Você está na página 1de 12

Ministério da Educação

Universidade Tecnológica Federal do Paraná


Câmpus Cornélio Procópio
Departamento de Engenharia Elétrica - DAELE
Engenharia Eletrônica - COELE

EL36B – Instrumentação Eletrônica

Prof.: Francisco de Assis Scannavino Junior

SENSORES DE UMIDADE

DISCENTES:
João Vitor de Araujo Faraco
Kayque Saviti da Silva

Cornélio Procópio, 30 de maio de 2019


1. INTRODUÇÃO

Umidade é a presença de vapor d’água que ocorre na atmosfera, proveniente


da evapotranspiração que se processa tanto nas superfícies liquidas como nos
vegetais. Divide-se basicamente em duas definições, a umidade absoluta e a
umidade relativa.

Umidade absoluta: É a quantidade de vapor de água existente na atmosfera


num dado momento.

Umidade relativa: É a relação entre a umidade absoluta do ar e o seu ponto


de saturação (é o limite pelo qual a atmosfera pode aumentar a quantidade de
vapor d’água. Quando este é atingido, dizemos que o ar está saturado; quanto
maior a temperatura, maior a quantidade de vapor de água que o ar poderá
conter, e, consequentemente, maior será o ponto de saturação). É medida em
porcentagem.

2. IMPORTÂNCIA DE MEDIR A UMIDADE

Cada ser humano, inspira em média 15000 litros de ar por dia, e passamos a
maior parte do tempo em ambientes fechados. A má qualidade do ar, pode
causar doenças no ser humano, como irritações na pele, dores de cabeça e
fadiga. A umidade ambiente também carrega um importante papel na qualidade
do ar, sendo entre 40% e 60% a umidade relativa ideal.

3. REQUISITOS DE MEDIDORES DE UMIDADE

São críticos em medição de umidade os seguintes requisitos:

1
• Compatibilidade do meio

• Faixa de operação

• Precisão

Compatibilidade do meio: Os sensores de umidade não podem ser


totalmente encapsulados. A parte ativa deve estar em contato com o meio.
Principais problemas:

• Contaminação química: Amônia, Acetona e Etanol.

• Tolerância a condensação: Alguns não podem ser molhados.

• Limites de pressão: Seleção do sensor e sua forma de montagem.

Faixa de operação: Limites de temperatura e umidade: Extremos típicos: -40


a 102°C, 0 a 100%RH

• Limites combinados de temperatura x umidade: Nem sempre as combinações


extremas são permitidas.

• Limites de pressão

Precisão: Cuidado com informações incompletas. Geralmente é dado apenas


um número para a precisão, o que não e suficiente. Medidores de umidade têm
várias fontes de imprecisão significativas:

• Precisão diferente para diferentes valores de umidade;

• Erro por variação da temperatura do sensor;

• Erro por variação da temperatura da eletrônica;

Além de erros menores por histerese e repetibilidade.

Erros de 2% em um ponto e 5% em uma faixa ampla de operação é muito bom


para 𝑈𝑟 .
2
4. HIGRÔMETROS

Os higrômetros são equipamentos de funcionamento simples. É necessário que


ele possua um material sensível a umidade e que este esteja ligado a um mecanismo
que transmita algum tipo de sinal a um ponteiro, dispositivo elétrico, entre outros, que
possa mensurar a variação de umidade. Entre os vários tipos de higrômetro
existentes, há aqueles que apresentam uma sensibilidade grande e aqueles que
apenas indicam se o parâmetro está acima ou abaixo de um valor referência.

Higrômetros de cabelo ou crina

Reside na expansão de alguns materiais quando a umidade do ar aumenta,


como o caso do cabelo ou crina. O que ocorre é que os fios de cabelo humano e
mesmo as crinas de cavalo, podem alterar seu comprimento de mais de 10% quando
a umidade relativa do ar varia de 0 a 100%. Assim, basta acoplar um fio de cabelo a
uma agulha indicadora para que a posição da agulha numa escala passe a depender
de maneira algo precisa da umidade relativa do ar, a qual é absorvida pelo fio.

Figura 1: Higrômetro de cabelo ou crina.

Higrômetros Químicos

Operam por absorção, por meio de reações químicas que deslocam o equilíbrio
(Composto azul + água ↔ Composto rosa) de acordo com a quantidade de água
absorvida.

3
Figura 2: Higrômetro Químico.

Higrômetros de Condensação

Utilizam o método denominado “ponto de orvalho”, que seria a temperatura em


que a água começa a se condessar, ou, atinge uma umidade relativa de 100%.

