Você está na página 1de 38

1 - Prazos

  • 1.1 - Prazo de entrega para o mercado

1 - Prazos 1.1 - Prazo de entrega para o mercado As alterações referentes à rotina

As alterações referentes à rotina de Anuais ano-base 2013 foram liberadas nas versões 5.8.2.29 e 5.8.3.10, em 17/01/2014.

  • 1.2 - Prazo de entrega para a Receita e MTE

Dirf: deverá ser entregue até às 23h59min do dia 28/02/2014. Rais: deverá ser entregue até o dia 21/03/2014. 2 Dicas para a geração do Informe/Dirf

Salientamos que na geração da Dirf, os valores sempre serão centralizados na Filial Matriz.

Limite de isenção para ano base 2013: R$ 25.661,70.

  • 2.1 - Quem deve constar da DIRF

Art. 2º Estarão obrigadas a apresentar a Dirf 2014 as seguintes pessoas jurídicas e físicas que pagaram ou creditaram rendimentos sobre os quais tenha incidido retenção do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (IRRF), ainda que em um único mês do ano- calendário, por si ou como representantes de terceiros:

I - estabelecimentos matrizes de pessoas jurídicas de direito privado domiciliadas no Brasil, inclusive as imunes ou isentas;

II - pessoas jurídicas de direito público, inclusive os fundos públicos de que trata o art. 71 da Lei nº 4.320, de 17 de março de 1964;

III - filiais, sucursais ou representações de pessoas jurídicas com sede no exterior; IV - empresas individuais; V - caixas, associações e organizações sindicais de empregados e empregadores; VI - titulares de serviços notariais e de registro; VII - condomínios edilícios; VIII - pessoas físicas;

IX

-

instituições

administradoras

ou

intermediadoras

de

fundos

ou

clubes

de

investimentos;

 
X - órgãos gestores de mão de obra do trabalho portuário; XI - candidatos a cargos
  • X - órgãos gestores de mão de obra do trabalho portuário;

    • XI - candidatos a cargos eletivos, inclusive vices e suplentes; e

      • XII - comitês financeiros dos partidos políticos.

§ 1º As Dirf dos serviços notariais e de registros deverão ser apresentadas:

  • I - no caso de serviços mantidos diretamente pelo Estado, pela fonte pagadora, mediante o seu número de inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ); e

    • II - nos demais casos, pelas pessoas físicas de que trata o art. 3º da Lei nº 8.935, de 18

de novembro de 1994, mediante os respectivos números de inscrição no Cadastro de

Pessoas Físicas (CPF).

§ 2º Deverão também apresentar a Dirf as pessoas físicas e jurídicas domiciliadas no País que efetuarem pagamento, crédito, entrega, emprego ou remessa a pessoa física ou jurídica residente ou domiciliada no exterior, ainda que não tenha havido a retenção do imposto, de valores referentes a:

  • I - aplicações em fundos de investimento de conversão de débitos externos;

    • II - royalties e assistência técnica;

      • III - juros e comissões em geral;

IV - juros sobre o capital próprio;

  • V - aluguel e arrendamento;

    • VI - aplicações financeiras em fundos ou em entidades de investimento coletivo;

      • VII - carteiras de valores mobiliários e mercados de renda fixa ou renda variável;

VIII - fretes internacionais;

IX - previdência privada;

  • X - remuneração de direitos;

    • XI - obras audiovisuais, cinematográficas e videofônicas;

      • XII - lucros e dividendos distribuídos;

XIII - cobertura de gastos pessoais, no exterior, de pessoas físicas residentes no País, em viagens de turismo, negócios, serviço, treinamento ou missões oficiais;

XIV - rendimentos de que trata o art. 1º do Decreto nº 6.761, de 5 de

XIV - rendimentos de que trata o art. 1º do Decreto nº 6.761, de 5 de fevereiro de 2009, que tiveram a alíquota do imposto sobre a renda reduzida a zero, relativos a:

a)

despesas com pesquisas de mercado, bem como com aluguéis e arrendamentos de

estandes e locais para exposições, feiras e conclaves semelhantes, no exterior, inclusive promoção e propaganda no âmbito desses eventos, para produtos e serviços brasileiros e para promoção de destinos turísticos brasileiros, conforme o disposto no inciso III do art. 1º da Lei nº 9.481, de 13 de agosto de 1997, e no art. 9º da Lei nº 11.774, de 17 de

setembro de 2008;

 

b)

contratação de serviços destinados à promoção do Brasil no exterior, por órgãos do

Poder Executivo Federal, conforme o disposto no inciso III do art. 1º da Lei nº 9.481, de

1997, e no art. 9º da Lei nº 11.774, de 2008;

 

c)

comissões pagas por exportadores a seus agentes no exterior, nos termos do inciso II

do art. 1º da Lei nº 9.481, de 1997;

 

d)

despesas de armazenagem, movimentação e transporte de carga e de emissão de

documentos realizadas no exterior, nos termos do inciso XII do art. 1º da Lei nº 9.481,

de 1997, e do art. 9º da Lei nº 11.774, de 2008;

 

e)

operações de cobertura de riscos de variações, no mercado internacional, de taxas de

juros, de paridade entre moedas e de preços de mercadorias (hedge), conforme o

disposto no inciso IV do art. 1º da Lei nº 9.481, de 1997;

 

f)

juros

de desconto, no exterior,

de

cambiais de exportação

e

as

comissões de

banqueiros inerentes a essas cambiais, nos termos do inciso X do art. 1º da Lei nº 9.481,

de 1997;

 

g)

juros

e

comissões

relativos

a

créditos

obtidos

no

exterior

e

destinados ao

financiamento de exportações, conforme o disposto no inciso XI do art. 1º da Lei nº

9.481, de 1997;

 

h)

outros rendimentos pagos, creditados, entregues, empregados ou remetidos a

residentes ou domiciliados no exterior, com alíquota do imposto sobre a renda reduzida a zero; e XV - demais rendimentos considerados como rendas e proventos de qualquer natureza, na forma da legislação específica. § 3º O disposto no § 2º aplica-se inclusive nos casos de isenção ou alíquota zero.

§ 4º Sem prejuízo do disposto no caput e nos §§ 2º e 3º, ficam também

§ 4º Sem prejuízo do disposto no caput e nos §§ 2º e 3º, ficam também obrigadas à apresentação da Dirf as pessoas jurídicas que tenham efetuado retenção, ainda que em um único mês do ano-calendário a que se referir a Dirf, da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e da Contribuição para o PIS/Pasep sobre pagamentos efetuados a outras pessoas jurídicas, nos termos do § 3º do art. 3º da Lei nº 10.485, de 3 de julho de 2002, e dos arts. 30, 33 e 34 da Lei nº 10.833, de 29 de dezembro de 2003.

Art. 3º Estarão, também, obrigadas a apresentar a Dirf 2014 as seguintes pessoas

jurídicas, ainda que os rendimentos pagos retenção do imposto:

no ano-calendário não tenham sofrido

I - as bases temporárias de negócios no País, instaladas:

  • a) pela Fédération Internationale de Football Association (Fifa);

  • b) pela Emissora Fonte da Fifa; e

  • c) pelos Prestadores de Serviços da Fifa;

II - a subsidiária Fifa no Brasil;

  • III - a Emissora Fonte domiciliada no Brasil; e

IV - o Comitê Organizador Local (LOC).

Art. 4º Sem prejuízo do disposto no § 2º do art. 2º, deverão ser prestadas informações relativas à retenção do IRRF e das contribuições incidentes sobre os pagamentos efetuados a pessoas jurídicas pelo fornecimento de bens ou prestação de serviços, nos termos do art. 64 da Lei nº 9.430, de 27 de dezembro de 1996, nas Dirf apresentadas pelos(as):

I - órgãos públicos;

II - autarquias e fundações da administração pública federal;

  • III - empresas públicas;

IV - sociedades de economia mista; e

V - demais entidades

de

cujo

capital

social

sujeito

a

voto,

a

União, direta

ou

indiretamente, detenha a maioria, e que recebam recursos do Tesouro Nacional e estejam obrigadas a registrar a sua execução orçamentária e financeira no Sistema

Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi).

Para mais informações orientamos consultar a Instrução Normativa RFB nº 1.406, de 23 de outubro de

Para mais informações orientamos consultar a Instrução Normativa RFB nº 1.406, de 23 de outubro de 2013, que consta no site da Receita Federal www.receita.fazenda.gov.br.

2.2 - Planos de Saúde (com e sem o módulo BS)

Administração de Pessoal: É possível criar totalizadores de eventos para buscar o valor descontado na ficha financeira, que na maioria dos casos compreende a parcela do titular e dependente, e tratar os valores na tela de Desconto Plano de Saúde através de regras específicas. Esta rotina atenderá principalmente quem possui uma forma padrão de desconto do Plano de Saúde em folha.

Disponibilizamos uma tela em Anuais > Informe/Dirf > Desconto Plano Saúde, através da qual o cliente pode digitar estas informações, ou importá-las caso as tenha em outro sistema, ou sejam enviadas pela operadora do plano de saúde através de arquivo txt.

A empresa fornecedora do plano deve ser cadastrada em Empresas > Outras Empresas > Cadastro, com o nome empresarial, CNPJ e código de registro na Agência Nacional de Saúde ANS.

Caso o dependente for

maior

de

18

anos, para

que o mesmo seja considerado na

geração da Dirf, o CPF deverá ser informado em Colaboradores > Dependentes > Ficha Familiar.

Para obter o valor anual do plano de saúde descontado em folha, poderá ser utilizado o modelo FPFF001.OPE Relação Ficha Financeira, disponível em Cálculos > Ficha Financeira > Relação, indicando apenas os eventos de planos de saúde.

Geração Desconto Plano de Saúde para DIRF utilizando totalizadores no Administração de Pessoal:

Passo

1

-

Cadastro

para

respectivos totalizadores:

definição

da

geração

de

planos,

indicando

os

Anuais > Informe/Dirf > Desconto Plano de Saúde > Definições

Data Alteração: Informar a competência da folha de pagamento em que iniciam os descontos de plano
Data Alteração: Informar a competência da folha de pagamento em que iniciam os descontos de plano

Data Alteração: Informar a competência da folha de pagamento em que iniciam os descontos de plano de saúde referentes ao ano base. Exemplo: Competência 12/2012 (Data de Pagamento em 01/2013). Ou seja, se for informada a competência 01/2012 neste campo, o sistema irá gerar as informações a partir da folha definida para a competência 01/2013 e não da folha com pagamento na competência 01/2013. Será verificada a competência definida para o código de cálculo e não a data de pagamento.

