Você está na página 1de 14

Data: 18 e 19 de julho de 2019.

Sala: 02
Número do grupo: 01 – 6º ano
Integrantes do grupo 01 – 6º ano:
ADRIANA MARIA DE MENDONÇA – DER AVARÉ
HELLEN CRISTINA MORETTI ALVES – DER CAMPINAS LESTE
PAULA ALESSANDRA VIGNOL JORGE DOS SANTOS – DER LESTE 1
ROSICLER APARECIDA BATISTA DE SOUZA – DER ARARAQUARA
Número de aulas previstas: 24
MUNDO HQ – LENDO E APRENDENDO MAIS
Disciplina - Língua Portuguesa
SEQUÊNCIA DE ATIVIDADE 1 – TEMA: Narratividade em Diferentes Gêneros
Habilidades
1. Localizar informações explícitas em um texto.
2. Inferir o sentido de uma palavra ou expressão/inferir uma informação implícita em um texto
3. Reconhecer o processo de composição textual como um conjunto de ações interligadas
4. Inferir e reconhecer elementos da narrativa
5. Analisar narrativas ficcionais: enredo, personagem, espaço, tempo e foco narrativo
6. Produzir texto com organização narrativa
7. Reconhecer e compreender a narratividade em imagens.

As atividades a seguir têm como objetivos proporcionar aos alunos recuperação das habilidades em
defasagem e estimular o protagonismo e a criatividade durante o processo de realização das etapas,
culminando com uma obra de autoria do aluno e exposição para a comunidade
escolar/pais/responsáveis.

Atividade 1 – Estudo do Texto Narrativo

1- Roda de Conversa:
Quem são os seus melhores amigos?
O que vocês fazem juntos?
Somente pessoas podem ser melhores amigos?
Se um personagem de desenho, filme ou livro fosse seu melhor amigo, qual seria? Por quê?
Defina em uma palavra o que é preciso para ser o seu melhor amigo. Cole essa palavra em
local visível com a ajuda do professor.

2- Você se lembra do gênero Crônica? Com a ajuda do professor, retome suas características.

3- Leitura compartilhada do texto O melhor amigo, de Fernando Sabino. Seu professor fará
perguntas ao longo da leitura. Responda oralmente, pois elas ajudarão a compreender a
história, as palavras novas e muito mais!

4- Seu professor lerá o texto novamente, dessa vez sem pausas. Preste bastante atenção, para
não perder nenhuma informação.

5- Você se lembra dos elementos da narrativa? Com a ajuda do professor, vamos rever: enredo,
personagem, espaço, tempo e foco narrativo.

6- Agora que você já conhece bem a história, reescreva o texto com suas palavras (sem olhar o
original). Entregue o seu texto para o professor, que o devolverá com as marcações
necessárias para que você possa fazer a revisão.

7- Transcreva o texto em seu caderno, adequando os pontos que o professor destacou, com
bastante atenção.

SABINO, Fernando. O melhor amigo. http://contobrasileiro.com.br/o-melhor-amigo-cronica-de-


fernando-sabino/. Acesso em 19/07/19.
Atividade 2 – História em Quadrinhos
1. Roda de conversa:
Você já leu uma HQ?
Você percebeu que a HQ possui características do texto narrativo?
Quais os recursos gráficos utilizados na HQ? (Requadros, calhas, balões, imagens...)
Você sabe o que é Onomatopeia? Quais você sabe fazer? Seu professor pode sugerir alguns
sons para o grupo adivinhar.

2. Seu professor solicitará que vocês tragam HQs (de casa ou da Sala de Leitura). Realize a
leitura atentando para os recursos gráficos e linguísticos. Observe as diferenças entre os vários
estilos de HQs apresentados pelo professor.

3. Dialogue com o grupo sobre o que você encontrou nas HQs lidas e anote no caderno os pontos
mais interessantes.

Atividade 3 – Produção de História em Quadrinhos

1- Você lembra do texto reescrito a partir da crônica O melhor amigo, que está no seu caderno?
Ele será a base para escrever uma HQ. Em duplas, criem uma HQ utilizando esse texto como
inspiração. Seu professor dará as instruções para a produção e padronização, e poderá mostrar
exemplos de personagens de diversos autores como referência. Lembre-se de se divertir no
processo!

