P. 1
Sistema Respiratório

Sistema Respiratório

4.5

|Views: 35.816|Likes:
Publicado porapi-3700467

More info:

Published by: api-3700467 on Oct 18, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/24/2014

pdf

text

original

SISTEMA RESPIRATÓRIO

1- Definições A respiração é uma das características básicas dos seres vivos, sendo um processo funcional representado por uma simples troca de gases (O2 – CO2). O sistema respiratório humano tem por objetivo facultar ao organismo uma troca de gases com o ar atmosférico, assegurando permanentemente uma concentração de oxigênio necessária para as reações metabólicas e em contrapartida servindo como via de eliminação de gases residuais, que resultam dessas reações e que são representadas pelo gás carbônico. 2- Divisão Pode ser dividido numa porção de condução representada pelas fossas nasais, faringe, laringe, traquéia e brônquios e por uma porção de respiração representada pelos pulmões. Via Aérea Superior: constituída por órgãos situados na cabeça e no pescoço. Via Aérea Inferior: constituída por órgãos que conduzem ar e que se situam na cavidade torácica. Via Respiratória: composta pelos pulmões 3- Sistema Respiratório Humano Fossas nasais Faringe Laringe Traquéia Brônquios Pulmões

-

3- Fossas Nasais Têm como principais funções o aquecimento do ar inspirado, filtragem do ar através dos pêlos e aderência pela mucosa e função olfativa. Divide-se em um nariz externo, numa cavidade nasal e nos seios da face. 3.1- Nariz externo: apresenta-se no homem como uma pirâmide triangular onde a extremidade superior é representada pela raiz e a inferior pela base. Na base temos as narinas (horizontais ou ântero-posteriores), o ápice do nariz (ponto mais projetado anteriormente da base) e o dorso do nariz (entre o ápice e a raiz). Além

1

disso, o nariz externo é formado por um esqueleto ósteo-cartilaginoso (ossos nasais e maxilas + cartilagens). Limen nasi.

3.2- Cavidade Nasal: comunica-se com o meio externo anteriormente através das narinas e posteriormente com a porção nasal da faringe através das coanas. A cavidade nasal pode ser dividida em um vestíbulo, uma região respiratória e uma região olfatória. O vestíbulo fica logo após as narinas sendo uma dilatação com pêlos, a região respiratória possui uma mucosa respiratória e a região olfatória está restrita a concha nasal superior revestida pela mucosa olfativa. A região mucosa da cavidade nasal é altamente vascularizada sendo a sede de hemorragias (epistaxe). Possuímos duas narinas separadas pelo septo nasal e duas coanas que limitam a cavidade nasal e a porção nasal da faringe. Observamos na cavidade nasal as conchas nasais inferiores, médias e superiores, além dos meatos, onde desembocam os seios da face. 3.2.1- Limites: ▫ Anterior – abertura piriforme ▫ Posterior – coanas ▫ Superior – o teto da cavidade nasal é curvo e estreito, sendo dividido em três partes, frontonasal, etmoidal e esfenoidal. ▫ Inferior - é formado pelo processo palatino da maxila e a lâmina horizontal do palatino. ▫ Parede lateral – é irregular devido as três elevações enroladas, as conchas nasais, que se projetam inferiormente como rolos. É formada pelas maxilas e pelo osso etmóide. ▫ Parede medial – septo nasal

2

3.2.2- Septo Nasal: o septo nasal quase sempre apresenta-se desviado para direita ou para a esquerda. Está constituído por uma parte cartilaginosa e por uma parte óssea formada pela lâmina perpendicular do etmóide e pelo vômer. 3.2.3- Osso etmóide: o osso etmóide é difícil de ser isolado do crânio por ter paredes muito finas que se rompem durante a preparação. Está localizado abaixo da porção mediana do frontal entre as órbitas e é constituído por duas massas laterais chamadas de labirintos etmoidais, uma lâmina crivosa, uma lâmina perpendicular, crista galli e as conchas nasais médias e superiores que dão origem aos meatos que são espaços onde vão desembocar os seios paranasais e o recesso esfenoetmoidal. Existem os meatos superiores (entre a concha superior e a média), os meatos médios (entre a concha média e a inferior) e os meatos inferiores (sob as conchas inferiores). Além disso, as conchas nasais possuem internamente uma mucosa que aumenta a sua superfície permitindo um melhor aquecimento e umedecimento do ar inspirado. 3.2.4- Bula etmoidal – recebe as células etmoidais (meato médio). Hiato semilunar – fenda curva abaixo da bula onde desemboca o seio maxilar. Infundíbulo etmoidal – recebe o seio frontal. 3.2.5- Irrigação – O suprimento arterial das paredes medial e lateral são provenientes dos ramos da a. esfenopalatina, das aa. etmoidais anterior e posterior, da a. palatina maior e da a. labial superior. 3.3- Seios Paranasais: cavidades nos ossos encontrados no crânio como nos frontais, esfenóide, etmóide e maxilas. Essas cavidades são chamadas de seios. 3.3.1- Seio esfenoidal: desemboca acima da concha superior. 3.3.2- Seio etmoidal: desemboca no meato superior e médio. 3.3.3- Seios frontais e maxilares: desembocam no meato médio. 3.4- Casos Clínicos: ▫ ▫ ▫ ▫ Fraturas de nariz Desvio de septo nasal Rinorréia de liquor Rinite, Sinusite e Epistaxe

4- Faringe Tubo muscular comum ao sistema digestório e respiratório, situado posteriormente à cavidade nasal, bucal e à laringe. Estende-se da base do crânio, em direção inferior até a borda inferior da cartilagem cricóide ao nível de C6. A faringe relaciona-se acima com o corpo do esfenóide e a porção basilar do occipital e abaixo, continua com o esôfago. Lateralmente se relaciona com o processo estilóide, com o músculo pterigóideo medial, a bainha carótica e à glândula tireóidea. Divide-se em três partes: uma parte nasal, uma oral e uma laríngica. Parte nasal (nasofaringe): ▫ coanas ( superiormente ) até o istmo faríngico (inferiormente) ▫ fórnix (teto)

3

▫ ▫ ▫ ▫ Parte bucal (orofaringe):

óstio faríngeo da tuba auditiva e tórus tubal prega salpingopalatina e salpingofaringea tonsila faríngea recesso faríngeo

▫ istmo da garganta (palato mole) até a borda superior da epiglote ▫ anel linfático ( tonsila nasofaringea, palatina e lingual) ▫ pregas glossoepiglóticas mediana e laterais ▫ valécula epiglótica

-

Parte laríngica (laringofaringe): ▫ borda superior da epiglote à borda inferior da cartilagem cricóide ▫ anteriormente o adito da laringe e posteriormente aos corpos de C4 a C6 ▫ recesso piriforme 4.1- Casos Clínicos

5- Laringe Órgão tubular situado no plano mediano e anterior ao pescoço, que além de conduzir o ar é também um órgão de fonação, além de obturar impedindo a passagem de ar durante a deglutição. Localiza-se anteriormente no pescoço (proeminência laríngea), relacionando-se posteriormente com a faringe. 5.1- Esqueleto: apresenta um esqueleto cartilaginoso formado pelas seguintes cartilagens: ▫ Ímpares: Tireóide, Cricóide e Epiglótica. ▫ Pares: Aritenóide, Corniculada e Cuneiforme 5.2- Ádito da laringe (entrada da laringe) ▫ pregas ariepiglóticas e interaritenóidea 5.3- Cavidade da laringe: ▫ Vestíbulo (pregas vestibulares) e Rima do Vestíbulo ▫ Ventrículo (entre a prega vestibular e a prega vocal) ▫ Glote e Rima da glote ▫ Prega Vocal ▫ Cavidade Infra-glótica 5.4- Músculos ▫ Extrínsecos ( movimentam a laringe) ▫ Intrínsecos ( fonação e deglutição) 5.4.1) Músculos que entram na constituição das cordas vocais: ▫ músculo vocal 5.4.2) Músculos que fazem girar as cartilagens aritenóideas

4

▫ músculo crico-aritenóideo lateral ▫ músculo tíreo-aritenóideo 5.4.3) Músculos que aproximam as duas cartilagens aritenóides ▫ músculo aritenóideo transverso ▫ músculo aritenóideo obliquo 5.4.4) Músculos que provocam o deslizamento da cartilagem tireóide para frente ▫ músculo cricotireóideo 5.5- Casos Clínicos

6- Traquéia Estrutura cilindróide, que é constituída por uma série de anéis incompletos (em forma de C) de cartilagem hialina (entre 16 e 20) e ligados entre si pelos ligamentos anulares, estando localizados parcialmente no pescoço e parcialmente no tórax. Tem a função de conduzir o ar para os pulmões, sendo anterior ao esôfago com um ligeiro desvio para direita. A sua estrutura cartilaginosa a mantém rígida e a presença de ligamentos elásticos, assegura uma flexibilidade durante a respiração. Estende-se ao nível da C6 até T6, quando se divide para formar os brônquios principais direito e esquerdo, região denominada de carina. Sua parte cervical relaciona-se anteriormente com o arco venoso jugular, esterno-hioide, esterno-tireóideo, com o istmo da glândula tireóide, com o timo e com as veias tireóideas. Posteriormente, observa-se o músculo traqueal que relaciona-se com o esôfago, os nervos laríngicos recorrentes e lateralmente com os lóbulos da glândula tireóide e com as artérias carótidas comuns. 6.1- Casos Clínicos

5

7- Brônquios Estrutura do sistema respiratório que dá continuidade à traquéia se dividindo em dois, direito e esquerdo, dirigindo-se aos pulmões. Os dois brônquios principais apresentam-se muito semelhantes à traquéia e são denominados também de brônquios de primeira ordem. Cada brônquio principal dá origem aos brônquios lobares ou de segunda ordem que ventilam os pulmões. Estes se dividem em brônquios segmentares ou de terceira ordem. Eles sofrerão sucessivas divisões até darem nos alvéolos pulmonares, constituindo a árvore brônquica. Os brônquios principais direito e esquerdo possuem diferenças anatômicas importantes. O direito é mais curto, mais vertical e mais espesso que o esquerdo que é mais longo, mais delgado e mais horizontal. Vias aeríferas dos pulmões: Brônquios principais direito e esquerdo→ Brônquios lobares superior, médio e inferior direitos e Brônquios lobares superior e inferior esquerdos→ Brônquios segmentares→ Bronquíolos→ Bronquíolos terminais→ Bronquíolos respiratórios→ dúctulos alveolares→ Sáculos alveolares→ Alvéolos pulmonares 8- Regiões Pleuropulmonares 8.1) Pleura ▫ Parietal ( costal, mediastinal, diafragmática e cúpula – fáscia de Jobson). ▫ Visceral 8.2) Recessos e reflexões pleurais ▫ Costofrênico ▫ Costomediastinal ▫ Costovertebral

