Você está na página 1de 3

BRIGADA LIGEIRA ESTELAR BRIGADA LIGEIRA ESTELAR

Um pouco de história
Uma jornada Sendo bem direto: robôs gigantes surgiram para ge- Clichês típicos
pela história rar brinquedos. Havia uma ênfase no desenvolvimento
tecnológico e industrial como o caminho para reconstruir
O conceito do real robot (em contraponto ao
super robot), poderia ter sido mais radical logo no
do gênero o Japão após a Segunda Guerra Mundial. Obras es-
trangeiras como a série Thunderbirds (até hoje adorada
berço. Yoshiyuki Tomino queria algo mais, digamos,
“realista”, mas os produtores temiam uma rejeição
no Japão) foram cruciais para a construção desse novo dos garotos, acostumados com robôs de cem metros
imaginário, além de uma relação cultural já antiga com com armas absurdas. O resultado foi um meio-termo
a figura do autômato (digite karakuri ningyô no Google), entre os conceitos sci-fi “sérios” e os super-robôs.
somada a um animismo de origem xintoísta, agregando Essa foi a melhor coisa a ter acontecido. O “real”
espíritos a elementos estáticos da natureza. do real robot é bem relativo, e termos como “super”
Tudo isso se combinou na virada dos anos 50 para e “real” não chegam a delimitar tons de história
os 60. As empresas de brinquedos precisavam vendê-los ou definir o nível de poder usado nessas séries. É
e tinham na ficção (quadrinhos, seriados e, mais tarde, possível haver super-robôs pé-no-chão e real robots
animações) seu melhor garoto propaganda. Mas o Japão capazes de feitos incríveis com armas mirabolan-
tes. Não há uma fronteira discernindo plenamente

^
ainda não possuía tecnologia para produzir bonecos bem
acabados. As empresas japonesas precisavam competir os dois lados. Mas há clichês recorrentes — e eles
com o produto estrangeiro, mas seu produto era de segun- são parte da diversão.

Robos Gigantes
da. Como solucionar o problema sem encarecer demais os • U-huuu, Maneiro: não se incomode ao
brinquedos para seu público?
Robôs foram a resposta. Por ver um robô de dezoito metros fazendo piruetas
serem essencialmente geométricos, seu acabamento era em combate. Desde que os absurdos sejam espe-
mais simples de ser executado industrialmente. As cores taculares a ponto de fazer o espectador levantar
primárias da maioria deles também não eram gratuitas: da cadeira e gritar de empolgação, o limite da

em jogo
são as cores mais baratas na fabricação de plásticos. Logo, suspensão de descrença se torna bem alto. Robôs
começaram a surgir mangás com robôs comandados à gigantes são, antes de tudo, estilo.
distância por garotos de calças curtas (como os clássicos • O Protótipo/Robô Especial: num cenário
Robô Gigante e Homem de Ferro 28). Isso só mudaria onde os robôs são fabricados industrialmente, eles
Brigada Ligeira Estelar (o cenário futurista Wing, Vandread, Nadesico e Patlabor. Não é como se em 1972, com a série Mazinger Z, de Go Nagai. Pela
estivéssemos de fora disso tudo. tendem a ser... bem, iguais. Mas diferenciar o robô
de 3D&T, para quem chegou agora) foi primeira vez, um robô era pilotado. A luta não era mais do protagonista é crucial. Para isso, o truque mais
inspirado na sci-fi japonesa — notadamente Soa… hum, velho mencionar essa ficha corrida, mas à distância. O robô gigante já era um personagem em si, usado é o do protótipo — um robô inovador, com
robôs gigantes, naves espaciais de grande o gênero não é artigo de nostalgia! Várias séries de mas o piloto — você, espectador — era a alma do robô, vantagem sobre os demais. Geralmente ele é en-
porte com canhões de energia na proa e robôs gigantes saem todo ano no Japão, e há conteúdo pronto para humanizá-lo aos espectadores. contrado ao acaso pelos protagonistas. Entretanto,
intrigas palacianas. acessível (e bom!) em português: na Netflix, temos Ro- o robô pode ser cedido a eles, secretamente, para

