Você está na página 1de 3

GLICÍDIOS

 São os açucares ou carboidratos (também chamados de hidratos de carbono).


 Constituídos de carbono, hidrogênio e oxigênio.
 Os carboidratos são formados por pequenas moléculas chamadas de monômeros, e quando em grandes quantidades,
formam macromoléculas chamadas de polímeros.
Funções:
 Principal fonte de energia dos seres vivos.
 Função estrutural, como a da celulose, um glicídio que forma a parede das células vegetais e dá sustentação ao
corpo das plantas.
 Como a quitina também, um glicídio que contém átomos de nitrogênio e é o mais importante componente da
parede celular de fungos e exoesqueleto dos artrópodes (insetos, aranhas...)
 Os glicídios fazem parte da estrutura dos ácidos nucleicos (DNA e RNA)
 Presença da ribose, um glicídio, na composição do ATP.
 Propiciam a comunicação celular.

Classificação: Monossacarídeos, Dissacarídeos e Polissacarídeos.

1. Monossacarídeos
 Glicídios mais simples, menores.
 Não é necessário digerir, quando ingeridas.
 Apresentam entre 3 e 7 átomos de carbono na molécula.
 Fórmula: (CH2O)n

Trioses (3 carbonos): C3H6O3


Tetrose (4 carbonos): C4H8O4
Pentoses (5 carbonos): C5H10O5
Hexoses (6 carbonos): C6H12O6
Heptoses (7 carbonos): C7H14O7

 Além dos monossacarídeos principais, existem os monossacarídeos específicos.


 Os principais são:

PENTOSES HEXOSES
 Função: São as integrantes dos ácidos  Função: Fornecem energia para as atividades
nucleicos. metabólicas.
 Tipos:  Tipos:
Ribose: Componente do DNA Glicose (presente no sangue, na uva, no mel)
Desoxirribose: Componente do RNA Frutose (Frutas em geral)
Galactose (Componente da lactose, açúcar do leite)

Oligassocararídeos
 São moléculas formadas pela união de 2 a 10 moléculas de monossacarídeos.
 Os oligossacarídeos mais importantes biologicamente são os dissacarídeos.
Dissacarídeos
 É a união de dois monossacarídeos

Dissacarídeos União de monossacarídeos Enzimas envolvidas Fonte


na hidrólise
Sacarose Glicose + Frutose Sacarase Cana de açúcar e beterraba
Lactose Glicose + Galactose Lactase Leite
Maltose Glicose + Glicose Maltase Cereais

 Os dissacarídeos presentes nos alimentos não são aproveitados diretamente pelo organismo, então essas moléculas
precisam ser digeridas (hidrolisadas) por enzimas específicas, para serem absorvidas.
 A intolerância à lactose ocorre quando o intestino delgado deixa de produzir a enzima lactase, que é responsável
por quebrar as moléculas de lactose e convertê-las em glucose e galactose.

Polissacarídeos
 São moléculas formadas pela união centenas ou mesmo milhares de monossacarídeos.
 A glicose (monossacarídeo) faz parte de alguns polissacarídeos como: Amido, celulose e glicogênio.
 São insolúveis em água, enquanto que os monossacarídeos e dissacarídeos são solúveis.

Funções
 Reserva energética, como o amido e o glicogênio.
 Estrutural: como a celulose, a quitina e o ácido hialurônico.

Polissacarídeos de reserva energética


 Amido: reserva energética dos vegetais e é armazenado nas células do parênquima amilífero de caules e raízes.
 É rico em alimentos como: batata, arroz, mandioca, milho e banana.
 No ser humano, o amido é digerido pelas enzimas amilase salivar (presentes na saliva) e amilase pancreática
(componente do sulco pancreático). A hidrólise (quebra) do amido gera várias moléculas de maltose, e
posteriormente a maltose é hidrolisada com a participação da maltase, gerando duas moléculas de glicose.

Sofre hidrólise moléculas de maltose


Amido gera
Pela amilase salivar sofrem hidrólise com gera 2 moléculas de glicose
e amilase pancreática a participação da maltase

 Glicogênio: reserva energética presente em fungos e animais.


 É armazenado no fígado e nos músculos.
 Após uma refeição rica em carboidratos, o sangue recebe grande quantidade de glicose. Uma parte da glicose entra
nas células do fígado e é convertida em moléculas de glicogênio. No período entre duas refeições, o fígado vai
degradando moléculas de glicogênio e transformando em glicose, que é liberada para o sangue e ele se encarrega
de enviá-la para as demais células do organismo. O controle do nível de glicose no sangue se dá por dois
hormônios: insulina e glucagon.

Polissacarídeos estruturais
A celulose:
 É um componente da parede celular vegetal e de muitas algas.
 Contribui para a proteção das células e para a sustentação esquelética do vegetal.
 Seres humanos não são capazes de digerir celulose, pois não apresentam a enzima celulase. Alguns microrganismos
como bactérias e protozoários ciliados, possuem celulase. Animais como bois, cavalos e cupins, possuem esses tipos
de microrganismos no estômago ou intestino, e assim eles podem ter a celulose como base de sua dieta.
 Na dieta humana, a celulose é abundante nas verduras, bagaço de frutas (como a laranja e tangerina), casca de frutas
(como a maçã), casca de grãos (milho e feijão).
 Apesar de não ser digerida, a celulose ajuda a aumentar a motilidade do intestino e retém água, o que torna mais
fácil a eliminação de fezes.
 A presença de celulose no alimento, diminui a absorção de gorduras no intestino.

Quitina:
 É um polissacarídeo constituído por monossacarídeos que contém nitrogênio na molécula.
 É um componente do exoesqueleto dos artrópodes e é integrante da parede celular de fungos.
 Obs: os fungos possuem os dois tipos de polissacarídeos: glicogênio e quitina.