Seguradora: Informar o código da seguradora de plano de saúde;

Totalizador : Informar o codigo do totalizador de eventos que corresponde ao valor pago de plano de saúde pelo colaborador;

Tipo

:

Informar qual o tipo do plano que está sendo cadastrado ( 1

Titular,

Dependente, 3 Ambos).

2

Passo 2 Gerar as informações de acordo com os totalizadores indicados no passo 1:

Anuais > Informe/Dirf > Desconto Plano de Saúde > Gerar

Data Alteração: Informar a competência da folha de pagamento em que iniciam os descontos de plano
Período de Desconto: filtro para buscar as fichas financeiras de todos os códigos de cálculo (exceto

Período de Desconto: filtro para buscar as fichas financeiras de todos os códigos de cálculo (exceto tipo 13) cuja competência referência esteja dentro do período informado. Salientamos que deverá ser informada a competência da folha em que ocorreram os descontos de plano de saúde. Então se o pagamento da folha ocorre no mês seguinte à competência de referência, é necessário gerar informando o período 12/2012 à 11/2013, por exemplo.

Sobrepor Digitados: opção que indicará no momento da gravação dos registros processados, se serão mantidos ou não os registros lançados manualmente (origem D) nas tabelas R051SAC (Titular) e R051SAD (Dependentes).

Regra Titular: caso informado, o sistema trará para cada seguradora informada no cadastro de definição de geração o valor do totalizador correspondente ao código de cálculo que estará sendo processado. Permitindo ao usuário alterar antes da gravação dos registros na tabela R051SAC, os valores de desconto e/ou co-participação através de variáveis de sistema que estarão disponíveis, sendo elas:

Informativas:

PS_CodTot -> Código do totalizador. PS_ValTot -> Valor original gerado pelo totalizador. PS_CodOem -> Código da Seguradora Plano Saúde informada no cadastro de definição de geração.

PS_TipTot -> Tipo de definição de geração que está sendo processado.

Podem ser alteradas:

PS_DesTit -> Valor do desconto plano de saúde do titular. PS_CopTit -> Valor co-participação do plano de saúde do titular.

Obs.:

  • Tabela R034FUN também estará disponível neste momento.

  • As definições de geração disponíveis nesta regra são os tipos 1 Titular e 3 Ambos. Dependentes: através deste assinalamento o usuário definirá se deseja ou não tratar valores de desconto plano de saúde também para os dependentes de cada colaborador. As opções são:

0 (Nenhum)

->

opção default

que indicará que

os dependentes

não serão

tratados.

1 (Todos) -> rotina permitirá ao usuário calcular os valores de desconto plano saúde e/ou co-participação

1 (Todos) -> rotina permitirá ao usuário calcular os valores de desconto plano

saúde e/ou co-participação de colaborador.

todos os dependentes de cada

2 (Somente

Plano

Saúde

cadastrado)

->

rotina

considerará

somente

os

 

dependentes que possuírem

o

campo

“Matrícula Plano Saúde” cadastrado na ficha

familiar, para que o usuário possa calcular os

valores

de desconto

plano saúde

e/ou

co-

participação.

 

Regra Dependente: este campo somente ficará habilitado, e obrigatório, quando o usuário informar no campo Dependente um valor diferente de 0 (Nenhum). O sistema irá assumir o mesmo tratamento da regra de titular, mas sendo executado a cada dependente encontrado. Permitindo ao usuário alterar antes da gravação dos registros na tabela R051SAD, os valores de desconto e/ou co-participação através de variáveis de sistema que estarão disponíveis, sendo elas:

Informativas:

PS_CodTot -> Código do totalizador. PS_ValTot -> Valor original do gerado pelo totalizador. PS_CodOem -> Código da Seguradora Plano Saúde informada no cadastro de definição de geração.

PS_TipTot - >Tipo de definição de geração que esta sendo processado. PS_QtdDep -> Quantidade de dependente validos para este colaborador

Podem ser alteradas:

PS_DesDep -> valor do desconto plano de saúde do dependente. PS_CopDep -> valor co-participação do plano de saúde do dependente.

Obs.:

  • Tabela R036DEP também estará disponível neste momento.

  • As definições de geração disponíveis nesta regra são os tipos 2 Dependente e 3 Ambos.

Considerações finais:

- Caso o usuário não informe nenhuma regra na tela de assinalamentos, o sistema

gerará somente os registros de desconto plano saúde na tabela de titulares, acumulando por Seguradora e código de cálculo o valor do totalizador.

Passo 3 - Alteração manual de valores gerados pelo passo 2, caso seja necessário: Anuais >

Passo 3

-

Alteração

manual de valores

gerados

pelo passo

2,

caso seja

necessário:

 

Anuais > Informe/Dirf > Desconto Plano de Saúde > Alterar.

Passo 3 - Alteração manual de valores gerados pelo passo 2, caso seja necessário: Anuais >

---------------------------------------------------------------------------------------------

Informe de Rendimentos: Ao listar o Informe de Rendimentos disponível no menu Anuais > Informe/Dirf > Listar > Informe, deve-se observar o preenchimento dos campos “Listar Eventos Despesas Médicas” e “Somar Dependente no Titular”, onde será efetuado o seguinte tratamento:

- Listar Eventos Despesas Médicas: Este assinalamento listará ou não, nas Informações Complementares, os valores gravados na tabela R051EVE com tipo D- Despesas Médicas (guia Eventos da tela de Alterar Informe/Dirf). Estes valores foram gravados se os eventos de desconto do Plano de Saúde da folha estiverem cadastrados com característica 49F. Neste caso, se foram utilizados totalizadores para gerar as informações do plano de saúde, o usuário deverá marcar 'N' neste assinalamento para evitar duplicidade das informações na geração da Dirf.

- Somar Dependente no Titular: Caso informado 'Sim', ao listar as informações de plano de saúde somará ao titular os valores referente a dependentes maiores de 18 anos que não possuam CPF cadastrado. Caso informado 'Não', levará o valor destacado normalmente no dependente.

No menu Anuais > Informe/Dirf > Listar > Dirf, está disponível o modelo FPDI006.ANU Relação de Beneficiários, que pode ser utilizado para conferir as informações dos beneficiários de cada colaborador.

Geração Desconto Plano de Saúde através do módulo BS - Benefícios Este módulo possui a rotina

Geração Desconto Plano de Saúde através do módulo BS - Benefícios

Este módulo possui a rotina de Assistência Médica, que atende amplamente esta rotina de plano de saúde. É possível registrar/importar todos os valores de titulares e dependentes, mensalmente, conforme operadora do Plano. Esta rotina já faz integração dos valores para o Administração de Pessoal, tanto para o desconto em folha como para as tabelas que contém as informações necessárias para a Dirf/Informe. Para os clientes que já utilizam esta rotina no BS e integram os valores mensalmente para o Administração de Pessoal, os valores de titulares e dependentes já serão alimentados na tela de Desconto Plano de Saúde no Administração de Pessoal. Com relação aos valores de co-participação, os mesmos devem ser lançados mensalmente na tela de Despesas Médicas, para que sejam integrados automaticamente para a tela de Desconto Plano de Saúde no Administração de Pessoal. Essa integração não ocorrerá automaticamente como é feito com a Mensalidade, será necessário lançar os valores para posteriormente integrá-los. É imprescindível que este lançamento seja realizado mensalmente nas Despesas Médicas do BS. Caso o cliente identifique que os valores de co-participação estão presentes apenas na Ficha Financeira, mas não estão cadastrados na tela de Despesas Médicas do BS e nem apareçam na tela de Desconto Plano de Saúde do Administração de Pessoal, primeiramente deve-se cadastrar estes valores na tela de Despesas Médicas, mensalmente, para posteriormente utilizar a rotina de Gerar Valores Anuais mencionada abaixo, para cada código de cálculo. Para os clientes que por ventura identifiquem que os valores de co-participação ou mensalidade não estão na tela de Desconto Plano de Saúde no Administração de Pessoal, é necessário utilizar a rotina disponível em Benefícios > Assistência > Gerar Valores Anuais, para cada código de cálculo.

Geração Desconto Plano de Saúde através do módulo BS - Benefícios Este módulo possui a rotina
Salientamos que para os clientes que optem por utilizar um modelo de importação para alimentar estas

Salientamos que para os clientes que optem por utilizar um modelo de importação para alimentar estas informações no BS, não existe um modelo padrão para esta finalidade. Será necessário customizar um novo modelo de acordo com a necessidade do cliente. Caso ocorra a troca ou cancelamento do Plano de Saúde durante o ano base, ressaltamos que a data de exclusão deverá sempre ser indicada com o primeiro dia do mês seguinte. Por exemplo: Se o cancelamento ocorrer na competência 01/2013, a data de exclusão deverá ser 01/02/2013, visto que se for informada uma data referente a 01/2013, o sistema já irá desconsiderar este mês na geração da rotina de Gerar Valores Anuais.

No caso de colaboradores demitidos durante o ano base, para que a rotina de Gerar Valores Anuais integre os valores de mensalidade e despesas do mês da rescisão do colaborador, é necessário verificar dois assinalamentos:

- Módulo Administração de Pessoal: em Empresas > Empresas, o campo Lançamentos Demitidos deve estar assinalado com "S";

- Módulo BS: em Empresas > Empresas, na guia Integrar Demitidos, os campos Assistência Médica e Assistência Médica Despesas devem estar assinalados com "S".

  • 2.3 Rescisão - Multa FGTS

Com relação à Multa de FGTS não ser listada no Informe de Rendimentos, nossa interpretação é que os valores não foram pagos e sim depositados para o colaborador. Caso o mesmo efetue o saque deste valor, irá informar sozinho na Declaração Anual de Ajuste. Se considerássemos este valor no Informe de Rendimentos, seria o mesmo que incluir os depósitos de FGTS nos Isentos para os empregados ativos ou o próprio saldo FGTS que sabemos que o demitido irá sacar nas rescisões.

