Você está na página 1de 25

ULTRA-SONOGRAFIA

A ultra-sonografia, ou ecografia, é uma


técnica de geração de imagens que usa
ondas sonoras de alta freqüência (ultra-
som) e seus ecos.
Breve história da ultra-sonografia

• A "Teoria do Som" foi publicada pela primeira vez em


1877, pelo cientista inglês Lorde Rayleigh. Este tratado
praticamente inaugurou a física acústica moderna.
Geração de ultra-sons
• 1881 - Jacques e Pierre Curie
utilizaram um campo elétrico
alternante sobre cristais de
quartzo e turmalina, gerando
ondas sonoras de altas
freqüências – efeito
piezoelétrico.
Pierre e Jacques Curie

• 1883 – apito de Galton (cientista e


inventor inglês); usado para controlar
cães por meio de ultra-sons (inaudíveis
aos humanos).
Utilização do ultra-som

• 1912 – um mês após o naufrágio do Titanic, L. F.


Richardson, sugeriu a utilização de ecos ultra-sônicos
para detectar objetos submersos.

• Durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) usou-se


disso para a detecção de icebergs e submarinos inimigos.
• Esta técnica começou a ser usada também para fins não-
militares, como na metalurgia, para detectar fendas em
metais e para o estudo do fundo marinho.

• Durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), o uso


dos ultra-sons para fins militares foi aprimorado com o
desenvolvimento do SONAR (Sound Navigation and
Ranging).
Utilização do ultra-som na medicina
• Foi primeiramente usado no âmbito terapêutico, desde o
tratamento de artrite reumatóide até da doença de
Parkinson.

• Em 1940, foi considerado uma verdadeira panacéia (o


remédio para todos os males), mas não se fundamentava
em comprovações científicas e foi abandonado por falta
de resultados satisfatórios.
• 1942 – Karl Dussik, neuropsiquiatra da
Universidade de Viena, pela 1ª vez usou o ultra-
som na medicina diagnóstica. Na localização de
tumores cerebrais e para verificar o tamanho dos
ventrículos cerebrais, medindo a atenuação do
ultra-som ao atravessar o crânio.
• 1947 – O médico americano
Douglas Howry (também
considerado um dos pais da ultra-
sonografia diagnóstica) detectou
estruturas de tecidos moles.
Nesta época o paciente tinha que ficar submerso e
imóvel dentro de uma banheira com água para a
realização do exame.
Um procedimento nada prático e que produzia
imagens de baixa qualidade e resolução.
• Década de 1950 - foi desenvolvido o método utilizado
ainda hoje. A banheira de água foi substituída por uma
pequena quantidade de gel, que serve para aumentar e
melhorar a superfície de contato entre a pele e o
"transdutor".

O transdutor é o nome dado a qualquer dispositivo que


transforme um tipo de energia em outro.
• Na natureza encontramos exemplos de animais que
utilizam o ultra-som para se localizar e caçar, como
os golfinhos e os morcegos, que não tendo uma
visão muito aguçada, desenvolveram um
mecanismo de localização pela recepção do eco de
ultra-sons emitidos por eles mesmos.
O princípio que rege a utilização de ultra-sons baseia-se na
emissão de um pulso ultra-sônico que, chegando a um
objeto, retorna como um eco, cujas características
possibilitam determinar a localização, tamanho, velocidade
e textura deste objeto.
• Os ultra-sons situam-se em freqüência maior
que 20.000 Hertz e, especificamente na área
médica diagnóstica, a freqüência utilizada é da
ordem de milhões de Hertz (MHz).

• Na realização do exame ultra-


sonográfico, utiliza-se um aparelho
que consegue transformar energia
elétrica em energia acústica e vice-
versa, e posteriormente, os sinais
elétricos em imagens projetadas num
monitor, onde são visualizados os
órgãos do corpo humano.
1ª imagem ecográfica em 3D:

• 1986 - Kazunori Baba


• Tóquio, Japão
Fornece detalhes de imagens, que
são importantes para um
diagnóstico mais preciso.

• Detecção precoce de tumores;


• Visualização do feto, avaliar seu
desenvolvimento, especialmente
para a observação de
desenvolvimento anormal da face
e membros, que dificilmente são
detalhados em exames
ecográficos tradicionais.
Ultra-som 4D
O aparelho de ultra-som 4D
está entre os mais modernos
existentes no mercado.
Sua tecnologia permite a
visualização 3D de estruturas e
fluidos em movimento em
tempo real.
Essa inovação foi possível
devido ao grande avanço
computacional, que permitiu a
formação (renderização) das
imagens 3D em tempo real.
• Fornece mais detalhes das estruturas e maior resolução
das imagens, importantes para um diagnóstico mais
preciso.
• Estudo “Doppler” para a avaliação de vasos (aneurismas,
varizes).
• Diagnóstico de doenças do abdome e dos músculos.
• Estudos de fetos, podendo-se visualizar suas faces, mãos e
sexo. Podendo-se visualizar mais facilmente anomalias
morfológicas e síndromes.
Ecografia
Alguns usos:
• Obstetrícia e Ginecologia – tamanho,
desenvolvimento, posição e sexo do feto;
tumores de ovário e seios.
• Cardiologia – visualizar o interior do coração,
estruturas e funcionamento.
• Urologia – visualização de pedras nos rins;
câncer de próstata.

 Método largamente difundido devido a sua


simplicidade, baixo custo e por ser inócuo.
Porém...
Têm havido muitas preocupações a respeito da
segurança do ultra-som.

Houveram relatos de partos prematuros de mães


que haviam feito exames freqüentes de ultra-
som durante a gravidez.

Mas nenhum efeito adverso foi confirmado e


documentado como tendo sido causado pela
realização de exames ultra-sonográficos.
Possíveis riscos do ultra-som:
• Desenvolvimento de calor – os tecidos ou a água
absorvem a energia do ultra-som, elevando sua
temperatura.
• Formação de bolhas – quando gases dissolvidos saem de
uma solução em razão do calor local causado pelo ultra-
som.

Realizar o exame somente quando necessário e


com cautela.