Você está na página 1de 111

[Orelhas]

Aserpentebranca

Narrativasfolclóricaschinesas

Apresentecoleçãocontém20contospopularesdolagodoOeste,de

Ancheu,tãocélebreporsuasingularbelezaevaliososmonumentos

artísticosehistóricos.Ancheuéumdoslugaresturísticosmaisvisitadosda

China.OpovodeAncheu,aolongodemilênios,enquantousufruíae

embelezavaolagoearredor,crioubeloseoriginaiscontosdevariada

temática.Temasqueabarcamdesdeosmaisconhecidosepitorescos

lugareseosmonumentosdevalorhistóricoatéosoriginaisprodutos

autóctones,desdeaslidesindômitasdopovoatéaslendasdemutações

naturaisacercadoSol,daLuaedasestrelas,assimcomoasmontanhas,

rios,lagosemares.Ademais,narrativassobrepoetasebonzos.

Afilhadoreidragão

ContosdadinastiaTangue

AdinastiaTangue(618–907)constituiuaidadeáureadaliteratura

chinesa.Seusnumerososcontosdetemassobrenaturais,políticos, aventurescoseamorosos,comlinguagempolidaeriquezadedetalhe, brindaramumaimagemautênticaevívidadopovoedasociedadede então. Nessaediçãoserecopilaramdezdosmelhorescontosdessadinastia,com

cincoilustraçõespertinentesàdinastiaMingue(1368–1644).

Prólogo

NaChinaémuitopopularaexpressãoAcimaoparaísoeembaixoas cidadesdeSucheueAncheu.SucheupertenceàprovínciadeQuiãossue AncheuàdeChequião.Asduasurbestêmrenomepelaspitorescas paisagens.NadinastiaSonguedoNorteAncheucomeçouserchamadoo paláciocelestialdaTerra.NadinastiaSonguedoSulsedizia:NoCéuo paraísoenaTerraSucheuAncheu. AncheuestánamargemnortedocursoinferiordorioQuiantãoquião,no

extremomeridionaldoGrandeCanaldaChina.Hámaisde4000anosos

homenscomeçaramavivereatrabalharemAncheu.Oimperadordo

reinoSui,YanGuang(569–618),praestimularodesenvolvimento

econômicoecultural,ordenouconstruiroGrandeCanaldaChina.QianLiu

(852–932),fundadordoreinoWuYue,seradicouemAncheu.Também

imprimiugrandeimpulsoàeconomiaeàcultura.Estabeleceurelação comercialcomoJapãoeXinLuo(atualCoréia)einiciouointercambio culturalcomaÍndia.DesdeentãoAncheufoiocentrocientíficoecultural dosudestedeChina.NadinastiaTangue,Ancheuconseguiumaior prosperidade.Setransformounumafamosacapitaldosudeste,que mantinhafreqüentevínculoeconômico-culturalcomoutrospaíses.O imperadordadinastiaSonguedoSul,ZhaoGou,mandouconstruiracidade

proibidadeAncheu.Numaáreade15km²seelevamedifíciosdamesma

cor,queimpedemveramontanhaGuixã.OreinoWuYue(907–978)das

cincodinastias,eadinastiaSonguedoSul(1127–1279)estabeleceramem

Ancheusuacapital.Suamilenarhistória,acervoculturalesingular paisagemderamrenomeaAncheu,nãosomentenaChinamasnomundo

inteiro.Noséculo13oviajanteitalianoMarcoPólo(1254–1324),em

peregrinaçãoaAncheu,aelogioucomoacidademaisformosaemais elegantedomundo. UmadasrazõesprareverenciarAncheuéolagodoOeste.Emtodoopaís

há36lagoscomessenome.Desses36omaisformosoéodeAncheu.Ao

redordolagodoOeste,delímpidaágua,seerigempagodesetemplos,há

cavernasantiqüíssimasecumesdesingularbeleza.Ascolinas

circundantessempreestãocobertasdefloresmulticolores.Aolongodos

séculosartistas,cientistas,poetas,célebrespersonalidadeshistóricase

mongesandaramnasmargensdesselagodeesplêndidabeleza.Alise

escreveramimortaisobras,seelucubraramvaliosasdoutrinasese

pintaramextraordináriosquadros.DesdeasdinastiasTangueeSongue muitosforamospoetaseartistasqueseinspiraramnolagodoOeste.

Assim,porexemplo,BaiJuyi(772–846),grandepoetadadinastiaTangue,

governadordeAncheu,nãosóordenouareconstruçãodolagocomo

tambémescreveupoemasuniversalmenteapreciadoscomo:

Entreascolinassurgeaágualímpida

Apaisagemprimaveralcobreolago

qualoesboçodumapintura

Eretos,frondosospinheirosverdes

dãomatizàscolinas

Comoumapérola

apareceaLuarefletidanaágua

Oarrozaltemporão,espigado

pareceummantoverde

enquantoasespadanas

gingamaovento

comolaçosdesedanacintura

Ó,lagodoOeste

atraistãoirresistivelmente

queédifícilabandonarAncheu!

SuDongpo(1037–1101),poetadadinastiaSonguedoNorte,quandofoi

subgovernador 1 deAncheuescreveuváriosversoselogiandoabelezado lagodoOeste.

Sefazbomtempoapaisagemébela

Emesmoemdiasnubladosechuvosos

suaformosuraémaissingular

Mepermitocomparar

olagodoOestecomXiShi:

Comousemmaquiagem,sempreformosa

daEspanhaédumaprovíncia.Notadodigitalizador-tradutor

Adestraelaboriosamãodohomemajudouanaturezaasermaisbela.A formosuradanaturezanãoresplandecesónolagomastambémnas colinasemvolta.Colinascomoestrelasemformademãosabertasque sustentamaLua.DiantedotemploLinguim,nacolinaVoadora,seerguem expressivasesculturas.Essasesculturaseasantiqüíssimascavernas constituemumtesouroartísticodaChina.Todosostemplos,cavernas antigas,pagodes,colinas,pontes,lápides,fontesecoretostêmmagníficas lendasourelatosmitológicos.Essaslendaserelatossãotambémum inestimáveltesourodaliteraturachinesa.

Dainfinidadederelatospopularesestelivroescolheu20.Foramincluídos

contossobreahistóriadepersonagensverdadeirascomoBaiJuyi(Odique

desenhorBai)eSuDongpo(OslequesdeAncheu).Outrossãopuramente

fantásticos,compersonagensfictícias,comoAserpentebrancaeBaoChu

(BuscandooSol).SobreaorigemdolagodoOestehámuitasebelaslendas

comoApérola,presentenestevolume.Atravésdaslendasopovoexpressa

oqueamaeoqueodeia.Umacolinaouumrio,umfioderelvaouuma

árvoredolagodoOestetemseuprópriosignificadonavidadopovo.

Mediantepersonagensehistóriasfantásticasopovosatirizaoudebocha

engenhosamentedacrueldade,ignorância,inépciaouhipocrisiadasforças

querepresentamoatrasoeoopróbriodeseupaís.Tambémlouvamcom

entusiasmoavontadeeoespíritolaboriosoehonestodohomemdopovo.

Osheróisquefazemobemàgentesimplessãopoderosos.Eosvalentes

quederamavidaprabeneficiarosdemaisviverãoeternamente.

ApaisagemdolagodoOesteénaturalmentebela.Oscontos,poemase

lendaspopularesqueseescreveramemseulouvorofazemmaisbelo

ainda.Écomoseocobrissemcomdelicadagaze.

Oscontosqueoleitorencontraránestevolumeofascinarão.Osque

conhecemolagodoOestereviverãogrataslembranças.Eosqueaindanão

ovisitaramsentirãoumenormeinteresseemapreciaressabelezacom

seusprópriosolhos.Valeapena,pois,queridoleitor,desfrutaraleitura

destescontoselendas.

Apérola

RecompiladoeredigidoporXuFei

Hámuitosanos,numacavernaalestedorioCelestial,viviaodragãode

Jadee,numbosqueaoestedomesmorio,moravaafênixdeOuro.

Todasasmanhãsessesbonsvizinhos,antesdesairpraseocupardeseus

assuntosparticulares,sedavamobom-dia.CertavezafênixdeOuro,

voandonocéu,eodragãodeJade,nadandonorio,chegaram,sem

perceber,àilhaDivina.Ali,encontraramumapedraresplandecente.A

fênixdeOuroficouencantadacomelaedisseaodragãodeJade:

—Vejas,DragãodeJade,quelindapedra!

—Ébelamesmo!Quetalseapolimosatévirarpérola?

AfênixdeOuroassentiu,alegre,comummovimentodecabeça,elogo

puserammãosàobra.Durantemuitosdias,meses,anostrabalharamcom

patasebico.Enfimconseguiramumapérolaredonda.AfênixdeOuro,

muitocontente,aspergiagotasderociotrazidasdamontanhaDivina

enquantoodragãodeJadearegavacomaáguacristalinadorioCelestial.

Comopassardotempoapérolacomeçouaresplandecercomouma

estrela.

Desdeentãodragãoefênixficarammuitoamigos.Entesouravamtantosua

pérolaqueodragãodeJadenãoqueriavoltaràcavernanemafênixde

Ouroaobosque.Comofimdeprotegerdiaenoiteseuapreciadotesouro

decidiramvivernailhaDivinasituadanocentrodorioCelestial.

Apérolaeramesmoumtesouro.Aondechegavasualuzasárvores

ficavamviçosas,asfloresexuberantes,asmontanhaseosriosformosose

ascolheitasabundantes.

UmdiaamãeSupremasaiudopalácioequandoviuapreciosapérola

brilhanteficoudeslumbrada.Desdeentãoquisardentementeseapoderar

dela.Nameia-noiteenviouumsoldadocelestialpra,aproveitandoosono

profundododragãodeJadeedafênixdeOuro,aroubar.Quandoamãe

Suprematevenasmãosapérola,aocultoudavistadetodomundo,a

guardandoatrásdenoveportaseanovechaves.

Aodespertar,odragãodeJadeeafênixdeOurodescobriram,com

assombro,aausênciadapérola.Impacientes,começaramaprocurar.O

dragãodeJadeentrouemcadaumadascavernasquehásoborio

CelestialeafênixdeOuroperambulouemtodososcantosdasmontanhas

divinas.Mastudofoiinútil.Nãoaencontraram.Angustiados,decidiram

seguirprocurandodiaenoite,infatigavelmente.

NodiadoaniversáriodamãeSupremaosdeusesdetodososconfins

acorreramaopaláciocelestialpradesejarlongavida.AmãeSuprema

ofereceuumgrandebanquetedepêssego.Osdeuses,bebendoecomendo,

afelicitavam,dizendoemcoro:

—QuetuafortunasejatãograndequantoomarOrientaletuavidatão

excelsaquantoamontanhadoSul.

EntãoamãeSuprema,regozijada,disse:

—Deuses,tenhoumapreciosapérolaquequeromostrar.Éum

verdadeirotesouronuncavistonoCéunemnaTerra.

Imediatamentetiroudocinturãoasnovechaves,abriuosnovecadeadose

atravessouasnoveportas.Instantedepoisregressoucomapérolaea

colocounumpratodeouro.Todososdeusesprorromperamem

exclamaçãoaoveraresplandecentepérola.

NesseinstanteodragãodeJadeeafênixdeOuroprocuravamseutesouro

perdido.LogoafênixdeOurodescobriuoresplendordesuapérolae

rapidamentechamouodragãodeJade:

—DragãodeJade,vejas:Essaformosaluznãoéaqueirradianossa

pérola?

OdragãodeJade,levantandoacabeçadorioCelestial,lançouumolhare

respondeu:

—Sim.Édenossapérola.Rápido!Abusquemos!

GuiadospelaluzdapérolachegaramaopalácioCelestial.Osdeusesainda

estavamabsortosdiantedapérola.Aelogiavam,alongandoopescoçopra

vermelhor.Então,odragãodeJade,interrompendo,reclamou:

—Apérolaénossa!

EafênixdeOurorepetiuomesmo.

AmãeSupremaseencolerizouegritou:

—Issoéabsurdo!SouamãeSupremaetodosostesourosquehásobos

céusmepertencem.

—Mentira!—Replicaram,muitoaborrecidos,odragãodeJadeeafênix

deOuro—EssapérolanãonasceudoCéunemcresceunaTerra.Diaapós

dia,mêsapósmês,anoapósano,apolimos.

AmãeSuprema,vendoseurouboserpostoemevidência,envergonhadae

furiosa,estendeuamãopraprotegerapérolaenquantoordenava,agrito,

aseusgeneraisesoldadosdivinos,expulsaraforçaocasalintruso.

EntãoafênixdeOuroeodragãodeJadetambémtentaramtomarapérola

aforça.Trêsparesdemãosagarravamfortementeopratodeouroe

ninguémqueriasoltar.Nadisputaapérolacaiudoprato,rodouna

escadariaecontinuoucaindodoCéuàTerra.

OdragãodeJadeeafênixdeOuro,temendoqueapérolasequebrasseao

cairnaTerra,seprecipitarampràsalvar.OdragãodeJadevoavaeafênix

deOurodançavadiantedapérola,oraatrás,tantoàesquerdaquantoà

direita,aprotegendopradescerlentamenteàTerra.Quandoapérola

chegouaochão,seconverteunoformosolagodoOeste.

EntãoodragãodeJadeeaFênixdeOuro,nãoquerendoabandonarsua

pérola,semetamorfosearam.ElevirouamajestosamontanhadoDragão

deJadeeelaafrondosamontanhadaFênixdeOuro.Desdeesseremoto

tempoessasduasmontanhaspermanecemaoladodolagodoOeste.

Atéhoje,emAncheu,sãomuitopopularesestesversos:

Docéucaiuumapérola

quenolagodoOestesetransformou

OdragãodeJadeeafênixdeOuro

dançandoevoando

chegaramaorioQuiantão

Oincensáriodepedra

RecompiladoeredigidoporXuFei

HámuitotempooengenhosoartesãoLuBan,daprovínciade Xandongue,chegouaAncheucomsuairmãzinha.Alugou,pertodaporta Quiantão,doisquartosquedavamàruaependurounobatentedaporta umcartazlaqueadoemnegrocomosseguintescaracteres:Ateliêde esculturadeferro,madeiraepedradosLudeXandongue.Tantagente queriaaprenderseuartesanato,queotantoentraresairdoateliêdeixou

quasearruinadooumbral.MasLusomentetomoucomodiscípulosos180

jovensmaisinteligentesesensíveisàarte. OartesanatodosirmãosLueramaravilhoso.Oscãesdepedraque esculpiamsabiamguardaracasaeosgatosdemadeiraqueentalhavam eramexímioscaçadoresrato.Seus

180aprendizes,depoisdepacienteslições,logoviraramexímiosartesãos.

Umdia,quandoosirmãosLudavamaulaaosdiscípulos,derepentesoprou umventosinistro.Numabrirefechardeolhosgrossasnuvens borrascosasescureceramocéu.EraoreiPeixeNegroCelestial,quevinha àTerrapracriardistúrbio.CumsaltooespíritodePeixeNegromergulhou nolagodoOeste,criandoumabismode360zhang 2 deprofundidade.Cada vezqueoreiPeixeNegroCelestialsoprava,todaacidadeseenchiadum fedorinsuportávelequandolançavaáguanabocachoviaacântarona montanhadoSulenamontanhadoNorte.Entãoossalgueiroscomeçaram asequebrareasfloresdosjardinsamurchar.Eainundaçãocresciasem cessar.

OsirmãosLueseus180discípulosserefugiaramnamontanhaPedra

Preciosa.Dalisóviamumimensomar.Ascasasestavamsubmersasna

hediondaáguaeopovoseamontoavanaspoucascolinasqueainda

sobressaíamaoredordolagodoOeste.Logonolagoseformouumenorme

redemoinhodecujocentrocomeçouaemergiraamplabocadoreiPeixe

NegroCelestialatéquesepôdevertodasuacabeça.Cumsaltovoouaocéu

e,transformadoemnuvemnegra,pousounamontanhaPedraPreciosa.Da

nuvemsaiuumjovemnegroefeio.

GirandoosredondosolhosdegaloolhouàirmãdeLuedisse:

—Ó,belagarota!Qualéteuoficio?

—Porquemeperguntassobremeuofício?Souumaartesã-mestra.

Ojovemaexaminoudecimaabaixo.Logo,movendoacabeça,disse:

—Estábem!Teusolhosclarosearqueadassobrancelhasindicamque

certamentesabescosermuitobem.Venhascomigo,prafazerpramimum

trajenovo.

AirmãLu,movendoacabeça,rechaçouaproposta.

Ojovemvoltouàolhardecimaabaixoe,meneandonovamenteacabeça,

disse:

—Estábem!Tuaboapresençaesutisedelicadasmãosmefazempensar

quecertamentesabesbordarmuitobem.Venhascomigopraquebordes

meucobertoracolchoadodealgodão.

AirmãLu,movendoacabeçaoutravez,rechaçouaproposta.

Eassimojovemseguiuperguntandováriasvezes,semacertaro

verdadeiroartesanatodagarota.Cansadodetantoperguntar,refletiuum

momentoelogodisse,piscandoosolhos:

—Ó,belagarota!Nãoimportaquenãosaibascosernembordar.Sete

casarescomigoterásinesgotáveisesaborosascomidasexóticasegozarás

defortunaincomparável.

Eestendeuamãopràtocar.

2-Zhang:Medidadelongitudeequivalentea3,33m.

360zhang=1200m.Sobrenotadodigitalizador-tradutor

EntãoLuBangritou:

—Foradaqui!

Ecumacerteiramarteladaseparouamãodojovemdesuairmã.Ojovem

insolentenãolhefezcasoereplicou,sorrindo,comabocarrabemaberta:

—Nãomeincomodatuamartelada.Minhapeletem3chi 3 deespessura. Sepermitiresquemecasecomessagarotatudoirábem.Docontrárioaté estagrandemontanhaseinundará. IrmãLumeditou:

—Talinundaçãomatariatodoopovo.

Osolhosgiraramduasvezeseamenteseiluminou.Então,disse:

—Certo.Mecasareicontigo.Masnãoprecisapressa.Meuirmãodeve

prepararumenxovalpramim.

—Deacordo,formosagarota.Queenxovalqueres?—Perguntouojovem,

comocoraçãotransbordantedejúbilo.

—Nãoédifícil.Nestaaltamontanhaháumarochaenorme.Queroque

meuirmãotalhenessarochaumgrandeincensário.

—Bem,bem,bem!Magníficaidéia!SouoreiPeixeNegroCelestialedesci

àTerrapraestabelecermeutemplo.Comesseincensáriopodereireceber

oferenda.—Exclamouojovemnegro,batendonascoxas,dealegria.

LuBan,depoisdeconsultaralgocomairmã,disse:

—Masvejas:Alestehááguaeaoestetambém.Comotrabalharassim?

Primeirotensqueacabarcomainundação.Entãopoderemospôrmãosà

obra.

OjovempensouqueoqueLuBandiziaerarazoável.Entãoabriua

bocarraecumsorvobebeutodaaáguaestancadaquecobriaacidade.

—Prafazeroincensárioéprecisopartiremduasestamontanha.Oque

achas?

—Bem,bem!Quefuremcomrapidez.Quantomaioroincensário,melhor!

LuBandisse:

—Seráumincensáriomuitoalto,grandeepesado.

Suspirando,perguntou:

—Comoomoveremos? —Nãotepreocupes!Quandomovominhacabeça,emminhascostasse produzumventomuitoforte.Levantaresseincensário,mesmotãogrande quantoumamontanha,pramimserácomolevantarumapluma. Quandoaáguadesapareceuopovocomeçouavoltaraolar.LuBaneseus discípuloschegaramàmontanha.LuBanlevantouseugrandemarteloe

deuoprimeirogolpecontraamontanha.Logoseus180discípulostambém

bateramaomesmotemponamontanha.Seouviuumatremendaexplosão. Amontanhasequebrou.Desdeentão,namontanhaPedraPreciosa,háum precipícioqueparececortadoporsabre. Eraumarochatãograndequedumladonãosepodiaverooutro.Como podereitalharumincensáriocumarochatãodescomunal?LuBana examinou,calculandoodiâmetro.Pegouumacordaesepostounocentro darocha.Entãodisseàirmãaseguraraoutrapontadacordaecorrerde formaquesuaspegadasmarcassemumgrandecírculonarocha.Depois

LuBanfezummolde.Emseguidaseus180discípuloscomeçaramatalhar

oincensáriosegundoomolde.Nofimde49diasoincensárioestava

pronto.Tinhaumcorporedondoetrêspilõesemformademorangacom

ocostrifásicos.

EntãoLuBandisseaojovemnegro:

—Oenxovaldeminhairmãjáestápronto.Façasofavordeolevaraolago.