  • 2.4 Totalizadores

Existe a possibilidade de utilizar totalizadores para gerar as informações de Rendimentos Isentos, Tributação Exclusiva e Complementares. Estes totalizadores devem ser cadastrados em Tabelas > Eventos > Totalizadores. Ao utilizar totalizadores para gerar estas informações, vale a pena salientar que o sistema irá considerar somente os eventos ou características indicados no totalizador em questão. O tratamento padrão, que considera os eventos de determinadas características

para levar nestes campos deixa de ser realizado, somente as informações do totalizador serão consideradas. 2.5

para levar nestes campos deixa de ser realizado, somente as informações do totalizador serão consideradas.

  • 2.5 Recebimentos Exterior

Os colaboradores residentes ou domiciliados no exterior participam de um cálculo diferenciado de IR. Estes têm uma aplicação direta da alíquota devida sobre a base de cálculo, não havendo deduções. Dessa forma os colaboradores enquadrados nesta situação devem possuir uma receita e alíquota específicas indicadas através do menu Colaboradores > Históricos > Receita IRRF. Também é possível apenas indicar um código de receita diferenciado para alguns colaboradores, permitindo que o sistema continue calculando o IR normalmente ou isentando-os. No caso das aposentadorias por invalidez ou doenças consideradas isentas também pode-se utilizar este histórico.

Este mesmo cadastro contempla o tratamento como rendimento isento, dos Voluntários da Copa e dos Médicos Residentes cadastrados como empregados.

  • 2.6 Beneficiários (Pensão)

O sistema não emite Informe de Rendimentos para dependentes de colaboradores que recebem pensão alimentícia. O assinalamento do campo "Dependentes" na tela de geração da DIRF serve apenas para listar os dependentes com Grau de Parentesco = 15 (Pensionista) uso pela área Pública.

Exemplo de utilização do Grau de Parentesco 15 - Pensionista:

Colaborador veio a falecer e seu dependente continuará recebendo seus honorários, ou um evento específico. Nessa situação o dependente passa a ser um pensionista do colaborador em questão.

Informações auxiliares:

* O evento de pensionista deverá ter característica 45E - Pensionistas. Esse evento será calculado na folha baseado nos eventos da guia “Base” em Colaboradores > Dependentes > Pensão Judicial. Essa característica não é considerada para o Informe, Dirf e Rais. * Esta rotina é válida somente para colaboradores ativos. Quando a rescisão ocorre, não é mais calculada. * Também não será permitido cadastrar mais de um dependente com o tipo 15 para o mesmo colaborador.

IMPORTANTE: Para o grau de parentesco 15 será gerado um Informe de Rendimentos, do tipo "Dependente",

IMPORTANTE: Para o grau de parentesco 15 será gerado um Informe de Rendimentos, do tipo "Dependente", contendo os valores pagos e gravados na guia "Pagamentos" no cadastro dos dependentes de pensão judicial.

  • 2.7 Retificação

Para retificar informações enviadas anteriormente, deverá ser apresentada uma Dirf Retificadora. Na Dirf Retificadora, devem constar todas as informações enviadas anteriormente, alteradas ou não, exceto as informações que se deseja excluir e as que se deseja incluir, se for o caso. Esta Dirf Retificadora substituirá integralmente as informações enviadas anteriormente.

  • 2.8 Responsável Legal

O responsável legal

pelas informações da

Dirf deverá

ser indicado em

Diversos >

Responsável Legal > Dirf/Informe. Se o responsável for igual para todas as Empresas da

base, somente a guia “Gerais” deverá ser preenchida. Se existir um responsável diferente para cada Empresa da base, a guia “Empresa” deverá ser preenchida

individualmente.

Em Diversos > Assinalamentos, guia “Dirf/Rais”, também deve-se verificar o nome do responsável pelas informações dos Anuais.

  • 2.9 Filial Centralizadora ou Independente

Em Empresas > Filiais, guia Darf, realizar o devido cadastramento da Filial Centralizadora e Filiais Centralizadas ou Filial Independente. Quando centralizado o Darf, indicar as datas de início apenas, sem data fim, para identificar corretamente os valores na Dirf anual. Tanto a Darf quanto a Dirf devem ser centralizadas na Filial Matriz. A receita não tem mais aceitado guias individuais por Filial.

2.10 Alteração de Valores gerados

É possível alterar as informações geradas pelo sistema através da tela disponível em Anuais > Informe/Dirf > Alterar. Ao utilizar esta opção, caso seja necessário gerar novamente a Dirf, deve-se ficar atento ao campo “Sobrepor Digitados” existente na tela de geração. Este campo deve ser selecionado com a opção N Não, para não sobrepor as informações alteradas no menu citado acima.

2.11 – Valores de RRA – Rendimentos Recebidos Acumuladamente Para este tipo de recolhimento o código

2.11 Valores de RRA Rendimentos Recebidos Acumuladamente

Para este tipo de recolhimento o código de receita a ser utilizado é o 1889. Caso esses rendimentos tenham sido recolhidos em código distinto, deve-se efetuar a retificação do Darf Redarf.

No Administração de Pessoal, foram criadas características específicas para o tratamento do RRA. Para os clientes que possuem o módulo Jurídico, é possível realizar o cálculo dos valores através do tipo de cálculo 94 Reclamatória Trabalhista, integrando as respectivas ações para que o Administração de Pessoal efetue o tratamento correto na geração da Dirf. Para que esta rotina funcione corretamente é necessário que os respectivos eventos estejam criados no sistema e tenham sido calculados em fichas financeiras do ano base de 2013.

Caso o cliente não possua o módulo Jurídico, será necessário tratar manualmente a inclusão destes valores, visto que neste caso não é permitido utilizar o cálculo tipo 94.

Os valores referentes ao RRA devem ser recolhidos na receita 1889. Para que no momento de gerar a Dirf/Informe, estes valores sejam considerados no campo 6 - Rendimentos Recebidos Acumuladamente, devemos ter este código de receita cadastrado no sistema de Folha: acessar o menu Impostos > Imposto Federal > Impostos > Receitas e verificar se a receita 1889 existe.

É permitido gerar valores de RRA através da folha de pagamento sob três formas:

1 - Folhas de dissídio/convenção coletiva de anos anteriores (eventos com características de RRA serão calculados pelo sistema e constarão das fichas financeiras); 2 - Folhas Complementares de Tipo 12 referentes a meses de anos anteriores. (os eventos pagos serão os mesmos da folha original, porém, o sistema vai considerar estes valores integralmente como RRA se estiverem sendo pagos em ano posterior); 3 - Lançamentos manuais de eventos com características específicas de RRA podem ser efetuados em qualquer folha mensal, desde que se refiram a diferenças de anos anteriores.

No help do Administração de Pessoal constam as orientações necessárias para o cadastro dos eventos com as características da rotina de RRA.

  • 2.12 Dependentes

2.12 – Dependentes Em Anuais > Informe/Dirf > Alterar, guia Rendimentos, através do campo “Valor Depend”,

Em Anuais > Informe/Dirf > Alterar, guia Rendimentos, através do campo “Valor

Depend”, é possível verificar o valor abatido no cálculo do IRRF para cada dependente que o colaborador possui. Neste campo, poderá ocorrer de o valor do dependente estar duplicado ou triplicado, dependendo da quantidade de cálculos efetuados durante o mês, em que o mesmo foi utilizado. Por exemplo: A dedução de dependentes funciona conforme as Bases de Cálculos de IRRF que você tem na competência. Ou seja, num mês que você pagou Férias e pagou Folha Normal, você usou o dependente para deduzir da Base de Cálculo do IRRF s/ Férias e também usou o dependente para diminuir da Base de Cálculo do IRRF Normal. Logo,

neste mês, ao invés de demonstrar o valor de R$171,97 será demonstrado R$343,94, no caso de o colaborador possuir apenas um dependente.

Caso algum cliente questione a legalidade desta informação, segue retorno de nossa Assessoria em Recursos Humanos:

Instr.Normativa RFB 1.033/2010:

Art. 12. A Dirf deverá conter as seguintes informações quando os beneficiários forem pessoas físicas domiciliadas no País:

§ 3º A remuneração correspondente a férias, deduzida dos abonos legais, os quais deverão ser informados como rendimentos isentos, e a participação do empregado nos lucros ou resultados deverão ser somadas às informações do mês em que tenham sido efetivamente pagas, procedendo-se da mesma forma em relação à respectiva retenção do IRRF e às deduções.

  • 2.13 Modelo FPDI005.ANU Dirf Arq Texto Juntar Empresas

Na declaração da Dirf, normalmente é gerada uma declaração por estabelecimento matriz, quando um estabelecimento possui matriz e filiais, todos os colaboradores das filiais são declarados na matriz, nunca declara-se no CNPJ da filial.

O modelo FPDI005.ANU, Dirf Arq Texto Juntar Empresas, foi desenvolvido para ser utilizado por empresas que possuem o cadastro das suas filiais como "empresas" e não como filiais dentro da própria empresa (o que é a orientação). Por isso precisam juntar as empresas na hora de gerar a DIRF.

Quando possuir várias empresas com CNPJs diferentes (que não sejam matriz e filiais) o modelo 005

Quando possuir várias empresas com CNPJs diferentes (que não sejam matriz e filiais) o modelo 005 não vai atender conforme o esperado. Neste caso a orientação para gerar a Dirf é utilizar o modelo FPDI004.ANU Dirf Arquivo Texto, gerando cada empresa individualmente.

  • 2.14 Vales

Para que um Vale, lançado através da rotina de Vales do Administração de Pessoal, não seja considerado na geração da Dirf, o campo CalIrf da tabela R044VAL deve estar parametrizado com a opção N. Se o mesmo estiver parametrizado com S, deve-se fazer um update no banco, tabela R044Val, alterando o campo para N.

Este parâmetro somente não poderá ser alterado no caso de realmente ter valor de IRRF no cálculo do Vale.

