ILMO SR (A) COORDENADOR (A) DA SECRETARIA ESTADUAL DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DE PARANAVAÍ / PR

Autos nº. 431/2007 1

GRADIENTE ELETRÔNICA S.A., sociedade anônima de capital aberto, inscrita no CNPJ/MF sob nº. 43.185.362/0032-03, unidade administrativa com endereço na Avenida Paulista, 2073, sobreloja, Conjunto Nacional, Bela Vista, São Paulo / SP e sede 2

362/0001-07. bem como inseri-la no Cadastro de Reclamações Fundamentadas deste Órgão. 105. no sentido de multar a Recorrente. vem. respeitosamente. AM. perante Vossa Senhoria.185.fabril na Avenida Solimões. apresentar RECURSO ADMINISTRATIVO em face da decisão exarada no procedimento em epígrafe. inscrita no CNPJ/MF sob o nº. 43. Distrito Industrial. Manaus. 3 . através de sua procuradora abaixo assinada.

pelos relevantes motivos de fato e de direito que a seguir passa a expor. da marca Gradiente. BREVE SÍNTESE DOS FATOS A Consumidora. adquiriu um aparelho Celular. modelo GV-230. 1. 4 .em razão da Reclamação proposta por EDMARA BENETÃO DEL PASSO. no ano de 2007.

o aparelho. 1262. sendo que o aparelho foi retirado pela Autora. pela primeira vez. dentro do prazo legal. na data de 02 de agosto de 2007.Na data de 24 de julho de 2007. o que foi realizado pela Assistência. através da OS de n°. em plenas condições de uso. 5 . deu entrada no posto autorizado. ou seja. Após a análise técnica foi constatada a necessidade de efetuar a troca do cabo conector do LCD.

em plenas condições de uso. pela segunda vez. 6 . através da OS de n°. o aparelho. sendo que o aparelho foi retirado pela Autora. deu entrada no posto autorizado. Após a análise técnica foi constatada a necessidade de efetuar a atualização do software. o que foi realizado pela Assistência.Na data de 31 de agosto de 2007. na data de 25 de setembro de 2007. ou seja. ainda dentro do prazo legal. 1506.

até o presente momento. o aparelho NÃO APRESENTOU NENHUM DEFEITO. bem como para que se comprove a boa-fé da Autora. é necessário o envio do aparelho para a 7 . para a Gradiente. ENCONTRANDO-SE EM PERFEITAS CONDIÇÕES DE USO. o aparelho NÃO RETORNOU à assistência técnica.Diante das informações é importante esclarecer que. Para que a Empresa possa realizar qualquer proposta de acordo. Isto significa que. até o presente momento.

ocorre que. a Gradiente não dispõe 8 .00 (hum mil reais). Ademais. se não há a incidência das excludentes de responsabilidade do fornecedor.000. efetuado várias medidas para a reestruturação buscando restabelecer seu equilíbrio operacional. Por conta disso.Assistência Técnica para que verifique qual a extensão do dano e. pela decisão administrativa deste órgão a Empresa deverá efetuar a troca do aparelho reclamado no prazo de 20 (vinte) dias sob pena de aplicação de multa no importe de R$ 1. conforme é de conhecimento público. ainda. a Empresa Ré tem. neste momento.

É importante ressaltar que não existe por parte da Empresa uma conduta de má-fé. sabendo que 9 . pois não possui condições de efetuar o reembolso de produto. parágrafo 1º.nesse momento e nos próximos seis meses. de recursos financeiros para honrar os compromissos em audiências e cumprir na íntegra o artigo 18. inciso II do Código de Defesa do Consumidor. bem como de efetuar a troca de aparelhos por outros novos em prazo não inferior a 60 dias. pois as únicas propostas que a Gradiente pode oferecer ao consumidor.

