Você está na página 1de 29
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS

CONTABILIDADE DE CUSTOS

CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS
CONTABILIDADE DE CUSTOS

CONTABILIDADE DE CUSTOS

Autor: Sergio Bispo

Todos os Direitos reservados ao autor: É proibida a reprodução total ou parcial, de qualquer forma e meio. A violação dos direitos do autor conforme a Lei 5.988/73 é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal.

Abril/2014

INDICE

Contabilidade e análise de custos

01

Contabilidade de custo e seus objetivos

01

Terminologia aplicada em custos

02

Elementos de custos

03

Exercícios

05

Determinação do mark-up de vendas

06

Variabilidade das despesas

07

Demonstração de resultado na indústria

11

Custos dos materiais

13

Custeio para dar entrada no estoque

14

Custeio para dar saída dos estoques

15

Custo ou preço médio (média ponderada)

16

Custo da mão de obra

17

Sistemas de custos

19

Sistema de custo padrão ou standard

21

Método de custeio

22

Bibliografia básica

25

CONTABILIDADE E ANÁLISE DE CUSTOS

Contabilidade de Custos: Conceitos, História e evolução; de contabilidade financeira à de custos.

Conforme muitos teóricos estudiosos do assunto há muitos anos, as informações contábeis já eram utilizadas por civilizações antigas. Luca Paccioli, um monge veneziano elaborou mais ou menos a quinhentos anos atrás, um sistema contábil bastante funcional. Assim, verificamos que a necessidade de registrar as informações sobre as transações comerciais esteve sempre presente desde as primeiras relações comerciais entre as pessoas. Portanto, a contabilidade é a responsável pelo controle geral do Patrimônio da empresa, independente do ramo de atividade. A contabilidade possui uma metodologia própria para captar, registrar, acumular, resumir e interpretar os fenômenos que afetam as situações patrimoniais, financeiras e econômicas segundo as normas da legislação vigente para atender as necessidades de sócios, acionistas e o fisco.

Contabilidade Geral ou financeira, contabilidade fiscal Registro global do patrimônio (controle geral do patrimônio), informações internas e externas, elaboração dos demonstrativos contábeis (BP, DRE, DOAR, etc.)

Contabilidade de Custos e Gerencial Controle interno voltado para o processo produtivo, relatórios gerenciais e tomada de decisões relativas aos produtos.

CONTABILIDADE DE CUSTO E SEUS OBJETIVOS

A contabilidade Geral preocupa-se em registrar por valores globais as variações ocorridas no Patrimônio da Empresa. A contabilidade de Custos representa um detalhamento da Contabilidade Geral e tem os seguintes objetivos:

a) – Determinar o Custo dos Produtos fabricados.

b) – Fornecer elementos para fixação do Preço de Venda.

c) – Fornecer elementos de Controle e Análise para a Direção da Empresa.

d) – Fornecer elementos para a Contabilidade Geral elaborar o balanço (CPV, CPA, Custo dos Produtos em Elaboração, Inventários etc.)

e) – Fornecer elementos para a elaboração do Orçamento Geral da Empresa.

TERMINOLOGIA APLICADA EM CUSTOS

I- CONCEITOS – FORMAÇÃO DE PREÇOS

CONCEITOS BÁSICOS

Gastos
Gastos
Desembolso
Desembolso
Desembolso
Desembolso
Desembolso
Desembolso
Desembolso
Desembolso

Desembolso

Desembolso
Desembolso
Desembolso
Despesas
Despesas
Investimento
Investimento
Custos
Custos

GASTOS

Corresponde a todos os desembolsos realizados pela Empresa para gerir suas atividades operacionais e não operacionais. O gasto é abrangente, compreende os Custos, Despesas e Investimentos.

DESEMBOLSO

Representa apenas o ato de pagamento, saída de numerário do caixa.

CUSTOS

São todos os gastos de Área de Produção, medidos monetariamente, necessários à elaboração de bens e serviço. Obs1.: Uma Empresa prestadora de serviços, também tem sua área de Produção ( Bancos, Processamento de Dados, Escritório de Contabilidade etc.).

Obs2.: Os Custos classificam-se com relação aos produtos, em Custos Diretos e Custos Indiretos; com relação ao volume de produção, em Custos Fixos e Custos Variáveis.

DESPESAS

São aquelas que ocorrem a partir do Produto pronto até sua colocação no mercado consumidor. Ou ainda, são aqueles gastos que os produtos não dependem deles para serem produzidos. Ex. Comissões, Fretes, Salários administrativos, material de escritório, etc.

INVESTIMENTO Os investimentos podem ser Custos ou Despesas, dependendo de sua aplicação ou destino. Ex: Máquina Produtiva torna-se um Custo através de depreciação. Computador para emitir nota Fiscal (Faturamento), torna-se despesa.

ELEMENTOS DE CUSTOS

MD – Material Direto + MOD – Mão de Obra Direta

= CD – Custo Direto – Primário ou Básico

+ CIP ou GGF – Custo Indireto de Produção (MOD + CIP = CUSTO DE TRANSFORMAÇÃO)

= CI – Custo Industrial ou Custo Final (CF)

+ D – Despesas ( Comerciais, Adm, Fin, Trib etc ).

= CDT – Custos e Despesas Totais

+ L – Lucro

= PV – Preço de Venda

GGF = Gastos Gerais de Fabricação

MATERIAL DIRETO

São todos aqueles que fazem parte fisicamente do produto final, que possam ser precisamente quantificados ou mensurados e que tenham valor significativo.