Esta situação ocorre quando os Vales são lançados através da tela de manutenção, onde não é apresentado o campo referente ao cálculo do IRRF. O correto é sempre utilizar a tela de Lançar Vales, para efetuar o respectivo lançamento e não a tela de manutenção. Cálculos > Lançamentos > Vales > Lançar Vales.

  • 2.15 Férias

Deve-se ficar atento ao campo “Proventos Férias”, existente na tela de geração da Dirf, através do qual é possível optar entre considerar somente os valores do recibo de Férias, considerar somente os valores da Ficha Financeira ou realizar o cálculo padrão, onde o sistema efetua a proporcionalidade dos eventos do recibo de Férias e compara com os valores da Ficha Financeira. Se os valores forem diferentes, o módulo de Folha gerará uma diferença positiva ou negativa.

  • 2.16 Pensão Judicial Valores gerados no Informe de Rendimentos

No Informe de Rendimentos, os valores de Pensão Judicial são listados no campo 03 Rendimentos Tributáveis e no campo 07 Informações Complementares. Para listar as informações do campo 03 linha 04, o sistema verifica a característica dos eventos de Pensão (45A, 45B e 45J), já o campo 07, verifica a guia “Pagamentos, existente no cadastro da Pensão Judicial. Se os valores gravados na guia Pagamentos estiverem incompletos ou diferentes dos valores da Ficha Financeira, ocorrerão diferenças entre o campo 03 e o campo 07.

Questionamentos comuns na geração/validação da Dirf: 1 – Existe algum relatório para conferirmos mais facilmente os

Questionamentos comuns na geração/validação da Dirf:

1 Existe algum relatório para conferirmos mais facilmente os valores que são gerados nos campos/linhas da Dirf?

Resp: Utilizar o campo “Log Monitoramento Processo” disponível na tela de geração da

Dirf e selecionar o colaborador desejado no botão “Seleção”. Após a geração da Dirf, será habilitado o botão “Monitorarpara que possa ser analisado linha a linha, quais eventos e os respectivos códigos de cálculo formaram o valor encontrado.

2

Não estamos conseguindo fechar os valores de Férias que foram

considerados na geração da Dirf, os mesmos não batem com os valores da Ficha

Financeira.

 

Resp: Verificar se as férias foram quebradas em duas competências e caso positivo,

analisar a opção selecionada no campo “Proventos Férias”, existente na tela de geração

da Dirf, através do qual é possível optar entre considerar somente os valores do recibo

de Férias, considerar somente os valores da Ficha Financeira ou realizar o cálculo padrão, onde o sistema efetua a proporcionalidade dos eventos do recibo de Férias e compara com os valores da Ficha Financeira. Se os valores forem diferentes, o Administração de Pessoal gerará uma diferença positiva ou negativa.

3 - Na geração do Informe/Dirf ocorre a seguinte mensagem: Erro - Empresa:

0001 Tipo: 1 Cadastro: 000000006 - Centralizações Incorretas, Filiais 0005 e 0001. Não Será Gerado no Informe/Dirf.

Resp: Este erro ocorria porque a Filial 1, que é a Centralizadora, estava parametrizada com tipo F - Filial, e a filial 5, que é a Centralizada, estava parametrizada com tipo M - Matriz. A Filial Matriz sempre deverá ser a Filial Centralizadora. Esta informação é configurada em Empresas > Filiais, guia Darf.

4 Temos vários colaboradores que são terceiros, para os quais não está gerando o Comprovante de Rendimentos Legal (FPIN001.ANU). "Não houve informações a listar". No entanto o relatório FPDI001.ANU (Declaração Imposto de Renda na Fonte), é gerado normalmente para estes terceiros.

Resp: O problema ocorria porque estes terceiros não tinham histórico de filial e de local. O relatório FPIN001.ANU não irá listar colaboradores/terceiros que não tenham históricos de filial e local.

5 - Quando um colaborador possui rescisão no

ano de 2013 e logo foi
ano
de
2013
e
logo
foi

readmitido pela empresa, poderá haver casos em que será apresentado o

seguinte erro: “Registro duplicado para o Beneficiário do declarante.”

Resp: Este erro ocorre porque o CPF da colaboradora em questão está igual, porém o NOME da mesma possuía um espaço no final da linha, com isto eram gerados dois registros dentro do arquivo texto, conforme abaixo:

Linha 2159: BPFDEC|33893201807|PAOLA DE FREITAS CINTRA || Linha 2155: BPFDEC|33893201807|PAOLA DE FREITAS CINTRA||

Neste caso, deve-se ajustar o nome do colaborador nos dois cadastros existentes no Administração de Pessoal para ficarem exatamente iguais, com isto será gerado apenas um registro e não será mais apresentado o erro.

6

Está ocorrendo

colaboradores.

Range

Check Error

na

geração

da

Dirf

para

alguns

Resp: Esta mensagem pode ocorrer em virtude de existirem recibos de Férias calculados com “Data de Pagamento” zerada, o que não está correto. Tabela R040FEM, campo DatPag. Basta informar a data de pagamento neste campo e gerar a Dirf novamente.

Outra informação que pode ser verificada neste caso, é se no cadastro de Dependente, na guia Nascimento, a data de entrega da certidão não está menor que a data de nascimento indicada na guia Cadastro.

7 É possível gravar no arquivo Dirf mais de uma Empresa ao mesmo tempo?

Resp: Caso mais algum cliente questione se pode importar em um mesmo arquivo de Dirf várias empresas, a resposta é não. Porque no layout da Dirf está previsto que o cabeçalho (nome, CNPJ, etc) só pode ir uma única vez para o arquivo.

Se algum cliente gerar o relatório para mais de uma empresa e importar no validador da Dirf (modelo FPDI004.ANU, onde na seleção foi informado abrangência de Empresa 1- 999), ocorrerão vários erros, como por exemplo:

“Código da receita fora de ordem 0561”; “Registro fora de ordem para beneficiário do declarante”; “Registro não importado devido a erro na linha xxx”.

8 - Valores Multiplicados no Informe de Rendimentos. Ao listar o Informe de Rendimentos, modelo 001,

8 - Valores Multiplicados no Informe de Rendimentos. Ao listar o Informe de Rendimentos, modelo 001, verificamos que os valores estão divergentes em todos os campos. Na impressão, os mesmos aparecem multiplicados por 100. Por exemplo, ao invés de listar R$ 1.000,00 lista R$ 100.000,00. O cadastro das informações mensais gravado em: Anuais > Informe/Dirf > Alterar está correto, porém ao emitir o relatório os valores ficam incorretos.

Resp: Neste caso, deve-se verificar nas configurações do Servidor no Windows, em Configurações > Painel de Controle > Opções Regionais e de Idioma, qual a linguagem configurada. Na situação relatada acima, estava configurada uma linguagem diferente Português (Brasil) e alterando a linguagem para Português, os valores foram listados corretamente no relatório.

9 - Existe algum relatório para conferência das informações digitadas em Anuais > Informe/Dirf > Desconto Plano de Saúde > Alterar?

Resp: Poderá listar o modelo FPDI003.ANU, disponível em Anuais > Informe/Dirf > Listar > Dirf.

10 Temos os módulos Administração de Pessoal e Benefícios integrados e ao conferirmos o Informe de Rendimentos, verificamos que para algumas competências não foram integrados os valores de mensalidade e co- participação. Neste caso, o que verificar?

Resp: Existem algumas verificações que devem ser feitas neste caso, conforme abaixo:

  • - Verificar na tela

de

Desconto Plano de Saúde do Administração

de Pessoal,

se

os

valores estão aparecendo para o titular e seus dependentes. Pode ocorrer de não ter

nenhuma informação cadastrada ou estar faltando informações para apenas algumas competências.

-

Se

for identificado que não

existem

valores nesta

tela

ou

que

os mesmos

estão

incompletos, deve-se verificar no BS:

8 - Valores Multiplicados no Informe de Rendimentos. Ao listar o Informe de Rendimentos, modelo 001,

Se o problema estiver nos valores de mensalidade do titular ou dependente,

deve-se verificar qual(is) o plano(s) assinalado (s) para o colaborador e seu(s) dependente(s), em Benefícios > Assistência > Assinalamentos > Individual. Identificando a Seguradora e o Plano ativos na competência onde ocorreu o problema, conferir se o respectivo plano está cadastrado corretamente em Benefícios > Assistência > Planos, tendo informado o evento de desconto da

mensalidade no campo “Evento Titulares” e o assinalamento “Integrar Valores

Dirf”, e na guia Preços, os valores de mensalidade nos campos “Total Titular” e “Total Dep”;

Dirf”, e na guia Preços, os valores de mensalidade nos campos “Total Titular” e “Total Dep”;

  • Tendo todos os parâmetros acima cadastrados corretamente, para gerar os valores de mensalidade do titular e dependente(s) na tela de Desconto Plano de Saúde no Administração de Pessoal, é necessário utilizar a rotina em Benefícios > Assistência > Gerar Valores Anuais, para cada código de cálculo em que os valores não constam nesta tela, assinalando a opção “Mensalidades”;

  • Se o problema estiver nos valores de co-participação do titular ou dependente, deve-se verificar se estes valores estão lançados em Benefícios > Assistência > Despesas, para a seguradora e o plano que estão assinalados para o colaborador/dependente. A despesa médica deve ser lançada informando no campo “Início Desconto” a competência de cálculo em que o valor deve ser integrado, no campo “Tipo Desconto Despesa” não deve ser informada a opção 1 – Não Paga, e o valor de co-participação deve ser informado no campo “Valor do Serviço”. Este valor deve ser lançado para cada competência nesta tela;

  • Tendo o valor de co-participação lançado para todos os meses em que ocorreu, para gerar este valor na tela de Desconto Plano Saúde no Administração de Pessoal, é necessário utilizar a rotina em Benefícios > Assistência > Gerar Valores Anuais, para cada código de cálculo correspondente a competência em que o valor não consta nesta tela, assinalando a opção “Despesas”;

Salientamos que em Anuais > Informe/Dirf > Listar > Informe, foi disponibilizado no ano passado o modelo FPIN006.ANU Conferência Informe/Dirf Valores de IRRF, que listará os valores considerados em cada competência, auxiliando na conferência da Dirf.

