Você está na página 1de 27

Curso sobre Medição Fasorial

Teoria e Prática

Teoria de Sincrofasores
Prof. I. C. Decker - LabPlan / UFSC

08-09/11/2007
Escopo

‰ Definição e Cálculo de Fasores

‰ Sincrofasores e Sincronização

‰ Cálculo prático de fasores


‰ PMU

2
Definição de Fasor

‰ O fasor é um número complexo associado a um sinal senoidal


em regime permanente
‰ O módulo do fasor é igual ao valor eficaz do sinal e o ângulo de
fase é a fase da onda para t=0

⎧ x(t ) = X m cos(ω0t + φ ) ⎫
⎪ ⎪ ⇔ X∠φ
⎨ Xm ⎬
⎪ onde X = ⎪
⎩ 2 ⎭

3
Cálculo de Fasores

‰ Realizado, em geral, a partir do cálculo da Transformada Discreta de


Fourier (DFT - Discrete Fourier Transform), após a conversão A/D
(analógico/digital), das grandezas tensão e corrente.
‰ A DFT extrai a componente fundamental do sinal.
‰ Fasor:
2 N ⎡ 2π 2π ⎤
X r + jX i = ∑ xk ⎢
N k =1 ⎣
cos( k
N
) − j sin( k )⎥
N ⎦

X = X r2 + X i2

Xi
φ = − arctan
Xr

NNééoonúmero
númerode
deamostras
amostras Fonte: Phadke
4
Cálculo de Fasores
‰ Freqüência fora da Nominal – Vazamento Espectral:
¾ O cálculo de fasores para freqüências fora da nominal gera um erro
acumulativo conhecido como vazamento espectral.
a) Freqüência nominal

b) Freqüência fora da nominal

5
Cálculo de Fasores
‰ Freqüência fora da nominal – Determinação do Ângulo:
¾ Considere a figura:
{T0 , 2T0 , 3T0 , ... , nT0 , ...}

{T0 , 2T0 , 3T0 , ... , nT0 , ...}

¾ Para uma senóide observada nos intervalos


tem-se a representação fasorial {X0, X1, X2, X3,...}
Se o intervalo de observação T0 não for um múltiplo inteiro de T = f
1
¾
o fasor observado terá magnitude constante e o ângulo irá variar à
taxa de 2π ( f − f 0 ) / T0 , onde f o = 1To
6
Sincrofasores
‰ Definição:
¾ Dado o sinal x(t ) = X m cos(2π ft + φ ) ;
¾ A representação do sincrofasor X do sinal x(t ) é o número
complexo dado por:

X = X r + jX i = ( Xm / 2)e jφ = Xm / 2(cos φ + j sin φ )

¾ Xm/ 2 é o valor rms do sinal x(t ) na freqüência instantânea;


¾ φ é o ângulo de fase instantâneo relativo à cossenóide de
freqüência nominal sincronizada pelo UTC (Universal Time
Coordinated).

AArepresentação
representaçãodo
dofasor
fasorééindependente
independenteda
dasua
suafreqüência.
freqüência.
7
Sincrofasores
‰ Definição (cont.):
¾ O ângulo é definido como 0° quando o valor máximo de x(t)
ocorrer no mesmo instante do PPS, e -90° quando o cruzamento
positivo ocorrer no pulso do UTC

8
Medição de Sincrofasores
(Aplicação à Rede Elétrica)

‰ Fasores calculados em instalações geograficamente


distantes usando-se a mesma referência de tempo


Hánecessidade
necessidadede
deuma
umareferência
referênciatemporal
temporalúnica
única--Sincronização!
Sincronização!
Tarefa
Tarefanão-trivial:
não-trivial:Envolve
Envolvegrandes
grandesdistâncias
distânciaseealta
altaprecisão
precisãotemporal
temporal
9
Sincronização
‰ Requisitos da Fonte de Sincronização:
¾ Altamente confiável e precisa;
¾ A precisão temporal deve atender aos requisitos das
aplicações
‰ Estimativas para sistemas de 60 Hz:
¾ Erro temporal de 1μs Î erro de 0,021 graus
¾ Erro temporal de 1ms Î erro de 21,6 graus
‰ Fontes de Sincronização:
¾ GOES, GPS, GALILEO, GLONAS

