Você está na página 1de 24

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA:

Revista O Conservador
O Que é o
Conservadorismo? POR RUSSELL KIRK

A Senhorita Worth não acreditava que o Progresso,


com P maiúsculo, é uma coisa boa em si mesma. O
Progresso pode ser bom ou mau, dependendo da
direção a qual se está progredindo. É perfeitamente
possível, e não raramente ocorre, de se progredir em
direção à beira de um precipício. O pensamento
conservador, jovem ou antigo, acredita que todos nós
devemos obedecer à lei universal da mudança; mas
muitas vezes está em nosso poder escolher quais
mudanças aceitaremos e quais mudanças rejeitaremos.
O conservador é uma pessoa que se esforça para
conservar o que há de melhor em nossas tradições e
em nossas instituições, conciliando o que é melhor
com a reforma necessária de tempos em tempos.

“Conservar” significa “salvar”… (Considere) a maldição


do cupido:

“Aqueles que mudam o amor antigo pelo novo, oram aos


deuses para mudá-lo para pior.”

Um conservador não é, por definição, um egoísta ou


uma pessoa estúpida; em vez disso, ele é uma pessoa
que acredita que há alguma coisa em nossa vida que
vale a pena salvar.

Conservadorismo, na verdade, é uma palavra com um


significado antigo e honrado – mas, um significado
quase esquecido pelos americanos até anos recentes.
Abraham Lincoln queria ser conhecido como um
conservador. “O que é o conservadorismo?”, disse ele.
“Não é a preferência pelo antigo e experimentado,
acima do novo e do não testado?” É isso; e é também
um corpo de convicções éticas e sociais. Porém, a
palavra “liberalismo” tem sido preferida entre nós por
duas ou três décadas. Mesmo hoje em dia, embora haja
um bom número de conservadores nas políticas
nacional e estadual, em nenhum grande partido muitos
líderes políticos descrevem a si mesmos como
“conservadores”. Paradoxalmente, o povo dos Estados
Unidos se tornou a principal nação conservadora do
mundo exatamente quando deixou de chamar a si
mesmo de conservador em seu próprio país.
No entanto, com a nossa severa oposição ao
radicalismo dos soviéticos e nosso repúdio
nacional do coletivismo em todas as suas
variedades, um bom número de americanos
agora têm muitas dúvidas quanto ao desejo de
serem chamados liberais ou radicais. Os
liberais, por um bom tempo, foram derivando
para a esquerda em direção a seus primos
radicais; e o liberalismo, nos últimos anos,
passou a significar um anexo para o Estado
centralizado e para a impessoalidade sombria
do Brave New World, de Huxley, ou de 1984, de
Orwell. Homens e mulheres que não se
consideram liberais ou radicais estão
começando a perguntar a si mesmos no que
acreditam e do que deveriam se chamar.
O sistema de ideias opostas ao liberalismo e ao
radicalismo é a filosofia política conservadora.

O que é o Conservadorismo?

O conservadorismo moderno tomou forma


por volta do início da Revolução Francesa,
quando homens de grande visão na Inglaterra
e na América perceberam que, se a
humanidade existe para conservação dos
elementos da civilização que tornam a vida
digna de ser vivida, algum corpo coerente de A Constituição que os líderes daquela geração
ideias deve resistir ao nivelamento e ao elaboraram tem provado ser o dispositivo
impulso destrutivo de revolucionários conservador mais bem sucedido em toda a
fanáticos. Na Inglaterra, o fundador do história.Os líderes conservadores, desde Burke e
verdadeiro conservadorismo foi Edmund Adams, subscreveram certas ideias que podemos
Burke, cujas Reflections on the Revolution in demonstrar, resumidamente, mediante definição.
France mudaram o rumo da opinião pública Os conservadores desconfiam do que Burke
britânica e influenciaram incalculáveis líderes chamou “abstrações” – isto é, absolutos dogmas
da sociedade no Continente e na América. Nos políticos divorciados da experiência prática e das
recém-criados Estados Unidos, os fundadores circunstâncias particulares. Eles acreditam,
da República, conservadores por formação e todavia, na existência de certas verdades
por experiência prática, estavam permanentes que regem a conduta da sociedade
determinados a moldar a Constituição que humana. Talvez, os princípios mais importantes
deveria guiar a sua posteridade em caminhos que têm caracterizado o pensamento conservador
duradouros de justiça e liberdade. americano são estes:
1. Homens e nações são governados por leis
Nossa Guerra de Independência Americana morais; e essas leis têm a sua origem em uma
não foi uma revolução real, mas antes uma sabedoria superior à humana – a justiça
separação da Inglaterra; estadistas de divina. No fundo, problemas políticos são
Massachusetts e da Virgínia não desejavam problemas morais e religiosos. O estadista sábio
virar a sociedade de cabeça para baixo. procura apreender a lei moral e reger sua conduta
adequadamente. Nós temos uma dívida moral para
Em seus escritos, sobretudo nos trabalhos de com nossos antepassados, que nos concederam
John Adams, Alexander Hamilton e James nossa civilização, e um dever moral para as
Madison, nós encontramos um gerações que virão depois de nós. Esta dívida foi
conservadorismo sóbrio e provado, fundado ordenada por Deus. Portanto, não temos o direito
sobre uma compreensão da história e da de, impudentemente, mexer com a natureza
natureza humana. humana ou com tecido delicado de nossa ordem
social civil.
2. Variedade e diversidade são as
características de uma grande civilização. 
Uniformidade e igualdade absoluta são a
morte de todo verdadeiro vigor e liberdade na
existência. Conservadores resistem, com
imparcial virilidade, à uniformidade de um
tirano ou de uma oligarquia e à uniformidade
a qual Tocqueville chamou “despotismo
democrático”.

3. Justiça significa que todo homem e toda


mulher têm direito ao que lhes é próprio –
às coisas que melhor se adaptam à sua
própria natureza, às recompensas de sua
capacidade e integridade, à sua propriedade
e à sua personalidade. A sociedade civilizada
requer que todos os homens e mulheres
tenham direitos iguais diante da lei, mas essa
igualdade não deve se estender à igualdade
de condição: isto é, a sociedade é uma grande
associação, na qual todos têm direitos iguais
– mas não para igualar coisas. A sociedade
justa requer liderança sólida, recompensas
diferentes para habilidades diferentes e um Imagem da Capa – Internet pixabay
senso de respeito e dever.

