Você está na página 1de 4

CEP SENAI “Lindolfo Collor” FOLHA: 01/04

TECNOLOGIA MECÂNICA NOME: ______________

Professor: Alcir AFIAÇÃO TURMA: _____________

FERRAMENTAS DE CORTE
As ferramentas são construídas de materiais que lhes ofereçam elevadas durezas o que lhes
permitem cortar materiais de durezas inferiores. Há, porém outro aspecto de grande importância
na sua construção que são os ângulos que formam a cunha de corte, os quais determinam a
geometria de corte. Vejamos então o que nos representa a figura abaixo:

Efeito da Cunha
α = ângulo de incidência ou de folga
Ângulo de Cunha
Saída do Cavaco β =ângulo de cunha
Sentido de Corte Face de Incidência

Face Usinada γ = ângulo de saída

- ÂNGULO DE INCIDÊNCIA (α)

O ângulo de incidência depende de dois fatores :


a) Resistência da matéria-prima de que é feita a ferramenta.
b) A resistência do material da peça.

Obs: Para materiais duros, α deve ser pequeno. Para materiais moles, α deve ser maior.

- ÂNGULO DE CUNHA ( β )

O ângulo de cunha para corte de materiais duros deverá ser aumentado, assim conseguimos:
a) Ferramentas mais resistentes ao desgaste.
b) Aumento do tempo de vida útil das ferramentas.
c) Maior dissipação do calor.

- ÂNGULO DE SAÍDA ( γ )

O ângulo de saída foi criado para facilitar a saída do cavaco, mas este irá depender da :
a) resistência e dureza do material;
b) quantidade de calor gerado pelo corte;
c) área de seção do cavaco.

Isto quer dizer que: materiais duros γ menor

 materiais moles γ maior


CEP SENAI “Lindolfo Collor” FOLHA: 02/04
TECNOLOGIA MECÂNICA NOME: ______________

Professor: Alcir AFIAÇÃO DE FRESAS TURMA: _____________

ÂNGULO DE CORTE DAS FRESAS

Ângulo
Frontal

Ângulo
de Saída

Material a trabalhar Ângulo de saída Ângulo de folga


Alumínio e ligas macias 23 a 28º 8 a 10º
Alumínio e ligas duras 15º 7 a 8º
Ferro fundido cinzento 10º 6º
Aço 40 a 45 kg/ mm2 18º 7 a 8º
Aço 50 a 60 kg/ mm2 15 a 16º 7º
Aço 65 a 75 kg/ mm2 10º 6º
Aço 80 a 9 kg/ mm2 8º 5º
Bronze duro e latão 7 a 8º

ÂNGULOS DAS BROCAS

α =ângulo da ponta
β = ângulo de ataque
γ = ângulo de folga
CEP SENAI “Lindolfo Collor” FOLHA: 03/04
TECNOLOGIA MECÂNICA NOME: ______________

Professor: Alcir AFIAÇÃO TURMA: _____________

ÂNGULOS DAS BROCAS CONFORME O MATERIAL A SER FURADO

Ângulo normal 118º Ângulo de ponta 80º Broca com ponta de 140º Broca com ponta de 140º

Para serviços variados, Para materiais moles, Para aços muito duros, Para lâminas metálicas,
oficinas de manutenção ou borracha dura ou fibra aços manganês (7 a 13%), chapas.
oficinas pequenas. trilhos e materiais duros

Aço forjado
Aço Cementado Latão e Bronze Ligas de Alumínio e Cobre Ligas de Magnésio e
Ferro Fund. Cinzento Zamag
Ang. Saída 20 a 30º Ang. Saída 10 a 15º Ang. Saída 35 a 40º Ang. Saída 35 a 40º
Ang. Folga 12 a 15º Ang. de folga 15º Ang. de folga 12º Ang. de folga 10º

Tipos
De
Brocas

Mármore, Plástico e
Material a Furar Baquelite
Borracha Fibra, Ebonite e Madeira
Ang. de saída 15º
Ângulos de Trabalho Âng. De folga 12º
CEP SENAI “Lindolfo Collor” FOLHA: 04/04
TECNOLOGIA MECÂNICA NOME: ______________

Professor: Alcir AFIAÇÃO TURMA: _____________

AFIANDO BROCAS HELICOIDAIS

PROCESSO DE EXECUÇÃO

Após ligar o moto esmeril, segure a broca em


posição e aproxime-a do rebolo.
1º Passo
Precaução: Todos os trabalhos executados
com rebolos implicam na necessidade de
proteger os olhos.

Empunhe a broca com o gume na posição


2º Passo horizontal.

Afie um dos gumes. Encoste a broca no rebolo


observando as inclinações convenientes.
Conforme representado na figura 2
3º Passo A– Inclinação para obter o ângulo da ponta
B- Inclinação para obter o ângulo de folga

Gire a broca com movimento cujo eixo de


rotação seja o seu gume.
4º Passo Verifique o ângulo da broca usando verificador
ou transferidor

Afie o próximo gume seguindo a seqüência


anterior.
5º Passo
Observação: Verifique com instrumentos o
ângulo de ponta e o comprimento das arestas
com freqüência.

1 - Ângulo de ponta com goniômetro


2 - Aresta de corte com gabarito graduado