Você está na página 1de 33

FACULDADE ESTADUAL DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS DE

APUCARANA - FECEA

DEPARTAMENTO DE CONTABILIDADE

CONTABILIDADE GERENCIAL
(Exercícios)

Professor: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck


2
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Exercício de Fixação no. 01

Classifique adiante em Custo, Despesa ou Gasto, quando cabível. Classifique,


ainda, em Direto ou Indireto e em Fixo ou Variável. Se mais de uma alternativa for
válida, assinale todas ou a (s) que considerar mais predominante (s):

Operação Gasto Despesa Custo


Fixa Variável Direto Indireto Fixo Variável
Compra de Matéria Prima p/estoque
Consumo de Energia Elétrica
Utilização da Mão-de-obra Direta
Combustível p/veículo-entrega produtos
Consumo de telefone-Administração
Consumo de Água – industrial
Utilização do pessoal do faturamento
Aquisição de maquinários
Depreciação de máquinas - produção
Pintura do prédio da fábrica
Compra e instalação de computadores
Retirada de materiais do almoxarifado
Consumo de materiais na Administração
Uso do pessoal da Contabilidade Geral
Uso do pessoal da Contabilidade Custos
Crédito honorário Diretor Administrativo
Crédito honorário Diretor Industrial
Depreciação do prédio da fábrica
Consumo de Matéria Prima
Aquisição de Embalagens
Perda p/enchente de Matéria Prima
Greve dos operários (remunerada)
Aplicação material isolante na fábrica
Compra de veículo p/transp.de M.Prima
Despesa de veículo c/transp.de M.Prima
Pago seguro incêndio da fábrica
Pagamento de salários
Assinatura de contrato de seguro
Pedido de Matéria Prima
Crédito de comissões p/vendedores
Apropriação de juros s/financiamentos
Pagamento de juros s/financiamentos
3
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Exercício de Fixação no. 02

Doceira Formiga Ltda.

Durante a produção de doces por encomenda, a Doceira Formiga Ltda. utiliza


diferentes quantidades de ovos. No seu primeiro mês de atividade teve a seguinte
movimentação desse item:

Dia 04 – Compra de 900 dúzias no valor de R$ 9.900,00;


Dia 11 – Consumo de 210 dúzias;
Dia 14 – Compra de 420 dúzias a R$ 13,50 cada uma;
Dia 17 – Consumo de 180 dúzias;
Dia 24 – Compra de 600 dúzias no valor total de R$ 7.680,00;
Dia 29 – Consumo de 540 dúzias.

Estudando as diversas alternativas de custear os ovos consumidos, a empresa


verificou que, caso utilizasse o método de valorização de estoques UEPS (último a
entrar, primeiro a sair) e registro permanente, teria tido um lucro bruto de seus
produtos no valor total de R$ 39.548,00.

1. Mostre qual teria sido o lucro bruto no mês se a empresa utilizasse os métodos
de valorização de estoques PEPS (primeiro a entrar, primeiro a sair) e o Custo
Médio Ponderado Móvel, sabendo-se que não havia outros estoques finais e que
os demais custos incorridos (Mão-de-obra Direta e Custos Indiretos de
Fabricação) totalizaram um montante de R$ 41.350,00;

2. Explique a razão da não aceitação do método de valorização de estoques UEPS


(último a entrar, primeiro a sair) pela legislação do Imposto de Renda no Brasil
4
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Exercício de Fixação no. 02 – Solução

PEPS – Primeiro a entrar, primeiro a sair.


Entrada Consumo Estoque
Data
Qte. P.Unit. Total Qte. P.Unit. Total Qte. P.Unit. Total

Média Ponderada Móvel


Entrada Consumo Estoque
Data Qte. P.Unit Total Qte. P.Unit. Total Qte. P.Unit. Total
5
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

UEPS – Último a entrar, primeiro a sair


Entrada Consumo Estoque
Data
Qte. P.Uni Total Qte. P.Uni Total Qte. P.Unit. Total

Custos Totais

MÉDIA
Item de Custo PEPS UEPS
POND.MÓVEL
Matéria Prima
Outros Custos
Total
6
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Princípios de custeamento

Exercício de fixação no. 03

Empresa ABC

O gerente de vendas da empresa ABC está preocupado com a contínua


queda das vendas de seus produtos. Analisando o mercado, ele observou que a
concorrência sofreu reduções de vendas menos significativas do que sua empresa,
o que o fez concluir que o maior problema estava nos custos de produção. Em
função disso, mandou fazer um levantamento das principais informações relativas ao
cálculo do custo dos produtos fabricados pela empresa. Essas informações são as
seguintes:

Custos fixos ($/mês) 10.000,00

Custos variáveis ($/unidade) 20,00

Padrão eficiente de produção (unidades/hora) 5

Jornada de trabalho (horas/mês) 200

Atividades Março Abril Maio Junho Julho


Produção realizada (unid.) 1.000 800 800 600 500
Horas trabalhadas 200 200 160 140 140
Horas padrão (mês) 200 160 160 120 100

P e d e – s e:

a) Calcular os custos do produto para os 5 meses analisados, considerando o


custeio integral;
b) Calcular os custos do produto para os 5 meses analisados, considerando o
custeio variável;
c) Calcular os custos do produto para os 5 meses analisados, considerando o
custeio por absorção ideal. Mensurar os desperdícios.
d) Separar os desperdícios dos custos, classificando-os em custos eficientes,
desperdícios por ociosidade e desperdícios por ineficiência;
e) Caso a empresa utilize o princípio do custeio integral e calcule seus preços de
venda multiplicando o custo unitário por 1,3 (lucro de 30% sobre os custos),
quais seriam esses preços? Qual seria a margem de lucro sobre os custos
ideais?
7
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Exercício de Fixação no. 03 – Solução