4. Propriedade e liberdade são isto é, as opiniões consideradas dos homens e


inseparavelmente conectadas; nivelamento mulheres sábios que morreram antes de nosso
econômico não é progresso econômico. Os tempo, a experiência da espécie humana. O
conservadores valorizam a propriedade para conservador, em suma, sabe que não nasceu ontem.
seu próprio interesse, é claro; mas a
valorizam muito mais porque, sem ela, todos 7. A sociedade moderna necessita urgentemente de
os homens e mulheres estão a mercê de um uma verdadeira comunidade: e verdadeira
governo onipotente. comunidade é um mundo distante do
coletivismo. A comunidade autêntica é regida por
5. O poder é repleto de perigos; portanto, o amor e caridade, não por força. Através de igrejas,
bom estado é aquele no qual o poder é associações voluntárias, governos locais e uma
controlado e equilibrado, restringido por variedade de instituições, os conservadores se
constituições e costumes sólidos. Na medida esforçam para manter a comunidade saudável. Os
do possível, o poder político deve ser mantido conservadores não são egoístas, mas zelosos do
nas mãos de instituições privadas e locais. A bem-estar público. Eles sabem que o coletivismo
centralização é normalmente um sinal de significa o fim da comunidade genuína, e
decadência social. substituem uniformidade por variedade e força por
cooperação voluntária.
6. O passado é um grande depósito de
sabedoria; como Burke disse, “o indivíduo é 8. Nos assuntos das nações, o conservador
tolo, mas a espécie é sábia.” Os conservadores americano acredita que seu país deve ser um
acreditam que precisamos nos guiar pelas exemplo para o mundo, mas que não deve tentar
tradições morais, pela experiência social e reconstruir o mundo à sua imagem. É uma lei da
por todo o complexo corpo de política, bem como da biologia, que todo ser vivente
conhecimentos legados a nós por nossos ama, acima de tudo – até mesmo acima de sua
antepassados. Os apelos conservadores estão própria vida –, sua identidade distintiva, que o
para além da opinião precipitada do diferencia de todos os outros seres. O conservador
momento, pela qual Chesterton os não aspira à dominação do mundo, nem aprecia a
denominava de “a democracia dos mortos” - perspectiva de um mundo reduzido a um padrão
único de governo e de civilização.
9. Os conservadores sabem que homens e
mulheres não são perfectíveis; e nem o são as
instituições políticas. Nós não podemos criar
um paraíso na Terra, embora possamos fazer
um inferno. Somos todos criaturas nas quais
bem e mal estão misturados; e, quando as boas
instituições negligenciam e ignoram os antigos
princípios morais, o mal tende a predominar
em nós. Por isso, o conservador suspeita de
todos os esquemas utópicos. Ele não acredita
que, pelo poder do direito positivo, nós
podemos resolver todos os problemas da
humanidade. Podemos ter a esperança de fazer
nosso mundo tolerável, mas não podemos
torná-lo perfeito. Quando o progresso é
alcançado, o é através do reconhecimento
prudente das limitações da natureza humana. E o conservadorismo é um importante conceito
social para todo aquele que deseja justiça igualitária
10. Os conservadores estão convencidos de e liberdade pessoal e todos os amáveis caminhos
que mudança e reforma não são idênticas: antigos da humanidade. O conservadorismo não é
inovação política e moral pode ser tanto simplesmente uma defesa do “capitalismo”.
destrutiva como benéfica; e se a inovação é
empreendida com espírito de presunção e (“Capitalismo”, na verdade, é uma palavra cunhada
entusiasmo, provavelmente será desastrosa. por Karl Marx, projetada desde o início para
Todas as instituições humanas, em certa significar que a única coisa defendida pelos
medida, se alteram de época para época, pois o conservadores é a grande acumulação de capital
lento processo de mudança é o meio de privado.) Mas, o que o verdadeiro conservador faz
conservar a sociedade, exatamente como é, corajosamente é defender a propriedade privada e
para o corpo humano, o meio de sua uma liberdade econômica, ambas para seu próprio
renovação. Mas, os conservadores americanos bem e porque elas são meios para atingir grandes
se esforçam para conciliar o crescimento e as fins.
modificações essenciais para nossa vida com a
força de nossas tradições sociais e morais. Esses grandes fins são mais do que econômicos e
Com Lord Falkland, eles dizem: “quando não é políticos. Eles envolvem dignidade humana,
necessário mudar, é necessário não mudar.” personalidade humana, felicidade humana. Eles
Eles entendem que homens e mulheres são envolvem até mesmo o relacionamento entre Deus e
mais satisfeitos quando podem sentir que o homem. Pois o coletivismo radical de nossa época
vivem em um mundo estável de valores é ferozmente hostil a qualquer outra autoridade: o
duradouros. radicalismo moderno detesta a fé religiosa, a virtude
privada, a individualidade tradicional e a vida de
O conservadorismo, então, não é satisfações simples. Tudo o que vale a pena ser
simplesmente o interesse das pessoas que têm conservado está ameaçado em nossa geração. A
muitas propriedades e influência; não é mera oposição negativa e irracional à corrente de
simplesmente a defesa de privilégios e de acontecimentos, agarrando-se com desespero ao
status. A maioria dos conservadores não são que ainda mantemos, não será suficiente nesta
nem ricos nem poderosos. Porém, eles fazem época. Um conservadorismo de instinto deve ser
até mesmo o mais simples deles obter grandes reforçado por um conservadorismo de pensamento
benefícios de nossa República estabelecida. e imaginação.
Eles têm liberdade, segurança pessoal e de sua
casa, igual proteção das leis, o direito aos Original adaptado de The Intelligent Woman’s Guide
frutos de sua indústria e oportunidade para to Conservatism (New York: The Devin-Adair
fazer o melhor que neles há. Eles têm um Company, 1957).
direito de personalidade em vida e um direito
de consolo na morte. Os princípios Do Russell Kirk Center.
conservadores são o abrigo das esperanças de
todos na sociedade. Tradução: José Junio Souza da Costa
COMO SER UM CONSERVADOR – ROGER
SCRUTON  
"Uma obra de extrema relevância para o atual
cenário político brasileiro O filósofo político
inglês Roger Scruton construiu sua
reputação ao empregar a sua inteligência na
reflexão e divulgação do pensamento
conservador. É um pensador que sabe
conjugar de forma exemplar um raciocínio
profundo com um texto sofisticado e preciso.
O tema central deste livro é o
conservadorismo.
E é a partir da apresentação teórica e prática
do pensamento conservador em suas várias
dimensões na vida em sociedade que Scruton
examina e explica como ser um conservador.
E o faz com uma habilidade grandiosa para
expor teoria e análise de maneira clara e
concisa sem simplificá-las ou vulgarizá-las.
Essa mestria permite ao leitor encerrar a
leitura com a percepção de que aprendeu
algo valioso e com o sentimento de que
pertence a uma tradição, mesmo que ainda
tenha que descobri-la.

