Você está na página 1de 438

Prefácio

Prefácio

Prezado Cliente

Agradecemos-lhe pela confiança demonstrada na Ponsse ao


escolher um dos nossos produtos.

As soluções adotadas nos produtos Ponsse foram testadas na


prática, o que nos leva a acreditar que este equipamento florestal
é digno da sua confiança. Considerando que ele será operado
em condições bastante difíceis, é da maior importância que seja
usado e receba manutenção da maneira correta.

Este manual vai orientário no uso do equipamento florestal e


explicará as providências de manutenção necessárias e como
executá-las. Seguindo as instruções de manutenção e usando
a máquina florestal com consciência a pessoa pode aumentar a
confiabilidade, eficiência e valor do seu equipamento. A manu-
tenção deve ser sempre considerada como parte importante das
operações rentáveis de uma máquina florestal.

A descrição explícita das atividades de reparo não faz parte deste


manual. Não obstante, a PONSSE OYJ terá todo prazer em
prestar informações sobre manutenção e enviar um técnico trei-
nado para lhe dar assistência. Nossos detalhes para contato
constam da última página deste manual.

Devido a seu contínuo trabalho de desenvolvimento, A Ponsse


Oyj reserva-se o direito de efetuar alterações nos manuais de
operação e manutenção sem notificação prévia.

Familiarize-se bem com a estrutura construtiva da máquina flo-


restal e com seus procedimentos de operação e manutenção
antes de iniciar qualquer operação com a máquina.

Desejamos-lhe pleno sucesso!

Ponsse Oyj
Bandeira da Chave

Todos os produtos da Ponsse Oyj conquistaram o direito de


usar a bandeira da Chave, símbolo do trabalho finlandês. A
bandeira da chave é um símbolo de origem registrado, ins-
pecionado e supervisionado, sendo concedido pela Associ-
ação do Trabalho Finlandês. O direito de usar a bandeira da
Chave pode ser concedido a empresas cujos produtos
comprovem manter alto grau de origem finlandesa perante
uma comissão de origem composta de especialistas exter-
nos. Para mais informações, visite www.avainlippu.fi.
Forwarder

Estas instruções de operação e de serviço se aplicam aos


seguintes
modelos de forwarder PONSSE:

PONSSE BuffaloKing 8w

Este forwarder foi projetado para ser usado somente junto com
um carregador fabricado pela Ponsse Plc.

Os forwarders PONSSE foram desenvolvidos para transportar


a madeira para uma estrada enquanto aguarda novo transporte.
A finalidade da garra que está localizada no carregador é coletar
as toras cortadas pelo harvester e içá-las até o espaço de carga.
Em seguida, as toras serão transportadas até a margem da
estrada, onde serão descarregadas do espaço de carga e colo-
cadas nas pilhas de armazenamento usando a garra.

Nota! Se o forwarder estiver equipado com um modelo de carre-


gador de qualquer outro fabricante, o uso desse dispositivo
deverá ser aprovado pela Ponsse Plc.

Copyright © Ponsse Plc


All rights reserved. Reproduction, transfer, distribution or storage of part or all of the contents in
this document in any form without the prior written permission of Ponsse Plc is strictly prohibited.
PONSSE is a registered trademark of Ponsse Plc and other product names may be trademarks
or trade names of Ponsse Plc.

O Grupo Ponsse e suas empresas afiliadas não garantem que o conteúdo da documentação
seja livre de defeitos ou atualizado. As informações podem ser corrigidas, editadas, atualizadas
ou removidas sem aviso prévio. Para obter informações adicionais, contate a companhia apro-
priada do Grupo Ponsse.
Declaração CE de Conformidade

Ponsse Plc CE Declaração de Conformidade


Ponssentie 22 Conforme a Diretiva 2006/42/EC do Parlamento
74200 Vieremä Europeu e do Conselho
FINLÂNDIA

Como fabricante da maquinaria, a Ponsse Plc declara por meio deste que a seguinte
maquinaria:

Nome da marca: PONSSE

Descrição da maquinaria: FORWARDER

Modelo: BUFFALOKING 8w

Identificação da maquinaria, PIN (número de identificação do produto) / número de série:

PONS47HAKAA120137

cumpre(m) todas as exigências relevantes das seguintes Diretivas*:

x 2006/42/CE, de 17 de Maio de 2006 (Diretiva sobre máquinas)


x 2014/30/EU de 26 de fevereiro de 2014 relativa à compatibilidade
eletromagnética (Diretiva EMC)

Vieremä, 16.11.2017

Juho Nummela
Presidente, Administrador Delegado da Ponsse Plc

*Pessoa autorizada (estabelecida na Comunidade) a compilar o processo técnico:


Ponsse Plc, 74200 Vieremä, FINLÂNDIA Inglês
Ponsse Plc. 74200 Vieremä, Finlândia, Telefone +358 20 768 800, Fax +358 20 768 8690
Registro comercial: 0934209-0, Matriz, Vieremä, Finlândia
Índice analítico

Índice analítico
1 Segurança
1.1 Geral ........................................................................... 19
1.2 Símbolo de aviso geral .................................................. 19
1.3 Termos da sinalização ................................................... 20
1.4 Equipamento eletrônico ................................................ 21
1.5 Finalidade de uso da máquina ....................................... 22
1.6 Terminologia ................................................................. 25
1.7 Recursos de segurança ................................................ 26
1.8 Nível de ruído e vibração .............................................. 29
1.8.1 Nível de ruído da máquina .............................. 29
1.8.2 Vibração da máquina ...................................... 29
1.9 Instruções gerais de segurança ..................................... 30
1.9.1 Dirigir em uma rodovia .................................... 32
1.9.2 Transportando uma máquina ........................... 32
1.9.3 Verificando a máquina .................................... 33
1.10 Acumuladores de pressão ............................................. 34
1.11 Lâmpadas de descarga ................................................. 35
1.12 Aditivo DEF (AdBlue) .................................................... 36
1.13 Segurança no trabalho .................................................. 37
1.13.1 Trabalhando em terreno inclinado .................... 39
1.13.2 Segurança no trabalho, forwarders .................. 42
1.13.3 Segurança no trabalho, Dual ........................... 43
1.13.4 Segurança ao trabalhar próximo a linhas de
energia .......................................................... 43
1.14 Segurança em trabalhos de manutenção e reparo .......... 44
1.14.1 Geral ............................................................. 44
1.14.2 Ações antes da manutenção ........................... 46
1.14.3 Sistema hidráulico .......................................... 47
1.14.4 Gruas ............................................................ 48
1.14.5 Carregadores ................................................. 48
1.14.6 Cabeçotes do harvester .................................. 49
1.14.6.1 Testando a serra ............................................. 50
1.14.6.2 Segurança durante o ajuste das pres-
sões .............................................................. 50
1.14.6.3 Controle manual dos movimentos do cabeçote
do harvester ................................................... 51
1.15 Pneus .......................................................................... 51
1.15.1 Pneus de lastro líquido .................................... 52
1.15.2 Pressurizando um pneu .................................. 52
1.15.3 Manipulando e transportando um pneu pressu-
rizado ............................................................ 53
1.16 Observar durante o içamento de uma máquina ............... 54
1.17 Saídas de emergência .................................................. 55
1.17.1 Abrindo a janela lateral / saída de emergência
por dentro da cabine ....................................... 55
1.17.2 Abrindo a janela lateral / saída de emergência
por fora da cabine ........................................... 55
Índice analítico

1.18 Soldando a máquina ..................................................... 56


1.18.1 Preparativos ................................................... 56
1.18.2 Soldando a máquina ....................................... 56
1.18.3 Ações depois da soldagem ............................. 57
1.19 Cabine ......................................................................... 58
1.20 Prevenindo incêndios .................................................... 59
1.21 Baterias de partida ........................................................ 61
1.21.1 Manutenção e verificações da bateria .............. 62
1.22 Degraus hidráulicos ...................................................... 63
1.23 Placas ......................................................................... 65
1.23.1 Plaqueta do tipo e da marca CE ...................... 65
1.23.1.1 Plaqueta do tipo de cabine .............................. 65
1.23.1.2 Plaqueta da marca CE .................................... 66
1.24 Instruções e adesivos de advertência ............................ 68
1.24.1 Adesivos em chassi com cabine fixa ................ 68
1.25 Adesivos da cabine ....................................................... 75
1.25.1 Adesivos localizados no forwarder/na cabine
dupla ............................................................. 75
1.26 Etiqueta de aviso do cabeçote do harvester ................... 80
1.27 Sinal de fora de operação ............................................. 82

2 Cabine e controles
2.1 Geral ........................................................................... 85
2.2 Painel de interruptores .................................................. 86
2.3 Tela OptiControl ............................................................ 89
2.4 Painel de controle do Opti4G ......................................... 90
2.5 Manoplas de controle e interruptores nos descansos de
braço ........................................................................... 91
2.5.1 Míni manoplas, forwarder ................................ 91
2.5.2 Botões de controle do LoadOptimizer PC
(opcional) ....................................................... 96
2.5.3 Botões de controle VLA VariableLoadArea
(opcional) ....................................................... 97
2.5.4 Controle do prendedor (equipamento opci-
onal) .............................................................. 98
2.5.5 Controle do guincho (equipamento opci-
onal) .............................................................. 99
2.5.6 Eixo adicional de 10w (equipamento opci-
onal) ............................................................ 100
2.6 Pedais ....................................................................... 101
2.7 Travamento central (opcional) ...................................... 101
2.8 Alarmes ..................................................................... 102
2.8.1 Luzes de advertência e de alerta para motores
diesel ........................................................... 102
2.8.2 Funcionalidade das luzes indicadoras dos
alarmes de SCR ........................................... 102
2.8.2.1 Defeito no sistema de SCR ........................... 103
2.8.2.2 Volume de aditivo ......................................... 103
2.8.3 Luz de alarme e som de campainha forte ....... 104
2.8.4 Som baixo da campainha .............................. 106
Índice analítico

2.9 Assento do operador da máquina ................................ 108


2.9.1 Instruções de operação para a série BE-GE
9000 ............................................................ 108
2.9.2 BE-GE 9000 Airvent (opcional) ...................... 110
2.9.3 Assento série BE-GE 3000 (opcional) ............ 111
2.9.3.1 Controles, sua funcionalidade e ajuste ........... 111
2.9.3.2 Manutenção ................................................. 114
2.9.3.3 Itens a serem verificados ............................... 114
2.9.3.4 Instruções de solução de problemas para os
funcionários de serviço autorizado ................. 117
2.9.3.5 Reciclagem .................................................. 118
2.10 Ar condicionado e aquecedor automático ..................... 119
2.10.1 Funcionamento do ar condicionado ................ 119
2.10.2 Como ajustar o ar condicionado e aque-
cedor ........................................................... 119
2.10.3 Controles ..................................................... 121
2.10.4 Informações na tela principal ......................... 121
2.10.5 Menus de operação ...................................... 121
2.10.6 Menus de diagnóstico ................................... 123
2.10.7 Manutenção e inspeção do ar condicio-
nado ............................................................ 125
2.10.8 Limpeza da célula do resfriador a cada 50
horas ........................................................... 126
2.10.9 Verificação o filtro de ar fresco e de recircu-
lação a cada 50 horas ................................... 127
2.10.10 Manutenção programada do condicionador a
cada dois anos ............................................. 127
2.11 Sistema de câmeras de ré ........................................... 128
2.11.1 Geral ........................................................... 128
2.11.2 Especificações técnicas ................................ 128
2.11.3 Funcionalidade do sistema ............................ 130
2.11.3.1 Funções do botão da tela .............................. 130
2.11.3.2 Funções dos menus ...................................... 131
2.12 Computador Opti7 da PONSSE ................................... 133
2.12.1 Botão liga e desliga do computador ............... 133
2.12.2 Ajustando o brilho da luz de fundo do
mostrador ..................................................... 134
2.12.3 Funções da cigarra e do LED ........................ 135
2.12.3.1 Funcionamento do computador Opti7 em
temperaturas baixas ..................................... 136
2.12.3.2 Funcionamento do computador Opti7 em
temperaturas altas ........................................ 136
2.12.3.3 Tensão de operação do computador
Opti7 ............................................................ 136
2.12.4 Deixando o computador Opti7 pronto para
soldagem ..................................................... 137
2.12.5 Equipamento auxiliar do computador
Opti7 ............................................................ 137
2.12.6 Portas do computador Opti7 .......................... 138
Índice analítico

2.13 Janelas da cabine ....................................................... 139


2.13.1 Fixação da janela .......................................... 139
2.13.2 Limpeza da janela ......................................... 139
2.13.2.1 Lavagem das janelas .................................... 140
2.13.2.2 Remoção de manchas .................................. 140
2.14 Inclinação da cabine para manutenção e reparos ......... 141
2.14.1 Leia antes de começar o trabalho .................. 141
2.14.2 Liberação da trava da cabine ......................... 142
2.14.3 Inclinação da cabine ..................................... 142
2.14.4 Descida da cabine para uma posição infe-
rior ............................................................... 143
2.14.5 Travamento da cabine em uma posição infe-
rior ............................................................... 143
2.15 Inclinação elétrica da cabine (equipamento opci-
onal) .......................................................................... 144
2.15.1 Inclinação da cabine ..................................... 144
2.15.2 Descida da cabine para uma posição infe-
rior ............................................................... 144

3 Operação e deslocamento
3.1 Introdução à máquina ................................................. 147
3.2 Antes de ligar o motor ................................................. 148
3.3 Ligando o motor .......................................................... 150
3.4 Desligando o motor ..................................................... 151
3.4.1 Parada normal do motor ................................ 151
3.4.2 Parada de emergência .................................. 152
3.5 Controle de suspensão ativa (ActiveFrame) .................. 153
3.5.1 Controle automático ...................................... 154
3.5.1.1 Centro .......................................................... 154
3.5.1.2 Suspensão ................................................... 154
3.5.2 Dirigir em vias públicas ................................. 154
3.5.3 Controle manual ........................................... 155
3.6 Operação de deslocamento da máquina ...................... 156
3.6.1 Início do trabalho .......................................... 157
3.6.2 Dirigir e trabalhar com rpm constante ............. 158
3.6.3 Condução no terreno .................................... 160
3.6.4 Dirigir em vias públicas ................................. 161
3.6.4.1 Equipamentos de trânsito .............................. 161
3.6.4.2 Condução .................................................... 164
3.6.5 Freio de estacionamento automático .............. 165
3.6.6 Controle do carregador ................................. 165
3.6.7 Controle do malhal ........................................ 166
3.6.7.1 Abertura de toras para frente/para trás ........... 166
3.6.7.2 Malhal para cima/baixo ................................. 166
3.6.8 Funções da lâmina do buldôzer (equipamento
opcional) ...................................................... 167
Índice analítico

3.6.9 Área de carga variável VLA (VariableLoadArea,


opcional) ...................................................... 168
3.6.9.1 Expansão hidráulica do espaço de carga ....... 168
3.6.9.2 Expansão mecânica do espaço de carga ....... 169
3.6.10 Término do trabalho / no final do dia de
trabalho ........................................................ 170
3.7 Reabastecimento de combustível ................................ 171
3.7.1 Reabastecimento sem a bomba de reabasteci-
mento .......................................................... 171
3.7.2 Reabastecimento com a bomba de reabasteci-
mento (bomba de reabastecimento, equipa-
mento opcional) ............................................ 171
3.7.2.1 Limpando o filtro de sucção da bomba de
reabastecimento ........................................... 172
3.8 Condições irregulares de deslocamento e de
trabalho ...................................................................... 174
3.8.1 Impacto da temperatura na pressão dos
pneus ........................................................... 174
3.8.2 Início de trabalho em baixas tempera-
turas/condições de inverno ............................ 174
3.8.2.1 Utilização do aquecedor adicional movido a
combustível em temperaturas baixas ............. 174
3.8.2.2 Início de trabalho em baixas tempera-
turas ............................................................ 175
3.8.2.3 Funcionamento do computador Opti7 em
temperaturas baixas ..................................... 175
3.8.2.4 Compactação da neve nas esteiras ............... 176
3.8.2.4.1 Tensão da esteira ......................................... 176
3.8.3 Início de trabalho em altas temperaturas ........ 177
3.8.3.1 Funcionamento do computador Opti7 em
temperaturas altas ........................................ 177
3.8.4 Trabalhando em terreno inclinado .................. 177
3.9 Situações de emergência ............................................ 178
3.9.1 Partidas auxiliares do motor .......................... 178
3.9.1.1 Observar durante partidas e cargas com
corrente auxiliar ............................................ 178
3.9.1.2 Carga auxiliar com fonte de alimentação à
parte ............................................................ 178
3.9.1.3 Carga auxiliar com outra máquina .................. 178
3.9.1.4 Partida auxiliar com outra máquina ................ 179
3.9.2 Reboque ...................................................... 181
3.9.3 Atolando e dirigindo na água ......................... 182
3.9.4 Queda da máquina ....................................... 182
3.9.5 Em caso de incêndio ..................................... 182
3.10 Sistema de extinção de incêndio .................................. 183
3.10.1 Extintores de incêndio portáteis ..................... 183
3.10.2 Sistema extintor de incêndio (equipamento
opcional) ...................................................... 183
3.10.2.1 Painel de controle do sistema extintor de
incêndio ....................................................... 184
Índice analítico

4 Manutenção
4.1 Uso e manutenção da máquina florestal ecologicamente
corretos ...................................................................... 187
4.2 Leia antes de fazer manutenção ou reparos ................. 188
4.3 Verificações e manutenção / operador da máquina ....... 189
4.3.1 Geral ........................................................... 189
4.3.2 Manutenção diária, a cada 10 horas .............. 189
4.3.3 Manutenção semanal, a cada 50 horas .......... 190
4.3.4 Verifique e faça manutenção regular-
mente .......................................................... 191
4.4 Manutenção programada ............................................ 192
4.4.1 Geral ........................................................... 192
4.4.2 Livro de serviço ............................................ 192
4.4.3 Intervalos de manutenção máximos ............... 193
4.4.4 Manutenção Basic programada ..................... 194
4.4.5 Complete manutenção agendada .................. 195
4.5 Serviço de garantia e inspeção pré-entrega .................. 197
4.6 Inclinação do tanque de combustível (Scorpion 8w,
ScorpionKing) ............................................................. 198
4.6.1 Inclinação manual do tanque de combus-
tível .............................................................. 198
4.6.2 Inclinação elétrica do tanque de combustível
(equipamento opcional) ................................. 200
4.7 Inclinação do tanque de combustível
(Bear, Beaver e Ergo) ................................................. 202
4.8 Abertura da tampa do motor ........................................ 203
4.8.1 Abrindo a tampa do motor em caso de
defeito .......................................................... 203
4.9 Soldando a máquina ................................................... 204
4.9.1 Preparativos ................................................. 204
4.9.2 Soldando a máquina ..................................... 204
4.9.3 Ações depois da soldagem ............................ 205
4.10 Verificação e aperto do mancal horizontal do pivô central;
Scorpion 8w e ScorpionKing ........................................ 206
4.11 Ajustes de trava do eixo central e da oscilação do chassi;
Wisent e Gazelle ........................................................ 207
4.11.1 Aperto do mancal horizontal do pivô central,
Wisent, Gazelle ............................................ 207
4.11.2 Ajustando a trava de oscilação do chassi,
Wisent, Gazelle ............................................ 207
4.12 Conexões de pino cônico ............................................ 209
4.12.1 Apertando as conexões de pino cônico .......... 210
4.12.2 Torques de aperto, parafusos de aperto para
pinos cônicos ............................................... 210
4.13 Sangrar os bloqueios do chassi do tipo cilindro ............. 211
4.14 Lavagem da máquina .................................................. 212
4.15 Armazenamento da máquina ....................................... 213
4.15.1 Medidas antes e durante o armazenamento da
máquina ....................................................... 213
4.15.2 Medidas uma vez por mês ............................. 213
Índice analítico

4.16 Torques de aperto ....................................................... 215


4.16.1 Torques de aperto para parafusos de aço em
máquinas florestais PONSSE ........................ 215
4.16.2 Conexões de pino cônico .............................. 218
4.16.2.1 Apertando as conexões de pino cônico .......... 219
4.16.2.2 Apertando parafusos para conexões de pinos
cônicos, apertando torques ........................... 220
4.16.3 Tabela geral de torques de aperto .................. 221

5 Engraxamento
5.1 Lubrificação manual .................................................... 225
5.1.1 Geral ........................................................... 225
5.1.2 Lubrificando o pivô do truque ......................... 226
5.1.3 Pistola de graxa manual (equipamento opci-
onal) ............................................................ 227
5.2 Sistema de lubrificação progressiva de dois canais
(equipamento opcional) ............................................... 229
5.2.1 Geral ........................................................... 229
5.2.2 Usando o painel de teclas (sistema de lubrifi-
cação progressiva de dois canais) ................. 230
5.2.2.1 Luzes indicadoras ......................................... 230
5.2.2.2 Inicialização da função .................................. 231
5.2.2.3 Funções de definição .................................... 231
5.2.2.3.1 Definição do período de lubrificação .............. 232
5.2.2.3.2 Definindo o tempo máximo de pressuri-
zação ........................................................... 233
5.2.2.3.3 Definindo o número de pulsos ....................... 234
5.2.3 Estrutura da bomba de lubrificação
central .......................................................... 235
5.2.4 Especificações técnicas da bomba de lubrifi-
cação ........................................................... 235
5.2.5 Abastecimento do tanque de lubrificação ....... 236
5.2.6 Limpeza do filtro do conector de reabasteci-
mento da bomba de lubrificação .................... 237
5.2.7 Sangria da bomba de lubrificação .................. 239
5.2.8 Solução de problemas .................................. 240
5.3 Pontos de engraxamento ............................................ 245
5.3.1 Pontos de engraxamento .............................. 245
5.3.2 Lubrificação manual ...................................... 247
5.3.3 Lubrificação dos componentes no eixo adici-
onal de 10w .................................................. 248
5.4 Pontos de engraxamento, prendedor do clame (opci-
onal) .......................................................................... 249
5.5 Condições de qualidade para graxas lubrificantes ......... 250
5.5.1 Requisito de viscosidade ............................... 250
5.5.2 Lubrificação manual ...................................... 250
5.5.3 Sistema de lubrificação central ...................... 250
5.5.3.1 Gradação NLGI de graxas usadas em sistemas
de lubrificação central ................................... 251
Índice analítico

6 Instruções de ajuste
6.1 Leia antes de começar o trabalho ................................ 255
6.2 Bomba do carregador Rexroth A11VLO190 .................. 255
6.2.1 Verificação da pressão de reserva ................. 255
6.2.2 Ajuste da pressão de reserva ........................ 256
6.2.3 Ajuste da pressão máxima ............................ 257
6.2.4 Valores da pressão de reserva e da pressão
máxima ........................................................ 257
6.2.5 A ser observado se a máquina estiver equipada
com o guincho PONSSE Synchrowinch (equi-
pamento opcional Buffalo 8w, Elephant 8w,
ElephantKing 8w) .......................................... 258
6.3 Válvula K220 .............................................................. 259
6.3.1 Leia antes de começar o trabalho .................. 259
6.3.2 Ajuste de pressão da válvula ......................... 260
6.3.3 Tabela de valor de ajuste de MR .................... 261
6.4 Blocos ........................................................................ 262
6.4.1 Leia antes de começar o trabalho .................. 262
6.4.2 Blocos, pontos de medição e parafusos de
ajuste ........................................................... 262
6.4.3 Ajuste da pressão no circuito dos freios .......... 263
6.4.4 Ajuste da pressão do bloqueio do diferen-
cial ............................................................... 263
6.4.5 Ajuste da pressão do freio de serviço ............. 264
6.4.6 Ajuste da pressão do freio de estaciona-
mento .......................................................... 265
6.5 Transmissão ............................................................... 266
6.5.1 Leia antes de começar o trabalho .................. 266
6.5.2 Medição da pressão de alimentação da trans-
missão de deslocamento ............................... 266
6.6 Medição da pressão de alimentação do ventilador
hidráulico (FAN) .......................................................... 267
6.7 Válvulas de ajuste ....................................................... 268
6.8 Pressões dos pneus ................................................... 269
6.8.1 Impacto da temperatura na pressão dos
pneus ........................................................... 269

7 Transmissão
7.1 Troca de óleo ............................................................. 273
7.1.1 Geral ........................................................... 273
7.1.2 Óleo limpo para ser recuperado ..................... 273
7.2 Truques e eixos .......................................................... 274
7.2.1 Engrenagens planetárias, truque dianteiro e
traseiro ......................................................... 274
7.2.2 Carcaças do truque, truque dianteiro e
traseiro ......................................................... 275
7.2.3 Engrenagem diferencial, truque dianteiro ....... 276
7.2.4 Engrenagem diferencial, truque traseiro ......... 277
7.3 Bloqueio do diferencial ................................................ 278
7.4 Caixa de transferência ................................................ 279
Índice analítico

8 Hidráulica
8.1 Manutenção e limpeza do sistema hidráulico são a base
para confiabilidade ...................................................... 283
8.2 Óleo hidráulico ........................................................... 285
8.2.1 Primeiro tanque de óleo hidráulico ................. 285
8.2.2 Instruções para troca de óleo usando o método
de lavagem .................................................. 285
8.2.3 Pré-aquecimento de óleos hidráulicos em clima
frio ............................................................... 286
8.3 Viscosidade do óleo hidráulico ..................................... 287
8.4 Amostragem de óleo no sistema hidráulico ................... 288
8.5 Sangria da carcaça do filtro do tanque hidráulico .......... 288
8.6 Reabastecimento do óleo hidráulico ............................. 289
8.6.1 Reabastecimento sem a bomba de reabasteci-
mento .......................................................... 289
8.6.2 Reabastecimento usando a bomba de reabas-
tecimento ..................................................... 290
8.7 Sistema de filtro fino (equipamento opcional) ................ 291
8.7.1 Filtro para sangrar ........................................ 291
8.7.2 Filtro de ar desumidificador ........................... 291

9 Sistema de freios
9.1 Sistema de freios ........................................................ 295
9.1.1 Geral ........................................................... 295
9.1.1.1 Freio de operação ......................................... 295
9.1.1.2 Freio de serviço ............................................ 295
9.1.1.3 Freio de estacionamento ............................... 295
9.2 Liberar manualmente os freios de estacionamento ........ 297
9.3 Ajustando os freios de estacionamento para que fiquem
em uma condição de deslocamento ............................. 298
9.4 Sangramento dos freios .............................................. 299
9.4.1 Geral ........................................................... 299
9.4.2 Sangria dos freios de trabalho e
operação ...................................................... 300
9.4.3 Sangria do freio de estacionamento ............... 302
9.4.4 Sangrando a válvula do freio ......................... 304

10 Sistema elétrico
10.1 Geral ......................................................................... 307
10.2 Chave geral ................................................................ 308
10.3 Baterias ..................................................................... 308
10.3.1 Baterias de partida ........................................ 308
10.3.2 Bateria para o sistema de 12 V ...................... 309
10.4 Centrais elétricas ........................................................ 310
10.4.1 Central elétrica principal no compartimento do
para-choque ................................................. 310
10.4.2 Central elétrica no suporte do equipa-
mento .......................................................... 310
10.4.3 Central elétrica na cabine .............................. 311
Índice analítico

10.5 Fusíveis ..................................................................... 313


10.5.1 Os fusíveis no compartimento do pára-
choque ......................................................... 313
10.5.2 Fusíveis no suporte do equipamento .............. 315
10.5.3 Fusíveis na cabine ........................................ 316
10.6 Relés ......................................................................... 319
10.6.1 Os relés no compartimento do pára-
choque ......................................................... 319
10.6.2 Relés no suporte do equipamento .................. 319
10.6.3 Relés na cabine ............................................ 320
10.7 Sensores .................................................................... 321
10.7.1 Módulo do sensor (Ergo 6w, Active-
Frame) ......................................................... 323
10.8 Aterramento ............................................................... 324

11 Especificações técnicas
11.1 Apresentação da máquina ........................................... 327
11.2 Localizações das placas e do número de identificação
do produto .................................................................. 328
11.3 Principais componentes .............................................. 329
11.4 Filtros ......................................................................... 330
11.5 Especificações técnicas .............................................. 331
11.6 Características, quantidades e graus de qualidade dos
líquidos e óleos .......................................................... 334
11.7 Recomendações de óleo e graxa ................................. 337
11.7.1 Óleos e graxas PONSSE Logger's ................. 337
11.7.2 Óleos e graxas recomendados por fabricantes
de óleo ......................................................... 338
11.8 Recomendações da pressão dos pneus ....................... 340
11.8.1 Nokia Forestry Tyres / Harvesters .................. 341
11.8.2 Nokia Forestry Tyres / Forwarders ................. 343
11.8.3 Trelleborg TWIN Forestry / Harvesters ........... 345
11.8.4 Trelleborg TWIN Forestry / Forwarders ........... 346

12 Içamento e transporte da máquina


12.1 Movendo a máquina dirigindo, içando e fixando para o
transporte ................................................................... 349
12.1.1 Movendo a máquina dirigindo ........................ 350
12.1.2 Suspendendo a máquina (figura na página
anterior) ....................................................... 350
12.1.3 Fixação da máquina para transporte (figura na
Seção ) ........................................................ 351

Condições de garantia
Condições de garantia .......................................................... 355

APÊNDICES
Webasto Thermo 90 S
Webasto Thermo Pro 90 D
2012 Ponsse Control II
Índice analítico

Sit Right 2005 - Nivelador de assento para frente/à ré da


compensação de inclinação
Sit Right 2005 - nivelamento lateral automático
Eixos adicionais de 10w (equipamento opcional, Buffalo e
Elk)
Eixos adicionais de 10w (equipamento opcional, Wisent)
Defa DVS90 - Equipamento opcional
.
1
Segurança

Índice analítico Parte 1


1.1 Geral ................................................................................. 19
1.2 Símbolo de aviso geral ........................................................ 19
1.3 Termos da sinalização ......................................................... 20
1.4 Equipamento eletrônico ...................................................... 21
1.5 Finalidade de uso da máquina ............................................. 22
1.6 Terminologia ....................................................................... 25
1.7 Recursos de segurança ...................................................... 26
1.8 Nível de ruído e vibração .................................................... 29
1.8.1 Nível de ruído da máquina .................................... 29
1.8.2 Vibração da máquina ............................................ 29
1.9 Instruções gerais de segurança ........................................... 30
1.9.1 Dirigir em uma rodovia .......................................... 32
1.9.2 Transportando uma máquina ................................. 32
1.9.3 Verificando a máquina .......................................... 33
1.10 Acumuladores de pressão ................................................... 34
1.11 Lâmpadas de descarga ....................................................... 35
1.12 Aditivo DEF (AdBlue) .......................................................... 36
1.13 Segurança no trabalho ........................................................ 37
1.13.1 Trabalhando em terreno inclinado .......................... 39
1.13.2 Segurança no trabalho, forwarders ........................ 42
1.13.3 Segurança no trabalho, Dual ................................. 43
1.13.4 Segurança ao trabalhar próximo a linhas de
energia ................................................................ 43
1.14 Segurança em trabalhos de manutenção e reparo ................ 44
1.14.1 Geral ................................................................... 44
1.14.2 Ações antes da manutenção ................................. 46
1.14.3 Sistema hidráulico ................................................ 47
1.14.4 Gruas .................................................................. 48
1.14.5 Carregadores ....................................................... 48
1.14.6 Cabeçotes do harvester ........................................ 49
1.14.6.1 Testando a serra ................................................... 50
1.14.6.2 Segurança durante o ajuste das pressões .............. 50
1.14.6.3 Controle manual dos movimentos do cabeçote do
harvester .............................................................. 51
1 Segurança

1.15 Pneus ................................................................................ 51


1.15.1 Pneus de lastro líquido .......................................... 52
1.15.2 Pressurizando um pneu ........................................ 52
1.15.3 Manipulando e transportando um pneu pressuri-
zado .................................................................... 53
1.16 Observar durante o içamento de uma máquina ..................... 54
1.17 Saídas de emergência ........................................................ 55
1.17.1 Abrindo a janela lateral / saída de emergência por
dentro da cabine ................................................... 55
1.17.2 Abrindo a janela lateral / saída de emergência por
fora da cabine ...................................................... 55
1.18 Soldando a máquina ........................................................... 56
1.18.1 Preparativos ......................................................... 56
1.18.2 Soldando a máquina ............................................. 56
1.18.3 Ações depois da soldagem ................................... 57
1.19 Cabine ............................................................................... 58
1.20 Prevenindo incêndios .......................................................... 59
1.21 Baterias de partida .............................................................. 61
1.21.1 Manutenção e verificações da bateria .................... 62
1.22 Degraus hidráulicos ............................................................ 63
1.23 Placas ............................................................................... 65
1.23.1 Plaqueta do tipo e da marca CE ............................ 65
1.23.1.1 Plaqueta do tipo de cabine .................................... 65
1.23.1.2 Plaqueta da marca CE .......................................... 66
1.24 Instruções e adesivos de advertência .................................. 68
1.24.1 Adesivos em chassi com cabine fixa ...................... 68
1.25 Adesivos da cabine ............................................................. 75
1.25.1 Adesivos localizados no forwarder/na cabine
dupla ................................................................... 75
1.26 Etiqueta de aviso do cabeçote do harvester ......................... 80
1.27 Sinal de fora de operação ................................................... 82
1 Segurança

1.1 Geral
A Ponsse Plc projeta e fabrica equipamentos florestais. O
foco durante o projeto e a fabricação das máquinas está em
fornecer a melhor segurança e confiabilidade possíveis. O
uso de máquinas com transmissões de alta potência sempre
envolve um elemento de perigo.

Para minimizar os perigos, leia e procure compreender


estas instruções gerais de segurança.

Estas instruções gerais de segurança não cobrem todas as


situações que possam surgir na operação do equipamento
florestal, mas podem ajudar o operador a evitar situações
perigosas e possíveis acidentes.

Além destas instruções, siga sempre todos os regulamentos


legais, instruções de saúde e segurança e regulamentos de
proteção ao trabalho em vigor no seu local de trabalho.

Se qualquer informação deste manual estiver em conflito


com as leis e decretos vigentes no país de operação, certifi-
que-se de seguir as leis e decretos locais.

Este Manual do Proprietário faz parte da máquina; certifique-


se de que ele esteja sempre disponível para o operador. Se
o manual estiver danificado ou fora de seu lugar, obtenha
imediatamente um novo.

1.2 Símbolo de aviso geral


O símbolo de aviso geral é utilizado neste manual para
! chamar a atenção para situações em que negligência ou
uma falha em determinadas condições poderá resultar em
lesão potencialmente letal e/ou uma falha ou defeito mais
sério da máquina.

19
1 Segurança

1.3 Termos da sinalização


PERIGO alerta para uma situação de perigo iminente e
grave, capaz de causar a morte ou lesões pessoais graves.

AVISO alerta para uma situação iminente e potencialmente


perigosa, capaz de causar a morte ou lesões pessoais gra-
ves.

ATENÇÃO indica uma situação de possível perigo, capaz


de causar lesões ou danos menos graves ou moderados.

ATENÇÃO também pode ser usado para chamar sua aten-


ção para situações ou procedimentos perigosos capazes de
causar alguma lesão.

Esse símbolo é usado para chamar a atenção para situações


ou procedimentos que podem levar a danos materiais ou
defeitos no produto.

20
1 Segurança

1.4 Equipamento eletrônico


O uso de todos os radiotransmissores com antena dentro
da cabine (telefone celular, rádio de ondas curtas etc.) é
PROIBIDO. O equipamento mencionado deve ser instalado
corretamente. A antena deve ser instalada em uma superfície
de aterramento adequada fora da cabine.

O fabricante não assume responsabilidade por interferências


causadas por dispositivos elétricos se os dispositivos não
forem testados e aprovados de acordo com a norma EMC
aplicável.

O fabricante não assume responsabilidade por qualquer


alteração feita no sistema elétrico original da máquina se as
alterações não forem realizadas em conformidade com os
boletins de serviço. O funcionamento correto dos sistemas
de segurança da máquina poderá estar em risco.

21
1 Segurança

1.5 Finalidade de uso da máquina


As máquinas ou os componentes de máquinas a seguir são
destinados somente para as finalidades listadas abaixo. Eles
não foram projetados ou aprovados para qualquer outro uso.
Consulte a figura abaixo para compreender as explicações
com mais facilidade.

2
1

2
1

4 5

1 Harvester
2 Grua
3 Cabeçote do harvester
4 Forwarder
5 Carregador
6 Garra

1. Harvester – equipamento florestal que abate, desgalha,


corta e mede árvores.
O harvester não pode ser usado para qualquer outra finali-
dade além das mencionadas acima.

2. Grua – grua de harvester usada para controlar o cabe-


çote do harvester e guiá-lo para que uma árvore seja
processada.

22
1 Segurança

A grua não pode ser usada para qualquer outra finalidade


além das mencionadas acima. De modo especial, ela não
pode ser usada para içar ou movimentar pessoas ou merca-
dorias.

3. Cabeçote do harvester – componente do equipamento


florestal que corta, desgalha e mede árvores. É com-
posto de, por exemplo, roletes alimentadores, lâminas
desgalhadoras, sensores de medição, motosserra e
mecanismo de inclinação. Este último permite que o
cabeçote do harvester funcione nas posições horizontais
e verticais. O cabeçote do harvester é fixado à grua por
uma junta de rotação, que permite ao cabeçote do har-
vester girar ao redor de seu eixo vertical.
O cabeçote do harvester não pode ser usado para qualquer
outra finalidade além das mencionadas acima. De modo
especial, ela não pode ser usada para içar ou movimentar
pessoas ou mercadorias.

4. Forwarder – é um equipamento florestal projetado para


o transporte de madeira até uma estrada, onde o mate-
rial deve esperar por transporte posterior. A finalidade
da garra, que está localizada no carregador, é coletar
as toras cortadas pelo harvester e içá-las para o espaço
de carga. Depois, as toras serão transportadas até a
beira de uma estrada, onde serão retiradas do espaço
de carga e colocadas em pilhas de armazenamento com
o uso da garra.
O forwarder não pode ser usado para qualquer outra finali-
dade além das mencionadas acima.

5. Carregador – dispositivo de carregamento do forwarder


usado para içar árvores de/para o espaço de carga.
O carregador não pode ser usado para qualquer outra fina-
lidade além das mencionadas acima. De modo especial, ela
não pode ser usada para içar ou movimentar pessoas ou
mercadorias.

6. Garra – componente do forwarder usado para agarrar


árvores. A garra é usada para coletar as toras cortadas
pelo harvester e colocá-las no espaço de carga do
forwarder.

23
1 Segurança

A garra não pode ser usada para qualquer outra finalidade


além das mencionadas acima. De modo especial, ela não
pode ser usada para içar ou movimentar pessoas ou merca-
dorias.

7. Máquina dupla – equipamento florestal que é uma


combinação de forwarder e harvester. Quando a
máquina dupla é empregada como um harvester, ela
pode ser usada para abater, desgalhar, cortar e medir
árvores. Se necessário, uma máquina dupla pode ser
transformada em um forwarder, caso em que ela será
usada para transportar toras da floresta para a beira da
estrada, colocando-as no espaço de carga com a garra
e o carregador.
A máquina dupla não pode ser usada para qualquer outra
finalidade além das mencionadas acima.

8. Skidder – é um equipamento florestal projetado para o


transporte de madeira até uma estrada, onde o material
deve esperar por transporte posterior. A finalidade da
garra, que está localizada no carregador, é coletar as
toras cortadas pelo harvester e içá-las para a tarimba
do prendedor. Depois, as toras serão transportadas até
a beira da estrada, onde serão descarregadas da
tarimba do prendedor com uso da garra.
O skidder não pode ser usado para qualquer outra finalidade
além das mencionadas acima.

9. Tarimba do prendedor – dispositivo adicional localizado


no espaço de carga de um skidder. Os prendedores da
tarimba são usados para bloquear hidraulicamente toras
no espaço de carga do forwarder/skidder para que elas
não se movam durante o transporte para a beira da
estrada.
A tarimba do prendedor não pode ser usada para qualquer
outra finalidade além das mencionadas acima.

24
1 Segurança

1.6 Terminologia
Explicações de termos usados neste guia de segurança:

● Opti4G – o sistema de controle usado em um harvester


ou uma máquina dupla Ponsse.
● OptiControl – sistema de controle de uma máquina
florestal que integra todos os aspectos da operação da
máquina – controle da grua/carregador, controles,
transmissão e motor a diesel – em um conjunto fácil de
gerenciar.
● Sistema de controle – sistema composto de equipa-
mentos e software de coleta e transferência de dados,
munido de tecnologia da informação para usar harves-
ters e forwarders com maior facilidade e eficiência.
● Freio de serviço – freio ativado pelo sistema de controle
que afeta todas as rodas da máquina. O freio de serviço
usa a pressão hidráulica do sistema de freios. Aper-
tando-se o pedal do acelerador, o freio é liberado;
tirando-se o pé desse pedal, ele atua novamente.
● Freio de operação – freio controlado por um pedal no
assoalho da cabine; afeta todas as rodas da máquina.
● Freio de estacionamento – freio ativado pelo sis-
tema de controle ou pelo operador que afeta todas as
rodas da máquina.
● Bloqueio de oscilação do chassi – os chassis frontal
e traseiro de um equipamento florestal são montados
em pivô para que possam girar ao redor do eixo vertical
da máquina. O bloqueio de oscilação do chassi trava
os chassis frontal e traseiro, combina-os em uma uni-
dade única e imóvel quando a máquina estiver inativa
para fins de operação.

25
1 Segurança

1.7 Recursos de segurança


8
9
13

12 11 10 12

1. Degraus, objetos antiderrapantes e manoplas


Use os degraus, os objetos antiderrapantes e as
manoplas quando estiver subindo na cabine.
2. Saída de emergência
A janela lateral serve como saída de emergência. Con-
sulte a seção 1.17 Saídas de emergência.
3. Botão de parada de emergência
Pressionar o botão de parada de emergência para o
motor e todas as operações da máquina, além de acio-
nar o freio de estacionamento.
4. Sinais de aviso
Os sinais de aviso se referem aos riscos e perigos
associados à utilização da máquina.
5. Cabine de segurança
A cabine é um compartimento de segurança, testado
de acordo com os padrões globais (ROPS, FOPS e
OPS), no qual um chassi de aço, que apresenta janelas
de policarbonato coladas a ele, forma uma estrutura
que protege o operador.
6. Extintores de incêndio portáteis e sistema de extin-
tores de incêndio (equipamento opcional) Existem
dois extintores de incêndio portáteis na máquina. Um
está localizado dentro da cabine e o outro pode ser
encontrado fora da máquina.
7. Luz e cigarra de aviso
Emitem um alarme em caso de falha ou defeito na
máquina.
8. Interruptor de direção do assento
É ativado quando o assento é girado para o lado em
relação à direção da grua.

26
1 Segurança

● Desativa as funções de carregador, rotator e garra


(exceto no caso da função de garra fechada).
● Quando o assento é afastado do carregador em
direção ao motor, o sentido de deslocamento
mudará automaticamente sem a necessidade de
uso do interruptor de deslocamento.
9. Cinto de segurança
Sempre use o cinto de segurança quando estiver ope-
rando a máquina. Se o cinto de segurança não estiver
afivelado, as estruturas que protegem o operador não
funcionarão como previsto.
10. Suporte do transporte do pivô intermediário
O pivô intermediário deverá estar travado com o suporte
do transporte quando a máquina estiver sendo içada ou
movida em uma plataforma.
11. Suporte de segurança para inclinação da cabine
A cabine deverá estar travada com o suporte de segu-
rança durante içamentos. Para obter instruções mais
detalhadas sobre o uso do suporte de segurança, con-
sulte a seção: Cabine
12. Alarme de ré
O alarme de ré emite um alarme para advertir pessoas
fora da máquina de que o operador está dirigindo a
máquina.
A função do alarme de ré deve ser testada no início de
cada turno. Quando o forwarder é conduzido na direção
do espaço de carga, o alarme de ré SEMPRE emitirá
um alarme, independentemente da posição do assento
do operador. De modo correspondente, quando o
forwarder é conduzido na direção do motor a diesel, o
alarme de ré deverá emitir um alarme quando o assento
estiver virado para o espaço de carga.

13. Interruptor do cinto de segurança e interruptor da


porta
Se o cinto de segurança não estiver afivelado e a porta
da cabine não estiver fechada, as funções a seguir serão
desativadas:
● Controle da garra
● Controle do carregador
● Transmissão
● Direção da máquina
Observe que a máquina é dirigida a partir do mini-
volante!

27
1 Segurança

Para reativar as funções desativadas, basta afivelar o


cinto de segurança e/ou fechar a porta, e pressionar o
botão de confirmação do operador na tela.
Observe que a função do interruptor do cinto de segu-
rança deverá ser testada no início de cada turno. As
funções acima mencionadas não podem ser ativadas
quando o cinto de segurança estiver desafivelado.

Observe que a função do interruptor da porta deverá


ser testada no início de cada turno. As funções acima
mencionadas não podem ser ativadas quando a porta
estiver aberta.

28
1 Segurança

1.8 Nível de ruído e vibração

1.8.1 Nível de ruído da máquina


O nível de pressão de som da emissão com suas incertezas
na medição (± 2 dB(A)) dentro da cabine da máquina,
medida a partir do banco do operador, não excederá 70
dB(A).

As medições foram realizadas em conformidade com a ISO


6394, com a máquina estacionada em um campo aberto e
plano, com as portas e janelas da cabine fechadas, o motor
em rpm máxima e o ventilador do aquecedor da cabine em
rpm média.

1.8.2 Vibração da máquina


A velocidade de condução, o terreno e os métodos de traba-
lho do operador, em específico, exercem grande impacto no
nível de vibração ao qual o operador é submetido.

As medidas de nível de vibração foram tomadas em confor-


midade com a ISO 2631-1: 1997 em condições normais de
operação da máquina florestal.

O valor quadrático médio (valor RMS) ponderado máximo


ao qual o corpo do operador é submetido é de 0,65 m/s²
quando a máquina está movendo com a incerteza de medi-
ção a ± 0,3 m/s² e a 0,37 m/s² quando a máquina é utilizada
no local com a incerteza de medição a ± 0,15 m/s².

O nível de vibração total ao qual as mãos e braços do ope-


rador são submetidos com sua incerteza de medição de ±
0,5 m/s² não excede 2,5 m/s².

O operador pode influenciar o nível de vibração se reduzir


a velocidade de deslocamento e adaptar o método de deslo-
camento ao terreno.

29
1 Segurança

1.9 Instruções gerais de segurança


Antes de usar a máquina, leia e certifique-se de que enten-
deu o Manual do Proprietário. Siga as instruções e advertên-
cias fornecidas, pois elas o ajudarão a evitar situações peri-
gosas e a aumentar a segurança no trabalho.

Certifique-se de seguir os regulamentos locais de segurança


no trabalho.

A grua do equipamento florestal não deve ser usada para


içar ou movimentar pessoas ou mercadorias.

Na condição de operador da máquina, é sua a responsabili-


dade principal pela segurança da colheita e do carregamento
e por garantir que a máquina não ponha em perigo a segu-
rança de terceiros.

O equipamento florestal só pode ser operado por alguém


muito bem capacitado. Não permita que pessoas sem treina-
mento use a máquina.

Um operador de equipamentos florestais deve estar em boas


condições de saúde para realizar seu trabalho. O equipa-
mento florestal não pode ser usado sob a influência de álcool
ou drogas. Não opere a máquina se estiver cansado ou
doente.

Ajuste a velocidade de deslocamento de acordo com as


condições predominantes do terreno para evitar qualquer
tensão no operador causada pela vibração ou oscilação da
máquina. Observe que uma velocidade de deslocamento
muito alta em terreno irregular pode fazer com que a máquina
caia inesperadamente.

Observe que ao utilizar uma máquina equipada com um


sistema de nivelamento de cabine ou de quadro sua sensa-
ção de partes desiguais no terreno e inclinações poderá ser
claramente deteriorada. Isso poderá levar à perda repentina
da estabilidade da máquina, especialmente ao dirigir muito
rápido.

Não armazene qualquer bem adicional na cabine. O arma-


zenamento de bens - especialmente objetos pesados, como
caixas de ferramentas etc. - na cabine ou no piso da cabine
é estritamente proibido.

30
1 Segurança

Sempre baixe a grua para a posição de descanso, aplique


o freio de estacionamento, desligue o motor e a corrente
principal ao sair da cabine da máquina, mesmo durante um
curto período. Esse procedimento deve ser seguido inde-
pendentemente do motivo de sair da cabine.

A cabine da máquina é destinada somente para o opera-


dor. É proibido transportar passageiros ou animais durante
a operação da máquina. Quando uma situação de treina-
mento de operador requer que o instrutor fique na cabine, a
máquina deve ser tratada com extremo cuidado, e todas as
pessoas devem estar cientes do fato de que a segurança
do passageiro não pode ser garantida no caso de uma situ-
ação perigosa.

É estritamente proibida a remoção de qualquer equipa-


mento de proteção ou de segurança da máquina, bem
como a modificação desses equipamentos ou torná-los
inoperantes.

Não se aproxime de nenhuma peça em movimento. Sempre


pare e desligue a máquina durante a manutenção e as veri-
ficações.

Se for necessário mover-se ao redor da máquina em áreas


de estrada ou outras áreas onde alta visibilidade for essen-
cial, sempre utilize um colete ou roupa de segurança/refletora
aprovada (como uma roupa de advertência de alta visibili-
dade EN 471).

Mantenha os adesivos de segurança em boas condições e


os substitua quando estiverem danificados.

Use somente peças originais Ponsse ao fazer a manutenção


ou o reparo da máquina para garantir a operação adequada.
Não modifique a estrutura da máquina. As alterações feitas
na máquina podem deteriorar sua confiabilidade, a segurança
do operador ou de outras pessoas, a estabilidade da máquina
ou os sistemas de controle eletrônico.

Os sistemas de controle da máquina e o seu uso são descri-


tos nos manuais do proprietário e nas marcações na cabine.
As descrições estão conforme o projeto quando a máquina
foi fabricada. No entanto, alguns dispositivos de controle
podem ser modificados para atender a uma finalidade
específica, por exemplo, a programação de botões para
novas funções através do sistema de controle.

31
1 Segurança

Se houver diversos operadores da máquina e o operador


anterior alterou as configurações programadas, sempre
certifique-se de que está familiarizado com cada dispositivo
de controle e como influenciam a máquina antes de começar
a trabalhar.

1.9.1 Dirigir em uma rodovia


Certifique-se de que a condição da máquina atenda às nor-
mas nacionais de tráfego rodoviário antes de dirigir em
estradas públicas. Instale os equipamentos de trânsito e
teste se os equipamentos necessários para isso, como os
faróis, luzes traseiras e refletores da máquina, estão operan-
tes e se a buzina está funciona.

Antes de dirigir em estradas públicas, certifique-se de que


possui permissão (carteira de motorista ou permissão
semelhante) para dirigir na estrada em questão.

Esteiras ou correntes não podem normalmente ser usadas


em estradas públicas. Sempre siga as leis de trânsito do
país onde a máquina for utilizada.

1.9.2 Transportando uma máquina


Ao transportar a máquina de um local de trabalho para outro
em uma plataforma de caminhão, verifique antecipadamente
a altura, a largura, o comprimento e o peso totais permitidos
da carga. Verifique se o veículo, o leito inferior ou o reboque
de transporte é suficiente para transportar a máquina. Leve
em conta os requisitos especiais da rota, como pontes baixas
e outros obstáculos. Siga os regulamentos legais locais.

Prenda a máquina firmemente na plataforma de transporte


antes do transporte. Coloque calços na frente e atrás das
rodas. Use uma faixa para prender os degraus hidráulicos
à manopla localizada perto da porta (não no Scorpion).

Coloque a grua e o cabeçote do harvester na posição de


transporte e garanta que as lanças ou o cabeçote do harves-
ter não pode se mover durante o transporte.

Consulte o Manual do Proprietário da máquina, seção: Ele-


vação e transporte da máquina, elevação e fixação da
máquina para o transporte.

32
1 Segurança

1.9.3 Verificando a máquina


O operador é responsável por notificar a pessoa responsável
pela manutenção da máquina a respeito de qualquer dano,
falha, defeito e desgaste que possa afetar a segurança no
trabalho.

Faça um teste de funcionamento de todas as funções da


máquina logo no início do seu turno. Se uma cigarra ou uma
luz de aviso emitir um alarme, pare a máquina imediata-
mente. Descubra e conserte a causa do alarme.

Consulte o Manual do Proprietário da máquina, seção:


Cabine e controles.

Certifique-se de que existe um kit de primeiros socorros e


um equipamento de extinção de incêndio adequados na
máquina e de que eles possam estar ao seu alcance com
facilidade. Familiarize-se com o conteúdo do kit de primeiros
socorros e o mantenha com o estoque necessário. O opera-
dor deve ter habilidades suficientes de primeiros socorros.

Sempre verifique a funcionalidade dos freios da máquina


antes de operá-la!

Sempre verifique o funcionamento do botão de parada de


emergência antes de iniciar o seu turno.

Mantenha passagens, assoalhos e degraus livres de óleo,


gelo, sujeira e objetos soltos.

33
1 Segurança

1.10 Acumuladores de pressão


O acumulador de pressão contém nitrogênio pressurizado
e poderá ser carregado somente com nitrogênio gasoso uti-
lizando um carregador de tipo aprovado.

Somente pessoas treinadas são autorizadas a pré-carregar,


manter, reparar ou colocar acumuladores de pressão em
funcionamento.

Antes de abrir um sistema hidráulico equipado com acumu-


lador de pressão, deverá ser verificado se o acumulador de
pressão liberou todo o óleo pressurizado no sistema. Além
disso, o sistema deverá ser aberto com cuidado para impedir
que pressão remanescente cause algum dano.

O nitrogênio gasoso é perigoso quando inalado, pois desloca


o oxigênio. A inalação do gás em um espaço fechado é
poderá causar risco de vida.

● Nunca abra um acumulador de pressão!


● Nunca modifique um acumulador de pressão ou altere
sua pressão de pré-carga para um valor que não estiver
em conformidade com as instruções do fabricante.
● O acumulador de pressão é um componente pressuri-
zado que não pode ser soldado ou perfurado.

34
1 Segurança

1.11 Lâmpadas de descarga


Lâmpadas de descarga são um equipamento opcional para
a máquina florestal. Se a máquina estiver equipada com
lâmpadas de descarga, leia com cuidado o capítulo abaixo.

Lâmpadas de descarga contêm gases que são prejudiciais


quando inalados e gases pressurizados. Se a lâmpada for
danificada, haverá risco de envenenamento ou lesão cau-
sada por estilhaços.

Instruções de segurança para a troca de lâmpada de xenon


(HID = High Intensity Discharge – Descarga de Alta Intensi-
dade):

Desligue a chave geral da máquina. Sempre desligue os


faróis e desconecte-os da fonte de alimentação antes de
substituir uma lâmpada. Certifique-se de que a lâmpada de
descarga não está energizada. Deixe a lâmpada resfriar
antes de substituí-la.

● Lâmpadas de xenon podem ser utilizadas apenas em


faróis de trabalho fechados projetados especificamente
para lâmpadas de xenon.
● Sempre utilize óculos e luvas de proteção ao substituir
a lâmpada.
● Nunca coloque os dedos ou qualquer objeto no suporte
da lâmpada.
● Nunca use o transformador sem uma lâmpada, pois isso
poderá causar faíscas perigosas no suporte da lâmpada
que podem danificar os componentes.
● Nunca toque na parte de vidro da lâmpada de xenon:
segure-a apenas pela base.
● Remova qualquer impressão digital do vidro da lâmpada
com um pano limpo e álcool. Siga as instruções forneci-
das na embalagem da lâmpada.
● Se quebrar uma lâmpada de xenon acidentalmente em
um ambiente fechado, ventile o recinto cuidadosamente
e não deixe ninguém entrar no local até os gases noci-
vos evaporarem completamente.
● Descarte as lâmpadas de xenon utilizadas de acordo
com as instruções fornecidas na embalagem da lâm-
pada.

35
1 Segurança

1.12 Aditivo DEF (AdBlue)


● Antes de utilizar o produto, leia as instruções e a fichas
de dados sobre segurança de materiais.
● Certifique-se de que o aditivo AdBlue não entre em
contato com sua pele, olhos ou roupas.
● Se o aditivo entrar em contato com sua boca, beba
bastante água e procure assistência médica.
● Se o aditivo entrar em contato com seus olhos, lave-os
cuidadosamente com água limpa e procure assistência
médica.
● Se o aditivo entrar em contato com sua pele, lave-a com
sabão e água limpa em abundância. Procure assistência
médica se necessário.
● Não permita que crianças tenham acesso ao aditivo.
● Existe um risco de exposição a vapor de amônia ao abrir
a tampa do tanque de aditivo AdBlue sob altas tempera-
turas. O vapor tem um cheiro pungente e irrita a pele,
mucosas e olhos.
● Antes de reabastecer o tanque de aditivo, desligue o
motor e o aquecedor do tanque. Certifique-se de que a
máquina não poderá movimentar-se em nenhuma cir-
cunstância.
● Descarte o aditivo de acordo com os regulamentos
ambientais locais.

Existe um tanque separado para o aditivo AdBlue. Nunca


misture o aditivo AdBlue com o combustível. Se aditivo ou
combustível entrar no sistema errado, o sistema de adi-
tivo/combustível provavelmente será danificado.

36
1 Segurança

1.13 Segurança no trabalho


Antes de iniciar o trabalho, feche a porta e a janela e verifique
as janelas/estruturas que protegem o operador.

Ao entrar na cabine, use as manoplas e os degraus da


máquina.

Sempre mantenha a porta da cabine fechada enquanto


operar a máquina, independente da situação. Sempre use
o cinto de segurança.

Certifique-se de que não haja pessoas dentro da área de


trabalho. Não trabalhe se houver alguém dentro da área de
segurança.

● Dual 90 m
● Forwarder 20 m

Assegure visibilidade livre dentro da área de trabalho.

2 Botão de parada de emergência

Se o motor da máquina enguiçar durante a operação, o freio


de operação e de serviço funcionam até que os acumulado-
res de pressão fiquem vazios e não haja pressão nos freios.
Caso isso ocorra, o freio de estacionamento é o único freio
que funciona na máquina. Ao trabalhar em um plano incli-
nado íngreme, a máquina pode ser parada com a pressão
do botão de parada de emergência, que ativa o freio de
estacionamento.

37
1 Segurança

Nunca caminhe ou pare sob uma carga suspensa.

Quando o trabalho for interrompido, conduza a máquina em


um terreno o mais uniforme possível (não em um declive),
aplique o freio de estacionamento e desligue o motor e a
corrente principal da máquina. Certifique-se de usar calços
para que a máquina não comece a se mover! Veja a figura
acima.

38
1 Segurança

1.13.1 Trabalhando em terreno inclinado


Esta máquina florestal foi projetada para trabalhar em condi-
ções exigentes. Porém, lembre-se que ao trabalhar em ter-
reno inclinado sempre há o perigo da máquina deslizar ou
cair. Precauções especiais devem ser observadas em terre-
nos íngremes que contêm pedras soltas, gelo, neve, lama,
tocos de árvore ou árvores caídas.

As instruções dadas devem ser seguidas para evitar riscos.

Os bloqueios dos diferenciais dianteiro e traseiro devem ser


ativados ao trabalhar em terreno inclinado. Isto assegura
que a força de tração seja distribuída de maneira igual entre
todas as rodas.

Só pessoal treinado que entende os riscos envolvidos e com


experiência suficiente no trabalho com máquinas florestais
deve trabalhar em terreno inclinado.

Sempre planeje a execução segura de cada local de derru-


bada antecipadamente, levando em conta as leis e normas
de segurança locais. Também deve-se entender que esta
máquina pode não ser adequada para os terrenos mais
íngremes ou as condições mais exigentes.

Antes de trabalhar em terreno inclinado, preste atenção


ao seguinte:

● Tome muito cuidado com as condições extremas


(temporais, vento, neve, gelo e calor, por exemplo).
● Avalie todos os riscos (por exemplo, a inclinação do
aclive/declive, o tipo de terreno, etc.) associados àquela
área. Utilizando um mapa, examine o local antecipada-
mente. Em seguida, caminhe ao redor da área. Isto
ajuda a identificar os riscos.
● Porém, note que a inclinação pode mudar rapidamente
devido a uma pedra, toco ou outro obstáculo.
● Sempre use correntes e lagartas para melhorar a tração
ao trabalhar em terreno inclinado. Porém, lembre-se
que mesmo as correntes e lagartas não garantem a
parada da máquina em terrenos muito íngremes.
● O método de trabalho mais recomendado em terrenos
inclinados é sempre dirigir a máquina o mais reto possí-
vel para cima e para baixo da inclinação. Seguindo as

39
1 Segurança

instruções dadas, é possível reduzir o risco da máquina


deslizar ou cair. Nunca dirija longitudinalmente em
rampas íngremes!
● Ao abater árvores pelos lados da máquina, preste
atenção a mudanças súbitas no equilíbrio da máquina.
● Nunca altere a velocidade da máquina em um terreno
inclinado ou qualquer outra posição desfavorável,
porque isso pode fazer com que a transmissão mecânica
passe para neutro e a máquina deslize pelo plano incli-
nado sem controle e/ou atinja um obstáculo e tombe.
● Evite movimentar a máquina quando o carregador / grua
estiver carregado ou quando a lança tiver sido girada
para o lado da máquina.
● Ao trabalhar em terreno inclinado, sempre tente manter
o cabeçote/carga do harvester o mais perto possível do
solo. Desta forma, a máquina não pode tombar rapida-
mente.
● Lembre-se que a trava de oscilação do chassi é solta
quando a máquina é acionada (a menos que a
máquina seja equipada com um sistema ativo de
estabilização do chassi e este sistema esteja ligado).
Nota: Isto somente se aplica ao modelo Scorpion.
● Evite trabalhar em terreno inclinado com carga máxima.
Preste atenção ao impacto do centro de gravidade da
carga sobre o trabalho e a estabilidade da máquina.
● Planeje as rotas de deslocamento com antecedência,
especialmente no inverno, quando a visibilidade é baixa
ou em condições de terreno adversas.
● Sempre assegure visibilidade livre no sentido de movi-
mentação.
● Dirija cuidadosamente ao passar sobre obstáculos. Em
terreno difícil tente equilibrar a máquina, por exemplo,
movendo a lança em direção à parte alta do terreno
inclinado. Preste atenção ao impacto da lança sobre o
centro de gravidade da máquina.
● Lembre-se de suas habilidades e nunca ultrapasse
seus limites!
● Antes de iniciar o trabalho em terreno inclinado, certifi-
que-se de que a máquina recebeu manutenção de
acordo com o cronograma de manutenção. Em particu-
lar, certifique-se de que os freios e a transmissão
da máquina estão em boas condições de funciona-
mento.
● Ao trabalhar em terreno inclinado, certifique-se de que
o óleo do motor e o fluido hidráulico da máquina estão
nos níveis corretos.

40
1 Segurança

● Pratique a utilização da máquina / adquira uma ideia do


equilíbrio da máquina em condições de nível fácil.
● Sempre use a velocidade lenta e evite dar marcha à
ré na máquina ao trabalhar em terreno inclinado.
● O trabalho em condições difíceis de terreno inclinado
requer atenção especial - faça pausas suficientes.

41
1 Segurança

1.13.2 Segurança no trabalho, forwarders


Não coloque carga acima do malhal. Não exceda outros
valores dimensionais da máquina, pois a sobrecarga aumenta
o risco de acidentes e diminui a vida útil da máquina.

Leve em consideração o peso total da grua antes de dirigir


em locais com uma altura limitada para passagem.

Certifique-se de que a máquina tenha estabilidade estática.

Levante a carga em linha reta, sem movimentos de rotação.

Se a máquina incluir um espaço de carga variável, tenha


atenção especial ao modificar o espaço de carga. Nunca
modifique o espaço de carga quando houver pessoas ou
obstáculos dentro da zona de perigo da máquina, ou quando
houver toras dentro do espaço de carga. Sempre certifi-
que-se de que haja espaço suficiente para aumentar/diminuir
o tamanho do espaço de carga. Nunca use o espaço de
carga variável para arrumar ou organizar as toras.

Se o forwarder estiver equipado com malhais/fueiros de


movimentação mecânica ou hidráulica, certifique-se de que
eles não possam se mover durante a condução. Antes de
movimentar a máquina, amarre os malhais/fueiros de modo
firme utilizando eslingas.

Se você perceber relâmpagos ou trovões se aproximando,


pare de trabalhar e mova as lanças da máquina até sua
posição mais baixa. Tente movimentar a máquina para o
lado, longe do terreno elevado, mas não para um terreno
mais alto ao ar livre.

Siga os valores de limite de elevação dados na placa de


carga e não sobrecarregue o carregador.

Nunca conduza os cilindros hidráulicos do carregador até


os seus limites em velocidades altas demais.

Ative o bloqueio de oscilação do chassi da máquina antes


de usar o carregador.

Não utilize o carregador para rebocar ou levantar pessoas


ou para fazer qualquer instalação.

42
1 Segurança

Se o equipamento opcional do forwarder incluir inclinação


do carregador, observe o seguinte:

Se a lança do carregador ficar de frente para a cabine con-


forme é possível ver na Figura 1, não incline a coluna do
carregador contra o malhal, pois podem ocorrer danos às
mangueiras.