11 Informe de Rendimentos quando importado para o programa da Dirf. Ao gerar o Informe de Rendimentos em Anuais > Informe/Dirf > Listar > Informe, modelo 001, aparece no campo 7 - Informações Complementares os dados do Plano de Saúde, nome do Beneficiário e valores (Pensão Judicial). Após importar o Informe de Rendimentos para o programa da Dirf, é informada apenas a descrição dos Planos de Saúde.

Resp: Verificamos com nossa Assessoria em Recursos Humanos e o Administração de Pessoal não leva esta informação para o arquivo Dirf/Informe, devido a limitação do layout do arquivo que disponibiliza apenas 200 posições. Se desejar informar a Pensão Judicial no campo 7 do Informe de Rendimentos gerado pelo validador da Dirf, por exemplo, deverá incluir esta informação manualmente. Pois, para inclusão manual o validador possui 1000 posições, mas para importação de informações somente 200 posições.

12 - Ao gerarmos a Dirf/Informe para um Terceiro (transportador autônomo), verificamos que não está listando

12 - Ao gerarmos a Dirf/Informe para um Terceiro (transportador autônomo), verificamos que não está listando no campo 4 - Rendimentos Isentos e não Tributáveis, a linha 7 - Transportador Autônomo. Neste campo deveria listar o valor do rendimento isento.

Resp: A partir da versão 5.8.2.2, foi implementado um tratamento para esta situação, conforme divulgado no BIS 932:

Informe/DIRF para pagamentos de transportistas

A tela de entrada da geração do Informe/DIRF apresenta o campo Transportista Rend.Isentos, que permite indicar se o valor isento (diferença entre rendimento bruto e rendimento tributável da tela Cálculos > Terceiros > Pagamentos Física de transportistas) devem ser lançados como rendimentos isentos ou não.

Implementações para a geração da Dirf ano base 2013

  • - O procedimento de gravação dos rendimentos foi ajustado, de forma a gerar uma nova

quebra de registro, por código de receita. O valor correspondente à receita do PLR será gerado no código 3562.

  • - Os modelos de Informe

foram ajustados para levar o

valor

de

PLR

em

novo local

conforme leiaute definido na IN da RFB, ou seja, na seção de tributação exclusiva, foi

criada uma nova linha para informar a Participação nos Lucros dos empregados.

  • - Realizado ajuste na tela de geração da Dirf quanto ao campo Dependentes P. Lucros”,

deixando-o fixo com a opção N, não sendo possível alterar este valor a partir do ano base

2013.

  • - Realizado ajuste na tela de geração da Dirf quanto ao campo “P. Lucros T. Exclusiva,

deixando-o fixo com a opção S, não sendo possível alterar este valor a partir ano base

2013.

  • - Ajustado internamente nos modelos de Informe/Dirf, o valor limite de isenção para 25.661,70 (referente ao ano base 2013).

3 Dicas para a geração/validação da Rais

Salientamos que na geração da Rais, os valores são gerados abertos por Filial.

3.1 Quem deve ser relacionado na Rais

3.1 – Quem deve ser relacionado na Rais a) empregados contratados por empregadores, pessoa física ou
  • a) empregados contratados por empregadores, pessoa física ou jurídica, sob o regime da

CLT, por prazo indeterminado ou determinado, inclusive a título de experiência;

  • b) servidores da administração pública direta ou indireta, federal, estadual ou municipal,

bem como das fundações supervisionadas;

  • c) trabalhadores avulsos (aqueles que prestam serviços de natureza urbana ou rural a

diversas empresas, sem vínculo empregatício, com a intermediação obrigatória do órgão gestor de mão-de-obra, nos termos da Lei nº 8.630, de 25 de fevereiro de 1993, ou do sindicato da categoria);

  • d) empregados de cartórios extrajudiciais;

  • e) trabalhadores temporários, regidos pela Lei nº 6.019, de 3 de janeiro de 1974;

  • f) trabalhadores com Contrato de Trabalho por Prazo Determinado, regido pela Lei nº

9.601, de 21 de janeiro de 1998;

  • g) diretores sem vínculo empregatício, para os quais o estabelecimento/entidade tenha

optado pelo recolhimento do FGTS (Circular CEF nº 46, de 29 de março de 1995);

  • h) servidores públicos não-efetivos (demissíveis ad nutum ou admitidos por meio de

legislação especial, não regidos pela CLT);

  • i) trabalhadores regidos pelo Estatuto do Trabalhador Rural (Lei nº 5.889, de 8 de junho

de 1973);

  • j) aprendiz (maior de 14 anos e menor de 24 anos), contratado nos termos do art. 428

da CLT, regulamentado pelo Decreto nº 5.598, de 1º de dezembro de 2005;

  • k) trabalhadores com Contrato de Trabalho por Tempo Determinado, regido pela Lei nº

8.745, de 9 de dezembro de 1993, com a redação dada pela Lei nº 9.849, de 26 de

outubro de 1999;

  • l) trabalhadores com

estadual;

Contrato de Trabalho por Prazo Determinado,

regido por

lei

  • m) trabalhadores com Contrato de Trabalho por Prazo Determinado, regido por lei

municipal;

  • n) servidores e trabalhadores licenciados;

  • o) servidores públicos cedidos e requisitados; e

  • p) dirigentes sindicais.

n) servidores e trabalhadores licenciados; o) servidores públicos cedidos e requisitados; e p) dirigentes sindicais. Parawww.rais.gov.br . 3.2 – Quem não deve ser relacionado na Rais a) diretores sem vínculo empregatício para os quais não é recolhido FGTS; b) autônomos; c) eventuais; d) ocupantes de cargos eletivos (governadores, deputados, prefeitos, vereadores, etc.), a partir da data da posse, desde que não tenham feito opção pelos vencimentos do órgão de origem; e) estagiários regidos pela Portaria MTPS nº 1.002, de 29 de setembro de 1967, e pela Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008; f) empregados domésticos regidos pela Lei nº 11.324/2006; e g) cooperados ou cooperativados. Para mais informações orientamos consultar o Manual da Rais 2013 disponível no site da Rais – www.rais.gov.br . 3.3 – Folha Complementar – Tipo 12 Se na definição do cálculo da folha tipo 12 – Folha Complementar, o campo “Cálculo dos Descontos” estiver assinalado com a opção A – Tratar como adiantamento salarial, os valores pagos nesta folha não serão considerados na geração da Rais. Utilizando a opção D – Tratar como diferença da folha anterior, o Administração de Pessoal somará os valores existentes nas Fichas Financeiras junto a remuneração do mês. " id="pdf-obj-22-8" src="pdf-obj-22-8.jpg">

Para mais informações orientamos consultar o Manual da Rais 2013 disponível no site da Rais www.rais.gov.br.

3.2 Quem não deve ser relacionado na Rais

  • a) diretores sem vínculo empregatício para os quais não é recolhido FGTS;

  • b) autônomos;

  • c) eventuais;

  • d) ocupantes de cargos eletivos (governadores, deputados, prefeitos, vereadores, etc.), a

partir da data da posse, desde que não tenham feito opção pelos vencimentos do órgão

de origem;

  • e) estagiários regidos pela Portaria MTPS nº 1.002, de 29 de setembro de 1967, e pela

Lei nº 11.788, de 25 de setembro de 2008;

  • f) empregados domésticos regidos pela Lei nº 11.324/2006; e

  • g) cooperados ou cooperativados.

Para mais informações orientamos consultar o Manual da Rais 2013 disponível no site da Rais www.rais.gov.br.

3.3 Folha Complementar Tipo 12

Se na definição do cálculo da folha tipo 12 – Folha Complementar, o campo “Cálculo dos Descontos” estiver assinalado com a opção A – Tratar como adiantamento salarial, os valores pagos nesta folha não serão considerados na geração da Rais.

Utilizando a

opção D

Tratar como diferença da folha anterior, o Administração de

Pessoal somará os valores existentes nas Fichas Financeiras junto a remuneração do

mês.

Obs: No cálculo de uma Folha Complementar, as referências dos eventos que foram recalculados sempre estarão

Obs: No cálculo de uma Folha Complementar, as referências dos eventos que foram recalculados sempre estarão zeradas, evitando que no caso de eventos como os de Horas Extras, por exemplo, as referências sejam informadas em duplicidade na Rais.

3.4- Folha Dissídio Coletivo Tipos 13/14

No momento de gerar a Rais, deve-se observar o campo “Considerar Cálculo Dissídio”, onde existem 3 formas de tratar os valores calculados em folhas do tipo 13/14 Dissídio Coletivo.

  • - Opção A: Serão considerados na busca das remunerações somente os cálculos tipo 14 cuja data de pagamento estejam dentro do ano base.

  • - Opção H: Serão considerados na busca das remunerações os cálculos tipo 14 cuja data

de homologação dissídio estejam dentro do ano base e para cada cálculo tipo 14 considerado, mesmo que o pagamento da folha 14 esteja no ano seguinte, os valores de remuneração do colaborador serão distribuídos conforme as competências dos cálculos tipo 13 que compõem este cálculo tipo 14.

  • - Opção P: Serão considerados na busca das remunerações os cálculos tipo 14 cuja data

de pagamento estejam dentro do ano base e para cada cálculo tipo 14 considerado, os valores de remuneração do colaborador serão distribuídos conforme as competências dos cálculos tipo 13 que compõem este cálculo tipo 14.

No help deste campo estão disponíveis exemplos para cada uma destas opções.

3.5 Outros tipos de Folha

A folha referente ao cálculo de rescisões complementares, tipo 15 Erro ou Omissão de Valores, também será considerada na geração da Rais, desde que o desligamento tenha ocorrido no ano base.

Com relação a 13º Salário Adiantado, será considerada a soma dos eventos cadastrados com características de 13º Salário Adiantado, pagos durante o ano base. Como mês de pagamento será informada a competência do último código de cálculo tipo 31 existente no ano base.

Com

relação

a

13º

Salário Integral, será

considerada a soma

dos eventos com

características de 13º Salário Integral, Proporcional, Indenizado, Maternidade, Complementar, diminuindo os eventos de 13º Salário Adiantado, 13º Salário Maternidade

a devolver e 13º Salário Complementar a devolver. Como mês de pagamento será informada a competência

a devolver e 13º Salário Complementar a devolver. Como mês de pagamento será informada a competência do código de cálculo tipo 32 existente no ano base.