2- Antes de finalizar sua HQ é preciso revisar e adequar, de acordo com as orientações do


professor.
Atividade 4 – Exposição dos Trabalhos e Socialização da Atividade

1- A culminância das produções será uma exposição para a comunidade


escolar\pais\responsáveis. Não se esqueça de assinar sua obra!

2- Durante a exposição, contem para o público como foi realizar essa atividade, o que vocês
sentiram, quais as dificuldades, o que mais gostaram, e inspirem novos artistas!

Sugestões de interdisciplinaridade:

1. Educação Física:
Esse cachorro é MEU amigo (releitura da brincadeira “A viúva”)
Os alunos formam um círculo de cadeiras.
Atrás de cada cadeira fica um aluno em pé. Ele será o dono do cachorro.
Os outros alunos estarão sentados, deixando apenas uma cadeira vazia. Eles representam os cachorrinhos, que vão tentar
fugir de casa.
Ao comando do professor, o aluno que está em pé atrás da cadeira vazia dá uma piscadinha para um dos cachorros, que
poderá aproveitar esse “convite” e fugir para o novo dono.
O dono do cachorro fujão tenta segurar seu pet. Se conseguir, o cachorro continua na cadeira dele. Mas, se o cachorro
escapar, passa a pertencer ao dono que piscou para ele.
A brincadeira segue com o novo aluno da cadeira vazia, que tentará piscar para os cachorrinhos e conquistar um amigo.
Não há vencedores. O jogo termina quando o grupo decidir.

2. Arte
O professor de Arte poderá desenvolver com os alunos a organização gráfica da HQ, como:
- a divisão e organização dos quadrinhos;
- a distribuição das personagens em cada quadrinho;
- o significado de cada tipo de balão;
- técnicas de pintura para HQ;
- orientação para a construção do traço de desenho das personagens e cenários, de acordo com o perfil dos grupos de
alunos;
- tipos de letras, de acordo com o que se quer dizer ou ressaltar (letras maiúsculas, letras disformes...)

3. INGLÊS
O professor poderá apresentar aos alunos algumas HQ em inglês, ressaltando a compreensão dos recursos gráficos e
linguísticos, com ênfase na compreensão do vocabulário e expressões idiomáticas da língua inglesa.

LINGUAGENS 6º ANO - 2

➔ Área: Linguagens e Códigos

➔ Ano/Série: 6º ano

➔ Tema: Jogos e Brincadeiras

➔ Título da Atividade: Vende-se uma casa Assombrada e Retorno ao passado

➔ Número de Aulas previstas: 12

➔ Habilidade (s) a ser (em) desenvolvida (s):

 Localizar informações explícitas em um texto;


 Inferir o sentido de uma palavra ou expressão/inferir uma informação implícita em um texto;
 Reconhecer diferentes formas de tratar uma informação na comparação de texto que trate do mesmo
tema em função das condições que ele foi produzido e daquelas que será recebido;
 Analisar – Distinguir um fato da opinião relativa a esse fato.

➔ Objetos de Aprendizagem:

 Desenvolver a competência/leitora;
 Promover o contato com textos de diferentes gêneros textuais.

➔ Materiais necessários para a aula:


 Giz e lousa;
 Retroprojetor, xerocópias (opcional);
 Materiais lúdicos (conforme atividade 6).

➔ Questão Disparadora: O professor deverá realizar o levantamento de hipóteses com seus alunos, para prepará-los
para a leitura.
➔ Contexto: Levantamento de hipóteses; conhecendo o objeto de estudo; localizando e comparando informações;
releitura e inferência de espaço da narrativa; localização de fatos e opiniões; produção textual; realização de jogo e
atividades lúdicas.
➔ Mão na Massa (atividades): Atividades

Atividade 1- Levantando hipóteses

Leia: “Vende-se uma casa Assombrada”

1- A frase lembra o quê?


2- O título remete a qual gênero textual?
3- Descreva qual imagem vem à mente.
4- Qual a sensação que desperta?
5- Quem estaria vendendo uma casa mal-assombrada?
6- Quem compraria uma casa mal-assombrada?

Atividade 2- Conhecendo o objeto de estudo


Leitura colaborativa do texto (questões em paradas estratégicas do texto, com perguntas e levantamento de hipóteses, que
podem ser confirmadas ou refutadas no próprio texto).

