Você está na página 1de 58

APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO

Profº Mozart
Reengenharia.
"Os fracos não tentam; os covardes tentam e desistem; Benchmarking.
Capital Intelectual.
mas a vitória é para aqueles que possuem coragem ." Estratégia organizacional e conclusões sobre a
Administração do Século XXI.

11)CONTROLE
Professor Mozart Rocha Importância. Conceito. Características.
INTRODUÇÃO À TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO Classificação e tipos de padrões.
Assuntos abordados
12)AÇÃO ADMINISTRATIVA
 Programa Oficial de Administração EAGS - SAD Os fatores de produção.
 Administração: ciência e técnica. Setores funcionais básicos da empresa.
 Conceitos, conteúdo e objeto de estudo da administração.
E s ta d o a tu a l d a a dm in i s tra ç ã o e s u a a p l i c a ç ã o 13)ADMINISTRAÇÃO
n a sociedade moderna. Administração da produção' conceito e generalidades.
Administração de Marketing: conceito e generalidades.
Programa Oficial – SAD / ADMINISTRAÇÃO Administração de pessoal: conceito e generalidades.
Administração financeira: conceito e generalidades.
1) INTRODUÇÃO À TEORIA DA ADMINISTRAÇÃO
Administração: ciência e técnica. Introdução à Teoria Geral da Administração
Conceitos, conteúdo e objeto de estudo da administração.
s Instituições que compõem e dinamizam a
Estado atual da administraç ão e s ua aplic ação na
sociedade moderna.

2) ANTECEDENTES HISTÓRICOS DA ADMINISTRAÇÃO


A sociedade moderna não funcionam ao acaso. Elas
precisam ser administradas. Essas instituições são
constituídas de pessoas que administram
conhecimentos, recursos físicos e materiais,
Influência dos filósofos: cientistas, empreendedores e financeiros, tecnológicos, mercadológicos, etc. As pessoas
organizações. nascem, crescem, aprendem, vivem, trabalham, se divertem,
são tratadas e morrem dentro das organizações. Há uma
3) A ABORDAGEM CLÁSSICA DA estreita interdependência: a vida das pessoas depende das
ADMINISTRAÇÃO Administração Científica. organizações e estas dependem da atividade e do trabalho
Teoria Clássica da Administração. das pessoas. A sociedade moderna depende das
organizações. Ela é basicamente uma sociedade de
4) A ABORDAGEM HUMANÍSTICA DA ADMINISTRAÇÃO organizações. Para que as organizações possam ser
Teorias Transitivas da Administração. adequadamente administradas, elas precisam ser estudadas,
Teorias das Relações Humanas. conhecidas e analisadas. Essa é a razão pela qual a Teoria
Decorrências da Teoria das Relações Humanas. das Organizações (TO) sempre caminhou à frente da Teoria
Geral da Administração (TGA), dando-lhe as bases Teóricas
5) A ABORDAGEM NEOCLÁSSICA DA de suporte. No fundo, a TGA é uma decorrência das
ADMINISTRAÇÃO Teoria Neoclássica da Administração. conclusões extraídas da TO.
Decorrência da Abordagem Neoclássica: processo
administrativo, tipos de organização e A administração trata do planejamento, da organização
departamentalização. (estruturação), da direção e do controle de todas as
atividades diferenciadas pela divisão de trabalho que ocorre
Administração por Objetivos (APO).
dentro de uma organização. Sem a Administração, as
6) A ABORDAGEM ESTRUTURALISTA DA organizações jamais teriam condições de sobreviver e
ADMINISTRAÇÃO crescer. A TGA é campo do conhecimento humano que se
Modelo burocrático da organização. Teoria ocupa do estudo da Administração das organizações em
estruturalista da administração. geral e das empresas em particular.
Existem três tipos de habilidades que o administrador deve
7) A ABORDAGEM COMPORTAMENTAL DA possuir para trabalhar com sucesso: a Habilidade técnica, a
ADMINISTRAÇÃO humana e a conceitual:
Teoria comportamental da administração.
Teoria do Desenvolvimento Organizacional.  Habilidade técnica: consiste em utilizar conhecimentos,
métodos, técnicas e equipamentos necessários para a
realização de tarefas específicas por meio da experiência
8) A ABORDAGEM SISTÊMICA DA ADMINISTRAÇÃO
profissional, isto é, hardware disponível.
Informática e administração.  Habilidade humana: consiste na capacidade de
Teoria matemática da administração. discernimento para trabalhar com pessoas, comunicar,
Teoria dos sistemas. compreender suas atitudes e motivações e desenvolver
uma liderança eficaz.
9) A ABORDAGEM CONTINGENCIAL DA  Habilidade conceitual: consiste na capacidade para lidar
ADMINISTRAÇÃO com idéias e conceitos abstratos. Essa habilidade permite
Teoria da contingência que a pessoa faça abstrações e desenvolva filosofias e
Professor Mozart princípios gerais de ação.
msn: mozart.direito@hotmail.com
10)NOVAS orkut: mozart.direito@gmail.com
TENDÊNCIAS DA A combinação dessas habilidades varia à medida que
ADMINISTRAÇÃO a pessoa sobe na escala hierárquica, de posições de
supervisão a posições de alta direção. Na medida em que se
A Era da Informação: mudanças e incertezas.
Qualidade total e Melhoria Contínua. sobe para os níveis mais elevados da organização, diminui a
necessidade de habilidades técnicas, enquanto aumenta a

mozart.direito@gmail.com "Concurso não se faz para Jan/2010 pg. 1


mozart_direito@hotmail.com
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
necessidade de habilidade conceitual. Nos níveis inferiores, O Estado Atual da Teoria Geral da Administração
os chefes e supervisores precisam apenas de habilidade Existem cinco variáveis básicas que influenciam
técnica para lidar com as tarefas. Nos níveis mais altos, os poderosamente a TGA: tarefas, estrutura, pessoas, ambiente
executivos precisam gradativamente de habilidades e tecnologia. Cada teoria administrativa procura valorizar
conceituais para decidir sobre os destinos de sua uma ou algumas dessas variáveis básicas. Ao longo do
organização. século XX, essas teorias administrativas – cada qual com
A TGA se propõe principalmente a desenvolver suas diferentes contribuições e diferentes enfoques –
habilidade conceitual, embora não deixe de lado as contribuíram de maneira cumulativa e abrangente para o
habilidades humanas e técnicas. Em outros termos, ela desenvolvimento da TGA. Na verdade, cada teoria surgiu
busca desenvolver a capacidade de pensar, de definir como uma resposta aos problemas empresariais mais
situações organizacionais complexas, de diagnosticar e de relevantes de sua época, e foi bem-sucedida ao apresentar
propor soluções. As aplicações práticas da TGA serão soluções adequadas para tais problemas. De certo modo,
desenvolvidas através das diferentes disciplinas todas as teorias administrativas são perfeitamente aplicáveis
especializadas da Administração, como Produção, Finanças, às situações atuais e o administrador precisa conhecê-la
Marketing e Recursos Humanos. bem para Ter à sua disposição um naipe de alternativas
A ADMINISTRAÇÃO E SUAS PERSPECTIVAS adequadas a cada situação.
Em uma época de complexidades, mudanças e A administração tornou-se importante na condução
incertezas como a que atravessamos hoje, a Administração da sociedade moderna. Ela não é um fim em si mesma, mas
tornou-se uma das mais importantes áreas da atividade um meio de fazer com que as coisas sejam realizadas da
humana. Vivemos em uma civilização na qual o esforço melhor forma, com o menor custo e com a maior eficiência e
cooperativo do homem é a base fundamental da sociedade, eficácia.
e a tarefa básica da Administração é a de fazer as coisas Perspectivas Futuras da Administração
por meio das pessoas de maneira eficiente e eficaz. O
Cada época desenvolve uma forma organizacional
avanço tecnológico e o desenvolvimento do conhecimento
adequada ao seu desenvolvimento e às suas características
humano, por si apenas, não produzem efeitos se a qualidade específicas. Saímos da Era da Industrialização e estamos
da administração efetuada sobre os grupos organizados de
ingressando na Era da Informação. Isso significa que a
pessoas não permitir uma aplicação efetiva dos recursos
forma organizacional do fim do século XX (organização
humanos e materiais. A Administração, como veremos
burocrática) está
adiante, está sendo considerada a principal chave para a
solução dos mais graves problemas que afligem atualmente
www.professormozart.blogspot.com
o mundo moderno.
Peter Drucker, autor neoclássico, afirma que não
existem países desenvolvidos e países subdesenvolvidos,
desaparecendo e dando lugar a novas arquiteturas
mas sim países que sabem administrar a tecnologia e os
organizacionais soltas e mais adequadas às novas
seus recursos disponíveis e potenciais e países que ainda
demandas da era da pós-industrialização. Os germes dos
não o sabem. O mesmo ocorre com as organizações.
futuros sistemas organizacionais são:
Conteúdo e Objeto de Estudo da Administração
1 – Mudanças cada vez mais rápidas e inesperadas,
A palavra administração vem do latim ad (direção, principalmente no campo do conhecimento e da tecnologia,
tendência para) e minister (subordinação ou obediência), e impondo novas e crescentes necessidades que as atuais
significa aquele que realiza uma função abaixo do comando de organizações não têm condições de atender.
outrem, isto é, aquele que presta um serviço a outro. No 2 – Crescimento em tamanho das organizações, que se
entanto, a palavra administração sofreu uma radical tornam complexas e internacionalizam suas operações.
transformação no seu significado original. A tarefa da 3 – Atividades organizacionais cada vez mais complexas,
Administração é interpretar os objetivos propostos pela exigindo pessoas de competências diversas, envolvendo
organização e transformá-los em ação organizacional por meio problemas de coordenação e, principalmente, de
do planejamento, organização, direção e controle de todos os acompanhamento das rápidas mudanças.
esforços realizados em todas as áreas e em todos os níveis da
A tarefa administrativa nas próximas décadas será
organização, a fim de alcançar tais objetivos da maneira mais incerta e desafiadora, pois deverá ser atingida por uma
eficiente e eficaz. Assim, a Administração é o processo de
infinidade de variáveis, mudanças e transformações
planejar, organizar, dirigir e controlar o uso de recursos, a
carregadas de ambigüidades e de incertezas. E o futuro
fim de alcançar objetivos.
parece complicar cada vez mais essa realidade. Nas
A Teoria Geral da Administração começou com a próximas décadas, os desafio da administração serão:
“ênfase nas tarefas” (atividades executadas pelos operários em  Crescimento das organizações;
uma fábrica), através da Administração Científica de Taylor. A  Concorrência mais aguda;
seguir, a preocupação básica passou para a “ênfase na  Sofisticação da tecnologia;
estrutura” com a Teoria Clássica de Fayol e com a Teoria da  Taxas elevadas de inflação;
Burocracia de Weber, seguindo-se mais tarde da Teoria  Globalização da economia e internacionalização dos
Estruturalista. A reação humanística surgiu com a “ênfase nas negócios;
pessoas”, por meios da Teoria das Relações Humanas, mais  Visibilidade maior das organizações.
tarde desenvolvida pela Teoria Comportamental e pela Teoria
do Desenvolvimento Organizacional. A “ênfase no ambiente”
OS PRIMÓRDIOS DA ADMINISTRAÇÃO
surgiu com a Teoria dos Sistemas, sendo completada pela
A Administração constitui o resultado histórico e
Teoria da Contingência. Esta, posteriormente, desenvolveu a
integrado da contribuição cumulativa de numerosos
“ênfase na tecnologia”. Cada uma dessas cinco variáveis –
precursores, filósofos, físicos, economistas, estadistas e
tarefas, estrutura, pessoas, ambiente e tecnologia – provocou
empresários que, no decorrer dos tempos, foram, cada qual
há seu tempo uma diferente teoria administrativa, marcando
em seu campo de atividade, desenvolvendo e divulgando as
um gradativo passo no desenvolvimento da TGA. Cada teoria
suas obras e teorias.
administrativa privilegia ou enfatiza uma ou mais dessas cinco
variáveis, omitindo ou relegando a segundo plano todas as Apesar dos progressos no conhecimento humano, a
demais. chamada Ciência da Administração somente surgiu no
despontar do século XX. A TGA é uma área nova e recente

mozart.direito@gmail.com Abr/2010 –pg. 2


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
do conhecimento humano. Para que ela surgisse foram simples de se conhecer, para passar gradualmente aos
necessários séculos de preparação e antecedentes mais difíceis.
históricos capazes de permitir e viabilizar as condições 4 Princípio da Enumeração ou da Verificação: Consiste em
indispensáveis ao seu aparecimento. fazer verificações e revisões em tudo, para que nada seja
omitido ou deixado de lado.
Vários princípios da administração, como os da
"Nossa maior fraqueza está em desistir. O caminho mais
divisão do trabalho, da ordem e do controle, são decorrentes
certo de vencer é tentar mais uma vez.” Anônimo dos princípios cartesianos.

Influência da Organização da Igreja Católica


Professor Mozart Rocha
ANTECEDENTES HISTÓRICOS DA
ADMINISTRAÇÃO
Assuntos abordados A través dos séculos, as normas administrativas e
os princípios da organização pública foram se
transferindo das instituições dos Estados para as
Instituições da Igreja Católica e organizações
militares. Isso porque a unidade de propósitos e objetivos –
 Influência dos filósofos da Administração princípios fundamentais na organização eclesiástica e militar –
 Influência dos cientista, empreendedores e organizações. nem sempre é encontrada na ação Política dos Estados, movida
 Abordagem Clássica da Administração
por objetivos contraditórios de cada partido, dirigente ou classe
social.
Influência dos Filósofos
Ao longo dos séculos, A Igreja Católica estruturou a sua

A
organização com uma hierarquia de autoridade, um estado-
administração recebeu influencia da Filosofia
maior (assessoria) e a coordenação funcional para assegurar
desde os tempos da Antigüidade. O filósofo
integração. A organização hierárquica da Igreja é tão simples e
grego Sócrates, em sua discussão com
eficiente que a sua enorme organização mundial pode operar
Nicomaquides, expõe seu ponto de vista sobre a
sob o comando de uma só cabeça executiva: o Papa. A
Administração como uma habilidade pessoal separada do
estrutura da organização eclesiástica serviu de modelo para
conhecimento técnico e da experiência.
muitas organizações que incorporaram seus princípio e normas
Platão, discípulo de Sócrates, analisou os problemas
políticos e sociais decorrentes do desenvolvimento social e www.professormozart.blogspot.com
cultural do povo grego. Em sua obra, A república, expõe a forma
democrática de governo e de administração dos negócios
públicos. administrativas.
Aristóteles, discípulo de Platão, deu o impulso inicial à
Filosofia, abrindo as perspectivas do conhecimento humano. No Influência da Organização Militar
livro Política, sobre a organização do Estado, distingue as três
formas de administração pública: organização militar influenciou as teorias da

1 – Monarquia ou governo de um só (que pode degenerar


em tirania)
2 – Aristocracia ou governo da elite (que pode degenerar
em oligarquia)
A Administração ao longo do tempo. A organização
linear tem suas origens na organização militar
dos exércitos da Antigüidade e da época
medieval. O princípio da unidade de comando
(pelo qual cada subordinado só pode Ter um superior) é o
3 - Democracia ou governo do povo (que pode degenerar núcleo central das organizações militares. A hierarquia – ou
em anarquia) seja, a escala de níveis de comando de acordo com o grau de
autoridade – provém da organização militar. Com o passar dos
Ao longo dos séculos que vão da Antigüidade até o início tempos, na medida em que o volume de operações militares
da Idade Moderna a Filosofia concentrou-se em preocupações aumenta, cresce também a necessidade de delegar autoridade
distanciadas dos problemas administrativos. Francis Bacon, para os níveis mais baixos da organização militar.
filósofo e estadista inglês e fundador da Lógica Moderna O conceito de hierarquia na organização militar é tão
baseada no método experimental e indutivo, mostra a antigo quanto à própria guerra. A evolução do princípio de
preocupação prática de se separar experimentalmente o que é assessoria e de estado-maior teve sua origem no século XVIII
essencial do que é acidental ou acessório. Bacon antecipou-se na Prússia, com o Imperador Frederico II, o Grande. Para
ao princípio administrativo da “prevalência do principal sobre o aumentar a eficiência do seu exército, criou um estado-maior
acessório”. (staff) para assessorar o comando (linha) militar. Os oficiais de
O maior expoente da época foi René Descartes. Filósofo, assessoria trabalhavam independentemente, numa separação
matemático e físico francês, é o fundador da Filosofia Moderna. entre planejamento e execução das operações de guerra.
Criou as coordenadas cartesianas e deu impulso à matemática e Oficiais formados no estado-maior eram transferidos para
Geometria da época. Na Filosofia, celebrizou-se pelo livro O posições de comando e novamente para o estado-maior, o que
Discurso do Método, no qual descreve seu método filosófico assegurava experiência e vivência nas funções de gabinete, de
denominado “método cartesiano”, cujos princípios são: campo e novamente de gabinete.
1 Princípio da Dúvida Sistemática ou da Evidência: Consiste Outra contribuição da organização militar é o princípio de
em não aceitar como verdadeira coisa alguma enquanto direção, por meio do qual todo soldado deve saber o que se
não se souber com evidência aquilo que é realmente espera dele e o que ele deve fazer.
verdadeiro.
2 Princípio da Análise ou de Decomposição: Consiste em No início do século XIX, o general prussiano Carl Von
dividir e decompor cada dificuldade ou problema em tantas Clausewitz escreveu o Tratado sobre a Guerra e os Princípios
da Guerra. Foi o inspirador dos teóricos da Administração que
partes quantas sejam possíveis e necessárias à sua
solução, a fim de resolver cada uma separadamente. se basearam na organização e estratégia militares para adaptá-
3 Princípio da Síntese ou da Composição: Consiste em las à organização e estratégia empresariais.
conduzir ordenadamente os pensamentos e o raciocínio,
começando pelos objetivos e assuntos mais fáceis e

mozart.direito@gmail.com Abr/2010 –pg. 3


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
Clausewitz considerava a disciplina um requisito econômicos são inalienáveis e deve existir uma harmonia
fundamental para a organização. Para ele, toda organização preestabelecida em toda coletividade de indivíduos. Segundo o
requer planejamento, no qual as decisões devem ser científicas liberalismo, a vida econômica deve afastar-se da influência
e não intuitivas. estatal, pois o trabalho segue os princípios econômicos e a mão-
de-obra está sujeita às mesmas leis da economia que regem o
Influência da Revolução Industrial comércio ou o mercado de matérias-primas.
As idéias básicas dos economistas clássicos liberais
om a invenção da máquina a vapor por James constituem os germes do pensamento administrativo de nossos

C Watt e a sua aplicação à produção, surgiu uma


nova concepção de trabalho que modificou
completamente a estrutura social e comercial da
época, provocando profundas mudanças de ordem econômica,
dias. Adam Smith é o fundador da economia clássica, cuja idéia
central é a competição. Os mercados em que vigora a
competição funcionam espontaneamente, de modo a garantir a
alocação dos recursos e da produção sem que haja excesso de
política e social que, num lapso de um século, foram maiores do lucros. Por essa razão, o único papel econômico do governo é a
que as mudanças havidas em todo o milênio anterior. É a intervenção na economia quando o mercado deixa de funcionar
chamada Revolução Industrial, que passou por duas épocas em condições satisfatórias, ou seja, quando não ocorre
distintas: competição livre. Em seu livro A Riqueza Das Nações, publicado
em 1776, Adam Smith apregoa que a origem da riqueza das
1780 a 1860: 1ª Revolução Industrial ou revolução do carvão nações reside na divisão do trabalho e na especialização das
e do ferro tarefas, preconizando o estudo dos tempos e movimentos que,
mais tarde, Taylor e Gilbreth iriam desenvolver como base
1860 a 1914: 2ª Revolução Industrial ou do aço e da fundamental da Administração Científica.
eletricidade No início do século XX, o socialismo e o sindicalismo
passam a obrigar o capitalismo a enveredar pelo caminho do
A 1ª Revolução Industrial apresenta quatro fases aperfeiçoamento de todos os fatores de produção envolvidos e
distintas: na sua adequada remuneração. Quanto maior a pressão
1ª fase: Mecanização da indústria e da agricultura. exercida pelas exigências proletárias, menos graves se tornam
2ª fase: Aplicação da força motriz à indústria. as injustiças e mais acelerado se configura o processo de
3ª fase: Desenvolvimento do sistema fabril. desenvolvimento da
4ª fase: Espetacular Crescimento dos transportes e das tecnologia.
comunicações. Dentro dessa www.professormozart.blogspot.com
A 2ª Revolução Industrial começa por volta de 1860, situação,
provocada por três acontecimentos importantes: o novo surgem os
primeiros esforços nas empresas capitalistas para a implantação
processo de fabricação do aço; o aperfeiçoamento do dínamo e
a invenção do motor de combustão interna. de métodos e processo de racionalização do trabalho.

Da calma produção do artesanato, em que os operários Influência dos Pioneiros e Empreendedores


eram organizados em corporações de ofício regidos por
estatuto, em que se conheciam, passou-se rapidamente para o O século XIX assistiu a um monumental desfilo de
regime de produção por meio de máquinas, dentro de grandes inovações de mudanças no cenário empresarial. O mundo
fábricas. Houve uma súbita modificação da situação provocada estava mudando. E as empresas também. As condições para o
por dois aspectos, a saber: aparecimento da teoria administrativa estavam se consolidando
 A Transferência da habilidade do artesão para a gradativamente.
máquina. Antes de 1850, poucas empresas tinham uma estrutura
 A substituição da força do animal ou do músculo administrativa definida. Poucas empresas exigiam serviços de
humano pela maior potência da máquina a vapor, um administrador. Em geral eram negócios de família, em que
permitindo maior produção e maior economia. dois ou três parentes cuidavam das atividades principais. O
Assim, a Revolução Industrial provocou profundas presidente era tesoureiro, comprador ou vendedor e atendia aos
modificações na estrutura empresarial e econômica da época. agentes comissionados.
Mas não chegou a influenciar os princípios de administração das A partir de 1870, surgiram os primitivos impérios
empresas então utilizadas. Os dirigentes de empresas trataram industriais, aglomerados de empresas que se tornaram grandes
de cuidar como podiam ou como sabiam das demandas de uma demais para serem dirigidos pelos pequenos grupos familiares.
economia em rápida expansão e tinham por modelo as
organizações militares ou eclesiásticas nos séculos anteriores. Procurava-se maior eficiência na produção, compras,
distribuições e vendas. Os meios de reduzir custos diminuíram,
A organização e a empresa moderna nasceram com a as margens de lucro baixaram, o mercado foi-se tornando
Revolução Industrial graças a fatores como: saturado e as empresas começaram a procurar mercados por
a) A ruptura das estruturas corporativas da meio da diversificação de produtos. A velha estrutura funcional
Idade Média; começou a emperrar. Surge a empresa integrada e
b) O avanço tecnológico, graças à aplicação multidepartamental.
dos progressos científicos à produção, com
a descoberta de novas formas de energia e Na virada do século XX, grandes corporações
a enorme ampliação de mercados. sucumbiram financeiramente. Dirigir grandes empresas não era
c) A substituição do tipo artesanal por um tipo apenas uma questão de habilidade pessoal como muitos
industrial de produção. empreendedores pensavam. Estavam criadas as condições para
o aparecimento dos grandes organizadores da empresa
moderna. Estava chegando a era da competição e da
Influência dos Economistas e do Liberalismo
decorrência como concorrência dos seguintes fatores:
1 – Desenvolvimento tecnológico e disseminação do
o término do século XVIII, os economistas conhecimento que permitiu que um crescente número de

A clássicos liberais conseguem aceitação de suas


teorias. A reação para o liberalismo culmina com a
revolução Francesa. Os bens naturais, sociais e
empresas e nações concorressem nos mercados mundiais.
2 – O livre comércio.
3 – A mudança dos mercados vendedores para mercados

mozart.direito@gmail.com Abr/2010 –pg. 4


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
compradores. Inúmeros fatores causarão impactos sobre as
4 – O aumento da capacidade de investimento de capital e organizações. A Sociedade moderna está passando por grandes
elevação dos níveis de ponto de equilíbrio. transformações: As chamadas megatendências, cujos reflexos
5 – A rapidez do ritmo de mudança tecnológica, que torna
nas organizações e na sua administração são profundos e
obsoleto um produto ou reduz drasticamente seus custos de
produção. marcantes.
6 – O crescimento dos negócios e das empresas.
Todos esses fatores iriam completar as condições Essas megatendências são:
propícias para a busca de bases científicas para a melhoria da
prática empresarial e para o surgimento da teoria administrativa. 1 – Da sociedade industrial para a sociedade de
informação;
2 – Da tecnologia simples para a alta tecnologia;
ADMINISTRAÇÃO: Ciência e Técnica 3 – Da economia nacional para a economia mundial;
4 – Do curto para o longo prazo;
O estudo da Administração requer uma base metodológica 5 – Da democracia representativa para a democracia
que lhe proporcione sustentação científica e rigor lógico. A participativa:
metodologia científica permite uma definição mais clara das 6 – Da opção dual para a opção múltipla;
diversas teorias administrativas, deixando de lado o enfoque 7 – Da centralização para a descentralização
absolutamente empírico. 8 – Da ajuda institucional para a auto-ajuda.
Na extensa bibliografia sobre administração, nota-se que a
sua classificação como ciência ou como técnica fica a critério de O sucesso das organizações dependerá de sua
cada autor, não faltando aqueles que a classificam como uma capacidade de ler a realidade externa, rastrear mudanças e
arte. Quem define a Administração como uma arte realizará transformações, identificar oportunidades ao seu redor para
estudos e descrições diferentes daqueles que a definem como responder pronta e adequadamente a elas, de um lado, e
uma técnica ou como uma ciência. reconhecer ameaças e dificuldades para neutralizá-las ou
A ciência não cria as coisas nem os objetos. Estes já estão amortecê-las, de outro lado.
contidos na realidade. A ciência procura conhecê-los, explicá-los
e predizer seu comportamento. Ciência significa conhecer, A ênfase pragmática nas técnicas e no “como fazer as
compreender e explicar a realidade. A ciência busca coisas”, com
primordialmente o conhecimento e a explicação. a utilização www.professormozart.blogspot.com
de fórmulas e
A técnica, por sua vez, é uma complementação da ciência.
Seu objetivo é a operação ou manipulação da realidade, isto é, receitas universais de
sua transformação por meio de normas ou procedimentos gerência já utilizadas com sucesso, sem que se visualize cada
executados sobre a realidade das coisas e objetos. Enquanto a nova e diferente situação, não basta. Mais importante do que
ciência explica por meio de hipóteses e teorias, a técnica opera saber como fazer é saber o que fazer. Nisso reside a essência
tais objetos segundo procedimentos, programas e regras que fundamental da administração contemporânea: a visão
normatizam a operação para transformá-los de acordo com as estratégica de cada operação, ou em outras palavras: a
necessidades. Enquanto a ciência fornece o conhecimento e a
necessidade de visualizar cada tarefa, cada atividade em um
explicação para a técnica, esta realimenta a ciência com
informações que lhe permitem avaliar, confirmar ou modificar os contexto ambiental mais amplo e que se modifica a cada
conhecimentos científicos.A arte não busca a explicação nem a momento
compreensão da realidade de um objeto (tal como a ciência) e
tampouco busca transformar ou operacionalizar as coisas (tal
como a técnica). O objeto da atitude artística é de essência
completamente diferente: realiza-se de forma individual,
subjetiva e vivencial para ser comunicada ou não a outros
indivíduos.
Há uma polêmica sobre a categorização da
Administração: há autores que a consideram uma ciência,
enquanto outros a concebem como uma técnica e há aqueles
que chegam a considerá-la uma arte. Pelo que vimos a respeito
do conteúdo da arte, concluímos que fica difícil considerar a
Administração como arte, pois nela não cabem as vivências
espirituais nem as interpretações subjetivas e emocionais da
realidade. Ao descartarmos a Administração como arte, restam
três alternativas possíveis: A Administração como ciência, como
técnica ou como ambas ao mesmo tempo. Realmente, a última
alternativa parece a mais correta. A Administração é uma
ciência que estuda as organizações com a finalidade descritiva e
explicativa para compreender sua natureza e funcionamento,
sua evolução e crescimento e seu comportamento. Nesse
sentido, como ciência, a Administração gera teorias e hipóteses
que permitem abordagens prescritiva e normativa vinculadas à
técnica de administração, que trata de conduzir as organizações
aos objetivos visados. Se a técnica atua sem o conhecimento do
que está ocorrendo, ela passa a ser um ensaio meramente
empírico e não científico.

AS MEGATENDÊNCIAS

mozart.direito@gmail.com Abr/2010 –pg. 5


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
face à concorrência e à competição entre as
"A História é feita de inúmeros atos de coragem e empresas. Surge a divisão do trabalho entre os
crença.” John Kennedy que pensam e os que executam. Os primeiros
fixam os padrões de produção, descrevem os
cargos, fixam funções, definem métodos e
normas de trabalho, criando as condições
econômicas e técnicas para o surgimento do
Professor Mozart Rocha
taylorismo nos Estados Unidos e do fayolismo na
ABORDAGEM CLÁSSICA DA Europa.
ADMINISTRAÇÃO
Assuntos abordados
 Abordagem Clássica da Administração ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA
 Administração Científica

A
abordagem típica da Escola da Administração
Científica é a ênfase nas tarefas, isto é, nas
Abordagem Clássica da Administração
atividades cotidianas do operário. O nome
Administração Científica é devido à tentativa de aplicação dos