OOGPS
GPSééatualmente
atualmenteooúnico
únicosistema
sistemacom
comdisponibilidade
disponibilidadeeeprecisão
precisão
suficiente
suficientepara
paraSPMS.
SPMS.
10
Sistema GPS

‰ 24 Satélites
‰ Tempo de órbita:
¾ 12 horas
‰ Visibilidade:
¾ 5 a 8 unidades de qualquer lugar
e a qualquer tempo
‰ Sinais:
¾ Posição
‰Velocidade
¾ Tempo (1 PPS) GPS Nominal Constellation
24 Satellites in 6 Orbital Planes
‰ Precisão: 4 Satellites in each Plane
¾ Horizontal: 22 m. 20,200km Altitudes, 55 Degree Inclination

¾ Vertical: 27.7 m.
¾ Temporal: ≈100 nanosegundos
11
Sistema GPS
‰ Aspectos Técnicos:
¾ Os sinais de 1 PPS chegam ao receptor GPS
em tempos ligeiramente diferentes devido a
diferença de distâncias entre os satélites
¾ As distâncias são determinadas estimando-se o tempo
gasto pelo sinal para alcançar o receptor
¾ Estimada a distância de pelo menos 4 satélites, é possível
calcular a sua posição em 3 dimensões
¾ Conhecida a posição é possível calcular o atraso de
propagação de cada satélite com elevada precisão

Método
Métodousado
usadopara
parasincronizar
sincronizaroorelógio
relógiodo
doreceptor
receptorGPS
GPScom
comoorelógio
relógiodos
dossatélites.
satélites.

12
Sistema GPS
‰ Aspectos Técnicos (cont.):

¾ Modelo Matemático:
( X 1 − U X ) 2 + (Y1 − U Y ) 2 + ( Z1 − U Z ) 2 = ( R1 − CB ) 2
( X 2 − U X ) 2 + (Y2 − U Y ) 2 + ( Z 2 − U Z ) 2 = ( R2 − CB ) 2
( X 3 − U X ) 2 + (Y3 − U Y ) 2 + ( Z 3 − U Z ) 2 = ( R3 − CB ) 2
( X 4 − U X ) 2 + (Y4 − U Y ) 2 + ( Z 4 − U Z ) 2 = ( R4 − CB ) 2

Onde:
X 1...4 , Y1...4 , Z1...4 : coordenadas dos satélites
R1...4 : distância satélite - receptor
U X ,Y , Z : posição do usuário
C B : tempo

13
Sincronização em Instalações
‰ Distribuição do sinal de sincronismo:
¾ Visa sincronizar diversos equipamentos de uma mesma instalação
¾ O padrão IRIG-B do grupo IRIG (American Inter Range Instrument
Group) é o mais utilizado em sistemas elétricos

‰ Formato do sinal IRIG-B:


¾ Modulado:
» Utiliza sinal portador de 1kHz
» Fornece precisão típica de 1ms
Para
Paramaior
maiorprecisão
precisãooosinal
sinal
» Sinal robusto, atingindo maiores distâncias
IRIG-B
IRIG-Bmodulado
moduladopode
podeser
ser
¾ Demodulado:
acompanhado
acompanhadoporporum
umsinal
sinal
» Fornece precisão típica de 1ns
de
de11PPS,
PPS,exigindo
exigindo do
do
» Sensível a ruído
equipamento
equipamentoentradas
entradas
IRIG-B
IRIG-Beede
dePPS.
PPS.
14
Cálculo Prático de Sincrofasores
‰ Caso 1: Sinal de 60 Hz