Texto1: VENDE-SE UMA CASA ASSOMBRADA


(Shirlei Pio)

Sempre gostei de histórias de suspense, casa mal-assombrada, vampiros e bruxas. O que eu nunca imaginei é que
um dia eu participaria de uma dessas histórias.
Tudo começou quando meu pai pediu que levasse o jornal para ele. No meio do caminho o jornal caiu aberto na
página de anúncios, no meio de todos aqueles anúncios um chamou minha atenção:
VENDE-SE UMA CASA
ASSOMBRADA
Meus olhos não acreditavam no que viam, quem teria coragem de vender uma casa assombrada e já avisar que era
assombrada?
Seja lá quem fosse, eu teria que descobrir, então peguei aquela página do jornal, que continha o endereço, que por
sorte era muito perto da minha casa, só então tratei de atender ao pedido do meu pai e entregar-lhe o jornal.
Quando eu pensava no assunto sentia um arrepio misturado com medo e muita, mas muita mesmo curiosidade. Na
briga entre o medo e a curiosidade, venceu a curiosidade.
De acordo com meus conhecimentos das histórias de casas assombradas, eu poderia encontrar desde fantasmas até
vampiros sedentos de sangue. Pensando nisso tratei de arranjar alho, crucifixo, água benta, etc.
Outro problema era entrar só, e se alguma assombração me pegasse? Definitivamente entrar sozinho não era uma
boa ideia. Por isso resolvi levar meu melhor amigo, porque o fato dele ser meu melhor amigo, já estava na cara que ele me
acompanharia.
Acertado todos os detalhes, pensada todas as estratégias, entramos pelo quintal, passamos pela placa que confirmava
o anúncio do jornal:
VENDE-SE UMA CASA
ASSOMBRADA
Conseguimos entrar na casa, que num primeiro olhar era normal.
Andávamos como se estivéssemos “pisando em ovos”, olhávamos a tudo, prestando bastante atenção, quando já
estávamos ficando tranquilos...
Ouvimos passos que pareciam vir das escadas, ao longe era possível ouvir gargalhadas sinistras, uma porta se
fechou sozinha, em meio às risadas era possível ouvir um choro, que com certeza era de uma criança.
Seria alguma vítima das assombrações? Claro!
Na tentativa de ajudarmos quem quer que fosse, nos aproximamos com muito cuidado.
Era possível ouvir uma mulher dizendo, ou melhor dizendo não, ela mandava aos gritos alguém chupar o sangue
da criança. Que nessa altura já não chorava mais, a criança agora berrava!
O que era bem compreensível, só de ouvirmos, eu e meu amigo estávamos em pânico! Imagina estar no lugar da
criança, com uma vampira ordenando alguém para chupar o seu sangue?! A situação não poderia ser pior, se pudéssemos
fazer algo, a hora com certeza era aquela.
Nos olhamos, respiramos fundo, com o crucifixo em uma mão, um colar de alho e revólveres de água benta,
entramos naquela sala, gritando como quem entra num combate para matar ou morrer.
O estranho era que a cara deles de susto! Até a vítima parou de chorar com uma expressão de surpresa. Observamos
o local, a sala estava sob a luz do sol, ninguém tinha presas enormes, nem tão pouco se assustaram com as nossas armas
mortais. Para nossa surpresa, o antigo vizinho da rua esquerda, estava entre os vampiros, será que ele também era um deles?
Que horror!
Por um instante todos se olharam e começaram a rir, dizendo: “crianças”! A mulher prosseguiu com voz suave,
daquele jeito que só as mães têm para falar com os filhos: “Apenas crianças brincando. Que susto nos pregaram!” E
prosseguiu com as apresentações. Que nos levou ao fim do mistério, pois na verdade os vampiros eram os novos vizinhos,
que haviam acabado de comprar a casa do antigo vizinho da rua esquerda, que trabalhava como corretor de imóveis. O
vento bateu a porta que pegou o dedo do filho dos novos vizinhos, que chorou de tanta dor. A vampira era na verdade a
mãe da criança que estava tentando fazer o sangramento parar, orientando o pai em como fazer.
Aproveitamos para fazer uma nova amizade, pois o filho dos novos vizinhos, tinha a mesma idade que nós. Saímos
de lá rindo muito e aliviados, ufa!
Passamos novamente pela placa, olhando bem de perto e com atenção, estava escrito:

Foi apenas um errinhoVENDE-SE UMA


de leitura e caso CASA
encerrado!
ASSOBRADADA
Atividade 3- Conhecendo o objeto de estudo
1- Dentro do contexto do texto lido, o que quer dizer a palavra “assobradada”?
2- Há alguma palavra que você desconhece?
3- A linguagem que o escritor escolheu pode ser entendida pela maioria dos leitores do texto?
4- Quem poderia contar o que entendeu?
5- Quais as consequências que uma simples troca de letras na escrita ou leitura podem causar? Isso já aconteceu
com você? Em qual situação (rede social, WhatsApp)? Gerou algum mal-entendido?

