Você está na página 1de 5

Sequência Didática a Casa de Vinícius de

Moraes
A Casa
Vinicius de Moraes

Era uma casa muito engraçada


Não tinha teto, não tinha nada

Ninguém podia entrar nela, não


Porque na casa não tinha chão

Ninguém podia dormir na rede


Porque na casa não tinha parede

Ninguém podia fazer pipi


Porque penico não tinha ali

Mas era feita com muito esmero


Na rua dos bobos, número zero

1º Dia – SENSIBILIZAÇÃO E INTRODUÇÃO

1º momento:

 Exibir o vídeo do poema cantando com as crianças;


 Conversa na rodinha – Perguntar às crianças se eles já ouviram o poema
antes? se gostaram? Se sabem quem o escreveu? Se já ouviram falar de
Vinícius de Moraes? Conversar com elas sobre que foi Vinícius de
Moraes (Bibliografia), apresentar uma fotografia do escritor; e dizer a elas
que por um período estaremos trabalhando com alguns poemas escritos
por ele e que muitas coisas irão aprender ao estudar estes poemas.
 Escrever o poema com letras garrafais (na classe, junto com as crianças) A
casa – em papel metro com o formato de casa;
 Pedir para que as crianças ilustrem o cartaz pintando com: tinta guache, ou
giz de cera – afixá-lo na classe;
 Exibir o vídeo ou música do poema novamente, cantando com as crianças
– apontando as palavras no cartaz (fazer isso algumas vezes);

2º Dia: CÃNTICO, INTERPRETAÇÃO E CRIAÇÃO

 De posse do cartaz; colocar a música para as crianças ouvirem, primeiro


ler, depois cantar com elas várias vezes – apontando as palavras no cartaz;
 Interpretando oralmente o poema: Questionar às crianças quanto:

– Qual é o título do poema?

– Quem é o seu autor?

– Sobre o que fala o poema?

– A casa da qual o poema fala é igual ou diferente da que a gente mora? Por quê?

– Por que a casa do poema pode ser considerada engraçada?

 Fazendo arte: dar às crianças uma folha de papel com apenas dois riscos e
pedir para que elas, usando tinta guache e o dedo, completem o desenho
da casa colocando as partes que faltam nela de acordo com o poema: teto,
chão, paredes, o pinico, o número da casa e o nome da rua;

– Escreva na lousa o numero: 0 e o nome da rua: RUA DOS BOBOS para as


crianças se apoiarem;

– Questionar o que é o número ZERO = 0? Representa alguma coisa?

– Por que Rua do BOBOS?

3º Dia – Natureza e sociedade:

1º momento:
 Contação de história – os três porquinhos (com exibição de
vídeo https://www.youtube.com/watch?v=yF3ofalvlAo);
 Ao assistirem ao vídeo – em relação às casas dos Três Porquinhos, os que
puderam perceber? São iguais? São feitas dos mesmos materiais?
 Na rodinha – conversar com as crianças sobre que materiais são
necessários para a construção de uma casa onde se compra esses
 Construindo coletivamente uma lista de materiais que usamos para
construir uma casa; “Para construir uma casa eu necessito de alguns
materiais”:

– Na medida em que as crianças forem falando os materiais a professora deverá


listá-los na lousa, lê-los com as crianças e depois escrever no papel metro para
afixá-lo na classe;

2º momento: Passeio pela comunidade para que as crianças observem os


diferentes tipos de casa ali existentes – se possível fotografá-las;

4º Dia: Retomando e relembrando o passeio pela comunidade:

Conversar na rodinha:

 Ao observar as casas durante o passeio o que elas puderam perceber?


 As casas são todas iguais? Por quê?
 Todas são feitas com os mesmos materiais?
 Será que todas as pessoas vivem em casas? Ou existem outros tipos de
moradias?
 Trabalhar com as crianças sobre os diferentes tipos de moradias: casas,
apartamentos, barracos, palafitas, ocas indígenas, casas de pau a pique, e
outras.

Para casa: Com a ajuda do pessoal de casa pesquise em livros e revistas


diferentes tipos de moradias e cole nesta folha.

5º Dia:

1º momento: Reflexão sobre a escrita das palavras do poema: CASA


Colocar novamente a música e cantar com as crianças apontando as
palavras com o dedo no cartaz;

 Escrever a palavra CASA – em tiras de papel usando diferentes tipos de


letras: cursiva e de imprensa e apresentá-lo para as crianças e pedir para
que elas observem;
 Entregar a letra do poema impressa para as crianças e pedir para que elas
localizem no poema a palavra casa, circulem e pintem;
 Escrever a palavra CASA na lousa e pedir para que as crianças leiam
primeiro rapidamente, depois pausadamente: CA – SA batendo palmas;

– QUESTIONAR:

 Quantas letras? Quantas sílabas?


 Qual a primeira letra? Qual a última letra? Quais as letras intermediárias?

2º momento: escrita espontânea de palavras e letras

 Pedir para que as crianças escrevam a palavra CASA na mesa usando o


dedo;
 Escrever a palavra casa no papel usando o dedo e tinta;
 Pedir para que tentem escrevê-la na lousa da forma que souberem;
 Traçar a 1ª letra da palavra CASA na caixa de areia; sobre a mesa; na
folha de papel usando tinta guache;
 Colar barbante sobre a letra: C
 Modelar a letras da palavra CASA (com massinha);
 Montar a palavra CASA usando letras móveis
 Fazer bolinhas de papel crepom e ilustrar a letra: C;

Para casa: Entregar uma folha impressa para as crianças pedindo que elas
procurem em livros ou revistas palavras e figuras que comecem com a mesma
letra inicial da palavra CASA.

 Na classe – retomar a atividade que passou para casa e


 – Contextualizando – escrita das letras da palavra casa: C; A; S; A. (de
vez e uma de cada vez;
 Ensaio coreográfico do poema a CASA para no final ser apresentado no
SARAU dos pequenos poetasFonte: Gil Nunes Maia