E
botech com legendas em português, Knights of Sidonia
sses elementos foram fruto de muita pesquisa, a par-
tir de suas origens, para gerar um universo no qual (cujo mangá está saindo pela editora JBC), Kuromukuro e A ascensão uma missão especial…
• Inimigos Humano(ide)s: em nome da
diferentes aspectos do gênero pudessem se encaixar. a sensacional nova versão de Voltron. Além disso, o site
de streaming japonês Daisuki.net está disponibilizando
dos super robôs identificação e do fator folhetinesco, raramente os
Alguns elementos soaram excêntricos para algumas inimigos são alienígenas demais. Em geral, são
oficialmente Gundam: the Origin, Mobile Suit Gundam Com isso, os robôs gigantes deixaram de ser um
pessoas, como a ambientação com elementos de época. humanos, ou alienígenas com aparência humana
Unicorn e Gundam: Iron Blooded Orphans — para várias conceito e se tornaram um gênero. Dezenas de estúdios,
Mas nada surgiu do nada. Afinal, animações sci-fi japo- e algum diferencial cosmético (como cores exóticas
línguas, inclusive com legendas em português! Opções atrás da lucratividade do filão, inundaram a televisão
nesas com e sem robôs gigantes como Patrulha Estelar, de cabelo e pele — ou detalhes mínimos, como
oficiais para experimentar o gênero não faltam! japonesa com robôs de cem metros lutando, super-he-
Robotech ou Saber Rider foram exibidas por aqui nos chifres e orelhas pontudas).
roicamente, contra impérios espaciais conquistadores.
anos 80 e 90 — ou lançadas em VHS como Comando Por essa razão, vamos falar um pouco sobre robôs
Mazinger Z e suas continuações (como Great Mazinger e Continua...
Dolbuck (Dorvack no original). Na década seguinte, na gigantes como gênero. Mergulhar em sua história e refe-
UFO Grendizer) se espalharam por boa parte do mundo.
televisão por assinatura, tivemos Macross Plus, Gundam rências. Ponham seus capacetes e apertem os cintos.
BRIGADA LIGEIRA ESTELAR BRIGADA LIGEIRA ESTELAR

