Você está na página 1de 8

ARM - Associação Regina Mundi | arm.boanova.pt | geral@arm.org.pt | BOLETIM N.

º 118 | MAIO/DEZEMBRO DE 2014

O VERDADEIRO ENCONTRO

ASSEMBLEIA GERAL ELEGEU NOVA
DIREÇÃO PARA O TRIÉNIO 2014-2017
[P.2]

P. Adelino Ascenso
[Superior Geral da SMBN]
Estamos em Outubro, mês das
missões. O Papa Francisco refere, na
sua mensagem para o Dia Mundial
das Missões, que a Igreja nasceu «em
saída». É com base nesta «saída» que
gostaria de estruturar a minha breve
mensagem para o Boletim da ARM.
A língua japonesa tem um vocábulo
para definir o verdadeiro «encontro»,
que é constituído por dois kanji (caracteres chineses). O primeiro kanji significa «sair» e o segundo kanji tem o
significado normal de «encontrar-se».
Assim, ao vermos estes dois kanji alinhados, imediatamente nos damos
conta de que «sair» é condição para que
haja um verdadeiro encontro. Sair do
nosso egoísmo, sair da nossa «tenda»,
sair do nosso mundo. Um sair que os
budistas zen definiriam com o termo
«esvaziar-se». Se esse «sair» acontecer,
realizar-se-á o verdadeiro encontro;
caso esse «sair» não se verifique, todo
o encontro será superficial e sem consistência.
A direção da ARM e a direção da
Sociedade Missionária da Boa Nova
(SMBN) encontraram-se para refletir
sobre a melhor forma de estruturarem a colaboração mútua, partindo do
princípio de afirmação da identidade
missionária da própria ARM. Pensa-

mos que as áreas de colaboração se distribuem na esteira de três linhas, desde
o apoio relacionado com a estrutura
interna da SMBN, até ao financiamento
de projetos prioritários nos campos de
missão, passando pelo empenhamento
no setor do voluntariado missionário,
este último, principalmente nos âmbitos da saúde e da educação.
Em todas estas três linhas de ação,
o «sair» terá de ser tónica dominante.
Toda a Igreja é missionária; todos somos Igreja; por conseguinte, todos
somos missionários. Todos nos devemos deixar alentar e guiar por esse
sentimento de «sair» de nós mesmos,
de vencer obstáculos, de ultrapassar
barreiras e derrubar muros. Assim,
estaremos a construir um verdadeiro
encontro que nos encherá de alegria e
contagiará aqueles que nos cercam.

ÁREAS DE AÇÃO PARA O NOVO
MANDATO [P.3]
ENCONTROS REGIONAIS DE TRÁS-OSMONTES E DE LISBOA [P.4]

ENCONTRO COMEMORATIVO DOS ALUNOS DE 1958 NO CONVENTO DE CRISTO
EM TOMAR [P.5]

BOLETIM DA ARM:
MENOS CUSTOS = MAIS AJUDA [P.8]

2

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

P. ADELINO ASCENSO:

NOVO SUPERIOR GERAL DA SMBN

ASSEMBLEIA GERAL DA ARM ELEGEU
NOVA DIREÇÃO PARA O TRIÉNIO 2014-2017
No passado dia 18 de maio, realizouse no seminário de Cucujães a Assembleia Geral da ARM, na qual decorreu
a eleição da nova Direção, mesa da Assembleia Geral e Conselho Fiscal.

