Você está na página 1de 6

See discussions, stats, and author profiles for this publication at: https://www.researchgate.

net/publication/267222966

ESPECTROSCOPIA MOLECULAR

Article

CITATIONS READS

0 2,160

1 author:

Petrus Alcantara Jr.


Federal University of Pará
31 PUBLICATIONS   257 CITATIONS   

SEE PROFILE

All content following this page was uploaded by Petrus Alcantara Jr. on 25 June 2015.

The user has requested enhancement of the downloaded file.


Universidade Federal do Pará, Centro de Ciências Exatas e Naturais, Departamento de Física

Curso Física Moderna II, Março 2002

ESPECTROSCOPIA MOLECULAR

Petrus Alcantara Jr.+


Departamento de Física, Universidade Federal do Pará

Resumo: Espectroscopia usando radiação eletromagnética em todas as regiões de comprimentos de


onda é a mais importante fonte de informação experimental para a física de átomos e moléculas. Aqui é
dada uma classificação dos métodos espectroscópicos de acordo com a região espectral estudada, útil
para se obter a informação desejada. São revistas também as principais unidades de medidas em
espectroscopia de moléculas e a classificação das transições possíveis de serem observadas e,
finalmente, uma descrição dos métodos experimentais mais usuais empregados no estudo da estrutura
atômica e/ou molecular da matéria em seus estados sólido, líquido e gasoso.

Introdução: acerca de processos de colisão e potenciais


interatômicos. Os efeitos de desdobramento Stark
Os métodos experimentais em espectroscopia e Zeeman por campos elétricos e magnéticos
oferecem contribuições notáveis para estado da externos são importantes para medir momentos de
arte da física atômica e molecular, da química e dipolo elétricos ou magnéticos, e esclarecem o
da biologia molecular. Muito do nosso atual acoplamento dos diferentes momentos angulares
conhecimento acerca da estrutura da matéria é em átomos ou moléculas, mesmo com
baseado em investigações espectroscópicas. configurações eletrônicas complexas. A estrutura
Informações sobre a estrutura molecular e sobre hiperfina de linhas espectrais dá informação sobre
a interação de moléculas com seus vizinhos a interação entre os núcleos e a nuvem eletrônica
podem ser derivadas de diversos modos a partir e permite determinar, também, momentos de
dos espectros de emissão e/ou absorção dipolo magnético nuclear ou momentos de
gerados quando a radiação interage com os quadrupolo elétrico. Medidas resolvidas no tempo
átomos e/ou moléculas da matéria. permitem o acompanhamento da dinâmica das
moléculas nos estados fundamentais e excitados,
Medidas do comprimento de onda de linhas para estudos de processos de colisão e
espectrais permitem a determinação de níveis de mecanismos de transferência de energia.
energia de sistemas atômicos e moleculares. A
intensidade da linha é proporcional à Estes são alguns exemplos das formas pelas
probabilidade de transição que mede quão quais a espectroscopia contribui para o
fortemente dois níveis de uma transição conhecimento do mundo sub-microscópico dos
molecular (ou atômica) estão acoplados. Uma átomos e das moléculas. Contudo, a quantidade
vez que a probabilidade de transição depende de informação que pode ser extraída de um
das funções de onda de ambos os níveis de espectro depende essencialmente do tipo de fonte
energia, medidas de intensidade são úteis para de radiação usado para “iluminar” as amostras, se
verificar a distribuição espacial de cargas dos coerente (laser) ou incoerente; da resolução
elétrons excitados, a qual pode ser estimada a temporal ou espectral dos instrumentos de
partir de soluções aproximadas da equação de dispersão usados e, finalmente, da sensibilidade
Schrödinger. de detecção que pode ser atingida [1].