15
Cálculo Prático de Sincrofasores
‰ Caso 2: Sinal de 59 Hz

16
Cálculo Prático de Sincrofasores
‰ Caso 3: Sinal de 57 Hz

17
Cálculo Prático de Sincrofasores
(Demonstrações)

‰ Sinal de 60 Hz

‰ Sinal de 61 Hz

‰ Sinal de 63 Hz

18
Comentários
‰ Sinal fora da freqüência nominal:
¾ Produz vazamento espectral
¾ Gera comportamento oscilatório para o módulo do fasor por fase
¾ Produz variação do ângulo de fase
¾ O comportamento oscilatório para o módulo do fasor e freqüência
instantânea é eliminado para fasores de seqüência positiva
¾ Diversas medidas podem ser implementadas para corrigir esse
erro e os resultados dependem da opção adotada

ÉÉessencial
essencialooestabelecimento
estabelecimentodedepadrões
padrõesde
dedesempenho
desempenhoeede
de
procedimentos
procedimentosdedeverificação
verificaçãode
deconformidades
conformidades

19
Cálculo Prático de Sincrofasores
Requisitos da Norma IEEE C37.118
‰ Módulo: valor eficaz do sinal para a freqüência instantânea
‰ Ângulo: deve atender aos parâmetros abaixo:

Sincrofasores de um sistema de 60Hz a uma taxa de 10 frames por segundo. 20


Etiqueta de Tempo do Fasor
‰ A etiqueta de tempo do fasor deve representar o tempo
do fasor teórico que o fasor estimado representa
¾ Corresponde ao tempo no centro da janela de amostragem
¾ Os erros de magnitude e fase devem ser compensados

Fonte: ONS
21
Unidade de Medição Fasorial Sincronizada
‰ PMU - Phasor Measurement Unit
– Composta por um receptor de sinal de GPS, sistema de aquisição
(filtro + módulo de conversão A/D), e um microprocessador
– Realiza a aquisição das tensões e correntes das barras e linhas
- Sistema GPS (1990)
– Processa os dados amostrados, - Precisão 0,021o
- Outros sistemas:
obtendo assim os valores INMARSAT e Galileu
Conversor A/D
complexos de tensão e corrente sincronizado
GPS

– Formata os dados obtidos pelo GPS


segundo um padrão (IEEE 1344,
IEEE C37.118)
GPS
Entradas
– Envia as medidas fasoriais Analógicas
Transdutor de
Comunicação
formatadas ao concentrador de
dados
Conversor
Filtro Microprocessador
A/D

DFT -
Discrete
Fourier
Transform
22
PMU – Requisitos de Desempenho
‰ Baseado no conceito de TVE (Total Vector Error)

( X r ( n) − X r )2 − ( X i ( n) − X i )2
TVE =
Xr − Xi

23
Análise do TVE
Erro devido ao tempo

TVE
TVE==1%
1%para
paraerros
errosde
desincronização
sincronizaçãode
de 26μs
±
26μs 24
Análise do TVE

Erro devido ao ângulo de fase Erro devido ao módulo

TVE
TVE==1%
1%para
paraerros
errosde
defase
fasede
de 0,57º
±
0,57º TVE
TVE==1%
1%para
paraerros
errosde
demódulo
módulo de
de 1%
±
1%
25
Comentários
‰ A norma IEEE C37.118 especifica os requisitos de
desempenho sem indicar os procedimentos de
verificação de conformidade.
‰ Há um grupo de trabalho no âmbito do projeto
EIPP/NASPI “Performance and Standards Task
Team - PSTT” definindo recomendações.
‰ Projeto SMF/ONS:
¾ Foram definidos procedimentos de ensaio de homologação
das PMU;
¾ Os ensaios deverão ser realizados por um único laboratório
escolhido em processo de licitação internacional.
26
Obrigado!

‹ Ildemar C. Decker

– Laboratório de Planejamento de Sistemas de Energia Elétrica – LabPlan


– Departamento de Engenharia Elétrica – EEL
– Centro Tecnológico – CTC
– Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC
– E-mail: decker@labplan.ufsc.br

27