P. Adelino Ascenso nasceu em
30 de Outubro de 1954, em Souto
de Carpalhosa (Leiria) e entrou no
Seminário de Valadares em 29 de
Setembro de 1991.
Emitiu o seu primeiro Juramento
em 16 de Julho de 1994.
Foi ordenado sacerdote em 21 de
Fevereiro de 1998 (Sé Catedral de
Leiria).
Partiu para o Japão, acompanhado
pelo Superior Geral de então, P. Manuel Jerónimo Nunes. Com ele, a Sociedade Missionária estendeu o seu
campo de acção ao Japão.
O seu primeiro trabalho foi na
Paróquia de Fuse, Diocese de Osaka,
integrado numa Comunidade dos
Missionários do IEME (Instituto espanhol igual ao nosso).
Em Novembro de 2001, acompanha Dalai-Lama na sua visita oficial a Portugal.
De 2004 a 2008, e por conta da
Diocese de Osaka, vem para Roma
licenciar-se em História das Religiões (já leccionava então a cadeira da História do Cristianismo, na
Universidade Católica Sapientia, em
Osaka). E em 11 de Dezembro de
2008, em Roma, defende a sua tese:
Transcultural Theodicy in the fiction
of Shüsaku Endö. Presentes neste
acto académico o próprio Embaixador do Japão junto da Santa Sé e o
Senhor D. Serafim, então Bispo de
Leiria-Fátima.
Regressou aos seus trabalhos pastorais em Osaka, até vir participar na
XII Assembleia Geral (já tinha participado igualmente na X Assembleia
Geral, em 2006).

Neste encontro, Santos Ponciano, na
qualidade de presidente da ARM cessante, proferiu um discurso carregado
de emoção acerca dos últimos dois mandatos ao leme da ARM. Deste discurso,
na impossibilidade de o reproduzir na
totalidade, vale a pena publicar a parte
final: “Experimentámos o que outros
nos deixaram e quisemos acrescentar
alguma coisa ao que tínhamos diante:
reconhecemos que o esforço feito tanto
nos contactos como nas actividades nos
ajudou a sermos aquilo com que em
tempos outros nos quiseram moldar –
sermos testemunhas de Cristo, através
dos moldes da Sociedade Missionária;
descobrimo-nos a nós, descobrindo os
outros: Deus seja louvado”.
Foram, também, apresentadas e submetidas a apreciação as contas do ano
transato, que foram aprovadas por unanimidade.
Seguiu-se a eleição dos Órgãos Sociais. Aqui o debate foi intenso. A sessão
foi suspensa pela terceira vez a fim de se
alinhavar uma lista de consenso. Após
o almoço/convívio, pelas 15h00 horas,
voltou-se a abrir a sessão, tendo sido
apresentada uma lista de candidatos,
que foram eleitos por unanimidade.
Fez-se, de certo modo, uma rotura com

Fernando Silva, Presidente da ARM

o Passado, rasgando-se horizontes para
o Futuro.
Foram eleitos para o triénio 20142017:
Direção:
Fernando Silva – Presidente
Sérgio Cabral – Secretário
Jorge Silva Reis – Tesoureiro
Alfredo Henriques – Vogal
Manuel Jorge Carvalho – Vogal
Mesa Assembleia Geral:
Amadeu Araújo – Presidente
Manuel Vilas Boas – Secretário
José Campinho – Secretário
Conselho Fiscal:
Dionísio Correia – Presidente
Simão Godinho – Vogal
Francisco Mota – Vogal
Assumindo formalmente, no próprio
dia, cada um as suas funções, a direção
teve a colaboração do presidente cessante, para que a transição fosse realizada tranquilamente.

3

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

Armistas participantes na Assembleia Geral realizada no Seminário das Missões, em Cucujães (18/05/2014)

ÁREAS DE AÇÃO PARA O NOVO MANDATO
A identidade da ARM enraíza-se na
identidade da SMBN, tornando-a, desde logo, missionária. É com este sentido
que faz sentido todo o trabalho que a
ARM vem desenvolvendo desde a sua
génese, e é com este sentido que faz sentido continuarmos a trabalhar para que
os objetivos que constam nos nossos estatutos se realizem hoje, tendo em conta
as exigências e as necessidades dos novos
tempos. As linhas de ação que se seguem
nascem da reflexão conjunta, entre as
direções da SMBN e da ARM.
1. Equilíbrio intergeracional
Considerámos que a eleição dos novos órgãos traz em si a necessidade de
se equilibrar geracionalmente a nossa
Associação, uma vez que os eleitos
pertencem a uma das últimas gerações
de armistas que ainda frequentaram o
seminário menor. Tal como se constata, a maior parte dos participantes
nas atividades da ARM pertence a uma
geração mais antiga, impondo-se, por
isso, a necessidade de trazer armistas
de gerações mais novas para o seio da
ARM. Só assim é possível trazer novas
ideias e rasgar novos horizontes.

