Você está na página 1de 18

AVISOS LEGAIS

REDISTRIBUIÇÃO
Você concorda que não irá copiar, redistribuir ou explorar
comercialmente qualquer parte deste documento sem a
permissão expressa da autora.

AUTORIA
Isadora Araújo

EDIÇÃO
Horecio Araújo Dias
[ SOBRE A AUTORA
Olá! Meu nome é Isadora Araújo, trabalho como Doula a cerca
de 3 anos, sou apaixonada por nascimentos com respeito
Também sou consultora de Amamentação e Plano de
Parto, defensora do Aleitamento Materno Exclusivo e prolongado,
parto humanizado e criação com apego.

Sempre fui muito apaixonada por bebês e crianças, quando era


criança tratava minhas bonecas, que eram muitas, com muito
amor e ternura, eu já sabia o que era ternura.

Conforme fui crescendo, quando tinha por volta de 9 a 10 anos


percebi que gostava da área de biológicas, (sempre fui precoce,
esperta e curiosa) e desde muito cedo decidi que seria
profissional da saúde.
Cursei alguns períodos de enfermagem, planejando ser
neonatalogista ou obstetra, até presenciar um aborto espontâneo
e aí descobri que não tinha psicológico para isso, foi quando
tranquei a faculdade e fiquei um ano parada.
E foi nesse 1 ano que além do curso de Doula iniciei a graduação
em Fisioterapia. Nessa virada da minha vida o assunto principal é:
“O EMPODERAMENTO FEMININO NO PARTO!”
Que nada mais é que a retomada do poder de escolha e decisão
para a mulher durante a gestação, por que não em todas as áreas
da sua vida.

Isso é o que está na mente das pessoas quando o assunto é


parto normal.E causa medo, angústia, incertezas. E eu trabalho
nessa área desmitificando todos esses pontos através da
SOBRE A AUTORA ]
medicina baseada em evidências!
E o que fez eu querer ser DOULA? Então, quando teve o estouro
do parto humanizado mais que rapidamente eu procurei me
atualizar sobre o assunto então descobri uma função no cenário
do parto que acolhe, assegura e consola essa mulher que está
passando pelo momento mais especial da vida dela.

E proporcionar toda essa segurança é um privilégio, me apaixonei


por essa profissão e não pensei duas vezes antes de entrar nesse
barco.

Você conheceu um pouco da minha história, agora vou te ajudar


a conhecer mais sobre você, sim, você mesmo. Nessa série
de 10 métodos você aprenderá as melhores técnicas para ter
um ótimo trabalho de parto.
Ao aprender essas técnicas você também conhecerá mais sobre
você testando cada método e descobrindo as reações do seu
corpo, assim você pode escolher o que melhor te satisfaz.
[ INTRODUÇÃO
Eu quero compartilhar com você alguns métodos que aliviam a
dor das contrações e que ajudam na evolução do trabalho de
parto, mas para conversar sobre parto primeiramente temos
que entender quando foi que ele deixou de ser normal.

Antes o parto era um evento familiar, a mulher estava em um


ambiente completamente aconchegante com pessoas
conhecida que traziam segurança a essa mulher. Até que o
parto se torna um evento hospitalar tratado como algo que
trazia risco a mãe ou ao bebê.

Estar em um lugar desconhecido que na maioria das vezes nos


traz lembranças de doença, com pessoas desconhecidas
aumentam a tensão e a insegurança, a dor está intimamente
ligada a tensão. A partir daí a dor passou a ser supervalorizada
e se tornou um dos maiores vilões do parto normal,um
verdadeiro empecilho.

Por volta da década de 70 a assistência à mulher em trabalho


de parto permanece como objeto de grande medicalização e,
embora, a hospitalização tenha representado uma significativa
queda da mortalidade materna e neonatal, o cenário de
nascimento transformou-se muito rápido, tornando-se
desconhecido para as mulheres e mais conveniente e asséptico
para os profissionais de saúde, de acordo com o Ministério da
Saúde, 2001.