1.13.3 Segurança no trabalho, Dual


Figura 1

Ajuste a base de transporte de modo firme sobre o solo ao


mudar o cabeçote ou a garra do harvester, ou ao instalar os
conectores, de modo que a base não se mova acidental-
mente.

Ajuste a placa do cabeçote de modo firme sobre o solo e


horizontalmente, de modo que nenhum dos componentes
venha a cair.

Siga as instruções para a troca da garra e do cabeçote do


harvester.

1.13.4 Segurança ao trabalhar próximo a linhas


de energia

Tenha cuidado especial nas proximidades de fios elétricos,


pois altas tensões podem - em determinadas circunstâncias
- percorrer vários metros no ar.

Verifique a tabela para saber a distância de segurança


mínima entre a parte mais próxima da máquina - como a
lança da grua ou o cabeçote do harvester - e um fio elétrico.

Consulte as normas de segurança elétrica para conhecer as


distâncias de segurança específicas do país.

43
1 Segurança

Tabela (na Finlândia) (Origem: www.tucks.fi)

Alta tensão 110 kV Alta tensão 6–45 kV Baixa tensão 380/220 V


Distância dos cabos aproximadamente 6 aproximadamente 5 m aproximadamente 4,5 m
em relação ao solo m
Tensão nominal Fios descobertos Fios suspensos (m)
subterrâneo (m) na lateral (m)
220/230 V 2 2 0,5
1–45 kV 2 3 1,5
110 kV 3 5
220 kV 4 5
400 kV 5 5

Se houver algum acidente apesar de todas as precauções,


pense com cuidado naquilo que for fazer. Se a grua apenas
encostar nos fios, você pode tentar afastá-los movendo a
grua ou a máquina. Se você tiver que abandonar a máquina,
salte sem tocar o solo e a máquina ao mesmo tempo. Mova-
se para frente pelo solo dando saltos com os dois pés, a
uma distância mínima de 20 m fora do campo elétrico.

1.14 Segurança em trabalhos de


manutenção e reparo

1.14.1 Geral
Faça a manutenção regularmente e de acordo com as instru-
ções do fabricante. Se não estiver familiarizado com a
construção da máquina, solicite instruções ao fabricante ou
revendedor antes de executar manutenção ou reparos.

A pessoa que executar os trabalhos de manutenção e reparo


deve ter formação e competência suficientes nem engenharia
de máquinas florestais. Nunca execute trabalhos de manu-
tenção e reparo se não tiver certeza do que você está
fazendo!

44
1 Segurança

A transmissão e a engrenagem diferencial podem estar


quentes após dirigir. Tome cuidado para não tocar na
transmissão nem a engrenagem diferencial antes de verificar
a temperatura respetiva. Se o respiro correspondente estiver
bloqueado, poderá emergir pressão na cavidade de óleo
causando a aspersão de óleo quente quando da abertura
da vareta. O óleo quente pode causar queimaduras gra-
ves.

Antes de iniciar os trabalhos de manutenção, marque cuida-


dosamente todos os fios elétricos desligados, conectores e
componentes hidráulicos. Isto garante que as diferentes
funções não tenham conexão cruzada e que não sejam
produzidos riscos após as medidas de manutenção. Em
particular, em uma máquina florestal equipada com funções
automáticas de estabilização, uma conexão incorreta pode
resultar em um acidente prejudicial à saúde.

Após o trabalho de manutenção, verifique o funcionamento


correto da máquina, testando as suas funções em um espaço
aberto. Durante os testes, pessoas ou outros objetos não
podem estar presentes na área de trabalho da máquina.

Durante o trabalho de manutenção, recomenda-se que a


porta da cabine esteja bloqueada usando um bloqueio
separado, para que só a pessoa que esteja executando o
trabalho de serviço tenha a chave. Isto assegura que pes-
soas não autorizadas não possam ter acesso aos controles
da máquina e, portanto, causar quaisquer perigos!

Execute os trabalhos de manutenção e reparo com atenção


e calma.

Evite trabalhar sozinho. Mantenha um telefone celular à mão


ao fazer a manutenção fora da cabine. Coloque um número
geral de emergências para discagem rápida no seu telefone.

Use somente ferramentas apropriadas e equipamento de


içamento apropriado. Remova ou repare ferramentas danifi-
cadas.

Evite marcha lenta desnecessária da máquina enquanto


estiver em ambiente fechado. Cuide para conduzir os gases
da descarga para um ventilador de sucção.

45
1 Segurança

Cuide para não escorregar quando trabalhar na parte supe-


rior da máquina. Mantenha a máquina limpa. Use botas com
solas de borracha.

Mantenha seu corpo e qualquer roupa solta longe das peças


rotativas.

Tome sempre muito cuidado ao abrir / fechar a tampa do


motor. Ao realizar trabalho de manutenção ou reparo, trave
a tampa do motor na posição superior através de um suporte
mecânico, como eslingas de içamento.

Inspecione a máquina em busca de vazamentos, fios des-


gastados e componentes soltos. Elimine as causas e repare
até mesmo as menores falhas imediatamente.

Não remova nenhuma mangueira do ar-condicionado, pois


o refrigerante é pressurizado e lesará pessoas e o meio
ambiente se for liberado. A manutenção do ar-condicionado
está sujeita a uma permissão e pode ser realizada somente
por pessoal autorizado.

Use somente ferramentas apropriadas e equipamento de


içamento apropriado. Remova ou repare ferramentas danifi-
cadas.

Descarte os resíduos de acordo com as normas ambientais


locais. Não despeje líquidos no solo ou em cursos de água.
Se não tiver certeza de como os resíduos devem ser trata-
dos, entre em contato com a instalação local de tratamento
de resíduos ou com o revendedor.

1.14.2 Ações antes da manutenção


Prepare-se com cuidado para o trabalho de manutenção ou
reparo.

● Estacione a máquina em um terreno nivelado.


● Abaixe as lanças e coloque o cabeçote/garra do harves-
ter firmemente sobre o solo.
● Aplique o freio de estacionamento. Quando os freios
estiverem sendo reparados, é necessário impedir o
movimento da máquina, por exemplo, colocando calços
atrás das rodas.

46
1 Segurança

● Desligue o motor e a energia no interruptor principal


enquanto durar a manutenção e os reparos, e sempre
no final do seu turno de trabalho.
Alguns trabalhos de reparo exigem que o motor esteja em
funcionamento. Antes de deixar a cabine, coloque o interrup-
tor de controle da grua/carregador na posição desligado e
acione o freio de estacionamento.

Não trabalhe debaixo da máquina ou entre os chassis frontal


e traseiro quando o motor estiver em funcionamento.

● Durante uma manutenção ou um trabalho de reparo,


somente as pessoas totalmente familiarizadas com os
controles e dispositivos podem permanecer na cabine.
● Permita que o motor resfrie antes de começar a manu-
tenção.
Um radiador quente está pressurizado. Abra a tampa do
radiador lentamente e com cuidado.

● Certifique-se de ter o equipamento de proteção, as fer-


ramentas e as peças sobressalentes necessárias para
concluir o trabalho de manutenção ou de reparo.

Incline a cabine sobre o suporte e certifique-se de que ela


esteja completamente bloqueada antes de entrar debaixo
dela. Certifique-se de que ninguém está próximo da cabine
enquanto ela estiver em posição inclinada. Consulte as ins-
truções sobre a inclinação da cabine no Manual do Proprie-
tário da máquina, na seção: Cabine e controles.

1.14.3 Sistema hidráulico

Tenha cuidado especial quando uma máquina for ligada e


usada pela primeira vez após manutenção no sistema
hidráulico porque os movimentos da máquina poderão ser
diferentes devido ao ar remanescente no sistema hidráulico.
CERTIFIQUE-SE de que ninguém esteja próximo à máquina
quando ela for ligada.

Nunca abra qualquer conexão de mangueira ou outro com-


ponente hidráulico sob pressão. A pressão pode permanecer
no sistema hidráulico por muito tempo.

47
1 Segurança

Libere a pressão do sistema hidráulico antes de submetê-lo


a reparo ou manutenção. Consulte o Manual do Proprietário
da máquina, seção: Manutenção.

Se for preciso reabastecer com gás o acumulador de pres-


são, deixe isso para a oficina autorizada ou substitua o acu-
mulador de pressão por um novo.

Para verificar vazamentos de líquidos pressurizados, use


um pedaço de papel ou papelão. Nunca use as mãos nuas,
e use luvas sempre.

Tome cuidado quando estiver drenando óleo quente da


máquina. O óleo quente pode causar queimaduras graves.

Se a pressão hidráulica necessária para a direção da


máquina não estiver disponível devido a uma falha, entre
em contato com a assistência técnica local da Ponsse.

Não altere nenhum ajuste de pressão sem a permissão do


fabricante.

1.14.4 Gruas

Durante a manutenção do dispositivo de giro e das lanças,


preste sempre atenção ao risco de esmagamento. O motor
deve ser parado e a grua apoiada para evitar a movimenta-
ção da coluna, da base e das lanças. Use outro equipamento
de içamento para apoio.

Não é permitida nenhuma soldagem das seções de suporte


de carga da grua sem a permissão de uma oficina autorizada.
Se foi dada permissão por uma oficina autorizada, observe
as ações antes e após a soldagem.

1.14.5 Carregadores

Durante a manutenção do dispositivo de giro e das lanças,


preste sempre atenção ao risco de esmagamento. O motor
deve ser parado e o carregador apoiado para evitar a movi-
mentação da coluna, estande e lanças. Use outro equipa-
mento de içamento para apoio.

48
1 Segurança

Não é permitida nenhuma soldagem das seções de suporte


de carga do carregador sem a permissão de uma oficina
autorizada. Se foi dada permissão por uma oficina autorizada,
observe as ações antes e após a soldagem.

Se o forwarder estiver equipado com malhais/fueiros de


movimentação mecânica ou hidráulica, certifique-se de que
eles não se movem durante os trabalhos de manutenção e
reparo. Antes de iniciar qualquer trabalho de reparo, amarre
os malhais/fueiros de modo firme utilizando eslingas.

1.14.6 Cabeçotes do harvester

Jamais realize a manutenção ou reparos no alcance da zona


de movimentação da barra da serra, entre as lâminas desga-
lhadoras ou entre os roletes alimentadores enquanto o motor
estiver em funcionamento.

Desconectar ou causar curto-circuito nos fios do sensor pode


fazer com que o cabeçote do harvester feche. Não troque
os sensores ou desconecte os seus cabos quando o motor
estiver em funcionamento.

Para manutenção ou reparos no cabeçote do harvester,


esteja absolutamente certo de que ninguém vá ligar o motor.

Quando o modo de serviço do Opti está aberto, o cabeçote


do harvester está ativo – em outras palavras, ele pode ser
aberto, fechado ou girado para uma posição horizontal ou
vertical.

Use sempre luvas protetoras quando lidar com a corrente


da serra e as lâminas desgalhadoras.

Tome cuidado ao limpar ou verificar os interruptores limita-


dores, a corrente da serra e as lâminas desgalhadoras.

Cuidado para não se cortar no gume das lâminas.

49
1 Segurança

1.14.6.1 Testando a serra

● Ao testar a serra, o cabeçote do harvester deverá estar


na posição horizontal com a lâmina da serra voltada
para o solo.
● Permanecer na linha da serração é proibido por causa
do risco de quebra da corrente.
● O cabeçote do harvester deve ser mantido o mais pró-
ximo possível do solo; porém, a lâmina da serra não
pode tocar o solo.
● Em interiores, a serra tem de ser sempre testada sem
a corrente.
● Nunca eleve o cabeçote do harvester próximo à janela
da cabine enquanto estiver testando a serra.

1.14.6.2 Segurança durante o ajuste das pressões

Como exceção, se comparado a outros trabalhos de manu-


tenção e reparo no cabeçote do harvester, as pressões têm
de ser ajustadas com o motor em funcionamento. Portanto,
tenha atenção e cuidado especial ao realizar esses ajustes.

Os ajustes de pressão na máquina básica têm de estar


concluídos antes de se ajustarem as pressões do cabeçote
do harvester.

Os ajustes de pressão devem ser feitos pelo pessoal de


manutenção autorizado da Ponsse Plc! Observe o seguinte
quando estiver ajustando as pressões:

Instruções de segurança para ajuste da pressão:

1. Aplique sempre o freio de estacionamento antes de ligar


o motor.
2. Nunca trabalhe dentro da zona de movimento da barra
de serra, entre as lâminas desgalhadoras ou roletes de
alimentação.
3. Feche os roletes alimentadores e as lâminas desgalha-
doras, abaixe o cabeçote do harvester para uma posição
horizontal e apoie-o de modo que ele não caia.
4. Ajuste as pressões de acordo com a seção de ajuste
de pressão do manual do cabeçote do harvester.
5. Não force o controle de qualquer função do cabeçote
do harvester.
6. Certifique-se de que você e os assistentes de manuten-
ção conhecem bem o status de funcionamento da

50
1 Segurança

máquina antes de executar esse trabalho de manuten-


ção.

1.14.6.3 Controle manual dos movimentos do cabeçote


do harvester


Em cada válvula existe um solenoide de pré-controle por
meio do qual, exercendo-se pressão sobre a haste no
cabeçote, também é possível controlar manualmente uma
válvula direcional.


No entanto, o controle manual é permitido apenas para
pessoal de manutenção autorizado da Ponsse Plc.

1.15 Pneus
Se um pneu estourar, o pneu ou as peças do aro que forem
arremessados podem causar danos graves ou morte.

Não faça nenhuma alteração ou reparo nas rodas dos pneus.


A responsabilidade por alterações feitas sem a permissão
do fabricante ficará a cargo do autor destas.

A troca de um pneu e a sua montagem em uma roda só pode


ser feita por um especialista em instalação de pneus de
maquinário pesado que tenha o treinamento, a experiência
e as ferramentas necessários para o trabalho. Uma monta-
gem inapropriada pode causar risco à segurança.

Um pneu ou um aro não pode ser reparado quando o pneu


estiver no aro porque há risco de explosão. Verifique sempre
a pressão correta dos pneus. Consulte o Manual do Proprie-
tário da máquina, Apêndice da pressão recomendada dos
pneus.

Lembre-se de que um aumento de temperatura de +10 °C


aumentará a pressão do pneu em 0,1 bar. A pressão do
pneu durante o transporte de um pneu solto poderá ser no
máximo 25% da pressão operacional. Não ajuste a pressão
operacional até o pneu estar no local na máquina florestal.

51
1 Segurança

1.15.1 Pneus de lastro líquido


O peso adicional causado pelo líquido do lastro deverá ser
observado ao usar pneus cheios de líquido.

Os pneus da Ponsse cheios de solução salina são marcados


com LB (Lastro líquido). A marcação pode ser encontrada
no interior do aro do pneu, veja a figura anexada.

Tenha muito cuidado ao liberar a pressão de pneus de lastro


líquido. Se abrir a válvula sem cuidado, o lastro líquido
poderá jorrar do pneu com alta pressão, causando lesões
graves, potencialmente fatais.

1.15.2 Pressurizando um pneu


Pressurizar um pneu é o risco de segurança mais importante
relacionado a pneus. No entanto, esses riscos podem ser
minimizados usando métodos de trabalho seguros.

Conecte a mangueira de ar pressurizado na válvula do pneu.


Deverá haver no mínimo 1,5 metros de mangueira de ar
após o medidor. Sempre aumente a pressão permanecendo
no lado da banda de rodagem do pneu na distância máxima
permitida pela mangueira usada.

Sempre siga as seguintes precauções ao pressurizar um


pneu:

● Tenha cuidado. -> Sempre se concentre no que estiver


fazendo!

52
1 Segurança

● Verifique o aro e descarte qualquer aro danificado.


● Sempre utilize uma cabine de segurança ou outro dispo-
sitivo de segurança, sempre que possível.
● Não remova o pneu da máquina de floresta para certifi-
car-se de que o pneu permanecerá no local, caso
exploda enquanto estiver enchendo-o.
● Utilize protetores auriculares.
● Nunca fique ao lado do pneu ao enchê-lo: sempre per-
maneça no lado da banda de rodagem do pneu e longe
o suficiente do pneu.
● Monitore o enchimento do pneu e desligue imediata-
mente o fornecimento de ar se observar ou ouvir algo
fora do comum. Nota: verifique a pressão máxima per-
mitida ao encaixar o pneu em um aro pela lateral do
pneu.
● Certifique-se de que não há pessoas perto do pneu ao
enchê-lo.
● Nunca exceda a pressão máxima do pneu determi-
nada pelo fabricante do pneu!

1.15.3 Manipulando e transportando um pneu


pressurizado
Sempre tenha cuidado ao manipular um pneu pressurizado.

Despressurize o pneu antes de removê-lo da máquina.

Movendo um pneu:

Ferramentas projetadas para içamento pesado com segu-


rança devem ser utilizadas ao mover pneus pesados para
garantir que o pneu não cairá. Elas também tornarão mais
fácil a remoção/recolocação do pneu. Se não for possível
usar essas ferramentas e for necessário mover um pneu
manualmente, segure o pneu por trás quando visto da dire-
ção de percurso.

Lembre-se de que pneus de máquinas florestais são tão


pesados que você não conseguirá impedir que um pneu
caia!

53
1 Segurança

1.16 Observar durante o içamento de


uma máquina
Consulte os pontos de içamento da máquina no Manual do
Proprietário da máquina, seção: Içamento e transporte da
máquina.

● O gancho da grua e o acessório de içamento devem


estar equipados com um fecho ou outro dispositivo de
segurança confiável, como um gancho de travamento
automático.
● A máquina não deve ser içada ou movida sobre pes-
soas, ou mantida suspensa no ar sem qualquer razão
em particular.
● Sempre dê partida com o içamento preliminar. Pare o
içamento assim que a máquina não estiver mais em
contato com a plataforma para verificar o equilíbrio e a
fixação.
● Não tente parar uma máquina oscilante com as mãos.

54
1 Segurança

1.17 Saídas de emergência

1 Porta normal
2 Abrindo a janela lateral Pratique antecipadamente a saída da cabine em caso de
3 Contrapino emergência.
4 Maçaneta
5 Contrapino de ponteiro

1.17.1 Abrindo a janela lateral / saída de


emergência por dentro da cabine
● Abra a janela lateral (2) removendo o contrapino (3).
● Empurre a janela lateral para abri-la.

1.17.2 Abrindo a janela lateral / saída de


emergência por fora da cabine
A janela lateral também pode ser aberta de fora da cabine
quando a corrente principal estiver ligada.

● Pressione a maçaneta (4) para baixo no lado direito; a


janela abrirá um pouco.
● Remova os contrapinos de ponteiro (5) de dentro da
janela da cabine.
● Abra a janela.
● Antes de iniciar o trabalho, sempre verifique se a trava
da saída de emergência foi liberada.

55
1 Segurança

1.18 Soldando a máquina

1.18.1 Preparativos

Antes de soldar, tome as seguintes medidas:

Mantenha um extintor de incêndio portátil acessível por perto


durante a soldagem em caso de perigo de incêndio.

Elimine sujeira e detritos da área a ser soldada e ao redor


dela.

Remova qualquer tinta da área a ser soldada antes de


começar a soldagem. Use máscara respiratória e óculos de
proteção se for necessário remover a tinta com lixa. Se usar
removedor de tinta, limpe a área tratada com água.

Use o equipamento de solda apropriado. Não respire vapores


tóxicos durante a soldagem e verifique se há ventilação
suficiente no espaço de trabalho.

1.18.2 Soldando a máquina


Figura 1: motores EU Stage IIIA e
IIIB
1 Motor
1
2 Conector da unidade ECU, do
motor para a ECU
3 Comector da unidade ECU, da
ECU para a unidade da cabine
(VCU)

1. Desligue o motor usando a chave de ignição e retire a


chave do miolo.
2. Desligue a alimentação do computador Opti.
3. Abra a tampa do motor.
4. Desligue a corrente principal da chave geral. A luz de
serviço próxima à chave geral se apagará quando todas
as correntes tiverem sido desligadas.

56
1 Segurança

5. Se a máquina contiver um motor EU Stage IIIA ou IIIB:


Remova os dois conectores (2, 3) da unidade de con-
trole do motor (ECU). Veja a Figura 1.

Se a máquina contiver um motor EU Stage IV: Não é


preciso remover os conectores da unidade de controle
do motor.

6. Preparar o Opti para soldagem.


- Desconecte os calibradores de medição da base
de encaixe.
- Desconecte o cabo USB da impressora.
- Desconecte o cabo da antena do modem de trans-
ferência de dados.
Desconecte os cabos somente do equipamento auxiliar. Não
desconecte os cabos do computador.

7. Ligue o interruptor de soldagem (6, aterramento, posição


do interruptor 1). O interruptor está localizado no centro
5 elétrico na cabine, debaixo da tampa. Consulte a seção
Sistema elétrico para saber a localização exata do
interruptor.
8. Se a máquina tiver um sistema de extinção de incên-
diocomo equipamento opcional: Remova o fusível do
sistema de extinção de incêndio. Consulte a seção Sis-
4 tema elétrico para saber a localização exata do fusível.
9. Certifique-se de que o eletrodo de aterramento do
equipamento de solda esteja conectado ao componente
6 a ser soldado e que toda impureza e resíduo de tinta
tenha sido removido da região de contato entre o ele-
trodo e o componente.
10. Você pode começar a soldar agora.

Figura 2 1.18.3 Ações depois da soldagem


4 Parafuso de fixação
5 Tampa do interruptor de solda 1. Remova o eletrodo de aterramento do equipamento de
6 Interruptor de soldagem solda do componente que estiver sendo soldado.
1 = aterramento
0 = DESLIGADO
2. Desligue o interruptor de soldagem (6, posição do
interruptor 0).
3. Reconecte os cabos que desconectou anteriormente e
conecte os calibradores de medição à base de encaixe.
4. Instale o fusível do sistema extintor de incêndio de volta
em seu lugar.

57
1 Segurança

5. Recoloque os dois conectores (2, 3) da unidade de


controle dos motores (EU Stage IIIA e IIIB).
6. Ligue a corrente na chave geral.
7. Feche a tampa do motor.
8. Introduza a chave de ignição na trava de ignição.
9. Teste se todas as funções estão funcionando normal-
mente.
10. Você pode começar a trabalhar agora.

O fabricante não assume responsabilidade por qualquer


dano causado por não seguir estas instruções.

1.19 Cabine
A cabine é um compartimento de segurança, testado de
acordo com os padrões, no qual um chassi de aço, que
apresenta janelas de policarbonato coladas a ele, forma uma
estrutura que protege o operador.

Não solde nem altere a composição da cabine ou de suas


estruturas. Se qualquer uma das janelas fixas coladas ficar
solta (devido a um vazamento de água entre o chassi da
cabine e a janela, por exemplo) ou se existir uma rachadura
na janela ou a janela tiver ficado opaca, ela deve ser repa-
rada antes que seja possível continuar operando ou condu-
zindo a máquina.

O processo de colagem deve ser realizado de acordo com


as instruções do fabricante e usando apenas materiais/com-
ponentes aprovados.

58
1 Segurança

1.20 Prevenindo incêndios


A temperatura do motor geralmente continua a aumentar
logo após o motor ser desligado. A máquina deve ser
observada durante trinta minutos após o motor ser
desligado antes de deixar a máquina até o próximo turno
para prevenir possíveis incêndios: o risco de incêndio é alto
logo após desligar o motor. Materiais inflamáveis reunidos
nas estruturas da máquina podem facilmente incendiar-se
assim que o sistema de resfriamento da máquina for desli-
gado. É possível, por exemplo, realizar a manutenção da
máquina enquanto observa qualquer possível incêndio.

Máquinas florestais são utilizadas na floresta, o que significa


que resíduos/óleos inflamáveis irão grudar nas estruturas
da máquina. Resíduos ou poeira podem ser suficientes para
iniciar um incêndio, mas o risco certamente aumenta quando
também houver combustível, óleo ou graxa presente. Siga
estas instruções para reduzir o risco de incêndios:

● Mantenha a máquina livre de sujeira e resíduos. Remova


regularmente qualquer material inflamável acumulado
na máquina, como serragem, galhos de árvores, casca
e folhas.
● Verifique e limpe todas as partes da máquina que pos-
sam acumular resíduos, como em volta do motor, as
placas de proteção do peito-de-aço etc. Remova cuida-
dosamente também a poeira e resíduos de áreas ao
redor do cano de exaustão e o aquecedor de intervalo
(quando incluído nos acessórios da máquina).
● Lave a máquina regularmente. Use apenas soluções
de lavagem não inflamáveis. Isso também aumentará
o valor de revenda da máquina.
● Não utilize nenhuma substância que danifique as
superfícies da máquina ao lavá-la.
● Limpe regularmente as grades do radiador e os canais
de fluido refrigerante. Limpar com maior frequência será
necessário se a máquina for usada em condições de
bastante poeira.
● Mantenha o equipamento do combustível em ordem.
● Inspecione também a fiação e as mangueiras hidráulicas
e de combustível e suas junções e conexões. Se
observar algum componente danificado/desgastado,
substitua-o imediatamente. Nunca substitua fusíveis por
outros maiores do que os originais.

59
1 Segurança

● Remova qualquer graxa/óleo extra e repare imediata-


mente qualquer vazamento.
● Use apenas agentes de limpeza não inflamáveis de alta
qualidade.
● Armazene todos os panos utilizados durante a limpeza
em um local seguro onde não possam pegar fogo. Não
armazene mercadorias inflamáveis na máquina.
● Certifique-se de que todos os líquidos inflamáveis estão
armazenados com segurança. Tenha cuidado especial
ao manipular tanques pressurizados. Nunca descarte
esses tanques queimando-os.
● As correntes e esteiras da máquina podem produzir
centelhas e causar incêndio se o terreno estiver seco.
Evite usar correntes e esteiras nessas condições, exceto
quando for absolutamente necessário devido a outro
risco de segurança.
● Antes de começar a soldar, certifique-se de que a área
ao redor da máquina está livre e de que há um extintor
de incêndio disponível na área imediatamente próxima
ao ponto de soldagem.
● Sempre mantenha um extintor de incêndio inspecionado
e aprovado para o tipo a bordo da máquina. Leia aten-
tamente o manual do extintor de incêndio.

Se, apesar de todas as precauções, ocorrer um incêndio,


proceda da seguinte maneira:

● Desligue o motor.
● Ative o sistema extintor com o botão de disparo, se a
máquina estiver equipada com um (equipamento opcio-
nal).
● Saia da cabine.
● Desligue a corrente na chave geral.
● Remova os extintores de incêndio portáteis e incie o
combate ao incêndio (observe também os pontos de
extinção da máquina).
● Não deixe o fogo se espalhar.
● Chame ajuda se for necessário.

Lembre-se da importância de se manter calmo nas emergên-


cias. Pense primeiro e só depois aja.

60
1 Segurança

1.21 Baterias de partida


Certifique-se de desligar a chave geral da máquina (coloque
a chave geral na posição 0 / OFF) antes de efetuar qualquer
trabalho de verificação ou manutenção na bateria.

Se o motor não arrancar bem, verifique os níveis do fluido


da bateria. Se uma célula ficar mais vazia do que as outras,
ou se a cor do eletrólito for mais escura, entre em contato
com o representante de manutenção da Ponsse.

Não conecte uma bateria descarregada a outra com carga


total, pois ela pode explodir. Não recarregue uma bateria
congelada.

Não manuseie baterias próximo de chamas ou centelhas.

Não fume perto das baterias, pois elas podem emitir gases
explosivos.

Sempre que trocar uma bateria, retire primeiro o cabo de


aterramento conectado no terminal negativo (-). Quando
instalar uma bateria, deixe sempre o cabo de aterramento
para o final.

Quando transportar uma bateria, mantenha-a na horizontal.

Evite situações em que partes metálicas possam conectar


os terminais da bateria. Nunca cause curto-circuito nos ter-
minais da bateria!

O ácido da bateria é altamente corrosivo e queima roupas,


a pele, os olhos e as membranas mucosas. Se ele tocar os
olhos, causa lesões graves e perda de visão. Em contato
com a pele, ele causa queimaduras graves e feridas profun-
das. A inalação de vapores causa problemas respiratórios
e tosse.

61
1 Segurança

Instruções de primeiros socorros:

● Inalação de vapores
Vá para um local com ar fresco. Contate um médico, se
detectar outros sintomas.
● Salpicos na pele
Lave imediatamente com muita água e retire imediata-
mente as roupas e os sapatos contaminados.
● Salpicos nos olhos
Lave imediatamente com muita água, também sob as
pálpebras, durante no mínimo 15 minutos. Procure
assistência médica.
● Ingestão
Beba muita água imediatamente. Não vomite. Procure
assistência médica.

1.21.1 Manutenção e verificações da bateria

A manutenção incorreta ou inexistente das baterias de


arranque da máquina pode causar lesões graves e/ou danos
materiais. Se o nível do eletrólito da bateria de arranque
baixar significativamente, a bateria pode explodir sob certas
circunstâncias.

As razões que podem causar o abaixamento mais rápido do


nível do eletrólito do que é usual incluem uma carga excep-
cionalmente alta no sistema elétrico, ou uma temperatura
circundante elevada.

Verifique o nível do eletrólito (fluido da bateria) de todas as


baterias de arranque na máquina pelo menos uma vez a
cada três meses ou a cada 600 horas de operação, o que
ocorrer primeiro.

Nota: Antes de verificar os níveis do fluido da bateria, desli-


gue o motor, acione o freio de estacionamento e desligue a
corrente principal.

Quando estiver operando em circunstâncias quentes e


quando o sistema elétrico for exposto a uma carga maior
que o normal, o intervalo de verificação mencionado deve
ser reduzido para uma vez por semana.

Adicione somente água limpa e destilada nas células da


bateria de arranque para enchê-las de acordo com o nível

62
1 Segurança

recomendado do eletrólito. Se o nível do eletrólito é demasi-


ado baixo, adicione imediatamente uma quantidade suficiente
de água destilada.

Sempre familiarize-se com as instruções de manutenção,


as recomendações e os requisitos do fabricante da bateria.

Tipicamente, o nível do eletrólito deve ser um pouco acima


(por exemplo, 10 mm ou 0,4 pol.) das placas dos eletrodos
posicionadas verticalmente nas células da bateria de arran-
que, que podem ser vistas dos orifícios de enchimento da
célula, olhando para baixo na bateria. (Sempre siga as ins-
truções do fabricante da bateria.)

A manutenção correta e segura de alguns modelos de


máquinas requer que a bateria de arranque seja removida
e/ou desconectada do sistema elétrico.

1.22 Degraus hidráulicos


Os degraus hidráulicos funcionam em paralelo com o freio
de estacionamento. Com o freio de estacionamento ativado,
os degraus serão abaixados; com o freio de estacionamento
liberado, os degraus serão elevados.

A trajetória dos degraus ultrapassa a largura máxima da


máquina em aprox. 0,50 a 1,00 m, dependendo do modelo
da máquina.

Certifique-se de que os degraus tenham sido abaixados


antes de pisar neles.

Certifique-se de que os degraus tenham sido erguidos antes


de sair com a máquina.

Cuidado com degraus em movimento ascendente ou descen-


dente. Quando o motor está ligado/desligado e o freio de
estacionamento não for puxado, os degraus vão se
A trajetória dos degraus é erguer/baixar automaticamente.
de 0,50 a 1,00 m.
Verifique se os degraus foram presos à manopla localizada
próximo à porta com uma tira para transporte.

Antes de dar partida no motor, certifique-se de que não há


pessoas dentro da zona de segurança dos degraus hidráuli-
cos.

63
1 Segurança

Os degraus hidráulicos se abaixarão automaticamente


quando:
● o motor desliga durante a operação
● a pressão do circuito do freio cai abaixo de 70 bar

64
1 Segurança

1.23 Placas

1.23.1 Plaqueta do tipo e da marca CE


Os próximos capítulos incluem informações sobre as marca-
ções nas plaquetas do tipo de cabine e da marca CE da
máquina. Veja a localização exata das placas na seguinte
seção: Especificações técnicas.

Se as plaquetas estiverem fora do lugar ou danificadas a


ponto de não ser mais possível ler o seu conteúdo, o opera-
dor da máquina deve entrar em contato com o fabricante ou
o varejista para substituir as placas antes de retomar o tra-
balho.

1.23.1.1 Plaqueta do tipo de cabine

A cabine de segurança dos equipamentos florestais Ponsse


foi testada de acordo com os seguintes padrões e está em
conformidade com esses padrões: ROPS ISO 8082-1 (cabine
fixa) / ROPS ISO 8082-2 (cabine giratória), FOPS ISO 8083
(Nível de energia 11600 J) e OPS ISO 8084.

MAXIMUM ROPS MASS (kg): A massa total da máquina


não pode ultrapassar a massa indicada neste campo.

Número de peça do chassi da cabine (estrutura ROPS).

Número de série da cabine.

65
1 Segurança

A estrutura da cabine de segurança da máquina não pode


ser alterada por soldagem, perfuração ou qualquer outro
meio. Ao operar a máquina, o peso ROPS incluído nesta
plaqueta não pode ser excedido sob nenhuma circunstância.
Se não tiver certeza do peso da máquina, entre em contato
com o fabricante. Sempre use o cinto de segurança, pois as
estruturas ROPS, FOPS e OPS não necessariamente funci-
onarão como planejado sem o cinto de segurança.

1.23.1.2 Plaqueta da marca CE

Uma marcação CE, como especificado na diretriz da


máquina.

MODELO: Modelo da máquina, como Buffalo 8w ou Ergo


8w.

Designação da máquina: A finalidade de uso / descrição da


máquina, como Harvester , Forwarder , Harv./ Forw. = Dual,
Skidder .

PIN = Número de identificação do produto.

ANO DE FABRICAÇÃO = O ano de fabricação da máquina.

A potência nominal do motor em quilowatts.

66
1 Segurança

PESO TÍPICO = O peso em quilogramas do conjunto mais


típico da máquina, como especificado na diretriz da máquina.
Essa massa corresponde a uma máquina em condição
operacional com o operador quando o equipamento comum
empregado durante o trabalho estiver em uso, como a
grua/carregador, a garra/cabeçote do harvester e também
os líquidos habituais nas rodas no caso de um harvester.
O peso típico da máquina não inclui esteiras, correntes ou
equipamento extra não convencional, como lâmina de pá
niveladora, proteções disponíveis como equipamento opcio-
nal ou ferramentas e equipamentos do operador da máquina.

Antes de começar o trabalho, sempre assegure que o peso


total atual da máquina não excede o peso máximo permitido
da máquina (MASSA MÁX. DA MÁQUINA) ou o peso máximo
permitido da estrutura ROPS da cabine (MASSA MÁX.
ROPS)! Se o peso total da máquina excede um ou ambos
os limites, o uso da máquina não é permitido.

67
1 Segurança

1.24 Instruções e adesivos de advertência

1.24.1 Adesivos em chassi com cabine fixa


Este capítulo inclui informações sobre a importância das
instruções e dos adesivos de advertência e por que os ade-
sivos foram colocados na máquina.

Se um adesivo estiver danificado ou fora do lugar a ponto


de não ser mais possível ler o seu conteúdo, o operador da
máquina é obrigado a substituí-lo imediatamente!

Os números de ordem dos adesivos estão incluídos nos


títulos, entre parênteses.

1. Ponto de extintor de incêndio manual. (P29202)

2. LEMBRE-SE de prender a corrente de segurança na placa


de proteção do peito-de-aço antes de fechá-la. (P50016)

3. Somente combustível comercialmente disponível isento


de enxofre que atenda as seguintes normas pode ser usado:

● EN 590 (teor máximo de enxofre 0,001%) (10 ppm)


● ASTM D975 (teor máximo de enxofre 0,0015%) (15
ppm) (P50017)

4. ADVERTÊNCIA Objeto quente. Pode causar queimaduras


graves. Não toque no objeto quando ele estiver quente.
(P50018)

68
1 Segurança

5. ADVERTÊNCIA Mangueiras de pressão.


Danos em uma mangueira pressurizada podem causar um
jato pontiagudo que penetra na pele, causando lesões graves
ou até morte.
Desligue a máquina e sempre libere a pressão das manguei-
ras antes de trocá-las.
Nunca detecte vazamentos com a pele ou as mãos despro-
tegidas; sempre use equipamento de segurança apropriado.
Leia o Manual do Proprietário antes de substituir as manguei-
ras. (P50020)

6. PERIGO Risco de esmagamento ao girar a máquina. Antes


de ligar a máquina, certifique-se sempre de que não existam
pessoas não autorizadas na área de trabalho.
PERIGO Eixo cardã rotativo. Lembre-se da distância de
segurança quando a máquina estiver ligada. (P50025)

7. ADVERTÊNCIA O ar-condicionado e suas mangueiras


contêm fluido corrosivo pressurizado. Somente o pessoal
autorizado e treinado tem permissão para fazer a manuten-
ção do ar-condicionado. (P50027)

8. ADVERTÊNCIA Degraus móveis. Risco de escorregar.


Sempre use os degraus ao fazer manutenção ou ao entrar
na máquina. (P50034)

69
1 Segurança

9. Avalie o grau e teste a resistência ao frio do fluido do


radiador usado na máquina. Nunca misture diferentes fluidos
do radiador. Use somente fluidos que atendam o grau de
qualidade exigido pela Mercedes-Benz. Leia o Manual do
Proprietário: MOTOR. (P50127)

10. Fusíveis e relés na caixa do amortecedor. Sempre use


fusíveis do tamanho correto. Nunca exceda o tamanho de
fusível permitido.
Veja a seção: Sistema elétrico. (P50251)

11. Fusíveis e relés na cabine. Sempre use fusíveis do


tamanho correto. Nunca exceda o tamanho de fusível permi-
tido.
Veja a seção: Sistema elétrico. (P50252)

12. Ponto de reboque da máquina. Somente o ponto de


reboque localizado no amortecedor pode ser usado para
rebocar a máquina.
Use somente eslingas/fiosdo tipo aprovado que sejam proje-
tados para suportar o peso da máquina florestal. (P50970)

70
1 Segurança

13. Ponto de reboque da máquina. Ao rebocar a máquina


equipada com o recurso ActiveFrame, use somente o ponto
de reboque localizado no para-choque. Nunca reboque a
máquina em um ângulo superior a 20°.
Não exceda a força de tração máxima indicada no adesivo.
Use somente eslingas/fiosdo tipo aprovado que sejam proje-
tados para suportar o peso da máquina florestal. (P50970)

14. Tanque de aditivo. Use somente aditivos que atendam


às regulamentações da ISO 22241-1 ou DIN 70070.
Nunca misture o aditivo com o combustível. Leia o Manual
do Proprietário: MOTOR. (P51177)

15. Grau do óleo hidráulico usado na máquina. Não misture


óleos de classes de viscosidade diferentes. (P51181)

16. ADVERTÊNCIA Componentes/equipamentos rotativos,


é possível que peças sejam arremessadas.
A máquina está equipada com função de limpeza automática
do radiador. Quando a função de limpeza estiver ativada,
fragmentos etc. poderão ser arremessados do compartimento
do motor, havendo possibilidade de causar lesões. Nunca
entre na zona de segurança da máquina enquanto o motor
estiver funcionando.
Nunca abra a tampa do motor da máquina quando o motor
estiver em funcionamento. (P52706)

71
1 Segurança

17. Conexão de ar comprimido (P52707)

18. Ponto(s) de lubrificação manual centralizado(s). Leia a


seguinte seção no Manual do Proprietário: Engraxamento.
(P52712)

19. Fonte de alimentação adicional. Leia a seguinte seção


no Manual do Proprietário: Sistema elétrico. (P52712)

1 2 3 20. Adesivo de instruções e advertências gerais (P52709).


As explicações das figuras no adesivo podem ser encontra-
das na lista a seguir.

1. Leia e certifique-se de compreender o Manual do Pro-


prietário antes de usar a máquina.
2. AVISO Degraus operados hidraulicamente. Tome cui-
dado quanto estiver entrando ou saindo da cabine.
Quando estiver parando a máquina, certifique-se de que
não há obstáculos/pessoas sob os degraus automáticos.
3. Risco de escorregamento ou de esmagamento. Ao
entrar/sair da máquina, use os degraus da máquina.

72
1 Segurança

1 2 3 21. Adesivo de instruções e advertências gerais (P52710).


As explicações das figuras no adesivo podem ser encontra-
das na lista a seguir.

1. RISCO DE ESMAGAMENTO durante a inclinação da


cabine da máquina. Trave a cabine e sustente-a com o
suporte de segurança. Leia as instruções de como usar
o suporte de segurança da cabine na seguinte seção:
Cabine e controles.
2. RISCO DE ESMAGAMENTO ao abaixar o tanque da
máquina. Não coloque as mãos ou outra parte do corpo
debaixo do tanque ao abaixá-lo.
3. Antes de levantar a cabine, leia as instruções para
levantar/abaixar a cabine na seguinte seção: Cabine e
controles

22. Suporte de segurança da cabine. Leia a seguinte seção


no Manual do Proprietário: Cabine e controles. (P52852)

1 2 3 23. Adesivo de instruções e advertências gerais (P52708).


As explicações das figuras no adesivo podem ser encontra-
das na lista a seguir.

1. Antes de fazer manutenção na máquina, leia e certifique-


se de que entendeu o Manual do Proprietário. Use luzes
de serviço.
2. Antes de levantar/abaixar a cabine, leia as instruções
para levantar/abaixar a cabine na seguinte seção:
Cabine e controles.
3. Antes de levantar/abaixar a tampa do motor, leia as
instruções para levantar/abaixar a tampa do motor na
seguinte seção: Manutenção.

73
1 Segurança

24. Interruptor da bomba de reabastecimento (P52713)

25. Interruptor de operação LIGADO / DESLIGADO da


bomba de reabastecimento (P52714)

23. A distância de segurança dos harvesters / máquinas


duplas é 90 m e 20 m para forwarders. O adesivo está
localizado na grua/lança do carregador. (P49794)

74
1 Segurança

1.25 Adesivos da cabine

1.25.1 Adesivos localizados no forwarder/na


cabine dupla
1. Funções da manopla de controle para forwarder com mini-
manoplas.
O adesivo mostra quais movimentos da garra e do carregador
ocorrerão ao usar as manoplas de controle.
Verifique / aprenda todos os movimentos da garra e do car-
regador de maneira cuidadosa e controlada antes de traba-
lhar com a máquina. Leia a seguinte seção no Manual do
Proprietário: Cabine e controles. (P38611)

2. Funções da manopla de controle das manoplas de controle


Duplas com Conforto.
O adesivo mostra quais movimentos do carregador e da
garra/cabeçote do harvester ocorrerão ao usar as manoplas
de controle.
Verifique / aprenda todos os movimentos do carregador e
da garra/cabeçote do harvester de maneira cuidadosa e
controlada antes de trabalhar com a máquina. Leia a seguinte
seção no Manual do Proprietário: Cabine e controles.
(P40674)

3. Funções da manopla de controle para Duplas com


manoplas de controle do minijoystick.
O adesivo mostra quais movimentos da grua, do cabe-
çote/garra do harvester ocorrerão durante o uso das mano-
plas de controle.
Verifique / aprenda todos os movimentos do carregador e
da garra/cabeçote do harvester de maneira cuidadosa e
controlada antes de trabalhar com a máquina. Leia a seguinte
seção no Manual do Proprietário: Cabine e controles.
(P38612)

4. Funções da manopla de controle das manoplas de controle


Duplas com GESSMANN.
O adesivo mostra quais movimentos do carregador e do
cabeçote do harvester ocorrerão ao usar as manoplas de
controle.
Verifique / aprenda todos os movimentos do carregador e
da garra/cabeçote do harvester de maneira cuidadosa e
controlada antes de trabalhar com a máquina. Leia a seguinte

75
1 Segurança

seção no Manual do Proprietário: Cabine e controles.


(P20162)

5. Minimanopla ou interruptores da manopla de controle


GESSMANN e suas funções. Leia a seguinte seção no
Manual do Proprietário: Cabine e controles. (P15582)

6. PERIGO. Nunca encha o espaço de carga acima do


malhal.

76
1 Segurança

7. Adesivo de instruções e avisos gerais (P52718). As


explicações das figuras no adesivo podem ser encontradas
1 na lista a seguir.

1. Verifique a tabela para saber a distância de segurança


mínima entre a peça mais próxima da máquina - como
a lança da grua ou a garra - e um fio elétrico.
Nota: Os valores da tabela são válidos na Finlândia.
Consulte as normas de segurança elétrica para conhecer
as distâncias de segurança específicas do país.
2. Adesivo de instruções do sistema de extintores de
incêndio em caso de incêndio.

8. Não levante a cabine das suas manoplas de segurança.


(P52716)

77
1 Segurança

9. Localização do kit de primeiros socorros e saída de


emergência. (P49777)

10. Saída de emergência e instruções sobre como abrir a


janela de fora da cabine. Leia a seção Abrindo a janela
lateral de fora da cabine do Manual do Proprietário.

78
1 Segurança

11. Um adesivo de instruções e advertência geral no para-


brisa (P29170), veja a figura anterior. As explicações das
figuras no adesivo podem ser encontradas na lista a seguir.

1. Leia e certifique-se de compreender o Manual do Pro-


prietário antes de usar a máquina.
2. A cabine de segurança da máquina satisfaz os requi-
sitos do padrão de segurança quando o operador
estiver sentado na posição regular de trabalho e o cinto
de segurança estiver colocado. Com isso, não é permi-
tida nenhuma outra pessoa na cabine da máquina
durante o trabalho.
3. Sempre use o cinto de segurança quando estiver na
cabine. Se a máquina tombar, agarre-se firmemente
nas manoplas de segurança. Não pule para fora.
4. Ao entrar/sair da cabine, use os degraus da máquina.
5. Cumpra as distâncias de segurança específicas do país
quando trabalhar perto de linhas elétricas.
6. Nunca opere a máquina quanto houver pessoas na zona
de segurança, senão poderão ocorrer danos. A zona
de segurança de harvesters / duplas é de 90 m, a zona
de segurança de forwarders é de 20 m e a zona de
segurança de skidders é de 20 m.
7. A porta e a janela da cabine devem ser mantidas
fechadas quando a máquina estiver em operação. Nunca
trabalhe quando a porta da cabine / janela estiver aberta.
8. Se houver uma rachadura ou outro dano em alguma
das janelas da cabine, ou se a cor do vidro estiver des-
botada ou alterada, substitua a janela antes de iniciar
o trabalho.
9. Certifique-se de que o suporte de segurança da cabine
esteja bloqueado corretamente antes de trabalhar
debaixo da cabine. Leia a seguinte seção no Manual do
Proprietário: Cabine e controles, que descreve como
inclinar a cabine corretamente.
10. Desligue sempre o motor antes de reabastecer.

79
1 Segurança

11. Leia as instruções de partida a frio antes de trabalhar


em condições frias.
12. Nenhuma soldagem pode ser feita na máquina sem que
as precauções de segurança necessárias sejam toma-
das. Antes de soldar a máquina, leia a seção Ações
antes de soldar do Manual do Proprietário.
13. Conecte o suporte do transporte entre o chassi frontal
e traseiro durante o trabalho de manutenção, ou durante
o içamento ou transporte da máquina.
14. Número da peça sobressalente da etiqueta de aviso da
Ponsse. Se a etiqueta for danificada, substitua-a imedi-
atamente por uma nova com o mesmo número de peça
sobressalente.

1.26 Etiqueta de aviso do cabeçote do harvester

9
1 2 3

4 5 6 7 8
1 Perigo de esmagamento! Mantenha sempre uma distân-
cia segura da máquina e do cabeçote do harvester.
2 Etiqueta de atenção geral.

80
1 Segurança

3 Perigo de vazamento de alta pressão. Pare o motor,


leia e certifique-se de que entendeu o Manual do
Proprietário do cabeçote do harvester antes de trocar
mangueiras danificadas e gastas ou outros componentes
hidráulicos.
4 O cabeçote do harvester está equipado com uma serra
de corrente e/ou com uma lâmina de corte por pressão.
Sempre desligue o motor antes de fazer manutenção
no cabeçote do harvester, por exemplo, ao substituir a
corrente da serra ou amolar a lâmina.
Leia e certifique-se de que entendeu o Manual do
Proprietário do cabeçote do harvester antes de trabalhar
na faixa de movimento da serra de corrente ou da lâmina
de corte por pressão.
5 Carga pesada. Nunca passe sob o cabeçote do harves-
ter ou outros componentes da máquina que se encon-
tram em elevação ou sem apoio, como a lança.
6 Perigo de fragmentos. O cabeçote do harvester está
equipado com uma serra de corrente. Se a corrente se
danificar, é possível que pedaços da corrente voem com
velocidade extremamente elevada em diferentes dire-
ções da área de trabalho. Por isso, certifique-se de que
cumpre a distância mínima de segurança.
7 Desligue sempre o motor antes de iniciar o procedimento
de solda. Consulte o Manual do Proprietário da máquina
básica: Soldando a máquina.
Antes de começar a soldar, remova o conector do
cabeçote do harvester e siga as instruções no Manual
do Proprietário da máquina base. Isso evitará danos em
outros componentes da máquina.
8 Número da peça sobressalente da etiqueta de aviso da
Ponsse. Se a etiqueta for danificada, substitua-a imedi-
atamente por uma nova com o mesmo número de peça
sobressalente.
9 Modelo de cabeçote do harvester

81
1 Segurança

1.27 Sinal de fora de operação


Se a máquina não estiver operando corretamente, será
necessário colocar um sinal de advertência claramente visível
nos controles da máquina para advertir outras pessoas a
não dar partida ou operar a máquina. Além disso, remova a
chave de ignição e coloque a chave geral na posição OFF.

Ao planejar colocar a máquina em operação novamente,


verifique com cuidado para se certificar de que todos os
recursos de segurança estão operacionais. Essa verificação
poderá ser realizada somente por uma pessoa que conheça
todos os recursos da máquina.

82
2
Cabine e controles

Índice analítico Parte 2


2.1 Geral ................................................................................. 85
2.2 Painel de interruptores ........................................................ 86
2.3 Tela OptiControl .................................................................. 89
2.4 Painel de controle do Opti4G ............................................... 90
2.5 Manoplas de controle e interruptores nos descansos de
braço ................................................................................. 91
2.5.1 Míni manoplas, forwarder ...................................... 91
2.5.2 Botões de controle do LoadOptimizer PC (opci-
onal) .................................................................... 96
2.5.3 Botões de controle VLA VariableLoadArea (opci-
onal) .................................................................... 97
2.5.4 Controle do prendedor (equipamento opci-
onal) .................................................................... 98
2.5.5 Controle do guincho (equipamento opcional) .......... 99
2.5.6 Eixo adicional de 10w (equipamento opci-
onal) .................................................................. 100
2.6 Pedais ............................................................................. 101
2.7 Travamento central (opcional) ............................................ 101
2.8 Alarmes ........................................................................... 102
2.8.1 Luzes de advertência e de alerta para motores
diesel ................................................................. 102
2.8.2 Funcionalidade das luzes indicadoras dos alarmes
de SCR .............................................................. 102
2.8.2.1 Defeito no sistema de SCR ................................. 103
2.8.2.2 Volume de aditivo ............................................... 103
2.8.3 Luz de alarme e som de campainha forte ............. 104
2.8.4 Som baixo da campainha .................................... 106
2.9 Assento do operador da máquina ...................................... 108
2.9.1 Instruções de operação para a série BE-GE
9000 .................................................................. 108
2.9.2 BE-GE 9000 Airvent (opcional) ............................ 110
2.9.3 Assento série BE-GE 3000 (opcional) .................. 111
2.9.3.1 Controles, sua funcionalidade e ajuste ................. 111
2.9.3.2 Manutenção ....................................................... 114
2.9.3.3 Itens a serem verificados ..................................... 114
2.9.3.4 Instruções de solução de problemas para os funci-
onários de serviço autorizado .............................. 117
2.9.3.5 Reciclagem ........................................................ 118
2 Cabine e controles

2.10 Ar condicionado e aquecedor automático ........................... 119


2.10.1 Funcionamento do ar condicionado ...................... 119
2.10.2 Como ajustar o ar condicionado e aquecedor ....... 119
2.10.3 Controles ........................................................... 121
2.10.4 Informações na tela principal ............................... 121
2.10.5 Menus de operação ............................................ 121
2.10.6 Menus de diagnóstico ......................................... 123
2.10.7 Manutenção e inspeção do ar condicionado ......... 125
2.10.8 Limpeza da célula do resfriador a cada 50
horas ................................................................. 126
2.10.9 Verificação o filtro de ar fresco e de recirculação a
cada 50 horas ..................................................... 127
2.10.10 Manutenção programada do condicionador a cada
dois anos ........................................................... 127
2.11 Sistema de câmeras de ré ................................................. 128
2.11.1 Geral ................................................................. 128
2.11.2 Especificações técnicas ...................................... 128
2.11.3 Funcionalidade do sistema .................................. 130
2.11.3.1 Funções do botão da tela .................................... 130
2.11.3.2 Funções dos menus ............................................ 131
2.12 Computador Opti7 da PONSSE ......................................... 133
2.12.1 Botão liga e desliga do computador ..................... 133
2.12.2 Ajustando o brilho da luz de fundo do
mostrador ........................................................... 134
2.12.3 Funções da cigarra e do LED .............................. 135
2.12.3.1 Funcionamento do computador Opti7 em tempera-
turas baixas ........................................................ 136
2.12.3.2 Funcionamento do computador Opti7 em tempera-
turas altas .......................................................... 136
2.12.3.3 Tensão de operação do computador Opti7 ........... 136
2.12.4 Deixando o computador Opti7 pronto para
soldagem ........................................................... 137
2.12.5 Equipamento auxiliar do computador Opti7 .......... 137
2.12.6 Portas do computador Opti7 ................................ 138
2.13 Janelas da cabine ............................................................. 139
2.13.1 Fixação da janela ................................................ 139
2.13.2 Limpeza da janela ............................................... 139
2.13.2.1 Lavagem das janelas .......................................... 140
2.13.2.2 Remoção de manchas ........................................ 140
2.14 Inclinação da cabine para manutenção e reparos ............... 141
2.14.1 Leia antes de começar o trabalho ........................ 141
2.14.2 Liberação da trava da cabine ............................... 142
2.14.3 Inclinação da cabine ........................................... 142
2.14.4 Descida da cabine para uma posição inferior ........ 143
2.14.5 Travamento da cabine em uma posição infe-
rior ..................................................................... 143
2.15 Inclinação elétrica da cabine (equipamento opcional) .......... 144
2.15.1 Inclinação da cabine ........................................... 144
2.15.2 Descida da cabine para uma posição inferior ........ 144
2 Cabine e controles

2.1 Geral
As funções do forwarder são controladas com o sistema
OptiControl da PONSSE. Pela unidade de vídeo OptiControl,
o operador da máquina pode receber informações sobre as
operações de máquina, fazer ajustes e calibrações, e locali-
zar a causa de qualquer falha. Para obter instruções mais
detalhadas sobre as funções da tela, consulte o Manual de
Instruções do OptiControl.

Se a máquina for equipada com o sistema de informações


PONSSE Opti4G com o Opti PC, o operador da máquina
pode usar o sistema OptiControl através do Opti PC. As
instruções sobre as funções do sistema podem ser encontra-
das no Manual de Instruções do Opti4G.

As instruções de operação do equipamento opcional podem


ser encontradas ao final deste manual.

85
2 Cabine e controles

2.2 Painel de interruptores

1 Trava da ignição
Posições da trava da ignição:
0 = motor parado (STOP), a chave de ignição
pode ser retirada da trava da ignição
Nota:Quando a máquina for equipada com o
sistema de informações Opti4G, certifique-se
de que o Opti PC esteja desligado antes de
cortar a corrente elétrica do interruptor de
corrente principal.
I = corrente ligada (EU Stage IIIA motor: corrente
ligada e pré-incandescência automática)
III = partida
2 Freio de estacionamento
Posições do interruptor:
DESLIGADO = freio solto, degraus para cima
LIGADO = freio aplicado, degraus para baixo
(luz indicadora do freio de estaciona-
mento fica acesa no interruptor)
3 Interruptor Dual (Dual)
Posições do interruptor:
0 = forwarder
1 = harvester
3 Interruptor de seleção da direção do malhal (opcional)
Posições do interruptor:
0 = malhal para frente/trás
1 = malhal para cima/baixo
4 Botão de parada de emergência (parada do motor)
● em caso de emergência, aperte o botão para baixo
● para liberar o botão, gire-o no sentido horário
5 Luz do alarme (vermelha)
6 Temporizador do aquecedor do motor (aquecedor do
motor como equipamento opcional)

86
2 Cabine e controles

7 Interface de operação do sistema central de lubrificação


(sistema central de lubrificação como equipamento
opcional)
8 Buzina
*) As funções da luz indica- 9 Mau funcionamento do volante de direção, luz indica-
dora são apresentadas em dora
um Manual do Proprietário do 10 Solenoide da segurança da janela, luz indicadora
Motor separado. 11 *) Luz de aviso do motor a diesel (vermelha)
12 *) Luz de alerta do motor a diesel (amarela)
13 Limite mínimo do óleo do motor a diesel, luz indicadora
14 *) motor EU Stage IV: Sistema de pós-tratamento do
escapamento, modo restrito/luz de falha
14 motor EU Stage IIIA: Incandescência, luz indicadora
15 Luz indicadora I de carga (alternador superior)
16 motor EU Stage IIIA: Luz indicadora II de carga (alter-
nador inferior)
17 Pisca-alerta
18 Indicador do pisca
19 Sinais do pisca
20 Luzes de estacionamento e faróis
Posições do interruptor:
0 = DESLIGADO
1 = luzes de estacionamento e iluminação de
fundo
2 = luzes de estacionamento e faróis
21 Farol baixo/alto
● farol baixo
● farol alto
22 Luzes do interior da cabine
Posições do interruptor:
0 = DESLIGADO
1 = luzes internas com interruptor na porta para
ativá-las
2 = luzes internas (todas acesas)

87
2 Cabine e controles

23 Botões seletores do farol de serviço


24 Interruptor do modo de suspensão ativa (ActiveFrame)
Posições do interruptor:
= serviço
= centro
= suspensão
25 Escala do carregador (equipamento opcional)
26 Faróis de serviço LIGADOS/DESLIGADOS
27 Interruptor do cabeçote do harvester (Dual)
28 Bomba a vácuo hidráulica (quando ligada, a chave de
ignição deve estar na posição 0)
29 Interruptor LIGA/DESLIGA de controle do carregador
32 Acendedor de cigarros

88
2 Cabine e controles

2.3 Tela OptiControl


O interruptor de energia da tela OptiControl (a) pode estar
sempre na posição Ligado. A energia da tela só é desligada
durante a manutenção, se necessário.

Indicadores na tela:
● tacômetro
● medidor de temperatura do motor
● medidor de temperatura do fluido hidráulico
Tela OptiControl ● medidor de combustível
a Interruptor de energia da tela ● medidor de tensão
b Barramento USB ● medidor da pressão do óleo do motor
● indicador de velocidade
● contador
● hodômetro
● medidor de horas (carregador, diesel e transmissão)
● termômetro externo (se a máquina for equipada com
um motor que atende os limites de emissões EU Stage
IV)
● medidor DEF (Diesel Exhaust Fluid) (se a máquina for
equipada com um motor que atende os limites de
emissões EU Stage IV)

Os ícones de status exibidos no painel de instrumentos são


descritos no Manual de Instruções do OptiControl.

Se a máquina for equipada com o sistema de informações


Opti4G, os indicadores podem ser abertos na tela do Opti
PC.

89
2 Cabine e controles

2.4 Painel de controle do Opti4G

O painel de controle do Opti4G é aberto/fechado quando


você clica no ícone no canto inferior direito da tela. Você
também pode abrir/fechar o painel de controle através do
interruptor de confirmação do operador. As funções do painel
de controle são explicadas na seção PAINEL DE CONTROLE
do Manual de Instruções do Opti4G.

90
2 Cabine e controles

2.5 Manoplas de controle e


interruptores nos descansos de
braço

2.5.1 Míni manoplas, forwarder

L Manopla de controle esquerda


R Manopla de controle direita
1 Extensão para fora
● quando o assento está voltado para o motor diesel:
Ajuste da velocidade de condução – aumentar a
velocidade máxima de tração ao dirigir
2 Extensão para dentro
● quando a lâmina do buldôzer é ativada: Lâmina da
lâmina do buldôzer flutuando
● quando o assento está voltado para o motor diesel
e a lâmina do buldôzer não foi ativada:
Ajuste da velocidade de condução – reduzir a
velocidade máxima de tração ao dirigir
A função Ajuste da velocidade de condução com o con-
trole de extensão pode ser configurada no interruptor
(saída de extensão / entrada de extensão) na interface
de usuário do Opti4G, nesse caso a direção do assento
não terá impacto no ajuste da velocidade de condução.
Veja CONFIGURAÇÕES/Transmissão no Manual de
Instruções do Opti4G.

91
2 Cabine e controles

3 Lança de prolongamento para cima


● quando a lâmina do buldôzer é ativada: Lâmina do
buldôzer para baixo
4 Lança de prolongamento para baixo
● quando a lâmina do buldôzer é ativada: Lâmina do
buldôzer para cima
5 Giro do carregador para a esquerda
6 Giro do carregador para a direita
7 Garra aberta
8 Garra fechada
9 Lança de levantamento para baixo
10 Lança de levantamento para cima
11 Giro do rotor no sentido anti-horário
12 Giro do rotor no sentido horário
42 Ajuste dos descansos de braço para frente/para trás
44 Liberação/bloqueio do assento (equipamento opcional)

45 Minivolante de direção

46 Manobras fora de estrada

47 Seletor do sentido de deslocamento


● F = avanço
● N = neutro
● R = ré

92
2 Cabine e controles

48 Bloqueio do diferencial
● bloqueio da roda traseira ativado
● bloqueios desativados na posição
central
● bloqueios das rodas dianteiras e tra-
seiras ativados
49 Trava de oscilação do chassi
● chassis dianteiro e traseiro da
máquina bloqueados
● chassis dianteiro e traseiro da
máquina movendo-se um com rela-
ção ao outro
50 Confirmação do operador
● confirmação do alarme
51 Controle do malhal
● abertura de toras para frente/para
trás
Se a máquina estiver equipada com movimentação do
malhal para a frente/trás e movimentação do malhal
para cima/baixo, o controle do malhal opera de acordo
com a posição do interruptor de seleção de direção do
malhal (3):
● abertura de toras para frente/para
trás ou
● malhal para cima/baixo

93
2 Cabine e controles

As funções de movimentação do malhal para a


frente/trás e movimentação do malhal para cima/baixo
estão disponíveis para forwarders conforme o modelo
específico da máquina.
(Consulte Controle de movimentação do malhal na seção
Operação e deslocamento.)

52 Limpadores/lavador do para-brisa
● limpadores do para-brisa
● DESLIGADO
● limpadores e lavador do para-brisa
a Botões seletores do limpador do para-brisa
b Ajuste do intervalo do limpador do para-brisa
53 Interruptor de RPM constante
● este interruptor permite selecionar a
rpm constante do motor na interface
de usuário do sistema OptiCon-
trol/Opti4G
54 Interruptor do programa de condução
● este interruptor permite selecionar
as configurações dos modos de
deslocamento 1, 2 e 3 na interface
de usuário do sistema OptiCon-
trol/Opti4G

94
2 Cabine e controles

55 Seletor da faixa de velocidade de condução


As configurações das faixas lenta e rápida são dadas
na interface de usuário do sistema OptiControl/Opti4G.
● faixa rápida
● faixa lenta
56 Liberação do acionamento para trás
● rodas dianteiras tracionadas
● rodas dianteiras e traseiras traciona-
das
57 Interruptor de ativação da lâmina do buldôzer (lâmina
do buldôzer como equipamento opcional)
● a lâmina do buldôzer não está ati-
vada
● a lâmina do buldôzer está ativada
(Os movimentos da manopla
esquerda 3 e 4 controlam a lâmina
do buldôzer para cima/baixo, e o
interruptor da manopla de controle
esquerda 2 controla a flutuação da
lâmina do buldôzer. Para obter instru-
ções operacionais, consulte a seção
Operação e deslocamento.)

95
2 Cabine e controles

2.5.2 Botões de controle do LoadOptimizer


PC (opcional)

L Manopla de controle esquerda

1-6 Pré-seleção 0 - Pré-seleção 5


7 Salvar
8 Esconder manuseio

R Manopla de controle direita

1-5 Grupo 1 - Grupo 5


6 Escape ESC
7 Tarar
8 ENTER

Para obter informações mais detalhadas, consulte as instru-


ções do programa CONFIGURAÇÕES no Manual de Instru-
ções do forwarder Opti4G.

96
2 Cabine e controles

2.5.3 Botões de controle VLA


VariableLoadArea (opcional)

R Manopla de controle direita

Amplo espaço de carga.


Espaço de carga estreito.

Mantenha o botão Espaço de carga amplo pressionado de


maneira que todos os fueiros tenham completado seus
movimentos.

Para obter instruções operacionais, consulte a seção Opera-


ção e deslocamento.