MasojovemnegrotratoudelevarprimeirosuaprometidaeLuBandisse:

3-Chi:Medidadelongitudeequivalentea1/3m

3chi=1m.Sobrenotadodigitalizador-tradutor

—Nãoteprecipites!Primeirotensquetransportaroenxovaleocolocar emlugaradequado.Logomandarásumpalanquimpralevaranoiva. Ojovem,cheiodealegria,deuumacambalhotae,correndo,desceua montanha.Mexeuacabeçaeatrássurgiuumturbilhãoquefezrodaro enormeincensário.Emseguidaojovemvoltouasemetamorfosearapeixe emergulhounoabismo.Enquantoissooincensário,nabeiradoabismo, tombou,otapando,semdeixarbrechadeescape. OreiPeixeNegroCelestial,presosobograndeincensário,começouase asfixiar.Tentousairmaseraimpossívelmoveroincensário.Quissoprar umvendavalmasnãopôdemoveracabeça.Sórestouperfuraraté embaixo.Masacadavezquedescia,oincensáriooafundavamais. EnfimoreiPeixeNegroCelestialmorreuasfixiadonofundodolagodo Oesteeoincensárioseafundounalama.Sobreaáguasóapareceramos trêspilõesemformademoranga.

Desdeentão,acadafestadaLua(dia15dooitavomêslunar),opovo

costumaremaraocentrodolagoeacendercandeianosocostrifásicos.

Entãoseproduzumestranhofenômeno:Ascandeiasrefletemnolago

váriasluas.Aissosedáonomedeluasrefletidasportrêspilões.

Aserpentebranca

RecompiladoeredigidoporXuFei

LüDongbin 4 vendealmôndega

Noterceirodiadoterceiromêslunarosverdesgalhosdossalgueirose asrubrasfloresdospessegueirosatraírammuitagenteàsmargensdo lagodoOeste.LüDongbin,deusdaoitavacavernasuprema,também acorreu,metamorfoseadonumvelhoencanecido.Levavaumdão 5 de almôndegapradesfrutarafestapopularesedivertir. PertodaponteQuebradainstalouseudãosobasombradumgrande salgueiro.Quandoasalmôndegascomeçaramaflutuarnaáguaquente, gritouatodavoz:

—Vindecomersaborosaalmôndega!Por1sapeca 6 trêsgrandesepor3 sapecasumapequena! Seupregãofaziaopessoalrir.Umdisse:

—Velho,estásequivocado!

—Devestrocaropreçodasgrandespelodaspequenas.—Advertiuoutro.

MasLünãoquisescutarecontinuougritando:

—Vindecomersaborosaalmôndega!Por1sapecatrêsgrandesepor3

sapecasumapequena!

Opessoal,semdeixarderir,começouacomprarpor1sapecatrês

almôndegasgrandes.Numtessapirimseacabaramasgrandes.

Nessemomentoseaproximouumhomemcomcercade50anos,cum

meninonosbraços.Omenino,vendoquetodomundocomiaalmôndega, tambémquisprovar.Emvistadequeasgrandesjáseacabaram,sórestou

pegar3sapecaspracomprarumaalmôndegapequena.Lürecebeuo

dinheiro.Logoencheuatigelacomáguafervendoecumaconchatirou

umaalmôndegamuitopequena.Ohomemarecebeueseagachou.Pra

esfriaraalmôndegaasoproueafezgirarnochão.

Quandoomenino,muitoalegre,tentoucomeraalmôndega,ela,comose

tivessevidaprópria,entrounabocaeescorregouaoestômago.

Ninguémimaginariaqueomeninodesdequetragouaalmôndeganão

comeubocadodurantetrêsdiasseguidos.Opaiestavatãopreocupadoque

decidiuolevaroutravezaograndesalgueiro,buscandoovendedorde

almôndega.

Lü,aoescutaroqueaconteceu,começouarir.Logo,disse:

—Minhaalmôndegapequenaéumacomidaextraordinária.Pareceque

teufilhonãotemasortedadigerir.

ElevouaomeninoatéaponteQuebrada.Rapidamenteosegurounospés,

opondocabeçaabaixo,gritando:

—Saias!Saias! Eaalmôndegasaiuintatanabocadomenino.Caiusobreaponte Quebrada 7 erodouatéaáguadolago. Nesseinstantesobaponteestavamumaserpentebrancaeumatartaruga. Quandoaalmôndegaestavacaindo,aserpenteeatartarugaquiseramse apoderardela.Masaserpente,rápida,alongouopescoço,abriuabocae numtrizacapturou.Atragoucuma

4-LüDongbin,divindademitológica.Sedizquepertenceuàdinastia

Tangue.Aparececomfreqüêncianaliteraturaenaarteantigas.

5-Dão:EspéciedecozinhaportátilantigadosuldeChina.Numaponta

dumavarasependuraumfogareiroerecipientesdecozinha, enooutro,comestíveiselenha.

6-Sapeca:Ínfimamoedadecobrechinesa,cumorifícionocentro.

http://www.dicionarioweb.com.br/sapeca/Notadodigitalizador-tradutor

7-AponteQuebrada,cujonomeoriginaleraponteBaoYou,ficanodique

deSenhorBai.NocomeçosechamavadiqueAreia Branca.SejuntaàmontanhaGuixãaoeste,ealesteàponteQuebrada.Em

comemoraçãoaBaiJuyi(772-846),grandepoetada

dinastiaTangue,ganhouseunome.Começouaserchamadacomonome

atualdesdeadinastiaTangue.

bocada.Atartaruga,tapeadaeinvejosa,começouumarixacomaserpente.

Tantoaserpentequantoatartarugasetemperaramdurante500anos,por

issosuashabilidadesestavamparelhas.Masaserpente,tragandoa almôndega,quenaverdadeeraumapíluladivina,adquirira

instantaneamentemais500anosdetêmpera.Atartaruganãoestavaem

condiçãodeaenfrentar.Porisso,derrotada,optoufugiraooeste.

Obanquetedepêssego

Numamadrugada,sobaponteQuebrada,surgiuumacolunadefumaça branca.Logosaiuumagarotavestidacomsimplesroupabranca.Eratão belaquepareciaumaflordelotorecémbrotadanaágua.Essalindajovem

eraaserpenteBranca,quematravésdumaexperiênciade1000anos

obtiveraacapacidadedesemetamorfosear.AdotouonomedeBranca.

NodiadoaniversáriodamãeSuprematodososdeusesacudiramao

palácioCelestialprobanquetedepêssego.Brancatambémfoi.Comoeraa

primeiravezqueparticipavadesseágapeenãoconheciaalguémnemo

lugar,sesentou,silenciosa,noúltimolugar.

Logoasfadasoferecerampêssegoetodoscomeçaramacomerebeber.A

mãeSupremaselevantouasaudaroshóspedes.QuandoviuaBranca,a

quemnãoconhecia,perguntouaodeusdopólosul:

—Queméestabelagarota?,velhodeus.

Odeusdopólosul,cofiandoabarbabranca,olhouaLüDongbinedisse,

sorrindo:

—Eisquemdeveresponder.

Lü,confuso,refletiuuminstante.Odeusdopólosul,aoovertão

ensimesmado,deuumagargalhada.Logocontouoqueaconteceuna

margemdolagodoOeste.Orelatofeztodosrirem.AserpenteBranca

recordouosmomentosmaisemocionantesdesuavida,pensando:

—Só,durante500anos,metempereinofundodolagodoOeste.Umdiavi

namargemdolagoolindomundohumanoefiqueifascinada.Quisviver

entreoshomensmassendoserpenteeraimpossívelcumprirmeudesejo.

Porsorteaotragarapíluladivinaadquiriacapacidadedeme

metamorfosear.Entãojápodiairaomundohumano.Nuncapudeesquecer

orostodomeninoquelançouaalmôndegaaolago.Estouansiosapraao

rever.

Terminadoobanquetedepêssego,aosairnaportaSuldoCéu,Brancaviu

odeusdopólosul.Acelerandoopassooalcançou.Opegandonamanga,

perguntou:

—Digas,velhodeus,ondeestáomeninoqueexpeliuaalmôndega?O querover!

—Daquia18anosvásobuscar.NodiaQingming,namargemdolagodo

Oeste,verásumhomemmaisaltoquandomaisbaixo.Seráquemprocuras.

—Respondeuovelhodeus,cumagargalhada.

Efoiandandonasnuvens.

Ohomemmaisaltoquandomaisbaixo

BrancaseafastoudaportasuldoCéuedesceuàTerra.Continuouvivendo nofundodolagodoOeste,contandocomosdedosdamãoosdiasque

passavam.Enfimsecumpriuoprazode18anos.Madrugounodia

Qingming.Malterminoudesepentearepôrovestidomaisformoso, empreendeuviagemaolongododiqueSu 8 .Quandochegouàponte ReflexodasOndasviuumvelhomendigolevandoumapequenaserpente verdequeaoveraBrancamoveuacabeçaeacaudaeosolhosverteram lágrima.Brancasentiupenadelaeperguntouaovelho:

—Avô,praquêserveessaserpente?

8-OdiqueSuficanolagodoOeste,deAncheu,provínciadeChequião.

DuranteoreinadodeYuanYou,dinastiaSonguedoNorte,

SuDongpo(chamadotambémSuShi,1037–1101,literato,calígrafoe

pintor),subgovernadordacidade,mandoudragarolagodo

Oesteeassimseerigiuodiquequelevaseunome.

—Pravenderavesículabiliar.

EntãoBrancasentiumaispena.Voltouaolharaserpenteverdeepropôs:

—Avô,acomprarei.

Ovelhomendigoaceitoucummovimentodecabeça.

Brancapegouaserpenteverde,alevouaolagoeaatirandoàáguaa

libertou.Subitamentesurgiudolagoumacolunadefumaçaverdedonde

saiuumagarotavestidadeverde.Brancasealegroumuito,pegouamão

delaeperguntou:

—Comotechamas?

—PequenaVerde.

—PequenaVerde.Quebonitonome!Queresmeacompanhar?

PequenaVerdetomouBrancacomoirmãenuncamaissesepararam.

ComeçaramapercorrertodaamargemdolagodoOeste.Branca,se

detendoacadainstante,olhavaosquatroventos.PequenaVerde

perguntou:

—Irmã,aquemprocurasolhandoosquatropontoscardeais?

Brancaesboçouumsorrisoecontouoenigmaquelhepropuseraodeus

dopólosul.Entãopediuajudapraresolver.

Eraumdiaesplêndido.Emtodaparteseviamgruposdegenteofertando

anteastumbasoupasseando.PertodaponteQuebradahaviamaisgente.

BrancaePequenaVerdenãodeixavamdebuscarnamultidãoohomem

maisaltoquandomaisbaixo.Masosaltosnãoerambaixoseosbaixosnão

eramaltos.Eramuitodifícilencontrar.

Nomeio-dia,depoisdedarumavoltaaolagodoOeste,voltaramàponte

Quebrada.Umcircorepresentavasobasombradograndesalgueiro.

PequenaVerdegritou,alvoroçada:

—Irmã,irmã.Encontreiessehomemmaisaltoquandomaisbaixo!

—Onde?—PerguntouBranca,quasemortadealegria.

—Lá.Vejas!—RespondeuPequenaVerde,apontandoàcopaduma

árvore,ondeumjovemestavasentadonosgalhos.

—Masnãoéalto.—DisseBranca,decepcionadadepoisdoolhar.

—Estánoápicedaárvoreetodospassamembaixo.Então!Nãoéomais

alto?

—Claro.Masnãoéomaisbaixo.

—Masnochãoestásuasombraetodospassamsobreela.Entãonãoéo

maisbaixo?Éele,semdúvida.

—Sim.Éele!—PensouBranca.—Odeusdopólosulmedeuumbom

enigma.Ohomemmaisaltoquandomaisbaixoéessejovemnãomuitoalto

nemmuitobaixo.

Nocoraçãoaalegrianãocabia.

Brancaoobservouminuciosamente.Orostodojovemeradelicadoe

expressavahonradezebondade.Issoasurpreendeueencantou.Ojovem

permanecianocumedaárvoreeelanãosabiaseunomenemsobrenome.

Comopedirpradescer?EntãoPequenaVerdesugeriuempregaralguma

desuasmagias.

Nocéuapareceramnuvenscarregadasehouvetrovãoerelâmpago,

gerandoumaguaceiro.Ocircotevequesuspenderaapresentaçãoea

multidãocomeçouasedispersar.Ojovemdesceudaárvore,correuà

margemdolago,alugouumabarcaeordenouaovelhobarqueiroo

conduziràportadaOndaVerde.

QuandoovelhobarqueirosedispunhaaremarBrancachegou,gritando:

—Ei!Velhobarqueiro,nosdeixessubir.

Ojovemassomouacabeçanotoldoeviunamargemaduasgarotas

empapadas.Rapidamenteordenouaobarqueiroasdeixarsubir.

Asduasgarotas,jánabarca,agradeceramaojovem.PequenaVerde

perguntouseunome.

—MeusobrenomeéXuemeunomeXiã 9 .Estenomemeupaimedeu, porquenainfância,pertodaponteQuebrada,meencontreicumdeus. BrancaePequenatrocaramolhardeinteligênciaeemcadarostoapareceu umsorriso.Brancaperguntouondevivia. —Depoisdamortedemeupaifiqueisó.Agoravivonacasademinhairmã maior,queestánaportadaOndaVerde. —Quecoincidência!—ExclamouPequenaVerde—Minhairmãmaiorse parececontigo:Tambémestásónomundoeandadumladoaoutro. Formaiumcasalpredestinado! EssaspalavrasdeixaramXuXiãcorado,eBrancabaixouacabeça.Nesse instantenasceuentreelesumagrandeamizade.Quandoestavam conversandoanimadamenteouviramovelhobarqueirocantando:

Acasamenteiraestáaalcancedosolhos

Olaçodocasamentoosentrelaça

Mesmovindodelugaresdiferentes

achuvaosjuntounabarca

AfestadaRegatadeDragão 10

DesdequandoXuXiãeBrancaseconheceramnapequenabarca,nasceu entreelesoamor.Algunsdiasdepoissolicitaramoserviçoduma casamenteiraecelebraramaboda. ComoXujátinhaesposa,tinhaqueabandonaracasadesuairmã.Ojovem casaldeesposo,depoisdedeliberar,decidiusemudaraChinquião,pra abrirumafarmáciaàqualporiamonomedeHarmoniaEterna. Jáinstaladaafarmácia,enquantoBrancareceitava,XuXiãpreparavatodo tipodemedicamentocomdiversasespéciesdepílula,pó,emplastroe comprimido.Naportadafarmáciapuseramumcartazcomaseguinte legenda:Medicamentográtispradoentespobres. AnotíciacomeçouaseespalhardebocaabocaeafarmáciaHarmonia Eternaacadadiaquepassavaficavamaisfamosa.Diariamente,damanhã ànoite,acorriam,semcessar,enfermogravepedindoconsultaeenfermo levebuscandomedicamento.Osquesecuravamvoltavampraagradecer. EchegouafestadeRegatadeDragão.Nessediaopovocostumapendurar naportadecasaácoroeartemísia 11 eborrifarochãocomlicorderealgar, praespantarosdemônioseafastarasdoenças.Nessedia,norio

Changuião,aopédamontanhaJinxã,secelebraafestadaRegatade

Dragão.Malamanheceeasruasjáestãorepletasdegente.Emtodaparte

hágrandeanimação.

9-Xiãsignificadeus

10-RegatadeDragão:Festapopularquecainoquintodiadoquintomês

lunar(5demaio),quandosecomemoraopatriotaepoeta

QuYuan(-340–-278),quesuicidounessediaseatirandoaorioMiluo.

Nessafestaosribeirinhosatiramzongziaorio,praqueos peixestenhamcomidaenãodevoremseucorpo,ecompetemcombotes emformadedragão. Zongziéumquitutetradicionalchinês. http://porqueachina.wordpress.com/tag/zongzi/(Experiênciasduma brasileiraqueescolheutrabalharnaChina):Feitodearrozealgum recheio,geralmentecarneoualgodoce(feijãodoceéumaopção),enrolado comfolha debambueamarradocombarbante.Quandoviemprimeiravezpensei:É apamonhadaChina!Detalhesimportantes:Tembem maisarrozquerecheioeoarrozébemgrudadoentresi.Igualuma pamonha,masémenoreoformatoédiferente.Sobrenotado digitalizador-tradutor

11-Ácoroéumaherbáceaaromáticapereneeaquática.NafestadeRegata

deDragãoosmoradoresfazemramosdeácoroeartemísiapraespantar

osmosquitoseanimaizinhos.Realgaréummineralquenamedicina

tradicionalchinesaservecomocontravenenoeinseticidaeéusado

tambémprafazerelixir.

Realgar:sm(áraberahjalgar)(Química)Óxidodearsênio.Éusadocomo

pigmentovermelhonapinturaenapirotecnia.Arsênico

vermelho.http://www.dicio.com.br/realgar/Sobrenotadodigitalizador-

tradutor

NamadrugadadessediaBrancachamouPequenaVerdeedisse:

—PequenaVerde,telembrasquehojeéoquintodiadoquintomêslunar,

afestadeRegatadeDragão?

—Sim.Melembrobem,irmã.

—Oterceiroquartodomeio-diaseráomomentomaisterrívelpranós.

Rápido!Terefugiesnamontanhamaisprofunda.

—Etu,minhairmã,oquefarás?

—Nãotepreocupescomigo.Tenhotêmperademilanos.

PequenaVerde,depoisderefletir,disse,movendoacabeça,inquieta:

—Melhorserávirescomigo.

—Masseformosjuntasmeuespososeinquietará.—Respondeu,

aturdida.

PequenaVerdelhedeurazão.Aosedespedirdisse:

—Irmã,tenhasmuitocuidado.

Dandoumpulo,saiunajanelaconvertidanumacolunadefumaçaverde.

MalPequenaVerdeacabaradesair,XuXiãsubiuaoandar,gritando:

—PequenaVerde,tearrumesumpouco,poisiremosàmargem,pravera

RegatadeDragão.EntãoBrancadisse:

—Nãoestáemcasa.Amandeicomprarlinha.Vássozinho.Nãote

esqueçasdelevaralgunszongzicomorefrigério.

—Vejas:DesdequenosmudamosaChinquiãoestaéaprimeira

oportunidadequetemosdeveraRegatadeDragão.Venhascomigo.—

InsistiuXu,seaproximandodeBranca.

—Nãomesintobem.Melhoriressozinhoevoltarescedo.

Aoouvirisso,Xurapidamentetomouumaalmofada,apôssobreamesa,

fezestenderamãodeBrancasobreelaecomeçouaexaminaropulso,

umamunhecadepoisdaoutra.

—Nãoestásdoente.Meenganaste!

—Masnãodissequeestouenferma.Estougrávida!—Replicou,sorrindo.

Xu,aosaberqueseriapai,puloudealegria.EntãojánãoquisiràRegata

deDragãoedecidiuseficaremcasa,acompanhandoBranca.

NahoradoalmoçoPequenaVerdeaindanãoregressara.XuXiãdesceuà

cozinha,aqueceuumafileiradezongzieumajarretadevinhocumpouco

derealgaresubiuaoandarsuperior,levandozongzieajarretadelicor.

EncheuduasxícaraseofereceuumaaBranca.Oforteodorderealgarfez

Brancasesentirmuitomal.Edisse:

—Nãoseibeber.Melhorpegardoiszongzis.

—MashojeéafestadaRegatadeDragãoetodomundo,saibasounão

saibasbeber,devestomarnemquesejaumgole.

—Essevinhotemrealgaretemoqueumagrávidanãopossatomar.

—Pertençoaumafamíliadetrêsgeraçõesdefarmacêutico.Meconsideras

profanonamatéria?Masseprecisamenteoefeitodestevinhocomrealgar

éexpulsarosmaleseafastarasdoenças,tranqüilizaroespíritoe

beneficiaracriançaqueseestáformandoemtuaentranha.Énecessário,

pois,quebebas.—Disse,cumagargalhada.

Então,Branca,temendoqueXususpeitasse,confiandoemsuatêmperade

milanosedandorédeasoltaasuaaudácia,tomouumgoledevinho.Mas

malolicorchegouaoestômagofezmal.Sentiuumafortedordecabeçae

todoocorpocomeçouaparalisar.Nãopodendomanteroequilíbriocorreu

atéacama.

Xu,nãosabendooqueaconteceu,foiatrás.Abriuacortinaeviusobreo

leitoumaserpentebrancadaespessuradumatigela.Assustado,gritoue

caiufulminado.

Oroubodaervadivina

PequenaVerde,emseuesconderijonamontanhamaisprofunda,estava

muitopreocupadaquantoaBranca.QuandoviuqueoSolcruzavaozênite,

oterceiroquartodomeio-dia,voltouacasaconvertidanumacolunade

fumaçaverde.SubiuaopisoecomassombroviuXuXiãjazendomorto

juntoaoleito.Brancacontinuoudormindo.