Custos Variáveis

Mês Unidades Custo Unitário Custo Total


Março
Abril
Maio
Junho
Julho

a) Calcular os custos do produto para os 5 meses analisados, considerando o


custeio integral:

Custeio Integral Março Abril Maio Junho Julho


Custos variáveis
Custos fixos
Custo total
Unidades produzidas
Custo unitário

b) Calcular os custos do produto para os 5 meses analisados, considerando o


custeio variável:

Custeio Variável Março Abril Maio Junho Julho


Custos variáveis
Custo total
Unidades produzidas
Custo unitário

• No custeio variável os custos fixos não são considerados como custos de


produção, são considerados despesas do período.

Custos fixos

Padrão de eficiência: 5 unidades/hora

Jornada de trabalho: 200 horas/mês

Capacidade de produção/mês (padrão): 200 horas X 5 unid. = 1.000 unid.

Custo fixo unitário (padrão): $ 10.000,00 : 1.000 unid. = $ 10,00


8
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Custeio por absorção ideal

Custos Fixos

Mês Unidades Custo Unitário Custo Total Desperdício


Março
Abril
Maio
Junho
Julho

c) Calcular os custos do produto para os 5 meses analisados, considerando o


custeio por absorção ideal. Mensurar os desperdícios.

Custeio p/absorção ideal Março Abril Maio Junho Julho


Custos variáveis
Custos fixos
Custo total
Unidades produzidas
Custo unitário

• No custeio por absorção ideal os custos fixos relacionados com a capacidade


de produção da empresa não utilizada (ociosidade) ou mal usada
(ineficiência) são considerados perdas do período.

Desperdícios

Mês Unidades não Custo Fixo Desperdício


produzidas Unitário
Març
o
Abril
Maio
Junho
Julho

d) Separar os desperdícios dos custos, classificando-os em custos eficientes,


desperdícios por ociosidade e desperdícios por ineficiência;

Custos fixos total $ 10.000,00


9
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Jornada de trabalho (horas/mês) 200


Custo fixo por hora trabalhada $ 50,00

Desperdícios

Desperdícios
Mês
Ociosidade Ineficiência
Março
Abril
Maio
Junho
Julho

Custos fixos eficientes e desperdícios

Custo fixo Custos Desperdícios


Mês
total eficientes Total Ociosidade Ineficiência
Março
Abril
Maio
Junho
Julho

e) Caso a empresa utilize o princípio do custeio integral e calcule seus preços de


venda multiplicando o custo unitário por 1,3 (lucro de 30% sobre os custos),
quais seriam esses preços? Qual seria a margem de lucro sobre os custos
ideais?

Custeio Integral

Preço de
Mês Custo Unitário Lucro $
Venda
Março
Abril
Maio
Junho
Julho

Custeio por absorção ideal

Preço de Lucro Margem


Mês Custo Total
Venda $ %
Março
Abril
10
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Maio
Junho
Julho

Princípios de custeamento

Exercício de fixação no. 04

Empresa SM

Você acaba de ser contratado para gerenciar a área de custos da empresa


SM e sua primeira incumbência é a de recalcular os custos dos produtos por ela
fabricados, bem como avaliar sua lucratividade. Recorrendo ao banco de dados da
empresa, você obtém os seguintes números relativos ao último mês de produção:

Produto A B
Tempo padrão de produção 1 h/u 0,5 h/u
Produção boa 50 unidades 40 unidades
Custos variáveis unitários $10/u $20/u

Horas reais trabalhadas na produção: 150 horas

Esses dois produtos são fabricados em uma única máquina, a qual trabalha numa
jornada regular de trabalho de 200 horas/mês. Sabendo-se que os custos fixos de
produção somam $ 2.000,00/mês:

a) Quais são os custos unitários dos dois produtos, segundo o princípio do


custeio por absorção ideal? Mensure os desperdícios.

b) Quais são os custos unitários dos dois produtos, segundo o princípio do


custeio variável?

c) Quais são os custos unitários dos dois produtos, segundo o princípio do


custeio integral?

d) Considerando que, no mês analisado, essa máquina tenha trabalhado apenas


150 horas, detalhe os custos e os desperdícios mensais da empresa,
classificando-os em eficientes, ociosos e ineficientes.
11
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Exercício de fixação no. 04 - Solução

a) Quais são os custos unitários dos dois produtos, segundo o princípio do


custeio por absorção ideal? Mensure os desperdícios.

Custeio por absorção ideal

Custos fixos: $ 2.000,00/mês / 200 horas/mês = $ 10,00 hora

HORAS CUSTO CUSTO


HORAS
PRODUTO TRA- FIXO TOTAL DESPERDÍCIO
DESPERDIÇADAS
BALHADAS UNITÁRIO EFICIENTE
A
B
Desperdício
Total

Custeio por absorção ideal

Custeio por absorção ideal Produto A Produto B Total


Custos variáveis
Custos fixos
Custo total
Unidades produzidas
Custo Unitário

b) Quais são os custos unitários dos dois produtos, segundo o princípio do


custeio variável?

Custeio variável

Custeio variável Produto A Produto B Total


Custos variáveis
Custo total
Unidades produzidas
Custo Unitário

c) Quais são os custos unitários dos dois produtos, segundo o princípio do


custeio integral?
12
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Obs: Por não haver informações disponíveis, as horas desperdiçadas foram


distribuídas aos produtos proporcionalmente às horas trabalhadas em cada um
deles.

