Você está na página 1de 8

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PARA UMA ESCOLA CIDADÃ

Projeto apresentado à disciplina Investigação e Prática


Pedagógica II do curso de Licenciatura em Letras/Vernáculo do
Programa Especial de formação para professores para
Educação básica de Santa Rosa do Purus.
Discentes: Giovanna Maria de Matos Souza,
Iriscélia Lima de Oliveira,
Maristela de Oliveira Pinheiro Moura,
Suzana dos Santos Rodrigues,
Odiléia André Farias.
Orientador: Profº Jorge Fernandes da Silva.
Junho de 2009.
PROJETO DE INVESTIGAÇÃO E PRÁTICA PEDAGÓGICA II

TEMA: PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PARA UMA ESCOLA CIDADÃ

1. INTRODUÇÃO E JUSTIFICATIVA

A idéia de realizar o presente projeto surgiu em maio de 2009, quando


tivemos a necessidade de escolher um tema para realizar um trabalho de pesquisa
para a disciplina Investigação e Prática Pedagógica I. Na ocasião refletimos sobre
diversos temas, mas foi a partir de conversas sobre nosso convívio diário dentro das
instituições de ensino nas quais já atuamos como docentes, que decidimos sobre a
temática do Projeto Político Pedagógico.
É comum em nosso dia-a-dia falarmos e ouvirmos de nossos colegas
questões sobre dúvidas, angústias e reclamações sobre as atuais condições de
trabalho como docente, como: falta de recursos materiais, pressão sofrida pela
escola para tratar de questões que deveriam ser tratadas no âmbito familiar, falta de
envolvimento da família com as questões educacionais de seus filhos e
principalmente insatisfação com a falta de harmonia entre as diretrizes da educação
nacional e a realidade da escola.
A partir dessas inquietações começamos a refletir sobre a importância de ter
uma base sólida na Educação Infantil, pensando assim, buscamos saber se existe
um Projeto Político Pedagógico na Escola Andorinha e como está estruturada a
gestão na referida escola.
A Escola Andorinha é uma escola de Ensino Infantil e fica localizada em uma
das cidades do Alto Purus no estado do Acre, construída no ano de 2007,
inaugurada em Maio do referido ano. Têm em seu quadro 26 funcionários e 118
alunos cursando o 1º, 2º e 3º período, seu funcionamento é no período Matutino.
A realização deste trabalho busca enfatizar a importância da implantação do
Projeto Político Pedagógico e analisar se a gestão da Escola Andorinha é
verdadeiramente democrática;
Entendemos que o projeto político pedagógico de uma escola deve ser visto
como um processo de mudança e de antecipação do futuro, que estabelece
caminhos e propostas de ação para melhor organizar e dar sentido as atividades
que serão desenvolvidas pela escola.
Vivemos em uma sociedade de projetos, existem projetos pessoais,
financeiros, profissionais, políticos, sociais, educacionais entre tantos outros, e todo
projeto serve para pensar no futuro, aproximar o máximo possível daquilo que a
realidade nos permite, em suma, as intenções que temos para algumas ações. Todo
projeto tem uma intencionalidade e é expressão de uma parte de nossa vontade,
seja social, seja individual.
Acreditamos que a escola vive – ou pelo menos deveria viver – em função de
um Projeto Político Pedagógico. Afinal, é preciso planejar as ações educativas da
mesma maneira como se planeja outras dimensões da vida e da sociedade em
geral. A partir dessas reflexões algumas questões surgiram e começaram a nos
inquietar, originando a problemática dessa pesquisa:
1) A Escola Andorinha tem Projeto Político Pedagógico e Conselho Escolar?
2) A comunidade escolar participou da elaboração do Projeto Político
Pedagógico?
3) Que alunos a escola quer formar e quais os valores a escola prioriza?
4) Quais as características que uma gestão na perspectiva democrática deve
ter?
Diante das questões citadas buscaremos encontrar respostas para as
questões levantadas, para isso trabalharemos com um olhar diferenciado no espaço
da escola (seremos pesquisadores e não docentes), onde procuraremos focar
nossas atenções no papel dos professores enquanto agentes da educação, uma vez
que, cabe aos docentes implantar no dia-a-dia o Projeto Político Pedagógico e
também caberá aos docentes a participação efetiva na elaboração das mudanças
necessárias.

2. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

O projeto político pedagógico é um conjunto articulado de propostas e ações,


delimitadas, planejadas, executadas e avaliadas em função de uma finalidade que
se pretende alcançar. Por isso, deve-se considerar o projeto político pedagógico
como um processo permanente de reflexão e busca de alternativas viáveis a
efetivação de sua prática cotidiana.
De acordo com VEIGA (2001),

a elaboração do projeto pedagógico tem a ver com o trabalho da escola como um


todo e com a participação da sala de aula, considerando o contexto social e a
preservação de uma visão da totalidade”. Logo, o projeto pedagógico busca a
organização global da escola.

Um projeto político pedagógico, quando bem construído e administrado, pode


ajudar de forma decisiva a escola a alcançar os seus objetivos. Já a sua ausência,
por outro lado, pode significar um descaso com a escola, com os alunos, com a
educação em geral, o que, certamente, refletirá no desenvolvimento da sociedade
em que a escola estiver inserida.
Segundo FREITAS (2004, p. 69) “o projeto político pedagógico não é uma
peça burocrática e sim um instrumento de gestão e de compromisso político e
pedagógico coletivo”. O Projeto Político Pedagógico é um resumo das condições e
funcionamento da escola e ao mesmo tempo um diagnóstico seguido de
compromissos aceitos e firmados pela escola consigo mesma.
Considerando que o processo de gestão democrática não é função exclusiva
do gestor escolar, mas da realização de um trabalho participativo envolvendo todos
os segmentos sociais que compõem a escola; torna-se necessário a participação
efetiva do Conselho Escolar.
A gestão democrática é assegurada pela Lei 1513, de 11 de novembro de
2003, Art. 3º, parágrafo I e II, que diz: “a organização pedagógico-administrativa das
unidades de ensino será composta pela seguinte estrutura: Conselho Escolar e
Diretor”.
Assim, é importante que não só gestor e docentes estejam comprometidos
com o processo educacional, é essencial que o Conselho Escolar seja atuante, que
todos os participantes do Conselho tenham consciência da importância de suas
atribuições, uma vez que este é o órgão deliberativo máximo da escola, estando
assegurado pelo Art. 33 da Lei 1513.
Entre as atribuições do Conselho Escolar destacam-se os seguintes:
II - enviar para análise do Conselho Estadual de Educação o Projeto Político
Pedagógico da unidade de ensino;
III - revisar no mês de agosto de cada ano o Projeto Político Pedagógico da unidade
de ensino, de acordo com a legislação vigente;

Muitos são os problemas que as escolas públicas vêm enfrentando nos dias
atuais, por isso devemos ver a escola como um espaço democrático de troca de
produção e conhecimento, e isso é um grande desafio que os não só educadores
enfrentam, mas especificamente o Conselho Escolar, uma vez que este é o
elemento da escola que veio para romper as relações autoritárias que outrora
existiam nas escolas.
O projeto pedagógico é uma proposta diferente com intuito de suprir as
necessidades da escola e estabelecer parâmetros para o futuro, no sentido de
romper com o passado, pensando assim é que o projeto pedagógico deve ser feito
com competência e liderança dentro de uma gestão democrática que propõe a
descentralização dos processos de tomada de decisão e da ampliação da autonomia
da escola.
A escola precisa despertar para o que assegura a Lei de Diretrizes e Bases
da Educação Nacional art. 14, inc. I e II, que regulamenta dois princípios a serem
observados para a gestão democrática, e que determinam: “a participação dos
profissionais da educação na elaboração do projeto da escola e assegurando a
participação de pais, alunos e representantes da sociedade civil nos Conselhos
Escolares”.
O processo de gestão democrática foi incluído no artigo 206, inciso VI, da
Constituição Brasileira e na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Além
disso, o Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei nº. 8069/90, incentiva a
“participação da criança e do adolescente, na tomada de decisões no que diz
respeito a sua vida e de seu direito a liberdade de opiniões e expressão”, e no artigo
53, também é dito: “É direito dos pais ou responsáveis ter ciência do processo
pedagógico, bem como participar de definição das propostas educacionais”.
Após a realização das entrevistas preliminares na disciplina Investigação e
Pratica Pedagógica I, ficou claro que, tanto educadores, como pais de alunos e
funcionários da escola Andorinha, reconhecem a importância do Projeto Político
Pedagógico para o processo de ensino-aprendizagem e dizem que ajudaram a
elaborá-lo, e que tiveram como principal base à realidade dos alunos, considerando
sempre o conhecimento que estes alunos possuem e os saberes que necessitam
desenvolver.
Além dos autores acima citados é possível recorrer a outras bibliografias, de
autores que se debruçaram, em busca de entendimentos sobre a importância de
uma gestão democrática e a construção de um Projeto Político Pedagógico, como
por exemplo: (BASTOS 2002); (FERREIRA 2000); (BONDIOLI 2004); (COCHRAN-
SMITH 2001) e (PADILHA 2002).