  • 3.6 Transferências entre Filiais e Empresas, com mesmo CNPJ

Se as Filiais/Empresas possuírem o mesmo CNPJ, não serão consideradas como transferências de Filiais/Empresas na geração da Rais, visto que as informações serão listadas em um mesmo CNPJ.

  • 3.7 Transferências entre Filiais e Empresas, com CNPJs diferentes

Se as Filiais/Empresas possuírem CNPJs diferentes, os colaboradores serão listados nas respectivas filiais, considerando as remunerações existentes em cada uma delas. Será verificada a data do histórico de Filial para gerar estas informações.

As filiais cadastradas com tipo O - Obra, com CNPJ igual e CEI diferentes, serão informadas separadamente, desde que em Empresas > Filiais, guia Rais, seja indicado CEI Vinculado a CNPJ.

  • 3.8 Afastamentos

Os afastamentos por motivo de Doença (atestado) inferiores a 15 dias, não serão considerados na Rais. Para os demais afastamentos, deve-se observar o campo “Situação Válida p/ Rais”, existente no cadastro de Situações. Se a Situação for considerada para a Rais, verificar se a guia “Movto Rais” está preenchida corretamente com o código do

afastamento.

No GDRais, nos dados pessoais do Empregado/Servidor, guia Afastamento, campo “Total Dias Afastados”, será considerado o total de dias que o colaborador esteve afastado no

ano base. Porém, serão demonstrados somente os 3 afastamentos que possuírem a maior quantidade de dias. No caso de acidente de trabalho é permitido indicar o código do motivo de afastamento Rais diretamente no Histórico de Afastamentos também.

  • 3.9 Rescisões

Os

valores

pagos

a

título de

Dissídio Coletivo no

cálculo da

rescisão devem ser

informados na Rais, inclusive com o número de competências a que se referem estes

valores.

 

Se o valor de Dissídio Coletivo pago ao colaborador demitido constar em um cálculo tipo

14,

o

sistema

encontrará

os

valores

pagos

e

também

o

número de meses

correspondentes ao mesmo, gerando automaticamente os valores. Se o valor de Dissídio Coletivo não foi gerado

correspondentes ao mesmo, gerando automaticamente os valores. Se o valor de Dissídio Coletivo não foi gerado pelas folhas complementares 13 e 14, o evento utilizado para esta finalidade deve ser cadastrado com característica 39U, conforme orientações expostas acima. Este evento deve constar na Ficha Financeira correspondente ao mês da rescisão.

No caso de Gratificações que deveriam ter sido pagas durante o ano e não foram, fazendo com o que o colaborador receba um valor alto no cálculo da rescisão, deve-se utilizar o evento com característica 39V. Na referência deste evento deve constar a quantidade de competências as quais o mesmo se refere. Este evento deve constar na Ficha Financeira correspondente ao mês da rescisão.

  • 3.10 Descontos Sindicais

Para gerar as informações referentes a descontos sindicais dos empregados, serão consideradas as características abaixo:

41A Mensalidade Sindicato 41B Contribuição Sindical 41C Taxa Assistencial 41D Custeio do Sistema Federativo 41E Reversão Salarial

No momento de gerar o arquivo texto da Rais, deve-se verificar o campo “Contribuições Sindicais”, onde pode-se optar entre considerar todas as contribuições e descontos sindicais do colaborador ou somente a Contribuição Sindical que é obrigatória.

A Contribuição Sindical Patronal deverá ser informada em Impostos > Sindical > Cadastro a cada filial. Antecipadamente deve-se cadastrar os sindicatos patronais em Tabelas >Sindicatos> Cadastro, indicando os dados na guia GRCS.

  • 3.11 - Retificação

Para retificar a Rais de anos anteriores deve-se utilizar o modelo FPRT003.ANU para listar o arquivo texto, indicando no Tipo de Serviço a opção R - Retificador. Além disso, é necessário baixar o validador Genérico do GDRais, para importar este arquivo texto.

  • 3.12 Salário Contratual

O salário contratual compõe-se de parte fixa + parte variável.

Parte fixa: O sistema busca este dado no último histórico salarial do colaborador no ano base,

Parte fixa: O sistema busca este dado no último histórico salarial do colaborador no ano

base, ou

se

foi

demitido/transferido

o

salário

vigente

no

mês

da

rescisão ou

transferência.

 

Parte Variável: Efetua a média do ano, com os valores variáveis que encontrar na Ficha Financeira. Os eventos a serem considerados nesta média serão:

Eventos com + ou - no campo Média Salário Contratual Rais, disponível no cadastro de Eventos, guia Incidências.

  • 3.13 Alvará menor de 16 anos

A empresa precisa ter um alvará judicial para ter menor de 16 anos trabalhando sem ser na condição de Aprendiz Vínculo Rais 55. No Administração de Pessoal não foi implementado nenhum campo para tratar esta questão, o usuário deverá alterar diretamente no validador GDRais.

No Gdrais, campo ALVARÁ JUDICIAL:

"Informe se existe alvará judicial autorizando o trabalho do menor de 16 anos, que não seja aprendiz, selecionando a opção SIM, caso contrário, assinale NÃO".

  • 3.14 Remuneração Mensal

Serão considerados os eventos assinalados com + ou – no campo “Remuneração Rais”, existente no cadastro de Eventos, guia Incidências.

No manual da Rais constam orientações sobre as remunerações que devem ser consideradas na geração.

  • 3.15 Totalizador Horas Extras (Referência)

Deve-se cadastrar um totalizador em Tabelas > Eventos > Eventos > Totalizadores, contendo os eventos ou características de Horas Extras que devem ser considerados na geração da Rais.

Orientamos que este totalizador deverá ser cadastrado com o Tipo Soma = 4

Referência do Evento da Característica, indicando as respectivas características dos eventos de Horas Extras (05A e 05B, etc) que devem ser considerados. Este tipo de soma evita que sejam criados eventos durante o ano e que por ventura, o cliente esqueça de incluí-los no cadastro do totalizador, visto que ao indicar a característica,

todos os eventos que utilizam a mesma serão considerados.

Salientamos que no caso de Horas Extras, sempre deverá ser informada a quantidade de horas (referência)

Salientamos que no caso de Horas Extras, sempre deverá ser informada a quantidade de horas (referência) e não o valor.

3.16 Totalizador Banco de Horas (Valor)

Este totalizador refere-se ao valor de Banco de Horas que foi pago ao colaborador no cálculo de rescisão. Deve-se cadastrar um segundo totalizador, contendo os eventos de Banco de Horas que devem ser considerados na geração da Rais.

Orientamos que este totalizador deverá ser cadastrado com o Tipo Soma = 2 Valor do Evento da Característica, indicando as respectivas características dos eventos de Banco de Horas que devem ser considerados (geralmente 05A, 05B, 05C, 05D, 05E, 05F, etc). Este tipo de soma evita que sejam criados eventos durante o ano e que por ventura, o cliente esqueça de incluí-los no cadastro do totalizador. Visto que ao indicar a própria característica, todos os eventos que utilizam a mesma serão considerados.

Mas nada impede que o cliente utilize o Tipo Soma = 1 Valor do Evento no momento de criar o totalizador e informe os eventos desejados.

Salientamos que no caso de Banco de Horas, sempre deverá ser informado o valor pago e não a referência.

Outra forma de tratar os valores de Banco de Horas pagos em rescisão é cadastrar um evento com característica 50I, tipo Outros e regra 45, sem incidências. Este evento deverá ser lançado na Ficha Financeira do mês da rescisão, com o valor pago ao colaborador, sendo que na referência deverá constar a quantidade de competências que foram consideradas neste pagamento.

Os dados do totalizador de Banco de Horas

e o

período a que

se

refere podem ser

informados no cadastro da Filial, em Empresas > Filiais, guia Rais, e esta informação sobrepõe a que for indicada na tela de Geração da Rais. Isto para facilitar a geração de

forma única mesmo que as filiais possuam bancos de períodos e formatos diferentes.

Questionamentos comuns na geração/validação da Rais:

1 Está ocorrendo o seguinte erro na validação da Rais: "Preenchimento campo qtdcompetencias é obrigatório. Quantidade de competências gratificações =

00".

Resp: Essa mensagem ocorre na seguinte situação:

Colaboradores demitidos que tem na rescisão o evento 39V - Gratificações na Rais, e esse evento

Colaboradores demitidos que tem na rescisão o evento 39V - Gratificações na Rais, e esse evento está sem referência. Portanto, não tendo referência informada, o Administração de Pessoal não leva para a Rais o número de competências.

Esse evento serve para pagar na rescisão valores de gratificações que não foram pagas durante o ano. Deve-se verificar se realmente esse evento é devido, ou o cliente está usando sem conhecimento. Se realmente for devido, deve ser informado na referência o número de competências a que se refere o valor que está sendo pago na rescisão. Este lançamento deve ser feito na ficha financeira do mês da rescisão.

2 Para colaborador sindicalizado, que possui somente desconto de Contribuição Sindical e Contribuição Assistencial no ano, ao validarmos o

arquivo da Rais ocorre a seguinte mensagem de erro: “Para empregado

sindicalizado informar obrigatoriamente o CPNJ da entidade sindical

beneficiária CPNJ CONTRIBUIÇÃO ASSOCIATIVA = 00000000000000000”

Resp: Segundo o manual da RAIS:

= > Contribuição Associativa: Trata-se de uma contribuição obrigatória somente àqueles que se associarem (filiarem) aos sindicatos. A filiação não é obrigatória, mas quando ocorre será obrigatório o recolhimento desta contribuição, prevista nos arts. 545 e 548 da CLT.

Sendo assim, se o colaborador tem informado que é sindicalizado, ele deve ter valores no tipo 2 - Contribuição Associativa - Evento com característica 41A, no ano base.

3 Fomos questionados sobre a forma que levamos o salário contratual da Rais para Diretores não empregados, visto que no manual da Rais consta a orientação de que deve ser considerado o último rendimento em vigor no ano base. Exemplo: o salário do Diretor é de 5.000,00 e o último pagamento do ano foi de 10.500,00. O sistema leva para a Rais o valor de 5.000,00, porém, acreditamos que o correto seria levar o valor de 10.500,00 que corresponde ao último rendimento.