Até a chegada de Tadao Nagahama, as séries eram como levou os robôs para diferentes gêneros, da fantasia
• Twóóón! Pew! Pew! Pew!: a presença formulaicas: os heróis enfrentavam os vilões e voltavam para os esportes, da space opera descabelada para a • En Garde, Dogfight!: ou “Barão Vermelho
de sabres de luz e pistolas/fuzis de energia não é para casa. Nagahama criou, nos anos setenta, as séries ficção científica hard… E de quebra trouxe muitos clichês versus Top Gun”. Um jovem e intempestivo piloto,
gratuita. Star Wars marcou o DNA do gênero. Combattler V, Voltes V e Tosho Daimos. O conjunto dessa fundamentais para a animação japonesa — clichês im- preferencialmente em seu primeiro combate, der-
• Aristocratas Europeus do Espaço: um obra seria lembrado como a Trilogia do Romance dos possíveis de se ignorar nos RPGs quando há um sistema rota o grande ás inimigo —  e ele, orgulhoso, irá
legado da trilogia de Nagahama —  e de uma Robôs. Pela primeira vez no gênero, havia evolução de de jogo, no Brasil, inspirado justamente nas animações e vingar sua honra a qualquer custo. Aguardaremos
influência europeia na modernização cultural do personagens e de trama. Nagahama, nas suas próprias quadrinhos nipônicos. o grande duelo no final.
Japão ao longo do Século XX. Trajes de época palavras, pretendia contar histórias dramáticas com foco • Falando a Gente NÃO se Entende: em
em conflitos humanos e empatia com os personagens,
europeus em cenários e naves futuristas são opcio-
nais, mas comuns. Nem Macross escapou dessa por trás dos feitos extraordinários desses robôs gigantes. Robôs gigantes geral, pilotos inimigos parecem ligar seus comu-
nicadores e trocar longas e dramáticas conversas
Paralelamente a tudo isso, muitos dos futuros criadores do
(no recente Macross Delta).
gênero eram vorazes leitores de ficção científica — e ela e duelos de sabre antes e durante os combates em seus robôs. Nin-
guém sequer pensa em acertar um tirambaço neles
• Mulheres na Ponte de Comando: outra começou a mostrar força. Blockbusters televisivos como Para quem chegou agora, Brigada Ligeira Estelar
cria de Macross espalhada por todo o gênero. Nes- nessas horas, pode ter certeza!
Patrulha Estelar e Capitão Harlock —  além do sucesso é um cenário de space opera e robôs gigantes criado
ses casos, o capitão costuma ser o único homem na de Star Wars em 1977 — abriram caminho para essas para o sistema 3D&T, inspirado nos trends particulares • Upgrade!: como sabemos, robôs gigantes
ponte de comando. Não é uma regra escrita em influências. E em 1979, elas colidiriam em Mobile Suit da ficção científica japonesa. Aqui, os jogadores são no Japão existem para gerar brinquedos. Uma
pedra, entretanto. Gundam, de Yoshiyuki Tomino. habitantes da Constelação do Sabre, lar de um im- série de sucesso pode prosseguir, mas quem iria
• É Space OPERA!: novamente, uma herança pério espacial (a Aliança Imperial do Sabre), e seus comprar aqueles modelos já o fez. A solução é
capa-e-espada de Nagahama incrustada no nas- personagens comandarão robôs gigantes. Sua missão, deixar os robôs dos protagonistas em pedaços no
cente real robot. O folhetim é seu amigo! Paixões O robô “real” como membro do Corpo de Guarda da Brigada Ligeira meio da trama e reconstruí-los com visuais novos.
proibidas, segredos do passado tirados da cartola, Estelar — ou outro tipo de aventureiro — é proteger as Os personagens ficarão mais poderosos — e os
Com Gundam, sai de cena a luta-livre semanal dos
reviravoltas…“Relena, você é a princesa desapare- pessoas comuns da constelação e defender um projeto executivos terão novos brinquedos para vender!
robôs com cem metros de altura e entram robôs menores,
cida do Reino de Sanc!” na faixa dos vinte metros de altura, comandados por de justiça para a humanidade, ameaçado tanto por in- • Compartilhe seu Clichê: Os ases masca-
