Você está na página 1de 2

Distorção Explicação

Acredito que posso dizer o que as outras pessoas


estão pensando ou que elas sabem o que estou
Leitura mental pensando.

Exemplo: “Ele acha que sou boba”.


Posso prever o futuro, que as coisas vão piorar
ou que há perigo à frente. Assim, passo para
Previsão do futuro ou catastrofização toda sorte de conclusões precipitadas.

Exemplo: “Vou ser reprovado no vestibular”.


Fico imaginando “e se...” isto ou aquilo
Pensamento do tipo “e se...” acontecer... e raramente fico satisfeito com as
respostas.

Exemplo: “Sim, mas... e se eu ficar ansioso?”.


As minhas realizações não contam ou contam
pouco.
Desqualificação dos aspectos positivos
Exemplo: “A prova foi fácil, por isso consegui
tirar 10”.
Foco minha atenção quase exclusivamente nos
detalhes negativos e raramente noto o todo da
Filtro negativo ou abstração seletiva situação.

Exemplo: “A irmã da anfitriã da festa não


gostou de mim”.
Noto um padrão global de aspectos negativos
com base em um único acontecimento.
Supergeneralização
Exemplo: “Isto sempre acontece comigo. Falho
em tudo que tenho que fazer”.
Dou atributos negativos a mim e a outras pessoas.
Rotulação
Exemplo: “Sou um fracassado”.
Interpreto os acontecimentos em termos de
como as coisas deveriam ser e do que eu deveria
fazer ao invés de como as coisas são e do que
Pensamento do tipo deveria posso fazer agora ou no futuro.

Exemplo: “Eu deveria fazer tudo bem”.


Interpreto comentários, questões e
comportamentos de outras pessoas como crítica
sobre o meu valor, mesmo quando não tenho
certeza de ser o caso.
Personalização
Exemplo: “Ela disse que estava cansada, mas o
que realmente queria dizer foi que não queria
ficar comigo”.
Vejo os acontecimentos e as pessoas em termos
de pensamentos tipo “tudo ou nada”, “preto-
Pensamento dicotômico branco”, “oito ou oitenta”.

Exemplo: “Se eu não for aceita por todos, isso


significa que sou um fracasso”.
Interpreto acontecimentos utilizando padrões
pouco realistas, focando minha atenção naqueles
que se saem melhor do que eu e, então, me julgo
Comparações pouco razoáveis inferior nessas comparações.

Exemplo: “Ela conseguiu mais sucesso do que


eu”.
Foco minha atenção na idéia do que poderia ter
feito melhor no passado e não no que posso fazer
Tendência à lamentação melhor agora.

Exemplo: “Eu não deveria ter dito aquilo”.


Foco minha atenção nas outras pessoas como
fontes dos meus sentimentos negativos e recuso-
me a assumir a responsabilidade da minha
própria mudança.
Atribuição de culpa
Exemplo: “Ela é culpada pelo que estou
sentindo agora”.

Permito que os meus sentimentos determinem a


minha interpretação dos fatos.
Raciocínio emocional Exemplo: “Tenho um bom emprego e parece
que meus colegas me apreciam, mas eu me sinto
incompetente”.