97
2 Cabine e controles

2.5.4 Controle do prendedor (equipamento


opcional)

L Manopla de controle esquerda

Mordentes esquerdos abertos


Mordentes esquerdos fechados
Mordentes abertos, cabos desapertados
Mordentes fechados, cabos apertados

R Manopla de controle direita

Mordentes direitos fechados


Mordentes direitos abertos
Cabos desapertados
Cabos apertados

Para os pontos de engraxamento do prendedor, consulte a


seção Engraxamento.

98
2 Cabine e controles

2.5.5 Controle do guincho (equipamento


opcional)

L Manopla de controle esquerda

Cabo esticado

Cabo recolhido

Liberação do guincho

● Quando o botão for pressionado, o freio do


guincho será liberado e o cabo poderá se
mover livremente. Se o botão for pressio-
nado novamente, o guincho será travado.

Antes de operar o guincho, leia o manual separado fornecido


com a máquina.

99
2 Cabine e controles

2.5.6 Eixo adicional de 10w


(equipamento opcional)

L Manopla de controle esquerda

Botão para baixo do eixo adicional

● Se o botão for pressionado uma vez, o eixo


baixará e o pressionamento do permanecerá
ligado.

Botão para cima do eixo adicional

● Se o botão for pressionado uma vez, o eixo


subirá e permanecerá na posição superior.
● Quando o botão é pressionado durante mais
de 0,2 segundos, o controle automático é
interrompido e o eixo é controlado até o botão
ser liberado.

Ativando a flutuação do eixo adicional de 10w

● Pressione simultaneamente durante um


segundo os botões Eixo adicional para baixo e
Eixo adicional para cima.

O Manual do Proprietário do eixo adicional de 10w está


anexado ao final deste manual.

100
2 Cabine e controles

2.6 Pedais
1 2
3

1 Pedal do freio (freio de operação)


2 Pedal de deslocamento
3 Inclinação da base do carregador (equipamento opcio-
nal)

2.7 Travamento central (opcional)


Se a máquina for equipada com um dispositivo antirroubo
como equipamento opcional, o travamento central também
estará disponível.

O uso do travamento central é possível


● com o controle remoto
● usando a chave na porta da cabine.

O interruptor de corrente principal deve estar ligado para que


o sistema de travamento central possa ser aberto usando o
Controle remoto
1 Botão de bloqueio
controle remoto.
2 Botão de abertura
Quando a porta da cabine é aberta com o controle remoto
ou a chave, além da porta (3), as travas dos compartimentos
laterais (4) e do compartimento do para-choque (5) também
serão abertas. Se a porta da cabine não for aberta dentro
de um minuto, o sistema de travamento central será ativado
automaticamente.

Quando a porta da cabine é fechada com o sistema de tra-


vamento central, ela deve ser trancada antes da corrente
principal ser cortada a partir do interruptor de corrente prin-
cipal.

101
2 Cabine e controles

2.8 Alarmes
Se a campainha ou uma luz de sinal der um alarme, pare a
máquina imediatamente e verifique a causa do alarme.

2.8.1 Luzes de advertência e de alerta para


motores diesel
Alarme Descrição de alarme Correção de alarme
Luz de advertência - Desligue o motor imediatamente
(vermelha) e entre em contato com um serviço
PONSSE autorizado.
Luz de alerta (ama- - Entre em contato com um serviço
rela) PONSSE autorizado.
As luzes de advertên- - As luzes de advertência e de - Não dê partida na máquina. A
cia e de alarme alarme estão piscando e a função causa pode ser pressão do óleo ou
estão piscando de parada automática do motor a temperatura do fluido refrigerante
diesel é ativada. excessivamente alta.
- Entre em contato com um serviço
PONSSE autorizado.

2.8.2 Funcionalidade das luzes indicadoras


dos alarmes de SCR

C Luz de alerta do motor a diesel (amarela)


S Luz de aviso do motor a diesel (vermelha)
L Luz de defeito no SCR
W Luz de alarme geral

102
2 Cabine e controles

2.8.2.1 Defeito no sistema de SCR

Operação da luz indicadora: (W) pis- (L) (L) pis- (C) (S) (S) pis-
cando acesa cando acesa acesa cando

Falha detectada x x
Aviso x x x
Torque do motor 75% do normal x x x
Torque de 50% do normal, 60% x x x
da rotação do motor
Torque de 20% do normal, motor x x x x
entra em marcha lenta
Torque 20% do normal, motor x x x x
em marcha lenta.

2.8.2.2 Volume de aditivo

Operação da luz indicadora: (W) pis- (L) (L) pis- (C) (S) (S) pis-
cando acesa cando acesa acesa cando

Aviso, nível de aditivo 10% do x x


máximo
O nível do aditivo cai para x x x
aproximadamente 7,5% do
máximo -> Torque do motor
(Nm) 100% -> 75%
O nível do aditivo cai para x x x
aproximadamente 5% do
máximo Torque (Nm) 75% ->
50% e RPM 100% -> 60%
O nível do aditivo cai para x x x x
aproximadamente 2,5% do
máximo Torque (Nm) 50% ->
20% e RPM 60% -> 20%
O nível do aditivo cai para x x x x
aproximadamente 0% do
máximo Torque (Nm) 20% do
normal, motor em marcha lenta.

103
2 Cabine e controles

2.8.3 Luz de alarme e som de campainha forte


A luz de alarme está piscando e um alarme é mostrado na
tela.

O alarme é reconhecido pressionando o interruptor Confir-


mação do operador no painel esquerdo da manopla de
controle esquerda ou o botão de OK na tela.

Alarme Descrição de alarme Correção de alarme


Pressão de entrega - Pressão de alimentação baixa na - Verifique a pressão de alimenta-
mínima transmissão ção e, se necessário, entre em
- Novo alarme em 2 minutos, se contato um serviço PONSSE auto-
deixado ativo rizado.
- As instruções de medição da
pressão de alimentação da trans-
missão da transmissão estão no
Manual do Proprietário do harves-
ter/forwarder.
Pressão do circuito - Pressão baixa do freio - Ajuste a pressão do freio.
do freio (alarme) - - Novo alarme em 2 minutos, se - As instruções de ajuste da pres-
Limite inferior deixado ativo são do circuito do freio estão no
Manual do Proprietário do harves-
ter/ forwarder.
Nível do reservatório - Nível do óleo hidráulico baixo - Verifique o nível de óleo hidráulico
de fluido hidráulico - - Novo alarme em 30 segundos, se e complete o óleo hidráulico se
Limite inferior deixado ativo necessário.
Diesel, fluido de - Baixo nível do líquido resfriador - Verifique o nível de líquido resfria-
arrefecimento do diesel dor e complete o líquido resfriador
- Novo alarme em 5 minutos, se se necessário.
deixado ativo
Diesel, filtro de ar - O filtro de ar do motor a diesel - Verifique a condição do filtro de
está obstruído ar. Limpe o filtro e o substitua
- Sem novo alarme quando necessário.
- As instruções de substituição do
filtro de ar estão localizadas no
Manual do Proprietário do Motor.
Nível entup. filtro de - O filtro de retorno está obstruído - Substitua o filtro de retorno.
retorno, alarme - Novo alarme em 5 minutos, se - As instruções sobre os filtros
deixado ativo estão no Manual do Proprietário do
harvester/forwarder.
Entup. filtro circul. - O filtro de circulação de resfria- - Substitua o filtro de circulação de
arrefecimento mento está obstruído resfriamento.
- Novo alarme em 5 minutos, se - As instruções sobre os filtros
deixado ativo estão no Manual do Proprietário do
harvester/forwarder.

104
2 Cabine e controles

Alarme Descrição de alarme Correção de alarme


Tensão de entrada - Curto circuito na linha de corrente - Entre em contato com um serviço
do sensor de alimentação do sensor PONSSE autorizado.
- Sem novo alarme
Temperatura do óleo - A temperatura do óleo hidráulico - Aguarde até a temperatura do
hidráulico - Limite está abaixo de -20 ºC óleo hidráulico subir antes de iniciar
inferior - Novo alarme em 20 minutos, se o trabalho.
deixado ativo
Temperatura do óleo - A temperatura do óleo hidráulico - Limpe o resfriador.
hidráulico - Limite excede +80 ºC
superior - Sem novo alarme
Temperatura do óleo - A temperatura do óleo hidráulico - Entre em contato com um serviço
hidráulico excede +85 ºC PONSSE autorizado.
- Novo alarme em 5 minutos, se
deixado ativo
Quantidade DEF - - O aditivo DEF está chegando ao - Complete o aditivo DEF.
Limite inferior fim
- Novo alarme em 15 minutos, se
deixado ativo
Interruptor na porta - O cinto de segurança está destra- - Prenda o cinto de segurança.
- O cinto de segu- vado
rança está destra- - Novo alarme em 10 segundos, se
vado! deixado ativo
A porta está aberta! - A porta está aberta - Feche a porta.
- Novo alarme em 10 segundos, se
deixado ativo

105
2 Cabine e controles

2.8.4 Som baixo da campainha


Um alarme é exibido na tela.

O alarme é reconhecido pressionando o interruptor Confir-


mação do operador no painel esquerdo da manopla de
controle esquerda ou o botão de OK na tela.

Alarme Descrição de alarme Correção de alarme


Quantidade de com- - O combustível está terminando - Reabastecimento.
bustível - Limite infe- - Novo alarme em 15 minutos, se
rior deixado ativo
Pressão do freio de - Freio de estacionamento ativado, - Verifique a pressão do freio de
estacionamento sentido de deslocamento selecio- estacionamento
nado - Solte o freio de estacionamento.
- Sem novo alarme - Solte o pedal de deslocamento
dianteiro/traseiro.
- Coloque o seletor de sentido de
deslocamento na posição interme-
diária e para trás.
Operação proibida: - O alarme é acionado ao conduzir - Solte o freio de estacionamento.
degraus com os degraus para baixo e um - Solte o pedal de deslocamento
sentido de deslocamento estiver dianteiro/traseiro.
selecionado - Coloque o seletor de sentido de
- O alarme desliga se os degraus deslocamento na posição interme-
estiverem para cima mas o seletor diária e de volta.
de sentido de deslocamento não
tiver sido virado para a posição
intermediária e para trás
- Sem novo alarme
Sensor do operador - A ativação da máquina e do - Se o operador sentar no assento
cabeçote do harvester é impedida dentro de 10 segundos após o
se não houver operador no assento alarme, o alarme será reinicializado
próprio. automaticamente.
- Novo alarme em 5 segundos, se - Após 10 segundos, reinicialize o
deixado ativo alarme com o interruptor Confirma-
ção do operador.
Comando do blo- - O bloqueio de oscilação do chassi - Ative o bloqueio de oscilação do
queio do chassi não está ativado chassi.
- Sem novo alarme

106
2 Cabine e controles

Alarme Descrição de alarme Correção de alarme


Seletor de ativação - A lâmina da pá niveladora está - Quando a lâmina da pá niveladora
da lâmina da pá em uso não estiver mais sendo usada,
- Sem novo alarme desligue o interruptor de ativação
da pá niveladora.
Pressostato na - Mudando a pressão na engrena- - Entre em contato com um serviço
engrenagem diferen- gem do diferencial, muito embora PONSSE autorizado.
cial o interruptor de bloqueio da engre-
nagem do diferencial não esteja
ligado
- Sem novo alarme
Bloqueio do diferen- - Bloqueio das rodas traseiras ati- - Quando a superfície de desloca-
cial, traseiro vado e o freio de serviço desati- mento tiver bastante agarramento,
Scorpion: Bloqueio vado mude o bloqueio do diferencial para
do diferencial, dian- a posição intermediária.
teiro
Bloqueio do diferen- - Os bloqueios das rodas dianteiras - Quando a superfície de desloca-
cial, ambos e traseiras estão ativados e o freio mento tiver bastante agarramento,
de serviço está desativado mude o bloqueio do diferencial para
a posição intermediária.
Quantia de DEF - - O aditivo DEF está chegando ao - Complete o aditivo DEF.
Limite inferior fim
- Novo alarme em 60 minutos, se
deixado ativo

107
2 Cabine e controles

2.9 Assento do operador da máquina


A máquina é equipada com um assento de operador, descrito
posteriormente, que também é a única posição de trabalho
na máquina. A máquina pode ser controlada somente a
partir do assento do operador.

2.9.1 Instruções de operação para a série


BE-GE 9000

108
2 Cabine e controles

1 Ajuste de altura do assento – modelo 9100


Para levantar o assento, vire a roda manual em sentido
horário. O ajuste de peso é automático.
2 Inclinação rápida – modelo 9100
Antes de se sentar, puxe a roda para fora para inclinar
o assento rapidamente. Quando estiver sentado,
empurre a roda para dentro para retornar automatica-
mente o assento para a posição normal.
3 Ajuste da inclinação da almofada do assento.
Inclinação infinita da almofada do assento
4 Ajuste da inclinação do encosto
Inclinação infinita do encosto
5 Ajuste do para frente e para trás do assento
Vire a alavanca para a direita, ajuste o assento para
frente/para trás
6 Limitador de altura com função de bloqueio (imagem
na página anterior)
Posições:
1 Suspensão bloqueada (alavanca para a esquerda)
A posição 1 é a posição de entrega. Por motivos
de segurança, essa posição só pode ser aplicada
em situações de emergência.
2 Suspensão de alcance limitado (alavanca na posi-
ção média)
Para ser aplicada nos casos em que o operador
senta e sai do assento com frequência.
3 Suspensão de alcance total (a alavanca para a
direita)
Posição normal

7 Ajuste de aquecimento do assento


Controlado termostaticamente no lado direito do assento
8 Apoio para a cabeça
Ajustável verticalmente
9 Cinto de segurança
Cinto de segurança de 2 pontos
10 Liberação de giro do assento (não no Scorpion/Scor-
pionKing)
(Como equipamento opcional, também está disponível
uma base de freio a ar na qual a liberação está no des-
canso de braço.)
11 Ajuste de altura da base (não no Scorpion/Scorpion-
King)
12 Ajuste dos descansos de braço para frente/para trás
13 Ajuste do ângulo do braço de assento (lateral e para
frente/para trás)

109
2 Cabine e controles

14 Ajuste de distância lateral e altura do braço do


assento
15 Liberação do nivelador do descanço de braço

2.9.2 BE-GE 9000 Airvent (opcional)

1 Botão LIGA/DESLIGA para os ventiladores da almofada


do assento e do encosto
2 Botão LIGA/DESLIGA para o aquecimento elétrico do
assento e da almofada do encosto
3 Regulação da velocidade do ventilador da almofada do
assento
4 Regulação da velocidade do ventilador do encosto

110
2 Cabine e controles

2.9.3 Assento série BE-GE 3000 (opcional)

As funções originais do assento não podem ser alteradas,


pois isso causa um risco de segurança.

O assento não pode ser ajustando enquanto a máquina está


em movimento.

2.9.3.1 Controles, sua funcionalidade e ajuste

1 Assento ajustável
Ajuste longitudinal de 80 mm. Puxe a alavanca para cima para mover o
assento para frente/para trás.

2 Ajuste longitudinal
Ajuste de 160 mm.
3100/3400: Mova a alavanca do mecanismo deslizante para a direita para
ajustar a posição do assento.

3 Ajuste do encosto
Para ajustar a posição do encosto, puxe a alavanca e mude a posição do
encosto usando seu corpo. Solte a alavanca quando a inclinação estiver
na posição correta.

111
2 Cabine e controles

4 Cinto de segurança
Design de 2 pontos.

5 Apoio para a cabeça


O apoio para a cabeça pode ser levantado ou abaixado.

6 Inclinação do assento
O assento pode ser inclinado infinitamente. Puxe a alavanca e mude a
inclinação do assento usando seu corpo. Solte a alavanca quando a
inclinação estiver na posição correta.

7 Ajuste de altura
3000/3100: 140 mm. Para elevar o assento, puxe a alavanca para cima.
Para abaixar o assento, empurre a alavanca para baixo. A distribuição de
peso é ajustada automaticamente.

8 Amortecedor ajustável
Ajuste linear. Para se ter uma absorção de choque mais forte/mais fraca,
mova o botão do console para cima ou para baixo.

9 Ventilação (Airvent)
Ajuste de ventilação linear. Interruptor LIGA/DESLIGA. O assento perma-
nece seco e confortável.

112
2 Cabine e controles

10 Resistência ao aquecimento
Posições 0, 1, 2 dos botões do console.
Controle termostático.
Nível 1: 10/20°C LIGA/DESLIGA (aquecimento de conforto)
Nível 2: 28/37°C LIGA/DESLIGA
Alimentação: 24 V, 50 W

11 Apoio lombar
Apoio lombar ajustável 3000/3100: Pressione + para aumentar o apoio ou
pressione - para reduzir o apoio.

12 Suportes laterais ajustáveis


Ajuste linear do encosto. Pressione + para aumentar o apoio ou pressione
- para reduzir o apoio.

13 Ajuste dos descansos de braço para frente/para trás


14 Ajuste do ângulo do braço de assento (lateral e para frente/para trás)
15 Ajuste de distância lateral e altura do braço do assento
16 Liberação do nivelador do descanço de braço

113
2 Cabine e controles

2.9.3.2 Manutenção

Inspeções diárias:

Certifique-se de que não existam obstáculos no intervalo de


funcionamento do assento.

Verifique se todos os componentes do cinto de segurança


estão livres de danos. Altere todo o kit de cinto de segurança
se
● o cinto estiver quebrado ou rachado
● o equipamento (incluindo fixações) estiverem gastos ou
danificados
● a fivela ou o aperto (se equipados) estiver inoperante
● as costuras do cinto estiverem desfiadas.

Se o assento não ficar na altura ajustada, verifique se há


vazamentos no sistema pneumático.

Verificações a cada 50 horas:

Verifique se as funções do assento funcionam de forma


suficiente: para frente/trás, para cima/baixo, inclinação,
encosto, válvula de ar e cinto de segurança (ver verificações
diárias).

Verificações a cada 1800 horas:

Lubrifique os trilhos deslizantes (consulte a 2.9.3.3 Itens a


serem verificados Seção 2). Verifique se não há vazamentos
de óleo nos amortecedores. Se for detectado algum vaza-
mento, substitua o amortecedor. Verifique o cinto de segu-
rança (consulte verificações diárias). Verifique se a fixação
do piso está em ordem e que nenhum parafuso está solto.

O sistema de mola representa um risco de ser espremido


se o fole de proteção estiver ausente ou danificado.

2.9.3.3 Itens a serem verificados

Remova todos os obstáculos que estejam atrapalhando.


Verifique se as configurações podem ser alteradas. Se a
configuração não funcionar, procure a assistência técnica
autorizada da PONSSE.

Verifique se todos os componentes do cinto de segurança


estão em bom estado (consulte verificações diárias).

114
2 Cabine e controles

1. Ajuste de altura
Verifique o ajuste de altura do assento, levantando e
abaixando o assento. Além disso, verifique se o assento
permanece em sua posição de altura e oferece absorção
de choque suficiente.

Se o assento não puder ser abaixado ou levantado


adequadamente ou não oferecer absorção de choque
suficiente, verifique se a admissão de ar funciona corre-
tamente e se não há vazamentos no sistema pneumá-
tico. Se houver defeitos, entre em contato com um ser-
viço autorizado PONSSE.

2. Ajuste longitudinal
Mova o assento até sua posição final e certifique-se de
que ele se desloca livremente. Lubrifique os trilhos des-
lizantes regularmente. Primeiro, limpe os trilhos com um
pano livre de fiapos.

Se houver folga de mais de 1 mm nos trilhos deslizantes,


seja longitudinalmente ou lateralmente, substitua-os.

Verifique se a admissão de ar funciona corretamente e


se não há vazamentos no sistema pneumático. Se o
sistema estiver danificado ou se houver vazamentos,
entre em contato com um serviço autorizado PONSSE.

3. Fixação
Verifique se todos os parafusos estão bem apertados.
Verifique a fixação do assento no piso ou no quadro.

4. Ajuste do encosto
Verifique se os ajustes do encosto funcionam correta-
mente e sem falhas. Se os ajustes estiverem danificados,
substitua o controlador ou entre em contato com um
serviço autorizado PONSSE.

5. Inclinação do assento
Verifique se as funções de inclinação estão corretas e
se o banco inclina para a frente e para trás. Verifique se
a admissão de ar funciona corretamente e se não há
vazamentos no sistema pneumático. Se o sistema estiver
danificado ou se houver vazamentos, entre em contato
com um serviço autorizado PONSSE.

115
2 Cabine e controles

6. Amortecedor
Verifique se a absorção de choque do assento está
funcionando e oferece mais absorção quando o botão
do console é levantado e menor absorção quando o
botão é empurrado para baixo. Se houver defeitos, entre
em contato com um serviço autorizado PONSSE.

7. Conexões
Verifique se todas as conexões (ar/eletricidade), man-
gueiras e cabos estão livres de danos. Se houver danos
visíveis, entre em contato com um serviço autorizado
PONSSE.

Consulte as instruções de solução de problemas antes de


realizar qualquer reparo.

116
2 Cabine e controles

2.9.3.4 Instruções de solução de problemas para os


funcionários de serviço autorizado

Problema Possível razão Instruções de reparo


3100/3400: A inclinação do Cabo com defeito. Substitua o cabo.
assento não pode ser ajus-
tada.
3000/3100: O ajuste de Vazamento na válvula de ar. Substitua a válvula.
altura/absorção de choque do A mangueira de ar não está Verifique se a mangueira de
assento não funcionam corre- conectada corretamente. ar está presa e conectada
tamente. corretamente ao assento.
A mangueira de ar está Substitua a mangueira de ar.
estrangulada.
O suprimento de ar não funci- Verifique o suprimento pneu-
ona. mático do veículo.
Mola pneumática com defeito. Substitua a mola pneumática.
3000/3100: Folga excessiva Amortecedor com defeito. Substitua o amortecedor.
no amortecedor. Luva do amortecedor com Recoloque as luvas.
defeito
Cabo com defeito. Substitua o cabo.
Os trilhos deslizantes estão Os trilhos não correm livre- Verifique se existe espaço livre
rígidos. mente na base. entre o assento e a base.
Trilhos sujos. Limpe e lubrifique os trilhos.
O ajuste longitudinal do Mecanismo da trava com Substitua o mecanismo da
assento não trava. defeito. trava.
3000/3100: Apoio lombar / Vazamento nas conexões de Substitua a mangueira.
apoio lateral / apoio para ar.
cabeça Fole com defeito. Substitua o fole.
A mangueira está estrangu- Substitua a mangueira.
lada.
O aquecimento não funciona. Resfriamento insuficiente. O circuito de aquecimento do
termostato do assento esfria
a 10 graus no nível 1 e a 28
graus no nível 2. Substitua a
almofada do assento se ela
não estiver funcionando.

117
2 Cabine e controles

2.9.3.5 Reciclagem

Estofamento e espumas de plástico Desperdício de energia


Peças de metal Reciclagem de metais
Suporte lateral e encosto Reciclagem de plástico ou desperdício de energia
Peças de plástico Desperdício de energia
Molas pneumáticas Reciclagem de metal ou desperdício de energia
Mola e amortecedor à gás Devem ser descartados como resíduos perigosos
Descanso de braço, espuma de Reciclagem de metais
plástico
Descanso de braço, plástico Deve ser separado em reciclagem de metal e plástico
Fole de proteção Desperdício de energia
Cinto de segurança Reciclagem de metais

Desprendimento do assento
1. Ajuste o assento até sua posição final longe do encosto.
2. Levante o pino limitador de metal por baixo do assento.
3. Deslize o assento para longe do encosto até o assento
poder ser removido.

O estofamento é fácil e rápido de ser removido usando uma


faca. O encosto e o amortecedor podem ser retirados usando
uma chave allen de 6 mm e uma de 5 mm. A mola a gás
para a inclinação do assento pode ser retirada usando uma
chave allen 5 mm.

118
2 Cabine e controles

2.10 Ar condicionado e aquecedor


automático

2.10.1 Funcionamento do ar condicionado


O refrigerante que circula no ar condicionado transfere calor
do interior da cabine para o ar externo através do resfriador
localizado no compartimento do motor. A temperatura da
cabine diminui.

A circulação do refrigerante inicia a partir do compressor o


que aumenta a pressão e temperatura do refrigerante. O
refrigerante gasoso de alta pressão é levado ao refrigerador
onde leva calor para o ar externo através das lamelas do
resfriador. Quando o refrigerante transfere seu calor, ele
começa a se transformar em um estado líquido. A partir do
resfriador, o líquido refrigerante de alta pressão é levado à
secadora/tanque que seca qualquer umidade contida pelo
refrigerante, filtra qualquer impureza e age como um arma-
zenamento para o líquido refrigerante. A partir do tanque, o
líquido de alta pressão é conduzido à válvula de expansão
que dosa o volume de refrigerante levado ao vaporizador e
reduz sua pressão. A diminuição na pressão e o calor con-
duzido à célula vaporizadora do interior da cabine faz com
que o líquido refrigerante vaporize. O refrigerante se trans-
forma em gás de baixa pressão que é levado ao lado de
vácuo do compressor, e o compressor repressuriza o refrige-
rante, fazendo que este se transforme em gás de alta pres-
são o que continua sua circulação pelo resfriador.

2.10.2 Como ajustar o ar condicionado e


aquecedor
O dispositivo MicroECC combina uma tela, controlador e um
centro de diagnósticos. Ele pode regular a temperatura da
cabine nos modos de aquecedor e ar condicionado ao con-
trolar o compressor, a posição da válvula de regulação de
calor e a proporção de ar fresco e reciclado.

A função de diagnóstico interno do dispositivo detecta erros


no compressor e sensores, notificando o usuário sobre esses
problemas diretamente na tela do dispositivo. A lógica de
proteção do compressor também é constituída em uma parte

119
2 Cabine e controles

do módulo. Isso facilita o diagnóstico e reduz o tempo de


inatividade das máquinas na ocorrência de erros.

As válvulas do exaustor de ar (Scorpion/ScorpionKing: 2 pçs.,


outros modelos de máquina: 1 pç. do lado esquerdo) ficam
situadas acima das janelas laterais traseiras da cabine.

O resfriamento da cabine é mais efetivo quando a circulação


de ar interno é ativada. Obtém-se a máxima eficiência em
cerca de uma hora depois que o ar condicionado for ligado.

No inverno, o ar condicionado pode ser usado simultanea-


mente com o ajuste da temperatura para descongelar. Na
função de circulação de ar interno, a unidade circula o ar da
cabine e extrai apenas a quantidade necessária de ar
externo. Quando a circulação de ar interno é desligada, a
maior parte do ar provém do exterior, pelo filtro. Não direci-
one o ar refrigerado diretamente para o seu corpo.

Não cubra a circulação de ar interna do ar condicionado.

Opere o ar condicionado no inverno pelo menos uma vez


por semana por cerca de cinco minutos para que o compres-
sor se mantenha lubrificado e as peças móveis permaneçam
limpas e não sofram oxidação. O uso só pode acontecer
quando o motor e a cabine estiverem aquecidos. O sistema
impede a partida do compressor do ar condicionado a tem-
peraturas abaixo de 0 °C.

Ao lavar a máquina, não borrife água no filtro de ar.

120
2 Cabine e controles

2.10.3 Controles
1 Tela LCD
As definições de temperatura, velocidade do ventilador,
modo de operação e entrada de ar são exibidas em seu
modo normal. No modo de teste e diagnóstico, a tela
exibe erros identificados pelos diagnósticos.
2 Botão SET/SELECT (DEFINIR/SELECIONAR)
No modo normal, este botão alterna entre os diferentes
modos. Nos modos de teste e diagnóstico, ele testa e
diagnostica o estado dos componentes do sistema.
3 Botão LIGA/DESLIGA
Quando este botão é pressionado, a unidade de controle
é ligada ou desligada.

2.10.4 Informações na tela principal


1 Ajustes da entrada de ar
Ajusta a proporção de ar fresco e reciclado.
2 Status
O sistema pode estar em um dos seguintes modos:
automático, aquecimento, resfriamento ou descongela-
mento.
3 Definir temperatura
A tela exibe o valor definido para a temperatura interna
da cabine.
4 Velocidade do ventilador
A tela exibe as configurações de velocidade do ventila-
dor.

2.10.5 Menus de operação


Tela principal:
Quando o controlador está ligado, é exibida a tela principal.
São exibidos os dados atuais sobre temperatura definida,
estado da entrada de ar, estado do ar condicionado e velo-
cidade do ventilador.
Caso o sistema apresente algum erro, a tela exibirá o sím-
bolo . O dispositivo não funcionará corretamente até que
a mensagem de erro seja removida e o dispositivo seja rei-
niciado. Se o erro apresentar recorrência imediata, entre
em contato com um serviço autorizado PONSSE.

121
2 Cabine e controles

Configurações de velocidade do ventilador:


Pressione o botão SET até que seja exibido o ícone de
ventilador. Em seguida, você poderá aumentar a velocidade
do ventilador girando o mesmo botão no sentido horário ou
reduzi-la girando-o no sentido anti-horário em etapas de
5%. A velocidade do ventilador não pode ser ajustada no
modo de descongelamento.

Configurações do modo de controle de clima:


Pressione o botão SET até que seja exibido o ícone do
modo de controle de clima. Gire o mesmo botão até que
seja selecionado o modo de controle desejado.

AUTOMÁTICO:
O controlador analisa continuamente os valores dos
sensores de calor e ajusta a temperatura o mais
próximo possível daquela desejada por meio de
resfriamento ou aquecimento.
Resfriamento:
As sequências do compressor do ar condicionado
ajustam a temperatura do ambiente interno. Não é
realizado aquecimento.
Aquecimento:
A válvula de controle de aquecimento regula a
temperatura do ambiente interno. Neste modo, o
compressor do ar condicionado é desligado.
Descongelamento:
Neste modo, o compressor do ar condicionado é
ligado, o ventilador funciona em velocidade máxima
e a válvula de controle de calor é totalmente aberta.

Configurações da circulação de ar:


Pressione o botão SET até que seja exibido o ícone
do modo de circulação de ar. Em seguida, selecione
ar reciclado girando o mesmo botão no sentido
horário ou selecione ar fresco girando-o no sentido
anti-horário. Nota: na configuração de ar reciclado,
a cabine continua recebendo o volume necessário
de ar fresco.

122
2 Cabine e controles

Configurações da tela:
Você pode ajustar as configurações da tela e a escala de
temperatura pressionando o botão SET até que a tela exiba
as configurações desejadas. Em seguida, ajuste-as girando
o mesmo botão em sentido horário ou anti-horário.

Como desligar o dispositivo:


Você pode desligar o dispositivo:
- pressionando o botão LIGA/DESLIGA na tela principal;
- no modo de descongelamento, pressionando o botão
LIGA/DESLIGA até que o sistema retorne para o modo
AUTOMÁTICO e, em seguida, desligando a unidade de
controle ao pressionar o botão LIGA/DESLIGA novamente.
Depois de desligar o sistema, será apagada a retroilumina-
ção e exibida a temperatura do ambiente interno.

Quando estiver ligado o aquecedor operado por com-


bustível (equipamento opcional):
Após receber o sinal de aquecimento, a retroiluminação se
desliga, o ventilador passa a operar a 30% de sua veloci-
dade (isso pode ser ajustado no menu de configurações),
a válvula de regulação de calor é aberta totalmente e a
entrada de ar alterna para o modo de ar fresco até que a
temperatura passe pela célula de aquecimento em valores
superiores a 20 ºC. Quando a temperatura passar pela célula
de aquecimento em valores acima de 20 ºC, o ventilador
operará na velocidade predefinida. Outras funções não são
permitidas.

2.10.6 Menus de diagnóstico


Você pode acessar os menus de diagnóstico e configuração
a partir do menu de ar fresco/ar reciclado pressionando o
botão LIGA/DESLIGA e mantendo-o pressionado enquanto
gira o botão SET três etapas no sentido horário. Gire o botão
SET ao ciclo passando pelos menus Setup (Configuração),
View (Visualização), Error List (Lista de erros) e Statistics
(Estatísticas). Acesse o menu desejado pressionando o botão
SET. Você poderá sair do menu girando o botão SET até
que a opção Exit (Sair) seja exibida na parte superior da tela.
Em seguida, pressione o botão SET se quiser retornar à tela
principal.

123
2 Cabine e controles

Menu Setup (Configuração):


Podem ser alteradas as configurações de velocidade do
ventilador do aquecedor a diesel e as configurações de
data. Você pode ajustar os parâmetros pressionando o
botão SET até que o parâmetro em questão comece a cin-
tilar. Em seguida, você poderá definir o valor desejado com
o mesmo botão SET.

Menus View 1 (Visualização 1) e View 2 (Visualização 2):


A tela exibe todos os parâmetros de entrada e saída (confi-
gurações de temperatura do sensor, configurações de modo
do sistema e configurações da tela). São exibidos na tela
erros identificados em sensores, alternadores de pressão,
válvulas de regulação de calor e sistema de ar condicionado.

Tipos de erro:
1. Open (Aberto): Um erro de circuito aberto dos sensores
de temperatura ou sensor de posição da válvula de
regulação de calor.
2. Short (Curto-circuito): Um erro de curto-circuito nos
sensores de temperatura ou no sensor de posição da
válvula de regulação de calor.
3. Stuck (Bloqueado): Um erro de rotação da válvula de
regulação de calor.
4. Fault (Falha): O sistema de ar condicionado se desati-
vou, pois o alternador de pressão foi aberto quatro
vezes seguidas. O sistema de ar condicionado está
bloqueado devido ao erro. O usuário deve redefinir
manualmente a situação.
5. PS Low (PS baixa): A pressão do sistema de ar condi-
cionado estará baixa quando o alternador do compres-
sor estiver ativado.

Menu Error List (Lista de erros):


O menu Error List exibe o número de erros de sensor,
compressor de ar condicionado e válvula de regulação de
calor registrados após a redefinição anterior. Você pode
remover os erros girando o botão SET uma etapa em sen-
tido anti-horário no menu Error List 1 (Lista de erros 1),
quando será exibido o menu Error List Reset (Redefinir lista
de erros). Você poderá remover todos os erros pressionando
uma vez o botão SET.

124
2 Cabine e controles

Menu Statistics (Estatísticas):


A tela Statistics exibe dados sobre duração do controlador
e velocidade do ventilador, bem como os períodos em que
o compressor do ar condicionado esteve ativo. Também é
exibida a data mais recente de redefinição dos componen-
tes. Você pode redefinir os dados de uso dos componentes
girando o botão SET uma etapa em sentido anti-horário no
menu Statistics 1 ou 2. A tela exibirá então o menu Reset
(Redefinir). Em seguida, você poderá redefinir todas as
horas de operação do componente pressionando uma vez
o botão SET.

2.10.7 Manutenção e inspeção do ar


condicionado

A manutenção programada e o reparo do ar condicionado


só podem ser executados por um serviço autorizado
PONSSE.

O sistema está cheio de refrigerante R134a; não poderá ser


usado nenhum outro tipo de refrigerante.

O ar condicionado contém refrigerante pressurizado. Não


remova as mangueiras da unidade. O escape de gás pode
ser perigoso.

O fluido em vazamento tem uma temperatura baixa, ele


evapora rapidamente.

Se o recipiente de líquido aquece, a pressão do gás se ele-


vará, apresentando risco de explosão. Em caso de incêndio,
resfrie o vaso com água ou use o extintor de incêndio portátil.

125
2 Cabine e controles

O gás é incolor e se espalha no nível do solo.

O gás sufocará sem nenhum sintoma de alerta.

O refrigerante se dissolve, ao queimar, em gases venenosos.

O respingo de líquido na pele provocará queimaduras de


gelo e ferimentos graves nos olhos.

O sistema não deve ser usado se houver suspeita de vaza-


mento de refrigerante ou outra falha técnica. Utilizar o sis-
tema pode danificar o compressor.

Se houver respingo ou derramamento na polia da correia do


compressor de óleo, a embreagem pode patinar ou até sofrer
avarias.

Faça manutenção semanal na unidade, da primavera ao


outono, e sempre que a unidade for usada, a fim de remover
a umidade por períodos mais longos.

Mantenha o resfriador limpo. Um resfriador limpo funciona


com eficiência e o ar da cabine permanece agradavelmente
frio. O resfriador está localizado na frente do radiador.

Verifique se as mangueiras de refrigerante não entram em


contato com pontas agudas ou superfícies quentes.

Se for necessário remover as mangueiras ou realizar


manutenção no ar condicionado, entre em contato com um
serviço autorizado PONSSE.

Nunca remova as braçadeiras da mangueira, porque o sis-


tema é pressurizado e o manuseio incorreto pode provocar
ferimentos. Se as braçadeiras da mangueira estão abertas,
o refrigerante e o óleo escaparão do sistema e o compressor
estará em risco de avaria. Da mesma maneira, a umidade
entrará no sistema, o que danificará os componentes.

2.10.8 Limpeza da célula do resfriador a cada


50 horas
Limpe as camadas da célula do resfriador com uma escova
macia. Além disso, a célula do resfriador pode ser limpa
soprando-se ar comprimido contra a direção do fluxo de

126
2 Cabine e controles

modo delicado o suficiente para não dobrar as lamelas.


Limpe toda poeira na embreagem do compressor.

Quando houver muito pó, o espaço para limpar a célula do


resfriador se torna mais estreito.

2.10.9 Verificação o filtro de ar fresco e de


recirculação a cada 50 horas
Verifique, e se necessário limpe/substitua o filtro de ar fresco
localizado fora da cabine. Limpe o filtro delicadamente,
soprando ar comprimido contra a direção do fluxo.

Verifique, e se necessário limpe/substitua o filtro de recircu-


lação localizado dentro da cabine. Limpe do mesmo modo
que o filtro de ar fresco.

Quando houver muito pó, limpe e, se necessário, substitua


os filtros com mais frequência.

A filtragem de ar da cabine atende aos requisitos estabeleci-


dos por trabalho de colheita regular (ISO 10263-2).

2.10.10 Manutenção programada do


condicionador a cada dois anos

Só um serviço autorizado PONSSE pode executar o serviço.

O serviço é importante porque


● um pouco de refrigerante sempre vaza do sistema, por
exemplo, pelas mangueiras
● uma quantidade muito pequena de refrigerante não
resfria suficientemente a cabine e não circula o lubrifi-
cante no sistema.
● a umidade condensa-se no sistema e provoca ferrugem,
por exemplo.

O serviço abrange, por exemplo:


● remoção do refrigerante do sistema;
● troca do secador;
● reabastecimento do refrigerante e do óleo;
● verificação da quantidade de refrigerante;
● verificação de vazamentos de refrigerante;
● inspeção da funcionalidade do ar condicionado.

127
2 Cabine e controles

2.11 Sistema de câmeras de ré

2.11.1 Geral
O sistema de câmeras de ré destina-se a ser um sistema de
assistência ao motorista, contribuindo para a operação
segura de um veículo.

Leia as precauções indicadas a seguir para evitar colocar


em perigo você mesmo e outros!
● As entradas da câmera são energizadas (ou seja, há
tensão energizada presente). Cuide para que essas
entradas não entrem em contato com umidade, líquidos
ou qualquer objeto metálico.
● O sistema de câmera de ré foi projetado para auxiliar o
motorista fornecendo visibilidade de algumas das áreas
ao redor do veículo. Porém, dispositivos adicionais,
como espelhos, também devem ser utilizados para obter
visibilidade adequada de todas as áreas relevantes para
a segurança.
● Não use o sistema de câmera de ré para outras finalida-
des que não as pretendidas, principalmente para
reproduzir vídeo enquanto dirige. Operar o sistema de
maneira contrária ao seu uso pretendido pode distrair
o motorista e comprometer a segurança.
● Não abra a caixa do monitor em nenhuma circunstância!
Se isso não for seguido, pode causar defeito no equipa-
mento. Confie todas as tarefas de instalação e manuten-
ção somente a pessoal treinando e qualificado.

Sempre siga as leis de trânsito do país onde a máquina for


utilizada.

2.11.2 Especificações técnicas


Visor

Mekra Color Monitor


Tensão de operação 12 V/24 V
Temperatura de operação -30 °C a +85 °C
Classe de proteção IP65
Formato de vídeo PAL/NTSC (automático)
Iluminação de fundo LED

128
2 Cabine e controles

Mekra Color Monitor


Relação tamanho / aspecto 7 pol / 16:9
Brilho 500 cd/m2
Resolução 800 x 480 pixels
Contraste 1:600
Consumo de energia do aprox. 10W
monitor
Consumo de energia do aprox. 26 W
monitor, incl. 4 câmeras de 4
W
Entradas da câmera 4, incl. opção de exibição em
tela dividida
Temperatura de armazena- -40 °C a +90 °C
mento
Alternância de modo automática, controlada por
diurno/noturno sensor

Câmera

Mekra CMOS Color Camera


Sensor de imagem CMOS 1/4 pol
Resolução 307.200 pixels
Classe de proteção IP 69K
Temperatura de operação -40 °C a +85 °C
Resistência a vibrações 50 G
Ângulo de abertura 70°/100°/120° horizontal
Tensão de operação 10 a 36 V
Formato de vídeo PAL/NTSC
Dimensões (L x A x P) 65 mm x 59 mm x 50 mm
(sem suporte)
Consumo de energia: < 1 W (< 3,5 W, aquecedor
ligado)
Iluminação mínima < 0,5 lux
Peso 180 g (sem suporte)
Cabos Certificado pela ADR, resis-
tente a óleo e gasolina, 0,5 m
Conectores Conector personalizado
MEKRA, diâm. < 18 mm, cer-
tificado pela ADR, (IP 69K)

O sistema de aquecimento da câmera evita que o vidro de


proteção fique embaçado e coberto de gelo. A câmera é
resistente a vibração e lavagem com pressão (IP 69K).

Há no máximo duas câmeras em forwarders, três no Scor-


pion/ScorpionKing harvester e uma nos demais harvesters.

129
2 Cabine e controles

2.11.3 Funcionalidade do sistema

2.11.3.1 Funções do botão da tela

Funções do botão quando o menu é desativado:


● Use os botões de seta para selecionar a visuali-
zação manualmente
● Mostrar menu: pressione e solte rápido o botão
● Desligar o monitor: pressione e mantenha pressionado
(3 s) o botão
● Ligar o monitor: Pressione o botão

Funções do botão quando o menu está ativado:


● use botões de seta para navegação no menu,
use botão para selecionar um item de menu
● Use botões de seta para alterar opções de menu,
use o botão para aplicar/confirmar seleção e selecione
Back (Voltar) para retornar ao próximo nível de menu
mais alto. Pressione Exit (Sair) para ao modo de tela
básico. A tela retorna automaticamente ao modo básico
se nenhuma seleção for feita em aproximadamente 15
segundos.

130
2 Cabine e controles

A visualização padrão é ativada quando a energia é ligada


na fechadura de ignição. As visualizações selecionadas e
sua prioridade podem ser alteradas no menu. Os menus são
apresentados mais adiante nestas instruções.

2.11.3.2 Funções dos menus

Display (Visor)
Brightness (Brilho) Ajusta o brilho do monitor em
uma escala de 0 a 99
Contrast (Contraste) Ajusta o contraste em uma
escala de 0 a 99
Color (Cor) Ajusta a cor em uma escala
de 0 a 99
NTSC Tint (Matiz NTSC) Correção de cor, somente
NTSC

Cameras (Câmeras)
Label (Etiqueta) Define um nome de câmera
personalizado [por exemplo,
Front (Dianteira), Rear1 (Tra-
seira1), Rear2 (Traseira2),
Side (Lateral)] a ser usado no
lugar do padrão do sistema
Mirror (Espelho) Ativa os espelhos da câmera
para as visualizações selecio-
nadas
Markings (Marcações) Exibe e ordena dois marcado-
res de linha para representar
o corredor de condução

Views (Visualizações)
Split and PIP Layout (Divididir
Configura diversas visualiza-
e realizar o layout de PIP) ções, seleção de câmera
Trigger and Priority (Disparo
Ajusta as condições de ativa-
e prioridade) ção e a priorização das visua-
lizações
Smart View Selection (Sele- Visualizações sem câmeras
ção de visualização inteli- conectadas não são mostra-
gente) das

131
2 Cabine e controles

System (Sistema) *)
Save Monitor Settings (Salvar Salva as configurações do
configurações do monitor) monitor atual na memória de
ajustes do usuário
Load Monitor Settings (Carre- Carrega um ajuste do monitor
gar ajustes do monitor)
Night Mode Settings (Ajustes Ajusta o modo diurno/noturno
do modo noturno)
Trigger Input Settings (Ajus- Configura as entradas de dis-
tes de entradas de disparo) paro
*) O menu System (Sistema) inclui a seleção do idioma da tela (inglês/alemão)

Exit (Sair) Sair do menu

132
2 Cabine e controles

2.12 Computador Opti7 da PONSSE

Computador Opti7 da PONSSE

No Opti7 da PONSSE, o PC é integrado dentro da unidade


de tela. O computador Opti7 contém uma tela touchscreen.

2.12.1 Botão liga e desliga do computador


O botão de energia do computador Opti7 fica localizado no
painel de exibição inferior.

Não pressione o botão de energia com algo afiado, como


suas unhas.

● Inicie o computador pressionando o botão de energia.


● Desligue o computador mantendo pressionado o botão
de energia durante 1 segundo.

Antes de desligar o computador


● salve os dados não salvos
● feche todos os programas manualmente.

Sempre desligue o computador Opti7 usando o botão de


energia antes de desligar a corrente principal do equipamento
florestal na chave geral.

133
2 Cabine e controles

2.12.2 Ajustando o brilho da luz de fundo do


mostrador
Ajuste da luz de fundo automática:
● O computador ajusta automaticamente o brilho da luz
de fundo de acordo com a iluminação ao redor. O sensor
está localizado no painel de exibição inferior ao lado do
LED verde.
● O ajuste de 10% para 100% leva aproximadamente 30
segundos.

Ajuste manual da luz de fundo:


● Selecione entre a função automática/manual pressio-
nando uma vez o botão de energia.
● O brilho da luz de fundo pode ser ajustado na seguinte
escala: automático - 100% - 80% - 60% - 40% - 20% -
0% (DESLIGADO) - automático etc.
● A luz de fundo ajustada pelo usuário permanece na
memória do computador após desligar a máquina. O
ajuste de 0% (DESLIGADO) não permanece na memória
do computador.

No modo 0% (DESLIGADO), a tela touchscreen é desabili-


tada e pode ser limpa.

134
2 Cabine e controles

2.12.3 Funções da cigarra e do LED


O LED do computador Opti7 está localizado no painel de
exibição inferior.

LED e cigarra Descrição funcio- O que fazer em


nal caso de defeitos
LED está ligado, a Opti7 inicia
cigarra apita
O LED está ligado, O Opti7 está em
a cigarra está em execução.
silêncio
O LED pisca, a O Opti7 está em
cigarra está em modo de aqueci-
silêncio mento.
O LED pisca duas A temperatura Verifique a posição
(2) vezes, a cigarra interna do Opti7 e o resfriamento do
apita duas (2) vezes está muito alta computador.
*)

O LED pisca três (3) A tensão de funcio- Verifique a fonte de


vezes, a cigarra namento está muito alimentação. Verifi-
apita três (3) vezes baixa (ao iniciar o que a condição da
*) Opti7 com tensão < bateria.
10 V ou quando o
Opti7 está funcio-
nando com tensão
< 20 V).
O LED pisca quatro Defeito de 3,3 V ou Verifique a fonte de
(4) vezes, a cigarra 12 V, problema com alimentação.
apita quatro (4) a fonte de alimenta-
vezes * )
ção
O LED pisca cinco A tensão de funcio- Verifique a fonte de
(5) vezes, a cigarra namento está muito alimentação. Verifi-
apita cinco (5) vezes alta (> 31 V) que o alternador de
*) carga.
O LED pisca seis (6) Erro de sinal no car- Entre em contato
vezes, a cigarra tão do processador com um serviço
apita seis (6) vezes autorizado
*)
PONSSE.

*) Há uma pausa de 5 segundos entre os alarmes.

Se necessário, entre em contato com um serviço autorizado


PONSSE.

135
2 Cabine e controles

2.12.3.1 Funcionamento do computador Opti7 em


temperaturas baixas

O computador Opti7 contém aquecimento automático.

● O LED pisca quando o computador está no modo de


aquecimento.
● O tempo de aquecimento máximo do computador Opti7
é 10 minutos, após isso ele inicia. A temperatura de ini-
cialização do computador é de 0 ºC. O aquecimento não
é ligado quando o Opti7 está em execução.
● O aquecedor de combustível inicia o pré-aquecimento
do computador.

2.12.3.2 Funcionamento do computador Opti7 em


temperaturas altas

● Para indicar o sobreaquecimento, o LED pisca duas (2)


vezes, a cigarra apita duas (2) vezes.
● O computador não é iniciado se sua temperatura interna
exceder 90 ºC na inicialização.
● O computador desliga de maneira controlada se sua
temperatura interna for superior a 75 ºC durante 20
segundos.

2.12.3.3 Tensão de operação do computador Opti7

A taxa da tensão de operação do computador Opti7 é 12-24


V

Subtensão quando a tensão de funcionamento for inferior a


20 V
● Para indicar um erro de tensão, o LED pisca três (3)
vezes e a cigarrra apita três (3) vezes.
● O computador monitora continuamente a tensão de
funcionamento e desliga de maneira controlada se a
tensão de funcionamento for inferior a 20 V durante 20
segundos.

Subtensão quando a tensão de funcionamento for inferior a


31 V
● Para indicar um erro de tensão, o LED pisca cinco (5)
vezes e a cigarrra apita cinco (5) vezes.
● O computador monitora continuamente a tensão de
funcionamento e desliga de maneira controlada se a

136
2 Cabine e controles

tensão de funcionamento for superior a 31 V durante


20 segundos.

2.12.4 Deixando o computador Opti7 pronto


para soldagem

Consulte a seção segurança para saber outras medidas a


serem realizadas antes e depois da soldagem.

1. Desconecte os calibradores de medição da base de


encaixe.
2. Desconecte o cabo USB da impressora.
3. Desconecte o cabo da antena do modem de transferên-
cia de dados.

Desconecte os cabos somente do equipamento auxiliar. Não


desconecte os cabos do computador.

2.12.5 Equipamento auxiliar do computador


Opti7
● Modem de transferência de dados
● Impressora
● Mouse
● Stylus
● Teclado
● Calibradores de medição
● Porta USB (na cabine do lado direito do computador)
● Revertendo câmera
● Antena do GPS

137
2 Cabine e controles

2.12.6 Portas do computador Opti7

1 Porta de Ethernet
2 CAN1, CAN2
3 Vídeo / Áudio / I/O / Arcnet / Porta serial para impressoras (diagnós-
ticos) / Ativação 2 e 3 / Câmera
4 Ranhura do cartão Cfast
5 USB1
6 USB2
7 USB3
8 USB4
9 Conector de potência e UPS e Ativação 1
10 Ranhura do cartão SIM
11 Porta serial
12 Antena do modem
13 Antena do GPS

138
2 Cabine e controles

2.13 Janelas da cabine


Verifique todas as janelas e suas fixações todos os dias e
logo após qualquer impacto forte dirigido a elas.

2.13.1 Fixação da janela


A maior parte da rigidez do chassi da cabine repousa sobre
as janelas e, consequentemente, sobre sua fixação. Uma
janela mal colocada ou rachada não pode suportar a carga
exercida sobre ela, caso aconteça de a máquina virar, por
exemplo. Por isto, é muito importante monitorar a condição
das janelas e de sua fixação. A janela terá de ser substituída
e / ou sua fixação reaplicada caso apareçam rachaduras na
janela ou se sua fixação for descolada (por exemplo, a infil-
tração de água visível). A fixação não pode ser substituída,
por exemplo, por moldes e juntas de borracha.

Se a janela estiver danificada ou se a fixação adesiva estiver


descolada, entre em contato com um serviço autorizado
PONSSE.

2.13.2 Limpeza da janela


Todas as janelas da cabine são feitos de chapas de policar-
bonato rígido. Para a lavagem de janelas de policarbonato,
recomendamos o uso de apenas um líquido de lavagem da
janela, fornecido com o rótulo PONSSE, e que foi testado e
verificado para ser compatível e funcional com máquinas
PONSSE.

Agentes de lavagem incompatíveis com janelas de policar-


bonato podem causar rachaduras na janela e, portanto,
reduzir a segurança da cabine.

139
2 Cabine e controles

Nunca utilize
● tolueno, benzeno, gasolina, acetona, thinner, aguarrás
ou tetracloreto de carbono
● agentes de lavagem altamente abrasivos ou alcalinos
● uma escova, lã de aço ou outros materiais abrasivos
● uma espátula de borracha, lâmina de barbear ou outros
objetos pontiagudos.

Não recomendamos o uso de um lavador a vapor.

Não utilize um lavador de pressão a uma curta distância. O


uso de aditivos deve ser evitado ao utilizar um lavador de
pressão.

Não limpe ou lave as janelas quando estiverem expostas


diretamente ao sol ou a altas temperaturas.

A garantia não cobre qualquer dano resultante do uso de


produtos que possam danificar as janelas de policarbonato.

2.13.2.1 Lavagem das janelas

1. Lave bem a janela com água morna.


2. Lave suavemente a janela usando um pedaço de pano
macio e uma esponja feita de celulose ou camurça e
um agente de lavagem de janelas misturado com água
morna (recomendamos o agente de lavagem de janelas
PONSSE). Não esfregue ou use uma escova ou espá-
tula de borracha.
3. Lave bem a janela com água morna.
4. Seque a janela com um pedaço de pano úmido e macio,
uma esponja feita de celulose ou camurça, a fim de eli-
minar toda a água da janela.

2.13.2.2 Remoção de manchas

Remova qualquer mancha colorida, de graxa, óleo, resina,


etc. imediatamente com um pano macio e um solvente
aprovado. Lave a janela depois de remover a mancha, de
acordo com as instruções acima.

Os solventes aprovados para uso em temperatura ambiente


incluem: butilglicol, heptano, hexano, éter de petróleo.

140
2 Cabine e controles

2.14 Inclinação da cabine para


manutenção e reparos

2.14.1 Leia antes de começar o trabalho

Incline a cabine somente quando a máquina estiver em um


terreno nivelado. Certifique-se de que não haja ninguém
muito perto da cabine quando for incliná-la.

É estritamente proibido entrar embaixo da cabine se o


suporte de segurança não estiver travado.

Certifique-se de que não haja ninguém muito perto da cabine


quando for abaixá-la.

Certifique-se de que não exista nada impedindo a cabine de


abaixar. Observe mangueiras e cabos elétricos.

Quando a máquina estiver equipada com coberturas laterais


HD (opcionais) remova a cobertura lateral direita antes de
inclinar a cabine.

141
2 Cabine e controles

Incline a cabine usando a bomba de elevação existente na


frente da máquina, abaixo das tampas do motor. Ao inclinar
a cabine, use as ferramentas indicadas para a tarefa: a fer-
ramenta da cabine e a ferramenta de suporte de segurança.
Essas ferramentas podem ser encontradas na caixa de fer-
1 Ferramenta da cabine ramentas da máquina.
2 Ferramenta de suporte de
segurança
2.14.2 Liberação da trava da cabine
1. Solte o parafuso de bloqueio (3), levante a contraplaca
(4) e aperte o parafuso de bloqueio (3).
2. Encaixe a ferramenta da cabine (1) no orifício do pino
(5).
3. Gire o pino 90°.
4. Repita as etapas 2 e 3 para o outro pino.

2.14.3 Inclinação da cabine


1. Passe a válvula da bomba de elevação (7 ) para a
posição de elevar, conforme instruído no adesivo.
2. Encaixe a ferramenta da cabine no orifício da bomba
de elevação (8) e bombeie a cabine para o ângulo
desejado.
3. Passe a válvula da bomba de elevação (7) para a posi-
A trava liberada da cabine é apresen-
ção de abaixar e bombeie a cabine até ela ficar apoiada
tada na figura. no suporte de segurança (6).
3 Parafuso de bloqueio
4 Contraplaca
5 Pino
6 Suporte de segurança

Devido ao design da parte hidráulica de inclinação da cabine


(o cilindro de inclinação da cabine permite livre movimento
da cabine nos apoios de borracha na posição normal de
operação), a cabine é abaixada com mais rapidez que o
normal na parte final do movimento de abaixar.

Deve-se tomar cuidado especial durante os estágios finais


do movimento de abaixar para ter certeza de que não se
interponham objetos desnecessários, pessoas, extremidade
ou outras partes do corpo entre a cabine que está abaixando
e a estrutura da máquina. PERIGO DE ESMAGAMENTO!

142
2 Cabine e controles

2.14.4 Descida da cabine para uma posição


inferior
1. Passe a válvula da bomba de elevação ( 7 ) para a
posição de elevar.
2. Encaixe a ferramenta da cabine (1) no orifício da bomba
de elevação (8) e bombeie a cabine um pouco mais
para cima, até soltar o suporte de segurança (6).
3. Passe a válvula da bomba de elevação (7) para a posi-
ção de abaixar.
4. Solte o suporte de segurança (6) mantendo a ferramenta
deste (2) pressionada e, ao mesmo tempo, bombeando
a cabine para baixo.

7 Eleve a válvula da bomba para


baixo/para cima
8 Orifício da bomba de elevação

2.14.5 Travamento da cabine em uma posição


inferior
1. Encaixe a ferramenta da cabine (1) no orifício do pino
(5).
2 Ferramenta de suporte de 2. Gire o eixo 90°.
segurança 3. Repita as etapas 1 e 2 para o outro pino.
6 Suporte de segurança 4. Solte os parafusos de bloqueio (3), abaixe as contrapla-
cas (4) e aperte os parafusos de bloqueio (3) de ambos
os pinos.

1 Ferramenta da cabine

143
2 Cabine e controles

2.15 Inclinação elétrica da cabine


(equipamento opcional)
Na inclinação elétrica da cabine, a trava desta é solta e a
cabine é travada na posição abaixada, de acordo com as
instruções fornecidas nas seções 2.14.2 e 2.14.5.

2.15.1 Inclinação da cabine


1. Passe a válvula da bomba de elevação (7 ) para a
posição de elevar, conforme instruído no adesivo.
2. Incline a cabine pressionando a chave elétrica.
Chave elétrica para inclinação da 3. Passe a válvula da bomba de elevação (7) para a posi-
cabine ção de abaixar e pressione a chave elétrica para abaixar
a cabine até ela ficar apoiada no suporte de segurança.

2.15.2 Descida da cabine para uma posição


inferior
1. Passe a válvula da bomba de elevação ( 7 ) para a
posição de elevar.
2. Pressione a chave elétrica para elevar ligeiramente a
cabine até que o suporte de segurança (6) esteja solto.
3. Passe a válvula da bomba de elevação (7) para a posi-
ção de abaixar.
4. Solte o suporte de segurança (6) mantendo a ferramenta
deste (2) pressionada e, ao mesmo tempo, abaixe a
cabine pressionando a chave elétrica.

Devido ao design da parte hidráulica de inclinação da cabine


(o cilindro de inclinação da cabine permite livre movimento
da cabine nos apoios de borracha na posição normal de
operação), a cabine é abaixada com mais rapidez que o
normal na parte final do movimento de abaixar.

Deve-se tomar cuidado especial durante os estágios finais


do movimento de abaixar para ter certeza de que não se
interponham objetos desnecessários, pessoas, extremidade
ou outras partes do corpo entre a cabine que está abaixando
e a estrutura da máquina. PERIGO DE ESMAGAMENTO!

144
3
Operação e deslocamento

Índice analítico Parte 3


3.1 Introdução à máquina ....................................................... 147
3.2 Antes de ligar o motor ....................................................... 148
3.3 Ligando o motor ................................................................ 150
3.4 Desligando o motor ........................................................... 151
3.4.1 Parada normal do motor ...................................... 151
3.4.2 Parada de emergência ........................................ 152
3.5 Controle de suspensão ativa (ActiveFrame) ........................ 153
3.5.1 Controle automático ............................................ 154
3.5.1.1 Centro ................................................................ 154
3.5.1.2 Suspensão ......................................................... 154
3.5.2 Dirigir em vias públicas ....................................... 154
3.5.3 Controle manual ................................................. 155
3.6 Operação de deslocamento da máquina ............................ 156
3.6.1 Início do trabalho ................................................ 157
3.6.2 Dirigir e trabalhar com rpm constante ................... 158
3.6.3 Condução no terreno .......................................... 160
3.6.4 Dirigir em vias públicas ....................................... 161
3.6.4.1 Equipamentos de trânsito .................................... 161
3.6.4.2 Condução .......................................................... 164
3.6.5 Freio de estacionamento automático .................... 165
3.6.6 Controle do carregador ....................................... 165
3.6.7 Controle do malhal .............................................. 166
3.6.7.1 Abertura de toras para frente/para trás ................. 166
3.6.7.2 Malhal para cima/baixo ....................................... 166
3.6.8 Funções da lâmina do buldôzer (equipamento
opcional) ............................................................ 167
3.6.9 Área de carga variável VLA (VariableLoadArea,
opcional) ............................................................ 168
3.6.9.1 Expansão hidráulica do espaço de carga ............. 168
3.6.9.2 Expansão mecânica do espaço de carga ............. 169
3.6.10 Término do trabalho / no final do dia de
trabalho .............................................................. 170
3 Operação e deslocamento

3.7 Reabastecimento de combustível ...................................... 171


3.7.1 Reabastecimento sem a bomba de reabasteci-
mento ................................................................ 171
3.7.2 Reabastecimento com a bomba de reabasteci-
mento (bomba de reabastecimento, equipamento
opcional) ............................................................ 171
3.7.2.1 Limpando o filtro de sucção da bomba de reabas-
tecimento ........................................................... 172
3.8 Condições irregulares de deslocamento e de trabalho ......... 174
3.8.1 Impacto da temperatura na pressão dos
pneus ................................................................. 174
3.8.2 Início de trabalho em baixas temperaturas/condi-
ções de inverno .................................................. 174
3.8.2.1 Utilização do aquecedor adicional movido a
combustível em temperaturas baixas ................... 174
3.8.2.2 Início de trabalho em baixas temperaturas ........... 175
3.8.2.3 Funcionamento do computador Opti7 em tempera-
turas baixas ........................................................ 175
3.8.2.4 Compactação da neve nas esteiras ..................... 176
3.8.2.4.1 Tensão da esteira ............................................... 176
3.8.3 Início de trabalho em altas temperaturas .............. 177
3.8.3.1 Funcionamento do computador Opti7 em tempera-
turas altas .......................................................... 177
3.8.4 Trabalhando em terreno inclinado ........................ 177
3.9 Situações de emergência .................................................. 178
3.9.1 Partidas auxiliares do motor ................................ 178
3.9.1.1 Observar durante partidas e cargas com corrente
auxiliar ............................................................... 178
3.9.1.2 Carga auxiliar com fonte de alimentação à
parte .................................................................. 178
3.9.1.3 Carga auxiliar com outra máquina ........................ 178
3.9.1.4 Partida auxiliar com outra máquina ...................... 179
3.9.2 Reboque ............................................................ 181
3.9.3 Atolando e dirigindo na água ............................... 182
3.9.4 Queda da máquina ............................................. 182
3.9.5 Em caso de incêndio ........................................... 182
3.10 Sistema de extinção de incêndio ........................................ 183
3.10.1 Extintores de incêndio portáteis ........................... 183
3.10.2 Sistema extintor de incêndio (equipamento opci-
onal) .................................................................. 183
3.10.2.1 Painel de controle do sistema extintor de
incêndio ............................................................. 184
3 Operação e deslocamento

3.1 Introdução à máquina


Ao usar o equipamento florestal pela primeira vez, verifique
se

● a entrega da máquina e o nível do equipamento foram


acordados
● a máquina não tem danos ocasionados pelo transporte
ou por outros motivos
● todo o equipamento de segurança e proteção da
máquina está no lugar e funcionando
● a trava da junta de direção não esteja ativada. Consulte
a seção Elevação e transporte da máquina.

Certifique-se de que extintores de incêndio e outros equipa-


mentos estejam no lugar e funcionando.

Certifique-se de que tenha recebido treinamento suficiente


para usar a máquina e lido com atenção as instruções da
máquina. Como o proprietário da máquina, você é obrigado
a certificar-se de que cada operador de máquina atenda aos
requisitos expressos acima.

147
3 Operação e deslocamento

3.2 Antes de ligar o motor


Antes de ligar o motor, verifique se a máquina não tem danos
externos (mangueiras, estruturas soldadas etc). Verifique se
a manutenção diária ou necessária da máquina tenha sido
realizado de acordo com as instruções fornecidas (níveis de
líquidos e óleo etc.).

Verifique se as cantoneiras e parafusos que travam os


chassis superior e inferior dianteiros da máquina ActiveFrame
foram removidos. Consulte a seção 3.9.2.

Certifique-se de que ninguém esteja dentro da área de perigo


da máquina.

Chave geral
I = corrente principal ligada

Introduza a chave no interruptor geral e ligue a corrente


principal.

Abra a porta da cabine usando a chave ou o controle remoto.

Em algumas áreas de mercado, a janela lateral (saída de


emergência) foi bloqueada no interior da cabine usando uma
contraplaca durante o transporte da máquina. Remova a
contraplaca antes de operar a máquina.

Feche a porta da cabine.

Coloque o cinto de segurança imediatamente após sentar


Contraplaca da janela no assento do operador.
lateral

148
3 Operação e deslocamento

Certifique-se de que a porta da cabine está devidamente


fechada e de que o cinto de segurança está apertado. A
máquina não se movimentará, caso a porta não estiver
fechada e o cinto de segurança não estiver apertado.

Introduza a chave de ignição na trava de ignição.

Antes de ligar o motor, acione


● o freio de estacionamento (2) ativado (interruptor na
posição ON, degraus abaixados)
● seletor do sentido de deslocamento (47) na posição
neutra
● trava de oscilação do chassi (49) ativada.

Não se esqueça de manter todos os outros interruptores


desligados.

Dar partida no motor requer que


● o interruptor do freio de estacionamento está ligado
● os botões de parada de emergência (um está localizado
no painel de interruptores da cabine e o outro no exterior
da máquina abaixo da porta da cabine) estejam na
posição superior.

149
3 Operação e deslocamento

3.3 Ligando o motor

0 = motor parado (STOP) 11 Luz de advertência do motor


I = corrente ligada (motor EU a diesel
Stage IIIA: corrente ligada e 12 Luz de alerta do motor a die-
pré-incandescência automá- sel
tica) 13 Limite mínimo do óleo do
III = partida motor a diesel, luz indicadora
14 motor EU Stage IIIA: Incandes-
cência, luz indicadora

Gire a chave de ignição até a posição I (corrente de ignição


ligada). Espere até que as luzes indicadoras (11, 12, 13,
motor EU Stage IIIA: 14) se apaguem.

Gire a chave de ignição até a posição III; o motor dá partida.


Solte a chave de ignição. Não faça o motor de arranque tra-
balhar direto por mais de 30 segundos.

Não utilize o pedal do acelerador quando ligar o motor.

Não permita que a velocidade de giro do motor exceda 1200


rpm antes do óleo hidráulico esquentar; velocidades maiores
de giro do motor poderão danificar o sistema hidráulico.

Antes de dirigir ou trabalhar, espere alguns segundos até


que o sistema de freio esteja carregado e todos os medidores
e luzes indicadoras permitam o início do trabalho.

Se você der partida no motor sem que o seletor de sentido


de deslocamento (47) esteja na posição neutra, primeiro
você terá de voltar o seletor de sentido para a posição neutra
(motor em marcha lenta) antes de poder movimentar a
máquina.

150
3 Operação e deslocamento

3.4 Desligando o motor


Antes de parar o motor, certifique-se de que não haja nin-
guém ao alcance do movimento do degrau hidráulico.

3.4.1 Parada normal do motor


1. Gire o seletor do sentido de deslocamento (47) para a
posição neutra.
2. Ative o freio de estacionamento (2). Os degraus descem.
3. Posicione o carregador de modo que ele não possa se
mover depois que o motor for desligado.
4. Desligue o interruptor de controle do carregador (29).
5. Deixe o motor em marcha lenta durante aprox. 30
segundos para nivelar a temperatura do turbocompres-
sor.
6. Passe a chave de ignição para a posição STOP (onde
será possível retirá-la do miolo da ignição). Se o freio
de estacionamento não estiver ativado, os degraus
descerão automaticamente.
7. Desligue o Opti PC (se a máquina for equipada com o
sistema de informações Opti4G).
8. Desligue a corrente na chave geral.

A janela lateral, que também pode ser aberta de fora da


cabine (saída de emergência), ficará bloqueada quando a
corrente principal estiver desligada. Remova sempre a chave
to interruptor de corrente quando deixar a máquina.

151
3 Operação e deslocamento

3.4.2 Parada de emergência


O motor será interrompido quando o botão de parada de
emergência for pressionado (4). O freio de estacionamento
será ativado automaticamente (o interruptor do freio de
estacionamento (2) permanece na posição OFF) e os
degraus descerão. As operações hidráulicas serão interrom-
pidas. As funções mecânicas e elétricas continuarão ativas.

O motor não poderá ser ligado enquanto o botão de parada


Botão de parada de emergência no de emergência estiver baixado. Para liberar o botão, gire-o
painel de interruptores da cabine no sentido horário.

Antes de dar nova partida no motor, ative o freio de estacio-


namento.

Botão de parada de emergência no


exterior da máquina, abaixo da porta
da cabine

Sempre verifique o funcionamento do botão de parada de


emergência antes de iniciar o seu turno.

152
3 Operação e deslocamento

3.5 Controle de suspensão ativa


(ActiveFrame)
O sistema de suspensão ativa do chassi frontal permite que
a cabine se mova lateralmente para manter uma posição
horizontal em terrenos irregulares.

Suspensão ativa ligada Suspensão ativa desligada

Não opere a máquina descalibrada no estado de função


automática (Centro, Suspensão). A suspensão ativa não
calibrada ou mal calibrada pode comportar-se de forma
imprevisível. Uma máquina não calibrada só pode ser ope-
rada no Modo de Serviço, caso em que o modo de suspen-
são ativa é desligado.

Para obter instruções sobre a calibragem da suspensão


ativa, consulte as instruções do programa MANUTENÇÃO
no Manual de Instruções do Opti4G.

Em casos especiais, assim como


● durante a manutenção, o modo de Serviço (a) deve ser
utilizado para evitar situações perigosas.
● Em situações em que as rodas perdem a tração ou estão
totalmente no ar devido à forma ou barreira do terreno
por baixo do quadro, a suspensão ativa deve ser desli-
gada pela comutação do interruptor do modo Suspensão
Interruptor do modo de Ativa para o modo de Serviço (a).
suspensão ativa ● Durante a condução sobre uma base de transporte, o
a Serviço
b Centro
modo de Serviço (a) deve ser usado.
c Suspensão

153
3 Operação e deslocamento

3.5.1 Controle automático


ActiveFrame
1 Chassi frontal superior
2 Chassi frontal inferior

3.5.1.1 Centro

Gire o Interruptor do modo de suspensão ativa para o modo


Centro (b).

O sistema centra o chassi frontal superior (1) automatica-


Interruptor do modo de suspensão mente com relação ao chassi frontal inferior (2) e o bloqueia
ativa nessa posição.
a Serviço
b Centro
c Suspensão 3.5.1.2 Suspensão

Gire o Interruptor do modo de suspensão ativa para o modo


de Suspensão (c).

A cabine ficará automaticamente em uma posição horizontal


lateral.

3.5.2 Dirigir em vias públicas


Se a máquina for conduzida com a tração acelerada ativada
e o Interruptor do modo de suspensão ativa estiver no modo
Centro ou Suspensão, a suspensão ativa fica no modo
Centro por motivo de segurança. Nesse caso, o sistema
centraliza o chassi frontal superior automaticamente em
relação ao chassi frontal inferior e o bloqueia nessa posição.

154
3 Operação e deslocamento

3.5.3 Controle manual


1. Alinhe o carregador com o chassi da máquina.
2. Abra a visualização da Suspensão ativa da guia Testes
do programa MANUTENÇÃO do Opti4G.

3. Gire o Interruptor do modo de suspensão ativa para o


modo de Serviço.
4. Selecione Controle manual.
A janela seguinte irá abrir:

Use a manopla de controle direita (11, 12) para controlar


a inclinação do chassi frontal superior em relação ao
chassi frontal inferior.

5. Para parar o controle manual, pressione Controle


manual.
Em seguida, a manopla de controle direita (11, 12)
controla o rotor.

155
3 Operação e deslocamento

3.6 Operação de deslocamento da


máquina

Pare a máquina quando


● engatar/desengatar a tração traseira (56)
● engatar/desengatar a tração acelerada (55).
● engatar/desengatar o(s) bloqueio(s) do(s) diferencial(ais)
(48).
Primeiro, desloque a máquina lentamente para trás. Após
isso, você pode deslocar a máquina para a frente.

Só use o bloqueio do diferencial quando necessário. Para


obter instruções mais detalhadas, consulte o capítulo Blo-
queio do diferencial na seção Transmissão.

Quando o assento estiver voltado para o espaço de carga


e o interruptor de controle do carregador (29) estiver ligado,
os movimentos do carregador se tornarão funcionais. Não
mexa nas manoplas de controle a menos que saiba como
controlar o carregador.

Antes de carregar, certifique-se de que as tarimbas estão


localizadas no espaço de carga para que possam suportar
a carga de maneira uniforme. Deve haver pelo menos três
tarimbas móveis no espaço de carga além de uma tarimba
fixa no malhal. Se a máquina estiver equipada com um
prendedor deslizante (1, equipamento opcional), pelo menos
uma tarimba móvel (2) deve estar localizada na extremidade

156
3 Operação e deslocamento

da estrutura para impedir que uma carga muito grande seja


submetida ao prendedor deslizante.

3.6.1 Início do trabalho


Antes de começar o trabalho, teste para ver se o carregador
e a garra funcionam normalmente. Se uma cigarra ou uma
luz de aviso emitir um alarme, pare a máquina imediata-
mente. Descubra e conserte a causa do alarme.

Verifique o funcionamento do alarme de ré.

Verifique o funcionamento do interruptor de segurança da


porta da cabine.

Antes de iniciar o trabalho, sempre verifique se a trava da


janela de saída lateral (saída de emergência) foi liberada.

Verifique a faixa de movimento livre dos degraus.

Certifique-se de que a porta da cabine está devidamente


fechada e de que o cinto de segurança está apertado. A
máquina não se movimentará, caso a porta não estiver
fechada e o cinto de segurança não estiver apertado.

157
3 Operação e deslocamento

3.6.2 Dirigir e trabalhar com rpm constante


2 Interruptor do freio de estacio-
namento
29 Interruptor de controle do carre-
gador

1. Feche a porta da cabine e aperte o cinto de segurança.


2. Dê partida no motor.
3. A energia da tela do OptiControl só é desligada durante
a manutenção, se necessário. Se a tela do OptiControl
estiver desligada, ligue-a.
4. Se a máquina for equipada com o sistema de dados
Opti4G, ligue o Opti PC.
A mensagem a seguir é exibida na tela do Opti: Sistema
Tela do Opticontrol de ativação de controle – Pressione OK para ativar o
a Interruptor de energia da tela sistema.
b Barramento USB Pressione OK ou o interruptor de confirmação do opera-
dor.
5. Solte o freio de estacionamento (2). Os degraus sobem.
6. Engate a tração reduzida (55).
7. Ligue o interruptor de controle do carregador (29).
8. Primeiro, selecione o rpm constante usando o interruptor
do programa de condução (54) e o seletor de faixa de
velocidade de deslocamento (55). Ligue o rpm constante
usando o interruptor de rpm constante (53).
46 Manobras no terreno O rpm constante é definido especificamente para cada
47 Seletor do sentido de desloca- operador, modo de condução (modos de condução 1,
mento 2, 3) e faixa de velocidade de condução (lenta/rápida)
50 Confirmação do operador
53 RPM constante
pela interface de usuário do sistema Opti4G. Veja instru-
54 Interruptor do programa de ções mais detalhadas no Manual de Instruções do
condução Opti4G.
55 Seletor da faixa de velocidade 9. Selecione o sentido de deslocamento com o seletor de
de condução sentido de deslocamento (47).
10. Manobre a máquina com a alavanca de direção fora-de-
estrada (46).

Não dirija se a cigarra estiver soando!

11. A máquina começa a se mover quando você pisa no


acelerador.
12. Quando você tira o pé do acelerador, a máquina para.
Ao mesmo tempo, o freio de serviço e a trava de oscila-

158
3 Operação e deslocamento

ção do chassi são ativados. Você pode começar a tra-


balhar com o carregador.
Se o carregador não funcionar quando você liga o
interruptor de controle do carregador (29), verifique se
as alavancas de direção fora-de-estrada (46) e as
manoplas de controle do carregador (L e R) estão na
posição intermediária, e torne a ligar o interruptor de
controle do carregador (O sistema OptiControl emitirá
a mensagem: Solte as manoplas).
13. Ao estacionar a máquina, ative o freio de estaciona-
mento (2). Os degraus descem.
14. Posicione o carregador de modo que ele não possa se
mover depois que o motor for desligado.
15. Desligue o interruptor de controle do carregador (29).
16. Desligue o motor sempre que sair do assento do opera-
dor e/ou da cabine.

Se o motor para de funcionar durante a operação, o freio de


estacionamento é ligado automaticamente (mesmo se o
interruptor do freio de estacionamento (2) estiver na posição
OFF). Antes de reiniciar, ligue o freio de estacionamento.
O motor somente pode ser iniciado quando o interruptor
do freio de estacionamento está na posição ON.

159
3 Operação e deslocamento

3.6.3 Condução no terreno


1. Feche a porta da cabine e aperte o cinto de segurança.
2. Dê partida no motor.
3. Se a máquina for equipada com o sistema de dados
Opti4G, ligue o Opti PC.
A mensagem a seguir é exibida na tela do Opti: Sistema
de ativação de controle – Pressione OK para ativar o
sistema.
Pressione OK ou o interruptor de confirmação do opera-
dor.
2 Interruptor do freio de estacio-
namento
4. Solte o freio de estacionamento (2). Os degraus sobem.
5. Engate a tração reduzida (55).
6. Selecione o sentido de deslocamento com o seletor de
sentido de deslocamento (47).
7. Manobre a máquina
● com a alavanca de direção fora-de-estrada (46) ou
● com o mini-volante (45) quando o assento estiver
na direção do motor.

Não dirija se a cigarra estiver soando!


45 Mini-volante de direção
46 Manobras no terreno 8. A máquina começa a se mover quando você pisa no
47 Seletor do sentido de desloca-
acelerador.
mento
50 Confirmação do operador 9. Quando você tira o pé do acelerador, a máquina para.
55 Seletor da faixa de velocidade Ao mesmo tempo, o freio de serviço e a trava de oscila-
de condução ção do chassi são ativados.
10. Ao estacionar a máquina, ative o freio de estaciona-
mento (2). Os degraus descem.
11. Desligue o motor, passando a chave de ignição para a
posição STOP.
12. Ao sair da máquina, não se esqueça de desligar a cor-
rente na chave geral.

160
3 Operação e deslocamento

3.6.4 Dirigir em vias públicas


Antes de dirigir em estradas públicas, certifique-se de que
a condição da máquina atenda às normas nacionais de trá-
fego rodoviário e que a máquina tenha o equipamento
apropriado para transitar nas estradas instalado no lugar.

Esteiras/correntes não podem ser utilizadas em rodas ao


dirigir em estradas públicas.

É recomendável que longos períodos em vias públicas sejam


feitos usando um veículo de transporte ou equivalente, não
dirigindo.

Quando dirigir durante longos períodos em vias públicas,


em temperaturas acima de 20°C, certifique-se de que a
qualidade do óleo hidráulico siga as recomendações dadas
pela Ponsse (consulte a seção Especificações técnicas).

Use um colete ou roupa de segurança/refletora aprovada


(por exemplo, EN 471 High-visibility warning clothing) sempre
que você tiver de se movimentar ao redor da máquina, pró-
ximo a estradas ou em outros locais onde a visibilidade é
essencial.

3.6.4.1 Equipamentos de trânsito

Antes de dirigir em estradas públicas:


● Coloque o carregador na posição de transporte. Con-
sulte a seção Elevação e transporte da máquina.

● Instale e ajuste os espelhos retrovisores.

Fixe os espelhos retrovisores nas alças de segurança em


ambos os lados do vidro dianteiro:
1. Prenda o braço do espelho (1) no suporte utilizando os parafu-
sos.
2. Fixe o suporte (2) na alça de segurança utilizando os parafu-
sos.

161
3 Operação e deslocamento

● Instale as luzes de contorno e os sinais do pisca, e um


triângulo avisando sobre um veículo em movimento
lento.

Figura 1

Instalando as luzes de contorno e os sinais do pisca na


estrutura dianteira da máquina:
1. Prenda as luzes de contorno e os sinais do pisca (1) na
estrutura dianteira da máquina usando contrapinos.
2. Insira o plugue das luzes dianteiras (2) na tomada X202 (Figura
1) da carcaça do para-choque esquerdo.

Figura 2 4 4

Instalando as luzes de contorno e sinais do pisca, um triângulo


advertindo sobre um veículo lento na extensão do quadro tra-
seiro:
1. Parafuse as contrapartes (3) dos braços das luzes de contorno
e sinais do pisca no lugar na extensão do quadro traseiro.
2. Empurre os braços das luzes (4) para as contrapartes na
extensão do chassi traseiro.
3. Insira o conector da luz traseira na tomada X2011 (Figura 2)
em cima do tanque de fluido hidráulico embaixo da tampa
usando o cabo de extensão entregue junto com a máquina.

● Teste se as luzes de contorno e os sinais do pisca estão


funcionando.

162
3 Operação e deslocamento

● Remova as tampas de plexiglass dos faróis antes de


dirigir em estradas públicas (obrigatório na Finlândia).

1. Solte os parafusos de fixação.


2. Remova as tampas do plexiglass dos faróis dianteiros.

● Ajuste os faróis dianteiros, se necessário.

1 Ajuste horizontal dos faróis


2 Ajuste vertical dos faróis

● Na Finlândia, o equipamento para transitar nas estradas


da máquina inclui uma placa de registro com seu
suporte.

1. Prenda a placa de registro ao respectivo suporte usando


parafusos (1).
2. Coloque a placa de registro no braço superior dianteiro no
interior do vidro dianteiro usando os ímãs (2) incluídos no
suporte.

Leve em consideração as normas nacionais de trânsito do


país onde a máquina estiver sendo operada. Elas podem
divergir destas instruções para equipamento de tráfego
rodoviário.

163
3 Operação e deslocamento

3.6.4.2 Condução

1. Feche a porta da cabine e aperte o cinto de segurança.


2. Dê partida no motor.
3. Se a máquina for equipada com o sistema de dados
Opti4G, ligue o Opti PC.
A mensagem a seguir é exibida na tela do Opti: Sistema
de ativação de controle – Pressione OK para ativar o
sistema.
Pressione OK ou o interruptor de confirmação do opera-
dor.
4. Ligue os faróis (20). Verifique no interruptor de farol
2 Interruptor do freio de estacio-
baixo/alto (21) se o farol baixo está ligado.
namento
20 Luzes de estacionamento e 5. Solte o freio de estacionamento (2). Os degraus sobem.
faróis 6. Ligue a tração acelerada (55).
21 Farol baixo/alto 7. Libere a tração traseira (56) em uma base firme. Certifi-
que-se de que a tração traseira tenha sido liberada
dando ré cuidadosamente na máquina.
8. Selecione a direção de deslocamento (47).
9. Guie a máquina usando o mini-volante (45).
10. Pressione o acelerador para deslocar a máquina.
Ajuste a velocidade da máquina usando o acelerador.
11. Quando você tira o pé do acelerador, a máquina para.
Se necessário, use o pedal do freio.
45 Minivolante de direção
47 Seletor do sentido de desloca-
mento
50 Confirmação do operador
55 Seletor da faixa de velocidade
de condução
56 Liberação do acionamento para
trás

164
3 Operação e deslocamento

3.6.5 Freio de estacionamento automático


O freio de estacionamento é ligado automaticamente se
● o motor desliga durante a operação
● a pressão do circuito do freio cai abaixo de 70 bar.

Ao mesmo tempo, os degraus hidráulicos são baixados.

3.6.6 Controle do carregador


L Manopla de controle esquerda
R Manopla de controle direita
1 Extensão para fora
2 Extensão para dentro
3 Lança de prolongamento para
cima
4 Lança de prolongamento para
baixo
5 Giro do carregador para a
esquerda
6 Giro do carregador para a
direita
7 Garra aberta
8 Garra fechada
9 Lança de levantamento para
baixo
10 Lança de levantamento para
cima
11 Giro do rotor no sentido anti-
horário
12 Giro do rotor no sentido horário

165
3 Operação e deslocamento

3.6.7 Controle do malhal


As funções de movimentação do malhal para a frente/trás e
movimentação do malhal para cima/baixo estão disponíveis
para forwarders conforme o modelo específico da máquina.

Tenha atenção especial ao movimentar o malhal Nunca


movimente o malhal quando houver pessoas ou obstáculos
dentro da zona de perigo da máquina, ou quando houver
toras dentro do espaço de carga.

Alinhe as toras de encontro ao malhal usando o carregador,


não o faça movimentando o malhal.

3.6.7.1 Abertura de toras para frente/para trás

Movimente o malhal quando o espaço de carga estiver vazio.

51 Interruptor de controle do malhal:


● Abertura de toras para frente/para trás

3.6.7.2 Malhal para cima/baixo


51
Se a máquina estiver equipada com movimentação do malhal
para a frente/trás e movimentação do malhal para cima/baixo,
o controle do malhal opera de acordo com a posição do
interruptor de seleção de direção do malhal (3).

3 Interruptor de seleção da direção do malhal (opcional)

51 Interruptor de controle do malhal:


● Abertura de toras para frente/para trás ou
● Malhal para cima/baixo

Movimente o malhal quando o espaço de carga estiver vazio.

166
3 Operação e deslocamento

3.6.8 Funções da lâmina do buldôzer


(equipamento opcional)
As funções da lâmina do buldôzer incluem flutuação e con-
trole para cima/para baixo.

Em ambas as funções, o interruptor de controle do carrega-


dor (29) e o interruptor da lâmina da pá niveladora (57) pre-
cisam estar ligados. Desta maneira, a lança de prolonga-
mento e extensão será desativada.

Os movimentos da manopla de controle esquerda 3 e 4


29 Interruptor LIGA/DESLIGA de controlam a lâmina do buldôzer para cima/baixo, e o movi-
controle do carregador mento 2 controla a flutuação da lâmina do buldôzer.

Ajuste da lâmina do buldôzer para oscilar e liberar a


função de flutuação:

1. Certifique-se de que o interruptor de controle do carre-


gador (29) e o interruptor da lâmina da pá niveladora
(57) estejam ligados.
2. Controle a lâmina do buldôzer para baixo usando o
movimento da manopla 3, e ao mesmo tempo mantenha
a função de flutuação da lâmina do buldôzer (2) pressi-
onada. Quando a flutuação estiver ativada, um símbolo
indicando a flutuação será exibido na tela do computa-
L Manopla de controle esquerda dor.
R Manopla de controle direita 3. Mantenha a função de flutuação da lâmina do buldôzer
57 Interruptor de ativação da
(2) pressionada durante a flutuação.
lâmina do buldôzer 4. Solte a função de flutuação da lâmina do buldôzer (2)
para desativar o controle de flutuação.
A lâmina do buldôzer não
está ativada
A lâmina do buldôzer está
ativada

Quando a lâmina da pá niveladora


é ativada:
2 Lâmina da pá niveladora flutu-
ando
3 Lâmina da pá niveladora para
baixo
4 Lâmina da pá niveladora para
cima

167
3 Operação e deslocamento

3.6.9 Área de carga variável VLA


(VariableLoadArea, opcional)

Tenha cuidado especial ao modificar o espaço de carga.


Nunca modifique o espaço de carga quando houver pessoas
ou obstáculos dentro da zona de perigo da máquina, ou
quando houver toras dentro do espaço de carga.

O espaço de carga tem que estar na posição estreita sem


nenhuma carga ou quando estiver carregando madeira
macia. O espaço de carga pode ser ampliado ao carregar
madeira para bioenergia, ou se o centro de gravidade da
carga ficar o mais baixo possível.

Sempre use posições extremas no espaço de carga; por


exemplo, totalmente estreita ou totalmente ampla.

Use a escala para monitorar o peso da carga. Não dirija em


caso de sobrecarga. Consulte instruções mais detalhadas
sobre carregamento em um manual separado de LoadOpti-
mizer.

3.6.9.1 Expansão hidráulica do espaço de carga

Para ampliar o espaço de carga utilize os botões na manopla


de controle direita (R):

Amplo espaço de carga.


Espaço de carga estreito.

Mantenha o botão Espaço de carga amplo pressionado


de maneira que todos os fueiros tenham completado seus
movimentos. As superfícies deslizantes são bloqueadas com
uma única válvula de bloqueio, ou seja, não há bloqueio
R Manopla de controle direita entre os fueiros.

O sistema hidráulico do espaço de carga variável não contém


nenhum recurso de compressão.

168
3 Operação e deslocamento

3.6.9.2 Expansão mecânica do espaço de carga

Tenha cuidado especial ao modificar o espaço de carga.

Nunca use o carregador para expandir os fueiros porque


isso poderá danificar a barra de segurança do fueiro. Uma
barra de segurança danificada pode provocar a queda do
fueiro.

1
2

1. Remova o parafuso de bloqueio e a porca.


2. Expanda o fueiro para a posição desejada. Nunca use
o carregador para expandir os fueiros.
3. Coloque o parafuso de bloqueio e a porca de volta em
seu lugar e aperte.
4. Repita as etapas 1 a 3 para cada fueiro.

169
3 Operação e deslocamento

3.6.10 Término do trabalho / no final do dia de


trabalho
Mantenha a máquina limpa/lavada. Verifique todas as áreas
cobertas, como as áreas em torno do motor, as placas de
protetoras do peito-de-aço, etc. Mantenha passagens,
assoalhos, degraus e canais no teto para águas pluviais e
de degelo, livres de óleo, gelo, sujeira e objetos soltos.

A temperatura do motor geralmente continua a aumentar


logo após o motor ser desligado, apresentando maior risco
de incêndio. Quando a máquina é colocada para aguardar
o próximo turno, observe a máquina por 30 minutos.

Execute verificações diárias ou a manutenção necessária


de acordo com as instruções fornecidas.

Trave a porta da cabine.

Desligue a corrente principal da chave geral.

A janela lateral, que também pode ser aberta de fora da


cabine (saída de emergência), ficará bloqueada quando a
corrente principal estiver desligada. Remova sempre a chave
to interruptor de corrente quando deixar a máquina.

170
3 Operação e deslocamento

3.7 Reabastecimento de combustível


O ponto de reabastecimento do combustível está localizado
no tanque de combustível.

O acoplamento de liberação rápida e o interruptor de reabas-


tecimento da bomba de reabastecimento (bomba de reabas-
tecimento, equipamento opcional) estão localizados na car-
caça do amortecedor.

A localização exata dos pontos de reabastecimento está


descrita na seção Especificações técnicas.

3.7.1 Reabastecimento sem a bomba de


reabastecimento
1. Gire a tampa do tanque de combustível para abrir.
2. Coloque o bico de reabastecimento no orifício e comece
a reabastecer.
3. O reabastecimento para automaticamente quando o
tanque estiver cheio se o bico de reabastecimento esti-
ver equipado com uma função de parada de reabasteci-
mento automática.
4. Feche a tampa do tanque de combustível.

3.7.2 Reabastecimento com a bomba de


reabastecimento (bomba de
reabastecimento, equipamento opcional)

Figura 1
1 Filtro de sucção da mangueira de reabastecimento

Antes de reabastecer, sempre remova todas as impurezas


do filtro de sucção da mangueira de reabastecimento
(Figura 1).

Limpe frequentemente o filtro de sucção localizado na


conexão com a bomba de reabastecimento (consulte 3.7.2.1).

171
3 Operação e deslocamento

Figura 2
1 Acoplamento de liberação rápida da bomba de reabastecimento
2 Interruptor de reabastecimento
I = Iniciar reabastecimento
O = Parar reabastecimento

1. Conecte a mangueira de reabastecimento ao acopla-


mento de liberação rápida da bomba de reabasteci-
mento.
2. Inicie o fornecimento de combustível no interruptor de
reabastecimento (Figura 2).
3. A bomba interrompe o reabastecimento automatica-
mente quando o tanque estiver cheio. Se necessário, a
bomba de reabastecimento pode ser parada no interrup-
tor de reabastecimento (Figura 2).
4. Retire a mangueira e limpe o acoplamento de liberação
rápida da bomba de reabastecimento.

O combustível pode vazar para fora a tampa antes do sensor


de limite superior parar o reabastecimento se a máquina não
estiver nivelada ao ser reabastecida ou se for usado combus-
tível com alta formação de espuma.

3.7.2.1 Limpando o filtro de sucção da bomba de


reabastecimento

O filtro de sucção na bomba de reabastecimento, evita que


sujeira entre na bomba de reabastecimento. A limpeza fre-
quente do filtro de sucção da bomba de reabastecimento
afeta a operação da bomba de reabastecimento.

172
3 Operação e deslocamento

PONSSE Buffalo / BuffaloKing / PONSSE Buffalo ActiveFrame / PONSSE Elk / Wisent / Gazelle
BuffaloDual / Elephant / Elephant ActiveFrame /
ElephantKing ElephantKing ActiveFrame
1 Filtro de sucção
2 Bomba de reabastecimento

1. Abra a tampa do filtro de sucção da bomba de reabas-


tecimento.
2. Retire o filtro e remova a sujeira, por exemplo, com ar
comprimido.
3. Coloque o filtro no lugar e feche a tampa.

Ao reabastecer em condições de sujeira, o filtro de sucção


da bomba de reabastecimento deve ser limpo com mais
frequência.

173
3 Operação e deslocamento

3.8 Condições irregulares de


deslocamento e de trabalho

3.8.1 Impacto da temperatura na pressão dos


pneus
● Ajuste a pressão dos pneus com base na temperatura
ambiente de operação.

● Note que a temperatura influencia a pressão dos pneus


em cerca de 10 kPa (0,1 bar) por 10°C.

● As pressões dos pneus são ajustadas na fábrica a 20°C.


Um exemplo de como a temperatura influencia a pressão
dos pneus: A temperatura interna da garagem é +20°C
e a temperatura no exterior é -10°C. Quando a pressão
é ajustada na garagem quente, deverá aumentar a
pressão recomendada em 30 kPa (0,3 bar) para manter
a pressão correta dos pneus no exterior.

Não esqueça de diminuir a pressão dos pneus quando a


temperatura externa aumentar.

Para saber a pressão recomendada dos pneus, consulte a


seção Especificações técnicas.

3.8.2 Início de trabalho em baixas


temperaturas/condições de inverno

3.8.2.1 Utilização do aquecedor adicional movido a


combustível em temperaturas baixas

É recomendável o uso de um aquecedor extra acionado por


combustível para temperaturas abaixo de 0 °C. O pré-
aquecimento facilita a partida do motor e aumenta a vida útil
tanto do motor quanto do equipamento auxiliar.

As instruções de usuário para o aquecedor adicional movido


a combustível (Webasto) e PonsseControl II (Controle remoto
Webasto) estão anexos no final deste manual.

174
3 Operação e deslocamento

3.8.2.2 Início de trabalho em baixas temperaturas

Nunca utilize o motor em altas rotações ou carregue o sis-


tema hidráulico em excesso, se o óleo hidráulico não estiver
em uma temperatura de funcionamento adequada. As tem-
peraturas operacionais recomendadas podem ser encontra-
das no capítulo Viscosidade do fluido hidráulico na seção
Hidráulica deste manual. A processo de aquecimento do
óleo até a temperatura adequada de funcionamento pode
ser acelerada utilizando-se a seguinte função de pré-aqueci-
mento:

1. Dê partida no motor.
2. Ligue o Opti PC para ativar seu modo de aquecimento
(consulte 3.8.2.3 Funcionamento do computador Opti7
em temperaturas baixas).
3. Ligue o interruptor de controle da grua e levante a grua
para que os roletes alimentadores não toquem o chão
ou as estruturas da máquina. Certifique-se de que nin-
guém esteja dentro da área de perigo da máquina.
4. Ligue a chave do cabeçote do harvester.
5. Ative o alimentador do cabeçote do harvester pressio-
nando os botões cabeçote do harvester aberto e pré-
seleção 1.
Os roletes de alimentação do cabeçote do harvester
começarão a girar em uma velocidade baixa. Se
necessário, o alimentador poderá ser interrompido
pressionado o botão pré-seleção 1 novamente. Monitore
a função de pré-aquecimento até que ela seja interrom-
pida.
6. O alimentador do cabeçote do harvester será interrom-
pido automaticamente quando o Opti PC tiver sido ligado
e você tiver acessado o sistema Opti4G.

3.8.2.3 Funcionamento do computador Opti7 em


temperaturas baixas

O computador Opti7 contém aquecimento automático.

● O LED pisca quando o computador está no modo de


aquecimento.
● O tempo de aquecimento máximo do computador Opti7
é 10 minutos, após isso ele inicia. A temperatura de ini-
cialização do computador é de 0ºC. O aquecimento não
é ligado quando o Opti7 está em execução.

175
3 Operação e deslocamento

● O aquecedor de combustível inicia o pré-aquecimento


do computador.

3.8.2.4 Compactação da neve nas esteiras

Durante o período de inverno existe a possibilidade de


compactação de neve dentro das seções transversais da
esteira. Isto pode criar tensões nas esteiras e, consequente-
mente, causar danos mecânicos graves para o bogie de
tração. Isso pode ocorrer quando um inverno leve (degelo)
é seguido por um período mais frio. Isso pode também
ocorrer ao trabalhar em uma camada grossa de gelo (uma
camada de 1 metro ou mais grossa). O uso de uma esteira
nova com uma demão de tinta ou superfície não polida irá
fortemente aumentar o risco de ocorrência do fenômeno. No
inverno utilize esteiras sem pintura.

Recomendamos que as esteiras sejam utilizadas por um


período de 300 a 500 horas antes do acúmulo de neve para
polir as seções transversais internas. Isto irá reduzir a possi-
bilidade de compactação da neve.

Em condições de neve pesada, recomendamos que sejam


usadas as esteiras com seção transversal estreita.

3.8.2.4.1 Tensão da esteira

Utilize um tipo adequado de esteira para o tamanho e o


modelo de roda.

Deve haver uma folga suficiente entre as esteiras e a


máquina, e as esteiras devem ser devidamente apertadas.

Siga as instruções do fabricante de esteiras ao apertá-las.

Esteiras apertadas incorretamente podem causar danos à


máquina.

Certifique-se de que ninguém se encontre perto demais das


esteiras ao apertá-las.

176
3 Operação e deslocamento

3.8.3 Início de trabalho em altas temperaturas

3.8.3.1 Funcionamento do computador Opti7 em


temperaturas altas

● Para indicar o sobreaquecimento, o LED pisca duas (2)


vezes, a cigarra apita duas (2) vezes.
● O computador não é iniciado se sua temperatura interna
exceder 90 ºC na inicialização.
● O computador desliga de maneira controlada se sua
temperatura interna for superior a 75 ºC durante 20
segundos.

Ao trabalhar em condições quentes e o sistema elétrico é


exposto a tensão mais alta do que o normal, as baterias de
arranque devem ser verificadas a cada semana, se neces-
sário.

3.8.4 Trabalhando em terreno inclinado


Para trabalhar em terreno inclinado, consulte as instruções
do capítulo Segurança no trabalho na seção Segurança.

177
3 Operação e deslocamento

3.9 Situações de emergência

3.9.1 Partidas auxiliares do motor

3.9.1.1 Observar durante partidas e cargas com


corrente auxiliar

Se for preciso usar corrente auxiliar, tenha cuidado com o


risco de curtos circuitos e a produção de centelhas pelas
baterias. Perigo de explosão!

Use a carga auxiliar basicamente conforme indicado em


3.9.1.2 ou 3.9.1.3.

Quando a máquina estiver equipada com sistema extintor


de incêndio, observe que o sistema extintor de incêndio não
funciona se algum dos cabos de bateria estiver desconectado
ou o fusível do sistema extintor de incêndio tiver sido remo-
vido.

Para partidas auxiliares, use cabos de arranque com o menor


comprimento possível e capacidade suficiente (área mínima
de seção reta de 50 mm²).

3.9.1.2 Carga auxiliar com fonte de alimentação à parte

Se uma fonte de alimentação separada (por exemplo, um


carregador rápido) for usada para carregar as baterias:
1. Desligue a corrente principal da chave geral.
2. Desconecte da bateria o cabo negativo (-) da máquina.
3. Conecte a fonte auxiliar e carregue as baterias.
Chave geral 4. Desconecte os cabos auxiliares.
O = corrente principal desligada 5. Conecte o cabo negativo (-) da máquina na bateria.
I = corrente principal ligada
6. Ligue a corrente na chave geral.
7. Dê partida no motor.

3.9.1.3 Carga auxiliar com outra máquina

1. Desligue a corrente principal da chave geral na máquina


que estiver sendo carregada.
2. Desconecte o cabo negativo (-) da bateria que estiver
sendo carregada.

178
3 Operação e deslocamento

3. Conecte os cabos auxiliares (consulte 3.9.1.4) e inicie


a máquina auxiliar.
Deixe o motor da máquina auxiliar funcionar até as
baterias estarem carregadas em nível suficiente.
4. Desligue o motor da máquina auxiliar.
5. Desconecte os cabos auxiliares.
6. Conecte o cabo negativo (-) da máquina na bateria.
7. Ligue a corrente na chave geral.
8. Dê partida no motor.

3.9.1.4 Partida auxiliar com outra máquina

1. Desligue o motor da máquina auxiliar.


2. Desligue a corrente principal na chave geral (se houver)
da máquina auxiliar.
3. Desligue também a corrente na chave geral da máquina
a ser ligada.
4. Se a máquina for equipada com sistema extintor de
incêndio, remova o fusível do sistema extintor de
incêndio.
Consulte o capítulo Fusíveis na carcaça do amortecedor
na seção Sistema elétrico para saber a localização exata
do fusível.
5. Primeiro, conecte o cabo de partida auxiliar positivo (+)
ao terminal positivo (+) da bateria da máquina auxiliar.
6. Conecte a outra extremidade do cabo de partida auxiliar
positivo (+) ao terminal positivo (+) da bateria da
máquina a ser ligada.
7. Conecte o cabo de partida auxiliar negativo (-) ao termi-
nal negativo (-) da bateria da máquina auxiliar.
8. Conecte a outra extremidade do cabo de partida auxiliar
negativo (-) à carcaça da máquina a ser ligada, fora do
berço da bateria.
Isso é feito para minimizar o perigo de explosão.

9. Desligue a corrente na chave geral da máquina a ser


ligada.
10. Dê partida no motor da máquina.
11. Desconecte os cabos na ordem inversa, começando
pelo cabo negativo (-) da máquina a ser ligada.
12. Instale o fusível do sistema extintor de incêndio de volta
no lugar.

179
3 Operação e deslocamento

Figura 1 Figura 2

O cabo de partida auxiliar positivo (+) também pode ser


conectado à conexão de corrente auxiliar (Figura 2) locali-
zada sob a tampa de proteção na lateral da máquina (Figura
1).

Figura 3

Nesse caso, o cabo de partida auxiliar negativo (-) é conec-


tado debaixo do compartimento do para-choque ao local
indicado na Figura 3. Se solicitado, remova qualquer tinta
existente na área em que o cabo de partida auxiliar negativo
(-) está conectado.

180
3 Operação e deslocamento

3.9.2 Reboque

Se você tiver que rebocar a máquina, contate um serviço


autorizado PONSSE.

Os chassis superior e inferior dianteiros das máquinas


PONSSE Buffalo ActiveFrame / Elephant ActiveFrame /
ElephantKing ActiveFrame / Ergo ActiveFrame devem ser
travados juntos antes de a máquina ser, por exemplo, rebo-
cada para fora de um lamaçal.

O Interruptor do modo de suspensão ativa deve estar no


modo de Serviço (a) quando a armação frontal superior e
inferior são bloqueadas juntas. Além disso, não use o con-
trole manual da suspensão ativa.

Interruptor do modo de
suspensão ativa
a Serviço
b Centro
c Suspensão

PONSSE Ergo ActiveFrame

PONSSE Buffalo ActiveFrame PONSSE Elephant ActiveFrame


/ ElephantKing ActiveFrame

A máquina é entregue com


● dois parafusos M20 longos (1), com os quais as estrutu-
ras dianteiras superior e inferior podem ser alinhadas
para prender as cantoneiras de ferro.
● duas cantoneiras de ferro (2) e oito parafusos M24 (3),
com o que as estruturas dianteiras superior e inferior da
máquina são travadas juntas nos dois lados.

181
3 Operação e deslocamento

3.9.3 Atolando e dirigindo na água


Se a máquina tiver atolado ou tiver sido dirigida na água, e
há um motivo para acreditar que água tenha entrado no óleo
através de uma vedação ou de um respiro, o sistema deve
ser verificado e o óleo trocado, se necessário. Durante uma
troca de óleo, os filtros devem ser substituídos.

Realize a verificação mencionada acima novamente após


dirigir por algum tempo.

3.9.4 Queda da máquina


Se a máquina tombar, entre em contato com um serviço
autorizado PONSSE imediatamente. Não ligue o motor se
a máquina tiver tombado.

3.9.5 Em caso de incêndio


Em caso de incêndio, proceda da seguinte forma:
● Desligue o motor.
● Acione o sistema de extinção de incêndio (equipamento
opcional).
● Saia da cabine.
● Desligue a corrente principal da chave geral.
● Retire os extintores de incêndio portáteis e inicie o
combate ao incêndio.

A máquina tem aberturas específicas, marcadas com adesi-


vos (veja a foto), para combater o fogo com o extintor de
incêndio portátil.

● Não deixe o fogo se espalhar.


● Chame ajuda se for necessário.

182
3 Operação e deslocamento

3.10 Sistema de extinção de incêndio

3.10.1 Extintores de incêndio portáteis


Há dois extintores de incêndio portáteis na máquina. Um
está localizado na cabine e o outro está fora da máquina.

Assegure-se de que os extintores de incêndio portáteis sejam


verificados e recebam manutenção regular em uma oficina
de reparos. Averigue os intervalos de manutenção/verificação
com a empresa de seguros, para seguir em conformidade
com as condições do seguro.

3.10.2 Sistema extintor de incêndio


(equipamento opcional)
Um sistema de extinção de incêndio está disponível para as
máquinas florestais PONSSE.

O sistema de extinção de incêndio opera manualmente


quando
● a corrente principal está ligada e
● o motor está em funcionamento e
● o freio de estacionamento está solto.

Quanto o sistema de extinção de incêndio está em modo


manual e o alarme soar, o motorista deverá acionar o sistema
a seu critério.

Caso contrário, o sistema de extinção de incêndio está em


estado de espera e opera automaticamente.

Sempre verifique se o sistema extintor de incêndio está


operacional no início do seu turno. Para obter instruções de
como testar o alarme, consulte o capítulo 3.10.2.1
Painel de controle do sistema extintor de incêndio.

O sistema extintor de incêndio deve receber manutenção e


ser verificado anualmente por um serviço autorizado. Após
essa inspeção você receberá um documento que é válido
como evidência para a seguradora em caso de incêndio.

Consulte a seção Segurança, capítulo Prevenção de incên-


dio.

183
3 Operação e deslocamento

3.10.2.1 Painel de controle do sistema extintor de


incêndio

1 Liberação manual
O sistema de extinção de incêndio é liberado ao pressionar o botão.

Procedimento de liberação do manual:


● Levante a cobertura plástica de proteção do painel de controle
● Pressione a liberação manual durante pelo menos um segundo.
Verifique o restante do procedimento do capítulo 3.9.5 Em caso de
incêndio.

Quando a tampa de proteção do painel de controle foi levantada, o


selo de segurança é quebrado. O selo de segurança é liberado
durante o serviço e reparos.

2 Alarme de incêndio
A luz indicadora vermelha se acenderá sempre que um incêndio for
detectado.
3 Falha no circuito de liberação
A luz indicadora amarela se acenderá, caso ocorra uma falha no
circuito de liberação.
4 Falha no circuito de detecção
A luz indicadora amarela se acenderá, caso ocorra uma falha no
circuito de detecção.
5 Modo manual
A luz indicadora amarela está ligada quando a corrente principal da
máquina florestal é ligada, o motor está em funcionamento e o freio
de estacionamento está solto. O sistema de extinção de incêndio
deverá ser liberado manualmente.
6 Potência no sistema de extinção de incêndio
A luz indicadora verde se acenderá sempre que o sistema de
extinção de incêndio estiver em modo normal de espera.
7 Teste e redefinição
O sistema é testado durante operações normais ao pressionar o
botão. Ele também redefine o sistema após a liberação.

Teste do alarme:
Pressione o botão de teste durante pelo menos um segundo.
Cada luz indicadora acende em sucessão. O teste é concluído por
um teste de alarme durante o qual um alarme soa e uma luz indica-
dora pisca.
Nota: Não levante a tampa de proteção do painel de controle ou o
selo de segurança será quebrado.

No caso de haver algum defeito no sistema, entre em contato com um


serviço autorizado da PONSSE.

184
4
Manutenção

Índice analítico Parte 4


4.1 Uso e manutenção da máquina florestal ecologicamente
corretos ............................................................................ 187
4.2 Leia antes de fazer manutenção ou reparos ....................... 188
4.3 Verificações e manutenção / operador da máquina ............. 189
4.3.1 Geral ................................................................. 189
4.3.2 Manutenção diária, a cada 10 horas .................... 189
4.3.3 Manutenção semanal, a cada 50 horas ................ 190
4.3.4 Verifique e faça manutenção regularmente ........... 191
4.4 Manutenção programada .................................................. 192
4.4.1 Geral ................................................................. 192
4.4.2 Livro de serviço .................................................. 192
4.4.3 Intervalos de manutenção máximos ..................... 193
4.4.4 Manutenção Basic programada ........................... 194
4.4.5 Complete manutenção agendada ........................ 195
4.5 Serviço de garantia e inspeção pré-entrega ........................ 197
4.6 Inclinação do tanque de combustível (Scorpion 8w, Scorpi-
onKing) ............................................................................ 198
4.6.1 Inclinação manual do tanque de combustível ........ 198
4.6.2 Inclinação elétrica do tanque de combustível
(equipamento opcional) ....................................... 200
4.7 Inclinação do tanque de combustível
(Bear, Beaver e Ergo) ....................................................... 202
4.8 Abertura da tampa do motor .............................................. 203
4.8.1 Abrindo a tampa do motor em caso de
defeito ................................................................ 203
4.9 Soldando a máquina ......................................................... 204
4.9.1 Preparativos ....................................................... 204
4.9.2 Soldando a máquina ........................................... 204
4.9.3 Ações depois da soldagem .................................. 205
4.10 Verificação e aperto do mancal horizontal do pivô central;
Scorpion 8w e ScorpionKing .............................................. 206
4.11 Ajustes de trava do eixo central e da oscilação do chassi;
Wisent e Gazelle .............................................................. 207
4.11.1 Aperto do mancal horizontal do pivô central, Wisent,
Gazelle .............................................................. 207
4.11.2 Ajustando a trava de oscilação do chassi, Wisent,
Gazelle .............................................................. 207
4 Manutenção

4.12 Conexões de pino cônico .................................................. 209


4.12.1 Apertando as conexões de pino cônico ................ 210
4.12.2 Torques de aperto, parafusos de aperto para pinos
cônicos .............................................................. 210
4.13 Sangrar os bloqueios do chassi do tipo cilindro ................... 211
4.14 Lavagem da máquina ........................................................ 212
4.15 Armazenamento da máquina ............................................. 213
4.15.1 Medidas antes e durante o armazenamento da
máquina ............................................................. 213
4.15.2 Medidas uma vez por mês ................................... 213
4.16 Torques de aperto ............................................................. 215
4.16.1 Torques de aperto para parafusos de aço em
máquinas florestais PONSSE .............................. 215
4.16.2 Conexões de pino cônico .................................... 218
4.16.2.1 Apertando as conexões de pino cônico ................ 219
4.16.2.2 Apertando parafusos para conexões de pinos
cônicos, apertando torques ................................. 220
4.16.3 Tabela geral de torques de aperto ........................ 221
4 Manutenção

4.1 Uso e manutenção da máquina


florestal ecologicamente corretos
Tente reduzir a carga ambiental da sua máquina ao longo
da vida útil tomando cuidado especial ao manusear líquidos,
como combustíveis e lubrificantes, durante a manutenção e
retirada da máquina de uso, a fim de evitar ou minimizar o
contato desses líquidos com o meio ambiente.

Qualquer vazamento observado durante a vida útil da


máquina deve ser identificado e reparado o quanto antes,
não apenas para manter a condição e a segurança operaci-
onal da máquina, mas também para minimizar seu impacto
ao meio ambiente.

Ao retirar a máquina de uso, qualquer resíduo produzido


sempre deve ser processado conforme a legislação local e
as instruções oficiais, dando preferência à reciclagem sempre
que possível.

Preste atenção a qualquer risco ambiental causado pela


substituição ou manutenção dos componentes e sistemas
da máquina, ou por sua retirada de uso. Antes de iniciar o
trabalho, certifique-se de que qualquer substância ou produto
químico perigosos ao meio ambiente, como líquido refrige-
rante de ar condicionado, tenham sido adequadamente
recuperados do sistema, dessa forma evitando o contato ou
entrada no meio ambiente.

187
4 Manutenção

4.2 Leia antes de fazer manutenção ou


reparos
A operação adequada de um equipamento florestal e sua
manutenção regular, com reparos sempre que for apropriado,
são fatores importantes quando se trata de custos operacio-
nais. Portanto, vale a pena enfatizar a importância e a
necessidade da manutenção periódica. Toda manutenção
feita em um equipamento florestal tem suas despesas recu-
peradas muitas vezes como aumentar o valor de revenda,
maior confiabilidade e melhoria de rendimento.

Antes de qualquer trabalho de manutenção, leia com atenção


a seção de Segurança do Manual do Proprietário.

Toda vez que for ligar ou retirar conectores de uma unidade


OptiControl, primeiro desligue a sua eletricidade (chave de
ignição na posição 0).

Enquanto durarem os trabalhos de manutenção e reparo


mantenha o Opti desligado, com a chave de ignição na
posição 0, e desligue a corrente na chave geral.

A transmissão e a engrenagem diferencial podem estar


quentes após dirigir. Tome cuidado para não tocar na
transmissão nem a engrenagem diferencial antes de verificar
a temperatura respetiva. Se o respiro correspondente estiver
bloqueado, poderá emergir pressão na cavidade de óleo
causando a aspersão de óleo quente quando da abertura
da vareta. O óleo quente pode causar queimaduras gra-
ves.

Nota: Máquinas ActiveFrame / Ergo 6w: Antes de qualquer


trabalho de manutenção, ligue o modo de Serviço (a) com
o interruptor de modo da suspensão ativa. O modo de Ser-
viço impede todas as funções automáticas. Consulte o
capítulo Controle da suspensão ativa na seção Operação
e Deslocamento.

Interruptor do modo de suspensão


ativa
a Serviço
b Centro
c Suspensão

188
4 Manutenção

4.3 Verificações e manutenção / operador da máquina

4.3.1 Geral
Esta seção apresenta as verificações e manutenção que o
operador da máquina precisa executar com regularidade.

Note que as medidas de manutenção diária não estão


incluídas no programa de manutenção semanal. Porém,
estas medidas devem ser executadas na manutenção
semanal.

4.3.2 Manutenção diária, a cada 10 horas


MOTOR Consulte o ● Procure vazamentos de óleo e fluidos, repare se precisar
Manual do Proprietário do ● Verifique se existem vazamentos de ar na admissão e
Motor separado. exaustão
● Verifique o nível do óleo do motor.
TRUQUES ● Verifique se há algum vazamento
SISTEMA HIDRÁULICO ● Verifique se há algum vazamento
ENGRAXAMENTO Con- ● Verifique se o sistema de lubrificação está funcionando
sulte a seção Lubrificação. perfeitamente

(As instruções de lubrificação de guindastes e cabeçotes do


harvester são fornecidas nos Manuais do Proprietário separados.)

189
4 Manutenção

4.3.3 Manutenção semanal, a cada 50 horas


MOTOR Consulte o Manual ● Verifique as fixações
do Proprietário do Motor sepa- ● Limpe o separador de água.
rado. ● Verifique a condição da correia estriada Poly V e do rotor
do ventilador.
● Verifique o filtro de ar, substitua se necessário. Remova
todas as impurezas através do toque. NÃO limpe com
ar comprimido. Substitua o filtro de acordo com a indica-
ção do sensor.
SISTEMA DE ARREFECI- ● Verifique se há algum vazamento
MENTO ● Verifique o nível de fluido do radiador *)
● Limpe o radiador e sua tela de proteção
● Se a máquina tiver um resfriador hidráulico adicional:
Limpe a tela e a célula de proteção
EIXOS DIANTEIROS ● Verifique se há algum vazamento
CAIXA DE TRANSMISSÃO ● Verifique o nível do óleo *)
Consulte a seção Transmis-
são.
CAIXA DE ENGRENAGEM ● Verifique o nível do óleo *)
DA BOMBA (Bear, Ergo,
ScorpionKing) Consulte a
seção Hidráulica.
SISTEMA HIDRÁULICO ● Verifique o nível do óleo hidráulico *)
SISTEMA DE CALEFAÇÃO ● Limpe a célula do resfriador
E REFRIGERAÇÃO Consulte ● Verifique os filtros e limpe-os cuidadosamente de frag-
a seção Cabine e controles. mentos/troque se necessário.
SISTEMA ELÉTRICO Con- ● Verifique as baterias (líquidos). Preste atenção à
sulte a seção Sistema elétrico. necessidade de inspeção adicional causada por condi-
ções climáticas.
RODAS ● Verifique a pressão dos pneus batendo neles
● Verifique o estado dos truques, correntes e rodas
ENGRAXAMENTO Consulte ● Pontos de lubrificação incluídos na manutenção semanal
a seção Lubrificação.
(As instruções de lubrificação de cabeçotes do harvester e
gruas são fornecidas nos Manuais do Proprietário separados.)
EIXO ADICIONAL 10w Con- ● Pontos de lubrificação incluídos na manutenção semanal
sulte o anexo Eixo adicional ● Verifique as conexões hidráulicas (10w hidráulico)
10w. ● Verifique o aperto dos parafusos de bloqueio do pino do
cilindro, ajuste se necessário (10w hidráulico).
Verifique a tensão das esteiras, ajuste se necessário.

*) Para saber as recomendações de óleo/líquido, consulte a seção Especificações técnicas.

190
4 Manutenção

4.3.4 Verifique e faça manutenção regularmente


● Verifique o funcionamento do alarme de ré.
● Verifique o funcionamento do interruptor de segurança
da porta da cabine.
● Verifique o estado dos adesivos de instruções e adver-
tência. Os adesivos e suas posições são apresentados
na seção Segurança.

● Verifique o sistema de extinção de incêndio. Consulte


o capítulo Sistema de extinção de incêndio na seção
Operação e Deslocamento.
- Verifique / faça a manutenção do extintor portátil e
- teste o funcionamento do sistema de extinção
(equipamento opcional).
● Observe também as verificações e manutenção de
outros equipamentos opcionais.

Os pontos de engraxamento da manutenção da manutenção


diária e semanal não estão incluídos na manutenção progra-
mada Basic e Complete. A lubrificação da transmissão
mecânica está incluída na manutenção programada Com-
plete.

Os ajustes da máquina e das pressões deverão ser realiza-


dos regularmente por um serviço autorizado PONSSE no
serviço de manutenção Basic ou Complete ou pelo menos
uma vez por ano.

191
4 Manutenção

4.4 Manutenção programada

4.4.1 Geral
Esta seção apresenta a manutenção programada a ser rea-
lizada durante os trabalhos de manutenção Basic e Com-
plete.

Os intervalos de manutenção podem variar entre as áreas


do mercado. O intervalo de manutenção é afetado pela

- qualidade dos óleos usados e pelas


- condições ambientais.

Os pontos de engraxamento da manutenção da manutenção


diária e semanal não estão incluídos na manutenção progra-
mada Basic e Complete. A lubrificação da transmissão
mecânica está incluída na manutenção programada Com-
plete.

A verificação periódica das operações do sistema hidráulico


é recomendada em conexão com a manutenção programada
Complete.

Consulte também os Manuais do Proprietário da grua/carre-


gador e do cabeçote do harvester.

4.4.2 Livro de serviço


Um livro de serviço destinado a monitorar a manutenção da
máquina é entregue com a máquina. O livro de serviço tam-
bém inclui recomendações de intervalos de manutenção.

● A manutenção programada realizada deve ser inerida


no livro de manutenção.
● Guarde os relatórios de manutenção com o livro de
serviço.
● Guarde esse livro de registro na máquina.
● Certifique-se de que o livro de serviço seja entregue
com a máquina se a máquina mudar de dono.

192
4 Manutenção

O livro de serviço fica localizado na cabine, Máquinas Scorpion: O livro de serviço fica
dentro de um bolso de rede. localizado em um compartimento da porta

4.4.3 Intervalos de manutenção máximos


MOTOR Basic serviço Complete serviço
EU STAGE IIIA (3A) 600 h 1800 h *)
EU STAGE IV (4F) 900 h 1800 h *)

*) A Manutenção Complete (completa) deve ser realizada


pelo menos uma vez por ano, mesmo se o limite de horas
de operação não for atingido.

Pré-condições para intervalos de manutenção máximos:


Combustível Atende os requisitos da norma DIN EN
590 ou ASTM D975
Óleo do motor De acordo com a classe de qualidade
Mercedes-Benz 228.5

A temperatura do óleo hidráulico deve permanecer dentro


dos limites da tabela de viscosidade do óleo específico.
Consulte a tabela de viscosidade na seção Hidráulica.

No sistema hidráulico das máquinas florestais PONSSE


use
● A temperaturas abaixo de +20°C: óleo que se encaixe
na classe de viscosidade (cSt) 22...46.
● A temperaturas acima de +20°C: óleo que se encaixe
na classe de viscosidade (cSt) 46...68.

Certifique-se de que o sistema hidráulico esteja limpo. Por


exemplo, se o sensor de entupimento do filtro emitir um
alerta, o filtro deve ser substituído imediatamente.

Mais informações sobre requisitos de qualidade podem ser


encontradas mas seções Especificações técnicas and
Hidráulica.

193
4 Manutenção

4.4.4 Manutenção Basic programada


MOTOR Consulte o Manual ● Verificação de vazamentos de óleo e fluido
do Proprietário do Motor ● Troca de óleo do motor
separado. ● Troca do filtro de óleo (troca do filtro juntamente com troca
de óleo).
● Separador de água, troca do elemento do filtro
● Troca do filtro de combustível
● Verificação do filtro de ar, substitua se necessário
CAIXA DE ENGRENAGEM ● Verificação do nível do óleo *)
DA BOMBA (Bear, Ergo,
ScorpionKing) Consulte a
seção Hidráulica.
CAIXA DE TRANSMISSÃO ● Verificação do nível do óleo *)
Consulte a seção Transmis- ● Lubrificação de cruz cardan (sem autolubrificação) e
são. verificação e ajuste de fechos **)
EIXOS DIANTEIROS Con- ● Verificação do nível do óleo da engrenagem diferencial *)
sulte a seção Transmissão. ● Verificação do nível do óleo da engrenagem planetária *)
● Placas de proteção do peito-de-aço, verificação e aperto
**)
● Parafusos de fixação, verificação e aperto **)
TRUQUES Consulte a seção ● Verificação do nível do óleo da engrenagem diferencial *)
Transmissão. ● Verificação do nível do óleo da engrenagem planetária *)
● Verificação do nível do óleo da carcaça do truque *)
● Placas de proteção do peito-de-aço, verificação e aperto
**)
● Parafusos de fixação, verificação e aperto **)
PIVÔ CENTRAL ● Mancais verticais, verificação e aperto **)
● Mancais horizontais, verificação e aperto (Gazelle, Wisent,
Scorpion) **)
SISTEMA DE CALEFAÇÃO ● Verificação da funcionalidade do equipamento
E REFRIGERAÇÃO Con-
sulte a seção Cabine e con-
troles.
EIXO ADICIONAL 10w ● Lubrificação do hub
Consulte o anexo eixo adicio-
nal 10w.
OUTROS ● Limpeza do filtro da bomba de lubrificação central
● Trabalho adicional acordado separadamente, por ex.,
- Verificação da pressão, ajuste e operação da máquina
- Lubrificação de toda a máquina

*) Para saber as recomendações de óleo/líquido, consulte a seção Especificações técnicas.

**) Para saber os torques de aperto, consulte a seção 4.16 Torques de aperto.

194
4 Manutenção

4.4.5 Complete manutenção agendada


MOTOR Ver o Manual do ● Verificação de vazamentos de óleo e fluido
Dono do Motor à parte. ● Troca de óleo do motor
● Troca do filtro de óleo (troca do filtro juntamente com troca
de óleo).
● Separador de água, troca do elemento do filtro
● Troca do filtro de combustível
● Verificação do filtro de ar, substitua se necessário
● Troca do filtro da unidade de bomba DEF (EU Stage IV)
***)
● Verificação de limpeza do tanque DEF (EU Stage IV)
● Alternado Complete:
- Ajuste de válvula do motor (EU Stage IIIA / IV)
SISTEMA DE ARREFECI- ● Verificação da resistência contra congelamento do líquido
MENTO de arrefecimento
● Alternado Complete:
- Mudança do fluido do radiador *)
SISTEMA HIDRÁULICO ● Troca de óleo hidráulico *)
Para a localização dos filtros, ● Troca do filtro de retorno de óleo hidráulico 1 pç (2 pçs:
ver a seção Especificações Bear, Ergo)
técnicas. ● Troca do filtro da pressão de carga da transmissão de
deslocamento
● Troca do respiro do tanque hidráulico
● Troca do filtro de circulação do resfriamento
● Troca do filtro da pressão de carga do ventilador hidráulico
(FAN)
● Sistema de filtro fino (equipamento opcional consulte a
seção Hidráulica.)
- Troca de filtro para sangrar
- Troca de filtro de ar desumidificador
BOMBA DA CAIXA DE ● Troca de óleo *)
MARCHAS (Bear, Ergo, ● Parafusos de fixação, verificação e aperto **)
ScorpionKing) Ver seção
Hidráulica.
TRANSMISSÃO Ver seção ● Troca de óleo *)
Transmissão. ● Parafusos de fixação, verificação e aperto **)
● Lubrificação das juntas cardã (não lubrificadas continua-
mente) e inspeção/ajuste dos encaixes **)
EIXOS FRONTAIS Ver ● Troca de óleo da engrenagem diferencial *)
seção Transmissão. ● Troca de óleo da engrenagem planetária *)
● Placas de proteção do peito-de-aço, verificação e aperto
**)
● Parafusos de fixação, verificação e aperto **)

195
4 Manutenção

TRUQUES Ver seção ● Troca de óleo da engrenagem diferencial *)


Transmissão. ● Troca de óleo da engrenagem planetária *)
● Troca de óleo da carcaça do truque *)
● Placas de proteção do peito de aço, checagem e ajuste
**)
● Parafusos de fixação, verificação e aperto **)
● Lubrificação dos pivôs de giro
PIVÔ CENTRAL ● Mancais verticais, verificação e aperto **)
● Mancais horizontais, verificação e aperto (Gazelle, Wisent,
Scorpion)
AQUECEDOR E AR-CONDI- ● Verificação do filtro, substitua se necessário
CIONADO Ver seção ● Verificação da funcionalidade do equipamento
Cabine e controles.
SISTEMA ELÉTRICO Ver ● Verificação das baterias (eletrólito). Preste atenção à
seção Sistema elétrico. necessidade de inspeção adicional causada por condições
climáticas.
RODAS ● Inspeção das porcas de fixação e aperto se necessário
● Verificação da pressão do pneu
LUBRIFICAÇÃO Ver seção ● Lubrificação da transmissão mecânica
Lubrificação.
EIXO ADICIONAL 10w Ver ● Lubrificação do hub
o anexo eixo adicional 10w. ● Fixações, verificação e aperto **)
TRATAMENTO DE CEPAS ● Alternado Complete (antes de realizar a pulverização):
Ver o anexo Tratamento de - Troca de óleo de bombas operadas por motor
cepas. hidráulico *)
OUTROS ● Trabalho adicional acordado separadamente, por ex.,
- Verificação da pressão, ajuste e operação da máquina
- Lubrificação de toda a máquina

*) Verifique as recomendações para óleos/fluidos da seção Especificações técnicas.

**) Para ajuste dos torques, ver Seção 4.16 Torques de aperto.

***) DEF (Fluido do Escapamento a Diesel) é um nome comum para aditivos usados em sistemas SCR. Por exemplo, AdBlue® (marca registrada da VDA) é um aditivo DEF geralmente
disponível.

196
4 Manutenção

4.5 Serviço de garantia e inspeção


pré-entrega
O serviço de garantia e a inspeção pré-entrega são realiza-
dos gratuitamente pelo serviço autorizado PONSSE.

As verificações / manutenção diárias e semanais devem ser


feitas pelo cliente e são uma pré-condição para que a
garantia seja válida.

O primeiro serviço de garantia é executado após 200 horas


de uso (- 20 horas/+ 40 horas). A segunda manutenção de
garantia é executada junto com a primeira Complete con-
forme o programa de manutenção regular.

Os serviços em garantia seguem os itens do programa de


manutenção Complete com algumas exceções.

Serviços de garantia são realizados apenas em cabeçotes


vendidos para e instalados em máquinas florestais Ponsse
novas.

A inspeção pré-entrega é realizada em cabeçotes instalados


em outras máquinas além das máquinas florestais Ponsse
novas.

A inspeção pré-entrega é realizada em conjunto com a


entrega. Nenhuma outra garantia de serviço é realizada
nesses cabeçotes. Outros tipos de manutenção devem ser
realizados em conformidade com as instruções do manual
de instruções.

197
4 Manutenção

4.6 Inclinação do tanque de


combustível (Scorpion 8w,
ScorpionKing)

4.6.1 Inclinação manual do tanque de


combustível

Certifique-se de que o tanque esteja apoiado pelo suporte


de segurança antes de fazer qualquer manutenção.

Certifique-se de que não exista nada impedindo a eleva-


ção/abaixamento do tanque. Observe mangueiras e cabos
elétricos. Certifique-se de que não haja objetos entre o tan-
que e o chassi ao abaixar o tanque.