2. Apoio à estrutura interna da
SMBN
Como tem sido habitual, o apoio
à estrutura interna tem-se realizado,
principalmente, no âmbito económico
e no âmbito jurídico. Estas duas áreas
continuarão a ser muito importantes,
porém, atendendo às necessidades atuais da SMBN de redimensionamento
das suas estruturas, este apoio pode dar
origem a outras formas de colaboração
estreita e efetiva, nomeadamente, na
área social (ex.: apoio ao Lar de Santa
Teresinha).

experiência nesta área, principalmente,
na formação de voluntários. Esta opção
não invalida a promoção de formações
sobre a missão no continente asiático.
Aliás, num tempo em que a Igreja se
está a direcionar de forma mais visível
para a Ásia, torna-se importante levar
os armistas a conhecer melhor este
contexto geográfico e humano, assim
como o trabalho que SMBN e toda a
Igreja aí desenvolve. Poderá ser, também, uma forma de cativar os armistas
mais novos, pelo fascínio que o Oriente
pode exercer nas suas vidas.

3. Voluntariado missionário
No que se refere a esta área de ação,
consideramos ser de grande importância o envolvimento da ARM nas missões
que a SMBN tem, principalmente, em
África. A necessidade de se combater
as carências locais, nomeadamente ao
nível da saúde e da educação, e a facilidade em termos de comunicação e de
integração na cultura local, em comparação com o Japão, são as razões que
nos fazem apostar neste território humano. Por outro lado, a viabilidade desta opção ganha consistência, uma vez
que se pode criar uma parceria com os
Leigos Boa Nova e aproveitar toda a sua

4. Financiamento de projetos
Neste âmbito, consideramos que devemos continuar a financiar aqueles
projetos que são prioritários, tendo em
conta a capacidade para os levar a cabo.
Assim, o princípio que deve presidir ao
financiamento de projetos é o seguinte:
“fazer pouco, mas bem”. O projeto denominado de “um sorriso para ti”, que
consiste no apadrinhamento de crianças, continuará a ser prioritário, uma
vez que constitui uma grande aposta
na educação e formação de crianças
e jovens africanos sem possibilidades
económicas para fazerem face às suas
despesas.

4

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

ENCONTROS DA ARM
ENCONTRO REGIONAL DE TRÁS-OS-MONTES

Em Carção (Vimioso), reencontraramse 60 Armistas, para conviverem, reverem velhas amizades e, essencialmente,
para manterem vivo o espírito da ARM.
Na Casa do Povo daquela localidade,
na manhã de sábado, 23 de agosto, estando reunidos os participantes, iniciou-se
uma curta, mas frutífera Assembleia
Regional, onde se trocaram ideias sobre o trabalho presente e futuro da associação, sendo salientado o reforço da
colaboração essencial, ARM-SMBN. O
Pe. Albino, na sua intervenção deu especial importância a esta relação e à sua
consolidação futura, com uma participação ainda mais activa dos Armistas,
que se poderá materializar em visitas às
missões além-fronteiras, bem como na
colaboração com os seminários e com
a estrutura interna da Sociedade. A representação da SMBN no encontro, foi

ainda enriquecida com a participação
do Pe. Aires do Nascimento e do Irmão
Godinho. Ainda nestes primeiros momentos do dia, a direção da ARM reiterou a vontade de reforçar e incentivar
os seus membros a esta participação.
Finda a Assembleia e já na Igreja Paroquial, houve missa, momento central
e identitário destes encontros, seguindo-se a romagem ao cemitério.
Ainda antes do almoço-convívio, o
grupo dirigiu-se ao muito bem cuidado
Museu de Carção, onde foram dadas
algumas notas da rica história das suas
gentes e onde todos tiveram a oportunidade de contemplar várias peças, testemunhas dessa mesma história.
Já no almoço, o nosso delegado regional, Gabriel Carvalho, assumiu o
compromisso de, no próximo ano, assegurar a organização do encontro, em
Macedo de Cavaleiros.

