
Internacional de Doenças (CID/OMS)
Principais indicadores de saúde
Mortalidade Proporcional (Brasil, 1998; DATASUS/2000)
Causa (CID 10 – revisado) Óbitos MP(%)
1. Doenças do Aparelho Circulatório 256.355 27,59
2. Sintomas, sinais e achados anormais, etc 138.613 14,92
3. Causas externas de morbidade e mortalidade 117.603 12,66
4. Neoplasias 110.766 11,92
5. Doença do aparelho respiratório 91.927 9,90
6. Doenças infecto-parasitárias 48.732 5,25
7. Doenças do aparelho digestivo 40.715 4,38
8. Doenças endócrinas, nutricionais e metabólicas 39.819 4,29
9. Afecções originadas no período perinatal 36.189 3,90
10. Doenças do aparelho genitourinário 12.875 1,39
11. Demais causas 35.429 3,81
TOTAL 929.023 100,0
Principais indicadores de saúde
2) Mortalidade segundo a idade
3) Mortalidade segundo a causa
3.1. Mortalidade proporcional (%)
3.2. Taxa de mortalidade por causas
a) Não ajustada (todos os indivíduos)
b) Ajustada por faixa etária
DOENÇAS CARDIOVASCULARES
- Estado atual e Perspectivas -
4. Mortalidade Cardiovascular Precoce no Brasill
(% acumulada de DIC)
Idade BR Arg Ing EUA
<34 anos 2,13 0,75 0,11 0,26
35-44 anos 7,62 3,40 1,04 1,58
45-54 anos 20,1 11,1 4,57 5,59
55-64 anos 41,6 28,9 16,0 16,7
65-74 anos 67,6 55,1 43,0 40,0
(Fonte: Chor e cols., Arq Bras Cardiol, 1995)
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade
3) Mortalidade segundo a causa
3.1. Mortalidade proporcional (%)
3.2. Taxa de mortalidade por causas
a) Nao ajustada (todos os individuos)
b) Ajustada por faixa etaria
Mortalidade (/100 mil, segundo sexo e regiao – 92/93)
Causa Masc Fem
Infecciosas 33.5 22.1
Neoplasias 90.3 74.2
Aparelho circulatorio 226.9 194.5
Aparelho respiratorio 84.8 60.8
Causas externas 148.3 29.5
Principais indicadores de saude
Mortalidade Proporcional (Brasil, 1998; DATASUS/2000)
Causa (CID 10 – revisado) Obitos MP(%)
1. Doencas do Aparelho Circulatorio 256.355 27,59
2. Sintomas, sinais e achados anormais 138.613 14,92
3. Causas externas de morbidade e mortalidade 117.603 12,66
4. Neoplasias 110.766 11,92
5. Doencas do aparelho respiratorio 91.927 9,90
6. Doecas infecto-parasitarias 48.732 5,25
7. Doencas do aparelho digestivo 40.715 4,38
8. Doencas endocrinas, nutricionais e metabolicas 39.819 4,29
9. Afeccoes originadas no periodo perinatal 36.189 3,90
10. Doencas do aparelho genitourinario 12.875 1,39
11. Demais causas 35.429 3,81
TOTAL 929.023 100,0
XVIII: febre, caquexia, parada cardiorrespitatoria, etc. – reflete
qualidade de informacoes em saude.
Evolução da mortalidade
proporcional por grupo de causas

Mortalidade
Proporcional (%) 50
nas capitais: %
45
40
35
• D. Infecciosas e DCV
30
Parasitárias: 25
DIP
NEO
46% em 1930, 20
CE
5% em 2001 15
10
5
• D. cardiovasculares: 0
12% em 1930, 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1985 1990 1995 2000

31% em 2001 * Até 1970, os dados referem-se apenas às capitais

Fonte Barbosa da Silva e cols. In: Rouquairol & Almeida Filho: Epidemiologia & Saúde, 2003 pp. 293.
Análises de Tendências:
30 a 49 anos - Masculino 50 a 64 anos - Masculino >= 65 anos - Masculino
10 100
300

8 80 250
coeficiente de mortalidade

coeficiente de mortalidade

coeficiente de mortalidade
200
6 60

150

4 40
sul sul sul
100
sudeste sudeste sudeste
2 centro-oeste
20 centro-oeste centro-oeste
50
nordeste nordeste nordeste
0 norte 0 norte 0 norte
1980 1985 1990 1995 2000 2005 1980 1985 1990 1995 2000 2005 1980 1985 1990 1995 2000 2005

30 a 49 anos - Feminino 50 a 64 anos - Feminino >= 65 anos - Feminino


10 100 300

250
8 80
coeficiente de mortalidade

coeficiente de mortalidade
coeficiente de mortalidade

200

6 60

150

4 40
sul sul sul
100
sudeste sudeste
sudeste
2 centro-oeste centro-oest
20 centro-oeste
50
nordeste nordeste
nordeste
0 norte 0 norte
0 norte
1980 1985 1990 1995 2000 2005 1980 1985 1990 1995 2000 2005
1980 1985 1990 1995 2000 2005
Mortalidade por DIC – ES(1996/2004)

Mortalidade por DIC em homens, 30-49 anos


padronizada nas macro-regiões; ES - 1996-2004
y = 0,47
R2
30

22,17
19,45
Coef. Mort 100.000 hab.