N
o despontar do século XX, surgiu a Abordagem métodos da ciência aos problemas da Administração, a fim de
Clássica da Administração. Ela é desdobrada em duas alcançar maior eficiência industrial. Os principais métodos
orientações diferentes e, até certo ponto, opostas científicos aplicáveis aos problemas da Administração são a
entre si, mas que se complementam com relativa observação e a mensuração. A Escola da Administração
coerência: Científica foi iniciada no começo do século XX pelo engenheiro
1. De um lado, a Administração Científica desenvolvida nos americano Frederick W. Taylor. Taylor teve inúmeros seguidores
Estados Unidos, a partir dos trabalhos de Taylor. A (como Gantt, Gilbreth, Emerson, Ford e Barth).
preocupação era aumentar a eficiência no nível
operacional, isto é, no nível dos operários. Daí a ênfase 1 – Primeiro Período de Taylor
na análise e na divisão do trabalho do operário, uma O primeiro período de Taylor corresponde à época da
vez que as tarefas do cargo e o ocupante constituem a publicação do seu livro Shop Management (Administração de
unidade fundamental da organização. Neste sentido a Oficinas), sobre as técnicas de racionalização do trabalho do
abordagem da Administração Científica, é uma operário, por
abordagem de baixo para cima (do operário para o meio do
gerente) e das partes (operários e seus cargos) para o www.professormozart.blogspot.com
Estudo de
todo (organização da fábrica). Predominava a atenção Tempos e
para o método de trabalho, para os movimentos Movimentos. Taylor começou por baixo, efetuando um paciente
necessários à execução de uma tarefa, para o tempo trabalho de análise das tarefas de cada operário, decompondo
padrão determinado para sua execução. O cuidado seus movimentos e processos de trabalho, aperfeiçoando-os e
analítico e detalhista permitia a especialização do racionalizando-os gradativamente.
operário e o reagrupamento de operações, tarefas,
cargos etc., que constituem a chamada organização
2 – Segundo Período de Taylor
racional do trabalho (ORT): uma engenharia industrial
dentro de uma concepção pragmática. A ênfase nas Corresponde à época da publicação do seu livro Princípios de
Administração Científica quando concluiu que a racionalização
tarefas é a principal característica da Administração
Científica. do trabalho do operário deve ser acompanhada de uma
estruturação geral da empresa para tornar coerente a aplicação
2. De outro lado, a corrente dos anatomistas e
dos seus princípios.
fisiologistas da organização, desenvolvida na França,
com os trabalhos pioneiros de Fayol. A essa corrente Para Taylor, as indústrias de sua época padeciam de três males:
- Vadiagem sistemática dos operários.
chamaremos Teoria Clássica. A preocupação era
- Desconhecimento, pela gerência, das rotinas de trabalho e do
aumentar a eficiência da empresa por meio da forma e
disposição dos órgãos componentes da organização tempo necessário para sua realização.
- Falta de Uniformidade das técnicas e métodos de trabalho.
(departamentos) e de suas inter-relações estruturais.
Para sanar esses três males, idealizou um sistema que
Daí a ênfase na anatomia (estrutura) e fisiologia
denominou de Scientific Management e que foi difundido sob os
(funcionamento) da organização. A abordagem da
nomes de Administração Científica, Sistema de Taylor, Gerência
Teoria Clássica é uma abordagem inversa à
Científica, Organização Científica do trabalho e Organização
administração Científica: de cima para baixo (da direção
Racional do Trabalho. Segundo Taylor, Administração Científica
para a execução) e do todo (organização) para as suas
é antes uma evolução e não uma teoria, tendo como
partes componentes (departamentos). A ênfase na
ingredientes 75% de análise e 25% de bom senso. A
estrutura é a sua principal característica.
implantação da Administração Científica deve ser gradual para
evitar alterações bruscas que causem descontentamento por
Origens da Abordagem Clássica
parte dos empregados e prejuízo aos patrões.
Apesar de sua atitude pessimista a respeito da natureza
As origens da Abordagem Clássica da Administração remontam humana, Taylor se preocupou em criar um sistema educativo
às conseqüências geradas pela Revolução Industrial e podem baseado na intensificação do ritmo de trabalho em busca da
ser resumidas em dois fatos genéricos, a saber: eficiência empresarial e, em um nível mais amplo, reduzir a
perda que o país vinha sofrendo com a vadiagem e ineficiência
1. O crescimento acelerado e desorganizado das dos operários.
empresas, ocasionando gradativa complexidade
na sua administração e exigindo uma abordagem Administração como Ciência
científica e mais apurada que substituísse o Para Taylor, a organização do trabalho deve ser
empirismo e a improvisação até então estudada e tratada cientificamente e não empiricamente. A
dominantes. improvisação deve ceder lugar ao planejamento e o empirismo à
2. A necessidade de aumentar a eficiência e a ciência: a Ciência da Administração. Inovou ao fazer a análise
competência das organizações, no intuito de se completa do trabalho, inclusive dos tempos e movimentos,
obter o melhor rendimento dos recursos e fazer estabelecer padrões de execução, treinar operários, especializar

mozart.direito@gmail.com Abr/2010 –pg. 6


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
o pessoal, inclusive o de gerência, instalar uma sala de 2. Adaptação dos operários à tarefa.
planejamento, em resumo, assumir uma atitude metódica ao 3. Treinamento dos operários.
analisar e organizar a unidade fundamental de qualquer 4. Especialização do operário.
estrutura, adotando esse critério até o topo da organização, tudo 5. Estabelecimento de normas de execução do trabalho.
isso o eleva a uma posição não comum no campo da
organização. Frank B. Gilbreth foi um engenheiro americano que acompanhou
A Administração Científica constitui uma combinação Taylor no esforço de aumentar a produtividade. Introduziu o
dos seguintes ingredientes: Estudo dos tempos e movimentos dos operários como técnica
administrativa para a racionalização do trabalho. Concluiu que
 Ciência, em lugar do empirismo. todo trabalho manual pode ser reduzido a movimentos
 Harmonia, em vez de discórdia. elementares (aos quais deu o nome de therbligh, anagrama de
 Cooperação, não individualismo. Gilbreth) necessários à execução de qualquer tarefa.
Os movimentos elementares (therbligs) permitem decompor e
 Rendimento máximo, em lugar de produção reduzida. analisar qualquer tarefa. A tarefa de colocar parafusos
 Desenvolvimento de cada homem, no intuito de representa sete movimentos elementares: pegar o parafuso,
alcançar maior eficiência e prosperidade. transportá-lo até a peça, posicioná-lo, pegar e transportar a
chave de fenda até o parafuso, utilizá-la e posicioná-la na
O principal objetivo da Administração é assegurar o situação anterior. O therblig constitui a unidade fundamental do
máximo de prosperidade ao patrão e, ao mesmo tempo, o trabalho.
máximo de prosperidade ao empregado. Taylor salienta que a O conceito de eficiência é fundamental para a Administração
maioria das pessoas acredita que os interesses dos Científica. A análise do trabalho e o estudo dos tempos e
empregados e dos empregadores são antagônicos. Ao contrário, movimentos focalizam a melhor maneira de executar uma tarefa
a Administração Científica parte da certeza de que os interesses e elevar a eficiência do operário. A organização racional do
de ambos são um único interesse: a prosperidade do trabalho busca a melhor maneira, isto é, o melhor método de
empregador não pode existir por muito tempo se não for trabalho para se realizar a tarefa. O método define o padrão de
acompanhada da prosperidade do empregado, e vice-versa. desempenho, que é equivalente a 100% do tempo padrão. A
eficiência do operário significa a relação entre o desempenho
real e o desempenho previamente estabelecido como eficiência
Organização Racional do Trabalho - ORT
igual a 100%.
Taylor verificou que os operários aprendiam a maneira
Emerson
de executar as tarefas do trabalho por meio da observação dos www.professormozart.blogspot.com
utiliza a
companheiros vizinhos. Notou que isso conduzia a diferentes
expressão
métodos para fazer a mesma tarefa e uma grande variedade de
“engenharia
instrumentos e ferramentas diferentes em cada operação. Há
da eficiência” como uma especialidade na obtenção e
sempre um método mais rápido e um instrumento mais
maximização de eficiência. Para ele, eficiência é a relação entre
adequado que os demais (the one way) que pode ser
o que é feito e o que pode ser feito. A conseqüência direta da
encontrado e aperfeiçoado por meio de uma análise científica e
eficiência é a produtividade. Quanto maior a eficiência, tanto
um acurado estudo de tempos e movimentos, em vez de ficar a
maior a produtividade.
critério pessoal de cada operário. Assim, a Administração
Científica impõe uma repartição de responsabilidades: a
gerência fica com o planejamento e a supervisão, enquanto o Estudo da Fadiga Humana
trabalhador fica somente com a execução do trabalho. A O estudo dos movimentos baseia-se na anatomia e fisiologia
gerência pensa e o trabalhador executa. Essa tentativa de humanas. Gilbreth efetuou estudos sobre os efeitos da fadiga na
substituir métodos empíricos e rudimentares por métodos produtividade do operário. Verificou que a fadiga predispõe o
científicos recebeu o nome de Organização racional do trabalhador para: diminuição da produtividade e da qualidade do
trabalho (ORT). A organização racional do trabalho se trabalho; perda de tempo; aumento da rotatividade de pessoal;
baseia em: doenças; acidentes e diminuição da capacidade de esforço. Em
1. Análise do trabalho e estudo dos tempos e movimentos suma, a fadiga é considerada um redutor da eficiência.
2. Estudo da fadiga humana.
3. Divisão do trabalho e especialização do operário Divisão do trabalho e Especialização do operário
4. Desenho de cargos e de tarefas Uma das decorrências do estudo dos tempos e movimentos foi a
5. Incentivos salariais e prêmios de produção divisão do trabalho e a especialização do operário a fim de
6. Condições ambientais de trabalho, como iluminação, elevar sua produtividade. Com isso, cada operário passou a ser
temperatura, conforto, etc. especializado na execução de uma única tarefa ou de tarefas
7. Padronização de métodos e de máquinas simples e elementares, para se ajustar aos padrões descritos e
8. Supervisão funcional às normas de desempenho estabelecidas pelo método. Com
isso, o operário perdeu a liberdade e a iniciativa de estabelecer
Os Aspectos da ORT, tratados caso a caso. a sua maneira de trabalhar e passou a ser confinado à execução
Análise do trabalho e Estudo dos Tempos e Movimentos. automática e repetitiva, durante toda a sua jornada de trabalho.
O instrumento básico para se racionalizar o trabalho dos A idéia predominante era a que a eficiência aumenta com a
operários era o estudo de tempos e movimentos (motion-time especialização: quanto mais especializado for um operário, tanto
study). O trabalho é executado melhor e mais economicamente maior será a sua eficiência.
por meio da análise do trabalho, isto é, da divisão e subdivisão
de todos os movimentos necessários à execução de cada Desenho de Cargos e Tarefas
operação de uma tarefa. Tarefa é toda e qualquer atividade executada por uma pessoa
Com isso, padronizava-se o método de trabalho e o tempo no seu trabalho dentro de organização. A tarefa constitui a
destinado à sua execução. Método é a maneira de se fazer menor unidade possível dentro da divisão do trabalho em uma
alguma coisa para obter um determinado resultado. O estudo organização. Cargo é o conjunto de tarefas executadas de
dos tempos e movimentos permite a racionalização dos métodos maneira cíclica ou repetitiva. Desenhar um cargo é especificar
de trabalho do operário e a fixação dos tempos padrões para a seu conteúdo (tarefas), os métodos de executar as tarefas e as
execução das tarefas. relações com os demais cargos existentes. O desenho de
Os objetivos do estudo de tempos e movimentos são: Cargos é a maneira pela qual um cargo é criado e projetado e
1. Eliminação de todo o desperdício de esforço humano. combinado com outros para execução das tarefas.

mozart.direito@gmail.com Abr/2010 –pg. 7


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
Incentivos Salariais e Prêmios de Produção influenciam o comportamento do empregado.
Para obter a colaboração do operário, Taylor e seus
seguidores desenvolveram planos de incentivos salariais e de Padronização
prêmios de produção. A idéia básica era a de que a A organização racional do trabalho foi mais além e
remuneração baseada no tempo não estimula ninguém a passou a se preocupar também com a padronização dos
trabalhar mais e deve ser substituída por remuneração baseada métodos e processo de trabalho, das máquinas e equipamentos.
na produção de cada operário: o operário que produz pouco Padrão é uma unidade de medida adotada e aceita
ganha pouco e o que produz mais, ganha na proporção de sua comumente como critério. A padronização é a aplicação de
produção. Era necessário um estímulo salarial adicional para normas em uma organização para obter uniformidade e,
que os operários ultrapassassem o tempo padrão. O tempo consequentemente, redução de custos. A padronização passa a
padrão – isto é, o tempo médio necessário para o operário ser vital para a Administração Científica na melhoria da
realizar a tarefa racionalizada – constitui o nível de eficiência eficiência.
equivalente a 100%.
O plano de incentivo salarial funciona como o Supervisão Funcional
conciliador dos interesses da empresa em obter um custo de A especialização do operário deve ser acompanhada
produção cada vez mais reduzido e acompanhado de maior da especialização do supervisor e não de uma centralização da
produtividade e maior rendimento, com os interesses dos autoridade. Taylor propunha a chamada supervisão funcional,
operários em obter salários mais elevados. Com efeito, a que nada mais é do que a existência de diversos supervisores,
Administração Científica levou o operário americano a ser um cada qual especializado em determinada área e que tem
dos operários mais bem pagos do mundo industrializado e autoridade funcional sobre os mesmos subordinados. Assim a
detentor de elevado padrão de vida, graças aos seus ganhos. autoridade funcional é relativa e parcial.
Contudo, esse operário de bom salário e de bom padrão de vida A supervisão funcional representa a aplicação da
teve de suportar durante longas décadas um trabalho simples, divisão do trabalho e da especialização no nível dos
repetitivo, chato, padronizado e monótono. É que os supervisores e chefes. Essa concepção trouxe muitas críticas,
engenheiros da Administração Científica partiam de certas pois se argumenta que um operário não pode subordinar-se a
pressuposições errôneas a respeito da natureza humana. dois ou mais chefes.

Conceito de Homo Economicus 1 - Princípios da Administração Científica de Taylor


A administração Científica fundamenta-se no conceito - Princípio do
de homo economicus, isto é, do homem econômico: o
trabalhador influenciado exclusivamente por recompensas www.professormozart.blogspot.com
salariais, econômicas e materiais. Em outros termos, o homem
procura o trabalho não porque gosta dele, mas como um meio Planejamento.
de ganhar a vida por meio do salário que o trabalho proporciona. - Princípio do Preparo.
Essa visão estreita da natureza humana – o homem - Princípio do Controle.
econômico – não se limitava a ver o homem como um - Princípio da Execução.
empregado por dinheiro. Pior ainda: via no operário da época,
um indivíduo limitado e mesquinho, preguiçoso e culpado pela 2 – Princípios de Eficiência de Emerson
vadiagem e desperdício das empresas e que deveria ser
Harrington Emerson, um dos principais seguidores de Taylor,
controlado por meio do trabalho racionalizado e do tempo
procurou simplificar os métodos de trabalho. Popularizou a
padrão.
Administração Científica e desenvolveu os primeiros trabalhos
sobre seleção e treinamento de empregados.
Condições e Trabalho
Taylor e seus seguidores verificaram que a eficiência
3 – Princípios Básicos de Ford
depende não somente do método de trabalho e do incentivo
O mais conhecido dos precursores da Administração
salarial, mas também de um conjunto de condições ambientais
Científica, Henry Ford iniciou sua vida como mecânico,
de trabalho que garantam o bem-estar físico do trabalhador e chegando a engenheiro chefe de uma fábrica. Idealizou e
diminuam a fadiga.
projetou um modelo de automóvel e fundou sua primeira fábrica
Com a Administração Científica, as condições de
de automóveis, que logo foi fechada. Em 1903, fundou a Ford
trabalho passam a constituir elementos importantes no aumento
Motor Co. Sua idéia era fabricar carros – antes artesanais,
da eficiência. O conforto do operário e a melhoria do ambiente
únicos, feitos sob medida, caríssimos e destinados a poucos
físico passam a ser valorizados, não porque as pessoas
milionários – a preços populares dentro de um plano de vendas
merecessem, mas porque eram essenciais para a obtenção da e assistência técnica. Entre 1905 e 1910 Ford promoveu a
eficiência do trabalhador.
grande inovação do século XX: a produção em massa. Embora
não tenha inventado o automóvel nem mesmo a linha de
Racionalização do Trabalho montagem, Ford inovou na organização do trabalho: a produção
A contribuição de Taylor à administração foi logo de maior número de produtos acabados com maior garantia de
enriquecida com uma torrente de outras contribuições feitas por qualidade e pelo menor custo possível. Em 1913 já fabricava
contemporâneos. 800 carros por dia.
Henry Lawrence Gantt, um engenheiro americano que Por meio da racionalização da produção idealizou a
trabalhou com Taylor passou a se dedicar a uma nova profissão linha de montagem que permitiu a produção em série. O produto
liberal: a de engenheiro consultor em racionalização do trabalho. é padronizado quanto ao material, mão-de-obra, maquinário,
Enquanto Taylor dava ênfase à análise e à organização do desenho e ao mínimo custo possível. A condição precedente,
trabalho em si como solução para os problemas de eficiência e necessária e suficiente é a capacidade de consumo em massa
produtividade, Gantt dava maior atenção às pessoas que seja real ou potencial. A produção em massa baseia-se na
executam o trabalho. Enquanto um se preocupava com o simplicidade. Três aspectos suportam o sistema:
aspecto tecnológico e metodológico, o outro se voltava para o * Ausência de interrupções
aspecto psicológico e humano, insistindo na importância do * O trabalho é entregue ao trabalhador em vez de
elemento humano na produtividade. Urwick salienta que nos obrigá-lo a ir buscá-lo.
seus últimos anos de vida, Gantt foi apontado como um apóstolo * As operações são articuladas e coordenadas em
da paz industrial pelo seu apelo para o reconhecimento mais todos os seus elementos.
amplo do elemento humano na administração e do fato que

mozart.direito@gmail.com Abr/2010 –pg. 8


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
Ford adotou três princípios básicos, a saber: facilitar a execução da tarefa e permitir a constante troca de
- Princípio da intensificação. indivíduos, além de incorporar uma força de trabalho de nível
- Princípio da economicidade mais baixo, ampliando o mercado de trabalho.
- Princípio da produtividade.
3. Visão Microscópica das Pessoas
O esquema se caracteriza pela aceleração da produção por
meio de um trabalho ritmado, coordenado e econômico. A Administração Científica refere-se à pessoa como um
empregado considerado individualmente, ignorando que ele é
um ser humano social. A partir de sua concepção negativista do
4 – Princípio da Exceção
homem – na qual as pessoas são preguiçosas, indolentes e
Taylor adotou um sistema operacional de controle ineficientes – Taylor enfatiza o papel monocrático do
bastante simples baseado não no desempenho médio, mas nas administrador. O esquema de Taylor impõe o trabalho
exceções ou desvios dos padrões normais. Em outros termos, o
desqualificado que coexiste com a estrutura administrativa
que ocorre dentro dos padrões normais não deve ocupar a monocrática e alienante, na qual a principal virtude é a
atenção do administrador. Este deveria, prioritariamente, obediência às ordens.
verificar as ocorrências que se afastem dos padrões, ou seja, as
exceções, para corrigi-las adequadamente. Dessa forma, os
4. Ausência de Comprovação Científica
desvios positivos ou negativos que fogem dos padrões normais
devem ser rapidamente identificados e localizados para a A Administração Científica pretende elaborar uma
ciência sem, entretanto, apresentar comprovação científica das
tomada de providências.
Daí o princípio da exceção, segundo o qual as decisões suas proposições e princípios. Os engenheiros americanos
freqüentes devem se reduzir à rotina e ser delegadas aos utilizaram pouquíssima pesquisa e experimentação científica
para comprovar suas teses. O método utilizado é um método
subordinados, deixando os problemas mais sérios e importantes
para os superiores. O princípio da exceção é um sistema de empírico e concreto, no qual o conhecimento é alcançado pela
informação que funciona apenas quando os resultados divergem evidência e não pela abstração: baseia-se em dados singulares
e observáveis pelo analista de tempos e movimentos. Os
ou se distanciam dos resultados previstos em um programa.
Esta foi a forma pela qual Taylor concebeu a delegação e que aspectos mais importantes referem-se ao como e não ao
porquê da ação do operário.
se tornaria um princípio de organização amplamente aceito.
5. Abordagem Incompleta da Organização
APRECIAÇÃO CRÍTICA DA ADMINISTRAÇÃO CIENTÍFICA
A administração
Científica é
A Administração Científica inaugura a Era da Máquina
considerada www.professormozart.blogspot.com
na teoria administrativa e foi construída em torno da incompleta,
especialização e da divisão do trabalho. A produção em massa parcial e
foi sua criação maior. Por essas razões, a obra de Taylor e de
inacabada, por se restringir apenas aos aspectos formais da
seus seguidores tem recebido numerosas críticas. Todavia, organização, omitindo completamente a organização informal e
essas críticas não diminuem o mérito e o galardão de pioneiros os aspectos humanos da organização. Essa perspectiva
e desbravadores da nascente teoria administrativa. Na verdade,
incompleta ignora a vida social dos participantes da
o termo Administração Científica deveria ser substituído por organização. Ademais, a Administração Científica é criticada por
estudo científico do trabalho. se limitar aos problemas da fábrica, omitindo as demais áreas
A conseqüência imediata da Administração Científica e partes da organização.
foi uma redução revolucionária no custo dos bens
manufaturados. Ela também tornou possível o aumento
substancial dos salários, ao mesmo tempo em que reduzia o 6. Limitação do Campo de Aplicação
As idéias de Taylor e seus seguidores limitaram-se aos
custo total dos produtos.
problemas de produção localizados na fábrica, não
considerando os demais aspectos da vida de uma empresa,
As principais críticas à Administração Científica como financeiros, comerciais etc. Seus princípios e métodos
serão resumidas a seguir.
carecem de uma complementação mais ampla, pois a
organização racional do trabalho parte de um ponto limitado e
1. Mecanicismo da Administração Científica específico na empresa – a fábrica – que limita e restringe a sua
A Administração Científica restringiu-se às tarefas e abordagem.
aos fatores diretamente relacionados com o cargo e função do O desenho de cargos e tarefas de acordo com a
operário. Muito embora a organização seja constituída de Administração Científica retrata suas concepções a respeito da
pessoas, deu-se pouca atenção ao elemento humano e natureza humana (homem econômico) e se fundamenta em uma
concebeu a organização como “um arranjo rígido e estático de expectativa de estabilidade e previsibilidade das operações da
peças, ou seja, como uma máquina”. Daí a denominação “teoria organização.
da máquina” dada a essa abordagem.
7. Abordagem Prescritiva e Normativa
2. Superespecialização do Operário A Administração Científica se caracteriza pela
Na busca da eficiência, a Administração Científica preocupação em prescrever princípios normativos que devem
preconizava a especialização do operário por meio da divisão ser aplicados como receituário em todas as circunstâncias, para
de toda operação em seus elementos constitutivos. As tarefas que o administrador possa ser bem-sucedido. Essa abordagem
mais simples – o resultado daquela subdivisão – podem ser prescrita e normativa padroniza situações para poder padronizar
mais facilmente ensinadas e a perícia do operário pode ser a maneira como elas deverão ser administradas. É uma
incrivelmente aumentada. Por outro lado, alcança-se uma abordagem voltada para receitas antecipadas, para soluções
respeitável padronização no desempenho dos operários, pois enlatadas e para princípios normativos que devem reger o como
na medida em que as tarefas vão se fracionando, a maneira fazer as coisas dentro das organizações. Essa perspectiva
de executá-las passa a ser padronizada. Essa “forma de visualiza a organização como ela deveria funcionar, em vez de
organização de tarefas priva os operários da satisfação no explicar o seu funcionamento.
trabalho e, o que é pior, viola a dignidade humana”. A
especialização do operário, através da fragmentação das
tarefas, torna supérflua sua qualificação profissional: facilita-
se com isso a seleção, o treinamento e a supervisão do
pessoal. A partir daí, a divisão do trabalho contribui para

mozart.direito@gmail.com Abr/2010 –pg. 9


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
8. Abordagem de Sistema Fechado
A Administração Científica visualiza as empresas como
se elas existissem no vácuo, ou como se fossem entidades
autônomas, absolutas e hermeticamente fechadas a qualquer
influência vinda de fora delas. É uma abordagem de sistema
fechado que se caracteriza pelo fato de visualizar somente
aquilo que acontece dentro de uma organização sem levar em
conta o meio ambiente em que ela está situada. Outra
característica de abordagem de sistema fechado é a maneira de
ver tudo o que acontece dentro de uma organização do ponto de
vista de apenas algumas variáveis mais importantes, omitindo
outras cuja influência não seja suficientemente conhecida no
conjunto.

9. Pioneirismo na Administração
A Escola da Administração Científica constitui o ponto
de partida da administração contemporânea. Na verdade, a
Administração Científica preocupa-se com a competência
técnica como principal requisito para o gerente, aceitando o
pressuposto simplista de que mais engenharia, melhores
métodos e melhores equipamentos produzem necessariamente
melhores resultados. Essa é uma simplificação enganosa e tem
custado muito caro às organizações de hoje.
Contudo, a Administração Científica comprovou o fato
de que existe uma nova maneira de ganhar dinheiro, a qual as
empresas não têm sabido usar: deixar de perdê-lo. A luta contra
o desperdício – seja de tempo, de esforço, de capacidade
instalada, de energia etc. – foi uma de suas principais bandeiras.

10. Conclusão
Em resumo, os alicerces fundamentais da Administração www.professormozart.blogspot.com
Científica foram:
1. Comando e controle
2. Uma única maneira certa (the one best way)
3. Mão-de-obra e não recursos humanos
4. Segurança, não insegurança.

Com a Administração Científica tem início a luta


constante e permanente pela produtividade, que iria perdurar até
o final do século XX. Produtividade significa a relação entre a
quantidade de produto obtida no processo de produção e a
quantidade do fator necessário para sua obtenção.Até o final do
século XX, a Engenharia Industrial – subproduto da
Administração Científica – reinou tranqüilamente no chão das
fábricas de todo mundo. Somente na década de 1980 surgiu a
Teoria das Restrições: a eficiência da cadeia produtiva nunca é
maior do que o seu elo mais fraco. Em outras palavras, o fluxo
de produção tem o seu nível de eficiência determinado pelo seu
ponto de maior ineficiência. Para melhorar e aumentar a
eficiência deve-se descobrir a localizar as restrições e
estrangulamentos ao longo do processo produtivo e corrigi-los
adequadamente.

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 10


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
Coordenar e controlar. As funções administrativas envolvem os
"A única pergunta idiota é a que você não faz.” cinco elementos da Administração, isto é, as funções do
Paul MacCready administrador, a saber:
a) Prever
b) Organizar
c) Comandar
Professor Mozart Rocha d) Coordenar
Teoria Clássica da Administração e) Controlar
Assuntos abordados
Esses são os elementos da Administração que
constituem o chamado processo administrativo. Estão presentes
 Administração Clássica
 Os 14 Princípios Gerais da Administração segundo Fayol no trabalho do administrador em qualquer nível ou área de
 Elementos da Administração segundo Urwick atividade da empresa. Em outros termos, o diretor, o gerente, o
Gulick chefe e o supervisor – cada qual em seu nível – desempenham
 Apreciação Crítica atividades de previsão, organização, comando, coordenação e
controle, como atividades administrativas essenciais.
Administração Clássica
3. Proporcionalidade das Funções Administrativas
Para Fayol existe uma proporcionalidade da função

E
nquanto Taylor e outros engenheiros
desenvolviam a Administração Científica nos Estados administrativa, isto é, ela se reparte por todos os níveis da
Unidos, em 1916 surgia na França, espraiando-se hierarquia da empresa e não é privativa da alta cúpula. Em
rapidamente pela Europa, a Teoria Clássica da Administração. outros termos, a função administrativa não se concentra
Se a Administração Científica se caracterizava pela ênfase na exclusivamente no todo da empresa nem é privilégio dos
tarefa executada pelo operário, a Teoria Clássica se diretores, mas é distribuída proporcionalmente entre todos os
caracterizava pela ênfase na estrutura que a organização deve níveis hierárquicos. Na medida em que se desce da escala
possuir para ser eficiente. Na realidade, o objetivo de ambas as hierárquica, mais aumenta a proporção das outras funções da
teorias era o mesmo, a busca da eficiência das organizações. empresa e, na medida em que se sobe na escala hierárquica,
Segundo a Administração Científica, essa eficiência é alcançada mais aumenta a extensão e o volume das funções
por meio da racionalização do trabalho do operário e na
somatória das eficiências individuais. Trata-se de uma www.professormozart.blogspot.com
microabordagem ao nível individual de cada operário em relação
à tarefa em uma visão analítica e detalhista.
Na Teoria Clássica, pelo contrário, partia-se de todo administrativas.
organizacional e da sua estrutura para garantir eficiência a todas
as partes envolvidas, fossem elas órgãos ou pessoas. A 4. Diferença entre Administração e Organização
abordagem é enormemente ampliada no nível da organização Ainda que reconhecendo o emprego da palavra
como um todo em relação à sua estrutura organizacional. A administração como sinônimo de organização, Fayol faz uma
preocupação com a estrutura da organização como um todo distinção entre ambas as palavras. Para ele, Administração é
constitui, sem dúvida, uma substancial ampliação do objeto de um todo do qual a organização é uma das partes. O conceito
estudo da TGA. Fayol, um engenheiro francês, fundador da amplo e compreensivo de Administração – como um conjunto de
Teoria Clássica da Administração, porém de uma abordagem processos entrosados e unificados – abrange aspectos que a
sintética, global e universal da empresa, inaugurando uma organização por si só não envolve, como a previsão, comando e
abordagem anatômica e estrutural que rapidamente suplantou a controle. A organização abrange somente o estabelecimento da
abordagem analítica e concreta de Taylor. estrutura e da forma sendo, portanto, estática e limitada.

A Obra de Fayol 5. Princípios Gerais da Administração para Fayol


Como toda ciência, a Administração deve se basear em

H
enri Fayol, o fundador da Teoria Clássica, nasceu em
Constantinopla e faleceu em Paris, vivendo as leis ou em princípios. Fayol tentou definir os “princípios gerais”
conseqüências da Revolução Industrial e, mais tarde, de Administração, sem muita originalidade, baseado em
da Primeira Guerra Mundial. Formou-se em engenharia de diversos autores da época. Fayol adota a denominação
minas e entrou para uma empresa metalúrgica onde fez sua princípio, afastando dela qualquer idéia de rigidez, pois nada
carreira. Fayol expôs sua Teoria de Administração no livro existe de rígido ou de absoluto em matéria administrativa. Os
Administração Industrielle et Générale, publicado em 1916. Seu princípios são maleáveis e adaptam-se a qualquer circunstância,
trabalho, antes da tradução para o inglês foi amplamente tempo ou lugar.
divulgado por Urwick e Gulick, dois autores clássicos. Os 14 Princípios Gerais da Administração, segundo Fayol,
são:
1. As Funções Básicas da Empresa
Fayol salienta que toda empresa apresenta seis funções, a 1. Divisão do trabalho: As tarefas devem ser divididas e os
saber. funcionários devem se especializar em um número limitado
- Funções técnicas. de tarefas.
- Funções comerciais. 2. Autoridade e responsabilidade: Enquanto autoridade é o
- Funções financeiras. direito de dar ordens e o poder de esperar obediência, a
- Funções de segurança. responsabilidade é uma conseqüência natural da autoridade
- Funções contábeis. e significa o dever de prestar contas. Autoridade deve ser
- Funções administrativas. acompanhada da responsabilidade correspondente.
A formulação do programa de ação geral da empresa e de 3. Disciplina: é essencial para que a organização funcione
coordenar os esforços gerais compete à função administrativa, bem e depende da obediência, aplicação, energia,
designada pelo nome de Administração. comportamento e respeito aos acordos estabelecidos.
4. Unidade de Comando: cada pessoa deve receber ordens
2. Conceito de Administração de apenas um único superior. É o princípio da autoridade
Para esclarecer a função administrativa, Fayol define o única.
ato de administrar como Prever, Organizar, Comandar,

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 11


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
5. Unidade de Direção: Todas as atividades direcionadas a quem. A cadeia de comando – também denominada cadeia
um único objetivo devem ser coordenadas por um único escalar – baseia-se no princípio da unidade de comando, que
plano e por um único responsável. significa que cada empregado deve se reportar a um só
6. Subordinação dos interesses individuais aos gerais: Os superior.
interesses gerais da empresa devem sobrepor-se aos Para a Teoria clássica, a estrutura organizacional é
interesses particulares das pessoas. analisada de cima para baixo (da direção para a execução) e do
7. Remuneração do pessoal: Deve haver justa e garantida todo para as partes (da síntese para a análise), ao contrário da
satisfação para os empregados e para a organização em abordagem da Administração Científica.
termos de retribuição.
8. Centralização: Refere-se à concentração da autoridade no 3. Divisão do trabalho e especialização
topo da hierarquia da organização. A organização se caracteriza por uma divisão do
9. Cadeia escalar: A comunicação deve fluir seguindo a linha trabalho claramente definida. “a divisão do trabalho constitui a
de autoridade que vai do topo para a base da organização. base da organização; na verdade, é a própria razão da
Deve também existir uma comunicação lateral entre os que organização”. A divisão do trabalho conduz à especialização e à
ocupam posições equivalentes em vários departamentos diferenciação das tarefas, ou seja, à heterogeneidade. A idéia
para que os superiores se mantenham informados. básica era a de que as organizações com maior divisão do
10. Ordem: Um lugar adequado para cada coisa e cada coisa trabalho seriam mais eficientes do que aquelas com pouca
em seu lugar. É a ordem material e humana. divisão do trabalho. Enquanto a Administração Científica se
11. Equidade: Amabilidade e justiça para alcançar a lealdade preocupava com a divisão do trabalho no nível do operário,
do pessoal fragmentando as tarefas deste, a Teoria Clássica se preocupava
12. Estabilidade do pessoal: A rotatividade do pessoal é com a divisão do nível dos órgãos que compõem a organização,
prejudicial para eficiência da organização. Quanto mais isto é, com os departamentos, divisões, seções, unidades etc.
tempo para pessoa permanecer no cargo, tanto melhor para Para a Teoria Clássica, a divisão do trabalho pode dar-se em
a empresa. duas direções, a saber:
13. Iniciativa: Todas as pessoas devem ser encorajadas a Ter a) Verticalmente, segundo os níveis de autoridade e
iniciativa dentro dos limites impostos pela necessidade de responsabilidade (como na escala hierárquica ou princípio
autoridade e disciplina. escalar), definindo os diferentes escalões de autoridade.
14. Espírito de equipe: A harmonia e união entre as pessoas Esta aumenta na medida em que se sobe na hierarquia da
devem ser incentivadas para impedir desavenças e
dissidências.
www.professormozart.blogspot.com

C
om esses princípios, a Teoria Clássica manifesta o seu
enfoque prescritivo e normativo: prescrever quais os
elementos da administração (funções do administrador) organização. A idéia básica era a de que as organizações
e quais os princípios gerais que o administrador deve seguir na com linhas de autoridade bem definidas seriam mais
sua atividade. Esse enfoque prescritivo e normativo indica como eficientes. É a hierarquia que define a graduação das
o administrador deve proceder no trabalho e constituiu o responsabilidades de acordo com o grau de autoridade. Daí
principal filão da Teoria Clássica. a escala hierárquica de autoridade (princípio escalar ou
Os autores clássicos pretendem criar uma teoria da cadeia escalar) e a denominação autoridade de linha para
administração baseada na divisão do trabalho, especialização, significar a autoridade de comando e hierárquica de um
coordenação e atividades de linha e de staff. superior sobre um subordinado.
b) Horizontalmente, segundo as diferentes atividades da
1. Administração como ciência organização (como na especialização ou no princípio de
Os autores da Teoria Clássica afirmam que se deve homogeneidade). Em um mesmo nível hierárquico, cada
estudar e tratar a Administração cientificamente, substituindo o departamento ou seção é o responsável por uma atividade
empirismo e a improvisação por técnicas científicas. Pretendia- específica e própria.
se elaborar uma Ciência da Administração e, como toda ciência,
Fayol afirmava a necessidade de um ensino organizado e A homogeneidade é obtida por meio da
metódico da Administração para formar administradores. Na departamentalização. A departamentalização pode ser por
época, essa idéia era uma tremenda novidade. processo, por clientela ou por localização geográfica. De acordo
com esse princípio de homogeneidade, Gulick achava possível
2. Teoria da Organização departamentalizar qualquer tipo de organização, pois imaginava
A Teoria Clássica concebe a organização como uma que quanto mais departamentalizada a organização, tanto mais
estrutura de órgãos e cargos com uma forma e disposição das eficiente ela deverá ser.
partes, além do inter-relacionamento entre essas partes. Essa
maneira de conceber a estrutura organizacional é influenciada 4. Coordenação
pelas concepções antigas de organização (como a organização Fayol incluíra a coordenação como um dos elementos
militar e eclesiástica) tradicionais, rígidas e hierarquizadas. da Administração, enquanto outros autores clássicos a incluem
Nesse aspecto, a Teoria Clássica não se desligou do passado. nos princípios de Administração. Para Fayol, a coordenação é a
Embora tenha contribuído para tirar a organização industrial do reunião, unificação e harmonização de toda a atividade e
caos primitivo que enfrentava em decorrência da revolução esforço, enquanto para Gulick, se a subdivisão do trabalho é
Industrial, a Teoria Clássica pouco avançou em termos de teoria indispensável, a coordenação é obrigatória. Para Mooney, a
da organização. Mooney, um dos autores clássicos mais “coordenação é a distribuição ordenada do esforço do grupo, a
conhecidos, fez um levantamento histórico das estruturas de fim de obter unidade de ação na consecução de um fim comum.
organização procurando localizar nas estruturas militar e 6. Conceito de Linha e de Staff
eclesiástica as origens da estrutura industrial de sua época. A Teoria Clássica enfatiza a organização linear, que
Para ele, a organização é a forma de toda associação humana constitui um tipo simples de organização. A organização linear
para a realização de um fim comum. Trata-se de correlacionar se baseia nos princípios de:
atividades específicas ou funções num todo coordenado. a) Unidade de Comando ou supervisão única:
A estrutura organizacional constitui uma cadeia de b) Unidade de direção:
comando que estabelece uma linha de autoridade que interliga c) Centralização da autoridade:
as posições da organização e define quem se subordina a d) Cadeia escalar

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 12


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
Apreciação Crítica da Teoria Clássica
As críticas à Teoria Clássica são numerosas e

N
a organização linear ocorre a autoridade linear, generalizadas. Todas as teorias posteriores da Administração se
baseada na unidade de comando, e que é o oposto da preocuparam em apontar falhas, distorções e omissões nessa
supervisão funcional proposta pela Administração abordagem que representou, durante várias décadas do século
Científica. XX, o figurino que serviu de modelo para as organizações.
Os autores clássicos distinguem dois tipos de autoridade: a de
linha e a de staff. Autoridade de linha é a forma de autoridade 1.Abordagem Simplificada da Organização Formal
em que os gerentes têm o poder formal de dirigir e controlar os Os autores clássicos concebem a organização em
subordinados imediatos. Autoridade de staff é a forma de termos lógicos, formais, rígidos e abstratos, sem considerar o
autoridade atribuída aos especialistas de staff em suas áreas de seu conteúdo psicológico e social com a devida importância.
atuação e de prestação de serviços. A autoridade de staff é mais Limitam-se apenas à organização formal, estabelecendo
estreita e inclui o direito de aconselhar, recomendar e orientar. A esquemas lógicos e preestabelecidos, segundo os quais as
autoridade de staff é uma relação de comunicação. Os organizações devem ser construídas e aos quais todas devem
especialistas de staff aconselham os gerentes em suas áreas de obedecer. Nesse sentido, são prescritivos e normativos: como o
especialidade. administrador deve conduzir-se em todas as situações através
do processo administrativo e quais os princípios gerais para se