Celebração Eucarística em
memória dos 50 anos de
Ordenação Sacerdotal do
Padre Viriato de Matos

A SMBN, em colaboração com a
ARM, realizou em 12 de Outubro de
2014 uma celebração eucarística em
Pinelo - Vimioso, recordando os 50
anos de ordenação sacerdotal do P.
Viriato Augusto Fernandes de Matos.
Como certamente se recordarão, o
aniversário do seu falecimento ocorreu a 8 de Outubro de 2009.
Estiveram presentes, para além dos
Senhores Padres Albino dos Anjos,
Augusto Farias da SMBN e o Senhor
Arcipreste de Pinelo, Padre Amado,
bastantes Armistas que quiseram,
mais uma vez, prestar a sua sentida
homenagem ao Colega, ao Professor
e ao Missionário. A esta festa se associaram todos os seus familiares e
amigos daquela simples mas querida
terra transmontana.
Celebrou-se a Eucaristia, e na celebração da Palavra falou-se das Missões
e das muitas dificuldades que sentem
os Missionários em terras de Missão.

ENCONTRO REGIONAL
DE LISBOA

O encontro regional da ARM – Lisboa, realizou-se no passado dia 18 de
outubro, na Igreja do Santo Condestável
em Campolide (Lisboa).
A partir das 10h30 os Armistas
foram chegando às imediações da
igreja onde, pelas 11h00, foi celebrada
missa pelo representante da direção da
ARM, Pe. Aires do Nascimento e concelebrada pelo pároco desta paróquia
lisboeta, que tem acolhido com grande

entusiasmo e carinho estes encontros
regionais da nossa associação. Finda a
celebração, o encontro prosseguiu no
restaurante do Museu do Teatro, onde
para além do repasto e convívio, todos
os armistas que o quiseram fazer, e após
a intervenção de Santos Ponciano, responsável da delegação de Lisboa, pu-

deram usar da palavra para dar conta
dos mais diversos aspetos da vida da
ARM. As intervenções finais couberam
ao presidente da ARM que, para além
de informar acerca das últimas atividades realizadas, respondeu a várias
questões que lhe foram colocadas e ao
Pe. Aires do Nascimento.

5

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

ENCONTRO COMEMORATIVO DOS ALUNOS DE
1958 NO CONVENTO DE CRISTO EM TOMAR
Mais uma vez, no passado dia 12 de
Outubro de 2014, um grupo de Armistas, entrados em Tomar em 1958, levaram por diante o seu encontro de saudade no Convento de Cristo em Tomar,
tendo como convidado especial o ex-reitor, Padre Domingos Carvalho. Seguese o testemunho do Armista Domingos
Cardoso Fernandes.

rafim e sua esposa D. Luísa, a que se
juntaram também as vozes dos participantes, conferiram à Santa missa um
valor acrescido.
Na sua homília, o padre Domingos
Carvalho teceu algumas considerações
sobre as leituras, mas focou sobretudo
a sua atenção no evangelho de Nosso
Senhor Jesus Cristo segundo S. Mateus

“Foi uma manhã muito chuvosa que
deu as boas vindas aos antigos alunos
do curso de 1958, à porta da Charola.
Os fortes abraços, o sorriso aberto
daqueles que mais uma vez se encontravam para um novo dia de convívio,
surpreendeu até aqueles visitantes que
aguardavam a sua entrada no Convento
de Cristo.
A visita guiada pelo professor Luís
Graça à Charola, à janela do Capítulo,
mas sobretudo às antigas instalações do
seminário e a sua dissertação histórica
sobre o seu enquadramento, constituiu
o ponto alto da manhã pelo aflorar de
mil recordações.
A Santa missa celebrada na igreja de
Santa Maria dos Olivais, pelo padre
Domingos Carvalho coadjuvado pelo
nosso colega diácono António da Silva
Pereira, traduziu-se num momento de
recolhimento e espiritualidade. Embalados pelos acordes do órgão e pelas
vozes magnificas do casal Adelino Se-