6

9- Pulmões 9.1) Características Gerais Órgãos principais da respiração contidos na cavidade torácica, laterais ao mediastino onde se localiza o coração, os grandes vasos, o esôfago, parte da traquéia e brônquios principais. São órgãos de forma cônica apresentando um ápice, uma base (sobre o diafragma), e duas faces: costal e medial. Estão subdivididos em lobos, sendo que o pulmão direito possui três e o esquerdo dois separados pelas fissuras obliquas e horizontais. Medialmente os pulmões possuem o hilo, fenda em forma de raquete, por onde entram ou saem os brônquios, os vasos e os nervos pulmonares constituindo a raiz dos pulmões. Externamente estão envolvidos por um saco seroso chamado de pleura que se divide em parietal e pulmonar. Entre as pleuras existe a cavidade pleural contendo um líquido que permite o deslocamento de um folheto contra o outro durante as constantes variações de volume dos pulmões. 9.2) Morfologia ▫ Lobos e fissuras ▫ Segmentos ( cada segmento possui uma a. pulmonar, uma a. brônquica e um brônquio) ▫ Hilo pulmonar ( pulmão direito – BAV e pulmão esquerdo – ABV) ▫ Impressões e sulcos ( cardíaca, da aorta, da veia ázigos) ▫ Ligamento pulmonar ▫ Língula ▫ Faces ( costal, diafragmática e medial) ▫ Drenagem linfática ( infra-carinal, paratraqueal e traqueobrônquica) ▫ Raiz do pulmão ( brônquio principal, artérias e veias pulmonares, nervos e linfáticos)

9.2.1) Segmentos do pulmão

7

→ Direito(10): Lobo Superior – apical, anterior e posterior. Lobo Médio – medial e lateral. Lobo Inferior – apical superior, basal anterior, basal posterior, basal medial e basal lateral. → Esquerdo(9): Lobo Superior – ápicosuperior, anterior, lingular superior e lingular inferior. Lobo Inferior – apical, basal anterior, basal posterior, basal medial e basal lateral.

9.3) Casos Clínicos

8

ESTUDO DIRIGIDO

123568-

Quais as funções do sistema respiratório? Como o ar é filtrado na mucosa do nariz?

Qual a função das cartilagens do sistema respiratório? 4- Em que local do aparelho respiratório ocorre à hematose? Quais as estruturas que formam a caixa torácica? Qual a ação do diafragma e dos músculos intercostais durante a respiração? 7- Como se compõe o nariz externo? Caracterize anatomicamente a cavidade nasal, indicando seus limites, sua divisão e as estruturas constituintes da mesma.

9- Como é formado o septo nasal? 10-Quais as partes que formam o etmóide? 11-Quais as funções das conchas nasais? 12-O que são meatos? 13-Como se divide a faringe? Quais os seus limites? 14-O que é óstio faríngico da tuba auditiva? 15-Quais as cartilagens ímpares e pares que formam a laringe?
16- Caracterize a traquéia.

17-Como se dividem os brônquios? Diferencie o brônquio principal direito do
brônquio principal esquerdo. 18- Caracterize morfologicamente os pulmões.

9

ROTEIRO DE AULA PRÁTICA
- SISTEMA RESPIRATÓRIO Este roteiro é um auxílio para seu estudo em aulas práticas e teóricas. Ele de modo algum é uma lista de assuntos que possam ser cobrados em provas teóricas ou práticas. Desta forma, o aluno não deve limitar seu estudo a este roteiro ou aos assuntos nele tratados. É indispensável a consulta à bibliografia recomendada e a freqüência às aulas.

NARIZ: - Identificar as seguintes estruturas pertencentes ao NARIZ EXTERNO: - Ápice, dorso, raiz e asas; - Narinas; - Vestíbulo nasal e Límen nasal. - Identificar as seguintes estruturas no interior da CAVIDADE NASAL PROPRIAMENTE DITA: - Visualizar o Septo Nasal (Cartilaginoso + Osseo) - Parede Medial da CNPD; - Palato Duro e Mole - Assoalho; - Definir o que é Meato Nasal; - Definir o que é Seio Paranasal e quais são (frontal, esfenoidal, maxilar, etmoidal); - Parede Lateral: - Cornetos Nasais Superior, Médio e Inferior - entre os Cornetos situam-se os Meatos Nasais. - entre o Corneto Nasal Superior e Médio - Meato Nasal Superior; - entre o Corneto Nasal Médio e Inferior - Meato Nasal Médio; - entre o Corneto Nasal Inferior e o Palato - Meato Nasal Inferior. - Estruturas que desembocam em cada Meato Nasal: - Meato Nasal Superior.: - Células Etmoidais Posteriores - Meato Nasal Médio: - Seios Frontal e Maxilar; Céls. Etmoidais Anteriores. - Meato Nasal Inferior: - Ducto Nasolacrimal. - Outras estruturas a serem visualizadas: - Recesso Esfeno-etmoidal - local de desembocadura do Seio Esfenoidal.

