Você está na página 1de 57

MODERNISMO BRASILEIRO

RAQUEL CARDOSO 2018


SEMANA DE ARTE
MODERNA

❑Libertar a arte brasileira da


reprodução de padrões e dar
início à construção de
uma cultura essencialmente
nacional.

Teatro Municipal de São Paulo, entre 13 e 17 de fevereiro de1922.


“Bruta sacudidela nas artes nacionais! (...) é
indiscutível que jamais reviravolta de arte
movimentou e apaixonou e enlouqueceu mais a
monotonia brasileira que o chamado Futurismo.
Enchente de tintas, vulcões de lama, saraivada de
calúnias. Muito riso e pouco siso. De ambas as
partes.”
(Mário de Andrade)
“É preciso que se saiba que
nos manicômios se
produzem poemas,
partituras, quadros e
estátuas, e que essa arte
de doidos tem o mesmo
característico da arte dos
futuristas e cubistas que
andam soltos por ai”.
JORNAL DO COMÉRICO, fevereiro de
1922.
Deslumbramento pela luz e pelas cores tropicais:
marginais das cidades brasileiras
A boba, Anita Malfatti, Mulher de cabelos
1915 óleo s/ tela, 61x50 A estudante, 1915, óleo verdes, 1915, óleo s/
s; tela 76x61 tela, 61x51

ANITA MALFATTI: A MULHER MODERNA


HEITOR VILLA-LOBOS
▪ O índio de casaca” del Picchia.
▪ Música erudita mesclada com música
indígena e negra.
▪ Rodas de choro e música nordestina.

“Villa-Lobos se
orgulhava de ser o
mais vaiado do
mundo”, Tom Jobim.
“O povo é, no fundo, a origem de
todas as coisas belas e nobres,
inclusive da boa música. O que é uma
sinfonia senão a expressão musical
dos sentimentos de um povo
expressada por um indivíduo? O
compositor genuíno, por mais
cosmopolita que seja, é mais do que
nada a expressão de um povo, de um
ambiente.” (VILLA-LOBOS, Heitor, apud NEVES,
J. M. Música contemporânea brasileira. São Paulo:
Record, 1986. p. 53.)
UEL 2003
A partir das declarações de Villa-Lobos, e com base nos conhecimentos sobre o compositor,
considere as seguintes afirmativas:
I. Villa-Lobos identifica-se com as ideias modernistas especialmente no que diz respeito ao
aproveitamento do folclore.
II. Por ter utilizado apenas elementos retirados da cultura popular brasileira em suas
composições, a obra de Villa-Lobos não alcançou projeção internacional.
III. Villa-Lobos empreendeu viagens ao interior do Brasil em busca de sons, timbres e
ritmos que evocassem a brasilidade.
IV. Assim como Mário de Andrade, Villa-Lobos acreditava na função social e educativa da
arte.
Assinale a alternativa correta.
a) Apenas as afirmativas II e III são corretas.
b) Apenas as afirmativas I e IV são corretas.
c) Apenas as afirmativas I, II e III são corretas.
d) Apenas as afirmativas I, III e IV são corretas
VICTOR BRECHERET: O
ARROJADO
“Não sei de talento mais original e fantasioso
entre nossos artistas; a sua técnica, acepilhada
no convívio com os mestres europeus, é destra
e moderna; seus torsos michelangiolescos, se
obedecem à fatalidade realista dos moldes
fisiológicos, espiritualizam-se no arrojo de sua
estilização admirável, forrando-se às
animalidades anatômicas, para criarem uma
alma profunda, impressionante, soberba. Oxalá
São Paulo possa aproveitar-lhe o gênio!”.
Vídeo 14m51 - 19
Nijinsky como fauno (1912) , A. Rodin, bronze (Escultura)
O ídolo, Brecheret, 1921, bronze (Escultura) São Paulo.
“Escola dos
continuadores,
concretizadores e
resumidores de
Rodin”

Consolidado
no futurismo:
abandono do
naturalismo

A Vitória, Brecheret, 1921, bronze (Escultura) O fauno, Brecheret, 1921, pedra sabão (Escultura) São
São Paulo. Paulo.
Art Deco:
simplicidade
da forma

Dançarina, Brecheret, 1920, mármore. Tocadora de Alaúde, Brecheret, 1921, bronze patinado
(Escultura) São Paulo.
Brancusi: Maior escultor
modernista

“Desde o gótico, a escultura europeia


se tornara saturada de plantinhas e
florezinhas – toda a sorte de
excrescências superficiais que
escondiam completamente a forma.
A missão de Brancusi foi se livrar
desses brotamentos e nos tornar
Senhorita Pogany, 1913, novamente conscientes da forma.”
mármore.
Henry Moore
Pássaro no espaço, Brancusi, 1927, metal.
Cabeça de cristo, Brecheret, 1921,
mármore de Carrara.São Paulo.