—Irmã,televanteslogo!Oqueaconteceu?

Brancadespertou,saiudacamaevendoXumortocomeçouachorar.

12-Zongzi:Bolinhotriangulardearrozoudemilhoglutinoso,envoltoem

folhadecana

—Aculpaéminha.Porumdescuidovolteiàformaoriginaleissoassustou

tantomeuesposo,queomatou.

—Irmã,deixesdechorar.Precisamosfazeralgoproressuscitar.—

AconselhouPequenaVerde,nervosa,coçando,asmãos.

BrancapôsamãonopeitodeXu.Aindatinhaumpoucodecalor.Meditou

ummomentoedisse:

—Osremédioshumanosnãopoderãolhedevolveravida.Fiquesaqui.Irei

àmontanhaKunlun,praroubaraervadivina.

Pisoteouochãopratomarimpulso,saindonajanela,transformadanuma

nuvembranca,evoouatéamontanha.

Napenasumquartodehorachegouaocume.Kunluneraumamontanha

divinarepletadeárvoreeflorraras.Nocúspidecresciaapúrpuraerva

Ganodermalucidum,quetemopoderderessuscitarosmortos.Branca,se

inclinando,colheuumadessaservaseameteunaboca.Quandose

dispunhaavoarescutouumgrasnido.Seaproximouacegonhaguardiãda

erva.AoverqueBranca,burlandosuavigilância,roubaraaerva,estendeu

asgigantescasasaseseinclinousobreela.QuegrandeperigoBranca

corria!Quandoobicodaaveestavaapontodaalcançar,umabengala

impediu.Brancadeumeia-voltaeviuumvelhodebarbabranca.Ainda

bemqueeraodeusdopólosul.Brancarogou,soluçando:

—Velhodeus,porfavor,medêsumadaservasGanodermalucidum,pra

ressuscitarmeuesposo.

Ovelhodeussoltouacegonhae,cofiandoalongabarba,assentiucum

movimentodecabeça.

Branca,depoisdeagradecer,mordendoaervaseapressouavoltar.Jáem

casa,comaervapreparouumsucoeofezXutomar,ressuscitandona

hora.

Xu,comosolhosfixosnacaradeBranca,nãodeixavadaexaminar

minuciosamente.Ummedoterrívelofezviraracara.Desceu

precipitadamenteaescadaesemeteunasaladecontadoria.

Durantetrêsdiasnãoseatreveuasair.NanoitedoterceirodiaBrancae

PequenaVerdeforamaoquarto.

—Porquedurantetrêsdiasesuasnoitesnãofosteaoandarsuperior?,

esposomeu.

—Onegóciodenossafarmáciaandatãobemqueandoocupadoemfazer

conta.—DisseXu,tratandodedissimular.

—Mas,senhor,oquefazes?Vejasoquetensnamão.—DissePequena

Verde,sempoderconteroriso.

Xudeuumaolhadaemsuamãoeviuquetomaraumvelhocalendário.Ao

verquejánãopodiaasenganar,contouoquevira.

Branca,depoisdoescutar,franziuasobrancelhaedisse:

—Souumserhumano.Comoépossívelquemepossatransformarem

serpente?Certamentetivestevisão.

—Irmã,oqueosenhordisseéverdade.Vitambémessaserpente.

Naqueledia,voltandodacompra,escuteiogritodosenhor.Subi

apressadamenteaopisoeelejáestavamorto.Entãoviumacoisa,branca

quepareciaumaserpenteouumdragão,quedacama,voando,saiuna

janelaatéseperderdevista.

—Ó!Entãofoiassim.—DisseBranca—Épossívelqueforaumdragão.E

essedragãoseráosímbolodaprosperidadeedafortunadenossa

farmáciaedafecundidadedenossafamília.Quepenaeuestardormindo.

Queriaincensar,velarereverenciar.

Orelatoeratãoverossímil,quedesapareceuadúvidaqueangustiavao

coraçãodeXu.

AmontanhaJinxãseinundou

Atartaruga,depoisdofracassoquetevenolagodoOeste,serefugiouno

CéuOcidental.Seescondeusoboassentoemformadelotodobuda

Tatagata.DaliescutavaasexplicaçõesqueTatagatafaziadossutras.Como

passardotempoaprendeualgumascoisas.Massuanaturezanãomudou.

Umdia,aproveitandoqueTatagatadormitava,roubouseustrêstesouros:

Asopeiradeouro,ohábitoeabengaladedragãoverde,efugiuaomundo

humano.

Dandoumacambalhotasetransformounumbonzobudista,negro,grosso

erude.Pensouquecomaajudadostrêstesourosmágicosjáobtivera

muitospoderes.TomouonomedeFaHaiquequerdizermardemagia.

Vestiuohábitoe,levandoasopeiradeouronamãoeabengaladedragão

verdenoombro,começouapercorrertodososlugares.

UmdiachegouaotemploJinxã,emChinquião,ondeorioChanguiãoondula

entreasmontanhasJinxãeJiaoxã,formandoumamajestosapaisagem.

Decidiuseestabelecerali.Utilizandomagiaassassinouoabadedomosteiro

eosuplantou.

Aoverqueeramescassososperegrinosqueacorriamaomosteiro,apelou

outravezàmagiadostesouros.Propagouumaterrívelpesteafimdeque

agentefossequeimarincensoeofertar.Masdevidoaqueafarmácia

HarmoniaEternaofereciamedicamentosanti-pestemuitoefetivos,seu

diabólicoplanosefrustrou.QuandoFaHaidescobriuqueaorigemdo

fracassodesuaartimanhaestavanafarmáciaHarmoniaEterna,se

indignoutantoqueimediatamentefoiàfarmácia,praarranjarbriga.Pra

issosedisfarçoudemongeperegrinoenopescoçopendurouumpeixede

madeira.Acadatrêspassosdavaumtapanopeixedemadeirapendente

aopeito.

EassimchegouàmesmaportadafarmáciaHarmoniaEterna.Deuuma

olhadadentroeviuqueumcasalestavamuitoocupadopreparando

medicamentoanti-peste.Issoodeixoumaiscolérico.Logoaveriguou,duma

famíliavizinha,queosmedicamentoseramreceitadosporBranca.Voltouà

portadafarmáciaecomeçouaobservardetidamenteajovemvestidade

branco.Á!Éela!AserpenteBranca!,pensou,apertandofortementeos

dentes.Callado,tragandoaira,sesentouàportadafarmáciaeesperou.

QuandocaiuoSoleafarmáciasepreparavaprafecharaportaeBrancajá

foraaoandarsuperior,FaHaientroubatendonopeixedemadeira.

JuntandoasmãosanteXuXiã,disse:

—Senhor,queprósperossãoosnegóciosdetuafarmácia!Porfavor,faças algumaoferenda. XuXiãperguntouquetipodeoferendaqueria.

—Nodia15dosétimomêslunaromosteiroJinxãcelebraráacerimônia

Ulambana.Queroquequandochegaressediavásaomosteiro,pra

queimarumabarrinhadeincensoepediraBudavelartuafortuna,

longevidadeeeternatranqüilidade.

XuXiãconsiderouboaaproposta.Lhedeuumafileiradesapecae

inscreveuseunomenolivrodeoferenda.FaHai,desdeaporta,voltandoa

cabeça,recomendou:

—Senhor,nãodeixesdeir.Nodia15dosétimomêslunarteesperarei.

Osdiaspassaramrapidamente.Numabrirefechardeolhoschegouadata.

NessediaXuXiãmadrugou,vestiuumtrajelimpoedisseaBranca:

—Esposaminha,hojeomosteiroJinxãcelebraráacerimôniaUlambana.

Seriabomirmosjuntospraqueimarincenso.

—Estougrávida.Nãopossoescalaramontanha.Vássozinhoevoltesao

terminaracerimônia.

EntãoXuXiãfoisozinhoaomosteiro.MalcruzaraoumbralquandoFaHai

oconduziuaumacelaedisse:

—Quebomquevieste!Querodizeraverdade:Tuamulheréumdemônio!

—Nãoacredito.Minhaesposaéumapessoadeverdade.Comopoderiaser

umdemônio?Nãodigastolice,porfavor!—ReprochouXu,indignado.

—Édifícilreprochartuamiopia.Elateobsedou.Somenteeu,ovelho

monge,possoperceber.Tedigoqueéumaserpentebranca

metamorfoseada.

EssaspalavraslhefizeramrecordaroqueaconteceranafestadaRegata

deDragão,eficouperplexo.

—Nuncavoltesatuacasa.Metomescomomestre.Sobminhaproteção

nãopoderátecausarmaisdano.

XuXiãpensouqueBrancaotratavacomgrandeafetoelhetinhaum

profundoamor.Esefosseumaserpentebrancaseriaincapazdelhe

causardano.Maisainda:Agoraestavagrávida.Comopoderiaaabandonar

prasefazermonge?

QuandoFaHaiviuquenãoqueriasefazermonge,oencerrou,aforça,

numacela.

Enquantoisso,Branca,nacasa,esperavaXuXiã.Sepassaramum,dois,

trêsdiaseXunãovoltava.Noquartodia,nãopodendocontermaisa

impaciência,foi,comPequenaVerde,obuscarnumbote.

EstacionaramoboteaopédamontanhaJinxãeaescalaramatéomosteiro.

Naportaencontraramummongejovem.Brancaperguntou:

—Jovemmestre,sabesseumhomemchamadoXuXiãveioateumosteiro?

—Sim.Comosuamulheréumdemônio,meumestreaconselhousefazer

monge.Comonãoquisoencerrounumacela.

AoouvirissoPequenaVerdeficoutãocoléricaquecomeçouainjuriaro

jovemmongelheapontandoonarizedizendo:

—ViemosjustamentebuscarXuXiã.Digasissoateuvelhocalvoequesaia

jáprafalarconosco.

Ojovemmonge,muitoassustado,saiu.

NesseinstantechegouFaHai.AoveraBrancariufriamenteegritou:

—Á,serpente!Ésumaaudazdemônio!Comoteatrevesteapenetrarno

mundohumanoobsedandoopovo?Agoratedigo:XuXiãjámepegou

comomestre.Etemqueaprender:Omardesofrimentoéilimitado,mas

praquemsabesearrependeramargemestáaalcancedamão.Pramima

bondadeéamoralfundamental.Aindanãopodescompetircomigo.Te

dareiumaoportunidade.Tetemperesmais.Fora!Senãotearrependeres

nãomeachescruel!

EntãoBrancadescobriuqueFaHaieraatartaruga.Mas,reprimindoa

cólera,rogoucomboaspalavras:

—Porquenãocontinuastuacarreirabudistaeeuafarmacêutica?Se

vamosemdiferentescaminhosporquetemosqueandarbrigando?Háum

provérbioquediz:Antesevitarquecriarhostilidade.LibertesXuXiã!

FaHainãoquisaescutar.Levantouobengaladedragãoverdeecomeçou

alhegolpearacabeça.Brancasomenteatinouresistiràsbengaladas.

PequenaVerdeajudavaBrancamas,comoobengaladedragãoverde

pesavamaisqueamontanha,Brancaoptouseretirar.

BrancaePequenaVerdechegaramaopédamontanhaesubiramaobote.

Brancatirouumalfinetedocabelo,oagitouaoventoeeleseconverteu

numestandartedecomandobordadocomondasmarinhas.Pequena

Verdeotomounasmãoseoagitoutrêsvezessobreacabeça.Num

tessapirimacudiramossoldadoscamarõeseosgeneraiscaranguejos.Se

apoiandonumdilúvio,avançaramatéamontanhaJinxã.

Odilúviocresciasemcessar.Logoalcançouaportadomosteiro.FaHai,

assustado,despiuapressadamenteohábitoprataparcomeleaportado

mosteiro.Ohábitoirradiouumrelâmpagoeseconverteuemdique

protetordomosteiro.

Àmedidaqueodilúviocrescia,odiquetambémselevantava,masem

ritmomaisveloz.

QuandoBrancaviuquenãopodiavencerFaHai,optounovamentese

retirar.JuntoaPequenaVerdevoltouaolagodoOeste.Ealicontinuou

praticando,esperandoumaocasiãopropíciaprasevingar.

Acoroadeouro

XuXiãsenegouarasparacabeçaecontinuoupresonomosteiroJinxã.No

fimdequinzedias,aproveitandoumdescuidodassentinelas,escapou.

VoltouàfarmáciaHarmoniaEterna.NãoencontrandoBrancanem

PequenaVerde,mergulhouemprofundatristeza.TemendoqueFaHai

voltassepraobuscardecidiuabandonarChinquião.Recolheualguns

utensílios,fechouaportadafarmáciaepartiurumoaAncheu.

NaponteQuebrada,olhandoograndesalgueiroviçoso,começouapensar

emsuavidaeemBranca.Á!Quebelocasalromânticoformaram!Á!Como

FaHaipôdeosseparar?Selamentavaelágrimacorrianorosto.Gritou,

batendoopénochão:

—Ó!Ondeestás?,esposaminha.

NessemomentoBrancaePequenaVerde,quesetemperavamnofundodo

lagodoOeste,ouviramconfusamenteogritoereconheceramavozdeXu

Xiã.Sealegrarammuitoesaíramàsuperfíciedolago.Cumsopro

converteramumafolhaembotee,sentadasnele,remando,foramo

encontrar.

QuandoXuXiãlevantouorostoviu,aolonge,BrancaePequenaVerde

remandonolago.Enãopodiacrernoquevia.Duranteuminstanteas

olhoufixamenteelogogritoucomtodaforça:

—Vinde!XuXiãestáaqui!

Entãooboteseaproximoudamargem.PequenaVerdeajudouBrancaa

descerdobote.EnovamenteacasalseencontrounaponteQuebrada.A

alegriadoreencontroeaevocaçãodatristezapassadafizeramlacrimejar.

PequenaVerdepropôs:

—Massejáestaisjuntos,porquechorai?Éprecisobuscarumabrigo. OstrêssubiramaoboteeremaramatéaportadaOndaVerde.Logose instalaramnacasadairmãdeXuXiã. Diasvêmevão,enumpiscardeolhoschegouoAnoNovo.Nafestadas

Lanternas,dia15doprimeiromêsdoanolunar,Brancapariuummenino

brancoegordo.TalfoiaalegriadeXuXiãquedurantelongotemponão

pôdefecharaboca.

Prafestejarummêsdonascimentodomenino,XuXiãdeuumfestimem

casa.Ofereceucaldodetortasemi-fritaecompareceuaocumpre-mês.

Nessamanhã,enquantosuairmãePequenaVerdeseocupavamdo

preparativo,Brancasepenteounoquartointerior.Xu,aseulado,não

deixavadeacontemplar.Aoveracararosadaeocabelonegroa

encontroumaisbelaquenunca.DerepenteselembrouqueBrancatinha

delevarnosbraçosomeninopraomostraraosparentese,quedesgraça!,

todassuasjóiasseperderam.Nessemomentoseescutouopregãodum

camelô:

—Vendocoroadeouro,vendocoroadeouro

Xusaiudecasacorrendoatrásdocamelô.Lhepediuumacoroaecomeçou

aexaminar.Eraadornadacompérolaepedraspreciosasqueirradiavam

luzesmuitobelas.Acompraramevoltou,apressado,acasa.

—Esposaminha,compreipratiumacoroadeouro.Experimentes.Te

agradará.

EacoroaresplandecenteagradoumuitoaBranca.Xupôsacoroana

cabeçadeBranca.Masquemimaginariaqueacoroaquandopostana

cabeçajánãosepodiatirar?Masnãoétudo:Acoroafoiseestreitandoe

cadavezapertavamaisacabeçadeBranca,quesentiuumafortedorna

cabeça,começouaverestrela,nãopôdesemanterempéecaiu

desmaiada.

Esseinsólitoacidenteodeixouatônito.Talfoisuamortificação,quesaiu

atrásdocamelô.MasnaportaseencontroucomFaHai,quecomabengala

dedragãoverdenamão,vigiavaacasa.Claro!OvendedoreraFaHai.

DesdequeXuXiãfugiudomosteiroJinxã,FaHainãooprocuravaemtodos

oscantos.NessediachegaraaAncheu.Quando,perguntando,sesoube

queXuXiãofereceuumfestimpracomemorardummêsdonascimentodo

filho,converteuasopeiradeouronumacoroaeseencaminhouàcasade

Xupràvender.

FaHai,aoverXusairdesesperado,soubequejácaíranaarmadilha.Cum

sorrisofriodisseem,tomautoritário:

—Senhor,nãoquisesteseguirmeubomconselho.Agoraestouaquipra

deterodemônio.

Eentrounacasacomgrandespassadas.XutratoudeodetermasFaHai

soprouatéacabeçadeBrancaeacoroarecobrouaformaanterior.Então

osraiosdouradosqueasopeiraemanavacercaramBranca.Quando

PequenaVerdeselançoucontraFaHai,dispostaatravarcontraeleuma

lutamortífera,Brancagritou:

—Fujaslogo!Tensquetetemperaraindamaisprapodermevingar.

PequenaVerdecompreendeuquenãopodiaoderrotareescapou

convertidanumacolunadefumaçaverde.

EntãoXuXiãagarroufortementeFaHaieBrancagritoudedentrodos

raios:

—Cuidado,meuesposo!Tensqueprotegernossofilho.

XuXiã,neófitoemmagia,comocompetiriacontraFaHai?Abraçouo

meninoeolevantoupraquedesseumúltimoolharàmãe.

Brancachoravaeseucorpocadavezdiminuíamaisentreosraios.Poucoa

poucofoiretornandoàformaoriginaldeserpentebranca.FinalmenteFa

Haiameteudentrodasopeira.

DiantedotemploPuraPiedade,damontanhaNampingue,FaHaiconstruiu

opagodeLeifeng.Sobessepagodeenterrouasopeiraondeaserpente

brancaestavaprisioneira.FaHaiseestabeleceunotemploPuraPiedade

pràvigiar.

CaiuopagodeLeifeng

DurantemuitosanosPequenaVerdesetemperounumaprofunda

montanha.Quandoconsideroujáterahabilidadenecessáriavoltoua

AncheupraajustarcontacomFaHai.

FaHaicontinuavavigiandoopagode.PequenaVerdeoencontrouno

temploPuraPiedade.Imediatamentetravoucomeleumaterrívelbatalha

aopédamontanhaNampingue.Depoisdetrêsdiasesuasnoitesseguidos

depeleja,avitórianãosedecidia.Ofragordasarmasnãosóestremeciaas

montanhaseaterramaschegavaaocéuOcidental.Oruídodabatalha

despertouobudaTatagata.Abriuosolhosenãoencontrouseutesouro.

Foiroubado.Indignado,empésobreumaflordeloto,encimadanuvemda

fortuna,partiuprocurandoseutesouro.

QuandoobudachegouaAncheu,FaHaiestavaemplenocombate.Evitou

umgolpedeespadaelevantouabengaladedragãoverdeprabaterem

PequenaVerde.Nessemomentoobudamexeuamãoeabengalade

dragãoverdeescapoudamãodeFaHaiefoivoandoaocéu.FaHai,muito

aturdido,tirouapressadamenteohábitoprasecobrircomele.Maso

hábitotambémvoouaocéu.OpagodeLeifengdesabounomeiodum

grandeestrondo.E,emúltimo,asopeiradeourotambémvoouaocéu.

BrancasaiunaruínadopagodeLeifengeseuniuaPequenaVerdena

peleja.AverdadeeraqueFaHainãotinhamuitadestreza.Agora,semo

tesouro,comocompetiriacomBrancaePequenaVerde?Então,se

convertendonumacolunadefumaçanegra,fugiuatéocéuOcidentalpra

rogarabudaTatagataperdoarsuavida.Obuda,aoverqueFaHaitinha

umcoraçãomuitomau,comumpontapé,ofazendodarcambalhotas,o

lançouaolagodoOeste.

Brancatirouoalfinetedocabelo,oagitouaoventoeeleseconverteu

numabandeiradecomando.

PequenaVerdearecebeu.Voltouàagitarsobreacabeçatrêsvezeseo

lagosesecou.FaHaicorreuatodaparte,buscandorefúgio.Aonão

encontrar,aproveitandoumabrechanoventredumcaranguejo,semeteu

alieficouencerradoatésempre.

Antesoscaranguejosandavamadiante.Mas,desdequeFaHaientrouno

ventredumcaranguejo,começaramaandardelado.Agora,quando

alguémcomecaranguejoaindapodeveressemongenaconcha.

XingueChã

RecompiladoeredigidoporYangLinmei

NAmargemdolagodoOestehaviaumaaldeia,FlordeAbricó.Alivivia

XingueChã,umajoveminteligenteetrabalhadora.