Atividade 4- Localizando e comparando informações

1- As
PARA SABER MAIS

Personagem: pessoas, animais, dependendo até objetos que participam da história.


Cenário/Espaço: lugar onde se passa a história.
Narrador: quem conta a história. Podendo ser em primeira pessoa quando participa
diretamente da história, ou em terceira pessoa, quando conta a história de outras
personagens sem participação direta.
Tempo: Cronológico ou Psicológico.
Enredo: ordem em que os fatos acontecem e causam consequências na história.
Clímax: ponto máximo de tensão da narrativa.
Desfecho: encerramento da situação problema.

informações levantadas na Atividade 1 coincidiram com as informações encontradas na história? Quais


informações se confirmaram?
2- As impressões acerca do título do texto se confirmaram?
3- Quem são as personagens?
4- Descreva o espaço (lugar) em que se passa a história.
5- A narrativa se passa no tempo psicológico ou cronológico?
6- O narrador está em primeira ou terceira pessoa? Justifique.
7- Qual o enredo da narrativa?
8- Qual o clímax da narrativa?
9- Qual o desfecho da narrativa?

Atividade 5- Releitura e inferência de espaço da narrativa. (Sugestão: em parceria com o(a) professor(a) de Arte)

Recomenda-se ao professor que trabalhe as características e especificidades do gênero textual HQ, apresentando
exemplos.
Com a turma dividida em grupos, o professor deverá orientar os alunos para que ilustrem o texto da autora Shirlei
Pio, produzindo um HQ.
Escolha um espaço na escola e faça a Exposição da releitura dos alunos.

Atividade 6 – Localização de fatos e opiniões


Leitura colaborativa da notícia (questões em paradas estratégicas do texto, com perguntas e levantamento de hipóteses, que
podem ser confirmadas ou refutadas no próprio texto).

1- O que lhe sugere o título?


2- Descreva qual imagem vem à mente.
3- Quem estaria voltando ao passado?
4- Seria possível retornar ao passado?
5- Como acontecerá no texto esse retorno ao passado?

RETORNO AO PASSADO
Cidade promove festival de brincadeiras
(Nanci Catão)
Nos dias 20 e 21 de julho próximos, a cidade de Capim Dourado/SP realizará o Festival Municipal de Brincadeiras.
O evento acontecerá no pátio do Colégio São Pedro, das 9h às 16h e estará aberto ao público em geral, contando com
parcerias de empresas da região.
Carlos dos Santos, gerente da Akaza, informa que: “o evento será um misto de brincadeiras e atenderá o gosto de
pais e filhos, pois haverá jogos diferentes, que para os pais serão um resgate do passado, mas que seus filhos, provavelmente,
não tiveram a oportunidade de vivenciar”.
E continua: “os espaços estão construídos pensando nas brincadeiras e jogos atuais, com salas de vídeo game e kits
multimídias, com computadores de última geração. Mas o foco é resgatar as brincadeiras de ‘antigamente’, como mãe da
rua, pique-esconde, amarelinha, queimada, peteca, ioiô, cabra-cega, pião, bola de gude, futebol de botão, entre outras.
Maria Tereza (12 anos) se diz empolgada e aguarda com ansiedade o dia em que vai poder interagir com seus
amigos, ao mesmo tempo em que aprenderão juntos como era a diversão de seus pais quando tinham sua idade e, acredita,
que se divertirão muito.
Estão previstas competições entre equipes, que estarão articuladas e organizadas pela Prefeitura Municipal.

Atividade 7: Conhecendo o objeto de estudo

1- O título remete a qual gênero textual?


2- Quais as características desse gênero textual?
3- Localize o fato/evento descrito na notícia.
4- Localize a opinião exposta no texto.

Sistematização/Avaliação: Espera-se que, ao final do processo, as habilidades trabalhadas estejam contempladas pelos
alunos.