A largura natural de uma linha espectral pode ser


resolvida por técnicas especiais, permitindo Espectro de radiações e unidades
determinar os tempos de vida médios de estados espectroscópicas:
moleculares excitados. Medidas da largura
Doppler dão a distribuição de velocidades das O espectro de radiações eletromagnéticas
moléculas emitindo ou absorvendo e, com ela, a estende-se, em ordem crescente de energia, das
temperatura da amostra. Do alargamento por ondas de rádio, com longos comprimentos de
3 0
pressão e deslocamentos por pressão de linhas onda (10 - 10 m), até radiações de altíssima
espectrais, podem ser obtidas informações energia (raios-X e raios-γ) com comprimentos de

+
e-mail para contato: petrus@ufpa.br
onda muito curtos, entre 10− e 10− m. O
10 15
falando, é incorreta. A unidade de energia, ou
espectro inclui também regiões de radiações número de onda, é definida pela relação
com energias intermediárias, entre microondas e

ν=1=ν =
o ultravioleta de vácuo. Cada uma dessas energia
[cm− ] (1).
1
regiões tem suas formas próprias de serem λ c hc
produzidas e detectadas e não existe uma
interface perfeitamente definida entre regiões Para a unidade de freqüência, temos
adjacentes, sendo o espectro contínuo do ponto
de vista macroscópico. ν = c/λ = energia/h [s − ]
1
(2).
- Microondas são ondas eletromagnéticas com Nas fórmulas (1) e (2) h é a constante de Planck
freqüências na faixa de 1 a 100 GHz. Esta é a igual a 6,626 × 10− J.s
34

região da espectroscopia de ressonância de


spin, e também da espectroscopia rotacional,
especialmente para moléculas pequenas na fase Espectro molecular:
gasosa. O extremo superior desta região já se
sobrepõe com a região espectral do Podemos expressar a energia total de excitação
infravermelho distante (far infra-red = FIR). de uma molécula, com boa aproximação, como a
soma das energias de excitações parciais dos
- O infravermelho se estende do limite superior níveis eletrônico, vibracional e rotacional
da faixa de microondas até o começo da região mencionadas acima:
visível, em um comprimento de onda de cerca de
800 nm. A parte de comprimentos de onda mais E = Eel + Evib + Erot (3),
longos (0,1 - 1mm) é aplicável à excitação de
espectros rotacionais, enquanto a extremidade onde os subscritos el, vib e rot significam
de comprimentos de ondas menores (o eletrônica, vibracional e rotacional,
infravermelho próximo, λ = 10− - 10− mm) é a
3 1
respecti vamente.
região onde espectros vibracionais típicos das
moléculas são observados: os chamados A figura 1 ilustra os níveis vibracionais e
espectros rotacionais-vibracionais. rotacionais em dois estados eletrônicos de uma
molécula, I e II, e as possíveis transições entre
- Transições eletrônicas começam no eles.
infravermelho, contudo elas ocorrem com maior
probabilidade nas regiões visível e UV. Aqui são
observados espectros de banda de moléculas,
no sentido próprio do termo, i. é, espectros
consistindo de transições eletrônicas com
transições vibracionais e rotacionais
superpostas.

- Além da extremidade de comprimentos de onda


curtos do UV, e sobrepondo-se com ela, está a
região dos raios-X e, em seguida, de radiação γ.
Com radiação de tão altas energias, transições e
estados dos elétrons mais internos, aqueles nas
camadas internas do átomo, podem ser
investigados, especialmente por espectroscopia
de fotoelétrons.

Nas diferentes regiões espectrais, e também em


várias disciplinas científicas, uma variedade de
unidades para medidas das freqüências e
comprimentos de onda da radiação está em uso,
por razões práticas. Algumas fórmulas de
conversão importantes para as unidades que
medem energia são [2]:

1 cm− = 29,979 GHz = 1,2398 x 10 − eV


1 4
Fig.1. Níveis vibracionais (v) e rotacionais (J) de dois estados
eletrônicos de uma molécula denotados por I e II. As três setas
1 kcal/kmol = 0,349cm− .
1 indicam (da esquerda para a direita) transições rotacional,
rotacional-vibracional e eletrônica da molécula [Ref. 1].

