Você está na página 1de 15

NR 1 – Disposições Gerais:

Estabelece o campo de aplicação de todas as Normas


Regulamentadoras de Segurança e Medicina do Trabalho do
Trabalho Urbano, que deverão ser cumpridas por todas as empresas
privadas e públicas, desde que possuam empregados regidos de
acordo com a CLT, bem como os direitos e obrigações do Governo,
dos empregadores e dos trabalhadores no tocante a este tema
específico.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, são os artigos 154 a 159 da
Consolidação das Leis do Trabalho - CLT

NR 2 – Inspeção Prévia:
Determina que todo estabelecimento novo deverá solicitar
aprovação de suas instalações ao órgão regional do Ministério do
Trabalho e Emprego, que emitirá o CAI – Certificado de Aprovação
de Instalações, por meio de modelo pré-estabelecido no próprio
site do MTE.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, é o artigo 160 da CLT.

NR 3 – Embargo ou Interdição:
Estabelece as situações em que as empresas se sujeitam a sofrer
paralisação de seus serviços, máquinas ou equipamentos, bem como
os procedimentos a serem observados, pela fiscalização
trabalhista, na adoção de tais medidas punitivas no tocante à
Segurança e a Medicina do Trabalho
A DRT poderá interditar/embargar o estabelecimento, as máquinas,
setor de serviços se os mesmos demonstrarem grave e iminente
risco para o trabalhador, mediante laudo técnico, e/ou exigir
providências a serem adotadas para a regularização das
irregularidades. Em caso de interdição ou embargo em um
determinado, setor ou maquinários ou na empresa toda, os
empregados receberão os salários como se estivessem trabalhando.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, é o artigo 161 da CLT.

NR4 – Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e


em Medicina do Trabalho:
Estabelece a obrigatoriedade das empresas públicas e privadas,
que possuam empregados regidos pela CLT, de organizarem e
manterem em funcionamento, Serviços Especializados em
Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho - SESMT, com
a finalidade de promover a saúde e proteger a integridade do
trabalhador no local de trabalho.
A implantação do SESMT depende da gradação do risco da
atividade principal da empresa (Classificação Nacional de
Atividades Econômicas – CNAE) e do número total de empregados
do estabelecimento. Dependendo desses elementos o SESMT
deverá ser composto por Engenheiro de Segurança do Trabalho,
Médico do Trabalho, Enfermeiro do Trabalho, Auxiliar de
Enfermagem do Trabalho, Técnico de Segurança do Trabalho, todos
empregados da empresa.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, é o artigo 162 da CLT.

NR 5 – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes – CIPA


Estabelece a obrigatoriedade das empresas privadas, públicas,
sociedades de economia mista, instituições beneficentes,
cooperativas, clubes, desde que possuam empregados celetistas,
organizarem e manterem em funcionamento, por estabelecimento,
uma comissão constituída exclusivamente por empregados com o
objetivo de prevenir infortúnios laborais, através da apresentação
de sugestões e recomendações ao empregador para que melhore as
condições de trabalho, eliminando as possíveis causas de acidentes
do trabalho e doenças ocupacionais.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, são os artigos 163 a 165 da CLT.

NR 6 – Equipamentos de Proteção Individual:


Estabelece e define os tipos de EPI's a que as empresas estão
obrigadas a fornecer a seus empregados, sempre que as condições
de trabalho o exigirem, a fim de resguardar a saúde e a integridade
física dos trabalhadores.
O EPI deve ser entregue gratuitamente, e a entrega deverá ser
registrada. Todo equipamento deve ter o CA (Certificado de
Aprovação) do Ministério do Trabalho e Emprego e a empresa que
importa EPIs também deverá ser registrada junto ao
Departamento de Segurança e Saúde do Trabalho, existindo para
esse fim todo um processo administrativo.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, são os artigos 166 e 167 da CLT.

NR 7 – Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional:


Estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por
parte de todos os empregadores e instituições que admitam
trabalhadores como empregados, do Programa de Controle Médico
de Saúde Ocupacional - PCMSO, com o objetivo de promoção e
preservação da saúde do conjunto dos seus trabalhadores.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, são os artigos 168 e 169 da CLT.
NR 8 – Edificações:
Dispõe sobre os requisitos técnicos mínimos que devem ser
observados nas edificações, observando-se a proteção contra a
chuva, insolação excessiva ou falta de insolação, para garantir que
haja segurança e conforto ao trabalhadores que nelas trabalham.
É importante também no tange o assunto, observar as legislações
pertinentes nos níveis federal, estadual e municipal.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, são os artigos 170 a 174 da CLT.

NR 9 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais:


Estabelece a obrigatoriedade de elaboração e implementação, por
parte de todos os empregadores e instituições que admitam
trabalhadores como empregados, do Programa de Prevenção de
Riscos Ambientais – PPRA.
O PPRA tem como objetivo a preservação da saúde e integridade do
trabalhador, através da antecipação, avaliação e controle dos riscos
ambientais existentes, ou que venham a existir no ambiente de
trabalho, tendo em vista a proteção ao meio ambiente e até dos
recursos naturais.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, são os artigos 175 a 178 da CLT.

NR 10 – Instalações e Serviços de Eletricidade:


Estabelece as condições mínimas exigíveis para garantir a
segurança dos empregados que trabalham em instalações elétricas,
em suas diversas etapas, incluindo elaboração de projetos,
execução, operação, manutenção, reforma e ampliação, assim como
a segurança de usuários e de terceiros, em quaisquer das fases de
geração, transmissão, distribuição e consumo de energia elétrica,
observando-se, para tanto, as normas técnicas oficiais vigentes e,
na falta destas, as normas técnicas internacionais.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, são os artigos 179 a 181 da CLT.

NR 11 – Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio


de Materiais:
Estabelece os requisitos de segurança a serem observados nos
locais de trabalho, no que se refere ao transporte, à movimentação,
à armazenagem e ao manuseio de materiais, tanto de forma
mecânica quanto manual, objetivando a prevenção de infortúnios
laborais, ou seja, trata da padronização dos procedimentos
operacionais, e assim, busca garantir a segurança de todos os
envolvidos na atividade.
A fundamentação legal, ordinária e especifica que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, são os artigos 182 e 183 da CLT.

NR 12 – Máquinas e Equipamentos:
Estabelece as medidas preventivas de segurança e higiene do
trabalho a serem adotadas pelas empresas em relação à instalação,
operação e manutenção de máquinas e equipamentos, visando à
prevenção de acidentes do trabalho.
Em seus anexos vários equipamentos são mostrados de forma bem
detalhada, sempre busca a padronização das medidas de prevenção
a serem adotadas, a fim de obtermos um trabalho mais seguro com
o maquinário.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, são os artigos 184 e 186 da CLT.
NR 13 – Caldeiras e Vasos de Pressão:
Estabelece os procedimentos de segurança que devem ser
observados nas atividades referentes a projeto de construção,
acompanhamento de operação e manutenção, inspeção e supervisão
de inspeção de caldeiras e vasos de pressão, de modo a se prevenir
a ocorrência de acidentes do trabalho.
Norma que exige treinamento específico para os seus operadores,
contendo várias classificações e categorias, nas especialidades,
devido, principalmente, ao seu elevado grau de risco.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, são os artigos 187 e 188 da CLT.

NR 14 – Fornos:
Define os parâmetros e serem observados para a instalação de
fornos, cuidados com gases, chamas, líquidos. É importante
observar as legislações pertinentes nos níveis federal, estadual e
municipal.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, é o artigo 187 da CLT.

NR 15 – Atividades e Operações Insalubres:


Descreve as atividades, operações e agentes insalubres, inclusive
seus limites de tolerância, definindo, assim, as situações que,
quando vivenciadas nos ambientes de trabalho pelos trabalhadores,
ensejam a caracterização do exercício insalubre, e também os
meios de proteger os trabalhadores de tais exposições nocivas à
sua saúde.
A atividade é considerada insalubre quando ocorre além dos limites
de tolerância, isto é intensidade, natureza e tempo de exposição ao
agente, que não causará danos à saúde do trabalhador, durante a
sua vida laboral.
As atividades insalubres estão contidas nos anexos dessa Norma e
são considerados os agentes: Ruído contínuo ou permanente; Ruído
de Impacto; Tolerância para Exposição ao Calor; Radiações
Ionizantes; Agentes Químicos e Poeiras Minerais.
Tanto a NR 15 quanto a NR 16 dependem de perícia, a cargo do
médico ou do engenheiro do trabalho, devidamente credenciado
junto ao Ministério do Trabalho e Emprego.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, são os artigos 189 e 192 da CLT.

NR 16 – Atividades e Operações Perigosas:


São as atividades perigosas aquelas ligadas a Explosivos,
Inflamáveis e Energia Elétrica.
Regulamenta as atividades e as operações legalmente consideradas
perigosas, estipulando as recomendações preventivas
correspondentes.
Especificamente no que diz respeito ao Anexo n° 01: Atividades e
Operações Perigosas com Explosivos, e ao anexo n° 02: Atividades e
Operações Perigosas com Inflamáveis, tem a sua existência jurídica
assegurada através dos artigos 193 a 197 da CLT.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à caracterização da energia elétrica como sendo o 3°
agente periculoso é a Lei n° 7.369 de 22 de setembro de 1985, que
institui o adicional de periculosidade para os profissionais da área
de eletricidade.

NR 17 – Ergonomia:
Visa estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das
condições de trabalho às condições psicofisiológicas dos
trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto,
segurança e desempenho eficiente.
Observe-se que as LER – Lesões por Esforços Repetitivos, e as
denominadas DORT – Doença Osteomuscular, relacionada ao
trabalho constituem o principal grupo de problemas à saúde,
reconhecidos pela sua relação laboral.
O termo DORT é muito mais abrangente que o termo LER,
constante hoje das relações de doenças profissionais da
Previdência.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, são os artigos 198 e 199 da CLT.

NR 18 – Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria


da Construção:
Estabelece diretrizes de ordem administrativa, de planejamento
de organização, que objetivem a implementação de medidas de
controle e sistemas preventivos de segurança nos processos, nas
condições e no meio ambiente de trabalho na indústria da
construção civil.
É sem dúvidas uma das legislações mais completas de todas as 35
que vigoram atualmente.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, é o artigo 200 inciso I da CLT.

NR 19 – Explosivos:
Estabelece as disposições regulamentadoras acerca do depósito,
manuseio e transporte de explosivos, objetivando a proteção da
saúde e integridade física dos trabalhadores em seus ambientes de
trabalho.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, é o artigo 200 inciso II da CLT.

NR 20 – Segurança e Saúde no Trabalho com Inflamáveis e


Combustíveis:
Define os parâmetros para as atividades de extração, produção,
armazenamento, transferência, manuseio e manipulação de
inflamáveis e líquidos combustíveis, com o objetivo de proporcionar
proteção da saúde e a integridade física dos trabalhadores em seus
ambientes de trabalho.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, é o artigo 200 inciso II da CLT.

NR 21 – Trabalho a céu aberto:


Tipifica as medidas preventivas relacionadas com a prevenção de
acidentes nas atividades desenvolvidas a céu aberto, tais como, em
minas ao ar livre e em pedreiras.
Define o tipo de proteção que deve ser fornecida pela empresa aos
trabalhadores que trabalham sem abrigo, contra intempéries
(insolação, condições sanitárias, água etc.).
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, é o artigo 200 inciso IV da CLT.

NR 23 – Proteção contra Incêndios:


Estabelece as medidas de proteção contra Incêndios que devem
dispor os locais de trabalho, visando à prevenção da saúde e da
integridade física dos trabalhadores. Todas as empresas devem
possuir: saídas para retirada de pessoal em serviço e/ou público;
pessoal treinado e equipamentos.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, é o artigo 200 inciso IV da CLT.

NR 24 – Condições Sanitárias e de Conforto nos Locais do


Trabalho:
Todo estabelecimento deve atender as denominações desta norma.
Ele busca adequar banheiros, vestiários, refeitórios, alojamentos e
outras questões de conforto.
Cabe a CIPA e/ou ao SESMT (onde houver), a observância e
cumprimento desta norma. É importante observar também, se nas
Convenções Coletivas de Trabalho de sua categoria existe algum
item sobre o assunto.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, é o artigo 200 inciso VII da CLT.

NR 25 – Resíduos Industriais:
Estabelece as medidas preventivas a serem observadas, pelas
empresas, no destino final a ser dado aos resíduos industriais
resultantes dos ambientes de trabalho de modo a proteger a saúde
e a integridade física dos trabalhadores.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá
embasamento jurídico à existência desta NR, é o artigo 200 inciso
VII da CLT.

NR 26 – Sinalização de Segurança
Estabelece a padronização das cores a serem utilizadas como
sinalização de segurança nos ambientes de trabalho, de modo a
proteger a saúde e a integridade física dos trabalhadores, evitando
a distração, confusão e fadiga do trabalhador, bem como cuidados
especiais quanto a produtos e locais perigosos.
Recentemente essa norma foi revista, e já não oferece muito.
Qualquer dúvida sobre o tema deve ser esclarecida com as normas
estaduais e NBR’s.
A fundamentação legal, ordinária e específica, que dá embasamento
jurídico à existência desta NR, é o artigo 200 inciso VIII da CLT.

NR 27 – Registro Profissional do Técnico de Segurança:


Refere ao registro profissional do técnico de segurança do
trabalho no ministério do trabalho. Estabelecendo os requisitos a
serem satisfeitos pelo profissional que desejar exercer esta
função, em especial no que diz respeito ao seu registro profissional
como tal, junto ao Ministério do Trabalho.
A fundamentação legal, ordinária e específica, tem seu
embasamento jurídico assegurado través do artigo 3° da lei n°
7.410 de 27 de novembro de 1985, regulamentado pelo artigo 7° do
Decreto n° 92.530 de 9 de abril de 1986.
Apesar de ainda constar em todos os livros de NR esta norma
foi revogada.

NR 28 – Fiscalização e penalidades:
Estabelece os procedimentos a serem adotados pela fiscalização
trabalhista de segurança e medicina do trabalho, tanto a concessão
de prazos ás empresas para a correção de irregularidades técnicas,
como também, no que concerne ao procedimento de autuação por
infração as Normas Regulamentadoras de Segurança e Medicina do
trabalho, e valores de multas.
A fundamentação legal, ordinária e específica, tem a sua existência
jurídica assegurada, a nível de legislação ordinária, através do
artigo 201 da CLT, com as alterações que lhe foram dadas pelo
artigo 2° da Lei n° 7.855 de 24 de outubro de 1989, que institui o
Bônus do Tesouro Nacional - BTN, como valor monetário a ser
utilizado na cobrança de multas, e posteriormente, pelo artigo 1°
da Lei n° 8.383 de 30 de dezembro de 1991, especificamente no
tocante à instituição da Unidade Fiscal de Referência -UFIR, como
valor monetário a ser utilizado na cobrança de multas em
substituição ao BTN.

NR 29 – Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no


Trabalho Portuário:
Tem por objetivo regulamentar a proteção prevenção contra
acidentes e doenças profissionais, facilitar os primeiros socorros a
acidentados e alcançar as melhores condições possíveis de
segurança e saúde aos trabalhadores portuários.
As disposições contidas nessa NR aplicam-se aos trabalhadores
portuários em operações tanto a bordo como em terra, assim como
aos demais trabalhadores que exerçam atividades nos portos
organizados e instalações portuárias de uso privativo e retro
portuárias, situadas dentro ou fora da área do porto organizado.
A sua existência jurídica está assegurada em nível de legislação
ordinária, através da Medida Provisória n° 1.575-6, de 27/11/97,
do artigo 200 da CLT, o Decreto n° 99.534, de 19/09/90 que
promulga a Convenção n° 152 da OIT.