MÃO DE OBRA DIRETA

E o custo do trabalho humano aplicado nas materiais diretos para transformá-los em Produto

final. Obs.: para ser MOD deve-se ter condições de Quantificá-la ou Mensura-la. Os Encargos Sociais compõe o custo da Mão-de-Obra.

CUSTO DIRETO PRIMÁRIO OU BÁSICO

Corresponde a somatória dos Materiais Diretos mais a Mão de Obra Direta.

CUSTO INDIRETO DE PRODUÇÃO – ( CIP )

a) São todos os Gastos da Área de Industrialização da empresa com exceção dos Custos Diretos.

b) São todos os custos que na sua maioria não se identificam com o produto, não podem ser precisamente quantificados ou mensurados.

CUSTO INDUSTRIAL

E a soma do Custo Direto ou Primário ( + ) o Custo Indireto de Produção.

DESPESAS

Maiores detalhes

Despesas altera Patrimônio, Custo não, Custo torna-se despesa na hora da venda etc.

CUSTOS E DESPESAS TOTAIS ( CDT )

Corresponde a somatória dos Custos Industriais mais as Despesas.

LUCRO

Somado aos Custos e Despesas Totais para se determinar o Preço de Venda.

PREÇO DE VENDA

Preço do Produto a ser comercializado no Mercado.

CLASSIFICAÇÃO DO MATERIAL DIRETO

MD

Matéria Prima Direta (material Bruto para transformação)

Componentes (adquirido pronto)

Embalagens (acondicionar – proteger)

EXERCÍCIOS

a)

São dados

MOD

= $ 1.800; CD = 4.300; CDT = 9.300;

CI = $ 6.300; PV = 12.000;

Pede-se:

-

Calcular o Custo dos Mat. Diretos.

-

Calcular o Custo Indireto de produção.

-

Calcular as Despesas.

-

Determinar o Lucro.

-

b) São Dados:

MD = $ 2.000; CD = $ 7.000; CI = $ 15000 CDT = $ 27.000; Lucro 10% sobre PV.

Pede-se:

Calcular o Custo da Mão de Obra Direta. Calcular o Custo Indireto de Produção. Calcular o Lucro e o PV.

c) São Dados:

CDT = $ 3.500 Lucro = 20% s/ PV

Pede-se:

Calcular o lucro e o PV

d) São Dados: Fabrica de Móveis Tira Dúvidas Ltda

Consumo de energia elétrica da Fábrica

$

30.520,00

Lixa para madeira

$

175,00

Estoque inicial de madeira

$ 100.725,00

Propaganda

$

7.000,00

Combustível da fábrica

$

15.380,00

Depreciações de máquina Industriais

$

18.390,00

Fretes de vendas

$

12.000,00

Salários dos marceneiros

$

96.780,00

Estoque final de madeiras

$

51.650,00

Verniz aplicados em diversos móveis

$

7.365,00

Encargos Sociais sobre salários dos marc.

$

85.037,00

Compras de madeira

$ 120.765,00

Salários e Encargos da Administração

$

86.000,00

Pede-se:

a) – Calcular o Custo dos Materiais Diretos

b) – Calcular o Custo da M.O.D

c) – Calcular os Custos Indiretos da Produção ou Gastos Gerais de Fabricação

d) – Calcular as Despesas

e) – Calcular os CDT

f) - Calcular o PV, sabendo-se que o Lucro foi 15% sobre PV.

EXERCÍCIOS DE CLASSIFICAÇÃO

1)

Qual o conceito de Custos.

2)

O que se entende por despesas em uma empresa industrial.

3)

Qual o conceito de Mão-de-Obra Direta.

4)

Classificar os gastos abaixo de uma empresa industrial em Custos(C), Despesas(D), Perda(P), ou Ativo (A) e, quando cabível, classifique ainda em Direto (Dir) ou Indireto (I), e se tais gastos são Fixos(F) ou Variáveis (V).

Se houver mais de uma classificação, assinale todas.

A P C D Dir I V F Compra de matéria prima Consumo de Energia
A
P
C
D
Dir
I
V
F
Compra de matéria prima
Consumo de Energia Elétrica da fabrica
Salários e Enc. do Almoxarifado de M.P.
Consumo Combustível dos veículos de entrega
Água Industrial usada na formula do produto
Pessoal do faturamento
Aquisição de Máquinas
Depreciação de Máquinas produtivas
Consumo de M.P.
Depreciação prédio da empresa área industrial
Honorários do pessoal da Administração
Aquisição de Veículos
Consumo de embalagem na produção
Deterioração do estoque de M.P. por enchente
Salários e Encargos dos operadores de máquinas
Deprec. Máq. E Mov. Utens. do Depto. Vendas
Consumo de mat. escritório na Administração
Peças estragadas no decorrer da produção
Ponte rolante do setor de produção
Salários e Encargos do setor de expedição

DETERMINAÇÃO DO MARK-UP DE VENDAS

Mark-Up é um índice que se aplica sobre o custo industrial (CI) ou seja custo final (Cf) dos produtos para se obter o preço de venda, onde irá cobrir os custos e despesas totais dos produtos gerando o lucro desejado pela empresa.