Medir energias em cm − ou em s− é uma prática


1 1
As transições obedecem a regras de seleção que
conveniente e muito usada, mas, estritamente
satisfazem o princípio de Franck-Condon [3] e
2
podemos distinguir entre três tipos de espectros O espectro de absorção é obtido por comparação
ópticos: da intensidade da luz transmitida com a intensidade
de um feixe de referência que não passa pela
Espectros rotacionais são transições entre os célula cheia; retirando-se a célula de amostra da
níveis rotacionais de um dado nível vibracional passagem da luz a referência é gravada na
em um estado eletrônico particular. Somente o unidade de registro antes de se colocar a amostra
número quântico rotacional J1 muda nessas na célula.
transições. Estes espectros estão na região de
microondas ou no infravermelho distante. Eles
consistem tipicamente de um grande número de
linhas espectrais aproximadamente eqüidistantes.
Os espectros rotacionais também podem ser
observados por meio de espectroscopia Raman.

Espectros rotacionais-vibracionais consistem


de transições dos níveis rotacionais de um certo
estado vibracional para os níveis rotacionais de
um outro estado vibracional no mesmo termo Fig.2.Método tradicional de espectroscopia de absorção.
eletrônico. O estado de excitação eletrônica,
assim, permanece inalterado. Mudam os A figura 3 mostra um espectro de absorção de
números quânticos J e v, onde v caracteriza os radiação UV (230 nm a 330 nm) de soluções
níveis vibracionais quantizados. Estes espectros químicas compostas por ácido hexadecanóico
se encontram na região do infravermelho. Eles (C16H32O2), conhecido como ácido palmítico, um
consistem de um número de "bandas" que são dos componentes majoritários de óleos vegetais,
grupos de linhas estreitamente espaçadas, diluído em hexano a diferentes concentrações. A
denominadas de linhas de banda. Eles podem larga banda de absorção é devida a transições
ser observados com espectroscopia Raman, eletrônicas das moléculas. Nas regiões do UV
assim como espectroscopia infravermelha. próximo é do visível a absorção diminui e começa
a haver transmissão pela amostra. Os estudos
Espectros eletrônicos consistem de transições espectroscópicos realizados até o presente em
entre os níveis rotacionais dos vários níveis óleos vegetais extraídos na Amazônia vêm
vibracionais de um estado eletrônico e os níveis mostrando que eles absorvem fortemente na
rotacionais e vibracionais de um outro estado região do UV [4].
eletrônico. Isto é chamado de sistemas de
bandas. Ele contém todas as bandas 1,5
vibracionais da transição eletrônica em 1,4
1,3
observação, cada uma das quais com sua 1,2
B4: 10, 25, 50
estrutura rotacional. Em geral todos três números 1,1
Absorbance

1,0 B4100 - red


quânticos mudam nessas transições: J e v, e 0,9

mais aquele que caracteriza o estado eletrônico 0,8


0,7

(n, l, m l ou j e mj). 0,6


0,5
0,4
0,3
0,2

Métodos experimentais de espectroscopia de 0,1


0,0
átomos ou moléculas 230 240 250 260 270 280 290 300

Wavelenght / nm

i) Espectroscopia de absorção Fig.3.Espectro de absorção de ácido palmítico diluído em


hexano.
Em espectroscopia de absorção clássica as
fontes de radiação são incoerentes e possuem Uma técnica mais moderna, eficiente e de maior
uma banda de emissão bastante larga. resolução utiliza lasers sintonizáveis como fontes
Lâmpadas de Hg, Xe, etc... são empregadas coerentes de luz que substituem o instrumento de
como fonte de radiação. O procedimento dispersão (espectrômetro ou monocromador). O
experimental para medir os espectros é o coeficiente de absorção e sua dependência em
seguinte (Fig.2): a radiação emitida por uma freqüência são medidos diretamente da diferença
lâmpada passa pela amostra e é focalizada na entre as intensidades da referência e do feixe
entrada de um espectrofotômetro (instrumento transmitido.
dispersor usado para selecionar comprimentos
de onda). A intensidade da luz transmitida é Com lasers sintonizáveis o poder de resolução é
medida em função do comprimento de onda. maior porque é limitado somente pelas larguras de
linha das transições absorvedoras. Usando
técnicas apropriadas pode-se obter resoluções
1 sub-Doppler em amostras de gases moleculares
Alguns textos denotam o número quântico rotacional por r.