NR 30 – Segurança e Saúde no Trabalho Aquaviário:


Aplica-se aos trabalhadores de toda embarcação comercial
utilizada no transporte de mercadorias ou de passageiros, na
navegação marítima de longo curso, na cabotagem, na navegação
interior, no serviço de reboque em alto-mar, bem como
em plataformas marítimas e fluviais, quando em deslocamento, e
embarcações de apoio marítimo e portuário.
A Norma Regulamentadora não desobriga as empresas do
cumprimento de outras disposições legais com relação à matéria e
outras oriundas de convenções, acordos e contratos coletivos de
trabalho.

NR 31- Segurança e saúde no Trabalho na agricultura,


pecuária, silvicultura, exploração florestal a aquicultura:
Estabelece os preceitos a serem observadas na organização e no
ambiente de trabalho, de forma a tornar compatível o planejamento
e o desenvolvimento de quaisquer atividades da agricultura,
pecuária, silvicultura, exploração florestal e aquicultura com a
segurança e saúde e meio ambiente do trabalho.
A sua existência jurídica é assegurada por meio do artigo 13 da Lei
nº. 5.889, de 8 de junho de 1973

NR 32 – Segurança e saúde no trabalho em serviços de saúde:


Tem por finalidade estabelecer diretrizes básicas para a
implementação de medidas de proteção à segurança e a saúde dos
trabalhadores dos serviços de saúde, bem como daqueles que
exercem atividades de promoção e assistência à saúde em geral.
Norma bem específica para regulamentar inclusive os programas de
prevenção que tem traços bem particulares nessa atividade.

NR 33 – Segurança e saúde nos trabalhos em espaços


confinados:
Tem por objetivo estabelecer requisitos mínimos para a
identificação de espaços confinados e o controle dos riscos
existentes, de forma a garantir permanentemente a segurança e
saúde dos trabalhadores que interagem direta ou indiretamente
nesses espaços.
Espaço confinado é qualquer área não projetada para ocupação
humana, que tenha meios limitados de entrada e saída, cuja
ventilação seja insuficiente para remover os contaminantes, que
possa existir enriquecimento ou insuficiência de oxigênio exigido
para uma respiração natural.

NR 34 – Condições e meio ambiente de trabalho na indústria da


construção e reparação naval
Estabelece requisitos mínimos e as medidas de proteção e
segurança, á saúde e ao meio ambiente de trabalho nas atividades
da indústria de construção e reparação naval.
Cita nove procedimentos de trabalhos executados em estaleiros:
trabalho a quente; montagem e desmontagem de andaimes; pintura;
jateamento e hidrojateamento; movimentação de cargas;
instalações elétricas provisórias; trabalhos em altura; utilização de
radionuclídeos e gamagrafia; e máquinas portáteis rotativas.
Englobando assuntos como APR, DDS, PT, EPI, EPC, dentre outros.

NR 35 – Trabalho em Altura:
Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de
proteção para o trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a
organização, execução, treinamento de funcionários, de forma a
garantir a segurança e a saúde dos trabalhadores envolvidos direta
ou indiretamente com esta atividade.

NR 36 – Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas de


Abate e Processamento de Carnes e Derivados:
O objetivo desta Norma Regulamentadora, é estabelecer os
requisitos mínimos para a avaliação, controle e monitoramento dos
riscos existentes na indústria de abate e processamento de carnes
e derivados destinados ao consumo humano.
Visando, o estabelecimento formas e procedimentos de trabalho de
forma a garantir permanentemente a segurança, a saúde e a
qualidade de vida no trabalho. Sem causar prejuízo da observância
do normatizado nas demais Normas Regulamentadoras – NR’s do
Ministério do Trabalho e Emprego.