Você está na página 1de 41

Unidade II

Língua e Cultura Latina

Profa. Márcia Selivon


A função sintática no caso dativo

O caso dativo apresenta função sintática de


objeto indireto.
Exs:
ƒ Ele narra a fábula para a menina
ƒ Carlos deu as flores à menina
menina.
ƒ Importante! o objeto indireto
complementa um verbo por meio de uma
preposição
Caso dativo (1ª declinação)

ƒ As palavras sublinhadas estão no caso


dativo.
ƒ Fabulam puellis narrat.
ƒ (Ele conta a fábula para as meninas).
Magistra pupam dat Silvae.
Silvae
ƒ (A professora dá a boneca à Silvia).
Caso dativo (segunda declinação)

As palavras sublinhadas estão no caso


dativo:
ƒ Magistra dictat fabulas domino.
ƒ (A professora dita as fábulas ao senhor)
ƒ Magistra dictat fabulas dominis.
dominis
ƒ (A professora dita as fábulas aos
senhores).
Terminações do caso dativo

1ª declinação:
ƒ Ae (singular) : puellae (à menina)
ƒ Is (plural) : puellis (às meninas)
2ª declinação:
ƒ O (singular):
( ) domino (ao
( senhor))
ƒ Is (plural): dominis (aos senhores)
Como distinguir casos
na mesma terminação?

Atenção à frase a seguir:


Magistra sententias poetae legit puellis.
Em que caso está a palavra poetae?
Opções:
ƒ genitivo singular
ƒ dativo singular
ƒ nominativo plural
Importante! a análise deve começar pelo
verbo
Análise para distinção de casos

ƒ Magistra sententias poetae legit puellis.


ƒ Narrat está no singular e requer um
sujeito singular (portanto poetae não
pode ser sujeito)
ƒ Poetae não p
pode ser dativo porque
p q já j há
a palavra puellis.
ƒ Assim, poetae só pode estar no genitivo
singular (do poeta).
A terceira conjugação
no presente do indicativo

Infinitivo: legere
ƒ (ego) lego (eu leio)
ƒ (tu) legis (tu lês)
ƒ (...) legit (ele lê)
ƒ (nos)
( ) legimus (nós
( ó lemos))
ƒ (vos) legitis (vós ledes)
ƒ (...) legunt (eles leem)
Recapitulação:
ƒ 1ª conjugação:
j ã amo, amas,amare
ƒ 2ª conjugação: video, vides, videre
ƒ 3ª conjugação: lego, legis, legere
Frases com verbos
na terceira conjugação

ƒ Magistra legit fabulam.


ƒ (A professora lê a fábula).
ƒ Discipulae legunt fabulas.
ƒ (As alunas leem as fábulas).
ƒ Legimus fabulas.
f
ƒ (Nós lemos as fábulas).
Interatividade

Assinale a alternativa que complete a frase


de acordo com o latim clássico
(caso dativo):
Magistra dictat sententias _______
a) Puella
b) Puellam
c) Puellas
d) Puelli
e) puellis
Poesia lírica: Horácio (65 – 8 a. C.)

ƒ Escreveu poemas líricos, didáticos.


Principal obra lírica:
ƒ Odes (Carmina): compõe-se de quatro
livros.
ƒ No último poema do terceiro livro
Horácio afirma que construiu um poema
mais duradouro que o bronze.
Temas na obra de Horácio

ƒ Juventude
ƒ Amor
ƒ Alegria da vida
ƒ Civismo
ƒ C
Carpe diem (colha
( o dia):aproveitar
) o
momento
ƒ Aurea mediocritas : elogio da moderação
e da simplicidade
ƒ Seus temas influenciaram outras obras
literárias.
A função sintática no caso ablativo

ƒ O caso ablativo corresponde à função


sintática de adjunto adverbial (de lugar,
de modo, de instrumento e outros).
ƒ Exs: A professora conta histórias sobre
a cidade.
ƒ O ator está no palco.
ƒ A menina brinca com as amigas
O caso ablativo

As palavras sublinhadas estão no caso


ablativo
1ª declinação
ƒ Puellae pila ludunt.
ƒ Puella mensam rosis ornat.
ornat
2ª declinação
ƒ Puellae ludunt amico.
ƒ Puellae amicis ludunt.
Terminações do caso ablativo

1ª declinação:
ƒ A (singular): pila (com a bola)
ƒ IS (plural) : rosis (com as rosas)
2ª declinação:
ƒ O (singular)
( ) : amico (com
( o amigo))
ƒ IS (plural ) : amicis(com os amigos)
O caso ablativo e as preposições

Importante!
Muitas vezes o ablativo é acompanhado de
preposição.
Exs:
ƒ In schola (dentro da escola)
ƒ De musica (a respeito da música)
ƒ Cum filio (com o filho)
ƒ Sub mensa (embaixo da mesa)
Recapitulaçao dos casos
já estudados

ƒ Nominativo: sujeito e predicativo do


sujeito
ƒ Acusativo: objeto direto
ƒ Genitivo: adjunto adnominal
ƒ Dativo: objeto indireto
ƒ Ablativo: adjunto adverbial
A quarta conjugação no
presente do indicativo.

Infinitivo : dormire
ƒ (ego) dormio eu durmo
ƒ (tu) dormis tu dormes
ƒ (....) dormit ele dorme
ƒ (nos)
( ) dormimus nós
ó dormimos
ƒ (uos) dormitis vós dormis
ƒ (......) dormiunt eles dormem
No dicionário esse verbo aparecerá assim:
dormio is,
dormio, is ire.
ire
Frases com verbos
da quarta conjugação.

ƒ Puella dormit.
ƒ (A menina dorme).
ƒ Puellae aviculas audiunt.
ƒ (As meninas ouvem os passarinhos).
ƒ Resumo das conjugações:
ƒ 1ª conjugação: -o, -as, are (cantare)
ƒ 2ª conjugação: eo, -es, -ere (vedere)
ƒ 3ª conjugação: -o, -is, -ere (legere)
ƒ 4ª conjugação:
j ã -io,
i -is,
i -ire
i (dormire)
(d i )
Interatividade

Assinale a alternativa correta em relação ao


uso do caso ablativo:
a) Puella ornat rosam mensam.
b) Puella ornat rosis mensam.
c) Puella ornat rosarum mensam.
mensam
d) Puella ornat rosae mensam.
e) Puella ornat rosas mensam.
Poesia lírica:
Ovídio (43 a. C. 17d. C)

Ovídio é um dos principais poetas da


literatura latina.
Obras mais importantes:
ƒ A arte de amar (“teoria da sedução”)
ƒ (Ars amatoria)
ƒ Metamorfoses (Metamorphoseon libri)
ƒ Origem dos seres como produtos de
metamorfoses
Características da obra de Ovídio

ƒ Erotismo
ƒ Amor
ƒ Elementos mitológicos
ƒ Descrições detalhadas
A conjugação mista
ou terceira/quarta do
presente do indicativo
Essa conjugação apresenta elementos da
terceira conjugação e da quarta
conjugação.
Infinitivo: capere
ƒ ((ego)
g ) capio
p eu p
prendo
ƒ (tu) capis tu prendes
ƒ (....) capit ele prende
ƒ (nos) capimus nós prendemos
ƒ ((uos)) capitis
p vós p
prendeis
ƒ (......) capiunt eles prendem
Frases com verbos
na conjugação mista

ƒ Accipio, -is, -ere (sofrer, receber)


ƒ Accipimus iniuriam.
ƒ (Sofremos uma injustiça)
ƒ Facio, -is, - ere (fazer, cometer)
ƒ Iniurias facit.
f
ƒ (Ele comete injustiças).
Função sintática no
caso vocativo

A função sintática no caso vocativo é a


interpelação ou chamamento.
Exs:
ƒ Carlos, entregue o relatório.
ƒ Meninas,
Meninas venham aqui.
aqui
O caso vocativo

As palavras sublinhadas estão no caso


vocativo:
1ª declinação
ƒ Iulia, labora.
ƒ Discipulae,
Discipulae scholam frequentate.
frequentate
2ª declinação
ƒ Serve , labora.
ƒ Servi, labora.
Terminações no caso vocativo

Primeira declinação:
ƒ A (singular): Iulia
ƒ AE (plural): discipulae
ƒ Segunda declinação:
ƒ E (singular):
( ) serve
ƒ I (plural): servi
O caso vocativo e o modo
imperativo (2 conjugações)

O vocativo requer os verbos no modo


imperativo:
1ª conjugação: (amare)
ƒ ama ama!
ƒ amate amai!
2ª conjugação: (vedere)
ƒ vide vê!
ƒ videte vede !
O caso vocativo e o modo
imperativo (3 conjugações)

3ª conjugação: (legere)
ƒ lege lê!
ƒ legete lede!
4ª conjugação: (dormire)
ƒ dormi dorme!
ƒ dormite dormi!
3ª/4ª conjugação : (capere)
ƒ (mista)
ƒ cape prende!
d !
ƒ capite prendei!
Interatividade

Assinale a alternativa correta quanto ao


caso vocativo:
a) Puellae, magistram amate.
b) Puellas, magistram amate.
c) Puellam,
Puellam magistram amate.
amate
d) Puellis, magistram amate.
e) Puellarum, magistram amate.
Plínio, o jovem- 62d.C- 113d.C.