O Mark-Up de venda pode ser calculado de duas formas:

a) Considerando todas as despesas (fixas e variáveis) em função das vendas (o qual chamamos de Mark-Up 1)

b) Considerando as despesas fixas em função do Custo e as despesas variáveis em função das vendas; (o qual chamaremos de Mark-Up 2)

Para podermos calcular o índice Mark-Up temos que classificar as despesas em fixas e variáveis, a saber:

VARIABILIDADE DAS DESPESAS

ANÁLISE DA VARIABILIDADE DAS DESPESAS

Despesas:

a) São aquelas que ocorrem a partir do produto pronto até sua colocação no mercado consumidor.

b) São os gastos que os produtos não dependem deles para serem produzidos. As despesas estão desvinculadas do processo produtivo e são debitados diretamente ao resultado. Classificam-se quanto ao volume de vendas em Fixas e Variáveis.

Despesas Fixas:

São aquelas que permanecem constantes independente da variação ocorrida no volume de vendas da empresa.

Despesas Variáveis:

São aquelas que variam na mesma proporção e com a mesma intensidade em relação as variações ocorridas no volume de vendas da empresa. Ex: Fretes, Comissões, Impostos etc. Obs: As despesas administrativas normalmente são consideradas fixas, as despesas tributárias são variáveis e as financeiras e comerciais devem ser analisadas, pois podem ser parte fixa e parte variável.

MARK-UP 1 =

100

100 – ( DT + L )

DT

= Despesas totais

L

= Lucro

MARK-UP 2 =

100 + DF

100 – ( DV + L )

DF = Despesas Fixas

DV = Despesas Variáveis

L = Lucro

Exemplo

Despesas Administrativas Salários Dpto. Comercial Comissões Fretes ICMS, PIS, COFINS Lucro 10% sobre PV

10%

8%

5%

2%

20,65%

Com os dados acima pede-se determinar o índice MARK-UP 1 e o índice

MARK-UP 2.

MARK-UP 1 =

100

100 – ( DT + L )

I =

100

100 – (45,65 + 10)

I =

100

44,35

I = 2,2548

MARK-UP 2 =

100 + DF

 

100

– ( DV + L )

I =

100

+ 18

100

– (27,65 + 10)

 

I =

118

62,35

 

I = 1,8925

TESTE

Calcular o preço de venda para um produto que tem um custo industrial (CI) de $ 100,00 e fazer a demonstração do resultado pelos dois MARK-UP.

Preço de venda: MARK-UP 1 = 100,00 x 2,2548 = 225,48 Preço de venda: MARK-UP 2 = 100,00 x 1,8925 = 189,25

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO

 

MARK-UP1

 

PV

225,48

(

- ) CMV/ CPV

100,00

(= ) LB

 

125,48

- ) Despesas Adm. Coml. Comissões Frete Tributárias (= ) Lucro Líquido

(

10% s/ PV 8% s/ PV 5% s/ PV 2% s/ PV 20,65% s/ PV

 

22,55

18,04

11,27

4,51

46,56

(102,93)

22,55

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO

 

PV

MARK-UP2

189,25

(

- ) CMV/ CPV

100,00

(= ) LB

 

89,25

- ) Despesas Adm. Coml. Comissões Frete Tributárias (= ) Lucro Líquido

(

10% s/ Custo 8% s/ Custo 5% s/ PV 2% s/ PV 20,65% s/ PV

 

10,00

8,00

9,46

3,79

39,08

(70,33 )

18,92

EXERCÍCIOS

Exercício 1 Despesas administrativa

10%

Despesas comerciais 8% Tributárias

21,65%

Lucro

Pede-se calcular MARK-UP1 e MARK-UP2.

12% s/ PV

Exercício 2 Salários Administrativos Salários Dpto. de vendas Comissões Fretes s/ vendas Propaganda e Marketing Desp. Tributárias Lucro

Administrativos Salários Dpto. de vendas Comissões Fretes s/ vendas Propaganda e Marketing Desp. Tributárias Lucro
Administrativos Salários Dpto. de vendas Comissões Fretes s/ vendas Propaganda e Marketing Desp. Tributárias Lucro
Administrativos Salários Dpto. de vendas Comissões Fretes s/ vendas Propaganda e Marketing Desp. Tributárias Lucro
Administrativos Salários Dpto. de vendas Comissões Fretes s/ vendas Propaganda e Marketing Desp. Tributárias Lucro
Administrativos Salários Dpto. de vendas Comissões Fretes s/ vendas Propaganda e Marketing Desp. Tributárias Lucro
Administrativos Salários Dpto. de vendas Comissões Fretes s/ vendas Propaganda e Marketing Desp. Tributárias Lucro

8%

5%

5%

1%

2%

21,65%

10% s/ PV

Pede-se determinar MARK-UP1 e MARK-UP2 e calcular o preço de venda p/ o produto A que custa $ 1,00 e p/ o produto B que custa $ 500,00 e fazer apuração do resultado de ambos os produtos.