1. Abra a tampa (1) na parte superior do tanque e a tampa


menor (2) na lateral.

1 Tampa na parte superior do 1


tanque
2 Tampa menor
2

2. Abra os parafusos de aperto (4) antes de inclinar o


tanque de combustível (chave Allen de 10 mm com
um braço longo).

O tanque de combustível está preso


ao suporte do equipamento com
dois parafusos.
4 Parafusos de aperto

198
4 Manutenção

6
8

2 Tampa 2
5 Válvula da bomba de elevação, 5
para baixo/para cima
6 Orifício da bomba de elevação
7 Braço da bomba de elevação,
ST0287
8 Ferramenta de travamento, Elevação do tanque de combustível para a posição
ST0300 superior:

3. Selecione a direção de inclinação. Gire a válvula da


bomba de elevação (5) para a posição de elevação
usando a ferramenta (7).
- Girar no sentido horário = para cima
- Girar no sentido anti-horário = para baixo

4. Empurre o braço da bomba de elevação (7) para dentro


do orifício da bomba de elevação (6) e bombeie o tanque
para a posição superior.
5. Gire a válvula da bomba de elevação (5) para a posição
de abaixamento. Bombeie o tanque um pouco para
baixo, de forma que ele seja abaixado sobre o suporte
de segurança.

Abaixamento do tanque de combustível para a posição


inferior:

1. Gire a válvula da bomba de elevação (5) para a posição


9
de elevação. Bombeie o tanque um pouco para cima,
8 de forma que o suporte de segurança possa se mover
livremente.
2. Solte o suporte de segurança (9) girando sua chave de
liberação em direção ao compartimento do para-choque
8 Ferramenta de travamento, usando a ferramenta (8).
ST0300 3. Gire a válvula da bomba de elevação (5) para a posição
9 Suporte de segurança
de abaixamento usando a ferramenta (7).
- Girar no sentido anti-horário = para baixo
- Girar no sentido horário = para cima

4. Empurre o braço da bomba de elevação (7) para dentro


do orifício da bomba de elevação (6) e bombeie o tanque
para a posição inferior.
5. Prenda novamente o tanque no suporte do equipamento
usando os parafusos de aperto (4).

199
4 Manutenção

4.6.2 Inclinação elétrica do tanque de


combustível (equipamento opcional)

Certifique-se de que o tanque esteja apoiado pelo suporte


de segurança antes de fazer qualquer manutenção.

Certifique-se de que não exista nada impedindo a eleva-


ção/abaixamento do tanque. Observe mangueiras e cabos
elétricos. Certifique-se de que não haja objetos entre o tan-
que e o chassi ao abaixar o tanque.

1. Abra a tampa (1) na parte superior do tanque e as tam-


pas (2) e (3) na lateral.

1 Tampa na parte superior do 1


tanque
2 Tampa menor
3 Tampa 2
3

2. Abra os parafusos de aperto (4) antes de inclinar o


tanque de combustível (chave Allen de 10 mm com
um braço longo).

O tanque de combustível está preso


ao suporte do equipamento com
dois parafusos.
4 Parafusos de aperto

200
4 Manutenção

6
8

2 Tampa 2
5 Válvula da bomba de elevação, 5
para baixo/para cima
6 Orifício da bomba de elevação
7 Braço da bomba de elevação,
ST0287
8 Ferramenta de travamento, Elevação do tanque de combustível para a posição
ST0300 superior:

3. Selecione a direção de inclinação. Gire a válvula da


bomba de elevação (5) para a posição de elevação
usando a ferramenta (7).
- Girar no sentido horário = para cima
- Girar no sentido anti-horário = para baixo

4. Eleve o tanque pressionando o interruptor elétrico.


Verifique se o tanque sobe livremente.
5. Gire a válvula da bomba de elevação (5) para a posição
de abaixamento. Pressione o interruptor elétrico e abaixe
um pouco o tanque, de forma que ele seja abaixado
Interruptor elétrico para inclinação
sobre o suporte de segurança.
do tanque de combustível (no meio).
O interruptor está localizado debaixo Abaixamento do tanque de combustível para a posição
da tampa (3). inferior:

1. Gire a válvula da bomba de elevação (5) para a posição


de elevação. Bombeie o tanque um pouco para cima,
de forma que o suporte de segurança possa se mover
9 livremente.
2. Solte o suporte de segurança (9) girando sua chave de
8 liberação em direção ao compartimento do para-choque
usando a ferramenta (8).
3. Selecione a direção de inclinação. Gire a válvula da
bomba de elevação (5) para a posição de abaixamento
8 Ferramenta de travamento,
ST0300
usando a ferramenta (7).
9 Suporte de segurança - Girar no sentido anti-horário = para baixo
- Girar no sentido horário = para cima

4. Abaixe o tanque pressionando o interruptor elétrico.


5. Prenda novamente o tanque no suporte do equipamento
usando os parafusos de aperto (4).

201
4 Manutenção

4.7 Inclinação do tanque de


combustível (Bear, Beaver e Ergo)
Recomendamos que o tanque de combustível para os
modelos de máquina Bear, Beaver e Ergo seja inclinado
apenas por um serviço PONSSE autorizado.

202
4 Manutenção

4.8 Abertura da tampa do motor


Abra a tampa do motor com o interruptor elétrico localizado
abaixo na carcaça do amortecedor. Figuras 1 e 2.

Figura 1. Posição do interruptor 4.8.1 Abrindo a tampa do motor em caso de


elétrico na máquina defeito
Em caso de defeito, se a máquina estiver sem energia elé-
3
trica e não aceitar corrente auxiliar ou se o motor linear para
4 levantar a tampa do motor estiver danificado:

1. Certifique-se de que a máquina não possa começar a


Figura 2. Interruptor elétrico se mover.
3 Tampa do motor levantada 2. Prenda uma ferramenta de elevação bem firme na tampa
4 Tampa do motor abaixada do motor. Utilize apenas equipamento de elevação
aprovado.
3. Abra o parafuso inferior (5) do motor linear. Figura 3.
4. Levante a tampa do motor usando a ferramenta de ele-
vação.

Tenha um cuidado especial ao levantar a tampa do motor.


Ao realizar tarefas de manutenção, certifique-se de que a
tampa do motor não caia no chão. Ao baixar a tampa do
motor, certifique-se de que não existam objetos estranhos,
pessoas não autorizadas ou qualquer parte do corpo entre
a tampa do motor que está sendo baixada e o motor.
PERIGO DE ESMAGAMENTO!

5
Figura 3.
5 Parafuso inferior do motor de elevação linear

Se necessário, entre em contato com um serviço autorizado


PONSSE.

203
4 Manutenção

4.9 Soldando a máquina

4.9.1 Preparativos

Antes de soldar, tome as seguintes medidas:

Mantenha um extintor de incêndio portátil acessível por perto


durante a soldagem em caso de perigo de incêndio.

Elimine sujeira e detritos da área a ser soldada e ao redor


dela.

Remova qualquer tinta da área a ser soldada antes de


começar a soldagem. Use máscara respiratória e óculos de
proteção se for necessário remover a tinta com lixa. Se usar
removedor de tinta, limpe a área tratada com água.

Use o equipamento de solda apropriado. Não respire vapores


tóxicos durante a soldagem e verifique se há ventilação
suficiente no espaço de trabalho.

4.9.2 Soldando a máquina


Figura 1: motores EU Stage IIIA e
IIIB
1 Motor
1
2 Conector da unidade ECU, do
motor para a ECU
3 Comector da unidade ECU, da
ECU para a unidade da cabine
(VCU)

1. Desligue o motor usando a chave de ignição e retire a


chave do miolo.
2. Desligue a alimentação do computador Opti.
3. Abra a tampa do motor.
4. Desligue a corrente principal da chave geral. A luz de
serviço próxima à chave geral se apagará quando todas
as correntes tiverem sido desligadas.

204
4 Manutenção

5. Se a máquina contiver um motor EU Stage IIIA ou IIIB:


Remova os dois conectores (2, 3) da unidade de con-
trole do motor (ECU). Veja a Figura 1.

Se a máquina contiver um motor EU Stage IV: Não é


preciso remover os conectores da unidade de controle
do motor.

6. Preparar o Opti para soldagem.


- Desconecte os calibradores de medição da base
de encaixe.
- Desconecte o cabo USB da impressora.
- Desconecte o cabo da antena do modem de trans-
ferência de dados.
Desconecte os cabos somente do equipamento auxiliar. Não
desconecte os cabos do computador.

7. Ligue o interruptor de soldagem (6, aterramento, posição


do interruptor 1). O interruptor está localizado no centro
5 elétrico na cabine, debaixo da tampa. Consulte a seção
Sistema elétrico para saber a localização exata do
interruptor.
8. Se a máquina tiver um sistema de extinção de incên-
diocomo equipamento opcional: Remova o fusível do
sistema de extinção de incêndio. Consulte a seção Sis-
4 tema elétrico para saber a localização exata do fusível.
9. Certifique-se de que o eletrodo de aterramento do
equipamento de solda esteja conectado ao componente
6 a ser soldado e que toda impureza e resíduo de tinta
tenha sido removido da região de contato entre o ele-
trodo e o componente.
10. Você pode começar a soldar agora.

Figura 2 4.9.3 Ações depois da soldagem


4 Parafuso de fixação
5 Tampa do interruptor de solda 1. Remova o eletrodo de aterramento do equipamento de
6 Interruptor de soldagem solda do componente que estiver sendo soldado.
1 = aterramento
0 = DESLIGADO
2. Desligue o interruptor de soldagem (6, posição do
interruptor 0).
3. Reconecte os cabos que desconectou anteriormente e
conecte os calibradores de medição à base de encaixe.
4. Instale o fusível do sistema extintor de incêndio de volta
em seu lugar.

205
4 Manutenção

5. Recoloque os dois conectores (2, 3) da unidade de


controle dos motores (EU Stage IIIA e IIIB).
6. Ligue a corrente na chave geral.
7. Feche a tampa do motor.
8. Introduza a chave de ignição na trava de ignição.
9. Teste se todas as funções estão funcionando normal-
mente.
10. Você pode começar a trabalhar agora.

O fabricante não assume responsabilidade por qualquer


dano causado por não seguir estas instruções.

4.10 Verificação e aperto do mancal


horizontal do pivô central;
Scorpion 8w e ScorpionKing
O mancal horizontal do pivô central é verificado durante o
primeiro serviço de garantia. Depois disso, o mancal horizon-
tal é verificado durante uma manutenção Basic e Complete

Normalmente, o mancal horizontal não precisa ser apertado


entre os trabalhos de manutenção programados.

O mancal horizontal precisa de um jogo final para que a


graxa penetre na face frontal do rolamento.

Em casos pouco claros ou se forem detectados folga grandes


nos mancais entre os quadros dianteiro e traseiro (estrutura
do motor), contate um prestador de serviços PONSSE
autorizado para obter mais instruções.

206
4 Manutenção

4.11 Ajustes de trava do eixo central e


da oscilação do chassi; Wisent e
Gazelle
Os mancais horizontais do pivô central são apertados durante
o primeiro serviço de garantia. Depois disso, os mancais
horizontais são verificados/apertados durante uma manuten-
ção programada Basic e Complete

As seguintes instruções de ajuste de trava de oscilações do


chassi e de aperto do mancal horizontal servem apenas para
os modelos Wisent e Gazelle.

4.11.1 Aperto do mancal horizontal do pivô


central, Wisent, Gazelle
1. Conduza a máquina em uma base nivelada para que
3 seu pivô central fique sem tensão. Abaixe a
cabeça/garra da colheitadeira firmemente ao chão.
2. Aplique o freio de estacionamento da máquina.
3. Certifique-se de que ninguém esteja dentro da área de
perigo da máquina.
4. Desligue o motor da máquina.
5. Abra a placa de proteção inferior do corpo da estrutura
4 frontal da máquina.
6. Abra a trava da porca de aperto do pivô central (4).
1 2 7. Use a ferramenta de aperto (2) e o braço de extensão
(1).
8. Gire a porca tão apertada de modo que não deixe
1 Braço de extensão para a
chave de aperto do eixo central nenhum jogo livre entre o quadro da frente e eixo central.
2 Ferramenta de aperto do pivô 9. Trave a porca (4) no lugar, conforme mostrado na figura.
central 10. Feche a placa de proteção inferior.
3 Porca de aperto do pivô central
4 Trava da porca de aperto
4.11.2 Ajustando a trava de oscilação do
chassi, Wisent, Gazelle

É importante encontrar o centro de gravidade correto. Se a


garra estiver no chão, o trava da oscilação do chassi pode
não ser ajustado corretamente.

1. Antes de ajustar a trava de oscilação do chassi, aperte


o mancal horizontal do pivô central seguindo as instru-
ções acima 4.11.1.

207
4 Manutenção

2. Mova a grua / carregador para uma posição em que seu


centro de gravidade esteja o mais próximo possível
do eixo central. Deixe a cabeça/garra da colheitadeira
ligeiramente acima do solo.
3. Aplique o freio de estacionamento da máquina.
4. Certifique-se de que ninguém esteja dentro da área de
perigo da máquina.
5. Desligue o motor da máquina.
6. Abra os parafusos (1) do alojamento do pino de trava
da oscilação do chassi, localizado na parte superior do
pivô central.
7. Dê partida no motor.
8. Aplique o trava de oscilação do chassi. Depois disso,
os pistões de trava de oscilação do chassi (4) são
pressurizados.
9. Empurre o pino de trava da oscilação do chassi (2) para
que ele toque a placa de engrenagem menor (3).
10. Puxe o pino de trava de oscilação do chassi (2) para
trás 5 mm em direção à caixa.
11. Aperte os parafusos da caixa (1) de modo que o pino
não se mova.
12. Seguindo as etapas acima, o trava de oscilação do
chassi estará ajustado corretamente.

3 1

4
2

1 Parafusos de fixação para o alojamento do pino de trava de oscilação


do chassi
2 Pino trava de oscilação do chassi
3 Placa de engrenagem pequena
4 Pistão de trava de oscilação do chassi

208
4 Manutenção

4.12 Conexões de pino cônico


As conexões de pino cônico devem ser apertadas durante
as primeiras horas de operação da máquina florestal de
acordo com a Tabela 1 a seguir:

Tabela 1. Reaperto / horas de operação

Horas de operação:
Após uma hora (1 h) de uso
Após quatro horas (4 hs) de uso
Após oito horas (8 h) de uso ou após um turno*
Após quarenta horas (40 hs) de uso ou após cinco turnos*

* Ao apertar as conexões de pino cônico posteriormente, as


conexões ficaram adaptadas quando não for necessário
aperto adicional para alcançar o torque de aperto necessário.
Em outras palavras, as luvas de expansão foram adaptadas
aos seus orifícios.

Quando os pinos crônicos estiverem apertados de acordo


com a tabela mencionada, verifique o torque de aperto de
acordo com o programa de manutenção programada.

Se os pinos crônicos não se adaptaram após uma semana


de uso e for necessário aperto adicional, entre em contato
com um serviço PONSSE autorizado para obter mais instru-
ções.

A lubrificação das conexões de pino cônico é importante


considerando a funcionalidade e a vida útil da conexão. A
graxa minimiza o desgaste do eixo e aumenta a capacidade
de suporte de carga da junta.

209
4 Manutenção

4.12.1 Apertando as conexões de pino cônico

4 Aperte as conexões de pino cônico durante as primeiras


horas de operação de acordo com a Tabela 1 Reaperto /
2 6 horas de operação na seção anterior.

● A máquina inclui conexões de pino cônico com um ou


5 1
mais parafusos.
3 ● Existem conexões de pino cônico que precisam ser
apertadas de um lado ou ambos os lados. Exemplo:
- A conexão de pino cônico na parte superior da grua
Figura 1: Exemplo de conexão de Scorpion é apertada nos dois lados (Figura 1).
pino cônico de vários parafusos:
Conexão de pino cônico na parte
- A conexão de pino cônico no cilindro de nvelamento
superior da base da grua, Scorpion da Scorpion é apertada em um lado (Figura 2).

Apertando uma conexão de pino cônico de vários para-


fusos:

1. Aperte os parafusos 1-6 no sentido transversal. Primeiro


aperte o parafuso 1, seguido pelo parafuso 2 etc. Veja
a Figura 1.
2. Aperte os parafusos novamente e verifique se estão
apertados com o torque necessário; veja a Tabela 2.
Verifique cada parafuso!

Apertando uma conexão de pino cônico de parafuso


único:

● Aperte o parafuso duas vezes e verifique se está aper-


tado com o torque necessário; veja a Tabela 2.
Figura 2: Exemplo de conexão de
pino cônico com parafuso único:
Conexão de pino cônico superior no 4.12.2 Torques de aperto, parafusos de aperto
cilindro de nvelamento, Scorpion para pinos cônicos
Tabela 2

Parafusos de aperto para pinos cônicos


Rosca Dureza Nm
M8 12.9 35
M12 12.9 120
M14 12.9 190
M20 10.9 490
M24 10.9 900
M27 10.9 1250
M30 10.9 1500
KM17 8.8 500

210
4 Manutenção

4.13 Sangrar os bloqueios do chassi do


tipo cilindro
Se ocorrer uma falha em uma mangueira do bloqueio do
chassi do tipo cilindro ou em outro componente, os cilindros
precisam ser sangrados após o trabalho de reparo.

Se o sangramento não for efetuado, o ar residual nos cilin-


dros danificará as vedações do cilindro.

Antes de efetuar o sangramento, entre em contato com um


serviço autorizado PONSSE para obter instruções detalhadas
sobre o sangramento.

211
4 Manutenção

4.14 Lavagem da máquina


Primeiro, remova manualmente os fragmentos maiores. Lave
apenas as superfícies que estejam sujas. Não utilize
nenhuma substância que danifique as superfícies da máquina
ao lavá-la.

Observe com atenção as seguintes instruções ao usar um


lavador de pressão ou outro lavador que produza um jato
de água/vapor poderoso:

● Não dirija o jato diretamente para dispositivos ou


conectores elétricos, módulos, varetas de medição de
nível, conectores de cabo ou juntas.
- Os conectores não impedem a água de passar para
o interior da máquina. Se passar para o interior dos
conectores, a água poderá provocar corrosão e
avarias elétricas.
● Não direcione o jato do lavador de pressão diretamente
ou muito próximo das peças do motor. Mantenha uma
distância de pelo menos 70 cm entre o bico do lavador
de pressão e das peças do motor.

Observe também ao lavar a máquina em volta de decalques


usando lavador de pressão:
● A temperatura máxima da água é 50 ºC.
● A pressão máxima é 120 bar.
● Mantenha uma distância de pelo menos 100 cm entre
o bico e o decalque.
● Dirija o jato reto ou com ângulo máximo de 45º com a
superfície do decalque.

Se a máquina tiver um sistema de extinção de incêndiocomo


equipamento opcional:
● Remova o fusível do sistema de extinção de incêndio.
(Os sensores de calor ativam à temperatura de 120 °C.)
Consulte a seção Sistema elétrico para saber a localiza-
ção exata do fusível.

Evite os dispositivos e conectores elétricos, módulos, varetas


medidoras, conectores de cabos e juntas. Não direcione o
jato do lavador de pressão diretamente ou muito próximo do
catalisador do motor.

Nunca suba na máquina ao lavar. Risco de escorregar.

212
4 Manutenção

4.15 Armazenamento da máquina

4.15.1 Medidas antes e durante o


armazenamento da máquina
● Mantenha os tanques de combustível, hidráulico e de
DEF *) o mais cheio possível para evitar a condensação.
● Evite o armazenamento sob luz solar direta.
● Lubrifique os pontos de engraxamento indicados na
seção Lubrificação do Manual do Proprietário.
- Se a máquina estiver equipada com um sistema de
lubrificação central (equipamento opcional), mante-
nha o motor em funcionamento (intensificando) para
que todos os pontos de engraxamento recebam
uma quantidade suficiente de graxa.
● Harvesters: lubrificar o cabeçote do harvester.
- Consulte a seção Pontos de engraxamento do
Manual do Proprietário do cabeçote do harvester.
● Proteja a extremidade do tubo de descarga contra a
sujeira, chuva e neve.
● Se a máquina NÃO possuir um dispositivo anti-roubo
ou um sistema de extinção de incêndios, desconecte
os polos da bateria.
● Máquinas ActiveFrame: Se a máquina for armazenada
por um período mais longo, trave o chassi frontal supe-
rior no chassi frontal inferior. Consulte o capítulo Rebo-
que na seção Operação e Deslocamento.

*) DEF (Fluido do Escapamento a Diesel) é um nome comum para aditivos usados em sistemas SCR. Por exemplo,
AdBlue® (marca registrada da VDA) é um aditivo DEF geralmente disponível.

4.15.2 Medidas uma vez por mês


● Conduza a máquina um certa distância para lubrificar
de maneira suficiente a transmissão mecânica e recar-
regar as baterias.
● Use todas as funções da máquina, por exemplo, a grua
e o cabeçote do harvester.
● Se a máquina possuir o Opti PC, ligue o computador
para remover a umidade do interior do compartimento
do computador.
● Faça uma inspeção visual da máquina para ver se há
algum vazamento.

213
4 Manutenção

● Teste se o aquecedor, ar condicionado e aquecedor


adicional operado por combustível estão funcionando.

Durante o armazenamento, preste atenção à mudança das


condições climáticas. Por exemplo, verifique a resistência
do combustível em relação ao congelamento.

214
4 Manutenção

4.16 Torques de aperto

4.16.1 Torques de aperto para parafusos de aço em máquinas florestais


PONSSE
Os valores nesta tabela se aplicam quando for usado um torquímetro. Ao usar um torquímetro
automático, o torque é de aproximadamente 0,93 x o valor definido na tabela.

Observe que materiais de revestimento do parafuso diferentes podem influenciar o torque


de aperto, que nesses casos poderá ser diferente dos valores apresentados na tabela.

Máquina básica Rosca Dureza Nm


Arruela trava de oscilação do chassi M16 12.9 325
Pino trava de oscilação do chassi M20 8.8 430
Placa deslizante para a trava de oscilação do chassi M16 10.9 325
Jogo de pistão para a trava de oscilação do chassi M10 12.9 80
Pivô central, mancal M20 10.9 550
M22 10.9 650
Pino vertical do pivô central (superior) M24 10.9 800
Parafusos alça em "U" M20 10.9 500
M20 D 10.9 300
Parafusos prisioneiros do Truque dianteiro/Eixo dianteiro/Tru- M22 10.9 650
que traseiro:
M24 10.9 800
M27 10.9 1200
Parafusos prisioneiros verticais do Truque dianteiro/Eixo M24 10.9 840
dianteiro/Truque traseiro:
M27 10.9 1250
M30 10.9 1700
Placa protetora do peito-de-aço do truque/eixo M20 12.9 550
Extensão do quadro traseiro Gazelle, Wisent M22 10.9 700
Buffalo, Elephant, Elk M24 12.9 900

215
4 Manutenção

Máquina básica Rosca Dureza Nm


Pneus M22 550*)
Prendedores M20 8.8 430
Parafusos de aperto para pinos cônicos M8 12.9 35
M12 12.9 120
M14 12.9 190
M20 10.9 490
M24 10.9 900
M27 10.9 1250
M30 10.9 1500
KM17 8.8 500

Transmissão Rosca Dureza Nm


Parafusos de fixação do motor da unidade M20 12.9 550
Braçadeiras do motor M16 8.8 200
Suportes da caixa de distribuição M14 10.9 250
M16 10.9 300
Interruptor da bomba M10 12.9 80
Flange de fixação da bomba M10 12.9 80
Válvulas hidráulicas M5 10.9 8
Mangueira da água do radiador M8 8.8 24
Mangueiras de sucção M6 8.8 10

*) Piche como lubrificante, D = Revestimento Dacromet

Eixo adicional 10w, Buffalo,Elk Rosca Dureza Nm


Ligação dos hubs ao eixo adicional M20 12.9 550
M24 10.9 800
Ligação do quadro traseiro à sua extensão M24 12.9 900
Fixação do truque Parafusos prisioneiros verticais, 4 pçs: M27 10.9 1250
Parafusos prisioneiros horizontais, 2 M27 10.9 1200
pçs:
M24 10.9 800
M27/M24 10.9 800
Parafusos de bloqueio do pino do cilindro M12 10.9 125
M16 10.9 310
Pneus 550

Eixo adicional 10w, Wisent Rosca Dureza Nm


Ligação do eixo adicional à extensão do quadro traseiro M20 12.9 550

216
4 Manutenção

Eixo adicional 10w, Wisent Rosca Dureza Nm


Ligação dos hubs ao eixo adicional M20 12.9 550
Ligação do quadro traseiro à sua extensão M22 10.9 700
Parafusos da placa de fixação abaixo do truque traseiro. M20 12.9 550
Fixação do truque M24 10.9 800
Pneus 550

Grua/Carregador Rosca Dureza Nm


Parafusos de fixação do anel de giro da grua do harvester M20 10.9 560
M20 12.9 610
Base do carregador do chassi M24 10.9 900
Tubos de giro (K90, K120) M12 12.9 130
Tubos de giro (K70) M16 12.9 325
Fixador do cilindro da coluna (C2,C4) M16 12.9 325
Fixação da ponta da lança M16 12.9 325
Fixação do motor de giro à base M16 12.9 325
Fixação do mecanismo de giro à base M20 12.9 610
Parafusos de aperto para pinos cônicos M8 12.9 35
M12 12.9 120
M24 12.9 900
M27 10.9 1250

Cabeçote do harvester Rosca Dureza Nm


Fixação do rotor M16 12.9 300
Aperto dos roletes de alimentação H5, H6, H7, H8 (MCR05) M14x1,25 12.9 140
Aperto dos roletes de alimentação H10 (MCR10) M18x1,5 12.9 300
Fixação do motor de alimentação H5 M12 12.9 150
Fixação do motor de alimentação H6, H7, H7euca, H8, H10 M16 12.9 250
Aperto do chassi de inclinação H6 KM9 8.8 100
Aperto do chassi de inclinação H7, H7euca, H8 M30x1,5 12.9 250*)
Aperto do chassi de inclinação H10 KM13 8.8 150

*) Devem ser apertados até o torque listado, e então soltos


para que o chassi de inclinação possa se mover.

217
4 Manutenção

4.16.2 Conexões de pino cônico

As conexões de pino cônico devem ser apertadas durante


as primeiras horas de operação da máquina florestal de
acordo com a Tabela 1 a seguir:

Tabela 1. Reaperto / horas de operação

Horas de operação:
Após uma hora (1 h) de uso
Após quatro horas (4 h) de uso
Após oito horas (8 h) de uso ou após um turno*
Após quarenta horas (40 h) de uso ou após cinco turnos*

* Ao apertar as conexões de pino cônico posteriormente, as


conexões ficam adaptadas quando não for necessário aperto
adicional para alcançar o torque de aperto necessário. Em
outras palavras, as luvas de expansão adaptaram-se aos
seus orifícios.

Quando os pinos crônicos estiverem apertados de acordo


com a tabela mencionada, verifique o torque de aperto de
acordo com o programa de manutenção programada.

Se os pinos crônicos não se adaptaram após uma semana


de uso e for necessário aperto adicional, entre em contato
com um serviço PONSSE autorizado para obter mais instru-
ções.

A lubrificação das conexões de pino cônico é importante


considerando a funcionalidade e a vida útil da conexão. A
graxa minimiza o desgaste do eixo e aumenta a capacidade
de suporte de carga da junta.

218
4 Manutenção

4.16.2.1 Apertando as conexões de pino cônico

4 Aperte as conexões de pino cônico durante as primeiras


horas de operação de acordo com a Tabela 1 Reaperto /
2 6 horas de operação na seção anterior.

● A máquina inclui conexões de pino cônico com um ou


5 1
mais parafusos.
3 ● Existem conexões de pino cônico que precisam ser
apertadas de um lado ou ambos os lados. Exemplo:
- A conexão de pino cônico na parte superior da grua
Figura 1. Exemplo de conexão de Scorpion é apertada nos dois lados (Figura 1).
pino cônico de vários parafusos:
Conexão de pino cônico na parte
- A conexão de pino cônico no cilindro de nivela-
superior da base da grua, Scorpion mento da Scorpion é apertada em um lado (Figura
2).

Apertando uma conexão de pino cônico de vários para-


fusos:

1. Aperte os parafusos 1-6 no sentido transversal. Primeiro


aperte o parafuso 1, seguido pelo parafuso 2 etc. Veja
a Figura 1.
2. Aperte os parafusos novamente e verifique se estão
apertados com o torque necessário; veja a Tabela 2.
Verifique cada parafuso!

Apertando uma conexão de pino cônico de parafuso


único:

● Aperte o parafuso duas vezes e verifique se está aper-


tado com o torque necessário; veja a Tabela 2.
Figura 2. Exemplo de conexão de
pino cônico de um parafuso: Cone-
xão de pino cônico superior no
cilindro de nivelamento, Scorpion

219
4 Manutenção

4.16.2.2 Apertando parafusos para conexões de pinos


cônicos, apertando torques

Tabela 2

Apertando parafusos para conexões de pinos cônicos


Rosca Dureza Nm
M8 12.9 35
M12 12.9 120
M14 12.9 190
M20 10.9 490
M24 10.9 900
M27 10.9 1250
M30 10.9 1500
KM17 8.8 500

220
4 Manutenção

4.16.3 Tabela geral de torques de aperto

Os valores nesta tabela são válidos para juntas de parafusos


de aço ao carbono seco não tratado quando é usado um
torquímetro, uma máquina de percussão ou uma barra de
torção. Os valores não são válidos se o parafuso for revestido
ou estiver oleado. Se você não tem certeza a respeito de
um torque de aperto, sempre verifique o valor correto com
um serviço PONSSE autorizado.

As classes de resistência para parafusos estão conforme


SS-ISO 898-1.

Rosca Classes de força


M 8.8 10.9 12.9
Nm Nm Nm
4 2,9 4 4,9
6 9,8 14 17
8 24 33 40
10 47 65 79
12 81 114 136
14 128 181 217
16 197 277 333
18 275 386 463
20 385 541 649
22 518 728 874
24 665 935 1120
27 961 1350 1620
30 1310 1840 2210
33 1770 2480 2980
36 2280 3210 3850
39 2930 4120 4940
42 3640 5110 6140
45 4510 6340 7610
48 5450 7660 9190
52 6990 9830 11800
56 8710 12200 14700

221
5
Engraxamento

Índice analítico Parte 5


5.1 Lubrificação manual .......................................................... 225
5.1.1 Geral ................................................................. 225
5.1.2 Lubrificando o pivô do truque ............................... 226
5.1.3 Pistola de graxa manual (equipamento opci-
onal) .................................................................. 227
5.2 Sistema de lubrificação progressiva de dois canais (equipa-
mento opcional) ................................................................ 229
5.2.1 Geral ................................................................. 229
5.2.2 Usando o painel de teclas (sistema de lubrificação
progressiva de dois canais) ................................. 230
5.2.2.1 Luzes indicadoras ............................................... 230
5.2.2.2 Inicialização da função ........................................ 231
5.2.2.3 Funções de definição .......................................... 231
5.2.2.3.1 Definição do período de lubrificação .................... 232
5.2.2.3.2 Definindo o tempo máximo de pressurização ........ 233
5.2.2.3.3 Definindo o número de pulsos ............................. 234
5.2.3 Estrutura da bomba de lubrificação central ........... 235
5.2.4 Especificações técnicas da bomba de lubrifi-
cação ................................................................. 235
5.2.5 Abastecimento do tanque de lubrificação ............. 236
5.2.6 Limpeza do filtro do conector de reabastecimento
da bomba de lubrificação .................................... 237
5.2.7 Sangria da bomba de lubrificação ........................ 239
5.2.8 Solução de problemas ........................................ 240
5.3 Pontos de engraxamento .................................................. 245
5.3.1 Pontos de engraxamento .................................... 245
5.3.2 Lubrificação manual ............................................ 247
5.3.3 Lubrificação dos componentes no eixo adicional
de 10w ............................................................... 248
5.4 Pontos de engraxamento, prendedor do clame (opci-
onal) ................................................................................ 249
5.5 Condições de qualidade para graxas lubrificantes ............... 250
5.5.1 Requisito de viscosidade ..................................... 250
5.5.2 Lubrificação manual ............................................ 250
5.5.3 Sistema de lubrificação central ............................ 250
5.5.3.1 Gradação NLGI de graxas usadas em sistemas de
lubrificação central .............................................. 251
5 Engraxamento

5.1 Lubrificação manual

5.1.1 Geral
Juntas, rolamentos, pinos e outras peças de desgaste
requerem lubrificação adequada. A lubrificação regular com
graxa realizada corretamente aumenta a durabilidade das
peças. A lubrificação com graxa protege as peças de des-
gaste, impedindo-as de serem danificadas.

O engraxamento manual deve ser realizado em intervalos


suficientes utilizando graxas específicas.

Antes da lubrificação, movimente a máquina em terreno


plano e desligue o motor. Certifique-se de que a máquina
não possa começar a se mover.

Para recomendações de lubrificação com graxa, consulte a


Seção 5.5 Condições de qualidade para graxas lubrificantes.

Para pontos de engraxamento, consulte a Seção 5.3 Pontos


de engraxamento.

225
5 Engraxamento

5.1.2 Lubrificando o pivô do truque

Antes de iniciar a lubrificação das vedações dos mancais do


pivô do truque: Dirija a máquina para uma superfície nivelada
e lisa, desligue o motor e certifique-se de que ela não se
pode mover.

2
1 Graxeira
2 Parafuso

1. Limpe cuidadosamente toda a sujeira ao redor das


engraxadeiras (1) e apafuse (2) os bujões de proteção.
2. Remova os 4 bujões de proteção do pivô.
3. Abra somente um dos dois parafusos (2). Veja a figura.
4. Injete graxa com uma pistola em ambas as engraxadei-
ras (1) até começar a sair graxa pelo canal de trans-
bordo do parafuso aberto (2).
5. Aperte o parafuso aberto (2).
6. Abra o parafuso (2) no outro lado do mancal do pivô e
repita as etapas 3 a 5.
7. Instale os bujões de proteção nas engraxadeiras (1) e
parafusos (2).

Não esqueça de lubrificar as duas vedações dos mancais


do pivô nos dois lados do eixo do truque.

226
5 Engraxamento

5.1.3 Pistola de graxa manual (equipamento


opcional)
O dispositivo de engraxe manual é indicado para cartuchos
padrão de 400 ml para bombeamento para unidades de
lubrificação.

10 1

9
7
2

3
6

8
11 4
5

1. Puxe o cabo da pistola de graxa até o pistão sair se


encaixar em sua trava.
2. Remova o cilindro da pistola de graxa. Gire-o no sentido
anti-horário.
3. Solte a cabeça do pistão do topo do cartucho.
4. Empurre o cartucho para dentro do cilindro com o topo
primeiro (lado de 400 ml).
5. Retire a tampa do cartucho.
6. Prenda o cilindro da pistola de graxa em seu lugar. Gire-
o no sentido horário.
7. Pressione o mecanismo da trava para liberar o pistão.
8. Remova qualquer excesso de ar empurrando o conector
de sangria.

Ao usar pela primeira vez, remova o acoplamento de libera-


ção rápida (9) e bombeie até a graxa sair pela mangueira
(sangria da mangueira). Recoloque o coplamento de libera-
ção rápida depois de fazer a sangria da mangueira.

9. Conecte o acoplamento de engate rápido ao ponto de


engraxe.
10. Comece a bombear usando o cabo.
11. Abra ligeiramente a válvula de liberação de pressão ao
parar de bombear e desconecte o acoplamento de

227
5 Engraxamento

engate rápido. Ele não deve ser desconectado se houver


muita pressão na mangueira.

Se não houver pressão ao bombear, certifique-se de que o


dispositivo não contenha bolhas de ar. Para remover um
bolhas de ar, empurre o conector de sangria (8) repetida-
mente enquanto bombeia.

228
5 Engraxamento

5.2 Sistema de lubrificação


progressiva de dois canais
(equipamento opcional)

5.2.1 Geral
Um sistema de lubrificação central automático está disponível
para máquinas florestais PONSSE como equipamento opci-
onal. O sistema de lubrificação central produz um resultado
de lubrificação ideal, minimizando a carga sobre o meio
ambiente.

O sistema consiste em:

● uma unidade de bomba,


● uma interface de usuário (painel de teclas),
● dois canais de lubrificação,
● um distribuidor e sub-distribuidores principais progressi-
vos,
● um sensor de monitoração para o número de impulsos
de lubrificação, e
● uma tubulação de lubrificação.
Localização da unidade da bomba O sistema é controlado por uma placa de controle que inicia
no compartimento do pára-choque
o processo de bombeamento em intervalos predefinidos.

A unidade de controle indica um erro se o número de impul-


sos definidos não podem ser alcançados dentro do tempo
de pressurização definido ou o nível de lubrificante é reduzido
até o limite inferior. O alarme é restaurado, desligando a
bomba. Se a causa do alarme não for eliminada, o alarme
será repetido quando a bomba for ligada novamente.

O processo de bombeamento de lubrificante será interrom-


pido se o nível de lubrificante for reduzido para o limite de
alarme durante o bombeamento. O alarme é desativado por
meio do enchimento do tanque e da redefinição do alarme.

A operação sem falhas do sistema requer que o sistema seja


monitorado regularmente, por exemplo, verificação da tubu-
lação.

A unidade da bomba é alimentada por eletricidade. A


potência de funcionamento deve ser desligada durante a
manutenção da bomba ou do sistema.

229
5 Engraxamento

● Para recomendações de lubrificação com graxa, con-


sulte a Seção 5.5 Condições de qualidade para graxas
lubrificantes.
● Para pontos de engraxamento, consulte a Seção 5.3
Pontos de engraxamento.

5.2.2 Usando o painel de teclas (sistema de


lubrificação progressiva de dois canais)
O sistema de lubrificação possui dois canais de lubrificação.

O canal de lubrificação da máquina base está no canal


1
P 1 da tecla do painel, enquanto que o canal de lubrificação
2 da grua/carregador está no canal 2 da tecla do painel.
4 As definições dos canais de lubrificação são inseridas usando
o painel de teclas localizado na cabine. O painel de teclas
é utilizado no sistema de dois canais para monitorar e con-
trolar os dois canais de lubrificação.
1 = Luz indicadora do canal de
lubrificação da máquina base O painel de tecla possui três luzes indicadoras 1, 2 e P e o
2 = Luz indicadora da grua / canal botão SET. Uma das luzes indicadoras sempre fica acesa
de lubrificação do carregador quando a bomba de lubrificação é ligada.
P = Luz indicadora geral
4 = Botão DEFINIR
5.2.2.1 Luzes indicadoras

Para selecionar o canal, pressione brevemente o botão SET.

A luz indicadora 1 está ligada. O canal 1 é selecionado


na tela.
A luz indicadora 2 está ligada. O canal 2 é selecionado
na tela.

Em caso de alarme, o canal de alerta é exibido automatica-


mente.

Status Significado
A luz 1 está acesa O canal 1 é exibido. Intervalo de lubrifi-
cação no canal 1
A luz 2 está acesa O canal 2 é exibido. Intervalo de lubrifi-
cação no canal 2
As luzes 1 e P O canal 1 é exibido. Pressurização no
estão ligadas canal 1

230
5 Engraxamento

Status Significado
As luzes 2 e P O canal 2 é exibido. Pressurização no
estão ligadas canal 2
A luz 1 está pis- O canal 1 é exibido. Alarme de pulso
cando no canal 1
A luz 2 está pis- O canal 2 é exibido. Alarme de pulso
cando no canal 2
A luz 1 está ligada O canal 1 é exibido. Alarme de limite
e P está piscando mínimo do tanque
A luz 2 está ligada O canal 2 é exibido. Alarme de limite
e P está piscando mínimo do tanque
Todas as luzes Temporizador sem tensão ou outra
estão desligadas falha elétrica

5.2.2.2 Inicialização da função

Dependendo do status do programa de lubrificação, o botão


SET inicia funções diferentes:

Status do programa Medida


de lubrificação
Intervalo de lubrifica- Lubrificação adicional
ção
Pressurização Cancelar pressurização
Alarme Confirmação do alarme

A função é sempre aplicada ao canal selecionado na tela.


A função é ativada quando o botão é pressionado até que
as três luzes indicadoras estejam ligadas (aprox. 2 segun-
dos).

5.2.2.3 Funções de definição

A definição é sempre aplicada ao canal selecionado na tela.


O botão pode ser usado para definir o intervalo de lubrifica-
ção, o tempo máximo de pressurização e o número de pul-
sos.

Para sair do modo de definição sem salvar as definições,


desligue a bomba por alguns minutos.

Se o botão for deixado no modo de definição, o modo será


encerrado automaticamente em 3 minutos, sem salvar os
novos valores.

231
5 Engraxamento

5.2.2.3.1 Definição do período de lubrificação

1. Selecione o canal a ser definido.


2. Pressione o botão durante 5 segundos até a luz 1
começar a piscar rapidamente.

O número de vezes que a luz P pisca indica o valor atual do


período de lubrificação de acordo com a tabela a seguir.

- A luz P pisca 1–10 vezes. Ela é seguida por um intervalo


de 2 segundos, após isso a luz P piscará 1–10 vezes.

3. Aumente o valor da definição na tabela pressionando


brevemente o botão. Após o valor mais elevado ter sido
atingido, o valor começa de novo a partir do início da
tabela.
4. Salve o novo valor de definição pressionando o botão
durante 5 segundos até as três luzes indicadoras esta-
rem acesas. Você também sairá do modo de definição.

Valores do período de lubrificação


Piscadas Período de Piscadas Período de
lubrificação lubrificação
(mín) (mín)
1 5 6 45
2 10 7 60
3 15 8 80
4 20 9 100
5 30 10 120

232
5 Engraxamento

5.2.2.3.2 Definindo o tempo máximo de pressurização

1. Selecione o canal a ser definido.


2. No modo normal, pressione o botão durante 10 segun-
dos até que a luz 2 comece a piscar rapidamente.

O número de vezes que a luz P pisca indica o valor atual do


tempo de pressurização de acordo com a tabela a seguir.

3. Aumente o valor da definição na tabela pressionando


brevemente o botão. Após o valor mais elevado ter sido
atingido, o valor começa de novo do início da tabela.
4. Salve o novo valor de definição pressionando o botão
durante 5 segundos até as três luzes indicadoras esta-
rem acesas. Você também sairá do modo de definição.

Tempo máximo de pressurização, valores


Piscadas Tempo Piscadas Tempo
máximo de máximo de
pressuriza- pressuriza-
ção (mín) ção (mín)
1 0 6 5
2 1 7 6
3 2 8 7
4 3 9 8
5 4 10 9

Se o tempo máximo de pressurização estiver definido para


zero, o canal será fechado e nenhuma lubrificação será
realizada.

233
5 Engraxamento

5.2.2.3.3 Definindo o número de pulsos

1. Selecione o canal a ser definido.


2. No modo normal, pressione o botão durante 15 segun-
dos até as luzes 1 e 2 começarem a piscar rápido.

Agora você está no modo de definição do tempo máximo de


pressurização para o número de pulsos. O número de vezes
que a luz P pisca indica o número de pulsos atual de acordo
com a tabela a seguir.

3. Aumente o valor da definição na tabela pressionando


brevemente o botão. Após o valor mais elevado ter sido
atingido, o valor começa de novo do início da tabela.
4. Salve o novo valor de definição pressionando o botão
durante 5 segundos até as três luzes indicadoras esta-
rem acesas. Você também sairá do modo de definição.

Número de pulsos, valores


Piscadas Número de Piscadas Número de
pulsos pulsos
1 0 6 5
2 1 7 6
3 2 8 7
4 3 9 8
5 4 10 9

Se o número de pulsos estiver definido para zero, o tempo


máximo de pressurização definido será sempre bombeado.

234
5 Engraxamento

5.2.3 Estrutura da bomba de lubrificação


central
Partes da bomba de lubrificação
central 19
1 Parte do quadro
2 Tanque de lubrificação
3 Elemento da bomba
4 Motor elétrico
5 Válvula da linha
10
6 Válvula de alívio 2
7 Elemento de aquecimento
8 Cartão de controle 11
9 Canal específico de entrada do 16
sensor de pulso (não usado no 15
sistema progressivo)
10 Pistão do tanque de lubrificação 6
11 Detector de nível 12
12 Interruptor de limite inferior 3
13 Conector de reabastecimento
18
13
14 Filtro do conector de reabaste- 14
7
cimento
15 Válvula redutora de pressão 5 1
(5–6 bar)
16 Base de montagem 4
17 Cabo de 7 polos (fonte de ali- 8
mentação para a bomba e a
conexão com a interface de
usuário) 17 9
18 Parafuso de sangria
19 Mola do pistão do tanque de
lubrificação (0,2–0,6 bar)

5.2.4 Especificações técnicas da bomba de


lubrificação
Características
Tamanho do tanque 4 litros, pré-pressurizado com uma
mola de 0,2 - 0,6 bar
Fonte de alimentação 24 V, consumo de energia 2 A
Pressão máxima 210 – 220 bar
Capacidade de bombea- 55 vezes/min = 13 g/min
mento
Temperatura de opera- -30...+70°C (-22...+158 °F)
ção
Lubrificante usado NLGI 0 – NLGI 2
Conexão da linha de R 1/4"
lubrificação

235
5 Engraxamento

5.2.5 Abastecimento do tanque de


lubrificação
Abastecimento
A Ciclo de trabalho B
B Alívio de pressão na posição
superior
13 Conector de reabastecimento
do tanque
14 Filtro do conector de reabaste-
cimento
A

14
13

Certifique-se de que o ambiente da unidade da bomba esteja


limpo. Qualquer impureza no sistema irá impedir o funciona-
mento sem falhas e pode causar danos ao entrar no local
de lubrificação.

Se ocorrerem problemas ao encher o tanque, é provável que


as impurezas no lubrificante tenham bloqueado o filtro do
conector de reabastecimento, consulte a Seção 5.2.6.

1. Coloque a tampa no recipiente usando os parafusos


embalados.
2. Prenda a bomba do recipiente na tampa.
3. Prenda a mangueira de enchimento na bomba de
enchimento.
4. Certifique-se de que a válvula de descompressão da
bomba esteja fechada.
5. Remova todo o ar da mangueira de enchimento, bom-
beando graxa na mangueira usando uma bomba (o
acoplamento de liberação rápida precisa ser aberto,
pressionando-o com uma chave de fenda).
6. Conecte o acoplamento de liberação rápida ao conector
de reabastecimento da unidade da bomba (13).

236
5 Engraxamento

7. Encha o tanque, bombeando lentamente, de modo que


nenhum ar possa entrar no tanque. Nota: Quando o
tanque de reabastecimento estiver esvaziando, NÃO
BOMBEIE ar para dentro do sistema!
8. Pare de bombear assim que a válvula de segurança de
enchimento (15) abrir.
9. Desconecte o acoplamento de liberação rápida do
conector de reabastecimento da unidade da bomba (13).
10. Recoloque o bujão de proteção no conector de reabas-
tecimento da unidade da bomba.
11. Recoloque o bujão de proteção no acoplamento de
liberação rápida da unidade de enchimento.

5.2.6 Limpeza do filtro do conector de


reabastecimento da bomba de
lubrificação
O filtro no conector de reabastecimento impede a entrada
de impurezas na bomba.

Limpe o filtro regularmente e o substitua quando necessário.

14

13

13 Conector de reabastecimento
14 Filtro

1. Retire o conector de reabastecimento (13).


2. Remova o filtro (14) do conector de reabastecimento.
3. Limpe o filtro usando ar comprimido.
4. Prenda novamente o filtro no conector de reabasteci-
mento e reinstale o conector de reabastecimento no
lugar.

237
5 Engraxamento

O tanque de lubrificação deve estar vazio antes de limpar o


filtro.

Use óculos de proteção durante a limpeza do filtro com ar


comprimido. Não direcione e sopre ar comprimido em outras
pessoas.

238
5 Engraxamento

5.2.7 Sangria da bomba de lubrificação


Qualquer ar no interior da bomba faz com que a pressão do
lubrificante no quadro da tubulação do sistema não possa
subir o suficiente. A unidade da bomba deve ser sangrada
se o ar tiver acessado o lubrificante, por exemplo, durante
o reabastecimento.

1. Desconecte a(s) conexão(s) da linha do quadro.


18 2. Inicie a unidade da bomba.
3. Solte o parafuso de sangramento o elemento da bomba
(18).
4. Bombeie até que apenas lubrificante (sem ar) saia do
parafuso de sangramento.
5. Feche o parafuso de sangramento.
6. Reconecte a(s) conexão(s) da linha do quadro.
Parafuso de sangramento

239
5 Engraxamento

5.2.8 Solução de problemas


Qualquer falha de lubrificação em áreas críticas deve ser
reparada imediatamente. Lubrificação insuficiente pode
danificar rapidamente a área lubrificada.

Se a mangueira conduzida ao ponto de engraxamento estiver


danificada, ela não deve ser obstruída. Se a mangueira for
obstruída, o distribuidor para de operar e nenhum ponto de
engraxamento sob o distribuidor será lubrificado.

Se necessário, entre em contato com um serviço autorizado


PONSSE.

Tabela 1

Descrição de um Causa do defeito Medida de


defeito reparo
As luzes indicado- A unidade da bomba Verifique a tensão
ras no painel de não tem nenhuma de alimentação.
teclas não estão tensão de alimenta-
ligadas. ção.

Antes de investigar os defeitos a seguir, desconecte o cabo


de controle da bomba e despressurize a tubulação.

Componentes ou lubrificante podem voar pelo ar e causar


danos a pessoas ou ao meio ambiente se o sistema estiver
pressurizado durante a remoção ou abertura de componen-
tes.

240
5 Engraxamento

Tabela 2. Os alertas da unidade de controle:

Descrição de um defeito Causa do defeito Medida de reparo


Vazamento na tubulação do Identifique e repare os danos.
quadro.
Ar na bomba ou na tubulação Sangre a unidade da bomba
do quadro. ou a tubulação do quadro.
A luz 1 está piscando e o Restaure o alarme.
canal 1 na tela: O alarme de Lubrificante incorreto. Verifique a adequação do
pulso no canal 1 OU a luz 2 lubrificante com o fabricante
está piscando e o canal 2 na do dispositivo.
tela: Alarme de pulso no canal Distribuidor emperrado. Identifique o distribuidor e tro-
2 que-o.
Sensor de pulso danificado. Troque o sensor de pulso.
Cabo do sensor de pulso dani- Repare ou troque o cabo.
ficado.
Defeito no centro da bomba.
A luz 1 está ligada e a luz P O lubrificante terminou. Encha o tanque de lubrifica-
está piscando e o canal 1 na ção Restaure o alarme.
tela: Alarme de limite mínimo
do tanque OU a luz 2 está
ligada e a luz P está piscando,
e o canal 2 na tela: Alarme de
limite mínimo do tanque

Tabela 3. A área de lubrificação fica com pouco ou nenhum lubrificante:

Descrição de um defeito Causa do defeito Medida de reparo


O período de lubrificação do Ajuste e reduza o período de
A rotação do rolamento pro-
canal é muito longo ou o lubrificação ou o número de
voca um som, vibração ou
número de pulsos muito pulsos maior.
aumento da temperatura.
baixo.
A área de lubrificação está Limpe a área de lubrificação.
entupida.
O distribuidor não funciona. Tubo ou mangueira de lubrifi- Limpe ou substitua o tubo ou
cação entupidos. a mangueira de lubrificação.
Distribuidor danificado. Troque o dosador.
A tubulação de lubrificação Verifique e repare a tubulação
está danificada entre o distri- de lubrificação danificada. Não
buidor e a área de lubrifica- tampe uma tubulação de
Vazamento de graxa na área
ção. lubrificação com vazamento,
da tubulação de lubrificação.
pois isso pode impedir o funci-
onamento de todo o sistema.
Veja a seção anterior.

241
5 Engraxamento

Tabela 4. A área de lubrificação fica com muito lubrificante:

Descrição de um defeito Causa do defeito Medida de reparo


Uma quantidade significativa O período de lubrificação do Ajuste e aumente o período de
de graxa vazou na área de canal é muito curto ou o lubrificação ou reduza o
lubrificação. A temperatura do número de pulsos muito alto. número de pulsos.
rolamento aumentou.

242
5 Engraxamento

Solução de problemas na linha progressiva de graxa:

O distribuidor principal da linha de


gruas Scorpion na imagem de
exemplo
1 Distribuidor principal
2 LED do sensor (acesa quando
o pistão não é detectado)
3 Graxa da bomba
4 Para o subdistribuidor da grua
5 Para o subdistribuidor da base
(superior)
6 Para o subdistribuidor da base
(inferior)

1. Ligue a alimentação forçada na linha com defeito


(máquina base 1 e grua/carregador 2).
No paine de teclas, pressione SET um pouco mais, após
que. 2 e P estão ativos = pressurização.
Garanta o funcionamento correto do distribuidor principal
do sensor indutivo. O LED do sensor indutivo deve
começar a piscar de maneira estável a cada 2–10
segundos e cliques podem ser ouvidos do distribuidor
assim que os pistões se movimentarem.
2. Se o engraxamentoo não funcionar mesmo se a linha
estiver pressurizada. Verifique se a graxa é fornecida
para o distribuidor principal soltando a mangueira (3)
conduzida da bomba à extremidade do distribuidor.
3. Solte as mangueiras (4,5,6) conduzidas do distribuidor
principal para subdistribuidores, uma de cada vez. Nota:
Ao soltar uma linha à qual nenhuma graxa é fornecida,
o distribuidor inicia o funcionamento e os pulsos são
indicados pelos LEDs do sensor (2).
4. Em seguida, solte a mangueira conduzida do distribuidor
pricipal à extremidade do subdistribuidor para garantir
que a graxa seja fornecida para o subdistribuidor.
5. Solte as mangueiras conduzidas dos subdistribuidores
para os pontos de engraxamento, uma de cada vez.
Nota: Ao soltar a linha à qual nenhuma veselina é forne-
cida, o distribuidor começa a funcionar.

243
5 Engraxamento

Se os pistões do distribuidor precisarem ser removidos /


limpos, não mude suas posições no distribuidor!

Se graxa for fornecida para o subdistribuidor, todas as saídas


estiverem removidas e o distribuidor não funcionar, teste o
funcionamento do subdistribuidor usando uma prensa
de graxa comum. Nesse caso, use graxa de lubrificação
central comum, não a graxa usada em pinos!

244
5 Engraxamento

5.3 Pontos de engraxamento


Em máquinas equipadas com sistema de lubrificação central (equipamento opcional), os
pontos de engraxamento marcados com *) é feita automaticamente pelo sistema. Em
máquinas que requerem lubrificação manual, os pontos de engraxamento marcados com **)
estão localizados no bloco de engraxamento e os pontos de engraxamento são graxeiras
individuais.

5.3.1 Pontos de engraxamento

15 16

3 2
8 10 14
13
3 4
1

5
..

9 11 12 7 1 4 5 2 7

No. Item Graxei- Intervalo para


ras engraxar (h)
(pçs) 50 300 1000
1 Mancais da junta de cilindros do bloqueio de oscilação 4 ●
do chassi (superior/inferior)
2 *) **) Mancais de apoio do eixo cardã 2 ***) ●
3 * ** Mancal horizontal do pivô central
) )
6 ***)

4* )
Mancal vertical do pivô central (pino superior/inferior) 2 ●
5 *) Mancais da junta do cilindro de direção 4 ●
7 Mancal de articulação do truque dianteiro e traseiro 8 ***)

8 Dobradiças de porta e janela 4 ●
9 Graxeiras de degraus 5 ●
10 Sit Right base (equipamento opcional) ●
Lâmina do buldôzer (equipamento opcional):
11 Mancais da junta do cilindro da lâmina do buldôzer 4 ●
12 Mancais deslizantes da lâmina do buldôzer 2 ●
Levantamento hidráulico, eixo adicional de 10w (equipamento opcional, )

245
5 Engraxamento

No. Item Graxei- Intervalo para


ras engraxar (h)
(pçs) 50 300 1000
13 Vedação principal do braço 1 ●
14 Mancais da junta do cilindro 1 ●
Inclinação da base (equipamento opcional)
15 *) Base do carregador 1 ●
16 Cilindro de inclinação da base 4 ●

*) Em máquinas equipadas com sistema de lubrificação central automático, a lubrificação


dessas graxeiras é feita pelo sistema.

**) Em máquinas que requerem engraxamento manual, os bicos desses pontos de engraxa-
mento estão localizados no bloco de engraxamento.

***) Mancal do rolete, não use graxa contendo sulfeto de molibdênio (consulte a
Seção 5.5 Requisitos de qualidade para lubrificantes).

As juntas universais do eixo cardã são auto-lubrificadas.

Para saber sobre a aplicação de graxa na grua ou no cabeçote do harvester, consulte o


Manual do Proprietário da grua e do cabeçote do harvester.

246
5 Engraxamento

5.3.2 Lubrificação manual

No. Item Graxei- Intervalo para


ras engraxar (h)
(pçs) 50 300 1000
2 *) **) Mancais de apoio do eixo cardã 2 ●
3 *) **) Mancal horizontal do pivô central (mancal principal) 6 ***) ●

*) Em máquinas equipadas com sistema de lubrificação central automático, a lubrificação


dessas graxeiras é feita pelo sistema.

**) Em máquinas que requerem engraxamento manual, os bicos desses pontos de engraxa-
mento estão localizados no bloco de engraxamento.

***) Mancal do rolete, não use graxa contendo sulfeto de molibdênio (consulte a
Seção 5.5 Requisitos de qualidade para lubrificantes).

247
5 Engraxamento

5.3.3 Lubrificação dos componentes no eixo


adicional de 10w

No. Item Graxei- Intervalo para


ras engraxar (h)
(pçs) 50 300 1000
13 Vedação principal do braço 1 ●
14 Mancais da junta do cilindro 1 ●

248
5 Engraxamento

5.4 Pontos de engraxamento, prendedor do clame (opcional)

2 2
3
1
Prendedor do clame Burger Prendedor do clame Ponsse (Elk, Buffalo)

Nº Item Graxei- Intervalo para engraxar (h)


ras/pçs 25 50 300 1000
1 Rolamento de giro do prendedor do clame 4 ●
2 Mancais deslizantes do pino da junta do 8 ●
prendedor do clame
3 Graxeiras do prendedor do clame 10 ●

249
5 Engraxamento

5.5 Condições de qualidade para


graxas lubrificantes

5.5.1 Requisito de viscosidade


Requisito de viscosidade para o óleo básico da graxa.

Lubrificação Sistema de lubrifi-


manual cação central
Viscosidade do óleo >150 >115
básico (cSt ou mm²/s /
40°C)

5.5.2 Lubrificação manual


Graxa Graxeiras
PONSSE Logger’s Pro Gre- Mancais
ase NLGI 2
PONSSE Logger’s Grease Pinos de forquilha, mancais
NLGI 0, NLGI 2 deslizantes e corrente da
serra
PONSSE Logger’s Universal Mancais do rolo, juntas do
Grease NLGI 2 cardã e pontos de engraxa-
mento diário.

Em equipamento florestal, os mancais do rolo se referem,


por exemplo, a mancais do cardã, mancais horizontais de
juntas médias, mancais de pivôs do truque, mancais de pivô
da grua, e no cabeçote de harvester, referem-se aos mancais
da roda para medição de comprimento e da serra.

5.5.3 Sistema de lubrificação central


Exemplos de recomendações feitas por diferentes fabricantes
de óleo para lubrificação central.

Fabricante do óleo Sistema de lubrificação central


SHELL Centra W EP 00
NESTE Center Grease EP 00
Mobil Mobilith SHC 007

250
5 Engraxamento

5.5.3.1 Gradação NLGI de graxas usadas em sistemas


de lubrificação central

As máquinas florestais PONSSE estão equipadas um sistema


de lubrificação automático que permite o uso de lubrificantes
centrais mais espessos.

As graxas são divididas em graduações NLGI de 000 a 6.


Quanto maior o número da graduação, mais espesso é o
lubrificante.

O efeito da temperatura muda na escolha da graxa para


sistemas de lubrificação central:

Tabela Sistema de lubrificação central

Graduação NLGI Condições Tempera-


(espessura) da graxa tura
1....2 Condições quentes Acima de
(verão) +0°C
0....1 Condições frias Abaixo de
(inverno) 0°C

Tabela Sistema de lubrificação progressiva em dois canais

Graduação NLGI Temperatura


(espessura) da graxa
1 -15 °C ou mais frio
2 -15 °C ou mais quente

Em condições de frio intenso, poderá ser usada a graxa


NLGI 00. Em condições de calor, a graxa NLGI 00 pode
causar avarias no sistema.

Não é recomendada a mistura de graxas com graduações


diferentes. Isso poderá tornar mais difícil bombear a graxa.

Quando mudar a graduação da graxa: use totalmente a


graxa antiga, abasteça o recipiente com graxa nova, faça
uma sangria da unidade da bomba e certifique-se de que a
nova graxa sai através do parafuso de sangria.

Consulte as instruções de sangria da unidade da bomba no


manual separado fornecido com a máquina.

251
6
Instruções de ajuste

Índice analítico Parte 6


6.1 Leia antes de começar o trabalho ...................................... 255
6.2 Bomba do carregador Rexroth A11VLO190 ........................ 255
6.2.1 Verificação da pressão de reserva ....................... 255
6.2.2 Ajuste da pressão de reserva .............................. 256
6.2.3 Ajuste da pressão máxima .................................. 257
6.2.4 Valores da pressão de reserva e da pressão
máxima .............................................................. 257
6.2.5 A ser observado se a máquina estiver equipada
com o guincho PONSSE Synchrowinch (equipa-
mento opcional Buffalo 8w, Elephant 8w,
ElephantKing 8w) ................................................ 258
6.3 Válvula K220 .................................................................... 259
6.3.1 Leia antes de começar o trabalho ........................ 259
6.3.2 Ajuste de pressão da válvula ............................... 260
6.3.3 Tabela de valor de ajuste de MR .......................... 261
6.4 Blocos .............................................................................. 262
6.4.1 Leia antes de começar o trabalho ........................ 262
6.4.2 Blocos, pontos de medição e parafusos de
ajuste ................................................................. 262
6.4.3 Ajuste da pressão no circuito dos freios ................ 263
6.4.4 Ajuste da pressão do bloqueio do diferencial ........ 263
6.4.5 Ajuste da pressão do freio de serviço ................... 264
6.4.6 Ajuste da pressão do freio de estaciona-
mento ................................................................ 265
6.5 Transmissão ..................................................................... 266
6.5.1 Leia antes de começar o trabalho ........................ 266
6.5.2 Medição da pressão de alimentação da transmissão
de deslocamento ................................................ 266
6.6 Medição da pressão de alimentação do ventilador hidráulico
(FAN) ............................................................................... 267
6.7 Válvulas de ajuste ............................................................. 268
6.8 Pressões dos pneus ......................................................... 269
6.8.1 Impacto da temperatura na pressão dos
pneus ................................................................. 269
6 Instruções de ajuste

6.1 Leia antes de começar o trabalho


Deve-se ter especial cuidado e atenção ao ajustar pressões.

Não ajuste se não estiver seguro de sua capacidade.

A garantia do produto será anulada se as pressões ajustadas


forem inconsistentes com os valores padrão.

Os ajustes da máquina e das pressões deverão ser realiza-


dos regularmente por um serviço autorizado PONSSE no
serviço de manutenção Basic ou Complete ou pelo menos
uma vez por ano.

6.2 Bomba do carregador Rexroth


A11VLO190
C = ponto de medição, localizado C
debaixo do compartimento do
para-choque

6.2.1 Verificação da pressão de reserva

1 1. Abra a placa lateral do chassi frontal no lado esquerdo


2 da máquina e o compartimento do para-choque.
LS 2. Conecte os manômetros (0 – 40 MPa) ao ponto de
medição C localizado debaixo do compartimento do
para-choque e ao ponto de medição LS localizado na
bomba do carregador.
3. Aplique o freio de estacionamento.
4. Selecione a posição neutra com o seletor de sentido de
deslocamento.
5. Dê partida no motor e deixe-o funcionar em 1500 RPM.
6. Verifique a diferença de pressão entre os dois pontos
1 = parafuso de ajuste da pres- de medição. O valor padrão é 2,5 MPa. O intervalo
são de reserva permitido é 2,5 – 2,7 MPa.
2 = parafuso de ajuste para a 7. Se a diferença de pressão entre os pontos de medição
pressão máxima
não estiver dentro do intervalo permitido, entre em con-
LS = ponto de medição LS
tato com os Serviços PONSSE Autorizados.

255
6 Instruções de ajuste

8. Desligue o motor. Remova o manômetro e feche a placa


lateral do chassi frontal e o compartimento do para-
choque.
1 MPa = 10 bar

A diferença da pressão de reserva precisa absolutamente


ser verificada com dois medidores simultaneamente.