Mais sobre o livro na (AMAZON)

AS IDEIAS CONSERVADORAS – JOSÉ


PEREIRA COUTINHO
Em um país de democracia recente e
marcado historicamente por ditaduras como
o Brasil, o pensamento político conservador
costuma ser associado ao autoritarismo e à
supressão das liberdades individuais. O
audacioso objetivo deste livro é desfazer esse
equívoco e apresentar ao leitor as ideias
conservadoras, que não se confundem com as
doutrinas-reacionárias. 
Para o jornalista e cientista político João
Pereira Coutinho, o conservadorismo é o
modo de a sociedade preservar o melhor que,
com base na tradição democrática, ela criou
para garantir a paz, a liberdade dos cidadãos
e o vigor das instituições. 
Com linguagem clara e envolvente, o autor
expõe o pensamento dos principais filósofos
conservadores, ao mesmo tempo que tece
uma reflexão política de importante
significado para a atualidade. Contra
radicalismos crescentes à direita e à
esquerda, Coutinho defende o primado da
lucidez e do equilíbrio. Saiba Mais (AMAZON)
Os Dez Princípios
Conservadores
Por Russell Kirk
(Adaptado por Kirk de The Politics of Prudence)

Não sendo nem uma religião nem uma


ideologia, o corpo de opiniões
denominado Conservadorismo não possui um
Livro Sagrado nem um Das Kapital para
prover dogmas.
Até onde é possível determinar em quê
acreditam os conservadores, os primeiros
princípios da convicção conservadora são
derivados do que professaram os principais
escritores e homens públicos conservadores
durante os últimos dois séculos. Após
algumas observações introdutórias neste
tema geral, prosseguirei e listarei dez destes
princípios conservadores.

Talvez fosse melhor, na maioria das vezes,


usar a palavra “conservador” principalmente
como um adjetivo. Pois não existe um Mas, é claro, há muito mais para a convicção
Modelo Conservador, e o conservadorismo é conservadora do que esta atitude geral.
a negação da ideologia: é um estado da
mente, um tipo de caráter, um modo de olhar Não é possível esboçar um catálogo simples das
para ordem social civil. convicções dos conservadores. Entretanto, ofereço a
você, sumariamente, dez princípios gerais.
A atitude a que chamamos conservadorismo Parece seguro dizer que a maioria dos conservadores
é sustentada por um corpo de sentimentos, subscreveria a maior parte destas máximas. Em várias
mais do que por um sistema de dogmas edições de meu livro The Conservative Mindlistei
ideológicos. Em geral um conservador pode certos cânones do pensamento conservador – a lista
ser definido como alguém que se define difere, de algum modo, de uma edição para outra; em
como tal. O movimento conservador, ou minha antologia, The Portable Conservative Reader, 
corpo de opiniões, pode acomodar uma ofereço variações sobre este tema.
considerável diversidade de perspectivas em Agora apresento a você um resumo dos pressupostos
muitos temas, não havendo um “Test Act” ou conservadores que difere de algum modo de meus
“Trinta e Nove Artigos” do credo cânones naqueles dois livros.
conservador.
Em si, a diversidade de maneiras pelas quais as
Em essência, a pessoa conservadora é perspectivas conservadoras podem encontrar
simplesmente aquela que acha as coisas expressão é por si prova de que o conservadorismo
permanentes mais satisfatórias do que o não é uma ideologia fixa.
“Chaos and Old Night” (NT: Kirk alude aqui ao Quais princípios são enfatizados por conservadores
poema épico Paradise Lost de John Milton). durante determinada época variará com as
(Embora os conservadores saibam, como circunstâncias daquela época. Os dez itens de crença
Burke, que a “mudança saudável é o meio de que se seguem refletem a ênfase dos conservadores
nossa preservação”). A experiência histórica na América hoje em dia.
continuada de um povo, dizem os
conservadores, oferece um guia para a Primeiro, o conservador acredita na existência
política muito melhor que os projetos de de uma ordem moral perene.
filósofos de cafeteria.
Que a ordem é feita pra o homem, e o
homem é feito para a ordem: a natureza
humana é constante, e as verdades morais
são perenes.
Ordem significa harmonia. Há dois aspectos
ou tipos de ordem: a ordem interior da alma,
e a ordem externa da comunidade. Vinte e
cinco séculos atrás Platão ensinou esta
doutrina, mas mesmo os instruídos de hoje
em dia acham-na difícil de entender. O
problema da ordem tem sido sempre a
principal preocupação dos conservadores
desde que conservador tornou-se um termo
político.