3
(espectroscopia de saturação, absorção de dois O primeiro termo comporta-se como um termo de
fótons livre de Doppler, etc..). referência, enquanto o segundo é o termo de
interferência. Flutuações na intensidade em torno
do termo de referência compreendem a
ii) Espectroscopia no infravermelho usando distribuição espectral em função da diferença de
transformada de Fourier caminho (interferograma) dada por

Uma técnica de muita importância no estudo de ∞


sistemas moleculares complexos, a I(x) = ∫ I(k ) cos(kx)dk (7),
espectroscopia por transformada de Fourier 0
representa uma alternativa muito elegante aos
métodos tradicionais de análise de espectros que é a transformada de Fourier do
moleculares na faixa do infravermelho. espectrograma
Empregando um interferômetro tipo Michelson
(Fig.4) como espectrômetro, as vantagens ∞
derivam tanto de uma abertura larga na entrada
do sinal como da presença do espectro inteiro na π ∫
I(k ) = 2 I(x ) cos(kx )dx (8).
0
saída.
O que é importante para aplicação da técnica é
que, variando continuamente a posição do espelho
móvel no interferômetro, o espectrograma é a
transformada de Fourier do interferograma.
Conseqüentemente, a detecção do interferograma
I(x) como função da diferença de caminho óptico,
em um ponto do eixo óptico do sistema, permite
calcular a distribuição de intensidade espectral I(k)
como função do número de onda. A figura 5
mostra, na parte superior, o interferograma e,
Fig.4.Instrumentação típica para espectroscopia IR usando abaixo, o espectro de Fourier, para uma amostra
transformada de Fourier.
molecular complexa (piridina).
Assim o espectrômetro por transformada de
Fourier não é limitado, como os espectrômetros
de prisma e de grade, pela presença de fendas
estreitas que restringem tanto a irradiância como
o intervalo de comprimentos de onda
disponíveis. Além disto, a resolução obtida com
esta técnica é muito alta, limitada apenas pela
largura da janela da entrada (xw) e pela região de
comprimentos de onda em análise, segundo a
expressão

R≡ λ = w
x
(4).
∆λ λ Fig.5.Interferograma e espectro IR de um filme de poliestireno.

Em um interferômetro de Michelson, a distribuição Em princípio uma limitação no uso da técnica FTIR


de intensidades na saída (padrão de interferência) seria que um interferograma verdadeiro está
é dada pela expressão: limitado dentro de um intervalo de amostragem
(comprimento de onda por número de valores
I = 2I0 (1 + coskx) (5), lidos), isto requer a definição do menor valor de
comprimento de onda a ser lido sem erro; mas,
onde k = 2π/λ é o número de onda. Uma vez com o progresso em métodos de processamento
que, do ponto de vista espectroscópico haverá de sinais isto não representa mais um grande
um intervalo contínuo de valores de k na fonte, o obstáculo, pois existem algoritmos próprios que
padrão de interferência pode ser interpretado minimizam essa limitação.
como um grupo de intensidades I(k) por unidade
de k, resultando numa intensidade integrada
sobre todos os números de onda iii) Espectroscopia Raman

∞ ∞ ∞ Uma técnica muito utilizada no estudo da estrutura


I = ∫ I(k)dk = 2 ∫ I 0 (k )dk + 2 ∫ I0 (k ) cos(kx)dk (6). de sistemas moleculares é a espectroscopia
0 0 0 Raman. A nível molecular a radiação pode
interagir com a matéria por processos de absorção