A
o definir Administração, Fayol implicitamente definiu os obter a máxima eficiência.
elementos que a compõem: previsão, organização, Os autores clássicos partem do pressuposto de que a
comando, coordenação e controle. Esses cinco simples adoção dos princípios gerais da administração – como a
elementos constituem as chamadas funções do administrador. divisão do trabalho, a especialização, a unidade de comando e a
Contudo, os seguidores de Fayol não aceitaram os elementos amplitude de controle – permite uma organização formal da
da Administração tais como o velho mestre afirmara. Cada autor empresa capaz de proporcionar-lhe a máxima eficiência
clássico define o seu modo os elementos da Administração, mas possível. Trata-se de uma abordagem extremamente
não se afasta muito da concepção fayoliana. simplificada da organização formal. Daí, a crítica quanto a essa
visão simplória e reducionista da atividade organizacional.
1. Elementos da Administração para Urwick Contudo, a preocupação com a estrutura da
Os elementos da Administração, segundo Lyndall Urwick, ou organização constitui uma substancial ampliação do objeto de
seja, as funções do administrador são sete: investigação, estudo da
previsão, planejamento, organização, coordenação, comando e TGA: a
controle. Na verdade, Urwick apenas desdobrou o primeiro www.professormozart.blogspot.com
elemento de Fayol, a previsão, em três distintos (investigação,
previsão e planejamento). Os elementos da Administração
constituem para Urwick, a base de uma boa organização, uma microabordagem individual de cada operário com relação à
vez que uma empresa não pode ser desenvolvida em torno de tarefa é enormemente ampliada na empresa como um todo em
pessoas, mas de sua organização. relação à sua estrutura organizacional. Nesse sentido, a Teoria
Clássica representa um formidável avanço da teoria
2. Elementos da Administração para Gulick administrativa em relação à Administração Científica.
Luther Gulick, o autor mais erudito da Teoria Clássica, propõe
sete elementos da administração, como as funções do 2.Ausência de Trabalhos Experimentais
administrador: A Teoria Clássica pretendeu elaborar uma Ciência de
a)Planejamento (planning): é a tarefa de traçar as linhas Administração para estudar e tratar a organização e a
gerais das coisas que devem ser feitas e dos métodos de Administração cientificamente, substituindo o empirismo e a
fazê-las, a fim de atingir os objetivos da empresa. improvisação por técnicas científicas. Porém, como Taylor,
b)Organização (organizing): é o estabelecimento da Fayol fundamenta seus conceitos na observação e no senso
estrutura formal da autoridade, por meio da qual as comum. Seu método é empírico e concreto, baseado na
subdivisões de trabalho são integradas, definidas e experiência direta e no pragmatismo.
coordenadas para o objetivo em vista. Em outros termos, os autores clássicos
c)Assessoria (staffing): é a função de preparar e treinar o caracterizavam-se pela ausência de método rigorosamente
pessoal e manter condições favoráveis de trabalho. científico. A falta mais grave dessa abordagem é o fato de seus
d)Direção (directing): é a tarefa contínua de tomar autores não confrontarem a teoria com elementos de prova: as
decisões e incorporá-las em ordens e instruções específicas afirmações dos autores clássicos dissolvem-se quando postos
e gerais, e ainda a de funcionar como líder da empresa. em experimentação. Seus princípios de administração, contudo,
e)Coordenação (coordinating): é o estabelecimento de carecem de apresentação metódica; muitas vezes, ele se
relações entre as várias partes do trabalho. apresenta muito enfático e mesmo dogmático em seus esforços
f) Informação ( reporting): é o esforço de manter para provar o acerto de suas opiniões. Em resumo, falta
informados, a respeito do que se passa, aqueles perante o comprovação científica às afirmações dos autores clássicos.
qual o chefe é responsável; pressupõe a existência de
registros, documentação, pesquisa e inspeções. 3.Extremo Racionalismo na Concepção da
g) Orçamento (budgeting): é a função relacionada com a Administração
elaboração, execução e fiscalização orçamentária, ou seja, Os autores clássicos se preocupavam com a
o plano fiscal, a contabilidade e o controle. apresentação racional e lógica das suas proposições,
As palavras (planning, organizing, staffing, directing, sacrificando a clareza das suas idéias. O abstracionismo e o
coordinating, reporting e budgeting) formam o acróstico formalismo são criticados por levarem a análise da
POSDCORB, que Gulick utiliza para memorizar os elementos da Administração à superficialidade, à supersimplificação e à falta
administração. de realismo. A insistência sobre a concepção da Administração
Princípios Gerais de Administração de Urwick como um conjunto de princípios universalmente aplicáveis
Urwick propõe quatro princípios de Administração: provocou a denominação Escola Universalista.
a)Princípio d a Especialização O racionalismo da Teoria Clássica visa à eficiência do
b)Princípio d e Autoridade ponto de vista técnico e econômico; em outros termos, a
c)Princípio d a Amplitude Administrativa organização é um meio para atingir a eficiência máxima sob o
d)Princípio d a Definição aspecto técnico e econômico. Daí a visão anatômica da

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 13


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
organização em termos de organização formal apenas: a síntese
dos diferentes órgãos que compõem a estrutura organizacional,
suas relações e suas funções dentro do todo, que assegurem a
máxima eficiência.
Contudo, alguns autores preferem, pelo espírito
pragmático e utilitarista, a denominação Teoria Pragmática. O
pragmatismo é a doutrina ou atitude de conformidade com a
qual a verdade nasce da relação existente entre a experiência
humana e seus efeitos práticos. Para o pragmatismo, o
conhecimento é um instrumento a serviço da atividade e tem,
por isso, um caráter teológico, isto é, uma finalidade. Somente
pelo uso prático é que se pode afirmar a validez ou não de uma
proposição. O pragmatismo da Teoria Clássica leva-a apelar à
experiência direta e não-representativa para obter soluções
aplicáveis de modo imediato.

4.Teoria da Máquina
A teoria clássica recebe o nome de teoria da máquina
pelo fato de considerar a organização sob o prisma do
comportamento mecânico de uma máquina: a determinadas
ações ou causas decorrerão determinados efeitos ou
conseqüências dentro de uma correlação determinística. A
organização deve ser arranjada tal como uma máquina. Essa
abordagem mecânica, lógica, e determinística da organização
foi o fator principal que conduziu erradamente os clássicos à
busca de uma Ciência da Administração.

5.Abordagem Incompleta da Organização


A teoria Clássica preocupou-se com a organização
formal, descuidando-se da organização informal. A preocupação
com a forma e a ênfase na estrutura levou a exageros. A teoria www.professormozart.blogspot.com
da organização formal não ignorava os problemas humanos da
organização, porém não conseguiu dar um tratamento
sistemático à interação entre as pessoas e os grupos informais
nem aos conflitos intra-organizacionais nem ao processo
decisorial. Apesar dessa limitação aos aspectos formais, “isso
não quer dizer que a Teoria Clássica esteja errada ou tenha que
ser totalmente substituída”. Em outros termos, a abordagem
está simplificada e incompleta, pois não considera o
comportamento humano na organização.

6.Abordagem do Sistema Fechado


Da mesma maneira como ocorreu com a Administração
Científica, a Teoria Clássica trata a organização como se ela
fosse um sistema fechado, composto de poucas variáveis
perfeitamente conhecidas e previsíveis e de alguns aspectos
que podem ser manipulados por meio de princípios gerais e
universais de Administração.

7.Conclusão
Apesar de todas as críticas, a Teoria Clássica é ainda a
abordagem mais utilizada para os iniciantes em Administração,
pois permite uma visão sistemática e ordenada. Também para a
execução de tarefas administrativas rotineiras, a abordagem
clássica disseca o trabalho organizacional em categorias
compreensíveis e úteis. Contudo em uma era de mudança e
instabilidade como a que atravessamos, a abordagem clássica
mostra-se rígida, inflexível e conservadora, pois ela foi
concebida em uma época de estabilidade e permanência.

Atenção não é primeiro momento cerebral.


(“eu vou ficar atento”)
O primeiro momento é a IMPORTÂNCIA.
(“eu dou importância, logo ficarei
ATENTO!”)

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 14


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
Administração e Liderança
Na década de 1920, quando a noção de organização
"Se você quer ser bem sucedido precisa dar o
forma já estava sacramentada pela Teoria Clássica, Ordway
melhor de si.” Ayrton Senna Tead (1860-1933) começou a popularizar nos EUA, a
administração sem preocupação estritamente científica.
Inicialmente tentou desvendar a psicologia do operário ao
mostrar a relação existente entre as ambições e os temores dos
operários e a sua realidade no trabalho. A seguir tentou mostrar
Professor Mozart Rocha que a compreensão do comportamento administrativo deve
ABORDAGEM HUMANISTICA DA partir do conhecimento da natureza humana. Mais adiante,
ADMINISTRAÇÃO desenvolveu uma abordagem pioneira sobre a liderança na
Assuntos abordados Administração.

 Abordagem Humanística da Administração Administração como uma arte


 Teorias Transitivas Para Tead, a administração é o conjunto de atividades
 TRH – Teoria das Relações Humanas e Decorrências próprias de certos indivíduos – chefes executivos – que têm a
missão de ordenar, encaminhar e facilitar os esforços coletivos
Abordagem Humanística de um grupo de pessoas reunidas em uma entidade, para
realização de objetivos previamente definidos.
om a Abordagem Humanística, a Teoria Administrativa

C passa por uma revolução conceitual: a transferência da


ênfase antes colocada na tarefa (Administração
Científica) e na estrutura organizacional (Teoria Clássica) para
Liderança em Administração
Cada chefe deve ser um líder. Tead preocupou-se em
conceituar a liderança bem como analisar os processos de
influenciação do líder sobre os subordinados. Para Tead, o líder
ênfase nas pessoas que trabalham ou que participam nas
organizações. Sendo assim, o foco dos princípios de é um agente moral e, principalmente, o símbolo da democracia
Administração cedem prioridade para a preocupação com as dentro da organização.
pessoas e os grupos sociais. O foco nos aspectos técnicos e
formais cede lugar para o foco nos aspectos psicológicos e Visão de Follet sobre
sociológicos. 1. O
A Abordagem Humanística ocorre com a Teoria das Relações www.professormozart.blogspot.com
Humanas, nos Estados Unidos, a partir da década de 1930,
graças ao desenvolvimento das Ciências Sociais. Temos dois
assuntos básicos a serem estudados nessa época (século XX): papel dos Gerentes
a) Adaptação do trabalhador ao trabalho Mary Parker Follet, cientista política americana, defendia que
b) Adaptação do trabalho ao trabalhador a principal tarefa da gerência era criar uma situação na qual as
Com a grande depressão de 1929, a busca da eficiência nas pessoas contribuíssem espontaneamente e por vontade própria.
organizações passou a ser intensificada. A crise mundial 2. Conceito de Organização
provocou indiretamente uma reelaboração de conceitos e uma Para Miss Follet, a organização constitui o resultado
reavaliação dos princípios clássicos de Administração até então global de uma série de intransigências em um número infinito de
aceitos, apesar do seu caráter dogmático e prescritivo. possibilidades em torno de uma situação específica ou única.
A abordagem Humanística da Administração começou 3. Necessidade de aplicação da Psicologia à
logo aos a morte de Taylor, porém, apenas a partir da década Administração
de 1930 encontrou enorme aceitação nos Estados Unidos. Sua A psicologia administrativa, segundo Miss Follet, deve
divulgação somente ocorreu após o final da Segunda Guerra ser utilizada no intuito de reconciliar os indivíduos com a
Mundial. organização. O objetivo básico da ação administrativa é obter a
integração das pessoas e coordenação das suas atividades.
4. Lei da Situação
Teorias Transitivas
Miss Follet rejeita qualquer fórmula universal ou única
para a solução dos problemas da organização. Sua lei da
Em meio à Teoria Clássica e antecipando-se, de certo situação é bastante conhecida: é a situação concreta que deve
modo. à Teoria das Relações, surgiram autores que, apesar de governar as ordens a serem dadas e o empenho das pessoas
defenderem alguns dos princípios clássicos, iniciaram um em executar essas ordens.
trabalho pioneiro de revisão, de crítica e de reformulação das Os sociólogos da Administração
bases da Teoria da Administração. O aparecimento desses Em 1938, um executivo americano, Chester Barnard,
autores, que denominaremos transitivos, teve sua origem na antecipando-se à sua época e ao próprio behaviorismo, propôs
crítica à abordagem formal e mecanicista da Teoria Clássica, a elaborar uma teoria da cooperação na organização formal.
eminentemente autocrática e rígida.
Teorias Transitivas:
Conceito de Eficácia e Eficiência segundo Banard
a) Ordway Tead 1860-1933
b) Mary Parker Follet 1868-1933
c) Chester Barnard 1886-1961
d) Oliver Sheldon 1894-1951

No pequeno universo restrito e limitado da


Administração Científica, as pessoas relegadas a um plano
inferior, bem abaixo da eficiência, da padronização e da
produtividade do equipamento e maquinário. Contudo, algumas
vozes solitárias argumentavam que o reconhecimento do lado
humano da organização causava um grande impacto na
administração.

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 15


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
Teoria das Relações Humanas  O comportamento das pessoas pode ser diferente
dependendo se estes estão agindo em grupo ou
A crise de 1929 gerou uma grave pressão social nos individualmente;
Estados Unidos. Esta crise levou a uma reformulação dos  O estudo de Mayo incitou o começo da escola das
princípios administrativos vigentes e a uma maior preocupação Relações Humanas na Administração.
com o fator humano no trabalho, e as razões de suas
motivações. A preocupação era com a humanização das Em resumo a influência do sistema social sobre o desempenho
relações trabalhistas e com a reconsideração das aspirações individual é mais importante que os métodos de trabalho.
humanas.
Paralelamente, desenvolveram-se vários campos das PRESSUPOSTOS DA ABORDAGEM DAS RELAÇÕES
ciências humanas, que permitiram compreender melhor o HUMANAS
funcionamento da psicologia do trabalhador.
Como pressupostos desta escola de administração, temos:
Os pesquisadores e estudiosos da psicologia do
trabalho e industrial ressaltavam a importância da consideração
conjunta dos fatores humano e material para a avaliação da 1. Integração de grupo
produtividade no trabalho.  Nível de produção é resultante da integração social e
Foram fundamentais para o desenvolvimento dessas quanto mais integrado socialmente no grupo de trabalho,
propostas os conceitos de Lewin sobre o comportamento dos tanto maior será a disposição de produzir.
grupos sociais e que posteriormente foram explorados na  É a capacidade social do trabalhador (aspectos
explicação dos aspectos comportamentais do processo de sociológicos, emocionais e psicológicos) que determina seu
mudança na organização. nível de competência e eficiência e não sua capacidade de
Todavia foram as experiências desenvolvidas por Elton executar movimentos eficientes dentro do tempo
Mayo e sua equipe que possibilitaram o delineamento dos estabelecido;
princípios básicos da Escola das Relações Humanas.  A administração que busca eficiência e o aumento da
Com o desenvolvimento da Escola das Relações produção deve atentar à conciliação dos objetivos
Humanas, torna-se indispensável conciliar e harmonizar as duas empresariais com os interesses subjetivos dos
funções básicas da organização industrial: a função econômica trabalhadores, para obter os resultados desejados.
(produzir bens ou serviços para garantir o equilíbrio externo) e a  O comportamento do trabalhador está condicionado a
função social (distribuir satisfações entre os funcionários para normas e
garantir o equilíbrio interno). padrões
www.professormozart.blogspot.com
sociais,
A INFLUÊNCIA DO TRABALHO DE ELTON MAYO NA ele não
FÁBRICA DE HAWTHORNE age individualmente, mas como membro de grupos. A
integração ao grupo é primordial para o bem estar
Australiano, (1880-1949), formado em filosofia e
psicoemocional dos trabalhadores. Desviando-se das
medicina, professor em Harward, começou a se interessar em
normas grupais, sofrem punições sociais ou morais dos
1923 pela rotatividade de pessoal e queda da produtividade. A
colegas, mais severas que as impostas pela organização,
partir dos anos 20 percebia-se nas empresas um abatimento
porque os marginalizam do relacionamento com o grupo.
moral dos trabalhadores, fadiga e monotonia.
2. Participação nas decisões
Mayo desenvolveu pesquisas junto a um grupo de trabalhadores
 A participação dos trabalhadores nas decisões
da fábrica de Hawthorne (departamento de montagem de relés
de telefone) em Chicago. A experiência se baseava em isolar as aumentaria a motivação e seria responsável por ganhos
de produtividade;
pessoas em um “grupo de experimento” e fazer alteração de
3. Conteúdo do trabalho
variáveis da condição física de trabalho:
 As tarefas repetitivas e monótonas prescritas pela
 com aumento ou diminuição da iluminação e “administração científica” eram criticadas pela Escola
das Relações Humanas, pois não seriam estimulantes a
ventilação na área de trabalho;
ponto de aumentar a produtividade. Logo, as tarefas
 com pausas na jornada de trabalho;
devem estimular a iniciativa do trabalhador.
 com horário para as jornadas de trabalho; etc. 4. Homem Social
Para surpresa do pesquisador, embora a luminosidade fosse
 Dada a importância atribuída aos fatores
reduzida, a produtividade continuava aumentando da mesma
psicoemocionais, a motivação econômica passa a ser
maneira do que se a luminosidade fosse ampliada. Após alguns
secundária na determinação do rendimento do
anos, Mayo concluiu que os funcionários, ao perceberem que
trabalhador;
estavam sendo observados, sentiram-se importantes e
 São prioritárias as necessidades de reconhecimento,
motivados a trabalhar mais.
aprovação social e participação nas atividades dos
Como resultado desta experiência os pesquisadores grupos sociais nos quais convivem.
5. Controle por resultados
comprovaram que a eficiência dos operários é afetada por
condições psicológicas e que portanto, o fator emocional  O controle rígido proposto por autores como Taylor
influencia a produção muitas vezes mais do que os fatores eram criticados, o trabalhador é um ser pensante, ele
físicos. deve estar sujeito a um controle de resultados, mas não
Dentre outras conclusões importantes do estudo estão: a uma supervisão estrita, principalmente no que se
refere ao modo de realizar sua tarefa.
 As organizações têm um aspecto humano;
 Trabalhadores desenvolvem grupos informais CRÍTICAS À ABORDAGEM DAS RELAÇÕES HUMANAS
dentro das organizações;
 Grupos informais são mais fortes do que grupos Da mesma forma que as Teorias Científica e Clássica, a
formais; abordagem humanística foi alvo de críticas que no entanto
 Atitudes e sentimentos dos trabalhadores serviram de base para o desenvolvimento de escolas
influenciam a produtividade; posteriores em estudos de gestão:
 Concepção utópica do trabalhador – A teoria das
relações humanas se baseava na visão idealizada de um

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 16


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
operário feliz e integrado ao ambiente de trabalho. Isso
exigia uma negação das constatações práticas de que
existem funcionários infelizes e produtivos e outros felizes e
improdutivos. Felicidade e produtividade não são, portanto, INFLUÊNCIA DA ABORDAGEM DAS RELAÇÕES HUMANAS
diretamente proporcionais. A Escola desconsidera que o NOS ESTUDOS POSTERIORES
universo do indivíduo transcende sua vida profissional;
A abordagem humanística levantou aspectos que, pela primeira
 Negação do conflito entre empresa e trabalhadores – o vez, começaram a ser analisados com seriedade dentro do
movimento tenta resolver o problema do conflito existente contexto organizacional. Sua coerência e comprovada
dentro das empresas simplesmente negando tal conflito. importância empírica os tornam atuais, mais de meio século
Esta posição é bastante cômoda em um momento histórico após o seu surgimento.
em que os conflitos estavam mais acirrados, tendo em vista A análise constante dos fatores motivadores do trabalho, o
que o mundo estava atravessando os resultados da crise de
1929, além disso, a negação do conflito exclui qualquer estímulo a um comportamento favorável à mudanças
possibilidade de resolvê-lo, o que é simplesmente uma
posição confortável para a administração; exigidas pelo ambiente e à iniciativa dos funcionários são
 Restrição de variáveis e da amostra – A abordagem de
relações humanas se restringiu a um número pequeno de aspectos importantes ao executivo que se considere em dia
variáveis. Restringiu também o estudo a fábricas,
impossibilitando a generalização de seus resultados a com as modernas Experiência de Hawthorne
outros tipos de organização. A defesa de um homem social,
em oposição ao homem econômico dos clássicos pecava Principais vultos: Eltom Mayo (1880/1947), Kurt Lewin
por não considerar o meio social como apenas um dos (1890/1947), John Dewey, Morris Viteles e George C. Homans.
fatores que influenciam o comportamento das pessoas na Ênfase: pessoas
empresa;
 Ênfase excessiva nos grupos informais - excessivo peso A Teoria das Relações Humanas, surgiu nos estados unidos
como conseqüência imediata das conclusões obtidas na
dado às estruturas informais de trabalho; A influencia do
Experiência em Hawthorne, desenvolvida por Elton Mayo e
grupo, além de ser limitada, representa apenas um dos
seus colaboradores. Foi basicamente um movimento de reação
fatores capazes de alterar o nível de produtividade;
e de
 Espionagem disfarçada – a abertura de canais de
oposição à www.professormozart.blogspot.com
expressão para os trabalhadores poderia servir de espaço
Teoria
para supervisão e espionagem disfarçada buscando, por
Clássica da
exemplo, descobrir movimentos trabalhistas reivindicatórios; Administração.
 Ausência de novos critérios de gestão - a Escola das
Os estudos em Hawthorne de Elton George Mayo (1880-
Relações Humanas é geralmente acusada de generalização
1949)
excessiva, ou seja, apesar de chamar a atenção para
pontos importantes relativos ao ambiente de trabalho, não
prescreve regras objetivas a serem seguidas pelos A Western Eletric era uma companhia norte-americana que
administradores e que indiquem de forma mais prática o fabricava equipamentos para empresas telefônicas. A empresa
que deve ou não ser feito para se obter os melhores sempre se caracterizara pela preocupação com o bem estar de
resultados; seus funcionários, o que lhe proporcionava um clima
Manipulação dos trabalhadores – a despeito de uma maior constantemente sadio de relações industriais. Durante mais de
preocupação com os trabalhadores, o objetivo da empresa seria 20 anos não se constatara nenhuma greve ou manifestação. Um
sobretudo o lucro, logo esta preocupação visava apenas a diagnostico preliminar nos diria que o moral na companhia era
manipulação (psicoemocional) para o aumento da produtividade. alto e os funcionários confiavam na competência de seus
administradores.
COMPARAÇÃO ENTRE A TEORIA CLÁSSICA E No período entre 1927 e 1932 foram realizadas pesquisas em
uma das fábricas da
ATEORIA DAS RELAÇÕES HUMANAS

TEORIA DAS RELAÇÕES


TEORIA CLÁSSICA
HUMANAS
 Trata a organização como  Trata a organização
máquina. como grupos humanos.
 Enfatiza as tarefas ou a  Enfatiza as pessoas
tecnologia. e grupos sociais. Western Electric Company, localizada em Hawthorne, distrito de
 Inspirada em sistemas de  Inspirada em Chicago. A fabrica contava com cerca de 40 mil empregados e
engenharia. sistemas de psicologia. as experiências realizadas visavam detectar de que modo
 Autoridade centralizada.  Delegação de fatores ambientais - como a iluminação do ambiente de trabalho-
 Linhas claras de autoridade. influenciavam a produtividade dos trabalhadores.
autoridade.  Autonomia dos As experiências foram realizadas por um comitê constituído por
 Especialização e empregados. três membros da empresa pesquisada e quatro representantes
competência técnica.  Confiança e abertura. da Escola de Administração de Empresas de Harvard.
 Acentuada divisão do  Ênfase nas relações Em 1924, com a colaboração do Conselho Nacional de
trabalho. entre pessoas. Pesquisas, iniciara na fábrica de Hawthorne uma série de
 Confiança nas regras e  Confiança nas estudos para determinar uma possível relação entre a
regulamentos. pessoas. intensidade da iluminação do ambiente de trabalho e a eficiência
 Clara separação entre • Dinâmica grupal e dos trabalhadores, medida pelos níveis de produção
linha e staff. interpessoal. alcançados. Esta experiência que se tornaria famosa, foi
coordenada por Elton Mayo, e logo se estendeu ao estudo da
fadiga, dos acidentes no trabalho, da rotação de pessoal e do
efeito das condições físicas de trabalho sobre a produtividade

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 17


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
dos empregados.
Entretanto a tentativa foi frustada, os pesquisadores não
conseguiram provar a existência de qualquer relação simples
entre a intensidade de iluminação e o ritmo de produção.
Reduziu-se a iluminação na sala experimental. Esperava-se
uma queda na produção, mas o resultado foi o oposto, a
produção na verdade aumentou.
Os pesquisadores verificaram que os resultados da experiência
eram prejudicados por variáveis de natureza psicológica.
Tentaram eliminar ou neutralizar o fator psicológico, então
estranho e impertinente, razão pela qual a experiência
prolongou-se até 1932, quando foi suspensa em razão da crise
econômica de 1929.
Os estudos básicos efetuados por Mayo e seu grupo tiveram
três fases:
 Sala de provas de montagem de Relés
 Programa de Entrevista
 Sala de observações da montagem de terminais
Conclusões
As moças alegavam gostar de trabalhar na sala de provas,
porque era divertido e supervisão branda, lhes permitiam
trabalhar com mais liberdade e menor ansiedade.
Havia um ambiente amistoso e sem pressões, a conversa era
permitida, aumentando a satisfação no trabalho.
Não havia temor ao supervisor
 Houve um desenvolvimento social do grupo
experimental. As moças faziam
amizades entre si e essas amizades estendiam-se para fora do
trabalho. As moças
passaram a se preocupar umas com as outras. Tornaram-se www.professormozart.blogspot.com
uma equipe.
O grupo desenvolve liderança e objetivos comuns.

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 18


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
Autocrática: A ênfase é centrada no líder. O líder fixa as
"Ensina-me e esquecerei.. envolva-me e diretrizes, sem qualquer participação do grupo, determina
aprenderei" Sócrates providências e as técnicas para execução das tarefas

Democrático: A ênfase no líder e nos subordinados. As diretrizes


são debatidas e decididas pelo grupo, estimulado e assistido pelo
líder. O próprio grupo esboça as providências e as técnicas para
Professor Mozart Rocha atingir o alvo.
ESTILOS DE LIDERANÇA
ASSUNTOS ABORDADOS – SUMÁRIO Liberal: Ênfase nos subordinados. Há liberdade completa para
as decisões grupais ou individuais, com participação mínima do
líder.
 Estilos de Liderança - TRH

TEORIAS SITUACIONAIS DA LIDERANÇA. São as


Liderança
teorias que procuram explicar a liderança dentro de um contexto
bem mais amplo do que as teorias anteriormente apresentadas.
LIDERANÇA. A Teoria Clássica não se preocupou Partem do princípio de que não existe um único estilo ou
virtualmente com a liderança e suas implicações. Com a Teoria característica de liderança válida para toda e qualquer situação.
das Relações Humanas, passou-se a constatar a enorme Cada tipo de situação requer um tipo de liderança diferente para
influência da liderança informal sobre o comportamento das alcançar a eficácia dos subordinados. As teorias situacionais
pessoas. A Experiência de Hawthorne teve o mérito – entre são mais atrativas ao gerente, uma vez que aumentam as suas
opções e suas possibilidades de mudar a situação para adequá-
outros – de demonstrar a existência de líderes informais que la a um modelo de liderança, ou então mudar o modelo de
encarnavam as normas e expectativas do grupo e que liderança para adequá-lo à situação. Para esta teoria o
mantinham estrito controle sobre o comportamento do grupo, verdadeiro líder é aquele que é capaz de ajustar a um grupo
ajudando os operários a atuarem como um grupo social coeso e particular de pessoas sob condições extremamente variadas.
integrado. A liderança pode ser visualizada sob diversos ângulos, a saber:
Liderança é a influência interpessoal exercida numa
1. Liderança
situação e dirigida através do processo da comunicação humana como um www.professormozart.blogspot.com
à consecução de um ou de diversos objetivos específicos
A liderança constitui um dos temas administrativos
mais pesquisados e estudados nos últimos cinqüenta anos. As fenômeno de influência interpessoal
teorias sobre a liderança podem ser classificados em três A liderança é exercida através da influência que age de
grandes grupos: modo a modificar o comportamento da outra pessoa, de
 Teorias de traços de personalidade. modo intencional.
 Teorias sobre estilos de liderança.
 Teorias situacionais da liderança. 2. Liderança como um processo de redução da incerteza
de um grupo.

TEORIA DE TRAÇOS DE PERSONALIDADE, são as teorias A liderança é uma questão de redução da incerteza do
grupo. O comportamento pelo qual se consegue essa
mais antigas a respeito da liderança. Um traço é uma qualidade
redução é a escolha, isto é, a tomada de decisão.
ou característica da personalidade. Segundo esta teoria, o líder
é aquele que possui alguns traços específicos de personalidade 3. Liderança como uma relação funcional entre líder e os
que o distinguem das demais pessoas. Assim, o líder apresenta subordinados
características marcantes de personalidade através dos quais O líder é percebido por um grupo como o possuidor ou o
pode influenciar o comportamento das demais pessoas. A teoria controlador dos meios para a satisfação de suas
dos traços partem do pressuposto de que certos indivíduos necessidades.
possuem uma combinação especial de traços de personalidade
que podem ser definidos e utilizados para identificar futuros 4. Liderança como um processo em função do líder, dos
líderes potenciais. Os traços mais comumente apontados foram seguidores e de variáveis da situação.
os seguintes: Liderança é o processo de exercer influência sobre pessoas
ou grupos nos esforços para realização de objetivos em uma
1. Traços físicos: energia, aparência e peso. determinada situação. Ela é função dos objetivos pessoais,
da situação e dos valores das pessoas e pode ser definida
pela equação: L= f(0,s,v). Trata-se de uma abordagem
2. Traços intelectuais: adaptabilidade, agressividade,
entusiasmo e autoconfiança. situacional. A liderança depende da conjugação de
características pessoais do líder, dos subordinados e da
situação que os envolve.
3. Traços sociais: cooperação, habilidades interpessoais e
habilidade administrativa

4. Traços relacionados com a tarefa: impulso de


realização, persistência e iniciativa.

TEORIA SOBRE ESTILOS DE LIDERANÇA, são as teorias que


estudam a liderança em termos de estilos de comportamento do
líder em relação aos seus subordinados, isto é, maneiras pelas
quais o líder orienta sua conduta.

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 19


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
Os três estilos de liderança:

LIBERAL (LAISSEZ-
AUTOCRÁTICA DEMOCRÁTICA
FAIRE)
 O líder fixa  As diretrizes * Há liberdade total
as são para as decisões
diretrizes, debatidas e grupais ou
sem decididas individuais, e mínima
qualquer pelo grupo, participação do líder.
participaçã estimulado e
o do grupo. assistido  A participação
pelo líder. do líder é
 O líder  O grupo limitada,
determina esboça as apresentando
as providências apenas
providência para atingir materiais
s para a o alvo e é variados ao
execução aconselhado grupo,
das tarefas, pelo líder, esclarecendo
cada uma que sugere que poderia
por vez, na alternativas fornecer
medida em para o grupo informações
que se escolher. As desde que as
tornam tarefas pedissem.
necessária ganham  A divisão das
s e de novas tarefas e
modo perspectivas escolha dos
imprevisíve com os colegas fica
l para o debates. totalmente a
grupo.  A divisão cargo do
grupo. www.professormozart.blogspot.com
das tarefas
 O líder fica a critério Absoluta falta
determina do grupo e de
qual a cada participação
tarefa que membro tem do líder.
cada um liberdade de
deve escolher  O líder não
executar e seus avalia o grupo
qual o seu companheir nem controla
companheir os de os
o de trabalho. acontecimento
trabalho.  O líder s. Apenas
procura ser comenta as
 O líder é um membro atividades
dominador normal do quando
eé grupo, em perguntado.
“pessoal” espírito. O
nos elogios líder é
e nas “objetivo” e
críticas ao limita-se aos
trabalho de “fatos” nas
cada críticas e
membro. elogios.