Atividade 8 – Produção textual

O professor deve apresentar o gênero textual “relato de experiência”, a partir da tipologia narrativa.
Em seguida, solicitar a produção de um relato de experiência das brincadeiras cotidianas ou tradicionais, entre
amigos, descrevendo quais são elas como, onde e quando elas acontecem, bem como quais os sentimentos ou aprendizagem
que elas lhes despertam.

Atividade 9: Realização de jogos e atividades lúdicas

Professor de Educação Física: solicite aos alunos atividades práticas com os jogos mencionados na notícia da atividade
5.

Referências: (textos de autoria)

 Nome dos integrantes:


1. Daniela de Fátima Santos – Diretoria Guarulhos Norte
2. Jacqueline da Silva Souza – Diretoria Leste 4
3. Nanci Aragão Rapucci Catão – Diretoria Guarulhos Norte
4. Shirlei Pio Pereira Fernandes – Diretoria Leste 4
5. Sueli Gonçalves Giroldo – Diretoria Leste 4

L G 6 ANO -3

➔ Área:
➔ Ano/Série:
➔ Tema:
➔ Título da Atividade:
➔ Número de Aulas previstas:
➔ Habilidade (s) a ser (em) desenvolvida (s):
➔ Objetos de Aprendizagem:
➔ Materiais necessários para a aula:
➔ Questão Disparadora:
➔ Contexto:
➔ Mão na Massa (atividades):
➔ Sistematização/avaliação:
➔ Referências:
➔ Nome dos integrantes:
➔ Área: Linguagens

➔ Ano/Série: 6º ano

➔ Tema: Jogos e Brincadeiras

➔ Título da Atividade: Brincadeiras de rua

➔ Número de Aulas previstas: 6

➔ Habilidade (s) a ser (em) desenvolvida (s):

➔ Localizar as informações explicitas em um texto;

➔ Inferir o sentido de uma palavra ou expressão/inferir uma informação implícita em um texto;

➔ Reconhecer diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos que tratem do mesmo tema em
função das condições em que ele foi produzido e daquelas em que ele será concebido;

➔ Analisar-distinguir um fato da opinião relativa a esse fato.

➔ Objetos de Aprendizagem: Jogos e Brincadeiras

➔ Materiais necessários para a aula: Texto 1, 2 e 3. Áudio da música cantiga de roda: Se essa rua fosse minha

➔ Questão Disparadora: Você já brincou ou conhece alguma brincadeira de rua?

➔ Contexto: Essas atividades têm como objetivo propiciar ao aluno o resgate da cultura popular “brincadeiras de rua”,
contextualizando ao seu local de moradia, favorecendo o estudo dos gêneros injuntivo e narrativo (paródia e
cantiga), culminando com uma atividade de produção textual e propondo a interdisciplinaridade.

➔ Mão na Massa (atividades):

 Leia os textos 1 e 2 para responder as questões a seguir:

Texto 1
Texto 2

Questões:
1. Qual é a semelhança entre os textos?
2. Com base nos diferentes tipos de rua das imagens abaixo justifique em qual delas a brincadeira do texto 1 pode ser
realizada ou não.
Fonte: https://br.pinterest.com/pin/335518240962279006/

Fonte: https://br.pinterest.com/pin/86272149090560142/

Fonte: https://br.pinterest.com/pin/814236807607890180/
Fonte: https://br.pinterest.com/pin/165648092531064704/

Fonte: https://br.pinterest.com/pin/189925309271512284/

3. Descreva a rua em que mora o que mais gosta dela e aponte o que poderia ser melhorado.
4. Descrever qual(is) brincadeira(s) você realiza em sua rua.
5. Indique qual a palavra do texto 1 que faz referência ao fragmento abaixo:
“Extremidades de um campo dividido ao meio. ”
( ) adversário ( ) pique
( ) jogo ( ) oponente

Ampliando conhecimento:
Professor, realize os seguintes questionamentos com seus alunos:
1. Sua rua é pavimentada?
2. Ela é tranquila ou movimentada?
3. Ela é iluminada? Possui comércios ou escolas?
4. Você considera sua rua segura? Possui monitoramento de segurança?
5. Sua rua, quando chove muito, possui pontos de alagamentos?
6. As brincadeiras apontadas nos textos acima são possíveis de serem realizadas em sua rua?
7. Na sua opinião, se essa rua “fosse sua”, que tipos de mudanças você faria?