6.2.2 Ajuste da pressão de reserva

1 1. Abra a placa lateral do chassi frontal no lado esquerdo


2 da máquina e o compartimento do para-choque.
LS 2. Conecte os manômetros (0 – 40 MPa) ao ponto de
medição C localizado debaixo do compartimento do
para-choque e ao ponto de medição LS localizado na
bomba do carregador.
3. Aplique o freio de estacionamento.
4. Selecione a posição neutra com o seletor de sentido de
deslocamento.
5. Dê partida no motor e deixe-o funcionar em 1500 RPM.
6. Solte a contraporca do parafuso de ajuste (1)
1 = parafuso de ajuste da pres- 7. Ajuste a pressão usando o parafuso de ajuste (1) até
são de reserva que a diferença de pressão entre os dois pontos de
2 = parafuso de ajuste para a medição seja 2,5 MPa.
pressão máxima
O intervalo permitido é 2,5 – 2,7 MPa.
LS = ponto de medição LS
8. Aperte a contraporca do parafuso de ajuste.
9. Desligue o motor. Remova os manômetros e feche a
placa lateral do chassi frontal e o compartimento do
para-choque.

256
6 Instruções de ajuste

6.2.3 Ajuste da pressão máxima

Garanta que seu assistente conheça perfeitamente a


máquina e domine totalmente a operação da máquina. Para
mais instruções, entre em contato com um serviço autorizado
PONSSE.

1. Abra a placa lateral do chassi frontal no lado esquerdo


da máquina e o compartimento do para-choque.
2. Conecte o manômetro ao ponto de medição C.
3. Aplique o freio de estacionamento.
4. Selecione a posição neutra com o seletor de sentido de
deslocamento.
5. Dê partida no motor e deixe-o funcionar em 1500 RPM.
6. Ligue o interruptor de controle do carregador.
7. Um auxiliar deve manter ativo o movimento de extensão
da lança do carregador.
8. Solte a contraporca do parafuso de ajuste (2)
9. Ajuste a pressão com o parafuso (2) até o valor dado
na Tabela 6.2.4 Valores da pressão de reserva e da
pressão máxima.
10. Aperte a contraporca do parafuso de ajuste.
11. Verifique a pressão.
12. Desligue o motor. Remova o manômetro e feche a placa
lateral do chassi frontal e o compartimento do para-
choque.

6.2.4 Valores da pressão de reserva e da


pressão máxima
Tabela 1 MPa = 10 bar

Carregador Pressão de Pressão


reserva máxima
MPa MPa
PONSSE K90+ 2,5 26,5
PONSSE K90Dual+ 2,5 26,5
PONSSE K100+ 2,5 26,5

257
6 Instruções de ajuste

6.2.5 A ser observado se a máquina estiver equipada com o guincho


PONSSE Synchrowinch (equipamento opcional Buffalo 8w,
Elephant 8w, ElephantKing 8w)
Quando a máquina for equipada com o guincho PONSSE
Synchrowinch, a pressão máxima do circuito do carregador
e da bomba é ajustada de acordo e na ordem especificada
nas instruções abaixo.

1 1. Ajuste da pressão máxima do circuito do carregador


LS 2
- Gire o parafuso de ajuste (1) para a posição de pressão
de reserva fechada da bomba da grua até a pressão da
bomba atingir 27 MPa ou até a pressão da bomba parar
de aumentar por estar limitada pelo ajuste de pressão
máxima.
- Ajuste a pressão máxima da bomba de forma que seja
ligeiramente superior ao valor de pressão máxima
3
desejável do circuito do carregador, por exemplo 27
1 = Parafuso de ajuste da pres- MPa (parafuso de ajuste 2).
são de reserva - Ajuste o redutor de pressão do circuito do carregador
2 = Parafuso de ajuste para a
pressão máxima
para o valor desejado de 26,5 MPa (parafuso de ajuste
3 = Redutor de pressão do cir- 3).
cuito do carregador
LS = ponto de medição LS 2. Ajuste da pressão máxima da bomba adequada para
o guincho PONSSE Synchrowinch

- Gire o parafuso de ajuste da pressão de reserva 1 até


ele assentar.
- Ajuste a pressão máxima da bomba para o valor dese-
jado de 35 MPa (parafuso de ajuste 2).
- Afrouxe o parafuso de ajuste da pressão de reserva
para reduzir o nível de pressão.

3. Ajuste da pressão de reserva da bomba

- Ajuste a pressão de reserva da bomba para o valor


desejado de 2,5 MPa (parafuso de ajuste 1).
- Ajuste medindo a diferença de pressão usando dois
medidores; pressão da bomba - pressão do circuito do
carregador = 2,5 MPa. (Veja 6.2.2 Ajuste da pressão de
reserva)

258
6 Instruções de ajuste

Tabela 1 MPa = 10 bar

Guincho PONSSE Synchrowinch / Bomba do carregador,


Rexroth 190
MPa
Pressão de reserva 2,5
Pressão máxima 35
Redutor de pressão do circuito do 26,5
carregador

6.3 Válvula K220

6.3.1 Leia antes de começar o trabalho

Não ajuste a válvula se não estiver seguro de sua capaci-


dade.

Certifique-se de que a grua/carregador a ser operada tenha


uma trajetória de movimento livre, observe a zona de perigo.

Garanta que seu assistente conheça perfeitamente a


máquina e domine totalmente a operação da máquina.

Não controle os movimentos mecanicamente com as válvulas


piloto.

Use óculos de segurança ao fazer o ajuste.

259
6 Instruções de ajuste

6.3.2 Ajuste de pressão da válvula


Figura 1. Válvula do carregador B A
MRA Parafuso de ajuste MRC
MRB Parafuso de ajuste MRB
MRC Parafuso de ajuste MRA
PL Ponto de medição
PX Ponto de medição 7 8
6
LS Pressão do sinal da bomba da 5
4
grua 2 3
A Porta de pressão A 1
B Porta de pressão B
1 Elevação
2 Lança
3 Extensão
PL
4 Garra
5 Giro da grua
PX
6 Rotor
LS
7 Direção da máquina
8 Lâmina do buldôzer 1. Verifique e, se necessário, ajuste a pressão de reserva
e a pressão máxima das bombas.
MRC 2. Ajuste o manômetro no ponto de medição PL da válvula
A B do carregador (Figura 1).
3. O assistente deve conduzir o movimento a ser ajustado
ao seu limite e manter o movimento.

Nota: Máquinas ActiveFrame Ajustando a válvula AF


(Figura 2): Ajuste a direção manual do programa Opti.

4. Ajuste a pressão do movimento em questão com o


parafuso de ajuste MR (ver valores de pressão 6.3.3
Tabela de valor de ajuste de MR). Adicione 1 MPa à
Figura 2. Válvula AF
Buffalo ActiveFrame
leitura do manômetro. Leitura do manômetro + 1 MPA
Elephant ActiveFrame = valor da tabela.
ElephantKing ActiveFrame 5. Trave o parafuso MR.
MRC Parafuso de ajuste 6. Verifique a pressão e repita as etapas 4 e 5, se neces-
A Porta de pressão A sário.
B Porta de pressão B
7. As portas de pressão A são ajustadas com o parafuso
MRA e as portas de pressão B com o parafuso MRB.
A pressão compartilhada pelas duas portas é ajustada
pelo parafuso MRC.
8. Ajuste todos os parafusos MR da válvula.

260
6 Instruções de ajuste

6.3.3 Tabela de valor de ajuste de MR

As leituras do manômetro não mostram diretamente que as


válvulas de pressão estão efetivas nos cilindros. Adicione 1
MPa à leitura do manômetro localizada na linha PL.
1 MPa = 10 bar

Buffalo 6w/8w , Buffalo ActiveFrame


Função (figura 1) Porta K90+ K100+
MPa MPa
1 Elevação (não ajustável) — — —
2 Lança (não ajustável) — — —
3 Extensão A/B 23,5 23,5
4 Garra A/B 21 21
5 Giro da grua A/B 17 17
6 Rotor A/B 23,5 23,5
7 Direção da máquina A/B 20 20
8 Lâmina do buldôzer A/B 17 17

Válvula AF (figura 2)
A/B 12 12
Buffalo ActiveFrame

BuffaloKing 6w/8w
Função (figura 1) Porta K100+
MPa
1 Elevação (não ajustável) — —
2 Lança (não ajustável) — —
3 Extensão A/B 23,5
4 Garra A/B 21
5 Giro da grua A/B 17
6 Rotor A/B 23,5
7 Direção da máquina A/B 21
8 Lâmina do buldôzer A/B 17

261
6 Instruções de ajuste

6.4 Blocos

6.4.1 Leia antes de começar o trabalho

Não ajuste se não estiver seguro de sua capacidade.

Garanta que seu assistente conheça perfeitamente a


máquina e domine totalmente a operação da máquina.

6.4.2 Blocos, pontos de medição e parafusos


de ajuste
B1 Bloco hidráulico 1 MP4 MP1 MP3
B2 Bloco hidráulico 2 MP2
B3 Bloco hidráulico 3
4 Pedais B1 B2 B3
5 Seletor de faixa
6 Liberação do acionamento para 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13
trás
7 Reserva (inclinação da base do
carregador, equipamento opcio-
nal)
8 Válvula reguladora de pressão 14 15 16 17
do circuito de freios 18
9 Movimento horizontal do malhal MP3
10 Içamento do malhal, Elephant
(equipamento opcional, Buffalo)
B1
MP4 MP1 MP2
11 Bloqueio do diferencial
12 Freio de serviço
13 Freio de estacionamento
MP Ponto de medição da pressão
14 – 18 Parafuso de ajuste da pres-
são
17
B2
B3 18
14
15 16

262
6 Instruções de ajuste

6.4.3 Ajuste da pressão no circuito dos freios

MP4 1. Incline a cabine e sustente-a com o suporte de segu-


rança.
2. Instale o manômetro no ponto de medição MP4.
3. Aplique o freio de estacionamento.
4. Selecione a posição neutra com o seletor de sentido de
deslocamento.
5. Dê partida no motor e deixe-o funcionar em 1500 RPM.
6. Ligue o interruptor de controle do carregador.
B2 7. Um auxiliar deve manter o movimento de recolher
14 telescópico da grua ativo.
Bloco 2 8. Solte a contraporca do parafuso de ajuste (14) e ajuste
a pressão para o valor da tabela 6.7.
9. Aperte a contraporca do parafuso de ajuste (14).
10. Verifique a pressão.
11. Desligue o motor.
12. Remova o manômetro e abaixe a cabine.

6.4.4 Ajuste da pressão do bloqueio do


diferencial
1. Incline a cabine e sustente-a com o suporte de segu-
rança.
MP1 2. Instale o manômetro no ponto de medição MP1.
3. Aplique o freio de estacionamento.
4. Selecione a posição neutra com o seletor de sentido de
deslocamento.
5. Dê partida no motor e deixe-o funcionar em 1500 RPM.
6. Solte a contraporca do parafuso de ajuste (15) e ajuste
a pressão para o valor da tabela 6.7.
7. Aperte a contraporca do parafuso de ajuste (15).
B3 8. Verifique a pressão.
15 9. Desligue o motor.
10. Remova o manômetro e abaixe a cabine.
Bloco 3

263
6 Instruções de ajuste

6.4.5 Ajuste da pressão do freio de serviço


1. Incline a cabine e sustente-a com o suporte de segu-
rança.
MP2 2. Ajuste o manômetro para o ponto de medição MP2.
3. Aplique o freio de estacionamento.
4. Selecione a posição neutra com o seletor de sentido de
deslocamento.
5. Dê partida no motor e deixe-o funcionar em 1500 RPM.
6. Solte a contraporca do parafuso de ajuste (16) e ajuste
a pressão para o valor da tabela 6.7.
7. Aperte a contraporca do parafuso de ajuste (16).
B3 8. Verifique a pressão.
16 9. Desligue o motor.
10. Remova o manômetro e abaixe a cabine.
Bloco 3

264
6 Instruções de ajuste

6.4.6 Ajuste da pressão do freio de


estacionamento

MP3 1. Incline a cabine e sustente-a com o suporte de segu-


rança.
2. Instale o manômetro no ponto de medição MP3.
3. Aplique o freio de estacionamento.
4. Selecione a posição neutra com o seletor de sentido de
deslocamento.
5. Dê partida no motor e deixe-o funcionar em 1500 RPM.

17 Primeiramente, ajuste o valor da válvula reguladora de


pressão e, depois, o valor da válvula redutora de pres-
18
B3 são.

Bloco 3 6. Destrave a contraporca do parafuso de ajuste da válvula


17 Parafuso de ajuste da válvula reguladora da pressão (17).
de alívio de pressão
18 Parafuso de ajuste da válvula 7. Feche a válvula reguladora da pressão rodando o
redutora de pressão parafuso de ajuste (17) para a direita.
8. Destrave a contraporca do parafuso de ajuste da válvula
redutora de pressão (18). Ajuste a pressão para o valor
limite da pressão do freio de estacionamento.
- Verifique o valor da pressão na tabela dos valores
de pressão 6.7.
9. Gire o parafuso de ajuste da válvula de alívio de pressão
(17) no sentido anti-horário enquanto observa a pressão
diminuindo no manômetro.
10. Gire o parafuso de ajuste (17) no sentido horário até a
pressão no manômetro subir para o valor desejado.
- Para a válvula de pressão, veja a tabela dos valores
de ajuste 6.7 (freio de estacionamento, alívio de
pressão).
11. Trave o parafuso de ajuste (17).
12. Ajuste a válvula redutora de pressão girando o parafuso
de ajuste (18) de acordo com o valor mostrado na tabela
dos valores de ajuste 6.7 (freio de estacionamento,
redução da pressão).
13. Trave a contraporca (18).
14. Verifique a pressão.
15. Desligue o motor.
16. Remova o manômetro e abaixe a cabine.

265
6 Instruções de ajuste

6.5 Transmissão

6.5.1 Leia antes de começar o trabalho

A transmissão de deslocamento só pode ser ajustada por


um serviço autorizado da PONSSE.

A garantia da Ponsse Plc será anulada se as pressões da


transmissão de deslocamento forem ajustadas sem permis-
são.

6.5.2 Medição da pressão de alimentação da


transmissão de deslocamento
D = Ponto de medição da pressão
D
de alimentação
DA = Ponto de medição da pressão
para frente
DB = Ponto de medição da pressão
para trás

DB DA

A medição da pressão de alimentação da transmissão de


deslocamento pode ser usada para verificar as condições
prévias operacionais do sistema hidráulico da transmissão
de deslocamento. A pressão mantida pela bomba de alimen-
tação controla a operação da transmissão de deslocamento.
Se a pressão de alimentação cair consideravelmente, o sis-
tema da transmissão de deslocamento não produzirá a força
necessária ao movimento da máquina.

Os pontos de medição para a frente e para trás para a


pressão de transmissão de deslocamento DA/DB e o ponto
de medição de pressão de alimentação D estão localizados
embaixo do compartimento do pára-choque (veja a figura).

1. Abra o compartimento do para-choque.


2. Conecte o manômetro ao ponto de medição D.
3. Aplique o freio de estacionamento.
4. Selecione a posição neutra com o seletor de sentido de
deslocamento.
5. Dê partida no motor e deixe-o funcionar em 1500 RPM.
6. A pressão deve ser de 2,8 – 3,0 MPa.

266
6 Instruções de ajuste

7. Remova o manômetro e feche o compartimento do para-


choque.

6.6 Medição da pressão de


alimentação do ventilador
hidráulico (FAN)
F = Ponto de medição da pressão F
de alimentação

A medição da pressão de alimentação do ventilador hidráu-


lico pode ser usada para verificar as condições prévias
operacionais do sistema hidráulico do ventilador. A pressão
mantida pela bomba de alimentação controla a operação do
ventilador hidráulico.

1. Abra o compartimento do para-choque.


2. Ajuste o manômetro para o ponto de medição F (veja a
figura).
3. Aplique o freio de estacionamento.
4. Selecione a posição neutra com o seletor de sentido de
deslocamento.
5. Dê partida no motor e deixe-o funcionar em 1500 RPM.
6. A pressão deve ser de 2,3 – 2,5 MPa.
7. Remova o manômetro e feche o compartimento do para-
choque.

267
6 Instruções de ajuste

6.7 Válvulas de ajuste


PONSSE Buffalo 6w/8w 1 MPa = 10 bar
PONSSE BuffaloKing 6w/8w
PONSSE Buffalo ActiveFrame MPa Nota:
1. Transmissão
42,5 Buffalo 8w / ActiveFrame
40 Buffalo 6w
Pressão máxima
45 BuffaloKing 6w
47,5 BuffaloKing 8w
Pressão de alimentação 2,8 2,8 – 3,0 MPa
Redutor de pressão 32
2. Bomba da grua
Rexroth 190 Pressão de reserva 2,5
Pressão máxima 26,5 K90+, K100+
Se a máquina estiver equi-
pada com o guincho
PONSSE Synchrowinch,
consulte 6.2.5.
3. Bomba do ventilador
Pressão de alimentação 2,5
22 Direção de arrefecimento
Redutor de pressão
18 Direção de limpeza

4. Bloqueio da engrenagem diferencial 3

5. Freio de carga/serviço 6,5

6. Circuito do freio, redutor de pressão 19

7. Freio de estacionamento
Redução de pressão 6
Alívio de pressão 8

8. Freio de operação (força no pedal) 8 Não ajustável

9. Levantamento hidráulico, eixo adicional de Equipamento opcional


10w Buffalo 8w
Redução de pressão 14
Alívio de pressão 21

10. Sistema elétrico (tensão de carga) 28 V +3/-0 V

268
6 Instruções de ajuste

6.8 Pressões dos pneus


Para saber a pressão recomendada dos pneus, consulte a
seção Especificações técnicas.

● Pressão muito baixa causa danos às paredes laterais


e fragmentação do aro, podendo provocar a oscilação
do pneu em torno do aro.
● Dirigir com pressão muito baixa pode romper o pneu
em um único incidente. Pressão muito alta em relação
à carga não traz esse risco.
● Usar pressão adequada nos pneus é particularmente
importante nos seguintes casos:
- Ao usar esteiras
- Ao receber cargas pesadas
- Quando as circunstâncias forem difíceis, p.ex., ao
dirigir em terreno rochoso.

Nunca exceda a pressão máxima dos pneus determinada


pelo fabricante dos pneus. Se você não tiver certeza da
pressão máxima dos pneus permitida, entre em contato com
um serviço autorizado da PONSSE, diretamente com o
fabricante do pneu ou com um revendedor de pneus autori-
zado pelo fabricante.

6.8.1 Impacto da temperatura na pressão dos


pneus
● Ajuste a pressão dos pneus com base na temperatura
ambiente de operação.
● Note que a temperatura influencia a pressão dos pneus
em cerca de 10 kPa (0,1 bar) por 10 °C .
● As pressões dos pneus são ajustadas na fábrica a 20 °C.
● Um exemplo de como a temperatura influencia a pressão
dos pneus: A temperatura interna de seu salão é +20 °C
e a temperatura externa é -10 °C Ao ajustar a pressão
do interior, você deve aumentar a pressão recomendada
em 30 kPa (=0,3 bar) para manter o nível de pressão
correto do exterior.

Não esqueça de diminuir a pressão dos pneus quando a


temperatura externa aumentar.

269
7
Transmissão

Índice analítico Parte 7


7.1 Troca de óleo ................................................................... 273
7.1.1 Geral ................................................................. 273
7.1.2 Óleo limpo para ser recuperado ........................... 273
7.2 Truques e eixos ................................................................ 274
7.2.1 Engrenagens planetárias, truque dianteiro e
traseiro ............................................................... 274
7.2.2 Carcaças do truque, truque dianteiro e
traseiro ............................................................... 275
7.2.3 Engrenagem diferencial, truque dianteiro ............. 276
7.2.4 Engrenagem diferencial, truque traseiro ............... 277
7.3 Bloqueio do diferencial ...................................................... 278
7.4 Caixa de transferência ...................................................... 279
7 Transmissão

7.1 Troca de óleo

7.1.1 Geral
Troque o óleo de acordo com a tabela de manutenção pro-
gramada da seção Manutenção. Os graus de qualidade e
quantidades de óleo constam da seção Especificações téc-
nicas.

Quando trocar o óleo das carcaças dos truques e das


engrenagens planetárias, o truque e o eixo precisam estar
na posição horizontal.

A transmissão e a engrenagem diferencial podem estar


quentes após dirigir. Tome cuidado para não tocar na
transmissão nem a engrenagem diferencial antes de verificar
a temperatura respetiva. Se o respiro correspondente estiver
bloqueado, poderá emergir pressão na cavidade de óleo
causando a aspersão de óleo quente quando da abertura
da vareta. O óleo quente pode causar queimaduras gra-
ves.

Se a máquina tombar, entre em contato com um serviço


autorizado PONSSE imediatamente. Não ligue o motor se
a máquina tiver tombado.

7.1.2 Óleo limpo para ser recuperado


O óleo limpo para ser recuperado poderá ser reaproveitado
de acordo com as seguintes instruções.

● O truque precisa estar na posição horizontal.


● Antes de trocar o óleo é preciso deixar o truque imobili-
zado no mínimo durante 30 minutos, para que todas as
impurezas tenham tempo de sedimentar-se no fundo
do cárter.
● Troque o óleo enquanto ainda estiver aquecido.
● Remova a sujeira ao redor do bujão de drenagem de
óleo.
● Drene o óleo através do orifício de drenagem do óleo
mais alto da carcaça do truque.
- Consulte as instruções de troca de óleo das carca-
ças dos truques.
● Drene o óleo para um recipiente limpo.

273
7 Transmissão

● Drene o óleo residual para um recipiente separado.

Recomendamos a troca completa para óleo novo junto com


cada segunda troca de óleo.

7.2 Truques e eixos

7.2.1 Engrenagens planetárias, truque


dianteiro e traseiro
Posição A Drenagem do óleo da 3 4
engrenagem planetária A B
2 Orifício de drenagem do óleo
3 Orifício de sangria
5
Posição B Abastecimento de óleo
da engrenagem planetária 2
4 Orifício de entrada do óleo
5 Orifício de inspeção do óleo
1. Troque o óleo enquanto ainda estiver aquecido.
2. Coloque a engrenagem planetária para a saída do óleo
na posição A.
3. Limpe qualquer sujeira ao redor dos bujões (2 e 3) antes
de abrir.
4. Abra os bujões de enchimento da engrenagem planetá-
ria (3), de modo que o ar possa entrar nela.
5. Abra os bujões de drenagem do óleo (2) e deixe o resto
de óleo sujo escorrer para um recipiente separado.
6. Coloque a engrenagem planetária na posição B.
7. Encha a engrenagem planetária através do orifício de
enchimento (4) até a borda inferior do orifício de inspe-
ção (5) com óleo novo.
8. Limpe os bujões com uma ponta magnética (4 e 5) e
reinstale-os.

Torque de aperto para bujões


2, 3, 4, 5 = 45 Nm

274
7 Transmissão

7.2.2 Carcaças do truque, truque dianteiro e


traseiro
1 Nível do óleo na carcaça do
truque 1 2
2 Orifício de inspeção e abasteci-
mento de óleo
3 Orifício de drenagem do óleo
4 Orifício de drenagem para o
óleo restante 3 3
4 4

1. Troque o óleo enquanto ainda estiver aquecido.


2. Limpe qualquer sujeira ao redor dos bujões (2, 3 e 4)
antes de abrir.
3. Abra os bujões de abastecimento de óleo (2), de modo
que o ar possa entrar nela.
4. Abra os bujões de drenagem do óleo (3) e deixe-o
escorrer para um recipiente limpo. O óleo pode, possi-
velmente, ser reusado.
5. Abra os outros bujões de drenagem (4) e deixe o resto
de óleo sujo escorrer para um recipiente separado.
6. Limpe os bujões com uma ponta magnética (4) e os
encha novamente.
7. Recoloque os bujões de drenagem (3).
8. Abasteça com novo óleo através do orifício de abasteci-
mento (2).
9. A quantidade do óleo é suficiente quando o nível atingir
a extremidade inferior do orifício de inspeção (2 ).
10. Recoloque os bujões (2).

Torque de aperto para bujões


2, 3, 4 = 70 Nm

275
7 Transmissão

7.2.3 Engrenagem diferencial, truque


dianteiro
1. Troque o óleo enquanto ainda estiver aquecido.
2. Limpe toda a sujeira ao redor dos bujões (1, 2) e da
vareta (3).
3. Abra os bujões (1 e 2) e deixe o resto de óleo sujo
4 4 escorrer para um recipiente.
4. Limpe o ímã do bujão de drenagem do óleo (1) de par-
tículas magnéticas e torne a colocá-lo no lugar.
3 2 5. Preencha o espaço com óleo novo através da mangueira
5 de abastecimento (2) até o nível chegar à marca superior
da vareta.
6. Verifique o nível do óleo na vareta (3).
7. Recoloque o bujão (2).
1
1 Drenagem do óleo da engrena-
Torque de aperto para bujões
gem diferencial 1, 2 = 70 Nm
2 Entrada do óleo para a engrena-
gem diferencial As imagens do orifício de drenagem de óleo e da mangueira
3 Vareta de abastecimento de óleo da engrenagem diferencial do
4 Graxeiras do mancal do pivô, 2 truque dianteiro são mostradas abaixo.
pçs/pivô
5 Respiro
1

1 Drenagem de óleo da engrenagem diferencial, truque dianteiro

2 Abastecimento de óleo da engrenagem diferencial, truque dianteiro

276
7 Transmissão

7.2.4 Engrenagem diferencial, truque traseiro

Limpe o espaço de carga de neve gelo e outras impurezas


com uma escova e ou pá, de preferência trabalhando do
chão.

Sempre use os degraus auxiliares ao subir ou descer do


espaço de carga.

Nunca pule da máquina/escada/degraus ou das


rodas/esteiras.

Se a montagem do carregador e as tarimbas estiverem na


portinhola de serviço, movimente-as com cuidado. Perigo
de esmagamento!

1. Troque o óleo enquanto ainda estiver aquecido.


2. Limpe toda a sujeira ao redor dos bujões (1, 2) e da
vareta (3).
3. Abra os bujões (1 e 2) e deixe o resto de óleo sujo
4 4 escorrer para um recipiente.
4. Limpe o ímã do bujão de drenagem do óleo (1) de par-
tículas magnéticas e torne a colocá-lo no lugar.
3 2 5. Preencha o espaço com óleo novo através do orifício
5 de abastecimento (2) até o nível atingir a marca superior
da vareta.
6. Verifique o nível do óleo na vareta (3).
7. Recoloque o bujão (2).
1
1 Drenagem do óleo da engrena-
Torque de aperto para bujões
gem diferencial 1, 2 = 70 Nm
2 Entrada do óleo para a engrena-
gem diferencial
3 Vareta
4 Graxeiras do mancal do pivô, 2
pçs/pivô
5 Respiro

277
7 Transmissão

7.3 Bloqueio do diferencial


Devido aos dentes de corte reto da embreagem de bloqueio,
o acoplamento de ligação e desligamento da embreagem
somente deve ser efetuado quando a máquina estiver inativa.
Se a cigarra do bloqueio no acoplamento não for emitida
imediatamente, movimente a máquina para que os dentes
engatem. Se existir tensão ao longo do eixo, o bloqueio talvez
não abra ao desacoplar. O funcionamento da máquina por
um curto período fará liberar a tensão e o bloqueio será
aberto. Se existirem falhas na cigarra, o bloqueio do diferen-
cial não deve ser usado antes das falhas terem sido inspeci-
onadas e reparadas.

O bloqueio somente deve ser usado em situações em que


o outro lado está escorregando, quando o outro pneu
encontra gelo por exemplo, e quando não é possível sair da
situação de outro modo. Evite o uso desnecessário do blo-
queio.

Pare a máquina durante o acoplamento/desacoplamento


do(s) bloqueio(s) do diferencial.

Quando o diferencial está bloqueado, o máquina não deve


ser movida.

O uso do bloqueio do diferencial na condução normal e,


especialmente, em curvas coloca demasiada tensão nos
eixos.

Os bloqueios do diferencial não são automáticos. O condutor


precisa avaliar as condições de operação.

O bloqueio do eixo dianteiro pode ser acoplado em conjunto


com o bloqueio do eixo traseiro. O bloqueio do eixo dianteiro
pode ser desacoplado separadamente.

NOTA: Máquinas Scorpion: O bloqueio do eixo traseiro pode


ser acoplado em conjunto com o bloqueio do eixo dianteiro.
O bloqueio do eixo traseiro pode ser desacoplado separada-
mente.

A garantia não cobre danos causados pelo uso incorreto dos


bloqueios do diferencial.

278
7 Transmissão

7.4 Caixa de transferência


7 6 5 1. Troque o óleo enquanto ainda estiver aquecido.
5
3 2. Limpe a sujeira ao redor dos bujões (1, 2, 7) e da vareta
(6).
3. Abra os bujões (1, 2) e deixe escorrer o óleo velho.
2 4. Limpe o bujão de drenagem de óleo com a ponta mag-
nética (1), removendo quaisquer partículas metálicas.
5. Feche os bujões (1 e 2).
1 6. Abra o bujão de abastecimento do óleo (7).
7. Preencha o espaço com óleo novo através da mangueira
de abastecimento (7) até o nível alcançar a marca
superior na vareta (6).
1 Orifício de drenagem do óleo
8. Verifique o nível do óleo com a vareta. O nível de óleo
2 Orifício de drenagem do óleo correto é mostrado pela marca na vareta (tolerância +/-
(para remover óleo derramado) 5 mm). A vareta não contém uma marca para o nível de
3 Respiro óleo superior e inferior.
5 Tipos de plaquetas 9. Recoloque o bujão (7).
6 Vareta
7 Mangueira e orifício de abaste-
cimento de óleo
Torque de aperto para bujões
1, 2 = 53 Nm

A mangueira de abastecimento do óleo e a vareta da caixa


de transferência estão localizadas no lado direito do pivô
central.

6
6 Vareta
7 Mangueira de abastecimento do óleo / bujão de abastecimento do
óleo

279
8
Hidráulica

Índice analítico Parte 8


8.1 Manutenção e limpeza do sistema hidráulico são a base para
confiabilidade ................................................................... 283
8.2 Óleo hidráulico ................................................................. 285
8.2.1 Primeiro tanque de óleo hidráulico ....................... 285
8.2.2 Instruções para troca de óleo usando o método de
lavagem ............................................................. 285
8.2.3 Pré-aquecimento de óleos hidráulicos em clima
frio ..................................................................... 286
8.3 Viscosidade do óleo hidráulico ........................................... 287
8.4 Amostragem de óleo no sistema hidráulico ......................... 288
8.5 Sangria da carcaça do filtro do tanque hidráulico ................ 288
8.6 Reabastecimento do óleo hidráulico ................................... 289
8.6.1 Reabastecimento sem a bomba de reabasteci-
mento ................................................................ 289
8.6.2 Reabastecimento usando a bomba de reabasteci-
mento ................................................................ 290
8.7 Sistema de filtro fino (equipamento opcional) ...................... 291
8.7.1 Filtro para sangrar .............................................. 291
8.7.2 Filtro de ar desumidificador ................................. 291
8 Hidráulica

8.1 Manutenção e limpeza do sistema


hidráulico são a base para
confiabilidade
A manutenção e reparos de uma máquina florestal é um
importante fator para sua utilização e para os custos opera-
cionais envolvidos. Manutenção é importante e necessária.
Toda manutenção feita em um equipamento florestal tem
suas despesas recuperadas muitas vezes como aumentar
o valor de revenda, maior confiabilidade e melhoria de rendi-
mento.

A hidráulica desempenha um papel importante nas funções


das máquinas florestais. É importante dar atenção especial
a ela. Alguns estudos mostram que mais da metade das
falhas de hidráulica em máquina florestais são causadas por
impurezas no óleo hidráulico. As falhas aparecem subita-
mente ou então como consequência de desgaste de longo
prazo em diferentes componentes. Portanto, é extremamente
importante manter limpeza absoluta nos trabalhos de
manutenção e reparo. O dinheiro e o tempo empregados em
reparos podem ser economizados quando se executa cuida-
dosamente as manutenções.

Não confie somente em seus olhos quando se trata de


julgar a limpeza!

A olho nu é possível ver partículas de tamanho de 40 µm (1


µm = 1 micrometro = 1 milésimo de um milímetro). É
impossível ver uma partícula de tamanho de 10 µm. Para
comparação, observe que um fio de cabelo tem uma
espessura de 70 µm. Partículas com tamanhos menores do
que 25 µm são perigosas, e você não pode vê-las. Portanto
a situação pode ser muito séria se você puder ver impurezas
no sistema a olho nu.

As partículas que causam maior desgaste são aquelas cujo


tamanho permite que elas se insiram entre duas superfícies
deslizantes. Em válvulas e bombas hidráulicas as folgas são
de, por exemplo, 10 a 40 µm. Portanto a capacidade nominal
de filtragem do filtro do sistema é de 10 µm. A eficiência do
filtro depende de muitos fatores, tais como as condições e
tempo de uso do filtro. Um filtro sujo também permite a pas-
sagem de grandes partículas de sujeira. É disso que vem a
importância de se trocar o filtro regularmente, ou mesmo

283
8 Hidráulica

mais frequentemente, se o sistema tiver sofrido reparos


durante o intervalo de troca.

Para garantir a durabilidade e confiabilidade do sistema de


componentes hidráulicos, tenha atenção ao seguinte:

● Substitua os filtros do sistema hidráulico com regulari-


dade.
● Troque o óleo hidráulico com regularidade.
● Caso seja necessário abrir o sistema, por exemplo,
durante reparos, tenha cuidado especial e toda atenção
com a limpeza. Antes de abrir qualquer coisa, certifique-
se de limpar tudo nas proximidades do ponto a ser
aberto.
● Ao abrir as conexões das mangueiras proteja as extre-
midades com plugues limpos.
● Ao fabricar uma nova mangueira na oficina, é necessário
limpá-la passando um jato de ar comprimido através
dela e então tapando as pontas com plugues. Os plu-
gues somente deverão ser removidos imediatamente
antes da montagem.
● Limpe o tanque de óleo hidráulico pelo menos uma vez
por ano, pois a sujeira se deposita no fundo. Não utilize
estopa de algodão.
● Ao substituir um filtro, verifique a condição das juntas,
antes de montar.

Nota: Harvesters

Certifique-se de que a mangueira do equipamento de trata-


mento de troncos e também a mangueira do ladrão do
cabeçote do harvester estejam conectadas corretamente
caso essas mangueiras sejam desconectadas durante a
manutenção. Caso as mangueiras sejam conectadas de
maneira incorreta, as substâncias de tratamento de troncos
podem entrar no sistema hidráulico. Isso pode causar danos
graves ao sistema hidráulico da máquina.

284
8 Hidráulica

8.2 Óleo hidráulico

8.2.1 Primeiro tanque de óleo hidráulico


Somente os seguintes óleos hidráulicos são usados nas
máquinas fornecidas pela Ponsse Plc como óleos do primeiro
tanque hidráulico:

Óleos minerais:
Neste Hydrauli 22 Super
PONSSE Logger's Hydraulic Oil 32 Super
PONSSE Logger's Hydraulic Oil 46 Super
Neste Hydrauli 68 Super

Óleos vegetais (éster sintético):


PONSSE Logger's Bio Hydraulic Oil 46
Neste Biohydrauli SE 68

A prática acima mencionada deve-se à pureza do óleo e a


aspectos relacionados ao manuseio do óleo. Óleos de barril
não são mais utilizados em hidráulica. Atualmente, o óleo
filtrado bombeado do tanque é utilizado somente para que
o nível de pureza do óleo atenda os mais altos requisitos

Não é permitida a mistura de óleos diferentes.

Use o método de lavagem sempre que mudar para um óleo


hidráulico diferente. O método de lavagem consegue um
conteúdo de óleo residual suficientemente baixo.

Durante a lavagem, é preciso ter cuidado com óleos minerais,


que mostram tendência a formar sedimentos quando em
contato com óleos vegetais.

8.2.2 Instruções para troca de óleo usando o


método de lavagem
1. Lave a máquina com cuidado a fim de evitar a entrada
de impurezas no sistema.
2. Drene ao máximo o sistema hidráulico, enquanto o óleo
ainda estiver quente.
3. Drene os cilindros e as mangueiras maiores.
4. Abasteça o sistema com óleo novo até o nível mínimo,
que permita a operação das funções da máquina.

285
8 Hidráulica

5. Faça a lavagem do sistema, operando algumas vezes


todos os movimentos até seus limites e garantindo com
isto que todo resíduo de óleo se misture com o óleo da
lavagem.
6. Repita as etapas 2, 4 e 5.
7. Troque todos os filtros hidráulicos.
8. Complete o sistema com óleo novo.

Com o sistema acima descrito, atinge-se o requisito dos


fornecedores de componentes de restar no máximo 2% de
óleo no sistema hidráulico.

Quando for adquirir mangueiras ou vedações como peças


de reposição, garanta que eles sejam adequados para serem
utilizados com óleos vegetais.

Com óleos vegetais, é sempre utilize cartuchos de fibra de


vidro nos filtros.

8.2.3 Pré-aquecimento de óleos hidráulicos


em clima frio
Aqueça o óleo hidráulico antes de iniciar o trabalho. Quando
ele atingir aprox. +20 °C, movimente as funções da
grua/carregador com cuidado. Além disso, em modelos de
harvester:: ligue a corrente da chave do cabeçote do har-
vester e gire os roletes alimentadores do cabeçote do har-
vester para trás usando movimentos de serra e de abrir e
fechar o cabeçote do harvester antes de iniciar o trabalho.

286
8 Hidráulica

8.3 Viscosidade do óleo hidráulico

1 Sistema hidráulico consegue dar partida. O óleo circula


em marcha lenta sem carga. Só quando a temperatura
do óleo atinge a área a seguir é que o sistema pode ser
carregado.
2 Sistema pode ser carregado com volume de fluxo parcial
(risco de cavitação).
3 Pode ser carregado a 100%.
4 Faixa ideal de operação.
5 Faixa altamente recomendada de temperaturas de ope-
ração. O óleo agora está tão fino que provoca perdas
1 mm²/s = 1 cSt
de eficiência devido a grandes vazamentos internos.
Grande perigo de desgaste anormal. É recomendável
selecionar óleo mais espesso.

As faixas de temperaturas operacionais citadas acima são


indicativas. A construção da bomba e da tubulação de sucção
pode justificar limites superiores dentro da faixa de tempera-
turas baixas. Os valores técnicos atribuídos por diferentes
fabricantes de óleo variam entre si.

A ser usado em equipamentos florestais da Ponsse


● Em temperaturas abaixo de +20 °C: óleo pertencente à
classe de viscosidade (cSt) 22...46.
● Em temperaturas acima de +20 °C: óleo pertencente à
classe de viscosidade (cSt) 46...68.

287
8 Hidráulica

8.4 Amostragem de óleo no sistema


hidráulico
Se necessário, uma amostra de óleo pode ser obtida do
sistema hidráulico da máquina. O ponto de amostragem fica
localizado sob o compartimento do pára-choque e é equipado
com uma placa Sample drain laranja.

A condição do óleo hidráulico e do sistema hidráulico pode


ser avaliada através da coleta regular de amostras de óleo
e da análise minuciosa das mesmas. A análise do óleo
melhora as condições para a manutenção preventiva da
máquina.

Se necessário, entre em contato com um serviço autorizado


PONSSE.

Ponto de amostragem do óleo


8.5 Sangria da carcaça do filtro do
tanque hidráulico
A carcaça do filtro deve sempre ser sangrada após a substi-
tuição do filtro de retorno e nas situações em que o tanque
hidráulico tenha o óleo totalmente drenado. A sangria tem
um impacto significativo na operação dos componentes do
sistema hidráulico.

1. Abra a tampa de proteção do tanque de óleo hidráulico.


Certifique-se de que o tanque hidráulico contenha a
quantidade necessária de óleo.
2. Ligue o motor e o deixe em marcha lenta.
3. Conecte a mangueira adequada para sangria (fornecida
com a máquina) à válvula de sangria (1). Certifique-se
de que a válvula de sangria esteja fechada.
4. Abra a válvula de sangria.
5. Acione uma função da grua – por exemplo, extensão
para fora/para dentro – e drene o óleo em um recipiente
1 Válvula de sangria da carcaça até que não saia mais ar da válvula de sangria e que o
do filtro óleo esteja limpo.
6. Feche a válvula, remova a mangueira de sangria e feche
a tampa de proteção do tanque de óleo hidráulico.

288
8 Hidráulica

8.6 Reabastecimento do óleo


hidráulico
Ao reabastecer óleo hidráulico em condições de frio, utilizar
a bomba de vácuo do sistema hidráulico melhora o fluxo de
óleo, acelerando o reabastecimento.

Preste atenção na posição do cilindro (particularmente da


grua/carregador). Reabasteça quando os cilindros estiverem
dentro (o pistão do cilindro alcançou seu limite e o eixo do
cilindro mal está visível).

8.6.1 Reabastecimento sem a bomba de


reabastecimento
1. Abra a tampa de proteção do tanque de óleo hidráulico.
2. Limpe o acoplamento de liberação rápida localizado na
parte superior do tanque hidráulico.
3. Engate a mangueira de reabastecimento ao acopla-
mento de liberação rápida.
Observação: Não abra a tampa do filtro de retorno.
4. Verifique o nível do óleo pelo visor (1) durante o reabas-
tecimento. Reabasteça até o nível de óleo ficar 1 cm
abaixo do limite superior do visor.
5. Retire a mangueira de reabastecimento e limpe o aco-
plamento de liberação rápida.
6. Abra a tampa de proteção do tanque.

1a 1b

1 Visor
a Bear, Ergo
b Beaver, Fox, forwarders

289
8 Hidráulica

8.6.2 Reabastecimento usando a bomba de


reabastecimento
O acoplamento de liberação rápida da bomba de reabasteci-
mento está localizado ao lado do tanque hidráulico nos
2 seguintes modelos de máquinas (Figura 1):

- Buffalo 6w/8w, BuffaloDual 8w,


BuffaloKing 6w/8w, Buffalo ActiveFrame
- Elephant 8w, ElephantKing 8w,
Elephant ActiveFrame, ElephantKing ActiveFrame
Figura 1. - Ergo 6w/8w/ActiveFrame, Bear 8w, Beaver 6w

O acoplamento de liberação rápida da bomba de reabasteci-


mento está localizado na parte superior do tanque hidráulico
2 nos seguintes modelos de máquinas (Figura 2):

- Elk 6w/8w, Wisent 8w, Gazelle 8w, Fox 8w

Figura 2. 1. Limpe o acoplamento de liberação rápida (2) da bomba


de reabastecimento.
2. Conecte a mangueira de reabastecimento ao acopla-
mento de liberação rápida.
3. Comece o fornecimento de óleo hidráulico pressionando
3 o interruptor (4) localizado sob a tampa (3).
4. Verifique o nível do óleo hidráulico pelo visor (1) durante
o reabastecimento. Pare o reabastecimento pressio-
nando interruptor (4) quando o nível de óleo estiver 1
cm abaixo do limite superior do visor.
5. Retire a mangueira de reabastecimento e limpe o aco-
Interruptor de reabastecimento (3) plamento de liberação rápida.
sob a tampa

1a 1b

4 Interruptor de reabastecimento 1 Visor


— = Iniciar reabastecimento a Bear, Ergo
O = Parar reabastecimento b Beaver, Fox, forwarders

290
8 Hidráulica

8.7 Sistema de filtro fino (equipamento


opcional)

8.7.1 Filtro para sangrar


Substituindo o elemento do filtro:
2 3 1. Certifique-se de que o filtro não esteja pressurizado
(pressão = 0 bar).
2. Abra a tampa (2) da carcaça do filtro (1) girando-a.
1 3. Remova o cartucho filtrante (3).
4. Instale um novo cartucho na carcaça do filtro com a
extremidade com silicone verde primeiro.
5. Substitua a vedação do O-ring da carcaça e coloque a
tampa em seu lugar.
6. Aperte a tampa com a mão.

4 ● Substitua o cartucho do filtro a cada seis meses ou a


cada 1200 horas de operação, ou quando o manômetro
Filtro para sangrar RMF de diferencial (4) sugira que a substituição do cartucho
1 Carcaça do filtro é necessária. Substituir o cartucho será necessário logo
2 Tampa quando o manômetro de diferencial chegar próximo de
3 Cartucho filtrante 5,5 bar, ou seja, na zona amarela. Substitua o cartucho
4 Manômetro de diferencial
quando o manômetro aumentar para 6,2 bar (zona ver-
melha) sob temperatura operacional regular.
● Pressão diferencial mais alta é normal durante a iniciali-
zação (quando o fluido hidráulico está frio).

Se o cartucho do filtro não tiver sido substituído por um longo


período, o cartucho poderá amolecer e se desintegrar parci-
almente. Isso reduzirá a pressão diferencial no cartucho.

8.7.2 Filtro de ar desumidificador


Quando o filtro absorve umidade, a cor dos grânulos de gel
muda.

● Substitua o filtro a cada 1200 horas de operação ou


quando os grânulos de gel estiverem laranja.

Substituir Ativo

Filtro de ar RMF

291
9
Sistema de freios

Índice analítico Parte 9


9.1 Sistema de freios .............................................................. 295
9.1.1 Geral ................................................................. 295
9.1.1.1 Freio de operação ............................................... 295
9.1.1.2 Freio de serviço .................................................. 295
9.1.1.3 Freio de estacionamento ..................................... 295
9.2 Liberar manualmente os freios de estacionamento .............. 297
9.3 Ajustando os freios de estacionamento para que fiquem em
uma condição de deslocamento ......................................... 298
9.4 Sangramento dos freios .................................................... 299
9.4.1 Geral ................................................................. 299
9.4.2 Sangria dos freios de trabalho e operação ............ 300
9.4.3 Sangria do freio de estacionamento ..................... 302
9.4.4 Sangrando a válvula do freio ............................... 304
9 Sistema de freios

9.1 Sistema de freios

9.1.1 Geral
O sistema de freios consiste de um freio de operação, um
freio de estacionamento e um freio de serviço, de acordo
com os requisitos para equipamento florestal. Cada um
destes freios é controlado hidraulicamente.

Se a pressão do óleo do sistema cair para menos de 9 MPa,


o sistema emitirá um alarme (uma cigarra). Neste caso, o
defeito terá de ser reparado imediatamente. A máquina tem
um sistema de carga automática do circuito dos freios. A
pressão de carga é de 16 MPa. O sistema contém três acu-
muladores de pressão para os freios de deslocamento.

A verificação e regulagem do cilindro de freio deve ser reali-


zada por um serviço autorizado PONSSE. Agindo incorreta-
mente, você arrisca sua vida.

9.1.1.1 Freio de operação

Existem freios hidráulicos multidiscos imersos em óleo nos


eixos dos truques dianteiro e traseiro. O freio de operação
é utilizado a partir da cabine com os pedais de freio. Há dois
pedais.

9.1.1.2 Freio de serviço

O freio de serviço usa a pressão hidráulica do sistema de


freios.

O freio afeta as rodas dianteira e traseira. A engrenagem de


acionamento é liberada ao mesmo tempo que o freio é ati-
vado. Pressionar o acelerador libera o freio e, ao invés,
liberar o pedal de deslocamento ativa o freio.

9.1.1.3 Freio de estacionamento

Os freios multidiscos por ação de mola imersos em óleo


estão localizados nas partes dianteira e traseira. Sua libera-
ção é hidráulica. O freio de estacionamento é acionado a
partir da cabine, por meio do respectivo interruptor. O freio

295
9 Sistema de freios

de estacionamento é acionado quando corrente elétrica for


desconectada da máquina ou a pressão for diminuída para
um valor menor do que 4,5 MPa definido para o interruptor
de pressão. Durante o deslocamento, a corrente fica ligada
na válvula deste freio, fazendo com que a pressão hidráulica
mantenha-o destravado.

Se o motor desligar enquanto estiver trabalhando, acione o


freio de estacionamento novamente antes de começar.

296
9 Sistema de freios

9.2 Liberar manualmente os freios de


estacionamento

1
3
4
3
4
2

1 Tampa de proteção 3 Parafuso


2 Arruela de pressão 4 Porca

1 4 2 3 1. Confirme a condição estacionária da máquina.


2. Chassi frontal: Abra a placa protetora do peito-de-aço
por baixo do truque.
Chassi traseiro, harvesters: Abra a placa protetora do
peito-de-aço por baixo do truque.
Chassi traseiro, forwarders: Abra a portinhola de ser-
viço na parte superior do truque.
3. Abra a tampa de proteção (1). Observe as peças dentro
da tampa (Figura 1).
4. Ajuste a arruela de pressão (2) no lugar.
Figura 1. Peças dentro da tampa
5. Gire o parafuso (3) no lugar usando uma chave Allen.
6. Gire a porca (4) em seu lugar.
7. Mantenha o parafuso (3) em seu lugar com uma chave
Allen e aperte a porca (4) usando uma chave de boca
de combinação até se assentar.
8. Prenda a tampa de proteção (1). Aperte-a para o máx.
30 Nm.
9. Prenda a placa protetora do peito-de-aço / portinhola
de serviço.

Chave de boca combinada de 19 mm, chave Allen de 6 mm.

A máquina não tem agora nenhum freio.

297
9 Sistema de freios

9.3 Ajustando os freios de


estacionamento para que fiquem
em uma condição de deslocamento
4
1
3 2
4

1 Tampa de proteção 3 Parafuso


2 Arruela de pressão 4 Porca

1 4 2 3 1. Confirme a condição estacionária da máquina.


2. Chassi frontal: Abra a placa protetora do peito-de-aço
por baixo do truque.
Chassi traseiro, harvesters: Abra a placa protetora do
peito-de-aço por baixo do truque.
Chassi traseiro, forwarders: Abra a portinhola de ser-
viço na parte superior do truque.
3. Abra a tampa de proteção (1).
4. Mantenha o parafuso (3) em seu lugar com uma chave
Allen e abra a porca (4) usando uma chave de boca de
Figura 1. Peças dentro da tampa
combinação.
5. Remova a arruela de pressão (2) e o parafuso (3).
6. Coloque a arruela de pressão (2), parafuso (3) e porca
(4) dentro da tampa conforme mostrado na Figura 1.
7. Prenda a tampa de proteção (1). Aperte-a para o máx.30
Nm.
8. Prenda a placa protetora do peito-de-aço / portinhola
de serviço.

Chave de boca combinada de 19 mm, chave Allen de 6 mm.

298
9 Sistema de freios

9.4 Sangramento dos freios

9.4.1 Geral
Se o ar penetrar no sistema de freios, a eficiência da frena-
gem será reduzida porque o ar provoca afrouxamento nas
tubulações de freio. Nesse caso, deverá ser feita a sangria
dos freios. Para a sangria, os cilindros de freio dos eixos
dianteiro e traseiro contam com parafuso de sangramento.

Use óculos de segurança durante a sangria, pois as tubula-


ções estão pressurizadas.

Não abra os parafusos de sangramento mais do que o indi-


cado nas instruções.

Aplique o freio de estacionamento enquanto estiver san-


grando os freios de serviço.

Aplique o freio de serviço enquanto estiver sangrando os


freios de estacionamento.

Use apenas uma mangueira própria para efetuar sangria;


uma mangueira com válvula, por exemplo. Uma mangueira
aberta não é adequada para efetuar sangria, pois a pressão
no ponto de medição pode chegar a 60 bar.

As mangueiras de sangria com válvulas estão disponíveis


na loja de peças de substituição da Ponsse.

299
9 Sistema de freios

9.4.2 Sangria dos freios de trabalho e


operação
Pontos de medição
Ponto de medição do freio de estacionamento (em ver-
melho)
Ponto de medição do freio de serviço (em azul)

1. Truque/eixo dianteiro Abra a placa protetora do peito-


de-aço debaixo do motor pela frente do truque dianteiro.
Máquinas ActiveFrame de truque dianteiro: Abra a
portinhola de serviço da caixa de transferência.
2. Remova o bujão protetor do ponto de medição do freio
de serviço (2).
3. Conecte uma mangueira adequada para sangria no
ponto de medição. Certifique-se de que a válvula da
mangueira esteja fechada.
4. Aplique o freio de estacionamento.
5. Dê partida no motor.
6. Lentamente, abra a válvula da mangueira de sangria e
sangre cerca de 2 dl de óleo/pontos de sangria em um
recipiente.
7. Feche a válvula e desligue o motor.
8. Desconecte a mangueira e conecte o bujão protetor do
ponto de medição.

9. Truque traseiro: Abra a portinhola de serviço na parte


superior do truque. No ponto de medição do truque tra-
seiro (3), execute as atividades mencionadas anterior-
mente. Consulte a imagem da próxima página.
10. Recoloque os bujões protetores e feche as portinholas
de serviço / placa protetora do peito-de-aço

300
9 Sistema de freios

1 2
2 1

Pontos de medição do truque/eixo dianteiro: Pontos de medição do truque dianteiro:


Forwarders (máquinas não ActiveFrame) ActiveFrame máquinas
1 Ponto de medição do freio de estaciona- 1 Ponto de medição do freio de estaciona-
mento mento
2 Ponto de medição do freio de serviço 2 Ponto de medição do freio de serviço

301
9 Sistema de freios

9.4.3 Sangria do freio de estacionamento


Pontos de medição
Ponto de medição do freio de estacionamento (em ver-
melho)
Ponto de medição do freio de serviço (em azul)

1. Truque/eixo dianteiro Abra a placa protetora do peito-


de-aço debaixo do motor pela frente do truque dianteiro.
Máquinas ActiveFrame de truque dianteiro: Abra a
portinhola de serviço da caixa de transferência.
2. Remova o bujão protetor do ponto de medição do freio
de estacionamento (1).
3. Conecte uma mangueira adequada para sangria no
ponto de medição. Certifique-se de que a válvula da
mangueira esteja fechada.
4. Dê partida no motor.
5. Solte o freio de estacionamento.
6. Lentamente, abra a válvula da mangueira de sangria e
sangre cerca de 2 dl de óleo/pontos de sangria em um
recipiente.
7. Feche a válvula e desligue o motor.
8. Desconecte a mangueira e conecte o bujão protetor do
ponto de medição.

9. Truque traseiro: Abra a portinhola de serviço na parte


superior do truque. No ponto de medição do truque tra-
seiro (4), execute as atividades mencionadas anterior-
mente.
10. Recoloque os bujões protetores e feche as portinholas
de serviço / placa protetora do peito-de-aço

302
9 Sistema de freios

3 4 4
3

Pontos de medição do truque traseiro: Pontos de medição do truque traseiro:


Buffalo 6w/8w, BuffaloDual 8w, BuffaloKing 6w/8w, Elephant 8w,
Buffalo ActiveFrame, ElephantKing 8w, Elephant ActiveFrame,
Elk 6w/8w, Wisent 8w, Gazelle 8w ElephantKing ActiveFrame
3 Ponto de medição do freio de serviço 3 Ponto de medição do freio de serviço
4 Ponto de medição do freio de estacionamento 4 Ponto de medição do freio de estaciona-
mento

303
9 Sistema de freios

9.4.4 Sangrando a válvula do freio

1 1. Incline a cabine para a posição de manutenção e sus-


2
tente-a com o suporte de segurança.
2. Retire o bujão protetor do parafuso de sangramento (3).
3. Instale uma mangueira protetora adequada no parafuso
sangrador (3) para que o óleo pressurizado não espirre
em você.
3
4. Aplique o freio de estacionamento.
1 Pedal de deslocamento 5. Dê partida no motor.
2 Pedal do freio (freio de opera-
6. Abra o parafuso de sangramento (3) girando aproxima-
ção)
3 Parafuso de sangramento do damente ¼ de volta.
cilindro do pedal do freio 7. Quando o fluido não estiver mais borbulhando, feche o
parafuso de sangramento e desligue o motor.

Conector elétrico (5) da válvula direcional do freio de


serviço:

5 5

B3 B3
Bloco hidráulico 3: Bloco hidráulico 3:
Buffalo 6w/8w, Buffalo ActiveFrame, Elk 6w/8w,
BuffaloKing 6w/8w, BuffaloDual 8w, Wisent 8w,
Elephant 8w, Elephant ActiveFrame, Gazelle 8w
ElephantKing 8w, ElephantKing ActiveFrame

8. Retire o conector elétrico da válvula direcional do freio


de serviço (5).
9. Abra o parafuso de sangramento (3) girando aproxima-
damente ¼ de volta.
10. Não se esqueça de aplicar o freio de estacionamento.
11. Dê partida no motor.
12. Aperte o pedal do freio (2), várias vezes até o ar não
sair mais pelo parafuso de sangramento.
13. Feche o parafuso de sangramento (3).
14. Prenda o conector elétrico da válvula direcional do freio
de serviço (5).
15. Desligue o motor.

304
10
Sistema elétrico

Índice analítico Parte 10


10.1 Geral ............................................................................... 307
10.2 Chave geral ...................................................................... 308
10.3 Baterias ........................................................................... 308
10.3.1 Baterias de partida .............................................. 308
10.3.2 Bateria para o sistema de 12 V ............................ 309
10.4 Centrais elétricas .............................................................. 310
10.4.1 Central elétrica principal no compartimento do para-
choque ............................................................... 310
10.4.2 Central elétrica no suporte do equipamento .......... 310
10.4.3 Central elétrica na cabine .................................... 311
10.5 Fusíveis ........................................................................... 313
10.5.1 Os fusíveis no compartimento do pára-
choque ............................................................... 313
10.5.2 Fusíveis no suporte do equipamento .................... 315
10.5.3 Fusíveis na cabine .............................................. 316
10.6 Relés ............................................................................... 319
10.6.1 Os relés no compartimento do pára-choque ......... 319
10.6.2 Relés no suporte do equipamento ........................ 319
10.6.3 Relés na cabine .................................................. 320
10.7 Sensores .......................................................................... 321
10.7.1 Módulo do sensor (Ergo 6w, ActiveFrame) ........... 323
10.8 Aterramento ..................................................................... 324
10 Sistema elétrico

10.1 Geral
A máquina contém três centros elétricos localizados na car-
caça do amortecedor, suporte do equipamento e cabine.

Toda alteração feita no sistema elétrico afetará o funciona-


mento da máquina por inteiro. O fabricante não assume
responsabilidade por danos causados por modificações feitas
no sistema elétrico original que não tiverem sido aprovadas
pela Ponsse Plc.

Nunca desligue a corrente principal na chave geral quando


o motor estiver em funcionamento, porque podem ocorrer
avarias nos componentes eletrônicos e no circuito de carga.
Consulte o capítulo Desligando o motor na seção Operação
e Deslocamento.

Desligue sempre o motor e a chave geral antes de


● manusear componentes eletrônicos
● remover componentes eletrônicos de acionamento
● removendo Opti PC
● desconectar os cabos das baterias.

307
10 Sistema elétrico

10.2 Chave geral


A chave principal (1) situa-se abaixo da porta no quadro
dianteiro da máquina. A chave principal controla o relé da
corrente principal (4), que está localizado na central elétrica
do compartimento do para-choque direito.

A corrente elétrica é fornecida pela bateria através do relé


e fusíveis da corrente principal localizados na central elétrica
principal da corrente do motor (motor de partida, alternadores
de carregamento e a unidade de controle do motor) e os
centros de energia elétrica localizados no suporte da cabine
e do equipamento.

Vinda da bateria, antes da chave geral e do relé principal, a


1 Chave geral corrente 'contínua' é alimentada por seus próprios fusíveis
2 Botão de parada de emergên- para vários sistemas auxiliares, como o sistema extintor de
cia
3 Plugue de ativação de tensão
incêndio, o ar condicionado, o aquecedor adicional movido
4 Relé da corrente principal a combustível (Webasto) e o módulo SCR.

O botão de parada de emergência (2) e o plugue de ativação


de tensão (3) estão localizados ao lado da chave principal
no quadro dianteiro da máquina.

10.3 Baterias

10.3.1 Baterias de partida


Há um sistema elétrico de 24 V (terra negativo) na máquina.
Há duas baterias de 12 V conectadas em série, com capaci-
dade de 180/185 Ah. As baterias estão localizados no quadro
dianteiro da máquina dentro do compartimento do pára-
choque direito.

A máquina possui
● um alternador de carga de 24 V 150 A (motor EU Stage
IV) ou
● dois alternadores de carga de 24 V 100 A conectados
em série (motor EU Stage IIIA de 6 cilindros) ou
● dois alternadores de carga de 24 V 80 A conectados
Baterias de partida em série (motor EU Stage IIIA de 4 cilindros).

308
10 Sistema elétrico

Ao desconectar os cabos da bateria, comece pelo cabo de


aterramento. Ao reconectá-los, deixe o cabo de aterramento
para o final.

Não inverta os polos de conexão das baterias. A conexão


incorreta pode destruir o alternador de carga e avariar todo
o sistema elétrico da máquina.

Ao carregar as baterias com corrente auxiliar dar partida no


motor com outra máquina, siga as instruções separadas
descritas no capítulo Partida auxiliar do motor na seção
Operação e direção deste manual.

10.3.2 Bateria para o sistema de 12 V

1 Bateria para o sistema de 12 V


2 Fusível principal

A bateria fica localizada dentro do compartimento direito da


cabine.

O fusível principal F121/25 A do sistema 12 V está localizado


no fio do terminal positivo da bateria da cabine.

309
10 Sistema elétrico

10.4 Centrais elétricas

10.4.1 Central elétrica principal no


compartimento do para-choque

1 Fusíveis
2 Relé da corrente principal
3 Pontos de aterramento (31K)

A central elétrica está localizada no quadro dianteiro do


compartimento do amortecedor direito.

10.4.2 Central elétrica no suporte do


equipamento

1 Fusíveis
2 Relés
3 Diodo de luz de boas vindas
4 Ponto de aterramento (31K)

A central elétrica situa-se no quadro dianteiro do suporte de


equipamento do lado esquerdo da máquina.

310
10 Sistema elétrico

10.4.3 Central elétrica na cabine


A central elétrica está localizada sob a tampa abaixo da
janela lateral que é aberta na cabine (saída de emergência).

Figura 1
1 Fusíveis
2 Relés
3 Unidade de controle do motor (CPC4)
4 Conexão do barramento CAN de controle do motor
5 Arcnet HUB
6 Módulos da transmissão e da grua
6 Modo da suspensão ativa, atrás da placa de fixação do módulo
(Ergo 6w, ActiveFrame)

Figuras 2 e 3
1 Interruptor de soldagem
2 Conector do sistema de diagnósticos de controle do motor
3 Ponto de aterramento (31C)
4 Unidade de mini volante de direção (atrás da placa de fixação)

311
10 Sistema elétrico

Figura 4
1 Redutor de tensão
2 Pontos de tensão (2 pçs)
3 Relé de trava da ignição
4 Grupo de diodos

Os componentes Figuras 3 e 4 estão localizados atrás da


placa de fixação do módulo (Figura 1). Para visualizar os
componentes, aumente o rack do relé e abra os parafusos
de fixação da placa de fixação do módulo.

312
10 Sistema elétrico

10.5 Fusíveis
As marcas dos fusíveis que começam com a letra 'F' na
tabela abaixo correspondem à ID do dispositivo do esquema
de ligações.