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO NA INDÚSTRIA

Na maioria das empresas comerciais o Custo das mercadorias vendidas é conhecido da seguinte forma:

CMV = EI + C – EF CMV = Custo Mercadoria Vendida, EI = Estoque Inicial EF= Estoque Final

Na Indústria, quando a empresa não possui uma contabilidade de custos atuante, ou seja, não existe controle de estoque, nem apuração dos custos do período, a Demonstração de Resultado segue os mesmos parâmetros de uma empresa comercial para determinação do custo dos produtos vendidos.(Inventário)

CPV = EIPA + CPA – EFPA (sistema de valorização de estoques) CPV = Custo Produtos Vendidos EIPA= Estoque Inicial de Produtos Acabados CPA= Custo da Produção Acabada EFPA= Estoque Final Produção Produtos Acabados

Exercícios:

01) A Cia. Silva produz um certo tipo de máquina de cortar, e teve as seguintes informações:

1- Para o semestre terminado em 31 de Dezembro de 2004, os livros mostravam:

Aquisição de materiais

$ 300.000

Estoque de materiais em 1º de Julho de 2004

$ 140.000

Estoque Final de materiais em 31 de Dezembro de 2004

$ 200.000

Obs.: dos materiais empregados $ 10.000 correspondiam a materiais indiretos e o resto a materiais diretos.

2- Folha de pagamento

MOD

MOI

Salário Bruto

$ 180.000

$

50.000

3- Outros dados disponíveis:

Gastos Gerais de Fabricação (GGF) $ 150.000 Frete pago para entrega dos produtos vendidos $ 25.000 3% de comissões sobre vendas brutas Gastos com depto de vendas diversos $ 60.000 Gastos com deptos Administrativos diversos $ 70.000 Gastos Financeiros $ 15.000 Receita de Venda de Imobilizado $ 12.000

Máquinas de cortar acabadas em estoque em 01 de Julho de 2004 são: 2.000 máquinas a $ 75,00 cada Vendas brutas no segundo semestre 6.800 máquinas a $ 140,00 cada.

A produção do segundo semestre foi de 5.500 máquinas. No final do ano não havia nenhuma no estoque de produtos em processo.

Pede-se:

a) Demonstrar o Custo Unitário fabril separado pelos três elementos (MD, MOD e CIF) b) Demonstrar o Custo dos produtos vendidos, pelo sistema Preço Médio.

c)

Demonstrar o Resultado (lucro ou Prejuízo) antes do Imposto de Renda (LAIR)

02)

A indústria “Tira Duvidas Ltda” apresentou os seguintes dados no final do primeiro semestre:

1 – Compra material do período $ 250.000,00 Estoque material em 1º de Janeiro $ 120.000,00 Estoque final em 30 de Junho $ 50.000,00

Obs.: Dos materiais empregados 15% correspondem a materiais indiretos, o restante a MD.

2 – Folha de pagamento Salário + encargos sociais

MOD

$ 80.000,00

MOI

15.000,00

3 – Gastos Gerais de fabricação

$ 110.000,00

Despesas de vendas

90.000,00

Despesas Administrativas

105.000,00

Receita de Aluguel

50.000,00

Devolução de vendas 2% das vendas ICMS, PIS, Cofins 21,65% sobre vendas

Multas diversas

5.000,00

Produto acabado em estoque no início de Janeiro 4.000 peças a $ 45,00 cada

Vendas no 1º semestre 8.000 peças a $ 122,50 cada

Vendas de sucata $ 38.770,00

Produção do semestre 9.000 peças.

Pede-se:

a)

Calcular o custo total da produção acabada (MD, MOD, CIF)

b)

Calcular o custo da mercadoria vendida pelo sistema PEPS

c)

Fazer a Demonstração do Resultado do Exercício até o LAIR.

03)

De uma indústria extraímos as seguintes informações:

MP compradas no mês = $ 500.000 MOD do mês = $ 600.000 CIF incorridos no mês = $ 400.000 Devolução de 20% das matérias Primas compradas

Calcule os valores:

a) do Custo de Produção do mês;

b) do Custo da produção acabada no mês;

c) do Custo da Produção vendida no mês.

Para cada uma das alternativas abaixo:

I) Não havia EI ou EF de Produtos Acabados ou em Elaboração e nem de MP;

II) O EI de MP era de $ 120.000 no mês, não havendo outros EI ou EF;

III) O EI de MP era de $ 120.000 e o EF de MP era de $ 150.000, não havendo outros EI ou EF;

IV) O EI de MP era de $ 120.000; o EI de PE era de $ 180.000; o EF de PA era de $ 200.000; e não havia outros EI ou EF;

V) O EI de PA era de $ 300.000; o EI de PE era de $ 160.000; o EF de PE era de $ 200.000; e não havia outros EI ou EF;

VI) O EI de PE era de $ 200.000; o EI de PA era de $ 80.000; o EF de PE era de $ 220.000; o EF de MP era de $ 70.000; e não havia outros EI ou EF;

VII) O EI de MP era de $ 150.000; o EF de MP era de 220.000; o EI de PE era de $ 170.000; o EF de PE era de $ 230.000; o EI de PA era de $ 130.000; o EF de PA era de $ 190.000.

CUSTOS DOS MATERIAIS

Importância do seu Estudo

 

M D

± 50%

Maiorias das Empresas

MOD

± 30%

C

D

± 80%

Objetivo do seu Controle

a) Fornecer elementos para a contabilidade de Custos.

b) Controle e elaboração dos Inventários.

c) Manter um mínimo no estoque sem que com isto aconteça interrupções no Fluxo de Produção.

Formas de Controles

Computadores, RM, Solicitação de Compras, Cotação de Pedidos, boletins de Recebimento, etc.

CUSTEIO PARA DAR ENTRADA NO ESTOQUE

Para dar entrada no estoque, devemos levar em consideração alguns fatores que são:

I - Descontos

II – Frete

IV – ICMS/PIS/COFINS V – IPI

Descontos

Existem dois tipos de descontos que são:

Descontos comerciais e Descontos financeiros.

