Você está na página 1de 13

Grandezas Hidráulicas

Instalações
Hidráulicas
Prof. Bruno Henrique Siqueira
bruno.siqueira@prof.una.br
www.facebook.com/professorbrunosiqueira

1
Grandezas Hidráulicas Rugosidade nos tubos
As grandezas hidráulicas que utilizaremos são:
A rugosidade das paredes das tubulações é em função do
 Pressão material dos quais são construídos, o acabamento da
 Vazão construção e o tempo de uso.
 Velocidade
 Golpe de aríete Os valores são determinados em medições tanto de
 Rugosidade laboratório como em campo.
 Perda de carga - comprimento equivalente Este parâmetro é fundamental para o cálculo hidráulico.
 Altura manométrica
 Diâmetro
 Peso das peças hidráulicas

2
Rugosidade nos tubos Perdas de Cargas

Entretanto, não iremos utilizar nenhuma fórmula que contenha O escoamento de água pelo tubo sofre influência das paredes
esta variável, mas o conceito é necessário para entendermos as dissipando energia devido ao atrito que varia conforme a
diferenças de perdas de cargas de PVC e AÇO por exemplo. rugosidade do material de construção dos mesmos.

Esta dissipação de energia faz com que a pressão seja


reduzida e este efeito chamamos de perda de carga.

Podemos dividir a perda de carga em:

• Distribuída
• Localizada

3
Perdas de Cargas Perdas de Cargas Distribuídas

Perda de carga distribuída é a perda de carga provocada Temos as fórmulas empíricas de Fair-Whipple-Hsiao para
pelas paredes retilíneas dos tubos. perda de carga teríamos:

Perda de carga localizada é a perda de carga provocada pelos J=20,21.105.Q1,88/d4,88 para aço e ferro
acessórios da tubulação como conexões, registros e válvulas. J=8,69.105.Q1,75/d4,75 para cobre e PVC água fria
J=6,92.105.Q1,75/d4,75 para cobre e CPVC água quente
Ambas dependem do diâmetro do tubo e da vazão que passa
por ele. Onde:
J = perda de carga em mca/metros
Q = vazão em litros/segundos
d = diâmetro interno da tubulação em milímetro

4
Perdas de Cargas Distribuídas Perdas de Cargas Distribuídas

As fórmulas de Fair-Whipple-Hsiao e são as mais indicadas Em nosso formulário temos uma tabela que contém alguns
para cálculos de água quente e fria de uma instalação predial, valores que podem nos ajudar a fazer os cálculos de pressão
porém com diâmetros pequenos, ou seja menores que dinâmica.
ø100mm.
Esta tabela já contém a resposta de perda de carga em tubos
Acima deste diâmetro devemos utilizar outros meios de de PVC para água fria com algumas vazões e diâmetros pré-
cálculos, contudo em se tratando de instalações prediais, estabelecidos.
dificilmente teremos diâmetros superiores a 100mm.

5
Perdas de Cargas Distribuídas Perdas de Cargas Distribuídas

Exercício 1:
Considere um reservatório de água/caixa d`água de um
edifício residencial, com 3,00m preenchidos com água. Qual a
pressão dinâmica que teremos no final do tubo de ø25mm a
35 metros abaixo, considerando uma vazão Q=0,30 l/s

6
Perdas de Cargas Distribuídas Perdas de Cargas Distribuídas

Exercício 2: Exercício 3:
Considere um reservatório de água/caixa d`água de um Um alimentador predial tem 30m de comprimento horizontal
edifício residencial, com apenas 1,50m preenchidos com e 5m de comprimento vertical para cima. Se a pressão no
água. Qual a pressão dinâmica que teremos em uma torneira início do trecho é de 9,5 mca, qual será a pressão no final
que fornece uma vazão de Q =0,833l/s alimentada por um deste trecho?
tubo de ø25mm, localizada a 20 metros abaixo?
Considerando uma vazão de Q=2,1l/s e tubo de ø32mm.

7
Perda de Carga Localizada Perda de Carga Localizada

Como dissemos anteriormente, a perda de carga localizada se Para isso temos uma outra tabela em nosso formulário onde
refere a perda nos "acessórios" da instalação. podemos observar a relação de comprimento equivalente em
função do diâmetro.
Para facilitar trabalhamos com o conceito de comprimento
equivalente.

O comprimento equivalente seria “transformarmos" as


conexões, registros e válvulas em “tubos”, ou seja, qual seria a
perda de carga destes itens se eles fossem um tubo reto.

8
Perda de Carga Localizada Perda de Carga Localizada

Conexões Conexões
• Para entendermos as colunas da tabela precisamos
conhecer-las melhor:

Joelho de 90º Joelho de 45º Curva de 90º Curva de 45º

9
Perda de Carga Localizada Perda de Carga Localizada

Conexões Conexões

Registro de gaveta Registro de esfera

10
Perda de Carga Localizada Perda de Carga Localizada

Conexões Conexões

Tê Válvula de pé e crivo Válvula de Retenção

11
Perda de carga distribuída Perda de carga distribuída

• Exercício 4 Exercício 5
Considere uma reservatório de água de 5000 litros que ficará
cheio em cerca de 5 horas. Em um edifício com 20 apartamentos de 3 quartos padrão
médio, calcular:
O alimentador predial de ø32mm tem seu comprimento e Volume do reservatório para 1 dia e meio:
conexões conforme iremos desenhar. Qual a pressão final Tempo para encher o reservatório:
deste alimentador predial se na entrada temos 8,5mca? Velocidade da água:
Dados:
Vazão da rede COPASA: 2,56m3/h
Consumo diário por pessoa: 200litros
Tubo de alimentação: ø25mm

12
Perda de carga distribuída

Exercício 5b

No mesmo edifício este alimentador predial percorre uma


distância de 10 metros enterrado no chão e sobe mais 14
metros até chegar na caixa d`água, no caminho tem dois
joelhos de 90º e uma saída de canalização.

Qual a pressão final se na entrada temos 18mca? A água


conseguirá chegar até o reservatório superior?

13