Sugestão: Texto 3-
Acesse o link https://www.youtube.com/watch?v=3LqfnzFayRI

➔ Sistematização/avaliação:

1. Produza uma paródia, com base em suas respostas anteriores (“Se esta rua fosse minha, eu mandava...”).
Sugestão:
Educação Física: Reprodução dos jogos populares, nos diferentes espaços da escola utilizando os conceitos de
regras e com a intencionalidade dos comandos verbais.
Língua Inglesa: Ampliar o repertório cultural, dos alunos, mediante a pesquisa de jogos e brincadeiras populares,
nos países de Língua Inglesa.

➔ Referências:
São Paulo (Estado) Secretaria Educação
Ler e Escrever: Livro de textos do aluno/ Secretaria de Educação.
Fundação para o Desenvolvimento da Educação. Seleção dos textos
Claudia Rosemberg Arantangy, 3. Ed. São Paulo. FDE 2010

➔ Nome dos integrantes:


Carla de Cássia Bragalda – DER Capivari
Iara de Campos Fontolan – DER Capivari
Jaqueline P. O. Santos- DER Sumaré
Jobel Cavalcante da Silva – DER Votorantin
Márcia Andréia Reis Pereira – DER Leste 1

LG 6 ANO 4

Esboço para a produção das Sequências de Atividades (SA)


(sugestão)

I- Sequência didática Língua Portuguesa 6 º Ano

TEMA: Jogos e Brincadeira Observações:

Localizar as informações explicitas em um texto HABILIDADE/CONJUNTO DE


HABILIDADES
Inferir uma informação implícita em um texto

Relacionar em diferentes textos o mesmo tema

Esta sequência didática tem vários objetivos: Objetivos da SA

Resgatar, através da memória, as brincadeiras e os jogos que os Links: Estudo do professor


alunos “brincavam” na infância; https://www.efdeportes.com/efd18
6/jogos-e-brincadeiras-em-aula.htm
Criar vinculo educacional simples do aluno com sua família;

Trazer conhecimento, aos alunos das mais variadas brincadeiras e


jogos existentes em nossa e em outras culturas;

Trazer, aos alunos, a noção de que até as brincadeiras mais simples


são compostas por regras;

Proporcionar a interação das diversas disciplinas de uma área.

Atividades: 1 e 2 – 1 aula – 50’

Atividade 1 – Para início de conversa


Questões sugeridas: Professor nessa atividade sugerimos
que inicie com questionamento de
Quais brincadeiras fizeram parte da infância de vocês? quais brincadeiras e jogos seus
Quais brincam hoje? alunos tem guardado em sua
Além dessas que vocês falaram quais outras conhecem? memória, entre 4 e 5 anos que são
Os pais, avós ou tios do que eles brincavam? Vocês sabem? Já inesquecíveis.
conversaram sobre?

Atividade 2 – Investigando brincadeiras e jogos


O professor seja o escriba e junto com os alunos elaborem questões É importante que o roteiro da
para serem feitas aos pais, avós, tios entre outros para conhecerem entrevista contenha: nome do aluno,
quais os jogos e brincadeiras eles brincavam na infância. nome do entrevistado, grau de
parentesco, qual a brincadeira/e ou
jogo, descrição da brincadeira/e ou
jogo.
Professor após o desenvolvimento
das atividades 1 e 2 sugerimos que
combinem com os alunos: data da
entrega e o que julgar necessário.

Atividade 3 – Socializando a brincadeira


02 aulas
1). Solicitar que cada aluno descreve em uma Filipeta (tira de papel) a
brincadeira e vá fixando na lousa as repetidas.
2). Pedir para os alunos se agrupem por brincadeira, façam a leitura,
escolham uma para repassar para os demais grupos a descrição da
mesma.

Atividade 4 – Sistematizando 02 aulas

Professor, em continuidade a
atividade anterior os alunos
Brincadeira Semelhanç Diferenç Como deveria
permanecerão nos grupos para o
a a ser a
preenchimento do quadro abaixo.
brincadeira
Sugerimos que esse quadro seja
entregue um por grupo para
realização da atividade.
Espera-se que os alunos a partir da
descrição da brincadeira de cada
entrevista preencham o quadro.
Além disso, enfatizamos que é
imprescindível que o professor
circule pela classe durante
realização dessa atividade para
fazer as intervenções necessárias,
principalmente na quarta coluna.