Resp: Para Diretor que não tiver salário base no histórico salarial, o sistema levará o valor que estiver no evento de característica 32A, na Ficha Financeira de dezembro. Neste caso, se o cliente não deseja considerar o histórico salarial, deverá zerá-lo.

4 Estamos gerando a Rais para um colaborador que foi transferido para uma Filial Obra e ocorre o seguinte erro na validação do arquivo txt (anexo):

"Duplicata de estabelecimento. Esta inscrição CNPJ/CEI e prefixo já foram declaradas neste arquivo". Colaborador possui o seguinte histórico de Filial:

07/04/2005 - Filial 01 - Matriz - CNPJ 79.265.617/0001-99 01/05/2009 - Filial 03 - Obra 512024265271

07/04/2005 - Filial 01 - Matriz - CNPJ 79.265.617/0001-99

01/05/2009 - Filial 03 - Obra

512024265271

- CNPJ 79.265.617/0001-99 + CEI

01/08/2009 - Filial 01 - Matriz - CNPJ 79.265.617/0001-99

No cadastro da Filial 03, guia Rais, campo "Motivo Alteração CNPJ" foi indicado 6 - Matrícula CEI vinculada a CNPJ.

Resp: Este erro está acontecendo porque existem colaboradores com prefixo diferente na mesma Filial, tabela R053COL, campo FilArq. Isso se deve ao fato de ter gerado a Rais e após ter mudado algum parâmetro na Filial e gerado somente para alguns colaboradores. Desta forma, foram gravados prefixos diferentes para a mesma Filial, o que não está correto e gera esta inconsistência.

Neste caso é necessário gerar

novamente a Rais para esta Empresa, sem selecionar

nenhuma abrangência, para que as informações da tabela R053COL sejam gravadas

corretamente.

5 - Ao gerar a Rais está ocorrendo o seguinte erro: “EmprArq: 1 AnoBas: 2006 FilArq: 1 NumEmp: 1 TipCol: 1 NumCad: 9603 DatAdm: 02/04/2001 CodVin:

25 : R053CSC: Erro de acesso ao banco de dados:

Não foi encontrado o Registro-Mestre para este Registro. R053CSC(CodSin) ->

R014SIN(CodSin)”.

Resp: Deve-se verificar se existem eventos que utilizam regra 7 Descontos Sindicais e que estão cadastrados com o campo “Sindicato” apontando para um código de Sindicato

que não existe na base.

Poderá ser executado o select abaixo para verificar quais são os códigos de Sindicato indicados no cadastro de eventos:

Select distinct(codsin) from r008evc

Em seguida, analisar se estes códigos de Sindicato estão cadastrados na base. Caso identifique algum código que não esteja cadastrado, poderá ser executado o select abaixo para identificar os eventos que utilizam este código de Sindicato:

Select * from r008evc where codsin=xx

Após identificar os eventos, deve-se ajustar os mesmos.

6 – Está ocorrendo o seguinte erro na Rais: "Informação indevida de CNPJ da entidade sindical
  • 6 Está ocorrendo o seguinte erro na Rais: "Informação indevida de CNPJ da

entidade sindical associativa para empregado não sindicalizado. Indicador Sindicalizado = 2. CNPJ Contribuição Associativa-1 = 21261441000117".

Resp: Neste caso, o colaborador estava parametrizado como Sindicalizado = N e tinha um evento na ficha financeira com característica 41A. Neste caso, uma das duas informações está incorreta. Ou ele deve ser alterado para Sindicalizado = S, ou este evento de desconto sindical não deveria ser 41A, pois ele não é sindicalizado.

7

-

O

registro não possui o tamanho esperado. Foram identificados

delimitadores de fim de registro no seu conteúdo. Sequência 000001. Inscrição/Prefixo do Estabelecimento: 04.060.193/0001-27(00). Posição = 528

0D(hexadecimal).

Resp: Quando ocorrer este erro, verificar se o cliente está utilizando um modelo da Rais desatualizado (muitos baixam a versão e não baixam os modelos).

  • 8 - Está ocorrendo Range Check Error na geração da Rais.

Resp: Deve-se verificar o cadastro do totalizador de horas extras (referência), neste caso o Range Check Error era gerado porque o totalizador estava cadastrado com duas linhas em branco só com o sinal "+" e sem nenhum evento ou característica informado.

Além disso, a mensagem também pode ocorrer em virtude de um totalizador cadastrado para acumular valores (como o totalizador de Banco de Horas, por exemplo), ter sido indicado na tela de geração da Rais, no campo referente ao totalizador horas extras.

  • 9 – Está ocorrendo o seguinte erro na geração da Rais: “Invalid Floating Point

Operation".

Resp: Verificar duas informações sobre FGTS - Multa Rescisória:

  • - Nos eventos de características 31C e 31G, o percentual deve estar preenchido(40%).

  • - Na guia Simples/FGTS do cadastro da Empresa ou da Filial, o campo FGTS/Multa deve estar preenchido também(10%).

10 - Ao fazer a importação da Rais verificamos que todos os colaboradores estão sendo informados na filial matriz, sendo que nossas filiais possuem CNPJs diferentes.

Resp: Deve- se verificar no cadastro de Filial, guia GPS, campo “Empregadora GPS”. Neste campo sempre

Resp: Deve-se verificar no cadastro de Filial, guia GPS, campo “Empregadora GPS”. Neste campo sempre deverá ser informada a própria filial e não a filial matriz. Por exemplo: Filial 02 Empregadora GPS 02 e assim por diante.

11- Para os colaboradores que são professores e estão cadastrado com tipo de salário 2 Horistas, ao verificarmos o arquivo da Rais, verificamos que os mesmos foram gerados como Mensalistas.

Resp: Para professores, mesmo que sejam horistas no Administração de Pessoal, na geração da Rais o sistema sempre irá levar como mensalista, pois ele pode ter diversas atividades/disciplinas com valores diferenciados de salário hora e neste caso não teríamos como saber qual valor deve ser levado, por este motivo incluímos o mesmo como mensalista e realizamos uma média dos valores recebidos.

Caso o cliente queira informar este professor como horista na Rais, foi criada a regra por processo " 78 - Antes Detalhe da Rais ", que pode ser utilizada para alterar o parâmetro conforme necessidade.

12 -

Ao importar o arquivo gerado pelo Rubi no programa da Rais, ocorre o

seguinte erro: "A quantidade de vínculos que participaram do PAT não foi

 

informada".

Resp: Verificar se na Ficha Básica, na guia "Modalidades PAT" existe informação cadastrada, esta informação pode ser inserida individualmente na Ficha Básica ou coletivamente em Colaboradores > Ficha Cadastral > Assinalar Modalidades PAT.

13 - Ao gerarmos o modelo FPRT001.ANU - Rais Arquivo Texto, está ocorrendo a seguinte mensagem: "O controle FRAINUMFIL possui máscara "999999" inferior ao valor 28022442 que está sendo atribuído neste momento. Para corrigir altere a máscara do controle FRAINUMFIL e salve a alteração no modelo".

Resp: Verificamos que esta mensagem ocorre quando o endereço da Filial não possui a vírgula separando o nome da rua e o número do mesmo. Por exemplo:

Se no cadastro da Filial o endereço estiver cadastrado conforme abaixo, ocorrerá esta inconsistência, visto que o sistema trará todos os números que fazem parte do endereço de forma agrupada (28022442):

Rod prt 280 km 224 42

Conforme orientações da Rais ano base 2012, os campos com informações do número do endereço tornaram-se obrigatórios. O sistema não possui um campo separado no cadastro do Responsável Legal e da Filial com essa informação. Nesse caso, foi feito um

tratamento para que seja assumido o valor cadastrado junto ao campo Endereço, ou seja, para o

tratamento para que seja assumido o valor cadastrado junto ao campo Endereço, ou seja, para o layout irá levar o primeiro grupo numérico após a vírgula. Ex:

"Rua São Paulo, 825". Irá levar "825".

"Rua São Paulo, 825 4º Andar". Irá levar "825".

No exemplo do endereço Rod prt 280 km 224 42, deve-se cadastrar da seguinte forma:

Rod prt 280 km, 224 42.

Implementações para a geração da Rais ano base 2013

  • - Incluído o campo “Tipo de Sistema de Controle de Ponto” na tela de geração da Rais, onde estarão disponíveis as opções abaixo:

tratamento para que seja assumido o valor cadastrado junto ao campo Endereço, ou seja, para o

Este campo será de preenchimento obrigatório a partir da geração da Rais ano base

2013.

O tratamento deste campo no sistema será o seguinte:

  • - Se o tipo de sistema de Controle de Ponto for o mesmo para todas as Filiais, poderá ser indicado qual é o tipo utilizado diretamente na tela de geração da Rais, campo "Tipo de

Sistema de Controle de Ponto";

  • - Se o tipo de sistema de Controle de Ponto for diferente entre as Filiais, deverá ser preenchido o campo "Tipo de Sistema de Controle de Ponto" disponibilizado no cadastro

da Filial, em Empresas > Filiais, guia Rais;

  • - No momento da geração da Rais, se o campo "Tipo de Sistema de Controle de Ponto" estiver preenchido no cadastro da Filial, será considerada esta informação, independente do que for preenchido na tela de geração, ou seja, prevalecerá a informação do cadastro da Filial, se existir.

ANEXO I INFORME DE RENDIMENTOS 1. Fonte pagadora Pessoa Jurídica ou Pessoa Física 2. Pessoa Física

ANEXO I INFORME DE RENDIMENTOS

1.

Fonte pagadora Pessoa Jurídica ou Pessoa Física

 
 

2.

Pessoa Física Beneficiária dos Rendimentos

 
 

3.

Rendimentos Tributáveis, Deduções e Imposto Retido na Fonte

Linha 1

 

Linha 2

Desconto INSS Normal, de Férias, IPE (car. 40A,40B,40L,40P,40T,40Y,40Z,

(-)35D,35F,35G).

Linha 3

Previdência Privada normal e de férias (car. 49E, 40U, 40W,(-)35J,35L).

Linha 4

Pensão Judicial normal e de férias (car. 45A, 45B, 45D, 45F, 45G, 45J).