O mundo do século XX experimentou as


consequências hediondas do colapso da
crença na ordem moral. Como as atrocidades
e desastres da Grécia cinco séculos antes de
Cristo, a ruína das grandes nações no século
XX mostra-nos o fosso no qual caem as
sociedades que erradamente tomam o hábil
interesse próprio ou engenhosos controles
sociais como agradáveis alternativas a uma
ordem moral “antiquada”.
a lei, em seus fundamentos, é um corpo de
Tem sido dito por intelectuais liberais que os convenções.
conservadores acreditam que todas as A continuidade é o significado de vincular geração a
questões sociais, em essência, sejam geração, importa tanto para a sociedade como para o
questões de moralidade privada. indivíduo, sem isto a vida é sem sentido. Num tempo
Propriamente entendida, esta afirmação é em que revolucionários bem sucedidos têm apagado
totalmente verdadeira. Uma sociedade na antigos costumes, escarnecido de antigas convenções,
qual homens e mulheres sejam regidos pela e quebrado a continuidade das instituições sociais,
crença numa ordem moral permanente, por porque atualmente descobriram a necessidade de
um forte senso de certo e errado, por estabelecer novos costumes, convenções e
convicções pessoais sobre justiça e honra, continuidade. Porém este processo é doloroso e lento,
será uma boa sociedade – qualquer que seja a e a nova ordem social que eventualmente emerge
organização política que ela possa utilizar; pode ser muito inferior à antiga que os radicais
enquanto que uma sociedade na qual homens derrubaram em seu entusiasmo pelo Paraíso
e mulheres estejam moralmente à deriva, Terrestre.
ignorantes das normas e intencionem
principalmente a satisfação dos apetites, será Os conservadores são defensores dos costumes,
uma sociedade má – não importa quantas convenções e continuidade porque preferem o diabo
pessoas votem e não importa quão liberal sua conhecido ao diabo que não conhecem. Ordem,
constituição formal possa ser. justiça e liberdade, acreditam, são produtos de uma
longa experiência, o resultado de séculos de testes,
Segundo, o conservador adere ao costume, reflexões e sacrifícios. Então, o corpo social é um tipo
às convenções e à continuidade. de corporação espiritual comparável à igreja. Pode
mesmo ser chamado de comunidade das almas. A
É a antiga tradição que capacita as pessoas a sociedade humana não é uma máquina para ser
viverem juntas pacificamente. Os tratada mecanicamente. A continuidade, sangue vital
destruidores de costumes destroem mais do de uma sociedade, não deve ser interrompida. O
que desejam ou sabem. É através da lembrete de Burke sobre a necessidade de mudança
convenção – uma palavra muito violentada prudente, está na mente do conservador. Mas a
em nossa época – que conseguimos evitar a mudança necessária, argumenta o conservador, deve
disputa perpétua a respeito de direitos e ser gradual e discriminada, nunca quebrando antigos
deveres: interesses imediatamente.
Terceiro, conservadores acreditam no que
pode ser chamado princípio da prescrição.