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 20


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
Diferenças entre eficiência e eficácia
Não Tenha Pressa. Leia o texto, entenda, sublinhe
e realize seus próprios questionários.
Eficiência Eficácia

 Ênfase nos meios.  Ênfase nos


Professor Mozart Rocha resultados.
ABORDAGEM NEOCLÁSSICA  Fazer corretamente as coisas.
ASSUNTOS ABORDADOS – SUMÁRIO  Fazer as coisas
Resolver problemas.
certas.
 Salvaguardar os recursos.
 Teoria Neoclássica  Atingir objetivos.
 Decorrência da Abordagem Neoclássica Cumprir tarefas e obrigações.
 Processo Administrativo  Otimizar a utilização
Treinar os subordinados.
dos recursos. Obter
 Manter as máquinas.
Teoria Neoclássica da Administração resultados.
Presença nos templos.
 Dar eficácia aos
O termo Teoria Neoclássica é, na realidade, um  Rezar.
subordinados.
tanto quanto exagerado. Os autores aqui abordados  Jogar futebol com arte.
(Peter F. Drucker, Ernest Dale, Harold Koontz, Cyril Máquinas em bom
O'Donnell, Michael Jucius, William Newman, Ralph Davis, funcionamento.
George Terry, Morris Hurley, Louis Allen, sem contar os
autores da escola da Administração por Objetivos), muito Prática dos valores
embora não apresentem pontos de vista divergentes, religiosos. Ganhar o
também não se preocupam em se alinhar dentro de uma or- céu.
ganização comum. Em resumo, os autores neoclássicos não
 Ganhar a partida.
formam propriamente uma escola bem definida, mas um
movimento relativamente heterogêneo que recebe várias
denominações: Escola Operacional ou Escola do Processo
Administrativo. Preferimos a denominação teoria para melhor Os
enquadramento didático e facilidade de apresentação. neoclássicos www.professormozart.blogspot.com
dão algumas
As principais características da Teoria Neoclássica pinceladas
são as seguintes: adicionais no conceito de organização formal. A
organização consiste em um conjunto de posições
funcionais e hierárquicas orientado para o objetivo
1. Ênfase na prática da administração.
econômico de produzir bens ou serviços. Os
2. Reafirmação dos postulados clássicos. princípios fundamentais da organização formal são:
3. Ênfase nos princípios gerais de
administração. 1.Divisão do trabalho.
4. Ênfase nos objetivos e nos resultados. 2.Especialização.
5. Ecletismo nos conceitos. 3.Hierarquia.
4.Amplitude administrativa.
Aspectos Administrativos Comuns ás Organizações
Vejamos cada um desses princípios básicos.
Todas as instituições são organizações e têm uma
dimensão administrativa comum. Drucker salienta que há três
aspectos principais nas organizações. 1. Divisão do trabalho
O objetivo imediato e fundamental de toda e
a. Quanto aos objetivos qualquer organização é a produção de bens ou de serviços.
b. Quanto à administração Para ser eficiente, a produção deve basear-se na divisão
c. Quanto ao desempenho individual trabalho, que nada mais é do que a maneira pela qual um
processo complexo pode ser decomposto em uma série de
Eficiência e Eficácia pequenas tarefas que o constituem. O processo de dividir o
Cada organização deve ser considerada sob ponto trabalho começou a ser praticado com o advento da
de vista de eficácia e de eficiência, simultaneamente. Eficácia Revolução Industrial, provocando uma mudança radical
é uma medida do alcance de resultados, enquanto a no conceito de produção pela fabricação maciça de
eficiência é uma medida de utilização dos recursos nesse grandes quantidades meio do uso da máquina, cm
processo. substituição ao artesanato, e da aplicação da
Contudo, nem sempre a eficácia e a eficiência especialização do trabalhados linha de montagem. O
andam de mãos dadas. Uma empresa pode ser eficiente em importante era que cada pessoa pudesse produzir a maior
suas operações e pode não ser eficaz, ou vice-versa. O ideal quantidade possível unidades dentro de um padrão aceitável
seria uma empresa igualmente eficiente e eficaz, a qual se de qualidade objetivo que somente poderia ser atingido
poderia dar o nome de excelência. por uma relativa automatização na atividade humana
base, na repetição constante da mesma tarefa.

2. Especialização

Como consequência do princípio da divisão do trabalho,


surge a especialização: cada órgão ou cargo passa a ter
funções e tarefas específicas e especializadas.
Os neoclássicos adotam essas colocações e passam a se
mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 21
mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
preocupar com a especialização dos órgãos que compõem a 3. As decisões são mais consistentes com os obje-
estrutura organizacional. tivos empresariais globais.

3. Hierarquia 4. A centralização elimina esforços duplicados de


vários tomadores de decisão e reduz custos
Outra conseqüência do princípio da divisão do trabalho operacionais.
é a diversificação funcional dentro da organização. A 5. Certas funções — como compras e tesouraria —
pluralidade de funções imposta pela especialização exige do permitem maior especialização e vantagens com
a centralização.
desdobramento de comando, cuja missão é dirigir todas as
atividades para que essas cumpram harmonicamente suas
Desvantagens da centralização
respectivas missões. Todavia, a centralização tem suas desvantagens,
Autoridade COMO:
A autoridade distingue três características: 1. As decisões são tomadas na cúpula que está
distanciada dos fatos e das circunstâncias.
a) Autoridade é colocada em posições da 2. Os tomadores de decisão no topo têm pouco contato
organização e não em pessoas. com as pessoas e situações envolvidas.
b) Autoridade é aceita pelos subordinados. 3. As linhas de comunicação ao longo escalar provocam
c) Autoridade flui abaixo por meio da hierarquia. demora e maior custo operacional.
4. As decisões passam pela cadeia escalar, envolvendo
Delegação pessoas intermediárias e possibilitando distorções e
Delegação é o processo de transferir autoridade e erros pessoais no processo de comunicação das
responsabilidade para posições inferiores na hierarquia. decisões.
Muitas organizações encorajam seus gerentes a delegar
autoridade aos níveis mais baixos para proporcionar o
máximo de flexibilidade para satisfazer as necessidades do Descentralização
cliente e se adaptar ao ambiente. A descentralização faz com que as decisões sejam
pulverizadas
Amplitude administrativa nos níveis
www.professormozart.blogspot.com
mais baixos
Em decorrência do princípio da distribuição de
da
autoridade e responsabilidade, outro aspecto discutido pelos
organização. A tendência moderna é no intuito de
autores neoclássicos é a amplitude administrativa. A
descentralizar para proporcionar melhor utilização dos
amplitude administrativa ( ou amplitude de comando ou ainda
recursos humanos. nos. O princípio que rege a
amplitude de controle) significa o numero de subordinados
descentralização é assim definido: a autoridade para
que um administrador pode supervisionar. Quando um
tomar ou iniciar a ação deve ser delegada tão próxima
administrador tem muitos subordinados, ele tem uma
da cena quanto possível. O grau de descentralização é tanto
amplitude de comando grande e ampla.
maior quanto:
A tendência atual das organizações é de achatar e
comprimir a estrutura organizacional no sentido de aproximar 1. As decisões sejam tomadas nos níveis mais baixos da
a base da cúpula e melhorar as comunicações. hierarquia.
2. As decisões mais importantes sejam nos níveis
CENTRALIZAÇÃO mais baixos da hierarquia.
versus
3. Menor a supervisão sobre as decisões tomadas. A
DESCENTRLIZAÇÃO
descentralização significa relativa autonomia e
independência para tomar decisões. Ocorre
Centralização quando nenhum controle é feito ao tomar- se uma
A centralização enfatiza as relações escalares, decisão. A descentralização significa relativa
isto é, a cadeia de comando. A organização é autonomia e independência para tomar decisões.
desenhada dentro da premissa de que o indivíduo no Elementos que ocorrem pra aumentar a descentralização
topo possui a mais alta autoridade e que a autoridade
dos demais indivíduos é escalada para baixo, de Complexidade dos problemas organizacionais. O avanço
acordo com sua posição relativa no organograma. A
cadeia escalar ou cadeia de comando está tecnológico, as inovações, a intensificação das comunicações,
intimamente relacionada com a unidade de comando. a diversificação das linhas de produtos e os mercados em
desenvolvimento requerem versatilidade, rapidez e precisão
Vantagens da centralização nas decisões, o que é impossível obter se toda a autoridade
for concentrada nas mãos de um só executivo no topo da
A centralização foi valorizada no passado devido às
seguintes vantagens: organização. Aí, um só pensa, enquanto a totalidade das
pessoas trabalha dependendo de suas decisões. A descen-
1. As decisões são tomadas por administradores que tralização permite a utilização de todos os cérebros e
possuem visão global da empresa. músculos da organização.
1. Delegação de autoridade. A organização, como um
2. Os tomadores de decisão no topo são mais
organismo vivo, deve estar apta para se ajustar e
bem treinados e preparados do que os que es tão
expandir-se continuamente para sobreviver e crescer. O
nos níveis mais baixos.
crescimento é um sinal de vitalidade e de garantia de

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 22


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
sobrevivência. Para não atrofiar essa vitalidade com  Envolve a empresa numa totalidade, abrange todos os
sobrecarga de trabalho e estagnação, a delegação de recursos e áreas de atividade, e preocupa-se em atingir os
autoridade parece ser a resposta correta para o objetivos em nível organizacional.
esforço total da organização.  É definido pela cúpula da organização (nível
2. Mudança e incerteza. Quanto maior a necessidade de institucional) e corresponde ao plano maior ao qual todos os
mudança e de inovação, tanto maior será a necessidade demais estão subordinados.
de descentralização. Planejamento tático é o planejamento que abrange cada
departamento ou unidade da organização. Suas
3. Em tempos de estabilidade. Os neoclássicos preferem a características são:
descentralização em épocas de certeza e  É projetado para médio prazo, geralmente pra o
previsibilidade. Para eles, em situações de risco, de exercício anual.
crise ou de dificuldade, a autoridade costuma ser  Envolve cada departamento, abrange seus recursos
centralizada no topo enquanto durar a emergência e específicos e preocupa-se em atingir aos objetivos
a descentralização somente voltará quando o perigo já departamentais.
tiver sido ultrapassado. Essa visão é criticada e hoje a
 É definido no nível intermediário, em cada
descentralização é enfatizada em tempos de mudança e
departamento da empresa.
de emergências.
Planejamento operacional é o planejamento que abrange
Vantagens da descentralização cada tarefa ou atividade específica. Suas características
A descentralização permite que as decisões sejam tomadas são:
pelas unidades situadas nos níveis mais baixos da
organização, proporcionando um considerável aumento de  É projetado para curto prazo, para o imediato.
eficiência. As vantagens que a descentralização pode  Envolve cada tarefa ou atividade de metas
proporcionar são: específicas.
 É definido no nível operacional, para cada tarefa ou
1. Os gerentes ficam mais próximos do ponto onde se atividade.
devem tomar as decisões. A descentralização corta os Existem
atrasos nas decisões causadas pelas consultas à matriz www.professormozart.blogspot.com
quatro tipos
ou aos supervisores distantes. As pessoas que vivem os distintos de
problemas são as mais indicadas para resolvê-los no planos, a saber:
local, economizando tempo e dinheiro.
1. Planos relacionados com métodos, denominados
2. Aumenta a eficiência e a motivação, aproveitando
procedimentos
melhor o tempo e a aptidão dos funcionários, evitando
2. Planos relacionados com dinheiro, denominado
que fujam à responsabilidade, por ser mais fácil recorrer
orçamentos.
à matriz ou ao chefe.
3. Planos relacionados com tempo, denominados
3. Melhora a qualidade das decisões à medida que seu programas.
volume e complexidade se reduzem, aliviando os chefes
4. Planos relacionados com comportamentos,
principais do excesso de trabalho decisório. Os altos denominados normas ou regulamentos.
funcionários podem concentrar-se nas decisões de
maior importância, deixando as menores decisões para Organização
os níveis mais baixos. A palavra organização pode assumir vários significados:
4. Reduz a quantidade de papelório do pessoal dos 1. Organização como urna entidade social. É a
escritórios centrais e os gastos respectivos. Além disso, organização social dirigida para objetivos específicos e
ganha-se tempo: toma-se na hora uma decisão que deliberadamente estruturada. A organização é uma entidade
levaria vários dias para ser comunicada. social porque é constituída por pessoas. É dirigida para
5. Os gastos de coordenação podem ser reduzidos devido objetivos porque é desenhada para alcançar resultados -
à maior autonomia para tomar decisões. Isso requer o como gerar lucros (empresas em geral) ou proporcionar
estabelecimento de uma estrutura organizacional bem satisfação social (clubes) etc. É deliberadamente -
definida, além de políticas da companhia definindo até estruturada pelo fato de que o trabalho é dividido e seu
que ponto as unidades subsidiárias podem tomar suas desempenho é atribuído aos membros da organização.
decisões. Nesse sentido, a palavra organização significa um
empreendimento humano moldado intencionalmente para
Planejamento atingir determinados objetivos. Essa definição se aplica a
todos os tipos de organizações, sejam elas lucrativas ou não,
Existem três níveis distintos de planejamento: o como empresas, bancos, financeiras, hospitais, clubes,
planejamento estratégico, o tático e o operacional. igrejas etc. Dentro desse ponto de vista, a organização pode
ser visualizada sob dois aspectos:
Planejamento estratégico é o mais amplo e abrange
toda organização. Suas características são: a. Organização formal. É a organização baseada em uma
divisão da em uma divisão de trabalho racional que
 Projetado no longo prazo, tendo seus efeitos e
especializa órgãos e pessoas em determina-
conseqüências estendidos a vários anos pela frente.
das atividades. É, portanto, a organização
planejada ou a organização que está definida no
organograma, sacramentada pela direção e comunicada a

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 23


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
todos por meio dos manuais de organização. É a Para a abordagem clássica, a base fundamental da
organização formalizada oficialmente. organização é a divisão do trabalho. À medida que uma
b. Organização informal. É a organização que emerge organização cresce, ele tende a se diferenciar e especializar
espontânea e naturalmente entre as pessoas que ocupam cada vez mais as unidades que compõem sua estrutura
posições na organização formal e a partir dos organizacional.
relacionamentos humanos como ocupantes de cargos. For-
A Teoria Neoclássica complementa a abordagem
ma-se a partir das relações de amizade (ou de
clássica com novas abordagens sobre a departamentalização.
antagonismos) e do surgimento de grupos informais que não Para os autores Clássicos, a especialização na organização
aparecem no organograma ou em qualquer outro documento pode dar-se em dois sentidos: vertical e horizontal. A
formal. especialização vertical ocorre quando se verifica a
2. Organização como função administrativa e parte necessidade de aumentar a qualidade da supervisão ou chefia
integrante do processo administrativo. Nesse sentido, acrescentando mais níveis hierárquicos na estrutura. A
organização significa o ato de organizar, estruturar e integrar especialização vertical se faz à custa de um aumento de níveis
os recursos e os órgãos incumbidos de sua administração e hierárquicos. É um desdobramento da autoridade e por isso
estabelecer suas atribuições e as relações entre eles. denominada processo escalar, pois refere-se ao crescimento
da cadeia de comando.
Direção
TIPOS DE DEPARTAMENTALIZAÇÃO
A direção constitui a terceira função administrativa e vem
logo depois do planejamento e da organização. Definido o
planejamento e da organização, resta fazer as coisas A departamentalização é um meio para se obter
homogeneidade de tarefas em cada órgão.
andarem e acontecerem. Esse papel da direção: acionar de
dinamizar a empresa. A direção esta relacionada com a A palavra Departamento designa uma área, ou
ação, com colocar-se em marcha, e tem muito a ver com as segmento distintos de uma empresa sobre a qual um
pessoas. Ela está diretamente relacionada com a atuação administrador (seja diretor, gerente, chefe, supervisor) tem
sobre os recursos humanos da empresa. autoridade
para o www.professormozart.blogspot.com
Controle desempenho
de atividades
A palavra controle pode assumir vários significados em
específicas. Os principais tipos de departamentalização são:
Administração, a saber:
1. Por funções.
1. Controle como função restritiva e coercitiva. 2. Por produtos ou serviços.
Utilizado no sentido de coibir ou limitar certos tipos de 3. Por localização geográficas.
desvios indesejáveis ou de comportamentos não aceitos. 4. Por clientes.
Nesse sentido, o controle apresenta um caráter negativo e 5. Por fases do processo (ou processamento)
limitativo, sendo muitas vezes interpretado como coerção, 6. Por projetos.
delimitação, inibição e manipulação. É o chamado controle Departamentalização por funções
social aplicado nas organizações e na sociedade para inibir Também denominada departamentalização funcional,
o individualismo e a liberdade das pessoas. consiste no agrupamento das atividades e tarefas de acordo
com as funções principais desenvolvidas dentro da empresa.
2. Controle como um sistema automático de re-
A departamentalização por funções é o critério mais utilizado
gulação. Utilizado no sentido de manter automaticamente
para organizar atividades empresariais. Todavia, as funções
um grau constante de fluxo ou de funcionamento de um
básicas de uma empresa podem diferir conforme a empresa.
sistema. É o caso do processo de controle automático das
refinarias de petróleo, de indústrias químicas de pro- Vantagens da departamentalização funcional
cessamento contínuo e automático. O mecanismo de
controle detecta possíveis desvios ou irregularidades e a. Permite agrupar vários especialistas sob um única
proporciona automaticamente a regulação necessária chefia.
para voltar à normalidade. Quando algo está sob controle b. Garante plena utilização das habilidades técnicas das
significa que está dentro do normal. pessoas.
c. Permite economia de escala pela utilização integrada
3. Controle como função administrativa. É o controle das pessoas, máquinas e produção em massa.
como parte do processo administrativo, como planejamento, d. Orienta as pessoas para uma específica atividade.
organização e direção. e. Indicada para situações em que não são exigidas
Este controle e que nos interessa para função mudanças, aplica-se em situações estáveis.
administrativa e que depende do planejamento, da f. Aconselhada para empresas que possuem produtos e
organização e da direção para formar o processo serviços inalteráveis ao longo do tempo.
administrativo. A função do controle é assegurar que os g. Reflete elevado nível de auto-orientação e introversão
resultados do que foi planejado, organizado e dirigido se da organização.
ajustem quanto possível aos objetivos previamente
estabelecidos. Desvantagens da departamentalização funcional

a. Reduz a cooperação interdepartamental, pois


DECORRÊNCIAS DA TEORIA NEOCLÁSSICA: exige forte concentração intradepartamental e cria barreiras
DEPARTAMENTALIZAÇÃO entre os departamentos devido à ênfase nas especialidades.
mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 24
mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
b. É inadequada quando a tecnologia e as Departamentalização por Processos
circunstâncias externas são mutáveis ou imprevisíveis.
c. Dificulta a adaptação e a flexibilidade a Também denominada departamentalização por
mudanças externas. fases do processo, por processamento ou ainda por
Departamentalização por Produtos ou Serviços equipamento. É freqüentemente utilizada nas empresas
industriais nos níveis mais baixos da estrutura organizacional
Envolve diferenciação e agrupamento de atividades das áreas produtivas ou de operações. A diferenciação e o
de acordo como o resultado da organização, isto é, de acordo agrupamento se fazem por meio de seqüência do
com o produto ou serviço realizado. Todas as atividades processo produtivo ou operacional ou, ainda, por meio do
requeridas para suprir um produto ou serviço – mesmo que arranjo e disposição racional do equipamento utilizado. É o
sejam dissimilares – deverão ser agrupados no mesmo processo de produção dos bens ou serviços que determina a
departamento. O agrupamento das atividades da organização estratégia de diferenciação e agrupamento. Processo é um
pelos produtos ou linhas de produtos facilita o emprego de conjunto de atividades das e destinadas a resultar um produto
tecnologia, das máquinas e equipamentos, do conhecimento, especificado para um determinado cliente ou mercado. É uma
da mão-de-obra, permitindo uma intensificação de esforços e ordenação específica das atividades de trabalho no tempo e
concentração que aumentam sobremaneira a eficiência da no espaço, com um começo, um fim e entradas e saídas
organização. claramente identificadas. O processo é entendido como uma
série de atividades que fornecem valor a um cliente. O
Departamentalização Geográfica
cliente do processo não é necessariamente um cliente
externo da empresa. Ele pode estar dentro da empresa. É o
É denominada departamentalização territorial ou regional ou chamado cliente interno.
por localização geográfica. Requer diferenciação e
Existem quatro princípios que, embora não sejam
agrupamento das atividades de acordo com a localização
absolutos e apesar de conflitarem entre si algumas vezes,
onde o trabalho será desempenhado ou uma área de permitem adequar o problema de departamentalização:
mercado a ser servida pela empresa. A presunção implícita
nessa estratégia é que, onde os mercados estão dispersos, a
eficiência poderá ser melhorada se todas as atividades www.professormozart.blogspot.com
relacionadas com um produto forem agrupadas em uma
área geográfica específica. Assim, as funções e os a. Princípio de maior uso. O departamento que mais
produtos/serviços –sejam similares ou dissimilares – deverão utilizar urna atividade deve tê-la sob sua jurisdição.
ser agrupados na base dos interesses geográficos. A b. Princípio de maior interesse. O departamento que mais
departamentalização por base territorial é geralmente utili- interesse tenha por uma atividade deve supervisioná-la, porque
zada por empresas que cobrem grandes áreas geográficas e se torna proficiente nela.
cujos mercados são extensos. É especialmente atrativa para c. Princípio de separação do controle. As atividades de
empresas de larga escala e cujas atividades são controle devem ser autônomas, independentes e separadas
geograficamente dispersas. As empresas multinacionais das atividades que estão sendo controladas.
utilizam essa estratégia para as suas operações fora do país
d. Princípio da supressão da concorrência. Deve-se
onde estão sediadas. É mais indicada para a área de
eliminar a concorrência entre departamentos, agrupando
produção (operações) e de vendas, sendo pouco utilizada
atividades diversas em um só departamento, embora, em
pela área financeira, que nem sempre permite
certos casos, a rivalidade interdepartamental seja salutar,
descentralização.
quando cria uma competição leal e sadia.
Departamentalização por Clientela
Apreciação crítica da departamentalização

A organização na base da clientela envolve a dife- A departamentalização constitui ainda hoje o ele-
renciação e o agrupamento das atividades de acordo com mento fundamental na estruturação de muitas organizações.
o tipo de pessoa ou pessoas para quem o trabalho é Não se descobriu ainda uma maneira melhor de organizar
executado. As características dos clientes – como idade, empresas, apesar de critérios mais recentes, como as
sexo, nível socioeconômico, tipo de consumidor etc. – unidades estratégicas de negócios, alianças estratégicas,
constituem a base para esse tipo de departamentalização. redes integradas e outras modalidades que serão estudadas
A departamentalização por clientes ou por fregueses mais adiante. O próprio nome – departamento ou divisão ou
reflete o interesse pelo consumidor do produto ou serviço unidade organizacional – ainda prevalece apesar de
oferecido pela organização. É um critério importante, quando todo o progresso na teoria administrativa
a organização lida com diferentes classes de clientes com
diferentes características e necessidades. A Downsizing e outsourcing
departamentalização por cliente divide as unidades Contudo, por volta das décadas de 1980 e 1990 surgiram
organizacionais para que cada uma delas possa servir um técnicas de mudança organizacional tendo por base o
diferente cliente; quando diferentes clientes requerem enxugamento (downsizing), a terceirização (outsourcing) e
diferentes métodos e características de vendas, diferentes a reengenharia. O enxugamento se fez por meio da
características de produtos e, às vezes, diferentes serviços redução de níveis hierárquicos ao essencial, eliminando
organizacionais, a estrutura centrada no cliente é a mais posições do nível intermediário a fim de aproximar o nível
indicada. operacional do nível institucional e simplificar e compactar as

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 25


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
organizações. A terceirização se fez por meio da d) Ênfase na mensuração e no controle de
transferência de atividades não-essenciais para terceiros resultados
ou fornecedores que possam fazê-las melhor e mais barato.
Todos os sistemas de APO envolvem a avaliação e a
Reengenhania revisão regular do processo e dos objetivos alcançados,
permitindo que providências sejam tomadas e novos objetivos
A reengenharia se fez por meio de urna nova concepção
sejam fixados para o período seguinte. Há um ciclo típico da
de organização baseada não mais na estrutura vertical e APO que envolve as seguintes etapas:
hierárquica, mas no foco nos processos organizacionais,
fazendo com que a antiga visão verticalizada fosse
a) A partir dos objetivos organizacionais e do Planejamento
substituída por urna visão horizontalizada. O organograma
Estratégico, estabelecem-se os objetivos departamentais
foi deitado de lado. A base fundamental da reengenharia foi para o primeiro ano, entre o gerente do departamento e seu
a substituição de departamentos isolados por equipes superior.
multifuncionais de processos, como veremos adiante.
b) O gerente elabora o Plano Tático que permita
alcançar os objetivos departamentais fixados.
APO – ADMINISTRAÇÃO POR OBJETIVOS c) O gerente elabora com seus subordinados os Planos
Operacionais necessários à implementação do Plano Tático
A partir da década de 1950, a Teoria Neoclássica
de seu departamento.
deslocou a atenção antes fixada nas chamadas “atividades-
d) Os resultados da execução dos planos são
meio” para os objetivos ou finalidades da organização. O continuamente avaliados e comparados com os objetivos
enfoque baseado no “processo” e preocupação maior com as fixados.
atividades (meios) passaram a ser substituídos por um
e) Em função dos resultados obtidos, procede-se à
enfoque nos resultados e objetivos alcançados (fins). O foco
revisão, ao reajuste dos planos ou às alterações nos objetivos
no “como” administrar passou para o “porquê” ou “para que”
estabelecidos.
administrar. O trabalho passou para um fim em sim mesmo
para constituir um meio de obter resultados. f) No
ciclo www.professormozart.blogspot.com
Origens da Administração por Objetivos seguinte,

A administração por Objetivos (APO) ou estabelecem-se os departamentais para o segundo ano,


administração por resultados constitui o modelo administrativo gerente e seu superior, tomando por resultados do
identificado como e espírito pragmático e democrático da primeiro ano.
Teoria Neoclássica. Seu aparecimento ocorreu em 1954, g) Repete-se a sequência do ciclo anterior.
quando Peter F. Drucker publicou um livro sobre a
Administração por objetivos, sendo considerado o pai da
A implantação da APO requer o apoio um staff
APO.
treinado e preparado. A abordagem do tipo "faça-o você
Características da APO mesmo" não é aconselhável em APO, pois ela exige
coordenação e integração de esforços, o que pode ser feito
A APO é um método no qual as metas são definidas pelo staff.
em conjunto com os gerentes e subordinados, as Um objetivo é um enunciado escrito sobre resultados
responsabilidades as responsabilidades são especificadas a serem alcançados em um período determinado. “O objetivo
para cada um em função dos resultados esperados, que dever ser quantificado, difícil, relevante e compatível. O
passam a construir os indicadores ou padrões de quanto possível números. São os números que orientam o
desempenho sob os quais ambos serão avaliados. desempenho dos gerentes para um resultado mensurável,
Analisando o resultado final, o desempenho do gerente e do difícil, importante e compatível com os demais resultados.”
subordinado podem ser objetivamente avaliados e os
resultados alcançados são comparados com os resultados Cada área da empresa representa uma forte
esperados. Embora tenha um passado autocrático, a APO tendência para maiximizar seus objetivos e resultados, de tal
funciona hoje com uma abordagem amigável, democrática e maneira que o esforço de um área de uma área anula a de
participativa. outra, estabelecendo um esforço de subobjetivação. Cada
subobjetivo maximizado leva a empresa a se transformar em
As características da APO são: um sistema centrífugo de esforços: os esforços se separam
do que se conjugam, tendendo a sair do sistema. Asnoff
a) Estabelecimento conjunto de objetivo entre o salientea que o ideal seria o efeito não soma dos esforços,
gerente e o subordinado. mas da sua multiplicação: sinergismo.

b) Estabelecimento de objetivos para cada Convergência


departamento ou posição Daí a necessidade de um sistema de resultados globais
previamente definidos por departamentos - convergindo os
c) Interligação entre os vários objetivos objetivos em uma direção única. É o que salienta Lodi:
departamentais "Quando os resultados colidem entre si (porque o lucro
colide com a produtividade, a inovação colide com o
aspecto operacional atual e assim por diante) nenhum

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 26


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
objetivo trabalha junto com outro. O trabalho da 1. Formulação dos objetivos organizacionais.
administração, pois, é o de compatibilizar objetivos
conflitantes. Toda empresa, no fundo, é um conjunto de 2. Análise externa do ambiente ou auditoria
conflitos que vão existindo em um equilíbrio instável. externa.
Focalizando-se uma coisa, tira-se de outra.
3. Formulação das alternativas estratégicas e
Hierarquia de objetivos escolha da estratégia a ser utilizada.
Como as organizações perseguem vários objetivos, surge
o problema de quais são os objetivos mais importantes e
prioritários. Os objetivos precisam ser escalonados em uma Estratégia Tática
ordem gradativa de importância, relevância ou de
prioridade, em uma hierarquia de objetivos, em função de
sua contribuição à organização como um todo. Cada  Envolve a Refere-se a cada
organização com
organização tem a sua hierarquia objetivos. Os objetivos
uma totalidade departamento ou
estratégicos estão acima dos objetivos táticos e estes acima
dos objetivos operacionais. unidade.
Assim, existem três níveis de objetivos: estratégicos, táticos e
operacionais.
a.Objetivos estratégicos. São os chamados objetivos  É um meio É um meio para alcançar
organizacionais, ou seja, objetivos amplos e que abrangem a para alcançar
objetivos objetivos departamentais
organização como urna totalidade. Suas características básicas
organizacionais
são: globalidade e longo prazo.
b.Objetivos táticos. São os chamados objetivos
departamentais, ou seja, objetivos referentes a cada
departamento da organização. Suas características básicas
são: ligação com cada departamento e médio prazo.  É orientada É orientada para médio
www.professormozart.blogspot.com
para longo prazo
c. Objetivos operacionais. São objetivos referentes à cada ou curto prazo
atividade ou tarefa. Suas características básicas são:
detalhamento e curto prazo.
 É decidida no É definida no nível
nível institucional
A hierarquia de objetivos sofre mudanças, seja na inclusão da organização intermediário pelo
de novos objetivos, seja na substituição • de objetivos por
outros diferentes. Os objetivos podem facilitar o alcance de gerente
outros provocando o efeito de sinergia, como também podem
dificultar e impedir o alcance de outros. Para que a hierarquia
de objetivos possa ser equilibrada, são necessários os 4. Desenvolvimento de planos táticos e
seguintes cuidados: operacionalização da estratégia.

a. Os objetivos devem traduzir as aspirações fundamentais Cenários


da empresa. Mais recentemente, a escola do planejamento pas-
b. Devem fazer com que todos os órgãos da empresa sou a adotar o conceito de planejamento de cenários. O
contribuam com uma parcela do esforço geral. cenário constitui uma ferramenta no arsenal do estrategista e
c. Devem levar em conta a necessidade de várias alternativas se baseia na suposição de que, se não se pode prever o
para sua execução, assim como a relativa eficiência e o custo futuro especulando sobre uma variedade de futuros, pode-
de cada uma delas. se, no entanto, aproximar-se do futuro correto. Como o tempo
d.Devem ser comunicados a todos os interessados para do planejador não é ilimitado, ele precisa de cenários
que cada qual compreenda as metas da respectiva função suficientes para cobrir as contingências importantes
e suas relações com os objetivos fundamentais da
possíveis, mas em quantidade pequena para serem
empresa.Devem ser periodicamente reexaminados e
reformulados, para serem atualizados de acordo com a administráveis. Aí surge a pergunta do que fazer com eles:
mudança das condições de mercado. apostar no mais provável ou no mais benéfico?

Quadro comparativo
Estratégia x Tática

O modelo prescritivo de planejamento estratégico dos


neoclássicos segue cinco estágios, saber:

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 27


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart

Esquemas Gráficos

Objetivo como hiato de desempenho

Características da APO

www.professormozart.blogspot.com

O ciclo contínuo da APO

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 28


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart

“Max Weber (1864-1920), sociólogo e


economista alemão, criador da Sociologia da Desdobramentos da abordagem estruturalista
Burocracia .”

Abordagem Estruturalista

N
o início do século XX, Max Weber, um
sociólogo alemão, publicou uma bibliografia
a respeito das grandes organizações da sua
época.
Modelo Burocrático de Organização
Deu-lhes o nome de burocracia e passou a
considerar o século XX como o século das burocracias, pois
achava que essas eram as organizações características de Com as críticas realizadas na década de 1940 à
uma nova época, plena de novos valores e de novas Teoria Clássica - pelo seu mecanicismo – como à Teoria
das Relações Humanas – por seu romantismo ingênuo –
exigências. O aparecimento das burocracias coincidiu como o
revelaram a falta de uma teoria da organização sólida e
despontar do capitalismo, graças a inúmeros fatores, dentre
abrangente que servisse de orientação para o trabalho do
os quais a economia do tipo monetário, o mercado de mão-
administrador. Alguns estudiosos foram buscar nas obras
de-obra, aparecimento do estado-nação centralizado e a
de um economista e sociólogo já falecido, Max Weber, a
divulgação da ética protestante (que enfatiza o trabalho como
inspiração para essa nova teoria da organização. Surgiu,
dom de Deus).
assim, a Teoria da Burocracia na Administração.
O século XX representa o século da burocracia. A
organização burocrática é monocrática e está sustentada no Os aspectos que propiciaram o surgimento da Teoria
direito de propriedade privada. Os dirigentes das da
organizações burocráticas – sejam os proprietários ou não – Burocracia www.professormozart.blogspot.com
possuem um poder muito grande e elevado status social e são:
econômico. Passaram a constituir uma poderosa classe
a) A fragilidade e a parcialidade da Teoria Clássica e da
social.
Teoria das Relações Humanas.
A classe dos gerentes nos levará a uma Revolução
b) A necessidade de um modelo de organização
Gerencial e, com ela, a uma sociedade dirigida por gerentes,
racional.
isto é, por administradores profissionais.
c) O crescente tamanho e complexidade das empresas.
Para Burnham, os gerentes seriam, no futuro, a nova
d) O ressurgimento da Sociologia da Burocracia.
classe dominante, a política seria dominada pela
administração e pela economia, as posições-chave seriam
ocupadas por gerentes profissionais. Uma nova ideologia TEORIA DA BUROCRACIA
seria desenvolvida.
O primeiro teórico incontestavelmente das  Origens da Burocracia
organizações foi Max Weber. Weber estudou as A burocracia é uma forma de organização humana
organizações sob um ponto de vista estruturalista, que se baseia na racionalidade, isto é, na adequação dos
preocupando-se com sua racionalidade, isto é, com a relação meios aos objetivos (fins) pretendidos, a fim de garantir a
entre os meios e recursos utilizados e os objetivos a serem máxima eficiência possível no alcance desses objetivos. As
alcançados pelas organizações burocráticas. origens da burocracia remontam à época da Antiguidade.
A organização por excelência, para Weber, é a A burocracia – tal como ela existe hoje, como a base
burocracia. do moderno sistema de produção - teve sua origem nas
Com o aparecimento, crescimento e proliferação das mudanças religiosas verificadas após o Renascimento. Weber
burocracias, a teoria administrativa – até então instrospectiva salienta que o sistema moderno de produção, racional e
e voltada apenas para os fenômenos internos da organização capitalista, não se originou das mudanças tecnológicas nem
– ganhou uma nova dimensão por meio da abordagem das relações de propriedade, como afirmava Karl Marx, mas
estruturalista: além do enfoque intra-organizacional, surgiu o de um novo conjunto de normas sociais morais, às quais
enfoque interorganizacional. denominou “ética protestante”: o trabalho duro e árduo como
A visão estreita e limitada aos aspectos a ser sendo dádiva de Deus.
ampliada e substituída por uma visão mais ampla, envolvendo
as organizações e as suas relações com outras organizações  Tipos de Sociedade
dentro de uma sociedade maior. Weber distingue três tipos de sociedade:
Embora predomine a ênfase na estrutura, a visão a) Sociedade Tradicional: onde predominam
teórica ganha n ovas dimensões e novas variáveis. características patriarcais e patrimonialistas, como a família, o
A Abordagem Estruturalista será estudada por meio clã, a sociedade medieval.
da Teoria da Burocracia e da Teoria Estruturalista. b) Sociedade carismática: onde predomina
características místicas, arbitrárias e personalísticas, como
nos grupos revolucionários, nos partidos políticos, nas nações
em revolução.