20

12,39

8,77

10
5,24
5,48

4,11 4,53

0
1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003
Norte Centro Sul
(Andrade & Mill, 2007)
TT do ES Linear (TT do ES)
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade
3) Mortalidade segundo a causa
3.1. Mortalidade proporcional (%)
3.2. Taxa de mortalidade por causas
4) Mortalidade por causas evitáveis
Seriam aquelas mortes que poderiam ser reduzidas
por:
-imunosuprevencao (vacinas)
-controle adequado da gravidez
-adequado atendimento às gestantes (parto e puerperio)
-diagnósticos precoces de processos de alta resolutividade
-tratamentos precoces e adequados
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade
3) Mortalidade segundo a causa
3.1. Mortalidade proporcional (%)
3.2. Taxa de mortalidade por causas
4) Mortalidade por causas evitaveis
5) Mortalidade materna
São decorrentes de complicações da gravidez, parto e
puerpério (período de 42 dias que se segue ao parto).
Ex. Taxa de mortalidade materna por 100 mil nascidos vivos:
1979-81 92,4
1983-85 70,9
1989-91 65,8
1993-95 68,1
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade
3) Mortalidade segundo a causa
3.1. Mortalidade proporcional (%)
3.2. Taxa de mortalidade por causas
4) Mortalidade por causas evitaveis
5) Mortalidade materna
6) Expectativa ou esperança de vida ao nascer
- construída a partir das tábuas de vida (probabilidade
de morte em cada faixa etária)
- não sofre influência da estrutura etária da população
- fácil comparação entre diferentes populações
Principais indicadores de saude
2) Mortalidade segundo a idade
3) Mortalidade segundo a causa
3.1. Mortalidade proporcional (%)
3.2. Taxa de mortalidade por causas
4) Mortalidade por causas evitaveis
5) Mortalidade materna
6) Expectativa ou esperança de vida ao nascer (1991)
Fem Masc
Japão 82 76
Suécia 81 75
Brasil 69 63
Mocambique 48 45
O país envelhece
2000
1980
Entre 1980 e 2000
• Fecundidade: 4,4
para 2,3 filhos por Brasil
mulher
• População de
idosos cresceu
107%, e o grupo até
14 anos apenas -10 -5 0 5 -10
10 -5 0 5 10

14%
• Mortalidade infantil
proporcional:
23,98% para 7,2%
• Proporção de óbitos
em maiores de 50
anos: 48,44% para
67,1%
-10 -5 0 5 10 -10 -5 0 5 10

Região Norte Região Sul


2000 2000
O país envelhece
Esperança de Vida ao Nascer
Brasil, 1985-2001
Brasil
Esperança de vida ao
nascer (EVN) - 44,9
anos em 1940 e 68,55
anos em 2000

FONTE: IBGE, Projeção preliminar da população do Brasil- Revisão


2000.
Principais indicadores de saude
1) Mortalidade geral
2) Mortalidade segundo a idade
3) Mortalidade segundo a causa
3.1. Mortalidade proporcional (%)
3.2. Taxa de mortalidade por causas
4) Mortalidade por causas evitaveis
5) Mortalidade materna
6) Expectativa ou esperanca de vida ao nascer (1991)
7) Anos potenciais de vida perdidos (APVP)
Expressa o efeito de mortes ocorridas precocemente em
relação à duração esperada da vida.
Principais indicadores de saude
7) Anos potenciais de vida perdidos (APVP)
Expressa o efeito de mortes ocorridas precocemente em relacao
a duracao esperada da vida.
Exemplo: Expectativa de vida em homens = 70 anos
1) Morte por IAM aos 50 anos -20 anos
2) Morte por causa externa ao 20 anos -50 anos
3) Morte por sarampo aos 7 anos -73 anos
4) Morte por AVC aos 69 anos - 1 ano
5) Morte por cancer aos 78 anos + 8 anos
Pode-se estabelecer vários indices:
Total
Média geral de uma população
Total por causas
Media por causas, etc (índice e boa comparabilidade)
Principais indicadores de saude
1) Mortalidade geral
2) Mortalidade segundo a idade
3) Mortalidade segundo a causa
3.1. Mortalidade proporcional (%)
3.2. Taxa de mortalidade por causas
4) Mortalidade por causas evitaveis
5) Mortalidade materna
6) Expectativa ou esperanca de vida ao nascer (1991)
7) Anos potenciais de vida perdidos (APVP)
8) Anos potenciais de vida perdidos ajustados para a
incapacidade (DALY, Murray, 1994).
Soma do APVP por morte e por incapacidade (absoluta ou relativa)