Você está na página 1de 2

Para que serve a música?

– Super Interessante

O texto é uma reportagem da revista Super Interessante que mostra o


quanto a música está presente no cotidiano de todo mundo e no quanto ela nos
é útil, desde fazer uso para relaxamento, divertimento, passa tempo, como para
concentração e memorização. Além disso, em como a música é usada para
expressar algum sentimento que muitas vezes as palavras não podem
descrever.

O autor também expressa, de forma bem simples, argumentos que


mostram o quanto a música foi fundamental para a evolução dos seres humanos
desde milhares de anos atrás.

Segundo o autor, existem indícios de que a música esteve presente


durante toda a evolução dos seres humanos a milhares de anos, desde muito
antes do homo sapiens. Indícios esses são encontrados em forma de fosseis de
ossos com furos, que os pesquisadores acreditam ser de instrumentos musicais
que nossos antepassados usavam.

Apesar de conter algumas divergências nos anos informados pelo autor,


é um fato bem interessante, tendo em vista que o texto transmite informações de
forma rasa para um público do tipo “curioso”, e não sendo um texto de cunho
acadêmico.

O texto entra com questões que são a base para o todo o resto do
conteúdo abordado: “Será que apenas uma forma de divertimento e prazer? Ou
será que um meio de comunicação e organização? ”

Charles Darwin acredita que a música tenha uma função biológica, ou


seja, que a função principal da música era para o acasalamento entre os seres
humanos. Um homem que soubesse cantar podia atrair mais mulheres para si.
Mas essa teoria parece apresentar falhas, pois na prática hoje em dia, apesar de
se encontrar muitos cantores famosos com várias mulheres querendo estar ao
seu lado, o motivo não necessariamente é por saber cantar, e talvez sim, por sua
fama, seu carisma, entre outros. Outros pesquisadores sugerem que a música a
milhares de anos atrás era usada para rituais com o objetivo para se preparar
para caçar ou para amenizar conflitos.

Além das funções que a música desempenhou e vem desempenhando


até hoje, seja com intuito de acasalamento, comunicação ou expressar algum
sentimento, foi descoberto que a música tem papel fundamental na memória e
na inteligência.

Para a memória, a música é usada simplesmente como uma forma de


memorizar algum conteúdo específico (como por exemplo, expressões
matemáticas, fórmulas de física, nomes, etc), usando letras, ritmos e rimas que
ajudam a lembrar no momento em que precisa. Outra forma que a música
trabalha com a memória, é relacionado a algum acontecimento do nosso
passado. Quem nunca ouviu uma música que a tempos não ouvia e ela trouxe
uma lembrança da época em que ouvia ela com mais frequência? A música faz
brotar lá no fundo de nossa memória tanto a lembrança como o sentimento que
sentia naquele momento.

Na medicina também foi descoberto que a música possui papel


importante, e muitas vezes, essencial. A música hoje em dia está sendo muito
usada como tratamento para Parkinson e Alzheimer. Para o Parkinson, o
neurologista Oliver Sacks percebeu que em casos de crise, ao colocar uma
música, os sintomas do paciente diminuíam. Infelizmente são melhoras
temporárias, pois, segundo o autor, ao tirar a música o paciente volta ao seu
estado de infelicidade.

Isso ocorre, pois, a música nos faz atingir um estado que é diferente do
habitual, trazendo também novos padrões de pensamentos e novas sensações,
mas quando se para de ouvir a música, aos poucos, os velhos padrões de
pensamentos começam a tomar conta da mente e voltando também os velhos
hábitos.

Como se trata de um texto voltado para um público mais leigo no assunto


e/ou que tenha apenas curiosidade para entender a função da música, o autor
trata das questões de forma bem resumida e concisa, trazendo informações
chaves para um entendimento prévio sobre o assunto.