Você está na página 1de 122

Contabilidade Geral

Teoria e Questões
► Aula 02
www.igorcintra.com.br

E aí manada, tudo bem? Como foram os estudos desta semana? Usem e abusem do fórum
de dúvidas, ok?

A aula de hoje será destinada ao estudo de conceitos relacionados às contas, planos de


contas, escrituração contábil e livros contábeis. Além disso, verificaremos o funcionamento
da conta Duplicatas Descontadas.

Para finalizar a aula analisaremos o Balancete de Verificação e os Regimes Contábeis de


Competência e de Caixa.

Continue fazendo um rígido controle de desempenho. Esta é a forma como você identificará
seus pontos fracos, que deverão ser atacados ao final do curso.

Vamos ao que interessa!

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 2


www.igorcintra.com.br

Sumário
1. CONTAS ........................................................................................................................ 4
1.1 Contas Patrimoniais..................................................................................................... 4
1.2 Contas de Resultado ................................................................................................... 5
1.3 Plano de Contas ........................................................................................................... 6
1.4 Teoria das Contas ....................................................................................................... 12
1.4.1 Teoria Personalista ..................................................................................................... 12
1.4.2 Teoria Materialista ...................................................................................................... 13
1.4.3 Teoria Patrimonialista ................................................................................................ 13
2. ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL ....................................................................................... 16
2.1 Formalidades da Escrituração Contábil .................................................................... 24
2.2 Erros na Escrituração Contábil .................................................................................. 33
2.2.1 Identificação da Conta .............................................................................................. 34
2.2.2 Valor ........................................................................................................................... 35
2.2.3 Inversão...................................................................................................................... 35
2.2.4 Duplicidade ................................................................................................................ 36
2.2.5 Omissão...................................................................................................................... 36
2.3 Documentação Contábil............................................................................................ 37
3. LIVROS CONTÁBEIS................................................................................................... 39
3.1 Livro Diário ................................................................................................................. 40
3.1.1 Formalidades Extrínsecas ......................................................................................... 40
3.1.2 Formalidades Intrínsecas .......................................................................................... 40
3.2 Livro Razão ................................................................................................................ 44
4. DUPLICATAS DESCONTADAS ................................................................................... 47
5. BALANCETE DE VERIFICAÇÃO ................................................................................... 51
6. REGIME DE CAIXA VS REGIME DE COMPETÊNCIA.................................................. 65
6.1 Regime de Competência ........................................................................................... 65
6.2 Regime de Caixa ........................................................................................................ 67
MEMÓRIA DE ELEFANTE ..................................................................................................... 85
LISTA DE QUESTÕES COMENTADAS .................................................................................. 88
GABARITO ............................................................................................................................. 121

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 3


www.igorcintra.com.br

1. CONTAS
Conta é o nome que identifica um elemento patrimonial (bem, direito, obrigação) ou de uma
variação do patrimônio (receita ou despesa).

Zé Curioso: “Professor, não entendi muito bem o que é uma conta.”

Zé, vamos fazer o seguinte. Imagine que você tem uma empresa e que cada empregado terá
funções bem definidas, como:

 João: irá administrar o dinheiro em caixa;


 Pedro: irá administrar o estoque de mercadorias;
 Talita: irá administrar as contas a receber;
 Dirceu: irá administrar as vendas.

Perceba que é como se os empregados representassem suas respectivas contas (Caixa,


Estoques de Mercadorias, Contas a Receber, Receita de Vendas). Todos os fatos contábeis
que estiverem relacionados com estes empregados representarão uma mudança nessas
contas.

Zé Curioso: “Agora entendi perfeitamente! Você percebeu, professor, que as três primeiras
contas, se comportam como se o João, Pedro e a Talita, que administram essas contas,
estivessem devendo para a empresa?“

É isso aí Zé! O que eles administram não pertence a eles e sim à empresa. Realmente, é como
se estivessem devendo para a empresa. Isso talvez irá ajudá-lo a lembrar que as contas
patrimoniais do ATIVO são de natureza devedora, conforme vimos na aula 01!

De outra forma, ao analisar natureza da conta do passivo exigível “Empréstimos a Pagar”,


de natureza credora, é como se a instituição financeira fosse a CREDORA ou a financiadora
desta empresa, não é?

1.1 Contas Patrimoniais


São as contas do ativo (devedoras), passivo exigível e patrimônio líquido (credoras). São
utilizadas para controle e apuração do patrimônio.

Zé Curioso: “Professor, quer dizer que todas as contas do Ativo serão devedoras?“

Não! Existem as contas retificadoras do ativo, que são contas que reduzem o valor do ativo.
Desta forma, essas contas possuem natureza credora. São alguns exemplos de contas
retificadoras que iremos estudar mais a frente:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 4


www.igorcintra.com.br

i. Perdas Estimadas para Créditos de Liquidação Duvidosa: reduzem o valor das


Duplicatas a Receber (ou Clientes), tendo em vista a possibilidade de não recebimento
(calote) por parte de alguns clientes.

ii. Depreciação Acumulada: é a perda de valor que ocorre em bens do ativo imobilizado
sujeitos a desgastes pelo uso, ação da natureza ou por se tornarem obsoletos. Um
veículo, por exemplo, sofre queda em seu valor a cada ano. Não seria prudente
mantermos o valor original do veículo em nosso ativo, pois este ficaria superavaliado.

iii. Perdas Estimadas com Redução ao Valor Realizável Líquido: se o valor de mercado
(menos os custos com vendas) de determinada mercadoria está inferior ao valor do
custo de aquisição ou produção, devemos constituir uma conta ajustar o valor dessas
mercadorias à nova realidade econômica.

1.2 Contas de Resultado


São as contas de Receitas (credoras) e Despesas (devedora). São utilizadas para a apuração
do resultado do exercício.

Aluno, você só irá aprender quais contas fazem parte do ativo e do passivo ao praticar
exaustivamente exercícios. Mas não se preocupe agora com isso. Iremos resolver um monte
deles no estudo do Balanço Patrimonial.

01. (BIO-RIO – Auditor Fiscal – Mangaratiba/RS – 2016) Considere as contas a seguir:

1 – Salários
2 – Vendas
3 – Estoques
4 – Seguros a vencer
5 – Depreciação
6 – Aluguéis

São contas de resultado as seguintes:

a) 1, 2 e 4.

b) 1, 2, 5 e 6.

c) 1, 2, 3 e 6.

d) 1, 3, 5 e 6.

e) 1, 4, 5 e 6.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 5


www.igorcintra.com.br

Resolução:

Vamos classificar as contas apresentadas.

1 – Salários Conta de Resultado (despesa)


2 – Vendas Conta de Resultado (receita)
3 – Estoques Conta Patrimonial (ativo)
4 – Seguros a vencer Conta Patrimonial (ativo)
5 – Depreciação Conta de Resultado (despesa)
6 – Aluguéis Conta de Resultado (despesa/receita)

Com isso, correta a alternativa B.

Gabarito: B

1.3 Plano de Contas


Plano de Contas é definido como um conjunto de contas contábeis (como conta Caixa,
Clientes, Estoques, Imobilizado, Intangível, Salários a Pagar, Tributos a Pagar, Provisões,
Capital Social, Reserva de Lucros etc) necessário para atender o registro, acumulação dos
lançamentos contábeis e todas as necessidades futuras de informações por meio das
demonstrações e relatórios contábeis, fiscais, societários e gerenciais, de forma a permitir o
controle econômico da entidade.

As contas analíticas representam o maior detalhamento do conjunto patrimonial da


entidade, e são as únicas que efetivamente recebem lançamentos contábeis.

As contas sintéticas não recebem os lançamentos contábeis propriamente ditos, mas apenas
resumem, sumarizam, sintetizam o saldo de diversas contas analíticas ou até mesmo
sintéticas.

Por exemplo, as contas abaixo são analíticas:

 Conta Corrente n° 147 – Banco do Brasil R$ 10.000,00


 Conta Corrente n° 258 – Banco Santander R$ 20.000,00
 Conta Corrente n° 369 – Banco Itaú R$ 40.000,00

Perceba que as contas analíticas acima serão representadas no balanço patrimonial dentro
da conta sintética “Bancos conta Movimento”, cujo saldo será de R$ 70.000,00 (soma das
contas analíticas).

Vamos praticar um pouco?

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 6


www.igorcintra.com.br

02. (CESPE – Analista – FUNPRESP-JUD – 2016) Elenco de contas e plano de contas são
termos sinônimos e constituem a relação de todas as contas utilizadas pela entidade no
registro contábil das suas operações.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Plano de Contas é o conjunto de contas criado pelo contador, para atender às necessidades
de registro dos fatos administrativos, de forma a possibilitar a construção dos principais
relatórios contábeis e atender a todos os usuários da informação contábil.

Apesar de grande parte da doutrina considerar plano de contas e elenco de contas como
termos sinônimos, este não foi o posicionamento do CESPE. Neste sentido, é importante
considerar que são principais partes de um plano de contas:
a) Elenco de contas – relação lógica e ordenada dos títulos (nomes) das contas que
compõem um plano
b) Função das Contas – definição da conta, seu comportamento e seu objetivo.
c) Funcionamento – mostra o movimento da conta e a forma de se debitar e creditar.

Assim, incorreta a afirmativa.

Gabarito: E

03. (VUNESP – Contador – Itatiba-SP – 2015) Trata-se da estrutura básica da escrituração


contábil, formada por um conjunto de contas previamente estabelecido, que permite
obter as informações necessárias à elaboração de demonstrações contábeis. Seu principal
objetivo é estabelecer normas de conduta para o registro das operações da organização e
para a sua montagem.

Tal estrutura deve, ainda,


I. atender às necessidades de informação da administração da empresa;
II. observar formato compatível com os princípios de contabilidade e com a norma legal
de elaboração do balanço patrimonial e das demais demonstrações contábeis;
III. adaptar-se tanto quanto possível às exigências dos agentes externos, principalmente
às da legislação do Imposto de Renda.

O texto refere-se a

(A) balancete de verificação.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 7


www.igorcintra.com.br

(B) razão contábil.

(C) plano de contas contábil.

(D) diário contábil.

(E) fluxo de caixa.

Resolução:

Um plano de contas é uma peça da técnica contábil que estabelece previamente a conduta
a ser adotada na escrituração, através da exposição das contas em seus títulos, funções,
funcionamento, grupamentos, análises, derivações, dilatações e reduções. É um conjunto
de normas e intitulação de contas, previamente estabelecido, destinado a orientar os
trabalhos da escrituração contábil.

Cada empresa deverá elaborar seu plano de contas mediante adaptação a suas
peculiaridades de operação, necessidades internas, transações e contas específicas. Ao
preparar um projeto para desenvolver um plano de contas, a empresa deve ter em mente
as várias possibilidades de relatórios gerenciais e para uso externo e, dessa maneira, prever
as contas de acordo com os diversos relatórios a serem produzidos.

A elaboração de um bom plano de contas é fundamental no sentido de utilizar todo o


potencial da contabilidade e seu valor informativo para os inúmeros usuários.

Com isso, correta a alternativa C.

Gabarito: C

04. (VUNESP – Contador – FESC – 2012) É o conjunto de contas, previamente estabelecido,


que norteia os trabalhos contábeis de registro de fatos e atos inerentes à entidade, além
de servir de parâmetro para a elaboração das demonstrações contábeis. Seu principal
objetivo é estabelecer normas de conduta para o registro das operações da organização e,
na sua montagem, devem ser levados em conta três objetivos fundamentais:
I. atender às necessidades de informação da administração da empresa;
II. observar o formato compatível com os princípios de contabilidade e com a norma legal
de elaboração do balanço patrimonial e das demais demonstrações contábeis;
III. adaptar-se tanto quanto possível às exigências dos agentes externos, principalmente
às da legislação do Imposto de Renda.

O conceito trata do(a)

(A) balancete de verificação.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 8


www.igorcintra.com.br

(B) razão contábil.

(C) plano de contas contábil.

(D) diário contábil.

(E) fluxo de caixa.

Resolução:

Olha aí a VUNESP cobrando de novo o conceito de plano de contas! Não existe a


possibilidade de errar uma questão como essa, ok?

Começou falando de “conjunto de contas” já está na cara que trata-se do plano de contas!

Gabarito: C

05. (VUNESP – Técnico em Contabilidade – UNIFESP – 2014) Trata-se da estrutura básica


da escrituração contábil, formada por um conjunto de contas previamente estabelecido,
que permite obter as informações necessárias à elaboração de relatórios gerenciais e
demonstrações contábeis, conforme as características gerais da entidade, possibilitando a
padronização de procedimentos contábeis.

O texto aborda sobre

(A) Diário.

(B) Razão contábil.

(C) Balancete.

(D) Plano de contas.

(E) Demonstrações financeiras.

Resolução:

Novamente a VUNESP pede o conceito de plano de contas. Não tem nem o que comentar,
não é?

Gabarito: D

06. (VUNESP – Contador – Desenvolve-SP – 2014 – ADAPTADA) É a estrutura básica da


escrituração contábil, formada por um conjunto de contas previamente estabelecido, que
permite obter as informações necessárias à elaboração de relatórios gerenciais e

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 9


www.igorcintra.com.br

demonstrações contábeis conforme as características gerais da entidade, possibilitando a


padronização de procedimentos contábeis. O texto trata

(A) da escrituração contábil.

(B) do balanço patrimonial.

(C) do plano de contas contábil.

(D) do razão contábil.

(E) dos razões auxiliares e extracontábeis.

Resolução:

Mais uma vez a VUNESP cobrou o conceito de plano de contas! Fique atento em sua prova!

Gabarito: C

07. (CESPE – AFT – MTE – 2013) A conta passivo circulante é denominada conta sintética,
sendo o seu saldo obtido pelo somatório do saldo de contas analíticas.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Vimos que conta sintética é aquela que funciona como agregadora, possuindo conta em
nível inferior; e conta analítica é aquela que recebe escrituração, não possuindo conta em
nível inferior.

As contas analíticas representam os elementos patrimoniais em seu maior grau de


detalhamento.

As contas sintéticas não recebem lançamentos. Seus saldos são calculados a partir da
somatória do saldo de duas ou mais contas (analíticas ou sintéticas).

A conta Passivo Circulante é um exemplo de conta sintética (tente lembrar que tal conta
sintetiza o valor de várias outras contas, que no caso, são analíticas ou até mesmo
sintéticas).

Assim, correta a afirmativa.

Gabarito: C

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 10


www.igorcintra.com.br

08. (CESPE – Analista – TRT – 2013) As contas analíticas são a base do sistema de
acumulação contábil e têm o maior grau de detalhamento das informações contábeis.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

As contas contábeis são criadas como forma de acumulação, sintetização e classificação de


elementos patrimoniais, sejam eles de balanço ou de resultados, por meio de lançamentos
contábeis.

Divide-se as contas em analíticas ou sintéticas.

As contas analíticas recebem os lançamentos contábeis e por isso são a base do sistema de
acumulação contábil. Possuem maior grau de detalhamento.

As contas sintéticas não recebem lançamentos contábeis, mas recebem o saldo de contas
analíticas. Ou seja, sintetizam o saldo de contas que possuem maior nível de detalhamento.

Imagine que a conta “Fornecedores” de mercadorias é uma conta sintética que resume o
saldo de várias contas analíticas (Fornecedor A, Fornecedor B, Fornecedor C etc).

Enfim, correta a afirmativa!

Gabarito: C

09. (CESPE – Agente da Polícia Federal – 2014) O plano de contas deve reunir os elementos
necessários para o registro das operações desenvolvidas, as quais podem sofrer variações
significativas de uma empresa para outra.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Vimos que o plano de contas é um conjunto de contas que irá nortear o registro de todos
fatos contábeis que ocorrem, servindo também como parâmetro para a elaboração das
demonstrações contábeis. É um conjunto de normas e intitulação de contas, previamente
estabelecido, destinado a orientar os trabalhos da escrituração contábil.

Cada empresa deverá elaborar seu plano de contas mediante adaptação a suas
peculiaridades de operação, necessidades internas, transações e contas específicas. Ao
preparar um projeto para desenvolver um plano de contas, a empresa deve ter em mente
as várias possibilidades de relatórios gerenciais e para uso externo e, dessa maneira, prever
as contas de acordo com os diversos relatórios a serem produzidos.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 11


www.igorcintra.com.br

A elaboração de um bom plano de contas é fundamental no sentido de utilizar todo o


potencial da contabilidade e seu valor informativo para os inúmeros usuários.

Evidente que cada entidade possui seu plano de contas, pois cada uma delas tem
determinadas peculiaridades. Uma entidade comercial, por exemplo, não possui contas
típicas de entidades industriais, como “IPI a Recuperar”, “Estoques de Matérias-Primas”,
“Produtos em Elaboração” etc. Da mesma forma, uma empresa que presta serviços possui
outras demandas.

Com isso, conclui-se que a afirmativa está correta.

Gabarito: C

10. (CESPE – Contador – DPE – 2016) Um dos objetivos do plano de contas é estabelecer
normas de conduta para o registro das operações da entidade, por meio do atendimento
às necessidades de informação da administração da empresa, da observação do formato
compatível com as normas de contabilidade, e da adaptação, tanto quanto possível, às
exigências dos agentes externos.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Plano de Contas é definido como um conjunto de contas contábeis necessário para atender
o registro, acumulação dos lançamentos contábeis e todas as necessidades futuras de
informações por meio das demonstrações e relatórios contábeis, fiscais, societários e
gerenciais, de forma a permitir o controle econômico da entidade.

Com isso, conclui-se que a afirmativa está correta.

Gabarito: C

1.4 Teoria das Contas


Algumas bancas costumam cobrar, embora raro, as Teorias das Contas em suas provas.
Vejamos cada uma delas!

1.4.1 Teoria Personalista


As contas são personificadas, explicando as relações de direitos e obrigações, separando as
contas que representam o patrimônio, exceto o PL, (bens, direitos e obrigações) das contas
de resultados e PL (receita e despesa e PL), dividindo as contas em:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 12


www.igorcintra.com.br

 Proprietário: responsável pelas Receitas e Despesas e PL;


 Agente Consignatário: responsável pelos bens da empresa;
 Agente Correspondente: responsável pelos direitos e obrigações;

Vamos desenhar isso?

Muitos alunos se confundem com o que cada conta representa em relação aos Agentes
Correspondentes e Consignatários. Vou tentar dar uma dica para você nunca mais se
confundir com isso.

Quando você vai dar uma festa de arromba, com quinhentos convidados, você compra toda
cerveja necessária? Claro que não! É impossível saber quantas caixas serão
demandadas...Então o quê você faz? Pega essa mercadoria em consignação. Mercadorias
são bens, não é mesmo? Então lembre-se sempre que Bens são de responsabilidade dos
Agentes Consignatários!

1.4.2 Teoria Materialista


Divide as contas em Integrais e Diferenciais. As contas Integrais são aquelas que integram o
patrimônio, exceto o PL, (bens, direitos e obrigações). As contas Diferenciais representam o
PL e suas variações (PL, Receita e Despesa).

As contas traduzem simples ingressos e saídas de valores positivos (ativo) e negativos


(passivo).

 Integrais: contas patrimoniais – Patrimônio Líquido;


 Diferenciais: contas de resultado + Patrimônio Líquido;

1.4.3 Teoria Patrimonialista


É a teoria utilizada atualmente, onde as contas são divididas em patrimoniais (ativo, passivo
exigível e patrimônio líquido) e resultado (Receita e Despesa).

Muitos alunos se confundem em relação às Teorias Personalista e Materialista, em


exercícios. Para resolver isso, tente lembrar algo básico, como:

TEORIA MATERIALISTA In Di
(Integrais e Diferenciais)

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 13


www.igorcintra.com.br

Só para que não fique apenas na teoria vamos praticar alguns exercícios.

11. (CESPE – Perito Criminal – PC/PE – 2016) A contabilidade como ciência do patrimônio
é concepção da escola contábil

a) aziendalista.

b) patrimonialista.

c) contista.

d) personalista.

e) controlista.

Resolução:

A Teoria Patrimonialista é a teoria utilizada atualmente, onde as contas são divididas em


patrimoniais (ativo, passivo exigível e patrimônio líquido) e resultado (Receita e Despesa).

Ou seja, a Contabilidade é a ciência (social) que estuda o patrimônio das entidades, com
objetivo de controla-lo e finalidade de divulgação de informações aos usuários das
demonstrações contábeis.

Com isso, correta a alternativa B.

Gabarito: B

12. (VUNESP – Contador – UFABC – 2013) Plano de contas é a estrutura básica da


escrituração contábil, formada por um conjunto de contas previamente estabelecido, que
permite obter as informações necessárias à elaboração de relatórios gerenciais e
demonstrações contábeis conforme as características gerais da entidade, possibilitando a
padronização de procedimentos contábeis. A estrutura do plano de contas é influenciada
pela teoria das contas, que explica a representação e a classificação das contas contábeis.
Nesse contexto, a teoria em que cada conta assume a configuração de uma pessoa no seu
relacionamento com a entidade e, dessa forma, caixa, bancos, duplicatas a receber,
capital, receitas e despesas representam pessoas com as quais a entidade mantém
relacionamento, é a

(A) personalista.

(B) generalista.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 14


www.igorcintra.com.br

(C) materialista.

(D) patrimonialista.

(E) de resultado.

Resolução:

Segundo a Teoria Personalista as contas são personificadas, explicando as relações de


direitos e obrigações, separando as contas que representam o patrimônio, exceto o PL,
(bens, direitos e obrigações) das contas de resultados e PL (receita e despesa e PL), dividindo
as contas em:

 Proprietário: responsável pelas Receitas e Despesas e PL;


 Agente Consignatário: responsável pelos bens da empresa;
 Agente Correspondente: responsável pelos direitos e obrigações;

Com isso, correta a alternativa A.

Gabarito: A

13. (FUNCAB – CONTADOR – SEFIN-RO – 2014) As contas contábeis podem ser classificadas
de acordo com vários critérios. Identifique, nas alternativas abaixo, a classificação das
contas, proposta pela Teoria Patrimonialista.

A) Materialista e Intangíveis.

B) Proprietários e Correspondentes.

C) Patrimoniais e de Resultado.

D) Devedoras e Credoras.

E) Integrais e Diferenciais.

Resolução:

Vimos que a Teoria Patrimonialista é a utilizada atualmente, onde as contas são divididas
em patrimoniais (ativo, passivo exigível e patrimônio líquido) e resultado (Receita e
Despesa).

Assim, correta a alternativa C.

Gabarito: C

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 15


www.igorcintra.com.br

14. (ESAF – ATA – Ministério da Fazenda – 2013) A Teoria Materialista das Contas é aquela
que classifica todos os títulos contábeis como sendo

a) Contas Materiais e Contas Imateriais.

b) Contas Integrais e Contas Diferenciais.

c) Contas Patrimoniais e Contas de Resultado.

d) Contas de Agentes e Contas do Proprietário.

e) Contas de Agentes Consignatários e Contas do Proprietário.

Resolução:

A teoria Materialista subdivide as contas em Integrais (Bens, Direitos e Obrigações) e


Diferenciais (PL, Receita e Despesa). Era só lembrar-se do “In Di”! Fica mamão com açúcar!

Gabarito: B

Pessoal, a partir de agora vamos falar a respeito da escrituração contábil, que é um tema
que despenca em provas de Contabilidade Geral.

2. ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL
A escrituração contábil tem por objetivo registrar os fatos contábeis em livros próprios. Sua
obrigatoriedade é prevista no art. 1.179 do Código Civil (Lei 10.406/2002):

Art. 1.179. O empresário e a sociedade empresária são obrigados a seguir um sistema


de contabilidade, mecanizado ou não, com base na escrituração uniforme de seus
livros, em correspondência com a documentação respectiva, e a levantar anualmente o
balanço patrimonial e o de resultado econômico.

De outra forma, a lei das Sociedades por Ações (Lei n° 6.404/76) em seu arts. 175 a 177 diz
que:

Art. 175. O exercício social terá duração de 1 (um) ano e a data do término será fixada
no estatuto.
Parágrafo único. Na constituição da companhia e nos casos de alteração estatutária
o exercício social poderá ter duração diversa.

Art. 176. Ao fim de cada exercício social, a diretoria fará elaborar, com base na
escrituração mercantil da companhia, as seguintes demonstrações financeiras, que
deverão exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as mutações
ocorridas no exercício:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 16


www.igorcintra.com.br

I - balanço patrimonial;
II - demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados;
III - demonstração do resultado do exercício; e
IV – demonstração dos fluxos de caixa; e
V – se companhia aberta, demonstração do valor adicionado.

§ 1º As demonstrações de cada exercício serão publicadas com a indicação dos valores


correspondentes das demonstrações do exercício anterior.

§ 2º Nas demonstrações, as contas semelhantes poderão ser agrupadas; os pequenos


saldos poderão ser agregados, desde que indicada a sua natureza e não ultrapassem
0,1 (um décimo) do valor do respectivo grupo de contas; mas é vedada a utilização de
designações genéricas, como "diversas contas" ou "contas-correntes".

§ 3º As demonstrações financeiras registrarão a destinação dos lucros segundo a


proposta dos órgãos da administração, no pressuposto de sua aprovação pela
assembléia-geral.

§ 4º As demonstrações serão complementadas por notas explicativas e outros quadros


analíticos ou demonstrações contábeis necessários para esclarecimento da situação
patrimonial e dos resultados do exercício.

§ 5º As notas explicativas devem:


I – apresentar informações sobre a base de preparação das demonstrações financeiras
e das práticas contábeis específicas selecionadas e aplicadas para negócios e eventos
significativos;
II – divulgar as informações exigidas pelas práticas contábeis adotadas no Brasil que
não estejam apresentadas em nenhuma outra parte das demonstrações financeiras;
III – fornecer informações adicionais não indicadas nas próprias demonstrações
financeiras e consideradas necessárias para uma apresentação adequada; e
IV – indicar:
a) os principais critérios de avaliação dos elementos patrimoniais, especialmente
estoques, dos cálculos de depreciação, amortização e exaustão, de constituição de
provisões para encargos ou riscos, e dos ajustes para atender a perdas prováveis na
realização de elementos do ativo;
b) os investimentos em outras sociedades, quando relevantes (art. 247, parágrafo
único);
c) o aumento de valor de elementos do ativo resultante de novas avaliações (art. 182,
§ 3° );
d) os ônus reais constituídos sobre elementos do ativo, as garantias prestadas a
terceiros e outras responsabilidades eventuais ou contingentes;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 17


www.igorcintra.com.br

e) a taxa de juros, as datas de vencimento e as garantias das obrigações a longo prazo;


f) o número, espécies e classes das ações do capital social
g) as opções de compra de ações outorgadas e exercidas no exercício
h) os ajustes de exercícios anteriores (art. 186, § 1°);
i) os eventos subsequentes à data de encerramento do exercício que tenham, ou
possam vir a ter, efeito relevante sobre a situação financeira e os resultados futuros da
companhia.

§ 6° A companhia fechada com patrimônio líquido, na data do balanço, inferior a R$


2.000.000,00 (dois milhões de reais) não será obrigada à elaboração e publicação da
demonstração dos fluxos de caixa.

§ 7° A Comissão de Valores Mobiliários poderá, a seu critério, disciplinar de forma


diversa o registro de que trata o § 3° deste artigo.

Art. 177. A escrituração da companhia será mantida em registros permanentes, com


obediência aos preceitos da legislação comercial e desta Lei e aos princípios de
contabilidade geralmente aceitos, devendo observar métodos ou critérios contábeis
uniformes no tempo e registrar as mutações patrimoniais segundo o regime de
competência.

§ 1º As demonstrações financeiras do exercício em que houver modificação de métodos


ou critérios contábeis, de efeitos relevantes, deverão indicá-la em nota e ressaltar esses
efeitos.

§ 2° A companhia observará exclusivamente em livros ou registros auxiliares, sem


qualquer modificação da escrituração mercantil e das demonstrações reguladas nesta
Lei, as disposições da lei tributária, ou de legislação especial sobre a atividade que
constitui seu objeto, que prescrevam, conduzam ou incentivem a utilização de métodos
ou critérios contábeis diferentes ou determinem registros, lançamentos ou ajustes ou
a elaboração de outras demonstrações financeiras.

§ 3° As demonstrações financeiras das companhias abertas observarão, ainda, as


normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários e serão obrigatoriamente
submetidas a auditoria por auditores independentes nela registrados.

§ 4º As demonstrações financeiras serão assinadas pelos administradores e por


contabilistas legalmente habilitados.

§ 5° As normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários a que se refere o § 3o


deste artigo deverão ser elaboradas em consonância com os padrões internacionais de
contabilidade adotados nos principais mercados de valores mobiliários.

§ 6° As companhias fechadas poderão optar por observar as normas sobre


demonstrações financeiras expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários para as
companhias abertas.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 18


www.igorcintra.com.br

Veja como as bancas pedem estes dispositivos da Lei n° 6.404/76.

15. (VUNESP – Contador – Desenvolve-SP – 2014) A escrituração da companhia será


mantida em registros permanentes, com obediência aos preceitos da legislação comercial
e de normas contábeis e aos princípios de contabilidade geralmente aceitos, devendo
observar métodos ou critérios contábeis uniformes no tempo e registrar as mutações
patrimoniais segundo o(a)

(A) entidade.

(B) oportunidade.

(C) regime de competência.

(D) qualificação da contabilidade pública.

(E) escrituração contábil e fiscal.

Resolução:

Segundo o art. 177 da Lei n° 6.404/76 a escrituração da companhia será mantida em


registros permanentes, com obediência aos preceitos da legislação comercial e desta Lei e
aos princípios de contabilidade geralmente aceitos, devendo observar métodos ou critérios
contábeis uniformes no tempo e registrar as mutações patrimoniais segundo o regime de
competência.

Assim, correta a alternativa C.

Gabarito: C

16. CESPE – Analista – Contabilidade – SE/DF – 2017) As demonstrações contábeis das


sociedades anônimas de capital fechado têm de ser elaboradas de acordo com as mesmas
normas aplicáveis às sociedades anônimas de capital aberto expedidas pela Comissão de
Valores Mobiliários.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Segundo o art. 177, §5°, as companhias fechadas poderão optar por observar as normas
sobre demonstrações financeiras expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários para as
companhias abertas.

Com isso, incorreta a afirmativa.

Gabarito: E

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 19


www.igorcintra.com.br

17. (CESPE – Oficial de Inteligência – ABIN – 2018) As normas expedidas pela Comissão de
Valores Mobiliários (CVM) deverão ser observadas pelas companhias abertas na
elaboração das demonstrações financeiras e esses relatórios serão submetidos à auditoria
independente, assinados pelos administradores e por contabilistas legalmente
habilitados.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Segundo o art. 177, § 3°, da Lei n° 3.404/76 as demonstrações financeiras das companhias
abertas observarão, ainda, as normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários e
serão obrigatoriamente submetidas a auditoria por auditores independentes nela
registrados.

Com isso, correta a afirmativa.

Gabarito: C

18. (CESPE – Auditor do Estado – CAGE/RS – 2018) Assinale a opção correspondente a


preceito legal aplicável às demonstrações contábeis elaboradas por sociedade anônima.
A) As contas de natureza semelhante que apresentem pequenos saldos devem ser
agrupadas em contas de designações genéricas.

B) A demonstração de lucros ou prejuízos acumulados indicará o montante do lucro por ação


do capital social.

C) A duração do exercício social não pode ser inferior a um ano.

D) Eventos subsequentes à data de encerramento do exercício social serão evidenciados em


notas explicativas sempre que tragam, ou venham a trazer, impactos relevantes na situação
financeira e no resultado futuro da empresa.

E) É vedado às companhias fechadas utilizar-se das normas expedidas pela Comissão de


Valores Mobiliários (CVM) para fins de elaboração de suas demonstrações contábeis.

Resolução:

Vamos analisar as alternativas apresentadas.

a) Incorreta. Nas demonstrações, as contas semelhantes poderão ser agrupadas; os


pequenos saldos poderão ser agregados, desde que indicada a sua natureza e não

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 20


www.igorcintra.com.br

ultrapassem 0,1 (um décimo) do valor do respectivo grupo de contas; mas é vedada a
utilização de designações genéricas, como "diversas contas" ou "contas-correntes".

b) Incorreta. A demonstração do resultado do exercício que indica o montante do lucro por


ação do capital social.

c) Incorreta. Em regra o exercício social tem duração de um ano. No entanto, na constituição


da companhia e nos casos de alteração estatutária o exercício social poderá ter duração
diversa.

d) Correta. Verificamos que as notas explicativas devem indicar os eventos subsequentes à


data de encerramento do exercício que tenham, ou possam vir a ter, efeito relevante sobre
a situação financeira e os resultados futuros da companhia.

e) Incorreta. Vimos que as companhias fechadas poderão optar por observar as normas
sobre demonstrações financeiras expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários para as
companhias abertas.

Gabarito: D

19. (CESPE – Contador – Polícia Federal – 2014) As demonstrações financeiras de


companhias abertas — as quais devem ser auditadas por auditores independentes
registrados na Comissão de Valores Mobiliários — deverão seguir as normas contábeis
elaboradas em conformidade com os padrões internacionais adotados nos principais
mercados de valores mobiliários.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

De acordo com o art. 177 da Lei nº 6.404/76:

Art. 177. A escrituração da companhia será mantida em registros permanentes, com


obediência aos preceitos da legislação comercial e desta Lei e aos princípios de
contabilidade geralmente aceitos, devendo observar métodos ou critérios contábeis
uniformes no tempo e registrar as mutações patrimoniais segundo o regime de
competência.
§ 1º As demonstrações financeiras do exercício em que houver modificação de métodos
ou critérios contábeis, de efeitos relevantes, deverão indicá-la em nota e ressaltar esses
efeitos.
§ 2° A companhia observará exclusivamente em livros ou registros auxiliares, sem
qualquer modificação da escrituração mercantil e das demonstrações reguladas nesta Lei,

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 21


www.igorcintra.com.br

as disposições da lei tributária, ou de legislação especial sobre a atividade que constitui


seu objeto, que prescrevam, conduzam ou incentivem a utilização de métodos ou critérios
contábeis diferentes ou determinem registros, lançamentos ou ajustes ou a elaboração
de outras demonstrações financeiras.
§ 3° As demonstrações financeiras das companhias abertas observarão, ainda, as
normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários e serão obrigatoriamente
submetidas a auditoria por auditores independentes nela registrados.
§ 4º As demonstrações financeiras serão assinadas pelos administradores e por
contabilistas legalmente habilitados.
§ 5° As normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários a que se refere o § 3°
deste artigo deverão ser elaboradas em consonância com os padrões internacionais de
contabilidade adotados nos principais mercados de valores mobiliários.
§ 6° As companhias fechadas poderão optar por observar as normas sobre demonstrações
financeiras expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários para as companhias abertas.

Com isso, correta a afirmativa.

Gabarito: C

20. (CESPE – Analista – MPU – 2013) O balanço patrimonial deverá ser assinado pelos
integrantes do conselho de administração em conjunto com o contador legalmente
habilitado.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Segundo o § 4° do art. 177 da Lei n° 6.404/76, as demonstrações financeiras serão assinadas


pelos administradores e por contabilistas legalmente habilitados.

Veja que o CESPE mudou alguns aspectos da literalidade da lei, o que torna a afirmativa
incorreta.

Gabarito: E

21. (CESPE – Contador – UNIPAMPA – 2013) A sociedade empresária constituída por ações
deverá apresentar, ao final de cada exercício social, as seguintes demonstrações
financeiras: balanço patrimonial, demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados,

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 22


www.igorcintra.com.br

demonstração do resultado do exercício, demonstração do fluxo de caixa e, em caso de


companhia aberta, demonstração do valor adicionado.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Segundo o art. 176 da Lei n° 6.404/76, ao fim de cada exercício social, a diretoria fará
elaborar, com base na escrituração mercantil da companhia, as seguintes demonstrações
financeiras, que deverão exprimir com clareza a situação do patrimônio da companhia e as
mutações ocorridas no exercício:
I - balanço patrimonial;
II - demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados;
III - demonstração do resultado do exercício; e
IV – demonstração dos fluxos de caixa; e
V – se companhia aberta, demonstração do valor adicionado.

Com isso, correta a afirmativa.

Lembre-se de que a companhia fechada com patrimônio líquido, na data do balanço,


inferior a R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais) não será obrigada à elaboração e
publicação da demonstração dos fluxos de caixa.

Gabarito: C

22. (CESPE – Analista – CPRM – 2013) As notas explicativas devem informar os critérios
utilizados para a elaboração das demonstrações contábeis, detalhar itens relevantes
constantes dessas demonstrações e elucidar outras informações necessárias nelas
apresentadas.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Segundo o § 5° do art. 176 da Lei n° 6.404/76, importantíssimo para sua prova, as notas
explicativas devem:
I – apresentar informações sobre a base de preparação das demonstrações financeiras e das
práticas contábeis específicas selecionadas e aplicadas para negócios e eventos
significativos;
II – divulgar as informações exigidas pelas práticas contábeis adotadas no Brasil que não
estejam apresentadas em nenhuma outra parte das demonstrações financeiras;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 23


www.igorcintra.com.br

III – fornecer informações adicionais não indicadas nas próprias demonstrações financeiras
e consideradas necessárias para uma apresentação adequada; e
IV – indicar:
a) os principais critérios de avaliação dos elementos patrimoniais, especialmente
estoques, dos cálculos de depreciação, amortização e exaustão, de constituição de
provisões para encargos ou riscos, e dos ajustes para atender a perdas prováveis na
realização de elementos do ativo;
b) os investimentos em outras sociedades, quando relevantes (art. 247, parágrafo único);
c) o aumento de valor de elementos do ativo resultante de novas avaliações (art. 182, §
3°);
d) os ônus reais constituídos sobre elementos do ativo, as garantias prestadas a terceiros
e outras responsabilidades eventuais ou contingentes;
e) a taxa de juros, as datas de vencimento e as garantias das obrigações a longo prazo;
f) o número, espécies e classes das ações do capital social; g) as opções de compra de
ações outorgadas e exercidas no exercício;
h) os ajustes de exercícios anteriores (art. 186, § 1°); e
i) os eventos subsequentes à data de encerramento do exercício que tenham, ou possam
vir a ter, efeito relevante sobre a situação financeira e os resultados futuros da
companhia.
Com isso, correta a afirmativa.
Gabarito: C
A Resolução CFC n° 1.330/2011 estabelece critérios e procedimentos a serem adotados pela
entidade para a escrituração contábil de seus fatos patrimoniais, por meio de qualquer
processo, bem como a guarda e a manutenção da documentação e de arquivos contábeis e
a responsabilidade do profissional da contabilidade, devendo ser adotada por todas as
entidades, independente da natureza e do porte, na elaboração da escrituração contábil,
observadas as exigências da legislação e de outras normas aplicáveis, se houver.

2.1 Formalidades da Escrituração Contábil


A escrituração contábil deve ser realizada com observância aos Princípios de Contabilidade,
e ser executada:
a) em idioma e em moeda corrente nacionais;
b) em forma contábil;
c) em ordem cronológica de dia, mês e ano;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 24


www.igorcintra.com.br

d) com ausência de espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras ou emendas; e


e) com base em documentos de origem externa ou interna ou, na sua falta, em
elementos que comprovem ou evidenciem fatos contábeis.

A escrituração contábil deve conter, ainda, no mínimo:


a) data do registro contábil, ou seja, a data em que o fato contábil ocorreu;
b) conta devedora;
c) conta credora;
d) histórico que represente a essência econômica da transação ou o código de histórico
padronizado, neste caso baseado em tabela auxiliar inclusa em livro próprio;
e) valor do registro contábil;
f) informação que permita identificar, de forma unívoca, todos os registros que integram
um mesmo lançamento contábil.

Zé Curioso: “Professor, mas isso não cai na prova, né?”

Zé, isso não cai em provas da VUNESP. DESPENCA! Resolva as próximas questões.

23. (VUNESP – Contador – UNIFESP – 2014) Assinale (V) para Verdadeiro e (F) para Falso.

De acordo com a resolução CFC n.º 1330/11, a escrituração em forma contábil deve conter,
no mínimo,
( ) data do registro contábil, ou seja, a data em que o fato contábil ocorreu.
( ) identificação do princípio contábil.
( ) conta devedora.
( ) conta credora.
( ) histórico que represente a essência econômica da transação ou o código de histórico
padronizado, neste caso baseado em tabela auxiliar inclusa em livro próprio.
( ) valor do registro contábil.
( ) informação que permita identificar, de forma unívoca, todos os registros que integram
um mesmo lançamento contábil.

Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.

(A) V, V, V, V, V, V, V.

(B) V, V, V, V, F, V, V.

(C) V, V, V, V, V, V, F.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 25


www.igorcintra.com.br

(D) V, F, V, V, V, V, V.

(E) F, V, V, V, F, V, F.

Resolução:

Vimos que, segundo a Resolução CFC n° 1.330/11, a escrituração em forma contábil de que
trata o item 5 deve conter, no mínimo:
a) data do registro contábil, ou seja, a data em que o fato contábil ocorreu;
b) conta devedora;
c) conta credora;
d) histórico que represente a essência econômica da transação ou o código de histórico
padronizado, neste caso baseado em tabela auxiliar inclusa em livro próprio;
e) valor do registro contábil;
f) informação que permita identificar, de forma unívoca, todos os registros que integram um
mesmo lançamento contábil.

Com isso, correta a alternativa D.

Gabarito: D

24. (VUNESP – ISS-SJC – 2012) A escrituração contábil deve ser realizada com observância
aos Princípios de Contabilidade. O nível de detalhamento da escrituração contábil deve
estar alinhado às necessidades de informação de seus usuários. Nesse sentido, esta
interpretação não estabelece o nível de detalhe ou mesmo sugere um plano de contas a
ser observado. O detalhamento dos registros contábeis é diretamente proporcional à
complexidade das operações da entidade e dos requisitos de informação a ela aplicáveis
e, exceto nos casos em que uma autoridade reguladora assim o requeira, não devem
necessariamente observar um padrão pré-definido.

A escrituração contábil deve ser executada:


I. em idioma e em moeda corrente nacionais;
II. em idioma e em moeda do país de origem quando requerido pela matriz da empresa,
se estrangeira;
III. em forma contábil;
IV. em ordem cronológica de dia, mês e ano;
V. com anuência de espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras ou emendas;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 26


www.igorcintra.com.br

VI. com base em documentos de origem externa ou interna ou, na sua falta, em elementos
que comprovem ou evidenciem fatos contábeis.

Está correto apenas o contido em

(A) I, II, IV e V.

(B) II, III e VI.

(C) I, IV, V e VI.

(D) I, III, IV e VI.

(E) I, II, III, IV e V.

Resolução:

Segundo a Resolução n° 1.330/2011, a escrituração contábil deve ser executada:


a) em idioma e em moeda corrente nacionais;
b) em forma contábil;
c) em ordem cronológica de dia, mês e ano;
d) com ausência de espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras ou emendas; e
e) com base em documentos de origem externa ou interna ou, na sua falta, em elementos
que comprovem ou evidenciem fatos contábeis.

O pior é que todas as questões foram iguais e com o mesmo gabarito!

Gabarito: D

25. (VUNESP – Contador – UNESP – 2012) Segundo as Normas Brasileiras de Contabilidade,


a escrituração contábil deverá ser em

(A) idioma e moeda corrente nacionais, em forma contábil, em ordem cronológica de dia,
mês e ano, podendo haver rasuras.

(B) forma contábil de comum acordo com o administrador da entidade.

(C) ordem cronológica, de acordo com reuniões periódicas, evidenciando os atos e fatos
contábeis e econômicos.

(D) idioma e moeda corrente nacionais, em forma contábil, em ordem cronológica de dia,
mês e ano, sem rasuras e com base em documentos ou elementos que evidenciem os fatos.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 27


www.igorcintra.com.br

(E) forma contábil, utilizando linguagem técnica para evidenciar os atos contábeis e
financeiros.

Resolução:

Vimos que a escrituração contábil deve ser executada a) em idioma e em moeda corrente
nacionais; b) em forma contábil; c) em ordem cronológica de dia, mês e ano; d) com ausência
de espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras ou emendas; e e) com base em
documentos de origem externa ou interna ou, na sua falta, em elementos que comprovem
ou evidenciem fatos contábeis.

Com isso, correta a alternativa D.

Gabarito: D

26. (VUNESP – Contador – São Carlos-SP – 2012) De acordo com a Resolução n.º 1.330/11,
do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), a escrituração contábil deve ser realizada com
observância

(A) aos documentos contábeis.

(B) à legislação societária.

(C) ao regulamento do Imposto de Renda.

(D) aos princípios geralmente aceitos.

(E) aos Princípios de Contabilidade.

Resolução:

Segundo a Resolução CFC n° 1.330/11, a escrituração contábil deve ser realizada com
observância aos Princípios de Contabilidade.

O nível de detalhamento da escrituração contábil deve estar alinhado às necessidades de


informação de seus usuários. Nesse sentido, não há um estabelecimento do nível de detalhe
ou mesmo um plano de contas sugerido a ser observado. O detalhamento dos registros
contábeis é diretamente proporcional à complexidade das operações da entidade e dos
requisitos de informação a ela aplicáveis e, exceto nos casos em que uma autoridade
reguladora assim o requeira, não devem necessariamente observar um padrão pré-definido.

Com isso, correta a alternativa E.

Gabarito: E

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 28


www.igorcintra.com.br

27. (VUNESP – Contador – UNESP – 2012) Com relação a formalidades, a escrituração


contábil deve ser realizada com observância dos Princípios de Contabilidade. O nível de
detalhamento da escrituração contábil deve estar alinhado às necessidades de informação
de seus usuários. O detalhamento dos registros contábeis é diretamente proporcional à
complexidade das operações da entidade e dos requisitos de informação a ela aplicáveis
e, exceto nos casos em que uma autoridade reguladora assim o requeira, não deve
necessariamente observar um padrão pré-definido. Nesse sentido, a escrituração contábil
deve ser executada
I. em idioma e em moeda corrente nacionais;
II. em idioma e em moeda do país de origem, quando requerido pela matriz;
III. em forma contábil;
IV. em ordem cronológica de dia, mês e ano;
V. com ausência de espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras ou emendas;
VI. com base em documentos de origem e cópias externa ou interna ou, na sua falta, em
elementos que comprovem ou evidenciem elementos contábeis.

Estão corretos apenas os itens

(A) I, II, IV e V.

(B) II, III, V e VI.

(C) I, III, IV e VI.

(D) I, III, IV e V.

(E) II, IV, V e VI.

Resolução:

Segundo a Resolução n° 1.330/2011, a escrituração contábil deve ser executada:


a) em idioma e em moeda corrente nacionais;
b) em forma contábil;
c) em ordem cronológica de dia, mês e ano;
d) com ausência de espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras ou emendas; e
e) com base em documentos de origem externa ou interna ou, na sua falta, em elementos
que comprovem ou evidenciem fatos contábeis.

Com isso, correta a alternativa D.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 29


www.igorcintra.com.br

Gabarito: D

28. (VUNESP – Contador – FESC – 2012) De acordo com as Normas de Contabilidade, a


escrituração contábil deve ser realizada com observância aos Princípios de Contabilidade.
O nível de detalhamento da escrituração contábil deve estar alinhado às necessidades de
informação de seus usuários. Nesse sentido, esta interpretação não estabelece o nível de
detalhe ou mesmo sugere um plano de contas a ser observado. O detalhamento dos
registros contábeis é diretamente proporcional à complexidade das operações da
entidade e dos requisitos de informação a ela aplicáveis e, exceto nos casos em que uma
autoridade reguladora assim o requeira, não devem necessariamente observar um padrão
pré-definido. Nesse sentido, a escrituração contábil deve ser executada
I. em idioma e em moeda corrente nacionais, exceto se filial de empresa multinacional;
II. em forma contábil;
III. em ordem cronológica de dia, mês e ano;
IV. com espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras ou emendas;
V. com base em documentos de origem externa ou interna ou, na sua falta, em elementos
que comprovem ou evidenciem fatos contábeis.

Está correto o contido em

(A) I, II, III e V, apenas.

(B) I, IV e V, apenas.

(C) III, IV e V, apenas.

(D) II, III e V, apenas.

(E) I, II, III, IV e V.

Resolução:

Não dá para errar, não é?

Segundo a Resolução n° 1.330/2011, a escrituração contábil deve ser executada:


a) em idioma e em moeda corrente nacionais;
b) em forma contábil;
c) em ordem cronológica de dia, mês e ano;
d) com ausência de espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras ou emendas; e

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 30


www.igorcintra.com.br

e) com base em documentos de origem externa ou interna ou, na sua falta, em elementos
que comprovem ou evidenciem fatos contábeis.

Assim, correta a alternativa D.

Gabarito: D

29. (VUNESP – Contador – IAMSPE – 2012) De acordo com a resolução do CFC n.º 1.330/11,
que aprovou a ITG 2.000, a escrituração contábil, além da conta devedora, credora e o
valor do lançamento deverá conter, no mínimo:
I. data do registro contábil, ou seja, a data em que o fato contábil ocorreu;
II. essência intrínseca e extrínseca da forma contábil;
III. histórico que represente a essência econômica da transação ou o código de histórico
padronizado, neste caso baseado em tabela auxiliar inclusa em livro próprio;
IV. essência sobre a forma;
V. informação que permita identificar, de forma unívoca, todos os registros que integram
um mesmo lançamento contábil.

Está correto o contido em

(A) I, II, III, IV e V.

(B) I, III e V, apenas.

(C) I, III, IV e V, apenas.

(D) II, III, IV e V, apenas.

(E) III, IV e V, apenas.

Resolução:

Vimos que a escrituração em forma contábil deve conter, no mínimo:


a) data do registro contábil, ou seja, a data em que o fato contábil ocorreu;
b) conta devedora;
c) conta credora;
d) histórico que represente a essência econômica da transação ou o código de histórico
padronizado, neste caso baseado em tabela auxiliar inclusa em livro próprio;
e) valor do registro contábil;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 31


www.igorcintra.com.br

f) informação que permita identificar, de forma unívoca, todos os registros que integram um
mesmo lançamento contábil.

Com isso, correta a alternativa B.

Gabarito: B

30. (VUNESP – Técnico em Contabilidade – UNIFESP – 2014) A data da ocorrência da


transação; a conta debitada; a conta creditada; o histórico da transação de forma
descritiva ou por meio do uso de código de histórico padronizado, quando se tratar de
escrituração eletrônica, com base em tabela auxiliar inclusa em plano de contas; o valor
da transação; e o número de controle para identificar os registros eletrônicos, que
integram um mesmo lançamento contábil, são elementos essenciais

(A) do registro contábil.

(B) da planilha eletrônica de controle de ativos.

(C) de controles extracontábeis.

(D) do balancete.

(E) do balanço patrimonial.

Resolução:

A escrituração contábil deve ser executada:


a) em idioma e em moeda corrente nacionais;
b) em forma contábil;
c) em ordem cronológica de dia, mês e ano;
d) com ausência de espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras ou emendas; e
e) com base em documentos de origem externa ou interna ou, na sua falta, em elementos
que comprovem ou evidenciem fatos contábeis.

A escrituração em forma contábil deve conter, no mínimo:


a) data do registro contábil, ou seja, a data em que o fato contábil ocorreu;
b) conta devedora;
c) conta credora;
d) histórico que represente a essência econômica da transação ou o código de histórico
padronizado, neste caso baseado em tabela auxiliar inclusa em livro próprio;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 32


www.igorcintra.com.br

e) valor do registro contábil;


f) informação que permita identificar, de forma unívoca, todos os registros que integram
um mesmo lançamento contábil.

Com isso, correta a alternativa A.

Gabarito: A

31. (FUNDATEC – CAGE – SEFAZ-RS – 2014) Os elementos essenciais do lançamento


contábil são:

A) Local e data, conta debitada, conta creditada, histórico e valor.

B) Termo de abertura e termo de encerramento.

C) Conta debitada e conta creditada.

D) Nome do contador e do administrador da empresa.

E) Razão Social e CNPJ da empresa.

Resolução:

Vimos que a escrituração contábil deve ter, no mínimo, a data do registro contábil, as
contas devedoras e credoras, o histórico e o valor.

Gabarito: A

2.2 Erros na Escrituração Contábil

Pode ser que ocorram erros ao efetuar o lançamento contábil. Para corrigir este lançamento
equivocado existe a figura do estorno, da complementação e da transferência.

Os erros ocorrem por diferentes motivos: erros na identificação da conta envolvida, em seu
valor, lançamentos invertidos, registros em duplicidade e omissão. Antes de ver cada tipo
de retificação de lançamento vamos analisar uma questão recente da VUNESP sobre o tema!

32. (VUNESP – Contador – Câmara de Pradópolis/SP – 2016) De acordo com as Normas


Brasileiras de Contabilidade, no que tange a escrituração contábil, a retificação de
lançamento contábil é o processo técnico de correção de um registro realizado com erro
na escrituração contábil da entidade e pode ser feito por meio de

(A) ajuste, ratificação e complementação.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 33


www.igorcintra.com.br

(B) correção, estorno e retificação.

(C) estorno, ratificação e complemento.

(D) retificação, transferência ou estorno em definitivo.

(E) estorno, transferência e complementação.

Resolução:

Os erros de escrituração ocorrem por diferentes motivos: erros na identificação da conta


envolvida, em seu valor, lançamentos invertidos, registros em duplicidade e omissão.

Para corrigir este lançamento equivocado existe a figura do estorno, da complementação e


da transferência.

Assim, correta a alternativa E.

Gabarito: E

Tranquilo, não é? Vamos voltar a análise da retificação dos erros cometidos na escrituração
contábil.

2.2.1 Identificação da Conta


Quando ocorre um lançamento equivocado em outra conta, a correção é realizada por
transferência ou estorno. Por exemplo, suponha que na compra de mercadorias à vista o
lançamento tenha sido registrado da seguinte forma:

D – Estoques
C – Fornecedores

O lançamento correto deste fato contábil seria o crédito na conta “Caixa” e não na conta
“Fornecedores”, pois a compra foi efetuada à vista.

Correção por Estorno: desfaz o lançamento incorreto seguido do lançamento correto. São
realizados, portanto, dois lançamentos!

D – Fornecedores
C – Estoques

D – Estoques
C – Caixa

Zé Curioso: “Professor, seria muito mais fácil debitar a conta “Fornecedores” e creditar a
conta “Caixa”. Desta forma o lançamento final estaria correto”!

Zé, genial! Exatamente para isso que existe a figura da transferência!

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 34


www.igorcintra.com.br

Correção por Transferência: correção através do lançamento da conta equivocada em


contrapartida da conta que deveria ter sido lançada.

D – Fornecedores
C – Caixa

2.2.2 Valor
Quando o erro de lançamento refere-se ao valor das contas debitadas e creditadas. Imagine,
por exemplo, que houve uma compra de imobilizado no valor de R$ 100.000,00 a prazo com
o seguinte lançamento:

D – Imobilizado R$ 10.000,00
C – Duplicatas a Pagar R$ 10.000,00

Observe que houve erro de digitação, pois esqueceram um zero!

Correção por complementação: lança-se o valor restante a débito e crédito.

D – Imobilizado R$ 90.000,00
C – Duplicatas a Pagar R$ 90.000,00

2.2.3 Inversão
Quando as contas creditadas e debitadas são invertidas. A correção pode ser realizada por
estorno ou transferência. Suponha que houve o pagamento de “duplicatas a pagar”, no
valor de R$ 5.000,00, e o lançamento tenha sido efetuado desta forma:

D – Caixa R$ 5.000,00
C – Duplicatas a Pagar R$ 5.000,00

Perceba que o débito e crédito estão invertidos.

Correção por estorno: desfaz o lançamento incorreto seguido do lançamento correto. São
realizados, portanto, dois lançamentos! O primeiro é realizado para desfazer o lançamento
equivocado:

D – Duplicatas a Pagar R$ 5.000,00


C – Caixa R$ 5.000,00

O segundo lançamento é o que deveria ter sido realizado corretamente:

D – Duplicatas a Pagar R$ 5.000,00


C – Caixa R$ 5.000,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 35


www.igorcintra.com.br

Correção por Transferência: é efetuado o lançamento invertido no dobro do valor.

D – Duplicatas a Pagar R$ 10.000,00


C – Caixa R$ 10.000,00

2.2.4 Duplicidade
Por equívoco registra-se o fato contábil duas vezes. A correção é realizada pelo estorno do
segundo lançamento. Por exemplo, se na compra de veículo no valor de R$ 40.000,00 à vista,
com cheque, o lançamento realizado tenha sido realizado dois lançamentos:

D – Veículos R$ 40.000,00
C – Bancos conta Movimento R$ 40.000,00

D – Veículos R$ 40.000,00
C – Bancos conta Movimento R$ 40.000,00

Correção por Estorno: desfaz o segundo lançamento.

D – Bancos conta Movimento R$ 40.000,00


C – Veículos R$ 40.000,00

2.2.5 Omissão
Ocorre quando o lançamento não é realizado. Para correção basta efetuar o lançamento.

Vistos os erros na escrituração contábil, resolva a próxima questão!

33. (ESAF – AFRFB – 2009) A firma Comercial de Produtos Frutíferos Ltda., que encerra seu
exercício social no último dia do ano civil, contabilizou por duas vezes o mesmo fato
contábil em 31/10/2008, caracterizando o erro de escrituração conhecido como
duplicidade de lançamento. Esse erro só foi constatado no exercício seguinte.

Os lançamentos foram feitos a débito de conta do resultado e a crédito de conta do passivo


circulante. Em face dessa ocorrência, pode-se dizer que, no balanço patrimonial de
31/12/2008:

a) a situação líquida da empresa foi superavaliada.

b) o ativo circulante da empresa foi subavaliado.

c) o passivo circulante da empresa apresentou uma redução indevida.

d) o patrimônio líquido da empresa apresentou uma redução indevida.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 36


www.igorcintra.com.br

e) a situação líquida da empresa não foi afetada.

Resolução:

Houve duplicidade no lançamento sendo que tal registro foi realizado a débito na conta de
resultado, representando uma despesa, e a crédito no Passivo.

Para você visualizar melhor, imagine que na contabilização de Despesas de Salários ainda
não pagos no valor de R$ 10.000,00 fosse realizado dois lançamentos deste tipo:

D – Despesas com Salários R$ 10.000,00 (Despesa)


C – Salários a Pagar R$ 10.000,00 (Passivo)

A duplicidade deste lançamento provocará redução do Patrimônio Líquido, já que a mesma


despesa foi contabilizada duas vezes. Vamos analisar as alternativas.

a) Incorreta. A situação líquida da empresa foi subavaliada.

b) Incorreta. O lançamento não provoca influência sobre o Ativo Circulante da empresa.

c) Incorreta. O Passivo Circulante apresentou um aumento indevido.

d) Correta. O PL foi afetado negativamente, por uma redução indevida.

e) Incorreta. Vimos que a situação líquida foi afetada negativamente.

Só para constar, o lançamento para correção do erro será realizado por um lançamento de
estorno, tal qual:

D – Salários a Pagar R$ 10.000,00 (Passivo)


C – Despesas com Salários R$ 10.000,00 (Despesa)

Gabarito: D

2.3 Documentação Contábil


Segundo a Resolução CFC n° 1.330/11, documentação contábil é aquela que comprova os
fatos que originam lançamentos na escrituração da entidade e compreende todos os
documentos, livros, papéis, registros e outras peças, de origem interna ou externa, que
apoiam ou componham a escrituração.

A documentação contábil é hábil quando revestida das características intrínsecas ou


extrínsecas essenciais, definidas na legislação, na técnica-contábil ou aceitas pelos “usos e
costumes”.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 37


www.igorcintra.com.br

Os documentos em papel podem ser digitalizados e armazenados em meio magnético,


desde que assinados pelo responsável pela entidade e pelo profissional da contabilidade
regularmente habilitado, devendo ser submetidos ao registro público competente.

Vamos analisar um exercício recente sobre este tema?

34. (VUNESP – Contador – Itatiba-SP – 2015) De acordo com as Normas de Contabilidade,


a documentação contábil é aquela que comprova os fatos que originam lançamentos na
escrituração da entidade e compreende todos os documentos, livros, papéis, registros e
outras peças, de origem interna ou externa, que apoiam ou compõem a escrituração. A
documentação contábil é hábil quando revestida das características essenciais, definidas
na legislação, na técnica-contábil ou aceitas pelos “usos e costumes”. Essas características
mencionadas no texto são

(A) variáveis e permutativas.

(B) qualitativas e quantitativas.

(C) razoáveis e prudentes.

(D) públicas e privadas.

(E) intrínsecas ou extrínsecas.

Resolução:

Segundo a ITG 200 – Escrituração Contábil, documentação contábil é aquela que comprova
os fatos que originam lançamentos na escrituração da entidade e compreende todos os
documentos, livros, papéis, registros e outras peças, de origem interna ou externa, que
apoiam ou componham a escrituração.

A documentação contábil é hábil quando revestida das características intrínsecas ou


extrínsecas essenciais, definidas na legislação, na técnica-contábil ou aceitas pelos “usos e
costumes”.

Com isso, correta a alternativa E.

Gabarito: E

35. (VUNESP – Contador – FESC – 2012) A documentação contábil é aquela que comprova
os fatos que originam lançamentos na escrituração da entidade e compreende todos os
documentos, livros, papéis, registros e outras peças, de origem interna ou externa, que
apoiam ou componham a escrituração. A documentação contábil é hábil quando revestida

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 38


www.igorcintra.com.br

das características _____________________ essenciais, definidas na legislação, na técnica


contábil ou aceitas pelos “usos e costumes”.

Assinale a alternativa que completa, corretamente, o texto.

(A) contábeis e fiscais

(B) contábeis e por princípios

(C) internas e externas

(D) públicas e privadas

(E) intrínsecas ou extrínsecas

Resolução:

Questão idêntica à anterior, não é? Vimos que documentação contábil é aquela que
comprova os fatos que originam lançamentos na escrituração da entidade e compreende
todos os documentos, livros, papéis, registros e outras peças, de origem interna ou externa,
que apoiam ou componham a escrituração.

A documentação contábil é hábil quando revestida das características intrínsecas ou


extrínsecas essenciais, definidas na legislação, na técnica-contábil ou aceitas pelos “usos e
costumes”.

Gabarito: E

3. LIVROS CONTÁBEIS

Antes de estudarmos os Livros Contábeis saiba que existem os Livros que são exigidos pelos
Fiscos – Livros Fiscais (Federal, Estaduais e Municipais). O Estado de São Paulo, por exemplo,
possui o Livro Registro de Apuração do ICMS (RAICMS), Livro de Utilização de Documentos
Fiscais e Termos de Ocorrência (RUDFTO), Livro Registro de Entradas de Mercadorias, Livro
Registro de Saídas de Mercadorias etc.

No âmbito Federal há o Livro de apuração do Lucro Real (LALUR), Livro Registro de Apuração
do IPI etc.

Para a nossa disciplina esses livros não interessam. São estudados e cobrados em prova na
matéria de legislação específica de cada ente tributante.

Nosso estudo objetivará os Livros Contábeis, mais especificamente sobre o Livro Diário e o
Livro Razão.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 39


www.igorcintra.com.br

3.1 Livro Diário

Segundo o Código Civil no Livro Diário, que é obrigatório, serão lançadas, com
individualização, clareza e caracterização do documento respectivo, dia a dia, por escrita
direta ou reprodução, todas as operações relativas ao exercício da empresa.

Diz, ainda, deve ser realizada em idioma e moeda corrente nacionais e em forma contábil,
por ordem cronológica de dia, mês e ano, sem intervalos em branco, nem entrelinhas,
borrões, rasuras, emendas ou transportes para as margens.

Então lembre-se que:

 É obrigatório (Código Civil)


LIVRO
 Principal (registra todos os fatos contábeis)
DIÁRIO  Cronológico (dia, mês e ano)

Por ser obrigatório, o Livro Diário necessita cumprir uma série de formalidades,
denominadas, extrínsecas e intrínsecas.

3.1.1 Formalidades Extrínsecas

 Ser encadernado com folhas numeradas em sequência;


 Ter os termos de abertura e de encerramento;
 Ser autenticado do órgão competente do Registro do Comércio.

3.1.2 Formalidades Intrínsecas

 Ser escriturado em idioma e moedas nacionais;


 Estar ordem cronológica de dia, mês e ano;
 Estar sem intervalos em branco nem entrelinhas, sem borraduras, rasuras, emendas
(resumindo: sem esculacho!).

Zé Curioso: “Professor, percebi que as formalidades extrínsecas estão relacionadas com a


forma de apresentação e aparência dos livros, enquanto as formalidades intrínsecas se
preocupam com seu conteúdo”.

Rapaz! Você está ficando bom nisso! É isso mesmo! Então para ver se você realmente está
esperto, resolva as próximas questões!

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 40


www.igorcintra.com.br

36. (VUNESP – ISS-SJC – 2012) A escrituração contábil deve ser realizada com observância
aos Princípios de Contabilidade. O nível de detalhamento da escrituração contábil deve
estar alinhado às necessidades de informação de seus usuários. Nesse sentido, esta
interpretação não estabelece o nível de detalhe ou mesmo sugere um plano de contas a
ser observado. O detalhamento dos registros contábeis é diretamente proporcional à
complexidade das operações da entidade e dos requisitos de informação a ela aplicáveis
e, exceto nos casos em que uma autoridade reguladora assim o requeira, não devem
necessariamente observar um padrão pré-definido. Isto posto, de acordo com a Resolução
CFC 1.033/11, os livros contábeis obrigatórios, entre eles o Livro Diário e o Livro Razão, em
forma digital, devem revestir-se de formalidades extrínsecas, tais como:
I. serem assinados digitalmente pela entidade e pelo profissional da contabilidade
regularmente habilitado;
II. serem autenticados no registro público competente;
III. serem encadernados;
IV. terem suas folhas numeradas sequencialmente;
V. conterem termo de abertura e de encerramento assinados pelo titular ou representante
legal da entidade e pelo profissional da contabilidade regularmente habilitado no
Conselho Regional de Contabilidade.

Sobre as afirmações, está correto, apenas, o contido em

(A) I e II.

(B) II e III.

(C) II e IV.

(D) III e V.

(E) III, IV e V.

Resolução:

Segundo a Resolução n° 1.330/2011, os livros contábeis obrigatórios, entre eles o Livro


Diário e o Livro Razão, em forma não digital, devem revestir-se de formalidades extrínsecas,
tais como:
a) serem encadernados;
b) terem suas folhas numeradas sequencialmente;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 41


www.igorcintra.com.br

c) conterem termo de abertura e de encerramento assinados pelo titular ou representante


legal da entidade e pelo profissional da contabilidade regularmente habilitado no Conselho
Regional de Contabilidade.

Os livros contábeis obrigatórios, entre eles o Livro Diário e o Livro Razão, em forma digital,
devem revestir-se de formalidades extrínsecas, tais como:
a) serem assinados digitalmente pela entidade e pelo profissional da contabilidade
regularmente habilitado;
b) serem autenticados no registro público competente.

Com isso, correta a alternativa A.

Gabarito: A

37. (ESAF – ATRFB – 2002) Entre as formalidades extrínsecas e intrínsecas dos Livros de
Escrituração, destacamos as abaixo indicadas, exceto:

a) Termos de abertura e de encerramento.

b) Registro na Junta Comercial (autenticação).

c) Numeração tipográfica e sequencial das folhas.

d) Escrituração em ordem cronológica de dia, mês e ano.

e) Existência de emendas, rasuras e espaço em branco.

Resolução:

Ficou fácil, não é? Lembre-se das palavras-chave das formalidades:

Encadernação
EXTRÍNSECAS Termos (abertura e encerramento)
(apresentação)
Autenticação

Idioma e Moeda nacionais


INTRÍNSECAS Ordem Cronológica
(conteúdo)
Sem “esculacho” (rasura, emenda, intervalos em branco )

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 42


www.igorcintra.com.br

Para nunca esquecer basta decorar:

Formalidades Extrínsecas → ETA


(Encadernação, Termos e Autenticação)

Gabarito: E

38. (FEPESE – AFRE – SEFAZ-SC – 2010) O Novo Código Civil que estabelece ao empresário
e à sociedade empresária a obrigação de seguir um sistema de contabilidade com base na
escrituração uniforme de seus Livros afirma também que o livro Diário é o mais
importante, e por isso, está sujeito a certas formalidades quanto a sua apresentação e
registros.

Identifique as formalidades intrínsecas:

a) livro encadernado com costura, as páginas numeradas mecanicamente, devendo os


lançamentos obedecerem a uma ordem cronológica e uniforme.

b) deve possuir termos de abertura e de encerramento e a escrituração deve relatar


fielmente o fato contábil ocorrido, sendo essa obrigatoriedade uma formalidade intrínseca.

c) deve estar rubricado, em todas as páginas, pelo funcionário da Junta Comercial ou do


Cartório com competência para este fim, e não pode conter nos registros rasuras, borrões
ou emendas, sendo essa obrigatoriedade uma formalidade extrínseca.

d) não pode conter registro nas entrelinhas e nas margens, intervalos em branco, borrões,
rasuras, emendas, e a escrituração deve seguir um método uniforme.

e) deve conter a individualização e clareza dos lançamentos nele feitos, assim como estarem
assinados os termos de abertura e de encerramento pelo comerciante ou seu procurador e
pelo contabilista habilitado.

Resolução:

As formalidades intrínsecas têm relação com o conteúdo do livro, ou seja, ordem


cronológica, sem borrões, rasuras ou emendas, sem espaços em branco ou entrelinhas.

As formalidades extrínsecas têm relação com a forma de apresentação e aparência do livro,


tais como encadernação, termos de abertura e encerramento e autenticação.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 43


www.igorcintra.com.br

a) Incorreta. Encadernação é uma formalidade extrínseca (lembrou-se do ETA?).

b) Incorreta. Os termos de abertura e encerramento são formalidades extrínsecas (lembrou-


se do ETA?).

c) Incorreta. A autenticação pela Junta Comercial ou Cartório é uma formalidade extrínseca


(lembrou-se do ETA?).

d) Correta. Todos os itens são exemplos de formalidades intrínsecas.

e) Incorreta. Os termos de abertura e encerramento são formalidades extrínsecas (lembrou-


se do ETA?).

Gabarito: D

3.2 Livro Razão

É o livro que, através de contas, irá detalhar os lançamentos efetuados no Livro Diário. É
um livro facultativo, pela legislação comercial, mas obrigatório pelo Regulamento do
Imposto de Renda àquelas empresas obrigadas a declarar com base no Lucro Real. Ele
registra todos os fatos contábeis e é sistemático, pois os fatos são registrados por espécie,
ou seja, por cada tipo de conta (caixa, estoques, duplicatas a pagar etc). A Resolução CFC n°
1.330/2011 também elenca sua obrigatoriedade de escrituração.

Desta forma, quanto à obrigatoriedade:

DIÁRIO Novo Código Civil (art. 1.180)

Regulamento do IR
RAZÃO
Resolução CFC n° 1.330/11

Vamos resolver alguns exercícios sobre o tema?

39. (CESPE – Analista – FUNPRESP-JUD – 2016) A legislação brasileira determina ser


obrigatória a escrituração contábil; por isso, o empresário e a sociedade empresária
devem escriturar, pelo menos, os livros diário e razão.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Segundo a Lei n° 10.406/2002 (Código Civil):

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 44


www.igorcintra.com.br

Art. 1.179. O empresário e a sociedade empresária são obrigados a seguir um sistema de


contabilidade, mecanizado ou não, com base na escrituração uniforme de seus livros, em
correspondência com a documentação respectiva, e a levantar anualmente o balanço patrimonial
e o de resultado econômico.
§ 1° Salvo o disposto no art. 1.180, o número e a espécie de livros ficam a critério dos interessados.
§ 2° É dispensado das exigências deste artigo o pequeno empresário a que se refere o art. 970.
Art. 1.180. Além dos demais livros exigidos por lei, é indispensável o Diário, que pode ser
substituído por fichas no caso de escrituração mecanizada ou eletrônica.
Parágrafo único. A adoção de fichas não dispensa o uso de livro apropriado para o lançamento do
balanço patrimonial e do de resultado econômico.

Assim, de acordo com o Código Civil, apenas o Livro Diário é indispensável.

O Livro razão é, portanto, um livro facultativo pela legislação comercial, mas obrigatório
pelo Regulamento do Imposto de Renda àquelas empresas obrigadas a declarar com base
no Lucro Real.

Com isso, incorreta a afirmativa.

Gabarito: E

40. (CESPE – Analista – TRT – 2013) O balanço patrimonial e o de resultado econômico


devem ser lançados no livro razão. Ambos têm de ser assinados por técnico em ciências
contábeis legalmente habilitado e pelo empresário ou sociedade empresária.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Trata-se de questão literal do artigo 1.184 da Lei 10.406/2002 (Código Civil), cujo teor
reproduzo abaixo.
Art. 1.184. No Diário serão lançadas, com individuação, clareza e caracterização do
documento respectivo, dia a dia, por escrita direta ou reprodução, todas as operações
relativas ao exercício da empresa.
§ 1° Admite-se a escrituração resumida do Diário, com totais que não excedam o período
de trinta dias, relativamente a contas cujas operações sejam numerosas ou realizadas
fora da sede do estabelecimento, desde que utilizados livros auxiliares regularmente
autenticados, para registro individualizado, e conservados os documentos que permitam
a sua perfeita verificação.
§ 2° Serão lançados no Diário o balanço patrimonial e o de resultado econômico,
devendo ambos ser assinados por técnico em Ciências Contábeis legalmente habilitado
e pelo empresário ou sociedade empresária.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 45


www.igorcintra.com.br

Veja, portanto, que o examinador trocou o Diário por Razão, o que torna a afirmativa
incorreta.

Gabarito: E

41. (VUNESP – Analista – PRODEST-ES – 2014) De acordo com as normas contábeis e


legislação comercial, é obrigatório o uso de ___________ com folhas numeradas
seguidamente, em que serão lançados, dia a dia, diretamente ou por reprodução, os atos
ou operações da atividade mercantil, ou que modifiquem ou possam vir a modificar a
situação patrimonial de uma entidade, independentemente da forma de tributação.

A alternativa que completa corretamente a lacuna do texto é:

a) livro Diário

b) livro Razão

c) Balancete

d) Razão auxiliar

e) Razão auxiliar em ORTN/UFIR

Resolução:

Vimos que o Livro Diário é obrigatório segundo a legislação comercial. O Livro Razão, por
sua vez, é obrigatório pelo Regulamento do Imposto de Renda àquelas empresas obrigadas
a declarar com base no Lucro Real.

Com isso, correta a alternativa A.

Gabarito: A

42. (VUNESP – Contador – Cotia/SP – 2017) No que tange à escrituração contábil, quando
o Livro Diário e o Livro Razão forem gerados por processo que utilize fichas ou folhas
soltas, deve ser adotado o seguinte procedimento:

(A) o registro “Balancetes Diários e Balanços”.

(B) o lançamento contábil em duplicidade de numeração.

(C) o registro em forma mecanizada.

(D) o controle por razão auxiliar.

(E) a escrituração mensal, como forma acumulativa.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 46


www.igorcintra.com.br

Resolução:

Segundo a Resolução n° 1.330/2011:


15. Quando o Livro Diário e o Livro Razão forem gerados por processo que utilize fichas ou
folhas soltas, deve ser adotado o registro “Balancetes Diários e Balanços”.
16. No caso da entidade adotar processo eletrônico ou mecanizado para a sua escrituração
contábil, os formulários de folhas soltas, devem ser numerados mecânica ou
tipograficamente e encadernados em forma de livro.

Assim, correta a alternativa A.

Gabarito: A

4. DUPLICATAS DESCONTADAS
Trata-se de uma operação financeira onde a empresa, detentora de um crédito (“Duplicatas
a Receber”, “Clientes” etc) antecipa seu recebimento junto ao banco, que cobra juros por
essa operação.

A empresa assume responsabilidade solidária em relação a esta duplicata descontada. Ou


seja, caso o cliente não realize o pagamento das duplicatas junto ao banco a empresa será
cobrada (neste caso o banco debitará o valor das duplicatas que não foram quitadas na conta
corrente da empresa).

A classificação da conta “Duplicatas Descontadas” sofreu alteração após a Lei 11.941/09.


Antes era classificada como Retificadora das contas “Duplicatas a Receber” do Ativo
Circulante. Agora é classificada no Passivo Exigível, visto que se trata de verdadeiro
financiamento bancário.

Lembre-se muito bem disso! O assunto é relativamente novo e tem sido muito cobrado nos
últimos concursos!

CLASSIFICAÇÃO ATUAL NO BALANÇO


PATRIMONIAL:

DUPLICATAS PASSIVO
DESCONTADAS EXIGÍVEL

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 47


www.igorcintra.com.br

O registro da operação de desconto junto ao banco será realizado da seguinte forma pela
empresa:

D – Caixa ou Bancos conta Movimento (pelo recebimento antecipado do direito)


D – Encargos Financeiros a Transcorrer (pela cobrança de juros pelo banco)
C – Duplicatas Descontadas (pelo valor original das duplicatas)

Atenção! A conta “Encargos Financeiros a Transcorrer” é Retificadora da conta “Duplicatas


Descontadas” no Passivo Exigível. Este, pelo menos, é o entendimento da maioria das
bancas.

Frequentemente as bancas cobram qual conta será debitada se o cliente da empresa não
liquidar as Duplicatas junto ao banco no vencimento. Então saiba que:

CLIENTE NÃO PAGA A DÉBITO NA CONTA


DUPLICATA JUNTO AO BANCO “DUPLICATAS
NO VENCIMENTO DESCONTADAS”

Zé Curioso: “Professor, não entendi direito este registro. O que acontece se o cliente não
quitar, junto ao banco, tais duplicatas que foram descontadas pela empresa?”

Zé, eu te faço o seguinte questionamento: você já viu banco perder dinheiro? Nunca, não é?
Assim, se o cliente não quitar a duplicata que foi descontada, o banco simplesmente “pega”
o dinheiro necessário para quitá-la da conta corrente da empresa que descontou tais
duplicatas. Assim, a empresa deverá contabilizar o “desfalque” em sua conta corrente da
seguinte forma:

D – Duplicatas Descontadas (pela baixa das duplicatas que foram descontadas)


C – Banco conta Movimento (pelo valor que o banco carinhosamente pegou)

Perceba o direito de recebimento dessas duplicatas ainda existe e está contabilizado na


conta “Clientes” ou “Duplicatas a Receber”. O fato do cliente não ter quitado as duplicatas
junto ao banco só relaciona-se com as contas “Duplicatas Descontadas” e “Bancos conta
Movimento”. Nada impede, por exemplo, que depois de 10 dias o cliente compareça na
empresa, ou mesmo no banco, para quitar a sua obrigação. Neste caso, a empresa fará o
seguinte lançamento:

D – Caixa ou Bancos conta Movimento (pelo recebimento do direito)


C – Clientes (pela baixa do direito que fora recebido)

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 48


www.igorcintra.com.br

Por outro lado, caso o cliente pague normalmente, dentro do prazo, as Duplicatas que foram
descontadas, o banco comunicará tal pagamento para a empresa, que deverá realizar o
seguinte lançamento:

D – Duplicatas Descontadas (pela baixa das duplicatas descontadas)


C – Clientes (pela baixa do direito que fora recebido)

Zé Curioso: “E se o cliente for um caloteiro: não paga o banco no prazo de vencimento das
duplicatas e nunca mais aparece? Põe na conta do Abreu?”

Zé, neste caso a empresa deverá considerar tais créditos como incobráveis, utilizando o
saldo da conta “Perdas Estimadas com Créditos de Liquidação Duvidosa”, afinal é para isso
que esta conta serve! O lançamento será:

D – Perdas Estimadas com Créditos de Liquidação Duvidosa


C – Clientes (pela baixa do direito que fora considerado incobrável)

Perceba que a entidade está utilizando-se do saldo que ela estimou de perda com créditos
de liquidação duvidosa. Ou seja, está consumindo o saldo desta conta.

Vamos resolver uns exercícios?

43. (CESPE – Auditor – CGE-PI – 2015) A conta “duplicatas descontadas” representa uma
aplicação de recursos.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

A conta Duplicatas Descontadas é uma origem de recursos, pois possui natureza credora
(passivo exigível).

Com isso, incorreta a afirmativa.

Gabarito: E

44. (FGV – Analista Judiciário – Contador – TJ-GO – 2014) Ao buscar um empréstimo de


$10.000,00, a empresa Bolsofurado teve suas solicitações recusadas pelos bancos. Apenas
o Banco Urubu aceitou conceder um empréstimo com as seguintes condições:
- será feito na modalidade de desconto de duplicatas;
- o valor será pago em parcela única em 180 dias;
- o banco concederá 50% do valor das duplicatas que serão descontadas.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 49


www.igorcintra.com.br

Considerando as práticas contábeis aceitas no Brasil, assinale a alternativa que melhor


demonstra a contabilização da operação acima no momento da contratação é:

(A) Débito: caixa e bancos $10.000,00


Crédito: duplicatas descontadas (conta redutora do Ativo) $10.000,00;

(B) Débito: caixa e bancos $20.000,00


Crédito: duplicatas descontadas (conta redutora do Ativo) $20.000,00;

(C) Débito: caixa e bancos (Ativo) $10.000,00


Débito: despesa com juros (Resultado) $10.000,00
Crédito: duplicatas descontadas (conta redutora do Ativo) $20.000,00;

(D) Débito: caixa e bancos (Ativo) $10.000,00


Crédito: empréstimos e financiamentos (Passivo) $10.000,00;

(E) Débito: caixa e bancos (Ativo) $10.000,00


Débito: despesa com juros (Resultado) $10.000,00
Crédito: empréstimos e financiamentos (Passivo) $20.000,00.

Resolução:

Para que a empresa Bolsofurado capte, via desconto de duplicatas, $ 10.000,00, será
necessário realizar o desconto de um título cujo valo nominal é de $ 20.000,00 (afinal, o
próprio enunciado disse que o banco concederá 50% do valor das duplicatas que serão
descontadas).

Assim, o lançamento do desconto das duplicatas de valor de $ 20.000,00 será:

D – Caixa ou Bancos c/ Movimento $ 10.000,00 (Ativo)


D – Juros a Transcorrer $ 10.000,00 (Retif. do Passivo)
C – Duplicatas Descontadas $ 20.000,00 (Passivo)

Assim, no meu entendimento esta questão deveria ser anulada.

Gabarito: D

45. (ESAF – AFRFB – 2014) De acordo com as normas contábeis atualizadas, os juros
cobrados sobre a operação de desconto de duplicatas devem ser:

a) lançados como despesa financeira após o recebimento do último título descontado.

b) contabilizados pelo montante total dos juros descontados como despesas no momento
inicial da operação.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 50


www.igorcintra.com.br

c) registrados como despesas financeiras no momento da quitação de cada um dos títulos


descontados.

d) registrados como despesa financeira em três parcelas iguais através de rateio do total por
90 dias.

e) transferidos para o resultado como despesa financeira de acordo com o regime de


competência.

Resolução:

Vimos que para a ESAF os juros cobrados pela operação de desconto são registrados
inicialmente no Ativo (como despesas antecipadas), sendo transferido ao resultado ao longo
do tempo, de acordo com o regime de competência.

É importante que você saiba que apenas para a ESAF os Encargos Financeiros a Transcorrer
são classificados no Ativo. As demais bancas seguem o entendimento majoritário, ou seja,
classificação no Passivo Exigível.

Gabarito: E

Claro que na sua prova você não precisa ficar fazendo todos estes lançamentos. Estamos
fazendo isso apenas para que você se acostume e entenda os registros. Em sua prova, se o
enunciado falar em falta de pagamento, a conta debitada será “Duplicatas Descontadas”.

Agora que você já está craque no tema “Duplicatas Descontadas”, vamos dar uma olhada
no balancete de verificação. Será importante para que você tenha mais contato com diversas
contas!

5. BALANCETE DE VERIFICAÇÃO

Trata-se de um demonstrativo auxiliar, a ser elaborado, no mínimo, mensalmente, que


relaciona o saldo de todas as contas remanescentes do Livro Razão, com a finalidade de
verificar se a soma de todos os débitos é igual à soma de todos os créditos.

O Balancete de Verificação Inicial é composto pelas contas patrimoniais (bens, direitos,


obrigações e PL) e contas de resultado (receita e despesa), sendo realizado antes da
Apuração do Resultado do Exercício.

O Balancete de Verificação Final é composto apenas por contas patrimoniais. As contas de


resultado serão encerradas em contrapartida com a conta Apuração do Resultado do
Exercício, sendo posteriormente destinada ao Patrimônio Líquido (lucro ou prejuízo).

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 51


www.igorcintra.com.br

Vamos resolver uma bateria de exercícios sobre o tema. Só com muita prática é que iremos
nos acostumar com as contas que mais aparecem nas provas e suas respectivas
classificações. Ao longo dos exercícios irei explicar algumas contas que costumeiramente
geram mais dúvidas nos candidatos.

Mãos à obra!

46. (VUNESP – Técnico de Contabilidade – UNESP – 2014) Demonstre o saldo da rubrica


contábil “Caixa” de uma empresa no período encerrado em 31 de dezembro de 2012,
considerando os seguintes valores apresentados nas contas do balancete de verificação,
naquela data. Note que a rubrica não foi apresentada, portanto, deverá ser calculada
considerando os saldos devedores e credores apresentados.
R$
Capital 25.000,00
Contas a receber 50.000,00
Salários a pagar 23.000,00
Provisão para garantias 7.000,00
Estoques 25.000,00
Duplicatas descontadas 7.000,00
Provisão para desvalorização dos estoques 5.000,00
Financiamentos 15.000,00
Lucros a realizar 5.000,00
Depósitos judiciais 7.000,00
Imobilizado 15.000,00

(A) R$ 6.000,00

(B) R$ 10.000,00

(C) R$ 12.000,00

(D) R$ 24.000,00

(E) R$ 34.000,00

Resolução:

Para saber o saldo da conta caixa basta somar todos os saldos devedores e credores. Como
estes valores devem, obrigatoriamente, serem idênticos, conseguimos chegar ao valor de
tal conta.

CONTA DEVEDOR CREDOR


Capital 25.000,00
Contas a receber 50.000,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 52


www.igorcintra.com.br

Salários a pagar 23.000,00


Provisão para garantias 7.000,00
Estoques 25.000,00
Duplicatas descontadas 7.000,00
Provisão para desvalorização dos estoques 5.000,00
Financiamentos 15.000,00
Lucros a realizar 5.000,00
Depósitos judiciais 7.000,00
Imobilizado 15.000,00
97.000,00 87.000,00

Veja a soma dos saldos devedores é R$ 10.000,00 superior à soma dos saldos credores. Com
isso, conclui-se que a conta caixa terá saldo credor de R$ 10.000,00.

Com isso, correta a alternativa B.

No entanto, este gabarito é totalmente inconsistente, não é? Afinal, a conta caixa nunca
pode ter saldo credor! Deslize da VUNESP...

Gabarito: B

47. (VUNESP – Técnico em Contabilidade – UNIFESP – 2014) Considere os dados a seguir


para responder à questão.

Balancete de verificação em 31 de janeiro de 2014

Capital 100.000,00
Ativo Imobilizado 80.000,00
Fornecedores 120.000,00
Impostos a Recolher 28.000,00
Dividendos a Pagar 8.000,00
Receita de Vendas 150.000,00
Custos 90.000,00
Despesas Operacionais 42.000,00
Lucro Líquido 18.000,00
Estoques 85.000,00
Contas a Receber 92.000,00
Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa 6.000,00
Aplicações Financeiras 15.000,00
Caixa e Bancos 8.000,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 53


www.igorcintra.com.br

Considerando o balancete de verificação em 31 de janeiro de 2014 da Topa Quase Tudo


Ltda., conforme demonstrado, indique o valor do Patrimônio Líquido da empresa nessa
data.

(A) R$ 49.000,00.

(B) R$ 87.000,00.

(C) R$ 100.000,00.

(D) R$ 118.000,00.

(E) R$ 120.000,00.

Resolução:

O Patrimônio Líquido será formado por:

Capital R$ 100.000,00
Lucros Acumulados R$ 18.000,00
PATRIMÔNIO LÍQUIDO R$ 118.000,00

Perceba que a própria tabela já forneceu o valor do Lucro Líquido do exercício (R$
18.000,00), deforma que nem precisamos apurar o resultado do exercício. Tal lucro,
conforme demonstrado acima, foi destinado ao patrimônio líquido (Lucros Acumulados).

Com isso, correta a alternativa D.

Gabarito: D

48. (ESAF – AFRFB – 2012) O balancete de verificação evidencia

a) os estornos efetuados no período.

b) a configuração e classificação correta dos itens contábeis.

c) a igualdade matemática dos lançamentos efetuados no período.

d) o registro dos movimentos individuais das contas contábeis no período.

e) os lançamentos do período, quando efetuados de forma correta no período.

Resolução:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 54


www.igorcintra.com.br

O Balancete de Verificação evidencia se foi obedecido o método das partidas dobradas, e,


consequentemente, a soma dos saldos devedores é igual à soma dos saldos credores das
contas remanescentes. Questão muito fácil e caiu na prova de Auditor!

Gabarito: C

49. (FUNDATEC – CAGE – SEFAZ-RS – 2014) A respeito do Balancete de Verificação, e


correto afirmar que:

A) Num Balancetes de verificação de 4 colunas, a soma dos débitos e créditos é sempre igual
à soma dos saldos devedores e credores.

B) O Balancete de Verificação é uma demonstração contábil obrigatória.

C) O Balancete de Verificação serve como instrumento auxiliar para a elaboração do


orçamento das empresas públicas.

D) O Balancete de Verificação não deve ser elaborado mensalmente e deve ser elaborado
somente por ocasião do encerramento do exercício social.

E) O Balancete de Verificação serve somente para conferir matematicamente a aplicação do


Método das Partidas Dobradas.

Resolução:

Vamos analisar as alternativas!

a) Incorreta. Afirmativa sem qualquer fundamento. Um balancete de 4 colunas tem a


seguinte características:

Conta Saldo Inicial Movimentos Saldo Final


Débito Crédito
Caixa 10.000,00 58.000,00 48.000,00 20.000,00
Estoques 50.000,00 150.000,00 180.000,00 20.000,00

Perceba que a soma dos débitos foi de R$ 208.000,00 e a soma dos créditos foi de R$
228.000,00. Isso não tem nenhuma relação com a soma dos saldos devedores, por
exemplo, que no caso é de R$ 40.000,00 (saldos devedores finais).

b) Incorreta. O Balancete de Verificação é um demonstrativo auxiliar, não sendo


obrigatório.

c) Incorreta. O objetivo do Balancete de Verificação é verificar se a soma de todos os


débitos é igual à soma de todos os créditos. A questão inventou ao mencionar o
orçamento das empresas públicas.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 55


www.igorcintra.com.br

d) Incorreta. O Balancete de Verificação é elaborado no mínimo mensalmente. O


Balancete de Verificação Inicial é composto pelas contas patrimoniais (bens, direitos,
obrigações e PL) e contas de resultado (receita e despesa), sendo realizado antes da
Apuração do Resultado do Exercício. O Balancete de Verificação Final é composto
apenas por contas patrimoniais. As contas de resultado serão encerradas em
contrapartida com a conta Apuração do Resultado do Exercício, sendo posteriormente
destinada ao Patrimônio Líquido (lucro ou prejuízo).

e) Correta. Este é o objetivo do Balancete de Verificação! Ele confere se a soma de todos


os débitos é igual à soma de todos os créditos, conforme predispõe o Método das
Partidas Dobradas.

Gabarito: E

50. (ESAF – Contador – Ministério do Turismo – 2014) Estamos no exercício social de 2013
e compulsamos, entre diversas contas e saldos, os seguintes títulos:

Despesas do exercício seguinte R$ 250,00


Despesas do exercício R$ 400,00
Despesas a pagar R$ 520,00
Despesas do exercício anterior R$ 180,00
Despesas a vencer R$ 210,00
Receitas a receber R$ 270,00
Receitas a vencer R$ 145,00
Receitas de exercícios futuros R$ 230,00
Receitas de exercícios anteriores R$ 370,00
Receitas do exercício R$ 720,00

Após as apurações e classificações levadas a efeito para montagem das demonstrações


contábeis do exercício de 2013, podemos dizer que os elementos acima indicados vão
colaborar na equação contábil com a diferença

a) devedora de R$ 15,00.

b) credora de R$ 175,00.

c) credora de R$ 320,00.

d) credora de R$ 485,00.

e) credora de R$ 675,00.

Resolução:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 56


www.igorcintra.com.br

Pelas alternativas apresentadas dá para perceber que o enunciado quer saber a diferença
entre a soma dos saldos devedores e da soma dos saldos credores.

Para se chegar ao resultado proposto pela ESAF era necessário desconsiderarmos as contas
“Despesas do Exercício Anterior” e “Receitas de Exercícios Anteriores”, já que não se referem
ao exercício de 2013.

Não concordo com tal posicionamento, já que as contas foram apresentadas!

Assim, a resolução considerada pela ESAF foi:

CONTA CLASSIFICAÇÃO DÉBITO CRÉDITO


Despesas do exercício seguinte Ativo R$ 250,00
Despesas do exercício Resultado R$ 400,00
Despesas a pagar Passivo Exigível R$ 520,00
Despesas a vencer Ativo R$ 210,00
Receitas a receber Ativo R$ 270,00
Receitas a vencer Passivo Exigível R$ 145,00
Receitas de exercícios futuros Passivo Exigível R$ 230,00
Receitas do exercício Resultado R$ 720,00
R$ 1.130,00 R$ 1.615,00

Conclui-se, portanto, que o saldo credor é superior ao saldo devedor em R$ 485,00.

Gabarito: D

51. (ESAF – Contador – Ministério da Fazenda – 2013) Considerando que a movimentação


contábil sempre ocorre em forma de equação, para que as origens de recursos sejam iguais
à sua aplicação, organize os seguintes elementos segundo os critérios de débito e crédito.

Aumentos de ativo R$ 1.000,00


Aumentos de passivo R$ 1.200,00
Bens existentes R$ 2.000,00
Consumos realizados R$ 700,00
Direitos a receber R$ 1.500,00
Ganhos e rendas obtidos R$ 950,00
Obrigações a pagar R$ 2.150,00
Reduções de ativo R$ 450,00
Reduções de passivo R$ 800,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 57


www.igorcintra.com.br

Situação Líquida anterior R$ 1.350,00

Considerando que todo o movimento contábil dessa entidade está expresso na relação
acima, pode-se dizer que o item que a completará será

a) débito no valor de R$ 100,00.

b) crédito no valor de R$ 100,00.

c) débito no valor de R$ 50,00.

d) crédito no valor de R$ 50,00.

e) redução de caixa no valor de R$ 50,00.

Resolução:

Vocês lembram que na aula passada vimos que aplicações de recursos representam
aumentos de contas de natureza devedora. Por outro lado, as origens de recursos
representam aumento de contas de natureza credora. Assim, vamos organizar em uma
tabela os lançamentos a débito e a crédito:

Aumentos de ativo R$ 1.000,00 Aplicação DÉBITO


Aumentos de passivo R$ 1.200,00 Origem CRÉDITO
Bens existentes R$ 2.000,00 Ativo DÉBITO
Consumos realizados R$ 700,00 Despesa DÉBITO
Direitos a receber R$ 1.500,00 Ativo DÉBITO
Ganhos e rendas obtidos R$ 950,00 Receita CRÉDITO
Obrigações a pagar R$ 2.150,00 Passivo CRÉDITO
Reduções de ativo R$ 450,00 Origem CRÉDITO
Reduções de passivo R$ 800,00 Aplicação DÉBITO
Situação Líquida anterior R$ 1.350,00 PL CRÉDITO

𝑻𝒐𝒕𝒂𝒍 𝒅𝒆 𝑫É𝑩𝑰𝑻𝑶𝑺 = 𝑹$ 𝟔. 𝟎𝟎𝟎, 𝟎𝟎


𝑻𝒐𝒕𝒂𝒍 𝒅𝒆 𝑪𝑹É𝑫𝑰𝑻𝑶𝑺 = 𝑹$ 𝟔. 𝟏𝟎𝟎, 𝟎𝟎
Assim, percebe-se que está faltando um lançamento a DÉBITO no valor de R$ 100,00.

Gabarito: A

52. (ESAF – Contador – Ministério da Fazenda – 2013) Na data de encerramento do


exercício social, a empresa ABN S.A. apresentou a seguinte relação de contas e saldos
constantes do seu livro Razão:

Contas Saldos
Capital Social 18.000,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 58


www.igorcintra.com.br

Receitas de Vendas 16.500,00


Duplicatas a Receber 14.000,00
Duplicatas a Pagar 13.000,00
Clientes 12.000,00
Fornecedores 11.000,00
Móveis e Utensílios 10.000,00
Veículos 9.000,00
Bancos c/Movimento 8.500,00
Custo das Vendas 6.800,00
Reserva Legal 6.300,00
Empréstimos Obtidos 6.000,00
Mercadorias 5.000,00
Ações de Coligadas 4.300,00
Salários e Ordenados 4.200,00
Provisão p/Férias 3.500,00
Descontos Concedidos 3.200,00
Depreciação Acumulada 2.900,00
Aluguéis Ativos 2.500,00
Depreciação 2.100,00
Capital a Realizar 1.800,00
Juros Ativos 1.500,00
Caixa 1.500,00
Provisão p/ Devedores Duvidosos 1.100,00
Provisão p/ IR 1.000,00
Devedores Duvidosos 900,00

Ao mandar elaborar um balancete geral de verificação a partir dos saldos acima, a empresa
encontrará saldos devedores no valor de

a) R$ 83.300,00.

b) R$ 81.500,00.

c) R$ 80.400,00.

d) R$ 79.300,00.

e) R$ 77.500,00.

Resolução:

Vamos elaborar o balancete de verificação das contas apresentadas!

Contas Débito Crédito


Capital Social 18.000,00
Receitas de Vendas 16.500,00
Duplicatas a Receber 14.000,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 59


www.igorcintra.com.br

Duplicatas a Pagar 13.000,00


Clientes 12.000,00
Fornecedores 11.000,00
Móveis e Utensílios 10.000,00
Veículos 9.000,00
Bancos c/Movimento 8.500,00
Custo das Vendas 6.800,00
Reserva Legal 6.300,00
Empréstimos Obtidos 6.000,00
Mercadorias 5.000,00
Ações de Coligadas 4.300,00
Salários e Ordenados 4.200,00
Provisão p/Férias 3.500,00
Descontos Concedidos 3.200,00
Depreciação Acumulada 2.900,00
Aluguéis Ativos 2.500,00
Depreciação 2.100,00
Capital a Realizar 1.800,00
Juros Ativos 1.500,00
Caixa 1.500,00
Provisão p/ Devedores Duvidosos 1.100,00
Provisão p/ IR 1.000,00
Devedores Duvidosos 900
83.300,00 83.300,00

Gabarito: A

53. (FGV – Contador – DPE-RJ – 2014) Considere os saldos abaixo:

ADIANTAMENTO DE CLIENTES 8.000


APLICAÇÕES FINANCEIRAS 15.000
AJUSTE DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL ?
CAPITAL SOCIAL 55.000
CONTAS A RECEBER 20.000
DEPÓSITOS JUDICIAIS 5.000
DESPESAS ANTECIPADAS 3.000
DISPONIBILIDADES 35.000

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 60


www.igorcintra.com.br

EMPRÉSTIMOS CONCEDIDOS A CONTROLADAS 8.000


EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS DE CURTO PRAZO 32.000
EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS DE LONGO PRAZO 51.000
ESTOQUE 27.000
FONECEDORES 20.000
IMOBILIZADO 40.000
INTANGÍVEL 11.000
INVESTIMENTOS 9.000
RESERVAS 6.000
SALÁRIOS A PAGAR 11.500
TRIBUTOS A RECOLHER 1.500

O saldo da conta “Ajuste de Avaliação Patrimonial” é

(A) 28.000 devedor

(B) 18.000 devedor

(C) 12.000 devedor

(D) 4.000 credor

(E) 12.000 credor

Resolução:

Para resolver esta questão basta elaborar o Balancete de Verificação!

CLASSIFICAÇÃO DEVEDOR CREDOR


ADIANTAMENTO DE CLIENTES Passivo Exigível 8.000
APLICAÇÕES FINANCEIRAS Ativo 15.000
CAPITAL SOCIAL PL 55.000
CONTAS A RECEBER Ativo 20.000
DEPÓSITOS JUDICIAIS Ativo 5.000
DESPESAS ANTECIPADAS Ativo 3.000
DISPONIBILIDADES Ativo 35.000
EMPRÉSTIMOS CONCEDIDOS A CONTROLADAS Ativo 8.000
EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS DE CURTO PRAZO Passivo Exigível 32.000
EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS DE LONGO PRAZO Passivo Exigível 51.000
ESTOQUE Ativo 27.000
FONECEDORES Passivo Exigível 20.000
IMOBILIZADO Ativo 40.000
INTANGÍVEL Ativo 11.000
INVESTIMENTOS Ativo 9.000
RESERVAS PL 6.000

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 61


www.igorcintra.com.br

SALÁRIOS A PAGAR Passivo Exigível 11.500


TRIBUTOS A RECOLHER Passivo Exigível 1.500
173.000 185.000

Perceba que a soma dos saldos devedores é menor que a soma dos saldos credores em R$
12.000,00. Com isso, conclui-se que o saldo da conta Ajuste de Avaliação Patrimonial, conta
do PL, é devedora neste valor.

Gabarito: C

54. (FGV – Contador – SUSAM-AM – 2014) A Cia. F apresentava os seguintes saldos em seu
balancete de 31/12/2013:

Ativo não circulante disponível para venda: R$ 80.000,00


Depreciação Acumulada: R$ 20.000,00
Dividendos a pagar: R$ 15.000,00
Estoques com previsão de 180 dias para venda: R$ 40.000,00
Provisão para Perdas nos Estoques: R$ 4.000,00
Provisão para Créditos de Liquidação duvidosa: R$ 3.000,00
Clientes com recebimento em 720 dias: R$ 300.000,00
Veículos: R$ 50.000,00
Seguro dos veículos pago antecipadamente, apropriado
R$ 24.000,00
mensalmente de forma linear por dois anos:
Empréstimo a diretor com recebimento em 90 dias: R$ 10.000,00
Aplicação financeira com prazo de resgate de 270 dias: R$ 40.000,00
Caixa e Equivalentes de Caixa: R$ 18.000,00

Com base nas informações acima, o Balanço Patrimonial da Cia. F irá apresentar o seguinte
saldo como ativo circulante em 31/12/2013

(A) R$ 106.000,00.

(B) R$ 116.000,00.

(C) R$ 186.000,00.

(D) R$ 196.000,00.

(E) R$ 198.000,00.

Resolução:

O Ativo Circulante da entidade será composto por:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 62


www.igorcintra.com.br

Ativo Não Circulante Disponível para Venda R$ 80.000,00


(+) Estoques R$ 40.000,00
(–) Provisão para Perdas nos Estoques (R$ 4.000,00)
(+) Seguros pagos Antecipadamente R$ 12.000,00
(+) Aplicação Financeira R$ 40.000,00
(+) Caixa e Equivalentes de Caixa R$ 18.000,00
(=) ATIVO CIRCULANTE R$ 186.000,00

Assim, correta a alternativa C.

Perceba que apenas parte dos Seguros Pagos Antecipadamente (12 meses referente ao
período subsequente) estão no Ativo Circulante. O restante será classificado no Ativo Não
Circulante.

Perceba também que a EPCLD refere-se aos créditos com clientes, cujo prazo de
recebimento é de 720 dias. Assim, a EPCLD estará contabilizada retificando o Ativo Não
Circulante.

Além disso, o empréstimo concedido ao diretor será contabilizado no Ativo Não Circulante,
independe do prazo de recebimento.

Gabarito: C

55. (FCC – Técnico Judiciário – TRF – 2014) O Balancete de Verificação de uma empresa,
em 31/12/2012, apresentava os saldos das seguintes contas:

Saldo em Saldo
Nome da Conta Nome da Conta
R$ em R$
Veículos 3.000 Receitas de Vendas 7.500
Fornecedores 900 Caixa e Equivalentes de Caixa 300
Depreciação Acumulada 1.200 Despesas Comerciais 600
Máquinas e Equipamentos 6.000 Despesas Administrativas 1.500
Adiantamentos de Clientes 600 Despesa com Impostos 300
Capital 9.000 Custo das Mercadorias Vendidas 4.500
Impostos a Pagar 300 Valores a Receber 2.400
Reservas de Lucros 600 Estoques 1.500

Foram propostos dividendos no valor de R$ 240 no final de 2012, os quais serão pagos em
2013. Considere:

I. O total do Balanço Patrimonial em 31/12/2012 é R$ 20.100.


II. O total do Passivo em 31/12/2012 é R$ 2.040.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 63


www.igorcintra.com.br

III. O Resultado do Período (2012) é R$ 360.


IV. O Patrimônio Líquido da empresa em 31/12/2012 é R$ 9.960.
V. O total do Ativo em 31/12/2012 é R$ 12.000.
Está correto o que consta APENAS em

a) I, II e IV.

b) II, IV e V.

c) II, III, IV e V.

d) I e IV.

e) II, III e V.

Resolução:

Perceba que dentre as afirmativas uma é sobre o resultado do período. Assim, recomendo
utilizar a Apuração do Resultado do Exercício (ARE), ao invés da elaboração da
Demonstração do Resultado do Exercício. É mais simples, pois você irá agregar todas as
receitas e confrontar com todas as despesas, chegando ao resultado do período.

A.R.E.
DESPESAS RECEITAS
Despesas Comerciais 600 7.500 Receita de Vendas
Despesas Administrativas 1.500
Despesa com Impostos 300
CMV 4.500

6.900 7.500
600 → Lucro do Período
Assim, concluímos que a afirmativa III está incorreta! Quero que você perceba que os
dividendos não fazem parte da apuração do resultado do exercício. É apenas uma destinação
do lucro! Então do lucro do período, de R$ 600,00, parte dele será destinada ao pagamento
de dividendos (R$ 240,00) e o restante (R$ 360,00) ficará no Patrimônio Líquido da empresa
como lucros acumulados.

Para verificarmos as outras afirmativas vamos montar o balanço patrimonial.

ATIVO PASSIVO
Ativo Circulante 4.200,00 Passivo Circulante 2.040,00
Caixa e Equivalente de Caixa 300,00 Fornecedores 900,00
Valores a Receber 2.400,00 Adiantamento de Clientes 600,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 64


www.igorcintra.com.br

Estoques 1.500,00 Impostos a Pagar 300,00


Dividendos a Pagar 240,00
Ativo Não Circulante – Imobilizados 7.800,00
Veículos 3.000,00 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 9.960,00
( – ) Depreciação Acumulada (1.200,00) Capital Social 9.000,00
Máquinas e Equipamentos 6.000,00 Reserva de Lucros 600,00
Lucros Acumulados 360,00
TOTAL 12.000,00 TOTAL 12.000,00

Assim, verifica-se que as afirmativas II, IV e V estão corretas!

Gabarito: B

Finalizamos o estudo do Balancete de Verificação. Ele foi muito importante para você ter
contato com os mais diversos tipos de contas, não é? Tente marcar as contas que você
classificou equivocadamente e foque nelas (jeito bonito de se dizer: decore-as).

Agora vamos falar sobre o último assunto da aula, que é a diferença entre o Regime de Caixa
e o de Competência! Aguenta firme que está acabando!

6. REGIME DE CAIXA VS REGIME DE COMPETÊNCIA

Os dois regimes mais conhecidos de apuração das receitas são o de Caixa e o de


Competência. A regra geral é que adotamos o Regime de Competência para resolução dos
exercícios.

6.1 Regime de Competência

As receitas e despesa serão apropriadas de acordo com o fato gerador, independentemente


do efetivo recebimento das receitas ou do pagamento das despesas.

Se, por exemplo, determinada empresa não paga, efetivamente, os salários do mês ela
deverá, mesmo assim, contabilizar a despesa de salários (conta de resultado) em
contrapartida da obrigação de pagamento (Salários a Pagar).

D – Despesas de Salários (Despesa)


C – Salários a Pagar (Passivo Exigível)

56. (VUNESP – Contador – UNESP – 2012) Assinale a alternativa que completa, correta e
respectivamente, as lacunas da frase.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 65


www.igorcintra.com.br

De acordo com o regime de competência de exercícios, as receitas e despesas são


consideradas em função do seu _______________, e não em função do _______________.

(A) lançamento fiscal ... pagamento das contas a receber e pagamento das contas a pagar

(B) fato gerador ... recebimento da receita ou pagamento das despesas

(C) lançamento contábil ... recebimento das contas a receber ou pagamento das despesas

(D) fato gerador ... deferimento das receitas e despesas no exercício

(E) desembolso ... reconhecimento

Resolução:

Sabemos que pelo regime de competência as receitas e despesas são reconhecidas de


acordo com o fato gerador, independente do recebimento ou pagamento.

Assim, correta a alternativa B.

Gabarito: B

57. (VUNESP – Analista – SPTrans – 2012) O regime que determina as transações e outros
eventos sejam reconhecidos nos períodos a que se referem, independentemente do
recebimento ou pagamento, denomina-se

(A) misto.

(B) caixa.

(C) competência.

(D) especial.

(E) de compensação.

Resolução:

Segundo o regime de competência (ou princípio) determina que os efeitos das transações e
outros eventos sejam reconhecidos nos períodos a que se referem, independentemente do
recebimento ou pagamento.

Com isso, correta a alternativa C.

Gabarito: C

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 66


www.igorcintra.com.br

6.2 Regime de Caixa

As receitas e despesas serão apropriadas no momento do seu pagamento ou recebimento,


independentemente do momento em que são realizadas. Assim, a Despesa é considerada
incorrida quando for efetivamente paga. A Receita, por sua vez, será ganha, ou realizada,
quando for efetivamente recebida.

Se, por exemplo, determinada empresa paga os salários de dezembro antecipadamente em


novembro, ela irá contabilizar a “Despesa de Salários” já em novembro, pois foi este o
momento de seu desembolso. Assim, em novembro será contabilizado:

D – Despesas de Salários (Despesa)


C – Caixa (Ativo Circulante)

Portanto:

REGIME DE
FATO GERADOR
COMPETÊNCIA

REGIME DE MOMENTO DO
CAIXA PAGAMENTO

Vamos praticar esses conceitos com exercícios?

58. (CESPE – Analista – TCE/PR – 2016) Determinada empresa levantou as informações


mostradas a seguir (valores em reais), referentes às operações realizadas no mês de julho
de 2016.
receitas realizadas e não recebidas 180.000
receitas recebidas antecipadamente e não realizadas 150.000
despesas incorridas e pagas 100.000
receitas realizadas e recebidas 90.000
despesas incorridas e não pagas 80.000
despesas pagas antecipadamente e não incorridas 60.000

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 67


www.igorcintra.com.br

Com base nessas informações, é correto afirmar que, de acordo com o regime de
competência, a referida empresa obteve
A) prejuízo de R$ 10.000.
B) lucro de R$ 80.000.
C) lucro de R$ 90.000.
D) lucro de R$ 140.000.
E) lucro de R$ 180.000.
Resolução:
O Princípio da Competência determina que os efeitos das transações e outros eventos sejam
reconhecidos nos períodos a que se referem, independentemente do recebimento ou
pagamento.
A partir disso vamos focar nos fatos contábeis referentes a julho de 2016 para apurar o
resultado do período.
receitas realizadas e não recebidas 180.000
(–) despesas incorridas e pagas (100.000)
(+) receitas realizadas e recebidas 90.000
(–) despesas incorridas e não pagas (80.000)
(=) Resultado 90.000
Assim, correta a alternativa C.
Gabarito: C

Durante o mês de abril de 2013, uma empresa que comercializa móveis de estilo sob
encomenda realizou as seguintes transações:

 pagamento antecipado de seguro contra incêndio, no valor de R$ 12.000,00, com


cobertura de um ano, a contar do mês de junho de 2013;
 pagamento de diversas despesas incorridas no mês, no valor de R$ 23.000,00;
 recebimento antecipado de R$ 400.000,00, referentes às vendas de móveis a serem
entregues após 90 dias;
 recebimento de R$ 200.000,00, referentes às vendas a prazo realizadas em meses
anteriores;
 recebimento de R$ 80.000,00, referentes às vendas, no valor total de R$ 350.000,00, de
móveis do estoque e entregues no mesmo mês.

Acerca dessa situação, julgue o item a seguir, relacionado à apuração do resultado do mês
de abril de 2013.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 68


www.igorcintra.com.br

59. (CESPE – Contador – UNIPAMPA – 2013) O resultado do mês de abril de 2013, de acordo
com o regime de competência, foi de R$ 257.000,00.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Vamos apurar o resultado de abril de acordo com o regime de competência. Foque no fato
gerador das receitas e despesas. Ou seja, não se importe quando ocorrem os pagamentos
ou recebimentos.

Para facilitar vou analisar os fatos contábeis apresentados separadamente.

• pagamento antecipado de seguro contra incêndio, no valor de R$ 12.000,00, com cobertura de


um ano, a contar do mês de junho de 2013;

O pagamento antecipado de seguro não afeta o resultado do período de imediato. Veja que
a cobertura se dá a partir de junho de 2013, quando a entidade deverá apropriar
mensalmente uma Despesa com Seguros de R$ 1.000,00.

• pagamento de diversas despesas incorridas no mês, no valor de R$ 23.000,00;

Veja que as despesas foram incorridas no mês. Com isso, a entidade deverá apropriá-las no
resultado do período.

• recebimento antecipado de R$ 400.000,00, referentes às vendas de móveis a serem entregues


após 90 dias;

O recebimento antecipado de uma venda gera uma obrigação para a entidade. A venda
somente será reconhecida no momento da entrega do bem ao adquirente, o que ocorrerá
em 90 dias. Com isso, não há que se falar em reconhecimento no resultado de abril deste
fato contábil.

• recebimento de R$ 200.000,00, referentes às vendas a prazo realizadas em meses anteriores;

O recebimento de uma venda realizada a prazo não afeta o resultado do período. As vendas
são consideradas no resultado no momento em que elas são realizadas, independente se
houve pagamento ou não.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 69


www.igorcintra.com.br

• recebimento de R$ 80.000,00, referentes às vendas, no valor total de R$ 350.000,00, de móveis


do estoque e entregues no mesmo mês.

Esta venda deverá ser considerada no resultado de abril, de acordo com o regime de
competência. O fato de parte da venda ter sido recebida não influencia em nada.

Em resumo, afetarão o resultado de abril os seguintes fatos contábeis:

Despesas Incorridas (23.000,00)


Vendas 350.000,00
Lucro 327.000,00

Com isso, incorreta a afirmativa.

Gabarito: E

60. (VUNESP – Contador – FESC – 2012) Durante um processo de reconciliação de contas,


o analista contábil verificou que uma determinada despesa relativa ao exercício social de
2010 foi contabilizada no exercício de 2011. Após estudos realizados pelo analista e pelo
contador, concluiu-se que tal despesa foi contabilizada por ocasião de seu pagamento
ferindo, dessa forma,

(A) o princípio da competência de exercícios.

(B) o regime de caixa.

(C) a análise subsequente.

(D) a norma da oportunidade.

(E) o critério de partidas dobradas.

Resolução:

O enunciado diz que a despesa foi contabilizada no momento de seu pagamento e não de
acordo com seu fato gerador.

Com isso, conclui-se que foi maculado o regime de competência, o que torna correta a
alternativa A.

Gabarito: A

61. (VUNESP – Analista Legislativo – Pirassununga/SP – 2016) De acordo com o regime de


competência, a contabilização da receita e da despesa devem ocorrer na seguinte
situação:

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 70


www.igorcintra.com.br

(A) a receita na emissão do pedido; a despesa no seu pagamento.

(B) a receita na venda do produto; a despesa incorrida e não paga.

(C) a receita recebida por adiantamento; a despesa não incorrida e paga.

(D) a receita no seu recebimento; a despesa no seu pagamento.

(E) a receita não realizada; a despesa não incorrida e não paga.

Resolução:

Segundo o art. 177 da Lei n° 6.40/76 “a escrituração da companhia será mantida em


registros permanentes, com obediência aos preceitos da legislação comercial e desta Lei e
aos princípios de contabilidade geralmente aceitos, devendo observar métodos ou critérios
contábeis uniformes no tempo e registrar as mutações patrimoniais segundo o regime de
competência.”

O art. 187, § 1º, diz que na determinação do resultado do exercício serão computados:
a) as receitas e os rendimentos ganhos no período, independentemente da sua
realização em moeda; e
b) os custos, despesas, encargos e perdas, pagos ou incorridos, correspondentes a essas
receitas e rendimentos.

Assim, perceba que a contabilização de receitas e despesas pelo regime de competência


independe do efetivo recebimento e pagamento. Na realidade, a entidade deve focar no
fato gerador da receita e da despesa.

Assim, correta a alternativa B.

Gabarito: B

62. (VUNESP – Contador – UNIFESP – 2014) As normas contábeis determinam que a receita
abrange tanto receitas propriamente ditas quanto ganhos. A receita surge no curso das
atividades usuais da entidade e é designada por uma variedade de nomes, tais como

(A) empréstimos, financiamentos, juros, dividendos, aluguéis.

(B) vendas, honorários, juros, dividendos, royalties, aluguéis.

(C) vendas, honorários, empréstimos, financiamentos, juros, dividendos, royalties, aluguéis.

(D) vendas, faturamento, honorários, empréstimos, financiamentos, juros, dividendos,


royalties, aluguéis.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 71


www.igorcintra.com.br

(E) vendas, faturamento, honorários, empréstimos, juros, dividendos, aluguéis.

Resolução:

A Receita é definida pelo CPC 30 como aumento nos benefícios econômicos durante o
período contábil sob a forma de entrada de recursos ou aumento de ativos ou diminuição
de passivos que resultam em aumentos do patrimônio líquido da entidade e que não sejam
provenientes de aporte de recursos dos proprietários da entidade.

As receitas englobam tanto as receitas propriamente ditas como os ganhos. A receita surge
no curso das atividades ordinárias da entidade e é designada por uma variedade de nomes,
tais como vendas, honorários, juros, dividendos e royalties.

Com isso, correta a alternativa D.

Gabarito: B

63. (CESPE – Agente – Policia Federal – 2012) Determinada entidade apresentou os


seguintes eventos no mês de abril de 2012.
I. pagamento de R$ 4.200,00, no mês de abril de 2012, referentes a aluguel dos meses de
abril e maio de 2012;
II. consumo e pagamento de despesas, em abril de 2012, com serviços de limpeza e
conservação, relativos ao mês de abril de 2012, no valor de R$ 1.800,00;
III. recebimento, em abril de 2012, em dinheiro, por serviços prestados no mês de março
de 2012, no valor de R$ 3.600,00;
IV. prestação de serviços, no mês de abril de 2012, para recebimento em maio de 2012, no
valor de R$ 5.700,00.
À luz do regime de caixa e do regime de competência, julgue os itens seguintes, relativos
à apuração de resultado do mês de abril de 2012 da entidade considerada.

Independentemente do regime considerado, os resultados apurados no mês de abril de


2012 serão iguais.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Vamos apurar o resultado de abril pelo regime de competência e regime de caixa! No regime
de competência devemos focar no fato gerador das receitas e despesas. No regime de caixa
focaremos quando ocorreu o efetivo recebimento de receitas e pagamento de despesas.

A.R.E. (Competência) A.R.E. (Caixa)


Despesas Receitas Despesas Receitas

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 72


www.igorcintra.com.br

I. 2.100 4.200
II. 1.800 1.800
III. 3.600
IV. 5.700
3.900 5.700 6.000 3.600
1.800 2.400

Perceba que o resultado de abril pelo Regime de Competência foi um lucro de R$ 1.800,00,
ao passo que pelo Regime de Caixa apurou-se um prejuízo de R$ 2.400,00.

Com isso, incorreta a afirmativa.

Gabarito: E

64. (VUNESP – Auditor – CGM-SP – 2015) De forma a retratar, com propriedade, os efeitos
de transações e outros eventos e circunstâncias sobre os recursos econômicos e
reivindicações da Empresa, que reporta a informação nos períodos em que ditos efeitos
são produzidos, ainda que os recebimentos e pagamentos em caixa derivados ocorram em
períodos distintos, o contador da Empresa Contabiliza Tudo S.A. realizou as seguintes
contabilizações no mês de julho de 2015:

Folha de pagamento do mês em referência R$ 127.859,00


Provisão de 1/12 do 13º salário R$ 10.451,00
Provisão de férias proporcionais R$ 12.997,00
Aluguel do mês, referente a filial 2 R$ 23.000,00
Comissão de vendas do mês R$ 200.000,00
Reconhecimento de 1/12 do prêmio de seguros R$ 1.130,00

Nota-se que essas operações impactaram ou impactarão o fluxo financeiro da empresa em


seus respetivos vencimentos.

Tal afirmação, bem como os procedimentos adotados pelo contador da empresa, estão:

a) em conformidade com a norma contábil do custo histórico como base de valor.

b) em linha com as informações sobre os fluxos de caixa da entidade, que reportam a


informação durante um período para gerar e aplicar fluxos de caixa futuros líquidos.

c) de acordo com a performance financeira refletida pelos fluxos de caixa passados.

d) em conformidade com o regime de competência na contabilização das operações da


empresa.

e) em conformidade com o regime de caixa no reconhecimento das despesas da empresa.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 73


www.igorcintra.com.br

Resolução:

Vimos que a entidade deve reconhecer as despesas de acordo com seus respectivos fatos
geradores, independente se foram efetivamente pagas ou não.

Todas as despesas apresentadas no enunciado foram incorridas no mês de referência e


deverão ser apropriadas ao resultado, de acordo com o regime de competência.

Assim, correta a alternativa D.

Gabarito: D

65. (VUNESP – Controlador Interno – Câmara de Registro/SP – 2016) Com base no princípio
da competência, considere os dados a seguir:
– Despesas incorridas e pagas: R$ 54.000,00
– Despesas não incorridas e pagas: R$ 163.000,00
– Despesas incorridas e não pagas: R$ 30.000,00
– Receitas recebidas e não realizadas: R$ 65.000,00
– Receitas realizadas e recebidas: R$ 80.000,00
– Receitas realizadas e não recebidas: R$ 110.000,00

Assinale a alternativa que demonstra o valor do resultado do exercício.

a) Prejuízo de R$ 84.000,00.

b) Lucro zero.

c) Lucro igual a R$ 106.000,00.

d) Lucro igual a R$ 84.000,00.

e) Prejuízo de R$ 95.000,00.

Resolução:

Sabemos que o resultado do exercício deve ser calculado de acordo com o regime de
competência. Assim, vamos considerar apenas as despesas incorridas e as receitas
realizadas, independentemente se foram efetivamente pagas e recebidas, respectivamente.

Despesas incorridas e pagas: (R$ 54.000,00)


Despesas incorridas e não pagas: (R$ 30.000,00)
Receitas realizadas e recebidas: R$ 80.000,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 74


www.igorcintra.com.br

Receitas realizadas e não recebidas: R$ 110.000,00


LUCRO R$ 106.000,00

Com isso, correta a alternativa C.

Gabarito: C

Analise os dados a seguir para responder às questões de números 66 e 67.

A Companhia Primeiros Passos Ltda. realizou durante o mês de abril de 2013 apenas duas
operações: a) Compra de mercadorias para revenda por R$ 120, dos quais 50% foram
pagos ainda no mês de abril, e o saldo remanescente será liquidado apenas em maio de
2013; b) Venda de mercadorias a vista no mês de abril de 2013, por R$ 190, as quais lhe
haviam custado R$ 120.

66. (VUNESP – Assistente em Contabilidade – DCTA – 2013) É correto afirmar que, após a
contabilização das referidas operações no mês de abril de 2013, a conta caixa apresentará
o saldo de

(A) R$ 190.

(B) R$ 130.

(C) R$ 120.

(D) R$ 70.

(E) R$ 60.

Resolução:

Vamos analisar os lançamentos dos dois fatos contábeis apresentados.

a) Compra de mercadorias para revenda por R$ 120, dos quais 50% foram pagos ainda no
mês de abril, e o saldo remanescente será liquidado apenas em maio de 2013;

D – Estoques R$ 120 ( Ativo Circulante)


C – Caixa R$ 60 ( Ativo Circulante)
C – Fornecedores R$ 60 ( Passivo Circulante)

b) Venda de mercadorias a vista no mês de abril de 2013, por R$ 190, as quais lhe haviam
custado R$ 120.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 75


www.igorcintra.com.br

D – Caixa R$ 190 ( Ativo Circulante)


D – CMV R$ 120 ( Resultado)
C – Receita de Vendas R$ 190 ( Resultado)
C – Estoques R$ 120 ( Ativo Circulante)

Com isso conclui-se que a conta Caixa apresentará um saldo de R$ 130.

Gabarito: B

67. (VUNESP – Assistente em Contabilidade – DCTA – 2013) Com relação às demais contas
envolvidas na operação, é correto afirmar que o saldo, no mês de abril de 2013, será

(A) R$ 60 em duplicatas a receber.

(B) R$ 70 em fornecedores.

(C) R$ 120 em estoques.

(D) R$ 60 em duplicatas a pagar.

(E) R$ 190, no custo das mercadorias vendidas.

Resolução:

Vamos analisar as alternativas apresentadas.

a) Incorreta. Não há que se falar em saldo na conta Duplicatas a Receber, pois a venda foi
realizada à vista.

b) Incorreta. A conta Fornecedores possui saldo de R$ 60.

c) Incorreta. Não há saldo na conta Estoques, pois todas as mercadorias adquiridas foram
vendidas.

d) Correta. Realmente a conta Duplicatas a Pagar (que eu chamei de Fornecedores) possui o


saldo de R$ 60.

e) Incorreta. O Custo das Mercadorias Vendidas foi de R$ 120.

Gabarito: D

68. (FUNCAB – Contador – SUDECO – 2013) No sentido de atingir seus objetivos de prestar
informações aos seus usuários, as demonstrações contábeis são preparadas de acordo
com o regime de competência que, em linhas gerais, contempla os efeitos das transações
contábeis no momento de sua ocorrência. Considerando o regime de competência e as

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 76


www.igorcintra.com.br

informações abaixo, identifique e assinale a alternativa com resultado do exercício de


2011.

 Despesa de dezembro de 2011, paga em janeiro 2012 – R$ 20.000,00.


 Despesa de janeiro de 2012, paga em dezembro de 2011 – R$ 25.000,00.
 Despesa de dezembro de 2011, paga em dezembro de 2011 – R$ 35.000,00.
 Receita de dezembro de 2011, recebida em janeiro de 2012 – R$ 65.000,00.
 Receita de janeiro de 2012, recebida em dezembro de 2011 – R$ 40.000,00.
 Receita de dezembro de 2011, recebida em dezembro de 2011 – R$ 35.000,00.

A) Lucro de R$ 15.000,00.

B) Prejuízo de R$ 60.000,00.

C) Lucro de R$ 45.000,00.

D) Prejuízo de R$ 45.000,00.

E) Lucro de R$ 60.000,00.

Resolução:

Na apuração do resultado pelo Regime de Competência não importa a data do recebimento


das receitas e do pagamento das despesas.

Então vamos apurar o resultado do exercício de 2011 (foque nas despesas e receitas de
dezembro de 2011):

A.R.E. (Competência)
Despesas Receitas
20.000,00 65.000,00
35.000,00 35.000,00
55.000,00 100.000,00
45.000,00

Assim, correta a alternativa C.

Como forma de treinamento segue a apuração do resultado do exercício pelo Regime de


Caixa (foque nas despesas e receitas efetivamente pagas e recebidas em dezembro de 2011).

A.R.E. (Caixa)
Despesas Receitas
25.000,00 40.000,00
35.000,00 35.000,00
60.000,00 75.000,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 77


www.igorcintra.com.br

15.000,00

Gabarito: C

69. (FUNDATEC – CAGE – SEFAZ-RS – 2014) A empresa Comercial Irmão Gervásio Ltda. Teve
o seguinte fluxo de liquidação de receitas e despesas:

Despesas relativas a dez/2013, pagas em dez/2013 R$ 45.000,00


Despesas relativas a jan/2014, pagas em dez/2013 R$ 54.000,00
Despesas relativas a dez/2013, pagas em jan/2014 R$ 36.000,00
Receitas relativas a dez/2013, recebidas em jan/2014 R$ 27.000,00
Receitas relativas a jan/2014, recebidas em dez/2013 R$ 63.000,00
Receitas relativas a dez/2013, recebidas em dez/2013 R$ 51.000,00

Com base nas informações fornecidas, se o regime adotado fosse o regime de caixa e o
resultado do mesmo ano fosse o regime de competência, o resultado do exercício de 2013
seria, respectivamente:

A) Prejuízo de R$ 15.000,00 e Lucro de R$ 3.000,00.

B) Lucro de R$ 60.000,00 e Prejuízo de R$ 13.000,00.

C) Prejuízo de R$ 45.000,00 e Prejuízo de R$ 3.000,00.

D) Lucro de R$ 60.000,00 e Lucro de R$ 13.000,00.

E) Lucro de R$ 15.000,00 e Prejuízo de R$ 3.000,00.

Resolução:

Quando a questão pedir o resultado do exercício segundo o Regime de Caixa e o Regime de


Competência eu sugiro fazer por partes. Primeiro abra um razonete de apuração do
resultado para um regime contábil. Depois de terminado abra o razonete para o outro. Desta
maneira a chance de confusão é menor, ok?

Quando for analisar o Regime de Caixa foque nas receitas e despesas que foram recebidas
em 2013. Quando for analisar o Regime de Competência, foque nas receitas e despesas
relativas a 2013. Veja como ficam as apurações do resultado do exercício de 2013 nos dois
regimes:

REGIME DE CAIXA
DESPESAS RECEITAS
45.000 -
54.000 63.000

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 78


www.igorcintra.com.br

- 51.000
99.000 114.000
15.000 → Lucro do Período

REGIME DE COMPETÊNCIA
DESPESAS RECEITAS
45.000 27.000
- -
36.000 51.000
81.000 78.000
3.000 → Prejuízo do Período

Gabarito: E

70. (ESAF – Analista de Comércio Exterior – MDIC – 2012) Contabilizando suas operações
em 2010 sob o regime contábil de caixa, a empresa Primeira & Cia. Ltda. registrou os
seguintes eventos, entre outros que compõem seus resultados:
I. recebimento de aluguéis relativos a janeiro de 2011, no valor de R$ 4.800,00;
II. salários de dezembro de 2010 para pagamento apenas em janeiro de 2011, no valor
de R$ 5.600,00;
III. pagamento das comissões referentes a dezembro de 2010, no valor de R$ 2.500,00;
IV. pagamento do aluguel do caminhão correspondente a janeiro de 2011, no valor de
R$ 3.200,00;
V. recebimento de juros relativos a 2010, no valor de R$ 1.200,00.

Na apuração final do lucro a empresa verificou que faltava registrar o valor de R$ 4.000,00
decorrente de comissões ganhas no ano, ainda não recebidas.

Tais eventos foram computados no resultado da empresa Primeira & Cia. Ltda., sob o
regime de competência. Com isso, houve uma redução de lucros na importância de

a) R$ 6.900,00.

b) R$ 6.100,00.

c) R$ 4.500,00.

d) R$ 2.900,00.

e) R$ 500,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 79


www.igorcintra.com.br

Resolução:

Vamos analisar o resultado pelos dois Regimes Contábeis para verificar se há diferença entre
eles.

Ao analisar o Regime de Competência se concentre em considerar apenas as receitas e


despesas do período, independente de recebimento ou pagamento. Contrariamente, ao
analisar o Regime de Caixa se concentre em considerar apenas os efetivos pagamentos e
recebimentos, tudo bem? Vejam a diferença:

Perceba que a ESAF comeu bola, pois não há alternativa correra. A pergunta é: “com isso
houve uma redução de lucros na importância de:”

Ora, a diferença entre os dois Regimes foi de R$ 300 de Lucro, pelo Regime de Caixa, para
R$ 2.900,00 de prejuízo, pelo Regime de Competência. Portanto, a redução é de R$ 3.200,00.

Como não há essa alternativa o candidato tinha que fechar o olho e marcar a alternativa D,
que traz o Prejuízo do período calculado pelo Regime de Competência.

Gabarito: D

71. (CETRO – ISS-SP – 2014) A sociedade empresária “RESULTADO Ltda.” apresenta os


seguintes dados, com os quais deseja apurar o resultado do período de outubro:
Receita ganha em outubro e recebida em novembro: R$200.000,00.
Receita ganha em novembro e recebida em outubro: R$100.000,00.
Receita ganha em outubro e recebida em setembro: R$150.000,00.
Despesas incorridas em outubro e pagas em outubro: R$80.000,00.
Despesas incorridas em setembro e pagas em outubro: R$75.000,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 80


www.igorcintra.com.br

Despesas incorridas em outubro e pagas em novembro: R$97.000,00.

Com base nas informações e considerando o Regime de Competência, assinale a


alternativa que apresenta o resultado de outubro.

(A) Lucro de R$392.000,00.

(B) Lucro de R$273.000,00.

(C) Lucro de R$173.000,00.

(D) Prejuízo de R$55.000,00.

(E) Lucro de R$98.000,00.

Resolução:

Como o enunciado quer saber o resultado de outubro pelo Regime de Competência, você
deveria riscar todas as receitas e despesas ganhas e incorridas em outros períodos, pois elas
serão consideradas em período próprio. Assim, só vão nos interessar os seguintes fatos:
Receita ganha em outubro e recebida em novembro: R$200.000,00.
Receita ganha em novembro e recebida em outubro: R$100.000,00.
Receita ganha em outubro e recebida em setembro: R$150.000,00.
Despesas incorridas em outubro e pagas em outubro: R$80.000,00.
Despesas incorridas em setembro e pagas em outubro: R$75.000,00.
Despesas incorridas em outubro e pagas em novembro: R$97.000,00.

Conclui-se, portanto, que o total das receitas ganhas em outubro foi de R$ 350.000,00 e o
total das despesas incorridas em outubro foi de R$ 177.000,00.

Assim, o resultado de outubro foi um Lucro de R$ 173.000,00.

Gabarito: C

72. (CESPE – AFRE – SEFAZ-ES – 2013) Uma empresa realizou os seguintes eventos
contábeis durante o mês de março do ano X1.

 prestação de serviços no valor de R$ 100 mil à vista;


 pagamento de despesas com salários de funcionários no valor de R$ 30 mil, referente à
mão de obra do mês anterior;
 despesas com contratação de empresa para consultoria e treinamento no valor de R$ 5
mil, a serem pagas em trinta dias;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 81


www.igorcintra.com.br

 empréstimos concedidos a funcionários no valor de R$ 10 mil, sendo a primeira parcela


vincenda em sessenta dias;
 recebimento da antecipação de um cliente no valor de R$ 15 mil, por serviços que serão
prestados somente em abril;
 pagamento de despesas de energia elétrica do mês no valor de R$ 1 mil.

Considerando a situação hipotética acima apresentada, assinale a opção correta acerca


dos procedimentos de escrituração contábil, do regime de apuração e do sistema de
partidas dobradas.

A) No livro diário, a antecipação de um cliente deve ser registrada a débito da conta caixa
ou banco e a crédito da conta receitas antecipadas, logo o impacto nas disponibilidades será
nula em função da obrigação preestabelecida.

B) O empréstimo no valor de R$ 10 mil representa um passivo de curto ou longo prazo, em


função da quantidade de parcelas para amortização da dívida.

C) O recebimento da antecipação de um cliente no valor de R$ 15 mil representa um ativo,


em função do direito de prestar o serviço em data posterior.

D) O resultado da empresa pelo regime de competência será R$ 30 mil maior que aquele
apurado pelo regime de caixa, em razão das despesas de salários do período.

E) Caso a empresa esteja apurando o resultado pelo regime de caixa, ela terá aferido um
lucro de R$ 84 mil ao final do mês de março.

Resolução:

Vamos analisar as afirmativas apresentadas.

a) Incorreta. Como entrou numerário em caixa (ou no banco), evidente que houve impacto
nas disponibilidades. O crédito em receitas antecipadas (ou Adiantamento de Clientes) é
contabilizado no Passivo Exigível.

b) Incorreta. Esta alternativa é problemática mas inicialmente eu consideraria ela incorreta


e procuraria uma “mais correta” para assinalar. O empréstimo a funcionários
aparentemente é de curto prazo, pois é exigível em 60 dias e não há informação adicional
se os funcionários são participantes dos lucros da companhia. Não confunda esta situação
com a classificação no Ativo Não Circulante – Realizável a Longo Prazo dos adiantamentos
ou empréstimos a sociedades coligadas ou controladas, diretores, acionistas ou
participantes no lucro da companhia, que não constituírem negócios usuais na exploração
do objeto da companhia.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 82


www.igorcintra.com.br

c) Incorreta. O recebimento antecipado de um cliente gera um direito (pelo dinheiro que


entrou no caixa) e uma obrigação (de prestar o serviço em data futura). Não há direito de
prestar o serviço, mas obrigação!

d) Incorreta. Vide os comentários abaixo. O resultado apurado pelo Regime de


Competência foi superior ao Regime de Caixa em R$ 10 mil.

e) Correta. Conforme apurado abaixo, o resultado apurado pelo Regime de Caixa foi um
lucro de R$ 84.000,00.

Vamos apurar o resultado pelo regime de caixa e competência. Lembre-se que pelo Regime
de Caixa focaremos no momento do recebimento de receitas ou pagamento de despesas.

A.R.E. (Competência) A.R.E. (Caixa)


Despesas Receitas Despesas Receitas
I. 100.000 100.000
II. 30.000
III. 5.000
IV.
V. 15.000
VI. 1.000 1.000
6.000 100.000 31.000 115.000
94.000 84.000

Gabarito: E

73. (CESPE – Contador – CADE – 2014) O registro contábil de um débito na conta caixa e de
um crédito na conta receita de aluguéis a vencer diferida corresponde à receita cujo fato
gerador ainda não ocorreu. Dessa forma, o reconhecimento da referida receita no
resultado em momento futuro estará em conformidade com o regime de competência.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Resolução:

Trata-se de um recebimento antecipado de aluguéis, que vai gerar o reconhecimento de


uma obrigação para a entidade.

D – Caixa (Ativo Circulante)


C – Aluguéis a Vencer (Passivo Circulante)

Perceba que não há neste momento reconhecimento de receita, pois o fato gerador
ocorrerá apenas no futuro, quando a entidade finalmente a apropriará ao resultada através
do lançamento abaixo.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 83


www.igorcintra.com.br

D – Aluguéis a Vencer (Passivo Circulante)


C – Receita de Aluguel (Resultado)

Com isso, correta a afirmativa.

Gabarito: C

Pessoal, com isso terminamos a aula de hoje, que é de extrema importância para sua prova.
Não deixe de revisar todas as questões que você errou ou teve dificuldade para acertar, pois
acredito que serão cobradas ao menos duas questões de Contabilidade Geral a respeito dos
típicos aqui discutidos.

Qualquer dúvida estou à disposição no fórum do site!

Grande abraço e até a próxima!

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 84


www.igorcintra.com.br

MEMÓRIA DE ELEFANTE
CONTA
Nome que identifica um elemento patrimonial (bem, direito, obrigação) ou de uma variação do
patrimônio (receita ou despesa).

Contas Patrimoniais
 Ativo (natureza devedora);
 Passivo Exigível (natureza credora);
 Patrimônio Líquido (natureza credora).

Contas de Resultado
 Receita (natureza credora);
 Despesa (natureza devedora).

PLANO DE CONTAS
Conjunto de contas contábeis necessário para atender o registro, acumulação dos lançamentos
contábeis e todas as necessidades futuras de informações por meio das demonstrações e relatórios
contábeis, fiscais, societários e gerenciais, de forma a permitir o controle econômico da entidade.

Contas Analíticas
Representam o maior detalhamento do conjunto patrimonial da entidade, e são as únicas que
efetivamente recebem lançamentos contábeis.

Contas Sintéticas
Não recebem os lançamentos contábeis propriamente ditos, mas apenas resumem, sumarizam,
sintetizam o saldo de diversas contas analíticas ou até mesmo sintéticas.

ESCRITURAÇÃO CONTÁBIL
Tem por objetivo registrar os fatos contábeis em livros próprios
Art. 177. A escrituração da companhia será mantida em registros permanentes, com obediência aos preceitos
da legislação comercial e desta Lei e aos princípios de contabilidade geralmente aceitos, devendo observar
métodos ou critérios contábeis uniformes no tempo e registrar as mutações patrimoniais segundo o regime
de competência.

§ 1º As demonstrações financeiras do exercício em que houver modificação de métodos ou critérios contábeis,


de efeitos relevantes, deverão indicá-la em nota e ressaltar esses efeitos.

§ 2º A companhia observará exclusivamente em livros ou registros auxiliares, sem qualquer modificação da


escrituração mercantil e das demonstrações reguladas nesta Lei, as disposições da lei tributária, ou de
legislação especial sobre a atividade que constitui seu objeto, que prescrevam, conduzam ou incentivem a
utilização de métodos ou critérios contábeis diferentes ou determinem registros, lançamentos ou ajustes ou a
elaboração de outras demonstrações financeiras.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 85


www.igorcintra.com.br
§ 3º As demonstrações financeiras das companhias abertas observarão, ainda, as normas expedidas pela
Comissão de Valores Mobiliários e serão obrigatoriamente submetidas a auditoria por auditores independentes
nela registrados.

§ 4º As demonstrações financeiras serão assinadas pelos administradores e por contabilistas legalmente


habilitados.

§ 5º As normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários a que se refere o § 3° deste artigo deverão ser
elaboradas em consonância com os padrões internacionais de contabilidade adotados nos principais mercados
de valores mobiliários.

§ 6° As companhias fechadas poderão optar por observar as normas sobre demonstrações financeiras expedidas
pela Comissão de Valores Mobiliários para as companhias abertas.

Formalidades da Escrituração Contábil


A escrituração contábil deve ser realizada com observância aos Princípios de Contabilidade, e ser
executada:
a) em idioma e em moeda corrente nacionais;
b) em forma contábil;
c) em ordem cronológica de dia, mês e ano;
d) com ausência de espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras ou emendas; e
e) com base em documentos de origem externa ou interna ou, na sua falta, em elementos que comprovem
ou evidenciem fatos contábeis.

A escrituração contábil deve conter, ainda, no mínimo:


a) data do registro contábil, ou seja, a data em que o fato contábil ocorreu;
b) conta devedora;
c) conta credora;
d) histórico que represente a essência econômica da transação ou o código de histórico padronizado,
neste caso baseado em tabela auxiliar inclusa em livro próprio;
e) valor do registro contábil;
f) informação que permita identificar, de forma unívoca, todos os registros que integram um mesmo
lançamento contábil.

LIVRO DIÁRIO
 Obrigatório (Código Civil);
 Principal (registra todos os fatos contábeis);
 Cronológico (dia. Mês e ano).

Formalidades Extrínsecas (ETA)


 Ser encadernado com folhas numeradas em sequência;
 Ter os termos de abertura e de encerramento;
 Ser autenticado do órgão competente do Registro do Comércio.

Formalidades Intrínsecas
 Ser escriturado em idioma e moedas nacionais;
 Estar ordem cronológica de dia, mês e ano;
 Estar sem intervalos em branco nem entrelinhas, sem borraduras, rasuras, emendas.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 86


www.igorcintra.com.br

LIVRO RAZÃO
Detalhar os lançamentos efetuados no Livro Diário. É um livro facultativo, pela legislação comercial,
mas obrigatório pelo Regulamento do Imposto de Renda àquelas empresas obrigadas a declarar com
base no Lucro Real.

BALANCETE DE VERIFICAÇÃO
Demonstrativo auxiliar, a ser elaborado, no mínimo, mensalmente, que relaciona o saldo de todas
as contas remanescentes do Livro Razão, com a finalidade de verificar se a soma de todos os débitos
é igual à soma de todos os créditos.

Regime de Competência
As receitas e despesa serão apropriadas de acordo com o fato gerador, independentemente do
efetivo recebimento das receitas ou do pagamento das despesas.

Regime de Caixa
As receitas e despesas serão apropriadas no momento do seu pagamento ou recebimento,
independentemente do momento em que são realizadas. Assim, a Despesa é considerada incorrida
quando for efetivamente paga. A Receita, por sua vez, será ganha, ou realizada, quando for
efetivamente recebida.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 87


www.igorcintra.com.br

LISTA DE QUESTÕES COMENTADAS

01. (BIO-RIO – Auditor Fiscal – Mangaratiba/RS – 2016) Considere as contas a seguir:

1 – Salários
2 – Vendas
3 – Estoques
4 – Seguros a vencer
5 – Depreciação
6 – Aluguéis

São contas de resultado as seguintes:

a) 1, 2 e 4.

b) 1, 2, 5 e 6.

c) 1, 2, 3 e 6.

d) 1, 3, 5 e 6.

e) 1, 4, 5 e 6.

02. (CESPE – Analista – FUNPRESP-JUD – 2016) Elenco de contas e plano de contas são
termos sinônimos e constituem a relação de todas as contas utilizadas pela entidade no
registro contábil das suas operações.

( ) CERTO ( ) ERRADO

03. (VUNESP – Contador – Itatiba-SP – 2015) Trata-se da estrutura básica da escrituração


contábil, formada por um conjunto de contas previamente estabelecido, que permite
obter as informações necessárias à elaboração de demonstrações contábeis. Seu principal
objetivo é estabelecer normas de conduta para o registro das operações da organização e
para a sua montagem.

Tal estrutura deve, ainda,


I. atender às necessidades de informação da administração da empresa;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 88


www.igorcintra.com.br

II. observar formato compatível com os princípios de contabilidade e com a norma legal
de elaboração do balanço patrimonial e das demais demonstrações contábeis;
III. adaptar-se tanto quanto possível às exigências dos agentes externos, principalmente
às da legislação do Imposto de Renda.

O texto refere-se a

(A) balancete de verificação.

(B) razão contábil.

(C) plano de contas contábil.

(D) diário contábil.

(E) fluxo de caixa.

04. (VUNESP – Contador – FESC – 2012) É o conjunto de contas, previamente estabelecido,


que norteia os trabalhos contábeis de registro de fatos e atos inerentes à entidade, além
de servir de parâmetro para a elaboração das demonstrações contábeis. Seu principal
objetivo é estabelecer normas de conduta para o registro das operações da organização e,
na sua montagem, devem ser levados em conta três objetivos fundamentais:
I. atender às necessidades de informação da administração da empresa;
II. observar o formato compatível com os princípios de contabilidade e com a norma legal
de elaboração do balanço patrimonial e das demais demonstrações contábeis;
III. adaptar-se tanto quanto possível às exigências dos agentes externos, principalmente
às da legislação do Imposto de Renda.

O conceito trata do(a)

(A) balancete de verificação.

(B) razão contábil.

(C) plano de contas contábil.

(D) diário contábil.

(E) fluxo de caixa.

05. (VUNESP – Técnico em Contabilidade – UNIFESP – 2014) Trata-se da estrutura básica


da escrituração contábil, formada por um conjunto de contas previamente estabelecido,

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 89


www.igorcintra.com.br

que permite obter as informações necessárias à elaboração de relatórios gerenciais e


demonstrações contábeis, conforme as características gerais da entidade, possibilitando a
padronização de procedimentos contábeis.

O texto aborda sobre

(A) Diário.

(B) Razão contábil.

(C) Balancete.

(D) Plano de contas.

(E) Demonstrações financeiras.

06. (VUNESP – Contador – Desenvolve-SP – 2014 – ADAPTADA) É a estrutura básica da


escrituração contábil, formada por um conjunto de contas previamente estabelecido, que
permite obter as informações necessárias à elaboração de relatórios gerenciais e
demonstrações contábeis conforme as características gerais da entidade, possibilitando a
padronização de procedimentos contábeis. O texto trata

(A) da escrituração contábil.

(B) do balanço patrimonial.

(C) do plano de contas contábil.

(D) do razão contábil.

(E) dos razões auxiliares e extracontábeis.

07. (CESPE – AFT – MTE – 2013) A conta passivo circulante é denominada conta sintética,
sendo o seu saldo obtido pelo somatório do saldo de contas analíticas.

( ) CERTO ( ) ERRADO

08. (CESPE – Analista – TRT – 2013) As contas analíticas são a base do sistema de
acumulação contábil e têm o maior grau de detalhamento das informações contábeis.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 90


www.igorcintra.com.br

09. (CESPE – Agente da Polícia Federal – 2014) O plano de contas deve reunir os elementos
necessários para o registro das operações desenvolvidas, as quais podem sofrer variações
significativas de uma empresa para outra.

( ) CERTO ( ) ERRADO

10. (CESPE – Contador – DPE – 2016) Um dos objetivos do plano de contas é estabelecer
normas de conduta para o registro das operações da entidade, por meio do atendimento
às necessidades de informação da administração da empresa, da observação do formato
compatível com as normas de contabilidade, e da adaptação, tanto quanto possível, às
exigências dos agentes externos.

( ) CERTO ( ) ERRADO

11. (CESPE – Perito Criminal – PC/PE – 2016) A contabilidade como ciência do patrimônio
é concepção da escola contábil

a) aziendalista.

b) patrimonialista.

c) contista.

d) personalista.

e) controlista.

12. (VUNESP – Contador – UFABC – 2013) Plano de contas é a estrutura básica da


escrituração contábil, formada por um conjunto de contas previamente estabelecido, que
permite obter as informações necessárias à elaboração de relatórios gerenciais e
demonstrações contábeis conforme as características gerais da entidade, possibilitando a
padronização de procedimentos contábeis. A estrutura do plano de contas é influenciada
pela teoria das contas, que explica a representação e a classificação das contas contábeis.
Nesse contexto, a teoria em que cada conta assume a configuração de uma pessoa no seu
relacionamento com a entidade e, dessa forma, caixa, bancos, duplicatas a receber,
capital, receitas e despesas representam pessoas com as quais a entidade mantém
relacionamento, é a

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 91


www.igorcintra.com.br

(A) personalista.

(B) generalista.

(C) materialista.

(D) patrimonialista.

(E) de resultado.

13. (FUNCAB – CONTADOR – SEFIN-RO – 2014) As contas contábeis podem ser classificadas
de acordo com vários critérios. Identifique, nas alternativas abaixo, a classificação das
contas, proposta pela Teoria Patrimonialista.

A) Materialista e Intangíveis.

B) Proprietários e Correspondentes.

C) Patrimoniais e de Resultado.

D) Devedoras e Credoras.

E) Integrais e Diferenciais.

14. (ESAF – ATA – Ministério da Fazenda – 2013) A Teoria Materialista das Contas é aquela
que classifica todos os títulos contábeis como sendo

a) Contas Materiais e Contas Imateriais.

b) Contas Integrais e Contas Diferenciais.

c) Contas Patrimoniais e Contas de Resultado.

d) Contas de Agentes e Contas do Proprietário.

e) Contas de Agentes Consignatários e Contas do Proprietário.

15. (VUNESP – Contador – Desenvolve-SP – 2014) A escrituração da companhia será


mantida em registros permanentes, com obediência aos preceitos da legislação comercial
e de normas contábeis e aos princípios de contabilidade geralmente aceitos, devendo
observar métodos ou critérios contábeis uniformes no tempo e registrar as mutações
patrimoniais segundo o(a)

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 92


www.igorcintra.com.br

(A) entidade.

(B) oportunidade.

(C) regime de competência.

(D) qualificação da contabilidade pública.

(E) escrituração contábil e fiscal.

16. CESPE – Analista – Contabilidade – SE/DF – 2017) As demonstrações contábeis das


sociedades anônimas de capital fechado têm de ser elaboradas de acordo com as mesmas
normas aplicáveis às sociedades anônimas de capital aberto expedidas pela Comissão de
Valores Mobiliários.

( ) CERTO ( ) ERRADO

17. (CESPE – Oficial de Inteligência – ABIN – 2018) As normas expedidas pela Comissão de
Valores Mobiliários (CVM) deverão ser observadas pelas companhias abertas na
elaboração das demonstrações financeiras e esses relatórios serão submetidos à auditoria
independente, assinados pelos administradores e por contabilistas legalmente
habilitados.

( ) CERTO ( ) ERRADO

18. (CESPE – Auditor do Estado – CAGE/RS – 2018) Assinale a opção correspondente a


preceito legal aplicável às demonstrações contábeis elaboradas por sociedade anônima.
A) As contas de natureza semelhante que apresentem pequenos saldos devem ser
agrupadas em contas de designações genéricas.

B) A demonstração de lucros ou prejuízos acumulados indicará o montante do lucro por ação


do capital social.

C) A duração do exercício social não pode ser inferior a um ano.

D) Eventos subsequentes à data de encerramento do exercício social serão evidenciados em


notas explicativas sempre que tragam, ou venham a trazer, impactos relevantes na situação
financeira e no resultado futuro da empresa.

E) É vedado às companhias fechadas utilizar-se das normas expedidas pela Comissão de


Valores Mobiliários (CVM) para fins de elaboração de suas demonstrações contábeis.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 93


www.igorcintra.com.br

19. (CESPE – Contador – Polícia Federal – 2014) As demonstrações financeiras de


companhias abertas — as quais devem ser auditadas por auditores independentes
registrados na Comissão de Valores Mobiliários — deverão seguir as normas contábeis
elaboradas em conformidade com os padrões internacionais adotados nos principais
mercados de valores mobiliários.

( ) CERTO ( ) ERRADO

20. (CESPE – Analista – MPU – 2013) O balanço patrimonial deverá ser assinado pelos
integrantes do conselho de administração em conjunto com o contador legalmente
habilitado.

( ) CERTO ( ) ERRADO

21. (CESPE – Contador – UNIPAMPA – 2013) A sociedade empresária constituída por ações
deverá apresentar, ao final de cada exercício social, as seguintes demonstrações
financeiras: balanço patrimonial, demonstração dos lucros ou prejuízos acumulados,
demonstração do resultado do exercício, demonstração do fluxo de caixa e, em caso de
companhia aberta, demonstração do valor adicionado.

( ) CERTO ( ) ERRADO

22. (CESPE – Analista – CPRM – 2013) As notas explicativas devem informar os critérios
utilizados para a elaboração das demonstrações contábeis, detalhar itens relevantes
constantes dessas demonstrações e elucidar outras informações necessárias nelas
apresentadas.

( ) CERTO ( ) ERRADO

23. (VUNESP – Contador – UNIFESP – 2014) Assinale (V) para Verdadeiro e (F) para Falso.

De acordo com a resolução CFC n.º 1330/11, a escrituração em forma contábil deve conter,
no mínimo,
( ) data do registro contábil, ou seja, a data em que o fato contábil ocorreu.
( ) identificação do princípio contábil.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 94


www.igorcintra.com.br

( ) conta devedora.
( ) conta credora.
( ) histórico que represente a essência econômica da transação ou o código de histórico
padronizado, neste caso baseado em tabela auxiliar inclusa em livro próprio.
( ) valor do registro contábil.
( ) informação que permita identificar, de forma unívoca, todos os registros que integram
um mesmo lançamento contábil.

Assinale a alternativa que indica a sequência correta, de cima para baixo.

(A) V, V, V, V, V, V, V.

(B) V, V, V, V, F, V, V.

(C) V, V, V, V, V, V, F.

(D) V, F, V, V, V, V, V.

(E) F, V, V, V, F, V, F.

24. (VUNESP – ISS-SJC – 2012) A escrituração contábil deve ser realizada com observância
aos Princípios de Contabilidade. O nível de detalhamento da escrituração contábil deve
estar alinhado às necessidades de informação de seus usuários. Nesse sentido, esta
interpretação não estabelece o nível de detalhe ou mesmo sugere um plano de contas a
ser observado. O detalhamento dos registros contábeis é diretamente proporcional à
complexidade das operações da entidade e dos requisitos de informação a ela aplicáveis
e, exceto nos casos em que uma autoridade reguladora assim o requeira, não devem
necessariamente observar um padrão pré-definido.

A escrituração contábil deve ser executada:


I. em idioma e em moeda corrente nacionais;
II. em idioma e em moeda do país de origem quando requerido pela matriz da empresa,
se estrangeira;
III. em forma contábil;
IV. em ordem cronológica de dia, mês e ano;
V. com anuência de espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras ou emendas;
VI. com base em documentos de origem externa ou interna ou, na sua falta, em elementos
que comprovem ou evidenciem fatos contábeis.

Está correto apenas o contido em

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 95


www.igorcintra.com.br

(A) I, II, IV e V.

(B) II, III e VI.

(C) I, IV, V e VI.

(D) I, III, IV e VI.

(E) I, II, III, IV e V.

25. (VUNESP – Contador – UNESP – 2012) Segundo as Normas Brasileiras de Contabilidade,


a escrituração contábil deverá ser em

(A) idioma e moeda corrente nacionais, em forma contábil, em ordem cronológica de dia,
mês e ano, podendo haver rasuras.

(B) forma contábil de comum acordo com o administrador da entidade.

(C) ordem cronológica, de acordo com reuniões periódicas, evidenciando os atos e fatos
contábeis e econômicos.

(D) idioma e moeda corrente nacionais, em forma contábil, em ordem cronológica de dia,
mês e ano, sem rasuras e com base em documentos ou elementos que evidenciem os fatos.

(E) forma contábil, utilizando linguagem técnica para evidenciar os atos contábeis e
financeiros.

26. (VUNESP – Contador – São Carlos-SP – 2012) De acordo com a Resolução n.º 1.330/11,
do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), a escrituração contábil deve ser realizada com
observância

(A) aos documentos contábeis.

(B) à legislação societária.

(C) ao regulamento do Imposto de Renda.

(D) aos princípios geralmente aceitos.

(E) aos Princípios de Contabilidade.

27. (VUNESP – Contador – UNESP – 2012) Com relação a formalidades, a escrituração


contábil deve ser realizada com observância dos Princípios de Contabilidade. O nível de

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 96


www.igorcintra.com.br

detalhamento da escrituração contábil deve estar alinhado às necessidades de informação


de seus usuários. O detalhamento dos registros contábeis é diretamente proporcional à
complexidade das operações da entidade e dos requisitos de informação a ela aplicáveis
e, exceto nos casos em que uma autoridade reguladora assim o requeira, não deve
necessariamente observar um padrão pré-definido. Nesse sentido, a escrituração contábil
deve ser executada
I. em idioma e em moeda corrente nacionais;
II. em idioma e em moeda do país de origem, quando requerido pela matriz;
III. em forma contábil;
IV. em ordem cronológica de dia, mês e ano;
V. com ausência de espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras ou emendas;
VI. com base em documentos de origem e cópias externa ou interna ou, na sua falta, em
elementos que comprovem ou evidenciem elementos contábeis.

Estão corretos apenas os itens

(A) I, II, IV e V.

(B) II, III, V e VI.

(C) I, III, IV e VI.

(D) I, III, IV e V.

(E) II, IV, V e VI.

28. (VUNESP – Contador – FESC – 2012) De acordo com as Normas de Contabilidade, a


escrituração contábil deve ser realizada com observância aos Princípios de Contabilidade.
O nível de detalhamento da escrituração contábil deve estar alinhado às necessidades de
informação de seus usuários. Nesse sentido, esta interpretação não estabelece o nível de
detalhe ou mesmo sugere um plano de contas a ser observado. O detalhamento dos
registros contábeis é diretamente proporcional à complexidade das operações da
entidade e dos requisitos de informação a ela aplicáveis e, exceto nos casos em que uma
autoridade reguladora assim o requeira, não devem necessariamente observar um padrão
pré-definido. Nesse sentido, a escrituração contábil deve ser executada
I. em idioma e em moeda corrente nacionais, exceto se filial de empresa multinacional;
II. em forma contábil;
III. em ordem cronológica de dia, mês e ano;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 97


www.igorcintra.com.br

IV. com espaços em branco, entrelinhas, borrões, rasuras ou emendas;


V. com base em documentos de origem externa ou interna ou, na sua falta, em elementos
que comprovem ou evidenciem fatos contábeis.

Está correto o contido em

(A) I, II, III e V, apenas.

(B) I, IV e V, apenas.

(C) III, IV e V, apenas.

(D) II, III e V, apenas.

(E) I, II, III, IV e V.

29. (VUNESP – Contador – IAMSPE – 2012) De acordo com a resolução do CFC n.º 1.330/11,
que aprovou a ITG 2.000, a escrituração contábil, além da conta devedora, credora e o
valor do lançamento deverá conter, no mínimo:
I. data do registro contábil, ou seja, a data em que o fato contábil ocorreu;
II. essência intrínseca e extrínseca da forma contábil;
III. histórico que represente a essência econômica da transação ou o código de histórico
padronizado, neste caso baseado em tabela auxiliar inclusa em livro próprio;
IV. essência sobre a forma;
V. informação que permita identificar, de forma unívoca, todos os registros que integram
um mesmo lançamento contábil.

Está correto o contido em

(A) I, II, III, IV e V.

(B) I, III e V, apenas.

(C) I, III, IV e V, apenas.

(D) II, III, IV e V, apenas.

(E) III, IV e V, apenas.

30. (VUNESP – Técnico em Contabilidade – UNIFESP – 2014) A data da ocorrência da


transação; a conta debitada; a conta creditada; o histórico da transação de forma

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 98


www.igorcintra.com.br

descritiva ou por meio do uso de código de histórico padronizado, quando se tratar de


escrituração eletrônica, com base em tabela auxiliar inclusa em plano de contas; o valor
da transação; e o número de controle para identificar os registros eletrônicos, que
integram um mesmo lançamento contábil, são elementos essenciais

(A) do registro contábil.

(B) da planilha eletrônica de controle de ativos.

(C) de controles extracontábeis.

(D) do balancete.

(E) do balanço patrimonial.

31. (FUNDATEC – CAGE – SEFAZ-RS – 2014) Os elementos essenciais do lançamento


contábil são:

A) Local e data, conta debitada, conta creditada, histórico e valor.

B) Termo de abertura e termo de encerramento.

C) Conta debitada e conta creditada.

D) Nome do contador e do administrador da empresa.

E) Razão Social e CNPJ da empresa.

32. (VUNESP – Contador – Câmara de Pradópolis/SP – 2016) De acordo com as Normas


Brasileiras de Contabilidade, no que tange a escrituração contábil, a retificação de
lançamento contábil é o processo técnico de correção de um registro realizado com erro
na escrituração contábil da entidade e pode ser feito por meio de

(A) ajuste, ratificação e complementação.

(B) correção, estorno e retificação.

(C) estorno, ratificação e complemento.

(D) retificação, transferência ou estorno em definitivo.

(E) estorno, transferência e complementação.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 99


www.igorcintra.com.br

33. (ESAF – AFRFB – 2009) A firma Comercial de Produtos Frutíferos Ltda., que encerra seu
exercício social no último dia do ano civil, contabilizou por duas vezes o mesmo fato
contábil em 31/10/2008, caracterizando o erro de escrituração conhecido como
duplicidade de lançamento. Esse erro só foi constatado no exercício seguinte.

Os lançamentos foram feitos a débito de conta do resultado e a crédito de conta do passivo


circulante. Em face dessa ocorrência, pode-se dizer que, no balanço patrimonial de
31/12/2008:

a) a situação líquida da empresa foi superavaliada.

b) o ativo circulante da empresa foi subavaliado.

c) o passivo circulante da empresa apresentou uma redução indevida.

d) o patrimônio líquido da empresa apresentou uma redução indevida.

e) a situação líquida da empresa não foi afetada.

34. (VUNESP – Contador – Itatiba-SP – 2015) De acordo com as Normas de Contabilidade,


a documentação contábil é aquela que comprova os fatos que originam lançamentos na
escrituração da entidade e compreende todos os documentos, livros, papéis, registros e
outras peças, de origem interna ou externa, que apoiam ou compõem a escrituração. A
documentação contábil é hábil quando revestida das características essenciais, definidas
na legislação, na técnica-contábil ou aceitas pelos “usos e costumes”. Essas características
mencionadas no texto são

(A) variáveis e permutativas.

(B) qualitativas e quantitativas.

(C) razoáveis e prudentes.

(D) públicas e privadas.

(E) intrínsecas ou extrínsecas.

35. (VUNESP – Contador – FESC – 2012) A documentação contábil é aquela que comprova
os fatos que originam lançamentos na escrituração da entidade e compreende todos os
documentos, livros, papéis, registros e outras peças, de origem interna ou externa, que
apoiam ou componham a escrituração. A documentação contábil é hábil quando revestida

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 100


www.igorcintra.com.br

das características _____________________ essenciais, definidas na legislação, na técnica


contábil ou aceitas pelos “usos e costumes”.

Assinale a alternativa que completa, corretamente, o texto.

(A) contábeis e fiscais

(B) contábeis e por princípios

(C) internas e externas

(D) públicas e privadas

(E) intrínsecas ou extrínsecas

36. (VUNESP – ISS-SJC – 2012) A escrituração contábil deve ser realizada com observância
aos Princípios de Contabilidade. O nível de detalhamento da escrituração contábil deve
estar alinhado às necessidades de informação de seus usuários. Nesse sentido, esta
interpretação não estabelece o nível de detalhe ou mesmo sugere um plano de contas a
ser observado. O detalhamento dos registros contábeis é diretamente proporcional à
complexidade das operações da entidade e dos requisitos de informação a ela aplicáveis
e, exceto nos casos em que uma autoridade reguladora assim o requeira, não devem
necessariamente observar um padrão pré-definido. Isto posto, de acordo com a Resolução
CFC 1.033/11, os livros contábeis obrigatórios, entre eles o Livro Diário e o Livro Razão, em
forma digital, devem revestir-se de formalidades extrínsecas, tais como:
I. serem assinados digitalmente pela entidade e pelo profissional da contabilidade
regularmente habilitado;
II. serem autenticados no registro público competente;
III. serem encadernados;
IV. terem suas folhas numeradas sequencialmente;
V. conterem termo de abertura e de encerramento assinados pelo titular ou representante
legal da entidade e pelo profissional da contabilidade regularmente habilitado no
Conselho Regional de Contabilidade.

Sobre as afirmações, está correto, apenas, o contido em

(A) I e II.

(B) II e III.

(C) II e IV.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 101


www.igorcintra.com.br

(D) III e V.

(E) III, IV e V.

37. (ESAF – ATRFB – 2002) Entre as formalidades extrínsecas e intrínsecas dos Livros de
Escrituração, destacamos as abaixo indicadas, exceto:

a) Termos de abertura e de encerramento.

b) Registro na Junta Comercial (autenticação).

c) Numeração tipográfica e sequencial das folhas.

d) Escrituração em ordem cronológica de dia, mês e ano.

e) Existência de emendas, rasuras e espaço em branco.

38. (FEPESE – AFRE – SEFAZ-SC – 2010) O Novo Código Civil que estabelece ao empresário
e à sociedade empresária a obrigação de seguir um sistema de contabilidade com base na
escrituração uniforme de seus Livros afirma também que o livro Diário é o mais
importante, e por isso, está sujeito a certas formalidades quanto a sua apresentação e
registros.

Identifique as formalidades intrínsecas:

a) livro encadernado com costura, as páginas numeradas mecanicamente, devendo os


lançamentos obedecerem a uma ordem cronológica e uniforme.

b) deve possuir termos de abertura e de encerramento e a escrituração deve relatar


fielmente o fato contábil ocorrido, sendo essa obrigatoriedade uma formalidade intrínseca.

c) deve estar rubricado, em todas as páginas, pelo funcionário da Junta Comercial ou do


Cartório com competência para este fim, e não pode conter nos registros rasuras, borrões
ou emendas, sendo essa obrigatoriedade uma formalidade extrínseca.

d) não pode conter registro nas entrelinhas e nas margens, intervalos em branco, borrões,
rasuras, emendas, e a escrituração deve seguir um método uniforme.

e) deve conter a individualização e clareza dos lançamentos nele feitos, assim como estarem
assinados os termos de abertura e de encerramento pelo comerciante ou seu procurador e
pelo contabilista habilitado.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 102


www.igorcintra.com.br

39. (CESPE – Analista – FUNPRESP-JUD – 2016) A legislação brasileira determina ser


obrigatória a escrituração contábil; por isso, o empresário e a sociedade empresária
devem escriturar, pelo menos, os livros diário e razão.

( ) CERTO ( ) ERRADO

40. (CESPE – Analista – TRT – 2013) O balanço patrimonial e o de resultado econômico


devem ser lançados no livro razão. Ambos têm de ser assinados por técnico em ciências
contábeis legalmente habilitado e pelo empresário ou sociedade empresária.

( ) CERTO ( ) ERRADO

41. (VUNESP – Analista – PRODEST-ES – 2014) De acordo com as normas contábeis e


legislação comercial, é obrigatório o uso de ___________ com folhas numeradas
seguidamente, em que serão lançados, dia a dia, diretamente ou por reprodução, os atos
ou operações da atividade mercantil, ou que modifiquem ou possam vir a modificar a
situação patrimonial de uma entidade, independentemente da forma de tributação.

A alternativa que completa corretamente a lacuna do texto é:

a) livro Diário

b) livro Razão

c) Balancete

d) Razão auxiliar

e) Razão auxiliar em ORTN/UFIR

42. (VUNESP – Contador – Cotia/SP – 2017) No que tange à escrituração contábil, quando
o Livro Diário e o Livro Razão forem gerados por processo que utilize fichas ou folhas
soltas, deve ser adotado o seguinte procedimento:

(A) o registro “Balancetes Diários e Balanços”.

(B) o lançamento contábil em duplicidade de numeração.

(C) o registro em forma mecanizada.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 103


www.igorcintra.com.br

(D) o controle por razão auxiliar.

(E) a escrituração mensal, como forma acumulativa.

43. (CESPE – Auditor – CGE-PI – 2015) A conta “duplicatas descontadas” representa uma
aplicação de recursos.

( ) CERTO ( ) ERRADO

44. (FGV – Analista Judiciário – Contador – TJ-GO – 2014) Ao buscar um empréstimo de


$10.000,00, a empresa Bolsofurado teve suas solicitações recusadas pelos bancos. Apenas
o Banco Urubu aceitou conceder um empréstimo com as seguintes condições:
- será feito na modalidade de desconto de duplicatas;
- o valor será pago em parcela única em 180 dias;
- o banco concederá 50% do valor das duplicatas que serão descontadas.

Considerando as práticas contábeis aceitas no Brasil, assinale a alternativa que melhor


demonstra a contabilização da operação acima no momento da contratação é:

(A) Débito: caixa e bancos $10.000,00


Crédito: duplicatas descontadas (conta redutora do Ativo) $10.000,00;

(B) Débito: caixa e bancos $20.000,00


Crédito: duplicatas descontadas (conta redutora do Ativo) $20.000,00;

(C) Débito: caixa e bancos (Ativo) $10.000,00


Débito: despesa com juros (Resultado) $10.000,00
Crédito: duplicatas descontadas (conta redutora do Ativo) $20.000,00;

(D) Débito: caixa e bancos (Ativo) $10.000,00


Crédito: empréstimos e financiamentos (Passivo) $10.000,00;

(E) Débito: caixa e bancos (Ativo) $10.000,00


Débito: despesa com juros (Resultado) $10.000,00
Crédito: empréstimos e financiamentos (Passivo) $20.000,00.

45. (ESAF – AFRFB – 2014) De acordo com as normas contábeis atualizadas, os juros
cobrados sobre a operação de desconto de duplicatas devem ser:

a) lançados como despesa financeira após o recebimento do último título descontado.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 104


www.igorcintra.com.br

b) contabilizados pelo montante total dos juros descontados como despesas no momento
inicial da operação.

c) registrados como despesas financeiras no momento da quitação de cada um dos títulos


descontados.

d) registrados como despesa financeira em três parcelas iguais através de rateio do total por
90 dias.

e) transferidos para o resultado como despesa financeira de acordo com o regime de


competência.

46. (VUNESP – Técnico de Contabilidade – UNESP – 2014) Demonstre o saldo da rubrica


contábil “Caixa” de uma empresa no período encerrado em 31 de dezembro de 2012,
considerando os seguintes valores apresentados nas contas do balancete de verificação,
naquela data. Note que a rubrica não foi apresentada, portanto, deverá ser calculada
considerando os saldos devedores e credores apresentados.
R$
Capital 25.000,00
Contas a receber 50.000,00
Salários a pagar 23.000,00
Provisão para garantias 7.000,00
Estoques 25.000,00
Duplicatas descontadas 7.000,00
Provisão para desvalorização dos estoques 5.000,00
Financiamentos 15.000,00
Lucros a realizar 5.000,00
Depósitos judiciais 7.000,00
Imobilizado 15.000,00

(A) R$ 6.000,00

(B) R$ 10.000,00

(C) R$ 12.000,00

(D) R$ 24.000,00

(E) R$ 34.000,00

47. (VUNESP – Técnico em Contabilidade – UNIFESP – 2014) Considere os dados a seguir


para responder à questão.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 105


www.igorcintra.com.br

Balancete de verificação em 31 de janeiro de 2014

Capital 100.000,00
Ativo Imobilizado 80.000,00
Fornecedores 120.000,00
Impostos a Recolher 28.000,00
Dividendos a Pagar 8.000,00
Receita de Vendas 150.000,00
Custos 90.000,00
Despesas Operacionais 42.000,00
Lucro Líquido 18.000,00
Estoques 85.000,00
Contas a Receber 92.000,00
Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa 6.000,00
Aplicações Financeiras 15.000,00
Caixa e Bancos 8.000,00

Considerando o balancete de verificação em 31 de janeiro de 2014 da Topa Quase Tudo


Ltda., conforme demonstrado, indique o valor do Patrimônio Líquido da empresa nessa
data.

(A) R$ 49.000,00.

(B) R$ 87.000,00.

(C) R$ 100.000,00.

(D) R$ 118.000,00.

(E) R$ 120.000,00.

48. (ESAF – AFRFB – 2012) O balancete de verificação evidencia

a) os estornos efetuados no período.

b) a configuração e classificação correta dos itens contábeis.

c) a igualdade matemática dos lançamentos efetuados no período.

d) o registro dos movimentos individuais das contas contábeis no período.

e) os lançamentos do período, quando efetuados de forma correta no período.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 106


www.igorcintra.com.br

49. (FUNDATEC – CAGE – SEFAZ-RS – 2014) A respeito do Balancete de Verificação, e


correto afirmar que:

A) Num Balancetes de verificação de 4 colunas, a soma dos débitos e créditos é sempre igual
à soma dos saldos devedores e credores.

B) O Balancete de Verificação é uma demonstração contábil obrigatória.

C) O Balancete de Verificação serve como instrumento auxiliar para a elaboração do


orçamento das empresas públicas.

D) O Balancete de Verificação não deve ser elaborado mensalmente e deve ser elaborado
somente por ocasião do encerramento do exercício social.

E) O Balancete de Verificação serve somente para conferir matematicamente a aplicação do


Método das Partidas Dobradas.

50. (ESAF – Contador – Ministério do Turismo – 2014) Estamos no exercício social de 2013
e compulsamos, entre diversas contas e saldos, os seguintes títulos:

Despesas do exercício seguinte R$ 250,00


Despesas do exercício R$ 400,00
Despesas a pagar R$ 520,00
Despesas do exercício anterior R$ 180,00
Despesas a vencer R$ 210,00
Receitas a receber R$ 270,00
Receitas a vencer R$ 145,00
Receitas de exercícios futuros R$ 230,00
Receitas de exercícios anteriores R$ 370,00
Receitas do exercício R$ 720,00

Após as apurações e classificações levadas a efeito para montagem das demonstrações


contábeis do exercício de 2013, podemos dizer que os elementos acima indicados vão
colaborar na equação contábil com a diferença

a) devedora de R$ 15,00.

b) credora de R$ 175,00.

c) credora de R$ 320,00.

d) credora de R$ 485,00.

e) credora de R$ 675,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 107


www.igorcintra.com.br

51. (ESAF – Contador – Ministério da Fazenda – 2013) Considerando que a movimentação


contábil sempre ocorre em forma de equação, para que as origens de recursos sejam iguais
à sua aplicação, organize os seguintes elementos segundo os critérios de débito e crédito.

Aumentos de ativo R$ 1.000,00


Aumentos de passivo R$ 1.200,00
Bens existentes R$ 2.000,00
Consumos realizados R$ 700,00
Direitos a receber R$ 1.500,00
Ganhos e rendas obtidos R$ 950,00
Obrigações a pagar R$ 2.150,00
Reduções de ativo R$ 450,00
Reduções de passivo R$ 800,00
Situação Líquida anterior R$ 1.350,00

Considerando que todo o movimento contábil dessa entidade está expresso na relação
acima, pode-se dizer que o item que a completará será

a) débito no valor de R$ 100,00.

b) crédito no valor de R$ 100,00.

c) débito no valor de R$ 50,00.

d) crédito no valor de R$ 50,00.

e) redução de caixa no valor de R$ 50,00.

52. (ESAF – Contador – Ministério da Fazenda – 2013) Na data de encerramento do


exercício social, a empresa ABN S.A. apresentou a seguinte relação de contas e saldos
constantes do seu livro Razão:

Contas Saldos
Capital Social 18.000,00
Receitas de Vendas 16.500,00
Duplicatas a Receber 14.000,00
Duplicatas a Pagar 13.000,00
Clientes 12.000,00
Fornecedores 11.000,00
Móveis e Utensílios 10.000,00
Veículos 9.000,00

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 108


www.igorcintra.com.br

Bancos c/Movimento 8.500,00


Custo das Vendas 6.800,00
Reserva Legal 6.300,00
Empréstimos Obtidos 6.000,00
Mercadorias 5.000,00
Ações de Coligadas 4.300,00
Salários e Ordenados 4.200,00
Provisão p/Férias 3.500,00
Descontos Concedidos 3.200,00
Depreciação Acumulada 2.900,00
Aluguéis Ativos 2.500,00
Depreciação 2.100,00
Capital a Realizar 1.800,00
Juros Ativos 1.500,00
Caixa 1.500,00
Provisão p/ Devedores Duvidosos 1.100,00
Provisão p/ IR 1.000,00
Devedores Duvidosos 900,00

Ao mandar elaborar um balancete geral de verificação a partir dos saldos acima, a empresa
encontrará saldos devedores no valor de

a) R$ 83.300,00.

b) R$ 81.500,00.

c) R$ 80.400,00.

d) R$ 79.300,00.

e) R$ 77.500,00.

53. (FGV – Contador – DPE-RJ – 2014) Considere os saldos abaixo:

ADIANTAMENTO DE CLIENTES 8.000


APLICAÇÕES FINANCEIRAS 15.000
AJUSTE DE AVALIAÇÃO PATRIMONIAL ?
CAPITAL SOCIAL 55.000
CONTAS A RECEBER 20.000
DEPÓSITOS JUDICIAIS 5.000
DESPESAS ANTECIPADAS 3.000
DISPONIBILIDADES 35.000
EMPRÉSTIMOS CONCEDIDOS A CONTROLADAS 8.000
EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS DE CURTO PRAZO 32.000

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 109


www.igorcintra.com.br

EMPRÉSTIMOS E FINANCIAMENTOS DE LONGO PRAZO 51.000


ESTOQUE 27.000
FONECEDORES 20.000
IMOBILIZADO 40.000
INTANGÍVEL 11.000
INVESTIMENTOS 9.000
RESERVAS 6.000
SALÁRIOS A PAGAR 11.500
TRIBUTOS A RECOLHER 1.500

O saldo da conta “Ajuste de Avaliação Patrimonial” é

(A) 28.000 devedor

(B) 18.000 devedor

(C) 12.000 devedor

(D) 4.000 credor

(E) 12.000 credor

54. (FGV – Contador – SUSAM-AM – 2014) A Cia. F apresentava os seguintes saldos em seu
balancete de 31/12/2013:

Ativo não circulante disponível para venda: R$ 80.000,00


Depreciação Acumulada: R$ 20.000,00
Dividendos a pagar: R$ 15.000,00
Estoques com previsão de 180 dias para venda: R$ 40.000,00
Provisão para Perdas nos Estoques: R$ 4.000,00
Provisão para Créditos de Liquidação duvidosa: R$ 3.000,00
Clientes com recebimento em 720 dias: R$ 300.000,00
Veículos: R$ 50.000,00
Seguro dos veículos pago antecipadamente, apropriado
R$ 24.000,00
mensalmente de forma linear por dois anos:
Empréstimo a diretor com recebimento em 90 dias: R$ 10.000,00
Aplicação financeira com prazo de resgate de 270 dias: R$ 40.000,00
Caixa e Equivalentes de Caixa: R$ 18.000,00

Com base nas informações acima, o Balanço Patrimonial da Cia. F irá apresentar o seguinte
saldo como ativo circulante em 31/12/2013

(A) R$ 106.000,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 110


www.igorcintra.com.br

(B) R$ 116.000,00.

(C) R$ 186.000,00.

(D) R$ 196.000,00.

(E) R$ 198.000,00.

55. (FCC – Técnico Judiciário – TRF – 2014) O Balancete de Verificação de uma empresa,
em 31/12/2012, apresentava os saldos das seguintes contas:

Saldo em Saldo
Nome da Conta Nome da Conta
R$ em R$
Veículos 3.000 Receitas de Vendas 7.500
Fornecedores 900 Caixa e Equivalentes de Caixa 300
Depreciação Acumulada 1.200 Despesas Comerciais 600
Máquinas e Equipamentos 6.000 Despesas Administrativas 1.500
Adiantamentos de Clientes 600 Despesa com Impostos 300
Capital 9.000 Custo das Mercadorias Vendidas 4.500
Impostos a Pagar 300 Valores a Receber 2.400
Reservas de Lucros 600 Estoques 1.500

Foram propostos dividendos no valor de R$ 240 no final de 2012, os quais serão pagos em
2013. Considere:

I. O total do Balanço Patrimonial em 31/12/2012 é R$ 20.100.


II. O total do Passivo em 31/12/2012 é R$ 2.040.
III. O Resultado do Período (2012) é R$ 360.
IV. O Patrimônio Líquido da empresa em 31/12/2012 é R$ 9.960.
V. O total do Ativo em 31/12/2012 é R$ 12.000.
Está correto o que consta APENAS em

a) I, II e IV.

b) II, IV e V.

c) II, III, IV e V.

d) I e IV.

e) II, III e V.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 111


www.igorcintra.com.br

56. (VUNESP – Contador – UNESP – 2012) Assinale a alternativa que completa, correta e
respectivamente, as lacunas da frase.

De acordo com o regime de competência de exercícios, as receitas e despesas são


consideradas em função do seu _______________, e não em função do _______________.

(A) lançamento fiscal ... pagamento das contas a receber e pagamento das contas a pagar

(B) fato gerador ... recebimento da receita ou pagamento das despesas

(C) lançamento contábil ... recebimento das contas a receber ou pagamento das despesas

(D) fato gerador ... deferimento das receitas e despesas no exercício

(E) desembolso ... reconhecimento

57. (VUNESP – Analista – SPTrans – 2012) O regime que determina as transações e outros
eventos sejam reconhecidos nos períodos a que se referem, independentemente do
recebimento ou pagamento, denomina-se

(A) misto.

(B) caixa.

(C) competência.

(D) especial.

(E) de compensação.

58. (CESPE – Analista – TCE/PR – 2016) Determinada empresa levantou as informações


mostradas a seguir (valores em reais), referentes às operações realizadas no mês de julho
de 2016.
receitas realizadas e não recebidas 180.000
receitas recebidas antecipadamente e não realizadas 150.000
despesas incorridas e pagas 100.000
receitas realizadas e recebidas 90.000
despesas incorridas e não pagas 80.000
despesas pagas antecipadamente e não incorridas 60.000

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 112


www.igorcintra.com.br

Com base nessas informações, é correto afirmar que, de acordo com o regime de
competência, a referida empresa obteve
A) prejuízo de R$ 10.000.
B) lucro de R$ 80.000.
C) lucro de R$ 90.000.
D) lucro de R$ 140.000.
E) lucro de R$ 180.000.

Durante o mês de abril de 2013, uma empresa que comercializa móveis de estilo sob
encomenda realizou as seguintes transações:

 pagamento antecipado de seguro contra incêndio, no valor de R$ 12.000,00, com


cobertura de um ano, a contar do mês de junho de 2013;
 pagamento de diversas despesas incorridas no mês, no valor de R$ 23.000,00;
 recebimento antecipado de R$ 400.000,00, referentes às vendas de móveis a serem
entregues após 90 dias;
 recebimento de R$ 200.000,00, referentes às vendas a prazo realizadas em meses
anteriores;
 recebimento de R$ 80.000,00, referentes às vendas, no valor total de R$ 350.000,00, de
móveis do estoque e entregues no mesmo mês.

Acerca dessa situação, julgue o item a seguir, relacionado à apuração do resultado do mês
de abril de 2013.

59. (CESPE – Contador – UNIPAMPA – 2013) O resultado do mês de abril de 2013, de acordo
com o regime de competência, foi de R$ 257.000,00.

( ) CERTO ( ) ERRADO

60. (VUNESP – Contador – FESC – 2012) Durante um processo de reconciliação de contas,


o analista contábil verificou que uma determinada despesa relativa ao exercício social de
2010 foi contabilizada no exercício de 2011. Após estudos realizados pelo analista e pelo
contador, concluiu-se que tal despesa foi contabilizada por ocasião de seu pagamento
ferindo, dessa forma,

(A) o princípio da competência de exercícios.

(B) o regime de caixa.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 113


www.igorcintra.com.br

(C) a análise subsequente.

(D) a norma da oportunidade.

(E) o critério de partidas dobradas.

61. (VUNESP – Analista Legislativo – Pirassununga/SP – 2016) De acordo com o regime de


competência, a contabilização da receita e da despesa devem ocorrer na seguinte
situação:

(A) a receita na emissão do pedido; a despesa no seu pagamento.

(B) a receita na venda do produto; a despesa incorrida e não paga.

(C) a receita recebida por adiantamento; a despesa não incorrida e paga.

(D) a receita no seu recebimento; a despesa no seu pagamento.

(E) a receita não realizada; a despesa não incorrida e não paga.

62. (VUNESP – Contador – UNIFESP – 2014) As normas contábeis determinam que a receita
abrange tanto receitas propriamente ditas quanto ganhos. A receita surge no curso das
atividades usuais da entidade e é designada por uma variedade de nomes, tais como

(A) empréstimos, financiamentos, juros, dividendos, aluguéis.

(B) vendas, honorários, juros, dividendos, royalties, aluguéis.

(C) vendas, honorários, empréstimos, financiamentos, juros, dividendos, royalties, aluguéis.

(D) vendas, faturamento, honorários, empréstimos, financiamentos, juros, dividendos,


royalties, aluguéis.

(E) vendas, faturamento, honorários, empréstimos, juros, dividendos, aluguéis.

63. (CESPE – Agente – Policia Federal – 2012) Determinada entidade apresentou os


seguintes eventos no mês de abril de 2012.
I. pagamento de R$ 4.200,00, no mês de abril de 2012, referentes a aluguel dos meses de
abril e maio de 2012;
II. consumo e pagamento de despesas, em abril de 2012, com serviços de limpeza e
conservação, relativos ao mês de abril de 2012, no valor de R$ 1.800,00;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 114


www.igorcintra.com.br

III. recebimento, em abril de 2012, em dinheiro, por serviços prestados no mês de março
de 2012, no valor de R$ 3.600,00;
IV. prestação de serviços, no mês de abril de 2012, para recebimento em maio de 2012, no
valor de R$ 5.700,00.
À luz do regime de caixa e do regime de competência, julgue os itens seguintes, relativos
à apuração de resultado do mês de abril de 2012 da entidade considerada.

Independentemente do regime considerado, os resultados apurados no mês de abril de


2012 serão iguais.

( ) CERTO ( ) ERRADO

64. (VUNESP – Auditor – CGM-SP – 2015) De forma a retratar, com propriedade, os efeitos
de transações e outros eventos e circunstâncias sobre os recursos econômicos e
reivindicações da Empresa, que reporta a informação nos períodos em que ditos efeitos
são produzidos, ainda que os recebimentos e pagamentos em caixa derivados ocorram em
períodos distintos, o contador da Empresa Contabiliza Tudo S.A. realizou as seguintes
contabilizações no mês de julho de 2015:

Folha de pagamento do mês em referência R$ 127.859,00


Provisão de 1/12 do 13º salário R$ 10.451,00
Provisão de férias proporcionais R$ 12.997,00
Aluguel do mês, referente a filial 2 R$ 23.000,00
Comissão de vendas do mês R$ 200.000,00
Reconhecimento de 1/12 do prêmio de seguros R$ 1.130,00

Nota-se que essas operações impactaram ou impactarão o fluxo financeiro da empresa em


seus respetivos vencimentos.

Tal afirmação, bem como os procedimentos adotados pelo contador da empresa, estão:

a) em conformidade com a norma contábil do custo histórico como base de valor.

b) em linha com as informações sobre os fluxos de caixa da entidade, que reportam a


informação durante um período para gerar e aplicar fluxos de caixa futuros líquidos.

c) de acordo com a performance financeira refletida pelos fluxos de caixa passados.

d) em conformidade com o regime de competência na contabilização das operações da


empresa.

e) em conformidade com o regime de caixa no reconhecimento das despesas da empresa.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 115


www.igorcintra.com.br

65. (VUNESP – Controlador Interno – Câmara de Registro/SP – 2016) Com base no princípio
da competência, considere os dados a seguir:
– Despesas incorridas e pagas: R$ 54.000,00
– Despesas não incorridas e pagas: R$ 163.000,00
– Despesas incorridas e não pagas: R$ 30.000,00
– Receitas recebidas e não realizadas: R$ 65.000,00
– Receitas realizadas e recebidas: R$ 80.000,00
– Receitas realizadas e não recebidas: R$ 110.000,00

Assinale a alternativa que demonstra o valor do resultado do exercício.

a) Prejuízo de R$ 84.000,00.

b) Lucro zero.

c) Lucro igual a R$ 106.000,00.

d) Lucro igual a R$ 84.000,00.

e) Prejuízo de R$ 95.000,00.

Analise os dados a seguir para responder às questões de números 66 e 67.

A Companhia Primeiros Passos Ltda. realizou durante o mês de abril de 2013 apenas duas
operações: a) Compra de mercadorias para revenda por R$ 120, dos quais 50% foram
pagos ainda no mês de abril, e o saldo remanescente será liquidado apenas em maio de
2013; b) Venda de mercadorias a vista no mês de abril de 2013, por R$ 190, as quais lhe
haviam custado R$ 120.

66. (VUNESP – Assistente em Contabilidade – DCTA – 2013) É correto afirmar que, após a
contabilização das referidas operações no mês de abril de 2013, a conta caixa apresentará
o saldo de

(A) R$ 190.

(B) R$ 130.

(C) R$ 120.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 116


www.igorcintra.com.br

(D) R$ 70.

(E) R$ 60.

67. (VUNESP – Assistente em Contabilidade – DCTA – 2013) Com relação às demais contas
envolvidas na operação, é correto afirmar que o saldo, no mês de abril de 2013, será

(A) R$ 60 em duplicatas a receber.

(B) R$ 70 em fornecedores.

(C) R$ 120 em estoques.

(D) R$ 60 em duplicatas a pagar.

(E) R$ 190, no custo das mercadorias vendidas.

68. (FUNCAB – Contador – SUDECO – 2013) No sentido de atingir seus objetivos de prestar
informações aos seus usuários, as demonstrações contábeis são preparadas de acordo
com o regime de competência que, em linhas gerais, contempla os efeitos das transações
contábeis no momento de sua ocorrência. Considerando o regime de competência e as
informações abaixo, identifique e assinale a alternativa com resultado do exercício de
2011.

 Despesa de dezembro de 2011, paga em janeiro 2012 – R$ 20.000,00.


 Despesa de janeiro de 2012, paga em dezembro de 2011 – R$ 25.000,00.
 Despesa de dezembro de 2011, paga em dezembro de 2011 – R$ 35.000,00.
 Receita de dezembro de 2011, recebida em janeiro de 2012 – R$ 65.000,00.
 Receita de janeiro de 2012, recebida em dezembro de 2011 – R$ 40.000,00.
 Receita de dezembro de 2011, recebida em dezembro de 2011 – R$ 35.000,00.

A) Lucro de R$ 15.000,00.

B) Prejuízo de R$ 60.000,00.

C) Lucro de R$ 45.000,00.

D) Prejuízo de R$ 45.000,00.

E) Lucro de R$ 60.000,00.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 117


www.igorcintra.com.br

69. (FUNDATEC – CAGE – SEFAZ-RS – 2014) A empresa Comercial Irmão Gervásio Ltda. Teve
o seguinte fluxo de liquidação de receitas e despesas:

Despesas relativas a dez/2013, pagas em dez/2013 R$ 45.000,00


Despesas relativas a jan/2014, pagas em dez/2013 R$ 54.000,00
Despesas relativas a dez/2013, pagas em jan/2014 R$ 36.000,00
Receitas relativas a dez/2013, recebidas em jan/2014 R$ 27.000,00
Receitas relativas a jan/2014, recebidas em dez/2013 R$ 63.000,00
Receitas relativas a dez/2013, recebidas em dez/2013 R$ 51.000,00

Com base nas informações fornecidas, se o regime adotado fosse o regime de caixa e o
resultado do mesmo ano fosse o regime de competência, o resultado do exercício de 2013
seria, respectivamente:

A) Prejuízo de R$ 15.000,00 e Lucro de R$ 3.000,00.

B) Lucro de R$ 60.000,00 e Prejuízo de R$ 13.000,00.

C) Prejuízo de R$ 45.000,00 e Prejuízo de R$ 3.000,00.

D) Lucro de R$ 60.000,00 e Lucro de R$ 13.000,00.

E) Lucro de R$ 15.000,00 e Prejuízo de R$ 3.000,00.

70. (ESAF – Analista de Comércio Exterior – MDIC – 2012) Contabilizando suas operações
em 2010 sob o regime contábil de caixa, a empresa Primeira & Cia. Ltda. registrou os
seguintes eventos, entre outros que compõem seus resultados:
I. recebimento de aluguéis relativos a janeiro de 2011, no valor de R$ 4.800,00;
II. salários de dezembro de 2010 para pagamento apenas em janeiro de 2011, no valor
de R$ 5.600,00;
III. pagamento das comissões referentes a dezembro de 2010, no valor de R$ 2.500,00;
IV. pagamento do aluguel do caminhão correspondente a janeiro de 2011, no valor de
R$ 3.200,00;
V. recebimento de juros relativos a 2010, no valor de R$ 1.200,00.

Na apuração final do lucro a empresa verificou que faltava registrar o valor de R$ 4.000,00
decorrente de comissões ganhas no ano, ainda não recebidas.

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 118


www.igorcintra.com.br

Tais eventos foram computados no resultado da empresa Primeira & Cia. Ltda., sob o
regime de competência. Com isso, houve uma redução de lucros na importância de

a) R$ 6.900,00.

b) R$ 6.100,00.

c) R$ 4.500,00.

d) R$ 2.900,00.

e) R$ 500,00.

71. (CETRO – ISS-SP – 2014) A sociedade empresária “RESULTADO Ltda.” apresenta os


seguintes dados, com os quais deseja apurar o resultado do período de outubro:
Receita ganha em outubro e recebida em novembro: R$200.000,00.
Receita ganha em novembro e recebida em outubro: R$100.000,00.
Receita ganha em outubro e recebida em setembro: R$150.000,00.
Despesas incorridas em outubro e pagas em outubro: R$80.000,00.
Despesas incorridas em setembro e pagas em outubro: R$75.000,00.
Despesas incorridas em outubro e pagas em novembro: R$97.000,00.

Com base nas informações e considerando o Regime de Competência, assinale a


alternativa que apresenta o resultado de outubro.

(A) Lucro de R$392.000,00.

(B) Lucro de R$273.000,00.

(C) Lucro de R$173.000,00.

(D) Prejuízo de R$55.000,00.

(E) Lucro de R$98.000,00.

72. (CESPE – AFRE – SEFAZ-ES – 2013) Uma empresa realizou os seguintes eventos
contábeis durante o mês de março do ano X1.

 prestação de serviços no valor de R$ 100 mil à vista;


 pagamento de despesas com salários de funcionários no valor de R$ 30 mil, referente à
mão de obra do mês anterior;

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 119


www.igorcintra.com.br

 despesas com contratação de empresa para consultoria e treinamento no valor de R$ 5


mil, a serem pagas em trinta dias;
 empréstimos concedidos a funcionários no valor de R$ 10 mil, sendo a primeira parcela
vincenda em sessenta dias;
 recebimento da antecipação de um cliente no valor de R$ 15 mil, por serviços que serão
prestados somente em abril;
 pagamento de despesas de energia elétrica do mês no valor de R$ 1 mil.
Considerando a situação hipotética acima apresentada, assinale a opção correta acerca
dos procedimentos de escrituração contábil, do regime de apuração e do sistema de
partidas dobradas.

A) No livro diário, a antecipação de um cliente deve ser registrada a débito da conta caixa
ou banco e a crédito da conta receitas antecipadas, logo o impacto nas disponibilidades será
nula em função da obrigação preestabelecida.

B) O empréstimo no valor de R$ 10 mil representa um passivo de curto ou longo prazo, em


função da quantidade de parcelas para amortização da dívida.

C) O recebimento da antecipação de um cliente no valor de R$ 15 mil representa um ativo,


em função do direito de prestar o serviço em data posterior.

D) O resultado da empresa pelo regime de competência será R$ 30 mil maior que aquele
apurado pelo regime de caixa, em razão das despesas de salários do período.

E) Caso a empresa esteja apurando o resultado pelo regime de caixa, ela terá aferido um
lucro de R$ 84 mil ao final do mês de março.

73. (CESPE – Contador – CADE – 2014) O registro contábil de um débito na conta caixa e de
um crédito na conta receita de aluguéis a vencer diferida corresponde à receita cujo fato
gerador ainda não ocorreu. Dessa forma, o reconhecimento da referida receita no
resultado em momento futuro estará em conformidade com o regime de competência.

( ) CERTO ( ) ERRADO

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 120


www.igorcintra.com.br

GABARITO
01 – B 08 – C 15 – C 22 – C 29 – B 36 – A 43 – E 50 – D 57 – C 64 – D 71 – C
02 – E 09 – C 16 – E 23 – D 30 – A 37 – E 44 – D 51 – A 58 – C 65 – C 72 – E
03 – C 10 – C 17 – C 24 – D 31 – A 38 – D 45 – E 52 – A 59 – E 66 – B 73 – C
04 – C 11 – B 18 – D 25 – D 32 – E 39 – E 46 – B 53 – C 60 – A 67 – D
05 – D 12 – A 19 – C 26 – E 33 – D 40 – E 47 – D 54 – C 61 – B 68 – C
06 – C 13 – C 20 – E 27 – D 34 – E 41 – A 48 – C 55 – B 62 – B 69 – E
07 – C 14 – B 21 – C 28 – D 35 – E 42 – A 49 – E 56 – B 63 – E 70 – D

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 121


www.igorcintra.com.br

Contabilidade Geral e Intermediária – Teoria e Questões – 2018 122