Diana a caçadora, Brecheret, 1921, pedra de


frança.
Túmulo de Olívia Guedes Penteado, Cemitério da
Consolação, Brecheret, 1923
Branca e hercúlea, de pé, num bloco de Carrara,
Que lhe serve de trono, a formosa escultura,
Vênus, túmido o colo, em severa postura,
Com seus olhos de pedra o mundo inteiro encara.

Um sopro, um quê ele vida o gênio lhe insuflara;


E impassível, de pé, mostra em toda a brancura,
Desde as linhas da face ao talhe da cintura,
A majestade real de uma beleza rara.
Francisca Júlia, Vênus, Mármores (1895)

Musa Impassível, para o túmulo de Francisca Júlia da


Silva (poetisa paulista), 1920
O Monumento às Bandeiras, Brecheret, 1954, Granito, São
Paulo.
Emiliano Di Cavalcanti
▪ 1923- Paris -
Expressionismo, Cubismo
e Surrealismo.

▪ Cotidiano da sociedade da Auto-retrato,


época – vida boêmia do 1943.
Rio.
▪ Cenas do carnaval, bares
noturnos, festas
populares.
Samba, Di Cavalcanti.
Nascimento de Vênus – Botticelli.
Di Cavalcanti –
Nascimento de
https://www.youtube.com/watch?v=iifb8zAIBME
Vênus.
Emiliano Di Cavalcanti foi um dos
idealizadores da Semana de Arte
Moderna de 1922.
Nos períodos de 1923 a 1925, morou na
capital francesa e teve contato com
alguns artistas da Escola de Paris, entre
eles, Pablo Picasso, que se evadia das
linhas severas do cubismo para as curvas
sensuais das madonas clássicas. O crítico
Frederico Morais (2005) afirmou: “Di
Cavalcanti deu à mulata brasileira a
dignidade da madona renascentista,
madonizou a nossa mulata.”
(Adaptado de: Mestres do Modernismo: exposição.
São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São
Paulo, Fundação José e Paulina Nemirovsky e
Pinacoteca do Estado, 2005. e In. MORAIS, F. .
Acesso em: 12 abr. 2016.)

Di Cavalcanti, Moças com violão, óleo sobre tela,


49,8 × 60,8 cm, 1937.
A partir dessa figura, da afirmação do crítico Frederico Morais e dos conhecimentos
sobre o modernismo brasileiro, atribua V (verdadeiro) ou F (falso) às afirmativas a
seguir.
( ) As mulatas de Di Cavalcanti são o resultado de uma interpretação pessoal das
mulheres clássicas de Picasso.
( ) As mulheres de Di Cavalcanti não são sofridas e solitárias, expressam,
plasticamente, o que há de ondulante, de macio, de materno e de sensual no corpo
feminino.
( ) Di Cavalcanti reproduz, acriticamente, as lições que aprendeu com artistas da
Escola de Paris.
( ) Em Paris, Di Cavalcanti, em contato com obras do passado e do seu presente,
intensificou sua visão de um Brasil multicultural, nem exótico, nem folclórico.
( ) A representação da mulher nas obras de Di Cavalcanti revela que o belo na arte e
a beleza feminina são universais e imutáveis.
Assinale a alternativa que contém, de cima para baixo, a sequência correta.
Vicente do Rego Monteiro

▪ Recife, 1899.
▪ Uma obra inovadora e
nacional.
▪ Sinuosidade e
sensualidade.
▪ Clima místico e
metafísico.
▪ “Prefiro as cores
construtivas, cores
terra. Sou terráqueo,
essencialmente
terrestre”.
Figura sentada, Vicente do Rego Monteiro.
Maternidade indígena, Vicente do
Rego Monteiro.

Os arqueiros , Vicente do Rego


Monteiro.
Pietá, Vicente do Rego
Monteiro.
APÓS A SEMANA DE ARTE MODERNA
❑Segunda fase do Modernismo (1930-1945): valorização da cultura
brasileira.
“Cuidado! Fortifiquem-se bem de teorias e ✓Sedimentação das conquistas
desculpas e coisas vistas em Paris. Quando do modernismo – abandono dos
vocês aqui chegarem, temos briga, na certa. princípios acadêmicos.
Desde já, desafio vocês todos juntos, Tarsila,
Oswaldo, Sérgio para uma discussão ✓Análise objetiva da realidade
formidável. Vocês foram a Paris como brasileira em busca de nossa
burgueses. Estão épates [chatos]. E se identidade (raízes).
fizeram futuristas! (…) Se vocês tiverem ✓Arte menos experimental e
coragem, venham para cá, aceitem meu
mais realista.
desafio”. Mário de Andrade
Tarsila do Amaral
Autorret
1ª FASE: PAU BRASIL. rato –
Solidez e construção cubista; Tarsila.