Naidadedeseteanosjásabiapastarboinosabricozeiraisdaaldeia.Um

dia,quandoseiniciavaoverãoeosvermelhoseamarelosabricósjá

estavammaduroseexalavamfinafragrância,umabricógrande,masmuito

grande,caiudiantedeXingueChã,queorecolheuequandosedispunhaa

olevaràbocaouviuumaargentinavoz:

—Nãomemordas,menina.Medêsaliberdade!

XingueChãolhouaoredoreaninguémencontrou.Então,cheiade

assombro,viucomosuamão,comosetivessevidaprópria,seabriae

deixavacairafrutaaosolo.Oabricórodoueseconverteunumabela

garota.Nuncanomundoseviuumajovemtãobela.EraadeusadoAbricó.

Adeusatiroudocabeloumdeslumbrantealfinete,opôsnamãodamenina

edisse,sorridente:

—Meninalaboriosaedebomcoração,tedouestealfinete.Quando

estiveresemdificuldadebatasneleerepitastrêsvezesmeunome.Então

vireiprateajudar.

Ditoissoretornouàárvore,retomandoaformadefruta.

PassaramosanoseXingueChãsecasoucomononofilhodetioSongue.

Desdequesemudouàcasadafamíliadoesposo,viveucomeleem

completaharmonia.NanumerosafamíliadetioSonguetudoiamuitobem.

Sófaltavaacompreensão.Algunsqueriamiraoleste,outrosaooeste.Osa

lestegostavamdedoceeosaoestedesalgado.TioSongueerahonrado

masnãosabiagovernarosfilhos,queeramaltosefortes.Suaesposatinha

bomcarátermasnãosabiamanejarasnoras.XingueChãcomeçoua

aconselharosogrodandoidéiasrazoáveisejustasprasolucionar

problema.Eàsografaziarelembraroolvidado.Assimambos,com

freqüência,oconsultavam.

Issofezascunhadaspensaremserapreferidadossogros.Morriamde

invejaeaincomodavamcochichandoemsuascostas.

CertodiaeraavezXingueChãprepararacomida.Quandojáterminarade

cozinhar,acunhadamaiorachamoupracortarummoldedesapato.Mal

deixaraacozinha,quandoasegundacunhadaentrousorrateiramente.

Rapidamenteatiroumaislenhaaofornoesalgouoqueijodesoja.Quando

XingueChãvoltou,umforteodordearrozqueimadolheferiuasnarinas.O

arrozestavachamuscado.Levantouatampadapanelaeprovouoqueijo

desoja.Estavatãosalgadoquequeimoualíngua.Pensouumpoucoe

percebeuquetudoeraobradascunhadas.Masnãodeixouescapar

queixa.Logoverteuváriascabaçasdeáguaaoarroz,praotransformarem

sopa,eacrescentouáguaaoqueijodesoja,omisturandocomfécula,prao

transformaremcremederequeijão.

Nahoradealmoçooshomensvoltaramdocampoeascriançaspuserama

mesa.Ascunhadas,empé,umaaoladodeoutra,piscandoosolhosentre

si,esperavamveroresultadodarepulsivaação.NessemomentoXingue

Chãsaiudacozinha,levandoospratos.Sorridentedisse:

—Comofazmuitocalorprepareisopadearrozchamuscadopraaplacara

sede.Ademais,comosemprecomemosqueijodesoja,agora,pravariarum

poucodesabor,fizumcreme.

Oresultadofoiquetodososfamiliares:sogros,irmãosesobrinhos,

comeramtudocommuitoapetiteenãosecansavamdeelogiarodelicioso

sabordocremeeafragrânciadasopa.Logotodasaspanelasficaram

vazias.

Enfimascunhadas,convencidasdainteligênciadeXingueChã,dorespeito

queguardavaaossogros,doamorqueprofessavaaoesposoedotrato

igualquedavaatodos,aelegeramcabeçadefamíliapraqueossogros

tivessemmaistempopradescansar.

AindaqueXingueChãpresidiaoafazerdoméstico,nuncasedeuarde

dona-de-casa.Antesdetomardecisãoconsultavaosirmãosdoesposoeas

cunhadas.Assimconseguiuqueafainadacasaestivessebemdistribuída.

Osnoveirmãospodiamlavraraterrasemsepreocuparcomatarefado

lar.Asnovecunhadaspodiamsededicarafiar,cosereprepararcomida.O

sogroanegociarnafeira,asogracuidardosmeninoseosadolescentesse

dedicavamapastorearboierecolhererva,lenhaeesterco.Assimavida

dafamíliadetioSonguemelhoravadiaadia.Inclusivejátinhamsuficiente

dinheiroprareformaracasa.

XingueChãtratavaequitativamenteatodos.Nuncapreferiaaumou

maltratavaaoutro.Demaneiraquenessafamíliaosanciãosamavamas

criançaseascriançasrespeitavamosanciãos.Eentreosirmãoseas

cunhadasreinavaaharmonia.Inclusiveatéospequenostravessosse

converteramemmansaspombas.

PraXingueChãeraumprazerajudaraosdemais.Quandoviaalgum

vizinhocarentedearrozoulenha,logolhedava,semesperarpedir.Por

todoissoosvizinhosaqueriammuito.Cadavezquecensuravamasnoras,

semprelhesdiziam:TomesoexemplodeXingueChã.

AfamadeXingueChãsedifundiutantoquechegouaosouvidosdo

imperador,quesenegavaacrerexistirsobreaTerraumanoratão

engenhosa.Então,praprovarainteligênciadeXingueChã,mandouum

enviadoimperialcomoencargodelheentregarumcaroçodeabricóe

dizerquecomeledessedecomerporigualatodaanumerosafamília.

Aoescutaroéditoimperial,todososmembrosdafamíliadetioSongue

ficaramatônitos.MasXingueChã,muitotranqüila,recebeuocaroçode

abricódasmãosdoenviadoimperialedisse:

—Devesestarmuitocansadodaviagem.Façasofavordedescansarno

salãocentral.Depoisdeverescomocomeremosporigualestecaroçode

abricópoderáspartir.

Ditoisso,levoualgunstijolosaosalãocentraleinstalouumfogareiro,sobre

oqualcolocouumapanelacomágua.Logocomeçouacozerocaroçode

abricóatésedesmancharcompletamente.Aessasopaacrescentouaçúcar

mascavoeadistribuiuequitativamente,nãoumagotaamaisnemuma

gotaamenos,entretodososmembrosdanumerosafamíliadetioSongue.

Oenviadoimperialaelogiouagitandoacabeçaevoltouprainformarao

imperador:

—XingueChãnãosóémuitointeligentemastambémumabelezaímpar.

Aosaberdissooimperadorvoltouaordenarquediantede3000guardas

imperiaisatrouxesseaopalácio,porbemoupormal.

Esseexército,emimponentescolunas,chegouatéamargemdolagodo

OesteesitiouacasadafamíliadetioSongue.Oenviadoimperialentroue

leubemaltooéditoimperial.Asmulheresassustadaseosmeninos

banhadosemlágrimaeberrandorodearamXingueChãenquantoos

homensdiscutiamcomoenviadoimperial.Todaacasaestavaalvoroçada.

XingueChã,detendoosfamiliarescomambasmãos,disseaoenviado

imperial:

—Façasofavordemeesperarummomentoforadacasa.Mearrumareie

trocareideroupa.Logo,ireicontigoaopalácio.

XingueChãentrouaumquartointerior.Tirouoalfinetedocabelo.Obateu

contraamesaerepetiutrêsvezesonomedadeusadoAbricó.Numtriz

apareceuadeusa.Então,XingueChãdisse:

—Ó,deusadoAbricó!Estounumasituaçãomuitodifícil.Peçoqueme

ajudes.

—Claro!MudareituacasaaofundodolagodoOeste,praquetuafamília

possaláviverempaz.—Disseadeusa,depoisdaescutar.

XingueChãassentiucomacabeça.AdeusadoAbricóagitouligeiramente

suamangaeseproduziuumventomuitoforte,quelevantouanoaracasa

dafamíliadetioSongue.Tudovoouaoar:Animaldoméstico,ferramenta,

mesa,panela,cadeiraetudoomais,atéolagodoOeste.

Oforteventoatirouaochãooenviadoimperialeseusguardas.Todosos

aldeãos,muitoassustados,viramcomooventoarrancoudaraizacasade

XingueChãecomoalevouatéofundodolagodoOeste.

Quandooventoseaplacouevoltouatranqüilidadetodaopovose

aproximoudamargemdolago.Aindachegaramaverachaminé

afundandonaágua.

AssimafamíliadotioSonguesemudouaofundodolagodoOeste.

DesdequeXingueChãsemudouaofundodolago,osvizinhossentiam

muitosuafalta.Alguémquisverificarseaindacontinuavavivendo.Umfoi

àmargeme,gritandoseunome,pediuemprestadoumarado.Equem

pensariaqueimediatamenteapareceriaumaradosobreaágua?Desde

entãoquandoalgumaldeãoprecisavadealgoiaaolagoepedia

emprestadoaXingueChã.Eosviajantes,quandochegavamfatigadosà

margemdolago,pediamaXingueChãemprestarumbancopradescansar.

Eassimsepassarammuitosanos,atéquenãosesabequalavaropediu

emprestadoquatrobancos.Quandoosobteveoslevouasuacasaenunca

maisdevolveu.ÉprovávelqueessamáaçãoindignaratantoXingueChã

quedesdeentãonãovoltouaemprestar.

BuscandooSol

RecompiladoporZhouZhanglineredigidoporShenTuqi

EmtempomuitoremotoaopédamontanhaPedraPreciosahaviauma pequenaaldeiaondeviviaumjovemcasal.OespososechamavaLiuChun eamulherHuiNiang.Elearavaaterraeelatecia.Eassimpassavammuito felizesosdias.Formavamtãobelocasalquetodomundooselogiava. DepoisdecincoanosHuiNiangficougrávida. Numamadrugada,quandoalesterompiaaauroraequandoLiuChun, levandoenxada,iaaocampoeHuiNiang,preparandoatrama,começavaa tecer,soprousubitamenteumventofurioso.Grossasnuvensnegras ondularamnocéu.EoSol,recémselevantando,desapareceu. DesdeentãooSolnãovoltouaaparecer.Semsol,emtodapartedominava aescuridãoeofrio.Asárvoreseasfloresmurchavameamessenão crescia.Eumagrandevariedadedemonstrosedemôniosvieramao mundohumanopradisturbar.Comocontinuarvivendonessesdias?Todos estavammuitotristes.

AopédamontanhaPedraPreciosaviviaumanciãode180anosdeidade.

SóelesabiaondeestavaoSol.Certavezdisse:

—NofundodomardoOrienteviveoreidosmonstroscomnumerosos

demôniossobseucomando.ElestememeodeiammuitooSol.Certamente

sãoosqueroubaramoSol.

LiuChun,comotodos,viviatristenomeiodaescuridão.Umdiafoide

aldeiaaaldeiapravisitarosvizinhos.Chegouaumacasaelhedisseram:

—Ai!,LiuChun.Comopodemospassarestesdiassemsol?Morreremosde

frio!

Chegouaoutracasaelhedisseram:

—Ai!,LiuChun.Comopodemospassarestesdiassemsol?Morreremosde

fome!

Esseslamentospartiamocoração.Voltouatécasaedisseàesposa:

—HuiNiang,nestemundosemsoltodosmorreremosdefomeedefrio.

QuerobuscaroSol.

—Podesir.Nãoimpedireituapartida.Nãotepreocupescomafamília.Se

encontraresoSoltodospoderemosviverfelizes.

HuiNiangcortouumpoucodecabelodesualongacabeleiraeotrançou

comcânhamo.Comissofezumpardesandáliaproesposo.Logocoseuum

abrigoacolchoadobemgrosso.QuandoHuiNiangsedespediadoesposoà

portadacasa,brilhouumaluzdourada.EraafênixdeOuro,quechegava

voando.PousounoombrodeLiu,queperguntou,aacariciando:

—PartireiprabuscaroSol.Queresmeacompanhar?

AfênixdeOuro,girandoosolhos,aceitouoconvitecumcanto.

Liu,tomandoamãodamulher,disse:

—SenãoencontraroSolnuncavoltarei.Esemorrernomeiodocaminho metransformareinumaestrelaqueindicaráatrilhacorretaaosfuturos buscadores. DesdequeLiupartiuseguindoafênixdeOuro,HuiNiangnãodeixoudeir aocumedamontanhaPedraPreciosa,praobservarocaminho.Esperou tantoqueperdeuacontadosdias.Eocéucontinuavaescuro,semsinalde luzsolar.Umdia,documedamontanha,viuumaestrelaradianteque voavadaTerraaocéu.LogoafênixdeOurovoltouepousouaoladode seuspéscomacabeçabaixa. HuiNiangcompreendeutudoecaiuaosolodesmaiada. Quandovoltouasijáparira.Omeninocresciaaoritmovelozdovento.O primeiroventoofezfalareosegundocaminhar.Oterceirooconverteu

numaguerridohomemde6mdealtura.HuiNiang,aoocontemplarsentiu

grandealvoroço.OlevouàcasaelhepôsonomedeBaoChu.

Cadavezqueolhavaofilhoselembravadoesposoenãopodiaconter

lágrima.BaoChuperguntou:

—Mamãe,porquechoras?

EHuiNiangcontoutodoosucedido.

—Mamãe,tambémqueroirbuscaroSol.

HuiNiangnãoqueriaqueofilhoseafastassemas,aopensarquesemsol

todomundotinhadesofrerfomeefrio,aceitouapetição.

OutravezHuiNiangcortouumpoucodecabelodalongacabeleira,o

trançoucomcânhamoefezumpardesandália.Tambémcoseuumabrigo

grossobemacolchoado.MalBaoChuapareceuàportadacasaprapartir,a

fênixdeOurovoltouepousounoombro.

HuiNiang,apontandoaestrelaaBaoChu,disse:

—Meufilho,aestrelaquevêsaliéteupai.QuandofoibuscaroSol,

morreunomeiodocaminhoesetransformounessaestrela.Seseguiresa

direçãoindicadanãopoderáserrarocaminho.EstafênixdeOuro

acompanhouteupai.Andesconsigo.

BaoChuassentiucomacabeçaedisse:

—Mamãe,estoudecididoaencontraroSol,masénecessárioquenãote

aflijas.Seeudemorarpravoltarnãovertaslágrimapormim.Sechorares meucoraçãonãosuportaráeperdereitodaaforça. Osvizinhosforamaodespedir.Deramroupaealimentoeo acompanharamumbomtrecho. BaoChueafênixdeOuropartiramdesafiandoaescuridãoeofrio, seguindoadireçãodaestrela.Apósenfrentarincríveisperigos,superar

inúmerasmontanhasecruzar19precipícios,chegaramaumaaldeia.

Comooabrigoestavaesfarrapadoofrio,cadavezmaisintenso,fustigavaa

pele,osespinhosdocaminhoencheramdeferidatodoocorpo.Osaldeãos,

orodeando,perguntaram:

—Aondeirás?,rapaz. —BuscaroSol. OsaldeãossealegraramaosaberquealguémbuscariaoSol.Vendoque comesseabrigoesfarrapadoBaoChunãoresistiriaaofrio,cadaaldeão cortouumpedaçodetecidodesuaroupaecoseramoabrigodascem famílias.Quandovestiuoabrigosentiutantocalornofundodocoração, quejánãosentiumaisofrio.Então,nomeioderecomendaçõesprase cuidarmuito,osaldeãossedespediram. Andavatenazmente.Cruzoumuitosrioseatravessouinúmeraspraias.Um diaencontrouumriotãograndequedumamargemnãosepodiavera outraequemesmoumaáguiaseriaincapazdecruzar 13 .Acorrente turbulentalevavarochasdotamanhodumacasa.Apesardissonãovacilou emseatiraràágua.Asondasoaçoitavameosredemoinhosolevavamao lesteoraaooeste,masseguiunadandotenazmente.Quandojáestava alcançandoaoutramargemumventoglacialcongeloutodaaáguadorio. BaoChutambémsecongeloueafênixdeOuromorreudefrio.Mascomo puseraoabrigodascemfamíliasofrionãolhefezmal.Lentamenteocalor docorpocomeçouadegelaroarredor.AbraçouàfênixdeOurocontraseu peitopràaquecer.Comumpotentesocoquebrouogelo,queseestilhaçou elogo,saltandosobreosblocosdegelo,alcançouamargemenquantoa fênixdeOuroressuscitava. Chegouatéoutraaldeia.Todosorodearamesealegraramaosaberque buscariaoSol.Quandosouberamqueemseucaminhovencerainúmeros perigos,demonstraramsumorespeito.

13-OAmazonas.Notadodigitalizador-tradutor

Umanciãodebarbabrancadisse:

—DesdequeoSoldesapareceu,osdiasjánãosãodiasevamosdemala pior.Realmente,nãotemosoquetedar.Apenascadaumqueremosdar umpunhadodeterrasobreaqualnossosantepassadosenóssuamos.Esta terrateserámuitoútil. Oanciãodebarbabrancaabriuumsacoeosaldeãos,umaum,puseram umpunhadodeterra. BaoChu,carregandoosacodeterra,prosseguiuatéoleste,seguindoa

direçãodaestrela.Depoisdesubirebaixar99montanhasedecruzar99

rioschegouaumaencruzilhada.Nãosabiaqualcaminhotomar.

Justamentenessemomentodevacilaçãoapareceuumaanciã,que

perguntou:

—Aondeirás?,rapaz.

—BuscaroSol.

—OcaminhoqueconduzaoSoléinacessível.Teaconselhodesistirda

empresaevoltaratuacasaoquantoantes.

—Nãomeimportaqueocaminhosejalongoedifícil.Tenhoqueencontrar

oSol.Senãooencontrarnuncavoltareiaminhacasa.

Aoescutarisso,aanciãindicouocaminhodadireitaedisse:

—NessecaminhopoderásencontraroSol.Nãomuitolongeháumaaldeia

ondepodesdescansarumpouco.

NessemomentoafênixdeOurosaltousobreaanciã,aaçoitandocomas

asas,sacudindocomaspatasebicandoosolhos.BaoChu,não

compreendendoaatitudedafênixdeOuro,seapressouemaafugentar.

Depoisdeagradeceràanciã,tomouocaminhoindicado.

Quandosedispunhaaempreenderamarcha,afênixdeOuro,se

adiantando,oimpediudeavançar.Entãoaafugentououtravezecomeçou

acaminharagrandespassadas.Amedidaqueavançava,ocaminhoficava

maisamploeplano.Oventoseaplacou.Aareia,omatagalespinhosoeos

precipíciosdesapareceram.Achoutudoissomuitoestranho.Depoisde

avançarumpoucoentrouaumaaldeiadegrandescasas.Oshomenseram

gordosedegrandesorelhaseasmulheresbelaseelegantes.Aosaberque

buscariaoSolosaldeãossesurpreenderammuito.Rindoepulando,o

rodearam.Levantandoodedomaiordamãooelogiavamcomoheróicoe

valente.Logoumafamíliaofereceuvinho,eoutramanjarfinos.Oshomens

otomavamnobraçoeasmulherescompetiamemoferecercomida.Essa

calorosaacolhidaodeixoumuitodesconfiado.Pensou:

—Comopodeaquiopovovivertãobemsedurantetodaaviagemsóvi

nasaldeiaspobres-diabosfamintosemortosdefrio?

EnquantoBaoChumergulhavanessareflexãoafênixdeOurodeixoucair

umasandáliaemsuataça.Aotocarovinhoasandáliaseincendiou.Mas

conseguiraverasandália.Eraigualaquecalçava,feitacomcabeloe

cânhamo.Nãohaviadúvida.Eraasandáliadeseupai.Atirouataçaao

chãoegritou.Numinstanteaaldeiadesapareceu.Sóviuinúmeros

monstrosedemôniosfugindoemdebandada.

Depoisdeassustarosdemôniosemonstros,voltouàencruzilhadaetomou

atrilhadaesquerda.

Osmonstrosedemônios,aoverquenãoopodiammatar,voltaramase

transformaremaltasmontanhaselargosrios,afimdebarrarapassagem.

MasBaoChucruzoumontanhaserios.Entãoosdemônioseosmonstros

tentaramoaniquilarcomfrioealdeiasfictícias.Outrofracasso.Anteisso,

seapoiandonoventoenasnuvens,foramaopédamontanhaPedra

PreciosapraenganarHuiNiang.UnsdisseramqueBaoChucaiunum

precipícioeoutrosquemorreuafogadonumrio.Usarammil-e-umaformas

pràentristecerefazerverterlágrima.MasHuiNiangsenegouaosescutar

ereprimiuatristezapranãodeixarcairlágrima.