10

FARINGE: - Visualizar as seguintes estruturas: - Coanas; - Nasofaringe, Orofaringe e Laringofaringe - definir os seus limites; - Visualizar, na Nasofaringe, o Toro Tubário e o Ostio Faríngeo da Tuba Auditiva; - Visualizar, entre a Orofaringe e a Cavidade Bucal, o Istmo das Fauces; LARINGE: - Identificar as 9 cartilagens da Laringe (3 ímpares e 3 pares): - Tireóide - visualizar a Proeminência Laríngea (ou Pomo-de-Adão); - Cricóide; - 2 cartilagens aritenóides, 2 corniculadas e 2 cuneiformes (estas nem sempre visiveis); - Epiglote; - Visualizar a Membrana Crico-Tireóidea. - Visualizar no interior da Laringe: - Pregas Vestibulares (ou Cordas Vocais Falsas); - Ventrículo Laríngeo; - Pregas Vocais (ou Cordas Vocais Verdadeiras); - Rima da Glote. TRAQUÉIA BRÔNQUIOS E PULMÕES: - Definir a constituição morfológica da Traquéia e dos Brônquios; - Definir o limite inferior da Traquéia; - Definir o número de anéis traqueais (16 a 20); - Visualizar a Carina e os Brônquios Principais Direito e Esquerdo; - Notar que o Brônquio Principal (ou Fonte, ou Primário) Direito é mais curto, verticalizado e calibroso, enquanto o Esquerdo é mais comprido, horizontalizado e menos calibroso - meditar profundamente sobre a importância prática dessa informação; - Definir o que são Lobos pulmonares (ventilado por um brônquio secundário; separados por fissuras); - Definir o número de Lobos em cada pulmão; - Definir o que é um Segmento Bronco-pulmonar (ventilado por um brônquio terciário); - Visualizar os Hilos Pulmonares, identificando artéria, veia e brônquio pulmonares; - Direito: B, A, V; Esquerdo: A, B, V. - Segmentos do Pulmão Direito: - Para o Lobo Superior: - Brônquios Segmentares:

- Apical (1); - Posterior (2); - Anterior (3). - Lateral (4); - Medial (5). Superior (6); Basal Medial ou Cardíaco (7); Basal Anterior (8); Basal Lateral (9); Basal Posterior (10).

- Para o Lobo Médio: - Brônquios segmentares: - Para o Lobo Inferior: - Brônquios segmentares:

- Visualizar no Pulmão Esquerdo: - Para o Lobo Superior: - Brônquios segmentares:

- Ápico-posterior (1+2); - Anterior (3);

11

- Lingular Superior (4); - Lingular Inferior (5). - Para o Lobo Inferior: - Brônquios segmentares: Superior (6); Basal Ântero- lateral (8); Basal Lateral (9); Basal Posterior (10).

- Visualizar: - Ápice e base pulmonares; - Fissuras oblíquas (em ambos os pulmões); - Fissura horizontal (no pulmão direito); - Faces costal, diafragmática e mediastinal; - Visualizar na Face Mediastinal do pulmão esquerdo: - Impressão Cardíaca; - Língula pulmonar. - Visualizar: - As pleuras parietal e visceral; definir quais as estruturas revestidas por elas.

12

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->