Horas Horas
Produto % Total
trabalhadas desperdiçadas
A
B
Total

Custeio Integral

Custeio integral Produto A Produto B Total


Custos variáveis
Custos Fixos
Custo total
Unidades produzidas
Custo Unitário

d) Considerando que, no mês analisado, essa máquina tenha trabalhado apenas


150 horas, detalhe os custos e os desperdícios mensais da empresa,
classificando-os em eficientes, ociosos e ineficientes.

Custos fixos totais = $ 2.000,00

Jornada de trabalho (horas/mês) = 200

Custo fixo da hora = $ 10,00

Custos fixos eficientes e desperdícios

Desperdícios
Custos Eficientes Total
Ociosidade Ineficiência
13
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Princípios de custeamento

Exercício de fixação no. 05

Empresa de Confecções

O sr. Sandoval Faiate era gerente de uma grande empresa de confecções e


recebia um salário de $ 2.000,00 por mês (incluindo os benefícios e encargos), mas
resolveu montar seu próprio negócio, uma pequena empresa de conjuntos de
moletons: a “Veste Bem”. Os custos mensais da empresa são os seguintes:

Matéria prima R$ 40.000,00


Salários e encargos R$ 4.000,00
Energia elétrica R$ 400,00
Aluguel R$ 500,00
Seguros e impostos R$ 100,00
Depreciação R$ 150,00
Outros R$ 50,00

Todos os itens, com exceção da matéria-prima, podem ser considerados


fixos. O sr. Sandoval considera que seu produto é de boa qualidade e, assim, fixa o
preço de venda considerando um lucro de 50% sobre os custos (custeio integral). Da
forma que está estruturada, o sr. Sandoval estima que a empresa “Veste Bem”
poderia produzir até 5.000 conjuntos por mês, mas, no último semestre, somente
4.000 unidades por mês foram confeccionadas. Com base nestes dados, pede-se:

a)Calcule o custo do conjunto pelo custeio integral e o preço de venda a ser fixado;

b)Calcule o custo do conjunto pelo custeio ideal e estime os desperdícios.


14
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Exercício de fixação no. 05 - Solução

a)Calcule o custo do conjunto pelo custeio integral e o preço de venda a ser fixado:

Custeio Integral R$
Custos variáveis
Custos fixos
Custo total
Unidades produzidas
Custo unitário
Preço de venda:

b)Calcule o custo do conjunto pelo custeio ideal e estime os desperdícios.

b1. Custo unitário

Custos fixos

R$ 5.200,00 : 5.000 unidades =


4.000 unidades x =

Custeio Ideal R$
Custos variáveis
Custos fixos
Custo total
Unidades produzidas
Custo unitário

b2.Desperdícios

Ociosidade: 1.000 unidades x R$ =


15
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Exercício de fixação no. 06

Empresa Desper Ltda.

A empresa Desper Ltda. compra matéria-prima a R$ 0,10 por kg e a


processa, gerando um único produto, o qual é vendido no mercado por R$ 0,40/kg.
O processamento é efetuado através de equipamento automatizado, que poderia
processar até 1.000 kg de matéria-prima por dia, sendo que o rendimento ideal seria
1kg de produto para 1 kg de matéria-prima. As despesas contabilizadas pela
empresa nos últimos 6 meses são as seguintes (V – custo variável; F – custo fixo):

-Matéria-Prima R$ 16.000,00 (V) -Outros materiais R$ 1.500,00 (V)


-Mão-de-obra R$ 10.000,00 (F) -Energia elétrica R$ 1.000,00 (F)
-Encargos R$ 4.000,00 (F) -Depreciação R$ 2.000,00 (F)
-Embalagem R$ 2.300,00 (V) -Outras despesas R$ 2.000,00 (F)

A produção do último semestre (180 dias) foi 160.000 kg de matéria-prima


processada, sendo que a empresa trabalhou efetivamente 170 dias (o
equivalente a 10 dias não trabalhados por várias razões, como quebras de
máquinas, manutenção, falta de matéria-prima, entre outras). Com isso, foram
produzidos 130.000 kg de produtos acabados.

Considerando-se que não houve variação nos estoques:

Calcular o custo unitário do produto considerando o custeio integral;

a) Calcular o custo unitário do produto considerando o custeio variável;

b) Calcular o custo unitário do produto considerando o custeio ideal. Para isso,


suponha que não tenha havido desperdícios relacionados à embalagem e aos
outros materiais;

c) Quantificar os desperdícios relacionados com os custos fixos no semestre,


classificando-os em ociosidade e ineficiência;
16
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

d) Quantificar os desperdícios relativos à matéria-prima incorridos neste


semestre.