(Mt22,1-14). “O reino dos céus pode
comparar-se a um rei que preparou um
banquete nupcial para o seu filho. Mandou os servos chamar os convidados
para as bodas, mas eles não quiseram
vir”. “Ide às encruzilhadas dos caminhos e convidai para as bodas os que
encontrardes”. “O rei, quando entrou
para ver os convidados, viu um homem
que não estava vestido com o traje nupcial”. E disse-lhe: “Amigo, como entraste aqui sem o traje nupcial?”.
O que é, então, este traje nupcial? O
Apóstolo Paulo diz-nos: “Esta recomendação só pretende estabelecer a
caridade, nascida de um coração puro,
de uma boa consciência e de uma fé
sincera” (1Tim1,5).
À saída da Santa missa e nas escadas
em frente à torre sineira, tirou-se a foto
de grupo para mais tarde recordar.
A tarde teve como ponto alto o almoço de convívio servido no restaurante “A Lúria” onde durante mais de

três horas se falou muito, se recordou
muito e se saborearam algumas iguarias regionais.
Nos brindes, o autor destas linhas,
tomou a palavra, saudou os presentes,
agradeceu a todos aqueles que proporcionaram este encontro, lembrou
os ausentes, evocando com saudade a
memória do nosso colega Manuel Martins Antunes que, recentemente, nos
deixou.
Apresentou algumas propostas que
tiveram aprovação consensual:
Este encontro deve continuar a realizar-se todos os anos no 2º domingo de
Outubro.
É importante que todos continuemos
a estabelecer contactos para que outros
colegas se juntem a nós.
Em 2015, comemoração do 57º aniversário do curso de 1958, o encontro
realizar-se-á no seminário de Cucujães
em 11 de Outubro.
O representante da direcção da ARM
Coronel Manuel Pereira Carvalho
cumprimentou os presentes e leu a acta
da reunião com o novo Superior Geral
da SMBN, colocando o enfoque nas
três áreas da Associação.
Após o cantar dos “Parabéns a vocês”
apagou as 56 velas comemorativas do
nosso aniversário o padre Domingos
Carvalho, que aos 90 anos de idade, é
para nós uma figura respeitada, prestigiada e muito querida entre nós.
Com um pedaço de bolo numa mão
e um cálice de vinho do Porto na outra,
o representante da direcção da ARM
desejou a todos as maiores felicidades
num colectivo e uníssono tilintar de
copos.
A despedida acordou-nos para a realidade. Estávamos em viagem. Cada
um tinha de continuar a percorrer o
seu caminho.
Até 11 de Outubro de 2015 em Cucujães.
Um grande abraço!
Domingos Cardoso Fernandes”.

6

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

NOS BRAÇOS DE DEUS PAI...
P. Francisco Godinho da Costa

Francisco Mário

P. Virgílio João

Já era adulto quando entrou para o
seminário a 15.9.61 onde também fez a
consagração a 27.07.69 e foi ordenado
Presbítero no dia 31.12.72.
Enviado a Moçambique no dia 28 de
Agosto de 1973, dedicou toda a sua vida
à Arquidiocese de Nampula. Foi Diretor
do Lar de Momola (73- 75) e pároco do
Mutuáli (75–83). No tempo da expulsão
dos missionários, tornou-se funcionário
da BP. Como vendedor de gasóleo podia
permanecer no meio do povo a anunciar
o evangelho numa área de 4.000 km2. Em
Nampula, foi Reitor do Seminário InterRegional do Norte e, depois, Pároco da
Catedral, Vigário Geral e Ecónomo da
Arquidiocese.
Na década de 90 passou 4 anos em
Portugal a trabalhar na animação missionária como Diretor do DAM. Saiu daqui
para ser o Diretor do Ano de Formação
Missionária, em Maputo.
Voltou a Nampula em 2002, a serviço
da Paróquia de Nametil e alguns cargos
na Arquidiocese.
Em 2012 veio a Portugal para tratar da
saúde, tendo sido detetados graves problemas que o fizeram sofrer até ao fim.
Veio a falecer no Serviço de Cuidados
Continuados do IPO, Porto, no dia 10 de
Agosto de 2014.
Atravessou todas as crises sociais de
Moçambique nos últimos 40 anos mantendo sempre o discernimento e a capacidade de descobrir brechas de serviço
e apoio ao povo e aos e às que dele precisaram. Foi fermento na massa.
No dia 11 de Agosto foi sepultado em
Cucujães, para que Ressuscite para a
Vida sem fim.