10.5.1 Os fusíveis no compartimento do


pára-choque

Fusíveis principais
(*) ver referências no final da tabela)
1 Posição de reserva
2 Posição de reserva
3 Alimentação da central elétrica Fusível Tama- Função Cone-
da cabine nho xão*)
4 Alternador de recarga A
5 Alimentação da central elétrica FMG1 150 Alternador de carga I (motor EU 30C
do suporte do equipamento
Stage IV)
125 Alternador de carga I (motor EU
Stage IIIA)
FMG2 125 Alternador de carga II (motor EU 30C
Stage IIIA)
FRB 100 Alimentação da central elétrica 30C
do suporte do equipamento
FRCAB 50 Alimentação da central elétrica 30C
da cabine
FGH1 100 Incandescência (motor EU Stage 30C
IIIA)
F90 5 Controle do relé da corrente prin- BAT
cipal
F91 20 Unidade de controle do sistema BAT
SCR (ACM) (motor EU Stage IV)
F92 20 Aquecedor adicional (equipa- BAT
mento opcional Webasto)
F93 5 Temporizador do aquecedor adi- BAT
cional, modems, telefones

313
10 Sistema elétrico

Fusível Tama- Função Cone-


nho xão*)
A
F94 20 Ar condicionado e aquecedor, BAT
dispositivo anti-roubo (equipa-
mento opcional)
F95 10 Sistema extintor de incêndio BAT
(equipamento opcional)
F96 Posição de reserva BAT
F97 Posição de reserva BAT
FGS 5 Carregamento do regulador de 30C
tensão
F101 20 Unidade de controle do motor 30C
(MCM2)
F102 10 Abertura da tampa do motor 30C
F103 7,5 Compressor do ar condicionado 30C
F104 Posição de reserva
F105 1 Incandescência (motor EU Stage KE1:88a
IIIA)
F106 Posição de reserva
F107 Posição de reserva

*)
BAT = Tensão contínua
30C = Tensão controlada com a chave principal

314
10 Sistema elétrico

10.5.2 Fusíveis no suporte do equipamento

Fusí- Tama- Função


vel nho
A
F70 Posição de reserva
F71 20 Farol de serviço, esquerdo
F72 20 Farol de serviço, direito
F73 20 Farol de serviço, ré
F74 15 Farol de serviço, avanço
F75 15 Farol de serviço, avanço
F76 20 Farol de serviço, grua/carregador
F77 15 Farol de serviço, lança
F78 Posição de reserva
F79 Posição de reserva
F80 Posição de reserva
F81 10 Bomba de vácuo
F82 10 Tomada de 24 V, luz de reparo
F83 15 Aquecimento do filtro de combustível
F84 5 Luz da chave principal, luzes de serviço
F85 25 Ventilador de arrefecimento hidráulico adici-
onal
F86 25 Inclinação da cabine
F87 20 Bomba de reabastecimento de combustível
F88 20 As bombas de reabastecimento para óleo
hidráulico e para os sprays para tratamento
de cepas
F89 Posição de reserva

315
10 Sistema elétrico

10.5.3 Fusíveis na cabine

Fusí- Tama- Função Cone-


vel nho xão*)
A
F1 5 Trava da ignição 30C
F2 7,5 Redutor de tensão 12 V 30C
F3 10 Unidade de controle do motor 30C
(CPC4, na cabine)
F4 5 Bomba a vácuo hidráulica 30C
F5 7,5 Iluminação de fundo, luzes de 30C
estacionamento
F6 7,5 Sinais do pisca 30C
F7 3 Interruptores do farol de serviço 30C
F9 **) 3 Escala do carregador 30C
F10 Posição de reserva 30C
F11 Posição de reserva 30C
F12 3 Telefone 30C
F13 1 Modem 30C
F14 Posição de reserva
F15 Posição de reserva
F16 7,5 Luz de boas vindas BAT, F94
F17 3 Luzes de estacionamento,
direito
F18 3 Luzes de estacionamento,
esquerdo
F31 7,5 Unidade de controle do motor 15C
(MCM2, na lateral do motor)
F32 7,5 Carga de pressão dos freios 15C
F33 7,5 Luzes de advertência 15C
F34 7,5 Alarmes sonoros 15C
F35 10 Unidade de controle do sistema 15C
SCR (motor EU Stage IV)
F36 15 Limpadores do pára-brisa 15C
F37 10 Lavadores do para-brisa 15C
F38 15 Limpadoras das janelas laterais 15C
(equipamento opcional)
F39 20 Ar condicionado 15C
F40 10 Mini-volante de direção 15C

316
10 Sistema elétrico

Fusí- Tama- Função Cone-


vel nho xão*)
A
F41 10 Faróis dianteiros 15C
F42 10 Luzes de frio, buzina 15C
F43 10 Aquecimento elétrico do assento 15C
F44 15 Módulo do cabeçote de harves- 15C
ter
F45 3 Concentrador (Hub) 15C
F46 15 Transmissão 15C
F47 3 Sensores 15C
F48 3 Sensores de pressão 15C
F49 15 Módulo do assento 15C
F50 15 Controle da grua/carregador 15C
F51 7,5 Módulo da suspensão ativa 15C
(Ergo 6w, ActiveFrame)
F52 7,5 Módulo do sensor debaixo da 15C
cabine (Ergo 6w, ActiveFrame)
F53 10 Sistema de lubrificação central 15C
(equipamento opcional)
F54 7,5 Redutor de tensão, refrigerador 15C
F55 5 Revertendo câmera 15C
F56 7,5 Aquecedor de alimentos (equipa- 15C
mento opcional)
F57 7,5 Sistema extintor de incêndio 15C
(equipamento opcional)
F58 7,5 Expansão ES para equipamento 15C
opcional
F59 7,5 Posição de reserva 15C
F60 5 Sensores de limite da grua/car- 15C
regador
F68 7,5 Opti PC BAT/F94
F69 1 Opti (pré-aquecimento) K54:30,
F39/F94
F122 15 Rádio, Opti PC 12 V, BAT
F123 25 Alarme antifurto, travamento 12 V, BAT
central (equipamento opcional)
F124 7,5 Refrigerador (equipamento 12 V, T52
opcional)
F125 5 Rádio 12 V, 15C
F126 10 Tomadas de tensão da cabine, 12 V, 15C
impressora

317
10 Sistema elétrico

*)
BAT = Tensão contínua
30C = Tensão controlada com a chave principal
15C = Tensão controlada com a trava da ignição

**) Um limitador de corrente elétrica de 0,2 A é usado como


o fusível F9 em máquinas equipadas com a escala do carre-
gador PONSSE LoadOptimizer PC. Observe a polaridade
correta do limitador de corrente. A direção de instalação é
mostrada na imagem.

318
10 Sistema elétrico

10.6 Relés
As marcas dos relés que começam com a letra 'K' na tabela
abaixo correspondem à ID do dispositivo do esquema de
ligações.

10.6.1 Os relés no compartimento do


pára-choque

Relé da corrente principal

Relé Tamanho Função


KS1 24 V / 300 A Relé da corrente principal
KE1 24 V / 150 A Incandescência (motor EU Stage IIIA)
K5 24 V / 20 A Controle do compressor do ar condicio-
nado

10.6.2 Relés no suporte do equipamento

Relé Tamanho Função


K71 24 V / 20 A Farol de serviço, esquerdo
K72 24 V / 20 A Farol de serviço, direito
K73 24 V / 20 A Farol de serviço, ré
K74 24 V / 20 A Farol de serviço, avanço
K75 24 V / 20 A Farol de serviço, avanço
K76 24 V / 20 A Farol de serviço, grua/carregador
K77 24 V / 20 A Farol de serviço, lança
K85 24 V / 20 A Ventilador de arrefecimento hidráulico
adicional
K86 24 V / 20 A Inclinação da cabine

319
10 Sistema elétrico

10.6.3 Relés na cabine

Relé Tamanho Função


K50 24 V / 20 A Carga de pressão dos freios
K51a 24 V / 20 A Parada do motor
K51b 24 V / 20 A Motor de arranque impedido
K52 24 V / 20 A Carga de pressão dos freios impedida
K53 24 V / 20 A Módulo do cabeçote de harvester
K54 24 V / 20 A Aquecimento da cabine
K55 Sinais do pisca
K56 24 V / 20 A Sistema de 12 V
K57 24 V / 20 A Limpador do para-brisa
K58 24 V / 20 A Limpador da janela traseira
K59 24 V / 20 A Lava pára-brisas
K60 24 V / 20 A Sistema automático do freio de estaci-
onamento
K61 24 V / 20 A Sistema de lubrificação central (equi-
pamento opcional)
K62 24 V / 20 A Sistema extintor de incêndio (equipa-
mento opcional)
K63 24 V / 20 A Bomba de vácuo
K64 24 V / 20 A Limpador da janela lateral, esquerdo
K65 24 V / 20 A Limpador da janela lateral, direito
K66 24 V / 20 A Lavador da janela traseira
K67 24 V / 20 A Lavadores das janelas
K69 24 V / 20 A Aquecimento da cabine

320
10 Sistema elétrico

10.7 Sensores

Harvester Forwarder

321
10 Sistema elétrico

Sensor Função/local
A8 Módulo do sensor/ângulo de inclinação do chassi
dianteiro, no chassi debaixo da canine (Ergo 6w,
ActiveFrame)
B2 Sensor de bloqueio do filtro de circulação de
resfriamento, no tanque de óleo hidráulico
B4 Interruptor de pressão de carga do freio no bloco
de válvulas (forwarder)
B5 Interruptor de pressão do ar condicionado, em
conexão com o secador
B8 Sensor de temperatura do óleo hidráulico, no
tanque de óleo hidráulico
B9 Interruptor de limite mínimo da pressão da
transmissão de deslocamento, no bloco de
medição
B11 Sensor de temperatura externa, na admissão de
ar de arrefecimento da máquina
B12 Sensor de velocidade de condução no motor de
deslocamento
B13 Sensor de limite mínimo do líquido de arrefeci-
mento no tanque de expansão
B14 Sensor do medidor de combustível
B15 Sensor de posição do pedal hidráulico (avida se
os pedais não se encontram totalmente na posi-
ção para cima)
B16 Sensor de luz do freio, parte inferior da cabine
B17 Sensor de limite de elevação na junta de eleva-
ção
B18 *) Sensor de limite de retração da lança na junta
da lança
B19 *) Sensor de limite de prolongamento da lança na
junta da lança
B25 Interruptor de pressão do freio de estaciona-
mento, no bloco de válvulas
B26 Sensor do filtro de ar para o grau de bloqueio,
na carcaça do filtro
B27 Sensor do limite mínimo do óleo hidráulico
B30 Sensor do filtro de retorno para o grau de blo-
queio, no tanque de óleo hidráulico
BQ44 Sensor AdBlue combinado (medição de nível,
temperatura e qualidade, motor EU Stage IV)
B48 Interruptor de limite mínimo da pressão dos freios

322
10 Sistema elétrico

Sensor Função/local
B51, B52 Sensores de engrenagem, no motor de aciona-
mento
B60 Interruptor de pressão do freio de estaciona-
mento, no bloco de válvulas
B70 Transmissor de pressão do circuito do harvester,
no bloco de válvulas
B72 Sensor de direção do assento
B73 Sensor do cinto de segurança, no assento do
operador
B97 Sensor de ângulo do truque/eixo dianteiro (Ergo
6w, ActiveFrame)
B105 Sensor do ângulo de inclinação da grua
B321 Sensor de limite superior da bomba de reabaste-
cimento de combustível, no tanque de combustí-
vel
S30 Interruptor da porta, na porta da cabine

*) Para obter instruções mais detalhadas, leia o Manual do


Proprietário da grua/carregador.

Para os sensores do motor, leia separadamente o Manual


do Proprietário do motor.

10.7.1 Módulo do sensor (Ergo 6w,


ActiveFrame)

O módulo do sensor está localizado no chassi dianteiro, do


lado direito da máquina, embaixo da cabine.

323
10 Sistema elétrico

10.8 Aterramento
Ao verificar o aterramento, certifique-se de que os parafusos
estejam firmemente apertados, limpos e sem corrosão.

Aterra- Posição
mento
31A No motor abaixo do motor de partida
31Bw Na parte de trás do motor
31C *) Na parede da frente da cabine, ao lado da central
elétrica
31D No quadro traseiro
31E No quadro da frente, do lado da porta, perto dos
blocos de válvulas
31F No quadro da frente, à direita
31K *) Na central elétrica principal
31R *) Na central elétrica no suporte do equipamento

*) As posições dos pontos de aterramento nas centrais elétri-


cas são apresentadas nas figuras na seção 10.4 Centrais
elétricas.

324
11
Especificações técnicas

Índice analítico Parte 11


11.1 Apresentação da máquina ................................................. 327
11.2 Localizações das placas e do número de identificação do
produto ............................................................................ 328
11.3 Principais componentes .................................................... 329
11.4 Filtros ............................................................................... 330
11.5 Especificações técnicas .................................................... 331
11.6 Características, quantidades e graus de qualidade dos
líquidos e óleos ................................................................ 334
11.7 Recomendações de óleo e graxa ....................................... 337
11.7.1 Óleos e graxas PONSSE Logger's ....................... 337
11.7.2 Óleos e graxas recomendados por fabricantes de
óleo ................................................................... 338
11.8 Recomendações da pressão dos pneus ............................. 340
11.8.1 Nokia Forestry Tyres / Harvesters ........................ 341
11.8.2 Nokia Forestry Tyres / Forwarders ....................... 343
11.8.3 Trelleborg TWIN Forestry / Harvesters ................. 345
11.8.4 Trelleborg TWIN Forestry / Forwarders ................. 346
11 Especificações técnicas

11.1 Apresentação da máquina

1 Chassi frontal 13 19
2 Quadro traseiro 16 18
17 20
3 Carregador 9 8
4 Garra 19
14 21
5 Lateral da porta (lado 12
esquerdo) 13
6 Lado direito 1
7 Base de transporte do carrega-
dor 11 10 18
8 Pontos de fixação dos degraus
movíveis
9 Armazenamento dos degraus 15a
movíveis 15b
10 Chave geral 8 8
11 Botão de parada de emergên-
cia
12 Saída de emergência
13 Extintores de incêndio portáteis
5 6
14 Reabastecimento, acoplamento
de liberação rápida e seletores 8 8
de operação da bomba de rea-
3
bastecimento
15a Reabastecimento do óleo
hidráulico, acoplamento de
liberação rápida, seletores de
operação e visor da bomba de 2
reabastecimento
15b Reabastecimento do óleo
hidráulico sem a bomba de 4
reabastecimento
16 Abertura da tampa do motor
17 Tanque de aditivo (AdBlue®) 7
18 Baterias
19 Centrais elétricas
20 Motor diesel 8 8
21 Conexão de corrente auxiliar

327
11 Especificações técnicas

11.2 Localizações das placas e do número de identificação do


produto

1
2

1 A placa do tipo da cabine de segurança está localizada


acima da janela dianteira dentro da cabine.
2 A placa do tipo da máquina base e a marca CE estão
localizadas no lado esquerdo do chassi frontal da
máquina.
3 O Número de Identificação do Produto da máquina base
está estampado ou gravado na lateral traseira direita
do chassi frontal da máquina.
4 A placa do tipo do carregador está localizada na parte
inferior da coluna.

328
11 Especificações técnicas

11.3 Principais componentes

12
13
14 7 1 15 3 4 6 5 8 2 9

10 11

1 Motor: MB OM 936LA EU Stage IV / MB OM 906LA EU


Stage IIIA
2 Válvula direcional: PARKER K220LS
3 Bomba de circuito da grua: REXROTH A11VLO190
4 Bomba da transmissão de deslocamento: DANFOSS
H1P165
5 Bomba de circulação: 75 cm3 (sistema de arrefecimento
do óleo hidráulico)
6 Bomba do ventilador hidráulico: DANFOSS H1P045
7 Motor do ventilador hidráulico: DANFOSS LC25
8 Motor da transmissão de deslocamento: DANFOSS
H1B160
9 Caixa de transmissão: NAF PO46
10 Truque dianteiro:
- truque padrão NAF PO100
- truque balanceado (opcional) NAF PO98
11 Truque traseiro:
- truque padrão NAF PO50
- truque balanceado (opcional) NAF PO75
12 Resfriador do motor
13 Resfriador do ar condicionado
14 Resfriador do óleo hidráulico
15 Compressor pneumático

329
11 Especificações técnicas

11.4 Filtros
1
2
6 4
8 7 9 10 3 11 5 12 13

No. Filtro Quantidade/pçs


1 Filtro de retorno do óleo hidráulico 1
- trocar cartucho
2 Filtro de pressão para evaporação e circulação na filtração 1
- trocar cartucho
3 Filtro da pressão de alimentação da transmissão de deslocamento 1
4 Respiro do tanque de óleo hidráulico 1
5 Filtro da pressão de alimentação da bomba do ventilador hidráulico 1
6 * Filtro de óleo do motor
)
1
7 *) Filtro de combustível do motor 1+1
8 *) Separador de água do combustível do motor 1
- trocar cartucho
9 *) Filtro de ar do motor 1+1
10 * Sistema SCR de purificação de gás do escapamento filtro da
)
1
bomba (motor de Estágio IV da UE)
11 Filtro de recirculação/ar fresco do ar condicionado 1+1
Sistema de filtro fino de RMF (equipamento opcional):
12 Filtro para sangrar 1
13 Filtro de ar desumidificador 1

Para obter instruções sobre a substituição do filtro, consulte


a seção Instruções de operação e serviço.

330
11 Especificações técnicas

11.5 Especificações técnicas


3170 2020 (2280)
3910

730

2750 1880 3950


10600 (10860) 350

Peso
Peso mínimo ....................................................... 20 600 kg
Peso normal ........................................................ 21 100 kg

Dimensões
Comprimento ...................................... 10 600–10 860 mm
- prendedor deslizante ....................................... + 700 mm
Largura:
- truque padrão ...................................... 2990–3300 mm
- truque equilibrado (opcional) ............... 2990–3300 mm
Altura de transporte ............................................ 3910 mm
Distância do solo .................................................. 730 mm

Capacidade de carga
Capacidade de carregamento ............................ 18 000 kg
Seção cruzada do espaço de carga ................. 5,2–5,8 m²
Comprimento do espaço de carga ............ 5190–5450 mm
- prendedor deslizante ....................................... + 700 mm
O malhal pode ser movido hidraulicamente.
O malhal pode ser elevado hidraulicamente. (opcional)

Motor
MB OM936LA EU Stage IV *)
Potência nominal ............................. 210 kW a 2200 rpm **)
Torque .................................... 1150 Nm @ 1200–1600 rpm
Volume do tanque de combustível ............................. 200 L

ou

331
11 Especificações técnicas

MB OM906LA EU Stage IIIA *)


Potência nominal ............................. 205 kW a 2200 rpm **)
Torque .................................... 1100 Nm @ 1200–1600 rpm
Volume do tanque de combustível ............................. 200 L
*) Diretiva não rodoviária da UE 97/68/CE
**) ECE R120
***) ECE R24/03

Transmissão
Transmissão hidrostática-mecânica com controle eletrônico.
Duas faixas de velocidade para a frente e ré. Desengate da
tração traseira.
Força de tração ....................................................... 210 kN

Velocidade de deslocamento .......................... 0–20 km/h

Eixos
Dianteiro e traseiro com engrenagens planetárias e bloqueios
de engrenagem diferencial, eixos tipo bogie com transmissão
de roda dentada.

Pneus
Dianteiros ............................ 710/45-26.5 ou 800/50R-26.5
Traseiros ................................ 750/50-26.5 ou 750/55-26.5

Sistema hidráulico de serviço


Circuito individual de filtragem e arrefecimento
Bomba do carregador ............................................ 190 cm³
Pressão (carregador K100+) ............................... 26,5 MPa
Volume do tanque de óleo hidráulico ......................... 170 L

Direção
Volante reduzido / controle linear por botões
Direção articulada, ângulo da direção ........................ ± 44°
Raio de giro externo ............................................. 9100 mm

Carregador
PONSSE K100+ M/S

Garra
PONSSE 360/360S ................................................ 0,36 m²
PONSSE 420 .......................................................... 0,42 m²

Sistema de controle
PONSSE OptiControl

332
11 Especificações técnicas

Sistema elétrico
Voltagem .................................................................... 24 V
Baterias ...................................................... 2 pcs x 185 Ah

Alternador de recarga
- Motor EU Stage IV: ............................................... 150 A
- Motor EU Stage IIIA: ....................................... 2 x 100 A

Faróis de trabalho:
Máx. de halogênio ....................................... 19 pçs x 70 W
HID (Alta Descarga de Intensidade) máx. (opcio-
nal) .............................................................. 19 pçs x 35 W
Luz LED (opcional) ..................................... 19 pçs x 50 W

Freios
Freio de operação: freios hidráulicos multidiscos, dianteiro
e traseiro.
Freio de estacionamento: freios multidiscos de mola, dianteiro
e traseiro.
Freio de serviço: atua nos freios dianteiro e traseiro.

Cabine
Cabine de segurança que atende as seguintes normas:
ROPS: ISO 8082-1
FOPS: ISO 8083, 11 600 J
OPS: ISO 8084, WCB G604 (35,6 kN)
Janelas fabricadas em chapas de policarbonato rígido.
Assento pneumático regulável. Sistema semiautomático de
controle de ar condicionado e calefação.

Entre em contato com o agente de vendas Ponsse mais


próximo para obter mais informações sobre o equipamento
padrão e opcional.

O fabricante se reserva o direito de efetuar modificações e


aprimoramentos técnicos.

333
11 Especificações técnicas

11.6 Características, quantidades e graus de qualidade dos


líquidos e óleos
A tabela indica as quantidades de óleo para motores, truques e eixos junto com a troca do
óleo.

Recursos Quanti- Qualidade


dade
Item
aproxi-
mada (l)
1. Radiador Motor EU Etilenoglicol + água 20 + 20
Stage IV 1)

Motor EU Etilenoglicol + água 12 + 12


Stage IIIA 1)

Propilenoglicol +
água purificada
2. Motor Motor EU 25 2)

Stage IV
Motor EU 28,5
Stage IIIA
3. Recipiente de líquido de limpeza Água + líquido de 5 3)

limpeza das janelas


4. Óleo do compressor do ar condicio- ZXL 100PG 4)
ISO VG 46
nado (ao trocar o compressor)
5. Baterias Água purificada
6. Engrenagem planetária do truque tra- SAE 80W-90 4x7 GL 4
seiro
7. Carcaças do truque traseiro
Truque padrão SAE 80W-90 2 x 29 GL 4
Truque equilibrado SAE 80W-90 2 x 29 GL 4
8. Engrenagem diferencial do truque tra- SAE 80W-90 13,5 GL 5 / LS
seiro
9. Pivôs de giro do truque dianteiro/tra- Graxa 8 x 9) NLGI-2 / KP 2
seiro
10. Engrenagem planetária do truque SAE 80W-90 4 x 4,8 GL 4
frontal
11. Carcaças do truque dianteiro
Truque padrão SAE 80W-90 2 x 19 GL 4
Truque equilibrado SAE 80W-90 2 x 19 GL 4
12. Engrenagem diferencial do truque SAE 80W-90 11,5 GL 5 / LS
dianteiro
13. Caixa de transferência SAE 80W-90 5 GL 4

334
11 Especificações técnicas

Recursos Quanti- Qualidade


dade
Item
aproxi-
mada (l)
14. Tanque hidráulico Hydraulic SHS 22-68 170 ISO-VG 22-68
(SMR 22-68)
15. Tanque de combustível Óleo diesel 200 DIN EN 590
ASTM D975 15)
16. Aditivo DEF 16) 29 DIN 70700
ISO 22241-1
17. Bomba de inclinação da cabine Fluido hidráulico sin- 1 ISO VG 13–26
tético
18. Sistema de lubrificação central Graxa 4 NLGI 1 mais frio
que
-15°C
NLGI 2 mais
quente que
-15°C
1)
Nos motores EU Stage IV Mercedes-Benz, usa-se fluido
de radiador Mercedes-Benz de classificação 325.5 ou 326.5.
Misture o fluido de radiador de classificação 325.5 com água
na proporção de 50% / 50%. O fluido de radiador de classifi-
cação 326.5 está pronto para o uso.

Nos motores Mercedes-Benz EU Stage IIIA , usa-se líquido


de radiador Mercedes-Benz de classificação 325.0, 325.2
ou 325.3 . Misture o líquido de radiador com água na propor-
ção de 50% / 50%.
2)
Para óleos de motor conforme a classificação recomendada
Mercedes-Benz 228.5 (228.3), consulte o Mercedes-Benz
Maintenance Booklet. Os motores das máquinas florestais
PONSSE não estão equipados com filtros de partículas die-
sel, por isso as classificações 228.3 e 228.5 são suficientes.

Junto com a troca do óleo


● motor EU Stage IV : 25 litros
● motor EU Stage IIIA : 28,5 litros
incluindo o filtro.
3)
O recipiente de líquido de limpeza dos vidros está locali-
zado sob a carcaça direita da cabine da máquina.

335
11 Especificações técnicas

Para a lavagem de janelas de policarbonato, recomendamos


o uso de apenas do fluido de lavagem do para-brisa PONSSE
Logger’s Windscreen Cleaner .

Para obter mais instruções, consulte o capítulo Janelas da


cabine na seção Cabine e controles.
4)
Sempre acrescente ao sistema a mesma quantidade de
óleo removida com o componente substituído. Não misture
óleos de fabricantes diferentes. Meça a quantidade de óleo
dentro do compressor antigo ao trocar o compressor.
Remova o óleo do compressor novo e abasteça-o pelo
conector lateral de sucção com a mesma quantidade que foi
removida do compressor antigo.
9)
Mancal auto-lubrificado, os retentores de mancal são
lubrificados a cada 1800 horas, ou pelo menos uma vez ao
ano. Para obter instruções mais detalhadas, consulte a seção
Engraxamento.
15)
EU Stage IV motor: Porcentagem máxima de biodiesel
7%, teor máximo de enxofre 50 ppm. Não são permitidos
outros tipos de combustíveis diesel. Consulte Mercedes-Benz
Maintenance booklet.
16)
EU Stage IV motor: DEF (Fluido do Escapamento a Diesel)
é um nome comum para aditivos usados em sistemas SCR.
Por exemplo, AdBlue® (marca registrada da VDA) é um adi-
tivo DEF geralmente disponível.

336
11 Especificações técnicas

11.7 Recomendações de óleo e graxa

11.7.1 Óleos e graxas PONSSE Logger's


Item PONSSE Logger's
1. Transmissão engrenagens diferenci- Differential Oil 80W-90 GL-5 LS
ais 1)
carcaças do truque Gear Oil 80W-90 GL-5
engrenagens planetá-
rias
caixa de transferência
2. Motor 2)
Engine Oil 10W-40 Plus (MB 228.5)
Engine Oil 10W-40 (MB 228.3)
3. Hidráulica óleo mineral Hydraulic Oil 32 Super
Hydraulic Oil 46 Super
bio-óleo Bio Hydraulic Oil 46
4. Graxa lubrificante
engraxa- mancais Pro Grease NLGI 2
mento pinos de forquilha, Grease NLGI 0, NLGI 2
manual mancais deslizantes e
corrente da serra
mancais do rolo, juntas Universal Grease NLGI 2
do cardã e pontos de
engraxamento diário.
lubrificação central Center Grease EP0, EP1
1)
LS (deslizamento limitado) é o óleo recomendado para
caixas de diferencial para evitar vibrações nos freios (fenô-
meno de retenção-deslizamento). Porém, o aditivo LS reduz
o atrito do freio. Se uma força de frenagem mais alta for
necessária, use óleo sem nenhum aditivo LS.
2)
Em motores Mercedes-Benz, o primeiro tanque de óleo é
um óleo de motor de gradação SAE 5W-30. É recomendado
quando a temperatura ambiente cair abaixo de -20°C.

337
11 Especificações técnicas

11.7.2 Óleos e graxas recomendados por fabricantes de óleo


Item Neste Shell
1. Transmis- engrenagens diferenci- Hypoidi LS 80W-90 GL 5 Spirax S3 ALS 80W-90,
são ais 1) GL-5
Spirax S3 AX 80W-90,
GL-5
carcaças do truque Hypoidi MP 80W-90 GL5 Spirax S3 G 80W-90,
engrenagens planetá- GL-4
rias
caixa de transferência Spirax S3 AX 80W-90,
GL-5
2. Motor 2)
Turbo Super 5W-30 Rimula R6 M / R6 ME
Turbo Super 10W-40 5W-30
(MB 228.5) 10W-40 (MB 228.5)
Turbo LXE 15W-40 Rimula R4 15W-40
(MB 228.3) (MB 228.3)
3. Hidráulica óleo mineral Hydrauli 22, 32, 46, 68 Tellus S2V32, S2V46,
Super S2V68
bio-óleo Neste Biohydrauli SE 46, Naturelle HF-E32, HF-
68 E46
4. Graxa de lubrificação, lubrificação Center Grease EP 00 Centra W EP 00
central
5. Caixa de engrenagens da bomba Hypoidi S 75W-140 Spirax S3 AS 80W-140
(Ergo, Bear, ScorpionKing)
6. Radiador 6) Motor EU Stage IV Neste Coolant Longlife M
Motor EU Stage IIIA Neste XLC
Neste Biojäähdytinneste
(Bio Antifreeze)
1)
LS (deslizamento limitado) é o óleo recomendado para
caixas de diferencial para evitar vibrações nos freios (fenô-
meno de retenção-deslizamento). Porém, o aditivo LS reduz
o atrito do freio. Se uma força de frenagem mais alta for
necessária, use óleo sem nenhum aditivo LS.
2)
Em motores Mercedes-Benz, o primeiro tanque de óleo é
um óleo de motor de gradação SAE 5W-30. É recomendado
quando a temperatura ambiente cair abaixo de -20°C.
6)
Na fábrica, o líquido de radiador usado é
● Motor EU Stage IV: Neste Coolant Longlife M
● Motor EU Stage IIIA: agente anticongelante de alta
durabilidade Neste XLC ou Neste Biojäähdytinneste (Bio
Antifreeze).

338
11 Especificações técnicas

Verifique o tipo original de líquido do radiador no adesivo do


tanque de expansão. Para manter sua qualidade anti-corro-
siva e de resfriamento, o líquido do radiador deve ser trocado
conforme indicado nas instruções de manutenção (a cada
3600 horas) e a durabilidade congelante do líquido deve ser
verificada a cada 1800 horas. Se o líquido do radiador for
trocado por outro tipo aprovado, verifique o tempo recomen-
dado para a troca pois tipos diferentes de líquidos de radiador
devem ser trocados em intervalos diferentes.

Quando o líquido do radiador for trocado, é importante lem-


brar que líquidos de marcas diferentes não podem ser mis-
turados. Caso haja mudança na marca utilizada, o sistema
de arrefecimento deve ser lavado com água antes que o
novo líquido seja adicionado no sistema. Ao mudar para
Biojäähdytinneste (Bioanticongelante) (observe os requisitos
de qualidade para o líquido do motor/radiador; motor EU
Stage IV: 325,5 ou 326,5, motor EU Stage IIIA: 325.0, 325.2
ou 325.3), o sistema deve ser lavado primeiro com água
purificada especial.

Para mais informações, entre em contato com um serviço


autorizado PONSSE.

339
11 Especificações técnicas

11.8 Recomendações da pressão dos


pneus
Harvesters

Dianteiros Traseiros
Front Rear

Scorpion

Dianteiros Traseiros
Front Rear

Forwarders

Dianteiros Traseiros
Front Rear

Padrão da banda de rodagem / Nokia Forestry Tyres

F F2 Rider ELS TRS / TRS2


Nordman
TRS
Pressão máxima de inflação na instalação do
talão

250 kPa (36 p.s.i)

Padrão da banda de rodagem / Trelle-


borg TWIN Forestry

T480 T440

340
11 Especificações técnicas

11.8.1 Nokia Forestry Tyres / Harvesters


Pressão de inflação
Harvesters Padrão da banda de rodagem 100kPa = 1bar
F TRS Dianteiros Traseiros Com estei-
*) Nordman *) Nordman Front Rear ras (Máx.)
F TRS
Máquina Tamanho do pneu/PR **) F2 Rider ELS **) TRS2 kPa p.s.i kPa p.s.i kPa p.s.i

Bear 6w 650/65-26.5/20 – – Rear – – – 460 67 550 80


Rear
750/55-26.5/20 – – Rear – – 460 67 550 80
*) Rear
750/55-26.5/24 **)Rear – – – – – 460 67 600 87
780/55-26.5/20 Rear – – – – – 460 67 550 80
800/50R26.5 Rear – – – – – 460 67 550 80
700/70-34/16 – – – Front 260 38 – – 260 38
710/70R34 – Front – – 300 44 – – 400 58
Bear 8w 650/65-26.5/20 Front/Rear – Front/Rear – 400 58 460 67 550 80
Front/Rear
Front/Rear
750/55-26.5/20 *) – – 400 58 460 67 550 80
**)Front/Rear
Front/Rear
750/55-26.5/24 **)Front/Rear – – – 400 58 460 67 600 87
780/55-26.5/20 Front/Rear – – – 400 58 460 67 550 80
800/50R26.5 Front/Rear – – – 400 58 460 67 550 80
Beaver 6w Front/Rear
*) *)Front/Rear
600/55-26.5/20 – – 380 55 460 67 550 80
Front/Rear **)Front/Rear
**)Front/Rear
600/55R26.5 – Front/Rear – – 380 55 460 67 550 80
710/45-26.5/16 Front/Rear – – – 350 51 460 67 460 67
Front/Rear
*) *)Front/Rear
710/45-26.5/20 – – 350 51 460 67 550 80
Front/Rear **)Front/Rear
**)Front/Rear
710/45R26.5 – Front/Rear – – 350 51 460 67 550 80
Front/Rear
800/40-26.5 – – **)Front/Rear 350 51 460 67 500 73
**)Front/Rear
Ergo 6w Rear
600/55-26.5/20 *) Rear – – *)Rear – – 460 67 550 80
**)Rear
600/55R26.5 – Rear – – – – 460 67 550 80
710/45-26.5/16 Rear – – – – – 460 67 460 67
Rear
710/45-26.5/20 *) Rear – – *)Rear – – 460 67 550 80
**)Rear
710/45R26.5 – Rear – – – – 460 67 550 80
Rear
800/40-26.5/20 **) – – Rear – – 460 67 500 73
Front/Rear
600/65-34/20 – – – *)Front 300 44 – – 360 52
600/65R34 – Front – – 300 44 – – 400 58
700/55-34/20 – – – *)Front 300 44 – – 360 52
710/55R34 – Front – – 300 44 – – 400 58
Ergo 8w Front/Rear
Ergo 8w Active- *) *)Front/Rear
600/55-26.5/20 – – 350 51 460 67 550 80
Frame Front/Rear **)Front/Rear
**)Front/Rear
600/55R26.5 – Front/Rear – – 350 51 460 67 550 80
710/45-26.5/16 Front/Rear – – – 350 51 460 67 460 67
Front/Rear
*) *)Front/Rear
710/45-26.5/20 – – 350 51 460 67 550 80
Front/Rear **)Front/Rear
**)Front/Rear
710/45R26.5 – Front/Rear – – 350 51 460 67 550 80
800/40-26.5/20 Front/Rear – – – 350 51 460 67 500 73

341
11 Especificações técnicas

Fox 8w Front/Rear
*) *)Front/Rear
600/55-26.5/20 – – 400 58 460 67 550 80
Front/Rear **)Front/Rear
**)Front/Rear
600/55R26.5 – Front/Rear – – 400 58 460 67 550 80
710/45-26.5/16 Front/Rear – – – 400 58 460 67 460 67
Front/Rear
*) *)Front/Rear
710/45-26.5/20 – – 400 58 460 67 550 80
Front/Rear **)Front/Rear
**)Front/Rear
710/45R26.5 – Front/Rear – – 400 58 460 67 550 80
Front/Rear
800/40-26.5 – – **)Front/Rear 350 51 460 67 500 73
**)Front/Rear
Scorpion 8w Front/Rear
ScorpionKing 8w *) *)Front/Rear
600/55-26.5/20 – – 550 80 550 80 550 80
Front/Rear **)Front/Rear
**)Front/Rear
600/55R26.5 – Front/Rear – – 550 80 550 80 550 80
710/45-26.5/16 Front/Rear – – – 460 67 460 67 460 67
Front/Rear
*) *)Front/Rear
710/45-26.5/20 – – 550 80 550 80 550 80
Front/Rear **)Front/Rear
**)Front/Rear
710/45R26.5 – Front/Rear – – 550 80 550 80 550 80
Front/Rear
800/40-26.5 – – **)Front/Rear 350 51 460 67 500 73
**)Front/Rear

342
11 Especificações técnicas

11.8.2 Nokia Forestry Tyres / Forwarders


Pressão de inflação
Forwarders Padrão da banda de rodagem 100kPa = 1bar
TRS Dianteiros Traseiros Com esteiras
F *) Nordman Front Rear (Máx.)
*) Nordman F TRS
Máquina Tamanho do pneu/PR **) F2 Rider **) TRS2 kPa p.s.i kPa p.s.i kPa p.s.i

Buffalo 6w Rear
*)Rear
BuffaloDual 6w 710/45-26.5/20 *) Front/Rear – – – 550 80 550 80
**)Rear
Buffalo ADS 6w **)Rear
Rear
710/45-26.5/24 – – – – 550 80 600 87
**)Rear
710/45R26.5 – Rear – – – 550 80 550 80
800/40-26.5/20 Rear – – – – 500 73 500 73
600/65-34/20 – – *)Front 320 46 – – 360 52
600/65R34 – Front – 320 46 – – 400 58
700/55-34/20 – – *)Front 320 46 – – 360 52
710/55R34 – Front – 320 46 – – 400 58
BuffaloKing 6w 750/55-26.5/20 Rear – Rear – – 500 73 550 80
750/55-26.5/24 **)Rear – – – – 500 73 600 87
780/55-26.5/20 Rear – – – – 500 73 550 80
800/50R26.5 – Rear – – – 500 73 550 80
700/70-34/16 – – Front 260 38 – – 260 38
710/70R34 – Front – 300 44 – – 400 58
Buffalo 8w Front/Rear
*) Front/Rear
BuffaloDual 8w 710/45-26.5/20 *) Front/Rear – 400 58 550 80 550 80
**) Front/Rear
Buffalo Active- **) Front/Rear
Frame 8w Front/Rear
710/45-26.5/24 – – 400 58 550 80 600 87
**) Front/Rear
710/45R26.5 – Front/Rear – 400 58 550 80 550 80
800/40-26.5/20 Front/Rear – – 400 58 500 73 500 73
BuffaloKing 8w Front
*)Front
600/55-26.5/20 *) Front – 400 58 – – 550 80
**)Front
**)Front
600/55R26.5 – Front – 400 58 – – 550 80
Front
*)Front
710/45-26.5/20 *) Front – 400 58 – – 550 80
**)Front
**)Front
Front
710/45-26.5/24 – – 400 58 – – 600 87
**)Front
710/45R26.5 – Front – 400 58 – – 550 80
750/55-26.5/20 Rear – Rear – – 550 80 550 80
750/55-26.5/24 **)Rear – – – – 550 80 600 87
Rear
780/55-26.5/20 – – – – 550 80 550 80
*) Rear
Front
800/40-26.5/20 – Front 400 58 500 73 500 73
**)Front
800/50R26.5 – Rear – – – 550 80 550 80
Elephant 6w Rear
750/55-26.5/20 – Rear – – 550 80 550 80
*) Rear
750/55-26.5/24 **)Rear – – – – 600 87 600 87
780/55-26.5/20 Rear – – – – 550 80 550 80
800/50R26.5 – Rear – – – 550 80 550 80
700/70-34/16 – – Front 260 38 – – 260 38
710/70R34 – Front – 320 46 – – 400 58
Elephant 8w 750/55-26.5/20 Front/Rear – Front/Rear 450 65 550 80 550 80
Elephant Active- 750/55-26.5/24 **)Front/Rear – – 450 65 600 87 600 87
Frame 780/55-26.5/20 Front/Rear – – 450 65 550 80 550 80
800/50R26.5 – Front/Rear – 450 65 550 80 550 80
ElephantKing 8w Front/Rear
750/55-26.5/20 – – 450 65 550 80 550 80
ElephantKing *)Front/Rear
ActiveFrame 750/55-26.5/24 **)Front/Rear – – 450 65 600 87 600 87
780/55-26.5/20 Front/Rear – – 450 65 550 80 550 80
800/50R26.5 – Front/Rear – 450 65 550 80 550 80

343
11 Especificações técnicas

Elk 6w Rear
*)Rear
600/55-26.5/20 *) Rear – – – 550 80 550 80
**)Rear
**)Rear
600/55R26.5 – Rear – – – 550 80 550 80
Rear
*)Rear
710/45-26.5/20 *) Rear – – – 500 73 550 80
**)Rear
**)Rear
Rear
710/45-26.5/24 – – – – 500 73 600 87
**)Rear
710/45R26.5 – Rear – – – 500 73 550 80
800/40-26.4/20 Rear – – – – 480 70 500 73
600/65-34/20 – – *)Front 320 46 – – 360 52
600/65R34 – Front – 320 46 – – 400 58
700/55-34/20 – – *)Front 320 46 – – 360 52
710/55R34 – Front – 320 46 – – 400 58
Elk 8w Front/Rear
*) Front/Rear
600/55-26.5/20 *) Front/Rear – 350 51 550 80 550 80
**)Front/Rear
**)Front/Rear
600/55R26.5 – Front/Rear – 350 51 550 80 550 80
Front/Rear
*) Front/Rear
710/45-26.5/20 *) Front/Rear – 350 51 500 73 550 80
**)Front/Rear
**)Front/Rear
Front/Rear
710/45-26.5/24 – – 350 51 500 73 600 87
**)Front/Rear
710/45R26.5 – Front/Rear – 350 51 500 73 550 80
800/40-26.5/20 Front/Rear – – 350 51 500 73 500 73
Gazelle 8w 600/50-22.5/20 – – Front/Rear 350 51 500 73 550 80
710/40-22.5/16 Front/Rear – Front/Rear 350 51 430 62 430 62
Front/Rear
710/40-22.5/20 – Front/Rear 350 51 430 62 430 62
**) Front/Rear
Wisent 6w Rear
*)Rear
Wisent Dual 6w 600/55-26.5/20 *) Rear – – – 550 80 550 80
**)Rear
**)Rear
600/55R26.5 – Rear – – – 550 80 550 80
710/45-26.5/16 Rear – – – – 460 67 460 67
Rear
*)Rear
710/45-26.5/20 *) Rear – – – 500 73 550 80
**)Rear
**)Rear
710/45R26.5 – Rear – – – 500 73 550 80
800/40-26.5/20 Rear – – – – 480 70 500 73
600/65-34/20 – – *)Front 300 44 – – 360 52
600/65R34 – Front – 300 44 – – 400 58
700/55-34/20 – – *)Front 300 44 – – 360 52
710/55R34 – Front – 300 44 – – 400 58
Wisent 8w Front/Rear
*) Front/Rear
Wisent Dual 8w 600/55-26.5/20 *) Front/Rear – 350 51 550 80 550 80
**)Front/Rear
**)Front/Rear
600/55R26.5 – Front/Rear – 350 51 550 80 550 80
710/45-26.5/16 Front/Rear – – 350 51 460 67 460 67
Front/Rear
*) Front/Rear
710/45-26.5/20 *) Front/Rear – 350 51 500 73 550 80
**)Front/Rear
**)Front/Rear
710/45R26.5 – Front/Rear – 350 51 500 73 550 80
800/40-26.5/20 Front/Rear – – 350 51 500 73 500 73

344
11 Especificações técnicas

11.8.3 Trelleborg TWIN Forestry / Harvesters


Pressão de inflação
Harvesters Padrão da banda de rodagem 100kPa = 1bar
Dianteiros Traseiros
Front Rear Com estei-
Mín. Máx. Mín. Máx. ras (Máx.)
Máquina Tamanho do pneu/PR T480 T440 kPa p.s.i kPa p.s.i kPa p.s.i kPa p.s.i kPa p.s.i

Bear 6w 750/65-34 169A8 – Front 200 29 280 41 – – – – – –


750/50-26.5 174A8 Rear *) – – – – – 370 54 510 74 600 87
Bear 8w 750/50-26.5 174A8 Front/Rear *) – 290 42 390 57 320 46 440 64 600 87
750/50-30.5 173A8 Front/Rear – 290 42 390 57 320 46 440 64 600 87
710/50-30.5 173A8 Front/Rear – 290 42 390 57 320 46 440 64 600 87
Beaver 6w 600/55-26.5 165A8 Front/Rear Front/Rear 260 38 350 51 220 32 300 44 500 73
710/45-26.5 163/168A8 Front/Rear Front/Rear 240 35 320 46 200 29 280 41 500 73
Ergo 6w 600/65-34 157A8 – Front 220 32 300 44 – – – – – –
710/55-34 161A8 – Front 200 29 280 41 – – – – – –
600/55-26.5 165A8 Rear Rear – – – – 270 39 370 54 500 73
710/45-26.5 163/168A8 Rear Rear – – – – 240 35 320 46 500 73
Ergo 8w 600/55-26.5 165A8 Front/Rear Front/Rear 220 32 300 44 260 38 350 54 500 73
Ergo 8w Active-
710/45-26.5 163/168A8 Front/Rear Front/Rear 200 29 280 41 240 35 320 46 500 73
Frame
Fox 8w 600/55-26.5 165A8 Front/Rear Front/Rear 220 32 300 44 260 38 350 54 500 73
710/45-26.5 163/168A8 Front/Rear Front/Rear 200 29 280 41 240 35 320 46 500 73
Scorpion 8w 600/55-26.5 165A8 Front/Rear Front/Rear 500 73 500 73 500 73 500 73 500 73
ScorpionKing 8w 710/45-26.5 163/168A8 Front/Rear Front/Rear 500 73 500 73 500 73 500 73 500 73

345
11 Especificações técnicas

11.8.4 Trelleborg TWIN Forestry / Forwarders


Padrão da banda de roda- Pressão de inflação
Forwarders gem 100kPa = 1bar
Dianteiros Traseiros
Front Rear Com estei-
Mín. Máx. Mín. Máx. ras (Máx.)
Máquina Tamanho do pneu/PR T480 T440 kPa p.s.i kPa p.s.i kPa p.s.i kPa p.s.i kPa p.s.i

Buffalo 6w 600/65-34 157A8 – Front 220 32 300 43 – – – – 600 87


710/55-34 161A8 – Front 200 30 280 40 – – – – – –
600/55-26.5 165A8 Rear Rear – – – – 390 57 530 77 600 87
710/45-26.5 168A8 Rear Rear – – – – 370 54 510 73 600 87
Buffalo 8w 600/55-26.5 165A8 Front/Rear Front/Rear 310 44 410 60 390 57 530 77 600 87
Buffalo Dual 8w
Buffalo Active- 710/45-26.5 168A8 Front/Rear Front/Rear 290 42 390 57 370 54 510 73 600 87
Frame 8w
Buffalo Dual 6w 600/65-34 157A8 – Front 200 29 280 41 – – – – – –
710/55-34 161A8 – Front 190 28 250 36 – – – – – –
600/55-26.5 160A8 Rear Rear – – – – 360 52 480 70 600 87
710/45-26.5 163A8 Rear Rear – – – – 340 49 460 67 600 87
Buffalo King 6w 750/65-34 169A8 – Front 200 29 280 41 340 – – – – –
750/50-26.5 174A8 Rear *) – – – – – 380 55 520 75 600 87
750/45-30.5 173A8 Rear – – – – – 380 80 520 75 600 87
Buffalo King 8w 750/50-26.5 174A8 Rear *) – – – – – 380 55 520 75 600 87
710/45-26.5 168A8 Front Front 340 49 460 67 – – – – 600 87
710/50-30.5 173A8 Rear – – – – – 380 80 520 75 600 87
750/45-30.5 173A8 Rear – – – – – 380 80 520 75 600 87
Elephant 6w 750/65-34 169A8 – Front 200 29 280 41 – – – – – –
750/50-26.5 174A8 Rear *) – – – – – 380 55 520 75 600 87
Elephant 8w Front/Rear
750/50-26.5 174A8 – 300 44 400 58 380 55 520 75 600 87
*)
750/50-30.5 173A8 Front/Rear – 300 44 400 58 380 55 520 75 600 87
750/45-30.5 173A8 Front/Rear – 300 44 400 58 380 55 520 75 600 87
Elephant King Front/Rear
750/50-26.5 174A8 – 320 46 440 64 430 62 580 84 600 87
8w *)
Elephant King 750/50-30.5 173A8 Front/Rear – 300 44 400 58 380 55 520 75 600 87
ActiveFrame 750/45-30.5 173A8 Front/Rear – 300 44 400 58 380 55 520 75 600 87
Elk 6w 600/65-34 157A8 – Front 200 29 280 41 – – – – – –
710/55-34 161A8 – Front 190 28 250 36 – – – – – –
600/55-26.5 165A8 Rear Rear – – – – 370 54 510 73 600 87
710/45-26.5 163/168A8 Rear Rear – – – – 360 52 480 70 600 87
Elk 8w 600/55-26.5 165A8 Front/Rear Front/Rear 200 29 280 41 370 54 510 73 600 87
710/45-26.5 163/168A8 Front/Rear Front/Rear 190 28 250 36 360 52 480 70 600 87
Gazelle 8w 600/50-22.5 149A8 Front/Rear – 190 28 250 36 300 44 400 58 500 73
710/40-22.5 151A8 Front/Rear – 160 23 230 33 270 39 370 54 500 73
650/45-22.5 150A8 – Front/Rear 160 23 230 33 270 39 370 54 500 73
Wisent 6w 600/65-34 157A8 – Front 190 28 250 36 – – – – – –
710/55-34 161A8 – Front 170 25 230 33 – – – – – –
600/55-26.5 165A8 Rear Rear – – – – 310 45 430 62 600 87
710/45-26.5 163/168A8 Rear Rear – – – – 300 44 400 58 600 87
Wisent 8w 600/55-26.5 165A8 Front/Rear Front/Rear 190 28 250 36 310 45 430 62 600 87
710/45-26.5 163/168A8 Front/Rear Front/Rear 170 25 230 33 300 44 400 58 600 87
Wisent Dual 6w 600/65-34 157A8 – Front 190 28 250 36 – – – – – –
710/55-34 161A8 – Front 170 25 230 33 – – – – – –
600/55-26.5 160A8 Rear Rear – – – – 310 45 410 59 600 87
710/45-26.5 163A8 Rear Rear – – – – 290 42 390 57 600 87
Wisent Dual 8w 600/55-26.5 160A8 Front/Rear Front/Rear 190 28 250 36 310 45 430 62 600 87
710/45-26.5 163A8 Front/Rear Front/Rear 170 25 230 33 300 44 400 58 600 87

346
12
Içamento e transporte da máquina

Índice analítico Parte 12


12.1 Movendo a máquina dirigindo, içando e fixando para o
transporte ......................................................................... 349
12.1.1 Movendo a máquina dirigindo .............................. 350
12.1.2 Suspendendo a máquina (figura na página ante-
rior) .................................................................... 350
12.1.3 Fixação da máquina para transporte (figura na
Seção ) .............................................................. 351
12 Içamento e transporte da máquina

12.1 Movendo a máquina dirigindo, içando e fixando para o


transporte

PONSSE BuffaloKing 6w

PONSSE BuffaloKing 8w

= Centro de gravidade

349
12 Içamento e transporte da máquina

12.1.1 Movendo a máquina dirigindo

Quando a máquina é movida sendo dirigida ou transportada


em uma plataforma de transporte, note que o ponto mais
alto do carregador é o ponto mais alto durante o transporte.

A altura do transporte precisa ser sempre verificada devido


a limitações de altura de pontese de linhas de transmissão
de energia elétrica. Certifique-se de que o transporte da
máquina esteja de acordo com as normas de tráfego rodo-
viário.

Antes de dirigir em estradas públicas, certifique-se de que


a condição da máquina atenda às normas nacionais de trá-
fego rodoviário e que a máquina tenha o equipamento
apropriado para transitar nas estradas (consulte a Seção
Operação e deslocamento, capítulo Dirigindo em vias públi-
cas).

12.1.2 Suspendendo a máquina (figura na


página anterior)
Consulte o capítulo Observar durante o içamento de uma
máquina na seção Segurança.

1. Coloque o carregador firmemente em seu lugar.


2. Trave a junta de direção com o suporte de transporte
(2).
3. Fixe os pedais na posição para cima usando um pivô
(7). O pivô é fica armazenado debaixo da tampa (8).

Seja especialmente cuidadoso ao descer da máquina,


enquanto os degraus estiverem erguidos.

350
12 Içamento e transporte da máquina

4. Amarre eslingas de içamento (3) em volta dos eixos


dianteiro e traseiro. As eslingas têm de ser calçadas,
para que não pressionem a cabine.

12.1.3 Fixação da máquina para transporte


(figura na Seção 12.1)
1. Coloque o carregador firmemente em seu lugar.
2. Fixe os degraus para cima (veja a Seção 12.1.2).
3. Prenda os cabos, as correntes ou as eslingas de fixação
(4) atravessados a partir da frente e da traseira da
máquina e do pivô central.
4. Se necessário, coloque calços (5) na frente e atrás dos
pneus. Certifique-se de que os calços permanecem em
seu lugar durante o transporte.

351
Condições de garantia

Índice analítico
Condições de garantia ................................................................ 355
Condições de garantia

Condições de garantia
As seguintes condições de garantia podem conter diferenças das condições de garantia de
revendedores diferentes.

A Ponsse Plc oferece a seguinte garantia para seus produtos PONSSE:

1. A nova máquina florestal recebe dois (2) processos de manutenção programada isentos
de custo de acordo com o programa de serviço de garantia. Nota: Manutenções progra-
madas realizadas em cabeçotes / gruas / pás carregadeiras são substituídas por um
serviço gratuito de entrega realizado durante a instalação. Este procedimento de
manutenção é uma condição para o prosseguimento da garantia.
A garantia não inclui filtros, óleos e outros acessórios substituídos durante a manutenção.
O cliente deve agendar a manutenção com a antecedência necessária.
2. O operador de um equipamento novo será instruído quanto à sua operação e manutenção
conforme o contrato.
3. Os períodos de garantia são os seguintes:
- Motor: 3.000 horas.
- Forwarder, harvester, cabeçote do harvester, grua, carregador e equipamentos do
sistema de informação Opti: 12 meses ou 2.000 horas de uso, o que vencer primeiro.
O período de garantia começa na data de entrega. A garantia não se aplica se o produto
for vendido a um novo proprietário durante o período da garantia, exceto se isso for
acordado.
4. A garantia inclui: falhas de matéria-prima e de fabricação, substituição de peças defeitu-
osas por peças novas ou devidamente recondicionadas a critério da Ponsse, a mão de
obra envolvida no reparo de uma falha ou na substituição de uma peça.
5. A garantia não cobre:
- peças de desgaste normal, como vedações, mangueiras, conectores, correntes,
coxins, cabos e sensores, exceto o sensor de diâmetro
- acessórios como lâmpadas, filtros, óleos e fluidos, etc.
- danos causados por operação ou instalação incorreta
- danos causados por modificações estruturais feitas sem autorização do fabricante
- danos causados pela não observância das instruções de manutenção
- danos causados por acidentes
- lucros cessantes ou outros custos indiretos causados pelo tempo em que ficar
paralisado
- custos de mão de obra do cliente ou de seu representante
- despesas com frete e viagens
6. A garantia só será válida se:
- a manutenção programada tiver sido realizada pela Ponsse ou por um serviço de
atendimento Ponsse autorizado de acordo com o programa de serviço de garantia
- o cliente contatar um revendedor da Ponsse ou uma assistência técnica autorizada
da Ponsse imediatamente, assim que a falha ocorrer
- os reparos forem feitos por um técnico autorizado pela Ponsse
- o cliente enviar um relatório descrevendo como o defeito surgiu

355
Condições de garantia

- o cliente restituir sem demora a(s) peça(s) avariada(s) ao revendedor da Ponsse


para inspeção. As peças terão de ser devolvidas no prazo de duas (2) semanas
após a entrega das reposições. Um formulário de relatório deve ser preenchido e
devolvido com a(s) peça(s). Caso contrário, a(s) peça(s) de reposição serão fatura-
das.
7. A Ponsse Plc não aprova quaisquer ações que alterem o sistema de controle do motor
ou seus parâmetros no que se refere a potência, torque ou quaisquer outros atributos
do motor. Se for observada alguma alteração no dispositivo de controle original feita
pela substituição de um componente, alterações de software ou pela introdução de dis-
positivos de controle adicionais separados de qualquer fabricante de forma a alterar os
recursos do motor, a garantia ficará totalmente nula.
8. Fazer modificações estruturais ou substituir peças originais, ou usar peças diferentes
das usadas pelo fabricante sem a aprovação da Ponsse Plc é proibido.
9. A garantia de peças novas ou reparadas instaladas durante o período de garantia termina
quando o prazo da garantia original se esgotar.
10. Peças substituídas em garantia tornam-se propriedade da Ponsse assim que as condições
da garantia forem aprovadas.
11. Outros consertos e serviços serão faturados de acordo com nossa tabela de preços em
vigor na ocasião.
12. A decisão da garantia é entregue ao cliente por escrito ou, alternativamente, em formato
digital.

356
APÊNDICES

Índice analítico

Webasto Thermo 90 S
Webasto Thermo Pro 90 D
2012 Ponsse Control II
Sit Right 2005 - Nivelador de assento para frente/à ré da compensação
de inclinação
Sit Right 2005 - nivelamento lateral automático
Eixos adicionais de 10w (equipamento opcional, Buffalo e Elk)
Eixos adicionais de 10w (equipamento opcional, Wisent)
Defa DVS90 - Equipamento opcional
.

357
Webasto, aquecedor de água Thermo 90 S

Índice analítico
Webasto, aquecedor de água Thermo 90 S ..................................... 1
1 Operação de segurança e manutenção .................... 1
2 Timer ..................................................................... 3
3 Utilização ............................................................... 5
4 Solução de problemas ............................................ 5
4.1 Aquecedor bloqueado automaticamente devido a
uma falha ............................................................... 6
4.2 Indicação de falha .................................................. 6
4.3 Códigos de erro ...................................................... 6
4.4 Diagnóstico de falha Webasto 90ST difere do
modelo 90S conforme segue ................................... 7
Webasto, aquecedor de água Thermo 90 S

Webasto, aquecedor de água Thermo 90 S

1 Operação de segurança e manutenção


1. Thermo 90 S foi homologado na Alemanha em confor-
midade com requisitos StVZO.
2. O aquecedor deve ser instalado seguindo as instruções
www.webasto.com
de instalação do fabricante e importador.
3. O ano de ativação do aquecedor deve ser permanente-
mente marcado na lateral do dispositivo. A marcação é
feita através da remoção de todos os outros anos des-
necessários na placa de identificação.
4. Quando o aquecedor for instalado em um veículo que
transporta substâncias perigosas, a instalação deve
preencher todos os requisitos especiais definidos para
veículos ADR específicos.
5. As solicitações de garantia do produto de produto só
podem ser definidas se o usuário for capaz de indicar
que observou devidamente as instruções de manutenção
e segurança.
6. O aquecedor não pode ser usado em espaços confi-
nados devido a riscos de envenenamento e sufoca-
mento. Durante manutenção e reparos, sempre use
um aspirador exaustor potente. O supracitado deve
ser mantido em mente especialmente quando um
timer for usado para controlar o aquecedor ou
quando o aquecimento for ligado ou desligado
usando um interruptor localizado fora da cabine.
7. Devido a riscos de explosão, o aquecedor não pode
ser usado em estações de reabastecimento ou em
áreas de armazenamento de combustível.
8. Devido a riscos de explosão, o aquecedor não deve
ser usado em locais que possam conter gases ou
poeira inflamável, como vapor de combustível, pó
de carvão ou serragem, grão de poeira, etc.
9. Para garantir que o dispositivo esteja em condição de
pleno funcionamento, o aquecedor deve ser usado por
10 minutos, pelo menos uma vez por mês, quando o
veículo estiver frio e com o ventilador na velocidade
mais lenta. O aquecedor deve ser inspecionado uma
vez por mês por um ponto de serviços Webasto autori-
zado. Recomenda-se que o aquecedor seja inspecio-
nado no outono.

1
Webasto, aquecedor de água Thermo 90 S

10. Se o aquecedor gerar fumaça grossa por muito tempo,


houver quaisquer sons incomuns durante o funciona-
mento ou se houver cheiro de combustível, desligue-o
imediatamente e evite seu uso futuro: Remova o fusível
(20 A). O aquecedor não deve ser reiniciado até que
tenha sido inspecionado por um ponto de serviço
Webasto autorizado.
11. O aquecedor usa o mesmo combustível que o fabricante
do veículo tenha aprovado para uso no motor do veículo.
12. O aquecedor não pode ser exposto a temperaturas mais
altas que 120°C (durante armazenamento). Temperatu-
ras excessivas podem danificar permanentemente os
componentes eletrônicos.
13. Verifique o nível e a resistência ao gelo do refrigerador
de acordo com o programa de manutenção do veículo.
Siga as instruções do fabricante do veículo durante as
inspeções. O refrigerador deve conter pelo menos 20%
de um agente anticongelante de alta qualidade.
14. A Webasto não assume responsabilidade por qualquer
falha ou dano causado por instalação ou uso que não
estiver de acordo com as instruções. Isso também se
aplica a reparos que não tenham sido realizados devi-
damente ou usando as peças sobressalentes originais.

2
Webasto, aquecedor de água Thermo 90 S

2 Timer

4 5 6

3
2
1
10 9 8 7
1 Botão do relógio 4 Data 7 Avançar
2 Slot de memória 5 Visor de hora 8 Retroceder
3 Símbolo de alarme 6 Símbolo de operação do aquecedor 9 Botão de iniciar aquecedor
10 Botão de programação

Geral O aquecedor pode ser programado para iniciar com sete dias de antece-
dência. Três horários de início opcionais podem ser programados, e
podem ser ativados um por vez. O timer também inclui uma função de
relógio alarme.

Quando a corrente do veículo estiver ligada usando a chave de ignição,


a data e a hora serão mostradas no visor do timer. Quando o aquecedor
estiver em operação, o visor e os botões de operação ficarão acesos.
Quando a corrente do timer for ligada pela primeira vez, todos os símbolos
irão piscar. Primeiro, configure a data e hora corretas.
Utilização Quando todos os símbolos estiverem piscando no visor, o timer pode ser
programado usando os botões e . Se nenhum botão for pressionado
dentro de cinco segundos, a data e hora exibidas serão salvas. Quando
o botão ou for pressionado por mais de dois segundos, a hora
começa a mudar em alta velocidade.

Se a corrente do veículo for desligada quando o aquecedor for configurado


para operar continuamente, o tempo de operação restante será exibido.
O aquecedor irá operar por outros 15 minutos (configuração básica).
Ligar o aquecedor Controle manual: Pressione o botão Iniciar aquecedor (aquecimento
contínuo) .

Modo automático: Configure a hora de início do aquecedor antecipada-


mente.
Desligar o aquece- Controle manual: Pressione o botão .
dor
Modo automático: Quando o tempo pré-programado terminar, o aquecedor
se desligará automaticamente.

Quando o aquecedor estiver em operação: Você pode reconfigurar o


tempo de operação do aquecedor restante.

3
Webasto, aquecedor de água Thermo 90 S

Configurar data e Pressione o botão durante pelo menos dois segundos. A hora vai
hora
começar a piscar. Configure a hora pressionando o botão ou .
A seguir, a hora vai começar a piscar. Configure a data usando os
botões de seta.
Verificar a hora Quando a corrente do veículo estiver desligada, pressione o botão .
Configurar a hora de Pressione o botão . O número de slot de memória vai começar a
início do aquecedor piscar. Configure a hora de início do aquecedor pressionando o botão

ou . A data vai começar a piscar. Configure a data desejada


usando os botões de seta. Programe os slots de memória 2 e 3 de
forma semelhante. Depois você pode selecionar o horário de início
rapidamente das três opções.
Pesquisar por ou Pressione o botão várias vezes até o dispositivo exibir o slot de
remover uma hora memória que você deseja selecionar ou as configurações do qual você
programada da
memória do disposi- deseja alterar. Para remover programação, pressione o botão várias
tivo vezes até que a hora programada seja removida e a hora atual seja
exibida.
Configurar o tempo Desligue o aquecedor se estiver em operação: Pressione o botão
de operação durante pelo menos três segundos. A hora vai começar a piscar. Con-
figure o tempo de operação pressionando os botões ou . Você
pode selecionar de 10 a 120 minutos.
Configurar o tempo Isso só pode ser configurado quando o aquecedor estiver em operação
de operação res- e a corrente do veículo estiver desligada. Configure o tempo de opera-
tante ção restante pressionando o botão ou . Você pode selecionar
de 1 a 120 minutos. O aquecedor vai se desligar após o tempo configu-
rado.
Configurar um Você também pode usar o timer como um alarme para alertá-lo sobre
alarme outras datas e horários importantes. O alarme não está vinculado aos
dias da semana. Pressione o botão de programação várias vezes até
que o símbolo de alarme seja exibido. Configure o alarme pressionando
os botões de seta. Quando o alarme estiver ativo, pressione qualquer
botão para silenciá-lo. O alarme também é silenciado automaticamente
após cinco minutos.
Verificar e remover Pressione o botão várias vezes até que o símbolo seja exibido.
o alarme
Para remover um alarme, pressione o botão várias vezes até que
o símbolo não seja mais exibido.
Uso remoto Uso remoto é possível usando um interruptor de operação separado.
Veículos ADR Em veículos TRS/ADR, o timer não pode ser programado para iniciar
o aquecedor. A hora e a data podem ser configuradas normalmente.
A função do alarme também funciona igualmente em todos os veículos.

4
Webasto, aquecedor de água Thermo 90 S

3 Utilização
Antes de iniciar o aquecedor, vire o controlador de tempera-
tura do veículo para a posição de aquecimento extremo.
Altere o ventilador do aquecedor para a velocidade mais
lenta. (Isso economiza a bateria e evita qualquer consumo
de energia desnecessário.)

Thermo 90 S instalado em um veículo ADR: Verifique as


instruções de operação que acompanham. Nas seguintes
situações, há um curto período de funcionamento (40
segundos), após o qual o aquecedor será desativado e blo-
queado:

- O motor é desligado.
- A bomba é ligada.

Reconfigurando um bloqueio causado por falha: Desligue a


corrente pressionando o interruptor de operação ou o botão
de iniciar o timer do aquecedor. Inicie o aquecedor normal-
mente.

Interruptor de emergência: Use o interruptor de emergência


somente em caso de uma emergência, porque isso irá des-
ligar o aquecedor sem nenhum tempo de funcionamento.
Isso pode causar superaquecimento.

4 Solução de problemas
No caso de falha, o aquecedor será automaticamente desa-
tivado e bloqueado. Você pode verificar a hora da falha do
visor do timer ou interpretar o código de erro da luz de sinal
piscante. Os códigos de erro estão descritos no final destas
instruções.

Primeiro, verifique se operou o aquecedor de acordo com


as instruções. Depois, verifique se todos os fusíveis e cabos
estão em ordem e se o dispositivo foi instalado de forma
segura (sem fios soltos, etc.).

Repare quaisquer falhas visíveis. Tente reativar o aquecedor


pressionando o botão de iniciar aquecedor. O bloqueio será
desabilitado. Pressione o botão de iniciar aquecedor nova-
mente.