DesdequeBaoChupartiu,HuiNiangesperava,ansiosa,oretorno. DiariamenteiacomosaldeãosaocumedamontanhaPedraPreciosa,pra observar.Acadadialevavaumapedraeacolocavasobospéspraver maislonge.Eassimesperoutantosdias,meseseanos,quejáperderaa conta.Aspedrasformaramumaaltaplataformaeocéucontinuavaescuro. EnquantoissoBaoChu,semdesanimar,prosseguia.Escalouinúmeras montanhasecruzouumainfinidadederios.Umdiachegouauma montanhatãoaltaquequasetocavaocéu 14 .Quandoaescalavaescutou umruídodeonda.ChegaraaomardoOriente.BaoChuseaproximoudo mar.MascomovenceresseimensomarpracontinuarprocurandooSol? Empé,napraia,quebravaacabeçapensando.Logoselembroudosacode terraqueganhounasegundaaldeiaquecruzou.Desamarrouosaco, pegouumpunhadodeterraeolançouaomar.Soprouumventoforteeno marapareceramnumerosasilhasgrandesepequenas.Jubiloso,seatirouà águaefoinadandodumailhaaoutraatéalcançarocentrodomar.Ali,no fundodomar,encontrouumacaverna.AliestavapresooSol. Quandochegouàbocadacaverna,oreidosmonstros,diantedeseus numerososdemônios,grandesepequenos,estavaprontopraoenfrentar. Esetravouumapelejamortífera.Osdoisadversárioscombatiamdofundo àsuperfícieedalidesciamaofundopralogosubirlevantandograndes ondas. Poucoapoucooreidosmonstrosfoiperdendoabatalha.Entãoafênixde Ouro,aproveitandoummomentopropício,bicouumolhodoreidos monstros,odeixandotorto.Oreidosmonstrosgritoudedor.Afênixde Ouro,semlhedartempo,arrancouooutroolho.Saltandocego,oreidos monstrossechocoucontraumarochaemorreu.Logoquefeneceu,os grandesepequenosdemôniosfugiramempolvorosa. BaoChu,semdescansar,começouaremoverarochaquetapavaaentrada dacaverna.QuandoencontrouoSololevantouatéasuperfíciedomar. Masgastaratantaforçanoesforço,quemaltiroumeiosoldasuperfícieeo jovemficousubmersonomar.EntãoafênixdeOurocarregouoSolnas costas.QuandooSolsaiudomar,seelevouaocéu. NessediaHuiNiangeosaldeãosestavam,comosempre,observandono cumedamontanhaPedraPreciosa.Osdemônioscontinuavamos incomodando.Entãonolestesurgirammilluzesdouradas:Aaurora ressurgiu.QuandooSolselevantouseouviuocantodafênixdeOuroque,

dançandosobreacumedamontanha,foiadaraboa-nova.HuiNiangeos

aldeãosgritavamalegremente:

—Ó!OSolselevantou! Osgritosfaziamtremeraterraeasmontanhas.Osdemônios,assustados pelosgritosepelaluzsolar,fugiramemdebandada.Logoseconverteram emgrandesepequenasrochas.Atéagorapodemservistas,dispersasna montanha. DesdeentãooSoldiariamentesainolesteesepõenooeste.Eopovo voltouaterdiasfelizes. AntesdesairoSol,sevêumaestrelabrilhantealeste.ÉLiuChun convertidonaestreladaManhã 15 .EquandosaioSolresplandecem milharesdeluzesdouradas.ÉafênixdeOuroqueestáajudandooSolase levantar. MasovalenteBaoChununcavoltou.

14-OHimalaia.Notadodigitalizador-tradutor

15-Desdeaantiguidade,queàprimeiraestrelaabrilharnoanoitecerena

alvorada,sechamoupopularmenteestrelaVésper,estrela Vespertina,estrelaMatutina,estreladoPastorouestrelaDalva.Porestar entreaTerraeoSol,VênusapresentafasestalqualaLua. EssasfasesforamobservadasprimeiroporGalileueutilizadasporele comoindíciodequeosplanetasgiravamemvoltadoSol.É, namaiorpartedotempo,depoisdaLua,ocorpocelestemaisbrilhanteno céunoanoiteceroupoucoantesdeanoitecer.Ofatode Vênussóaparecernessasalturastemavercomofatodeestarentrea TerraeoSol.Sendooobjetomaisbrilhantenocéu,depoisdo

SoledaLua,Vênusé13vezesmaisbrilhantequeSírio,aestrelamais

brilhante.NoafélioVênusestáacercade46ºdoSol.

Durante11meses,chamadaentãoestrelaVespertinaouestreladaTarde,

sepõedepoisdoSol,nomáximocercade3hdepois,enos

próximos11mesesnasceantesdele,nomáximocercade3hantes,como

estrelaMatutinaouestrelaDalva.

encobertodurantemilênios,omaisrecentedilúviouniversalcausadopela

quedadumplanetóide,ometeoroda

Carolina.Alegoriatambémdumeventomaisrecente,achegadadeVênus,

desconhecidonaantigüidade.Ver,deVelikovsky,

Mundosemcolisão.Notadodigitalizador-tradutor

Pracomemorarafaçanha,nocumedamontanhaPedraPreciosase

construiuumformosopagode.NolugarondeafênixdeOurodançou,um

quiosquehexagonal.EstaéahistóriadopagodeBaoChuedoquiosqueda

chegadadafênixdeOuro.AplataformaondeHuiNiangeosaldeãos

contemplaramoSolsechamaplataformadoSolTemporãoporquedalise

podevermaiscedoasaídadoSol.

OdiquedesenhorBai

RecompiladoeredigidoporXiaoFan

CertavezAncheufoiaçoitadaporumaforteseca.Asterrasracharame

asmessesmurcharam.Muitoscamponesesforamobrigadosaacorrer

diariamenteàprefeitura,prapedirlicençapradrenarolagodoOeste.Mas

osfuncionários,entreguesàboa-vidaepreocupadossóemprocurar

prazer,faziamouvidosmoucosatalpedido.

Umdiamuitoscamponesessereuniramprasuplicarnaportada

prefeitura.

—Senhorprefeito,permitasutilizaraáguadolagodoOesteprasalvar

nossoscultivos.Nãopodemoscontinuarvivendoassim.

Insistiramtantoqueoprefeito,muitoincomodado,saiuedisse:

—Porquevociferaiaqui?Sedrenandoaáguadolago,comocontinuarão

vivendoospeixeseodragão?

—Entãocabeumapergunta,senhorprefeito:Oqueimportamais:Avida

dospeixesedodragãoouavidadoscamponeses?

—MassedrenaraáguadolagodoOeste,comopoderãocresceroslotose

ascastanhasaquáticas?

—Entãocabeoutrapergunta,senhorprefeito:Oqueimportamais:Os

lotoseascastanhasaquáticasouoscereais?

Oprefeitonãosouberesponder.

Nessemomentodentreamultidãosaiuumavozmuitoforte:

—Muitobem!Boasperguntas!

Todosviraramacabeçaeviramquemgritou.Umhomemdecercade50

anosdeidade.Vestiaumalongatúnicaverde.Nacabeçalevavaumchapéu

deletradoenorostoluziaumsorriso.

Indignado,oprefeitogritou:

—Oquedisseste?Emminhapresençateatrevesaincitar

—Perdão.Acabeidechegar.Creioque,seésumfuncionário,tua

obrigaçãoéescutaravozdopovo.

Oprefeito,aoouviressaspalavras,franziuassobrancelhaseficou

pensativo.

—Quemés?

—MeusobrenomeéBai.SouBaiJuyi.

Aooescutar,oprefeitoseapressouadesceraescadariae,fazendo

excessivareverência,disse:

—Ai!Nãopenseique,senhorBai,viessestãorápido.Perdãopornãote

daramerecidaboa-vinda.Façasofavordeentraradescansar.

BaieraomagistradodeAncheurecémnomeado.Praconhecer

diretamenteavidadopovo,chegaraàprefeiturasemtrajedecerimônia.

Bai,empossedocargo,ordenoudrenaraáguadolagodoOeste.Quando

oscamponesesviramcorreráguaemsuasterrascultivadas,disseram,

alegres:

—Quebom!BaiJuyinostrouxeasalvação.

Baisemprevisitavaasfamíliascamponesas.Noanoseguintedecidiu

construir,foradaportaQuiantão,umdiqueeumacomportadepedrapra

teráguaarmazenadaemcasodeemergência.Temerosodequeos

funcionáriosqueosucedessemnãoentendessemaimportânciadaobra

hidráulica,redigiuoRegistrodaconstruçãodacomportadoaçude

Quiantão.Nessedocumentoexplicavadetalhadamenteafunção,ousoeo

cuidadodacomporta.Entãoordenouaosetordedocumentaçãogravar

umaestela,queseerigiupratalefeitonamargemdolago.

Nainauguraçãooscamponesesseacotovelavampraleraestela.A

dedicaçãodeBaiaopovoeominuciosoprojetoquefezdaobra

emocionaramatodos.Então,coisavai,coisavem,propuseraminformar

suafaçanhaàcortepraopremiar.Baicompôsumpoema:

Demasiadosimpostoscriaramnumerosasfamíliaspobres

camponesesfamintoseterrasressecadas

Somentelhesdeixouumlagocheiodeágua

praenfrentarosanosdecalamidade

DuranteostrêsanosdeseugovernoolagodoOestefoicuidadosamente

administrado.QuandoBairemavanolago,contemplandoapaisagem,

descobriuquenamargemsulhaviaumgrupodegenterealizandotarefa

deaterro,visandoconstruir.Imediatamentemandouumlugar-tenente

averiguarquemordenoutalcoisa.Quandoseinteirouqueosogrodovice-

prefeitoeraquemconstruíraaliumjardim,omandouchamaredisse:

—Olagoédepropriedadedetodos.Comoteatrevesateapoderardele? Tensquedragardolago100mu 16 delado.Docontrárioseráscastigado.

Osogrodovice-prefeito,conhecendoqueomagistradoeraumhomemque

cumpriaoquedizia,nãoteveopçãoalémdecontratarmuitospeõespra

cumpriraordem.

Outravez,quandoBaivoltavadotemploLinyin,viuumhomemquelevava

nascostasduasárvoresrecémcortadas.Odetendo,disse:

—Secortartodasasárvoresdamontanhaolagoseráassoreado.

Comocastigoomandouplantardezárvores.Assimninguémseatreveriaa

cometertalfaçanha.

BaiJuyinãoamavasóopovodeAncheu.AmavatambémolagodoOeste.

NotempolivrelheapraziapassearnoarredordodiqueAreiaBrancaeda

colinaSolitária.Alevebrumasobreolagoeosuavemovimentodosgalhos

dossalgueiroslheinspirarambelaspoesias.Comsuaplumadescreviaa

singularbelezadolagodoOeste.Certavez,algoébrio,voltandodotemplo

daColinaSolitária,aopassarnodiqueimprovisouopoemaViagem

primaveralnolagoQuiantão.

OtemplodaColinaSolitáriaestáanorteeoquiosqueJiaaoeste

Asnuvenstocamaserenasuperfíciedolago

Váriospapa-figosprocurampousar

noscálidosgalhosensolaradosdasárvores

ealgumasandorinhasconstruemseusnovosninhos

Floresmulticormaravilhamopovo

eosbrotosdaservasmalocultamoscascosdocavalo

Masprefiroiraolestedolago

porqueali,ocultoentreossalgueiros

estáodiqueAreiaBranca

Quandoterminoudecomporopoemaseencontroucomumaanciãque

tambémcontemplavaapaisagem.Disse:

—Querorecitarumpoemaqueacabeidecompor.

Elherecitouopoema.Aanciãouviuecomentou:

—Quelindo!MasnãoésoúnicoqueprefereodiqueAreiaBranca,

tambémtodososancheuneses.Vejas:Proponhomudarumverso.Emvez

dedizer:Prefiro,digas:Oquetodospreferemé.Assimopoemanãosó

expressaráteusentimentopessoalmastambémosentimentodetodos.

—Muitobemditoecorrigido!,vovó.Muitoobrigado.

QuandoaanciãsoubequecorrigiraumpoemadeBaiJuyi,nãosecabiade

contente.Diziaatodososqueencontrava:

—CorrigiumpoemadeBaiJuyi.Mesmoquenãoacreditem,meagradeceu muito. Esseeventosedifundiuemtodaacidade. Nostrêsanosdeseugoverno,BaiJuyimobilizouoshabitantesdeAncheu praconstruirobrashidráulicasedominarolagodoOeste.Aáguadolago serviupracultivarumagrandesuperfíciedeterra.Eosancheuneses ficaramcadavezmaisprósperos.Quandooimperadorsoubedasfaçanhas deBaiJuyi,otransferiuàcapital. AnotíciadequeBaiJuyiabandonariaAncheuentristeceuatodos.Nodia dapartidalevaramàmargemdolagodoOestevinho,manjaretorta. Depoisdoesperarmuitashorasapareceusemgongo,guarda-de-honra, cortejonemequipagem.VinhadacolinaTianzhoumontadonumcavalo branco.Atrássomenteiaumalguazil 17 carregandoduaspedrasda montanha. Oscamponeses,chorando,nãoodeixavampartir.Essasinceraatitudedo povocomoveutantoaBai,quecompôsumpoema:

Trêsanosfuimagistradoeleveividasimples

somentecolhiduaspedrasdamontanhaTianzhou

aindaquevalhammilpeçasdeouro

continuosendohonradoesimples

OpovooacompanhouatéoembarcadourodoGrandeCanal.

DuranteaviagemBaipermaneceusó,caladoetriste,sentadonaproa.Um

lugartenente,aoverqueduranteodianãotomaravinhonemcompusera

poema,perguntou:

—Senhor,durantetrêsanosfostemagistradodeAncheu.Mas,apesarde

contentecomocargonãodeixavasdeserumfuncionáriolocal.Agorairás

àcapitaleissoépraalegrarqualquerum.Maspassasteodiamuitotriste.

Nãoentendo.

—Nãosabesqueestoudoente?

—Nãoparece.Comesedormesbem.Oqueteacometeu?

—Estoudoentedenostalgia.SintosaudadedamontanhadoSul,da

montanhadoNorteedolagodoOeste.

—Nãomefaçasrir.Queestranhadoença!

BaiJuyitambémriuedisse:

—Nãoébrincadeira.Dizemquehápessoasquetêmamaniadapaisagem.

Masexistetambémanostalgiadapaisagem.Quandosintosaudadeda

belezadolagodoOesteficomuitonostálgico.

ObarcojáchegavaàfronteiradaprovínciaetinhadevoltaraAncheu.Bai

escreveuumpoemaeoentregouaobarqueiro,comoencargodepregar

numadasparedesdoquiosquedaponteQuebrada.

Desdequepartinãotenhovontadedebebernemcomporpoema.

Encarregueiobarqueirodelevarmeusentimentoeocomunicaraovento

eaoluardolagodoOeste.

EopovodeAncheutambémsentiasaudade.Muitospregaramseuretrato

ereproduçõesdeseuspoemasnasparedesdecasa.

OdiquequeBaiJuyiconstruiujáseafundounolago.Masopovo,pra

comemoraressepoetaconstrutorquetantoamouopovodeAncheu,

chamadiquedeSenhorBaiodiqueAreiaBranca,queligaaponte

QuebradaàcolinaSolitáriaequeentãocomeçouasechamardique

Branco.

17-Alguazil,aguazil:arcaísmoOficialdejustiça.Notadodigitalizador-

tradutor

AcolinaVoadora

RecompiladoeredigidoporYuXiaoge

Nolongínquopassadohaviaumacolina,namontanhaEmei,deSichuã,

quepodiavoaraonorteoraaosul.Eondetomavaterraesmagavamuitos

casebres,deixandonumerososmortoseferidos.

Então,noTemploLinguim,pertodolagodoOeste,viviaummonge

chamadoJidiã,quegostavadecorrerdumladoaoutrocumlequedefolha

depalmeiranamão,deixandonomaiscompletoolvidoostabuse

restriçõesdobudismo.Seubom-humorofaziasimpáticoaopovo.

Umdiaomongedespertoucumapremonição:Essacolina,cadavezmais

estranha,nomeio-diavoaráepousaránaaldeiasituadadiantedotemplo

Linguim.Altamadrugada,Jidiã,inquietocomsuaprofecia,selevantoue

entroucorrendonaaldeia,avisandocasaacasa,gritandoportaaporta:

—Hoje,meio-dia,acolinacairásobreaaldeia.Imediatamentemudaia

outrolugar.Senãoacatástrofeseráterrível.

Osanciãos,movendoacabeça,disseram:

—Á,mongemaluco!Comotedivertesconosco!Todomundosabequea

colinaépesadíssima.Ondeseviuumacolinavoar?

Ascriadaslhediziam:

—Nós,ospobres,aondeiremos?Seéverdadequeacolinacairáenos

esmagará,serácoisadodestino.

Osjovens,incrédulosanteanotícia,lhereprochavam:

—Queresnosassustarcomessascoisasabsurdas?Muitobem.Poissea colinacairasustentaremoscomosombros.Nãotemosmedo! Ascriançasseguiambuliçosamenteomonge,gritandoedebochando. OmongeJidiã,saindodumacasaeentrandonoutra,visitouascemfamílias daaldeia.Tantofalouqueficoucomalínguaseca.Masquepena!Ninguém quiscrerenenhumafamíliaarrumouascoisasprasemudar. SaiuoSoleamanhãpassavavelozcomoumaflecha.Omonge,urgidopela situação,davavoltasemaisvoltas.Nessemomentoseescutouuma suona 18 .Omonge,seguindoosom,chegouatéumacasaondesecelebrava umaboda.Tudoalieraalegriaefesta.Umaidéiailuminouamentedo monge.Abrindoalacomasmãosentrouatéasala.Quisesseounão,pegou anoivae,alevandonascostas,correuàperiferiadaaldeia.Anoiva

pensou:

—Oqueaconteceu?

Olençovermelhoquecobriasuacabeçaaimpediaveroqueacontecia.E

começouagritarechoraraplenospulmões.

Oraptodanoivairritoumuitoosaldeãos.Compau,barradeferroe

enxadanasmãos,todoscorriamatrásdomongegritando:

—Odetende!Ocapturai! —Quenãofuja!Barraiseucaminho! Osgritosmobilizaramtodososhabitantesdaaldeia.Amigosenãoamigos, parentesenãoparentes,tantocriançasquantovelhos,jovensegarotas, começaramaperseguiromonge.Sóumficouemcasa:Oterratenente 19 , quedoumbraldesuacasa,comentava,jocoso,arrebentandoderiso:

—Quegraça!Umbudavivoraptandoumanoiva.Nuncavitalcoisa.

Hahahahá!

18-Suona:Instrumentomusicalchinêsdeventoparecidocomotrompete

19-Terratenente:smfProprietáriodeterra.Pessoainfluenteem

determinadaregião.http://www.dicio.com.br/terratenente/Notado

digitalizador

EomongeJidiãcomanoivanascostascorriadesaforadamente,tãoveloz quedepoisde10li 20 docaminhoosaldeãosnãooalcançaram.Quandoo Soljáestavanozêniteomongeparou.Colocouanoivanochãoesesentou aolado,sacudindoolequedefolhadepalmeira.Chegouamultidão. Quandotodosjálevantavamopunho,paueenxadaprabaterneleocéuse escureceutantoqueeraimpossívelveraprópriamão.Seformouuma ventaniaeumruídotãoterrívelquederruboutodos.Logopassoua ventaniaeoSolvoltouabrilharnocéu.Quandoosaldeãosolharamem direçãoàaldeia,acolinarepousavasobresuascasas.Nessemomento compreenderamomotivodoraptodanoiva.Commuitocarinho agradeceramaomongeJidiãasalvaçãodesuasvidas. Acolinaesmagouaaldeiaeopovonãotinhaondeseabrigar.Alguns choravampisoteandoochãoebatendonopeito.Vendoodesesperodos aldeãosomongedisse:

—Porquechorai?Acasonãosabeiqueoterratenentemorreuesmagado

pelacolina?Doravanteaterraserávossa.Nãosoiscapazesdelevantar

vossasnovascasas?

Entãoaalegriavoltouaorostodosaldeãos.Quandocomeçavamase

dispersar,omongeosreteve.

—Esperaiummomento.Escutai.Seacolinapôdevoaratéaqui,podede

novovoaraoutrolugarecausarnovasperdas.Tenhoumaidéiapràreter:

Esculpirnela500budasdepedra.Quetal?

—Bravo! Foiarespostaunânime.Enumminutoopessoalcomeçouatrabalhar.Uns esculpiamcommartelo,outrosfuravam,e,ding,ding,ding,ding,ding,ding,

eraosomdomartelocontraapedra.Numanoitecumpriramatarefa:500

budasenchiamacolina.Masporfaltadetemponãofizeramolhonem

sobrancelha.Omongedisse:

—Terminareidetalhar.Tenhomeumétodo.Nãonecessitoformãonem

martelo.Mebastamasunhas.