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 29


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
c) Sociedade legal, nacional ou burocrática: onde feitas. Segundo Max Weber, a burocracia tem as seguintes
predominam normas impessoais e racionalidade na escolha características:
dos meios e dos fins, como nas grandes empresas, nos
estados modernos, nos exércitos.

 Tipos de Autoridade 1. Caráter legal das normas e regulamentos.


A autoridade proporciona poder: ter autoridade é ter 2. Caráter formal das comunicações.
poder. A recíproca nem sempre é verdadeira, pois ter 3. Caráter racional e divisão do trabalho.
4. Impessoalidade nas relações.
poder nem sempre significa ter autoridade. A autoridade é
5. Hierarquia de autoridade.
o poder dela decorrente, depende da legitimidade, que é a 6. Rotinas e procedimentos padronizados.
capacidade de justificar o seu exercício. 7. Competência técnica e meritocracia.
8. Especialização da administração.
A legitimidade é o motivo que explica por que um
9. Profissionalização dos participantes.
determinado número de pessoas obedece às ordens de 10. Completa previsibilidade do funcionamento.
alguém, conferindo-lhe poder. Essa aceitação, essa
justificação do poder é chamada legitimação. A autoridade Características da Burocracia Segundo Weber
é legítima quando é aceita.

Weber aponta três tipos de autoridade legítima, a saber:


autoridade tradicional, autoridade carismática e autoridade
racional, legal ou burocrática.

a) Autoridade tradicional – quando os subordinados


aceitam as ordens dos superiores como justificadas, porque
essa sempre foi a maneira pela qual as coisas foram feitas. É
extremamente conservadora. Sua legitimação provém da
crença no passado eterno, na justiça e maneira tradicional de
agir. Suas duas formas de aparato administrativo são: forma
patrimonial ( no qual os funcionários são servidores pessoais www.professormozart.blogspot.com
do seu senhor, parentes, favorecidos) e forma feudal (os
funcionários são vassalos ou suseranos, e portanto, aliados
 Vantagens da Burocracia
do senhor, e lhes presta juramento de fidelidade)
b) Autoridade carismática – quando os subordinados
1. Racionalidade
aceita as ordens do superior como justificadas, por causa da 2. Precisão na definição do cargo e na operação
influência da personalidade e da liderança do superior com o 3. Rapidez nas decisões
qual se identificam. 4. Univocidade de interpretação
c) Autoridade legal, racional ou burocrática – 5. Uniformidade de rotinas e procedimentos
quando os subordinados concordam com certos preceitos ou 6. Continuidade da organização
7. Redução do atrito entre as pessoas
normas que consideram legítimas, e dos quais deriva o
8. Constância
comando; se baseia, portanto, em normas legais 9. Confiabilidade
racionalmente definidas. 10. Benefícios para as pessoas na organização
O aparato administrativo na dominação legal é a As pessoas cumprem regras porque os fins visados
burocracia. Tem seu fundamento nas leis e na ordem legal. A pela organização são valorizados e cada qual deve fazer a
posição dos funcionários (burocratas) e suas relações com os sua parte para que o objetivo global seja alcançado.
governantes são definidas por regras impessoais e escritas
que delineiam de forma racional a hierarquia do aparato  Racionalidade burocrática
administrativo, direitos e deveres inerentes a cada posição, Um conceito muito ligado à burocracia é o de
métodos de recrutamento e seleção, dentre outros. A racionalidade. No sentido weberiano, a racionalidade implica
burocracia é organização típica da sociedade moderna adequação dos meios aos fins. No contexto burocrático, isso
democrática e das grandes empresas e existe na moderna significa eficiência. Urna organização é racional se os meios
estrutura do Estado. mais eficientes são escolhidos para a implementação das
 Características da Burocracia Segundo metas. No entanto, são as metas coletivas da organização e
Weber não as de seus membros individuais que são levadas em
consideração. Desse modo, o fato de uma organização ser
Segundo o conceito popular, a burocracia é entendida racional não implica necessariamente que seus membros
com uma organização onde o papelório se multiplica e se ajam racionalmente no que concerne às suas próprias metas e
avoluma, impedindo soluções rápidas ou eficientes. aspirações. Muito pelo contrário, quanto mais racional e
O termo também é empregado com o sentido de apego burocrática torna-se a organização, tanto mais as pessoas
dos funcionários aos regulamentos e rotinas, causando tornam-se engrenagens de uma máquina, ignorando o
ineficiência à organização. O leigo passou a dar o nome de propósito e o significado do seu comportamento. Esse é o
-
burocracia aos defeitos do sistema (disfunções) e não ao tipo de racionalidade que Mannheim denomina racionalidade
sistema em si mesmo. O conceito de burocracia para Max funcional. Para Weber, a racionalidade funcional é alcançada
Weber é exatamente o contrário. Para ele, a burocracia é a pela elaboração – baseada no conhecimento científico – de
organização eficiente por excelência. Para conseguir eficiência, a regras que servem para dirigir, partindo de cima, todo
burocracia explica mínimos detalhes como as coisas deverão ser comportamento de encontro à eficiência. É nessa concepção

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 30


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
de racionalidade que a Administração Científica se baseia na e a levam a ineficiência.
busca da melhor maneira de desempenho e de trabalho  Interação da Burocracia com o Ambiente
industrial. Ao formular o modelo burocrático de organização,
Weber não previu a possibilidade de flexibilidade da
burocracia para atender a duas circunstâncias:
 Racionalização a) Adaptação da burocracia às exigências externas
Weber usa o termo burocratização em um sentido clientes.
mais amplo, referindo-se também às formas de agir e de pensar b)Adaptação da burocracia às exigências internas
que existem fora do contexto organizacional e que permeiam dos participantes.
toda a vida social. O termo burocratização usado por Weber Philip Selznick realizou uma pesquisa sobre a TVA
coincide com o conceito de racionalização. O racionalismo (Tennesse Valley Authority) para mostrar a flexibilidade e o
pode referir-se aos meios racionais e sua adequação para se ajustamento da burocracia às duas referidas anteriormente e
chegar a um fim (atividade racional da organização propor uma nova abordagem da Sociologia da Burocraica e
burocrática), como também pode referir-se à visão racional do um modelo burocrático diferente do weberiano.
mundo por meio de conceitos precisos e abstratos da ciência,
rejeitando a religião e valores metafísicos (desmistificação do
próprio mundo).
Embora considerasse a burocracia a mais eficiente
forma de organização criada pelo homem, Weber temia essa
eficiência, cujos resultados, advindos da crescente
burocratização do mundo moderno, seriam uma ameaça à
liberdade individual e às instituições democráticas das
sociedades ocidentais.

 Dilemas da burocracia

Weber notou a fragilidade da estrutura burocrática,


que enfrenta um dilema típico: de um lado, existem pressões
de forças exteriores para encorajar o burocrata a seguir www.professormozart.blogspot.com
outras normas diferentes das da organização e, de outro lado,
o compromisso dos subordinados com as regras burocráticas
tende a se enfraquecer gradativamente. A organização, para
ser eficiente, exige um tipo especial de legitimidade, ra-
cionalidade, disciplina e limitação de alcance.
Os burocratas são pessoas que formam o corpo
administrativo da estrutura da organização, devidamente
indicadas, que seguem as regras impostas e servem aos
objetivos da organização.

 Por que existem disfunções da burocracia?


Com essas disfunções a burocracia torna-se
esclerosada, fecha-se ao cliente, que o seu próprio objetivo, e
impede a mudança, a inovação e a criatividade. Outra
questão para a disfunção da burocracia é que mesmo com a
existência do controle, existem situações ou atividades
imprevisíveis à organização.
 Modelo Burocrático de Merton

Merton representa a burocracia por meio de um


modelo que se baseia nas conseqüências não previstas – isto
é, nas disfunções da burocracia – de organizar dentro dos
princípios da máquina (sistema fechado).
No fundo Merton, a burocracia não e tão eficiente
como salientava Weber, mas apresenta na prática uma série
de distorções (disfunções) que prejudicam seu funcionamento

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 31


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
3. A influência do estruturalismo nas Ciências Sociais e
sua repercussão no estudo das organizações.
"Temos nosso próprio tempo" Renato Russo
4. Conceito de Estrutura. O conceito de estrutura é
bastante antigo. Heráclito de Éfeso, (540 a.C. – 480
a.C.) nos primórdios da história da Filosofia, concebia
Curso: Técnico em Administração “logos” como uma unidade estrutural. É a estrutura que
Professor Mozart Rocha permite reconhecer o mesmo rio, embora suas águas
TEORIA ESTRUTURALISTA jamais sejam as mesmas, devido à contínua mudança
ASSUNTOS ABORDADOS – SUMÁRIO de todas as coisas.
O estruturalismo é um método analítico e comparativo que
estuda os elementos ou fenômenos com relação a uma
 Modelo Burocrático totalidade, salientando-se o seu valor de posição. O conceito de
 Teoria Estruturalista estrutura significa a análise interna de uma totalidade em seus
 Modelo Burocrático de Organização
elementos constitutivos, sua disposição, suas inter-relações etc.,
 Esquemas Gráficos
permitindo uma comparação, pois pode ser aplicado a coisas
diferentes entre si. O estruturalismo é totalizante e, além disso,
Teoria Estruturalista fundamentalmente comparativo.
O estruturalismo preocupa-se com o todo e com o

A
o final da década de 1950, a Teoria das Relações relacionamento das partes na constituição do todo. A totalidade,
Humanas – experiência tipicamente democrática e a interdependência das partes e o fato de o todo ser maior do
americana – começou a entrar em declínio. Ela que a simples soma das partes são as características básicas
constituiu a primeira tentativa sistemática de introdução das do estruturalismo.
ciências do comportamento na teoria administrativa através de
uma filosofia humanística que pregava a participação das A Sociedade de Organizações
pessoas na organização. Se, de um lado combateu Para os estruturalistas, a sociedade moderna e industrializada
profundamente a Teoria Clássica, por outro lado não é uma sociedade, das quais o homem passa a depender para
proporcionou as bases adequadas de uma nova teoria nascer, viver e morrer. O estruturalismo ampliou o estudo das
administrativa que a pudesse substituir. interações
entre os
A teoria Estruturalista veio apresentar um desdobramento da grupos www.professormozart.blogspot.com
Teoria da Burocracia e uma leve aproximação em direção à sociais
Teoria das Relações Humanas. Enquanto esta foi um iniciado pela
movimento de psicólogos da organização, o estruturalismo Teoria das Relações Humanas para o das interações entre as
constitui um movimento de sociólogos da organização que organizações sociais.
representa um visão crítica da organização formal.
Para os estruturalistas, a Teoria das Organizações é um
O movimento estruturalista foi predominantemente europeu e campo definido dentro da Administração, derivado de várias
teve um caráter mais filosófico na tentativa de obter a fontes, especialmente dos trabalhos de Taylor e Fayol, da
interdisciplinariedade das ciências. Parte do conceito de psicologia e da sociologia.
estrutura (do grego struo = ordenar) como uma composição de
elementos visualizados em relação à totalidade da qual fazem As organizações sofreram um longo desenvolvimento, através
parte. As partes são reunidas em um arranjo de natureza de quatro etapas, a saber:
estruturada e tornam-se subordinadas ao todo (estrutura) e
qualquer modificação numa das partes implica em modificações 1. Etapa da natureza: determinada como a etapa da
nas demais partes e nas relações entre elas. agricultura, elementos da natureza constituíam a
base única de subsistência da Humanidade.
O conceito de estrutura, em essência, equivale ao conceito de
sistemas, conforme veremos no capítulo dedicado à Teoria de 2. Etapa do trabalho: os elementos da natureza
Sistemas. Por essa razão, essa teoria é também chamada de passam a ser transformados através do trabalho. O
Escola da Configuração, pois e se considera que as trabalho é o fator que revoluciona o
organizações podem ser descritas em termos de uma desenvolvimento da Humanidade.
configuração estável de suas características. O importante não
são as partes constituintes, mas o todo organizado em uma
3. Etapa do Capital: a terceira etapa pela qual passou
estrutura estável.
a Humanidade, na qual o capital prepondera sobre
a natureza e o trabalho.
Origens da Teoria Estruturalista
4. Etapa da organização: o desenvolvimento da
1. A oposição entre a Teoria Tradicional e a Teoria das Humanidade levou gradativamente as forças da
Relações Humanas – incompatíveis entre si. A Teoria natureza, o trabalho e o capital a uma submissão à
estruturalista pretende ser uma síntese da Teoria organização. O predomínio da organização
Clássica (formal) e da Teoria das Relações Humanas revelou o caráter independente em relação à
(informal), inspirando-se na Abordagem de Max Weber natureza, trabalho e capital, utilizando-se deles para
e, até certo ponto, nos trabalhos de Karl Marx. alcançar os seus objetivos.
A sociedade moderna atribui um elevado valor moral ao
2. A necessidade visualizar “a organização como uma racionalismo, à eficiência e à competência, pois a civilização
unidade social” grande e complexa. Nesse sentido, o moderna depende das organizações, como as formas mais
diálogo maior da Teoria Estruturalista foi com a Teoria racionais e eficientes que se conhecem de agrupamento social.
das Relações Humanas. “A organização é um poderoso instrumento social e de
agrupamento de um a grande número de ações humanas.
Combina o pessoal e os recursos, reunindo líderes,

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 32


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
especialistas, operários, máquinas e matérias-primas. Ao II. As recompensas salariais e materiais como as
mesmo tempo, e continuamente, avalia sua realização e ajusta- recompensas sociais e simbólicas
se a fim de atingir seus objetivos.
III. Os diferentes níveis hierárquicos de uma organização
As Organizações
IV. Os diferentes tipos de organizações
As organizações constituem a forma dominante de instituição
da moderna sociedade: constituem a manifestação de uma V. A análise intra-organizacional e a análise
sociedade altamente especializada e independente, que se interorganizacional
caracteriza por um crescente padrão de vida. Cada organização
é limitada por recursos escassos, e por isso pode tirar Tipologia de Etzioni
vantagens de todas as oportunidades que surgem: daí o Sugere que as organizações possuem as seguintes
problema de determinar a melhor alocação de recursos. A caraterísticas
eficiência é obtida quando a organização aplica seus recursos a) Divisão de trabalho e atribuição de poder e
naquela alternativa que produz o melhor resultado. responsabilidade
b) Centros de poder
A Teoria estruturalista concentra-se no estudo das c) Substituição do pessoal
organizações, na sua estrutura interna e na interação com Para Etzioni os meios de controle utilizados pela organização
outras organizações. As burocracias constituem um tipo podem ser classificados em três categorias: controle físico,
específico de organização: as chamadas organizações formais. material ou simbólico.
A organização formal é caracterizada por regras, regulamentos
e estrutura hierárquica para ordenar as relações entre seus A Classificação das Organizações segundo Etzioni:
membros. A organização formal permite reduzir as incertezas
decorrentes da variabilidade humana, tirar vantagens dos
1. Coercetiva
benefícios e da especialização, facilitar o processo decisorial e
assegurar a implementação adequada das decisões tomadas.
Dentre as organizações formais avultam as chamadas 2.Utilitária
organizações complexas. São caracterizadas pelo elevado
grau de complexidade na estrutura e nos processos devido ao
grande tamanho ou à natureza complicada das operações. Os
www.professormozart.blogspot.com
estruturalistas focalizam as organizações complexas por causa
dos desafios que estas impõem à análise organizacional. As
organizações formais por excelência são as burocracias. É por
isso que a maioria dos autores estruturalistas iniciou-se com a 3.Normativa
Teoria da Burocracia.
4.Estrutura Dualista, isto é, combinação de duas ao
Homem Organizacional mesmo tempo.

Enquanto a Teoria Clássica caracterizava o “homo Tipologia de Blau e Scott


economicus” e a Teoria das Relações Humanas, “o homem
social”, a Teoria Estruturalista focaliza o “homem As tipologias de organizações se baseiam em características
organizacional”, ou seja, o homem que desempenha papéis em e dimensões comuns a várias organizações.
diferentes organizações.
Os benefícios para a parte principal constituem a essência da
O homem moderno, ou seja, o homem organizacional, para existência da organização.
ser bem-sucedido em todas as organizações, precisa ter as Para Blau e Scott, há quatro categorias de participantes que
seguintes características: se beneficiam de uma organização formal:
1. Flexibilidade a) Os próprios membros da organização.
b) Os proprietários, dirigentes ou acionistas da
2. Tolerância às frustrações organização.
3. Capacidade de adiar as recompensas c) Os clientes da organização.
d) O público em geral.
4. Permanente desejo de realização
Sendo assim, as organizações podem ser classificadas nas
seguintes categorias:
O “homem organizacional” reflete uma personalidade Associação de benefícios mútuos
cooperativa e coletivista, que parece destoar de algumas Organizações de interesses comerciais
características da ética protestante – eminentemente
Organizações de serviços
individualista. Dentro da organização social as pessoas ocupam
Organizações de Estado
papéis. Papel é o nome dado a um conjunto de comportamentos
solicitados a uma pessoa.
A tipologia de Blau e Scott tem a vantagem de enfatizar a
Análise das Organizações força de poder e de influência do beneficiário sobre as
organizações a ponto de condicionar a sua estrutura e objetivos.
Trata-se de um tipologia simples e unidimensional.
Os estruturalistas estudam as organizações através de uma
análise organizacional mais ampla do que qualquer outra
Sua Tipologia é baseada no modelo do benefício principal
anterior, ou seja, uma análise múltipla, que envolve:
(princípio do “cui bono”), ou seja, quem se beneficia com a
organização.
I. A organização formal e a organização informal
conjuntamente

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 33


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
Tipologia de Udy I. Interdependência das Organizações com a
Sociedade
Para Udy, as organizações podem ser classificadas em:
Nenhuma organização é autônoma ou auto-
a) Organizações orientadas para a produção econômica suficiente. Toda organização depende de outras e da
b) Organizações orientadas para objetivos políticos sociedade em geral para poder sobreviver.
c) Organizações integrativas
d) Organizações de manutenção de padrão II. Conjunto Organizacional

Cada tipo organizacional é visto como um sistema O conceito de conjunto organizacional é análogo ao
sociotécnico de vários subsistemas, como o sistema de conjunto de papéis desenvolvido por Merton. Cada
objetivos e valores da tecnologia, o sistema psicossocial e o organização ou classe de organizações tem
sistema empresarial. interações com uma cadeia de organização em seu
ambiente, formando um conjunto organizacional. A
organização que serve com ponto de referência é
chamada organização focal.
Tipologia Tridimensional de Pugh, Hickson e Hinings
Estratégia Organizacional
Optaram por três dimensões para um taxonomia das
organizações. Daí a denominação de tipologia tridimensional A estratégia é visualizada como a maneira pela qual uma
das organizações. As três dimensões escolhidas foram: organização lida com seu ambiente para atingir seus objetivos.
Par a lidar como seu ambiente e alcançar objetivos cada
a) Especialização ou divisão do trabalho. organização desenvolve estratégias.
b) Estandardização ou padronização
c) Formalização Para os estruturalistas existem estratégias de:

As dimensões de especialização, estandardização e a) Competição: é uma forma de rivalidade entre duas


formalização tendem a co-variar, isto é, tendem a aumentar ou ou
diminuir juntas.
A partir dessas três dimensões, a taxonomia tridimensional www.professormozart.blogspot.com
aponta para a existência de sete tipos de organização.

Objetivos Organizacionais mais organizações diante da medição de terceiro


grupo.
Os objetivos organizacionais constituem um campo de
estudos explorado pelos autores neoclássicos (principalmente b) Ajuste ou negociação: é uma estratégia que busca
na APO) e estruturalistas. negociações para um acordo quanto à troca de bens
e serviços entre duas ou mais organizações.
A eficiência de uma organização é medida pelo alcance dos
objetivos propostos. A competência da organização é medida c) Coopção ou cooptação: é um processo para
pelo volume de recursos utilizados para realizar a produção. A absorver novos elementos estranhos na liderança ou
competência está ligada aos objetivos da organização, mas não no esquema de tomada de decisão de uma
se confunde com eles. A competência cresce à media que os organização, como recurso para impedir ameaças
custos (os recursos utilizados) decrescem. externas à sua estabilidade ou existência.

As organizações podem ter, simultânea e legitimamente, dois d) Coalizão: combinação de duas ou mias
ou mais objetivos. Exemplo: no campo acadêmico, existem organizações para alcançar um objetivo comum.
organizações que combinam ensino e pesquisa.
Conflitos Organizacionais
Etzioni refere-se a dois modelos de organização, a saber:
Os estruturalistas discordam que haja interesse entre patrões
a) Modelos de sobrevivência: que permite a e empregados, ou mesmo que existe uma harmonia que deve
sobrevivência da organização ser preservada pela Administração.
b) Modelos de eficiência: as organizações funcionam
dentro de uma crescente busca pela excelência e O conflito, portanto, envolve não apenas o relacionamento
competitividade. indivíduo/organização, como também se estende para todas as
ações internas e externas da organização. Em suma, o conflito
Ambiente Organizacional faz parte da atividade organizacional. São elementos geradores
das mudanças e do desenvolvimento da organização.
As organizações vivem em um mundo humano, social,
político, econômico. Elas existem em um contexto ao qual Dilemas da Organização segundo Blau e Scott
denominamos ambiente. Ambiente é tudo o que envolve
externamente uma organização. Para os estruturalistas, o Para Blau e Scott há uma relação de mútua dependência
ambiente é basicamente constituído pelas outras organizações entre conflito e mudança, pois as mudanças precipitam conflitos
que formam a sociedade. Cada organização depende de outras e os conflitos geram inovações. Ainda que reprimidos, os
organizações para seguir o seu caminho e atingir os seus conflitos tornam-se fonte inevitável da mudança organizacional.
objetivos. A interação entre a organização e o ambiente torna-se Enquanto o conflito representa um choque de interesses
fundamental para a compreensão do estruturalismo. A antagônicos, o dilema uma situação frente a dois interesses
sociedade moderna é uma sociedade de organizações. A inconciliáveis entre si.
sociedade de organizações.

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 34


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
Conflitos entre Linha e Assessoria (staff) Adams resume sua experiência em
quadrinhos e tiras para retratar o cotidiano
A estrutura linha-staff é caracterizada por confrontos entre o da vida nas organizações dentro de um
pessoal de linha que detém autoridade linear e o pessoal de humor ferino. Retrata as frustrações,
assessoria que possui autoridade de staff. Como os gerentes de angústias e sofrimentos das pessoas
linha e os especialistas de staff precisam conviver entre si em submetidas a uma lógica empresarial fria,
uma dependência mútua, surgem conflitos entre linha e interesseira e desumana.
assessoria. Os conflitos envolvem aspectos positivos e
negativos, embora as possibilidades negativas e destrutivas do Apreciação Crítica da Teoria Estruturalista
conflito sejam mais visíveis. Convergência de Várias Abordagens Divergentes – É a
Teoria Clássica, a TRH e Teoria da Burocracia, numa tentativa
Sátiras à Organização de integração e de ampliação dos conceitos dessas teorias.

Apesar de não proporem nenhum tipo de solução, esses


autores satíricos – da abordagem non sense – apontam falhas e
incongruências no processo aparentemente racional da Ampliação da Abordagem – O estruturalismo muda o foca
organização. de atenção voltado para o indivíduo (Teoria Clássica) e para o
grupo (TRH) para a estrutura da organização como um todo. A
visão é mais ampla surge a preocupação com o ambiente.

I. Lei de Murphy Dupla tendência teórica - No estruturalismo coexistem duas


tendências teóricas marcantes: a integrativa e a do conflito.
Mas recentemente, um uma abordagem “non
sense”, mas de conteúdo apocalíptico com um Teoria da Crise – A Teoria Estruturalista denominada teoria
visão pessimista e negativista, foi publicado da crise, pois tem mias a dizer sobre os problemas e
um livro sobre a chamada Lei de Murphy: “se patologias das organizações complexas do que com a sua
alguma coisa pode provavelmente dar normalidade.
errado, ela certamente dará errado”.
Teoria da
II. Lei de Parkinson Transição www.professormozart.blogspot.com
e Mudança
Lei do Trabalho – significa que quanto mais – O
tempo se tem para fazer um coisa, mais estruturalismo representa uma trajetória definitiva rumo à
tempo se levará para fazê-la. abordagem sistêmica. Aliás, os autores neo-estruturalistas
são os responsáveis pelo surgimento da Teoria da
Contingência.
III. Princípio de Peter

Denominado Princípio da Incompetência,


salienta que em uma organização
hierárquica, todo empregado tende a subir
até chegar ao seu nível de incompetência.
Esse princípio tem corolário: todo cargo
tende a ser ocupado por um funcionário
que é incompetente para cumprir seus
deveres.

IV. Dramaturgia administrativa de Thompson

Defende a tese que nas organizações existe


um forte desequilíbrio entre o direito de
decidir (que é autoridade) e poder de
realizar (que é a habilidade de
especialização).

V. Maquiavelismo nas organizações

Um produtor de tevê inglesa, Antony Jay,


publicou um livro no qual procura demonstrar
que a nova ciência da administração não é, na
verdade, mias do que uma combinação da
velha arte de governar, Baseando-se no
livro “O Príncipe” de Maquiável. Jay
defende que o estratagema maquiavélico será
utilizado para ponderar cuidadosamente os
riscos e benefícios de cada decisão.

VI. O princípio de Dilbert

Em função de sua experiência pessoal em


grandes empresas Soctt

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 35


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
com a estrutura organizacional se desloca para a preocupação
com os processos organizacionais e também do comportamento
“ Toda organização é maior do que a soma das
das pessoas na organização para o comportamento
partes – Teoria Estruturalista.” Chiavenato
organizacional como um todo. Predomina a ênfase nas pessoas
– inaugurada pela Teoria das Relações Humanas – mas dentro
de um contexto organizacional que lhe serve de meio ambiente
Curso: Técnico em Administração mais próximo.
Professor Mozart Rocha Os desdobramentos da abordagem comportamental são:
ABORDAGEM COMPORTAMENTAL I. Teoria comportamental da Administração e
ADMINISTRAÇÃO - TGA II. Teoria do Desenvolvimento Organizacional.

ASSUNTOS ABORDADOS – SUMÁRIO TEORIA COMPORTAMENTAL

A
 Abordagem Teoria Comportamental (ou Teoria
 Teoria e Modelos Behaviorista) da Administração trouxe uma
 Esquemas Gráficos nova concepção e um novo enfoque dentro
 Apreciação Crítica
da teoria administrativa: a abordagem das ciências do
comportamento, o abandono das posições normativas e
Abordagem Comportamental
prescritivas das teorias anteriores (Teorias Clássica, das
Relações Humanas e da Burocracia) e a adoção de posições
A partir dos trabalhos de Dinâmica de grupo
explicativas e descritivas. A ênfase permanece nas pessoas,
desenvolvidos por Kurt Lewin – ainda na sua fase inicial de
mas dentro do contexto organizacional mais amplo.
impulsionador da Teoria das Relações Humanas – com a
divulgação do livro de Chester Barnard e dos estudos de George Através do conflito ferrenho entre as Teorias
Homans sobre sociologia funcional de grupo, culminando com a Clássicas e a Teoria das Relações Humanas, abre espaço
publicação do livro de Hebert Simon sobre o comportamento para o
administrativo, a teoria administrativa passa a apresentar novas surgimento
www.professormozart.blogspot.com
colocações. da Teoria

E ssas raízes podem ser localizadas nos Comportamental. Outras considerações, a saber:
desdobramentos da Teoria das Relações Humanas. Contudo, é
A Teoria Comportamental representa um
somente a partir da década de 1950 que se desenvolve nos desdobramento da Teoria das Relações
Estados Unidos uma nova concepção de Administração; Humanas.
baseada no comportamento humano.
A abordagem comportamental – também chamada de A Teoria Comportamental critica a Teoria Clássica.
behaviorista (em função do behaviorismo na psicologia) – marca
as mais fortes das influências das ciências do comportamento Com a Teoria Comportamental deu-se a
na teoria administrativa e a busca de novas soluções para os incorporação da Sociologia da Burocracia,
problemas organizacionais. Enquanto o estruturalismo foi ampliando o campo da teoria administrativa.
influenciado pela sociologia organizacional – a abordagem
comportamental recebe forte influência das ciências Também com a Teoria da Burocracia, a Teoria
Comportamental mostra-se muito critica
comportamentais – e, mais especificamente da psicologia
organizacional.
Em 1947, surge um livro que marca o início da
Comportamento é maneira pela qual um indivíduo ou Teoria Comportamental na Administração: “O
uma organização age ou reage em suas interações com o seu Comportamento Administrativo” de Hebert A.
meio ambiente e em resposta aos estímulos que dele recebe. Simon. Este livro constituiu o início da Teoria
As conclusões das ciências comportamentais a das Decisões.
respeito da natureza humana são:
1. O homem é um animal social dotado de A Teoria Comportamental surge no final da década
necessidades. de 1940 com uma redefinição total de conceitos
administrativos. O behaviorismo na Administração não
2. O homem é um animal dotado de um sistema
somente reescalona as abordagens anteriores como ampliou
psíquico. seu conteúdo e diversifica sua natureza.
3. O homem tem capacidade de articular a linguagem
como raciocínio abstrato, ou seja, o homem tem Principais Expoentes da Teoria
capacidade de abstração da realidade. Comportamental do Administrador
4. O homem é um animal dotado de capacitação para
aprender.
5. O comportamento humano é orientado para
objetivos.
6. O homem caracteriza-se para um padrão dual de
comportamento: pode tanto cooperar como
competir.

Com a abordagem comportamental, a preocupação

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 36


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart

 Novas Proposições sobre a Motivação Humana

Para explicar o comportamento organizacional, a


Teoria comportamental fundamenta-se no comportamento
individual das pessoas. Assim, um dos temas fundamentais
da Teoria Comportamental da Administração é a motivação
humana, campo no qual a teoria administrativa recebeu
volumosa contribuição. Os autores behavioristas verificaram
que o administrador precisa conhecer as necessidades
humanas para melhor compreender o comportamento
humano e utilizar a motivação humana como poderoso meio
para melhorar a qualidade de vida dentro das organizações.
A Teoria das necessidades de Maslow se fundamenta nos
 Hierarquias das necessidades de Maslow seguintes aspectos:
Maslow apresenta uma teoria da motivação
segundo a qual as necessidades humanas estão organizadas  Somente quando um nível inferior é satisfeito
e dispostas em níveis, em uma hierarquia de importância e de é que o nível imediatamente mais elevado
influenciação. Essa hierarquia de necessidades pode ser surge no comportamento da pessoa.
visualizada como uma pirâmide. Na base da pirâmide estão
as necessidades mais baixas (necessidades fisiológicas) e no  Nem todas as pessoas conseguem chegar ao
topo, as necessidades mais elevadas (as necessidades de topo da pirâmide de necessidades.
auto-realização).

As necessidades de Maslow, são apresentadas a seguir:  Quando as necessidades mais baixas estão

1. Necessidades fisiológicas – são as


www.professormozart.blogspot.com
necessidades de alimentação, fome, sede, sono,
cansaço, de abrigo, o desejo sexual entre
outras. São necessidades instintivas e que já satisfeitas, as necessidades mais elevadas
nascem com o indivíduo. passam a dominar o comportamento.

2. Necessidades de segurança – são necessidades  Cada pessoa possui sempre mais de uma
de segurança, estabilidade, busca de proteção motivação. Todos os níveis de motivação
contra ameaça ou privação e fuga do perigo. atuam conjuntamente no organismo. Seu
Sua grande importância, ocorre porque os efeito sobre o organismo é sempre global e
indivíduos estão ligados diretamente, ou conjunto e nunca isolado.
dependentes, das organizações.
 O comportamento motivado funciona com um
3. Necessidades sócias – necessidade de canal através do qual as necessidades são
associação, de participação, de aceitação por expressas ou satisfeitas.
parte dos companheiros, de troca de amizade,
de afeto e de amor. A falta dessas  A frustração ou a possibilidade de frustração
necessidades, em sociedade, produz para o da satisfação de certas necessidades passa
indivíduo o isolacionismo e a solidão. a ser considerada ameaça psicológica. Essa
ameaça produz reações gerais de
4. Necessidades de estima – maneira pela qual o emergência no comportamento humano.
indivíduo se vê e se avalia; autoconfiança, auto-
apreciação, necessidade aprovação social e de
respeito, status, prestígio e de consideração. A
sua frustração pode produzir sentimentos de
inferioridade.