O Francisco Mário nasceu em Chalaua.
Moma, Moçambique, em 15 de Março de
1983 e faleceu em Belo Horizonte, Brasil,
em 16 de Agosto de 2014. Entrou para a
Boa Nova, em Moçambique, aos 18 anos
de idade. A vocação nascera do contacto
que tivera com os padres da Sociedade
Missionária. Foi baptizado aos 12 anos
em Angoche. Impressionara-o o facto de
ver um missionário que, depois de ter
deixado o seu país e o seu conforto na
Europa, entrava na sua casa e partilhava a sua vida. Profundamente marcado
por esta amizade, o Francisco veio para
a religião católica e decidiu entrar para o
Seminário Médio da Sociedade Missionária, em Pemba. Em Maputo concluiu
o curso de Filosofia. Em 2008 chegou a
Cernache do Bonjardim para o Ano de
Formação e, a 7 de Dezembro, fez o seu
primeiro juramento missionário. Fez o
estágio de Formação Missionária no Maranhão, no Brasil. Em Belo Horizonte fez
os 4 anos de Teologia, no Instituto de São
Tomás de Aquino.
O Francisco a todos iluminava com a
sua humildade e a sua alegria era contagiante, apesar de ter sido profundamente
marcado por uma guerra fraticida que
vitimara o seu pai.
A sua longa doença foi acompanhada
pelos amigos do Seminário da Boa Nova
de Belo Horizonte e pelos colegas e professores do Instituto S. Tomás de Aquino
onde fez a segunda parte do curso filosófico-teológico.
O Francisco Mário passou a sua vida a
fazer o bem, vivendo e testemunhando o
evangelho até ao fim. Por essa razão, fica
a certeza de termos ganho um intercessor
no Céu. Assim Seja.

O P. Virgílio João nasceu em Genísio,
Miranda do Douro (diocese de
Bragança),no dia 24 de Abril de 1944. Entrou no Seminário de Tomar a 1 de Outubro de 1957, onde viria a fazer o Ano de
Formação em 1969-1970 e o Juramento
a 26 de Julho de 1970. Em Setembro de
1971 partiu paraMoçambique com a finalidade de fazer o estágio em Nampula,
indo viver para o Lar de Momola.
De 1973 a 1976 fez o Curso de Teologia no Seminário Maior de Maputo. Fez
o seu Juramento Perpétuo no dia 31 de
Outubro de 1976, em Maputo. Foi ordenado Presbítero (5.12.76) por D. Alexandre dos Santos (Cardeal Arcebispo de
Maputo).
Foi nomeado para a Paróquia do Aeroporto (Maputo), tendo sido o seu apostolado dedicado principalmente ao campo
do ensino. Foi seleccionado pelo Governo
para leccionar na Escola de Preparação
de Professores e aproveitou, entretanto,
para tirar o bacharelato em Educação.
Em Março de 1994, veio descansar
para Portugal. Tinham começado os seus
problemas de saúde: pequenos AVCs que,
pouco a pouco, o foram paralisando. Em
Dezembro de 1995 regressou a Moçambique e colaborou no Seminário da Matola. Em Julho de 1999 voltou a Lisboa e
foi nomeado para o Seminário de Cucujães. Em Novembro de 2001, uma TAC
revelou um “cérebro muito envelhecido”.
Cada vez mais incapacitado, perdeu a
visão e acabou por ficar acamado no Lar
de Santa Teresinha.