Com isso a parturiente parece encontrar-se cada vez mais


afastada da sua condição de protagonista do parto.
O trabalho de parto é o momento mais esperado da gestante,
pode acontecer a partir da 37ª semana de gestação. É dividido
em quatro fases: fase latente do trabalho de parto, onde há
contrações irregulares e com pouca duração e dilatação de um
centímetro a quatro centímetros, fase ativa quando as
contrações diminuem o intervalo de tempo e aumenta a duração,
dilatação acima de cinco centímetros, quando há sinais de puxos
(vontade de fazer força) começa a fase expulsiva sendo possível
enxergar a cabeça do bebê, após o nascimento começa a última
fase, a dequitação da placenta.

Esse processo se dá devido a liberação da ocitocina que estimula


as contrações para a saída do bebê e esse processo é bastante
conhecido pela dor. A dor durante o trabalho de parto é uma
resposta do nosso organismo, complexa, subjetiva aos
estímulos gerados principalmente pela contração uterina.

As outras causas fisiológicas da dor são as contrações da


musculatura uterina, o alongamento cervical, vaginal e perineal
durante o período expulsivo, o estresse e a baixa à e tolerância a
dor. O medo e a insegurança na gestante desencadeiam a
liberação de adrenalina que acaba inibindo a liberação de
ocitocina, fazendo com que o trabalho de parto seja mais
doloroso e duradouro.

A possibilidade da dor no parto faz com que algumas mulheres


optem por uma cirurgia, talvez porque a ênfase cultural da dor do
parto natural é maior e mais difundida do que a dor da cesárea.
O medo da dor ganha força e legitimidade através da
medicalização ou dos métodos farmacológicos de alívio da dor,
pois a cesárea nos é apresentada como segura, e desvinculada
da dor.
INTRODUÇÃO ]
O que não é verdade visto que o pós-operatório causa muita dor.

Muito bem, eu já disse que o medo da dor e a insegurança


inibem a evolução do trabalho de parto e o uso de fármacos
(remédios) para o alívio da dor também, porém existem
métodos não farmacológicos (sem o uso de remédios)
de alívio da dor que além de diminuir a sensação de dor,
ajudam a evolução do trabalho de parto e melhora a
dilatação do colo uterino consideravelmente.
E existem métodos que podem ser realizados por profissionais
especializados e métodos que podem ser realizados
por qualquer pessoa. Vamos lá!
[ 1. Visualização
A visualização nada mais é que imaginar e meditar sobre o que
está acontecendo com seu corpo. Quando a contração vier, a
respire, imagine o útero empurraaando o bebê, imagine o bebê
encaixaaando mais e descendo.

Estudos comprovam que a visualização diminui a ansiedade e


consequentemente a sensação de dor. Por meio desse
comportamento você tem a possibilidade de ajustar-se
construtivamente ao que está acontecendo em seu corpo.

[ 2. Respiração
A respiração é essencial para a vida. É algo que fazemos
inconscientemente, mas se eu te perguntar como devemos
respirar você saberia responder?

Do mesmo modo que nossas emoções afetam nossa respiração


a respiração também afetam nossas emoções, o ditado “respira
e conta até 10 para se acalmar” tem seu fundinho de verdade.

Existem três tipos respiração, a respiração torácica, quando você


“enche o peito”, a respiração abdominal, quando estufa a barriga
e a mista, que mistura as duas. Se o seu objetivo for diminuir a
sensação da dor o ideal é a respiração torácica, porque quando
você enche o peito você tira a pressão do fundo do útero e
diminui a dor, indicada para o período das contrações.

E se o seu objetivo for relaxar, o ideal é a respiração abdominal,


pois é uma respiração tão profunda e promove relaxamento,

Isadora Araújo - Todos os Direitos Reservados


indicada para o período entre as contrações. É necessário ter
concentração. E por falar em concentração, existem duas
técnicas que trabalham corpo e mente para te preparar para o
parto e trabalhar sua respiração.

A meditação e yoga mantém baixo o nível de ansiedade e


estresse, reduzindo indiretamente a percepção da dor e o
desconforto.