É o senso conservador de que as pessoas


modernas são anões nos ombros de gigantes,
capazes de enxergar mais longe que seus
ancestrais apenas devido à grande estatura
daqueles que nos precederam no tempo.
Consequentemente os conservadores quase
sempre enfatizam a importância
da prescrição – isto é, das coisas
estabelecidas pelo uso imemorial, de modo
que a mente humana não caminhe ao
contrário.
Há direitos para os quais o principal
reconhecimento público é a antiguidade –
incluindo, quase sempre, direitos de
propriedade. Similarmente, nossa moral é em
grande parte prescritiva. Conservadores
argumentam ser improvável que nós
modernos façamos qualquer grande
descoberta em moral, política ou propensão.
É perigoso pesar cada questão passageira na
base do julgamento e racionalidade
particulares. O indivíduo é tolo, mas a
espécie é sábia, declarou Burke. Em política Quinto, conservadores prestam atenção ao princípio
fazemos melhor obedecendo ao precedente, da diversidade.
ao preceito e mesmo ao preconceito, pois a
grande incorporação misteriosa da raça Conservadores sentem afeição pela intrincada
humana adquiriu uma sabedoria prescritiva proliferação de instituições sociais de longa data e
muito maior que qualquer insignificante pelos modos de vida, distintos da estreita
racionalidade particular. uniformidade e sufocante igualitarismo dos sistemas
radicais. Para a preservação de uma diversidade
Quarto, conservadores são guiados por saudável, em qualquer civilização, devem sobreviver
seu princípio de prudência. ordem e classes, diferenças nas condições materiais e
muitos tipos de desigualdades. As únicas formas
Burke concorda com Platão que num homem verdadeiras de igualdade são a igualdade do
de estado a prudência seja a maior virtude. Julgamento Final e igualdade perante um justo
Qualquer medida pública deve ser julgada tribunal da lei. Todas as outras tentativas de
por suas prováveis consequências de longo nivelamento levarão, na melhor das hipóteses, à
prazo, não apenas por sua vantagem estagnação social. A sociedade requer líderes capazes
temporária ou popularidade. Liberais e e honestos, e se as diferenças institucionais e naturais
radicais, dizem os conservadores, são são destruídas, brevemente algum tirano ou algum
imprudentes: pois eles traçam seus objetivos bando de oligarcas sórdidos criarão novas formas de
sem dar muita atenção ao risco de novos desigualdade.
abusos, piores que os males que esperam
eliminar. Como colocou John Randolph, de Sexto, conservadores são refreados por seu princípio
Roanoke, a Providência move-se lentamente, de imperfectibilidade.
enquanto o diabo sempre se apressa. Sendo a
sociedade humana complexa, os remédios, A natureza humana sofre irremediavelmente de certas
para serem eficazes, não podem ser simples. faltas graves, sabem os conservadores. Sendo homem
O conservador declara que age apenas após imperfeito, nenhuma ordem social perfeita pode ser
reflexão suficiente, tendo pesado as criada. Devido à inquietação natural, a espécie
consequências. Reformas repentinas e humana se rebelaria sob uma dominação utópica e
profundas são perigosas como cirurgias eclodiria uma vez mais em descontentamento
repentinas e profundas. violento, ou senão, expiraria em tédio.
Procurar pela utopia é terminar desastre, ser capaz de elevar o homem da condição natural de
dizem os conservadores: não somos feitos pobreza opressiva para a proteção da realização
para as coisas perfeitas. Tudo que podemos duradoura; possuir algo que seja realmente sua
esperar razoavelmente é uma sociedade propriedade– são benefícios difíceis de negar. Os
aceitavelmente ordenada, justa e livre, na conservadores sabem que a posse de propriedade
qual alguns males, desajustamentos e estabelece certas obrigações sobre o proprietário, eles
sofrimentos continuarão a espreitar. Pela aceitam alegremente estas obrigações morais e legais.
atenção adequada à reforma prudente
podemos preservar e melhorar esta ordem Oitavo, conservadores apoiam a associação
aceitável. Mas se as antigas salvaguardas voluntária, tanto quanto se opõem ao coletivismo
institucionais e morais de uma nação são involuntário.
esquecidas, então a o impulso anárquico da
espécie humana desprende-se: “a cerimônia Embora os Americanos tenham sido fortemente
da inocência é suprimida”. Os ideólogos que vinculados à intimidade e à privacidade, eles também
prometem a perfeição do homem e da têm sido um povo notório por um bem sucedido
sociedade têm convertido grande parte do espírito de comunidade.
mundo, desde o século XX, num inferno Numa comunidade genuína as decisões que afetam
terrestre. mais diretamente as vidas dos cidadãos são tomadas
voluntariamente e localmente. Algumas destas funções
Sétimo, conservadores estão persuadidos de são realizadas por entidades políticas locais, outras
que propriedade e liberdade estão por associações privadas: tanto quanto elas sejam
intimamente vinculadas. mantidas locais, e sejam marcadas pela concordância
geral daqueles que são afetados, elas constituem uma
Dissocie propriedade de posse privada e o comunidade saudável. Mas quando estas funções
Leviatã torna-se o dono de tudo. Sobre o passam, por definição ou usurpação, a uma autoridade
fundamento da propriedade privada grandes centralizada, então a comunidade está sob séria
civilizações são construídas. Quanto mais ameaça.
ampla a posse de propriedade privada, tanto
mais estável e produtiva é a comunidade. Tudo o que seja beneficente ou prudente na
Nivelamento econômico, sustentam os democracia moderna torna-se possível através da
conservadores, não é progresso econômico. cooperação voluntária. Se, então, em nome de uma
Ganhar e gastar não são os principais democracia abstrata, as funções da comunidade são
propósitos da existência humana, mas uma transferidas para uma direção política distante, o
sólida base econômica para a pessoa, a governo real, pelo consenso dos governados, cederá a
família e a comunidade, é muito desejável. um processo de padronização hostil à liberdade e à
dignidade humana.
O Sr Henry Maine, em seu Village
Communities, expressa robusta defesa da Pois uma nação não é mais forte que as numerosas
propriedade privada como distinta da pequenas comunidades das quais é composta. Uma
propriedade comunal: “Ninguém é livre para administração central, ou um grupo de seletos
atacar a múltipla propriedade e dizer ao administradores e servidores civis, embora bem
mesmo tempo que valoriza a civilização. As intencionado e bem treinado, não pode oferecer
histórias de ambas não podem ser justiça, prosperidade e tranquilidade sobre uma massa
desentrelaçadas”. Pois a instituição da de homens e mulheres despojados de suas antigas
múltipla propriedade – isto é, propriedade responsabilidades. Este experimento foi feito antes, e
privada – tem sido um poderoso foi desastroso. É o desempenho de nossas obrigações
instrumento para ensinar responsabilidade a na comunidade que nos ensina a prudência, a
homens e mulheres, por prover motivos de eficiência e a caridade.
integridade, por estimular a cultura geral,
por elevar a espécie humana acima do nível Nono, o conservador compreende a necessidade de
de mera labuta, por fornecer tempo para restrição prudente sobre o poder e sobre as paixões
pensar e liberdade para agir. Ser capaz de humanas.
conservar os frutos do trabalho de alguém;
ser capaz de assegurar que o trabalho de Falando politicamente, poder é a capacidade de fazer
alguém seja duradouro; ser capaz de legar a algo que alguém queira, indiferente às vontades dos
propriedade de alguém para a posteridade;  demais. 
Um estado no qual um indivíduo ou pequeno Quando uma sociedade está progredindo em
grupo é capaz de dominar as vontades de determinados aspectos, está regredindo em outros. O
seus companheiros sem consulta é um conservador sabe que qualquer sociedade saudável é
despotismo, seja ele chamado monárquico ou influenciada por duas forças, as quais Samuel Taylor
aristocrático ou democrático. Quando cada Coleridge chamou Permanência e Progressão. A
pessoa afirma ser um poder por si mesma, Permanência de uma sociedade é formada por aqueles
então a sociedade cai na anarquia. Sendo interesses e convicções duradouros que nos dão
intolerável para todos e contrária ao fato estabilidade e continuidade. Sem a Permanência, as
inelutável de que algumas pessoas são mais nascentes de grande profundidade são interrompidas,
fortes e mais engenhosas que seus vizinhos, a a sociedade decai na anarquia. A Progressão numa
anarquia nunca dura muito. À anarquia sociedade é aquele espírito e aquele corpo de
sucede-se a tirania ou a oligarquia, na qual o habilidades que nos instigam à reforma prudente a ao
poder é monopolizado por alguns poucos. aperfeiçoamento. Sem esta Progressão, o povo
estagna. Portanto o conservador inteligente empenha-
O conservador empenha-se então em limitar se em reconciliar as afirmações de Permanência e as
e equilibrar o poder político para que a afirmações de Progressão. Ele pensa que o liberal e o
anarquia ou a tirania não possam surgir. Em radical, cegos às justas afirmações da Permanência,
cada época, entretanto, homens e mulheres arriscariam a herança que nos foi legada numa
são tentados a derrubar as limitações sobre o tentativa de nos conduzir para um duvidoso Paraíso
poder, por amor a alguma vantagem Terrestre. O conservador, em resumo, prefere o
temporária imaginária. É característico do progresso razoável e moderado. Opõe-se ao culto ao
radical que ele pense no poder como uma Progresso, cujos adeptos acreditam que qualquer coisa
força para o bem – desde que o poder esteja nova seja necessariamente superior a qualquer coisa
em suas mãos. Em nome da liberdade, os antiga. A Mudança é essencial para o corpo social,
revolucionários Franceses e Russos aboliram raciocina o conservador, assim como é essencial ao
as antigas limitações ao poder, mas o poder corpo humano. Um corpo que tenha cessado de se
não pode ser abolido, ele sempre encontra renovar, começou a morrer. Mas para que este corpo
seu caminho para as mãos de alguém. Aquele seja vigoroso, a mudança deve ocorrer de forma
poder que os revolucionários pensavam regular,Opõe-se ao culto ao Progresso, cujos adeptos
opressivo nas mãos do antigo regime tornou- acreditam que qualquer coisa nova seja
se, muitas vezes, tirânico nas mãos dos novos necessariamente superior a qualquer coisa antiga.
controladores radicais do estado.
Mudança é essencial para o corpo social, raciocina o
Conhecendo a natureza humana como sendo conservador, assim como é essencial ao corpo
uma mistura de bem e mal, o conservador humano. Um corpo que tenha cessado de se renovar,
não coloca sua confiança na mera começou a morrer. Mas para que este corpo seja
benevolência. Restrições constitucionais, vigoroso, a mudança deve ocorrer de forma regular,
pesos e contrapesos políticos (divisão de em harmonia com a forma e a natureza daquele corpo.
poderes), cumprimento adequado das leis, a De outra maneira a mudança produz um crescimento
velha intrincada teia de restrições sobre monstruoso, um câncer, que devora seu hospedeiro. O
desejos e apetites – são restrições que os conservador preocupa-se com que nada na sociedade
conservadores aprovam como instrumentos deva ser inteiramente antigo, e que nada deva ser,
de liberdade e ordem. Um governo justo nunca, inteiramente novo. Este é o significado de
mantém uma saudável tensão entre a conservação de uma nação, tanto quanto seja o
afirmação da autoridade e a afirmação da significado de conservação de um organismo vivo.
liberdade. Quanta mudança uma sociedade requer, e que tipo de
mudança, depende das circunstâncias da época e da
Décimo, o pensador conservador entende nação.
que permanência e mudança devem ser Tais, então, são dez princípios que têm amplamente
reconhecidas e reconciliadas numa emergido durante dois séculos de pensamento
sociedade vigorosa. conservador. Outros princípios poderiam ter sido
discutidos aqui: por exemplo, o entendimento
O conservador não se opõe ao conservador de justiça, ou a perspectiva conservadora
aperfeiçoamento social, embora duvide que de educação. Mas tais temas, com o passar do tempo,
haja qualquer força tal como um místico devo deixar para sua própria investigação.
Progresso, com P maiúsculo, em
funcionamento no mundo. Traduzido por Flávio Ghetti – Tradutores de Direita
Por: Luis Dufaur

A Terra ingressou numa mini-era de gelo que poderá durar entre 60 e 80 anos e diminuirá a
temperatura global em 0,2º C, segundo relatório do Instituto de Geofísica da Universidade
Nacional Autônoma de México (UNAM).

O investigador Víctor Manuel Velasco explicou que o fenômeno é causado pela diminuição da
atividade solar, que vem sendo registrada há anos. Velasco estudou os períodos glaciares e
interglaciares da Terra e a variabilidade solar. Os resultados apoiam uma teoria que poderá
quantificar a diminuição da atividade solar e seu impacto na Terra.
“Hipótese alguma sobre mudança climática consegue explicar por que acontecem esses
períodos”, esclareceu ele.

Para o cientista, a diminuição da temperatura global é devida a “um ciclo natural da natureza” já
verificado em outros séculos com lapsos de 120 anos e que depende exclusivamente do sol.
Já em 2010 partes do planeta entraram nessa “mini” era de gelo e “as ondas de neve históricas
que estão acontecendo no mundo são mostra disso”, acrescentou.

Por exemplo, no século VI houve um mínimo de atividade solar conhecida como “mínimo
medieval”.
Posteriormente veio o “período quente medieval”, seguido de mais uma mini era de gelo
no Ancien Regime e um novo período quente que se prolongou até o fim do século XX.
O fenômeno, aliás, é bem conhecido pelos cientistas sérios. Porém, como fere o mito do
“aquecimento global” a mídia e os ativistas alarmistas menosprezavam-no aduzindo ser invenção
de “céticos” pagos pelas multinacionais.

O fracasso da última conferência do IPCC, COP-23 realizada em Bonn, para a aplicação do acordo
de Paris atingido de morte pela saída dos EUA, tornou mais fácil que informações importantes
como as fornecidas, aliás há tempos, pela UNAM, cheguem ao grande público.
Luis Dufaur, escritor, jornalista, conferencista de política internacional, é sócio do IPCO e editor
de diversos blogs, dentre os quais o “Verde, a Cor Nova do Comunismo”. (Mídia sem Máscara)
Definir o que é o conservadorismo não é Para o conservador, a política é apenas um
uma tarefa simples para conservadores nem dos vários instrumentos de exercício do
para os filósofos políticos. Porque conservadorismo, mas está longe de ser o
conservadorismo em si não é uma ideologia, mais nobre ou o mais eficaz. Não é sem
nem uma filosofia e muito menos um razão que o Partido Conservador Inglês
programa de aplicação política. Trata-se, nasce da aversão pela política partidária,
contudo, de um espírito, de uma disposição segundo mostra Roger Scruton no seu
– para usar o termo do filósofo político precioso The Meaning of Conservatism, que
Michael Oakeshott – que se alicerça ou se recomendo vivamente.
manifesta num conjunto de princípios,
valores, hábitos, práticas e ideias que Essas observações são necessárias para
emergem da rica experiência da vida em tentar obter uma resposta à legítima
sociedade, dentro da qual se localiza a pergunta: onde estão os políticos
política. conservadores brasileiros?

Qualificar o conservadorismo como um No entanto, acredito que há uma pergunta


espírito ou como uma disposição é o mais prévia a ser feita: o que é e onde está o
próximo que podemos ter de uma conservadorismo brasileiro? Porque para
concepção abrangente, mas talvez a que uma Margaret Thatcher fosse possível –
imagem mais adequada sobre o que é o e ela é apenas uma dentre tantos políticos
conservadorismo seja a do trimmer, conservadores britânicos – foi preciso,
extraída da terminologia náutica pelo antes, haver um conservadorismo que
Marquês de Halifax. O trimmer, ferramenta conquistasse e influenciasse uma parcela da
responsável por manter o equilíbrio da sociedade.
embarcação quando o seu curso é
ameaçado, serve perfeitamente ao objetivo No Brasil, antes de pensar num político
de Halifax de realçar o exercício suave do conservador é preciso que tenhamos um
conservadorismo, que, no caso da política, pensamento conservador que possa
não muda de posição com o advento das influenciar culturalmente a sociedade. Só
modas ideológicas e se caracteriza pela depois disso é que será possível esperar o
reação às ameaças de alterações radicais ou surgimento de uma elite política apta a
mudanças que provoquem sofrimento e que defender princípios e valores
rompam aquela ligação de familiaridade que conservadores. A batalha, antes de ser
o indivíduo tem com o presente e com política e econômica, é cultural.
aquilo que possui.
Se a política conservadora vier antes do
conservadorismo poderá acontecer o que
um conservador britânico rejeitaria de
forma absoluta: a criação artificial de um
estímulo conservador pelo exercício
centralizado da política partidária. Isso seria
uma forma rápida de destruir o que esse
mesmo conservador preza: uma sociedade
na qual a família, a liberdade, a propriedade
e a ordem seriam preservadas porque
garantem seus modos de vida, sua tradição
e a busca livre pela prosperidade.