Atividade 5 – Vivenciando brincadeiras e jogos Educação Física (4 aulas)

Questões sugeridas: Professor de Educação Física,


nesta atividade os alunos irão
Parte 1 – 02 aulas pesquisar as regras das brincadeiras
1). Quem gosta de brincar? e /ou jogos selecionados nas
2). Você brinca sozinho ou com outros colegas? atividades anteriores e vivenciá-las.
3). Quais são as brincadeiras mostradas nas imagens? Para isso, sugerimos que faça uma
4). Você já brincou de alguma destas brincadeiras? Qual?
5). Existem regras para as brincadeiras? Elas são importantes? roda de conversa a partir das
Porquê? questões.
6). Quem gostaria de falar o nome de uma brincadeira e qual é a sua (Observação: As imagens da
regra? questão 3 serão das brincadeiras
e/ou jogos selecionados nas
Parte 2 – 02 aulas atividades anteriores, assim o
Neste momento, sugerimos que organize na quadra ou em outros professor deverá providenciar essas
espaços na sua escola, estações com as brincadeiras e/ou jogos e previamente para apresentar aos
regras pesquisados, para que os alunos possam vivenciá-los. Não alunos)
esqueça de organizar o tempo, as brincadeiras e/ou jogos que serão Após a atividade, sugerimos uma
realizados. pesquisa no laboratório de
Registrar por meio de fotos a vivência das brincadeiras. informática sobre as brincadeiras
e/ou jogos, já selecionados nas
atividades anteriores, e suas regras.
Para isso é necessário que o
professor pesquise sites que tragam
as brincadeiras e/ou jogos, as regras,
etc., para indicar aos alunos.
Para registro das regras sugerimos
que seja indicando um aluno do
grupo para fazer a cópia no word e
salvá-la.
Observação: O registro das regras
deve ser encaminhado para o
professor de Língua Portuguesa
para que realize a atividade de
revisão e reescrita do texto.
Atividade 6 – Aprender brincando Inglês - 2 aulas

Pergunte aos seus alunos: Professor os alunos já foram


1). Vocês sabem dizer se as brincadeiras que vocês resgataram e repertoriados quanto aos jogos e
conheceram aparecerem na cultura inglesa? brincadeiras nas aulas de Língua
Portuguesa. Agora será o momento
Neste momento ouça o que o aluno tem a socializar de iniciar uma conversa sobre as
semelhanças ou diferenças entre as
2)Agora oriente-os a pesquisarem sobre as brincadeiras da cultura brincadeiras e/ou jogos do nosso
inglesa e para isso indique o site: país e da cultura inglesa.
https://educacao.estadao.com.br/blogs/berlitz/tradicionais-
brincadeiras-de-rua-sao-uma-boa-diversao-em-ingles/

3) Com as pesquisas realizadas solicite aos alunos que produzam as


curiosidades entre brincadeiras brasileiras e da Cultura Inglesa que
poderão ser chamadas de “Você sabia quê” e posteriormente farão
parte do Mural.

Atividade 7 – Brincar é assim

O Brasil é um país gigante em territorialidade e diversidade cultural,


sendo também riquíssimo em hábitos e costumes, devido à grande
miscigenação de povos que aqui chegaram e se estabeleceram.
Devido a essa diversidade, as brincadeiras infantis representam um
capítulo à parte na cultura do país, pois assim como a língua e outros
costumes

Atividade 8 – Construindo um Mural Arte (03 aulas)


Elaboração de um mural para apresentação de todo o processo da Sugere-se ao professor de arte a
situação de aprendizagem elaboração de um mural ressaltamos
a importância das ilustrações podem
ser elaboradas de acordo com as
técnicas para o 6° ano constantes no
Currículo Oficial.

Elaborado por:
Maria José Constâncio Bellon –Diretoria de Ensino Itu – PCNP Língua Portuguesa
Rita de Cassia de Araújo Faria – Diretoria de Ensino Jundai - PCNP Língua Portuguesa
Simone Paixão - Diretoria de Miracatu- PCNP Língua Portuguesa
Silvia Helena Soares - Diretoria Mogim Mirim- PCNP Língua Portuguesa
Vilma Maria do Nascimento Santos –Diretoria de Ensino Sul 3 –Diretora Técnica I de Núcleo Pedagógico

EPAPE
17/07/2019