[ 3. Apoio
O apoio é um método de alívio da dor bastante eficiente. Ele
consiste em ter ao seu lado pessoas que concordem com seu
sonho de parir, pessoas que te conforte e te fale palavras de
ânimo.

Ter apoio é essencial, pois durante as fases do trabalho de parto


passamos por momentos em que duvidamos da nossa
capacidade e força e é nesse momento que precisamos ter
pessoas que acreditam e torcem pela realização desse sonho.

[ 4. Ambiente Tranquilo
A permanência em ambientes conhecidos, familiares,
aconchegantes contribuem para uma boa evolução do trabalho
de parto, estar onde você se sente confortável é essencial para o
alívio da dor.

A explicação é simples: quando você está num lugar


desconhecido ou num lugar que remete a “algo errado”, como
um hospital, aumenta o estresse,adrenalina e prejudica a

Isadora Araújo - Todos os Direitos Reservados


liberação de hormônios necessários para a boa evolução do
trabalho de parto.

ht ps:/ youtu.be/lrqYegWPItw Nesse vídeo eu falo mais sobre estes


4 primeiros métodos, aproveite!
Acesse: isadoula.com.br/naoFarmaco1

Isadora Araújo - Todos os Direitos Reservados


[ 5. Deambulação e Liberdade de Posição
A posição vertical tem sido destacada na assistência ao parto
humanizado por ajudar a progressão do trabalho de parto, pois
promove a circulação uterina e permite que as fibras musculares
cumpram sua função contrátil de uma forma mais eficiente, o
resultado é uma duração de trabalho de parto menor.

A deambulação, ou seja, a caminhada, está associada a um


índice reduzido de cesariana e ao uso menos freqüente de
medicamentos analgésicos, porque diminui a sensação de dor.

A utilização da bola suíça, de cordas e de outros dispositivos que


permitem a balancear da pélvis são alguns dos recursos que
contribuem para diminuir a dor e aumentar a sensação de
conforto. É fundamental que você tenha plena liberdade para
escolher seus movimentos e posturas.

[ 6. Massagem
A massagem pode proporcionar um efeito suavizador tremendo
ao liberar hormônios analgésicos e relaxantes. São diversos os
tipos de massagens que podem ser realizados para o alívio da
dor durante o trabalho de parto e parto, a massagem pode ser
pélvica, em pontos de acupuntura, feita com gelo, compressas
quentes ou óleos essenciais.

Estudos demonstram que a prática de massagens manuais,


através do uso de bola de tênis, automassagem e massagens
praticadas pelo acompanhantes favorece a consciência corporal
e diminui a percepção das tensões. O toque engana nossos

Isadora Araújo - Todos os Direitos Reservados


receptores nervosos de dor, minimizando o desconforto
provocado pela dor da contração.

ht ps:/ youtu.be/QcS4laKRSbQ
Nesse vídeo falo sobre os métodos 5 e 6, além de
um Método Bônus, o Escalda Pés, aproveite!
Acesse: isadoula.com.br/naoFarmaco2

Isadora Araújo - Todos os Direitos Reservados


[ 7. Crioterapia
Crioterapia é a terapia usando gelo. O gelo tem a capacidade de
diminuir a velocidade dos nossos impulsos elétricos, sendo
assim ele diminui a resposta a dor, ele
“anestesia” a região onde está sendo aplicado
por algum tempo.

O gelo pode ser colocado na região lombar,


região onde começa a dor da contração.

[ 8. Eletro Estimulação Transcutânea


Trata-se de um método comprovadamente seguro, de baixo
custo e isento de efeitos colaterais materno-fetais. A técnica
consiste em administrar impulsos elétricos de baixa voltagem.

A estimulação elétrica transcutânea consiste em um método


para alívio da dor, justificando a redução do uso de
medicamentos analgésicos durante o trabalho de parto. Embora
possa ser aplicada a qualquer momento durante o trabalho de
parto, a eletroestimulação é mais efetiva em fases iniciais.

ATENÇÃO!
Não é recomendada a utilização desse método a partir de 4 cm
de dilatação pelo Ministério da Saúde, de acordo com as
Diretrizes Nacionais de Assistência ao Parto Normal, 2017.

Isadora Araújo - Todos os Direitos Reservados


[ 9. Hidroterapia
A hidroterapia refere-se ao banho e banheira, piscina ou de
chuveiro. É considerada uma alternativa para o seu conforto em
trabalho de parto, já que oferece alívio sem prejudicar a
progressão do parto e sem trazer prejuízos ao recém-nascido. É
apontada como uma medida não farmacológica, na qual você
imerge em água morna para relaxamento e alívio de desconforto.

Ao entrar na água aquecida, o calor e a flutuação ajudam a liberar


a tensão muscular e podem conferir uma sensação de bem-estar.
A água quente proporciona uma estimulação confortante aos
nervos da pele, o que promove vasodilatação, reversão da
resposta nervosa simpática e redução de catecolaminas. Em
geral, as contrações são menos dolorosas na água aquecida,
porque o calor e a água apresentam efeito relaxante.

A hidroterapia no chuveiro pode ser usada em associação com a


bola de pilates, assentando a parturiente sobre a mesma,
deixando água em temperatura ambiente cair sobre os locais
dolorosos durante as contrações.

Existem muitas opções de hidroterapia, desde banheiras comuns


até banheira de hidromassagem e chuveiros, combinados com
pouca iluminação e associados com outros métodos como a
bola de pilates e a música.

A recomendação para iniciar a hidroterapia é que você esteja em


trabalho de parto estabelecido (maior que 4 cm de dilatação)
para evitar a desaceleração das contrações de trabalho de parto
causada por relaxamento muscular. A temperatura da água não
deve ser maior que a temperatura corporal.

Isadora Araújo - Todos os Direitos Reservados


ht ps:/ youtu.be/8NVwJkVK6Ww
Nesse vídeo falo mais sobre os Métodos
7, 8 e 9, aproveite!
Acesse: isadoula.com.br/naoFarmaco3

Isadora Araújo - Todos os Direitos Reservados


[ 10. Aromaterapia
A aromaterapia é feita a partir de essências e/ou óleos essenciais
que transmitem calma, suavidade e tranquilidade. Os aroma
atuam necessariamente no sistema olfativo, quando entramos
em contato com esse métodos,nosso cérebro interpreta esse
cheirinho gostoso como um ambiente aconchegante, tranquilo e
calmo, fazendo com que nosso corpo também interprete dessa
forma.

Os aromas mais utilizados são de lavanda e jasmim, também


tem aromas para dar força e aumentar a intensidade da
contração, quando há necessidade, o aroma utilizado é de sálvia
esclaréia.

ht ps:/ youtu.be/6JyCOiKGwtM
Nesse vídeo falo mais sobre o Método 10
e mais 2 outros (Acupuntura e
Cromoterapia), aproveite!
Acesse: isadoula.com.br/naoFarmaco4

Isadora Araújo - Todos os Direitos Reservados


[ Conclusão
Depois de 10 Métodos + 3 bônus você fica mais perto de um
Parto mais confortável e respeitoso. As técnicas ensinadas aqui
podem ser realizadas durante o seu trabalho de parto e durante
sua gestação, visando sempre seu conforto e relaxamento.
Investir em você e na sua gestação é um diferencial incrível que
melhora sua satisfação com a gestação e com o parto.

Que você possa aproveitar esse momento para se autoconhecer,


relaxar, fortalecer laço entre você, seu bebê e sua família.
Use, abuse e aproveite ao máximo cada um desses métodos
ensinados aqui, não esqueça de assistir os vídeos e me seguir
nas redes sociais.

Ah! Se você tiver alguma dúvida ou quiser compartilhar alguma


experiência comigo, terei muito prazer em falar contigo e tirar
todas as suas dúvidas!

http:/ isadoula.com.br/fale-comigo/
http://isadoula.com.br/fale-comigo/
Fale comigo: isadoula.com.br/fale-comigo

Isadora Araújo - Todos os Direitos Reservados