DA AUSÊNCIA DE CULPA POR PARTE DA GRADIENTE Para caracterizar a culpa. 10 . 60 dias. não basta a simples demonstração do dano. ou seja. ou seja. é a troca do produto ou o reparo do mesmo juntamente com a extensão da garantia. contrário à boa-fé. no mínimo.vai poder cumpri-las. 3. Devese demonstrar que o dano supostamente sofrido é oriundo de um comportamento culposo. no prazo especificado acima.

analisando-a detalhadamente e qualquer tipo de proposta por parte da Empresa só pode ser realizado mediante o estudo detalhado do aparelho 11 . Sabe-se que a Gradiente. má-fé por parte da Gradiente. até a presente data. como já mencionado. realiza um rígido controle de qualidade.No caso em exame. antes de fornecer qualquer produto. não reencaminhou o aparelho para a Assistência. e isso porque o dano gerado não pode ser dimensionado. muito menos. posto que a Autora. não houve culpa e.

que a Gradiente sempre pautou sua conduta pelos princípios éticos e de boa-fé. agiu com culpa. 12 .reclamado. Resta claro. a Gradiente. bem como qualquer tipo de multa administrativa. por isso. ser-lhe imputada qualquer responsabilidade pela quebra do referido aparelho. em momento algum. desse modo. Como se vê. não podendo.

DO DESCABIMENTO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS Inicialmente. tanto é 13 .4. em conformidade com o princípio da boa-fé. importante ressaltar que a Gradiente. efetuou todos os reparos que se encontravam ao seu alcance.

de meros danos “hipotéticos”. não tendo. na verdade. Além disso. os quais. inclusive. Tratam-se. de acordo com o direito pátrio. não assiste razão à Autora nesta causa . até o presente momento. não ensejam nenhum tipo de reparação.que. tendo em vista que a mesma não trouxe qualquer prova dos alegados prejuízos. o referido aparelho não apresentou nenhum novo defeito. 14 . sido encaminhado novamente para a assistência técnica.

entre 15 . Por isso que não há que se distinguir.Nesse sentido. é regra essencial da reparação. para efeito de responsabilidade. Com isto se estabelece que o dano hipotético não justifica a reparação. Rui Stoco ensina que: “O prejuízo deve ser certo.

dano atual e dano futuro. Todos os autores concordam em que a distinção a fazer. nesse 16 .

85 – In RT 612/44).8.sentido. Des. – Rel. – Ap. encontram no Código Civil suporte de ressarcimento. Octávio Stucchi – j. 17 .” (TJSP – 1ª C. em 20. é tão-somente se o dano é ou não certo”1. por efeito imediato do ato culposo. (grifo nosso) No mesmo sentido. é o entendimento dos Tribunais Estaduais: “Somente danos diretos e efetivos.

ob.. cit. 448. CONCLUSÃO 1 Mazeaud e Mazeaud. e tendo em vista a ausência de efetiva demonstração dos prejuízos supostamente sofridos. p. n. n. p. Soudart. cit. 576 18 . merece ser afastada a condenação da Ré ao pagamento de qualquer quantia a esse título.. 268.Diante disso. 216. 3.

Diante do exposto. bem como seja julgada improcedente e 19 . com a revogação da Decisão prolatada. 49. a empresa Recorrente requer: a) a recepção do presente recurso no duplo efeito. parágrafo único do decreto 2181/97. b) que o presente Recurso Administrativo seja conhecido e julgado procedente. conforme dispõe o art.

Termos em que. com seu conseqüente arquivamento e a não aplicação de multa por descumprimento. sobreloja. 2073. Conjunto Nacional. CEP: 01311-300. 20 .insubsistente a reclamação. Bela Vista. Requer ainda que as intimações sejam encaminhadas para a unidade administrativa em SP – Avenida Paulista. São Paulo/SP.

08 de novembro de 2007.A.Pede deferimento. De São Paulo para Paranavaí. P/ GRADIENTE ELETRÔNICA S. 21 .

22 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful