Você está na página 1de 100
MONITORIA – FILOSOFIA – FILOSOFIA ANTIGA 2 1 . (Enem 2ª aplicação 2016) Os andróginos

MONITORIA FILOSOFIA FILOSOFIA ANTIGA 2

1. (Enem 2ª aplicação 2016) Os andróginos tentaram escalar o céu para combater os deuses. No entanto, os deuses

em um primeiro momento pensam em matá-los de forma sumária. Depois decidem puni-los da forma mais cruel:

dividem-nos em dois. Por exemplo, é como se pegássemos um ovo cozido e, com uma linha, dividíssemos ao meio. Desta forma, até hoje as metades separadas buscam reunir-se. Cada um com saudade de sua metade, tenta juntar- se novamente a ela, abraçando-se, enlaçando-se um ao outro, desejando formar um único ser.

PLATÃO. O banquete. São Paulo: Nova Cultural, 1987.

No trecho da obra O banquete, Platão explicita, por meio de uma alegoria, o

a) bem supremo como fim do homem.

b) prazer perene como fundamento da felicidade.

c) ideal inteligível como transcendência desejada.

d) amor como falta constituinte do ser humano.

e) autoconhecimento como caminho da verdade.

2. (Enem PPL 2015) Suponha homens numa morada subterrânea, em forma de caverna, cuja entrada, aberta à luz, se estende sobre todo o comprimento da fachada; eles estão lá desde a infância, as pernas e o pescoço presos por correntes, de tal sorte que não podem trocar de lugar e só podem olhar para frente, pois os grilhões os impedem de voltar a cabeça; a luz de uma fogueira acesa ao longe, numa elevada do terreno, brilha por detrás deles; entre a fogueira e os prisioneiros, há um caminho ascendente; ao longo do caminho, imagine um pequeno muro, semelhante aos tapumes que os manipuladores de marionetes armam entre eles e o público e sobre os quais exibem seus prestígios.

PLATÃO. A República. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2007.

Essa narrativa de Platão é uma importante manifestação cultural do pensamento grego antigo, cuja ideia central, do ponto de vista filosófico, evidencia o(a)

a)

caráter antropológico, descrevendo as origens do homem primitivo.

b)

sistema penal da época, criticando o sistema carcerário da sociedade ateniense.

c)

vida cultural e artística, expressa por dramaturgos trágicos e cômicos gregos.

d)

sistema político elitista, provindo do surgimento da pólis e da democracia ateniense.

e)

teoria do conhecimento, expondo a passagem do mundo ilusório para o mundo das ideias.

3.

(Enem PPL 2016) Estamos, pois, de acordo quando, ao ver algum objeto, dizemos: "Este objeto que estou vendo

agora tem tendências para assemelhar-se a um outro ser, mas, por ter defeitos, não consegue ser tal como o ser em questão, e lhe é, pelo contrário, inferior". Assim, para podermos fazer estas reflexões, é necessário que antes tenhamos tido ocasião de conhecer esse ser de que se aproxima o dito objeto, ainda que imperfeitamente.

PLATÃO, Fédon. São Paulo: Abril Cultural, 1972.

Na epistemologia platônica, conhecer um determinado objeto implica

a) estabelecer semelhanças entre o que é observado em momentos distintos.

b) comparar o objeto observado com uma descrição detalhada dele.

c) descrever corretamente as características do objeto observado.

d) fazer correspondência entre o objeto observado e seu ser.

e) identificar outro exemplar idêntico ao observado.

ser. e) identificar outro exemplar idêntico ao observado. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FILOSOFIA – FILOSOFIA ANTIGA 2 4 . (Enem 2017) Uma conversação de tal

MONITORIA FILOSOFIA FILOSOFIA ANTIGA 2

4. (Enem 2017) Uma conversação de tal natureza transforma o ouvinte; o contato de Sócrates paralisa e

embaraça; leva a refletir sobre si mesmo, a imprimir à atenção uma direção incomum: os temperamentais, como Alcibíades, sabem que encontrarão junto dele todo o bem de que são capazes, mas fogem porque receiam essa influência poderosa, que os leva a se censurarem. E sobretudo a esses jovens, muitos quase crianças, que ele tenta imprimir sua orientação.

BRÉHIER, E. História da filosofia. São Paulo: Mestre Jou, 1977.

O

texto evidencia características do modo de vida socrático, que se baseava na

a)

contemplação da tradição mítica.

b)

sustentação do método dialético.

c)

relativização do saber verdadeiro.

d)

valorização da argumentação retórica.

e)

investigação dos fundamentos da natureza.

5.

(Enem (Libras) 2017) Alguns pensam que Protágoras de Abdera pertence também ao grupo daqueles

que aboliram o critério, uma vez que ele afirma que todas as impressões dos sentidos e todas as opiniões são verdadeiras, e que a verdade é uma coisa relativa, uma vez que tudo o que aparece a alguém ou é

opinado por alguém é imediatamente real para essa pessoa.

KERFERD, G. B. O movimento sofista. São Paulo: Loyola, 2002 (adaptado).

O

grupo ao qual se associa o pensador mencionado no texto se caracteriza pelo objetivo de

a)

alcançar o conhecimento da natureza por meio da experiência.

b)

justificar a veracidade das afirmações com fundamentos universais.

c)

priorizar a diversidade de entendimentos acerca das coisas.

d)

preservar as regras de convivência entre os cidadãos.

e)

analisar o princípio do mundo conforme a teogonia.

6.

(Enem 2017) A representação de Demócrito é semelhante à de Anaxágoras, na medida em que um

infinitamente múltiplo é a origem; mas nele a determinação dos princípios fundamentais aparece de maneira tal que contém aquilo que para o que foi formado não é, absolutamente, o aspecto simples para si. Por exemplo, partículas de carne e de ouro seriam princípios que, através de sua concentração, formam

aquilo que aparece como figura.

HEGEL. G. W. F. Crítica moderna. In: SOUZA, J. C. (Org.). Os pré-socrática: vida e obra. São Paulo: Nova Cultural. 2000 (adaptado).

O texto faz uma apresentação crítica acerca do pensamento de Demócrito, segundo o qual o “princípio constitutivo das coisas” estava representado pelo(a)

a) número, que fundamenta a criação dos deuses.

b) devir, que simboliza o constante movimento dos objetos.

c) água, que expressa a causa material da origem do universo.

d) imobilidade, que sustenta a existência do ser atemporal.

e) átomo, que explica o surgimento dos entes.

atemporal. e) átomo, que explica o surgimento dos entes. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FILOSOFIA – FILOSOFIA ANTIGA 2 7 . (Enem PPL 2017) A definição de

MONITORIA FILOSOFIA FILOSOFIA ANTIGA 2

7. (Enem PPL 2017) A definição de Aristóteles para enigma é totalmente desligada de qualquer fundo

religioso: dizer coisas reais associando coisas impossíveis. Visto que, para Aristóteles, associar coisas impossíveis significa formular uma contradição, sua definição quer dizer que o enigma é uma contradição que designa algo real, em vez de não indicar nada, como é de regra.

COLLI, G. O nascimento da filosofia. Campinas: Unicamp, 1996 (adaptado).

Segundo o texto, Aristóteles inovou a forma de pensar sobre o enigma, ao argumentar que

a)

a contradição que caracteriza o enigma é desprovida de relevância filosófica.

b)

os enigmas religiosos são contraditórios porque indicam algo religiosamente real.

c)

o enigma é uma contradição que diz algo de real e algo de impossível ao mesmo tempo.

d)

as coisas impossíveis são enigmáticas e devem ser explicadas em vista de sua origem religiosa.

e)

a contradição enuncia coisas impossíveis e irreais, porque ela é desligada de seu fundo religioso.

8.

(Enem 2017) Se, pois, para as coisas que fazemos existe um fim que desejamos por ele mesmo e tudo

o mais é desejado no interesse desse fim; evidentemente tal fim será o bem, ou antes, o sumo bem. Mas não terá o conhecimento, porventura, grande influência sobre essa vida? Se assim é, esforcemo-nos por determinar, ainda que em linhas gerais apenas, o que seja ele e de qual das ciências ou faculdades constitui o objeto. Ninguém duvidará de que o seu estudo pertença à arte mais prestigiosa e que mais verdadeiramente se pode chamar a arte mestra. Ora, a política mostra ser dessa natureza, pois é ela que determina quais as ciências que devem ser estudadas num Estado, quais são as que cada cidadão deve aprender, e até que ponto; e vemos que até as faculdades tidas em maior apreço, como a estratégia, a economia e a retórica, estão sujeitas a ela. Ora, como a política utiliza as demais ciências e, por outro lado, legisla sobre o que devemos e o que não devemos fazer, a finalidade dessa ciência deve abranger as das outras, de modo que essa finalidade será o bem humano.

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. In: Pensadores. São Paulo: Nova Gunman 1991 (adaptado).

Para Aristóteles, a relação entre o sumo bem e a organização da pólis pressupõe que

a)

o bem dos indivíduos consiste em cada um perseguir seus interesses.

b)

o sumo bem é dado pela fé de que os deuses são os portadores da verdade.

c)

a política é a ciência que precede todas as demais na organização da cidade.

d)

a educação visa formar a consciência de cada pessoa para agir corretamente.

e)

a democracia protege as atividades políticas necessárias para o bem comum.

9.

(Enem PPL 2017) Dado que, dos hábitos racionais com os quais captamos a verdade, alguns são sempre

verdadeiros, enquanto outros admitem o falso, como a opinião e o cálculo, enquanto o conhecimento científico e a intuição são sempre verdadeiros, e dado que nenhum outro gênero de conhecimento é mais exato que o conhecimento científico, exceto a intuição, e, por outro lado, os princípios são mais conhecidos que as demonstrações, e dado que todo conhecimento científico constitui-se de maneira argumentativa, não pode haver conhecimento científico dos princípios, e dado que não pode haver nada

mais verdadeiro que o conhecimento científico, exceto a intuição, a intuição deve ter por objeto os princípios.

ARISTÓTELES. Segundos analíticos. In: REALE, G. História da filosofia antiga. São Paulo: Loyola, 1994.

História da filosofia antiga . São Paulo: Loyola, 1994. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FILOSOFIA – FILOSOFIA ANTIGA 2 Os princípios, base da epistemologia aristotélica, pertencem ao

MONITORIA FILOSOFIA FILOSOFIA ANTIGA 2

Os princípios, base da epistemologia aristotélica, pertencem ao domínio do(a)

a) opinião, pois fazem parte da formação da pessoa.

b) cálculo, pois são demonstrados por argumentos.

c) conhecimento científico, pois admitem provas empíricas.

d) intuição, pois ela é mais exata que o conhecimento científico.

e) prática de hábitos racionais, pois com ela se capta a verdade.

10. (Enem (Libras) 2017) TEXTO I

Aquele que não é capaz de pertencer a uma comunidade ou que dela não tem necessidade, porque se basta a si mesmo, não é em nada parte da cidade, embora seja quer um animal, quer um deus.

TEXTO II

ARISTÓTELES. A política. São Paulo: Martins Fontes, 2002.

Nenhuma vida humana, nem mesmo a vida de um eremita em meio à natureza selvagem, é possível sem um mundo que, direta ou indiretamente, testemunhe a presença de outros seres humanos.

ARENDT, H. A condição humana. Rio de Janeiro: Forense, 1995.

Associados a contextos históricos distintos, os fragmentos convergem para uma particularidade do ser humano, caracterizada por uma condição naturalmente propensa à

a) atividade contemplativa.

b) produção econômica.

c) articulação coletiva.

d) criação artística.

e) crença religiosa.

coletiva. d) criação artística. e) crença religiosa. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FILOSOFIA – FILOSOFIA ANTIGA 2 GABARITO 1. D 2. E 3. D 4.

MONITORIA FILOSOFIA FILOSOFIA ANTIGA 2

GABARITO

1.

D

2.

E

3.

D

4.

B

5. C

6.

E

7.

C

8.

C

9.

D

10. C

5. C 6. E 7. C 8. C 9. D 10. C proenem.com.br Este conteúdo pertence

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – SOCIOLOGIA – RELAÇÕES CULTURAIS TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Analise a charge a

MONITORIA SOCIOLOGIA RELAÇÕES CULTURAIS

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Analise a charge a seguir e responda à(s) questão(ões).

Analise a charge a seguir e responda à(s) questão(ões). 1 . (Uel 2017) Leia o texto

1. (Uel 2017) Leia o texto a seguir.

As reações mais íntimas das pessoas estão tão completamente reificadas para elas próprias que a ideia de algo peculiar a elas só perdura na mais extrema abstração: personality significa para elas pouco mais que possuir dentes deslumbrantemente brancos e estar livres do suor nas axilas e das emoções. Eis aí o triunfo da publicidade na indústria cultural.

ADORNO, T. W.; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento. Trad. Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985, p. 138.

A respeito da relação entre Indústria Cultural, esvaziamento do sentido da experiência e superficialização da personalidade, assinale a alternativa correta.

a) A abstração a respeito da própria personalidade é uma capacidade por meio da qual o sentido da

experiência, esvaziado pela Indústria Cultural, pode ser reconfigurado e ressignificado. b) A superficialização da personalidade e o esvaziamento do sentido da experiência são efeitos

secundários da Indústria Cultural, decorrentes dos exageros da publicidade.

c) A superficialização da personalidade resulta da ação por meio da qual a Indústria Cultural esvazia o sentido da experiência ao concebê-la como um sistema de coisas.

d) O esvaziamento do sentido da experiência criado pela Indústria Cultural atesta a superficialidade inerente à personalidade na medida em que ela é uma abstração.

e) O poder de reificação exercido pela Indústria Cultural sobre a personalidade consiste em criar um equilíbrio entre sensibilidade (emoções) e pensamento (máxima abstração).

(emoções) e pensamento (máxima abstração). proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – SOCIOLOGIA – RELAÇÕES CULTURAIS 2 . (Enem PPL 2016) A tirinha compara dois

MONITORIA SOCIOLOGIA RELAÇÕES CULTURAIS

2. (Enem PPL 2016)

SOCIOLOGIA – RELAÇÕES CULTURAIS 2 . (Enem PPL 2016) A tirinha compara dois veículos de comunicação,

A tirinha compara dois veículos de comunicação, atribuindo destaque à

a)

resistência do campo virtual à adulteração de dados.

b)

interatividade dos programas de entretenimento abertos.

c)

confiança do telespectador nas notícias veiculadas.

d)

credibilidade das fontes na esfera computacional.

e)

autonomia do internauta na busca de informações.

3.

(Uem 2015) “Eles recusam-se a matar as vacas e comer sua carne porque, para eles, a vaca é um

símbolo religioso da vida. Calendários de parede por toda a Índia rural exibem lindas mulheres com corpos de vacas brancas e gordas, com leite jorrando de suas tetas. As vacas podem andar pelas ruas, defecar

nas calçadas, parar para ruminar em cruzamentos engarrafados ou em trilhos de trem, fazendo com que o trânsito pare completamente.”

(BRYM, R. ET al. Sociologia: sua bússola para um novo mundo. São Paulo: Thomson Learning, 2006, p. 84).

A partir do texto acima e das discussões antropológicas sobre o etnocentrismo, o relativismo e a diversidade cultural, é correto afirmar que:

01) A superproteção das vacas na Índia a partir do pressuposto de que se trata de um animal sagrado é claramente um sinal do atraso dessa cultura em relação às culturas ocidentais. 02) O respeito a outras culturas é viável desde que isso não atrapalhe o desenvolvimento mundial. Nesse caso, os interesses ocidental, capitalista, devem prevalecer sobre as práticas culturais locais. 04) A sacralidade das vacas na Índia está relacionada a um complexo e coerente sistema cultural e, por isso, merece ser respeitada como qualquer outra expressão coletiva, e reconhecida como legítima. 08) O relativismo é a atitude metodológica que o pesquisador deve assumir quando pretende desenvolver um trabalho coerente com as premissas da antropologia contemporânea. 16) O etnocentrismo é a atitude diante de culturas distintas que implica o julgamento das mesmas a partir dos valores culturais do observador. Isso acarreta uma impossibilidade de compreensão e a distorção dos valores culturais observados.

e a distorção dos valores culturais observados. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – SOCIOLOGIA – RELAÇÕES CULTURAIS 4 . (Upe 2012) Leia o texto abaixo: “Cultura

MONITORIA SOCIOLOGIA RELAÇÕES CULTURAIS

4. (Upe 2012) Leia o texto abaixo:

“Cultura (

quaisquer outras capacidades e hábitos adquiridos pelo homem na condição de membro da sociedade”.

)

é aquele todo complexo, que inclui conhecimento, crença, arte, moral, lei, costume e

TYLOR, Edward Burnett. A ciência da Cultura. In: CASTRO, Celso (org.) Evolucionismo cultural: textos de Morgan, Tylor e Frazer. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005. p.69.

Nessa ampla definição, Tylor incorpora, no conceito de cultura, todas as possibilidades de realização humana e enfatiza o aprendizado como um aspecto importante para a formação social do homem. Nessa perspectiva, todas as alternativas abaixo apresentam uma compreensão sociológica do conceito acima, exceto:

a)

O aprendizado, como um aspecto cultural, é um conceito, que se opõe à ideia da transmissão genética do conhecimento, pois esta última enfatiza os condicionantes biológicos do homem.

b)

A manutenção da sociedade não pode ser compreendida por elementos geneticamente programados, mas, pelas relações estabelecidas entre o homem e a natureza e entre eles.

c)

As relações sociais, permeadas pelas crenças, imagens, mitos, ritos e normas, podem ser consideradas como representações simbólicas do convívio social.

d)

O conceito citado nos permite localizar a cultura das seguintes formas: intraorgânica, interorgânica e extraorgânica.

e)

A discriminação, a violência e a agressividade verbal são formas de expressar um relativismo cultural, pois permitem ao grupo valorizar as competências e as habilidades dos seus membros em interação.

5.

(Unioeste 2012) O relativismo cultural é um princípio segundo o qual não é possível compreender,

interpretar ou avaliar de maneira significativa os fenômenos sociais a não ser que sejam considerados em relação ao papel que desempenham no sistema cultural.

Tendo por base o anúncio transcrito acima, é correto afirmar que

a) relativizar é construir descrições exteriores sobre diferentes modos de vida.

b) relativizar é uma tentativa de construir descrições e interpretações dos fatos culturais a partir do que nos dizem e do que fazem os atores destes fatos culturais.

c) relativizar é uma defesa da homogeneidade cultural.

d) é o reconhecimento da unidade biológica da espécie humana. Através dessa unidade biológica

podemos explicar as realidades culturais e o comportamento das pessoas.

e)

o relativismo defende que todas as culturas tendem a se assemelhar com o passar do tempo, e que ao difundir nossos hábitos estamos colaborando com esse processo.

6.

(Unesp 2014) Segundo Franz Boas, as pessoas diferem porque suas culturas diferem. De fato, é assim

que deveríamos nos referir a elas: a cultura esquimó ou a cultura judaica, e não a raça esquimó ou a raça judaica. Apesar de toda a ênfase que deu à cultura, Boas não era um relativista que acreditava que todas as culturas eram equivalentes, nem um empirista que acreditava na tábula rasa. Ele considerava a

civilização europeia superior às culturas tribais, insistindo apenas em que todos os povos eram capazes de atingi-la. Não negava que devia existir uma natureza humana universal ou que poderia haver diferenças entre as pessoas de um mesmo grupo étnico. O que importava para ele era a ideia de que todos os grupos étnicos são dotados das mesmas capacidades mentais básicas.

(Steven Pinker. Tábula rasa: a negação contemporânea da natureza humana, 2004. Adaptado.)

contemporânea da natureza humana , 2004. Adaptado.) proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – SOCIOLOGIA – RELAÇÕES CULTURAIS Considerando o texto, é correto afirmar que, de acordo

MONITORIA SOCIOLOGIA RELAÇÕES CULTURAIS

Considerando o texto, é correto afirmar que, de acordo com o antropologo Franz Boas,

a)

os critérios para comparação entre as culturas são inteiramente relativos.

b)

a vida em estado de natureza é superior à vida civilizada.

c)

as diferenças culturais podem ser avaliadas por critérios universalistas.

d)

as diferenças entre as culturas são biologicamente condicionadas.

e)

o progresso cultural é uma ilusão etnocêntrica europeia.

7.

(Uel 2007) Os pensadores da Escola de Frankfurt, especialmente Theodor Adorno e Max Horkheimer,

são críticos da mentalidade que identifica o progresso técnico-científico com o progresso da humanidade. Para eles, a ideologia da ‘indústria cultural’ submete as artes à servidão das regras do mercado capitalista.

Com base nos conhecimentos sobre as críticas de Adorno e Horkheimer à ‘Indústria Cultural’, assinale a afirmativa correta:

a)

A ‘indústria cultural’ proporcionou a democratização das artes eruditas, tornando as obras raras e caras acessíveis à maioria das pessoas.

b)

Sob os efeitos da massificação pela indústria e consumo culturais, as artes tendem a ganhar força simbólica e expressividade.

c)

A ‘indústria cultural’ fomentou os aspectos críticos, inovadores e polêmicos das artes.

d)

O progresso técnico-científico pode ser entendido como um meio que a ‘indústria cultural’ usa para formar indivíduos críticos.

e)

A expressão ‘indústria cultural’ indica uma cultura baseada na ideia e na prática do consumo de produtos culturais fabricados em série.

8.

(Enem PPL 2013) O antropologo americano Marius Barbeau escreveu o seguinte: sempre que se cante

a

uma criança uma cantiga de ninar; sempre que se use uma canção, uma adivinha, uma parlenda, uma

rima de contar, no quarto das crianças ou na escola; sempre que ditos e provérbios, fábulas, histórias bobas e contos populares sejam representados; aí veremos o folclore em seu próprio domínio, sempre

em ação, vivo e mutável, sempre pronto a agarrar e assimilar novos elementos em seu caminho.

UTLEY, F. L. Uma definição de folclore. In: BRANDÃO, C. R. O que é folclore. São Paulo: Brasiliense, 1984 (adaptado).

O texto tem como objeto a construção da identidade cultural, reconhecendo que o folclore, mesmo sendo

uma manifestação associada à preservação das raízes e da memória dos grupos sociais,

a)

está sujeito a mudanças e reinterpretações.

b)

deve ser apresentado de forma escrita.

c)

segue os padrões de produção da moderna indústria cultural.

d)

tende a ser materializado em peças e obras de arte eruditas.

e)

expressa as vivências contemporâneas e os anseios futuros desses grupos.

9.

(Ufu 2009) Uma das superstições características da cultura popular é a relativa ao mês de agosto,

considerado mês de mau agouro, quando nenhuma decisão importante deve ser tomada: não se deve fechar negócios, nem marcar casamentos ou fazer mudanças de qualquer espécie. O Jornal Correio de Uberlândia, em agosto de 2008, publicou reportagem que atestava mudanças desse comportamento, durante o referido mês, tais como: realizações de casamentos, de mudanças de residências, ou de negócios em andamento ou, ainda, salões de beleza com movimento normal para “mudanças de visual”.

beleza com movimento normal para “mudanças de visual”. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – SOCIOLOGIA – RELAÇÕES CULTURAIS Considerando o enunciado acima e o conceito antropológico de

MONITORIA SOCIOLOGIA RELAÇÕES CULTURAIS

Considerando o enunciado acima e o conceito antropológico de cultura, marque a alternativa correta.

a) Só há pureza e autenticidade nas manifestações provindas da zona rural, não contaminadas pelas vertiginosas transformações do mundo urbano.

b) As práticas culturais não são congeladas no tempo, são partes integrantes da história e estão em processo de transformação com a própria história.

c) As manifestações culturais populares passam por um processo de descaracterização, pois para permanecerem autênticas e tradicionais devem reproduzir integralmente o passado e evitar mudanças.

d) As verdadeiras práticas tradicionais não se alteram com o tempo e são reproduzidas da mesma forma como foram originadas.

10. (Uel 2010) Observe a tabela a seguir elaborada por Pierre Bourdieu:

Observe a tabela a seguir elaborada por Pierre Bourdieu: Com base na tabela, é correto afirmar:

Com base na tabela, é correto afirmar:

a) A pesquisa sobre as classes sociais indica as similitudes e simetrias dos gostos e práticas sociais das classes baixas, médias e superiores.

b) A pesquisa sobre as classes baixas, médias e altas revela o quanto a dimensão cultural dificilmente coincide com a dimensão econômica das diferenças.

c) A pesquisa sobre a dimensão cultural das classes sociais demonstra que há diferenças nos seus estilos de vida e de consumo.

d) A pesquisa sobre as classes sociais e suas hierarquias desautorizam as afirmações sobre possíveis assimetrias nas escolhas de consumo.

e) A pesquisa sobre o consumo e as prática sociais das três classes denuncia a apropriação da cultura popular pelas classes superiores.

a apropriação da cultura popular pelas classes superiores. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – SOCIOLOGIA – RELAÇÕES CULTURAIS GABARITO 1. C 2. E 3. 04 + 08

MONITORIA SOCIOLOGIA RELAÇÕES CULTURAIS

GABARITO

1.

C

2.

E

3. 04 + 08 + 16 = 28.

4.

E

5. B

6.

C

7.

E

8. A

9.

B

10. C

E 5. B 6. C 7. E 8. A 9. B 10. C proenem.com.br Este conteúdo

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM 1. O gasto militar é

MONITORIA GEOGRAFIA GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM

1.

– GEOGRAFIA – GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM 1. O gasto militar é um dos

O gasto militar é um dos indicadores do poder dos países no cenário internacional em um dado contexto histórico.

Com base na análise dos dois gráficos, pode-se projetar a seguinte alteração na atual ordem geopolítica mundial:

(A)

eliminação de conflitos atômicos

(B)

declínio da supremacia europeia

(C)

superação da unipolaridade bélica

(D)

padronização de tecnologias de defesa

2.

A primeira Guerra do Golfo, genuinamente apoiada pelas Nações Unidas e pela comunidade internacional, assim como a reação imediata ao Onze de Setembro, demonstravam a força da posição dos Estados Unidos na era pós-soviética.

HOBSBAWM, E. Globalização, democracia e terrorismo. São Paulo: Cia. das Letras, 2007.

Um aspecto que explica a força dos Estados Unidos. apontada pelo texto, reside no(a)

a) poder de suas bases militares espalhadas ao redor do mundo.

b) alinhamento geopolítico da Rússia em relação aos EUA.

c) política de expansionismo territorial exercida sobre Cuba.

d) aliança estratégica com países produtores de petróleo como Kuwait e Irã.

e) incorporação da China à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM 3. ILLINGWORTH, L. G. Outubro

MONITORIA GEOGRAFIA GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM

3.

– GEOGRAFIA – GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM 3. ILLINGWORTH, L. G. Outubro de 1962

ILLINGWORTH, L. G. Outubro de 1962. Disponível em: www.llgc.org.uk. Acesso em: 8 mar. 2016.

A charge faz alusão à intensa rivalidade entre as duas maiores potências do século XX. O momento mais tenso dessa disputa foi provocado pela

a)

ampliação da Guerra do Vietnã.

b)

construção do muro de Berlim.

c)

instalação de mísseis em Cuba.

d)

eclosão da Guerra dos Sete Dias.

e)

invasão do território do Afeganistão.

4.

e) invasão do território do Afeganistão. 4. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM Em 2009, comemoram-se na Alemanha

MONITORIA GEOGRAFIA GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM

Em 2009, comemoram-se na Alemanha vinte anos da derrubada do Muro de Berlim. Sua construção, em 1961, esteve relacionada à:

a)

divisão étnica da cidade

b)

crise dos regimes democráticos europeus

c)

bipolaridade das relações internacionais

d)

reação nacionalista à influência estrangeira

5.

reação nacionalista à influência estrangeira 5. A variação da curva do gráfico entre os anos de

A variação da curva do gráfico entre os anos de 1950 e 1975 é explicada pelo seguinte evento histórico:

a) integração do bloco socialista b) fragmentação do leste europeu c) democratização latino-americana d)
a)
integração do bloco socialista
b)
fragmentação do leste europeu
c)
democratização latino-americana
d)
descolonização asiático-africana
6.
O
Conselho de Segurança da ONU pode aprovar deliberações obrigatórias para todos os países-membros,

inclusive a de intervenção militar, como ilustra a reportagem. Ele é composto por quinze membros, sendo dez rotativos e cinco permanentes com poder de veto.

A principal explicação para essa desigualdade de poder entre os países que compõem o Conselho está ligada às características da:

a) geopolítica mundial na época da criação do organismo

b) parceria militar entre as nações com cadeira cativa no órgão

c) convergência diplomática dos países com capacidade atômica

d) influência política das transnacionais no período da globalização

política das transnacionais no período da globalização proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM 7. O governo norte-coreano anunciou

MONITORIA GEOGRAFIA GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM

7.

– GEOGRAFIA – GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM 7. O governo norte-coreano anunciou recentemente que

O governo norte-coreano anunciou recentemente que não mais reconheceria o armistício assinado em 1953, o que trouxe novamente ao debate o episódio da Guerra da Coreia. O fator que explica a dimensão assumida por essa guerra na década de 1950 está apresentado em:

a)

mundialização do acesso a fontes de energia

b)

bipolaridade das relações políticas internacionais

c)

hegemonia soviética em países do Terceiro Mundo

d)

criação de multinacionais japonesas no extremo Oriente

8.

de multinacionais japonesas no extremo Oriente 8. O país em destaque no cartograma passou a ser

O país em destaque no cartograma passou a ser uma das maiores representações da Guerra Fria, porque:

a) provocou a maior guerra entre as superpotências EUA e URSS em tempos de paz.

b) exerceu um papel imperialista no Sudeste asiático rivalizando com a China socialista.

c) estabeleceu rivalidade com os vizinhos socialistas em uma região dominada pela URSS.

d) foi dividido em dois, um socialista outro capitalista, como a Alemanha, Iêmen e Coreia.

e) ocupou a condição de único baluarte do socialismo real na região controlada pelos EUA

baluarte do socialismo real na região controlada pelos EUA proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM 9. A Europa passou por

MONITORIA GEOGRAFIA GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM

9. A Europa passou por grande número de reconfigurações territoriais, em virtude das disputas seculares entre os povos do continente. No mapa abaixo, elaborado em 2014, estão assinalados, para cada país europeu, o nome da última potência estrangeira a desocupar aquele espaço nacional e o ano em que isso ocorreu.

aquele espaço nacional e o ano em que isso ocorreu. A desocupação estrangeira na Europa Oriental,

A desocupação estrangeira na Europa Oriental, após a Segunda Guerra Mundial, está associada ao seguinte contexto geopolítico:

a) fim da Guerra Fria

b) fundação da União Europeia

10.

c) término da Crise dos Mísseis

d) início da Coexistência Pacífica

da Crise dos Mísseis d) início da Coexistência Pacífica O apoio a projetos de Big Science

O apoio a projetos de Big Science pelo governo dos E.U.A., no contexto da Guerra Fria, esteve diretamente relacionado ao desenvolvimento do seguinte aspecto:

(A)

globalização dos mercados financeiros e de trabalho

(B)

cooperação tecnológica entre países periféricos e centrais

(C)

integração entre conhecimentos científicos e mudanças demográficas

(D)

modernização dos sistemas de informação e comunicação aeroespacial

dos sistemas de informação e comunicação aeroespacial proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM GABARITO 1. C 2. A

MONITORIA GEOGRAFIA GEOPOLÍTICA - VELHA E NOVA ORDEM

GABARITO

1.

C

2.

A

3.

C

4.

C

5. D

6.

A

7.

B

8.

D

9.

A

10. D

5. D 6. A 7. B 8. D 9. A 10. D proenem.com.br Este conteúdo pertence

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – URBANIZAÇÃO 1 . (Enem 2014) A urbanização brasileira, no início da

MONITORIA GEOGRAFIA URBANIZAÇÃO

1. (Enem 2014) A urbanização brasileira, no início da segunda metade do século XX, promoveu uma

radical alteração nas cidades. Ruas foram alargadas, túneis e viadutos foram construídos. O bonde foi a primeira vítima fatal. O destino do sistema ferroviário não foi muito diferente. O transporte coletivo saiu definitivamente dos trilhos.

JANOT, L. F. A caminho de Guaratiba. Disponível em: www.iab.org.br. Acesso em: 9 jan. 2014 (adaptado).

A relação entre transportes e urbanização é explicada, no texto, pela

a)

retirada dos investimentos estatais aplicados em transporte de massa.

b)

demanda por transporte individual ocasionada pela expansão da mancha urbana.

c)

presença hegemônica do transporte alternativo localizado nas periferias das cidades.

d)

aglomeração do espaço urbano metropolitano impedindo a construção do transporte metroviário.

e)

predominância do transporte rodoviário associado à penetração das multinacionais automobilísticas.

2.

(Enem 2004) Ao longo do século XX, as características da população brasileira mudaram muito. Os

gráficos mostram as alterações na distribuição da população da cidade e do campo e na taxa de

fecundidade (número de filhos por mulher) no período entre 1940 e 2000.

de filhos por mulher) no período entre 1940 e 2000. Comparando-se os dados dos gráficos, pode-se

Comparando-se os dados dos gráficos, pode-se concluir que

a) o aumento relativo da população rural é acompanhado pela redução da taxa de fecundidade.

b) quando predominava a população rural, as mulheres tinham em média três vezes menos filhos do que hoje.

c) a diminuição relativa da população rural coincide com o aumento do número de filhos por mulher.

d) quanto mais aumenta o número de pessoas morando em cidades, maior passa a ser a taxa de

fecundidade.

e) com a intensificação do processo de urbanização, o número de filhos por mulher tende a ser menor.

o número de filhos por mulher tende a ser menor. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM.

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – URBANIZAÇÃO 3 . (Enem 2017) A configuração do espaço urbano da

MONITORIA GEOGRAFIA URBANIZAÇÃO

3. (Enem 2017) A configuração do espaço urbano da região do Entorno do Distrito Federal assemelha-se

às demais aglomerações urbanas e regiões metropolitanas do pais, onde é facilmente identificável a constituição de um centro dinâmico e desenvolvido, onde se concentram as oportunidades de trabalho e os principais serviços, e a constituição de uma região periférica concentradora de população de baixa renda, com acesso restrito às principais atividades com capacidade de acumulação e produtividade, e aos serviços sociais e infraestrutura básica.

CAIADO, M. C. A migração intrametropolitana e o processo de estruturação do espaço da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno. In: HOGAN, D. J. et al. (Org.). Migração e ambiente nas aglomerações urbanas. Campinas: Nepo/Unicamp, 2002.

A organização interna do aglomerado urbano descrito é resultado da ocorrência do processo de a)
A
organização interna do aglomerado urbano descrito é resultado da ocorrência do processo de
a)
expansão vertical.
b)
polarização nacional.
c)
emancipação municipal.
d)
segregação socioespacial.
e)
desregulamentação comercial.
4.
(Enem 2014)
O
fluxo migratório representado está associado ao processo de
a)
fuga de áreas degradadas.
b)
inversão da hierarquia urbana.
c)
busca por amenidades ambientais.
d)
conurbação entre municípios contíguos.
e)
desconcentração dos investimentos produtivos.
proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – URBANIZAÇÃO 5 . (Enem 2013) Trata-se de um gigantesco movimento de

MONITORIA GEOGRAFIA URBANIZAÇÃO

5. (Enem 2013) Trata-se de um gigantesco movimento de construção de cidades, necessário para o assentamento residencial dessa população, bem como de suas necessidades de trabalho, abastecimento, transportes, saúde, energia, água etc. Ainda que o rumo tomado pelo crescimento urbano não tenha respondido satisfatoriamente a todas essas necessidades, o território foi ocupado e foram construídas as condições para viver nesse espaço.

MARICATO, E. Brasil, cidades: alternativas para a crise urbana. Petrópolis, Vozes, 2001.

A dinâmica de transformação das cidades tende a apresentar como consequência a expansão das áreas periféricas pelo(a)

a) crescimento da população urbana e aumento da especulação imobiliária.

b) direcionamento maior do fluxo de pessoas, devido à existência de um grande número de serviços.

c) delimitação de áreas para uma ocupação organizada do espaço físico, melhorando a qualidade de vida.

d) implantação de políticas públicas que promovem a moradia e o direito à cidade aos seus moradores.

e) reurbanização de moradias nas áreas centrais, mantendo o trabalhador próximo ao seu emprego, diminuindo os deslocamentos para a periferia.

6. (Enem 2011) Subindo morros, margeando córregos ou penduradas em palafitas, as favelas fazem parte da paisagem de um terço dos municípios do país, abrigando mais de 10 milhões de pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

MARTINS, A. R. A favela como um espaço da cidade. Disponível em: http://www.revistaescola.abril.com.br. Acesso em: 31 jul.

2010.

A situação das favelas no país reporta a graves problemas de desordenamento territorial. Nesse sentido, uma característica comum a esses espaços tem sido

a) o planejamento para a implantação de infraestruturas urbanas necessárias para atender as

necessidades básicas dos moradores.

b) a organização de associações de moradores interessadas na melhoria do espaço urbano e financiadas pelo poder público.

c) a presença de ações referentes à educação ambiental com consequente preservação dos espaços naturais circundantes.

d) a ocupação de áreas de risco suscetíveis a enchentes ou desmoronamentos com consequentes perdas materiais e humanas.

e) o isolamento socioeconômico dos moradores ocupantes desses espaços com a resultante multiplicação de políticas que tentam reverter esse quadro.

de políticas que tentam reverter esse quadro. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – URBANIZAÇÃO 7 . (Usf 2018) Trata-se de um neologismo, uma importação

MONITORIA GEOGRAFIA URBANIZAÇÃO

7. (Usf 2018) Trata-se de um neologismo, uma importação inglesa que ainda não consta de nossos

dicionários, mas que tem frequentado o debate de urbanistas e arquitetos sobre favelas. O termo significa algo como “enobrecimento” e ocorre quando os efeitos colaterais desse processo – valorização do espaço

e das construções, aumento dos aluguéis e bens de serviço empurram os moradores tradicionais para mais longe, substituindo-os por outros de maior poder aquisitivo.

Jornal O Globo, 28/12/2013.

O

fenômeno retratado na reportagem pode ser definido como

a)

favelização.

b)

desindustrialização.

c)

gentrificação.

d)

migração pendular.

e)

êxodo urbano.

8.

(Unesp 2017) Alguns estudos recentes mostram que, de fato, há uma mudança ocorrendo na equação

das migrações internas e na conformação das redes urbanas, com um novo papel de protagonismo regional dessas cidades médias, cuja população e PIB crescem mais do que as grandes cidades brasileiras.

João S. W. Ferreira e Luciana Ferrara. “A formulação de uma nova matriz urbana no Brasil”. In: Tarcisio Nunes et al. (orgs.). Habitação social e sustentabilidade urbana, 2015. Adaptado.

Assinale a alternativa que indica corretamente o fenômeno urbano caracterizado no excerto.

a)

Verticalização.

b)

Segregação socioespacial.

c)

Gentrificação.

d)

Favelização.

e)

Desmetropolização.

9.

(Uerj 2015)

e) Desmetropolização. 9 . (Uerj 2015) O problema habitacional na cidade do Rio de Janeiro é

O problema habitacional na cidade do Rio de Janeiro é antigo, com alguns de seus efeitos mantendo-se há mais de um século, como o tipo de moradia popular retratado nas imagens.

como o tipo de moradia popular retratado nas imagens. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – URBANIZAÇÃO Uma causa econômica e um resultado socioespacial, associados diretamente à

MONITORIA GEOGRAFIA URBANIZAÇÃO

Uma causa econômica e um resultado socioespacial, associados diretamente à expansão desse tipo de moradia ao longo do século XX, são:

a) mercantilização do solo urbano − segregação

b) fortalecimento do comércio informal − verticalização

c) crescimento do trabalho assalariado − suburbanização

d) redução do financiamento habitacional − periferização

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

UM LUGAR COMUM, O EUFEMISMO E A FAVELA

Uma valorização do eufemismo parece importante na dinâmica das relações sociais. Seu emprego permitiria, em parte, contornar o valor negativo que certas expressões espelham. O eufemismo, no entanto, não afronta o estigma. Seu uso indica uma relação de cortesia, necessária, no curso das trocas sociais que se passam com aqueles que não podem se desfazer de suas marcas. 1 Observamos que este uso é generalizado entre diferentes grupos sociais a mesma preocupação pode levar a substituir o termo comunidade por outro equivalente, como morro ou bairro. Sabemos todos que nas trocas sociais o mais importante é o sentido que se elabora no interior das suas dinâmicas. O esforço continuado para não ferir as pessoas que acompanham as trocas sociais correntes motiva o uso do termo comunidade em muitos momentos, inclusive por aqueles diretamente concernidos as pessoas que moram em favelas , quando se referem a seus locais de moradia. Empregado pela mídia, pelo governo, pelas associações locais, pelas ONGs, o termo comunidade muitas vezes explicita a dificuldade dessa operação de levar em conta o que pensam os que se veem nomeados de uma forma negativa. Se este uso eufemístico é recorrente, vale observar que, em muitas circunstâncias, do ponto de vista dos moradores, o que é mais reivindicado é a não identificação, ou seja, preferencialmente, a anulação de qualquer referência à identidade territorial em trocas sociais diversas. O termo “comunidade” em seus usos eufemísticos não é capaz de impedir a associação da pessoa com os traços negativos provenientes dessa identificação; somente indica a sua pensão destes pelo uso momentâneo de aspas que podem ser retiradas quando for preciso.

BIRMAN, Patrícia. Favela é comunidade? In SILVA, L.A.(org.) Vida sob cerco. Violência e rotina nas favelas do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008, pp.106-7. Adaptação.

Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008, pp.106-7. Adaptação. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – URBANIZAÇÃO 10 . (Uff 2010) De acordo com o texto, destaca-se

MONITORIA GEOGRAFIA URBANIZAÇÃO

10. (Uff 2010) De acordo com o texto, destaca-se o seguinte trecho:

“Observamos que este uso (do eufemismo) é generalizado entre diferentes grupos sociais – a mesma preocupação pode levar a substituir o termo comunidade por outro equivalente, como morro ou bairro”. (ref. 1) A substituição apontada no trecho acima pode ser encontrada em letras de algumas canções, como no exemplo a seguir.

Endereço dos Bailes

“(

Ê ê ê ê! Se liga que eu quero ver

O endereço dos bailes eu vou falar pra você

É que de sexta a domingo na Rocinha o morro enche de gatinha Que vem pro baile curtir Ouvindo charme, rap, melody ou montagem,

É funk em cima, é funk embaixo, Que eu não sei pra onde ir

)

) Tem outro baile que a galera toda treme É lá no baile do Leme lá no Morro do Chapéu Tem na Tijuca um baile que é sem bagunça A galera fica maluca lá no Morro do Borel ( )”

(

MC Júnior e MC Leonardo

Essa associação entre favela e morro pode ser explicada pela combinação dos seguintes aspectos:

a) autossegregação / interferência do planejamento estatal.

b) segregação social / especificidade do sítio urbano.

c) periferização / espaço urbano como mercadoria.

d) metropolização / busca pela legalização da posse.

e) verticalização / política demográfica natalista.

e) verticalização / política demográfica natalista. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – GEOGRAFIA – URBANIZAÇÃO GABARITO 1. E 2. E 3. D 4. D 5.

MONITORIA GEOGRAFIA URBANIZAÇÃO

GABARITO

1.

E

2.

E

3.

D

4.

D

5. A

6.

D

7.

C

8.

E

9.

A

10. B

5. A 6. D 7. C 8. E 9. A 10. B proenem.com.br Este conteúdo pertence

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – CRISE COLONIAL BRASILEIRA 1 . (Uece 2018) Atente ao seguinte fragmento

MONITORIA HISTÓRIA CRISE COLONIAL BRASILEIRA

1. (Uece 2018) Atente ao seguinte fragmento da obra da historiadora Emília Viotti da Costa, a respeito

do processo de independência do Brasil:

“A ordem econômica seria preservada, a escravidão mantida. A nação independente continuaria subordinada à economia colonial, passando do domínio português à tutela britânica. A fachada liberal construída pela elite europeizada ocultava a miséria e a escravidão da maioria dos habitantes do país. Conquistar a emancipação definitiva da nação, ampliar o significado dos princípios constitucionais seria tarefa relegada aos pósteros”.

COSTA, Emília Viotti da. Introdução ao estudo da emancipação política do Brasil. In: MOTA, Carlos Guilherme (Org.). Brasil em perspectiva. 16. ed. Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, 1987. p.125.

Considerando o processo de independência do Brasil, assinale a afirmação verdadeira.

a)

Não ocorreu nenhuma ocultação dos reais problemas sociais e econômicos do país após a independência, já que a elite local buscou solucioná-los imediatamente.

b)

Apenas ocorreu a independência econômica do Brasil, mas não a política, pois a elite nacional europeizada submeteu-se aos interesses da Inglaterra.

c)

Pelo fato de a monarquia ter sido logo adotada como forma de governo, a independência não representou mudanças sociais significativas, pois estas ficariam a cargo de gerações futuras.

d)

Não houve acordo de independência com os Britânicos, que reagiram o quanto puderam à independência do Brasil, já que ela representaria a real autonomia econômica do país.

2.

(Pucsp 2018) O Haiti tornou-se independente da França em 1804, e o Brasil emancipou-se de Portugal

em 1822. Comparando os dois processos de independência, é CORRETO afirmar que

a)

os dois movimentos foram inspirados por ideias iluministas e liderados pelas camadas médias urbanas, resultando na libertação dos escravos.

b)

no Haiti, os líderes do movimento foram os latifundiários criollos que mantiveram a escravidão, enquanto, no Brasil, a independência foi proclamada pela elite escravocrata e cafeeira.

c)

no Brasil, a independência foi proclamada pelo príncipe regente apoiado pela elite escravista e, no Haiti, uma revolta de escravos e afrodescendentes livres provocou a abolição da escravatura.

d)

foram movimentos apoiados militarmente pelos EUA e terminaram por implementar monarquias que mantiveram a estrutura fundiária e a escravidão.

3.

(Upe-ssa 2 2017) Em 1808, a família real portuguesa, fugindo do cerco napoleônico, transferiu-se para

o Brasil que, de colônia, se tornou sede da monarquia e do vice-reino. Os treze anos durante os quais a corte permaneceu no Rio de Janeiro tiveram grande importância política e econômica e foram seguidos pela declaração de independência do Brasil em 1822.

OLIVEN, Rubem George. “Cultura e modernidade no Brasil”. In: http://www.scielo.br/pdf/spp/v15n2/8571.pdf (Adaptado).

Uma das principais características socioeconômicas desse período foi a(o)

a) diminuição do fluxo de mercadorias.

b) início do ciclo econômico da borracha.

c) abertura dos portos ao comércio exterior.

d) ampliação das relações bilaterais com os EUA.

e) elevação do Brasil à condição de protetorado da Inglaterra.

do Brasil à condição de protetorado da Inglaterra. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – CRISE COLONIAL BRASILEIRA 4 . (Uece 2017) Atente ao seguinte excerto:

MONITORIA HISTÓRIA CRISE COLONIAL BRASILEIRA

4. (Uece 2017) Atente ao seguinte excerto: “[

transferência política de poderes da metrópole para o novo governo brasileiro. E na falta de movimentos populares, na falta de participação direta das massas neste processo, o poder é todo absorvido pelas classes superiores da ex-colônia, naturalmente as únicas em contato direto com o regente e sua política. Fez-se a Independência praticamente à revelia do povo; e se isto lhe poupou sacrifícios, também afastou por completo sua participação na nova ordem política. A Independência brasileira é fruto mais de uma classe que da nação tomada em conjunto”.

Resulta daí que a Independência se fez por uma simples

]

Caio Prado Jr. Evolução política do Brasil: Colônia e Império. São Paulo: Brasiliense. p. 53.

Na perspectiva de Caio Prado Jr., caracterizam o processo de independência do Brasil os seguintes aspectos:

a) presença de movimentos populares, participação do povo no poder e elitismo.

b) poder absorvido pelas classes inferiores, independência feita à revelia da elite local e com grandes sacrifícios para o povo que se envolveu no processo.

c) projeto de toda a nação, afastamento das classes superiores do poder e grande participação popular.

d) poder nas mãos das classes superiores, ausência de participação do povo e independência feita a partir do interesse de uma classe e não da nação como um todo.

5. (Pucrj 2017) “Pernambucanos [

europeus, todos se conhecem irmãos, descendentes da mesma origem, habitantes do mesmo país, professos na mesma religião. Um governo provisório iluminado, escolhido entre todas as ordens do

Estado, preside a vossa felicidade; confiai no seu zelo e no seu patriotismo. Vós vereis consolidar-se a vossa fortuna, vós sereis livres do peso de enormes tributos que gravam sobre vós; o vosso, e nosso país subirá ao ponto de grandeza que há muito o espera, e vós colhereis o fruto dos trabalhos e do zelo dos

vossos cidadãos. [

lusos, sois portugueses, sois americanos, sois brasileiros, sois pernambucanos”.

A pátria é a nossa mãe comum; vós sois seus filhos, sois descendentes dos valorosos

o povo está contente, já não há distinção entre brasileiros e

]

]

Proclamação do Governo Provisório Revolucionário de Pernambuco. 9 mar. 1817.

A partir da leitura do documento e dos seus conhecimentos sobre o assunto, marque a alternativa INCORRETA a respeito das propostas dos revolucionários pernambucanos de 1817.

a) Expressavam a insatisfação com o aumento e a criação de novos tributos (impostos) para o sustento da Corte sediada no Rio de Janeiro.

b) Inspiravam-se nos ideais liberais e republicanos que se disseminavam a partir dos exemplos da Revolução de Independência dos Estados Unidos e da Revolução Francesa.

c) Propunham a igualdade de direitos políticos e civis, a tolerância religiosa e a abolição da escravidão.

d) Buscavam fortalecer os vínculos com as capitanias vizinhas, como Alagoas, Paraíba e Rio Grande do Norte, com a intenção de constituírem uma República independente do restante da América portuguesa.

e) Buscavam construir uma nova pátria fundada em uma identidade comum entre “portugueses” e

“brasileiros”, “europeus” e “americanos” que aderissem ao movimento.

e “americanos” que aderissem ao movimento. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – CRISE COLONIAL BRASILEIRA TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Para responder à(s)

MONITORIA HISTÓRIA CRISE COLONIAL BRASILEIRA

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Para responder à(s) questão(ões) a seguir, considere o texto abaixo.

Os enciclopedistas constituíram uma pequena elite de letrados e de técnicos, ligados à vida material como elementos de ponta do progresso econômico e também estreitamente vinculados ao aparato estatal, o

Por toda a parte na Europa das Luzes,

qual se esforçaram por tornar melhor e mais racional. (

encontramos esta pretensão e esta vontade [dos filósofos] de pôr-se à testa e na direção da sociedade.

)

VENTURI, Franco. Utopia e reforma no Iluminismo. Bauru: Edusc, 2003, p. 44, 239-240.

6. (Puccamp 2017) Um grande número de jovens da elite colonial brasileira frequentou a Faculdade de

Direito de Coimbra, em Portugal. Essa elite, influenciada pelos ideais da pequena elite a que o texto de Franco Venturini se refere, contribuiu para a

a)

Revolta de Beckman em 1684.

d) Insurreição Guaranítica em 1750.

b)

Guerra dos Mascates em 1710.

e) Inconfidência Mineira em 1789.

c)

Revolta de Felipe dos Santos em 1720.

7.

(Enem 2016) O que ocorreu na Bahia de 1798, ao contrário das outras situações de contestação política

na América Portuguesa, é que o projeto que lhe era subjacente não tocou somente na condição, ou no instrumento, da integração subordinada das colônias no império luso. Dessa feita, ao contrário do que se deu nas Minas Gerais (1789), a sedição avançou sobre a sua decorrência.

JANCSÓ, I.; PIMENTA, J. P. Peças de um mosaico. In: MOTA, C. G. (Org.). Viagem Incompleta: a experiência brasileira (1500- 2000). São Paulo: Senac, 2000.

A diferença entre as sedições abordadas no texto encontrava-se na pretensão de

a)

eliminar a hierarquia militar.

d) suprimir a propriedade fundiária.

b)

abolir a escravidão africana.

e) extinguir o absolutismo monárquico.

c)

anular o domínio metropolitano.

8.

(Pucrs 2014) Considere as afirmações abaixo sobre a crise do Antigo Sistema Colonial e a Independência

do Brasil (1822).

I. O movimento intelectual chamado de Iluminismo teve grande influência na crise do Antigo Sistema

Colonial, pois, além de criticar as bases do Antigo Regime, como o absolutismo monárquico e os privilégios da nobreza, condenava também o sistema colonial e o monopólio comercial.

II. Os conflitos na Europa decorrentes da expansão do império napoleônico estiveram na base desse processo, na medida em que Napoleão, tentando bloquear o acesso da Inglaterra ao mercado colonial ibérico, invadiu Espanha e Portugal, precipitando, assim, o processo de independência da América.

III. A vinda da corte portuguesa para o Brasil é considerada como um fator que retardou o processo de independência brasileiro, pois a presença do monarca lusitano na América estreitou ainda mais os laços entre Brasil e Portugal, tornando o primeiro ainda mais dependente do segundo.

IV. A Independência do Brasil foi marcada por um forte conflito entre o novo país e a sua antiga metrópole europeia, devido à rejeição das elites político-econômicas da antiga colônia portuguesa ao modelo agroexportador implantado pela coroa lusitana, baseado na grande propriedade da terra e na mão de

obra escrava.

na grande propriedade da terra e na mão de obra escrava. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – CRISE COLONIAL BRASILEIRA Estão corretas apenas as afirmativas a) I e

MONITORIA HISTÓRIA CRISE COLONIAL BRASILEIRA

Estão corretas apenas as afirmativas

a) I e II.

b) I e III.

c) II e IV.

d) I, II e III.

e) II, III e IV.

9. (Enem 2ª aplicação 2010) O alfaiate pardo João de Deus, que, na altura em que foi preso, não tinha mais do que 80 réis e oito filhos, declarava que “Todos os brasileiros se fizesse franceses, para viverem em igualdade e abundância”.

MAXWELL, K. Condicionalismos da independência do Brasil. SILVA, M. N. (Org.). O império luso-brasileiro, 1750-1822. Lisboa:

Estampa, 1986.

O texto faz referência à Conjuração Baiana. No contexto da crise do sistema colonial, esse movimento se diferenciou dos demais movimentos libertários ocorridos no Brasil por

a) defender a igualdade econômica, extinguindo a propriedade, conforme proposto nos movimentos liberais da França napoleônica.

b) introduzir no Brasil o pensamento e o ideário liberal que moveram os revolucionários ingleses na luta contra o absolutismo monárquico.

c) propor a instalação de um regime nos moldes da república dos Estados Unidos, sem alterar a ordem socioeconômica escravista e latifundiária.

d) apresentar um caráter elitista burguês, uma vez que sofrera influência direta da Revolução Francesa, propondo o sistema censitário de votação.

e) defender um governo democrático que garantisse a participação política das camadas populares, influenciado pelo ideário da Revolução Francesa.

10. (Pucrs 2012) No século XVIII, ocorrem restrições e proibições, por parte da Coroa Portuguesa, às atividades econômicas no Brasil colonial. Essas restrições e proibições referem-se

a) ao Alvará de 1785, de D. Maria I, que proibia a instalação de manufaturas no Brasil.

b) à produção de aguardente e tabaco na Colônia, dirigida pelos senhores de escravos e clérigos.

c) à vinda de agricultores estrangeiros para a Colônia, notadamente espanhóis e holandeses.

d) à abertura dos portos às Nações Amigas, com a proibição da introdução de tarifas aduaneiras sobre os vinhos brasileiros.

e) ao Ato de Revogação da Navegação e Comércio entre os leais vassalos da Coroa Portuguesa.

e Comércio entre os leais vassalos da Coroa Portuguesa. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – CRISE COLONIAL BRASILEIRA GABARITO 1. C 2. C 3. C 4.

MONITORIA HISTÓRIA CRISE COLONIAL BRASILEIRA

GABARITO

1.

C

2.

C

3.

C

4.

D

5. C

6.

E

7.

B

8.

A

9.

E

10. A

5. C 6. E 7. B 8. A 9. E 10. A proenem.com.br Este conteúdo pertence

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – IDADE MODERNA I 1. (Upf 2016) A charge a seguir satiriza

MONITORIA HISTÓRIA IDADE MODERNA I

1. (Upf 2016) A charge a seguir satiriza o padrão de beleza durante o Renascimento Cultural.

o padrão de beleza durante o Renascimento Cultural. Sobre o conjunto de ideias e concepções que

Sobre o conjunto de ideias e concepções que marcaram o Renascimento, é correto afirmar:

a) As ideias dos filósofos renascentistas tornaram-se populares, influenciando movimentos

revolucionários. Esses ideais seriam retomados no século XIX pelos pensadores socialistas.

b) Os pensadores do Renascimento recuperaram ideias da Antiguidade clássica, agindo de acordo com as

orientações religiosas da Igreja Católica Romana. c) A Igreja Católica, como principal compradora das obras dos artistas, se tornou uma defensora das ideias renascentistas.

d) O Renascimento contribuiu para o reforço de valores humanistas em toda a Europa.

e) O Renascimento como movimento intelectual provocou uma ruptura na Igreja, dividindo-a a partir de então em Igreja Ortodoxa e Igreja Romana.

2. (Ifsp 2011) Entre os séculos XIV e XVI, ricas cidades dedicavam-se ao comércio internacional (principalmente de especiarias).Exemplos disso são as cidades europeias de Florença e Roma (sede do Papado),que atraíram dezenas de artistas e homens cultos em busca da antiguidade clássica como fonte de inspiração. Trata-se do período do Renascimento Cultural.

Assinale a alternativa que contém os elementos por meio dos quais podemos identificar o Renascimento:

a) Antropocentrismo- Otimismo- Razão-Espírito investigativo- Leonardo da Vinci.

b) Teocentrismo Igreja- Hedonismo- Pessimismo- Michelângelo.

c) Mecenato-Fé-Inquisição-Antropocentrismo- Aristóteles.

d) Medievalismo- Vassalos-Racionalismo-Espírito dedutivo-Camões.

e) Classicismo- Mecenas- Teologia- Espírito científico- Galileu.

Mecenas- Teologia- Espírito científico- Galileu. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – IDADE MODERNA I 3 . (Ufjf-pism 1 2015) Leia o seguinte

MONITORIA HISTÓRIA IDADE MODERNA I

3. (Ufjf-pism 1 2015) Leia o seguinte texto:

O mercantilismo envolve um conjunto de práticas e teorias econômicas desenvolvidas ao longo da Idade Moderna. Nesse contexto histórico, observamos a relevante associação entre os Estados nacionais, que buscavam meios de fortalecer seu poder político, e a classe burguesa, que era responsável pelo empreendimento das atividades comerciais. Essa experiência de longo prazo teve grande importância para a acumulação primitiva de capitais.

Disponível em: <http://www.brasilescola.com/historiag/mercantilismo.htm>. Acesso em: 28 ago. 2014.

Sobre o mercantilismo, assinale a alternativa INCORRETA.

a)

O termo “mercantilismo” se refere a um conjunto de práticas econômicas marcadas pelo controle do Estado.

b)

O mercantilismo era a política econômica típica dos Estados no Antigo Regime, que também foram marcados pelo Absolutismo e pela sociedade estamental.

c)

Uma das características desse período é a adoção de padrões comuns de comércio, como a criação de tributos, moedas, pesos e medidas compartilhados, o que facilitava o controle centralizado.

d)

O colonialismo era um de seus elementos fundamentais, pois, com o monopólio comercial as colônias mantinham-se em situação periférica e complementar à Metrópole.

e)

A teoria da balança comercial favorável defendia uma maior entrada de produtos importados, de forma

a fomentar o comércio e aumentar o acúmulo de capitais.

4.

(Uern 2015) Os descobrimentos marítimos europeus do século XVI estão inseridos no contexto da

política mercantilista. Essa política, segundo o historiador Fernand Braudel “(

uma série de atos e de atitudes, de projetos, de ideias, de experiências que marcam, entre o século XV e XVIII, a primeira afirmação do Estado moderno em relação aos problemas concretos que ele tinha que enfrentar”.

reagrupa comodamente

)

(BRAUDEL, Fernand, Civilisation, Èconomie et Capitalisme, XVº XVIIIº Siècle; le Jeux de L’èchange. Paris: Armand Coln, 1979. in: MARQUES, 2006.)

Tendo em vista a afirmação de Braudel e as características do mercantilismo, assinale a única alternativa correta referente a um princípio ou ideia mercantilista.

a) A liberdade econômica e o individualismo financeiro devem prevalecer acima do bem comum e das políticas públicas.

b) Todas as relações sociais de produção devem ser definidas pela liberdade de contrato entre capital e trabalho, visando o lucro coletivo.

c) É preciso crer que leis naturais regem o comércio e as indústrias, e devem, portanto, agir de acordo com a “mão invisível” da economia.

d) A maneira ideal de se acumular riquezas é fazer com que mais mercadorias sejam vendidas e menor quantidade seja comprada pelo país.

sejam vendidas e menor quantidade seja comprada pelo país. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – IDADE MODERNA I 5 . (Uem 2016) Sobre o chamado “absolutismo”,

MONITORIA HISTÓRIA IDADE MODERNA I

5. (Uem 2016) Sobre o chamado “absolutismo”, isto é, a forma de estado que existiu na Europa Moderna,

assinale a(s) alternativa(s) correta(s).

01) Na França, durante o reinado de Luís XIII, foram estabelecidos, a partir de 1650, os Atos de Navegação, que tornaram aquele país a principal potencia marítima dos séculos XVIII e XIX. 02) Na Inglaterra, a vitória dos “Cabeças Redondas”, defensores do Parlamento liderados por Oliver Cromwell, sobre os partidários do Rei, na Revolução Puritana, conduziu, em meados do século XVII, à instauração de um regime republicano. 04) Durante o reinado de Henrique VIII, na Inglaterra, por meio do Ato de Supremacia de 1534 foi fundada a Igreja Anglicana, que tinha no Rei sua maior autoridade. 08) A principal causa da decadência do absolutismo na França foi a independência de suas colônias americanas, especialmente o Haiti. A partir de então, iniciou-se uma profunda crise econômica que levou à derrubada de Luís XVIII. 16) Um dos grandes teóricos do Estado Moderno, Nicolau Maquiavel, defendeu que a autoridade do príncipe, embora às vezes brutal e calculista, é necessária para o sucesso do governante.

6. (Enem PPL 2017) O garfo muito grande, com dois dentes, que era usado para servir as carnes aos

convidados, é antigo, mas não o garfo individual. Este data mais ou menos do século XVI e difundiu-se a partir de Veneza e da Itália em geral, mas com lentidão. O uso só se generalizaria por volta de 1750.

BRAUDEL, F. Civilização material, economia e capitalismo: séculos XV-XVIII; as estruturas do cotidiano. São Paulo: Martins Fontes, 1977 (adaptado).

No processo de transição para a modernidade, o uso do objeto descrito relaciona-se à

a)

construção de hábitos sociais.

b)

introdução de medidas sanitárias.

c)

ampliação das refeições familiares.

d)

valorização da cultura renascentista.

e)

incorporação do comportamento laico.

7.

(Enem 2015) No início foram as cidades. O intelectual da Idade Média no Ocidente nasceu com

elas. Foi com o desenvolvimento urbano ligado às funções comercial e industrial digamos modestamente artesanal que ele apareceu, como um desses homens de ofício que se instalavam nas cidades nas quais se impôs a divisão do trabalho. Um homem cujo ofício é escrever ou ensinar, e de

preferência as duas coisas a um só tempo, um homem que, profissionalmente, tem uma atividade de professor e erudito, em resumo, um intelectual esse homem só aparecerá com as cidades.

LE GOFF, J. Os intelectuais na Idade Média. Rio de Janeiro: José Olympio, 2010

O surgimento da categoria mencionada no período em destaque no texto evidencia o(a)

a) apoio dado pela Igreja ao trabalho abstrato.

b) relação entre desenvolvimento urbano e divisão de trabalho.

c) importância organizacional das corporações de ofício.

d) progressiva expansão da educação escolar.

e) acúmulo de trabalho dos professores e eruditos.

escolar. e) acúmulo de trabalho dos professores e eruditos. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – IDADE MODERNA I 8 . (Enem 2014) Todo homem de bom

MONITORIA HISTÓRIA IDADE MODERNA I

8. (Enem 2014) Todo homem de bom juízo, depois que tiver realizado sua viagem, reconhecerá que é um

milagre manifesto ter podido escapar de todos os perigos que se apresentam em sua peregrinação; tanto mais que há tantos outros acidentes que diariamente podem aí ocorrer que seria coisa pavorosa àqueles que aí navegam querer pô-los todos diante dos olhos quando querem empreender suas viagens.

J. PT. “Histoire de plusieurs voyages aventureux”. 1600. In: DELUMEAU, J. História do medo no Ocidente: 1300-1800. São Paulo Cia. das Letras. 2009 (adaptado).

Esse relato, associado ao imaginário das viagens marítimas da época moderna, expressa um sentimento de

a)

gosto pela aventura.

b)

fascínio pelo fantástico.

c)

temor do desconhecido.

d)

interesse pela natureza.

e)

purgação dos pecados.

9.

(Enem 2012)

e) purgação dos pecados. 9 . (Enem 2012) Na França, o rei Luís XIV teve sua

Na França, o rei Luís XIV teve sua imagem fabricada por um conjunto de estratégias que visavam sedimentar uma determinada noção de soberania. Neste sentido, a charge apresentada demonstra

a) humanidade do rei, pois retrata um homem comum, sem os adornos próprios à vestimenta real.

b) unidade entre o público e o privado, pois a figura do rei com a vestimenta real representa o público

a

a

e

sem a vestimenta real, o privado.

c) o vínculo entre monarquia e povo, pois leva ao conhecimento do público a figura de um rei

despretencioso e distante do poder político.

d) o gosto estético refinado do rei, pois evidencia a elegância dos trajes reais em relação aos de outros membros da corte.

e) a importância da vestimenta para a constituição simbólica do rei, pois o corpo político adornado esconde os defeitos do corpo pessoal.

político adornado esconde os defeitos do corpo pessoal. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – IDADE MODERNA I 10 . (Enem 2011) Acompanhando a intenção da

MONITORIA HISTÓRIA IDADE MODERNA I

10. (Enem 2011) Acompanhando a intenção da burguesia renascentista de ampliar seu domínio sobre a

natureza e sobre o espaço geográfico, através da pesquisa científica e da invenção tecnológica, os cientistas também iriam se atirar nessa aventura, tentando conquistar a forma, o movimento, o espaço,

a

luz, a cor e mesmo a expressão e o sentimento.

SEVCENKO, N. O Renascimento. Campinas: Unicamp, 1984.

O

texto apresenta um espírito de época que afetou também a produção artística, marcada pela constante

relação entre

a) fé e misticismo.

b) ciência e arte.

c) cultura e comércio.

d) política e economia.

e) astronomia e religião.

d) política e economia. e) astronomia e religião. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – HISTÓRIA – IDADE MODERNA I GABARITO 1. 2. 3. 4. 5. 02 +

MONITORIA HISTÓRIA IDADE MODERNA I

GABARITO

1.

2.

3.

4.

5. 02 + 04 + 16 = 22.

6. A

7. B

8. C

9. E

10. B

02 + 04 + 16 = 22. 6. A 7. B 8. C 9. E 10.

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – LEIS DE NEWTON E APLICAÇÕES 1 . (Fcmmg 2018) Em 2006,

MONITORIA FÍSICA LEIS DE NEWTON E APLICAÇÕES

1. (Fcmmg 2018) Em 2006, foi criado o “O Dia Mundial do Pulo”, uma iniciativa organizada na internet

(www.worldjumpday.org), pelo artista alemão Torsten Lauschmann, alegando ser um Professor Hans Peter Niesward do Instituto de Física Gravitacional de Munique. No dia 20 de julho às 07h39 (horário de Brasília), a organização do evento planejou ter 600 milhões de pessoas do hemisfério ocidental pulando simultaneamente, com o objetivo de mover a Terra para uma nova órbita e, desse modo, criar condições para diminuir o aquecimento global.

Do ponto de vista da Física, essa proposta:

a)

é

correta, pois a quantidade de movimento das pessoas após o pulo é pouco menor que a quantidade

de movimento da Terra.

b)

é

correta, pois a ação das pessoas sobre a Terra criaria uma reação igual e contrária que alteraria a sua

rotação.

c)

falsa, pois a força que as pessoas fariam seria radial no sentido do centro da Terra, o que não alteraria sua rotação.

é

d)

falsa, pois a força que as pessoas fariam sobre a Terra é uma força interna entre elementos do próprio planeta.

é

2.

(Feevale 2017) Assinale a alternativa a seguir que identifica a Primeira Lei de Newton.

a)

Um corpo em movimento tende a permanecer o movimento em MRU.

 

b)

Quando sobre um corpo a força resultante é nula, ele tende a permanecer em repouso, se estiver em repouso, ou continuar o movimento em MRU, se estiver se movimentando.

c)

Um corpo tende a permanecer em repouso, caso sua velocidade seja diferente de zero, em relação ao mesmo referencial.

d)

Um corpo tende a permanecer em repouso ou a continuar seu movimento em trajetória retilínea, caso

a

sua velocidade seja diferente de zero, em relação ao mesmo referencial.

e)

Um corpo pode alterar seu movimento desde que a força resultante sobre ele seja zero.

3.

(Ufrgs 2017) Aplica-se uma força de

20 N

a um corpo de massa

m.

O corpo desloca-se em linha reta

com velocidade que aumenta

Qual o valor, em

a)

b)

c)

d)

e)

5.

4.

3.

2.

1.

kg,

da massa

Qual o valor, em a) b) c) d) e) 5. 4. 3. 2. 1. kg, da

10m

m?

s a cada

2 s.

c) d) e) 5. 4. 3. 2. 1. kg, da massa 10m m? s a cada

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – LEIS DE NEWTON E APLICAÇÕES TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Leia

MONITORIA FÍSICA LEIS DE NEWTON E APLICAÇÕES

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Leia o texto abaixo para responder à(s) quest(ões) a seguir.

Criança feliz é aquela que brinca, fato mais do que comprovado na realidade do dia a dia. A brincadeira ativa, a que faz gastar energia, que traz emoção, traz também felicidade. Mariana é uma criança que foi levada por seus pais para se divertir em um parquinho infantil.

4. (Fgv 2016) Inicialmente, Mariana foi se divertir no balanço. Solta, do repouso, de uma certa altura, ela oscilou entre dois extremos elevados, a partir dos quais iniciou o retorno até o extremo oposto. Imagine- a no extremo da direita como na figura.

oposto. Imagine- a no extremo da direita como na figura. Desconsiderando o seu tamanho, bem como

Desconsiderando o seu tamanho, bem como o do balanço, e imaginando apenas um cabo sustentando o sistema, o correto esquema das forças agentes sobre ela nessa posição, em que cada seta representa uma força, é o da alternativa:

a)

b)

c)

d)

e)

representa uma força, é o da alternativa: a) b) c) d) e) proenem.com.br Este conteúdo pertence

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – LEIS DE NEWTON E APLICAÇÕES TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Leia

MONITORIA FÍSICA LEIS DE NEWTON E APLICAÇÕES

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Leia o texto e responda à(s) questão(ões).

Um motorista conduzia seu automóvel de massa

2.000 kg

que trafegava em linha reta, com velocidade

constante de

72km / h,

quando avistou uma carreta atravessada na pista.

Transcorreu

1s

entre o momento em que o motorista avistou a carreta e o momento em que acionou o

sistema de freios para iniciar a frenagem, com desaceleração constante igual a

10 m / s

2

.

5. (Fatec 2016) Antes de o automóvel iniciar a frenagem, pode-se afirmar que a intensidade da resultante

das forças horizontais que atuavam sobre ele era

a)

nula, pois não havia forças atuando sobre o automóvel.

b)

nula, pois a força aplicada pelo motor e a força de atrito resultante atuavam em sentidos opostos com intensidades iguais.

c)

maior do que zero, pois a força aplicada pelo motor e a força de atrito resultante atuavam em sentidos opostos, sendo a força aplicada pelo motor a de maior intensidade.

d)

maior do que zero, pois a força aplicada pelo motor e a força de atrito resultante atuavam no mesmo sentido com intensidades iguais.

e)

menor do que zero, pois a força aplicada pelo motor e a força de atrito resultante atuavam em sentidos opostos, sendo a força de atrito a de maior intensidade.

6.

(Udesc 2015) Com relação às Leis de Newton, analise as proposições.

I. Quando um corpo exerce força sobre o outro, este reage sobre o primeiro com uma força de mesma intensidade, mesma direção e mesmo sentido.

II. A resultante das forças que atuam em um corpo de massa

m é proporcional à aceleração que este

corpo adquire.

III. Todo corpo permanece em seu estado de repouso ou de movimento retilíneo uniforme, a menos que

uma força resultante, agindo sobre ele, altere a sua velocidade. IV. A intensidade, a direção e o sentido da força resultante agindo em um corpo são iguais à intensidade, à direção e ao sentido da aceleração que este corpo adquire.

Assinale a alternativa correta.

a)

Somente as afirmativas III e IV são verdadeiras.

b)

Somente as afirmativas I e IV são verdadeiras.

c)

Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.

d)

Somente as afirmativas II e III são verdadeiras.

e)

Todas afirmativas são verdadeiras.

7.

(Unisc 2015) Qual dessas expressões melhor define uma das leis de Newton?

a)

Todo corpo mergulhado num líquido desloca um volume igual ao seu peso.

b)

A força gravitacional é definida como a força que atua num corpo de massa

m.

c)

O somatório das forças que atuam num corpo é sempre igual ao peso do corpo.

d)

A força de atrito é igual ao produto da massa de um corpo pela sua aceleração.

e)

A toda ação existe uma reação.

aceleração. e) A toda ação existe uma reação. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – LEIS DE NEWTON E APLICAÇÕES 8 . (Ufrgs 2015) Dois blocos,

MONITORIA FÍSICA LEIS DE NEWTON E APLICAÇÕES

8. (Ufrgs 2015) Dois blocos, 1 e 2, são arranjados de duas maneiras distintas e empurrados sobre uma

superfície sem atrito, por uma mesma força horizontal e II abaixo.

F. As situações estão representadas nas figuras I

m1 m2  3m1 , Considerando que a massa do bloco 1 é e que
m1
m2  3m1 ,
Considerando que a massa do bloco 1 é
e que a massa do bloco 2 é

a opção que indica a

intensidade da força que atua entre blocos, nas situações I e II, é, respectivamente,

a)

b)

c)

d)

e)

F

F

F

/ / 4 4

/ 2

e

e

e

3F / 4

F

e

F.

F / 4.

3F / 4.

F /2.

e

F / 4.

9.

intervalo de tempo, uma pessoa faz um esforço sobre o tubo 1 que resulta em uma força de intensidade constante igual a 4,0 N aplicada ao corpo do aspirador. A direção dessa força é paralela ao tubo 2, cuja inclinação em relação ao solo é igual a 60º, e puxa o corpo do aspirador para perto da pessoa.

(Uerj 2014) O corpo de um aspirador de pó tem massa igual a 2,0 kg. Ao utilizá-lo, durante um dado

tem massa igual a 2,0 kg. Ao utilizá-lo, durante um dado Considere sen 60° = 0,87,

Considere sen 60° = 0,87, cos 60° = 0,5 e também que o corpo do aspirador se move sem atrito. Durante esse intervalo de tempo, a aceleração do corpo do aspirador, em m/s 2 , equivale a:

a) 0,5

b) 1,0

c) 1,5

d) 2,0

em m/s 2 , equivale a: a) 0,5 b) 1,0 c) 1,5 d) 2,0 proenem.com.br Este

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – LEIS DE NEWTON E APLICAÇÕES 10 . (Ufpa 2013) Na Amazônia,

MONITORIA FÍSICA LEIS DE NEWTON E APLICAÇÕES

10. (Ufpa 2013) Na Amazônia, devido ao seu enorme potencial hídrico, o transporte de grandes cargas é realizado por balsas que são empurradas por rebocadores potentes. Suponha que se quer transportar duas balsas carregadas, uma maior de massa M e outra menor de massa m (m<M), que devem ser empurradas juntas por um mesmo rebocador, e considere a figura abaixo que mostra duas configurações (A e B) possíveis para este transporte. Na configuração A, o rebocador exerce sobre a balsa uma força de intensidade F a , e a intensidade das forças exercidas mutuamente entre as balsas é f a . Analogamente, na configuração B o rebocador exerce sobre a balsa uma força de intensidade F b , e a intensidade das forças exercidas mutuamente entre as balsas é f b .

forças exercidas mutuamente entre as balsas é f b . Considerando uma aceleração constante impressa pelo

Considerando uma aceleração constante impressa pelo rebocador e desconsiderando quaisquer outras forças, é correto afirmar que

a) F A =F B e f a =f b

b) F A >F B e f a =f b

c) F A <F B e f a >f b

d) F A =F B e f a <f b

e) F A =F B e f a >f b

e f a <f b e) F A =F B e f a >f b proenem.com.br

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – LEIS DE NEWTON E APLICAÇÕES GABARITO 1. D 2. B 3.

MONITORIA FÍSICA LEIS DE NEWTON E APLICAÇÕES

GABARITO

1.

D

2.

B

3.

B

4.

E

5. B

6.

D

7.

E

8.

D

9.

B

10. D

5. B 6. D 7. E 8. D 9. B 10. D proenem.com.br Este conteúdo pertence

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – AS LEIS DA TERMODINÂMICA 1 . (Udesc 2018) Um gás ideal

MONITORIA FÍSICA AS LEIS DA TERMODINÂMICA

1. (Udesc 2018) Um gás ideal monoatômico, com n mols e inicialmente na temperatura absoluta T, sofre

uma expansão adiabática até que sua temperatura fique a um terço de sua temperatura inicial.

Logo, o gás:

a)

absorveu uma quantidade de calor igual a nRT.

b)

se expandiu isobaricamente.

c)

realizou trabalho liberando uma quantidade de calor igual a nRT.

d)

se expandiu aumentando sua energia interna de nRT.

e)

realizou trabalho e sua energia interna diminuiu de nRT.

2.

(Upe-ssa 2 2017) Um estudo do ciclo termodinâmico sobre um gás que está sendo testado para uso

em um motor a combustão no espaço é mostrado no diagrama a seguir.

a combustão no espaço é mostrado no diagrama a seguir. Se alternativas e assinale a CORRETA.

Se

alternativas e assinale a CORRETA.

Eint

representa a variação de energia interna do gás, e

Q é o calor associado ao ciclo, analise as

a)

b)

c)

Eint Eint Eint    0,Q 0,Q 0,Q    0 0 0

e) d) Eint Eint   0,Q 0,Q   0 0

3.

pela observação empírica, no entanto é hoje considerada como a definição de calor através da lei da conservação da energia e da definição de trabalho em termos de mudanças nos parâmetros externos de

um sistema.

(Uefs 2017) A primeira lei da termodinâmica para sistemas fechados foi originalmente comprovada

Com base nos conhecimentos sobre a Termodinâmica, é correto afirmar:

a) A energia interna de uma amostra de um gás ideal é função da pressão e da temperatura absoluta.

b) Ao receber uma quantidade de calor

Q

igual a

48,0 J,

um gás realiza um trabalho igual a

16,0 J,

tendo

uma variação da energia interna do sistema igual

64,0 J.

c) Quando se fornece a um sistema certa quantidade de energia

para o sistema realizar trabalho.

Q,

esta energia pode ser usada apenas

d) Nos processos cíclicos, a energia interna não varia, pois volume, pressão e temperatura são iguais no estado inicial e final.

e) A energia interna, o trabalho realizado e a quantidade de calor recebida ou cedida independem do

processo que leva o sistema do estado inicial

A até um estado final

B.

leva o sistema do estado inicial A até um estado final B. proenem.com.br Este conteúdo pertence

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – AS LEIS DA TERMODINÂMICA TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO: Leia o

MONITORIA FÍSICA AS LEIS DA TERMODINÂMICA

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Leia o texto a seguir e responda à(s) questão(ões).

A vida em grandes metrópoles apresenta atributos que consideramos sinônimos de progresso, como facilidades

de acesso aos bens de consumo, oportunidades de trabalho, lazer, serviços, educação, saúde etc. Por outro lado,

em algumas delas, devido à grandiosidade dessas cidades e aos milhões de cidadãos que ali moram, existem muito mais problemas do que benefícios. Seus habitantes sabem como são complicados o trânsito, a segurança pública, a poluição, os problemas ambientais, a habitação etc. Sem dúvida, são desafios que exigem muito esforço não só dos governantes, mas também de todas as pessoas que vivem nesses lugares. Essas cidades convivem ao mesmo tempo com a ordem e o caos, com a pobreza e a riqueza, com a beleza e a feiura. A tendência das coisas de se desordenarem espontaneamente é uma característica fundamental da natureza. Para que ocorra a organização, é necessária alguma ação que restabeleça a ordem. É o que acontece nas grandes

cidades: despoluir um rio, melhorar a condição de vida dos seus habitantes e diminuir a violência, por exemplo, são tarefas que exigem muito trabalho e não acontecem espontaneamente. Se não houver qualquer ação nesse sentido, a tendência é que prevaleça a desorganização. Em nosso cotidiano, percebemos que é mais fácil deixarmos as coisas desorganizadas do que em ordem. A ordem tem seu preço. Portanto, percebemos que há um embate constante na manutenção da vida e do universo contra a desordem. A luta contra a desorganização

é travada a cada momento por nós. Por exemplo, desde o momento da nossa concepção, a partir da fecundação

do óvulo pelo espermatozoide, nosso organismo vai se desenvolvendo e ficando mais complexo. Partimos de uma única célula e chegamos à fase adulta com trilhões delas, especializadas para determinadas funções. Entretanto, com o passar dos anos, envelhecemos e nosso corpo não consegue mais funcionar adequadamente, ocorre uma falha fatal e morremos. O que se observa na natureza é que a manutenção da ordem é fruto da ação das forças fundamentais, que, ao interagirem com a matéria, permitem que esta se organize. Desde a formação

do nosso planeta, há cerca de

transformar a energia recebida pelo Sol em uma forma útil, ou seja, capaz de manter a organização. Para tal, pagamos um preço alto: grande parte dessa energia é perdida, principalmente na forma de calor. Dessa forma, para que existamos, pagamos o preço de aumentar a desorganização do nosso planeta. Quando o Sol não puder

mais fornecer essa energia, dentro de mais

espécie humana já terá sido extinta muito antes disso.

5 bilhões de anos, a vida somente conseguiu se desenvolver às custas de

5 bilhões de anos, não existirá mais vida na Terra. Com certeza a

(Adaptado de: OLIVEIRA, A. O Caos e a Ordem. Ciência Hoje. Disponível em: <http://cienciahoje.uol.com.br/colunas/fisica- sem-misterio/o-caos-ea- ordem>. Acesso em: 10 abr. 2015.)

4. (Uel 2016) Considerando a afirmação presente no texto “a tendência das coisas de se desordenarem espontaneamente é uma característica fundamental da natureza”, e com base nos conhecimentos sobre as leis da termodinâmica, assinale a alternativa correta.

a) Quando dois corpos com temperaturas diferentes são colocados em contato, ocorre a transferência

espontânea de calor do corpo mais quente para o mais frio.

b) O calor, gerado por um motor a explosão, pode ser convertido de maneira espontânea e integralmente em energia mecânica, elétrica, química ou nuclear.

c) O nitrogênio e o hélio misturados e contidos em um recipiente se separam de modo espontâneo após

o equilíbrio térmico do sistema.

d) Uma máquina térmica perfeita opera, na prática, em ciclos, converte o calor integralmente em trabalho

e é capaz de funcionar como um motoperpétuo.

e) As moléculas de tinta que tingem uma porção de água de maneira homogênea tendem a se agrupar

espontaneamente e com isso restaurar a gota de tinta original.

e com isso restaurar a gota de tinta original. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – AS LEIS DA TERMODINÂMICA 5 . (Fuvest 2015) Certa quantidade de

MONITORIA FÍSICA AS LEIS DA TERMODINÂMICA

5. (Fuvest 2015) Certa quantidade de gás sofre três transformações sucessivas,

conforme o diagrama

p V

apresentado na figura abaixo.

A B,

B C

e

C A,

na figura abaixo. A  B, B  C e C  A, A respeito dessas

A respeito dessas transformações, afirmou-se o seguinte:

I. O trabalho total realizado no ciclo

II. A energia interna do gás no estado C é maior que no estado A. III. Durante a transformação A B, o gás recebe calor e realiza trabalho.

ABCA

é nulo.

Está correto o que se afirma em:

a)

I.

b)

II.

c)

III.

d)

I e II.

e)

II e III.

6.

(Uece 2015) Em um motor de carro convencional a primeira transformação de energia em trabalho

ocorre dentro do cilindro que aloja o pistão. De modo simplificado, pode-se entender esse sistema como

um cilindro fechado contendo um êmbolo móvel, que é o pistão. Em um dado instante a mistura ar e combustível sofre combustão forçando os gases resultantes dessa queima a sofrerem expansão, movimentando o pistão ao longo do eixo do cilindro.

É correto afirmar que a energia térmica contida nos gases imediatamente após a combustão é

a) parte transferida na forma de calor para o ambiente e parte convertida em energia cinética do pistão.

b) totalmente transferida como calor para o ambiente.

c) totalmente convertida em trabalho sobre o pistão.

d) parte convertida em trabalho sobre o pistão e o restante convertida em energia cinética também do pistão.

restante convertida em energia cinética também do pistão. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – AS LEIS DA TERMODINÂMICA 7 . (Cefet MG 2015) Um extintor

MONITORIA FÍSICA AS LEIS DA TERMODINÂMICA

7. (Cefet MG 2015) Um extintor de incêndio de

CO2

é acionado e o gás é liberado para o ambiente.

de CO 2 é acionado e o gás é liberado para o ambiente. Analise as asserções

Analise as asserções que se seguem:

A figura ilustra uma expansão volumétrica muito rápida, característica de uma transformação adiabática

PORQUE

em uma transformação adiabática, a transmissão de calor entre o gás e a vizinhança é muito grande e o trabalho realizado pelo gás é igual à variação da sua energia interna.

É

correto afirmar que

a)

as duas asserções são proposições verdadeiras, e a segunda é uma justificativa correta da primeira.

b)

as duas asserções são proposições verdadeiras, mas a segunda não é justificativa correta da primeira.

c)

a primeira asserção é uma proposição verdadeira, e a segunda, uma proposição falsa.

d)

a primeira asserção é um a proposição falsa, e a segunda, uma proposição verdadeira.

e)

a primeira e a segunda asserção são proposições falsas.

8.

(Cefet MG 2014) O trabalho realizado em um ciclo térmico fechado é igual a 100 J e, o calor envolvido

nas trocas térmicas é igual a 1000 J e 900 J, respectivamente, com fontes quente e fria.

A

partir da primeira Lei da Termodinâmica, a variação da energia interna nesse ciclo térmico, em joules,

é

a)

0.

d) 900.

b)

100.

e) 1000.

c)

800.

9.

(Ufu 2010) Um botijão de cozinha contém gás sob alta pressão. Ao abrirmos esse botijão, percebemos

que o gás escapa rapidamente para a atmosfera. Como esse processo é muito rápido, podemos considerá- lo como um processo adiabático.

Considerando que a primeira lei da termodinâmica é dada por ÄU = Q - W, onde ÄU é a variação da energia interna do gás, Q é a energia transferida na forma de calor e W é o trabalho realizado pelo gás, é correto afirmar que:

a) A pressão do gás aumentou e a temperatura diminuiu.

b) O trabalho realizado pelo gás foi positivo e a temperatura do gás não variou.

c) O trabalho realizado pelo gás foi positivo e a temperatura do gás diminuiu.

d) A pressão do gás aumentou e o trabalho realizado foi negativo.

do gás aumentou e o trabalho realizado foi negativo. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – AS LEIS DA TERMODINÂMICA 10 . (Enem 2011) Um motor só

MONITORIA FÍSICA AS LEIS DA TERMODINÂMICA

10. (Enem 2011) Um motor só poderá realizar trabalho se receber uma quantidade de energia de outro sistema. No caso, a energia armazenada no combustível é, em parte, liberada durante a combustão para que o aparelho possa funcionar. Quando o motor funciona, parte da energia convertida ou transformada na combustão não pode ser utilizada para a realização de trabalho. Isso significa dizer que há vazamento da energia em outra forma.

CARVALHO, A. X. Z. Física Térmica. Belo Horizonte: Pax, 2009 (adaptado).

De acordo com o texto, as transformações de energia que ocorrem durante o funcionamento do motor são decorrentes de a

a) liberação de calor dentro do motor ser impossível.

b) realização de trabalho pelo motor ser incontrolável.

c) conversão integral de calor em trabalho ser impossível.

d) transformação de energia térmica em cinética ser impossível.

e) utilização de energia potencial do combustível ser incontrolável.

de energia potencial do combustível ser incontrolável. proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – FÍSICA – AS LEIS DA TERMODINÂMICA GABARITO 1. E 2. B 3. D

MONITORIA FÍSICA AS LEIS DA TERMODINÂMICA

GABARITO

1.

E

2.

B

3.

D

4.

A

5. E

6.

A

7.

C

8.

A

9.

C

10. C

5. E 6. A 7. C 8. A 9. C 10. C proenem.com.br Este conteúdo pertence

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – QUÍMICA – GEOMETRIA, POLARIDADE, SOLUBILIDADE E INTERAÇÕES INTERMOLECULARES 1 . (Cesgranrio 2004)

MONITORIA QUÍMICA GEOMETRIA, POLARIDADE, SOLUBILIDADE E INTERAÇÕES INTERMOLECULARES

1. (Cesgranrio 2004) O estado físico dos compostos químicos pode ser reconhecido e justificado por meio

das ligações interatômicas e intermoleculares que ocorrem, respectivamente, entre os átomos que formam as moléculas e entre as próprias moléculas. A água, por exemplo, em condições ambientais, é um solvente líquido, e as suas moléculas possuem um tipo especial de atração entre si, como decorrência da presença de polos opostos em sua estrutura molecular. Trata-se da ligação hidrogênio ou ponte de hidrogênio.

Constata-se, ainda, que fenômenos fisiológicos como o transporte de algumas substâncias no corpo de uma árvore resultam de tais interações.

Assinale, dentre as substâncias abaixo, todas no estado líquido, a que NÃO realiza o mesmo tipo de ligação intermolecular observada em solventes como a água.

a)

Metilamina.

b)

Etanol.

c)

Ácido metanoico.

d)

Trifenilamina.

e)

1-propanol.

2.

(Ufrgs 2001) O gás metano (CH 4 ) pode ser obtido no espaço sideral pelo choque entre os átomos de

hidrogênio liberados pelas estrelas e o grafite presente na poeira cósmica. Sobre as moléculas do metano pode-se afirmar que o tipo de ligação intermolecular e sua geometria são, respectivamente,

a)

ligações de hidrogênio e tetraédrica.

 

b)

forças de van der Waals e trigonal plana.

c)

covalentes e trigonal plana.

 

d)

forças de van der Waals e tetraédrica.

 

e)

ligações de hidrogênio e trigonal plana.

3.

(Unicid

-

Medicina

2017)

Considere

as

seguintes

substâncias

químicas:

CC

4 ,HCC 3 ,CO2 ,H2S,C 2 ,H3 CCH3
4 ,HCC
3 ,CO2 ,H2S,C 2 ,H3 CCH3

e

NH3.

a) Qual o tipo de ligação química que ocorre nessas moléculas? Classifique-as em substâncias polares e não polares.

b) Separe essas substâncias de acordo com o tipo de interação intermolecular (forças de Van der Waals, dipolo-dipolo e ligações de hidrogênio) que apresentam quando em presença de outras substâncias iguais a elas.

4. (Uepg 2016) Os átomos dos elementos

compostos. Sobre o assunto, assinale o que for correto.

Na(Z 11),

O (Z 8)

e

H(Z 1)

combinam-se formando

01) Dois átomos de

02) A ligação química existente entre

04) Átomos de Na e H formam uma ligação covalente no composto

08) A ligação química existente entre

16) No composto de London.

H podem ligar-se a um átomo de

O

Na

e

e

H,

O

O,

formando uma molécula com geometria linear.

NaOH,

Na2O

é uma ligação covalente.

NaH.

é do tipo iônica.

no composto

no composto

NaOH,

a força intermolecular é do tipo dipolo instantâneo-dipolo induzido ou dispersão

é do tipo dipolo instantâneo-dipolo induzido ou dispersão proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – QUÍMICA – GEOMETRIA, POLARIDADE, SOLUBILIDADE E INTERAÇÕES INTERMOLECULARES 5 . (Ifsc 2016)

MONITORIA QUÍMICA GEOMETRIA, POLARIDADE, SOLUBILIDADE E INTERAÇÕES INTERMOLECULARES

5. (Ifsc 2016) Considere uma molécula formada por três átomos de dois tipos diferentes, ligados entre si

por ligações covalentes, formando uma geometria angular. Com base nessas informações, assinale a alternativa CORRETA.

a)

A

descrição apresentada acima corresponde a uma molécula de dióxido de carbono, em que o carbono

e

o oxigênio formam ligações covalentes duplas entre si.

b)

A descrição é compatível com uma molécula de água, que pode estabelecer ligações intermoleculares de hidrogênio, quando moléculas dessa substância se encontram no estado líquido.

c)

A

geometria angular indicada acima é também chamada geometria trigonal planar.

d)

A molécula de amônia corresponde à descrição apresentada, pois átomos de nitrogênio e hidrogênio estão unidos por ligações covalentes que formam um ângulo entre si.

e)

O CFC, gás responsável pela destruição da camada de ozônio, apresenta dois átomos de carbono e um átomo de flúor em geometria angular, de acordo com a descrição dada.

6.

(Enem 2012) O armazenamento de certas vitaminas no organismo apresenta grande dependência de

sua solubilidade. Por exemplo, vitaminas hidrossolúveis devem ser incluídas na dieta diária, enquanto

vitaminas lipossolúveis são armazenadas em quantidades suficientes para evitar doenças causadas pela sua carência. A seguir são apresentadas as estruturas químicas de cinco vitaminas necessárias ao organismo.

químicas de cinco vitaminas necessárias ao organismo. Dentre as vitaminas apresentadas na figura, aquela que

Dentre as vitaminas apresentadas na figura, aquela que necessita de maior suplementação diária é

a) I.

b) II.

c) III.

d) IV.

e) V.

suplementação diária é a) I. b) II. c) III. d) IV. e) V. proenem.com.br Este conteúdo

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – QUÍMICA – GEOMETRIA, POLARIDADE, SOLUBILIDADE E INTERAÇÕES INTERMOLECULARES 7 . (Enem 2016) O

MONITORIA QUÍMICA GEOMETRIA, POLARIDADE, SOLUBILIDADE E INTERAÇÕES INTERMOLECULARES

7. (Enem 2016) O carvão ativado é um material que possui elevado teor de carbono, sendo muito utilizado

para a remoção de compostos orgânicos voláteis do meio, como o benzeno. Para a remoção desses compostos, utiliza-se a adsorção. Esse fenômeno ocorre por meio de interações do tipo intermoleculares entre a superfície do carvão (adsorvente) e o benzeno (adsorvato, substância adsorvida).

No caso apresentado, entre o adsorvente e a substância adsorvida ocorre a formação de:

a)

Ligações dissulfeto.

b)

Ligações covalentes.

c)

Ligações de hidrogênio.

d)

Interações dipolo induzido-dipolo induzido.

e)

Interações dipolo permanente-dipolo permanente.

8.

(Uerj 2016)

Em algumas indústrias, a fumaça produzida pelo processo de queima de combustíveis

fósseis contém a mistura dos seguintes gases residuais:

Nomeie o

CO2 ,

indique a geometria molecular do

SO2

CO2 ,CO, SO2 ,N2 e O2.

e escreva a fórmula do óxido neutro.

Em seguida, escreva o símbolo do elemento químico que compõe um dos gases residuais, sabendo que esse elemento pertence ao grupo 15 da tabela de classificação periódica.

9. (Uerj 2011) Considere uma mistura homogênea que contém quantidades iguais de quatro substâncias

orgânicas: hexano, pentano, ácido etanoico e metilbenzeno. Com a adição de uma determinada quantidade de água, obteve-se uma mistura heterogênea, como ilustra o esquema a seguir:

uma mistura heterogênea, como ilustra o esquema a seguir: Na fase aquosa da mistura heterogênea, apenas
uma mistura heterogênea, como ilustra o esquema a seguir: Na fase aquosa da mistura heterogênea, apenas
uma mistura heterogênea, como ilustra o esquema a seguir: Na fase aquosa da mistura heterogênea, apenas
uma mistura heterogênea, como ilustra o esquema a seguir: Na fase aquosa da mistura heterogênea, apenas
uma mistura heterogênea, como ilustra o esquema a seguir: Na fase aquosa da mistura heterogênea, apenas

Na fase aquosa da mistura heterogênea, apenas a substância orgânica de maior solubilidade em água está presente.

Essa substância é denominada:

a) hexano

b) pentano

c) ácido etanoico

d) metilbenzeno

a) hexano b) pentano c) ácido etanoico d) metilbenzeno proenem.com.br Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está

proenem.com.br

Este conteúdo pertence ao PROENEM. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

MONITORIA – QUÍMICA – GEOMETRIA, POLARIDADE, SOLUBILIDADE E INTERAÇÕES INTERMOLECULARES 10 . (Upf 2016) Na

MONITORIA QUÍMICA GEOMETRIA, POLARIDADE, SOLUBILIDADE E INTERAÇÕES INTERMOLECULARES

10. (Upf 2016) Na coluna da esquerda, estão relacionadas as moléculas, e, na coluna da direita, a geometria molecular. Relacione cada molécula com a adequada geometria molecular.

1. NOC

1. NOC

(

) linear

3
3

2. (

NC

 

) tetraédrica

3. CS2

(

) trigonal plana

4
4

4. (

CC

 

) angular

5. BF3

(

) piramidal

A sequência correta de preenchimento dos parênteses, de cima para baixo, é:

a) 3 2 5 1 4.

b) 3 4 5 1 2.

c) 1 4 5 3 2.

d) 3 4 2 1 5.

e) 1 2