5. Necessidades de auto-realização -
necessidades mais elevadas, relacionadas com
o desenvolvimento contínuo, realização do
próprio potencial. Tendência que a pessoa tem a
tornar-se sempre mais do que é e de vir a ser
tudo o que pode ser.
Hierarquia das necessidades humanas
e os meios de satisfação

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 37


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart

Teoria dos dois fatores de Herzeberg

Frederick Herzberg formulou a teoria dos dois fatores


para explicar o comportamento das pessoas em situação
de trabalho. Para ele existem dois fatores que orientam o
comportamento das pessoas:

1. Fatores higiênicos – ou fatores extrínsecos –


A teoria dos dois fatores de Herzberg pressupõe
abrangem as condições dentro das quais elas
os seguintes aspectos:
desempenham seu trabalho. Os principais
fatores higiênicos são: salário, benefícios
 A satisfação no cargo depende dos fatores
sociais, tipo de chefia ou supervisão que as
motivacionais
pessoas recebem de seus superiores, condições
físicas e ambientais de trabalho, políticas e ou www.professormozart.blogspot.com
diretrizes da empresa, clima de relacionamento
entre a empresa e seus funcionários,
satisfacientes. O conteúdo ou atividades desafiantes e
regulamentos internos. São fatores de contexto
estimulantes do cargo desempenhado pela pessoa.
de se situam no ambiente externo que circunda
o indivíduo. As pesquisas de Herzberg
 A insatisfação no cargo depende dos fatores
revelaram que quando os fatores higiênicos são
higiênicos ou insatisfacientes. O ambiente de trabalho,
ótimos, eles apenas evitam a insatisfação dos
salário, benefícios recebidos, supervisão, colegas e contexto
empregados, se elevam a satisfação não
geral que envolve o cargo ocupado.
conseguem sustentá-la por muito tempo.
Quando os fatores higiênicos são precários, eles
Para proporcionar continuamente motivação no
provocam a insatisfação dos empregados. Estes
trabalho, Herzberg propõe o “enriquecimento de tarefas” ou
fatores, portanto, evitam a insatisfação, mas não
“enriquecimento do cargo” (job enrichment): consiste em
provocam a satisfação.
substituir as tarefas simples e elementares do cargo por
tarefas mais complexas para acompanhar o crescimento
2. Fatores motivacionais – ou fatores intrínsecos –
individual de cada empregado, oferecendo-lhe condições de
estão relacionados com o conteúdo do cargo e
desafio e de satisfação profissional no cargo.
com a natureza das tarefas que a pessoa
executa. Os fatores motivacionais estão sob o O enriquecimento do cargo adiciona ou desloca
controle do indivíduo. Envolvem sentimentos de para cima ou para os lados, envolvendo atribuições mais
crescimento e auto-realização, e dependem das elevadas ou laterais e complementares.
tarefas que o indivíduo realiza no seu trabalho.
O enriquecimento de tarefas provoca efeitos
Por estarem relacionados com a satisfação do
desejáveis, como aumento da motivação, aumento da
indivíduo Herzberg também os chama de fatores
produtividade, redução do absenteísmo e redução da
satisfacientes.
rotatividade do pessoal. Contudo,pode gerar efeitos
indesejáveis, como o aumento de ansiedade face a tarefas
Os fatores higiênicos e motivacionais são novas e diferentes quando não são bem-sucedidas nas
independentes entre si e não se vinculam um ao outro. Os primeiras experiências, aumento do conflito e sentimento de
fatores responsáveis pela satisfação profissional das pessoas exploração.
são totalmente desligados e distintos dos fatores
As teorias de motivação de Maslow e Herzberg
responsáveis pela insatisfação profissional. O oposto da
apresentam pontos de concordância. Os fatores higiênicos de
satisfação profissional não e insatisfação, mas a ausência de
Herzberg relacionam-se com as necessidades primárias de
satisfação profissional. Também o oposto da insatisfação
Maslow (necessidades fisiológicas e de segurança, incluindo
profissional é a ausência dela e não a satisfação.
algumas necessidades sociais), enquanto os fatores
motivacionais relacionam-se com as necessidades
secundárias (necessidades de estima e auto-realização)

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 38


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
Teoria X e Teoria Y e baseado nos valores humanos e sociais. Enquanto a
Teoria X é administração por meio de controles externos
MacGregor compara dois estilos opostos e antagônicos
impostos às pessoas, a Teoria Y é a administração por
de administrar: de um lado, um estilo baseado na teoria
objetivos que realça a iniciativa individual. As duas teorias
tradicional, mecanicista e pragmática (a que deu o nome
são opostas entre si.
de Teoria X), e, de outro,um estilo baseado nas
concepções modernas a respeito do comportamento
Teoria Z
humano (a que denominou Teoria Y).
A teoria Z foi formulado por William Ouch. O autor
apresenta um estilo de idéias, experiências e princípios
Teoria X
extraídos do estilo japonês de administração, os quais
É a concepção tradicional de administração e baseia- devem ser considerados no cenário da cultura e das
se em convicções errôneas e incorretas sobre o relações das tradições peculiares ao Japão.
comportamento humano, a saber:
As características deste sistema podem ser centradas sob
As pessoas são indolentes e preguiçosas por três formas:
natureza.
Falta-lhes ambição: não gostam de assumir a) Emprego vitalício: ou seja emprego estável,
responsabilidades. isto é, o japonês ingressa no emprego logo
A sua própria natureza leva-as a resistir às após seus estudos e tende a permanecer
mudanças. nele a vida toda. O emprego vitalício é um
A Teoria X representa o típico estilo de administração decorrência do preceito de fidelidade total.
da Administração Científica de Taylor, da Teoria Clássica
Científica de Taylor, da Teoria Clássica de Fayol e da b) Remuneração por antiguidade: a
Teoria da Burocracia de Weber em diferentes estágios da remuneração por maturidade no emprego, à
teoria administrativa: bitolamento da iniciativa individual, medida, que o empregado adquire mais
aprisionamento da criatividade, estreitamento da
atividade profissional por meio do método e da rotina de www.professormozart.blogspot.com
trabalho. Quando um administrador impõe
arbitrariamente e de cima para baixo um esquema de
trabalho e passa a controlar o comportamento dos experiência e conhecimento no trabalho. A
subordinados, eles estará fazendo Teoria X. remuneração por antiguidade sofreu
modificações, pois a preocupação com o
Teoria Y aumento da produtividade levou a um revisão
É a moderna concepção de administração de acordo dos critérios de remuneração.
com a Teoria Comportamental. A Teoria Y baseia-se em
concepções e premissas atuais e sem preconceitos a c) Sindicato por empresa: cada empresa,
respeito da natureza humana, a saber: fábrica ou filial local tem o seu próprio
sindicato. O sindicato por empresa é
As pessoas não têm desprazer inerente em tipicamente japonês e é um sistema que
trabalhar. O trabalho pode ser uma fonte de diverge da noção ocidental de que o sindicato
satisfação e recompensa. deve ser uma organização que transcenda a
As pessoas não são por natureza intrínseca, estrutura de um único empregador ou
passivas ou resistentes às necessidades da companhia.
empresa.
As pessoas têm motivação, potencial de Dentro desse contexto mais amplo, a Teoria Z
desenvolvimento, padrões adequados de fundamenta-se nos seguintes princípios:
comportamento e capacidade para assumir
responsabilidades. 1. Emprego estável
O homem médio, tanto aprende a aceitar como
a procurar responsabilidades. 2. Pouco especialização
As pessoas possuem capacidade criativa na
solução de problemas empresariais. 3. Avaliação e desempenho

Em função dessas concepções e premissas, a Teoria Y 4. Igualitarismo


mostra um estilo de administração aberto, dinâmico e
democrático, por meio do qual o administrar tornar-se um 5. Democracia e participação
processo de criar oportunidades, liberar potenciais,
remover obstáculos, encorajar o crescimento individual e 6. Valorização das pessoas
proporcionar orientação quanto a objetivos.
Abordagem de MacClelland

David MacClelland identifica três importantes motivos ou


A Teoria Y propõe um estilo de administração participativo necessidades na dinâmica do comportamento humano.

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 39


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
a) Necessidade de realização - necessidade Processo decisorial: é do tipo participativo e
êxito competitivo, medido em relação a um consultivo. Participativo porque as decisões
padrão pessoal de excelência. são delegadas aos diversos níveis da
organização. Consultivo porque a opinião e
b) Necessidade de aflição – é a necessidade os pontos de vista dos níveis inferiores são
de relacionamento calorosos, cordiais e considerados na redefinição das políticas e
afetuosos com outros indivíduos. diretrizes que os afetam.
Sistema de comunicação: prevê comunicações
c) Necessidade de poder: e a necessidade de verticais no sentido descendente e
controlar ou influenciar outras pessoas. ascendente.
Relacionamento interpessoal: a confiança
Sistemas de Administração depositada nas pessoas já e bem mais
elevada, embora ainda não completa e
Likert, um expoente da Teoria Comportamental, considera definitiva.
a Administração um processo relativo, no qual não Sistemas de recompensas e punições: há
existem normas e princípios universais válidos para todas ênfase nas recompensar materiais salariais,
as circunstâncias e situações. A partir das suas pesquisas promoções e simbólicas, embora ocorra
Likert propõe uma classificação de sistema de punições e castigos.
Administração, definindo quatro perfis organizacionais.
Estes sistemas são caracterizados em quatro variáveis, a SISTEMA 4 – Participativo. É o sistema democrático por
considerar: processo decisorial, sistema de comunicação, excelência.
relacionamento interpessoal e sistema de recompensas e
Processo decisorial: as decisões são totalmente
punições. Os Sistemas de Likert serão caracterizados a
delegadas aos níveis organizacionais.
seguir:
Sistema de comunicações: as comunicações

SISTEMA 1 – Autoritário e Coercitivo. É o sistema mais


duro e fechado. www.professormozart.blogspot.com

 Processo decisorial: totalmente centralizado na


cúpula da organização. Todas as ocorrências fluem em todos os sentidos.
devem ser levadas à cúpula, imprevistas e Relacionamento interpessoal: as relações
não-rotineiras. interpessoais baseiam-se na confiança mútua
Sistema de comunicações: é precário. As entre as pessoas e não em esquemas
comunicações são sempre verticais, no formais.
sentido descendente, carregando ordens de Sistema de recompensas e punições: há uma
cima para baixo. ênfase nas recompensas simbólicas e
Relacionamento interpessoal: a organização sociais, embora não sejam omitidas as
informal é vedada. recompensas materiais e salariais.
Sistema de recompensa e punições: há uma
ênfase nas punições e nas medidas Os quatro sistemas não têm limites definidos entre si.
disciplinares, gerando um ambiente de temor Poderá ser, a mesma empresa, classificada no Sistema 2
e desconfiança. no processo decisorial e classificada no Sistema 3 para as
recompensas e punições.
SISTEMA 2 – Autoritário Benevolente. É o sistema mais Likert constatou que, quanto mais o estilo administrativo
condescendente e menos rígido. da empresa se aproximar do Sistema 4, tanto maior será a
Processo decisorial: é centralizado na cúpula probabilidade de alta produtividade, boas relações e
administrativa, permitindo pequeníssima elevada rentabilidade.
delegação quanto a decisões de pequeno
porte e de caráter rotineiro e repetitivo. Organização Comum Sistema Social
Sistema de comunicações: é relativamente Cooperativo
precário, prevalecendo as comunicações
verticais e descendentes, embora a cúpula se Bem antes da Teoria Comportamental, Chester
oriente em comunicações ascendentes vindas Barnard publicou um livro propondo uma teoria da
dos escalões mais baixos. cooperação para explicar as organizações. Para Barnard,
Relacionamento interpessoal: a interação é as pessoas não atuam isoladamente, mas por meio de
pequena e organização informal é incipiente. interações com outras pessoas para poderem alcançar
Sistema de recompensas e punições: ênfase seus objetivos.
nas punições e nas medidas disciplinares. Para Barnard, uma organização somente
existe quando ocorrem conjuntamente três condições:
SISTEMA 3 – Consultivo.Trata-se de um sistema que
pende mais para o lado participativo do que para o lado a. Interação entre duas ou mais pessoas.
autocrático e impositivo. b. Desejo e disposição para a cooperação.
c. Finalidade de alcançar um objetivo comum.

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 40


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
homem contentando-se com que está ao seu alcance,
mesmo que seja o mínimo, mas que na situação ou no
momento representa o máximo para ele. Com isso
Processo Decisório acentua-se o conceito de “homem econômico”, cujas
Hebert Simon deu origem a Teoria das Decisões, que aspirações são objetivas e materiais, procurando sempre
utilizou para explicar o comportamento humano. A Teoria a maximização absoluta ou a melhor maneira de fazer
Comportamental concebe a organização como um algo.
sistema de decisões. Assim, a organização esta
O processo decisorial típico do homem administrativo é
permeada de decisões e ações. Para Teoria
assim explicado:
Comportamental não é somente o administrador quem
toma as decisões. Todas as pessoas na organização, em 1.O tomador de decisões evita a incerteza e
todas as áreas de atividades e níveis hierárquicos e em segue as regras padronizadas pela
todas as situações estão continuamente tomando organização.
decisões relacionadas ou não com o seu trabalho. A 2.Ele mantém inalteradas as regaras e as redefine
organização é um complexo sistema de decisões. quando sob pressão ou crise.
3.Quando o ambiente muda subitamente aflora no
Teoria das Decisões processo decisório.
Decisão é o processo de análise e escolha entre as
alternativas disponíveis de cursos de ação que a pessoa Comportamento Organizacional
deverá seguir. Toda decisão envolve seis elementos:
Comportamento organizacional é o estudo da dinâmica
1. Tomador de decisão. É a pessoa que faz uma
das organizações e como os grupos e indivíduos se
escolha.
comportam dentro delas. É uma ciência interdisciplinar.
2. Objetivos. São os objetivos que o tomador
Por ser sistema cooperativo racional, a organização
deseja alcançar.
somente pode alcançar seus objetivos se as pessoas que
3. Preferências. São critérios para realizar a
a
escolha.
compõem www.professormozart.blogspot.com
4. Estratégia. É o curso de ação que o tomador de
decisão escolhe para atingir seus objetivos.
5. Situação. São os aspectos do ambiente. coordenarem seus esforços a fim de alcançar algo que
6. Resultado. É a conseqüência ou resultante de individualmente jamais conseguiriam. Por essa razão, a
uma estratégia. organização caracteriza-se por uma racional divisão do
trabalho e hierarquia.
Etapas do processo decisorial – o processo decisorial é
complexo e depende de características pessoais do As pessoas estão dispostas a cooperar desde que as
tomador de decisões, da situação em que está envolvido e suas atividades na organização contribuam para o alcance
de a maneira como percebe a situação. O processo de seus próprios objetivos pessoais.
decisorial exige sete etapas, a saber:
Teoria do equilíbrio organizacional
1.Percepção da situação que envolve algum
problema. Ao estudar os motivos pelos quais as pessoas cooperam,
2.Análise e definição do problema. os behavioristas visualizam a organização como um
3.Definição dos objetivos. sistema que recebe contribuições dos participantes sob a
4.Procura de alternativas de solução ou de cursos forma de dedicação ou trabalho e em troca oferece
de ação. alicientes e incentivos.
5.Escolha (seleção) da alternativa mais adequada
ao alcance dos objetivos. A decisão de participar é essencial na teoria do equilíbrio
6.Avaliação e comparação das alternativas. organizacional. O equilíbrio organizacional reflete o êxito
7.Implementação da alternativa escolhida. da organização em remunerar seus participantes ( com
dinheiro ou satisfações não materiais) e motivá-los a
Cada etapa influencia as outras e todo o processo. Nem continuarem fazendo parte da organização, garantindo
sempre as etapas são seguidas à risca. Se a pressão for com isso sua sobrevivência.
muito forte par um solução imediata, as etapas, 3,5 e 7 Há quatro participantes, incluídos pelos behavioristas
podem ser abreviadas ou suprimidas. Quando não há como participantes da organização: empregados,
pressão, algumas etapas podem ser ampliadas ou investidores, fornecedores e clientes. Nem todos os
estendidas no tempo. participantes atuam dentro da organização. O importante
é que todos eles mantêm relações de reciprocidade com a
Homem Administrativo organização: proporcionam suas contribuições em troca
de incentivos úteis, enquanto a organização lhes
Cada pessoa é um indivíduo que se contenta (um proporciona incentivos em troca de contribuições úteis.
satisficer) para sua satisfação não precisa do máximo
absoluto, mais sim do suficiente para se contentar Teoria da aceitação de autoridade
dentro das possibilidades da situação. O termo
Satisficer foi introduzido por Simon, para considerar que o Essa Teoria chegou à conclusão que a autoridade não

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 41


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
repousa no poder de quem a possui: ela não flui de cima das Relações Humanas) . Ao transferir o foco dos
para baixo, conforme acreditavam os autores clássico. aspectos estruturais e estáticos da organização para
Pelo contrário, a autoridade repousa na aceitação ou os aspectos comportamentais e dinâmicos, ela realinha
consentimento dos subordinados. A pessoa obedece, não e redefine os conceitos de tarefa e de estrutura sob um
pela legitimação da autoridade, mas decidindo entre as roupagem democrática e humana. Em muitos aspectos
alternativas de obedecer ou não. A autoridade depende, os behavioristas pecam pela “psicologização” de certos
não do superior, mas da decisão do subordinado de aspectos organizacionais como é o caso da Teoria das
aceitá-la ou não. Decisões, ao considerar os participantes em termos
racionais e não-racionais.
Conflitos entre objetivos Organizacionais e
Objetivos Individuais 2. Abordagem Mais Descritiva e Menos Prescritiva – a
Um dos temas preferidos pelos behavioristas é o conflito análise descritiva (que mostra que é) e a análise
entre os objetivos que as organizações procuram atingir e prescritiva (que mostra o que deve ser) são aspectos
os objetivos que individualmente cada participante importantes no estudo do comportamento
pretende alcançar. A colocação Barnard de que o organizacional. Enquanto a abordagem da Teoria
indivíduo deve ser: Clássica, Neoclássica e das Relações Humanas era
prescritiva e normativa (preocupação em prescrever
eficaz na medida em que o seu trabalho
como lidar com os problemas administrativos, ditando
consegue atingir objetivos da organização;
princípios ou normas de atuação, o que deve e o que
e ser eficiente na medida em seu trabalho
não deve ser feito), a abordagem comportamental é
consegue atingir objetivos pessoais.
descritiva e explicativa.
Negociação

Para os behavioristas, o administrador trabalha 3. Profunda Reformulação na Filosofia Administrativa


geralmente em situações de negociação. Negociação ou – O antigo conceito de organização baseado no
barganha é o processo de tomar decisões conjuntas esquema autocrático, coercitivo e de diferenciação de
quando as partes envolvidas têm preferências ou poder
interesses diferentes. www.professormozart.blogspot.com

A negociação envolve lados opostos com


interesses conflitantes. São os oponentes, litigantes, (autoridade x obediência) é bastante criticado. Em
antagonistas, adversários ou contendores que tentam contraposição a ele os behavioristas mostram um novo
chegar a uma solução mutuamente aceitável. A conceito democrático e humano de colaboração-
negociação é um jogo que envolve três variáveis: consenso e de equalização de poder.
pessoas, problemas e propostas.
4. Dimensões Bipolares da Teoria Comportamental –
Quanto melhores forem as habilidades do negociador
Os principais temas da Teoria Comportamental são
tanto maiores serão suas chances de sucesso na
abordados em dimensões bipolares e antagônicas,
negociação.
como:
Novas proposições sobre Liderança
a) Análise teórica x empírica.
Burns cunhou as expressões:
liderança transacional - que envolve líderes b) Análise macro x análise micro.
extremamente eficientes em das às pessoas algo em
troca de seu apoio ou trabalho, fazendo com que seus c) Organização formal x organização
seguidores sejam valorizados e recompensados; informal.

liderança transformadora – que envolve líderes d) Análise cognitiva x análise afetiva.


preocupados em criar uma visão e que conseguem levar
as pessoas em direção e essa visão. 5. A Relatividade das Teorias de Motivação – A Teoria
Comportamental produziu as principais teorias da
Isso significa dizer que o líder não pode agir sozinho.
motivação que influenciaram a teoria administrativa. As
Warren Bennis assegura que a liderança é uma
teorias de motivação apresentadas por Maslow e
habilidade que pode ser aprendida e desenvolvida.
Herzberg são relativas e não absolutas. Pesquisas
Bennis assegura que o século XXI requer uma nova recentes apontam resultados que põem dúvidas à sua
geração de líderes e não de gerentes. Essa diferença é realidade. Contudo, a contribuição das teorias de
muito importante, pois os líderes conquistam o contexto, motivação para a TGA pode ser assim resumida:
enquanto os gerentes se rendem às condições.
a) Os indivíduos são portadores de
Apreciação Crítica da Teoria Comportamental necessidades e ou motivos que podem ser
organizados sob uma hierarquia.
1. Ênfase nas pessoas – A Teoria Comportamental marca
a transferência na natureza organizacional (influência b) O comportamento humano é gerado por
da Teoria Clássica, Neoclássica e da Teoria da necessidades ou motivos.
Burocracia) para a ênfase nas pessoas (TRH Teoria

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 42


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
c) Há um conflito entre os objetivos individuais e
os objetivos organizacionais.

d) Estes conflitos devem ser resolvidos por


mudanças no comportamento e na estrutura
organizacional.

e) A organização pode aumentar a satisfação


das necessidades individuais e
organizacionais através da formação de
grupos de trabalho.

6. Influência das Ciências do Comportamento sobre a


Administração – A Teoria Comportamental mostra a
mais profunda influência das ciências do
comportamento na Administração, seja através de
novos conceitos sobre o homem e suas motivações ou
sobre a organização e seus objetivos. Três aspectos
moldam a Teoria Comportamental:

1. As organizações surgem quando os objetivos


a serem alcançados são muito complexos
para um só indivíduo.

2. as pessoas, são elas mesmas, organizações


complexas.
www.professormozart.blogspot.com
3. Há uma variedade de conceitos de
necessidades e concepções diferentes a
respeito da sua importância. As pessoas
buscam satisfazer suas necessidades e são
influenciadas pelo contexto organizacional e
pelo conteúdo do cargo que ocupam.

7. Organização com um sistema de Decisões – A


Teoria das Decisões refere-se aos efeitos dos
processos formais sobre a tomada de decisões,
deixando de lado os processos interpessoais que não
estão incluídos na organização formal. O importante,
hoje, é criar e inovar. Isso exige mirar o futuro e não os
problemas que estão acontecendo.

8. Análise Organizacional a Partir do Comportamento –


A Teoria Comportamental analisa a organização sob o
ponto de vista dinâmico do seu comportamento e está
preocupada com o indivíduo como indivíduo. Contudo
a análise organizacional varia conforme o autor
behaviorista.

9.Visão Tendenciosa – A escola comportamentalista


incorreu no equívoco de padronizar suas proposições,
não levando em consideração as diferenças individuais
das pessoas. Tanto os aspectos subjetivos como as
diferentes interpretações da realidade por parte das
pessoas foram desprezados.

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 43


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
conceito de organização e de cultura organizacional.
“Empreendendo a Mudança e a Renovação
Empresarial.” Chiavenato  Novo conceito organizacional
Para seus autores do DO, o conceito de organização é
tipicamente behaviorista: a organização é a coordenação de
diferentes atividades de contribuintes individuais coma
Curso: Técnico em Administração finalidade efetuar transações planejadas com o ambiente. A
Professor Mozart Rocha organização deverá, para tanto, estar estruturada e
Teoria do Desenvolvimento Organizacional dinamizada em função das condições e circunstâncias que
ADMINISTRAÇÃO - TGA caracterizam o meio em que ela opera.

ASSUNTOS ABORDADOS – SUMÁRIO  Conceito de cultura organizacional


Cultura organizacional é o conjunto de hábitos, crenças,
valores e tradições, interações e relacionamentos sociais
 Teoria democrática e participativa
 Mudança organizacional típicos de cada organização. Representa a maneira
 Mudanças ambientais, cultura organizacional tradicional e costumeira de pensar e fazer as coisas eu são
 Definir os Conceitos de DO compartilhadas por todos.
 Permitir Análise Crítica Em outras palavras, a cultura organizacional representa as
normas informais e não escrita da organização e que
Teoria do Desenvolvimento Organizacional orientam comportamento dos membros da organização no
dia a dia e que direcionam as suas ações para os objetivos
organizacionais. Cada organização tem a sua própria cultura
corporativa.

A
partir da Teoria Comportamental, um grupo de
cientistas sociais e consultores de empresas  Clima organizacional
desenvolveu uma abordagem moderna,
democrática e variada ao desenvolvimento planejado das O clima organizacional constitui o meio interno ou a
organizações, que recebeu o nome de Desenvolvimento atmosfera psicológica característica de cada organização. O
Organizacional (DO).
clima
O movimento de DO surgiu a partir de 1962 como um
conjunto de idéias a respeito do homem, da organização e www.professormozart.blogspot.com
do ambiente, no sentido de facilitar o crescimento e do
desenvolvimento das organizações. organizacional está ligado ao moral e à satisfação das
No sentido restrito, o DO é um desdobramento prático da necessidades dos participantes e pode ser saudável ou
Teoria Comportamental em direção à abordagem sistêmica.
doentio, pode ser quente ou frio, negativo ou positivo,
A maioria dos sues autores são consultores que se satisfatório ou insatisfatório, dependendo de como os
especializaram em DO. participantes se sentem em relação à organização.
Como origens do DO, temos:
O conceito de clima envolve fatores estruturais, como tipo
 A dificuldade em operacionalizar os conceitos de organização, tecnologia utilizada, políticas da companhia,
das diversas teorias administrativas. regulamentos internos, além das atitudes e comportamento
 Avanços nos estudos sobre a motivação humana social que são encorajados ou sancionados através dos
que demonstraram a necessidade de uma nova fatores sociais.
abordagem da Administração para interpretar a
nova concepção do homem e da organização.  Mudança da cultura e do clima organizacional
 A criação do National Training Laboratory e suas A organização é um sistema humano e complexo, com
pesquisas através do T- Group foi o primeiro características próprias típicas da sua cultura e clima
esforço para melhorar o comportamento de organizacional. Para mudar a cultura e o clima
grupo. organizacional, a organização precisa ter capacidade
 A publicação de um livro coordenado por Lesland inovadora:
Bradford, considerado o precursor do movimento  Adaptabilidade;
DO.
 Senso de identidade;
 A pluralidade de mudanças no mundo.
 Perspectiva exata do meio ambiente;
 A fusão de duas tendências no estudo das
 Integração entre os participantes.
organizações: o estudo da estrutura e o estudo A tarefa básica DO é mudar a cultura e melhorar o clima
do comportamento humano nas organizações,
da organização.
integrados por meio da abordagem sistêmica.
 Os estudos sobre conflitos interpessoais,
 Conceito de mudança
pequenos grupos. A DO surgiu com uma
Mudança é a transição de uma situação para outra
especialidade da psicologia e uma continuação
do behaviorismo. diferente ou passagem de um estado para outro diferente.
Mudança implica ruptura, transformação, perturbação,
 Os modelos de DO se baseiam em quatro
interrupção. O mundo atual se caracteriza por um ambiente
variáveis básicas:
dinâmico em constante mudança. Adaptação, renovação e
 Ambiente
revitalização significam mudança.
 Organização
O processo de mudança adotado pelo DO se baseia no
 Grupo
modelo de Kurt Lewin, mais tarde desenvolvido por Shein e
 Indivíduo
outros, é que é aplicável a pessoas, grupos e organizações.
 (ORGIA)
O modelo envolve três fases ou etapas distintas:
1.Descongelamento do padrão atual de
 As Mudanças e a Organização
comportamento.
O conceito de DO está relacionado com os conceitos de
2.Mudança.
mudança de capacidade adaptativa da organização à
3.Recongelamento.
mudança que ocorre no ambiente. Isso levou a um novo

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 44


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
 O processo de mudança segundo Lewin 7. Retroação. O DO proporciona informações de
O processo de mudança ocorre em um campo dinâmico retorno às pessoas par que elas tenham dados
de forças que atua em vários sentidos. De um lado, existem que fundamentem suas decisões.
forças positivas que atuam como apoio e suporte à mudança 8. Orientação contingencial – O DO não segue uma
e, de outro lado, forças negativas que atuam como oposição orientação rígida, pelo contrário, é situacional,
resistência à mudança. flexível voltado para as contingências.
Na organização, há uma balança dinâmica de forças 9. Desenvolvimento de equipes.
positivas que apóiam e suportam a mudança de forças que 10. Enfoque interativo – trabalha com o conceito de
restringem e impedem a mudança. O sistema funciona sinergia entre as equipes.
dentro de um estado de relativo equilíbrio que se denomina
equilíbrio quase-estacionário.  Objetivos do DO
O DO é vital para a organização que concorre e luta pela Primeiro – Criação de um senso de identificação das
sobrevivência em condições de mudança. As mudanças que pessoas em relação à organização, em busca da motivação.
ocorrem no mundo exigem revitalização e a reconstrução Segundo – Desenvolvimento do espírito de equipe por
das organizações. Essas têm de se adaptar às mudanças do meio da integração e interação das pessoas.
ambiente. As mudanças na organização não podem ser Terceiro – Aprimoramento da percepção comum sobre o
feitas ao acaso, ao sabor da inércia, ou da improvisação, ambiente externo a fim de facilitar a adaptação de toda a
mas devem ser planejadas. organização.

 Conceito de desenvolvimento O Do constitui um processo que leva anos para mudar


A tendência natural da organização é crescer e uma organização e pode continuar indefinidamente. Kotter
desenvolver-se em função de fatores endógenos (internos e foi um dos pesquisadores desse tipo de processo. O apoio
relacionados com a própria organização, estruturais ou da alta administração é essencial para um programa
comportamentais) e exógenos (externos e relacionados com dessa magnitude.
as demandas e as influências do ambiente). O O processo de Do em uma base contínua em ciclo, a
desenvolvimento é um processo lento de gradativo que saber: 1)Colheita de dados; 2)Diagnóstico organizacional
conduz à realização das potencialidades da organização. O e 3)Ação e intervenção.
desenvolvimento da organização permite:
 Conhecimento profundo e realístico da própria
organização
 Conhecimento profundo do meio ambiente em www.professormozart.blogspot.com
que ela opera
 Planejamento das relações
 Estrutura interna Flexível  Principais Técnicas do DO
 Meios de informação a respeito das mudanças 1. Técnicas de intervenção para indivíduos
A principal técnica de DO par as pessoas é o
As organizações devem possuir estruturas orgânicas treinamento da sensitividade. É uma modalidade de
adaptáveis e capazes de resolver problemas. Para tanto, o dinâmica de grupo destinada as relações sociais. É
desenvolvimento da organização pode ser feito por meio de realizado por meio de grupos chamados T-groups
estratégias de mudança, a saber: (grupos de treinamento que recebem nomes com
 Mudança evolucionária – mudança lenta e suave. learning groups, grupos de encontro, grupos auto-
 Mudança revolucionária – rompe, destrói os analíticos), orientados por um psicólogo a fim de
arranjos do status quo. aumentar sua sensibilidade quanto às habilidades de
relacionamento interpessoal.
 Desenvolvimento sistemático – mudanças
resultantes de apoio e compromisso e não por
resistências. 2. Técnicas de intervenção para duas ou mais pessoas
É o DO bilateral ou de relações interpessoais. A
 O que é Desenvolvimento Organizacional análise Transacional (AT) é a técnica mais conhecida
e visa o autodiagnóstico das relações interpessoais. É
O foco principal do DO está em mudar as pessoas e a
uma técnica destinada para indivíduos e não para
natureza e a qualidade de suas relações de trabalho. Sua
grupos, pois analisa as transações e o conteúdo das
ênfase está na mudança organizacional planejada.
comunicações entre as pessoas. Chamada de “jogos”
French e Bell definem DO como “esforço de longo prazo,
nos quais o significado das mensagens fica
apoiado pela alta direção, no sentido de melhorar os
processos de resolução de problemas de renovação obscurecido. O objetivo é fazer com as pessoas
reconheçam o contexto de suas comunicações para
organizacional, particularmente por meio de um eficaz e
torná-las mais abertas e eficazes.
colaborativo diagnóstico e administração da cultura
organizacional – com ênfase especial nas equipes formais
de trabalho, equipes temporárias e cultura intergrupal – com  Modelos de DO
assistência de um consultor-facilitador e a utilização da Existem vários modelo de DO. Os principais são:
teoria e da tecnologia das ciências comportamentais, Managerial Grid ou DO do Tipo Grid proposto por Blake e
incluindo ação e pesquisa. Mouton;
Modelo DO de Lawrence e Lorsch e o
Modelo 3-D de Eficácia Gerencial de Reddin.
 As características do DO
1. Focalização na organização como um todo.
2. Orientação sistêmica – interação entre as partes, Managerial Grid ou DO do Tipo Grid proposto por Blake
evitando o isolamento. e Mouton
3. Agente de mudança.  Blake e Mouton foram os pioneiros do modelo
4. Solução de problemas. integrado do DO;
5. Aprendizagem experiencial.  Mudanças do indivíduos passando para os grupos;
6. Processos de grupo e desenvolvimento de  Mudanças são induzidas para alcançar resultados
equipes. desejados;

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 45


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
 Excellence gap – analisar a organização
globalmente, Gaps (são discrepâncias e
contradições) movimentar a organização em Em 1950 Ludwig Von Bertalanffy publicou o livro
direção a excelência; General Systems Theory.
 Rubrica da excelência empresarial – significa
analisar as seis rubricas de uma orgnização
(recursos humanos, administração financeira,
operações (produção), marketing, pesquisa e Professor Mozart Rocha
desenvolvimento (P&D).
TEORIA MATEMÁTICA
 Managerial grid, ou seja, grade gerencial SUMÁRIO
pressupõe que o administrador está voltado
sempre para dois grupos: produção e pessoas.
 Origens da Teoria da Matemática
 Processo decisório
Modelo DO de Lawrence e Lorsch  Modelos Matemáticos
 Modelo baseado em diagnóstico e ação para o  PO – Pesquisa Operacional
DO;  Indicadores de Desempenho
 Divisão do trabalho na organização conduz à
necessidade de integração; TEORIA MATEMÁTICA
 Intercâmbio de recursos nos sistemas sociais,
desenvolvem-se contratos psicólogos
(defrontamento) entre pessoas e sistemas,

A
pessoas e grupos e entre sistemas e subsistemas. Teoria Matemática não é propriamente uma escola,
mas uma corrente que enfatiza o processo decisório e
Modelo 3-D de Eficácia Gerencial de Reddin. o tratam de modo lógico e racional através de uma
 O administrador é solicitado a ser eficaz; abordagem quantitativa, determinística e lógica.
 O administrador precisa ser capaz de transformar o seu A maior aplicação da Teoria da Matemática reside na
estilo apropriado frente as mudanças; chamada Administração das Operações: organização de
 Eficácia gerencial – avaliação de resultados; manufaturas e de serviços envolvendo atividades relacionadas
 Quatro estilos básicos da 3-D: relacionado, integrado, com
separado e dedicado; produtos ou
 Orientados para tarefas e orientados para as relações. serviços, www.professormozart.blogspot.com
processos e
tecnologia,
localização industrial, gerencialmente de qualidade,
planejamento e controle de operações. Os temas mais tratados
pela Administração das Operações são:
1. Operações – focalizando os processos produtivos
e produtividade;
2. Serviços – sistemas de operações de serviços.
3. Qualidade – tratamento estatístico da qualidade,
melhoria contínua, programas de qualidade total e
certificação da ISO.
4. Estratégia de operações – definindo o
alinhamento estratégico e a natureza estratégica
da administração das operações.
5. Tecnologia – utilização do computador na
administração das operações.

Origens da Teoria da Matemática


na Administração

O trabalho clássico sobre Teoria dos Jogos de Von


Neumann e Morgenstern (1947); de Wald (1954) e Savage (1954)
para a teoria estatística da decisão. Sofre ainda influências do
behaviorista Hebert Simon com a Teoria das Decisões. Outra
importante contribuição foi o computador que proporcionou meios
para aplicação e desenvolvimento de técnicas matemáticas mais
complexas e sofisticadas.
A Teoria Matemática surgiu com a utilização da
Pesquisa Operacional (PO) no decorrer da Segunda Guerra
Mundial. O seu método científico permitiu que fosse aplica às
estratégias militares. A Teoria da Matemática pretendeu criar uma
ciência da administração em bases lógicas e matemáticas,
acabou produzindo a chamada Administração de Operações.