Exercício de fixação no. 06 - Solução

CUSTOS VARIÁVEIS =
CUSTOS FIXOS =

Calcular o custo unitário do produto considerando o custeio integral;

Custeio Integral R$
Custos variáveis
Custos fixos
Custo total
Unidades produzidas
Custo unitário

a) Calcular o custo unitário do produto considerando o custeio variável;

Custeio Variável R$
Custos variáveis
Custo total
Unidades produzidas
Custo unitário

b) Calcular o custo unitário do produto considerando o custeio ideal. Para isso,


suponha que não tenha havido desperdícios relacionados à embalagem e aos
outros materiais;

Custos fixos
Padrão de eficiência: 180.000 kg de produto/dia
Padrão de eficiência: 1.000 kg de matéria-prima/dia
Jornada de trabalho: 180 dias/semestre
Capacidade de processamento: 180.000 kg de matéria prima/semestre
Custo fixo unitário (ideal): R$ 19.000,00/180.000 kg/MP=R$ 0,105555556
Custo fixo dia (ideal): R$ 19.000,00/180 dias=R$ 105,5555556
Custo fixo total (ideal): 180.000 kg/MPxR$ 0,105555556=R$ 19.000,00
Custo variável ideal (MP): 180.000 kg/MP x 0,10 = R$ 18.000,00
Custo variável ideal (Embal. (+)
Outros materiais: R$ 3.800,00/130.000x180.000 = R$ 5.261,54
17
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Custeio Ideal R$
Custos variáveis – Matéria Prima
Custos variáveis – Embal. (+) outros
Custos Fixos
Custo Total
Quantidade produzida kg (ideal)
Custo unitário ideal

c) Quantificar os desperdícios relacionados com os custos fixos no semestre,


classificando-os em ociosidade e ineficiência;

Desperdícios

Custo fixo ideal = R$ 19.000,00 / 180.000 unidades = R$

Ociosidade: 10 dias x 1.000 kg/MP x R$ = R$


Ineficiência: 170.000 (-) 130.000 kg/MP x R$ = R$
Total R$ 5.277,78

Eficiência = 130.000 kg x = R$ 13.722,22

Ociosidade R$ 1.055,56
Ineficiência R$ 4.222,22
Eficiência R$ 13.722,22
Total custos fixos R$ 19.000,00

d) Quantificar os desperdícios relativos à matéria-prima incorridos neste


semestre.

Matéria-prima consumida 160.000 kg x R$ 0,10 =R$ 16.000,00


(-) Matéria-prima ideal (130.000 x 1) 130,000 kg x R$ 0,10 =R$ 13.000,00
(=) Desperdício 30.000 kg x R$ 0,10 = R$ 3.000,00

Resumo

Desperdício total

Ociosidade R$ 1.055,56
Ineficiência R$ 4.222,22
Matéria-prima R$ 3.000,00
18
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Total R$ 8.277,78

Exercício de fixação no. 07

Empresa CBA

DADOS DA EMPRESA CBA PARA O PRODUTO Y:

PREÇO DE VENDA R$ 10,00/UNIDADE


CUSTOS/DESPESAS VARIÁVEIS R$ 6,00/UNIDADE
CUSTOS/DESPESAS FIXOS R$ 4.000,00/ANO
DEPRECIAÇÃO R$ 800,00/ANO
PATRIMÔNIO LÍQUIDO R$ 10.000,00
TMA (taxa mínima de atratividade) 10% ao ano

P e d e – s e:

1. Quantas unidades devem ser produzidas e vendidas por ano para se atingir o
Ponto de Equilíbrio Contábil?

2. Qual o valor da receita nesse Ponto de Equilíbrio Contábil?

3. Se a empresa desejar um lucro igual a TMA, quantas unidades deverá


produzir e vender durante o ano?

4. Se a empresa desejar um lucro de 30% sobre a receita total, quantas


unidades deverá produzir e vender durante o ano? Qual será esse lucro?

5. Para a empresa alcançar o Ponto de Equilíbrio financeiro, quantas


unidades terá que produzir e vender por ano?

6. Calcular o GAO ao nível de atividade de 1.500 unidades, supondo um


acréscimo de 10% do volume produzido. Calcular o lucro com o aumento de
30% no volume de atividades.
19
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Exercício de fixação no. 08

ANÁLISE DA MARGEM DE CONTRIBUIÇÃO

Indústria de Bebidas TombaLevanta Ltda.

Com base nas informações disponíveis, supondo que não havia estoques
iniciais:

a) Apure a margem de contribuição de cada unidade vendida, em valor


unitário e em porcentagem.
b) Apure a contribuição percentual de cada linha de produção para a
recuperação dos custos e despesas fixos e para o lucro da empresa.
c) Durante o mês de agosto a TombaLevanta Ltda. recebeu de um grande
distribuidor uma oferta para a produção adicional de mais 40.000 litros de
vinho, e o cliente estava disposto a pagar R$ 2,80 para cada litro. A
diretoria deveria aceitar a proposta? Fundamente sua resposta com base
em demonstrativo de resultados antes e depois da nova proposta.
d) Durante o mês de agosto a TombaLevanta Ltda. recebeu de um grande
distribuidor uma oferta para a produção adicional de mais 60.000 litros de
refrigerantes, e o cliente estava disposto a pagar R$ 0,65 para cada litro. A
diretoria deveria aceitar a proposta? Fundamente sua resposta com base
em demonstrativo de resultados antes e depois da nova proposta,
desconsiderando a situação mencionada em “c”.
A Indústria de Bebidas TombaLevanta Ltda. produziu e vendeu em agosto o total de
100.000 litros de vinho e 180.000 litros de refrigerantes.
Durante o mês, o preço de venda, os custos de produção e as despesas foram:

Histórico Vinho Refrigerante


Preço unitário de venda (R$) 4,20 0.80

Custos variáveis, por unidade produzida (R$)


Diretos – Matéria-prima 1,20 0,20
Diretos – Mão-de-obra direta 0,80 0,10
Custos variáveis indiretos 0,30 0,05

Despesas variáveis com vendas 0,70 0,15


p/unidade

Custos fixos total do mês (R$)


Mão-de-obra indireta 29.600,00
Depreciação 70.400,00
Outros custos fixos 30.000,00
20
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Despesas fixas total do mês (R$) 19.600,00

Exercício de fixação no. 08 -,Solução

a) Margem de contribuição de cada unidade produzida e vendida

Custos variáveis – por unidade Vinho Refrigerant


e
Preço de venda
(-) Custos e despesas variáveis
(=) Margem de contribuição unitária

b) Demonstração da contribuição percentual de cada linha de produção para a


recuperação dos custos e despesas fixos e para o lucro da empresa.