Bruno Garschagen é cientista político pelo


Instituto de Estudos Políticos da
Universidade Católica de Lisboa e
University of Oxford, e podcaster do
Instituto Ludwig von Mises.

Publicado na revista Vila Nova. Uma obra fundamental para o momento que
vive-o-país. 
Midiasemmascara.org Por qual razão nós brasileiros, apesar de não
confiarmos nos políticos, a quem dedicamos
insultos dos mais criativos e variados,
pedimos que o governo intervenha sempre
que surgem problemas? Por que vamos para
as ruas protestar contra os políticos e ao
mesmo tempo pedir mais Estado – como se
este não fosse gerido pelos... políticos?

Uma Obra Grandiosa, que fará você ver o


Estado com outros olhos.

Imagem da Internet – Cultura e Política (Guerra Cultural)


ARTIGOS

Perdendo a Guerra
Cultural
(Fim da Esquerda?)
Por Olavo de Carvalho

“Cultura é o novo nome da propaganda”,


explicava o crítico literário português
Fernando Alves Cristóvão. Bem, quando
ele disse isso, o nome não era tão novo
assim. Fazia quase setenta anos que os
comunistas haviam reduzido a cultura a
instrumento de propaganda e
manipulação, rejeitando todos os seus
demais usos e significados como
superfetações burguesas puníveis,
eventualmente, com pena de prisão. A
novidade, nos anos 90, era que esse
conceito havia se universalizado,
tornando-se regra usual em círculos que
antes o teriam desprezado como mero
sintoma da barbárie comunista. A
expressão mais visível desse fenômeno é
a mudança drástica do sentido do título
de “intelectual”, hoje conferido
automaticamente a qualquer um que
engrosse por escrito alguma campanha
de propaganda político-ideológica,
mesmo que o faça em termos
intelectualmente desprezíveis e numa
linguagem de ginasiano relapso.

O plano de colocar o sr. Lula na


Academia Brasileira de Letras, lançado
anos atrás pelo falecido cientista político
Raymundo Faoro, não foi levado adiante,
mas já era um sinal visível de que a
acepção elasticamente gramsciana do
termo “intelectual” se tornara moeda
corrente fora dos meios comunistas
estritos.  Mais ou menos na mesma
ocasião, o sr. William Lima da Silva, líder
do Comando Vermelho, por ter escrito
um livro de memórias onde alegava que
bandidos eram os outros, recebia
tratamento de autor respeitável em
plena Associação Brasileira de Imprensa,
enquanto na Folha de São Paulo a
jornalista Marilene Felinto dava estatuto
de filósofo ao estuprador e assassino
Marcinho VP, que salvo engano tinha
também olhos verdes.

Olavo de Carvalho
ARTIGOS

Imagem da Internet - Ilustração: Socialismo

O silogismo aí subentendido fundia Herbert criancinhas porque preferem vendê-las sob a


Marcuse e Antonio Gramsci. O primeiro dizia forma de salsichas, estavam tão preocupadas
que os bandidos eram revolucionários. com a sua sobrevivência imediata que mal
O segundo, que os revolucionários eram tinham tempo de pensar em outra coisa. Seu
intelectuais. Logo, os bandidos eram conservadorismo – ou liberalismo – foi assim
intelectuais. A ABI e a Folha não eram reduzido à sua expressão mais frugal, ascética e
instituições formalmente comunistas. Apenas descarnada: a defesa pura e simples do livre
tinham-se deixado dominar pela mentalidade mercado, tomado como se fosse uma realidade
comunista ao ponto de obedecer os seus em si e separado das condições civilizacionais e
mandamentos sem ter de aderir culturais que o tornam possível.
conscientemente à sua proposta política.
O primado do econômico, adotado inicialmente
Mas o pior veio uns anos depois, quando a por mera urgência prática, acabou adquirindo,
redução da cultura à propaganda começou a por força do hábito, o estatuto de uma verdade
parecer natural e desejável aos olhos dos axiomática, da qual se deduziam as conclusões
conservadores — ou “liberais”, como são mais estapafúrdias e perigosas. Talvez a pior
chamados usualmente no Brasil (mais uma delas fosse a de que o progresso econômico é a
curiosa inversão numa república onde tudo melhor vacina contra as revoluções sociais. O
cresce de cabeça para baixo, como as bananas). fato de que jamais tivesse acontecido uma
Aconteceu que o conservadorismo brasileiro foi, revolução social em país de economia declinante
em essência, uma criação de pequenos não abalava em nada o otimismo progressista
empresários. Essas pobres criaturas, acossadas daqueles risonhos empreendedores, que
pelo fisco, pelas leis trabalhistas, pela julgavam o estado geral da nação pelo balancete
concorrência das multinacionais e pela crença de suas respectivas empresas e se julgavam
estatal de que os capitalistas só não comem ... tremendamente realistas por isso.
Nem os demovia da sua crença a obviedade
histórica, já reconhecida pelos próprios
marxistas, de que a classe revolucionária não se
forma entre os proletários ou camponeses,
muito menos entre os miseráveis e
desempregados, mas entre as massas afluentes
de classe média alimentadas de doutrina
comunista nas universidades.