(27.6.1939 – 10.8.2014)

(15.03.1983 - 16.08.2014)

(24.4.44 – 9.9.2014)

Os dados biográficos publicados nesta página foram
retirados parcialmente do Boletim Familiar da SMBN n.º
389, Setembro de 2014.

7

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

AFINAL O QUE DISSE E PARA ONDE VAI O SÍNODO?
ARNALDO DE PINHO

(Jornal “Voz Portucalense”, 22.10.2014)

No rescaldo do Sínodo Extraordinário
sobre a Família, que decorreu no Vaticano entre os dias 5 e 19 de outubro, e
para percebermos melhor a que conclusão se chegou, transcrevemos, de seguida, um artigo escrito pelo Cónego Arnaldo de Pinho, professor catedrático da
Faculdade de Teologia da Universidade
Católica do Porto e que foi publicado
na edição de 22 de outubro do jornal da
diocese do Porto “Voz Portucalense”.
“O povo de Deus e mesmo o cidadão
comum têm o direito a saber o que se
passou no Sínodo extraordinário.
Todavia se acompanhou pelos nos-

etc. No final do processo, que inclui o
Sínodo ordinário em Roma no próximo ano, serão apresentadas ao Papa as
conclusões do debate e este elaborará
um texto, marcando uma orientação
pastoral para toda a Igreja.
Num primeiro balanço, deve dizerse que o clima em que decorreu a assembleia sinodal em que participaram
191 membros, foi de grande abertura e
sinceridade, naturalmente bem melhor
do que o que se verifica em qualquer
assembleia política, melhor e diferente.
Dentro do universo da família o tema
dos gays e dos divorciados e recasados
civilmente ocupa três parágrafos, de
importância desigual o que equivale a
uma vigésima parte do texto.

gays apontando para o respeito e delicadeza que merecem foi respaldado por
118 a favor e 62 contra (non placet).
O Papa quis que se publicassem as
percentagens da votação de cada parágrafo porque elas dão uma indicação
preciosa para a discussão futura. E na
homilia final alertou contra a tentação
de “querer encerrar-se dentro do que
está escrito” e não se deixar surpreender
por Deus, naquilo que parecia dirigirse mais aos que se agarram à tradição.
Mas também criticou a tentação do
“buenismo destrutivo, que em nome
duma misericórdia enganosa tapa as
feridas sem as curar e as medicar antes”,
palavras dirigidas certamente aos que
pensam que é tudo igual, colocando de

FOTO: ALESSANDRA TARANTINOAP

sos meios de comunicação social duvido que tenha chegado a alguma conclusão fora dos conhecidos estereótipos
que em cada caso quando se trata de
questões que exigem algum discernimento, no caso pouco, nos são servidos.
O Sínodo que acabou no dia 19, serviu para elaborar um documento sobre
a família que vai agora ser enriquecido em toda a Igreja, por contributos
vários, nos diferentes vectores que o
tema comporta: a família como instituição da sociedade, como vocação
do homem e da mulher, o seu lugar na
sociedade, a família no plano de Deus,

Quanto aos homossexuais, é dito
que devem ser acolhidos na Igreja com
“respeito e delicadeza”, evitando-se
“qualquer tipo de injusta discriminação”, o que não precisa de ser proclamado sobre os telhados nem dito por
especiais profetas, pois qualquer pessoa
educada o faz.
Sobre a admissão dos católicos casados em segundas núpcias com casamento estável e após um caminho de
integração que desejam a participação
nos sacramentos, tema que reputamos
da maior importância, obteve 104 votos
a favor e 74 contra.
Já o texto que transcrevemos sobre os

parte toda a adesão à mensagem cristã.
Com estas simples palavras o Papa
orientou a futura discussão deste tema,
que vai continuar em vista do Sínodo
ordinário sobre a família.
Como dissemos, a exortação final da
autoria do Papa, abrirá, cremos, novos
caminhos no que toca aos divorciados
que voltaram a casar, não repetindo o
sacramento, mas sim abrindo estes casais à prática sacramental normal. Mas
não sem um discernimento cuidado
em que os próprios casais sejam protagonistas da sua própria caminhada e
da sua própria adesão”.

