Você está na página 1de 5

Nome: ___________________________________________________________________________________________

Classe: ________________________________________ Nº de Matrícula:

Ensino Médio Série: 1ª- Bimestre: 4º- Data: 27/11/2018


Disciplina: Prova: Código da Prova: Versão:
PORTUGUÊS PE-2 - MANHÃ RESOLUÇÃO ALFA
Texto para o teste 1. Texto para o teste 3.

Ótimo desempenho e muita segurança:


O que toda mulher procura num homem
e todo homem procura num carro.

(Informe Publicitário)

3. I. O ideal de ambos os sexos é equivalente, mas


cada um tem como objeto um elemento diferente.
II. As qualidades apontadas na primeira frase são
desejadas tanto por homens quanto por mulheres.
III. As expressões “toda mulher” e “todo homem”
restringem o público-alvo do anúncio.

Está correto o que se afirma em:

a) I, apenas. b) II, apenas.


c) I e II, apenas. d) II e III.
1. (Barro Branco) Em conformidade com a norma- e) I, II e III.
padrão, as lacunas nas falas das personagens
devem ser preenchidas, respectivamente, com: Texto para os testes 4 e 5.
a) suspensão / têm / Porque
b) suspenção / tem / Por que O AVENTUREIRO ULISSES
c) suspensão / tem / Por quê
d) suspenssão / tem / Porquê Ainda tinha duzentos réis. E como eram sua
e) suspenção / têm / Por quê única fortuna, meteu a mão no bolso e segurou a
moeda. Ficou com ela na mão fechada.
2. (FGV) Assinale a alternativa correta quanto à Neste instante, estava na Avenida Celso Garcia.
acentuação e à grafia das palavras. E sentia no peito todo o frio da manhã.
Duzentão. Quer dizer: dois sorvetes de casquinha.
a) Temas comuns, como a construção social do Pouco.
mercado, permitem entrevêr as possibilidades Ah! Muito sofre quem padece. Muito sofre quem
de uma saudável relação entre Sociologia e padece? É uma canção de Sorocaba. Não é. Então
Economia, que não pode se paralizar em virtude que é? Mui-to so-fre quem pa-de-ce. Alguém dizia
de algumas diferenças. isto sempre. Etelvina? Seu Cosme? Com certeza.
b) Em um de seus estudos mais célebres, Mark Etelvina, que vivia amando toda a gente. Até ele.
Granovetter vêm demonstrar que as pessoas se Sujeitinha impossível. Só vendo o jeito de olhar
ligam às outras por laços forte e laços fracos. Por dela.
isso, é imprecindível que as pessoas consigam Bobagens. O melhor é ir andando.
entender essas ligações. Foi.
c) Alguns temas revigoraram o debate entre a Pé no chão é bom só na roça. Na cidade é uma
Sociologia e a Economia, sendo responsáveis porcaria. Toda a gente estranha. É verdade. Agora é
por compôr um novo cenário. O diálogo deve que ele reparava direito: ninguém andava descalço.
basear-se nos pontos positivos e comuns, e não Sentiu um mal-estar horrível. As mãos, a gente
nas excessões. ainda esconde nos bolsos. Mas os pés? Cousa
d) A falta de dialogo entre Sociologia e Economia horrorosa. Desafogou a cintura. Puxou as calças
perdurou pôr quase três séculos, mas é um para baixo. Encolheu os artelhos. Deu dez passos
quadro que parece estar mudando, sobretudo em assim. Pipocas. Não dava jeito mesmo. Pipocas. A
função de fragrantes pontos em comum entre as gente da cidade que vá bugiar no inferno. Ajustou a
disciplinas.
cintura. Levantou as calças acima dos tornozelos.
e) Em meados dos anos 1970, parece que uma
Acintosamente. E muito vermelho, foi jogando os
leve brisa intervém na falta de comunicação entre
pés na calçada. Andando duro como se estivesse
sociólogos e economistas, que não mais hesitam
calçado.
em pôr em discussão, assuntos inerentes às
(Antônio de Alcântara Machado)
duas disciplinas.
PORTUGUÊS - I ANO - PE-2 - MANHÃ - RESOLUÇÃO - ALFA - 1
4. Considere as afirmações: canto de regresso à pátria

I. O registro dos pensamentos da personagem Minha terra tem palmares


constitui monólogo interior. Onde gorjeia o mar
II. Nos dois primeiros parágrafos do texto, evidencia- Os passarinhos daqui
se um narrador de terceira pessoa, que relata as Não cantam como os de lá
reflexões da personagem Ulisses.
III. A partir do terceiro parágrafo, o discurso da Minha terra tem mais rosas
personagem mistura-se ao do narrador, E quase que mais amores
configurando discurso indireto livre. Minha terra tem mais ouro
Minha terra tem mais terra
Está(ão) correta(s):
Ouro terra amor e rosas
a) I, apenas. Eu quero tudo de lá
b) I e II, apenas. Não permita Deus que eu morra
c) I e III, apenas. Sem que volte para lá
d) II e III, apenas.
e) I, II e III. Não permita Deus que eu morra
Sem que volte pra São Paulo
5. "Como", em destaque no texto, indica: Sem que veja a Rua 15*
E o progresso de São Paulo
(Oswald de Andrade)
a) comparação.
b) causa.
* A Rua XV de Novembro, em São Paulo, foi durante muito
c) oposição.
tempo o centro financeiro de todo o Brasil, devido à grande
d) condição.
concentração bancária naquele local.
e) alternância.
6. (VUNESP) Comparando-se os dois textos, pode-se
afirmar que o poema de Oswald de Andrade (...)
Textos para os testes 6 e 7.
a) aborda uma temática totalmente diferente daquela
observada no poema de Gonçalves Dias, uma
CANÇÃO DO EXÍLIO
vez que exalta os benefícios que o progresso
trouxe à cidade de São Paulo em comparação
Minha terra tem palmeiras,
com as demais metrópoles brasileiras.
Onde canta o Sabiá;
b) trata da mesma temática nacionalista que o
As aves, que aqui gorjeiam, poema de Gonçalves Dias, embora apresente
Não gorjeiam como lá. uma visão mais crítica da história da pátria, o que
se percebe na alusão a palmares e a aspectos
Nosso céu tem mais estrelas, econômicos, como ouro e terra.
Nossas várzeas têm mais flores, c) apresenta a descrição idealizada da natureza
Nossos bosques têm mais vida, brasileira, assim como o poema de Gonçalves
Nossa vida mais amores. Dias, mas com um tom saudosista, o que se nota
no emprego de uma linguagem mais erudita e
Em cismar, sozinho, à noite, arcaica, com o termo passarinhos, em vez de
Mais prazer encontro eu lá; aves, por exemplo.
Minha terra tem palmeiras, d) reproduz um cenário idêntico ao representado
Onde canta o Sabiá. no poema de Gonçalves Dias, em que se exalta
a beleza da natureza virgem, que ainda não foi
Minha terra tem primores, explorada pelo homem, o que se observa na
Que tais não encontro eu cá; presença de termos como ouro, terra e rosas.
Em cismar – sozinho, à noite – e) retoma a temática do exílio, explorada no poema
Mais prazer encontro eu lá; de Gonçalves Dias, mas por meio de uma
Minha terra tem palmeiras, perspectiva diferente, na medida em que a pátria,
Onde canta o Sabiá. corrompida pelo progresso, já não é descrita como
um lugar para o qual o eu lírico gostaria de voltar.
Não permita Deus que eu morra,
Sem que eu volte para lá; 7. Na primeira estrofe do poema, Oswald de Andrade
Sem que desfrute os primores retoma da “Canção do Exílio”, de Gonçalves Dias, a
Que não encontro por cá; oposição:
Sem q’'inda aviste as palmeiras,
Onde canta o Sabiá. a) palmares x mar. b) terra x palmares.
c) aqui x lá. d) cantam x gorjeia.
(Gonçalves Dias) e) terra x mar.

PORTUGUÊS - I ANO - PE-2 - MANHÃ - RESOLUÇÃO - ALFA - 2


Texto para o teste 8. Vocabulário:
1arrulho: som emitido pelos pombos e outros pássaros; fala
Eu careço de amar, viver careço carinhosa, geralmente de namorados.
2pejo: pudor, timidez.
Nos montes do Brasil, no Maranhão,
3pocema: grito de guerra.
Dormir aos berros da arenosa praia
Da ruinosa Alcântara, evocando 4troar: fazer estrondo, retumbar.
Amor ... Pericumã! ... morrer ... meu Deus! 5espanejar-se: desenvolver-se, desabrochar-se.
Quero fugir d’Europa, nem meus ossos
Descansar em Paris, não quero, não!
9. Em "Iracema", nota-se a tentativa de reproduzir o
(Sousândrade) modo de pensar indígena, baseado em constantes
comparações com a Natureza, ou, melhor dizendo,
8. Podemos afirmar que o trecho anterior é uma com o mundo concreto, num estilo que Haroldo de
“canção do exílio”, porque (...) Campos chamou a “poética do como”.
Destes trechos extraídos do texto, só não pode
a) fala das cidades e da paisagem brasileiras. ser tomado como exemplo dessa poética:
b) se refere à pátria, com a perspectiva de quem está
longe dela. a) “Na vida, os lábios da virgem de Tupã amargam
c) o poeta recorre a Deus para voltar à sua terra e doem como o espinho da jurema.”
natal. b) “...ainda achou Iracema ali debruçada qual
d) é uma exaltação à vida e ao amor. borboleta que dormiu no seio do formoso cacto.”
e) o poeta acredita que vai morrer longe do Maranhão. c) “Ficou tímida e inquieta como a ave que pressente
a borrasca no horizonte.”
d) “As águas do rio banharam o corpo casto da
Texto para os testes 9 e 10.
recente esposa.”
e) “e como entre os arrebóis da manhã cintila o
Abriram-se os braços do guerreiro adormecido e
primeiro raio de sol, em suas faces incendiadas
seus lábios; o nome da virgem ressoou docemente.
rutilava o primeiro sorriso da esposa...”
A juruti, que divaga pela floresta, ouve o terno
arrulho1 do companheiro; bate as asas e voa a
conchegar-se ao tépido ninho. Assim a virgem do
sertão aninhou-se nos braços do guerreiro. 10. O fragmento narra a primeira noite de amor de
Quando veio a manhã, ainda achou Iracema ali Iracema e Martim, depois de este tomar o vinho
debruçada qual borboleta que dormiu no seio do da jurema, de cujo segredo Iracema era portadora.
formoso cacto. Em seu lindo semblante acendia o Depois disso, no entanto, o narrador continua se
pejo2 vivos rubores; e como entre os arrebóis da referindo a Iracema como virgem, até o capítulo em
manhã cintila o primeiro raio de sol, em suas faces que se anuncia a gravidez da heroína, porque (...)
incendiadas rutilava o primeiro sorriso da esposa,
aurora de fruído amor. a) nesse primeiro intercurso sexual, tanto a índia
A jandaia fugira ao romper d’alva e para não quanto Martim estavam sob o efeito alucinatório
tornar mais à cabana. da jurema, e, portanto, ainda “inocentes”, sem
Vendo Martim, a virgem, unida ao seu coração, consciência do que fizeram.
cuidou que o sonho continuava; cerrou os olhos b) na manhã seguinte à perda da virgindade,
para torná-los a abrir. Iracema se banhou no rio cujas águas tinham,
A pocema3 dos guerreiros, troando4 pelo vale, metaforicamente, o poder de restaurar a pureza
o arrancou ao doce engano; sentiu que já não perdida (“As águas do rio banharam o corpo
sonhava, mas vivia. Sua mão cruel abafou nos casto da recente esposa”).
lábios da virgem o beijo que ali se espanejava5. c) a noite tinha sido apenas um sonho vívido
– Os beijos de Iracema são doces no sonho; o proporcionado pela ingestão da droga (“a
guerreiro branco encheu deles sua alma. Na vida, virgem, unida a seu coração, cuidou que o
os lábios da virgem de Tupã amargam e doem como sonho continuava...”): o defloramento de Iracema
o espinho da jurema. só ocorreria de fato quando da concepção de
A filha de Araquém escondeu no coração a Moacir.
sua ventura. Ficou tímida e inquieta como a ave d) a sutileza com que a cena é narrada impede que
que pressente a borrasca no horizonte. Afastou-se se saiba se a relação sexual de fato ocorreu,
rápida e partiu. fazendo prevalecer a ideia inicial do leitor sobre
As águas do rio banharam o corpo casto da a índia, caracterizada sem erotismo, como ocorre
recente esposa. nas típicas heroínas românticas.
Tupã já não tinha sua virgem na terra dos e) a virgindade, tomada em sentido simbólico de
tabajaras. integração com a natureza, só é “perdida” pela
definitiva aliança com a civilização, representada
(José de Alencar, "Iracema".)
pela concepção de um filho mestiço.
PORTUGUÊS - I ANO - PE-2 - MANHÃ - RESOLUÇÃO - ALFA - 3
teste 1 teste 4
Disciplina: Português Disciplina: Português
Nível: Ensino Médio Nível: Ensino Médio
Ano: 1ª série Ano: 1ª série
Bimestre: 4º Bimestre: 4º
Publicação: 2018 Publicação: 2018
Questão: múltipla escolha ( x ) dissertativa ( ) Questão: múltipla escolha ( x ) dissertativa ( )
Frente: 1 Frente: 1
Módulo: 70, 73, 76 Módulo: 77
Nível de dificuldade: fácil ( ) médio ( x ) difícil ( ) Nível de dificuldade: fácil ( ) médio ( ) difícil ( x )
Gráfico ( ) Imagem ( ) Mapa ( ) Gráfico ( ) Imagem ( ) Mapa ( )
Texto de apoio ( ) Texto de apoio ( )
Entendimento de texto ( ) Entendimento de texto ( )
Simulados: Simulados:
Enem ( ) Fuvest ( ) Unesp ( ) Unicamp ( ) Enem ( ) Fuvest ( ) Unesp ( ) Unicamp ( )
Área de conhecimento: Área de conhecimento:
Competência: Competência:
Habilidade: Habilidade:
Resolução comentada: ( ) Resolução comentada: ( )
Gabarito: ( x ) Gabarito: ( x )