O

desconto comercial é aquele conseguido através da condição comercial, ou seja, depende muitas vezes

da

quantidade adquirida e do conhecimento entre o comprador e o vendedor.

O

desconto comercial vem destacado na NF, portanto, leva-se em consideração para dar entrada no

estoque.

O desconto financeiro é aquele obtido através das condições de pagamentos (30ddl), não aparece

destacado na NF; portanto, não deve ser considerado para dar entrada no estoque. Caso aconteça tal desconto, será considerado como desconto obtido ou Receita financeira, indo direto para o Resultado da empresa.

FRETE

1º caso:- Valor do frete vem destacado na NF ou minuta de transporte. Quando o frete for pago para

transportar um único tipo de material, ou vários tipos, porém, com uma mesma unidade de medida (Kg,

M,

L, Pç, etc) leva-se em consideração para dar entrada no estoque.

caso:- Frete pago para transportar mercadorias com unidades de medidas diferentes (Kg e Pç, Pç e M,

L

e Kg, etc) não deve ser considerado para dar entrada no estoque. Neste caso, o valor pago pelo frete

será considerado como Custo Indireto de produção (CIP).

ICMS – Imposto sobre Operações com mercadorias e Serviços PIS – Programa de Integração Social COFINS – Contribuição para Financiamento da Seguridade Social Deve-se deduzir o valor do ICMS, do PIS e da COFINS quando da entrada no estoque, isto porque, quando da venda da mercadoria a empresa o recupera.

IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados

Quando a empresa compra uma mercadoria tributada pelo IPI para usar na fabricação de seus produtos, e

os mesmos são tributados pelo IPI, deve-se desconsiderar o valor do mesmo para dar entrada no estoque.

Caso, o produto fabricado seja isento de IPI, leva-se em consideração o valor do IPI para dar entrada no estoque.

Exemplo:

Quantidade comprada 5.000 Kgs a $ 100,00 o Kg, desconto comercial 10%; frete pago para transportar a

mercadoria $ 60.000; ICMS/PIS e COFINS 18%, IPI 10%.

Pede-se:

a) Calcular o custo para dar entrada no estoque quando a empresa fabrica produtos tributados pelo IPI.

b) Calcular o custo para dar entrada no estoque quando a empresa fabrica produtos isentos do IPI.

 

Custo Unitário do mat.

=

$ 100,00 p/ kg

- Desconto Com. 10%

=

10,00

 

Custo Unit. Líquido

=

90,00 p/ kg 12,00 p/ kg 102,00 p/ kg 18,36 p/ kg p/ kg

+ Frete

=

= Custo Unitário Parcial ICMS 18% s/ 102,00

=

=

= Custo Unit. p/ Ent. Est.

=

EXERCÍCIOS

São Dados:

Empresa comprou de um mesmo Fornecedor os seguintes materiais:

1)

200 kg de Ferro à $ 30,00 p/ kg.

2)

50 kg de Aço à $ 40,00 p/ kg. O fornecedor cobrou para entregar os Materiais A e B $ 1.100 pelo Frete.

Calcular o custo unitário de cada material para dar entrada no estoque sabendo-se que o ICMS incidente foi de 18% e o IPI 10%, considerando:

a) Produtos acabados tributados

b) Produtos acabados isentos

São Dados:

Compra de 280 kg de Material A à $ 25,00 por kg, compra de 300 MT de material B à $ 15,00 por MT. Frete pago ao transportador $ 1.500,00, ICMS em destaque de 18%, IPI em destaque de 10%, desconto comercial de 10%,. Pede-se calcular o Custo Unitário dos Materiais A e B para dar entrada no estoque, considerando os produtos acabados tributados.

São dados:

Valor total da Nota Fiscal $ 120.000,00, ICMS 18%, IPI 10%.Quantidade comprada 10.000 pçs. Pede-se calcular o custo unitário p/ dar entrada no estoque, considerando PA Tributados e Isentos de IPI, e o valor total do ICMS e do IPI.

CUSTEIO PARA DAR SAÍDA DOS ESTOQUES

Sistemas utilizados para valorização dos estoques

a) Custo Médio

b) PEPS – (FIFO)

c) UEPS – (LIFO)

d) Custo padrão

CUSTO OU PREÇO MÉDIO (MÉDIA PONDERADA)

Características do Sistema Custo Médio

a)

Preços unificados permitem melhor análise.

 

b)

A cada nova entrada no Estoque há alteração nos preços Unitários.

c)

Pode apresentar o Custo Unitário com várias casas decimais ou dizimas periódicas.

Ex.

 

Peças

Custo Unit.

C. Total

SI

100

$ 50,00

$ 5.000,00

C

400

$ 60,00

24.000,00

500

$ 58,00

29.000,00

S

(50)

$ 58,00

(2.900,00)

S.F

450

$ 58,00

26.100,00

Sistema PEPS – FIFO

Características do Sistema PEPS

a)

As saídas obedecem a Ordem cronológica das entradas.

b)

Os preços mais antigos são apropriados aos Produtos.

c)

Os preços mantém-se inalterados desde sua entrada até sua saída.

Ex.

 

Peças

Custo Unit.