De outro lado, aconteceu que os liberais, ao


mesmo tempo que se inchavam de entusiasmo
ante a modesta recuperação econômica do país,
eram cada vez mais excluídos da representação
política. As eleições presidenciais de 2002
ofereceram à escolha do eleitorado quatro
candidatos esquerdistas, dos quais nenhum, ao
longo de toda a campanha, disse uma só palavra
em favor da livre empresa. Nos anos
subseqüentes, o partido nominalmente liberal –
PFL – adaptou-se às circunstâncias aceitando
sua condição de mero coadjuvante da Imagem da Internet
esquerda light , mudou de nome para ficar
Artigo Publicado Primeiramente em: Diário do Comércio
parecido com o Partido Democrata americano
por Olavo de Carvalho.
(o partido preferido de Hugo Chávez e Fidel
Castro) e nem mesmo resmungou quando foi
declarado, pelo presidente petista reeleito, “um
partido sem perspectiva de poder”. liberais não se interessavam pela luta cultural,
continuou desfrutando do prestígio inalterado de
Condenados à marginalidade política, mas ao suprema autoridade intelectual no país, sem sofrer
mesmo tempo anestesiados pelos sinais nenhum abalo mais forte desde a publicação do meu
crescentes de recuperação da economia livro “O Imbecil Coletivo” (1996).
capitalista no país, os liberais apegaram-se mais
ainda ao seu economicismo, desistindo do Nunca, como ao longo das últimas décadas, o
combate nos demais fronts , quando não esquerdismo esteve tão fraco intelectualmente: um
aderindo ao programa esquerdista em todos os ataque maciço a esse flanco teria quebrado a
pontos sem relevância econômica imediata, máquina de doutrinação esquerdista nas
como o gayzismo, o abortismo, as quotas raciais universidades e na mídia, destruindo no berço a
e o anticristianismo militante, na esperança militância em formação e mudando o curso das
louca de concorrer com a esquerda no seu eleições subseqüentes. Mil vezes tentei mostrar isso
próprio campo, sem perceber que com isso aos liberais, mas eles só davam ouvidos a quem
concediam ao adversário o monopólio da falasse em PNB e investimentos. Trancaram-se na
propaganda ideológica e se transformavam em sua torre-de-marfim economicista e lá se encontram
dóceis instrumentos da “revolução cultural” até hoje, perdendo mais terreno para os esquerdistas
gramsciana. a cada dia que passa e conformando-se com sua
condição de forças auxiliares, destinadas fatalmente
É compreensível que, nessas condições, toda a a tornar-se cada vez mais desnecessárias à medida
atividade mental da “direita” brasileira acabasse que a esquerda não-petista acumule vitórias contra
se reduzindo às análises econômicas e à o partido governante.
propaganda de um produto único – o livre Fora dos círculos do liberalismo oficial, noto com
mercado –, perdendo toda relevância no debate satisfação algumas iniciativas novas destinadas a
cultural e rebaixando-se ao ponto de passar a formar uma intelectualidade conservadora e liberal
aceitar como “intelectual representativo” apta a oferecer uma resistência séria à “revolução
qualquer moleque idiota capaz de dizer duas ou cultural”. Essas iniciativas partem de estudantes, de
três palavrinhas contra a intervenção estatal no intelectuais isolados, e não têm nenhum apoio nem
mercado. Ironicamente, a esquerda, no mesmo dos partidos “de direita”, nem muito menos do
período, decaiu intelectualmente ao ponto de empresariado. Mas é delas que dependerá o futuro
raiar a barbárie pura e simples, mas, como os do país, se algum houver.
liberais
Porque o Marxismo
odeia o Cristianismo?
O marxismo autêntico sempre odiou e sempre
odiará o cristianismo autêntico. Se não puder
pervertê-lo, então terá que matá-lo. Sempre foi
assim e sempre será assim.

E por que essa oposição manifestada ao 


cristianismo por parte do marxismo? Por que o
ódio filosófico, a política anticristã, a ação
assassina direcionada aos cristãos? Por que o
país número um em perseguição ao
cristianismo não é muçulmano e sim a
comunista Coréia do Norte?

As pessoas se iludem quando pensam no


Baixe Gratuitamente a Revista Cristã
marxismo como doutrina econômica ou
política. Economia e política são meros pontos.
Marx não acreditava ter apenas as resposta para não os novos céus e a nova terra criados por Deus,
os problemas econômicos. Acreditava ter todas mas o mundo comunista futuro, onde o Estado
as respostas para todos os problemas. desaparecerá, as injustiças desaparecerão e todo
conflito se transformará em harmonia.
Marxismo na verdade é uma crença, uma visão Está é  a fé marxista, um evangelho que não admite
de mundo, uma fé. O socialismo nada mais é do rival, pois assim como dois corpos não ocupam o
que a aplicação dessa fé por um governo mesmo espaço, duas  crenças igualmente salvadoras
totalitário. O comunismo, por sua vez, é apenas não podem ocupar o mesmo mundo, segundo o
a escatologia marxista, o suposto mundo marxismo real.
paradisíaco que brotaria de suas profecias.
Sim, o comunismo de Marx era um evangelho, a
E esta fé não apresenta o caráter relativista de salvação para todos os conflitos da existência, fosse o
um hinduísmo ou de um budismo. Tendo conflito entre homem e homem, homem e natureza,
nascido dos pressupostos cristãos, o marxismo nações e nações. Assim lemos em seus Manuscritos
roubou seus absolutos e se apresenta como a de Paris:
verdade absoluta, como o único caminho para
redenção da humanidade. E ainda que tenha se “O comunismo é a abolição positiva da propriedade
apossado dos pressupostos cristãos, inverteu privada e por conseguinte da auto-alienação humana
tais pressupostos tornando-se uma heresia e, portanto, a reapropriação real da essência humana
anticristã. pelo e para o homem… É a solução genuína do
antagonismo entre homem e natureza e entre
No lugar do teísmo o ateísmo, no lugar da homem e homem. Ele é a solução verdadeira da luta
Providência Divina o materialismo dialético. Ao entre existência e essência, entre objetivação e auto-
invés de um ser criado à imagem e semelhança afirmação, entre liberdade e necessidade, entre
de Deus, um primata evoluído cuja essência é o indivíduo e espécie. É a solução do enigma da história
trabalho, o homo economicus. O pecado é a e sabe que há de ser esta solução”.
propriedade privada, o efeito do pecado,
simplesmente a opressão social. O instrumento Texto de Eguinaldo Hélio Souza – Veja completo na
coletivo para aplicar a redenção não é a Igreja, revista O Cristão Erudito (Marxismo Cultural)
mas o proletariado, que através da ditadura de
um Estado “redentor” conduziria o mundo a
uma sociedade sem classes. E o resultado seria