• É SPACE Opera!: sempre há uma linha de pilotos de combate em tramas contínuas de space ope- vasores interestelares quanto por nobres conspiradores rados de Gundam e as cantoras superpoderosas
trama reforçando o aspecto da ficção científica. Dos ra. Tomino não apenas estabeleceu a sci-fi militar como e milícias radicais. de Macross são marcas registradas de suas res-
Newtypes em Gundam às bactérias alienígenas em o padrão do gênero, como também agregou muito do Temos tempestades de mísseis, pistolas e espadas de pectivas franquias, mas isso não os impediu de
Macross Frontier, o sci-fi não se limita aos robôs melodrama e do capa-e-espada aristocrático de Nagah- energia, intrigas de nobreza, drama, romance, aventu- serem conceitualmente apropriados por diferentes
gigantes e naves. ama. Isso se aprofundaria com a transformação da série ra, combates espaciais (sim, incluindo a nave enorme criadores em outras séries. Caso surja um novo
em franquia, trazendo consigo herdeiros aristocráticos com um canhão de energia na proa) e, principalmente, conceito, ele sempre se multiplicará. Basta lembrar
• Mísseis. Muitos Mísseis: Baterias de mís- dos malditos personagens deprimidos gerados por
desaparecidos, regentes depostos por usurpadores, intri- robôs gigantes duelando ferozmente uns contra os ou-
seis são disparadas em massa. Partindo de ângulos Neon Genesis Evangelion…
gas políticas nos bastidores e orgulhosos ases inimigos tros. Conceitos remetentes, sim, ao capa e espada, mas
improváveis, fazendo todos os tipos de curvas pelo
em uniformes prussianos. Essa influência é parte dos inspirados nas próprias origens do gênero, tan- • Malhação 90210: dentro daquela grande
caminho e subitamente alterando sua rota para
elementos formadores do gênero. Séries atuais to por seus precursores como a Trilogia de Nagahama nave com uma enorme arma de energia empres-
atingir seus alvos — deixando, é claro, um rastro
como Code Geass e Aldnoah Zero mostram esse DNA e Patrulha Estelar, quanto por suas obras definidoras tada de Patrulha Estelar, sempre teremos pilotos
de energia, fumaça ou qualquer coisa. É visual
o tempo todo. — como Gundam e Macross — e obras atuais. De ases de robôs gigantes jovens, bonitos e de ambos os
puro, mas faz parte do show.
Além disso, a importância do piloto como personagem mascarados a cantoras, há de tudo na Constelação sexos, com os hormônios à solta. Junte dois mais
• Pilar Genérico do Cenário: serve para do Sabre: trajes de época coexistem com tecnologias dois. Ah, sim: isso também explica os trajes espa-
mudou: antes, sua função era humanizar o robô gigante
explicar todo assunto acima de qualquer explica- futuristas; uma guerrilha com naves enormes pode estar ciais colantes…
por ele comandado. Na nova ordem, o piloto passou a
ção. “Essas (insira qualquer coisa) foram obra da disposta a devastar a superfície de um planeta enquanto
ser o foco principal. A série Macross foi fundamental ao Continua...
protocultura, e por isso são capazes de (insira seu a filha de um duque sofre por estar dividida entre dois
enfatizar um triângulo amoroso em meio a uma guerra es- (Não, brincadeira, acabou
evento cientificamente impossível).” Pode vir em pilotos inimigos, lutando em lados opostos; um piloto es-
pacial — além de adicionar modernidade pop à mistura. por aqui mesmo)
forma pseudocientífica: “Insira as partículas Plavsky treante pode vencer o maior ás inimigo em sua primeira
Assim como Gundam, Macross se tornou uma franquia
e mexa o seu bonequinho.” batalha — e este buscará revanche a qualquer custo; os
de peso no Japão, envolvendo robôs gigantes, música e
Continua... triângulos amorosos.
 E claro, o real robot estabeleceu não códigos de honra de um único homem, no lugar e hora
apenas criadores importantes para animação japonesa, errados, podem alterar de vez o curso de uma guerra.
BRIGADA LIGEIRA ESTELAR BRIGADA LIGEIRA ESTELAR