Fundamenta-se no fato de o vapor de água se condensar sobre superfícies


frias. Mantendo fria uma cápsula e fazendo passar o vapor de água por esta, o vapor
condensa-se. Efetuando a medição da temperatura a que os condensados se
produzem e conhecendo a temperatura ambiente, é possível determinar a humidade.
Através da fórmula de Magnus, podemos relacionar tais grandezas com a umidade
relativa.

Figura 3: Fórmula de Magnus.

4
Figura 4: Higrômetro de condensação.

Higrômetros Elétricos

Funcionamento é baseado normalmente no princípio da variação da


condutibilidade elétrica de sais especiais absorventes (cloreto de lítio, por exemplo)
ou no princípio da variação da capacidade elétrica de um elemento apropriado, em
função da umidade relativa.

5. PSICRÔMETROS

Aparelho que consiste em dois termômetros, fixados sobre um mesmo suporte:


um com o seu bulbo seco, chamado de termômetro de bulbo seco, e o outro com o
seu bulbo molhado, chamado de termômetro de bulbo molhado. Este último tem esse
nome porque seu bulbo é envolvido por um tecido, algodão, ou algo do gênero,
embebido em água. Sua temperatura é sensivelmente menor do que a do termômetro
de bulbo seco, que marca a temperatura ambiente. Essa diferença de temperatura
entre os termômetros é o dado fundamental para o estudo de umidade relativa.

Através de uma carta psicométrica é possível encontrar determinada umidade


relativa.

5
Figura 5: Carta Psicométrica.

Figura 6: Psicrômetro.

6
6. SENSORES CAPACITIVOS

Este método utiliza a variação da capacitância elétrica com a variação da


permissividade de um material poroso contido entre as placas paralelas de um
capacitor. Onde é possível que a umidade entre nesse material dielétrico e altera o
valor de permissividade.

A construção desse capacitor é tal que a umidade do ar pode penetrar com


facilidade no material dielétrico.

Figura 7: Capacitor de placas paralelas.

7. SENSOR UMIDADE DO SOLO (RESISTIVO)

O princípio de funcionamento deste circuito é bem simples, pois, resume-se ao


fato de que, através da aplicação de uma determinada corrente X nos eletrodos
(haste), é possível estimar o quão úmido ou seco o solo estará em virtude da
condutividade do solo em ambos os casos.

Um circuito comparador que irá nos retornar o nível de condutividade do solo. Um


sinal digital que basicamente informa se o solo está seco ou não (Menor precisão,
porém não depende de um circuito ADC) e um sinal analógico que pode ser utilizado
para estimar o quão úmido o solo está (Maior precisão, porém dependerá de um
circuito ADC).

7
Figura 8: Sensor de umidade de solo.

8
Tabela 1: Comparação entre os sensores de umidade.

9
8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

• LEÃO, Jurandi. Psicrômetro - Medida da umidade relativa do ar. 2005.


Disponível em:
<https://www.ifi.unicamp.br/~lunazzi/F530_F590_F690_F809_F895/F809/F80
9_sem2_2005/JurandiL_Almeida_F809_RF1.pdf>.Acesso em: 26 maio. 2019.

• DUTRA, Israel Honorato. Higrômetro - O que é?. 2010. Disponível em:


<http://www.violinovermelho.com.br/blog/higrometro/>.Acesso em: 26 maio.
2019.

• GRASS, Jorge. GEIGER, Filipe. HAEFFNER, George. Construção e


operação de um higrômetro. 2012. Disponível
em:http://www.ufrgs.br/medterm/trabalhos/trabalhos-
2012/FilipeGeiger_JorgeGrass_GeorgeHaeffner.pdf>. Acesso em: 26 maio.
2019.

• Higrómetro in Artigos de apoio Infopédia Porto: Porto Editora, 2003-2019.


[consult. 2019-05-27 18:50:17]. Disponível em:
https://www.infopedia.pt/apoio/artigos/$higrômetro

10
• Sensor de umidade Philips - Série 2322691 90001. Disponível em:
<http://www.eletrica.ufpr.br/edu/Sensores/1999/fernando/>. Acesso em: 26.
maio. 2019.

• PARREIRA, João Lucas Campos. Medição de umidade de solo utilizando


tensiômetro e sensor granular adaptados a uma rede de sensores sem
fios. 2009. Disponível em:
<http://repositorio.ufla.br/bitstream/1/5261/1/MONOGRAFIA_Medicao_umidad
es_de_solo_utilizando_tensiometro_e_sensor_granular.pdf>. Acesso em: 26.
maio. 2019.

• Medidor de umidade relativa (ART352). Disponível em:


<http://www.newtoncbraga.com.br/index.php/artigos/54-dicas/2261-
art352.pdf>. Acesso em: 26. maio. 2019.

11