Processo Decisório

A Teoria Matemática desloca ênfase na ação para a


ênfase na decisão que a antecede. O processo decisório é seu
fundamento básico. Constitui o campo de estudo da Teoria da
Decisão que é considerada como desdobramento da Teoria
Matemática. A tomada de decisão é o ponto focal da abordagem
quantitativa, isto é, Teoria Matemática. A tomada de decisão é
estudada sob duas perspectivas:

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 46


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart

 a do processo e
 a do problema.
O processo decisório obedece três etapas, a saber:  Teoria dos Grafos
1. definição do problema A Teoria dos Grafos baseia-se em redes e diagramas de
2. quais alternativas de solução do problema flechas para várias finalidades. Oferece técnicas de
3. qual é a melhor alternativa de solução, isto é, planejamento e programação por redes (CPM, PERT etc.)
escolha. utilizados em construção civil e de montagem industrial. As
redes ou diagramas são aplicáveis em projetos que envolvam
várias operações e etapas, vários recursos, diferentes órgãos
Para Teoria da Decisão, todo problema administrativo envolvidos, prazos e custos mínimos.
equivale a um processo de decisão. Existem dois extremos:  Programação Linear
I. decisões programadas
Programação Linear (PL) é uma técnica matemática que
II. decisões não programadas permite analisar os recursos de produção no sentido de
Esses dois tipos não são mutuamente exclusivos, mas maximizar o lucro e minimizar o custo; requer valores das
representam dois pontos extremos entre os quais existe uma variáveis envolvidas. Aplicação em produção, como misturar
gama contínua de decisões intermediárias. ingredientes de um produto para minimizar custos e selecionar
um portfólio excelente para aplicações e investimentos, como
Modelos Matemáticos ainda alocar pessoal de vendas em um território novo.
em Administração  Programação Dinâmica
Indicada para problemas com várias fases inter-relacionadas,
A Teoria Matemática procura construir modelos sem perder de vista o objetivo final. Somente quando o efeito de
matemáticos capazes de simular situações reais na empresa. A cada decisão for avaliado é que poderá ser efetuada a escolha
criação de modelos matemáticos focaliza a resolução de final. Um bom exemplo ilustra o caso de um motorista que viaja
problemas de tomada de decisão. O modelo é a representação de uma cidade para outra, e precisa interromper sua viajem para
de algo ou padrão de algo a ser feito. É por meio do modelo que almoçar. Normalmente o motorista resolve o seu problema por
se faz representações da realidade. Pode ser utilizado em fases, seleciona vários lugares que poderá fazer a refeição. Em
representações futuras e avaliação da probabilidade de sua seguida, determina o trajeto ótimo de seu ponto de partida para
ocorrência. cada local de destino.
Os Problemas podem ser classificados sob duas
formas: problemas estruturados e problemas não estruturados.
Os problemas estruturados – podem ser perfeitamente www.professormozart.blogspot.com
definidos pois suas principais variáveis são conhecidas. Exemplo:
estados da natureza.
Os problemas não-estruturados – não podem ser  Análise Estatística e Cálculo de Probabilidade
perfeitamente definidos pois uma ou mais de suas variáveis é Método matemático utilizado para obter a mesma informação
desconhecida. Exemplo: importação de matéria-prima. com a menor quantidade de dados. Sua principal aplicação esta
no controle estatístico (CEQ) na área de produção. O controle
Pesquisa estatístico tempo objetivo eliminar desvios, erros, defeitos ou
Operacional falhas no processo produtivo. O controle estatístico se dá por
meio de três maneiras: Controle de qualidade 100%; controle de
O ramo da PO descende da Administração Científica à qualidade por amostragem, controle de qualidade aleatório.
qual acrescentou métodos matemáticos refinados como a
tecnologia computacional. A PO adota o método científico como "A única coisa permanente no universo
estrutura para a solução de problemas, com forte ênfase no
é a mudança" (Heráclito, 450 a.C.)
julgamento objetivo.
A PO pode ser uma técnica matemática ou método inspirado por algum aluno SAD durante as
científico em si. A PO focaliza a análise de operações de um aulas.
sistema e não apenas com um problema particular. O seu
objetivo é capacitar a administração e resolver problemas e tomar Qualidade Total
decisões. Pretende tornar científico, racional e lógico processo J.M. Juran estendeu os conceitos de qualidade para toda a
decisório nas organizações. empresa com o seu Controle Total de Qualidade (CQT) ou
As principais técnicas de PO são: Total Quality Control – TQC. Suas idéias conduziram ao
 Teoria do jogos. conceito estratégico de qualidade total, que será discutido no
 Teoria das filas. último capítulo. Além de toda organização, envolve também os
 Teoria dos Grafos. fornecedores, chegando até o cliente final sem limites.
 Programação Linear. Enquanto o CEQ é aplicável apenas no nível operacional a
Qualidade Total estende o conceito de qualidade a toda
 Programação Dinâmica. organização, desde o nível operacional até o nível institucional.
 Análise Estatística e Cálculo de Probabilidade.
Indicadores
 Teoria dos Jogos De Desempenho
Proposta pelos matemáticos Johan Von Neumann e
Oskar Morgenstern. Propõe uma formulação matemática para a Uma das maiores contribuições dos autores matemáticos foi
estratégia e a análise de conflitos. A Teoria dos Jogos é aplicada o aporte de indicadores financeiros e não financeiros;
aos conflitos (chamados jogos) que envolvem disputa de quantificadores de objetivos, para medir ou avaliar o
interesses entre dois ou mais intervenientes. desempenho organizacional. São indicadores departamentais,
 Teoria das Filas financeiros, contábeis, de negócios, avaliação do desempenho
A Teoria das Filas refere-se a otimização de arranjos em humano etc.
condições de aglomeração e de espera e utiliza técnicas O que medir?
matemáticas variadas. Cuida portanto, dos pontos de a) Resultados.
estrangulamento (gargalos) dos tempos de espera, ou seja, das b) Desempenho.
demoras verificadas em algum ponto de serviço. c) Fatores críticos de sucesso, isto é, fatores
fundamentais para que a organização seja bem-
sucedida, em seus resultados e desempenho.

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 47


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
 Six-Sigma organizações. Esse movimento começou no Japão com
Sigma é uma medida de variação estatística. Quando aplicação de critérios estatísticos no chão da fábrica.
aplicada a um processo organizacional, ela se refere a Desdobramentos importantes desse movimento estão
freqüência com que determinada operação ou transação, utiliza acontecendo pelo mundo todo, como o Prêmio Deming de
mais do que os recursos mínimos para satisfazer o cliente. A Qualidade, o Baldrige Award, o Prêmio Nacional de Qualidade
maioria das organizações está no nível 4-sigma, o que significa do Brasil e a ISO.
mais de seis mil defeitos por um milhão de oportunidades.
Representa 6 mil produtos defeituosos em cada 1 milhão de  International Standartization Organization – ISO
produtos fabricados.
Uma organização que está no nível 6-sigma, registra apenas A ISO foi criada para estabelecer padrões internacionais de
três defeitos em um milhão. Tremendo diferencial das qualidade. Os padrões da série ISO9000 definem os
empresas 6-sigma para as demais. O 6-sigma pretende componentes da qualidade. As organizações fazem uso desse
aperfeiçoar todos os processos de uma organização. certificado a fim de concorrerem no mercado internacional.
A certificação garante consistência de que a organização
 O Balanced Scorecard (BSC) venha adotar os padrões reconhecidos mundialmente, mas não
Torna-se necessário construir um modelo direcionado significa que a organização produza realmente produza produtos
para a organização no futuro, colocando as diversas de qualidade.
perspectivas em um sistema de contínua monitoração Os padrões da ISO14000 são desenhados para assegurar
em substituição ao controle. processos limpos de produção que reduzam problemas
O BSC é um método de administração focado no equilíbrio ambientais, como prevenção à poluição e à camada de ozônio,
organizacional e se a baseia em quatro perspectivas, a saber: aquecimento do planeta, etc.
1. Finanças – permite analisar o negócio sob o ponto
de vista financeiro; envolve indicadores financeiros
e contábeis, itens de lucratividade e valor agregado
ao patrimônio e outros indicadores relevantes para
o negócio.
2. Clientes – Para analisar o negócio sob o ponto de
vista do cliente. Inclui indicadores como medidas
de satisfação, participação no mercado, retenção
A Qualidade total surgiu graças a Teoria da
Matemática, com base fundamental para excelência
e a competitividade das organizações. Esse
movimento começou no Japão com aplicação de critérios
de clientes e aquisição de novos clientes; bem
estatísticos
como o valor agregado aos produtos/serviços,
no chão da
posicionamento de mercado, etc.
fábrica. www.professormozart.blogspot.com
3. Processos internos – para analisar o negócio sob
o ponto de vista interno. Inclui indicadores de
qualidade dos produtos e processos, a inovação, a
criatividade, a capacidade de produção, logística e Desdobramentos importantes desse movimento estão
otimização dos fluxos. acontecendo pelo mundo todo, como o Prêmio Deming de
4. Aprendizagem/crescimento organizacional – Qualidade, o Baldrige Award, o Prêmio Nacional de
considera as pessoas em termos de capacidade, Qualidade do Brasil e a ISO.
competências, motivação, empowerment,
alinhamento e estrutura organizacional; em termos  International Standartization Organization – ISO
de investimento no seu futuro.
O BSC habilita a organização a focar suas equipes de A ISSO foi criada para estabelecer padrões internacionais
executivos, unidades de negócios, recursos humanos, de qualidade. Os padrões da série ISO9000 definem os
tecnologia da informação e recursos financeiros para sua
componentes da qualidade. As organizações fazem uso
estratégia organizacional. Busca estratégias equilibradas em
todas as áreas que afetam o negócio da organização. desse certificado a fim de concorrerem no mercado
A Teoria Matemática está se transformando gradativamente internacional.
em uma Administração de Operações concentrando nos A certificação garante consistência de que a organização
seguintes aspectos: venha adotar os padrões reconhecidos mundialmente, mas
 Produção Just-in-time – sistema de produção que procura não significa que a organização produza realmente produza
agilizar a resposta às demandas do cliente por meio da produtos de qualidade.
eliminação do desperdício. O objetivo é produzir somente o Os padrões da ISO14000 são desenhados para assegurar
necessário para satisfazer a demanda atual. processos limpos de produção que reduzam problemas
 Qualidade Total – repousa no princípio da melhoria ambientais, como prevenção à poluição e à camada de
contínua (Kaizen); conceito de defeito zero. ozônio, aquecimento do planeta, etc.
 Operações relacionados com computador – CAD
(computer-aided Design) e o CAM (Computer-aided TEORIA DE SISTEMAS
Manufactoring) e sistemas de planejamento e controle de
produção como MRP (Manufactoring Resources Planning).

T
eoria de Sistemas (TS) é um ramo específico da
 TBC (Time-based Competition) – competição baseada no Teoria Geral de Sistemas (TGS). Com ela, a
tempo. Estende os princípios JIT até P&D (Pesquisa e abordagem sistêmica chegou a TGA a partir da
Desenvolvimento). A TBC considera duas forças década de 1960 e tornou-se parte integrante dela.
impulsionadoras: O JIT e eficácia (que depende da
proximidade com o Cliente). A TGS surgiu como os trabalhos do biólogo alemão
Ludwig Von Bertalanffy. A palavra sistema denota um
 Reengenharia – redesenho drástico dos processos do conjunto de elementos interdependentes e interagentes ou
negócio. Descarta a estrutura, processos e os sistemas
existentes e os reinventa sob maneira totalmente diferente. um grupo de unidades combinadas que formam um todo
 Usina de serviço – ou fábrica de serviços é uma tendência organizado. Sistema é um conjunto formando um todo
no sentido de competir não somente nos produtos, mas unitário.
também com base nos serviços. A TGS fundamenta-se em três premissas básicas:
1. Os sistemas existem de dentro de sistemas
 QUALIDADE TOTAL 2. Os sistemas são abertos
3. As funções de um sistema existem dentro de uma
Qualidade total surgiu graças a Teoria da Matemática, com estrutura.
base fundamental para excelência e a competitividade das A definição de Bertalanffy: “Sistema é um conjunto de

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 48


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
unidades reciprocamente relacionadas, decorrem dois ambientes, denominadas variáveis externas.
conceitos: o de propósito (objetivo) e o de globalismo
(totalidade). 2. As organizações como partes de uma sociedade
Propósito ou objetivo – todo sistema tem um propósito, maior e constituídas de partes menores
objetivo ou finalidade a ser alcançada. As organizações são vistas como sistemas dentro de
Globalismo ou totalidade – Qualquer alteração em uma sistemas. Os sistemas são complexos de elementos
das unidades do sistema afetará todas as outras unidades, colocados em interação.
devido a relacionamento entre as partes. Das mudanças e 3. Interdependência das partes
dos ajustamentos contínuos do sistema decorrem dois A organização é um sistema social cujas partes são
fenômenos: homeostasia e entropia. independentes, mas inter-relacionadas.
4. Homeostase ou “estado firme”
A organização alcança um estado firme – ou seja, um
estado de equilíbrio – quando satisfaz dois requisitos: a
 Tipos de Sistemas unidirecionalidade e o progresso.
a. Unidirecionalidade: O sistema continua
 Quanto à sua constituição os sistemas podem ser: orientado para o mesmo fim, usando outros
a. Sistemas físicos ou concretos. meios.
b. Sistemas abstratos ou conceituais. b. Progresso em relação ao fim: O sistema
mantém, em relação ao fim desejado,
 Quanto a sua natureza os sistemas podem ser:
a. Sistemas Fechados. progredindo dentro dos limites definidos como
toleráveis.
b. Sistemas Abertos.
A organização, como um sistema aberto, precisa conciliar
dois processos opostos, ambos imprescindíveis para a sua
 Parâmetros dos Sistemas sobrevivência, a saber:
a. Homeostasia: é a tendência do sistema
1. Entrada; insumo ou input – força de impulso de permanecer estável.
arranque recebe o nome também de importação. b. Adaptabilidade: É a mudança do sistema no
2. Saída ou produto ou resultado ou output – sentido de ajustar-se aos padrões requeridos em
conseqüência dos elementos reunidos do sistema
recebe o nome de exportação.
3. Processamento ou processador ou transformação www.professormozart.blogspot.com
(troughput) – mecanismo de conversão das entradas
em saídas.
4. Retroação, retroalimentação, retroinformação sua interação com ambiente externo.
(feedback) ou alimentação de retorno – visa manter 5. Fronteiras ou limites
o desempenho de acordo com o padrão ou critério Fronteira é a linha que demarca e define o que está dentro
evitando desvios. e o que está fora do sistema ou subsistema.
5. Ambiente – é o meio que envolve externamente o
sistema. 6. Morfogênese
Considerada por Buckley os sistemas tem organizacional
 O sistema Aberto tem a capacidade de modificar a si próprio e sua estrutura
básica.
O sistema aberto se caracteriza por um intercâmbio de 7. Resiliência
transações com o ambiente e conserva-se constantemente É a capacidade de superar o distúrbio imposto por um
no mesmo estado (auto-regulação); equilíbrio dinâmico ou fenômeno externo.
homeostase. O modelo de sistema aberto é um complexo de
elementos em interação e intercâmbio contínuo com o  Modelo de Schein
ambiente.
 O sistema aberto está em constante interação  A organização é um sistema aberto.
dual com o ambiente. Dual porque influencia e  A organização é um sistema com objetivos ou funções
também e influenciado. múltiplas.
 O sistema aberto tem capacidade de  A organização é um conjunto de subsistemas em
crescimento, mudança, adaptação ao ambiente e conjunto com os outros.
até auto-reprodução.  Os subsistemas são mutuamente dependentes,
 É contingência do sistema aberto competir com mudanças ocorridas em um deles afetam o
outros sistemas, o que não ocorre com o sistema comportamento dos outros.
fechado  A organização existe em um ambiente dinâmico que
O conceito de sistema aberto é perfeitamente é aplicável à compreende outros sistemas.
organização empresarial. A organização é um sistema criado
 As fronteiras organizacionais são complexas para se
pelo homem e mantém uma dinâmica interação com seu definir.
meio ambiente, sejam clientes, fornecedores, concorrentes,
entidades sindicais, órgãos governamentais e outros agentes
 Modelo de Katz e Kahn
externos. Influi sobre o meio ambiente e recebe influência
dele. Possui uma relação de interdependência com o
ambiente (o todo).  Modelo de organização por meio da aplicação da
Teoria de Sistemas à teoria administrativa.
 Características das Organizações como  Concebeu a organização como sistema aberto
Sistemas Abertos  Importação, processamento e exportação.
 Os sistemas são ciclos de eventos que se repetem
1. Comportamento probabilístico e não-determinístico  Entropia negativa ou negentropia – processo reativo a
Como todos os sistemas sociais, as organizações são entropia (exaustão até a morte do sistema); isto é,
sistemas abertos afetados por mudanças em seus obtenção de reservas de energia para o sistema
sobreviver.
mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 49
mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
 Informação como insumo, retroação negativa e
processo de codificação.
Em 1950 Ludwig Von Bertanffy publicou o livro
 Estado firme e homeostase dinâmica.
 Diferenciação – as organizações como sistema aberta General Systems Theory.
tende a diferenciação, isto é, uma tendência para
elaborar estrutura.
 Eqüfinidade – pode-se alcançar por vários caminhos o
mesmo resultado final. Professor Mozart Rocha
 Limites ou fronteiras. ABORDAGEM SISTÊMICA DA
 Características de primeira ordem: os sistemas ADMINISTRAÇÃO
sociais têm limitação de amplitude, os sistemas SUMÁRIO
sociais necessitam de entrada, os sistemas sociais
têm natureza planejada, os sistemas sociais possuem
 Abordagem Sistêmica e decorrências teóricas
maior variabilidade que os sistemas biológicos, são  Tecnologia e Administração
componentes dos sistemas sociais as normas, valores  Cibernética
e funções.  Teoria da Informação
 Cultura e clima organizacional – cada organização
cria sua própria cultura com seus próprios valores,
tabus, e costumes, que são transmitidos aos novos
membros.
 As organizações consideram um sistema de
recompensas a fim de vincular seus membros ao
sistema, estabelecem para isso normas e valores
B iólogo alemão Ludwig Von Bertalanffy elaborou um
teoria interdisciplinar para transcender os problemas
exclusivos de cada ciência e proporcionar princípios
gerais. Estes princípios eram:
para isso. Físicos;
 Eficácia organizacional: sobrevivem enquanto Biológicos;
houver negentropia, isto é, importação de todas as Sociológicos;
formas de energia devolvendo isto ao ambiente sob a Químicos, etc.
forma de produtos. Era uma Teoria interdisciplinar denominada TGS, ou
 Organização como sistema de papéis – conjunto de seja, Teoria
atividades solicitadas de um indivíduo que ocupa em Geral de www.professormozart.blogspot.com
uma determinada organização. Sistemas,
servindo de
 Modelo sociotécnico de Tavistock base para várias ciências realizarem suas descobertas,
demonstra o isoformismo das ciências.
Modelo proposto por sociólogos e psicólogos do Instituto A TGS é essencialmente totalizante: os sistemas não
de Relações Humanas de Tavistock. Pare eles a podem ser compreendidos apenas pela análise separada e
organização, um sistema aberto, é estruturada sobre dois exclusiva de Ca uma de suas partes. A TGS se baseia na
aspectos: compreensão da dependência recíproca de todas as
1. Sistemas técnicos – envolvem a tecnologia, o disciplinas e da necessidade de sua integração. Vários ramos
território e o tempo. do conhecimento passaram a tratar os seus objetos de estudo
2. Sistema Social – compreende as organizações como sistemas. E inclusive a Administração.
formais e informais entre as pessoas. O A Teoria Geral da Administração passou por uma
subsistema social transforma a eficiência forte e crescente ampliação do seu enfoque desde a
potencial em eficiência real. abordagem clássica – passando pela humanística,
Segundo o modelo sociotécnico a tarefa primária da neoclássica, estruturalista e behaviorista até a abordagem
organização consiste em sobreviver dentro de um processo sistêmica. Na sua época, a abordagem clássica havia sido
cíclico: influencia por três princípios intelectuais dominantes em que
1. Importação – aquisição de matérias-primas. quase todas as ciências também sofreram a mesma influência:
2. Conversão – transformação das importações em o reducionismo, o pensamento analítico e o mecanicismo.
produtos ou serviços. Como breve conceito destes três princípios, serão
3. Exportação – colocação dos resultados da apresentados, a saber:
importação e da conversão.  Reducionismo – é o princípio que se baseia na
crença de que todas as coisas podem ser
 “HOMEM FUNCIONAL” decompostas e reduzidas em seus elementos
fundamentais simples, que constituem suas
unidades indivisíveis.
A Teoria de Sistemas utiliza o conceito de “homem
 Pensamento Analítico – utilizado para explicar o
funcional” em contraste como o conceito do “homo
economicus” da Teoria Clássica, do “homem social” da reducionismo ou tentar compreendê-lo melhor.
Teoria das Relações Humanas, do “homem  Mecanicismo – princípio que se baseia na
organizacional” da Teoria da Burocracia e do “homem relação simples de causa-efeito entre dois
administrativo” da Teoria Behaviorista. fenômenos. Um fenômeno constitui a causa e
outro o seu efeito.
Por conta da TGS, os princípios do
reducionismo, do pensamento analítico e do mecanicismo
foram substituídos pelos princípios opostos do expansionismo,
do pensamento sintético e da teleologia.
 Expansionismo – é o princípio que sustenta que todo
fenômeno é parte de um fenômeno maior. O
desempenho de um sistema depende de como ele se
relaciona com o todo maior que o envolve e do qual
ele faz parte.

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 50


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
 Pensamento sintético – é o fenômeno visto como
parte de um sistema maior e é explicado em termos O campo de estudo da Cibernética são os sistemas. O
do papel que desempenha nesse sistema maior. Os sistema é uma idéia de conectividade: “conjunto de
órgãos do corpo humano são estudados pelo papel elementos que estão dinamicamente relacionados.” Outra
que desempenham no organismo e não pelo consideração: “o universo parece estar formado de conjunto
comportamento de seus tecidos ou estruturas de de sistemas, cada qual contido em outro ainda maior, como
organização. um conjunto de blocos para construção.” O mecanicismo
 Teleologia – é o princípio segundo o qual a causa é ainda está presente nessa construção.
uma condição necessária, mas nem sempre suficiente
par que surja o efeito. A relação de causa-efeito não é
uma relação determinística ou mecanicista, mas Sistema é: um conjunto de elementos
simplesmente probabilística. A teleologia é estudo do dinamicamente relacionados, formando uma
comportamento com a finalidade de alcançar e atividade para atingir um objetivo, operando
explicar os seus objetivos; passou a influenciar sobre dados/energia/matéria par fornecer
poderosamente as ciências. Os sistemas são informações/energia/matéria.
visualizados como entidades globais e funcionais em
busca de objetivos.
Com base na abordagem sistêmica serão estudados: Os elementos constituem partes ou órgãos que compõem
 Tecnologia e Administração. o sistema e estão dinamicamente relacionados entre si,
 Teoria Matemática da Administração. mantendo uma constante interação. A rede que caracteriza
 Teoria de Sistemas. as relações entre os elementos (rede de comunicação entre
os elementos ) defini o estado do sistema: estado dinâmico
TECNOLOGIA E ADMINISTRAÇÃO ou estável.
As linhas que formam a rede de relações constituem as
comunicações entre os sistemas no sistema. A posição das
A tecnologia sempre influenciou o funcionamento das linhas reflete a quantidade de informações do sistema, e os
organizações a partir da Revolução Industrial. O eventos que fluem para a rede que constitui o sistema são
desenvolvimento tecnológico sempre constitui a plataforma as decisões.
básica que impulsionou o desenvolvimento das organizações
e permitiu a consolidação da globalização.
Sem o computador não haveria possibilidade de se
www.professormozart.blogspot.com
administrar grandes organizações com uma variedade de
produtos, processos, materiais, clientes, fornecedores e
pessoas envolvidas. O computador ofereceu às
 Representação dos modelos
organizações a possibilidade de lidar com grandes números
e com grandes e diferentes negócios simultaneamente a um
custo baixo e com maior rapidez e absoluta confiabilidade. A Cibernética busca a representação de sistemas originais
por meio de outros sistemas comparáveis, que denominados
 Cibernética modelos. Os modelos - sejam físicos ou matemáticos –
permitem a compreensão dos sistemas.
Modelo é a representação simplificada de alguma parte da
A Cibernética é uma ciência que foi assimilada pela
realidade.
Informática e pela Tecnologia da Informação (TI). A
Cibernética foi criada por Norbert Wiener entre os anos de
1943 e 1947 nas mesma época que Von Bertalanffy definia a  Elementos dos Sistemas
Teoria Geral dos Sistemas. A Cibernética surgiu com uma
ciência interdisciplinar a fim de preencher os espaços vazios Os principais conceitos relacionados com sistemas serão
não pesquisados até então. apresentados a seguir:
As origens da Cibernética são: 1.Entrada (input)
 Movimento iniciado por Norbert Wiener em 1943 O sistema recebe entradas (inptus) ou insumos
 Estudos sobre o cálculo de variações da para poder operar. A entrada de um sistema é
matemática TUDO o que o sistema importa ou recebe de seu
 Livro de Russell e Whitehead com estudos sobre mundo exterior. Poderá ser constituía por:
a informação e comunicação  Informação – tudo que reduz a
 Primeiros estudos com computadores incerteza; proporciona orientação e
 Segunda Guerra Mundial conhecimento.
 A Cibernética ampliou seu campo de ação com a  Energia – utilizada para dinamizar e
TGS (Bertalanffy) movimentar o sistema.
 Iniciou o estudo da robótica – baseado no  Materiais – recursos utilizados pelo
cérebro humano sistema a fim de produzir saídas. São
materiais quando utilizados para
converter outros recursos (Ex.
ferramentas, instruções e utensílios) e

C
bernética pode ser entendida como a ciência da
produtivos quando são transformados ou
comunicação e do controle, seja animal, seja das
convertidos em saídas (Ex. produtos ou
máquinas. A comunicação torna os sistemas
serviços).
integrados e coerentes e o controle regula o seu
2. Saída (output)
comportamento. Consiste na compreensão dos processos e
Saída (output) é o resultado final da operação de
sistemas de transformação da informação e sua
um sistema. Todo sistema produz uma ou várias
concretização em processos físicos, fisiológicos,
saídas. Exemplos de saídas produzidas por uma
psicológicos, etc. A Cibernética é explicada sob sistemas
organização: informações, lucros, pessoas
integrados, de controle (retroação) em conjunto com o
aposentadas ou que se desligam, poluição e
ambiente interno e externo.
detritos etc.
Campo de estudo da Cibernética: os sistemas 3. Caixa negra (Black Box)

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 51


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
O conceito de caixa negra refere-se a um sistema  Destino – significa a pessoa, coisa ou processo a
cujo interior não pode ser desvendado, pois seus quem é destinada a mensagem no ponto final.
elementos internos são desconhecidos e que só  Ruído – são perturbações, interferências e distorções.
pode ser conhecido “por fora”, através de Sendo interferências as perturbações externas.
manipulações e observações. Problemas Vale lembrar que a Cibernética estuda o paralelismo entre
administrativos são tratados inicialmente como o comportamento humano e as máquinas de comunicação.
caixa negra atuando nas entradas e saídas, quando
conhecido o problema é transformado em caixa  Principais Conceitos
branca, quando então passa-se a trabalhar nos  Redundância - é a repetição da mensagem para
aspectos operacionais e de processamento, ou que sua recepção seja mais garantida. De certa
seja, nos aspectos dos sistema. Ex. (auditoria forma, elimina o ruído e previne distorções.
interna, fraudes).  Entropia – refere-se a perda de energia em
4. Retroação (feedback) sistemas isolados, levando-os a degradação e ao
A retroação é um mecanismo segundo o qual uma desaparecimento.
parte da energia de saída de um sistema volta à  Sinergia – produz efeito multiplicador entre as
entrada. Também conhecida como: partes de um sistema, que alavancam seu
servomecanismo, retroalimentação ou resultado global.
retroalimentação. A retroação pode ser: positiva ou  Informática - disciplina que lida com tratamento
negativa. racional e sistêmico da informação por meios
Retroação positiva: amplifica e reforça o sinal de automáticos.
entrada.
Retroação negativa: ação frenadora e inibidora,
CONSEQUÊNCIAS DA INFORMÁTICA NA
neste caso diminui ou inibe o sinal de entrada. ADMINISTRAÇÃO
A retroação impõe correções no sistema,para
reduzir os desvios e regular o seu funcionamento.
5. Homeostasia Com a mecanização que se iniciou a Revolução industrial,
Mecanismo dinâmico obtido pela auto-relgulação, o esforço muscular do homem foi transferido para a
máquina. Porém, com a automação provocada inicialmente
ou seja, pelo autocontrole. A homeostasia é
obtida por intermédio de retroação. pela Cibernética e depois pela Informática, muitas tarefas
Todo mecanismo homeostático é um dispositivo que cabiam
no cérebro www.professormozart.blogspot.com
de controle para manter certa variável dentro de
limites desejados (piloto automático em aviação). humano
6. Informação passaram a
ser realizadas pelo computador.
Envolve um processo de redução de incerteza.
Seu conceito está associado a dados e As principais conseqüências da Informática na
comunicação. Administração são: a automação, a TI, sistemas de
informação, integração do negócio e o e-business.
 Dado – registro ou anotação a respeito
de um evento ou ocorrência. Quando um
Automação – automação é uma síntese de
conjunto de dados possui significado
ultramecanização, super-racionalização (melhor combinação
temos uma informação.
dos meios). Como exemplo temos os sistemas dos Bancos,
 Informação – conjunto de dados que
Ferrovias, centrais elétricas, metrôs, etc. As máquinas
fazem significado. É uma mensagem automáticas são capazes de realizar uma sequência de
com significado, proporciona orientação.
operações até certo semelhantes aos processos mentais
 Comunicação – ocorre quando uma humanos, podendo ainda corrigir erros que ocorrem no curso
informação é transmitida a alguém,
de suas operações. Os equipamentos automatizados podem
sendo então, compartilhada por essa cuidar das funções de observação, memorização e decisão.
pessoa. O destinatário precisa A automação abrange três setores bem distintos:
compreender; informação recebido e
a. Integração
não compreendida não foi comunicada.
b. Retroação
c. Computador
 Teoria da Informação
Tecnologia da Informação – A Tecnologia da Informação
A Teoria da Informação é um ramo da matemática (TI) é o principal produto da Cibernética, representa a
aplicada que utiliza o cálculo da probabilidade. Originou-se convergência do computador com a televisão e as
em 1920, com os trabalhos de H. Nyquist. telecomunicações. A TI é responsável por uma grande
O sistema de informações consiste em SESI revolução nas organizações, a saber:
componentes: fonte, transmissor, canal, receptor, destino e  Compreensão do espaço;
ruído.  Compreensão do tempo e
“Fui tratar com Renata: dinheiro e resgate.”  Conectividade.
 Fonte – pessoa ou processo que transmite as Sistemas de informação – As decisões tomadas nas
mensagens por meio de sistemas. organizações baseiam-se necessariamente nas informações
 Transmissor – processo ou equipamento que opera a disponíveis. Para melhorar seu processo decisório, as
mensagem, codifica a mensagem.Transmissor pode organizações criam sistemas específicos de busca, coleta,
ser um telefone. armazenamento, classificação e tratamento das informações
 Canal – o equipamento ou espaço intermediário entre importantes e relevantes para o seu funcionamento. Tais
o transmissor e o receptor. Canal pode ser a rede fios sistemas são denominados Sistemas de Informação
utilizada pelo transmissor. Gerencial SIG (Management Information System – MIS). O
 Receptor – processo ou equipamento que decodifica SIG tem por base um Banco de Dados, que nada mais é do
a mensagem no canal. Todo receptor é um um sistema de arquivos interligados e integrados. Todo SIG
decodificador. Os impulsos elétricos são transmitidos possui três tipos de componentes: dados, sistemas de
pelo telefone são decodificados. processamento de dados e canais de comunicação.
Podemos ainda classificar o SIG sob quatro espécies, a

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 52


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
saber: homeostasia e entropia.
1. Estrutura centralizada;
2. Estrutura hierarquizada;  Tipos de Sistemas
3. Estrutura distribuída e
4. Estrutura descentralizada.  Quanto à sua constituição os sistemas podem ser:
A TI modifica o trabalho dentro e fora das organizações, a c. Sistemas físicos ou concretos.
partir da Internet e Extranet por meio da globalização da d. Sistemas abstratos ou conceituais.
informação. Quanto mais poderosa a tecnologia da  Quanto a sua natureza os sistemas podem ser:
informação, tanto mais informado e poderoso se torna o seu c. Sistemas Fechados.
usuário. Cada vez mais o mundo real passa pela TI. d. Sistemas Abertos.
Integração, conectividade e modalidade são as palavras de
ordem no mundo atual.  Parâmetros dos Sistemas
Internet - a internet está quebrando paradigmas, tanto na
relação empresa cliente, conhecida com B2C (ou b-to-c = 6. Entrada; insumo ou input – força de impulso de
business to customer), quanto na relação empresa-empresa arranque recebe o nome também de importação.
conhecida com B2B (b-to-b = business to business), 7. Saída ou produto ou resultado ou output –
agilizando transações, aumentando a velocidade da conseqüência dos elementos reunidos do sistema recebe
comunicação, eliminando fronteiras, reduzindo custos e o nome de exportação.
facilitando a forma de fazer negócios. 8. Processamento ou processador ou transformação
(troughput) – mecanismo de conversão das entradas em
 e-business saídas.
9. Retroação, retroalimentação, retroinformação
(feedback) ou alimentação de retorno – visa manter o
O e-bussines é considerado o motor da Nova Economia.
desempenho de acordo com o padrão ou critério evitando
São os denominados negócios virtuais feitos por meia da desvios.
mídia eletrônica. Essa mídia, que recebe o nome de Web 10. Ambiente – é o meio que envolve externamente o
(wide world web), está proporcionando todas as condições sistema.
para uma enorme malha interligada de sistemas – portais de
negociação, negócios, sites para assegurar o pagamento de  O sistema Aberto
bens e serviços, publicidades atualizadas. A TI proporcionou
a Internet, a rede mundial de computadores, que o mundo se O sistema
torne uma grande aldeia global. www.professormozart.blogspot.com
aberto se
caracteriza
Responda: A intranet sofre influência ou não dos por um intercâmbio de transações com o ambiente e conserva-
monopólios estatais? se constantemente no mesmo estado (auto-regulação);
Responda: o e-mail sem intermediários segue a mesma equilíbrio dinâmico ou homeostase. O modelo de sistema aberto
direção do dinheiro digital? é um complexo de elementos em interação e intercâmbio
contínuo com o ambiente.
 O sistema aberto está em constante interação dual
A Administração consagra na era digital o que
com o ambiente. Dual porque influencia e também e
denominamos:
influenciado.
Homo Digitalis – é aquele cuja as transações com seu
 O sistema aberto tem capacidade de crescimento,
meio ambiente são efetuadas predominante por intermédio mudança, adaptação ao ambiente e até auto-
do computador. reprodução.
O recurso corporativo que desempenha o papel mais  É contingência do sistema aberto competir com
importante na criação da nova organização é a TI. Porém, outros sistemas, o que não ocorre com o sistema
em vez de automatizar tarefas, a TI deveria, acima de tudo, fechado
informar pessoas.
O conceito de sistema aberto é perfeitamente é aplicável à
TEORIA DE SISTEMAS organização empresarial. A organização é um sistema criado
pelo homem e mantém uma dinâmica interação com seu meio
eoria de Sistemas (TS) é um ramo específico da Teoria ambiente, sejam clientes, fornecedores, concorrentes, entidades

T Geral de Sistemas (TGS). Com ela, a abordagem


sistêmica chegou a TGA a partir da década de 1960 e
tornou-se parte integrante dela.
A TGS surgiu como os trabalhos do biólogo alemão Ludwig
sindicais, órgãos governamentais e outros agentes externos.
Influi sobre o meio ambiente e recebe influência dele. Possui
uma relação de interdependência com o ambiente (o todo).