5
Webasto, aquecedor de água Thermo 90 S

4.1 Aquecedor bloqueado automaticamente devido


a uma falha

Falha Conserto
O aquecedor não iniciar após duas Desligue e reinicie o aquecedor. Se o aquecedor não ini-
tentativas. A chama se apaga cia, contate um ponto de serviço Webasto autorizado.
durante operações.
A tensão cai por mais de 20 Verifique os fusíveis, conexões e a bateria.
segundos.
O aquecedor superaquece. Verifique o nível de refrigerador e reabasteça, se neces-
sário. Verifique se a tampa do aquecedor está virada para
quente.
Reconfigurar a proteção de superaquecimento. O
botão de proteção de superaquecimento deve estar
abaixado antes que o aquecedor seja reiniciado.

4.2 Indicação de falha

O aquecedor possui um sistema de detecção de falha auto-


mático. Este autodiagnóstico indica o tipo de falha direta-
mente no visor do timer ou como um código de erro indicado
pela luz de sinal piscante.

4.3 Códigos de erro

Nota! Quando o aquecedor é controlado a partir do interrup-


tor de operação ao invés do timer, a luz de sinal indica o tipo
de falha durante o período de funcionamento. A luz piscante
também indica o código de erro, na base em que o tipo de
falha possa ser interpretada.

F 01 O aquecedor não inicia.


F 02 A chama apagou-se (pelo menos cinco vezes).
F 03 Sobre ou subtensão.
F 04 Mensagem de chama preliminar.
F 05 Proteção de chama: interrupção ou curto-circuito.
F 06 Sensor térmico: interrupção ou curto-circuito.
F 07 Bomba de dosagem: interrupção ou curto-circuito.
F 08 Ventilador: interrupção, curto-circuito ou veloci-
dade incorreta.

6
Webasto, aquecedor de água Thermo 90 S

F 09 Barra de incandescência: interrupção ou curto-


circuito.
F 010 Superaquecimento.
F 011 Bomba de circulação: interrupção ou curto-circuito.

4.4 Diagnóstico de falha Webasto 90ST difere do


modelo 90S conforme segue

● Webasto está bloqueado como resultado de uma falha


se os códigos de erro F01, F03–F11 aparecerem três
vezes seguidas ou se o código de erro F02 aparece seis
vezes seguidas. (Códigos de erro estão descritos na
seção anterior.)
● Webasto indica o modo de bloqueio até que F -- ou 0
comece a piscar. O modo de bloqueio pode ser desati-
vado como a seguir:
1. Desligue o dispositivo Webasto (veja a Figura 1).
2. Ligue o dispositivo.
3. Remova o fusível Webasto. (O fusível está locali-
zado no painel elétrico principal, montado no chassi
da máquina base e está marcado F92.) -> O dispo-
sitivo redefine a própria memória.
4. Reconecte o fusível.

Figura 1. Botão de ligar/desligar a


corrente do Webasto

7
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

Índice analítico
1 Introdução ............................................................................ 1
1.1 Garantia e responsabilidades .................................. 1
2 Segurança e uso pretendido ................................................. 2
3 Elemento de controle ............................................................ 2
3.1 Símbolos ............................................................... 3
3.2 Botões, controle e voltar (função) ............................ 4
3.3 Exibição do status .................................................. 4
3.4 Modo de exibição passivo ....................................... 5
4 Operações e configurações ................................................... 6
4.1 Início do monitor depois de ligar .............................. 6
4.2 Configuração do aquecedor .................................... 7
4.2.1 Ligar o aquecedor usando o botão de início
rápido .................................................................... 7
4.2.2 Ligar o aquecedor através do menu de aqueci-
mento (Heating) ..................................................... 7
4.2.3 Alterar o tempo operacional restante durante a
operação ............................................................... 8
4.2.4 Desligar o modo de aquecimento ............................ 8
4.3 Programar temporizador ......................................... 8
4.3.1 Crianção e ativação de temporizadores ................... 9
4.3.2 Desativação, edição e remoção do temporizador
programado .......................................................... 10
4.3.3 Remoção de todos os temporizadores progra-
mados ................................................................. 11
4.4 Configurações de início rápido, aquecimento .......... 11
4.5 Configurar o dia da semana .................................. 12
4.6 Configurar a hora .................................................. 13
4.7 Configurações de idioma ....................................... 14
4.8 Configurar unidade da temperatura ........................ 14
4.9 Configurar o brilho ................................................ 15
4.10 Configurar tempo de desligamento da tela ............. 15
4.11 Configurar iluminação dia/noite .............................. 16
4.12 Exibir informações do sistema ............................... 18
4.13 Reinicialização ..................................................... 19
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

5 Informações de erro ............................................................ 19


5.1 Exibir as informações de erro armazenadas ........... 20
5.2 Códigos de erro .................................................... 21
6 Limpeza ............................................................................. 22
7 Descarte ............................................................................ 22
8 Especificações técnicas ...................................................... 22
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

1 Introdução

Este manual de instrução faz parte do dispositivo e inclui


www.webasto.com informações sobre o uso seguro do dispositivo para usuários.

Todas as funções de aquecimento são explicadas no manual


de instrução. A disponibilidade dessas funções depende do
aquecedor instalado e dos dispositivos adicionais. Mais
informações estão disponíveis a partir do suporte técnico
e/ou atendimento ao cliente.

● Leia este manual de instrução e o manual de instrução


do aquecedor antes de usar o aquecedor.
● Entregue este manual de instrução para o próximo pro-
prietário ou usuário do dispositivo.
● Apenas profissionais autorizados têm permissão para
instalar o dispositivo.
● Só peças de reposição Webasto originais podem ser
usadas.

1.1 Garantia e responsabilidades


A Webasto não assume nenhuma responsabilidade pelos
defeitos e danos causados pela não conformidade com a
instalação e manual de instrução e as instruções presentes
nele. A exclusão da responsabilidade supracitada é aplicável,
em particular, nas seguintes situações:

● Uso incorreto
● Reparos não executados pela equipe de suporte técnico
da Webasto
● Uso de peças não originais
● Modificações feitas sem o consentimento da Webasto

1
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

2 Segurança e uso pretendido


O aquecedor é controlado por meio de um elemento de controle instalado.

Perigo de explosão numa área contendo fumaças, poeira e substâncias perigosas


inflamáveis (por exemplo, postos de gasolina, perto de tanques de combustível, em
depósitos de combustível, carvão, madeira ou grãos)
—> Não ligue nem opere o aquecedor.

Perigo de envenenamento e sufocamento em espaços confinados sem nenhum sistema


de exaustão.
—> Não ligue nem opere o aquecedor.

Risco de incêndio causado por substâncias inflamáveis evitando o fluxo de ar quente


—> Não bloqueie o fluxo de ar quente.

Risco de ferimentos por dispositivo defeituoso.


—> Não opere um aquecedor defeituoso.
—> Entre em contato com o suporte técnico da Webasto.

3 Elemento de controle
Estrutura do menu 3 4
1 Nome do menu
2 Símbolo do menu
3 Configurações de tempo ativa- 5
das
4 Hora 2
5 Botão de início rápido e exibi-
ção do status 1 6
6 Botão de controle

As seguintes configurações de função estão disponíveis no menu principal: Temporizador,


aquecimento, ventilação e configurações.

2
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

3.1 Símbolos

Menu do temporizador Menu de ventilação

Menu de aquecimento Menu de configurações

Aquecimento - Normal Aquecimento - Eco

Aquecimento - Turbo Velocidade do ventilador (1-4)

Adicionar temporizador Ativar temporizador

Desativar temporizador Excluir temporizador

Excluir todos os temporizadores Ativar temporizador

Início rápido Dia da semana

Hora Idioma

Dia/noite OK

Informações do sistema Informações de erro

Redefinir Serviço requerido

Para a esquerda Para a direita

Voltar Nota

Subtensão ADR

Unidade de temperatura Formato de 12 horas

3
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

3.2 Botões, controle e voltar (função)

Botão de Início Rápido e exibição de status


(luz).
Botão de controle (botão) para selecionar e
confirmar cada função desejada.

Com a função Voltar (Back), você pode sair


do menu selecionado a qualquer momento e
voltar um nível na estrutura do menu.

- Acione o botão de controle no sentido


anti-horário até Voltar (Back) ser exibido
e pressione o botão de controle.

3.3 Exibição do status


O status do aquecedor é indicado através de luz de fundo
colorida do botão de início rápido.

Status Luz de fundo LED


Modo de aquecimento VERDE Permanente
Modo de ventilação AZUL Permanente
Aquecedor desligado - ele- BRANCO Permanente
mento de controle ativado
Erro - nenhum modo de VERME- Piscando
aquecimento LHO
Modo de aquecimento pré- VERDE Piscando
programado - elemento de
controle em modo de espera*
Modo de ventilação pré-pro- AZUL Piscando
gramado - elemento de con-
trole em modo de espera*

*) Se o usuário não fizer seleções usando o elemento de


controle por 60 segundos e o aquecedor estiver desligado,
o elemento de controle entrará no modo de espera (monitor
e LED ficam desligados).

4
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

3.4 Modo de exibição passivo


Se o aquecedor for ativado por outro elemento de controle
Webasto (por exemplo, por um controle remoto), o MultiCon-
trol/SmartControl será acionado a partir do modo de espera
e o modo operacional (aquecimento, ventilação) selecionado
em outro elemento de controle será exibido. O monitor opera
independentemente do aquecedor conectado.

Monitor Modo de operação

Aquecimento:
O modo passivo pode ser desativado pressio-
nando o botão de início rápido. O aquecedor
está desligado.

Ventilação:
Não está em uso.

Aquecimento e ventilação:
Não está em uso.

5
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

4 Operações e configurações
Perigo de explosão causado por fumaça, poeira e subs-
tâncias perigosas: Incêndio grave

—> Desligue o aquecedor nas estações de serviço e


feche os tanques de combustível e depósitos de com-
bustível, carvão, madeira e grãos.

Inalação de gases venenosos em espaços confinados:


Envenenamento e sufocamento

—> Nunca use o aquecedor, nem a programação do


temporizador, em espaços confinados, como garagens
e oficinas de reparo sem um sistema de extração de
fumaça de exaustão.

Para desfrutar de conforto total do aquecedor da Webasto,


leia o manual de instruções atenciosamente. Se você tiver
alguma pergunta relacionada à instalação ou operação, entre
em contato com o revendedor, oficina de instalação ou uni-
dade da Webasto.

4.1 Início do monitor depois de ligar


As seguintes informações sobre o aquecedor e o elemento
de controle conectados são mostradas no monitor de início:

● Nome do elemento de controle conectado


● Nome do aquecedor conectado
● Versão do software do elemento de controle conectado
● Versão do hardware do elemento de controle conectado

A visualização retorna para o menu principal depois de 1,5


segundo.

6
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

4.2 Configuração do aquecedor

4.2.1 Ligar o aquecedor usando o botão de início


rápido

A função Início rápido habilita o aquecimento ou ventilação


a ser usada com um único clique de botão.

O tempo operacional pode ser predefinido. As instruções de


configurações e descrição podem ser encontradas no capí-
tulo 4.4 Configurações de início rápido, aquecimento.
Botão Início rápido
1. O botão Início rápido é programado para aquecimento.
2. Pressione o botão Início rápido.

O aquecimento é iniciado.
Símbolo de aquecimento, tempo
operacional predefinido O símbolo de aquecimento e o tempo operacional predefinido
são exibidos. Uma luz verde fica acesa no botão Início rápido.

4.2.2 Ligar o aquecedor através do menu de


aquecimento (Heating)

1. O símbolo Aquecimento (Heating) foi selecionado no


menu principal.
2. Pressione o botão de controle.
Aquecimento (Heating)
- O tempo operacional pisca no monitor.

3. Acione o botão de controle para escolher as horas.


- Acione o botão de controle no sentido horário para
selecionar e ativar a duração máxima.
Duração, horas (Duration, hours)
4. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.

5. Acione o botão de controle para escolher os minutos.


6. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.

O aquecimento é iniciado.
Duração, minutos (Duration, minu-
tes) O símbolo Aquecimento (Heating) e o tempo operacional
predefinido são exibidos. Uma luz verde fica acesa no botão
Início rápido.

Aquecimento (Heating), tempo ope-


racional predefinido

7
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

4.2.3 Alterar o tempo operacional restante durante


a operação

O tempo operacional restante só pode ser reduzido durante


a operação. Alterações só podem ser feitas até a duração
mínima de dez minutos.

O tempo operacional só pode ser aumentado se o dispositivo


tiver sido desligado e reiniciado mais cedo.

1. O aquecedor está no modo de aquecimento.


2. Acione o botão de controle para alterar o tempo opera-
cional restante.
- Para reduzir o tempo operacional restante, acione
o botão de controle no sentido anti-horário.
3. Pressione o botão de controle dentro de cinco segundos
para confirmar a seleção.

4.2.4 Desligar o modo de aquecimento

1. O aquecedor está no modo de aquecimento.


2. Pressione o botão Início rápido.
- O menu principal é exibido.
Botão Início rápido
- A luz de fundo do botão Início rápido muda de verde
para branco.

Menu principal (Main menu)


4.3 Programar temporizador
As configurações do tempo podem ser programadas sete
dias antecipadamente. O aquecedor liga automaticamente
na hora programada. Até três configurações por dia e um
total de 21 configurações de tempo podem ser salvas.

Dependendo do modelo de MultiControl usado e sua aplica-


ção (por exemplo, carro, caminhão, barco, etc.), o número
de temporizadores ativos disponíveis pode variar. Há um
máximo de 21 temporizadores ativos disponíveis.

8
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

4.3.1 Crianção e ativação de temporizadores

1. A hora e o dia atual da semana foram configurados. O


aquecedor está desligado. O símbolo Temporizador foi
selecionado no menu principal.
Temporizadores (Timers)
2. Pressione o botão de controle. Adicionar temporizador
(Add timer) é exibido (se nenhum temporizador tiver
sido salvo).

3. Pressione o botão de controle para adicionar a configu-


Adicionar temporizador (Add timer) ração de tempo.
4. Pressione o botão de controle para adicionar um novo
temporizador.

5. Acione o botão de controle e escolha Dia (Day).


6. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.

Dia (Day)

7. Acione o botão de controle para escolher horas para a


hora inicial (Start time, hours).
8. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
Hora inicial, horas (Start time, hours)
9. Acione o botão de controle para escolher minutos para
a hora inicial (Start time, minutes).
10. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.

Hora inicial, minutos (Start time,


minutes)

11. Acione o botão de controle para escolher horas para a


hora de parada (Stop time, hours).
12. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
Hora de parada, horas (Stop time,
hours)
13. Acione o botão de controle para escolher minutos para
a hora de parada (Stop time, minutes).
14. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.

Hora de parada, minutos (Stop time,


minutes)

9
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

15. Pressione o botão de controle para adicionar o tempori-


zador programado.
- Ativar ( Activate) será exibido.
Temporizador programado
16. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.

Os temporizadores são numerados de acordo com a sua


sequência de programação. A configuração de tempo ativada
é indicada por uma barra branca.
Ativar (Activate) O símbolo T será mostrado no menu principal. O botão Início
rápido piscará em verde, se o temporizador de um aquecedor
estiver ativo, mas o monitor desligado.

Configurações de tempo ativadas

4.3.2 Desativação, edição e remoção do


temporizador programado

1. O símbolo Temporizador (Timers) foi selecionado no


menu principal.

2. Pressione o botão de controle.


Temporizadores (Timers)
- Os temporizadores armazenados serão exibidos.
- Os temporizadores são organizados em ordem
cronológica, de acordo com dias/horas. O próximo
temporizador ativo é exibido como o primeiro tem-
porizador.

3. Acione o botão de controle para escolher o temporizador


desejado.
4. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
temporizador armazenado
5. Acione o botão de controle para escolher uma operação
(Ativar / Desativar, Editar, Excluir).

Desativar (Deactivate)

10
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

4.3.3 Remoção de todos os temporizadores


programados

1. O símbolo Temporizador foi selecionado no menu prin-


cipal.

2. Pressione o botão de controle.


Temporizadores (Timers)
- Os temporizadores armazenados serão exibidos.

temporizador armazenado

3. Acione o botão de controle no sentido horário até que


o símbolo Excluir tudo (Delete all) seja exibido.

4. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.


Excluir tudo (Delete all)
- OK é exibido.

5. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.


- Todos os temporizadores programados foram
removidos.
- O menu principal é exibido.

Menu principal (Main menu)

4.4 Configurações de início rápido,


aquecimento
1. O símbolo Configurações (Settings) foi selecionado no
menu principal.
2. Pressione o botão de controle.
Configurações (Settings)
3. Pressione o botão de controle para escolher o submenu
Início rápido (Quick start).
- O modo de aquecimento (Heating) é exibido.

4. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.


Início rápido (Quick start) - O tempo operacional pisca no monitor.

Aquecimento (Heating)

11
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

5. Acione o botão de controle para escolher as horas.


- Acione o botão de controle no sentido horário para
selecionar e ativar a duração máxima.
Duração, horas (Duration, hours)
6. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.

7. Acione o botão de controle para escolher os minutos.


8. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.

O botão Início rápido está configurado pelas configurações


Duração, minutos (Duration, minu- selecionadas.
tes)

4.5 Configurar o dia da semana


1. O símbolo Configurações (Settings) foi selecionado no
menu principal.

2. Pressione o botão de controle.


Configurações (Settings)
- O símbolo Início rápido (Quick start) é mostrado no
monitor.

Início rápido (Quick start)

3. Acione o botão de controle para escolher o símbolo Dia


da Semana (Symbol Weekday).
4. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
Símbolo Dia da Semana (Symbol
Weekday)
5. Acione o botão de controle para escolher o dia da
semana (Weekday) desejado.
6. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.

Dia da Semana (Weekday)

12
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

4.6 Configurar a hora


1. O símbolo Configurações (Settings) foi selecionado no
menu principal.

2. Pressione o botão de controle.


Configurações (Settings)
- O símbolo Início rápido (Quick start) é mostrado no
monitor.

Início rápido (Quick start)

3. Acione o botão de controle para escolher o símbolo Hora


(Time).
4. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
Hora (Time)
5. Acione o botão de controle para escolher o modo de
hora (Time mode), 12 ou 24 horas.
6. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
- A hora pisca no monitor.
Modo de hora (Time mode)

7. Acione o botão de controle para escolher as horas (Set


time, hours).
8. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
Configurar hora, horas (Set time,
hours)
9. Acione o botão de controle para escolher os minutos
(Set time, minutes).
10. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.

Configurar hora, minutos (Set time,


minutes)

13
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

4.7 Configurações de idioma


1. O símbolo Configurações (Settings) foi selecionado no
menu principal.

2. Pressione o botão de controle.


Configurações (Settings)
- O símbolo Início rápido (Quick start) é mostrado no
monitor.

Início rápido (Quick start)

3. Acione o botão de controle para escolher o símbolo Idi-


oma (Symbol Language).
4. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
Símbolo Idioma (Symbol Language)
5. Acione o botão de controle para escolher o idioma
desejado (Language).
6. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.

Idioma (Language)

4.8 Configurar unidade da temperatura


1. O símbolo Configurações (Settings) foi selecionado no
menu principal.

2. Pressione o botão de controle.


Configurações (Settings)
- O símbolo Início rápido (Quick start) é mostrado no
monitor.

Início rápido (Quick start)

3. Acione o botão de controle para escolher as unidades


desejadas (Units), °C ou °F.
4. Pressione o botão de controle para confirmar as unida-
Unidades, °C (Units, °C)
des.
- Esta configuração é ativada sem nenhuma confir-
mação.

14
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

4.9 Configurar o brilho


1. O símbolo Configurações (Settings) foi selecionado no
menu principal.

2. Pressione o botão de controle.


Configurações (Settings)
- O símbolo Início rápido (Quick start) é mostrado no
monitor.

Início rápido (Quick start)

3. Acione o botão de controle para escolher o símbolo


Brilho (Brightness).
4. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
Brilho (Brightness)
5. Acione o botão de controle para escolher o valor dese-
jado.
6. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.

4.10 Configurar tempo de desligamento da


tela
1. O símbolo Configurações (Settings) foi selecionado no
menu principal.

2. Pressione o botão de controle.


Configurações (Settings)
- O símbolo Início rápido (Quick start) é mostrado no
monitor.

3. Acione o botão de controle para escolher o símbolo do


Tempo de desligamento da tela (Screen timeout).
Início rápido (Quick start) 4. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.

5. Acione o botão de controle para selecionar o tempo


desejado ou o modo Automático (Auto mode).
6. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
Tempo de desligamento da tela
(Screen timeout) Se o modo Automático (Auto mode) estiver selecionado, a
tela não será desligada durante o aquecimento/ventilação
ativa.

15
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

Se o aquecedor não estiver ativo, a tela será desligada


depois de dez segundos, se o modo Automático (Auto mode)
estiver selecionado.

4.11 Configurar iluminação dia/noite


Para iluminar o monitor, selecione a iluminação de dia ou
noite. Se Off estiver selecionado, a configuração de brilho
geral é ativada, sem nenhuma distinção entre dia e noite.
Configurações (Settings)
1. O símbolo Configurações (Settings) foi selecionado no
menu principal.

2. Pressione o botão de controle.


- O símbolo Início rápido (Quick start) é mostrado no
Início rápido (Quick start) monitor.

3. Acione o botão de controle para escolher o símbolo


Dia/Noite (Day/Night).
4. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
Símbolo Dia/Noite (Symbol
- A configuração Off é predefinida.
Day/night)

5. Acione o botão de controle para definir valores para as


configurações Início do dia (Start of daytime), Fim do
dia (End of daytime), Brilho, dia (Brightness, day) e Bri-
Predefinir o tempo para um dia
lho, noite (Brightness, night).
(Preset time for a day) - A Hora predefinida para um dia (Preset time for a
day) é exibida.
6. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
- Horas para o início do dia piscam no monitor.

7. Acione o botão de controle para escolher as horas para


o início do dia.
8. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
Início do dia, horas (Start of daytime,
- Minutos para o início do dia piscam no monitor.
hours)
9. Acione o botão de controle para escolher os minutos
para o início do dia.
10. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
- Horas para o fim do dia piscam no monitor.
Início do dia, minutos (Start of day-
time, minutes)

16
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

11. Acione o botão de controle para escolher as horas para


o fim do dia.
12. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
Fim do dia, horas (End of daytime,
- Minutos para o fim do dia piscam no monitor.
hours)
13. Acione o botão de controle para escolher os minutos
para o fim do dia.
14. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
- Brilho, dia ( Brightness, day) será exibido.
Fim do dia, minutos (End of daytime,
minutes)

15. Acione o botão de controle para selecionar o brilho


desejado para a configuração Brilho, dia (Brightness,
day).
Brilho, dia ( Brightness, day)
16. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
- Brilho, noite ( Brightness, night) será exibido.

17. Acione o botão de controle para selecionar o nível de


brilho desejado para a configuração Brilho, noite (
Brightness, night).
Brilho, noite (Brightness, night)
18. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
- O símbolo Dia/Noite (Day/Night) será exibido.

Os valores selecionados são salvos na memória. A ilumina-


ção Dia/Noite está ativada.
Símbolo Dia/Noite (Symbol
Day/night)

17
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

4.12 Exibir informações do sistema


As informações do sistema incluem o status do software e
do elemento de controle e o nome do aquecedor conectado.

1. O símbolo Configurações (Settings) foi selecionado no


Configurações (Settings)
menu principal.

2. Pressione o botão de controle.


- O símbolo Início rápido (Quick start) é mostrado no
monitor.
Início rápido (Quick start)

3. Acione o botão de controle para escolher o símbolo


Informações do sistema (System information).

4. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.


Informações do sistema (System
information)
- O nome do aquecedor é mostrado no monitor.

5. Acione o botão de controle para trocar entre o nome do


aquecedor e as informações do elemento de controle
(nome do elemento de controle, software e status do
equipamento).
Nome do aquecedor (Heater name)

18
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

4.13 Reinicialização
Quando o sistema for reiniciado, todas as configurações
voltarão àquelas de fábrica, exceto a data e hora. Nota:
Todas as configurações pessoais serão reinicializadas, e
Configurações (Settings)
este procedimento não pode ser cancelado.

1. O símbolo Configurações (Settings) foi selecionado no


menu principal.

2. Pressione o botão de controle.


Início rápido (Quick start) - O símbolo Início rápido (Quick start) é mostrado no
monitor.

3. Acione o botão de controle para escolher o símbolo


Reiniciar (Reset).
4. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
Reiniciar (Reset)
- OK é exibido.
5. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.
- O sistema será reiniciado.

Reiniciar OK (Reset OK)

5 Informações de erro
Mensagens de erro a respeito do aquecedor começam com
a letra F, e são apresentadas na descrição de cada aquece-
dor. Mensagens de erro a respeito do elemento de controle
começam com a letra T. Mais informações sobre mensagens
de erro são fornecidas no capítulo 5.2 Códigos de erro.

1. Uma mensagem de erro é exibida no monitor. Erro


(Error)
2. Pressione o botão de controle para confirmar a mensa-
Erro (Error)
gem de erro.
- A mensagem de erro é armazenada na memória
de erro.
- Se a mensagem de erro não for confirmada, será
exibida durante cada reinicialização/reativação a
partir do modo de espera.

19
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

5.1 Exibir as informações de erro


armazenadas
Se houver uma falha no aquecedor ou em outros componen-
tes conectados, esses códigos de informações de erros são
salvos e exibidos aqui. As informações de erro atuais também
são marcadas com o símbolo !.

Quando ocorrer um erro, as informações de erro devem ser


confirmadas pressionando o botão de controle. O menu
principal só é exibido quando as informações de erro tiverem
Configurações (Settings)
sido confirmadas.

1. O símbolo Configurações (Settings) foi selecionado no


menu principal.

2. Pressione o botão de controle.


Início rápido (Quick start) - O símbolo Início rápido (Quick start) é mostrado no
monitor.

3. Acione o botão de controle para escolher o símbolo


Informações de Erro (Error information).

4. Pressione o botão de controle para confirmar a seleção.


Símbolo Informações de Erro
(Symbol Error information) - Mensagens de erro são exibidas no monitor.
- Se não houver mensagens de erro, OK é exibido.
- Se houver várias mensagens de erro, todas as
mensagens podem ser exibidas acionando o botão
de controle.
Mensagem de erro (Error message)
5. Pressione o botão de controle para retornar ao submenu.

20
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

5.2 Códigos de erro


Se uma mensagem de erro for mostrada no monitor, entre
em contato com a manutenção técnica.

Nota: Inspeções e reparos só podem ser executados por


profissionais treinados.

Exemplos de mensagens de erro para o elemento de controle:

Código Descrição Correção


T84 Subtensão (tensão de alimentação Carregue a bateria ou verifique o sistema
menor que 8V) elétrico.
Ted Sobretensão (tensão de alimentação Verifique o sistema elétrico.
maior que 36V)
Te3 Luz de fundo do monitor com defeito Entre em contato com o suporte téc-
nico/atendimento ao cliente.
Te4 Status do LED com defeito Entre em contato com o suporte téc-
nico/atendimento ao cliente.
Te5 Falha do sensor de temperatura (sensor Entre em contato com o suporte téc-
de temperatura no MultiControl não nico/atendimento ao cliente.
funciona)
Te6 Falha do sensor de temperatura no W- Verifique a instalação. Substitua o sensor,
bus (a temperatura do sensor externo se necessário.
não pode ser lida corretamente)
Te12 Erro de comunicação no W-bus Verifique a instalação.
Teb Tempo incorreto (relógio interno ou Se uma interrupção de tensão levar mais
MultiControl perdido) do que oito minutos: Insira a data/hora
novamente.

Se o erro aparecer sem nenhuma interrup-


ção de tensão: Entre em contato com o
suporte técnico/atendimento ao cliente.
Tec Botão de controle emperrado (botão de Entre em contato com o suporte téc-
controle pressionado por mais de dez nico/atendimento ao cliente.
segundos)
Te1 Temperatura ambiente baixa/alta O erro reinicia automaticamente quando a
demais temperatura ambiente retorna para a faixa
operacional de -20 °C – +70 °C.
Tee Transistor de interruptor defeituoso do Entre em contato com o suporte téc-
MultiControl nico/atendimento ao cliente. Nota: Se esse
erro aparecer, o aquecedor não pode ser
desligado. Remova o fusível imediata-
mente e leve para uma loja de reparo.

21
Webasto, aquecedor Thermo Pro 90 D

6 Limpeza
Apenas use um pano macio sem pelos para limpar o ele-
mento de controle. Nenhuma umidade pode entrar no
revestimento. Não use agentes de limpeza de janela, agentes
de limpeza doméstica, sprays, solventes, agentes de limpeza
contendo álcool ou agentes de lavagem para limpeza.

7 Descarte
O elemento de controle não pode ser descartado como lixo
doméstico. Siga as regulações locais para descarte de pro-
dutos eletrônicos.

8 Especificações técnicas
Faixa da tensão operacional: 12–24 V. Temperatura ambiente
permitida:

● Operação: -40 °C a +75 °C


● Armazenamento: -40 °C a +90 °C

Em temperaturas abaixo de -20 °C, a função protetora de


exibição será ativada. A iluminação do monitor e de fundo
serão desligadas, e o modo de aquecimento só é indicado
pela luz de fundo do LED. O aquecedor pode ser ligado e
desligado sem nenhuma limitação pressionando o botão de
início rápido.

22
PonsseControl II

Índice analítico
1 Introdução ............................................................................ 1
2 Componentes do dispositivo ................................................. 2
2.1 Funções dos relés .................................................. 3
3 Entrada em operação ........................................................... 3
3.1 Programando a lista de contatos ............................. 4
3.2 Removendo um usuário .......................................... 4
4 Operação do dispositivo ........................................................ 5
4.1 Comandos ............................................................. 5
4.2 Operação remota do Webasto ................................. 6
4.3 Alarmes ................................................................. 6
4.3.1 Alarme antifurto (equipamento opcional) .................. 6
4.3.2 Sistema extintor de incêndio (equipamento opci-
onal) ...................................................................... 6
4.3.3 Baixa voltagem da bateria ....................................... 7
4.3.4 Alta voltagem da bateria ......................................... 7
4.4 Solução de problemas e instruções de reparo .......... 8
4.4.1 Operação da luz indicadora ..................................... 8
PonsseControl II

1 Introdução
PonsseControl II é um dispositivo de monitoração por
controle remoto que pode ser controlado por mensagens
de texto, sem que nenhum controle separado precise
ser adquirido. Basta um telefone GSM padrão.

O dispositivo é operado enviando comandos por mensagens


de texto que começam com o sinal #, por exemplo #W para
ativar o sistema Webasto. Os comandos são escritos com
letras maiúsculas. O PonsseControl reconhece seus
comandos de controle e mudanças na configuração enviando
uma mensagem de texto. Se o dispositivo não entender o
comando recebido, ele retorna a mensagem UNKNOWN
COMMAND.

Você precisa ter sua própria assinatura de GSM para operar


o PonsseControl. Todos os outros tipos de assinatura são
aceitos, exceto as assinaturas pré-pagas. Uma assinatura
pré-paga pode deixar de operar de repente se o limite de
crédito for alcançado, impossibilitando o recebimento de
mensagens.

O sistema tem dois níveis de usuário diferentes. O nível 1


permite ao usuário controlar o Webasto e receber as mensa-
gens de alarme enviadas pelo dispositivo. Os usuários de
nível 2 só podem receber as mensagens de alarme, o con-
trole do Webasto é desativado para este nível de usuário.

A segurança dos dados do PonsseControl é baseada em


um recurso que só controla os comandos e questões envia-
das pelos números incluídos na própria lista de contatos do
dispositivo quando ele é implementado.

Qualquer um que souber o número de telefone do dispositivo


tem permissão de acesso ao dispositivo. O número da assi-
natura de GSM usado para o dispositivo deve ser retirado
da lista de forma que ele não possa ser consultado por meio
do serviço de lista telefônica.

1
PonsseControl II

2 Componentes do dispositivo
O PonsseControl fica localizado na cabine da máquina ao
lado da central elétrica grande / impressora, abaixo da tampa
mostrada na Figura 1.

Figura 1

Unidade de controle do PonsseControl II

1 O conector serial RS-232, pode ser usado durante a


programação do dispositivo
2 Conector da antena GSM
3 Interruptor de Energia (Não está em uso, a energia
é desligada desconectando o cabo de força (8))
4 Luz indicadora AUX = Verde, indica a chegada de
mensagens de texto e o status operacional do disposi-
tivo
5 Luz indicadora GSM = Vermelha, indica o status da
rede GSM
6 Conector de áudio(para conectar uma unidade de
alto-falante ou microfone)
7 Suporte de instalação do cartão SIM
8 Conector da fonte de força
9 Conector GPI0 AD-4 / Conector do cartão RE-4 para
controlar os controles opcionais do equipamento

2
PonsseControl II

2.1 Funções dos relés


As marcas dos relés que começam com a letra 'K' na tabela
abaixo correspondem àquelas da lista de funções do dia-
grama da fiação. Um diagrama detalhado de conexão/fiação
está incluído no diagrama elétrico do equipamento opcional
da máquina básica.

Relé Tamanho Função


K100 24 V / 10 A Webasto WARM
K101 24 V / 10 A Alarme do sistema extintor de incêndio (DAFO)
K102 24 V / 10 A Inicialização do Webasto

3 Entrada em operação
Para que o PonsseControl esteja pronto para ser usado, um
cartão SIM deve ser instalado e os números de telefone dos
usuários devem ser acrescentados à lista de contatos desse
cartão SIM.

1. Adquira uma assinatura de GSM de um operador de


telefonia. Assinaturas pré-pagas não são recomendadas,
porque elas podem deixar de operar de repente se o
limite de crédito for excedido.
2. Desative o pedido de código do PIN do cartão SIM da
assinatura de GSM. O pedido pode ser desativado
colocando o cartão SIM em seu próprio telefone móvel
e desativando o pedido através das configurações do
telefone (consulte o manual instruções do aparelho).
3. Desconecte o cabo de força (8).
4. Coloque o cartão SIM no suporte de instalação (7).
5. Empurre a trava da ranhura do cartão até ela se fechar
e feche a tampa. Reinstale o PonsseControl em seu

3
PonsseControl II

local designado perto da impressora na cabine da


máquina.
6. Reconecte o cabo de força ao dispositivo. O dispositivo
leva aproximadamente 30 segundos para ser iniciali-
zado. Quando o dispositivo estiver funcionando correta-
mente, a luz indicadora vermelha irá piscar a cada três
segundos e a luz verde a cada quinze segundos. Con-
sulte a seção 4.4.1 Operação da luz indicadora.
7. Acrescente seu próprio número de telefone à lista de
contatos do dispositivo, conforme descrito na seção 3.1.

3.1 Programando a lista de contatos

Antes de programar a lista de contatos do dispositivo, certi-


fique-se de que a mesma não contenha nenhum número
desnecessário. Faça a verificação utilizando o comando #P?.

Defina você mesmo como o usuário do dispositivo acrescen-


tando seu número de telefone à lista de contatos do disposi-
tivo usando o comando #Px +nnnnnnnnnnnn y, onde x se
refere à posição na lista (1…20), +nnnnnnnnnnnn ao seu
próprio número de telefone no formato internacional (+358…),
e y ao nível do usuário (1 ou 2).

O Webasto somente pode ser usado no nível do usuário 1!

Note que há um espaço entre a posição x na lista e seu


próprio número de telefone +nnnnnnnnnnnn!

Sempre use o formato internacional, como #P1


+358409999999 1, ao programar seu número de telefone.

3.2 Removendo um usuário


Um número pode ser removido da lista de contatos com o
comando #Px, onde x se refere ao número de série da
posição na lista.

Somente os números incluídos na lista de contatos têm a


permissão de serem removidos.

Antes de remover um número, verifique os conteúdos da


posição na lista usando o comando #P?.

4
PonsseControl II

4 Operação do dispositivo
Esta seção discute os comandos e alarmes necessários
para operar o dispositivo.

4.1 Comandos
O PonsseControl recebe comandos de controle através de
mensagens de texto. O sistema tem dois níveis de usuário
diferentes. O nível 1 permite ao usuário controlar o Webasto
e receber as mensagens de alarme enviadas pelo dispositivo.
Os usuários de nível 2 só podem receber as mensagens de
alarme, o controle do Webasto é desativado para este nível
de usuário.

As mensagens de inicialização e de status do Webasto só


são enviadas para o número de telefone da pessoa que dá
o comando de inicialização.

O sinal # atua como o sinal de comando. Se o comando


requerer mais de um caractere, eles serão separados por
um espaço.

Comandos:

Comando Descrição
#P? Retorna o conteúdo das posições 1 -
20 da lista
#P30-40? Retorna o conteúdo das posições 30
- 40 da lista
#P1? Retorna o conteúdo da posição 1 da
lista
#Px +nnnnnnnnnnnn Programa o número
y "+nnnnnnnnnnnn" na posição x para
o usuário de nível y
#Px Remove o conteúdo da posição x da
lista
#W Inicializa / pára o Webasto, usuário
de nível 1 é requerido
#B Retorna a voltagem da fonte
#V Retorna a versão do programa

5
PonsseControl II

Mensagens de resposta do PonsseControl:

Mensagem Situação
UNKNOWN COMMAND Comando não identificado
PERMISSION DENIED #W e nenhum usuário de nível 1 para o número
ADD OK Adição à lista de contatos bem sucedida
ADD FAIL Adição à lista de contatos não realizada
REMOVE OK Remoção da lista de contatos bem sucedida
REMOVE FAIL Remoção da lista de contatos não realizada
COMMAND ERROR Comando para remover da lista de contatos dado sem um local
de memória
REMOVE FAIL: PERMIS- Tentando apagar uma posição da lista de um número não
SION DENIEDA incluído na lista de contatos

4.2 Operação remota do Webasto


O Webasto é ligado enviando a mensagem de texto #W para
o PonsseControl. Quando o Webasto é ativado, o dispositivo
envia a mensagem de reconhecimento Webasto ON.
Quando a temperatura da água de circulação for de aproxi-
madamente +30°C, o dispositivo envia ao usuário que ativou
o Webasto uma mensagem de texto Webasto WARM.

Você também pode desligar o Webasto no meio do aqueci-


mento reenviando a mensagem #W para o PonsseControl.
O dispositivo então envia a mensagem Webasto OFF.

4.3 Alarmes

4.3.1 Alarme antifurto (equipamento opcional)

Se o alarme antiroubo de sua máquina florestal estiver ati-


vado, o PonsseControl envia uma mensagem DEFA burglar
alarm para os usuários.

4.3.2 Sistema extintor de incêndio (equipamento


opcional)

Se a máquina florestal for equipada com um sistema extintor


de incêndio automático e ele for ativado, o PonsseControl
envia uma mensagem de texto sobre a ativação para os
usuários. Dafo fire control alarm.

6
PonsseControl II

4.3.3 Baixa voltagem da bateria

A voltagem da bateria varia dentro do intervalo de (22 V - 30


V). Se a voltagem da bateria da máquina florestal descer
abaixo de 22 V, o PonsseControl envia uma mensagem
como Batteries voltage too low = 20.1 V para os usuários.

Um retardo de 20 segundos precede o envio da mensagem


para impedir que curtas variações de voltagem acionem o
alarme.

4.3.4 Alta voltagem da bateria

A voltagem da bateria varia dentro do intervalo de (22 V - 30


V). Se a voltagem da bateria subir acima de 30 V, o disposi-
tivo envia uma mensagem como Batteries voltage too high
= 31.6 V para os usuários.

Um retardo de 20 segundos precede o envio da mensagem


para impedir que curtas variações de voltagem acionem o
alarme.

7
PonsseControl II

4.4 Solução de problemas e instruções de


reparo

Se o dispositivo não responder aos comandos que você


enviou, retire o cartão SIM do dispositivo e apague as men-
sagens do cartão SIM usando seu próprio telefone GSM.

4.4.1 Operação da luz indicadora

Função: Descrição: Causa/Reparo:


A luz vermelha ou verde não O dispositivo não está Ligue a energia / a fonte de alimen-
está ligada / piscando. recebendo energia elé- tação do dispositivo está danifi-
trica cada
A luz vermelha pisca a cada O dispositivo está conec- O dispositivo deve estar funcio-
três segundos tado corretamente à rede nando corretamente
GSM
A luz vermelha pisca a cada O dispositivo não conse- Zona morta GSM
segundo gue encontrar a rede
GSM
A luz vermelha pisca a cada O dispositivo não conse- A antena do dispositivo está des-
segundo gue encontrar a rede conectada -> Conecte a antena
GSM
A luz verde pisca a cada 15 O dispositivo está pronto O dispositivo está pronto para
segundos para operação receber os comandos
A luz verde fica ligada continu- O dispositivo está rece- A luz verde fica acesa até que o
amente por vários segundos bendo uma mensagem dispositivo tenha processado com
o comando recebido

É possível verificar se o PonsseControl está conectado à


rede GSM telefonando para o dispositivo. Quando o disposi-
tivo funciona corretamente, ele dá dois alarmes e, em
seguida, um sinal de ocupado!

8
SIT RIGHT INSTRUÇÕES DE PROGRAMAÇÃO Resumidas
Nivelador de assento para frente/à ré da compensação de inclinação - Modelo 2005
1/2

Ajustes de fábrica:
PONTO ZERO-INTERMEDIÁRIA na posição da direita, posição HOME no meio, chave 1 de
LIMITE em 10 graus (quando a unidade está inclinando para a frente) e chave 2 de LIMITE em 8
graus (quando a unidade está inclinando à ré), OPERADOR 1 na velocidade intermediária,
OPERADOR 2 na velocidade mínima, OPERADOR 3 na velocidade máxima.

Programação

)
Não modifique manualmente a posição do nivelador do assento quando a unidade
estiver sem energia, pois a posição ZERO/INTERMEDIÁRIA afeta as posições limites.
Por isto, é importante programar a ZERO/INTERMEDIÁRIA na maneira correta, para
não adulterar as posições limites.
A unidade sai da programação se nenhuma tecla for digitada dentro de 8 segundos ou a
tecla S dentro de 4 segundos.
Se a função de proteção contra voltagem cortar a corrente, você terá de desligar o
interruptor de energia para reajustar o circuito.

Todas as funções são programáveis com a caixa de controle. Ela possui 10 teclas, 6 das quais são
usadas nesta aplicação (ver figura na página a seguir). As demais estão reservadas para necessidades
futuras.

As seguintes funções podem ser programadas:


PONTO ZERO/INTERMEDIÁRIA, VELOCIDADE, posições das chaves LIMITE, posição da
HOME e 3 PERFIS DE OPERADOR diferentes.

Instruções de programação

Ponto zero
Mova a unidade com as teclas de seta, ou manualmente, em uma posição onde a medição seja de 90
mm a partir da unidade para a placa superior (a placa superior da unidade está inclinando um pouco à
ré).
Programação: Aperte a tecla D/P por aprox. 8 segundos até os LEDs começarem a piscar. Aperte 6
vezes a tecla S (O LED 2 pisca) e depois confirme, apertando D/P outra vez.

Chave limite nº 1 (ver figura na página a seguir)


Aperte a tecla D/P por aprox. 8 segundos até os LEDs começarem a piscar. Aperte 7 vezes a tecla S (O
LED 1 pisca). Vá até a posição desejada usando as teclas de seta. Confirme, apertando a tecla D/P e
aguarde até os LEDs pararem de piscar.

Chave limite nº 2 (ver figura na página a seguir)


Aperte a tecla D/P por aprox. 8 segundos até os LEDs começarem a piscar. Aperte 8 vezes a tecla S (O
LED 3 pisca). Vá até a posição desejada usando as teclas de seta. Confirme, apertando a tecla D/P e
aguarde até os LEDs pararem de piscar.

Posição Home
HOME fica normalmente no centro, mas pode ser programada em outras posições também (assim
como na programação do perfil do operador). Faça conforme acima, mas aperte 9 vezes a tecla S.
Como resultado, o LED A/H começa a piscar. Confirme, apertando a tecla D/P.

2005-01-20
SIT RIGHT INSTRUÇÕES DE PROGRAMAÇÃO Resumidas
Nivelador de assento para frente/à ré da compensação de inclinação - Modelo 2005
2/2

Velocidade
A velocidade pode ser definida individualmente para cada operador (3). Aperte a tecla D/P (toque
curto) e escolha o operador desejado. Aperte a tecla S até um dos LEDs começar a piscar. Agora será
possível ajustar a velocidade em 7 níveis. A seta para a frente reduz a velocidade, a seta para traz vai
aumentá-la.

DADOS TÉCNICOS
Teclas sem uso nesta aplicação
Keys not in use in this application.

Forward key
Tecla de avanço
Backward key
Tecla de recuo

90 mm Position
Posição for zero
para ponto Zero-point
- 90 mm

Frontlimite
Chave side2 Back side
Chave limite 2
doLimit switch 2
lado dianteiro do lado traseiro
Limit switch 1
stops movement
Pára movimento Pára
Stops movment de
movimento
deBackward
inclinaçãotilting
à ré inclinação para a frente
forward tilting

Posicionamento dos cabos no nivelador de assento automático Electronic 172053 Sit Right
Placement of cables on Electronic 172053 Sit Right automatic seat leveller.
Régua de 7 pólos para energia e caixa de controle Régua de 8 pólos para acion. motor e cod. pulsos
Contact 7- pol for power and control box Contact 8-pol for motor power and pulscoder

Power 24
Energia 24volt
VccDC(+) (+) red
vermelho Power pulscoder
Energia cod. puls.red
vermelho
Power ground
Fio-terra (-) black
(-) preto Power pulscoder
Energia cod. puls.black
preto
Controlbox
Caixa (+) withe
de controle (+) branco Motor power
Energia redvermelho
motor
Controlbox
Caixa (-) brown
de controle (-) marrom PARTE DE CIMA DOS
ELECTRONIC
Motor power
Energia black
motor preto
Controlbox
Caixa data yellow
de contrôle, dados, amarelo COMPONENTES
SEEN FROM ABOVE
Pulscoder
Espia cod.watch green
puls. verde
Sem uso nesta aplicação
Not in use in this application ELETRÔNICOS
Sem uso nesta aplicação Pulscoder
Dados cod.data yellow
puls. amarelo
Not in use in this application Seminuso
Not usenesta aplicação
in this application
Sem uso nesta aplicação
Not in use in this application

Outras informações

Informações mais detalhadas podem ser vistas nas instruções do nivelador de assento que acompanham a
unidade.

2005-01-20
SIT RICHT 2005



Nivelador de Assento
Automático
MODELO 2005

INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO

O nivelador mostrado vem equipado com acessórios adicionais.

IMPORTANTE!
Leia sempre as instruções antes de
começar a usar o nivelador de assento.
Com isto, você vai se proteger de
cometer erros que podem lhe custar
tempo e dinheiro.
SIT RIGHT 2005 INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO
Nivelador de assento, nivelamento lateral automático 1/5

1 SUMÁRIO
1 SUMÁRIO...........................................................................................................................................................1
2 INFORMAÇÕES SOBRE O PRODUTO......................................................................................................1
2.1 AVISOS GERAIS ...........................................................................................................................................1
2.2 TERMOS DA GARANTIA ..............................................................................................................................2
3 COMPONENTES ELETRÔNICOS...............................................................................................................2
AS POSIÇÕES DE TRABALHO DA UNIDADE SÃO AUTO OU HOME ...............................................................2
3.1 FUNÇÕES ELETRÔNICAS .............................................................................................................................2
3.2 PROGRAMAÇÃO ..........................................................................................................................................2
3.2.1 Ajustes de fábrica...................................................................................................................................2
3.3 TECLAS E FUNÇÕES ....................................................................................................................................2
3.3.1 Programando o LIMITE direito - Exemplo..........................................................................................3
3.4 AJUSTE DA VELOCIDADE PARA PERFIS DO OPERADOR .............................................................................3
3.5 ERROS DE PROGRAMAÇÃO .........................................................................................................................4
3.6 DIAGRAMA DE COMUTADORES..................................................................................................................4
3.7 CABOS ELETRÔNICOS .................................................................................................................................5
4 MANUTENÇÃO ................................................................................................................................................5
4.1 ELOS DE SEGURANÇA .................................................................................................................................5
4.2 MANUTENÇÃO, PEÇAS DE REPOSIÇÃO E SERVIÇOS DE REPARO ...............................................................5
5 DADOS TÉCNICOS..........................................................................................................................................5

2 INFORMAÇÕES SOBRE O PRODUTO


Melhoramentos eletrônicos e alguns ajustes correspondentes na parte mecânica constituem as
principais inovações adotadas no nivelador modelo SIT RIGHT 2005. Sua concepção de caixa de
controle permite contínuo aprimoramento do produto. Por isto, as teclas Å, Æ e as A/H, U/D e F/B do
lado direito estão reservadas para necessidades futuras.

O nivelador de assento SIT RIGHT é uma unidade completa, incluindo todo o necessário para sua
instalação em equipamentos florestais ou máquinas similares. Basta você conectá-lo a uma fonte de
alimentação de 24 V CC.

O nivelador de assento automático 2005 é um produto patenteado. Os produtos SIT RIGHT portam a
marca CE e atendem as diretivas válidas da EMC.

2.1 Avisos gerais

)
PERIGO! Nunca deixe suas mãos ou pés entre as placas de um nivelador ativado. Há risco
de esmagamento!
NOTA! Nunca tente girar o nivelador com a mão quando o contato estiver cortado. Na pior
das hipóteses, isto pode danificar a máquina.
NOTA! Não deixe objetos soltos pelo piso da máquina, pois eles podem ser esmagados pelo
nivelador durante o controle de inclinações laterais.

2005-01-20
SIT RIGHT 2005 INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO
Nivelador de assento, nivelamento lateral automático 2/5

2.2 Termos da garantia


A garantia de doze (12) meses ou, em alternativa, de 2000 horas de operação é dada para o produto
para defeitos no material e no fabrico. A garantia não se aplicará a nenhum problema ou defeito
rcorrente de desgaste anormal, negligência ou operação indevida, instalação mal feita ou manutenção
incorreta ou inadequada.

3 COMPONENTES ELETRÔNICOS
As características dos novos componentes eletrônicos: montados na superfície, controle por
microprocessador, etapas de controle por pulso para acionamento motorizado. Os componentes
eletrônicos são totalmente silenciosos.

Seu ajuste e configuração são feitos somente através da caixa de controle. Não é necessário desmontar
nada no próprio nivelador para trocar algum componente.

As POSIÇÕES DE TRABALHO da unidade são AUTO ou HOME

3.1 Funções eletrônicas


1. Nivelamento automático com a posição HOME. (Quando ativada, a unidade tomará a posição
INTERMEDIÁRIA.)
2. Nivelamento proporcional: desvio mínimo de inclinação = nivelamento mais lento; grande
desvio = nivelamento proporcionalmente mais rápido.
3. Controle manual usando as teclas de seta (posição de serviço).
4. Posições LIMITE programáveis (0-13 graus).
5. Melhor nivelamento da inclinação.
6. Fusível de 5 amp, que é acionado em caso de sobrecarga.
7. Programável para posições individuais (3 operadores).
8. Ajuste de velocidade em 7 níveis.

3.2 Programação
3.2.1 Ajustes de fábrica
A velocidade do nivelador vem de fábrica ajustada
para o nível 4, ou seja, posição intermediária, e as
posições LIMITE como padrão em 11 graus. As
posições LIMITE direita e esquerda podem ser
facilmente redefinidas no intervalo 0-13.

Quando se inicia o trabalho e conecta-se a energia,


o sistema sempre começa na posição MANUAL.
Para chegar à posição AUTO, aperta-se uma vez a
tecla A/H da esquerda. Sempre que desejado,
pode-se passar das posições AUTO ou HOME
para o ajuste MANUAL.

3.3 Teclas e funções


D/P é a tecla para programar e confirmar e S a tecla para selecionar a função a ser programada. As
teclas de seta são usadas para ajustes e para o controle manual. NOTA! A programabilidade se

2005-01-20
SIT RIGHT 2005 INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO
Nivelador de assento, nivelamento lateral automático 3/5

interrompe e a unidade volta à posição normal se não for pressionada nenhuma tecla durante 8
segundos ou a tecla S durante 4 segundos.

NOTA! Por isto, as teclas Å, Æ, e as A/H, U/D e F/B do lado direito não são usadas neste modelo.

TECLA PROCEDIM. FUNÇÃO


A/H Primeiro toque Ativa a função AUTO ´ começa o nivelamento da inclinação
A/H Segundo toque Ativa a função HOME ´ o nivelador assume a posição
INTERMEDIÁRIA. Um terceiro toque devolve-o à posição AUTO
etc.
D/P Toque curto Alterna entre os perfis de operador 1, 2 e 3
D/P Toque longo Os LEDs ficam piscando ´ selecione a programação desejada com
(aprox. 8 seg.) a tecla S ´ confirme com um toque da D/P.
S Primeiro toque Zera a calculadora
S Segundo toque Ativa o LIMITE programável esquerdo. Leva até a posição
desejada com as teclas de seta (Direita/Esquerda). Trava o LIMITE
ao teclar a D/P.
S Terceiro toque Ativa o LIMITE programável direito. Mesmo procedimento como
acima.
S Quarto toque Ativa a programação da posição HOME. Mesmo procedimento
como acima.

3.3.1 Programando o LIMITE direito - Exemplo


Como padrão, as posições LIMITES estão definidas para 11 graus.
Velocidade: Driver 1 = 50 %, Driver 2 = velocidade mínima e Driver 3 = velocidade máxima.

Instalação clássica do nivelador: A programação da velocidade e possíveis alterações das posições


LIMITE serão suficientes. Todos os perfis de operador têm as mesmas posições LIMITE. Somente as
velocidades podem ser programadas individualmente neste modelo.

Quando você está sentado, a posição do LIMITE direito é a que vai limitar o curso na inclinação para a
direita. Da mesma forma, a tecla da seta para a direita guia o nivelador no rumo da inclinação para a
direita.
1. Aperte a tecla D/P por aprox. 8 segundos ou até os LEDs piscarem.
2. Avance com a tecla S, apertando-a 3 vezes até a posição LIMITE direita.
3. Depois, use as teclas de seta até chegar à posição desejada e confirme o ajuste apertando a tecla
D/P dentro de 8 segundos.

3.4 Ajuste da velocidade para perfis do operador


A seta à esquerda diminui e a seta à direita aumenta a velocidade. O ajuste da velocidade pode ser feito
em 7 níveis.
1. Aperte a tecla S até os LEDs começarem a piscar.
2. Use as teclas de seta para definir a velocidade desejada. Pode-se, por exemplo, apertar 7 vezes
a seta à direita, chegando assim à velocidade máxima. Depois disto, é só ir reduzindo até o
nível desejado.

2005-01-20
SIT RIGHT 2005 INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO
Nivelador de assento, nivelamento lateral automático 4/5

3. Depois de aprox. 8 segundos os LEDs vão parar de piscar e a programação da velocidade estará
concluída.

Observe! Em controle manual, a velocidade é metade da velocidade máxima, que também define a
posição HOME.

3.5 Erros de programação

)
NOTA! Para evitar alterações das definições: Se você mover a unidade quando a energia é
cortada, as definições básicas se alterarão. Se você, por engano, reprogramar a posição
ZERO (com a energia ligada) todas as outras definições, como HOME e o LIMITE
programável, se alterarão porque elas se relacionam com a posição ZERO.

)
Verificação/Correção das definições básicas: Você pode verificar facilmente se as definições
do nivelador estão com falha, ativando a posição HOME.
Quando HOME está ativada, a unidade permanece paralela com o chão da máquina. Caso
contrário, as definições básicas estão com falha. Isso é corrigido facilmente cortando a
energia. Então, direcione o nivelador realimentado através da posição INTERMEDIÁRIA, e a
unidade efetuará a correção automática das definições. Você também pode programar
manualmente a posição ZERO como explicado no ponto 3.3.
NOTA! O fusível no cabo de força evitará a sobrecarga na unidade.

3.6 Diagrama de comutadores


Control
Caixa debox
controle

Conexão daof
Conection placa
seatdeleveller.
inclinação

Componentes
Electronic
eletrônicos

Black
Preto ==Terra
Ground TAo ser conectado
be conected toapower
24 volt
CC e controlador por
24 volt Dc and controlled
Vermelho = 24 Vcc
Red = 24 volt DC bchave de ignição
y ignition key
FFusível
use 5 amp
5A .

2005-01-20
SIT RIGHT 2005 INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO
Nivelador de assento, nivelamento lateral automático 5/5

3.7 Cabos eletrônicos


Cabos para
Cables for aelectronic
Placa de Sit
Inclinação eletrônica
Right Automatic Automática
leveller 2005 do SitRight 2005
Contatos para alimentação do motor e
Contact para
Contados for power and controllbox
alimentação e caixa de controle sensor for
Contact de pulsos
motor power and pulse sensor

Energia2424volt
Power VccDC (+)(+)
vermelho
red Alimentação
Power pulsedo sensorred
sensor de pulsos vermelho
Terra do
Power Circuito(-)
Ground (-) preto
black Alimentação
Power pulsedo sensorblack
sensor de pulsos preto
Caixa de controle
Controllbox (+) branco
(+) withe Alimentação
Motor powerdoredmotor vermelho
Caixa de controle
Controllbox (-) marrom
(-) brown PARTEUPPSIDE
DE CIMA DOS Motor powerdoblack
Alimentação motor preto
Dados da caixa
Controllbox datadeyellow
controle amarelo COMPONENTES
ELECTRONIC
Sem uso nesta aplicação
Pulsedo
Espia sensor watch
sensor green
de pulsos verde
ELETRÔNICOS
Not in use in this application Pulse sensor
Dados data
do sensor yellow amarelo
de pulsos
Seminuso
Not usenesta aplicação
in this application
Hall sensor
Sinal signal
do sensor green
do hall (Fine
verde )
(fino)
Hall sensor
Sinal signal
do sensor yellow
do hall (fine)(fino)
amarelo

4 MANUTENÇÃO
O nivelador vem pré-lubrificado e não necessita de manutenção. Obviamente que os componentes
mecânicos sofrerão desgaste a longo prazo, mas os danos provocados por isto irão demorar a aparecer
se o guarda-pó superior for engraxado com regularidade:

1. Retire o guarda-pó, que está preso com uma fita de Velcro.


2. Empurre a placa para um dos lados, descobrindo assim a maior parte da superfície do mancal na
cuba superior.
3. Aplique uma camada fina de graxa normal para mancais.
4. Repita do outro lado. Agora, a graxa aplicada vai descer até a camada deslizante da cuba inferior.

4.1 Elos de segurança


Existem dois elos de segurança para facilitar a proteção/imobilização mecânica do nivelador em caso
de danos na transmissão, quando somente a fricção interna da unidade mantém a cuba interna em sua
posição. Isto, porém, não basta para manter o assento em posição contra forças laterais intensas. Use
sempre os dois elos para imobilização! Depois de engatá-los, você poderá continuar o seu trabalho,
deixando a desmontagem e o reparo para ocasião mais conveniente.

4.2 Manutenção, peças de reposição e serviços de reparo


Sempre que precisar de peças de reposição ou serviços de reparo, entre em contato com a assistência
técnica Ponsse da sua localidade.

5 DADOS TÉCNICOS
Peso: 18 kg
Dimensões: 395 x 350 x 95 mm
Tensão de entrada: 24 V CC (duplicador de voltagem necessária para instalações de 12 V)
Consumo de corrente: Sob carga normal, menos de 3A
Fusível: Max. 5 A

Reservamo-nos o direito de alterar os dados técnicos sem aviso prévio.

2005-01-20
Eixos adicionais de 10w
(equipamento opcional, Buffalo e Elk)

Índice analítico
1 Eixos adicionais de 10w (equipamento opci-
onal, Buffalo e Elk) ............................................................... 1
1.1 Botões de controle .................................................. 1
1.2 Dirigir em uma rodovia ............................................ 2
1.3 Instalação das esteiras ........................................... 3
2 Manutenção programada, eixo adicional de 10w .................... 5
Eixos adicionais de 10w (equipamento opcional, Buffalo e Elk)

1 Eixos adicionais de 10w


(equipamento opcional, Buffalo e Elk)
Os eixos adicionais possibilitam a realização da colheita em
terrenos com pouca sustentação quando o solo não está
congelado. Assim, há mais capacidade de suporte de carga
de uma máquina equipada com um eixo adicional, e as
pressões sobre a superfície são diminuídas. Isso reduz o
dano causado ao terreno, e os troncos podem ser transpor-
tados para a margem da estrada mesmo em terrenos com
pouca sustentação.

1.1 Botões de controle

L Manopla de controle esquerda

Botão para baixo do eixo adicional


- Se o botão for pressionado uma vez, o eixo bai-
xará e o pressionamento do permanecerá ligado.

Botão para cima do eixo adicional


- Se o botão for pressionado uma vez, o eixo
subirá e permanecerá na posição superior.

Programa Opti4G 4.720 Up1 ou posterior.


- Se o botão for pressionado uma vez, o eixo
subirá e permanecerá na posição superior.
- Se o botão for pressionado durante mais de 0,2
segundos, o controle automático é interrompido e
o eixo é controlado até o botão ser liberado.

Ativando a flutuação do eixo adicional do 10w (requer


o programa Opti4G 4.720 ou posterior):
- Pressione simultaneamente durante um segundo os
botões Eixo adicional para baixo e Eixo adicional para
cima.

1
Eixos adicionais de 10w (equipamento opcional, Buffalo e Elk)

1.2 Dirigir em uma rodovia


Antes de dirigir em estradas públicas, certifique-se de que
a condição da máquina atenda às normas nacionais de trá-
fego rodoviário e que a máquina tenha o equipamento
apropriado para transitar nas estradas.

Leia também as instruções Dirigir em uma rodovia instructi-


ons do Manual do Proprietário da máquina básica.

4 4

Instalando as luzes de contorno, sinais do pisca e um triângulo


advertindo sobre um veículo lento no eixo adicional de 10w:
4 Empurre os braços para as luzes das contrapartes na extensão do
quadro traseiro.
5 Insira o plugue das luzes traseiras na tomada da extensão do quadro
traseiro.
Teste se as luzes de contorno e os sinais do pisca estão funcio-
nando.

Luzes de contorno, sinais do pisca e um triângulo advertindo sobre um


veículo lento, com o eixo adicional na posição superior:

Sempre levante o eixo ao dirigir em terreno duro.

Esteiras/correntes não podem ser utilizadas em rodas ao


dirigir em estradas públicas.

2
Eixos adicionais de 10w (equipamento opcional, Buffalo e Elk)

1.3 Instalação das esteiras


Na instalação das esteiras, são necessários 10 m de corrente
reta, correntes de instalação das esteiras e manilhas de
aperto.

Os fabricantes de esteiras também oferecem diversos tensi-


onadores que facilitam a instalação das esteiras.

1. Posicione as esteiras em uma plataforma de nível com


1
os grampos antiderrapantes voltados para cima atrás
dos pneus traseiros (1) da máquina.
2. Conecte a corrente firmemente no primeiro grampo
usando manilhas (1 e 2).
3. Puxe a corrente da instalação sobre os três pneus e
2
fixe-a abaixo do pneu central (1 e 2).
4. Desloque a máquina lentamente para a frente e cuide
para que a corrente permaneça no centro do pneu e
não deslize para fora da linha central (2 e 3).
5. Desloque para a frente até que um grampo antiderra-
3 pante esteja liberado atrás do pneu adicional (4).
6. Instale as correntes de instalação (imagem 5) nos
engates laterais entre o segundo e o terceiro grampo
4 antiderrapante, em ambos os lados das esteiras.

As correntes de instalação devem ter o mesmo tamanho em


ambos os lados. Aperte os dois lados uniformemente; caso
contrário, as esteiras serão instaladas em uma posição
incorreta.

Imagem 5. Instalação correta


das correntes de instalação
A Correntes de instalação
B Corrente adicional

A B

3
Eixos adicionais de 10w (equipamento opcional, Buffalo e Elk)

7. Em seguida, mova a máquina até que a conexão das


esteiras fique entre os pneus. Assim, as esteiras ficam
apertadas e a corrente adicional no meio fica solta. Se
for necessário apertar ainda mais as esteiras: as encurte
e inverta, instalando uma trava de esteira adequada.
8. Instale os conectores das esteiras de modo que os
engates fiquem voltados para dentro, na direção do
pneu.
9. Conduza as máquinas para frente para soltar as corren-
tes de instalação. Desligue a máquina e remova as
correntes de instalação e adicionais.
10. Conduza a máquina de um lado para outro algumas
vezes. Verifique a tensão das esteiras (imagem 6) A
dimensão A deve ser de aprox. 100 mm.

Imagem 6. Tensão correta das esteiras

Não aperte demais as esteiras.

Certifique-se de que ninguém se encontre perto demais das


esteiras ao apertá-las.

Caso as correntes de aperto não fixem as esteiras o sufici-


ente, instale uma corrente adicional entre as extremidades
das esteiras e faça o deslocamento para a frente. A corrente
mantém as extremidades juntas de modo que a corrente de
aperto possa ser melhor fixada (imagem 5).

4
Eixos adicionais de 10w (equipamento opcional, Buffalo e Elk)

2 Manutenção programada, eixo adicional de 10w


Item Manutenção Nota:
Manuten-
ção Com-
semanal Basic plete
Hubs ● ● Uma reserva de ar deve
Vedação principal do ser deixada na caixa de
Engraxa- ●
1. braço lubrificação para sua
mento
Mancais da junta do expansão térmica.

cilindro
2. Verifique o aperto das rodas, aperte 550 Nm