C. Total

SI

100

$ 50,00

$ 5.000,00

C

400

$ 60,00

24.000,00

S

(50)

$ 50,00

(2.500,00)

S.F

50

$ 50,00

2.500,00

400

$ 60,00

24.000,00

Sistema – UEPS - LIFO Características do Sistema UEPS

a) Os preços recentes são atribuídos aos produtos (compras).

b) Em uma economia inflacionaria este sistema encarece o custo dos produtos, consequentemente diminuindo o lucro, não sendo aceito pelo I.R. do Brasil.

c) Os preços mantém-se inalterados desde sua entrada até sua saída do estoque.

Ex.

 

Peças

Custo Unit.

C. Total

SI

100

$ 50,00

$ 5.000,00

C

400

$ 60,00

24.000,00

S

(50)

$ 60,00

(3.000,00)

S.F

100

$ 50,00

5.000,00

350

$ 60,00

21.000,00

Comparação dos sistemas:

 

Preço Médio

PEPS

UEPS

MD/CPV

2.900,00

2.500,00

3.000,00

Exercícios

1) Uma empresa possui o saldo inicial de 100Kg de aço a 20,00 o quilo, efetuou uma compra de 500 kg de aço à R$ 30,00 o quilo pagando ao fornecedor pelo transporte da mercadoria R$ 2.500,00. O ICMS foi de 18% o IPI 10%, caso a mercadoria seja paga em 30 dias haverá 5% de desconto. No

decorrer do mês houve uma saída do estoque de matéria prima para o processo produtivo de 300 kg. Determinar o valor do MD e o saldo final em estoque pelos 3 sistemas ( Preço Médio, PEPS e UEPS ). Obs.: Os produtos acabados são tributados 2) Saldo inicial em estoque 10.000 pçs. a R$ 12,00 cada, compra de 15.000 pçs. pagando um valor total de Nota Fiscal R$ 300.000,00. O ICMS incidente foi de 18% e o IPI 8%. A empresa pagou para

uma transportadora externa R$ 3.000,00 pelo frete da mercadoria. No decorrer do mês houve uma saída do estoque de matéria prima p/ o processo produtivo de 12.000 pçs. Pede-se calcular o valor do MD e o valor final em estoque pelo sistema PEPS UEPS e Preço

Médio

CUSTO DA MÃO DE OBRA

Importância e Conceito

MD = ± 50 %

MOD = ± 30%

CD = 80%

Custo do trabalho Humano aplicado diretamente nos

M.D. para transf. em produto final

Objetivo do Controle

a) Fornecer elementos para a contabilidade de Custos.

b) Racionalizar o trabalho e aumentar a eficiência.

c) Dar melhor condições de Trabalho para o Homem.

Setores Responsáveis pelo controle da M.O.

- RH

: Seleção, Recrutamento, Registro, Treinamento, Avaliação de Salário, Ass. Médica, Ass. Jurídica, Social etc.

- Planejamento

: Quanto de M.O. será necessária ? O que ? Onde ? Quanto Produzir

- Controle de Produção

?.Quando ? etc. : Serviço de apontamento de produção horas e peças.

- Tempos e Métodos

: Como ? (este setor ou dpto. racionaliza o trabalho e determina o tempo padrão) ( TP )

CLASSIFICAÇÃO DA M.O.

Mão de Obra Indus.

Debitados aos ProdutosCLASSIFICAÇÃO DA M.O. Mão de Obra Indus. Direta – Faz parte do custo direto do produto

Direta – Faz parte do custo direto do produto Indireta – Faz parte do CIP

Mão de Obra Adm. e

Debitada ao Resultado

FORMAÇÃO DO CUSTO DA MÃO-DE-OBRA DIRETA

 

Tx/h

Custo M.O. = Taxa/h x TP

ou

Custo M.O. =

 

Opç/h

Taxa/h = Sal./Hora + Enc. Sociais.

Ex:

 

Sal/h. Hora

 

= $ 10,00

Produto

Enc. Sociais

=

80%

Tempo Padrão

=

0,05hs

Taxa

= $ 10,00 + 8,00 = 18,00 p/h.

 

C.MO = 18,00 p/h x 0,05hs = $ 0,90

 

TX

$ 18,00

 

C.MO =

=

= $ 0,90

 

Opç/h

20 Pç

 

Ou

 

1

 

Opç/h =

= 20 Pç

 
 

0,05

Exercício

1 – Saldo inicial 500 kg à $ 20,00 cada. Compra 1.500 kg à $ 30,00 cada. Quantidade consumida para o Produto x 800 kg. Sistema de custeio do estoque: Custo médio. Tempo padrão 80.000 ( minutos ). Encargos sociais sobre M.O. 115%. Sal/h médio = $ 2,50. Pede-se: - Calcular o Custo Direto desse Produto.

2 - Saldo inicial de estoques matéria prima 5.000 kg a $ 20,00 / kg. Compra a prazo de 7.000 kg a $ 40,00 por kg; desconto comercial obtido 10%; ICMS 18%; IPI 8%. Quantidade consumida para o produto X 8.000 kg. Sabe-se que cada peça produzida gasta 0.500 kg TP 36’ por pç; salário hora $ 6,00; Enc sociais 110 %. Cip Total gasto no mês $ 80.000,00.

Havia um estoque inicial de Produtos Acabados de 10.000 pç a $ 25,00 cada. No decorrer do mês foram vendidas 15.000 pçs a vista, o índice de MARK-UP utilizado foi de 2,50, IPI 8%, ICMS 18%.