de buracos negros, capazes de destruir armadas espa- do regras novas (inclusi-


Alguns robôs “vintage” ciais inteiras. Esse grau de ameaça é possível em Brigada
Ligeira Estelar.
ve de combate em mas-
sa), dicas, arquétipos
Muita gente olha torto para séries antigas, com animações rústicas para os padrões de hoje. Injustiça. Alguns de personagens e dis-
Tudo isso tendo como pano de fundo um império que
clássicos são obrigatórios para se entender a alma do gênero — e mesmo obras não tão clássicas podem cutindo melhor o gêne-
luta para sobreviver em diversas frentes… e claro, com
introduzir elementos interessantes (além de divertir muito). ro para o melhor apro-
muitos robôs gigantes lutando entre si.
Voltes V: sim, é uma série episódica de super-robôs dos anos 70. Tem de tudo: drama familiar, melodrama, veitamento dele em sua
tramas nobiliárquicas, usurpadores no trono, reviravoltas, duelos de espadas… Os onze primeiros episódios têm campanha.
altos e baixos, mas depois disso você não desgrudará até o final! Procurando Também há muito
Gundam F91: a franquia Gundam começou em 1979 e sua animação pode assustar algumas pessoas. material de apoio no
Esse longa de 1991 talvez seja uma porta de entrada mais acessível para o universo, trazendo a luta contra uma por aventuras site da Jambô —  in-
milícia disposta a conquistar colônias espaciais para forjar uma nova nação. Por ser um longa para cinema, tem Brigada Ligeira Estelar já tem cinco livros no sistema cluindo a aventura em
a melhor animação dessa lista. 3D&T. O livro básico apresenta o cenário e traz uma quatro partes A face de
aventura pronta, A serviço da Princesa Regente. Stéphanos.
Robotech: alienígenas em guerras infinitas nas quais somos pegos no fogo cruzado, mulheres na ponte de
comando, pilotos de caças tranformáveis em robôs gigantes — e cantoras pop! Robotech, na verdade, é um Em seguida, temos os dois volumes de A Constela- Então, é hora de se
combo de três séries japonesas (o obrigatório Macross, o divertido Mospeada e… bem… Southern Cross). Como ção do Sabre, que detalham os mundos (e o espaço), debruçar nos mapas es-
está à disposição na Netflix, está aqui no lugar do Macross original (um clássico, já exibido no Brasil sob o nome destrinchando o cenário, trazendo kits de personagem e telares e acionar o hi-
de Guerra das Galáxias). oferecendo ganchos de aventura para suas campanhas. persalto em sua nave.
Temos uma nova escala
Por fim, temos a longa aventura Belonave Supernova, em nossa jornada.
igualmente dividida em dois volumes e estruturada como
Inspirações e relações a guerra ainda está em um nível moderado, como Arka-
di. Prefere os aspectos mais românticos no gênero, reme- um anime de robôs gigantes em 26 episódios, trazen- Alexandre Soares
A Constelação do Sabre procura refletir a amplitu- tendo aos conceitos de Nagahama em um contexto de
de do real robot como um todo. Todos os locais real robot? Annelise é seu lugar! Uma campanha
da Constelação vieram conceitualmente de
algum lugar, permitindo a coexistên-
violenta inspirada em animações dos anos 90
como M.D. Geist? Leve os persona-
E alguns robôs deste século
cia de vários tons de campannha gens para os enclaves devas- Ao contrário do que possa parecer, o gênero nunca saiu do mapa. Todo ano novas séries saem no Japão (e
no cenário. Seus jogadores tados de Ottokar. Uma muito eventualmente, fora dele).
buscam algo similar a Gun- campanha de guer- Gundam — Iron Blooded Orphans: Gundam nunca desapareceu como franquia, e praticamente todo
dam, com confrontos e ra? Leve-os para Vil- ano traz uma nova série para a televisão. Esta é a mais recente e está em exibição, envolvendo uma milícia
reviravoltas políticas? laverde. Campanhas de jovens mercenários a serviço de uma líder política, lutando pela independência de um planeta Marte sob
Jogue-os contra mili- envolvendo os aspec- terraformação. Uma das melhores obras feitas para a marca nesta década.
cianos em Forte Mar- tos mais científicos Knights of Sidonia: a Terra foi destruída pelos alienígenas gauna e a humanidade está espalhada pelo es-
tim, ou envolva-se do gênero? Moretz paço em grandes naves protegidas pelos gardes, robôs gigantes pilotados por uma guarda de jovens conhecidos
nas complexas re- e Altona podem ofe- como guardiões. Trazendo ao gênero um espírito de ficção científica simultaneamente hard e trans-humanista, os
lações entre dife- recer isso. E quan- quadrinhos saem no Brasil pela editora JBC e a animação está sendo exibida na Netflix.
rentes planetas. to a campanhas es-
Prefere a aborda- paciais… bem, no Code Geass: em uma linha de tempo alternativa na qual um tirânico império britânico conquistou boa parte
gem de Macross, final da terceira da Terra, um jovem nobre injustamente destitulado decide se vingar, destruindo o império com o uso de uma arma
onde o sci-fi cor- temporada de Pa- misteriosa conhecida como Geass. Um dos maiores sucessos do gênero na última década.
re paralelamente trulha Estelar, o Voltron, o Defensor Lendário: sensacional remake da série oitentista Voltron, executado pela equipe de
ao romance e hu- último oponente Avatar: a Lenda de Aang. Mesmo sendo tecnicamente um super-robot, ele é executado em grande parte pela
mor? Deixe-os em em seu caminho régua do real robot, com foco nos pilotos como personagens e mais uso prático dos robôs-leões menores em si.
Albuquerque ou Cavaleiros regenciais
era uma nave com O super-robô Voltron aparece de forma mais ponderada. Novamente, na Netflix.
em um mundo onde da Constelação do Sabre
canhões geradores

Interesses relacionados