Von Bertalanffy. A palavra sistema denota um conjunto de  Características das Organizações como
elementos interdependentes e interagentes ou um grupo de Sistemas Abertos
unidades combinadas que formam um todo organizado. Sistema
é um conjunto formando um todo unitário. 8. Comportamento probabilístico e não-determinístico
A TGS fundamenta-se em três premissas básicas: Como todos os sistemas sociais, as organizações são
4. Os sistemas existem de dentro de sistemas sistemas abertos afetados por mudanças em seus ambientes,
5. Os sistemas são abertos denominadas variáveis externas.
6. As funções de um sistema existem dentro de uma
estrutura. 9. As organizações como partes de uma sociedade maior
A definição de Bertalanffy: “Sistema é um conjunto de e constituídas de partes menores
unidades reciprocamente relacionadas, decorrem dois As organizações são vistas como sistemas dentro de
conceitos: o de propósito (objetivo) e o de globalismo sistemas. Os sistemas são complexos de elementos colocados
(totalidade). em interação.
Propósito ou objetivo – todo sistema tem um propósito, 10. Interdependência das partes
objetivo ou finalidade a ser alcançada. A organização é um sistema social cujas partes são
Globalismo ou totalidade – Qualquer alteração em uma das independentes, mas inter-relacionadas.
unidades do sistema afetará todas as outras unidades, devido a 11. Homeostase ou “estado firme”
relacionamento entre as partes. Das mudanças e dos A organização alcança um estado firme – ou seja, um estado
ajustamentos contínuos do sistema decorrem dois fenômenos: de equilíbrio – quando satisfaz dois requisitos: a

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 53


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
unidirecionalidade e o progresso.  Eficácia organizacional: sobrevivem enquanto houver
c. Unidirecionalidade: O sistema continua orientado negentropia, isto é, importação de todas as formas de
para o mesmo fim, usando outros meios. energia devolvendo isto ao ambiente sob a forma de
d. Progresso em relação ao fim: O sistema mantém, produtos.
em relação ao fim desejado, progredindo dentro dos  Organização como sistema de papéis – conjunto de
limites definidos como toleráveis. atividades solicitadas de um indivíduo que ocupa em uma
determinada organização.
A organização, como um sistema aberto, precisa conciliar dois
processos opostos, ambos imprescindíveis para a sua  Modelo sociotécnico de Tavistock
sobrevivência, a saber:
c. Homeostasia: é a tendência do sistema permanecer Modelo proposto por sociólogos e psicólogos do Instituto de
estável. Relações Humanas de Tavistock. Pare eles a organização, um
d. Adaptabilidade: É a mudança do sistema no sistema aberto, é estruturada sobre dois aspectos:
sentido de ajustar-se aos padrões requeridos em 3. Sistemas técnicos – envolvem a tecnologia, o
sua interação com ambiente externo. território e o tempo.
12. Fronteiras ou limites 4. Sistema Social – compreende as organizações
Fronteira é a linha que demarca e define o que está dentro e o formais e informais entre as pessoas. O subsistema
que está fora do sistema ou subsistema. social transforma a eficiência potencial em eficiência
real.
13. Morfogênese Segundo o modelo sociotécnico a tarefa primária da
Considerada por Buckley os sistemas tem organizacional tem organização consiste em sobreviver dentro de um processo
a capacidade de modificar a si próprio e sua estrutura básica. cíclico:
14. Resiliência 4. Importação – aquisição de matérias-primas.
É a capacidade de superar o distúrbio imposto por um 5. Conversão – transformação das importações em
fenômeno externo. produtos ou serviços.
6. Exportação – colocação dos resultados da
 Modelo de Schein importação e da conversão.

 A organização é um sistema aberto.  “HOMEM FUNCIONAL”


 A organização é um sistema com objetivos ou funções
múltiplas. A Teoria
 A organização é um conjunto de subsistemas em de Sistemas www.professormozart.blogspot.com
conjunto com os outros. utiliza o
 Os subsistemas são mutuamente dependentes, conceito de
mudanças ocorridas em um deles afetam o “homem funcional” em contraste como o conceito do “homo
comportamento dos outros. economicus” da Teoria Clássica, do “homem social” da
 A organização existe em um ambiente dinâmico que Teoria das Relações Humanas, do “homem organizacional”
compreende outros sistemas. da Teoria da Burocracia e do “homem administrativo” da
 As fronteiras organizacionais são complexas para se Teoria Behaviorista.
definir.
O “homem funcional” mantém expectativas quanto ao papel
 Modelo de Katz e Kahn dos demais participantes e procura enviar aos outros as suas
expectativas de papel. Essa interação altera ou reforça o papel.
 Modelo de organização por meio da aplicação da Teoria As organizações são sistemas de papéis, nas quais as pessoas
de Sistemas à teoria administrativa. desempenham papéis.
 Concebeu a organização como sistema aberto
 Importação, processamento e exportação.
 Os sistemas são ciclos de eventos que se repetem
 Entropia negativa ou negentropia – processo reativo a
entropia (exaustão até a morte do sistema); isto é,
obtenção de reservas de energia para o sistema
sobreviver.
 Informação como insumo, retroação negativa e processo
de codificação.
 Estado firme e homeostase dinâmica.
 Diferenciação – as organizações como sistema aberta
tende a diferenciação, isto é, uma tendência para
elaborar estrutura.
 Eqüfinidade – pode-se alcançar por vários caminhos o
mesmo resultado final.
 Limites ou fronteiras.
 Características de primeira ordem: os sistemas sociais
têm limitação de amplitude, os sistemas sociais
necessitam de entrada, os sistemas sociais têm natureza
planejada, os sistemas sociais possuem maior
variabilidade que os sistemas biológicos, são
componentes dos sistemas sociais as normas, valores e
funções.
 Cultura e clima organizacional – cada organização cria
sua própria cultura com seus próprios valores, tabus, e
costumes, que são transmitidos aos novos membros.
 As organizações consideram um sistema de
recompensas a fim de vincular seus membros ao
sistema, estabelecem para isso normas e valores para
isso.

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 54


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
para verificar a relação entre práticas administrativas e ambiente
externo dessas indústrias. Encontram diferentes procedimentos
Teoria da Contingência em busca da flexibilidade administrativos nas indústrias e as classificaram em dois tipos:
a. Mencanísticas e
e agilidade. b. Orgânicas.
Sistemas Macanicistas ou mecanistas – as tarefas são divididas
por especialistas. Cada indivíduo executa sua tarefa sem a menor
noção das demais tarefas da empresa. A cúpula tem a responsabilidade
de cuidar do relacionamento entre as tarefas. As atribuições de cada
função são claramente definidas. A interação é vertical entre superior e
Professor Mozart Rocha subordinado. As operações são reguladas por instruções, regras e
Abordagem Contingencial decisões emitidas pelos superiores. A hierarquia de comando decorre
SUMÁRIO da suposição de que todo conhecimento sobre a firma e suas tarefas só
se encontra na cúpula da empresa. A administração ocorre por uma
hierarquia rígida e opera um sistema de informação vertical
 Abordagem Contingencial descendente e ascendente.
 Teoria da Contingência Sistemas orgânicos – são sistemas adaptáveis a condiç ões
 Modelos e Desenhos Organizacionais ambientais instáveis, quando os problemas e exigências de ação
 Conceito de Ambiente Apreciação Crítica podem ser fragmentados e distribuídos entre especialistas em uma
 Novas Abordagens hierarquia definida. As pessoas realizam suas tarefas específicas à luz
do conhecimento que possuem das tarefas da empresa em sua
Teoria Contingencial totalidade. Os trabalhos são flexíveis em termos de métodos,
obrigações e poderes, pois devem ser continuamente redefinidos por
interação com outras pessoas que participam da tarefa. A interação é
lateral e vertical. A comunicação entre as pessoas de categorias
diferentes se dá mais por meio da consulta lateral do que do comando

A
palavra Contingência significa algo incerto ou eventual, vertical. Não se atribui onisciência aos superiores.
que pode suceder ou não, dependendo das circunstâncias.  III - Pesquisa de Lawrence e Lorsch
Refere-se a uma proposição cuja verdade ou falsidade
somente pode ser conhecida pela experiência e pela evidência, e não Lawrence e Lorsch fizeram uma pesquisa sobre o defrontamento
entre organizações e ambiente que provocou o aparecimento da Teoria
pela razão. A abordagem contingencial salienta que não se alcança a da Contingência. O nome Teoria da Contingência derivou dessa
eficácia organizacional seguindo um único e exclusivo modelo pesquisa. Preocupados com as características que as empresas devem
organizacional, ou seja, não existe uma forma única e melhor para ter para
organizar no sentido de se alcançar os objetivos variados das
organizações dentro de um ambiente também variado. enfrentar com
eficiência as www.professormozart.blogspot.com
Os estudos recentes sobre organizações complexas levaram diferentes
a uma nova perspectiva teórica: a estrutura da organização e seu condições
funcionamento são dependentes de sua interface com o ambiente externas, tecnológicas e de mercado, fizeram uma pesquisa sobre dez
externo. Diferentes ambientes requerem diferentes desenhos
organizacionais para obter eficácia. Variações no ambiente ou na empresas em três diferentes meios industriais – plásticos, alimentos
empacotados e recipientes (containers). Os autores concluíram que os
tecnologia conduzem a diferentes desenhos organizacionais. Estudos problemas básicos são a diferenciação e a integração.
de Dill, Burns e Stalker, Chandler, Fouraker e Stopford, Woodward,
Lawrence e Lorsch, entre outros, demonstraram o impacto ambiental a. Diferenciação. A organização é dividida em subsistemas ou
sobre a estrutura e o funcionamento das organizações. O modelo departamentos, cada qual desempenhando uma tarefa especializada
mostrado é similar ao de Skinner ao nível individual, que se preocupa para um contexto ambiental também especializado. Cada subsistema
com a adequação da resposta (estímulo-resposta). ou departamento reage somente àquela parte do ambiente que é
O conceito Skinneriano de contingência envolve três relevante para a sua própria tarefa especializada. Se houver
elementos: um estado ambiental, um comportamento e uma diferenciação nos ambientes de tarefa aparecerão na estrutura e na
conseqüência. abordagem dos departamentos. Do ambiente geral emergem ambientes
É com a Teoria da Contingência que há o deslocamento da de tarefa, a cada qual correspondendo um subsistema ou departamento
visualização de dentro para fora da organização: a ênfase no ambiente da organização.
e nas demandas ambientais sobre a dinâmica organizacional. No b. Integração. Refere-se ao processo oposto à diferenciação e
ambiente que estão as explicações causais das características das é gerado por pressões vindas do ambiente da organização no sentido
organizações. Assim, não há uma única maneira (the best way) melhor de obter unidade de esforços e coordenação entre vários
de se organizar. Tudo depende (it depends) das características departamentos.
ambientais relevantes para organização. A empresa que mais se aproxima das características requeridas pelo
ambiente terá mais sucesso do que a empresa que se afasta muito
 Teoria da Contingência Filosofia e Origens delas.
A Teoria da Contingência enfatiza que não há nada de c. Teoria da Contingência. Em função dos resultados da
absoluto nas organizações ou na teoria administrativa. Tudo é relativo. pesquisa, os autores formularam a Teoria da Contingência: não existe
Tudo depende. A abordagem contingencial explica que existe uma uma única maneira melhor de organizar; ao contrário, as organizações
relação funcional entre as condições do ambiente e as técnicas precisam ser sistematicamente ajustadas às condições ambientais.
administrativas apropriadas para o alcance eficaz dos objetivos da  IV- Pesquisa de Joan Woodward
organização. Joan Woodward, socióloga industrial, organizou uma pesquisa para
avaliar se a prática dos princípios de administração propostos pelas
 I - Pesquisa de Chandler teorias administrativas se correlacionavam com o êxito do negócio.
As empresas foram classificadas em três grupos de tecnologia e
A pesquisa de Chandler foi sobre a estratégia e estrutura da produção, a saber:
organização. Demonstra como a estrutura das organizações é 1. Produção unitária ou oficina.
relacionada com a estratégia de negócios. 2. Produção em massa ou mecanizada.
A estrutura da organizacional corresponde ao desenho da
organização, isto é, forma organizacional que ela assumiu para integrar 3. Produção em processo ou automatizada.
Essas quatro pesquisas – de C handler, de Burns e Stalker,
seus recursos, enquanto a estratégia corresponde aos recursos para de Lawrence e Lorsch e de Woodward – revelam aspectos da
atender às demandas do ambiente. Para Chandler, as grandes dependência da organização em relação ao seu ambiente e à
organizações passaram por um processo histórico que envolveu quatro tecnologia adotada. As características da organização não dependem
fases distintas:
 Acumulação de recursos dela própria, mas das circunstâncias ambientais e da tecnologia que ela
utiliza. Daí, a Teoria da Contingência mostra que as características da
 Racionalização do uso dos recursos organização são variáveis dependentes e contingentes em relação ao
 Continuação do crescimento ambiente e à tecnologia. Isso explica a importância do estudo do
 Racionalização do uso de recursos em expansão ambiente e da tecnologia.
 Ambiente
 II - Pesquisa de Burns e Stalker Ambiente é o contexto que envolve externamente a
Burns e Stalker, dois sociólogos, pesquisaram indústrias inglesas organização (ou sistema). É a situação dentro da qual uma organização
mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 55
mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
está inserida. Como a organização é um sistema aberto, ela mantém condições ambientais.
transações e intercâmbio com seu ambiente. Isso faz com que tudo o  Estrutura matricial
que ocorre externamente no ambiente passe a influenciar internamente É também denominada matriz ou organização em grade. A essência
o que ocorre na organização. da matriz é combinar as duas formas de departamentalização:
a funcional com a departamentalização de produto ou projeto;
Mapeamento ambiental – Como o ambiente é vasto e complexo, as ambas na mesma estrutura organizacional. Trata-se, portanto, de uma
organizações não podem absorvê-lo , conhecê-lo e compreendê-lo em estrutura mista, isto é, híbrida. A organização adota os dois tipos de
sua totalidade e complexidade, o que seria inimaginável. As departamentalização. Com isso, o princípio da unidade de comando vai
organizações precisam tatear, explorar e discernir o ambiente par para o espaço e se cria uma delicada balança de duplo poder que
reduzir a incerteza a seu respeito. Em outros termos as organizações caracteriza a matriz.
precisam mapear seu espaço ambiental. O mapeamento ambiental não A Organização por Equipes a mais recente tendência tem sido o
é feito pela organização em si, mas por pessoas – sujeitas ao esforço das organizações em implementar os conceitos de equipe. A
subjetivismo e às diferenças individuais – que são seus dirigentes. partir da década de 1990, as organizações começaram a desenvolver
O Ambiente Geral é constituído de um conjunto de condições meios para delegar autoridade e dispersar a responsabilidade em todos
comuns para todas as organizações: os níveis por meio da criação de equipes participativas para alcançar o
a. Condições tecnológicas comprometimento das pessoas. O empowerment faz parte disso. A
b. Condições legais abordagem de equipes torna as organizações mais flexíveis e ágeis ao
c. Condições políticas ambiente global e competitivo.
d. Condições econômicas A Abordagem em Redes é a mais recente abordagem de
e. Condições demográficas organização, é chamada de rede dinâmica. A estrutura em rede
f. Condições ecológicas (netework organization) significa que a organização desagrega as suas
g. Condições culturais funções tradicionais e as transfere para empresas ou unidades
 Ambiente da Tarefa separadas que são interligadas por meio de uma pequena organização
É o ambiente mais próximo e imediato de cada organização. coordenadora, que passa a constituir o núcleo central. Trata-se de uma
Constitui o segmento do Ambiente Geral. abordagem revolucionária e que torna difícil reconhecer onde começa e
É o ambiente de operações de cada organização, é constituído por: onde termina a organização em termos tradicionais.
1. Fornecedores e entradas. Modelo de Vroom – o modelo contingencial proposto por Victor H.
2. Clientes e usuários Vroom mostra que o nível de produtividade depende de três forças
3. Concorrentes básicas em cada indivíduo, a saber:
4. Entidades reguladoras. 1. Expectativas
Tipologia de ambientes 2. Recompensas
Quanto à sua estrutura os ambientes podem ser: homogêneos e 3. Relações entre expectativas e recompensas
heterogêneos. Se homogêneo concebe o ambiente por fornecedores, Estes três
clientes e concorrentes semelhantes. E se faz heterogêneo quando da fatores
ocorrência contrária. determinam a www.professormozart.blogspot.com
Quanto a sua dinâmica, os ambientes podem ser: ambiente estável motivação do
e ambiente instável. No ambiente estável temos por característica por indivíduo para
pouca ou nenhuma mudança. O inverso acontece no ambiente instável. produzir em quaisquer circunstâncias em que se encontre. O modelo
 Tecnologia parte da hipótese de que a motivação é um processo que orienta
Ao lado do ambiente, a tecnologia constitui outra variável opções de comportamento para alcançar determinados resultado final.
independente que influencia as características organizacionais O Modelo de Lawler foi o modelo proposto por Vroom que o relacionou
(variáveis dependentes). A tecnologia pode estar ou não incorporada a com o dinheiro. As conclusão de Lawler III são que as pessoas desejam
bens físicos. A tecnologia incorporada está contida em bens de capital, dinheiro porque ele permite a satisfação de necessidades fisiológicas e
matérias-primas intermediárias ou componentes etc. A tecnologia não- de segurança, como também dá plena condições para a satisfação das
incorporada encontra-se nas pessoas, como técnicos, peritos, necessidades sociais, de estima e de auto-realização; outra conclusão
especialistas, engenheiros, pesquisadores, que produzem documentos, foi que se as pessoas crêem que a obtenção do dinheiro (resultado
mapas, relatórios, desenhos, projetos etc. Corresponde aqui ao final) depende do desempenho (resultado intermediário).
conceito de software. Clima organizacional – o conceito de clima organizacional é a
A tecnologia pode ser considerada sob dois ângulos diferentes: como qualidade ou propriedade do ambiente organizacional que é percebida
uma variável ambiental e externa e como uma variável organizacional ou experimentada pelos participantes da organização e que influencia o
interna. seu comportamento. As dimensões do clima organizacional
Thompson – assinala que “a tecnologia é uma importante variável são:estrutura organizacional; responsabilidade; riscos; recompensas;
para a compreensão das ações das empresas.” A ação das empresas calor e apoio e conflito.
fundamenta-se nos objetivos desejados e nas convicções de causa- O modelo contingencial de liderança proposto por Fiedler se a
efeito. Thompson propõe uma tipologia de tecnologias conforme seu baseia no fato de que não existe um estilo único e melhor (the best
arranjo dentro da organização, saber: em elos de sequência, mediadora way) de liderança para toda e qualquer situação. Os etilos de liderança
e intensiva. são contingenciais.
Tecnologia em elos de sequência – baseado na interdependência A Escola do design – é a escola do desenho estratégico mais
serial das tarefas necessária pra completar um produto. influente sobre o processo de formação da estratégia organizacional.
Tecnologia mediadora – algumas organizações têm por função a
ligação de clientes que são ou desejam ser interdependentes.
Tecnologia intensiva – representa a convergência de várias
habilidades e especializações sobre um único cliente.

 A organização e seus níveis


Para a Teoria da Contingência não existe uma universalidade dos
princípios de administração e nem uma única e melhor maneira de
organizar e estruturar as organizações. A estrutura e o comportamento
organizacional são variáveis dependentes enquanto as variáveis
independentes são o ambiente e a tecnologia. Os três níveis
organizacionais, a saber:
1. Nível institucional ou estratégico.
2. Nível intermediário.
3. Nível operacional.

 Adhocracia
O termo adhocracia foi cunhado por Toffler em seu livro Choque do
Futuro. A nova sociedade do futuro será extremamente dinâmica e
mutável. Para acompanhar o ambiente turbulento, as organizações
precisarão ser orgânicas, inovadoras e antiburocráticas. Uma nova
forma de organização surgirá: adhocracia, o inverso da burocracia. A
adhocracia significa uma estrutura flexível capaz de moldar-se às

mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 56


mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
Nada no universo é passivo ou estável. Para a teoria do caos, a
desordem, a instabilidade e o acaso no campo científico constituem a
Novas Abordagens da Administração norma, a regra, a lei. A influência dessas idéias na teoria
administrativa é marcante. Afinal ainda buscamos a ordem e a
certeza em um mundo carregado de incertezas e instabilidade.
 Teoria da Complexidade

O
mundo mudou e também a teoria administrativa esta
mudando. Afinal, a teoria administrativa não fica incólume Em 1977, Prigogine ganhou o prêmio Nobel de Química ao aplicar
ou distante desse movimento de crítica e renovação. a segunda lei da termodinâmica aos sistemas complexos, incluindo
Na verdade, a teoria administrativa passou por três períodos em organismos vivos. A segunda lei estabelece que os sistemas físicos
sua trajetória: tendem a espontânea e irreversivelmente a um estado de desordem
1. O período cartesiano e newtoniano da Administração. Foi a ou de entropia crescente. Prigogine verificou que alguns sistemas
base iniciada por Taylor e Fayol envolvendo principalmente a quando levados a condições distantes do equilíbrio – a beira do caos
Administração Científica, a Teoria Clássica e a Neoclássica. A – iniciam processos de auto-organização, que são períodos de
influência predominante foi a física tradicional de Isaac Newton e instabilidade e de inovação do quais resultam sistemas mais
a metodologia científica de René Descartes. Foi um período em complexos e adaptativos. A Teoria da Complexidade é a parte da
que o pensamento linear e lógico predominou na teoria ciência que trata do emergente, da física quântica, da biologia, da
administrativa. Sendo o período mais calmo no mundo das inteligência artificial e de como os organismos vivos aprendem e se
organizações. adaptam. É um subproduto da Teoria do Caos.
2. O período Sistêmico da Administração. Aconteceu com a  A Quinta onda
influência da Teoria de Sistemas que substituiu o reducionismo, o A Era Industrial predominou em quase todo o século XX e cedeu
pensamento analítico e o mecanicismo pelo expansionismo, lugar à Era da Informação. Nessa nova era, mudanças e
pensamento sintético e teleologia, respectivamente a partir da transformações passam a ser gradativamente mais rápidas e
década de 1960. Trouxe para a administração a interação com intensas. Sobretudo descontínuas.
ambiento externo. As sucessivas ondas foram desenvolvidas por Schumpter de
3. O período atual da Administração. Está acontecendo graças à forma evolutiva, a saber:
profunda influência das teorias do caos e da complexidade na Primeira onda – Energia; hidráulica; têxteis e ferro (1785 – 1845).
teoria administrativa. Segunda onda – vapor; estrada de ferro e aço (1845 – 1900)
 O darwinismo organizacional Terceira onda – eletricidade; química e motor a combustão (1900 –
Charles Darwin escreveu seu famoso livro: “As origens das 1950)
espécies” (1809-1882), no qual apresenta sua teoria da evolução das Quarta onda – petroquímica, aeronáutica e eletrônica (1950 – 1990)
espécies. Segundo sua teoria, tudo evolui gradativamente desde os Quinta onda – redes digitais, software e novas mídias (1990 – 2020)
sistemas simples até os mais complexos. A evolução é orientada por Para onde vai a TGA
um mecanismo chamado seleção natural das espécies, isto é,
permite que os organismos mais aptos possam viver; eliminando os
demais. O raciocínio de Darwin é o seguinte: se em uma espécie
existem variações nas características que os indivíduos herdam de
A
era da
www.professormozart.blogspot.com

uma geração para outra, e sem algumas dessas características são informação:
mais úteis do que outras, então, essas últimas vão disseminar-se Mudança e Incerteza. A teoria administrativa tem pouco mais de
mais amplamente na população e, com o tempo, vão acabar cem anos. Essa jovem senhora é um produto típico do século XX.
predominando. O ser humano é o último passo da caminhada No decorrer do século, ela passou por grandes transformações. Na
evolutiva do chimpanzé. Passados quase duzentos anos de sua Era da Informação, o capital financeiro cede o trono para o capital
divulgação, a idéia da evolução está sendo aplicada às organizações intelectual. A nova riqueza passa a ser o conhecimento, o recurso
como organismos vivos. organizacional mais valioso e importante.
 Teoria dos quanta Inicio da Administração
No ano de 1900, o cientista alemão Max Planck, apresentou a industrialização Científica
teoria dos quanta. Estudou problemas que envolviam trocas de Estabilidade Teoria Clássica
energia e emissão de radiações térmicas. A unidade de media de Era Clássica Pouca mudança Relações
1900 - 1950
energia é denominada: ergs. Para teoria quântica, a energia é algo Previsibilidade Humanas
descontínuo e discreto, em outras palavras, a energia é transmitida Regularidade e Teoria da
em pequenos pacotes – os quanta – e não de modo contínuo. É a certeza Burocracia
energia – e não a matéria – a substância fundamental do universo. Desenvolvimento Teoria
 Teoria da Relatividade industrial Neoclássica
Foi desenvolvida por Albert Einstein (1879-1955). Nesta teoria a Aumenta da Teoria
luz tem um caráter dual ela é onde e é partícula ao mesmo tempo. A mudança Estruturalista
massa é uma forma de energia variante em função da velocidade, Era
Fim da previsibilidade Teoria
explicada sob a fórmula: e = mc 2. Segundo sua teoria o espaço e o Neoclássica
Necessidade de Comportamental
tempo estão em permanente interação, ou seja, são relativos não são 1950 – 1990
absolutos e dependem ainda do observador. A força da gravidade
inovação Teoria de
tem o efeito de curvar o espaço-tempo. Isso derrubou a geometria Sistemas
euclidiana e o conceito de espaço vazio. Teoria da
 Princípio da incerteza Contingência
Em 1927, Werner Heisenberg propôs o seu princípio da incerteza: Tecnologia da Produtividade
não é possível determinar precisamente em mesmo experimento, a informação – TI Qualidade
posição e a velocidade de uma partícula, pois a medida precisa de Globalização Competitividade
uma dessas quantidades leva à indeterminação da outra. Aqui se Era da Ênfase nos serviços Cliente
enterra o velho determinismo clássico. Heinsenberg ganhou o prêmio Informação Aceleração da Globalização
Nobel de Física pela criação da mecânica quântica em substituição à após 1990 mudança
mecânica clássica de Newton. Imprevisibilidade
Enquanto os físicos clássicos estudam objetos materiais no mundo Instabilidade e
tridimensional, os físicos quânticos estudam os comportamentos dos Incerteza
elétrons, dos prótons, dos nêutrons e de centenas de partículas Dowsnsizing – enxugamento de dados (CPD) e descentralização
ainda menores denominadas quarks. PR meio de redes integradas de microcomputadores nas
organizações. Promove redução dos níveis hierárquicos e
 Teoria do Caos enxugamento organizacional para reduzir as operações ao essencial
Edward Lorenz do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) (core business) do negócio e transferir o acidental para terceiros que
desenvolveu um modelo que simulava no computador a evolução das saibam fazê-lo melhor e mais barato (terceirização).
condições climáticas. Lorenz dizia: “o bater de asas de uma borboleta JIT (Just in time) – foi o resultado da convergência de tempos
na Califórnia pode causar um furação na Flórida um mês depois”. reduzidos no processo produtivo.
Uma grande variação em cadeia do chamado efeito dominó. Workgroup – trabalho em grupo.
A palavra caos tem sido tradicionalmente associada à desordem, Workstation – são estações de trabalho.
contudo, na Ciência moderna caos significa uma ordem mascarada A informação torna-se a principal fonte de energia da organização:
de aleatoriedade. Tudo na natureza muda e evolui continuamente. seu principal combustível e o mais importante recurso ou insumo. A
mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 57
mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."
APOSTILA DE ADMINISTRAÇÃO
Profº Mozart
informação direciona todos os esforços e aponta os rumos a seguir. organização. O conhecimento esta na cabeça das pessoas. São
Como principais características da Era da Informação dentro da pessoas que aprendem, desenvolvem e aplicam o conhecimento. O
nova economia, temos, a saber: conhecimento é criado e modificado pelas pessoas e é obtido por
Conhecimento; Digitalização; Virtualização; Redes meio da interação social, estudo, trabalho e lazer. Contudo, o
interligadas; Desintermediação; Convergência; Inovação; conhecimento é um recurso diferente. Ele não ocupa espaço físico. O
Produ-consumo; Imediatismo e Globalização. conhecimento representa um ativo intangível.
 Melhoria Contínua Escola empreendedora – abordagem parecida com escola do
A melhoria contínua teve seu início com autores vinculados a design da Teoria da Contingência. A escola empreendedora coloca
Teoria Matemática. Nenhum programa de Qualidade Organizacional os processos de formação de estratégia no líder máximo da
decretado de cima para baixo é bem-sucedido. Todos os processos organização – presidente. Enfatiza aspectos subjetivos como intuição,
de mudança desenvolvidos com sucesso começaram pequenos. Na julgamento, experiência e critérios. O processo de formação de
maioria dos caos, começaram apenas com uma equipe de baixo para estratégia não é coletivo ou cultural: ele é obra do presidente.
cima, ou seja, da base para a cúpula. A melhoria de mudança Ética – constitui o conjunto de valores ou princípios morais que
organizacional suave e contínua centrada nas atividades em grupo definem o que é certo ou errado para uma pessoa, grupo ou
das pessoas. A filosofia da melhoria contínua deriva do Kaizen (do organização. O comportamento ético acontece quando a
japonês Kai, que significa mudança e zen, que significa bom). Kaizen organização incentiva seus membros a comportarem eticamente
passou a significar, portanto, aprimoramento contínuo e gradual, de maneira que os membros aceitem e sigam tais valores e
implementando por meio do envolvimento ativo e comprometido de princípios. A ética tem a sua preocupação baseada no bom
todos os membros da organização no que ela faz e na maneira como comportamento. Administradores éticos alcançam sucesso a partir
as coisas são feitas. O kainzen se baseia pela participação de todos de práticas administrativas caracterizadas por equidade e justiça.
os funcionários. O kaizen requer pessoas incentivadas a pensar e Ética e competitividade são inseparáveis, ninguém pode competir
treinadas para pensar de forma crítica e construtiva. com sucesso quando as pessoas procuram enganar as outras, os
 Qualidade Total litígios acabam nos tribunais e os negócios não são honestos.
A qualidade total é uma decorrência da aplicação da melhoria Responsabilidade social – significa o grau de obrigações que
contínua. A palavra qualidade tem vários significados, a saber: uma organização assume por meio de ações que protejam e
a. Atendimento das exigências do Cliente. melhorem o bem-estar da sociedade à medida que procura atingir
b. Deve ter por objetivo as necessidades do usuário, seus próprios interesses.
presentes e futuras – Deming.
c. Adequação à finalidade ou ao uso – Juran.
d. Conformidade comas as exigências – Crosby.
e. Total das características de um produto ou serviço
referentes a marketing, engenharia, manufatura e
manutenção, pelas quais o produto ou serviço,
atenderá às expectativas do cliente – Feigenbaum.
www.professormozart.blogspot.com
Benchmark - significa um padrão de excelência que deve ser
identificado, conhecido, copiado e ultrapassado. O benchmark pode
ser interno (de um departamento para o outro) ou externo (uma
empresa concorrente ou excelente). O benchmark serve com guia de
referência.
O gerenciamento da qualidade Total (Total Quality Management –
TQM) é um conceito de controle que atribui às pessoas, e não
somente aos gerentes e dirigentes, a responsabilidade pelo alcance
de padrões de qualidade. A responsabilidade, portanto, é atribuída as
pessoas para se alcançar a qualidade. Foi introduzido em1979 pela
Xerox.
Empowerment – a qualidade total esta baseada no
“empoderamento” das pessoas. Empowerment significa proporcionar
aos funcionários as habilidades e a autoridade para tomar decisões
que tradicionalmente eram dadas aos gerentes.
Outsourcing (terceirização) - É uma decorrência da filosofia da
qualidade total. A terceirização ocorre quando uma operação interna
da organização é transferida para outra organização é transferida
para outra organização que consiga fazê -la melhor e mais barato. A
terceirização representa uma transformação de custos fixos em
custos variáveis.
Reengenharia – significa fazer uma nova estrutura organizacional.
Representa uma construção e não simplesmente uma reforma total
ou parcial da empresa. A reengenharia se baseia nos processos
empresariais e considera que ele é que devem fundamentar o
formato organizacional. Não se pretende melhorar os processos já
existentes, mas a sua total substituição por processos inteiramente
novos. Não representa a automatização dos processos já existentes.
A reengenharia não se confunde com a melhoria contínua. Os três
componentes da reengenharia são: pessoas, TI e processos. O seu
foco esta nos processos organizacionais. Processo - é o conjunto de
atividades, com uma ou mais entradas e que cria uma saída de valor
para o cliente.
Gestão de projetos – significa fazer algo que ainda não foi feito
antes e que é único e singular. Tem inicio e fim definidos. O objetivo
do projeto é alcançar sua finalidade e finalizar o projeto. Os projetos
tem por características:
Os projetos são únicos
Tem início e fim definidos
São concluídos quando suas metas forem
alcançadas
O projeto bem sucedido é aquele que atende ou
excede as expectativas dos stakeholders
Gestão do conhecimento e capital intelectual – Na era da
informação, o recurso mais importante deixou de ser o capital
financeiro para ser o capital intelectual, baseado no conhecimento.
Conhecimento é a informação estruturada que tem valor para uma
mozart.direito@gmail.com Abr/ 2010 –pg. 58
mozart.direito@hotmail.com "Concurso não se faz para
passar; mas até passar ."