Pede-se:

a) Custo unitário p/ dar entrada no estoque

b) Valor do MD

c) Valor final do estoque matéria prima

d) Quantidade de pçs. produzidas

e) Valor do MOD

f) Valor do CI/CF/CPA

g) Valor do CMV

h) Valor final do estoque produto acabado

i) Valor total das vendas

Obs.: Utilizar o sistema preço médio p/ dar saída dos estoques. Não houve perda no processo produtivo. Os produtos acabados são tributados

SISTEMAS DE CUSTOS

SISTEMA DE CUSTEAMENTO POR ORDEM DE PRODUCAO

O que caracteriza a produção por ordem de produção ou por encomenda e o atendimento de

encomendas.

Normalmente este tipo de produção se adapta melhor a fabricação de equipamentos pesados, transformadores especiais, construção civil, etc.

Os

custos são acumulados numa conta (ou folha) especifica para cada ordem ou encomenda. Essa conta

so

pararia de receber custos quando a ordem estivesse encerrada. Se terminar o exercício e o produto

estiver ainda em processamento, não há o encerramento, permanecendo os custos ate então incorridos na forma de bens em elaboração, quando a ordem for encerrada, será transferida para estoque de produtos acabados ou para custo dos produtos vendidos.

Exemplo de Ordem de Serviço

Ordem Serviço N

Depto.

Data inicio

/

/

Termin

/

/

Data

 

Docum

Descrição

MP

MOD

Outros

Total

Total Geral

 

SISTEMA DE CUSTO POR PROCESSO OU PRODUCAO CONTINUA

Neste tipo de produção via de regra, a empresa trabalha produzindo um ou mais produtos de características iguais entre si, de forma continua, fundamentalmente para estoque. Com este tipo de produção, também chamado de produção em serie temos como exemplo a indústria automobilística, química, eletrodomésticos, etc. Na produção continua (Processo) torna-se de grande importância o conceito de equivalência de produção. Equivalência de produção significa o numero de unidades iniciadas e acabadas a que equivalem os custos, o quanto se gastou para chegar ate certo ponto de unidades não acabadas. Esses equivalentes de produção podem ser necessários para cada elemento de custo (Matéria Prima, MOD, CIF).

Produção Equivalente (PE) E a quantidade de unidades que estariam prontas se toda capacidade de trabalho tivesse se concentrado nas unidades incompletas, semi-acabadas, que permanecerão em processo no final do período em cada departamento, ou seja, corresponde ao equivalente de pecas semi-acabadas em pecas prontas. PE = UP x K ( UP = unidades em processo, K = coeficiente de equivalência).

Exemplo. Unidades em processo 3.000, equivalência de produção ½.

PE = UP x K

processo 3.000, equivalência de produção ½. PE = UP x K PE = 3.000 x ½

PE = 3.000 x ½ = 1.500 pc.

OBS> O custo da produção equivalente (PE) deve ser calculado separadamente, MP, MOD, e CIP.

Exercício.

1) O que e produção equivalente? Resp.

2) No inicio de Abril havia 50 unidades na produção em andamento, as quais estavam com um grau médio de execução de 30% (equivalência de produção 70%). Nesse mês o custo unitário foi de $ 250,00 Nesse mês foram transferidos 410 unidades para o estoque de produtos acabados, restando 40 unidades na produção em andamento executadas ate a metade. O custo total do período foi de 576.300,00. Determine a produção equivalente do mês, o custo da produção acabada e em andamento de abril.

3) Suponha que na produção em andamento tenha 4 unidades. Duas delas com 90% dos trabalhos já prontos e as outras duas com 10%. Qual a produção equivalente e qual o grau médio de acabamento dessa produção em andamento?

4) Uma empresa produz armários de aço de um único modelo. Ao final do mês de janeiro ficaram 300 unidades em processamento com grau de execução médio de 30%. Nesse mês, o custo unitário de fabricação foi de $ 2.500,00. No mês de fevereiro foram acabadas 2.100 unidades, permanecendo 500 unidades na produção em andamento com um grau médio de execução de 50%. O custo total desse mês foi de $ 5.763.000,00.

Calcule a produção equivalente do mês, o custo da produção acabada do mês de fevereiro e da produção em andamento de janeiro e fevereiro, pelo critério PEPS e Custo Médio, considerando que a matéria- prima tem o mesmo grau de aplicação que a mão-de-obra direta e os custos indiretos de fabricação.

5) A fábrica “Espanta dúvidas Ltda” fabrica um único tipo de produto. Ao final do mês de março, ficaram na produção em andamento 8 unidades com grau de acabamento de 50%. O custo da matéria prima da mão de obra e dos CIF ocorrem uniformemente. Nesse mês, o custo unitário foi $ 6.800

No mês de abril foram concluídas 30 unidades, ficando 10 em fabricação com um grau de acabamento

de 30%. Os custos incorridos no mês foram $ 216.920.

Em maio foram concluídas 40 unidades, não permanecendo nenhuma em fabricação. Os custos totais incorridos nesse mês foram $ $ 301.920. Calcule o custo da produção em andamento e da produção acabada para os meses utilizando o PEPS.

SISTEMA DE CUSTO PADRAO OU STANDARD

E aquele cujo dados são cientificamente pré-determinados (calculados) para a fabricação de produtos e serviços, validos para um período de tempo determinado.

Algumas vantagens do sistema de custo padrão

. Medida de eficiência

Grande valia para comparação entre custo padrão e Real

. Redução de custos

Proveniente da comparação entre custo padrão e Real, pode-se analisar as variações e atribuir

responsabilidades aos setores responsáveis.