3. METODOLOGIA

Para elaboração do projeto de pesquisa, teremos como instrumento de


orientação o texto: “Abordagens qualitativas de pesquisa: a pesquisa etnográfica e o
estudo de caso”, que nos orientará quanto ao caminho a ser percorrido no decorrer
das atividades que serão realizadas.
Os procedimentos metodológicos necessários à realização da pesquisa
proposta partem da abordagem qualitativa: a pesquisa etnográfica, onde inicialmente
faremos visitas à escola; conversaremos com membros da comunidade escolar:
alunos, funcionários, docentes, gestor, coordenadores, pais de alunos e Conselho
Escolar; realizaremos estudos dos documentos da escola, entre eles: Regimento
Interno e Projeto Político Pedagógico; faremos também, observações nos diversos
espaços físicos da Escola Andorinha, para posteriormente realizar entrevistas com
membros da comunidade escolar, onde então partiremos para anotações e análises
dos dados obtidos.
Esperamos que ao final dessa pesquisa, possamos compreender qual o
modelo de proposta pedagógica e qual o caminho a Escola Andorinha segue em
busca de uma escola cidadã, prazerosa e aprendente.
CRONOGRAMA DE ATIVIDADES: DISCIPLINA INVESTIGAÇÃO E
PRÁTICA PEDAGÓGICA I

ATIVIDADES 15/05 16/05 17/05 18/05 19/05 20/05


1º Revisão Bibliográfica X
2º Levantamento documental X
3º Coleta de dados X
4º Realização da Entrevista X
5º Análise Documental X
6º Relatório X

CRONOGRAMA DE ATIVIDADES: INVESTIGAÇÃO E PRÁTICA


PEDAGÓGICA II

ATIVIDADES 19/06 20/06 21/06 21/06


1º Revisão Bibliográfica X
2º Levantamento documental X
5º Análise Documental X
6º Relatório X

REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS
ACRE, Lei 1513. Gestão Escolar; Conselho Escolar.

BRASIL, Constituição da República Federativa do Brasil: Texto constitucional


promulgado em 5 de outubro de 1988. Brasília: Senado Federal, 2002.

CARNEIRO, Moacir Alves LDB fácil: leitura crítico-compreensivo: artigo a artigo.


Petrópolis, RJ: vozes, 1998.

Estatuto da Criança e do Adolescente: Brasília, 2004.

FREITAS, L. C. et al. Dialética da inclusão e da exclusão: por uma qualidade


negociada e emancipadora nas escolas. In: Escola Viva, 2004.

LUDKE & ANDRÉ, Pesquisa da educação abordagens qualitativas. Menga, Marli


E.D. A – São Paulo: 1986.

VEIGA, A Ilma Passos. (Org.). Projeto político-pedagógico da escola: Uma

construção possível. 12ª edição. Campinas, SP: Papirus, 2001.