Histórico Vinho Refrigera Total


nte
Margem de contribuição unitária
Quantidade produzida e vendida
Margem de contribuição por produto
Porcentagem de contrib.s/o total

Gastos fixos
Mão-de-obra indireta /////////////// ///////////////
Depreciação /////////////// ///////////////
Outros custos fixos /////////////// ///////////////
Despesas fixas total do mês /////////////// ///////////////
Total /////////////// ///////////////

Resultado antes dos tributos s/lucro /////////////// ///////////////

c) Projeção do Demonstrativo do Resultado depois da nova proposta para a


produção adicional de 40.000 litros de vinho.

Histórico Vinho Refrigera Total


nte
Receitas de vendas anteriores
Receitas com a produção adicional
Total das receitas
21
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Custos e despesas variáveis


Unidades vendas x CDV unitários
Nova margem de contribuição total
Custos fixos, total do mês
Mão-de-obra indireta
Depreciação
Outros custos fixos
Despesas fixas, total do mês
Custos e despesas fixos do mês
Resultado antes dos tributos s/lucro

d) Projeção do Demonstrativo do Resultado depois da nova proposta para a


produção adicional de 60.000 litros de refrigerantes.

Histórico Vinho Refrigerante Total


Receitas de vendas anteriores
Receitas com a produção adicional
Total das receitas
Custos e despesas variáveis
Unidades vendas x CDV unitários
Nova margem de contribuição total
Gastos fixos total do mês
Mão-de-obra indireta
Depreciação
Outros custos fixos
Despesas fixas, total do mês
Custos e despesas fixos, total:
Resultado antes dos tributos s/lucro
22
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Exercício de Fixação no. 09

VaiVai Balão Ltda.

Com base nas informações disponíveis, apurar, para o mês de julho:


• a margem de contribuição de cada hora de vôo, por tipo de serviço;
• a margem de contribuição total de cada tipo de serviço; e
• resultado do mês, antes da tributação do lucro.

Um grupo de empresários do setor de turismo criou uma empresa para a exploração de


passeios aéreos sobre o Pantanal Mato-grossense, Chapada dos Guimarães e Cuiabá,
com a utilização de balões movidos a gás propano.
A empresa denominada VaiVai Balão Ltda., oferece dois tipos de serviços:

1. Passeios turísticos:
Cada vôo leva dois passageiros e o piloto, com duração de aproximadamente uma
hora e deslocamento de cinco quilômetros. Uma equipe de resgate acompanha o balão,
com um jipe, que monitora, por um rádio, o trajeto e o pouso.
O preço de cada passeio de uma hora é de R$ 500,00, por vôo, independentemente
do número de passageiros. Realiza vôos livres, em que o balão pode chegar a uma
altitude de até 2.000 metros.

2. Publicidade e divulgação de produtos e eventos:


São os chamados vôos cativos, nos quais os balões sobem de 30 a 50 metros,
utilizados para fins publicitários, com anúncios fixados com velcro ao corpo do balão.
O preço por hora é de R$ 200,00, e os balões são alugados por um período mínimo
de quatro horas. Não há acompanhamento de equipe de resgate.

Investimentos e gastos em julho, primeiro mês de funcionamento da empresa:

a) Aquisição de imobilizado:
• compra de cinco balões: cada balão custou R$ 40.000,00 e tem vida útil estimada
de 4.000 horas de vôo;
• compra de três jipes: cada jipe custou R$ 30.000,00 e tem vida útil estimada de
6.000 horas de uso;

b) Gastos diversos, na proporção de 80% de custos fixos e 20% de custos


variáveis:
• gastos com serviços em terra: manutenção dos jipes, combustíveis, pagamento
dos motoristas mais outras pessoas da equipe de resgate: R$ 25.000,00,
apropriados somente para os vôos turísticos;
• gastos com a manutenção dos equipamentos de vôo, pagamento dos pilotos e
compra de gás propano que sustenta o balão no ar: R$ 15.000,00, apropriados
60% para os vôos turísticos e 40% para os vôos publicitários;
• demais gastos: gastos administrativos, licenciamentos, mão-de-obra auxiliar,
seguro de vida dos passageiros, demais funcionários, acidentes diversos,
divulgação dos serviços, aluguel das áreas de pouso e decolagem etc.: R$
50.000,00, apropriados 60% para os vôos turísticos e 40% para os vôos
publicitários.
23
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

Durante o mês de julho, foram realizados 160 vôos turísticos e alugadas 250
horas para fins publicitários.