ƒ Conhecido principalmente por suas


cartas e discursos.
ƒ Discípulo de Quintiliano:grande mestre
da Retórica.
ƒ Importante
p obra: Panegírico
g de Trajano.
j
Características:
ƒ Prolixidade
ƒ Excesso de elementos retóricos.
ƒ Menção
ç a aspectos
p importantes
p da vida
política da época.
O gênero neutro

Em latim, um substantivo pode ser


masculino, feminino ou neutro.
Importante!
ƒ A maioria das palavras da primeira
declinação
ç são do g gênero feminino.
ƒ A maioria das palavras da segunda
declinação são do gênero masculino.
ƒ Na segunda declinação também há
substantivos neutros.
O gênero neutro e os casos

Declinação da palavra exemplum, -i.


ƒ Nominativo: exemplum, exempla.
ƒ Acusativo: exemplum, exempla.
ƒ Genitivo: exempli, exemplorum.
ƒ Dativo: exemplo, exemplis.
ƒ Ablativo: exemplo, exemplis.
Importante!
ƒ Nominativo e acusativo: terminações
iguais.
iguais
ƒ Dativo e ablativo: terminações iguais.
Frases com o gênero neutro.

ƒ Iulia videt lilium.


ƒ (Júlia vê o lírio)
ƒ Lilium: acusativo singular
ƒ Puella statuam lilis ornat.
ƒ (A
( menina enfeita
f a estátua
á com os lírios)
í )
ƒ Lilis: ablativo plural)
Características do adjetivo

Adjetivos são palavras que fornecem


informações sobre um substantivo
Exs: Menina bonita.
Mar calmo.
Os adjetivos devem concordar com o
substantivo em gênero:
ƒ Menina bonita/ Menino bonito.
ƒ Os adjetivos devem concordar com o
substantivo em número:
ƒ Menina bonita/ Meninas bonitas.
Formas do adjetivo em latim

Em latim, os substantivos podem ser


femininos, masculinos e neutros.
Portanto:
ƒ Em latim, os adjetivos devem ter formas
femininas,, masculinas e neutras.
ƒ EX: bonus, bona, bonum (bom, boa)
Concordância do adjetivo
com o substantivo em latim

Importante!
Em latim, o adjetivo concorda com o
substantivo em:
ƒ Gênero (masculino ou feminino)
ƒ Número (singular ou plural)
ƒ Caso (nominativo, acusativo, genitivo,
dativo, ablativo, vocativo).
Declinação dos adjetivos
do primeiro tipo

Os adjetivos do primeiro tipo seguem a


primeira e a segunda declinação dos
substantivos.
EXS:
ƒ Bonus ((bom)) – é a forma masculina e
segue a primeira declinação em todos os
casos.
ƒ Bona (boa) - é a forma feminina e segue
a primeira declinação em todos os
casos.
ƒ Bonum (bom ou boa) – é a forma neutra
e segue a 2ª declinação neutra.
Concordância do adjetivo
e terminações das palavras

Importante!
ƒ Concordância não significa sempre
terminação idêntica do substantivo e do
adjetivo:
ƒ Magistra bona (terminação idêntica)
ƒ (A boa professora)
ƒ Magistra: palavra feminina da 1ª
declinação.
ƒ Poeta bonus (terminação diferente)
ƒ ((O bom ppoeta))
ƒ Poeta: palavra masculina da 1ª
declinação.
Interatividade

Com relação à frase Bona magistra Iuliam


amat, pode-se afirmar que:
a) O adjetivo bona concorda com magistra
apenas em número e caso.
b)) Iuliam é sujeito
j porque
p q está no
acusativo.
c) Magistra concorda com Iuliam em
gênero e caso.
d) O adjetivo bona deveria estar no plural.
e)) O adjetivo
dj ti bona
b está
tá no caso
nominativo.
ATÉ A PRÓXIMA!