teste 2 teste 5
Disciplina: Português Disciplina: Português
Nível: Ensino Médio Nível: Ensino Médio
Ano: 1ª série Ano: 1ª série
Bimestre: 4º Bimestre: 4º
Publicação: 2018 Publicação: 2018
Questão: múltipla escolha ( x ) dissertativa ( ) Questão: múltipla escolha ( x ) dissertativa ( )
Frente: 1 Frente: 1
Módulo: 70,73 Módulo: 71
Nível de dificuldade: fácil ( ) médio ( x ) difícil ( ) Nível de dificuldade: fácil ( x) médio ( ) difícil ( )
Gráfico ( ) Imagem ( ) Mapa ( ) Gráfico ( ) Imagem ( ) Mapa ( )
Texto de apoio ( ) Texto de apoio ( )
Entendimento de texto ( ) Entendimento de texto ( )
Simulados: Simulados:
Enem ( ) Fuvest ( ) Unesp ( ) Unicamp ( ) Enem ( ) Fuvest ( ) Unesp ( ) Unicamp ( )
Área de conhecimento: Área de conhecimento:
Competência: Competência:
Habilidade: Habilidade:
Resolução comentada: ( ) Resolução comentada: ( )
Gabarito: ( x ) Gabarito: ( x )

teste 3 teste 6
Disciplina: Português Disciplina: Português
Nível: Ensino Médio Nível: Ensino Médio
Ano: 1ª série Ano: 1ª série
Bimestre: 4º Bimestre: 4º
Publicação: 2018 Publicação: 2018
Questão: múltipla escolha ( x ) dissertativa ( ) Questão: múltipla escolha ( x ) dissertativa ( )
Frente: 1 Frente: 2
Módulo: 74 Módulo: 49,50
Nível de dificuldade: fácil ( ) médio ( ) difícil ( x) Nível de dificuldade: fácil ( ) médio ( ) difícil ( x )
Gráfico ( ) Imagem ( ) Mapa ( ) Gráfico ( ) Imagem ( ) Mapa ( )
Texto de apoio ( ) Texto de apoio ( )
Entendimento de texto ( ) Entendimento de texto ( )
Simulados: Simulados:
Enem ( ) Fuvest ( ) Unesp ( ) Unicamp ( ) Enem ( ) Fuvest ( ) Unesp ( ) Unicamp ( )
Área de conhecimento: Área de conhecimento:
Competência: Competência:
Habilidade: Habilidade:
Resolução comentada: ( ) Resolução comentada: ( )
Gabarito: ( x ) Gabarito: ( x )

PORTUGUÊS - I ANO - PE-2 - MANHÃ - RESOLUÇÃO - ALFA - 4


teste 7 teste 10
Disciplina: Português Disciplina: Português
Nível: Ensino Médio Nível: Ensino Médio
Ano: 1ª série Ano: 1ª série
Bimestre: 4º Bimestre: 4º
Publicação: 2018 Publicação: 2018
Questão: múltipla escolha ( x ) dissertativa ( ) Questão: múltipla escolha ( x ) dissertativa ( )
Frente: 2 Frente: 2
Módulo: 49, 50 Módulo: 48
Nível de dificuldade: fácil ( ) médio ( x) difícil ( ) Nível de dificuldade: fácil ( ) médio ( ) difícil ( x )
Gráfico ( ) Imagem ( ) Mapa ( ) Gráfico ( ) Imagem ( ) Mapa ( )
Texto de apoio ( ) Texto de apoio ( )
Entendimento de texto ( ) Entendimento de texto ( )
Simulados: Simulados:
Enem ( ) Fuvest ( ) Unesp ( ) Unicamp ( ) Enem ( ) Fuvest ( ) Unesp ( ) Unicamp ( )
Área de conhecimento: Área de conhecimento:
Competência: Competência:
Habilidade: Habilidade:
Resolução comentada: ( ) Resolução comentada: ( )
Gabarito: ( x ) Gabarito: ( x )

teste 8
Disciplina: Português
Nível: Ensino Médio
Ano: 1ª série
Bimestre: 4º
Publicação: 2018
Questão: múltipla escolha ( x ) dissertativa ( )
Frente: 2
Módulo: 51
Nível de dificuldade: fácil ( ) médio ( x ) difícil ( )
Gráfico ( ) Imagem ( ) Mapa ( )
Texto de apoio ( )
Entendimento de texto ( )
Simulados:
Enem ( ) Fuvest ( ) Unesp ( ) Unicamp ( )
Área de conhecimento:
Competência:
Habilidade:
Resolução comentada: ( )
Gabarito: ( x )

teste 9
Disciplina: Português
Nível: Ensino Médio
Ano: 1ª série
Bimestre: 4º
Publicação: 2018
Questão: múltipla escolha ( x ) dissertativa ( )
Frente: 2
Módulo: 48
Nível de dificuldade: fácil ( x ) médio ( ) difícil ( )
Gráfico ( ) Imagem ( ) Mapa ( )
Texto de apoio ( )
Entendimento de texto ( )
Simulados:
Enem ( ) Fuvest ( ) Unesp ( ) Unicamp ( )
Área de conhecimento:
Competência:
Habilidade:
Resolução comentada: ( )
Gabarito: ( x )

PORTUGUÊS - I ANO - PE-2 - MANHÃ - RESOLUÇÃO - ALFA - 5