Exercício de fixação no. 09 - Solução

Demonstração da margem de contribuição e do resultado do mês de julho

Histórico Vôos Vôos Publicitários


a) Receitas Turísticos
Custos variáveis /////////////////////// ///////////////////////////////
Depreciação dos balões //
Depreciação dos jipes
Serviços em terra
Manutenção dos equipamentos de vôo,
salário dos pilotos e gás propano
Demais gastos
b) Total dos custos variáveis
c) Margem de contribuição (a – b)
d)Margem de contribuição de cada hora
de vôo dos balões
Custos fixos ////////////////////// ///////////////////////////
Serviços em terra
Manutenção dos equipamentos de vôo,
salário dos pilotos e gás propano
Demais custos fixos
e) Total dos custos fixos
f) Resultado antes dos tributos sobre o
lucro (c – e)
Total do lucro antes dos tributos

Durante o mês de julho, um grande empresário fez uma oferta para a contratação de
100 passeios turísticos para brindes a seus funcionários e clientes, pelo total de R$
20.000,00, ou seja, pela mesma taxa horária dos vôos publicitários, R$ 200,00 a
hora.

A diretoria da VaiVai Balão recusou a oferta, visto que o custo total (fixo mais
variável) de cada hora de vôo turístico era mais de R$ 200,00, conforme
informações da contabilidade. Havia horas disponíveis, tanto para os balões como
dos pilotos e dos equipamentos e jipes de resgate.

Com base nestas e nas informações do caso prático anterior:


24
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

• verificar se a diretoria da VaiVai Balão decidiu corretamente pela recusa;


• refaça a demonstração do resultado de julho, considerando que a oferta foi
aceita.

Demonstração da margem de contribuição e do resultado do mês de julho


considerando que a proposta foi aceita

Histórico Vôos Vôos Publicitários


Turísticos
a) Receitas
Custos variáveis /////////////////////// ///////////////////////////////
Depreciação dos balões
Depreciação dos jipes
Serviços em terra
Manutenção dos equipamentos de vôo,
salário dos pilotos e gás propano
Demais gastos
b) Total dos custos variáveis
c) Margem de contribuição (a – b)
d)Margem de contribuição de cada hora
de vôo dos balões
Custos fixos ///////////////////// //////////////////////////
Serviços em terra
Manutenção dos equipamentos de vôo,
salário dos pilotos e gás propano
Demais custos fixos
e) Total dos custos fixos
f) Resultado antes dos tributos sobre o
lucro (c – e)
Total do lucro antes dos tributos
25
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

EXERCÍCIO Nº O1 – Pesquisa

1. “A Contabilidade de Custos, até o Século XVIII, foi muito difundida”.


Você concorda? Justifique sua resposta.

2. Por que é necessário que as empresas industriais tenham um bom


sistema de custos?

3. Os fatores de custo de um produto em uma empresa industrial são os


mesmos que em uma comercial? Justifique.

4. Qual foi o motivo principal para o surgimento da Contabilidade de Custos?

5. Quais os novos campos da Contabilidade de Custos? Quais suas funções


nesses campos?

6. Somente as empresas industriais devem utilizar-se da Contabilidade de


Custos? Justifique.

7. Temos despesas ao comprarmos matéria-prima? Quando a matéria-prima é


consumida na produção, temos um gasto? E quando embalamos um produto,
temos um custo? Justifique.

8. “Cada componente do processo de produção de uma empresa é uma


despesa que, na venda do produto, transforma-se em perda”. Você
concorda? Justifique.

9. Caracterize perda. Dê exemplos. Quando as perdas podem ser consideradas


despesas ou custos?

10. “Só existem custos nas empresas industriais; em qualquer outro tipo de
empresa existem despesas”. Opine a respeito.

11. Diferencie investimento de custo.

12. Se uma empresa usar para diversos períodos sistemas de rateios diferentes,
o que poderá ocorrer com suas Demonstrações Contábeis? Estará sendo
ferida alguma norma básica de Contabilidade?

13. Quais critérios devem ser seguidos para a separação entre custos e
despesas?
26
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

14. Se determinado produto, antes de ser colocado à venda, tiver de ser


embalado, essa embalagem deve ser considerada despesa ou custo?
Justifique.

15. Os gastos de pesquisa e desenvolvimento de produtos novos devem ser


considerados como custo dos produtos? Justifique.

16. Podemos considerar como lucro líquido a diferença entre o preço de venda e
o custo do produto vendido, deixando para reconhecer a comissão do
vendedor apenas quando recebermos o valor da transação? Justifique.

17.A separação dos custos em diretos e indiretos é feita em relação a que?

18.Podemos considerar os salários dos almoxarifes como custos diretos já que


eles manuseiam matéria-prima? Justifique.

19.Se um equipamento tem sua vida útil determinada por horas de trabalho,
podemos considerar sua depreciação como custo direto de cada produto por
ele processado? Se não houver, nesse caso, ninguém que meça quanto
tempo se está empregando do equipamento em cada produto, poderemos
efetuar um rateio e ainda considerar a depreciação como custo direto?
Justifique.

20.Se um operário direto da pintura passa uma semana trabalhando na reforma


do prédio, deixam os seus salários e encargos de serem considerados como
custo direto? Justifique.

21.Custo fixo é aquele que é fixo por unidade do produto?

22.Qual a relação entre custo direto e custo variável?

23.Custos variáveis são sinônimos de custos de transformação? Por que?

24.Se não fizer a separação entre custos e despesas incorridos em determinado


período, o que poderá acontecer com o valor do estoque e do lucro?

25.Pode haver situações em que essa separação não seja necessária para a
determinação do lucro? Justifique.

26.Qual a seqüência básica para uma boa apropriação de custos?

27.Quantos podem ser os critérios de contabilização de custos?

28.O que você entende por depreciação? Por que é considerada como custo ou
despesa?
27
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

EXERCÍCIO Nº 02 – Pesquisa

1.O que você entende por uma empresa industrial? Cite um exemplo de um
processo industrial, ou seja, a transformação de matérias-primas em produtos
acabados.