Desdeentãoacolinaficoualidefinitivamenteeopovocomeçouàchamar

Feilaifeng:AcolinaVoadora.

20-1li=500m.Notadodigitalizador-tradutor

Huyuandong

(cavernadiantedaqualsechamouomico)

RecompiladoeredigidoporSongGuangfu

Nasvésperasde5deabril,diadosdefuntos,chamadoodiada

Claridade,nolagodoOesteotempoéomaisagradáveldetodooano.Os salgueirosverdejam,asfloresdepessegueiroadquiremcorvermelhovivo eemtodaparteamultidãodespertadealegria.DiantedotemploLinguim reinaaanimação. Certavezogovernadordaprovíncianãoquisperderaoportunidadede darumpasseionessedia.Suacomitiva,batendogongopraabrircaminho, chegouaotemplo.Ficouatônitodianteduminsólitoespetáculo:Aopéda colinaVoadoraumaabigarrada 21 multidão,emcírculo,contemplavaalgo. Mandouseusalguazisapartaremopovo,praseaproximar.Eoqueviu? Umvelhomongejogavaweigi 22 cummico.Ogovernadortambémera aficionadoaessejogo.Seusáulicosoadulavamdizendoquesoboscéus nãohaviajogadortãogrande.Otabuleirolheprovocouumformigamento nasmãosansiosasprajogar.Cumcerteiropontapéexpulsouomicoe ocupouseulugar.Logoordenouaomongeterminarapartidapra demonstraratodossuahabilidade. Omonge,sabendoqueosmandarinsgostamdeempinaronarizequesão muitozelososdeseuprestígio,decidiuperderdeliberadamenteapartida. Entãoogovernador,rindocomamandíbulatiritando,debochoudomonge, quepensouecomeçouasorrir:

—Éocúmulo!Estegovernadornãotemsanguenacara.Apesarde

protegerseuprestígiodebochademim.Agora,verás.Nãoescaparásde

minhasmãos.

—Estáslouco?Porquesorrisseacabasdeperderumapartida?

—Meusenhor,acasonãosabesqueentreosfortesaindaexistemosmais

fortes?Aindatenhomestre.

—Ondeestá?Seatreveriaajogarcomigo?Ochames!

—Aliestá.—Respondeu,indicandoacolinacomamão.

Ogovernadorlançouumolharaoaltoeviuomicodourado,aquem

expulsaracumpontapé,balançandoentreasárvores.Emseguidadisseao

monge:

—Pufa!Maséomico?Ochames.Jogareiconsigo.

Omonge,cumtoquedepalma,chamouomico,que,cumsalto,chegoua

seuladoeolhouogovernadorcomvivosolhos.Cumgestoomonge

mandouocuparseulugar.Ecomeçouapartida.Ogovernadornãoerarival

promicoefoiperdendoumapeçaapósoutra.Morrendodevergonha

olhouaoredor,etodososcuriososcontinhamoriso,mordendooslábios.

—Mico-diabo,estapartidanãovale!Outravez!Sim!Outravez!

Perdeutambémasegundapartida.Gotasdesuorcorriamnorostodo

governador.Orostopassavadopálidoaorosadoedorosadoaopálido.

Nessemomentoosorrisocontidodoscuriososestourouemsonora

gargalhada.

Ogovernador,comacaranochãodevergonha,chegouaolimitedacólera.

Rápidoselevantouederrubouotabuleiro.Ecomeçouagritarcomoum

energúmeno:

—Detendeessabesta!Rápido!Paunela!

Àprimeirachamadaacudiramtodososalguazis,praagarraromico.

Noinstantemaiscríticoomongegritouaomico,batendonacabeçadele

comapalmadamão:

—Fujas!

21-Abigarrado:Dediferentescores,formandodesenhosirregulares.

EnciclopédiaDeltaLarousse.Notadodigitalizador-tradutor

22-Weigi,antigojogochinês,noqualsetentarodearnotabuleiroaspeças

doadversário

Omico,uivando,correuatéacolinaVoadora.

Osalguazisoperseguiramatélámascomoomicosaltavadumaárvorea

outra,nãoopuderamcapturar.Ogovernador,tremendodeira,ordenou

gritando:

—QueimaiaColinaVoadora!

Quandoseacenderamastochasomicosaltoudumaárvoreesemeteu,

uivando,numacaverna.Osalguazistambémentraramnela.Eramuito

escura.Pormaisqueoprocurassemnãooencontraram.Omico

desaparecerasemdeixarvestígio.Ogovernadornãoseconvenciadesse

estranhocasoetambémentrounacaverna.Acreditouveromicogrudado

numadasparedesdepedra.Furioso,selançousobreelecomtanta

energiaqueespatifounarizcontraarocha.Então,acontragosto,desistiu

datarefa.Comacaramanchadadesanguetevequevoltaratécasa.

Desdequeomicoentrounacaverna,somenteapareciaquandoomongeo

chamavacomumapalmada.Masdesdeamortedomongenuncamaisfoi

visto.

Apartirdestahistóriaopovocomeçouachamaressacavernade

Huyuandong:Cavernadiantedaqualsechamouomico.

AcumedoloureirodaLua

RecompiladoeredigidoporGuoRong

Certavez,duranteodomíniodoimperadorXuanzong,conhecidotambém

comoMinghuang,dadinastiaTangue(ano712),nafestadoMeio-Outono,a

Lua,redondaebrilhante,iluminava,noaltodocéu,todaaTerra.

Nameia-noiteomonge-cozinheiroDeMingue,dotemploLinguim,se

levantoupraprepararasopa,eescutou:

—Toc,toc,toc,toc!

—Dondevemesseruído?—Pensou,sumamenteespantado.Nãopodia

serchuva,poisaLuaresplandecianocéu.

Saiudeseuquartoeolhouatodaparte.Sobreocumedamontanha,perto

dondeficaotemplo,caíamdaLuaalgumasbolinhasparecendopérola.

Quandopararamdecairsubiuaocumeerecolheuumaauma.

—Ó,quebelasperolinhas!

Eramdediversascoresedotamanhodasoja.Dameia-noiteàmadrugada

encheuumacestadessasperolinhas,aslevouaseumestreZhiyie

perguntouoqueeram.

—NopaláciodaLuaháumgigantescoloureiroeumrobustohomem

chamadoWuGang,queomachadeiatodoano.Mas,apesardetodasua

força,nãopodeoderrubar.Avezesastremendassacudidasquelhedá

WuGangfazemcairosfrutossobreaterra.Certamenteessasperolinhas

vêmdaLua.

Escutouatentamenteomestreepropôs:

—Mestre,semeemosestasperolinhaspraqueopovodaterraconheça essetipodeloureirodopaláciodaLuaesedeleitecomseuagradável aroma. Eassimfizeram.Depoisdedezdiasassementesbrotaram.Emummêsos arbustoscresciamcomfolhinhasverdesultrapassando1chi 23 .Noano seguinte,quandochegouafestadoMeio-Outono,osloureirosjáeram árvoresfrondosascomfloresdediversascores.MestreZhiyieseu discípuloDeMingueosdenominaramloureiro-ouro,loureiroprata, loureiro-vermelho,deacordocomacor.Desdeentãonoarredordolagodo Oesteseplantaramloureirosdediversascores. Agora,aoladodotemploLinguimficaocumedoloureiroque,segundoa

lenda,foiolugarondecaíram,emtempolongínquo,essesmaravilhosos

frutosdoloureirodaLua.

23-1chi(emcantonêschek,emportuguêscôvado)=0,371475m.Notado

digitalizador-tradutor

AmontanhadaFênix

RecompiladoeredigidoporSongGuangfu

Numaeramuitoremota,aopédummonteaosuldolagodoOeste,o jovemChunshengviviacomsuairmãQiugu.Aomorreremseuspaissó receberamdeherançaumachoçae3mu 24 deterraalugada.Apesarde trabalharessaparcelacomsuoresangue,tinhamapenasosuficientepra sobreviver.Quandonooutonocolhiamumamisériadecereal,vinha pontualmenteosenhoriocobraroaluguel.Eassimacadaanosomente restavamalgunspunhadosdegrãoprapassarosdias.Seuúnicoalimento erasopadearroz. NavésperadeAnoNovohouveumaforteventania.Nessanoitenacasa dosricossealistavatodogênerodesaborosospratosdegalinha,pato, pescadoecarne.MasnacasadeChunshengsomentehaviaumaxícarade arroz.Qiugupreparouacostumeirasopadearrozedisse:

—Tomes,irmão.Nãotenhofome.

—Não.Melhortu.

—Éverdade.Nãotenhofome.Tomestu.

Eassimentreoferecimentoerechaçoninguémtocouatigela.

Nessemomento,fora,nacopiosaneveeaorugidodoventogelado,

apareceuumaanciãmuitoencanecida,vestidacomfarrapoecumpau

comobengala,gritoucomvoztrêmula:

—Misericórdia,senhores!Ajudai!Sedepiedososcumapobremulherque

suportaoventointensoeaneve!Mesalvai!

Avozroncadaanciãsefiltrounachoçaechegouaosouvidosdosdois

irmãos.Qiugudisse:

—Pobrevovó!

—Sim.Temosdeaprotegerdaventania.Arecolhamos.

MalterminaramdedizerissoeChunshengjáestavafora.Numinstante

voltoucomaavó,queseapoiavaemseubraço.

AirmãaajudouasacudiraneveeChunshengofereceuaúnicatigelade

sopadearrozquetinham.

Eassimaavópôdepassarumanoitetranqüila.

Nodiaseguinteoventoamainou.Fezumbomdia.Antesdesedespedira

avódeuaQiuguumasedabrancaedisse:

—Garota,tensumpardemãoshábeis.Bordesestaseda.Gentelaboriosa

edegrandebondadecomovósdevemserfelizes.

AoreceberasedaQiuguviunelaodesenhodumafênix.

ApartirdessediaQiugubordavadiaapósdia,noiteapósnoite,

incansavelmente.Bordouacabeçadafênixcomlinhavermelha,osolhos

comlinhanegra,asasascomlinhadouradaeacaudacomlinhas

multicolores.Bordavatenazmente.Certavezespetouodedocomaagulha

eosanguemanchouasedabranca.AinteligenteQiuguconverteua

manchanumsolelogooadornoucomnuvens.Noverãoterminouo

trabalho.

Quemagníficobordado!Afênix,comacabeçaerguida,olhandooSol,

pareciaumaavedeverdade.Osdoisirmãosaocontemplarobordadonão

saíamdojúbilo.

Nameia-noiteacordaramespantados.Apobrechoçaestavailuminadacom

raiosdourados.Cumsaltoafênixsaiudobordado,deuvoltasnasalae

voltouaobordado.

24-3mu=2000m².Notadodigitalizador-tradutor

Logoachoçavoltouàescuridão.

Namadrugada,quandoQiuguvarriaasala,encontrouumovodeouro.Era

dafênix.Quemaravilha!Venderamoovodeouroecomodinheiro

compraramterraseumboi.

Anotíciacirculoutãorápidoquantoovento.Oprefeitododistritose

inteiroutambémdesseportentoepensou:

—Ovosdeouro!Dequalquermaneira,custeoquecustar,essafênixserá minha. Semesperarmais,mandouchamarChunsheng.

—Sabesqueteestimomuito.Darei300onçasdeprataporteubordado.

—Nãovendemos.Minhairmãpôsnessebordadotodoseusangue,toda

suaalma.

Oprefeitonãoodeixouterminardefalare,cheiodecólera,estourou,

gritando:

—Pufa!Essebordadoéumtesourodoimperador.Pobretõescomosois,

comoopudestesbordar?

Esemdaroportunidadededefesa,ordenouoencerrarnocárcere,o

acusandoderoubarumtesouroestatal.Atoseguido,enviouseusalguazis

prapegarobordado.

Quandooprefeitoteveobordadonasmãosficouloucodealegria.Tantose

dedicouaadmirareelogiarobordadoqueatéseesqueceudecomer.

—Hahahá!

Seurisotrovejavaemtodaacasa.Anoiteapassouemvigíliasentado

diantedobordado,esperandoosovosdeouro.

Nameia-noiteasalaseiluminoucomraiosdourados.Afênix,cumsalto,se

desprendeudobordado.Oprefeito,espantadoederretendode

impaciência,seagachou,esperandootãoansiadoovodeouro.Entãoa

fênixseatirousobreelecomtodafúriaecomeçoualhebicarocorpo.O

prefeito,serevolvendonochão,dedor,gritava,desesperado:

—Socorro!Vinde!Mesalvai!

Quandochegaramosalguazisaavesaiunajanelaevoourumoà

montanha.Oprefeitopôdeselevantarcomaajudadosalguazis.Seurosto

estavacobertodesangueeficaravesgodoolhoesquerdo.

Maseramuitoteimosoeapesardoolhoperdidonãoaprenderaalição.

Pensou:

—Jáqueagarotabordouum,muitobempoderáfazeroutro.

EordenouaQiugubordarumafênixquepusesseovosdeouro.Qiugu,pra

salvaroirmãodaprisão,aceitouatarefa.Oprefeitolheentregouamesma

sedaeemtrêsmesesterminouobordado.Ali,naseda,seviaafênixde

ricocoloridomassemolho.Qiugudisseaoprefeitopraprimeirodeixarem

liberdadeoirmão,poislogoentregariaobordadocompleto.

Oprefeitoaceitouaproposta.QuandoChunshengvoltouàchoça,Qiugu

bordouosolhos.Então,afênix,cumsalto,sesoltoudobordadoeemsuas

costaslevouaosirmãosàmontanha.Ealidesapareceram.

DesdeentãoessamontanhaéconhecidacomomontanhadaFênix.

AfontedoTigre

RecompiladoeredigidoporGuoRong,GuanLu&NemTu

Emtemporemotoviviamdoisirmãos:Dahu(TigreMaior)eErhu(Tigre

Menor).Eramhomensfortescomosquaisninguémpodiacompetir.Em

repetidasocasiõesmostraramseuvalornoscombates.Semprepunhamas

armasemdefensaaosfracosedesvalidos.Essanobrecondutaprovocouo

descontentoentrealgunsoficiaisdesonestos,queentãolhesfizeram

acusaçõesfalsaseosexilaram.DesdeentãoDahueErhulevaramvida

errante.

Noir-e-viremtodososcaminhosumdiachegaramaAncheu.Lhes

impressionoutantoabelezadessacidadequedecidiramficar.

Depoisdecaminhardesdeoentardecernumatrilhamontanhosa,nanoite

chegaramaumvale.Aopédamontanhahaviaumaaldeiadeoitofamílias

eummosteiroarruinado.Quandochegaramaomosteiroummongevelho

fechavaaporta.

—Mestre,somosviajantes.Podesnosdarabrigo?

—Certamente!Massópossooferecercomidasimplesefrugal.—Oancião

ofereceu,aoverqueerampobres,eossaudoujuntandoasmãos.Eosdois

irmãosseinstalaramnomosteiro.

Duranteojantarosjovensnãosecansaramdeelogiarabelezadacidade.

Oancião,suspirando,disse:

—Sim.Acidadeémuitobelamasestelugarnão.Pracarregaráguatemos queatravessarumamontanha.Todaaenergiademinhavidaseconsumiu nessetrabalhopenoso. —Quegrandedificuldade!Ondeestáafonte? —Nooutroladodamontanha.Antesestemosteirotinhamuitosmonges. Masumaumforamemboracomoproblemadaágua.Najuventudeeuera

tãorobustoquantovós,epodiafazerdetudo.Masagora,após20anosde

tantoesforço,jáestouvelhoesouobrigadoatrabalharencimademinha

débilforça.

Osdoisirmãossecompadeceramdoanciãoedecidiramoajudar.Ademais,

nãotinhamondesealojarepensaramemficar.Disseramosdoisirmãos,

emuníssono:

—Mestre,somossolteiros.Senãoéincômodoprati,nosrecebascomo

teusdiscípulos.

Omonge,muitocomprazido,aceitouapetição.Olhandoaumelogoao

outropensou:

—Sãoduastorresinexpugnáveis.

Apartirdessemomentoosdoisirmãoseramosprimeirosnotrabalho

cotidiano,cultivodaterra,carregamentodeáguae,sobretudo,nocuidado

aomestreancião.

Oprimeiroquefaziamaoamanhecereraatravessaramontanhapra

trazerágua.Levavamduascubasquepareciambarris.Osalçavamcheios

dáguacomosefossempluma.Enãosóomosteirocontavacomsuficiente

água,mastambémerasuficientepràsoitofamíliasdaaldeia.

Esseserviçodiáriodosdoisirmãoslhesgranjeouaamizadedosaldeãos.

Diasvêmevão.Chegouoinvernodepoisdooutonoelogoaprimavera,

verãoapósverão.Passouotempo.Umanofoidesecatãogravequeatéo

riosecou.Nãohaviadondetirarágua.Osdoisirmãossedesesperavamao

verascubasvaziasenãosaberoquefazer.Umdiaselembraramdalgo

vistofaziatempo:QuandochegaramàmontanhaHengchãnaprovínciade

Munã,contemplaramafonteTongziquã(fontedasCrianças)com

abundanteágua.EdecidiramiratéamontanhaHengchã,pratrazera

fontedasCrianças.Antesdepartirjuraramnãovoltarsemafonte.

Namanhãseguintecomunicaramadecisãoaoancião.Aprincípioomonge

nãoqueriaseseparardeles,masanteafirmedeterminaçãodosdois

irmãospraajudarosaldeãos,omonge,muitoemocionado,osdeixoupartir.

Dissecomosolhoslacrimejantes:

—Meusfilhos,prachegaràmontanhaHengchãevoltarnecessitareis

muitotempo.Nãoseiquandopoderemosnosveroutravez.Peçonão

esquecerquevossomestresemprevosesperaaqui.Bodissatvavos

conservesãosesalvosnocaminho!

Eassimoanciãosedespediudosdoisvalorososirmãos.

Éimpossívelcontaronúmerodasmontanhaseriosquetiveramde

atravessar.Tantocaminharamqueossapatossedesgastaramearoupa

viroufarrapo.Àmedidaqueavançavamosdiasficavammaislongos,as

noitesmaiscurtaseatemperatura,maisalta.Enfimchegaramaopéda

montanhaHengchãexaustosemorrendodefomeedesede.Quasenão

podiamficarempémascontinuaramescalandoamontanhapassoapasso,

ofegantes.Quandoalcançaramametacaíramdesmaiados.

Duranteodesmaiosoprouumaforteventania.Copiosasgotasdechuva

empaparamtodaaterra.LogopassouachuvaeapareceuoSol.Emtoda

parteseouviaocantodetodotipodepássaro.Osdoisirmãosvoltarama

si.Quandoabriramosolhosviramummeninopenteadocomcoque.Tinha

umgalhodesalgueironamãodireitaelhessorria.Osirmãospensavam,o

observando:

—Seráomeninoquecuidadafonte?

Omenino,comogalhodesalgueiro,lhescomeçouaspergirgotasdágua.

Queprodígio!Asgotasosfizeramserecuperareinfundiramforça.Cum

saltoficaramempéepediram:

—Deixeslevartuafonteanossaaldeia.

—Estábem.Masnãoétãofácilamover.Tentaialevantar.—Omeninoos

desafiousentadonumarochaegargalhando.

Brincalhão,sacudiaogalhodesalgueiro.

—Masmeuavômedissequenomundosomenteapodemlevarosmais

perseverantes,quenãodãoouvidoàfamaeaquemadificuldadenão

assusta.

—Acasonãodemonstramosserosmaisperseverantesaochegaratéaqui

depoisdecaminhartantoepondoemgraverisconossavida?—Oirmão

menorseapressouaperguntar.Omaioracrescentou:

—Enãodeixamosdeladonossavida?,semcitaraglóriaeadificuldade.

Asperguntasperturbaramvisivelmenteomenino.Eosdoisirmãos

continuarampedindocommuitamodéstia.

—Estábem.Jáquesoisperseverantesvostransformareiemdoistigres

capazesdelevarafonte.

Sacudindoogalhodesalgueirolhesaspergiugotasdágua.Imediatamente

osdoisirmãossentiramumamudançadentrodocorpo.Apeleeos

músculossedilataram.Poucoapoucosetransformaramemdoistigres.A

cadaladodafontejaziaum.Omeninosaltouàscostasdumtigre.Eosdois

animaiscorreramrumonordeste,rugindo.

Nessanoiteomonge,sentadonumacadeira,dormiutranqüilamente.E

sonhouquedoistigresrondavamforacomobuscandoalgo.Omonge,

espantado,selevantouesaiu.Nãohaviatigre.Somenteachouumpoçode

águalímpida.Sealegroutantoquedeuumasonoragargalhadaqueo

despertou.

Nodiaseguinteoanciãocontouosonhoaosaldeãos.Masseuassombro

nãotevelimitequandosoubequetodososaldeãostiveramomesmo

sonho.Opovocomentou:

—SemdúvidaosdoistigressãoosirmãosDahueErhu,porquesentimos

muitasaudade.