• Estilização geométrica das frutas e


plantas tropicais, dos caboclos negros;

Cores caipiras
(azul puríssimo, rosa
violáceo, amarelo
vivo, verde cantante)
“A Poesia Pau-Brasil. Ágil e
cândida. Como uma criança.(...)
A língua sem arcaísmos, sem
erudição. Natural e neológica. A
contribuição milionária de
todos os erros. Como falamos.
Como somos.(...) Nenhuma
fórmula para a contemporânea
expressão do mundo. Ver com
olhos livres.”

Manifesto Pau-Brasil de Oswald de


Andrade
Estrada de Ferro Central do Brasil – Tarsila.
Morro da
favela –
Tarsila.
2ª FASE: (1928) FASE ANTROPOFÁGICA.

oManifesto antropofágico – Oswald de


Andrade.

oProposição do canibalismo da cultura.

oConhecer os movimentos estéticos


europeus + criar uma arte om feições
brasileiras.

Abaporu – Tarsila do Amaral.


A Negra – Tarsila.

"Antropofagia: Tarsila.
3ª FASE: SOCIAL (1930-
1933).

❑Exposição em Moscou em
1931 - reuniões do Partido
Comunista.
❑Operários,1933: a
primeira de cunho
específicamente social no
Brasil.

Operários – Tarsila.
Arte experimental, TEMÁTICA
irreverência formal

Les demoiselles Guernica, Picasso, 1937.


d'Avignon, Picasso, 1907.
Cândido Portinari
• Brodósqui, SP – 1903.
• 1918 - Escola Nacional de Belas-
Artes
Auto-retrato, Portinari
• 1928 – viagem ao exterior.
• Pintura de murais (inspiração do
Muralismo mexicano): a luta das
classes trabalhadoras nas
plantações, nas favelas e nas
cidades.
• 1940 acentuou–se a pintura do
sofrimento de grandes massas
do povo brasileiro.
ARTE PARTICIPANTE DO PROCESSO SOCIAL

• TEMAS NACIONAIS
• Cubismo – a superfície chapada
e a geometrização das formas.
• Expressionismo – força
dramática, distorção da figura.

O lavrador de café
– Portinari.

Café -
Portinari
Os Retirantes-
Portinari
Primeira Missa – Victor Meirelles.
Primeira Missa – Portinari.
MARIA MARTINS
METAMORFOSES DO SER
Ismael nery
OS ATELIÊS COLETIVOS
• Grupo de jovens artistas – rejeição
dos princípios tradicionalistas da arte

• Escola Nacional de Belas Artes – ideias


da Missão Artística francesa
(Academicismo e romantismo)

❑Núcleo Bernadelli
❑Sociedade Pró- Arte Moderna - SPAM
❑Clube dos Artistas Modernos –CAM José Pancetti,Auto retrato, núcleo
Bernadeli.
❑Grupo Santa Helena
Grupo Santa Helena (São Paulo, 1935/1944)
Palacete Santa Helena, na Praça da Sé.
Ateliês de Francisco Rebolo e Mario Zanini.
Imigrantes pobres – preconceito.
Aprimoramento técnico de pintura, sessões de
modelo vivo, excursões aos subúrbios da cidade para
pintura ao ar livre.

Paisagens – foco subúrbios, arredores da cidade.


Francisco Rebolo Gonzales, Grupo Santa
Helena (São Paulo, 1935/1944)
▪Pintor de paredes,
jogador de futebol.

▪Retratos.
▪Natureza morta.
▪Paisagens que
retratam os bairros
de São Paulo.
ALFREDO VOLPI (1893-1988)
oCarpinteiro, encanador e pintor de paredes.
oDécada de 30 – contato com Rebolo e o Grupo Santa
Helena.
oPrimeiros quadros – paisagens, interiores e figuras
humanas (naturalismo associado a técnicas
impressionistas).
o1950 – fachadas de casarios, mastros, bandeiras e fitas.
o(não recebem um tratamento naturalista, trabalhados
esquematicamente, valorizando efeitos cromáticos).
(UEL 2012) Analise a figura a seguir.
Tomando como referência a figura e os conhecimentos sobre arte e cultura, considere as
afirmativas a seguir.
I. Mestre Vitalino se notabilizou por constituir figuras inspiradas nas crenças populares,
em cenas do universo rural e urbano e no imaginário da população do sertão
nordestino.
II. A obra em questão refere-se a um trabalho tridimensional realizado com argila
queimada, técnica que caracteriza a cerâmica.
III. A gravura realizada por Mestre Vitalino representa a “Vaquejada”, festa cultural
nordestina em que o boi é sacrificado como prenda para o pai da noiva.
IV. A obra, por ser figurativa e ter como matéria-prima a terra, caracteriza-se como
manifestação rupestre no que se refere à simplificação das formas e temáticas.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e II são corretas.
Figura 9: Mestre Vitalino.
b) Somente as afirmativas I e III são corretas. Vaquejada, 1961.
c) Somente as afirmativas III e IV são corretas. Cerâmica policromada.
d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas. 27,5 x 9 x 22 cm. Museu
do Homem do Nordeste
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas. (Recife, PE).