Simplificação dos procedimentos Cálculos, projeções, estudos específicos, transferência do produto do processo produtivo para o estoque, etc.

DETERMINACAO DOS PADROES

Matéria prima direta

E determinada através de lista de especificação de materiais elaborada pelo depto. de Engenharia

Industrial ou de Produto.

Mão de Obra direta ( Padrão Físico e de Custos)

O padrão físico de Mão-de-Obra e determinado pelo depto. de Tempos e Métodos, corresponde ao

tempo padrão necessário para se fabricar um produto. Para determinação do tempo padrão devemos

fazer algumas analises e seguir alguma etapas.

Tempo Padrão TR = Tempo + representativo FCE = Fator de correção do Ambiente FCA = Fator de correção do Ambiente

Etapas

1ª Etapa

1)

Racionalizar o trabalho.

2)

Cronometrar várias vezes a escolher TR (Tempo mais representativo)

Ex. 5’ – 5’ – 5’ – 6’ – 5’ – 4, 5 = TR = 5’ 3) Determinar o fator de correção da eficiência ou ritmo de trabalho.

 

120

110

Ritmo

100

Ritmo Normal

90

80

2ª Etapa Fator de correção do Ambiente ( FCA ) Este fator é dado através de tabelas técnicas reconhecidas mundialmente para corrigir as deficiências do ambiente tais como: Calor, Esforço físico, Monotonia, Periculosidade, etc.

TP = TN + FCA ou TN (100 + FCA)

Ex:

Pede-se calcular o TP

FCA = 20%, TN = 4 minutos

Exercício

São dados: TR = 25’; FCE 120%, FCA 30% Pede calcular:

a)

TN

b) TP

c) Quant. pç por hora

CUSTOS INDIRETOS DE FABRICACAO (CIF/CIP/GGF) (Padrão Físico e de Custos)

Departamentalização – Criação dos CC Levantamento da capacidade instalada – área, HP, maquinas, etc Critérios de rateios do primeiro e segundo grau, etc.

MÉTODO DE CUSTEIO

Custeio Direto ou Variável

É aquele em que os custos variáveis são considerados como custos, sendo desprezados os custos fixos, os quais são levados diretamente para o resultado do período.

Custeio por Absorção É aquele em que todos os gastos incorridos na produção, são considerados como custos.

Comparação entre os dois Métodos Exemplificando o que foi citado acima, temos:

Produção do mês

10.000 unidades

Custo de Produção:

Materiais

R$

10.000,00

M. Obra

R$

8.000,00

C.I.F.

R$

5.000,00

( Fixo R$ 4.000,00, Var. R$1.000,00 )

R$

23.000,00

Absorção

Direto

Custo total de produção

R$

23.000,00

R$

19.000,00

Custo Unitário

R$

23,00

R$

19,00

A diferença entre R$ 4.000,00 no custo total, é exatamente o valor dos custos fixos, os quais não são considerados no custeio direto.

O custeio direto baseia-se no fato de que os custos fixos existirão, havendo ou não produção, portanto, considera como custos, aqueles necessários para produzir uma determinada quantidade de produtos, ou seja, apenas os custos intimamente ligados com o produto.

EXERCÍCIOS

1)

O que significa Custeio Direto? E que tipo de custos são alocados aos produtos?

Resp.

2) A Facímpia S.A., fabricantes de máquinas de escrever elétricas, iniciou o ano de 19X8 sem estoques de produtos. Durante esse exercício iniciou 300.000 unidades, das quais 40.000 ficam 50% acabadas no fim do ano e 30.000 ficaram estocadas para venda em 19X9; as outras 230.000 foram vendidas por $

2.500/u.

Os custos de produção e as despesas de venda do período foram:

Materiais Diretos

$ 168.000.000

Mão-de-Obra Direta

$ 196.000.000

Custos Indiretos Variáveis

$

42.000.000

Custos Fixos Indiretos

$ 112.000.000

Despesas Fixas de Venda

$

69.000.000

Despesas Variáveis de Venda

$

100/u

Apure o lucro antes das Despesas Administrativas e Financeiras e o valor dos estoques de produtos acabados e em elaboração em 31/12/X8 pelo Custeio Direto e por Absorção, e explique a diferença.

3)Uma empresa iniciou 120.000 unidades de um certo produto, e os custos e despesas relativos à produção e venda foram:

Variáveis:

Mat. Prima $ 150/Unid. “

MOD

100/

CIP

50/

Despesas

10/

Fixos

CIP

$ 9.000.000

Despesas

3.000.000

O preço de venda é de $ 450/Unid. e não havia estoques iniciais; foram vendidas 90.000 unidades no período, ficando 10.000 unidades no estoque para o período seguinte e o restante em elaboração num estágio de produção de ¼.

Pede-se:

a) Custo total do período e do CPA

b) Custo dos produtos em elaboração

c) Valor do estoque final de produtos acabados

d) Resultado do exercício pelos 2 sistemas (Custeio por Absorção e Custeio Direto ou Variável).

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

MARTINS, Eliseu. Contabilidade de Custos. São Paulo: Atlas, 9ª edição, 2003. WERNKE, Rodney. Gestão de Custos. São Paulo: Atlas, 2001. VANDERBECK, Edward J. & NAGY, Charles F. Contabilidade de Custos. São Paulo: Thomson, 11ª edição, 2001. Decreto 3000/99 – Regulamento do Imposto de Renda