Nesseinstanteapareceudiantedelesummeninopenteadocomcoquee

umgalhodesalgueironamão,quegritou:

—JávoltaramDahueErhu!Voltaramosirmãos!—Edandoobraçoao

monge,olevouaencontrodosdoisirmãos.

Quandochegaramaumjardimdebambupertodomosteiroomenino

desapareceu.Diantedoanciãoestavamdoistigresrugindolevemente.

Essesrugidostinhamsemelhançacomavozdosdoisirmãos.Ostigres

seriameles?Seaproximoue,comtemor,perguntou:

—SoisDahueErhu?

Ostigresassentirammovendocarinhosamenteacauda.Então,deixandode

ladootemor,acariciouoslombos,dizendo:

—Meusfilhos,desdequepartistesjápassoumuitotempo.Todososdias

vosespereicomexpectativa.Estoumuitocontentedevosreencontrarmas

nãocompreendoporquevostransformastesemtigre.Levantai!

Eosdoistigresselevantaram.Aoverisso,algunsaldeãostemerosos,que

treparamàsárvoresousubiramaostetosdascasas,desceramcumsalto.

Ostigres,rugindo,cumsaltocruzaramomosteiroechegaramaopátio.Ali

escavaramcomaspatasdianteiras.Uminstantedepoisfizeramuma

grandecova.Logoderamumavoltaaoredordovelhomonge,deramuma

olhadanosaldeãose,rugindo,seelevaramaoar.Tudoissofoi

acompanhadodumaventaniaqueagitouviolentamenteasárvoresdo

bosque.Osaldeãos,surpresos,ficaramdebocaaberta.Quandotudose

acalmouaspegadasdostigresdesaparecerammasagrandecovaestava

cheiadeágualimpaquebrotavadofundodumafontedecorrente

subterrâneanatural.Aalegriaapareceuemcadarosto.Todosse

precipitaramprabeberaáguacomasmãos,exclamandoemcoro:

—Quedoce!

Desdeentãoosaldeãoscomeçaramautilizaraáguadafonte.Epormais

quetirassemsemprehaviaáguanafonte.Unsjovenslevantaramuma

muretadeplacasdelousaarredordafonte,praprotegeralimpezada

água.

Qualseriaonomemaisadequadoaessafonte?Pracomemorarostigres

queaescavaram,nocomeçosedenominoufontedaEscavaçãodoTigre,

masnãosoavabem.EntãosechamoufontedoTigre.Posteriormentealifoi

construídoummosteiro,quehojesechamamosteirodoTigre.

OsancestraisdochádeLonquim

RecompiladoeredigidoporXuFei&XuGuangda

Numtempomuitoremoto,numvale,haviaumapequenaaldeia,

Lonquim,ondeviviamsódezfamílias.Nasladeirassecultivavaenas

montanhasseplantavamárvoreebambu.Apesardoárduotrabalhoos

aldeãostinhamapenasosuficienteprasobreviver.

Foradaaldeia,numachoça,viviaumaanciãquenãotinhamaisforçapra

sededicaràfainadocampo.Sópodiacuidardedezoitovelhosarbustosde

cháqueseuesposoplantarahaviadezenasdeanos.Porfaltadebom

aduboecuidadoorendimentoeraescasso:Somenteunsquantosjin 25 de chácruporano. Essaanciãeramuitobondosa.Preferiapassaravidacheiadeprivaçãopra tersemprecháprosviajantes.Construíradoisbancossobacoberturae todososdiasconvidavacomcháatodoviajantequepassavadiantedesua casa. Certavez,navésperadeAnoNovo,quandoanevecobriaoscampos,todos osaldeãospreparavamcomidaprosfestejos,menosaanciã,poisnãotinha comquê.Somenterestavaumpoucodechá.Seguindoseucostume começouaprepararcháprosviajantes.Nessemomentoescutouumleve ruído.Voltouacabeçaeviuumvelhocobertodeneveabrindoaportada casa.Aanciãoconvidouaentrar:

—Depressa.Entres!Forafazmuitofriocomanevasca.

Ovelhosacudiuanevedocorpoefoisesentardiantedofornoe

perguntouàanciã:

—Oqueestáspreparando?

—Chá.

—Somentechá?SehojeestamosnavésperadeAnoNovoetodoomundo

preparacomida.Porquetu

—Ai!Vivosóesoumuitopobre.Nadatenhoprapreparar.Masdecidi

convidarosviajantesaochá.Estaéaúnicaboa-açãoquepossívelem

beneficioaosdemais.

—Masnãoéspobre.Não.Foradetuacasatensumtesouro.—Disseo

ancião,dandoumagargalhada.

Aanciãabriuaportae,alongandoopescoço,olhouafora.Tudoestava

?

igual.Aliestavaacobertura,osdoisbancose,numaesquina,umpilãode

pedralavradacheiodelixodemuitosanos.

—Sim.Aliestáotesouro.—Disseovelho,indicandoopuídopilão.

—Porfavor,nãobrinques.Ninguémemperfeitojuízopodecrerqueum

pilãocomoessesejaumtesouro.Seteagradaolevesatuacasa.

—Não.Dejeitonenhum.Nãopossolevarumtesourosempagar.Ovendas

amim.Emseguidapedireiajudapralevar.

Alegre,saiudacasaefoicaminhandosobaneve.

Aanciã,envergonhadaporcausadasujeiradopilão,decidiuolimpar.

Primeirotiroualixoeoenterroupertodasraízesdosdezoitoarbustos.O

limpoucomáguadeforaadentroedespejouaáguasujasobreasraízes

dosarbustosdechá.

Nesseinstanteovelhovoltou,acompanhadodalgumaspessoas.

—Aiai!Ondeestáotesouro?Digas.Ondeestá?Oquefizeste?—Gritouo

velhoaoveraopilãotãolimpo.

—Masnãoestáaqui?—Disseaanciã,umpoucoconfusa.

—Perguntosobreascoisasqueestavamdentro.—Respondeu,

pisoteandoochão,defastio.

25-Jin:Cateoulibrachinesa.Antigamente16liang=1jin=604,79g.Nota

dodigitalizador-tradutor

—Ó!Olixoenterreipertodasraízesdosarbustosdechá.Vejamos.

Oanciãolamentoumuito.

—Quepena!Ovalordotesouroconsistianolixodetantosanos.Jáquea

enterrastesemsaberoqueera,issofarámuitobemaosarbustosdecháe

poderáscontinuartuaobrabenéfica.

Eovelhosaiucomsuagente.

PassouoAnoNovoechegouaprimavera.Osdezoitoarbustosbrotaram

copiosamente.Asfolhascolhidastinhamcontexturadelicadaearomática.

Osvizinhospropuseramàanciãsemearassementesdessesarbustosna

montanhalogoapóspodarasárvores,cortarbambuecolhergrão.Eassim,

comocorrerdotempo,Lonquimsecobriutotalmentedearbustodechá.

Comoocháproduzidonessasmontanhassedestacavadosoutrospelo

saborespecial,delicadezaepeculiararoma,começouaserconhecidoem

todoopaíscomonomedechádeLonquim.

Precisamente,porestahistória,oscultivadoresdecháatéhojeafirmam

queosdezoitoarbustosdaanciãsãoosantecessoresdochádeLonquim.

Atiadaslagartas-da-seda

RecompiladoeredigidoporSongGuangfu

Noutrotempo,emLifoqiaodeAncheu,viviaumagarotachamadaAqiao.

Erahábileinteligente.Quandofeznoveanosdeidadesuamãemorreu.Só

restouseupaieumirmãodequatroanos.

Opaivoltouasecasareficoudifícilaharmoniareinarnessafamília.A

madrastatinhaumcoraçãodeserpentevenenosaemaltratavaascrianças.

Batianelaseinsultavaporqualquermotivo.

Certodia,emplenoinverno,amadrastamandouAqiaorecolherervaspràs

ovelhas.Masondeencontrarervanumaestaçãotãofria?Aqiaoprocurava

ervadamadrugadaaocrepúsculo,damargemdorioaocumeda

montanha.Masnãoencontravafiodeerva.Tremendodemedoefriose

sentounomeiodumaladeiraecomeçouachorar.Logoouviuumavozque

repetia:

—Vásaovale.Aliencontraráserva.Vásaovale

Olhouaoaltoeviuumpassarinhocomacabeçabranca,quevoavaem

direçãoaovale.Ficouempéeocontinuoucorrendoenquantosecavaa

lágrima.Numacurvadocaminhodesapareceuopassarinho.Umgrande

pinheirolhebarravaapassagem.Acopa,comoenormeguarda-chuva,

cobriaaentradaaovale.Entreasfolhassepodiaverumapaisagemmais

belaqueumjardimprimaveral:Umcristalinoarroioserpenteavaentre

floresmulticoreseerva.

Sealegrouaoveraerva.Agorapodiacumpriratarefa.Ecomeçoua

recolhererva.Numtessapirim,cortandoerva,chegouaofinaldoarroio.

Quandoterminoudeencherumacesta,seergueuprarecuperarofôlego.

Aolevantaracabeçaviuumatiavestidadebrancoachamandocumamão

enquantonaoutralevavaumacestamuitofinadebambu,quepropôs,

sorrindo:

—Menina,ésnossahóspede.Quaseninguémnosvisita.Terumhóspedeé

coisamuitoraraaqui.Porfavor,venhasefiquesemnossacasa.

DiantedeAqiaoapareceuoutromundo:Nomeiodamontanhafilasde

casascomparedesetetosbrancos.Diantedascasasseestendiaum

amoreiral.Entreasárvoresinúmerasjovensvestidasdebrancocolhiam,

entrerisoecanto,folhaemcesta.

Esseagradávelambienteanimoumuitoamenina,quedecidiuficarcomas

tiasdevestidobranco.

Desdeentãocomeçouatrabalharcomelas.Duranteodiacolhiamfolha

dasamoreirasprananoitedaràslagartas-da-seda.Easlagartas,diaadia,

cresciamatévirarcasulo.Logoastiasvestidasdebrancoensinarama

extrairalinhadocasuloetingirdeazul,vermelho,dourado,verde,enfim,

detodasascores.Tambémensinaramatecercomessaslinhasbrocado

prosdeuses.

Eosdiaseramtãoalegresqueatéperdeuanoçãodequesepassaram

trêsmeses.

Numanoitepensouemlevaroirmãoaessevaleprapassarumavidafeliz.

Edecidiuirnamadrugadadodiaseguinte.Masfoitalseuapuroquenão

conseguiusedespedirdastiasvestidasdebranco.Levouovosdelagarta-

da-sedagrudadosnumpapeleduasbolsasdesementedeamoreira.

Enquantoandavalançavaassementepraservirdeguiaproretorno.

Aochegarasuacasaseimpressionoumuito:Seupaiviraraumanciãoe

seuirmãomenorummoçoaltoerobusto.Opaiperguntoucommistode

alegriaedor:

—Aqiao,porquesódepoisdequinzeanosvoltasteacasa?Ondeestiveste

durantetantotempo?

Essasperguntasasurpreenderammuito.Entãocontouoqueaconteceu.A

históriasedifundiurapidamenteentreosaldeãosecomeçaramadizer:

Aqiaoencontrouosdeuses.

Namadrugadadodiaseguintequisvoltaraovaledastiasvestidasde

branco.Aosairdecasateveoutrasurpresa:Umamoreiralcresceraao

longodocaminhonoqualretornouasuaaldeia.Eraoamoreiralque

semearaaolançarassementes!Continuoucaminhando.Aochegarao

pinheiroencontrouocaminhoobstruído.Nãohaviamaneiradecontinuar

avançando.

—Aqiaoroubouotesouro!Aqiaoroubouotesouro!Agiaoroubouo

tesouro!

Opassarinhodecabeçabranca,voandodopinheiro,gritavaforte.Aqiao

pensou:

—Ó,Claro!Atiadevestidobrancoestáenfadadacomigopornãome

despedirelevarovodelagarta-da-sedaesementedeamoreira.Porisso

fechouocaminho.

Então,vendoqueeraimpossívelretornaraovaledastiasdevestido

branco,decidiuvoltaratécasa.Alisededicouaincubarosovosdas

lagartas-da-sedaelhesdarfolhadeamoreira.

Apartirdeentãooshumanosconheceramessetipodelagartae

estabeleceramasericultura.Noprincípio,emchinês,essalagartase

chamavainsetocelestial:

chamava insetocelestial : ,seformandodepoisumnovocaractere: ,quesignifica, lagarta

,seformandodepoisumnovocaractere:

chamava insetocelestial : ,seformandodepoisumnovocaractere: ,quesignifica, lagarta .Dizemqueatiadevestidobrancoeraa

,quesignifica,lagarta.Dizemqueatiadevestidobrancoeraa

administradoradessevaleeconhecidapelonomedetiadaslagartas-da-

seda.

Asericultura,pois,seiniciouemLifoqiaodeAncheuerapidamentese

estendeuaosdistritosvizinhos.PorissoAncheu,JiaximeHucheusão

famosospelaproduçãodesedacrua.

ObambudeJilongxã

RecompiladoeredigidoporZahoHesong

AssombrinhasdesedafabricadasnolagodoOesteparecem,quandose abrem,umpavão-realcomostentosacaudadebrilhantescores.Equando sefechamadquiremaformadumpedaçodebambupartidoaolongoem

32varetas.Obambuqueseutilizaprafabricaressetipodesombrinhaé

produzido,desdetemposimemoriais,nomonteJilongue(JauladeGalinha).

Alendadiz:

OmonteJilongueestánocursoinferiordorioFuchum,emcujocentrohá

umbancodeareiachamadoDongzhouxa.Numaeralongínquaessemonte

nãoexistia.Alisóhaviaflordetodasascoresnasquatroestaçõesdoanoe

salgueiroscujosgalhosalisavamaáguaonduladadorio.Erauma

esplêndidapaisagem.

CertoanoaprincesaJínji(GalinhadeOuro),doreinodasaves,chegouaté

Dongzhouxaealisededicouacriarmaisdemilgalinhasdeouro.Todosos

diasaslevavapraprocurarcomidaeapassearnapraiadorio.

NafestadaLuaaprincesaGalinhadeOurofoiconvidadaprumbanquete

nopaláciodoCantodoGalo.QuandoaLuaestavanomesmocentrodocéu,

regressouvoandocomsuasgalinhasdeouro.Evoaramatéchegaraorio

Fuchum.Quebelaeraapaisagemnoturna!Aslanternastitilavamem

ambasmargensdorioeasondasresplandeciamàluzdoluar.Quandoa

princesacontemplavadocéuessadeslumbrantepaisagem,escutouum

pranto.DesceuàTerracomsuasgalinhasdeouroecomeçouaprocurar

quemchoravatanto.Soboluarviuumhomemdeidadeque,sentadona

margemdorio,choravadesconsoladamentecomacabeçaentreasmãos.

Seaproximoueochamou:

—Tio,tio

E,zás!Ohomem,semdizer,mergulhounaágua.

Aprincesa,muitosurpresa,mandouasgalinhasosalvarem.Asgalinhas,

apósdartrêsvoltasvoandosobreasuperfíciedaágua,mergulharamno

rio.Numinstantesaíramcomohomemdesmaiado.

Aprincesaobservouqueohomemestavapálidoeapertavafortementeos

dentes.Viuquenabocaaindaguardavaumpoucodefôlego.Cumsopro

fezumanuvem.Colocousobreelaohomemesepondoàproadanuvem

seguidadesuasgalinhasdeouroregressouaDongzhouxa,navegandono céu. Depoisdecolocarcomsumocuidadoohomemnumamantadepluma,

escolheu36galinhasprainfundiralentoaocorpo.Lhedeu,ademais,a

beberumtigelademelelaboradocomfloresdepessegueiro.Comissoo

homemcomeçouavoltarasi.Nodiaseguinterecuperouavitalidade.

Essehomem,quedissesechamarQiuBao,expressouàprincesaamais

profundagratidãoenarrousuatristehistória.

DissequesuafamíliavivianaaldeiaQiujiafu,namargemnortedorio.Que

haviapoucoumincêndiolhetiroutudooquetinha,quejánãotinhamais

motivopracontinuarvivendoeque,desesperado,decidirasuicidar.

Aprincesa,muitocompadecida,lhedeuumovodeouropraquetivesse

comoquêpassarbemavida.

QiuBao,quandoviunasmãosesseovoresplandecente,enlouqueceude

alegria.Caiuajoelhadodiantedaprincesaeexpressourepetidagratidão.A

princesaofezselevantaremandouasgalinhasolevaremdevoltaasua

aldeia,namargemnortedorio.

MastudooqueQiuBaocontaraeramentira.Eraumjogadorquegostava deviversemtrabalhar.Comonãopodiapagarumadívidacontraídaante seusobrinho,queporissocomfreqüênciaoinsultavaeinclusivelhebatia. Nodiaanterior,nanoite,fugiudosobrinho.Quandoescutou:Tio,tio ,sem maisnemmais,seatirouaorio,crendoqueosobrinhochegaraprao buscar.Agoranememsonhoimaginariaqueosalvariame,alémdomais, ganhariaumovodeouro. QuandoQiuBaojáestavaemcasasentiuirresistíveldesejodetertodosos ovosdeouroquebotaramasgalinhasnamargemoposta.Pensouatétera idéiadumplanomaligno:Deubofetadasemsiatéficarroxo,rasgoua roupaevendouumapernacomtrapoprainspirarcompaixãonaprincesa. Namadrugadadodiaseguintefoi,coxeando,avisitar. Caindoestrepitosamenteajoelhadodianteàprincesa,contou,chorando, quebandidosroubaramseuovodeouroeque,nãocontentescomisso,o espancarampravaler. Ocoxeio,acarainchadaeotrajerasgadoeramtãoevidentes,quea princesanãoduvidoudaveracidadedahistória.Imediatamenteentregou outroovodeouro.QiuBao,nolimitedaalegria,voltouaagradecer. Eassimasvisitassetornaramfreqüentes.Emcadavezeraumcontode mil-e-umadesgraças.Nocomeçofoifácilenganaraprincesa,mastantofoi ocântaroàáguaqueaprincesasuspendeuopresente.E,emúltimo,lhe aconselhouaviverhonestamentedeseutrabalho. QuandoQiuBaovoltouatécasacomasmãosvaziassentiutalcóleracomo nuncateve.Rancorosamentepensou:Á!Recorrereiaumahábilmanobra prameapoderardetodosostesourosdaprincesa.Quandoalcançaro objetivosereiohomemmaisricodomundo. Entãocontratouartesãospratecernumvaledesertoumagrandejaulade bambu.Estetrabalholevoumeioano.AjauladasGalinhasTesouroassim chamavasuagrandejaula.Eraaltaemuitoespaçosa.Sepodiaabrire fechar.Seapertandoumbotãosecreto,quesóeleconhecia,asbarrasda jaulacaíamsimultaneamente. UmdiaQiuBaocolocouajaulanapraiadamargemnorte.Aadornara comoumpalácio.Logofoiconvidaraprincesaesuasgalinhas.Disseque ofereciaumbanquetenopaláciodasGalinhasdeOuro,recémconstruídona margemopostadorio,praagradeceraajudadadaaosalvarsuavida. FoitantaaamabilidadeeocalorosoafetomostradosporQiuBao,quea

princesa,emocionada,nãopôderecusaroconvite.

ComtrompeteebandademúsicaQiuBaorecebeuasconvidadas.Quando

játodasasgalinhasestavamsentadas,prontasprobanquete,QiuBao

apertouobotãosecretoe,zás!,asbarrascaíramsimultaneamente.

—QiuBao!,oquepretendes?—Perguntou,enfadada,aprincesa.

—Digoasério.Escutes.Doravantetuetuasgalinhasdevemmeobedecer.

Logo,asridicularizando,começouapiarcomoumfrango.

Masaprincesa,semantendotranqüila,disse:

—Jáseiqualétuaverdadeiracara.Masaconselho:Umhomemcommel noslábiosevenenonocoraçãonuncateráboasorte.Aindatenstempode voltaraobomcaminho. —Hahahá!Agoranãoésmaisqueminhaadministradoradestasgalinhas. Sequerescontinuarvivendoordenesàsgalinhasbotarovosdeouro! —Escutes!Nemmeioovodeouroterás. —Entãomatareiasgalinhasdosovosdeouro!—Vociferou,comos punhosapoiadosnasancas. —Veremos!Paguespraver!—Disseaprincesa,emtomdesdenhoso. OdesafiodavaaQiuBaoumproblemamuitodifícilderesolver:Prapegar asgalinhasdeviaabriraporta,masentãoaprincesaeasgalinhas aproveitariampraescapar.Oúnicojeito,pensou,seriamatarprimeiroa princesa.