Linha 5

IR Normal + IR Férias (car 40D,40E,40H, 40I,40O,40K,40Q,()35A,35B,35H).

4.

Rendimentos Isentos e Não Tributáveis

Linha 1

Parcela Isenta Aposentados com (+) 65 anos (compara os rendimentos com a parte isenta da tabela de IR, deduz do Rendimento Tributável este valor). Somente empresa que paga a aposentadoria ou pensão pode deduzir este valor do rend. e somar neste campo.

Linha 2 Diárias e Ajuda de Custo (car. 39E, 39F e 39G com 'N' no IR

Linha 2

Diárias e Ajuda de Custo (car. 39E, 39F e 39G com 'N' no IR Mensal).

Linha 3

Proventos de Pensão: lista os rendimentos tributáveis, se na Ficha Básica assinalou IR Isento e se for aposentado por invalidez e ainda se indicou Histórico/ Receita IRRF = I (versão 5).

Linha 4

Lucro ou dividendo apurado a partir de 1996 pago por PJ (Lucro Real, Presumido

ou Arbitrado) car. 32A,32B,32C,32D,32E,32F (Com 'N' no IR Mensal ).

Linha 5

Valores Pagos a Titular ou Sócio da Microempresa ou Empresa Pequeno Porte, exceto Pro labore = Eventos com car. 32A,32B,32C,32D,32F,32E (Com 'N' no IR) e verifica na empresa se existe assinalamento de opção pelo Simples Nacional.

Linha 6

Aviso Prévio Indenizado, FGTS pago em Rescisão = 31B, 31C e 31E, férias indenizadas sem incidência de IRF (13A a 13Z) e outras indenizações sem incidência para IRRF no evento:

car. 19A a 19E ; 21A a 21F; 22A a 22Z; 23A a 23Z; 24A a 24Z; 25A a 25Z, 37A; 37C; 37D; 18A a 18Z quando sem IRF 13º.

Linha 7

Outros: Somente eventos que estão com 'N' para incidência do IR Mensal. Abono VTR = car 33B; PIS pago em folha = car 39J. Salário Família (car 33A (-) 46A) Reembolso Creche 38C; Reembolso Babá 38D. PLR car 39I - Qdo indicado 'N' para IR Mensal. 39Y versão 5 = leva o valor e a descrição do evento neste campo. - Abono de Férias (12A a 12Z) independente do assinalamento do IRRF. Bolsa do médico residente informada em Pagtos Física (versão 5.7.3).

5. Tributação Exclusiva na Fonte (Rendimento Líquido)

Linha 1

13º Salário (+) (car 16A a 16F, 17A a 17E, 18A a 18D (se tiver (+) para IR 13º) (-) car. 44A e 44C (conforme definido na tela de geração do Informe/Dirf) (-) Deduções de : INSS 13o, 40V-Prev.Privada 13º,IRRF 13o, Pensão Judicial 45C, (+) 35C + 35E = Devoluções (-) Valor dos Dependentes, de acordo com o assinalamento na tela de emissão. (+ ou -) Valores 13o complementar ou a Devolver de acordo com o assinalamento. Dedução Dependente 13o salário: Conforme a letra indicada (S, N, I, L) da tela de Geração.

Linha 2 Participação Lucros – car 39I com (+) IR PLR (-)40N (-)45I Pensão (+)45M Dev

Linha 2

Participação Lucros car 39I com (+) IR PLR (-)40N (-)45I Pensão (+)45M Dev Pensão

(+)35N.

Lucro Arbitrado car 32E com (+) IR Mensal deduzido da car. 40M IR Lucro Presumido. Rendimentos pagos a Domiciliados no Exterior: Se em Colaboradores/ Históricos/

Receita IRRF constar o assinalamento „E” em “IR Normal” o rendimento será considerado

como de Tributação Exclusiva, pago no estrangeiro e será listado nessa linha = versões

4w e 5. Na versão 5, a partir de 2010 considerará a letra “E” como de pagamento feito no

exterior.

6.

Rendimentos Recebidos Acumuladamente Art. 12-A Lei nº 7.713/88

Linha 1

Total dos Rendimentos Tributáveis. caract.38E, 38F e 38G.

Linha 2

Exclusão: Despesas com a ação judicial (49M).

Linha 3

Contrib. Previdenciária Oficial: car 48D.

Linha 4

Pensão Judicial (preencher também o quadro 7): car. 45L.

Linha 5

IRRF: car 48C.

7.

Informações Complementares

O Anexo II da IN RFB 1.215/2011 orienta sobre o que deve ser informado neste Quadro:

“I - pagamentos a planos de saúde, relativos às importâncias descontadas mensalmente do empregado para cobertura de despesas com plano de assistência à saúde, contratado pela fonte pagadora em benefício de seus empregados, o número de inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) e o nome empresarial da operadora de plano de saúde contratada e o total anual descontado, detalhando, no caso de planos privados de assistência à saúde, contratados sob a modalidade coletivo empresarial, as parcelas correspondentes ao benefíciário titular e aos beneficiários dependentes do plano; II - despesas médico-odonto-hospitalares, exceto planos de assistência à saúde relativos ao total anual dos valores descontados em folha de pagamento, para ressarcimento à fonte pagadora, de despesas efetuadas com médicos, dentistas, psicólogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e hospitais, bem como as provenientes de exames laboratoriais, serviços radiológicos,

aparelhos ortopédicos e próteses ortopédicas e dentárias, realizadas além da cobertura de planos de assistência à

aparelhos ortopédicos e próteses ortopédicas e dentárias, realizadas além da cobertura de planos de assistência à saúde:

  • a) as importâncias descontadas mensalmente do empregado para cobertura de despesas com

hospitalização, assistência médica e dentária, deduzidas, se for o caso, as importâncias ressarcidas pela fonte pagadora;

  • b) o valor correspondente à diferença entre o que foi pago diretamente pelo empregado e o

reembolsado pelo empregador, caso este retenha o comprovante de despesas médicas;

  • c) o valor reembolsado a esse título pelo empregado ao empregador, no caso deste manter convênio

e pagar diretamente ao prestador de serviço; III - contribuições para entidades de previdência complementar domiciliadas no Brasil e para Fapi, destinadas a custear benefícios complementares assemelhados aos da Previdência Social, cujo ônus tenha sido do contribuinte (valor informado na linha 3 do Quadro 3), o nome empresarial e o número de inscrição no CNPJ da entidade de previdência complementar ou Fapi para a qual contribuiu; IV - desconto de pensão alimentícia em face das normas do Direito de Família quando em cumprimento de decisão judicial, inclusive a prestação de alimentos provisionais, de acordo homologado judicialmente ou de escritura pública relativa à separação ou ao divórcio consensual, inclusive se descontada do RRA informado na linha 4 do Quadro 6, o nome e o número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) de todos os beneficiários dos rendimentos e o valor correspondente a cada um dos beneficiários, ainda que o pagamento seja efetuado pelo total a só um dos beneficiários ou ao responsável, informando separadamente o valor referente ao décimo

terceiro salário; V - a tributação estar com exigibilidade suspensa, em virtude de depósito judicial do imposto ou que, mediante a concessão de medida liminar em mandado de segurança ou a concessão de medida liminar ou de tutela antecipada, em outras espécies de ação judicial, nos termos do art. 151 da Lei nº 5.172, de 25 de outubro de 1966 - Código Tributário Nacional (CTN), não ter havido a retenção do IRRF:

a)os rendimentos tributáveis separadamente por natureza, bem como o respectivo valor do imposto retido e depositado judicialmente, se for o caso; e

  • b) na hipótese de rendimento assalariado, o valor líquido relativo ao décimo terceiro salário, bem

como o respectivo valor do imposto retido e depositado judicialmente, se for o caso. Antes das informações a que se refere o item V, caso o imposto esteja com exigibilidade suspensa ou não tenha havido sua retenção por determinação judicial, deve constar a seguinte expressão:

"Os rendimentos e os impostos depositados judicialmente, se for o caso, a seguir discriminados, não foram adicionados às linhas 01 e 05 do Quadro 3 e linha 1 do Quadro 5, em razão de o imposto estar

com exigibilidade suspensa ou não ter havido a sua retenção por determinação judicial. Devem ser informados,

com exigibilidade suspensa ou não ter havido a sua retenção por determinação judicial. Devem ser

informados, ainda, o número do processo judicial, a vara, a seção judiciária ou tribunal onde ele está

em curso e a data da decisão judicial.”

Informações do Campo 7 pelo Administração de Pessoal:

  • - Planos de Saúde com valores do titular e dependentes.

  • - Despesas Médicas - car 49F conforme indicado na tela de Listar para incluir estes eventos ou não. Totalizadores de Eventos: Se forem informados Totalizadores de Eventos no campo das Informações Complementares no item Gerar Informe/Dirf, todos os eventos deverão constar através de totalizadores, pois o Administração de Pessoal abandonará o tratamento por características.

  • - Podemos criar Totalizadores para os eventos de reembolso de despesas de educação efetuados pela empresa ao empregado, que devem ser listados neste campo.

  • - Nome e CPF Beneficiários Pensão Judicial (devem constar do item Dependentes/ Pensão Judicial)

  • - Valor Pensão Judicial e Pensão Judicial 13o salário em separado.

  • - É permitido determinar um tipo de anotação da ficha, para a empresa incluir um texto individual aos empregados (digitado em Ficha Cadastral/ Anotações da Ficha) diretamente para este campo do

Informe.

  • - Através de Anotações da Ficha ou de Totalizadores poderão ser informados os valores de

rendimentos tributáveis com exigibilidade suspensa em virtude de depósito judicial ou mediante concessão de liminar. Pode ainda ser informado no item Alterar da versão 5 nos campos

correspondentes.

  • - Caract.40S - IRRF s/ Lucro Real Distribuído lista o valor do evento como IR Sobre Lucro Real Distribuído, no título IR Ajuste dos Diretores.

8. Responsável pelas Informações

Administração de Pessoal leva o nome do responsável que constar em Diversos/Responsáveis Legais/Dirf Informe e uma frase com o artigo que dispensa a assinatura no Informe quando gerado por sistema eletrônico.