2.De que maneira um eficiente sistema de apuração de custos pode contribuir para a
sobrevivência das empresas modernas que atuam em um ambiente
extremamente competitivo e na chamada economia globalizada?

3.O que você entende por custo de produção de bens e serviços? Quais são os
principais custos necessários para a produção de um bem?

4.Como os gastos de uma empresa podem ser classificados?

5.Conceitue desembolsos. Dê exemplo de um desembolso depois da ocorrência do


gasto.

6.Conceitue despesas. Dê exemplos de despesas diretamente relacionadas com a


obtenção de receitas com as vendas de produtos acabados.

7.Conceitue perdas e desperdícios. Dê pelo menos dois exemplos de cada.

8.Como se classificam os gastos em relação às variações no volume da produção e


das vendas?

9.Como se classificam os gastos em relação à forma de identificação e apropriação


aos diversos produtos fabricados simultaneamente?

10.O que você entende por custos fixos? Dê exemplos. Quais são os principais
custos fixos de um escritório de consultoria financeira?

11.O que você entende por custos variáveis? Dê exemplos. Quais são os principais
custos variáveis de uma rede de supermercados?

12.O que você entende por custos diretos? Quais são os custos diretos mais
comuns nas indústrias? Em uma oficina mecânica, quais são os principais custos
diretos?

13.O que você entende por custos indiretos? Quais são os custos indiretos mais
comuns nas indústrias? Em um hospital, quais são os principais custos indiretos?

14.Comente os critérios para rateio dos custos indiretos de fabricação. Quais são os
critérios mais comuns?
28
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

15.Destaque e comente pelo menos cinco objetivos da apuração dos custos de


produção.

16.Na fabricação de bolsas, sapatos e cintos, quais seriam, em sua opinião, os


principais custos diretos? De que maneira a mão-de-obra pode ser identificada e
apropriada diretamente como custo de cada produto fabricado pela empresa?

17.Em uma indústria de vestuários, quais seriam os principais custos diretos? De


que maneira as matérias-primas podem ser identificadas e apropriadas
diretamente como custo de cada produto fabricado pela empresa?

18.Quais são os gastos que devem ser incluídos no custo de aquisição de matérias-
primas e outros materiais diretos utilizados na produção?

19.Comente os tributos incidentes sobre as compras dos materiais de produção, que


podem ser recuperados pelas indústrias. Dê um exemplo.

20.Quais são os métodos de valoração dos estoques? Quais são seus objetivos?

21.Qual o método de valoração dos estoques que não é aceito pela legislação
tributária? Por quê?

22.O que quer dizer os termos CIF e FOB?

23.As aquisições de materiais na modalidade CIF, quais são os gastos de


responsabilidade da empresa compradora?
29
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

EXERCÍCIO Nº 03 – Pesquisa

01.Distinga desperdício de perda com materiais no processo produtivo.


Exemplifique.

02.Quando ocorrem os descontos financeiros, os descontos comerciais e os


abatimentos? Como devem ser considerados em relação ao valor da compra?

03.Pela Lei das Sociedades por Ações, qual o tratamento mais apropriado a ser
dado contabilmente ao ICMS?

04.Fale sobre os critérios de valorização de estoques PEPS – primeiro a entrar,


primeiro a sair –, UEPS – último a entrar, primeiro a sair – e Média Ponderada
Móvel.

05.O que distingue, em Contabilidade de Custos, uma sucata de um subproduto?

06.”Embora seja contratado para exercer função direta na produção, pode o trabalho
de um funcionário ser transformado, por várias razões, em mão-de-obra indireta,
logo, é melhor que o classifiquemos como indireto”. Você concorda com essa
afirmação? Quais são as razões para haver a mudança mencionada?

07.Qual a distinção básica entre mão-de-obra e folha de pagamento?

08.Custos com refeitório devem ser incluídos como parte dos Encargos Sociais e
acrescidos para efeito de taxa horária de mão-de-obra?

09.Fale sobre custeio direto.

10.Fale sobre custeio por absorção.

11.Quais são os riscos, para fins de tomada de decisão, decorrentes da alocação de


custos fixos aos produtos?

12.Podemos dizer que Margem de Contribuição é a diferença entre o preço de


venda e o custo direto de um produto?

13.No caso de usarmos o conceito de Contribuição Marginal para estudar a


conveniência ou não de aceitação de uma proposta, podemos afirmar que a
empresa está se utilizando do conceito econômico de lucro marginal?

14.Qual a diferença entre uma Demonstração de Resultados com base no uso da


Margem de Contribuição e uma outra da forma tradicional, com a inclusão dos
custos fixos nos produtos?
30
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

15.O que significa “Ponto de Equilíbrio”?

16.O que é “Margem de Segurança”?


17.Qual o significado de “Alavancagem Operacional?”

18.Diferencie os Pontos de Equilíbrio Contábil, Econômico e Financeiro.

19.O que ocorre no Ponto de Equilíbrio quando há um aumento de x% nos custos e


despesas fixos?

20.O que ocorre no Ponto de Equilíbrio quando há um aumento de x% nos custos e


despesas variáveis?

21.Por que uma estrutura diferenciada de custos pode fazer com que os lucros de
duas empresas reajam diferentemente a um mesmo fator?

22.Após conseguir um faturamento que supere o Ponto de Equilíbrio, quem ganha


mais: uma empresa que possui grandes custos fixos ou o contrário. Justifique.

23.O conceito do Ponto de Equilíbrio aplica-se às empresas que fabriquem vários


produtos diferentes? Justifique.