Pegouumarcoe32flechasecomeçouaatiraremdireçãoàprincesa.Uma,

duas,trêseassimatéterminartodasasflechas.Masaprincesacomamão

asiapegando.Quandoaaljavaseesvaziouaprincesadisse:

—Seaindarestaalguma,dispares.Oqueesperas?

Quandoviuqueaprincesatinhanasmãosas32flechas,quasemorreude

medo. Aprincesasacudiuligeiramenteamanga,relampagueouumraiodourado eajaulasetransformouemfumaçaazul. AntetaisprodígiossórestouaQiuBaosaircorrendo.

Entãoaprincesadesatouafitadocabelo,amarroucomelaas32flechas

napontaeasatirouaocéu.Asflechasderamváriosgirosnocéue

formaramumajaulaquefoicrescendo.Derepentecaiu,cobrindoQiuBao.

Dentrodajaula,QiuBao,depoisdealvoroçaratortoedireito,caiu

ajoelhadoe,batendoacaranochão,começouapedirperdão.

—Minhaprincesa,medeixessair.Minhasenhorita,perdão.

—Possosalvarumavidamasnãoaperdoar.

Logopediuàsgalinhastrazerempedrasdamontanhaeareiadorio.

—AtiraipedraseareiaàcabeçadeQiuBao.

Diaapósdia,semanaapóssemanaemêsapósmês,asgalinhasatiraram pedraeareiasobreQiuBao,atéqueseformouummonteemformade jaula.DesdeentãoopovocomeçouachamaressemontedeJilongue,que querdizerjauladegalinha. Aprincesa,comsuasgalinhas,deixouDongzhoushaenuncamaisvoltou.

Umanodepois,nomonteJilongue,nosextremosdecadaumadas32

flechasdebambu,cresceuumnovo. Deanoaanoforamcrescendoosbambus,atécobrirtodoomonte. Eàmedidaqueosanospassavamobambuzalficavacadavezmaisdenso. Osbambuscresciamaltoseretosecomespaçadosnós. Quandoopovocomeçouacortaressesbambusocorreuumfenômeno muitoestranho:Seatiradofortementeaochão,obambusequebravaem

32varetasiguais,semqueosnósoimpedissem.

LuMeiinventouoguarda-chuva

RecompiladoeredigidoporXiaoFan

AbelezadapaisagemdolagodoOesteatraiuofamosocarpinteiroLu

BanesuairmãLuMei,quesaíramdeXandonguepraovisitar.

Umdiasaíramprapassearnamargemdolago.Sobreaáguatremeluziao

Sol.NodiquedeSenhorBaiseabriaaflordopessegueiroenodiqueSuos

salgueirosbalançavamosgalhossobreasuperfíciedaágua.Passeando,os

doisirmãoschegaramatéaondulaçãodossalgueiroseocantodospapa-

figos.Logoselevantouumventotãofortequeelevouasondasaocéu.Ese

desencadeouachuvadeprimavera.Comonadalevavampraseproteger

dachuvaprocuraramrefúgiosobumagrandeárvore.Masfoiinútil.Logo

estavamempapados.LuMeidesafiou,rindo:

—Irmão,seésumexpertocarpinteiroporquenadatemoscomoqualnos

protegerdaágua?Tiveumaidéia:Quetalsecadauminventaralgopra

queosquevenhamcontemplarabelezadolagonãotemamachuva?Tens

coragemdecompetircomigo?

—Claroquetenho.Masdevemosdarumprazo.Trêsdias.Deacordo?—

Propôscompetulantesorriso.

—Não.—DisseLuMei,mexendoenergicamenteacabeça.

—Quantosdiasnecessitas?Seachascurtoprazoopodemosampliar.

—Não.Ofaremosnumanoite.Oprazovenceránoprimeirocantodogalo.

—Hahahahá!Nãomefaçasrir.Estábem.Comoqueiras.Deacordo.Atéo

primeirocantodogalo.

Entãoosdoisirmãospuserammãosàobra.

LuBantalhou,esculpiueerigiuquatrocolunaspintadasdevermelhona

margemdolago.Então,sobreascolunas,pôsumtetoquadradoeemcada

pontaumsininhodebronze.Assimconcluiudeconstruirumquiosque

quadrangular.Pensou,muitocontente:

—Agorasim.Mesmoquecaiaumdilúvio,qualquerumpoderácontemplar

apaisagemsemsemolhar.

Satisfeito,foiasuacasaedeuumaolhadanoaposentodairmã.Reinava

completatranqüilidade.Voltouàmargemdolagoelevantououtro

quiosque,hexagonal,comsininhosemcadaponta.

Retornouasuacasaedeuoutraolhadelanoquartodairmã:Nemse

escutavaoruídodovôodumamosca.

Elevantououtroquiosqueoctogonal,comasoitorespectivassininhos.E

deuoutraolhadelanoquartodairmã.Nãohaviasinaldetrabalho.

EassimforamaparecendonamargemdolagodoOestenovequiosquesde

diferentesformas.

QuandoLuBansedispunhaaconstruirodécimoquiosque,LuMeisaiu

silenciosamentedoquarto.Viuoirmãobanhadodesuor.Brincando,imitou

ocantodogalo.

LuBansuspendeuimediatamenteotrabalho,deixandoinconclusoo

quiosquetriedro.AtéagoraépossívelovernaponteNoveVoltas.

Logoumgalocantou.Nessavezeraocantodumgalodeverdade.Aaurora

iluminouoradiantecoloridodosquiosques.

LuBan,sentadodentrodumdeseusquiosques,contemplavasuaobraea

alegrianãocabianocoração.Pensavadizeràirmã:

—Irmã,sintomuito,mastuaderrotaserátotal.Vejasestesquiosques,

alémdebelossãomuitoúteiseforamconstruídosemcurtotempo.

Derepentealgoapareceudiantedele.Eracomoseumlindopavãoreal saísseaseuencontrocomaesplêndidacaudaaberta.Quandocravouos olhosnessacoisatãoestranhaviuqueeraalgoqueairmãtrazianamão.

Pareciaumquiosquecom32pontinhassustentadasporumacoluna.Sobre

essas32pontinhashaviaumatelaestendidacombordadodeavefênixe

peônia.Doextremodecadapontinhapendiaumaborladesedaamarela.

LuBan,assombrado,olhoucuidadosamenteaquelacoisamaravilhosa:

Umabengalasustentando32varetaslongasdebambueoutrastantas

curtas.Apertandoumbotãoseabriaefechavalivremente.Quecoisalinda!

Tãoleve,engenhosaebonita!LuMeidisse,sorrindo:

—Irmão,emapenasumanoitelevantastedezquiosques,enquantoquesó

pudefazermeioquiosque.Masdevesdesaberqueestemeioquiosque

ultrapassaamilharesdosquepossasconstruir.Vejassobachuva.Com

istopossopassearemtodaamargemdolagosemmemolhar.Em

compensaçãoéprecisoficardentrodeteusquiosquespracontemplaro

lago.

—Sim,minhaboairmã.Tensrazão.Teuartefatoémelhorqueomeu.És

muitointeligente.

—Não,irmão.Nãodevesfalarassim.Teuartefatoémelhorqueomeu.

TeusdezquiosquesdediversasformasembelezamolagodoOeste.

Apenasmeinspireiemtuacriação.

ApartirdeentãoLuBannãosomenteamavamaisairmãmasarespeitava

muitoeaconsultavapratudo.

Nocomeçoopovochamouessacoisamaravilhosadeamparodachuva.

Masnãosesabequeminventouocaractere

quequerdizerguardachuva.Eopovogostoumuitodessecaractere.

Eisainteressantehistóriadaorigemdoguarda-chuvadesedaebambudo

lagodoOeste.

Eisainteressantehistóriadaorigemdoguarda-chuvadesedaebambudo lagodoOeste. comfiguradequiosque

comfiguradequiosque

ZhangXiaoquãinventouatesoura

RecompiladoeredigidoporXuFei&XuGuangda

ZhangXiaoquã,famosoferreiro,porprotestarcontraumainjustiça cometidapelotiranodesuacidadenatalfoidesterrado,comseustrês filhos,aAncheu.Echegouaessaformosacidadecarregandotodotipode ferramenta.HaviamuitasgeraçõesafamíliaZhangsededicavaàferraria.

OpróprioXiaoquã,com16anosdeidade,jáaprenderaoofíciodosmais

velhos.Cominteligênciaehabilidademelhorouatécnicadefundiçãoe

forja.Suaarteeramuitosuperioràdopai.

Xiaoquãnãosódispunhadumaaltatécnicadeferrariamastambémera

ummagníficonadador.Seunascimentopareciaumconto:Amãeopariu

lavandoroupanafonte.Pordescuidoacriaturacaiunaágua.Porissoos

paisochamaramXiaoquã,PequenaFonte.

DesdeseunascimentoXiaoquãfoiumcasomuitoestranho.Nãotinha

medodaágua:Entredoisetrêsanosdeidadecomeçouanadarnoarroio.

Comcincojácruzavaorioanado.Comdezjámergulhavadurantemuitas

horasnofundodorio.

AochegaraAncheuafamíliaZhangseinstaloupertodeDajingxiangeali,

começouatrabalhar.DajingxiangficavaaopédacolinaChenghuang.Era

umlugardemuitomovimentocomercial.Umnovoateliê,aamabilidadeaos

clienteseasdiversaseinéditasformasdasferramentasfeitasalilogo

chamaramaatençãodopovo.Osmoradoresestavamentusiasmadospela

altaqualidadetantodoaradoedaenxadaquantodocutelo.

Unanimementeexclamavam:Queexcelenteferreiro!Mastodosignoravam

queXiaoquãeratambémummagníficonadador.

Pertodoateliêhaviaumpoçomuitograndeeprofundo,deágualímpidae

doce.OpovoochamavaprimeirafontedeWushan.Proviaáguaatodosos

vizinhos.

Umdiaaágualímpidaedocedopoçoficounegraehedionda.Oque

aconteceu?,poisatéontemaáguaestavalimpa.Épossívelquedumdiaa

outroaconteçatalcoisa?,diziamosvizinhos.Então,decidiramconsultarum

anciãocentenário.Disseovelho:

—Aldeãos,melembroquequandoerameninomeusavósmecontaram

queopoçoestáconectadoaorioQuiantão,ondevivemduasserpentes

negrasqueacadamilanosvêmaopoçopraparirecujaasquerosasaliva

contaminaaágua.Épossívelquevoltaram.—Concluiuoavô,acariciandoa

barba.

—Equantotempopermanecerãoali?

—Émuitodifícilsaber.Dizemqueaúltimavezquevieramficarammeio

ano.

Essaspalavrasinundaramdetristezaorostodosaldeãos.Comoselivrar

dasserpentes?Seolhavamentresienãoachavamresposta.

Xiaoquãesperava,emsuacasa,ofilhomaior,queforatrazerágua.O

tempopassavaenãovoltava.Então,Xiaoquãdecidiuiroabuscar.Aoo

encontrar,seufilhocontouoqueescutou.Imediatamentefoiaopoço.Ao

chegaraogrupodealdeãosalarmados,disse,sorrindo:

—Hámuitosanosnãomergulho.Oúnicojeitodesaberoquetemno

fundodopoçoémergulhando.

Osaldeãos,muitopreocupadosporsuavida,perguntaram:

—Comomergulharásnopoçodeáguanegra?

—Chegandoaofundoseráscapazdevoltarvivo?

TodomundosabiaqueXiaoquãeraumhomemdepalavra:Oquedizia

cumpria.Entãooquefazer?

EXiaoquãcomeçouasepreparar.Aumvizinhopediupracomprarduas

cabaçasdevinho.Aoutropediu:

—Comprespramim,porfavor,1kgderealgar.

Emandouofilhomaiortrazerdacasaomartelogrande.Logotinhatodoo

pedido.Despejouorealgarnascabaças.Logobebeudumetirouaroupa.

Seucorpomusculosoficoubronzeado.Quandoofilhomaiorvoltoucomo

martelogrande,despejounacabeçaovinhodaoutracabaça,tomandoum

banho.Pegouomartelo,cumsaltomergulhounopoçoedesapareceuna

água.Osaldeãosrecriminaramofilho:

—Porque,comofilhomaior,nãoaconselhasteteupaianãocometertal

barbaridade?Porquenãolhedissestepravoltar?

—Nãohámotivoprapreocupação.—Respondeuofilhomaiordafamília

Zhangeemseguidalhescontouahistóriadonascimentodopaieda

períciadelecomonadador.Issotranqüilizouosaldeãos,quedecidiram

vigiaropoçoaturno.

OvinhocomrealgarqueXiaoquãbeberaoprotegiadainfecçãodanegra

salivadasserpentes.Descianointensofriodaágua.Demorouumpoucoa

chegaraofundodopoço,queeramuitogrande.Procurounolesteenada

encontrou.Escrutinouooesteenãohaviavestígio.Finalmente,nocantodo

norteviu,entreaescuridão,duasserpentesnegrascomascabeças

cruzadas.Nãoesperou.Levantouomarteloedeutrêspancadasnas

cabeçascruzadas,queseestilhaçaram.Logo,comasserpentesnumamão

eomartelonaoutra,começouasubir.

Natardereapareceu.Osaldeãos,muitoalegres,oajudaramasairdopoço

cumacorda.Jáemterraatirouasserpentesaochão.Timtão!,soaramao

cair.Eopessoalseassustoumuito.Soavamassimpelatêmperaque

conseguiramatravésdeváriosmilharesdeanos.Setransformaramem

ferro.SeXiaoquãnãoasgolpeasserápido,comoumrelâmpago,nas

cabeçasasserpentesomatariam.

Assimquetirouasserpentesnegrasdopoçoaáguavoltouaficarclarae

límpida.OsaldeãosagradecerammuitoaZhangXiaoquã,desdeentãoo

chamandohomemengenhoso.

Xiaoquãlevouasuacasaasserpentesmortas.Durantetrêsdiasesuas

noitesasobservoudetidamenteemeditou.Enfimteveumaidéia:Tomando

comomodeloasduasserpentesfezumprojetooriginal.Entãopegouo

ferronoqualosanimaisseconverterameformouduaspeçascomfioe

pontadobradasnacaudaearticuladascumatachacolocadabemnoponto

situadonocruzamentodascabeças.Comesseinstrumentoerafácilcortar

telaemlinhareta,transversaloucircular.Segundoesseprojeto,Xiaoquãe

seusfilhoscomeçaramafabricaresseinstrumento.

Atéentãoopovonãoconheciaesseinstrumento,quelogosechamou

tesoura.Pracortaralgosenecessitavafaca.Foitantaademandaàs

tesouras,queXiaoquãfoiobrigadoarecebermuitosaprendizes.Masisso

nãofoisuficiente.EntãoXiaoquãcolocouumagrandetesouranaparedede

seuateliê,praservirdemodelo.ApartirdeentãooateliêdafamíliaZhang

sededicouafabricarsótesouraeonomedeZhangXiaoquãsedifundiu

emtodoopaís.

ZhangXiaoquãviveumuitosanos.Apóssuamorteseustrêsfilhosfizeram

partilhadebemeestabeleceram,porsuaconta,seusprópriosateliês.Mas

essestrêsateliêsconservaramonomeTesourasdeZhangXiaoquã.Os

aprendizesfizeramomesmo.EassimemAncheuapareceramnumerosos

ateliêscomomesmonome.Algunsconservamocostumedecolocarna

portaumagrandetesoura.

OslequesdeAncheu

RecompiladoeredigidoporXuFei

SuDongpo,famosopoetachinês,chamadotambémSuShi(1037–1101),

dadinastiaSonguedoNorte,foidesignadojuizterritorialemAncheu.A

notíciadessanomeaçãoprovocoutalentusiasmonopovo,quetodosse

acotovelavampraleroanúncio.Issocausoutalrebuliço,quetodos

queriamvercomosprópriosolhosopoetaeassistiracerimôniade

assunçãoaocargo.MasumdiavemeoutrovaieSuDongponãodavasinal

deaparecer.Eopovojáperderaaesperançadeovercomospróprios

olhos.

Certodiacompareceramàsededogovernolocaldoishomensreclamando

justiçaeaomesmotempotocandootambordotribunal.Osdoisse

recriminavamduramente.Osalguazisosdetiveramnaporta:

—Onovojuizaindanãoassumiufunção.Sepedistesjustiçavoltaidentro dumpardedias. Araivatranstornavatantoosdoisquerelantes,quetentaraminvadira sededogovernolocal. Nessemomentoapareceuumhomemmontadonumasno.Eraaltoe barbado,chapéudeletradonacabeça,derostorubicundo 26 etrajelongo. Disse:

—Queropassar.Abrisala!Perdãoporchegartarde.

Passandoentreamultidão,ohomementrounasedemontadonumasno.

Foitãoinesperadoquenãohouvetempodeodeter.Amarrouoasnoa

umacoluna,entrounasalaesesentounapoltronacentralcobertacom

peledetigre.

Oalguazil,crendosetratardumlouco,gritou:

—Essapoltronaésomenteprosenhorjuiz!Sealguémsesentaraí

perderáacabeça.Fora,louco!

—Ó!Praquêtantaseveridade!—Exclamouohomem,rubicundo,

gargalhando.

—Como?Nãosabesquesópodesesentarnessapoltronaquemtemselo

deouro?

—Á!Selodeouro?Tambémtenhoum.

Edobolsotirouumselodeouroeopôssobreamesa. Oalguazil,aoveroselodeouro,quasecaiumortodemedo.Naverdade essehomemrubicundoeraonovojuiz,SuDongpo. Eassim,semcerimônia,SuDongpoassumiu.Imediatamenteordenou entrarosdoispleiteantes,prainiciarojuízo. —Nomesesobrenomes.Quemacusaaquem? Osdoishomensseajoelharamecomeçaramabateracaranochão. —SouLiXiaoyieacusoaeste. —MechamoHongAmau. —LiXiaoyi,dequêacusasHongAmau?

—Daeconomiademeusaláriopoupei10onçasdeprata.Hádoismeses

empresteitodaminhapoupançaaHongAmau.Comoéramosmuitobons

vizinhosdissepranãomepagarjuro,mascombinamosquequandoeu

necessitassedessedinheiroodevolverimediatamente.Agoramecasareie

necessitourgentementeessasonçasdeprata.Mas,oqueaconteceu?Amau

nãosónãomedevolveodinheiromasatémebate.

26-Rubicundo:Avermelhado,rubro,corado.Notadodigitalizador-tradutor

Ouças,HongAmau,porquenãopagasadívida?Eporque,ademais,bates emteubomvizinho? —Senhor,mededicoaumnegociodetemporada.ComodinheiroqueLi Xiaoyimeemprestoucomprei,antesdoverão,vinteleques.Masvêsquejá estamosemmaioenãofazcalor.Quemcomprarialequeseaindaestão encasacados?Etambémnestesdiaschoveumuitoeaumidademofouos lequesdepapel.Averdadeéquenãotenhodinheiro.Éimpossível cancelaradívidaaLiXiaoyi.EporissoLinãosomentemeinsultamasaté quismebater.E,indignado,nãopudemeconteresomentelhedeium tapa.Sóumtapa,enãodeliberadamente. Tantoaacusaçãoquantoadefesafizeramojuizfranzirasobrancelha. —PraqueLiXiaoyicelebreseucasamento,HongAmaudevecancelara dívida. —Mas,meusenhor,sedigoquenãotenhodinheiro,comocancelara dívida? —Claro.Éverdade.AgoraHongAmauestáemdificuldadedevidoàperda deseucapital.Entãosórestabuscaroutrasoluçãoprapagaradívida.— DisseSuDongpo,acariciandoabarba.

—Senhorjuiz,nãoémuitofácilvoltaraeconomizaras10onçasdeprata.

—GritouLiXiaoyi. —Nãovospreocupai.Esteprocessotemsolução.HongAmau,voltesatua casaetragasimediatamenteoslequesmofados. Numtessapirimoacusado,muitoalegre,correuatécasaevoltoucomos lequesdepapelbranco. SuDongpoabriuumaumoslequeseospôsnamesa.Logocompincele tintachinesa,converteuosmofos,segundoaformaeextensão,emcolinas epaisagensemminiatura.Ondeamanchademofoeramuitogrande pintouTrêsamigosduranteoinverno:Pinheiros,floresdeameixeirae bambu.Easmanchinhasdemofoconverteuempedaçosdepoema. Concluídootrabalho,separouoslequesemdoisgruposiguais. —LiXiaoyi,tomesdezlequesevendasforadasede.GritesLequescom pinturaepoemadeSuDongpopor1onçadeprata 27 .Comodinheiroque ganharescelebresocasamento. SedirigindoaHongAmau:

—Tomesosoutrosdezlequeseosvendastambémforadasede.Grites

comoLiXiaoyi.Comodinheiroqueganharesfaçasteusoutrosnegócios.

Osdoishomensbateramacaranocãoesaíramnãomuitoconvencidosda eficáciadasen