8

BOLETIM DA ARM - ASSOCIAÇÃO REGINA MUNDI

BOLETIM DA ARM:
MENOS CUSTOS = MAIS AJUDA
Caros armistas,
Bem sabemos que o nosso Boletim
tem uma grande relevância como meio
de comunicação entre os seus associados e, por isso, a direção da ARM quer
continuar a publicá-lo e a divulgá-lo,
cada vez a um maior número de armistas. Por outro lado, também sabemos que a sua impressão e expedição
representa uma grande despesa para as
contas ARM. Segundo a demonstração
de resultados referentes ao ano de 2013
(ver boletim n.º 117) o custo de quatro
edições do boletim foi de 2.218,14 euros, equivalendo a 72% do total de
custos do funcionamento da nossa associação.
Perante este quadro e havendo, atualmente, alternativas viáveis de acesso
a conteúdos de informação em formato
PDF, através de computadores, tablets
e smartphones, a direção da ARM quer
reduzir substancialmente a despesa
acima referida enviando o boletim em
formato PDF através de e-mail e disponibilizando-o no seu site (www.arm.
boanova.pt) na área Publicações, item
Boletins.
Consideramos que assim, conseguiremos poupar uma quantia significativa
que, por sua vez, irá ser canalizada para
o projeto “Um sorriso para ti”, ou para
outros projetos de cariz missionário
que considerarmos importantes.
Posto isto, pedimos a todos os armistas que nos solicitem o envio do Boletim em formato PDF, enviando-nos um
e-mail para o endereço geral@arm.org.
pt, onde deve constar o nome completo

e o ano de entrada no seminário. Quem
não tiver qualquer alternativa de aceder
ao Boletim em formato PDF, nós continuaremos a enviá-lo em versão impressa. Para isso, basta enviar-nos esse
pedido através de SMS para o número
915857885 (Sérgio Cabral) até ao final
deste ano civil sem esquecer de referir
o nome completo e o ano de entrada no
seminário. Pode, também, enviar-nos o
seu pedido por carta através dos CTT.
Caso escolha esta última opção, pedimos-lhe que preencha o destacável que
se encontra no fundo desta página, o
recorte e nos envie para a seguinte morada:
ARM - Associação Regina Mundi
Seminário das Missões
Largo da Igreja, Ap. 40
3721-908 Vila de Cucujães

Tomar

Sede:
Rua da Bempostinha, 30
1150-066 Lisboa
Tel.: 218 851546
Fax: 218 850258
NIPC: 503 268 372
NIB: 0035 0121 0000 1300 530 98
Presidente da Direção:
Fernando Manuel da Costa e Silva
Direção, Redação e Administração:
Seminário das Missões
Largo da Igreja
Apartado 40
3721-908 Vila de Cucujães
E-mail:
geral@arm.org.pt
Site: www.arm.boanova.pt
Facebook: www.facebook.com/arm.
reginamundi

Tiragem desta Edição:
800 Exemplares
Colaboradores deste número:
P. Adelino Ascenso
Fernando Silva
Sérgio Cabral
Domingos Fernandes
Luís Fernandes
Armindo Henriques
Joaquim Pereira
Design e paginação:
Sérgio Cabral

Ano de entrada no seminário:
Cucujães

Propriedade:
ARM – Associação Regina Mundi

Fotocomposição e impressão:
Escola Tipográfica das Missões
Vila de Cucujães

Nome completo:

Cernache do Bonjardim

FICHA TÉCNICA

Valadares

Desejo continuar a receber o Boletim da ARM em versão impressa.

Interesses relacionados