24.Quando existem Custos Indiretos de Fabricação, comuns a vários produtos,


como podemos adaptar a aplicação do cálculo do Ponto de Equilíbrio?
31
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

EXERCÍCIO Nº 04 – Pesquisa

1.O que são princípios fundamentais de contabilidade?

2.Quais são os princípios fundamentais de contabilidade mais importantes para a


contabilidade de custos?

3.Além dos salários propriamente ditos, quais são os outros gastos que devem ser
considerados como custo da mão-de-obra, para efeito de apuração dos custos de
produção de bens e serviços?

4.Conceitue mão-de-obra direta.

5.Conceitue mão-de-obra indireta.

6.Cite pelo menos cinco exemplos de encargos sociais e trabalhistas que oneram a
folha de pagamento das empresas.

7.Comente a provisão para férias e 13o. salário.

8.Na implantação de um sistema de custos, quais são os aspectos da empresa que


requerem um profundo entendimento prévio?

9.Comente a linha de produção contínua ou por processo. Quais são as suas


principais características?

10.Comente a linha de produção por encomenda. Quais são as suas principais


características?

11.Dê exemplos de linha de produção contínua e por encomenda.

12.O que são “unidades equivalentes de produção”? Por que há necessidade de


utilizar tal artifício na apuração de custos por processo?

13.Quais são os custos fixos mais relevantes em uma empresa de aviação comercial
para transporte de cargas?

14.Quais são os custos variáveis mais relevantes em uma empresa especializada


em transporte marítimo de petróleo?

15.Supondo que você vai abrir um escritório de administração e consultoria


financeira após a conclusão do curso de graduação, em sua opinião, quais
seriam os custos fixos e variáveis mais relevantes? Como você classificaria os
32
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

custos com os programas de informática necessários para atender a seus futuros


clientes? Fixos ou variáveis, diretos ou indiretos?

EXERCÍCIO Nº 05 – Pesquisa

1.Quais são os princípios e os métodos de custeio da produção de bens e serviços,


segundo Bornia? Destaque a diferença entre os princípios e os métodos.

2.Quais são as vantagens, como instrumento gerencial, da utilização do custeio


variável?

3.Por que o custeio variável não é aceito pela legislação do imposto de renda?

4.Atualmente, a maioria das indústrias trabalha com um nível mínimo de estoques,


dentro da filosofia just in time. Nesses casos, há efeitos relevantes na apuração do
resultado do período, caso a empresa dote o custeio variável em vez do custeio
por absorção? Justifique sua resposta.

5.Os críticos do custeio por absorção são de opinião que um dos problemas para a
adoção desse critério é a necessidade de ratear os custos fixos aos produtos
utilizando critérios inadequados de rateio. Comente essa problemática.

6.Os críticos da metodologia do custeio variável argumentam que os custos fixos


fazem parte do custo dos produtos e, portanto, nada justifica sua não-inclusão nos
custos de produção. Comente essa crítica, justificando suas opiniões.

7.Qual é a importância da correta identificação e separação dos custos e despesas


variáveis, para fins de determinação da margem de contribuição?

8.Por que, na maioria das organizações e departamentos, os gerentes não podem


ser responsabilizados pelos custos e despesas fixos?

9.O que é margem de contribuição? Dê um exemplo numérico.

10.Cite exemplos de informações úteis para o gerenciamento de uma empresa que


podem ser obtidas com a apuração e análise das margens de contribuições.

11.Qual é a utilidade da apuração da margem de contribuição para a análise de


desempenho de um departamento?

12.Cite exemplo de uma empresa prestadora de serviços e comente a análise da


margem de contribuição de cada serviço oferecido pela empresa.

13.Comente a utilização da margem de contribuição para tomada de decisões


envolvendo eliminação da produção de determinados produtos.

14.Qual é a definição do ponto de equilíbrio contábil?


33
Contabilidade Gerencial –- Prof: Emilio Sérgio de Oliveira Werneck

15.Qual é a definição do ponto de equilíbrio financeiro?

16.Qual é a definição do ponto de equilíbrio econômico?

17.O que é grau de alavancagem operacional?

18.Qual é a utilidade do cálculo do ponto de equilíbrio contábil de uma atividade para


fins de gerenciamento de uma empresa?

19.Desenvolva as fórmulas para obtenção algébrica do ponto de equilíbrio contábil.

20.Para a obtenção do ponto de equilíbrio financeiro, por que devem ser excluídos
os gastos que não representam saídas de numerários?

21.Qual é a utilidade do cálculo do grau de alavancagem operacional para fins de


gerenciamento de uma empresa?

22.No cálculo do ponto de equilíbrio, qual é a importância da segregação dos gastos


fixos dos gastos variáveis?

23.Nas atividades nas quais a margem de contribuição dos produtos ou mercadorias


é pequena – supermercados, por exemplo –, a empresa precisa vender muito
para a obtenção de lucro. Comente essa afirmativa, dizendo se concorda ou não.
Por quê?

24.Suponha duas empresas concorrentes, que fabricam o mesmo produto, com


preços de vendas semelhantes. Seus gastos totais (fixos mais variáveis) para
cada unidade produzida e vendida também são semelhantes. Nessas
circunstâncias, em uma situação favorável de mercado, caracterizada pela
grande procura pelos produtos, a empresa que tiver uma estrutura maior de
custos fixos em relação ao concorrente tende a obter um lucro superior.
Comente essa afirmativa, dizendo se concorda ou não. Por quê?