4
ou de espalhamento, e este último pode ser versus o deslocamento Raman em torno de um
elástico ou inelástico. O espalhamento elástico comprimento de onda laser incidente, dá o
de fótons pela matéria é chamado de espectro Raman. Isto pode ser medido, também,
espalhamento Rayleigh, enquanto o diretamente em função do comprimento de onda.
espalhamento inelástico, relatado pela primeira A figura 6 ilustra o espectro Raman de uma
vez em 1928 pelo físico indiano Chandrasekhara amostra de dissulfeto de carbono (CS2) em uma
Vankata Raman, é chamado de espalhamento fibra óptica oca, excitado por um laser de Nd:YAG
Raman. No espalhamento inelástico de luz a em 532nm.
componente de campo elétrico do fóton
espalhado perturba a nuvem eletrônica da
35
molécula e pode ser entendido como um
processo de excitação do sistema para um 30 S R S e m C S2
fibra ∅=50 µm, L=1m
estado “virtual” de energia. 25 E(@532nm) = 60 µ J
∅= 4mm / f= 80mm
Vejamos, em resumo, a descrição do efeito a

ISRS / u.arb.
20

nível molecular: suponhamos que a molécula se 15


encontre em algum estado vibracional, não
10
necessariamente o fundamental, e absorve um
fóton de energia hνi que a excita para um estado 5

intermediário (ou virtual). Imediatamente ela 0


efetua uma transição para um estado de energia 530 540 550 560 570 580 590 600 610 620
λ / nm
mais alta que o estado inicial emitindo
(espalhando) um fóton de energia hνs, de
Fig.6.Espectro Raman mostrando a linha Rayleigh e três
maneira que hν s < hνi. A fim de conservar a modos Raman anti-Stokes em CS 2 excitado a 532nm.
energia, a diferença hνi − hνs = hνcb excita a
molécula para um nível de energia vibracional O alargamento lateral das linhas observado na
mais alto. Se a molécula está inicialmente em um figura 6 é devido a um fenômeno óptico não linear
estado vibracional excitado (o que pode conhecido como efeito Kerr óptico [5].
acontecer, por exemplo, se a amostra está
aquecida), depois de absorver e emitir um fóton, Há uma diferença importante entre os espectros
ela pode decair para um estado de energia mais Raman de gases e líquidos, daqueles obtidos com
baixa Neste caso hνs > hνi significando que sólidos, particularmente cristais. Para gases e
alguma energia vibracional da molécula foi líquidos é significativa a noção dos níveis de
convertida em energia do fóton espalhado, de tal energia vibracionais das moléculas individuais. Os
forma que hν s − hν i = hν ba. materiais cristalinos, por seu lado, se comportam
como se toda a rede cristalina sofresse vibração
produzindo um efeito macroscópico cujos modos
são chamados de fônons.

Referências:

1. W. Demtröder, Laser Spectroscopy: basic


nd
concepts and instrumentation, 2 ed., Springer,
N.Y., 1996.
Fig.5.Esquema dos níveis de energia moleculares nos 2. H. Haken, H. C. Wolf, Molecular Physics and
processos de espalhamento Raman Stokes e anti-Stokes. Elements of Quantum Chemistry, Springer,
Berlin, 1995.
Em ambos os casos a diferença de energia entre 3. R. Eisberg, R. Resnick, Física Quântica, Cap.
os fótons espalhado e incidente é chamada de 11, Campus, RJ, 1979.
deslocamento Raman e corresponde a 4. Dados de pesquisas em execução no Lab. de
diferenças de níveis de energia específicos da Óptica do Departamento de Física, UFPA, sob
amostra em estudo. Dependendo se o sistema os auspícios do Fundo Estadual de Ciência e
perde ou ganha energia de vibração (ou de Tecnologia.
rotação) a freqüência do deslocamento Raman 5. R.R.B. Correia, P.Alcantara Jr., S.L.S.Cunha;
se dá acima e/ou abaixo da energia do fóton Chem. Phys. Lett. 313, 553-558, 1999.
espalhado, em relação ao fóton incidente. As
componentes deslocadas para baixo e para cima
são chamadas de Stokes e anti-Stokes,
respectivamente.

Um gráfico do número de fótons espalhados


detectados (ou da intensidade de luz espalhada)

View publication stats